Regimento Interno

Professor Ivan Lucas

1º ao 307. 58 a 69. 73 a 75. 284 a 307.REGIMENTO INTERNO DO TST VÍDEO DE APRESENTAÇÃO Regimento Interno do TST COMPLETO: arts. Regimento Interno do TST no EDITAL FCC/2012: arts. 1º a 44. .

1º a 44 .DA CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA DO TRABALHO . das Substituições e das Convocações.DA PRESIDÊNCIA E DA VICE-PRESIDÊNCIA .DA COMPOSIÇÃO E DA INVESTIDURA . Das Férias.Arts. Da Aposentadoria e Da Disponibilidade e da Aposentadoria por Interesse Público) .DOS MINISTROS (Da Posse e das Prerrogativas.DA POLÍCIA DO TRIBUNAL .DO TRIBUNAL .DA DIREÇÃO . das Licenças. Da Convocação Extraordinária.

Arts.DA COMPETÊNCIA Arts. 58 a 69 . 73 a 75 .Do Conselho Superior da Justiça do Trabalho .Da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho – Enamat .DA ORGANIZAÇÃO .

DO GABINETE DO PRESIDENTE .DAS EMENDAS AO REGIMENTO .DA SECRETARIA DO TRIBUNAL . 284 a 307 .DAS RESOLUÇÕES DO TRIBUNAL .DO GABINETE DOS MINISTROS .Arts.DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS .

VII .os Tribunais e Juízes Eleitorais.os Tribunais e Juízes do Trabalho.os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 92.o Supremo Tribunal Federal.os Tribunais e Juízes Militares.o Tribunal Superior do Trabalho. São órgãos do Poder Judiciário: I . 92. IV . . V .os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. II-A . II .A Justiça do Trabalho na CF/88 Art.o Superior Tribunal de Justiça. VI . I-A o Conselho Nacional de Justiça. de 2016) III .

§ 1º O Supremo Tribunal Federal. § 2º O Supremo Tribunal Federal e os Tribunais Superiores têm jurisdição em todo o território nacional. o Conselho Nacional de Justiça e os Tribunais Superiores têm sede na Capital Federal. .

dos Tribunais Regionais do Trabalho e dos Juízes do Trabalho Art.o Tribunal Superior do Trabalho. . 111. II .Juízes do Trabalho.Tribunal Superior do Trabalho. III . São órgãos da Justiça do Trabalho: I .os Tribunais Regionais do Trabalho.

indicados pelo próprio Tribunal Superior. . observado o disposto no art. nomeados pelo Presidente da República após aprovação pela maioria absoluta do Senado Federal. de notável saber jurídico e reputação ilibada. II os demais dentre juízes dos Tribunais Regionais do Trabalho. 111-A. oriundos da magistratura da carreira. O Tribunal Superior do Trabalho compor-se-á de vinte e sete Ministros. escolhidos dentre brasileiros com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e cinco anos. sendo: I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo exercício.Art. 94.

regulamentar os cursos oficiais para o ingresso e promoção na carreira. dentre outras funções. orçamentária. na forma da lei. II o Conselho Superior da Justiça do Trabalho. cujas decisões terão efeito vinculante. a reclamação para a preservação de sua competência e garantia da autoridade de suas decisões. financeira e patrimonial da Justiça do Trabalho de primeiro e segundo graus.§ 1º A lei disporá sobre a competência do Tribunal Superior do Trabalho. § 3º Compete ao Tribunal Superior do Trabalho processar e julgar. como órgão central do sistema. cabendo-lhe exercer. . a supervisão administrativa. cabendo-lhe. § 2º Funcionarão junto ao Tribunal Superior do Trabalho I a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do Trabalho. originariamente.

SEDE EM BRASÍLIA JURISDIÇÃO EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL . COMPOSTO POR 27 MINISTROS TOGADOS ( 4/5 DE CARREIRA E 1/5 ENTRE ADVOGADOS E MEMBROS DO MPT COM MAIS DE 10 ANOS DE CARREIRA OU EFETIVO EXERCÍCIO).PANORAMA GERAL DO TST TST ÓRGÃO DE CÚPULA DO PODER JUDICIÁRIO DO TRABALHO.

ÓRGÃOS DO TST • TRIBUNAL PLENO • ÓRGÃO ESPECIAL • SEÇÃO ESPECIALIZADA EM DISSÍDIOS COLETIVOS (SDC) • SUBSEÇÃO ESPECIALIZADA EM DISSÍDIOS INDIVIDUAIS I (SDI-I) • SUBSEÇÃO ESPECIALIZADA EM DISSÍDIOS INDIVIDUAIS II (SDI-II) • 1a TURMA • 2a TURMA • 3a TURMA • 4a TURMA • 5a TURMA • 6a TURMA • 7a TURMA • 8a TURMA .

III – eleição dos Ministros para os cargos de direção do Tribunal. revisão ou cancelamento de Súmula ou de Precedente Normativo.Art. §2. II. IV – aprovação.escolha dos nomes que integrarão a lista destinada ao preenchimento de vaga de Ministro do Tribunal. e V – declaração de inconstitucionalidade de lei ou de ato normativo do poder público. observado o disposto no art.º Será tomada por dois terços dos votos dos Ministros do Órgão Especial a deliberação preliminar referente à existência de relevante interesse público que fundamenta a proposta de edição de Súmula.º. 4. sendo necessário maioria absoluta quando a deliberação tratar de: I .º Para o funcionamento do Tribunal Pleno é exigida a presença de. § 2. quatorze Ministros. no mínimo. § 1. O Tribunal Pleno é constituído pelos Ministros da Corte. II – aprovação de Emenda Regimental. nos termos previstos neste Regimento. .º. dispensadas as exigências regimentais. 62.

Os Ministros integrantes do Órgão Especial comporão também outras Seções do Tribunal. o Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho. Parágrafo único. . os sete Ministros mais antigos.Art. 63. Integram o Órgão Especial o Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal. incluindo os membros da direção. O quorum para funcionamento do Órgão Especial é de oito Ministros. e sete Ministros eleitos pelo Tribunal Pleno. sendo necessário maioria absoluta quando a deliberação tratar de disponibilidade ou aposentadoria de Magistrado.

Art. . Integram a Seção Especializada em Dissídios Coletivos o Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal. 64. Parágrafo único. o Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho e mais seis Ministros. O quorum para o funcionamento da Seção Especializada em Dissídios Coletivos é de cinco Ministros.

sendo: o Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal. A Seção Especializada em Dissídios Individuais é composta de vinte e um Ministros. § 1.º O quorum exigido para o funcionamento da Seção de Dissídios Individuais plena é de onze Ministros.Art. . 65. e funciona em composição plena ou dividida em duas subseções para julgamento dos processos de sua competência. mas as deliberações só poderão ocorrer pelo voto da maioria absoluta dos integrantes da Seção. o Corregedor- Geral da Justiça do Trabalho e mais dezoito Ministros.

seis Ministros para o seu funcionamento. o Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho e mais onze Ministros. preferencialmente os Presidentes de Turma.§ 2. § 3.º Integram a Subseção II da Seção Especializada em Dissídios Individuais o Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal. oito Ministros para o seu funcionamento. no mínimo. no mínimo. o Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho e mais sete Ministros. § 4. sendo exigida a presença de. .º Integram a Subseção I Especializada em Dissídios Individuais quatorze Ministros: o Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal.º Haverá pelo menos um e no máximo dois integrantes de cada Turma na composição da Subseção I Especializada em Dissídios Individuais. sendo exigida a presença de.

As Turmas são constituídas. 1. . Para os julgamentos nas Turmas é necessária a presença de três Magistrados. de 24 de maio de 2011) Parágrafo único. sendo presididas de acordo com os critérios estabelecidos pelos artigos 79 e 80 deste Regimento. por três Ministros. 66. cada uma. (Redação dada pela Emenda Regimental n.Art.

14 Ministros para o funcionamento. 8 Ministros para o funcionamento. 5 Ministros para o funcionamento. necessita da presença de. . necessita da presença de. SEÇÃO DE DISSÍDIOS COLETIVOS: composto por 9 Ministros da Corte (P.RESUMO DOS ÓRGÃOS DO TST TRIBUNAL PLENO: composto por TODOS os Ministros da Corte.e 7 Ministros eleitos pelo Tribunal Pleno). no mínimo. V e C + 6 Ministros). no mínimo. no mínimo. V e C” . ÓRGÃO ESPECIAL: composto por 14 Ministros da Corte (7 Ministros mais antigos – incluindo os membros da direção “P. necessita da presença de.

Pode funcionar em sua composição Plena ou Dividida em 2 Subseções. . Subseção de Dissídios Individuais II: composta por 10 Ministros da Corte (P. no mínimo. Ao todo são 8 turmas. Turmas: composta por 3 Ministros cada.SEÇÃO DE DISSÍDIOS INDIVIDUAIS: composta por 21 Ministros da Corte (P. Na composição Plena necessita de pelo menos 11 Ministros para funcionar. necessita da presença de. no mínimo. Subseção de Dissídios Individuais I: composta por 14 Ministros da Corte (P. V e C + 11 Ministros). V e C + 18 Ministros). Necessita da presença 3 Ministros para o funcionamento. 6 Ministros para o funcionamento. necessita da presença de. V e C + 7 Ministros). 8 Ministros para o funcionamento.