You are on page 1of 5

www.sato.adm.

br


1987

legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade

Relatório Trabalhista
Nº 081 13/10/98

DISPENSA DO EMPREGADO POR JUSTA CAUSA

ELEMENTOS NECESSÁRIOS PARA A DESPEDIDA POR JUSTA CAUSA

Estão previstas no artigo 482 da CLT, as hipóteses em que configuram a dispensa do empregado por justa
causa.

O dispositivo está diretamente combinado com o art. 493 da CLT ao determinar que “constitui falta grave a prática
de qualquer dos fatos a que se refere o art. 482, quando por sua repetição ou natureza apresentem séria violação
dos deveres e obrigações do empregado.

A justa causa, em verdade, para propiciar a rescisão de contrato de trabalho, por iniciativa do empregador,
reveste-se como um ato doloso ou culposo de natureza grave que impeça a continuação da relação empregatícia.

Sobre a matéria, a doutrina não é pacífica mas, alguns pontos não propiciam maiores indagações, como por
exemplo os “elementos que caracterizam a justa causa”.

Para que possamos estudar melhor sobre o assunto, consultamos o Livro “Curso de Direito do Trabalho”, de
Mozart Victor Russomano, Eminente Ministro do TST, em suas páginas 209 e 210.

O autor, qualificou como sendo três as características essenciais dos elementos da justa causa, quais sejam:

• GRAVIDADE:

A gravidade deve ser entendida de que a Justa Causa não se confunde com as faltas leves para as quais
estão reservadas as penas disciplinares brandas (da admoestação verbal à suspensão por 30 dias
consecutivos), mas, a gravidade que a caracteriza tem apenas a relevância suficiente para incompatibilizar o
trabalhador com o empresário.
Não chega a ser aquela gravidade excepcional, prevista no art. 493 da CLT, exigida para a despedida do
trabalhador estável.

• IMEDIATIDADE:

A imediatidade estabelece um vínculo de relação direta à justa causa alegada e à despedida imposta ao
trabalhador. Essa imediação tem como conseqüência lógica, a afirmativa de que a despedida se legitima (ou
não) pelo fato que lhe dá causa. Assim, se o trabalhador é despedido por motivo não comprovado, a rescisão
será considerada injusta, mesmo que, durante a instrução do processo, se venha a descobrir a prática de
outros atos, até então desconhecidos, que constituam justa causa.

A verificação a posteriori, da existência de um motivo para a despedida ultimada não influi na legitimação desta,
por falta de imediatidade entre a falta e o ato de rescisão contratual praticado pelo empregador.

• ATUALIDADE:
A atualidade é um dos elementos da justa causa que provoca maiores controvérsias práticas. A regra
dominante é que as faltas antigas não podem gerar punições. Servem como precedente, isto é, como critério
para a avaliação da falta atual; por si, não tem eficácia para

www.sato.adm.br 1

RO 5609-PE. CONDENAÇÃO CRIMINAL Consiste: condenação criminal do empregado. TST. pois é caracterizado desídia (veja adiante desídia). 2217/87). caracteriza-se a desídia (TFR. passado em julgado. AI 3098/90. Jurisprudência: “ Desídia caracteriza-se pela repetição de faltas. o trabalhador que tiver a infelicidade de cometer uma falta permanecerá. por necrose devida ao mau atendimento. Provas: que o empregado estava embriagado e fora da situação normal de sobriedade e que isso ocorreu no horário de trabalho. Provada a prática de atos de improbidade e a incontinência de conduta ou mau procedimento. FALTAS GRAVES . em ordem de autorizar a resilição do contrato por parte do empregador. justificar a despedida. EMBRIAGUEZ Consiste: perda do controle de suas faculdades mentais. “ Constitui justa causa . atempadamente. salvo a de abandono de emprego. 1229/91). sendo incapaz de conduzir suas tarefas com perícia. 2446/86). Sem a prova da aplicação de advertência ou suspensão. 10ª Reg. pelo que é injusta a sua dispensa sob esse pretexto (TRT-PA. O empregado tem o dever de elementar de diligência. Satyro e Souza. “ “Caracteriza-se como desidioso no desempenho de sua obrigação contratual o médico que. Importando as ausências seguida em quebra objetiva desses requisitos.”. RR 7371/86. Exemplo: o empregado ausenta-se do trabalho. provoca acidente.” Súmula nº 62 do TST: “ O prazo de decadência do direito do empregador de ajuizar inquérito contra o empregado que incorre em abandono de emprego. por decisão irrecorrível da justiça. 1ª T. vazias.desídia . Ac. e reapresentando-se a seguir. Itair Silva.. 2973/86). configurou-se o abandono (TRT . 1ª T. 2ª T. nº 1928/92)”.10R . 1ª T. Exemplo: o motorista da empresa. com o veículo que dirigia. Ac. não afasta a possibilidade de caracterização da justa causa para dispensa se. 1ª T.4. Ac.. caso não tenha havido suspensão da execução da pena.. e a confiança é conteúdo de qualquer contrato. atrasos ao serviço e saídas adiantadas. RO 2987/84.0. Ac.br 2 . Hylo Gurgel. sobretudo se prova técnica conclui por imperícia. sem nenhuma justificativa (legal ou administrativa). Não o tem empregado que. Dias Trindade. indefeso. 3ª T. por si só. então há o abandono e se comparece. dando prazo de 24 a 48 horas para comparecimento na empresa.. ficando suspenso. Jurisprudência: “A falta cometida pelo empregado para ensejar o rompimento do contrato de trabalho sem ônus para o empregador.Ac. ausentando-se do trabalho por vários dias. para evitar transferência compulsória indesejada (TRT. Tal não ocorre se a única testemunha trazida a Juízo é a mesma cujas acusações culminaram com a dispensa do reclamante e cujo depoimento não especifica detalhes importantes como o dia da ocorrência da embriaguez e o nome do outro empregado que teria encontrado garrafas de aguardente.. não o elidem. Assis Toledo). Wilton Rodrigues. como cartões de ponto. o contrato. Se não for assim. não dolosa). Exemplo: o empregado chega freqüentemente atrasado ao trabalho.1.” “Empregado que se afasta do serviço para socorrer familiar em situação de emergência.” “ A prova do ânimo de abandonar o emprego constitui elemento essencial da existência da justa causa. Ac. não há configuração de desídia. cuja conduta culminou com a condenação criminal (TST. ainda que não concedida. RO 2194/85. em visível estado de embriaguez ao serviço.. dado pelo empregador. “ “ A suspensão da execução da pena criminal. deve ser cabal e inquestionavelmente provada. 10ª Reg. Se não há o comparecimento. Ac. Exemplo: o empregado assaltou um banco e foi condenado a 5 anos de prisão. retira àquele qualquer direito a indenização. Jurisprudência: “ Absolvição criminal.1). foi alegado e demonstrado o mau procedimento do empregado. João Rosa. julga- se procedente o inquérito judicial.” ATO LESIVO DA HONRA E BOA FAMA www. 2004/90.” DESÍDIA Consiste: na negligência. de qualquer maneira há justa causa. sempre. “ “ Tem-se como correta a despedida por justa causa motivada por abandono de emprego (TST. sob efeito do álcool (estende-se também ao tóxico ou entorpecente). Barata Silva.adm. as punições disciplinares. embora absolvido o empregado no processo crime (TFR.1T . de propriedade da reclamada (TRT. Ac. seja em que número for. RO 3074/90. Mendes de Freitas. aplicadas anteriormente. RO 2342/84. não sendo suficiente. mal conseguia colocar a chave de ignição no contato do caminhão. RO 3007/85. licenciou-se. praticada pelo empregado no decurso do prazo do aviso prévio. Provas: o próprio processo julgado. José Cândido). abandona o seu dever de assistência ao paciente. do C.. 10ª Reg. por mais de 30 dias. que se aplica por analogia. tendo realizado cirurgia em menor. manda-se carta registrada (AR) ou através de fonegrama (serviço TELESP 135) com cópia confirmatória. e nos termos do regulamento da empresa. bastam as fichas de controle. se não advertido ou punido o empregado. ocasionando a perda do órgão.” Súmula nº 73 do TST: “ Falta grave. RO 7346-RJ. 10ª Reg.). cuidando de seus problemas pessoais.MODALIDADES ABANDONO DE EMPREGO Consiste: pelo não comparecimento ao serviço por 30 ou mais dias.” “Ausências injustificadas seguidas caracterizam o abandono e atestado médico a que falta solenidade essencial e os requisitos no Enunciado nº 122. 1ª T. Provas: nos casos de faltas e atrasos. Ac. livro ou ficha. sem nenhuma justificativa. visivelmente embriagado. imprudência e desinteresse pelo trabalho (falta culposa. é contado a partir do momento em que o empregado pretendeu seu retorno ao serviço. não manifesta o animus de abandonar o emprego. RR 40462/91. RO 8763-RS.sato.faltas injustificadas reiteradas. Jurisprudência: Súmula nº 32 do TST: “ Configura-se o abandono de emprego quando o trabalhador não retornar ao serviço no prazo de 30 dias. no local de trabalho do autor (TRT. Nenhuma regra jurídica sanciona a necessidade do transcurso de 30 dias para que fique caracterizado o abandono.” “ Há justa causa para a dispensa quando o motorista da empresa. à disposição do empresário. Provas: quando se conhece o endereço do empregado. são tidas como perdoadas ou justificadas (TST. nem justificar o motivo de não o fazer. pedindo antes licença. sem comunicar a empresa. 887/86).” “Persistindo as faltas e atrasos no serviço após a aplicação das penalidades de advertência e suspensão. Faltas. 2639/85). negligência e imprudência do reclamante como causa do agravamento da situação do paciente (TFR.. Ac. Pena Jr. 2ª T. após a cessação do benefício previdenciário. em ordem de autorizar a rescisão do pacto laboral (TRT. residualmente. 4808/92). porém não se justifica.

2070/85).. para ensejar a despedida por justa causa. Jurisprudência: “Se o empregado retém valores que pertencem à empresa. no entanto. ainda que se trate de ex-presidiário (TST. dentro das atribuições inerentes ao emprego. salvo legítima defesa.. “Ainda que o empregado tenha um passado funcional ilibado. que autoriza a rescisão do contrato de trabalho sem ônus para o empregador. 1ª T. perfaz a falta grave de insubordinação. Jurisprudência: “Incontinência . RO 2235/85. como quer a empresa.” INCONTINÊNCIA DE CONDUTA Consiste: comportamento desordenado do empregado. A justa causa. é a desonestidade que precisa ser provada. que também pode ser improbidade. Provas: testemunhas ou inquérito policial (BO . não há como acolher-se a imputação feita ao empregado (TRT. etc. 8404/87). Ac. Ac. RO 9166-BA. Provas: que o empregado estava ciente das normas contidas no regulamento interno da empresa e não as cumpriu. Empregado que desacata o chefe com expressão desrespeitosa. INDISCIPLINA Consiste: descumprimento do regulamento interno da empresa. é frágil. ofender e desrespeitar superior hierárquico é atitude suficientemente grave para justificar a imediata rescisão contratual (art. 53/87). Ac. ficando com parte do resultado (TRT-PR. e. Exemplo: o empregado fuma. RO 6929-SP. nas proximidades da mesma. afetando o elemento fiduciário da relação de emprego.”. após 16 anos de serviço sem a mais leve punição. ensejadora da rescisão de contrato de trabalho. 2449/86). de maneira que venha a conturbar o ambiente de trabalho. Ac. “Configuração. Satyro e Souza.br 3 . INSUBORDINAÇÃO Consiste: descumprimento à uma determinada ordem dada diretamente pelo seu superior hierárquico. sem ter conhecimento da causa. o empregado. RO 028600013495. desvios ou má-fé. 2ª T. Provas: que o empregado recebeu a ordem. ofender e desrespeitar superior hierárquico é atitude suficientemente grave para justificar a imediata rescisão contratual (TRT.” “Comete justa causa para a despedida o empregado que junto com pessoas estranhas aos quadros de sua empregadora participa da venda irregular de ingressos. comete o obreiro ato de insubordinação que determina o rompimento do pacto laboral por justo motivo (TRT.. Consiste: caluniar. 2ª T. em local isolado.BO).Despedida. “Provada a desobediência a ordens diretas de superior hierárquico. ‘ª T. ensejadora da rescisão unilateral do contrato de emprego (TFR. na forma do art. 2ª T. ainda mais quando se trata de vendedor-cobrador (TST. Carmem Ganem. Ac. RO 1095/85. RO 02850245989. Provas: que o empregado. Délvio Buffulin. fraudes. beneficiando a empresa. RR 7759/84. deve ser provada de modo irrefutável sob pena de sua imprestabilidade para este fim (TRT-SP. para alguns juristas é o mesmo que incontinência de conduta. Dias Trindade. dento ou fora da empresa. de que o seu chefe receptava materiais contrabandeados.)”.” “Justa causa .adm. causando dano ao empregador. usa dos meios disponíveis e necessários para repelir a agressão de que estava sendo vítima.. de preferência através de inquérito policial (Boletim de Ocorrência Policial . Ac.. Jurisprudência: “Briga em legítima defesa. Como tal não se há de considerar quem.. da CLT. promove um boato. Incabível autodeterminar-se um ressarcimento por ter assinado o vale referente ao cheque anteriormente não recebido do cliente. 1032/86)”. Ac.Prova. RO 53/86. 10ª Reg. O arbítrio em quitar-se do que não é credor é ato de improbidade. RO 776/86. não apresentando nenhuma debilidade mental. 2ª T. Provas: demonstração do furto ou apropriação. Indalécio Gomes. Fernando Damasceno. 2980/85). Dias Trindade. quando naquele setor de trabalho é proibido. sem conhecimento de causa. Legítima defesa configurada e que. de modo a deixar induvidoso o ato ilícito do empregado. 482.. Ac. 1ª T. cometeu ato imoral e que o ambiente da empresa não justificava semelhante conduta. Satyro e Souza. Ac. que estava dentro de suas incumbências. Euclides Rocha.).. Provas: que o empregado agiu conscientemente. bem como faca que também era utilizada pelo agressor. Jurisprudência: “Dá justa causa para sua dispensa.. Se a prova. Jurisprudência: “Patente o mau procedimento do empregado surpreendido pela vigilância da empresa. não pode ser considerada justa causa para despedimento do obreiro. 8ª T. caracteriza falta grave. caracterizando-se pela repetida prática de excessos morais. da discussão com o empregador. simulando na prestação de contas. “Incorre em falta grave. Exemplo: o empregado desviou indevidamente mercadorias da empresa. “Improbidade. Inexistente excesso de defesa. e manifestamente.” “Ainda que o empregado tenha um passado funcional ilibado. 1372/86).. Ac. há de ser cumpridamente provada.)”. MAU PROCEDIMENTO Consiste: procedimento do empregado que traduz má-fé.. porque não é credor da empresa do valor correspondente e sim devedor. com passado funcional não isento de mácula e que abandona seu posto para receber. 3ª T. de forma clara e dentro de suas incumbências. merece a dispensa com justa causa (TRT- SP. 482 consolidado. RO 1458-DF. Exemplo: o empregado recusou-se a cumprir uma tarefa determinada pelo seu chefe.. Marcelo Pimentel. vigilante. RO 642/85. Jurisprudência: “A recusa do empregado em cumprir determinações de seus superiores. 482. RO 926/86.Boletim de ocorrência) Exemplo: o gerente de pessoal que convive com amigos ligados às atividades de contrabando de mercadorias. A incontinência de conduta deve ficar devidamente comprovada.5. 1ª T.. de seu superior hierárquico e que a ordem não foi cumprida. Ac. O fato isolado noticiado nos autos não incompatibiliza o servidor com a prestação do serviço (TFR. 2589/86)”. RO 2741/84.” “Há justa causa para dispensa quando o empregado apodera-se de uma faca no momento. afrontando proibição do empregador (TRT-PR. Em se tratando de improbidade. não sendo compatível com as exigências do seu cargo na empresa. José Serson. RO 2386/85. teria empregado expressões chulas em transmissão via telex.. A imputação de improbidade ao empregado para seu despedimento sumário é a mais grave das hipóteses contempladas pelo art. 1ª T. agredido injustamente por outro empregado. na medida em que o reclamante já fora atingido na testa com golpes de cassetete e para defender-se usou da mesma espécie de arma. “. RR 4299/85. Como tal. 6ª T. difamar. 1ª T. de violação de alguma obrigação legal ou contratual. 5666/85). mas www. o empregado estável que pratica atos de improbidade. 10ª Reg. pessoa estranha aos quadros da empresa. Ramor Barbosa.sato. Exemplo: o empregado provoca boatos. Câmara Portocarrero. com documentos particulares não ratificados em Juízo. como pena máxima. Ac. afasta a alegação de justa causa (TRT-PR.” “Não comete justa causa empregado que.” IMPROBIDADE Consiste: praticar qualquer ato de desonestidade. qualquer pessoa. Fernando Damasceno. Exemplo: o empregado. Ac. 2125/86)”. 10ª Reg. Costa Lima). independentemente da dúvida existente sobre a quem atribuir a iniciativa da agressão (TRT. na sua vida particular. 10ª Reg. 1ª T. no meio em que o empregado vive e trabalha.. da CLT) (TRT. fora do estabelecimento do trabalho. se apresenta desidioso no cumprimento de seus deveres (TFR. 11236/87)”. Ac. injuriar. “j”. “k”. 10ª Reg.

Exemplo: o empregado que promoveu ou encabeçou paralisação de atividades essenciais. agosto e setembro: 15 de outubro. Exemplo: o empregado joga no “bicho”. INFORMAÇÕES CONTRIBUIÇÃO TRIMESTRAL VENCE NO PRÓXIMO DIA 15/10/98 O recolhimento trimestral para a Previdência Social vence na próxima quinta-feira. agosto e setembro. Provas: que o empregado concretizou vários negócios de maneira que direta ou indiretamente a empresa sofreu danos. fevereiro e março: 15 de abril. São 3.00. Oswaldo Neme. Jurisprudência: “Trabalhando o autor em dois estabelecimentos congêneres e fazendo propaganda de um deles de forma ostensiva e em meios de circulação local. 08/10/98 . Francisco Leocádio. Provas: que houve a prática pelo empregado e que esteja comprovado através de inquérito apurado pela Justiça do Trabalho. 3ª T. Provas: que o empregado divulgou o segredo. A alíquota dos contribuintes individuais. RO 2324/84. Irrelevante. 10ª Reg. que tem por objetivo facilitar a vida dos contribuintes. inscrito na classe 1 da escala de salário base. que está acontecendo ou prestes a acontecer. Ac. Oswaldo Neme. do art. imediato ou provável. qualquer pessoa. para a configuração da falta grave trabalhista a inexistência de comprometimento na área policial (TRT-SP. Jurisprudência: “A legítima defesa se caracteriza quando se tenta repelir injusta agressão. causando prejuízos de maneira direta ou indireta. salvo legítima defesa. Assim. Ac...” “A legítima defesa se caracteriza quando se tenta repelir injusta agressão. mas tomou a iniciativa. a contribuição trimestral é de R$ 78. RO 2539/85. negócios que concorra diretamente com o seu empregador. Reação premeditada não caracteriza legítima defesa (TRT. devem efetuar o pagamento relativo aos meses de julho. e faz parte do Programa de Melhoria do atendimento da Previdência Social. Reação premeditada não caracteriza legítima defesa (TRT.00 o que totaliza R$26. p. c) julho.adm. 19329). domésticos e facultativos. comete falta grave de concorrência prevista na letra “a”. em qualquer agência bancária ou nas casas lotéricas autorizadas pela Caixa Econômica Federal. maio e junho: 15 de julho. Ac. 1979/85. como mostra o esquema abaixo: a) janeiro. Provas: que o empregado agrediu e não estava em legítima defesa. 727/70. LTr 35/24). envolvendo quantias expressivas. Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MPAS. p. mesmo que possa causar um prejuízo remoto. Exemplo: o empregado monta um estabelecimento similar ao seu empregador prejudicando o rendimento do seu faturamento. b) abril. mediante o inquérito administrativo para apuração de falta grave. inscritos na classe 1 da escala de salário base. O recolhimento trimestral deve ser feito até o dia 15 do mês subsequente às competências. é de 20 % sobre R$130. habitualmente faz apostas envolvendo quantias expressivas. no caso. 4150/86)”. os estaduais não têm essa prerrogativa (TST. 3ª T. d) outubro. ciente de sua restrição. RO 137/84. OFENSAS FÍSICAS Consiste: agredir fisicamente. quando o jogo depende exclusivamente de sorte.br 4 . Jurisprudência: “Falece competência à Justiça do Trabalho para determinar reintegração ou indenização de empregado demitido com base nos Atos Institucionais (Súmula nº 150 do TST)” “Falece competência à Justiça do Trabalho para determinar reintegração de empregado demitido com base nos Atos Institucionais.00. 1979/85. Exemplo: o empregado dá um soco no seu colega de trabalho. RO 2324/84.. SEGURANÇA NACIONAL .140 contribuintes beneficiados por essa medida. 19329). dentro ou fora do serviço. DJU 29/10/85. Exemplo: o empregado divulga um plano estratégico ao concorrente da empresa..” PRÁTICA CONSTANTE DE JOGOS DE AZAR Consiste: jogar com habitualidade. 10ª Reg. 16927/85). TP. bem como dos aposentados e pensionistas. Interpretação do TST: na forma da jurisprudência do STF os atos institucionais insuscetíveis de apreciação pelo Judiciário são do Governo Federal.” NEGOCIAÇÃO HABITUAL Consiste: realizar habitualmente. novembro e dezembro: 15 de janeiro do ano seguinte.” VIOLAÇÃO DE SEGREDO DA EMPRESA Consiste: divulgar indevidamente os segredos da empresa.. dia 15. Provas: que o empregado. envolvendo quantias significantes. TP..ATO QUE ATENTE CONTRA Consiste: prática de ato que atente contra a segurança nacional. que está acontecendo ou prestes a acontecer. Marcondes Machado. Ac. em seu horário de trabalho e sem justificar os motivos na sindicância realizada na oportunidade. Ac.112. Com o recolhimento trimestral o contribuinte só precisa ir ao banco quatro vezes por ano. Os contribuintes individuais. entre eles autônomos. 482 da CLT (TRT. 10ª Reg. www. empresários. 2ª T.sato. que não estava apenas respondendo a insulto. dentro ou fora da empresa. DJU 29/10/85. expedida pela Justiça do Trabalho. de maneira habitual. Esta forma de recolhimento está valendo desde o mês de julho deste ano.

sato. transferir ou vender qualquer informação. sem autorização por escrito do autor.adm. criar trabalhos derivados. T. entre no site www. Sato (Sato Consultoria). • descontos especiais nos eventos realizados pela Sato Consultoria de Pessoal (cursos.adm. pertinente a área.sato. desde que seja citado a fonte. mencionando o seguinte termo: “fonte: sato consultoria .br” www.adm.www. além dos arquivos disponibilizados no CD-Rom Trabalhista. por e-mail. • acesso integral às páginas do site (restritas apenas aos assinantes). mantendo-se o texto original.sato. • consultas trabalhistas por telefone e por e-mail (sem limite). Para fazer a sua assinatura. licenciar. É proibido modificar. Permite- se a reprodução. É destinado somente para uso pessoal e não-comercial. • CD-Rom Trabalhista (guia prático DP/RH) devidamente atualizado.br 5 .br O que acompanha na assinatura ? • informativos editados duas vezes por semana (3ª e 6ª feiras). divulgação e distribuição. palestras e treinamento in company). • notícias de urgência ou lembretes importantes. • requisição de qualquer legislação. Todos os direitos reservados Todo o conteúdo deste arquivo é de propriedade de V.