À medida que meus sentidos eram contagiados pelo panorama diante de

mim, comecei a imaginar o local da pirâmide como um ponto imóvel na progressiva

marcha do tempo. Aquelas pedras, que haviam testemunhado o florescimento

e a queda do império egípcio, já contavam mil anos quando Abraão

passou por elas para reclamar a sua herança em Canaã. Eram um símbolo de

refúgio nos dias de José, quando ele trouxe seu pai, Jacó, e os filhos deste para

viverem à sua sombra. As pirâmides testemunharam a opressão dos israelitas e o

êxodo sob Moisés. Elas presenciaram o profeta hebreu Jeremias ser levado cativo

de sua terra, Judá, e observaram o infante Jesus fugir do rei Herodes. Se

pudessem falar, quantas histórias nos contariam!