Abrap 1_2

SR. DEMÓSTENES TORRES: --que estão tramitando, com as leis,
projetos de lei.
O meu colega Sérgio, que também é um defensor de vocês, sem
trocadilho, não é? Mas ele é um homem que é ligado à área. E
gostaríamos que vocês continuassem com essa presença, nos
abastecendo com informações, até porque, hoje, a Advocacia Pública é,
realmente, essencial.
Imaginem os senhores sobre o avanço do patrimonialismo dentro da
máquina pública, não é? Muitas vezes, quando ainda no Ministério Público,
tive a oportunidade de ver o advogado se posicionar duramente contra
uma dispensa de licitação e, ainda assim, o seu parecer ser desprezado. E
nós sabemos muito bem que uma carreira como a que vocês têm, me
permitam tratar como uma carreira só, porque creio que a Constituição,
quando falou em procuradores do Estado, usou isso lato sensu, não usou
stricto sensu. Até como alguém bem definiu, aqui, Constituição,
raramente, trata de carreira e, nessa hipótese, não tratou. Tratou de um
genro em que todos cabem dentro do mesmo barco, não é?
Então, eu quero dizer que há uma tendência, e que essa tendência
pode ser, inclusive, potencializada, buscando a imprensa para o lado de
vocês, mostrando da importância, agora, dessas carreiras da Defensoria
Pública, das Procuradorias, não só dos procuradores do Estado, também
dos procuradores autárquicos, também dos procuradores das assembleias,
das Câmaras Municipais. Enfim, é fazer com que todo esse potencial seja
devidamente valorizado e que, de certa forma, não estabelecendo um
efeito vinculante entre o parecer e a decisão, porque isso é impossível,
mas é criar uma razão para que aquele que detenha o cargo, quando
desprezar um parecer substancioso de alguém que tem um zelo público
como vocês, o faça de uma forma motivada, sob pena de, lesando o
Estado com a sua decisão, ter alguma responsabilização.
De sorte que parabenizo a Vossa Excelência, Sr. Presidente, por
esse evento. Parabenizo a todos que, aqui, se encontram. E saibam que
não é retórica, nós estamos bastante interessados – eu, especialmente, o
Sérgio, especialmente – em defendê-los, para que os senhores continuem
defendendo o Estado. E, com certeza, valorizando a profissão, valorizando
essas carreiras, nós temos certeza de que, amanhã, o Brasil ainda será
muito melhor nessa área de probidade. Muito obrigado.
[palmas]
MESTRE DE CERIMÔNIA: Com a palavra, o Senador Sérgio Souza.
SR. SÉRGIO SOUZA: Bom dia a todos vocês. Sejam todos bem-
vindos a Brasília, esta terra que é do povo brasileiro, não é? Aqui, tem
mais aqueles que são de fora, como eu, o Marcos, o Demóstenes, que
está aqui pertinho, não é, em Goiás? Mas Brasília é uma bela cidade e
bem acolhedora, e, aqui, o debate... Aqui, debatemos as questões de
nível nacional. Não é diferente o evento de hoje. O evento da Abrap, meu

SA/MI/ehc 1

SR. Dr. mas sempre de forma terceirizada. Eu dou por encerrada a sessão de abertura. realmente. e nós. para o gestor. eu vim aqui. Abrap 1_2 caro amigo Marcos Stamm. Tem razão. gestionados. E se o gestor chegava ao meu escritório com o problema é porque ele não ouvia as orientações dadas pelos seus assessores. da seccional do Paraná. do Senador Demóstenes. Estou licenciado. estarei à disposição de vocês. no Senado Federal. também advogado. [palmas] SA/MI/ehc 2 . no momento em que ele não acata ou acata de forma errada um parecer. procurador. um bom dia e um bom trabalho. DEMÓSTENES TORRES: Ainda sou. inclusive. ele não é vinculante. MARCOS VITÓRIO STAMM: Agradecendo a participação do Senador Demóstenes. ele não tem a obrigação de conhecer de tudo. advogado. todos ligados ao Direito. na verdade. temos a lei de improbidade. Dr. a quem eu convido para continuar dos nossos trabalhos. Marcos. O gestor. SÉRGIO SOUZA: Perfeito. do Senador Sérgio. que o parecer. mas ele tem a obrigação de saber interpretar aquilo que é levado a ele. ex-promotor. o meu apoio à Abrap e dizer que. Promotor? SR. VALDETÁRIO ANDRADE MONTEIRO: Ceará. normalmente. mas deveria ser. mas ele é responsável. Isso ele tem a obrigação. MARCOS VITÓRIO STAMM: Do Ceará. em outros órgãos que possam ser. no Congresso Nacional e. A todos.. para dizer a vocês que nós somos um defensor da carreira. a Dra. Muito obrigado. SR. vamos desfazer a Mesa e começar os nossos trabalhos com os painéis. mesmo pelo fato de ele não ter agido diretamente. Eu acho que estamos aqui. porque o gestor. empenhar o meu apoio a você. Nos sentimos muito honrados da participação e da presença de todos. principalmente. Eu sei dos compromissos que vocês têm e do esforço para estar aqui. Clair. Do Ceará. Alberto. de Engenharia. de Contabilidade. Tito. pelos seus advogados. ela vem tomando um corpo. Eu. que. realmente. Então. também as minhas. o Senador Demóstenes. E aí. Do meu vice-presidente e amigo. mas ele tem que saber gestionar. Valdetário. ele não tem que conhecer de Medicina. junto ao governo. que. E quero fazer das palavras do Demóstenes. também. [palmas] SR. SR. vai participar de Mesa. mas. E eu já advoguei muito no Poder Público. o nosso presidente.. mas ainda sou. de Direito. inclusive. Ao Dr. em seguida. é um avanço em um momento em que a carreira.

. com informalidade. BENEDITO LIBÉRIO BERGAMO: Um bom dia a todos. repleto de colegas advogados. estamos mostrando.. e não teremos um respeito à coisa pública. realmente. MEIRE LÚCIA GOMES MONTEIRO MOTA COELHO: Eu vou seguir na mesma linha. para trocarmos ideias. Benedito Libério Bergamo. então. eu acho que estamos também demonstrando planos de ação. que é a casa de todos os advogados. de chamar a nossa valorosa. que eu acho que é um marco histórico para a OAB. mostrarmos as nossas expectativas. a Ordem dos Advogados do Brasil. no final do evento. E. Dra. estamos sendo objetivos. brilhante. já agora. eu deixo. nesse país. mais do que esperanças. no Supremo Tribunal Federal. democrático. conversarmos. assim iniciaremos o painel “Propostas de PECs em tramitação envolvendo a Advocacia Pública”. está bom? SRA. eu deixo a palavra contigo. não só no âmbito dos isoladamente considerados os entes federativos – estados. mas eu acho que existem ajustes que nós temos que fazer. Estou sabendo que tem gente aí. Convidamos para subir ao palco e presidir a Mesa deste painel o procurador autárquico do Estado de São Paulo. hoje. combativa representante do Conselho Federal da Ordem. eu já chamei para a Mesa. Dra. ontem. BENEDITO LIBÉRIO BERGAMO: Dra. não teremos um Estado. mas existe uma situação de organização de Estado. que temos uma realidade que precisa ser sanada. Eu gostaria de dar as boas-vindas. e nem teremos o desenvolvimento de uma política que alcance uma ideia de probidade administrativa absoluta e concreta. serão entregues os certificados para aqueles que estiverem inscritos no seminário. Agradecemos a presença das autoridades da Mesa e convidamos para que se dirijam à primeira fila desse auditório. parabéns a todos vocês. [palmas] SR. porque viemos de longe para. Eu fico muito feliz de ver esse auditório cheio. Meire. E eu gostaria. Um bom dia a todos. Primeiro. de início. De primeira mão. a toda a comunidade jurídica. Dr. então. Parabéns a todos vocês. Meire. SR. Me desculpe todo esse atropelo. Por favor. municípios e União –. Abrap 1_2 MESTRE DE CERIMÔNIA: Lembramos a todos que. aqui. do caminho do aeroporto para cá. Meire. que temos uma busca e uma preocupação com a nossa dignidade profissional. Dra. bom dia para todos. Meire. de todos os rincões desse país continental. na nossa Casa. Porque se não valorizarmos e definirmos exatamente qual é o nosso papel enquanto procuradores no Estado. porque houve um atraso de alguns aí. não é? Mal chegou. o reconhecimento da constitucionalidade do exame SA/MI/ehc 3 . especialmente após uma vitória.

eu dou as boas-vindas aos advogados. também. a todos que estão. porque ele é escritor e ele diz que a coisa mais perigosa do mundo são os adjetivos e os predicados. o melhor possível. dentro do Conselho Federal da Ordem. Como foi anunciado. uma garantia para a sociedade brasileira. agora. para que nós nos sentíssemos. doutora? SRA. Não há outra forma de mudar e de realizar as coisas senão através da política. ainda. SR. MEIRE LÚCIA MOTA: Não. que eu vou ter que me esforçar mais. ele falou que eu sou combativa. porque nós somos políticos. ação. mas o homem. a honra de estar trabalhando sob a presidência dela. de demonstrar para vocês que. Os predicados. votando e sendo votados dentro da Ordem dos Advogados. do funcionamento. que é um instrumento que valoriza e fortalece a classe dos advogados. Então. mas participando dos órgãos. especialmente. à sociedade brasileira. não é? Não fui eu que disse. usando a expressão sindical. mas eu entendo que a política. Porque não bastava só os advogados públicos por direito e por dever inscritos na Ordem dos Advogados. viu. de fato. me deu uma responsabilidade enorme. Eu até fiquei devendo a apresentação.. Às vezes. Porque a política. Eu lembrei do meu marido. com essas palavras.. ela é o principal instrumento de mudança na nossa sociedade. as suas atribuições. não é? Pois bem. BENEDITO LIBÉRIO BERGAMO: Aliás. Foi uma longa história de luta. Meire é a nossa representante. Abrap 1_2 de ordem. Então.. como um instrumento. MEIRE LÚCIA GOMES MONTEIRO MOTA COELHO: Então. me desculpe. Como tudo na vida. eles comprometem. BENEDITO LIBÉRIO BERGAMO: [pronunciamento fora do microfone] SRA. eu. embora a gente assista a uma desqualificação da política. Porque o fundamento da decisão unânime é que o exercício da advocacia tem que ser o mais aperfeiçoado. de repente. tudo que é conquista não nasce da noite para o dia. à Abrap. aqui. aos organizadores do evento. as pessoas pensam que é só a SA/MI/ehc 4 . Olha. realmente. ele é um animal político. sendo bem exercida. porque. Desculpe. ele se refere a uma conquista da Advocacia Pública. de fato. onde eu já estive presente. SR. da melhor forma possível. na Ordem dos Advogados do Brasil. ela bem construída. foi pior. que a gente deveria sempre usar verbos. na Comissão Nacional da Advocacia Pública. mas. no dia a dia.. dentro dessa Casa. eu sou combativa. Realmente. ela bem concatenada. A Dra. tem um trabalho digno em prol das nossas lutas. procurando exercer. como Comissão Permanente. integrados e participando politicamente.. que é a Comissão Nacional da Advocacia Pública..

. ou da advocacia na União. Aqui. Não. Isso se chama gestão democrática. seja regional. mas nós somos advogados com uma especialidade.. como que são colocados os processos políticos. Todos nós somos advogados. muitas vezes. contempla todos os segmentos da Advocacia Pública. que é advogar em favor do Estado brasileiro. me apresentando para vocês. na OAB. hoje. Muitas vezes. realmente. que é a participação de todos nos órgãos e segmentos da sociedade. essa Comissão. dentro do processo político. em todos os seus níveis e em todos os seus órgãos. dos estados e municípios. seja a nível nacional. os membros são indicados através dos órgãos seccionais. que nessa Casa se fortalecem. presidindo a Comissão Nacional da Advocacia Pública. permitindo que todos possam participar.. Isso aqui é um instrumento de valorização do trabalho de vocês. Isso tudo muda uma classe. porque. ela se abre. E eu me orgulho de dizer que não há nenhum segmento da Advocacia Pública. cada vez mais. ele SA/MI/ehc 5 . Não se sinta representado dentro dessa Comissão. eu estou aqui. nós somos questionados.. a sua constituição. o presidente Ophir fez questão de que a sua formação. que. a presidência. que é a gestão democrática.. e eu espero que. Todas as carreiras. muda uma categoria. Muitos confundem isso e dizem: “Ah. a Ordem. Quando a gente está presente. com uma especificidade. nos estados e municípios que diga que não está. que é um dilema da. no Conselho Federal. aqui. O processo dela foi diferenciado das demais Comissões.. porque. Nós não temos independência. um jeito temeroso. de forma republicana e democrática. Espero. nós temos a satisfação de dizer que ela. mas isso é importante: conhecer e dialogar. Abrap 1_2 política partidária. uma reunião. Estar na OAB.. nós tivemos liberdade para construir essa participação o mais amplamente possível. que comprometem um movimento muito importante que surge dentro do que se chamou de constitucionalismo social. porque ela é importante na medida em que ela encaminha os anseios desse segmento da Advocacia Pública. porque é o sistema federativo. aqui. E dialogar com confiança. filosoficamente. eu não sou funcionário público... ele pode ser vulgarizado. vocês possam realizar.. que a gente vê. hoje. eu não sou advogado de governo”. seja no âmbito da União. vocês vão conhecer quem são os representantes. hoje. nós precisamos de autonomia. Mas esse instrumento. No caso da Comissão da Advocacia Pública. Como é que se conquista isso? Através de instrumentos que nessa casa florescem. é realizando encontros como esse que vocês estão fazendo. que é através da nossa atuação aqui. É o segundo que eu participo. muda um segmento. todos os movimentos que existem na Advocacia Pública. vocês vão se conhecer. Essa forma de lidar com políticos só através de um jeito raivoso. No meu caso. isso acontece. um congresso como esse.

Enfim.. quando no caso da Advocacia Pública. para que existe e como funciona essa Comissão? Primeiro. Por exemplo. algumas propostas de emenda constitucional. como custeio da atividade estatal. quais são as propostas. mas que decorre da atividade. quais são os interesses. o que é necessário para que vocês se sintam como verdadeiros advogados público. da Advocacia Pública. que os advogados públicos podem perceber honorários. E. mas para os advogados não é um assunto pacífico. outros recebem por um período. Muitas situações e muitas leis que precisam ser aprovadas para que seja garantido. A gente sabe que vários têm propostas. que nós completamos 80 anos e a questão dos honorários. é uma verdadeira Torre de Babel. Porque os estados. Não é. que tem várias questões que ainda estão sendo discutidas e que prejudicam. o que vocês pretendem. no caso de vocês. outros vai para um fundo. também. não há distinção do nosso trabalho. não é? Por exemplo.. No caso de vocês. existem alguns processos. outros vai para um fundo e é rateado. nessa Comissão. seja através do próprio Poder Judiciário. o que vocês buscam. não tem natureza tributária. Em todos os níveis. porque todos nós exercemos o mesmo papel. quais são as conquistas que vocês tiveram ou que buscam ter. o mesmo trabalho. é a primeira missão dessa representação. a esse profissional. a proposta que determina que os honorários são dos advogados. A gente sabe que os honorários. injusto. como os mecanismos políticos. Eu até escrevi isso em um artigo que está na revista dos 80 anos da OAB. no Congresso Nacional. Todos lá buscam. menosprezado se nós não soubermos utilizá-lo. digamos assim? Isso tem várias formas. para os advogados. ou o juiz mitiga esse valor ou a parte. uns pagam os honorários. esse dinheiro vai para os cofres públicos e não tem origem. Injusto. por exemplo. com o Congresso Nacional. uma forma de estar representados na Ordem dos Advogados do Brasil e poder se comunicar com a sociedade. nos estados ou municípios... como eu falei. para aparelhamento. muitas vezes. dos estados e municípios. seja na União. há um tratamento diferenciado. de modo geral. não é? Então. não é fonte dos tributos previstos nas leis e na Constituição. A outra é canalizar os anseios desses segmentos. outros não pagam. Injusto. de toda a Advocacia Pública e de vocês. E. Então. que existem vários instrumentos que estão sendo utilizados e que vocês buscam. a gente sabe que têm vários anseios. Abrap 1_2 pode ser partidarizado. naturalmente. aquilo que só é pago. seja a nível da União. É algo que vai para os cofres públicos. os seus honorários. projetos de lei que são do interesse de todos. do exercício da atividade dos advogados. que só existe em razão do exercício das atribuições do advogado e que. Ela é igualitária. com a participação de todos os seus segmentos. não só para os advogados públicos. ele pode ser minimizado. eles SA/MI/ehc 6 .

Então. Isso é princípio constitucional da Federação. do nível de atuação. A mesma organicidade. ele garante essa igualdade. tudo. O princípio federativo. Todas as unidades da Federação precisam ter garantida a mesma forma de funcionamento. para os seus advogados. Assim é. Nós somos diferentes do ponto de vista da área de atuação. e existe uma isonomia constitucional colocada. também. mas nós somos iguais. ele pressupõe. SA/MI/ehc 7 . Abrap 1_2 integram a Federação. ela é inconstitucional. a estrutura. essa diferenciação que existe entre um e outro.