Manuel Celestino Luís

Mensagem
Casa dos estudantes do império
2º Volume

Universidade Pedagógica
Nampula
2017

Manuel Celestino Luís Mensagem Casa dos estudantes do império 2º Volume Universidade Pedagógica Nampula 2017 .

ao invés. Hoje. Por esta razão e também porque (continuava Mouzinho) «a industria mineira de Johannesburg não pode passar sem os trabalhadores que lhe vão da nossa província. . A Imigração dos Indígenas de Moçambique para os Países Vizinhos. o sucessor de António Enes no cargo de Comissário Régio - Mouzinho de Albuquerque .Casa dos estudantes do império Associação de jovens “ultramarinos” a estudar na metrópole O regime do Estado Novo esperava que a CEI contribuísse para o fortalecimento da mentalidade imperial e do sentimento da portugalidade entre os estudantes das colónias. . ano em que foi substituído por um «modus vivendi» assinado em 13 de dezembro. o assunto encontra-se regulado por uma convenção assinada em 11 de setembro de 1928 e revista em 1934.» a via que legalizar a emigração vazando-a em modelos traçados pela lei.teve que enfrentar o problema da emigração para África do Sul. E para que essa missão que esta missão fosse cumprida sem excessos nem desvios ela tem sido apolítica. cores ou credos. o «regulamento para engajamento dos indígenas na província de Moçambique ao trabalho na república Sul-africana». de nosso interesse fornecê-la e auxiliá-la no que podermos. portanto. desde cedo. arreligiosa e nela não tem existido quaisquer distinções de raças. Co esse fim publicou em 18 de novembro de 1897. A obra em estudo faz parte da Coleção para a Historia das Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa. despertou nos seus membros uma consciência crítica sobre a ditadura e o sistema colonial e uma vontade de descobrir e valorizar as culturas dos povos colonizados. «o resultado era apenas fazer-se ilegalmente o que autorizado podia trazer algum proveito ao governo». sendo. A imigração encontrava-se então proibida mas.Um Problema e Seis Transcrições Logo após a campanha de 1895. fomentar o intercâmbio entre este estudante metropolitano e ainda fazer a propaganda das Províncias ultramarinas portuguesas. O regulamento vigorou até 1901. De acordo com Monteiro citado por Ferreira (1996:4) casa dos estudantes do império tem como missão proteger e defender os interesses do estudante ultramarino. e da prosperidade dessa industria dependerem grande parte o movimento de Lourenço Marques. como diz Mouzinho.

Provenientes do imposto de emigração. pelos que fixando residência na união da africa do sul. mas este valor não compensa o do pessoal humano que se perde pela mortalidade. pagamento diferido.Quanto à emigração para a Rodésia vigora uma convenção também de 1928. e. não mais voltam à colonia. compensações e espólios. «sabido é que em contra partida da emigração legal para o Transval. taxas domiciliarias. pelo depauperamento dos indígenas que regressam arruinados por acidentes ou doenças incuráveis adquiridas nas minas. consequências das demoradas ausências dos indígenas longe das suas terrar». ainda. pela diminuição da natalidade. revista em 1934. entram por ano na colonia aproximadamente 112 milhões. (Pelas transcrições Luís Barreto página 16) .

Boletim da Casa dos estudantes do império 2º Volume. Arte e Cultura).Bibliografia Mensagem . Literatura. Edição ALAC (África. Lisboa 1996 .

Reflexões CEI pautava mais para o anticolonialismo e protestavam o fascismo .