You are on page 1of 124

Português Instrumental

Elaine Mandelli Arns
Regiane Pinheiro Dionisio Porrua

Curitiba-PR
2013

Presidência da República Federativa do Brasil

Ministério da Educação

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

© INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ – EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
Este Caderno foi elaborado pelo Instituto Federal do Paraná para a rede e-Tec Brasil.

Prof. Irineu Mario Colombo Thiago da Costa Florencio
Reitor Diretor Substituto de Administração e
Planejamento do Câmpus EaD
Prof. Joelson Juk
Chefe de Gabinete Prof.ª Patrícia de Souza Machado
Coordenadora de Ensino Médio e
Prof. Ezequiel Westphal Técnico do Câmpus EaD
Pró-Reitoria de Ensino – PROENS
Prof. Paulo Medeiros
Gilmar José Ferreira dos Santos Coordenador do Curso
Pró-Reitoria de Administração – PROAD
Jéssica Brisola Stori
Prof. Silvestre Labiak Rafaela Aline Varella Assi
Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Assistência Pedagógica
– PROEPI
Prof.ª Ester dos Santos Oliveira
Neide Alves Prof.ª Sheila Cristina Mocellin
Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e Assuntos Silvia Kasprzak
Estudantis – PROGEPE Prof.ª Karina Quadrado
Revisão Editorial
Bruno Pereira Faraco
Pró-Reitoria de Planejamento e Goretti Carlos
Desenvolvimento Institucional – PROPLAN Diagramação

Prof. Marcelo Camilo Pedra e-Tec/MEC
Diretor Geral do Câmpus EaD Projeto Gráfico

Prof. Célio Alves Tibes Jr.
Diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão –
DEPE/EaD
Coordenador Geral da Rede e-Tec Brasil – IFPR

Catalogação na fonte pela Biblioteca do Instituto Federal do Paraná

Apresentação e-Tec Brasil

Prezado estudante,

Bem-vindo à Rede e-Tec Brasil!

Você faz parte de uma rede nacional de ensino, que por sua vez constitui
uma das ações do Pronatec - Programa Nacional de Acesso ao Ensino
Técnico e Emprego. O Pronatec, instituído pela Lei n.º 12.513/2011, tem
como objetivo principal expandir, interiorizar e democratizar a oferta de
cursos de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) para a população
brasileira propiciando caminho de o acesso mais rápido ao emprego.

É neste âmbito que as ações da Rede e-Tec Brasil promovem a parceria entre
a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) e as instâncias
promotoras de ensino técnico como os Institutos Federais, as Secretarias de
Educação dos Estados, as Universidades, as Escolas e Colégios Tecnológicos
e o Sistema S.

A Educação a Distância no nosso país, de dimensões continentais e grande
diversidade regional e cultural, longe de distanciar, aproxima as pessoas ao
garantir acesso à educação de qualidade, e promover o fortalecimento da
formação de jovens moradores de regiões distantes, geograficamente ou
economicamente, dos grandes centros.

A Rede e-Tec Brasil leva diversos cursos técnicos a todas as regiões do
país, incentivando os estudantes a concluir o Ensino Médio e realizar uma
formação e atualização contínuas. Os cursos são ofertados pelas instituições
de educação profissional e o atendimento ao estudante é realizado tanto nas
sedes das instituições quanto em suas unidades remotas, os polos.

Os parceiros da Rede e-Tec Brasil acreditam em uma educação profissional
qualificada – integradora do ensino médio e educação técnica, – é capaz
de promover o cidadão com capacidades para produzir, mas também com
autonomia diante das diferentes dimensões da realidade: cultural, social,
familiar, esportiva, política e ética.

Nós acreditamos em você!

Desejamos sucesso na sua formação profissional!

Ministério da Educação
Novembro de 2011

Nosso contato
etecbrasil@mec.gov.br
e-Tec Brasil

.

filmes. Atenção: indica pontos de maior relevância no texto.Indicação de ícones Os ícones são elementos gráficos utilizados para ampliar as formas de linguagem e facilitar a organização e a leitura hipertextual. Saiba mais: oferece novas informações que enriquecem o assunto ou “curiosidades” e notícias recentes relacionadas ao tema estudado. Glossário: indica a definição de um termo. jornais. Atividades de aprendizagem: apresenta atividades em diferentes níveis de aprendizagem para que o estudante possa realizá-las e conferir o seu domínio do tema estudado. palavra ou expressão utilizada no texto. ambiente AVA e outras. Mídias integradas: sempre que se desejar que os estudantes desenvolvam atividades empregando diferentes mídias: vídeos. e-Tec Brasil .

.

1 Comunicação e símbolo 13 1.2 Variedades linguísticas 36 Aula 6 – Adequação de linguagem 41 6.1 A coerência do texto 45 7.2 Exemplo prático 46 Aula 8 – Coesão textual 49 8.1 Níveis de linguagem 35 5.1 A Noção de texto 29 4.1 Novo Acordo Ortográfico 55 Aula 10 – Concordância verbal e concordância nominal 61 e-Tec Brasil .2 Gêneros textuais 31 Aula 5 – norma padrâo e norma não padrão 35 5.1 Fala e escrita 41 Aula 7 – Coerência textual 45 7.3 Compreensão de texto 25 Aula 4 – Noção de texto e gêneros textuais 29 4.Sumário Palavra das professoras-autoras 11 Aula 1 – A comunicação oral e escrita 13 1.1 A leitura 23 3.2 Elementos coesivos 50 Aula 9 – Nova ortografia 55 9.2 Níveis de leitura 23 3.1 O texto como um todo 49 8.2 O texto falado e a comunicação 14 Aula 2 – O sentido oculto nos diferentes tipos de texto 19 2.1 Ideologia 19 Aula 3 – Leitura e compreensão de texto 23 3.

2 Características do ofício 83 14.1 Ofício. o que é? 95 16.4 E-mail. circular ou memorando. 10.2 Características do contrato 99 17.2 Características de relatório 95 16.3 Os contratos dividem-se quanto à forma e podem ser 100 e-Tec Brasil .3 Concordância nominal 63 Aula 11 – Colocação pronominal e emprego dos pronomes de tratamento 67 11.3 Estrutura da ata 90 15.3 Comunicação interna.1 Carta comercial.2 Outros sinais de pontuação 76 Aula 13 – Carta comercial.2 Características da ata 89 15. o que é? 79 13.1 Relatório.1 Ata.1 A importância da concordância 61 10. o que é? 81 Aula 14 – Ofício 83 14. o que é? 99 17. o que é? 83 14.2 Concordância verbal 62 10.1 Pronome 67 Aula 12 – Pontuação 73 12.3 Formatação do relatório 96 Aula 17 – Contrato 99 17.1 Contrato. comunicação interna e memorando 79 13. o que é? 92 15.1 Entonação e pontuação 73 12.5 Características do e-mail 92 15.6 Regras de etiqueta para o e-mail corporativo 93 Aula 16 – Relatório 95 16. o que é? 89 15.4 Forma de diagramação 85 Aula 15 – ata e e-mail 89 15.

2 Características de um edital 107 Aula 19 – procuração 111 19. o que é? 111 19.1 Convite e convocação.2 Características do convite e convocação 115 Referências 121 Currículo das professoras-autoras 123 e-Tec Brasil .1 Procuração.2 Características de uma procuração: 112 Aula 20 – Convite e convocação 115 20.Aula 18 – Edital 107 18. o que são? 115 20. o que é? 107 18.1 Edital.

.

porém é imprescindível que saibamos onde buscar as respostas para nos auxiliar. Para que isso aconteça. Desejamos que este material possa ampliar seus horizontes! Bons estudos! Elaine Arns Regiane Porrua 11 e-Tec Brasil . Escolhemos textos e atividades com muito carinho para que o estudo da Língua Portuguesa possa ser gostoso e que você possa se apropriar do conhecimento de forma tranquila. Lembre-se de que não precisamos saber tudo. Este material foi elaborado pensando em você e no seu crescimento profis- sional.Palavra das professoras-autoras Prezado aluno. lembramos que é bom você ter do seu lado um bom dicionário e uma gramática para consul- tar sempre que for necessário.

.

1 Comunicação e símbolo Para Penteado (2001).com 13 e-Tec Brasil . Portanto. a sociedade vem exigindo cada vez mais que o ser humano se capacite e utilize de forma eficiente o pro- cesso de comunicação. a comunicação é a troca de significados que se dá por meio de símbolos. compreendemos. Fonte: http://www. impressões e imagens de todos os tipos. Signo: Unidade linguística que contém um significante (forma ou imagem acústica) e um significado (conceito). a comunicação é um instrumento de integração entre as pessoas e desenvolvimento. visto hoje como importante processo de expansão das organizações. e neste milênio. definir sím- bolo e signos e fará uma análise da oralidade. Com o passar do tempo. Com relação ao texto escrito. Símbolo: Figura ou imagem que representa à vista o que é ele o estabelece uma relação convencionada entre signo e o objeto. por exemplo. que por convenção. porém é tudo aquilo que pode remeter ao mesmo tipo de coisa.Aula 1 – A comunicação oral e escrita Desde o início dos tempos. demonstrará as fases e por fim fará a apresentará a variação linguística. Esta aula vai apresentar conceitos de comunicação. Portanto. cada pessoa imagina um tipo de casa.colorirgratis. Quando coloca- mos a palavra “casa”. 1. puramente abstrato. E você sabe o que é um símbolo? Símbolo é aquilo. a comunicação tem diferentes formas e é por meio delas que as pessoas transmitem e recebem ideias.

. chegano na escola eu gostei muito né. por exemplo. um elemento representativo. vamos deixar isso mais claro: já que a língua é um sistema de símbo- los ou signos.com/doc/3003694/Apostila-de-Portugues-Ens-Fund-Cad1-FaseII-Oralidade-x-Escrita e-Tec Brasil 14 Português Instrumental . 1. 2001).... Então..” Fonte: Caderno 1 de Língua Portuguesa do Departamento de Jovens e Adultos da Secretaria de Estado do Paraná. gestos...... entonação da voz e ainda por meio de textos escritos. quando eu completei sete anos né. como podemos analisar no texto a seguir: A escola em minha vida (texto falado) Autora: Alzira Aparecida da Silva “Bom. já que ele exige o uso da norma padrão da Língua Portuguesa.. nós po- demos também chamar de signos. como uma placa de trânsito.scribd.2 O texto falado e a comunicação Precisamos tomar maiores cuidados com o texto escrito. (KOCH.. Entretanto.. qui. Signo é toda unidade em que há sentido. i... eu nasci em Sarandi né. Esses símbolos ou sinais.. só que eu perce- bia que era muito difícil pru professor. dá aula pras quatro série né... quatro ano ao mesmo tempo . pra. que era um único professor pra. é então..... nós podemos nos comunicar de diferentes maneiras.... eu fui pra escola qui.. o texto falado per- mite maior liberdade. Fonte: Andrevruas A Língua é um sistema de signos.. expressões faciais ou corporais.. http://www. era a coisa que eu queria mais fazê é istudá. i depois de treis anos.. e aos quatro anos eu fui pra Castelo Branco né. daí.

..." Existem os vícios ou toques linguísticos. fazendo um link com a pessoa que está ouvindo..” Utilizamo-nos de frases imprecisas e fragmentadas. essa escolinha era uma escolinha rural.Observem que a autora transmitiu uma informação e nós todos. Castelo Branco né..." Costumamos repetir a mesma palavra diversas vezes em uma frase: Ex." De quem ela gostou? Da escola? Do professor? Nossas frases são curtas e entrecortadas.. i depois de treis anos. Observe que a expressão “né” a autora usa como se estivesse pedindo aprovação. o que demonstra que o texto é oral. o interlocutor. quando eu completei sete anos né. ou seja. Ex. muitas vezes porque com os gestos que fazemos a fala fica mais compreensível. podemos verificar que no texto transcrito não há marcas de pa- rágrafos (paragrafação).: "Daí chegano na escola eu gostei muito. que são as reticências (.." Além disso. como o “daí” e o “né”..: "Fui pra escola..: ".) quando paramos a frase em determinado momento para formularmos a sequência do pensamento... apesar de estar fora da norma culta padrão.: "e aos quatro anos eu fui pra... Aula 1 – A comunicação oral e escrita 15 e-Tec Brasil . Isso é comunicação! Na transcrição do texto falado.. conseguimos entender..: "Bom. Ex. eu fui pra escolar qui. chegando na escola... o que deixa confuso o entendi- mento. costumamos utilizar o que chamamos de “marcas linguísticas”. se foi morar ou passear em Castelo Branco. falantes da Língua Portuguesa. concretas. eu nasci em Sarandi né. Nossa autora não fornece informações claras.. Ex. Ex.

que se realizam por meio da interação entre os interlocutores. e-Tec Brasil 16 Português Instrumental . Portanto. Resumo Apresentamos o que é o símbolo e o signo dentro da língua portuguesa. <http://www. o escrito. Ele precisa tocar para poder preensão. Observaram? Perceberam quantos detalhes o texto oral possui diferente do texto escrito? Que diferenças serão estas? É claro que você sabe. a variação linguística e as marcas linguís- ticas na fala e na escrita. classe social e outros fatores. a professor Aderbal (Terça Insana). Possuir Claro Entre elas. Aqui você encontrará entrevistas ou da situação em que se encontra.youtube. porém o foco. de diferentes formas e regiões e b) Assista ao vídeo sobre Variação Linguística disponível isso depende ainda da idade. porém va- mos lembrar juntos: • O texto escrito para que seja bom e comunique com qualidade deve conter: Acesse o site http://www. Observe a pronúncia do primordial da língua é comunicar! professor e como ele carrega na pronúncia do “r”. disponível em: língua não é somente regras.com. às normas bom-texto. é comunicação. está a importância linguagem e organizado do conhecimento prévio do autor sobre o assunto e. em: <http://www.com/ ou seja. leitor e autor. interlocutor daí. Portanto. mas é interação. As normas. A língua é usada por diferentes usuários. dependendo do local onde está watch?v=EWnANT3Cpbw>. Aqui interlocutores a) Assista ao vídeo do usamos no sentido de texto e leitor.com/ Um usuário pode usar diferentes variações. a língua pode variar conforme com diferentes formas de fala.htm e veja as dicas de gramaticais Como Produzir um Bom Texto. Texto Confiram! Possuir escrito Evitar linguagem repetição de adequada ao palavras (claro. a apresentação clara das ideias é necessária para um bom entendimento do leitor.br/ Obedecer redacao/como-produzir-um. sexo. né) Fonte: As autoras Cabe lembrar que a língua é viva e está em constante mudança. trouxemos o texto falado. profissão. além disso. c) Assista ao filme “A primeira vista” e observe que o ator que Observamos que não podemos esquecer que a comunicação é importante é cego não consegue estipular o e que a norma culta deve ser respeitada e usada porque ela facilita a com- significado das coisas a palavra.youtube. relacionar uma coisa à outra. o objetivo watch?v=ZSK6dVbbm4c>. a adequação da linguagem é importante. É bom conferir! o contexto social em que ela é aplicada. mundoeducacao. autor e texto.

o significado do que você vê e do que você lê. Analise esta poesia concreta e explique. 2. Cite quais são os elementos que utilizamos em nossa língua para que a comunicação aconteça. Aula 1 – A comunicação oral e escrita 17 e-Tec Brasil . em forma de texto.Atividades de aprendizagem 1.

.

vive. todo signo é ideológico. Portanto. as suas interações sociais. Entre os exemplos grupo. sociais. socie- dade (ex. O poeta apresenta uma relação de comportamento onde os meios de comunicação e de produção Figura 2.:ideologia política). Para que você possa compreender este significado. Analise de forma crítica este poema! A língua é um processo de interação e todo texto possui um significado. época. (BAKHTIN. podemos citar a foice e o martelo como emblema da União Soviética.Aula 2 – O sentido oculto nos diferentes tipos de texto Todo texto pode conter um ou mais sentidos escondidos que pre- tendem informar ou denunciar alguma outra situação. 1999). bem como suas relações com a comunicação e a ideologia dos textos. de signos puramente ideológicos. convicções e identificar o significado existente em todos os textos apresentados a você.youtube. políticos que caracterizam o pensamento de um indivíduo. Fonte: © Beatrice Murch/ Wikimedia percam a sua capacidade de Commons.2: pão e vinho fazem com que as pessoas Fonte: Domínio Público/Wikimedia Commons. nem sempre quem lê consegue captar to- dos estes sentidos. o que há nas entrelinhas.com/ watch?v=nUtOvvY0zfo>. ideologia. A língua em uso é repleta de significados e de ideologias. Lembre-se. enfim.1 Ideologia É importante que você saiba que. crenças e visão de mundo. Observe o olhar do poeta com relação ao consumo.1: Bandeira da União Soviética Figura 2. 19 e-Tec Brasil . movimento. então. (BAKHTIN. Costumamos chamar isso de conhecimento de mundo. todo texto falado ou escrito tem uma ideologia em suas entrelinhas. Etiqueta” – Carlos Drummond de Andrade. e princípios filosóficos. o que você lê. Nesta aula temos por objetivo estudar o sentido oculto nos textos e suas ideologias. é necessário que você utilize todo o seu conhecimento. escolha. e o pão e vinho como símbolo do sacramento cristão. Por ser um processo de interação. ouve. 1999). 2. não existe neutralidade em um discurso. conforme Bakhtin. ou seja. a palavra é um fenômeno ideológico por excelência. disponível em <http://www. Poema “Eu. de verificar Ideológico: Relacionado ao conjunto de ideias.

com/ chama a atenção e seu significado quer dizer que não é para você roubar watch?v=xtqdU-Jdl90>. Ferreira Gullar O Bicho tem como preocupação central a Manuel Bandeira própria palavra. meu Deus. Poesia Completa e Prosa. e faça sua análise a respeito do que vimos e do que é apresentado. faz com que interpretemos de acordo com o conhecimento que temos. disponível em <http://www. BANDEIRA. O bicho. Observem que o significado que Manuel Bandeira quer passar está além das palavras do poema: e-Tec Brasil 20 Português Instrumental . Quando achava alguma coisa. O bicho não era um cão. Veja o poema “Muitas Vozes” Outro exemplo é a conhecida frase: Sorria você está sendo filmado. Não era um gato. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. Há uma voz implícita que diz que o desmatamento é a solução. Não era um rato. Nosso conhecimento de mundo muda o sentido das coisas. Ela de Ferreira Gullar. 1993. demonstra o que comentamos aqui. de Vi ontem um bicho vida e de poesia! Na imundice do pátio Catando comida entre os detritos. Exemplos: • “Ele é funcionário público. Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O poeta diz que seu poema é um túmulo e este túmulo está cheio de vozes. mas é trabalhador”. Manuel. que nada porque suas ações estão sendo filmadas. era um homem. • “O desmatamento não é a solução do problema”.youtube. Para alguém dizer isso é porque está implícita uma voz afirmando que fun- cionário público não trabalha.

• Todo texto tem uma verdade e quer convencer o leitor dessa verdade.

• “Catando comida”: miséria, fartura, desigualdade, má distribuição de
renda.

• Cuidar para não extrapolar o texto. Desemprego e descaso do poder
público municipal ou estadual. Isso não está claro na materialidade do
texto.

A variante padrão da Língua Portuguesa e de qualquer língua é ensinada e
aprendida porque os conhecimentos construídos historicamente foram es-
critos nessa variante linguística. Ter acesso a eles é ter conhecimento, poder,
discurso melhor.

Resumo
Demonstramos nesta aula como os textos vêm cheios de significados e que
devemos também fazer estas leituras.

Atividade de aprendizagem
1. Analise a imagem e faça uma leitura do que você vê e do que está nas
entrelinhas.

Fonte: Michelle Behar

Aula 2 – O sentido oculto nos diferentes tipos de texto 21 e-Tec Brasil

2. Agora faça a leitura das entrelinhas deste haikai de Paulo Leminski

acabou a farra
formigas mascam
restos de cigarra

3. Observe a imagem a seguir e faça seus comentários a respeito do que
esta publicidade teve intenção de fazer. Qual foi a leitura que foi que o
autor quis passar?

Bom
pra
burro.

e-Tec Brasil 22 Português Instrumental

Aula 3 – Leitura e compreensão de
texto

Nesta aula, refletiremos sobre leitura e compreensão de texto.
Verificaremos os conceitos de leitura e seus significados ao longo
da história. Estudaremos também níveis de leitura e a sua impor-
tância para a compreensão e interpretação de textos.

Você já parou para refletir sobre o conceito de leitura? Saberia di-
zer sobre as características dessa ação de ler? E qual a importância
dela em nossas vidas?

3.1 A leitura
O dicionário Houaiss define leitura como ação ou ato de ler, ato de apreen-
der o conteúdo de um texto escrito, ato de ler em voz alta, hábito de ler,
mas também como a maneira de compreender, de interpretar um texto, uma
mensagem, um acontecimento.

A palavra ler, do latim legere, pode nos ajudar a compreender melhor a prá-
tica da leitura. No início das discussões sobre leitura, ler significava contar,
enumerar letras; depois, passou a significar colher e, por último, roubar.
Podemos relacionar esses três significados e entender o ato de ler com os
estágios de aprendizagem da leitura. Então, vejamos:

• O primeiro (contar e enumerar) corresponderia à alfabetização.

• O segundo (colher) à compreensão de textos, momento em que se busca
um sentido predeterminado, levando em conta a mensagem e o tema
do texto.

• O terceiro (roubar) à construção de sentidos e a interpretação de texto,
considerando leitura como transgressão.

3.2 Níveis de leitura
Depois que aprendemos a ler, todas as vezes que formos ler um texto passa-
remos também por três momentos diferentes.

23 e-Tec Brasil

35-36. esperteza e meia. como lá vêm vin- do três cachorros. animais e até entidades "Deixa estar. limpo de guerras. desapontada. Não imagina como tal notícia me ale- gra! Que beleza vai ficar o mundo. São eles: • Nível mais superficial: no qual aparecem os significados mais concretos e diversificados. para que também eles tomem parte na confraternização.. mas.. • Nível intermediário: no qual se definem os valores com que os diferen- tes leitores entram em acordo o desacordo. todos os bichos andam agora aos beijos como namorados. Lobo e cordeiro. A raposa. amigo Co-ri-có-có. em voz alta: inanimadas.. acho bom esperá-los. que já te curo!. Leia esta fábula de Monteiro Lobato: Fábula: pequena narrativa O Galo Que Logrou a Raposa em que se aproveita a ficção alegórica para sugerir uma Um velho galo matreiro. p. Para entender o texto: leitura e redação. Fica para outra vez a festa. São Paulo. Faremos agora. 17. experiente. murmurou consigo: moral. onça e veado. a) Nível superficial Na história há uma raposa que tenta convencer o galo de que não existe e-Tec Brasil 24 Português Instrumental . com intervenção de pessoas. Fonte: FIORIN." E. Ao ouvir falar em cachorro. Amigo. Ática. ed. Contra esperteza. Raspar-se: sair correndo. percebendo a aproximação da raposa. – Muito bem! – exclamou o galo. venho contar uma grande novidade: acabou-se a guerra entre Matreiro: sabido. fugir sorrateiramente. Pode-se dizer que existem três níveis que compõem a estrutura de um texto e que devem ser observados no momento da leitura. • Nível profundo: no qual acontecem os significados mais abstratos e mais simples. tenho pressa e não posso esperar pe- los amigos cães. gavião e pinto.. escafeder-se. que não se deixa pegar facilmente. sim? Até logo. seu malandro. José Luiz. Desça desse poleiro e venha receber o meu abraço de paz e amor. E raspou-se. crueldade e trai- ções! Vou já descer para abraçar a amiga raposa. dizendo: – Infelizmente. raposa e gali- que é esquivo. em- verdade ou reflexão de ordem poleirou-se numa árvore. a análise dos níveis de leitura do texto “O Galo Que Logrou a Raposa” de Monteiro Lobato. os animais. dona Raposa não quis saber de histórias e tratou de pôr-se ao fresco. nhas.

percorre a inter- mediária e alcança a estrutura profunda. sua coerência. Com essas informações. convida-a para esperar três cachorros para iniciarem a confraternização. que o ato de ler solicita mais do leitor do que a simples decodificação do texto. b) Nível intermediário Entre os personagens que aparecem na fábula. a esperteza do galo se destaca por ter deixado a raposa pensar que ele estava acreditando nela. na realidade. Aparentemente. podemos concluir que cada leitor percorre um ca- minho de leitura. além dos níveis de leitura. A raposa. menciona ter pressa e vai embora. Mas o galo é esperto. em determinado contexto e em um tempo e espaço específicos. estava fingindo acre- ditar. muito feliz. também esperta. como: • o texto é constituído de partes que se relacionam e determinam o seu significado. nega-se a guerra e afirma-se a paz. Ele finge acreditar nela e. ficando longe das garras da mesma. um demonstra saber sobre a guerra entre os animais (o galo). Aula 3 – Leitura e compreensão de texto 25 e-Tec Brasil . já o outro finge não saber da guerra (a raposa). mas sabe- mos que os dois continuam em desacordo. • todo texto é produzido por um sujeito.mais guerra entre os animais e que se declarou a paz. mas da combinação harmoniosa entre elas. No entanto. e sobe em uma árvore. Desse modo. que se inicia pela estrutura superficial. 3. c) Nível profundo: Afirma-se a guerra.3 Compreensão de texto Vimos até este momento. quando. não volta atrás no que tinha dito. Isso tudo apenas no mundo do faz de conta. sabe que a raposa é inimiga. e assim conseguiu salvar a sua vida. temos que considerar também outros aspectos para a compreensão de um texto. os dois personagens entram em acordo. • o significado geral de um texto não é resultado somente da soma entre suas partes.

Assim. nobreza. continuou a reunir grupos e comunidades por meio da não exercem qualquer ofício leitura. não podemos ler uma fábula de Monteiro Lobato com a mesma in- tenção e objetivo com que lemos uma ata. a leitura excluía alguns. vamos viajar no tempo? Preste atenção às mudanças ocorridas na maneira de se praticar e se compreender a leitura. Assim. até os móveis se ajustaram a esses novos hábitos. o que já deixava claro. um lector. que compreende os que família lia para as outras. principalmente. unia as pessoas que implique trabalho braçal. o hábito coletivo passou a ser individual. que dispõe dos rões domésticos aqui no Brasil. que. para solapar o estado de coisas estabelecidas: propósitos subversivos. a pequena burguesia. e todos aqueles que julgam seus interesses elite econômica e intelectual do Brasil. Um pouco de história sobre a leitura Bem antigamente. Uma fábula é um texto literário. Isso aconte- historiadores fixa a data do início da Idade Média em 476 d. a necessidade de se controlar a leitura Subversivo: Próprio para pelo seu poder subversivo. somente com a chegada da sociedade bur- subversão. que lia para outras pessoas. momento em que uma parte maior da população foi alfabeti- Sociedade burguesa: Categoria zada e pôde ter acesso aos livros. Mas. Por um lado. subverter. no século XIX. (Compreende três categorias: a em um ritual que se estendeu durante muito tempo. até essa possuem uma situação de certo destaque nas camadas superiores ocasião. raros e indecifráveis para muitos foi o ano da queda de Roma. as famílias da indústria e do comércio. Foi o caso dos se- alta burguesia. reunidas em grupos. a média burguesia. que permitiu o desenvolvimento moderno não só da prática da leitura como também o da escrita. restringia-se ao clero e à Idade Média terminou nos meados ou no final do séc. em que uma pessoa da meios de produção. para as mulheres. Esse cia devido ao pouco acesso aos livros. Agora. as leituras eram organizadas por uma única pessoa. ou que exercem profissão liberal. A partir do final do século XVIII. já uma ata é um texto informativo. da economia. Normalmente.C. era um homem. por outro. pouco a pouco. XV. guesa. jornais e outros textos. o dono Idade Média: A maioria dos do livro. mesmo social que compreende as pessoas relativamente abastadas que assim. não sabiam ler. e-Tec Brasil 26 Português Instrumental . E essa prática não era para todos. O ato de se comunicar exige que explore- mos nosso conhecimento de mundo para compreender e interpretar textos. A nessa época. que compreende as O costume de ler livros em grupos se alternou no tempo e no espaço camadas médias ou inferiores da com a leitura individual. revolucionário. o lector. Militante da A leitura se tornou popular. E foi esse ato solitário de leitura. passaram a abrir espaço em suas ligados aos da alta e média burguesia.) casas para a leitura e a guardar livros. na Idade Média. apenas o leitor e seu livro.

Tipos de textos. existem etapas e níveis para a aprendizagem e a prática da leitura no nosso dia a dia. artigo. poema. 2001. já que leva o sujeito a interagir com ele mesmo e com os outros. Pode ser notícia. Ao final. Belo Horizonte: Formatol. G. Atividades de Aprendizagem • Quais textos você costuma ler? Escreva as características de pelo menos três textos que são comuns no seu cotidiano. PAULINO. verifique se suas leituras são superficiais. Resumo Estudamos que a leitura de qualquer texto. é preciso destacar. que mesmo como um ato individual. isto é. romance. letra de música. os livros lidos anteriormente. repor- tagem. por mais simples que pareça ser. entre outras. G. faça uma pequena descrição sobre os níveis de leitura que você costuma fazer deles. intermediárias ou profundas. Um pouco de história sobre a leitura. et al. Para isso. manual de instrução. (Adaptado). Logo após. exige a participação efetiva do leitor para que se construam significados. No entanto. In: PAULINO. Aula 3 – Leitura e compreensão de texto 27 e-Tec Brasil . que vão desde uma estrutura mais superficial até uma mais profunda de compreensão. porque em cada leitura ele mobiliza a biblioteca interna. conver- sando com o contexto de produção e circulação do texto lido. até hoje a leitura sustenta sua característica socializante. modos de leitura.

.

por exemplo. como a coerência e a coesão. Como é que podemos determinar que várias frases juntas formem um tex- to e não um amontoado de palavras sem sentido? São vários os aspectos. A coesão é a ligação das frases no texto por elementos que recuperam in- formações já ditas e garantem a organização entre as partes. A coerência é a harmonia de sentido.1 A Noção de texto Neste nosso percurso. ou seja. destacamos que a leitura é uma prática que exige intensa participação do leitor. Um texto é um todo organizado de sentido. Desde o início deste material didático já conversamos bastante sobre texto. coerência. podemos compreender que texto é um conjunto formado de partes solidá- rias. composição e linguagem. Compreenderemos também o que são gêneros textuais. con- texto. que podem se confirmar ou não ao término da leitura. ao ler. Então é inevitável que surjam estas perguntas: O que você entende por texto? Como definiria a palavra texto? 4. porque. aplicamos ao texto um modelo baseado nas informações que temos na memória. analisaremos gêneros textuais de esferas de circulação sociais diferentes e identificaremos suas características estruturais. nada de contraditório. não é verdade? Você deve ter percebido que a todo o momento utilizamos essa palavra. e abordaremos alguns aspectos que se relacionam a ela como: coesão. Para isso. de maneira que não exista nada sem lógica.Aula 4 – Noção de texto e gêneros textuais Nesta aula. De acordo com essa afirmação. conceituaremos a palavra texto para entendê-la como forma de desenvolvimento do ato de ler. nada sem conexão nas partes do texto. 29 e-Tec Brasil . nesse todo de sentido uma parte depende de outras.

portanto. no momento de sua pro- dução. E o que significa realmente levar em conta o contexto no processo de leitura e produção de sentido? Vamos a um exemplo prático.1. os temores. Se ele é um todo organizado de sentido.gov. as ideologias. todo texto. verbal e não verbal (uma charge). o sentido de um texto depende de um contexto. um texto não se limita à composição por frases. Portanto.cultura. Leia o texto a seguir: Fonte: http://www. Esse sujeito pertence a um grupo social também em um tempo e em um es- paço próprios. No entanto. Como já abordamos na aula anterior. e a essência do seu tempo e de seu grupo social.1 Contexto Contexto é tudo aquilo que contribui ou determina a construção de sentido para a compreensão de um texto. os anseios.br Para a leitura e produção de sentido sobre esse texto é preciso considerar os seguintes aspectos: a) O efeito de sentido expresso pelo texto não verbal que é comple- mentado pelo texto verbal: da esquerda para a direita. seus textos trazem as ideias. por exemplo). as imagens/ sombras infantis simbolizam que criança deve estudar e não trabalhar e essas imagens estão separadas por um cata-vento de cinco pontas colori- e-Tec Brasil 30 Português Instrumental . ele pode ser verbal (um ofício. não verbal (um quadro). isto é. é elaborado por um sujeito em um tempo e espaço determinados. os símbolos. 4.

destina- tários: público em geral. das. faça a leitura dos trechos de textos a seguir: Texto 1 Lançada campanha contra trabalho infantil Brasilia. que significa movimento. a Campanha 2012 de combate ao trabalho infantil. 12/06/2012 – Foi lançada nesta terça-feira (12). e) Espaço de publicação: uma sociedade que ainda explora o trabalho infantil. sinergia na luta contra o trabalho infantil. sociedade. Com o tema “Vamos Acabar com o Trabalho Infantil – em defesa dos Direitos Humanos e da Aula 4 – Noção de texto e gêneros textuais 31 e-Tec Brasil . em Brasilia. já o texto verbal complementa o sentido “Vamos acabar com o trabalho infantil/Em Defesa dos Direitos Humanos e da Justiça Social”. b) O gênero textual cartaz/banner e a sua funcionalidade: o cartaz/ banner é um gênero que informa as pessoas. podemos considerar como gêneros textuais os textos que encontramos em nosso cotidiano que apresentam estrutura e linguagem padronizadas. c) O tema explícito no texto: luta contra trabalho infantil. f) Interlocutores: autores: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil. com enunciado e estilo concretamente realizados na integração entre história. Então. instituição e técnica. estabelecidas por uma organização funcional. dia mundial de combate ao trabalho infantil. d) Época da publicação: 12 de junho.2 Gêneros textuais Segundo Marcuschi (2008). será que podemos traduzir toda essa afirmação para que possamos entender realmente o que são gêneros tex- tuais? Para que você possa construir o conceito de gênero textual. 4. campanha referente ao ano de 2012. na tentativa de sensibilizá- -las ou conscientizá-las sobre determinado assunto. Dessa maneira. todas essas informações constituem o contexto para a com- preensão do cartaz/banner.

Justiça Social”, a mensagem convoca a comunidade, governos, empre-
gadores e trabalhadores a se mobilizarem para a proteção de crianças e
adolescentes contra este tipo de prática ilegal. A atividade marca o dia
mundial de combate ao trabalho infantil e foi lançada em parceria entre
o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e o Fórum Nacional de Preven-
ção e Erradicação do Trabalho Infantil.
Presente no evento, o diretor do departamento de Fiscalização do MTE
e coordenador da Comissão Nacional para Erradicação do Trabalho In-
fantil, Leonardo Soares, reafirmou o compromisso da pasta para acabar
com o trabalho infantil. “Vamos continuar na luta incansável enquanto
houver uma criança trabalhando. Esse vai ser o compromisso do Ministé-
rio do Trabalho e Emprego”.

Fonte: http://portal.mte.gov.br/imprensa/lancada-campanha-contra-trabalho-infantil.htm

Texto 2

Trabalhador

[...]
Trabalhador
Trabalhador brasileiro
Dentista, frentista, polícia, bombeiro
Trabalhador brasileiro
Tem gari por aí que é formado engenheiro
Trabalhador brasileiro

Fonte: SEU JORGE. Trabalhador. Intérprete: Seu Jorge. América Brasil. [S.I.]: EMI Records, 2007.

Provavelmente, você já deve ter lido ou ouvido outros textos parecidos com
o texto 1. Chamamos esse texto de notícia, pois relata um fato, é destinado
ao público em geral e normalmente é veiculado em jornais impressos, rádios
ou em sites na Internet. Já o texto 2 expressa uma linguagem poética, que
desperta emoção, é composto em versos. Sabemos que esse texto vem sem-
pre acompanhado de uma melodia e costumamos denominá-lo de letra de
música.

Ao fazer a leitura dos textos 1 e 2, você deve ter percebido que foram escri-
tos em situações diferentes e que cada um deles tem uma finalidade própria.

e-Tec Brasil 32 Português Instrumental

Cada texto é produzido com um objetivo e finalidade. Se quisermos relatar
um fato real, que envolva pessoas e tenha acontecido em determinado tem-
po e lugar, produzimos uma notícia. E se a intenção for mais voltada à emo-
ção, se o desejo for sensibilizar, o mais adequado é escrever letra de música.

Nesse contexto, quando nos comunicamos com as pessoas utilizando lingua-
gem, seja oral ou escrita, sempre produzimos certos textos que se repetem
quanto ao conteúdo, ao tipo de linguagem e à composição, constituindo,
assim, o que chamamos de gêneros textuais.

Quando interagimos, pela escrita ou oralidade, a escolha do gênero textual
é elaborada com base nos diferentes elementos que delas participam, como:
quem faz o texto, para quem se faz, com que finalidade, onde será veicula-
do, o momento histórico da produção, etc.

Os gêneros textuais geralmente são produzidos e relacionados a esferas de
circulação, ou seja, aos lugares em que são feitos e veiculados, como: coti-
diana, a artística/literária, escolar, midiática, publicitária etc. São exemplos de
gêneros que costumam circular na esfera cotidiana os bilhetes, os cartões, os
causos, as músicas, as fotos, as piadas e muitos outros.

Resumo
Vimos que um texto é um todo organizado de sentido e que para sua com-
preensão adequada necessitamos analisar sua coerência, coesão e contexto.

Os textos são produzidos em situações e contextos diferentes e cada um
possui um fim específico. No cotidiano, quando interagimos com outras
pessoas através da linguagem oral ou escrita, sempre elaboramos certos de
textos que, apesar de às vezes sofrerem algumas variações, acabam se repe-
tindo quanto ao conteúdo, à linguagem e à composição. Esses textos são o
que denominados de gêneros textuais.

Aula 4 – Noção de texto e gêneros textuais 33 e-Tec Brasil

Atividade de Aprendizagem
• Observe as imagens a seguir e aponte cinco gêneros textuais que costu-
mam circular nestes espaços:

Fonte: http://www.tsrpizabel.seed.pr.gov.br

Fonte: http://www.classeaflex.com.br

e-Tec Brasil 34 Português Instrumental

as variedades linguísticas. falantes pouco ou não esco- larizados. Você já observou que mudamos a maneira de usar a língua de- pendendo do lugar ou situação em que nos encontramos? Isso é comum e acontece porque a vida em sociedade exige que nos adequemos a todo o momento a situações formais e informais. 35 e-Tec Brasil . consequentemente. uma variante de linguagem nem tão tensa nem tão distensa. linguística que deve ser ensinada e aprendida na escola. é gramatical. sociedade em geral. uso de gíria e lingua- gem obscena. neste caso. empregada por falantes medianamente escolarizados e pelos meios de comunicação de massa. dos. vocabulário restrito. reconhecer as diferentes possibilidades de uso da língua de acordo com a norma padrão e a não padrão.1 Níveis de linguagem Andrade e Medeiros (2009) apresentam a classificação dos níveis de lingua- gem do ponto de vista sociolinguístico. Como a linguagem nos acompanha o tempo todo ela pede também essa adequação no uso da língua. é mais valorizada na Já o nível popular de linguagem ocupa o outro extremo do uso da língua. a linguagem distancia-se da gramática. Entre o nível culto e o popular há o nível comum. Normal- mente. É a variedade xa. Caracteriza-se pelo uso em situações informais. didáticos. que pedem comportamentos distintos. É também a linguagem usada pela literatura. vocabulário amplo e técnico. em textos científicos. considerando três divisões: nível cul- to. é utilizada Norma padrão: é o modelo de língua considerado ideal para ser em situações formais e os falantes são considerados altamente escolariza. A variedade padrão da língua normalmente desfruta de prestígio. 5. utilizado em documentos oficiais.Aula 5 – norma padrão e norma não padrão Nesta aula nossos objetivos serão conhecer os níveis de lingua- gem e. o nível culto caracteriza-se por apresentar uma lingua- gem de acordo com a variedade padrão da língua ou norma padrão. simplificação sintática. apresenta sintaxe comple. comum e popular. Segundo a autora. em jornais etc.

Norma não padrão: denomina as variedades linguísticas diferentes da variante padrão.Tá esperan- do o quê. mas é que eu tô com uma fome da molesta..." Assaltante mineiro "Ei cumpadre. Isso é um assalto! Arriba os braços e num se bula nem faça munganga. pois não há limites estanques entre um nível e outro. As diferenças no espaço geográfico são representadas por falares lo- cais. uai! Levante os braços e fica quetinho que esse trem na minha mão tá cheio de bala. Mas atenção. "bixim.. pelo menos. entre as camadas sociocultu- rais e entre os tipos de modalidade expressiva. tal caracterização não pode ser rígida. por fazer parte de um grupo ou classe social diferente da nossa. que podem ser diferenças: no espaço geográfico.. Mãos ao alto... intercontinentais.. Passa vexado o dinheiro senão eu planto a peixeira no teu bucho e boto teu fato pra fora! Perdão.2 Variedades linguísticas A diversidade de formas de usar a língua é chamada de variedade linguística. Mió passá logo os trocados que eu num tô bão hoje. uai!" e-Tec Brasil 36 Português Instrumental . uai. e até. Assim poderíamos classificar os níveis de linguagem popular e comum como variedade não padrão da língua. Leia estes exemplos bem-humorados de variedades linguísticas faladas em diferentes lugares do Brasil.. prestenção. três tipos de diferenças internas. isso é um assalto! Assaltante cearense Ei. variantes regionais. Segundo Cunha e Cintra (2009). por ser mais jovem ou mais idosa. Vai andando. Isso acontece por várias razões: pode ser porque a pessoa é de uma região específica do país. que podem ser mais o menos profundas. uma língua apresenta. Isso é um assarto. por ter tido menos ou mais acesso à escola. meu Padim Ciço.. 5. 1..

ficas atento.Isso é um assalto! Passa a grana e levanta os braços.. meu.. e se olhar pra traz vira presunto. mas não se avexe.. Se num quiser nem precisa levantar. Passa a grana logo. Vai passando a grana. Isso é um assalto.. que eu ainda preciso pegar a bilhe- teria aberta pra comprar o ingresso do jogo do Timão. Não fica de bobeira que eu atiro bem pra c. mas é pra não ficar muito pesado Não esquenta. meu rei. Observe este trecho da canção “Chopis Centis” do grupo Mamonas As- sassinas. Assaltante gaúcho "Ô gurí.Vai andan- do. língua não padrão.. meu. As diferenças entre as camadas socioculturais são representadas pelo ní- vel culto.(longa pausa).] Aula 5 – norma padrão e norma não padrão 37 e-Tec Brasil . língua padrão.... Levanta os braços.com.. tamo entendido?" Assaltante baiano "Ô.br/ 2. meu. meu. pra num ficar cansado. não. meu.. nível popular... Se manda... Pra 'mó de' a gente lanchá [.. Passa os pilas prá cá e te manda a la cria. Mais rápido. http://fdc. vou deixar teus documentos na próxima encruzilha- da... tchê! Não tentas nada e tomas cuidado que esse facão corta que é uma barbaridade. isso é um assalto! Levantas os braços e te aquieta.bacaninha... conforme a norma não padrão: Eu 'di' um bejo nela E chamei pra passeá A gente 'fomos' no shopping. Tu se f... meu irmãozinho.. etc. meu! Alevanta os braços.. cara." Assaltante paulista "Ôrra.. Num repara se o berro está sem bala.. Báh. senão o quarenta e quatro fala!" Assaltante carioca "Seguiiiinnte.. Isso é um assalto." Fonte: Autor desconhecido.. bem devagarinho. meu. que expressa de maneira bem-humorada o nível popular de falar.. cara.

(Cecília Meireles) http://cultura.. apresentamos a seguir o mapa com a localização dos países.culturamix. Para ajudar na sua Nenhuma língua permanece a mesma em todo o seu domínio e. As diferenças entre os tipos de modalidade expressiva são representadas pela língua falada. língua literária. e-Tec Brasil 38 Português Instrumental . não prejudicam a unidade superior da língua. mec. 3. gramático.com/curiosidades/poetas-infantis-cecilia-meireles-vinicius-de-moraes-e-ruth-rocha Para finalizarmos esta aula. linguagem dos homens. Fonte: http://portaldoprofessor. num só local.0000029664.. pois cada um procura utilizar o sistema idiomático da forma que me- lhor lhe exprime o gosto e o pensamento. nem a consciência que têm os que a falam diversa- mente de se servirem de um mesmo instrumento de comunicação. ainda busca. Leia este texto. de ordem social e até individual. reflita sobre as palavras do professor. [..] Mas essas variedades de ordem geográfica. língua escrita.br/storage/discovirtual/ galerias/imagem/0000002606/ md. linguagem especiais. apresenta um sem-número de diferenciações. de manifestação e de emoção. resmungando sozinha: nhem-nhem-nhem-nhem-nhem. A variedade padrão é o modelo considerado ideal e deve ser ensinado e aprendido na escola. p.gov.jpg Resumo Níveis de linguagem: vimos que podemos classificar a linguagem nos níveis culto.. E estava sempre em casa a boa da velhinha. etc. que exemplifica a língua literária: A língua do nhem Havia uma velhinha que andava aborrecida pois dava a sua vida para falar com alguém. linguagens das mulheres. quais países falam português no mundo? Pesquise os países que falam português. conforme o nível culto de linguagem. filólogo e ensaísta Celso Cunha (2009. 14): Afinal. popular e comum.

de acordo com os níveis popular e comum de linguagem. foga o repôi no ói quenti junto cum o ái fogado.A variedade não padrão é o nome que se dá para todas as outras variedades linguísticas diferentes do modelo padrão.artesanatodagula. a) Qual o assunto abordado nesse texto? b) Veja que a primeira parte do texto apresenta uma lista de ingredientes e a segunda instrui como prepará-los. pica o repôi bem finim. Variedades linguísticas são. dependendo do espaço geográfico. Como é chamado esse gênero textual? c) Observe a escrita das palavras do texto. Em sua opinião. • 1 cabeça de repôi. portanto. da idade dos indivíduos que usam a língua. ele apresenta marcas da fala ou da escrita? Por quê? d) Qual o objetivo do autor deste texto ao escrevê-lo com essas caracterís- ticas? e) Qual o nível de linguagem utilizado na produção do texto? Aula 5 – norma padrão e norma não padrão 39 e-Tec Brasil . • 3 cuié de ói.br. Quenta o ói na cassarola. Atividade de Aprendizagem • Leia este texto: Môi de repôi no ai e ói. do grau de escolaridade. Fica bão sirvi com arrois e meleti. as inúmeras variações que pode sofrer uma língua. Põi a mastomati e mexi cum a cuié prá fazê o môi.com. Ingridienti: • 5 denti de ái. • 1 cuié di mastomati. • sár agosto Modi fazê: Casca o ái e pica ele bem picadim. Adaptado de: http://www. do grupo social. Dispois soca o ái cum sár. foga o ái socado no ói quenti.

.

autoras) br/joao-carreiro-capataz/1995420/>) Observe que primeiro texto está escrito na variedade padrão da língua por- tuguesa e o segundo na variedade não padrão. disponível em <http://letras. porque somos e também porque queremos [x2] Cemo porque cemo e também porque queremo [x2] Somos. mas cheguemo Nós somos caipiras mesmo Nós cemo caipira memo Somos. Lembre-se que uma língua depende de uma comunidade para existir. Mas. a língua só acontece individualmente. Na aula anterior falamos sobre a norma padrão e não padrão e vimos que existem diferenças no uso efetivo da língua. a maneira de falar de grande parte da população brasileira que vive no interior e que tem consciência de sua maneira de falar. No entanto. para iniciar nossa conversa: Texto 1 Texto 2 Demoramos. já que uma única pessoa não é capaz de produzi-la e de modificá-la.mus. determi- nadas por vários fatores. o importante aqui é perceber que o texto 2 cumpre melhor a sua função linguística. criada pelas João Carreiro e Capataz.Aula 6 – Adequação de linguagem Nesta unidade trataremos de adequação de linguagem e refle- tiremos sobre como utilizar a norma padrão e não padrão nos diversos momentos de uso da língua falada e escrita. porque somos e também porque queremos Cemo porque cemo e também porque queremo (Versão do trecho da letra de música “Cemo Porque (Trecho da letra de música “Cemo Porque Cemo” da dupla Cemo” da dupla João Carreiro e Capataz. já que o objetivo dos autores da letra de música “Cemo porque cemo” era destacar.1 Fala e Escrita Leia estes textos. de maneira bem-humorada. mas chegamos Demoremo. pela oralidade e pela escrita. E então surge a pergunta: Pode-se escrever como se fala? 41 e-Tec Brasil . mesmo utilizada por um grupo. qual o momento para escolher en- tre a norma modelo e as outras possibilidades de uso da língua? 6. Mas.

diplomatique. uma interação social.php?id=975 funções específicas no uso da língua. acesse o endereço: http:// www. já que havia estudiosos a favor e contra o conteúdo do livro didático. Destacamos mais uma vez. leia o artigo Quando a mídia noticia o irreal.org. porque o Ministério da Educação (MEC) distribuiu cerca de 485 mil unidades do livro “Por uma vida melhor” que defende o uso popular da língua. Essa pergunta muitas vezes causa polêmicas e discussões acirradas. dedicação por parte do escrevente.com. afirma Haddad Fonte: www.senado. sendo que isso. Observe as diferenças existentes entre fala e escrita: e-Tec Brasil 42 Português Instrumental . a comunicação só é possível por meio jornalista e editora do Observatório da Educação da da linguagem e do uso de um código dominado pelas pessoas do grupo ONG Ação Educativa/SP.uol. isto é. A língua pode ser falada ou escrita. da Desde o início do livro. A fala é muito mais espontânea e a escrita requer atenção.br As manchetes acima foram destaque na imprensa. O livro apresenta os conceitos de adequação e inadequação para as situações de comunicação. deixando de lado as definições de certo ou errado de acordo com a gramática norma- tiva. e cada uma merece atenção especial. Nessa interação. Para social. cada uma cumpre artigo.br/ cada uma dessas práticas possui características diferentes. Leia es- tas manchetes: MEC distribui livro que aceita erros de português Fonte: http://oglobo.globo. Para saber o desfecho da situação. Na maioria das situações do nosso cotidiano não podemos escrever do mes- mo modo que falamos.folha.gov. uma língua. a importância de você perceber que a fala e a escrita são práticas sociais específicas. concentração. destacamos que a comunicação só acontece se existir Fernanda Campagnucci. O assunto rendeu muita discussão e acabou virando polêmica.com Associação Brasileira de Linguística defende livro do MEC Fonte: www1.br Livro do MEC não preconiza erro gramatical.

o grau de escolaridade. 3. a norma padrão. Já a escrita possui característi. 2009. estudamos a língua portuguesa com o objetivo de aprender a escrevê-la e expressá-la de acordo com normas linguísticas es- tabelecidas. 5. o ideal é utilizá-la. As universitárias. A Língua de Eulália – Novela Sociolinguística. língua portuguesa.. quando temos aulas de língua portu- guesa no ambiente escolar. W.. aproveitamento harmônico da energia dessas forças contrárias e que. ma padrão. Autor: Marcos to importante para nossas relações sociais porque essa forma ter mais prestí. Fala Escrita não planejada planejada fragmentária não fragmentária incompleta completa pouco elaborada elaborada predominância de frases curtas. não é para aprender algo que não dominamos. C. da língua portuguesa de uma forma diferente. p. Aula 6 – Adequação de linguagem 43 e-Tec Brasil . Gramatica do Português Contemporâneo. São Paulo: Atual. simples ou predominância de frases complexas. Por isso. Só lendo a e nos adequarmos às situações de comunicação.. e pouco elaborada. há sempre lugar para uma posição moderada. Saber usar tanto a variedade padrão da língua por. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. a norma padrão. normas gramaticais __. termo médio que represente o cas distintas a da fala. Nova comunicação do dia a dia. tanto a fala quanto a escrita varia segundo diversos fatores como. Neste livro você vai gio e ser exigida para a comunicação em determinadas situações com maior encontrar uma história que aborda as variedades linguísticas grau de formalidade. é planejada. ed. Como já estudamos.. Vera. que sejam usadas. Dominar a variante linguística ensinada nas escolas. melhor consubstancia os No entanto. R. já se a ocasião permitir outras variedades da língua. tuguesa quanto as outras variedades é o mais adequado nas situações de CUNHA. Português: linguagens. A fala é es. a região do país. pontânea. Assim seguimos o princípio de adequação para o uso da língua e não a determinação de certo ou errado. Se a ocasião solicitar a nor. ao nosso ver. é mui. ed. L. (Adaptado). Bagno. a classe social. mas uma de suas variações. 19. não planejada. com subordinação abundante coordenadas pouco uso de verbos na voz passiva Emprego frequente de verbos na voz passiva CEREJA. CINTRA. etc. história para saber. Entre as atitudes extremadas __ dos que advogam o rompimento radical Resumo com as tradições clássicas da língua e dos que aspiram a sujeitar-se a velhas A fala e a escrita são formas diferentes de se praticar a língua. 2009. é preciso sempre estar atento ao momento de uso da língua passar as férias na chácara da professora Irene e. Sílvia e Emília vão Nesse contexto. Na escola. a idade da pessoa. o importante para o uso da língua falada ou escrita é seguir o ideais de uma sã e eficaz política educacional e cultural dos países de princípio da adequação. mais elaborada e completa.

Sua tarefa é verificar se elas são adequadas ou não à situação da comunicação apresentada. encaminhan.. Situação Texto usado Adequada/não adequada E-mail enviado oi segue o currículo. encaminhando um currículo.. Ana Maria Flores e-Tec Brasil 44 Português Instrumental . bjus. Conforme contato do um currículo. segue anexo meu currículo para apreciação. telefônico. apresentamos duas situações. Atenciosamente. Atividade de Aprendizagem • A seguir. empresa. a uma empresa. E-mail enviado a uma Olá.

1 A coerência do texto Leia esta charge: Fonte: http://www. Mas o que é preciso observar em um texto para afirmar se ele é coerente ou incoerente? Vejamos. sem esse referencial perde-se o sentido. a linguagem não verbal (a imagem de uma caveira segurando um telefone). No dia a dia é comum ouvir afirmações como essas: esse texto é incoerente ou esse texto não tem coerência nenhuma.. Assim. 7.seed.Aula 7 – Coerência textual Nesta unidade de estudo nosso objetivo será entender o que é coerência textual. Em poucos minutos você será atendido.portugues. é preciso ter conhecimento sobre o atendimento de telemarketing em nosso país. é complementada pelos textos verbais (“Call Center” e “Obriga- do por aguardar. Sabemos que há muita re- clamação por parte da população em geral para esse tipo de atendimento.pr.”) e determina o sentido de humor e ironia relacionado ao assunto. Veremos a importância de harmonizar as ideias de um texto para sua compreensão e que toda coerência depen- de de um contexto.. 45 e-Tec Brasil . Para que possamos compreender essa charge.gov.br A charge é um gênero textual que se relaciona com acontecimentos do mo- mento em que é produzido.

suas partes devem se relacionar e devem estar conectadas logicamente. um todo organizado de sentido. Tirei minhas orações e recitei meus sapatos. para ser considerado um texto de verdade. João José da Silva convida vossa senhoria para solenidade no palácio dos Empregadores. Desliguei a cama e deitei-me na luz. Para concluirmos se um texto é coerente. e-Tec Brasil 46 Português Instrumental .2 Exemplo prático Leia estes textos: Texto 1 Subi a porta e fechei a escada. precisa apresentar coerência. (Autor desconhecido) Texto 2 Convite O Secretário de Estado do Trabalho e Emprego. Como já estudamos. na qual serão entregues novecentos computadores e oitenta veículos para a rede de Apoio aos Trabalhadores. é preciso considerar vários aspec- tos da situação de produção: • Quem produziu o texto? • Para quem? • Qual é o gênero textual? • Qual a finalidade do texto? 7. Tudo porque ele me deu um beijo de boa noite. todo texto. ou seja.

que solicita a presença de alguém para a solenidade de entrega de computadores e veículos. Diante dessa circunstância. ao término do processo de leitura. Entretanto. verificamos que o texto retrata uma situação romântica. Atividade de Aprendizagem • Identifique a incoerência existente nestes textos: 1. 08 de abril – 11 horas Palácios dos Empregadores Praça Nossa Senhora da Aparecida Centro – Brasília Ao ler os textos apresentados. Esse livro apresenta a constituição dos sentidos nos texto e seus fatores. O secretário pede que ninguém compareça à solenidade. No en- tanto. necessidade de lê-lo completamente e de entendê-lo como um todo. enviado por um secretário de estado. deixamos de lado a primeira im- pressão de incoerência e compreendemos o texto.” que desconstrói toda a harmonia de ideias pre. para determinar se um texto é coerente ou incoerente. tais como Assim. visto que uma frase como essa dificilmente seria coerente autores Ingedore Koch e Luiz nesse gênero textual. Trata-se de um convite. Aula 7 – Coerência textual 47 e-Tec Brasil . Já na leitura do texto 2. ao continuar a leitura encontramos a frase “O secretário pede que ninguém Para saber mais sobre coerência compareça à solenidade. há sempre a os elementos linguísticos. não deixe de ler a obra A Coerência Textual dos sentes no texto. o conhecimento do mundo etc. textual. na qual o autor relata o que ganhou um beijo da pessoa amada. ele nos parece sem coerência não é verdade? Dificilmente alguém subirá a porta e fechará a escada. deparamo-nos inicialmente com um texto coerente. Travaglia. qual deles pode ser considerado incoerente? Quando iniciamos a leitura do texto 1.

mede 1. 3. Por isso.40 m. e-Tec Brasil 48 Português Instrumental . É alto. 2. tem cabelos curtos e gosta muito de trabalhar. foi demitido na última sexta-feira. Paulo é um ótimo rapaz.

Já discutimos em outras aulas a questão de um texto não ser um amontoado de frases soltas. depois do recuo de 2. usamos mecanismos linguísticos para estabelecer a conectividade e retomada do que escrevemos ou disse- mos.1 O texto como um todo A coesão pode estar implícita nos textos em geral. parágrafos e partes maiores de um texto. A avaliação é do diretor de 49 e-Tec Brasil . Apresentaremos os mecanismos linguísticos utilizados nos textos para garantir ao leitor a compreensão do que está expresso no texto. Observe este texto: BC: Agropecuária e indústria vão contribuir para expansão da economia Para a produção agropecuária.Aula 8 – Coesão textual O nosso objetivo nesta aula será compreender o que é coesão textual. vimos que normalmente a coerência de um texto está rela- cionada com a conexão de ideias e elementos entre suas partes. frases. Tanto nos textos falados como nos escritos. a estimativa de expansão é 6%. 8. Coesão textual são as conexões gramaticais que existem entre as palavras.3% em 2012 Agência Brasil Publicação: 28/03/2013 O melhor desempenho da agropecuária e da indústria deve ajudar a eco- nomia a apresentar maior expansão este ano. baseada em conheci- mentos anteriores que os participantes do processo de leitura têm sobre o assunto. Esses mecanismos garantem a coesão textual.

Fonte: http://www. que apresentou nesta quinta-feira (28/3) o Relatório de Inflação.correiodoestado. que neste caso deve ser de conhecimento geral do público a quem se dirige esse texto. Política Econômica do Banco Central (BC).correiobraziliense.com. 8. Nessa onda.br/noticias/confira-os-aplicativos-gratuitos-que-ajudam-os-usuarios-a- -pe_178942/ Veja que as palavras “usuários” e “usuário” foram substituídas por “consu- midor”. Esse recurso pode ser denominado também de prono- minalização. o usuário de smartphones procura aplicativos que pos- sam facilitar sua vida e reduzir o tempo gasto em atividades. Carlos Hamilton Araújo. Android e Win- dows Phone para ajudar o consumidor a perder peso ou mesmo só manter a forma.357339/bc- -agropecuaria-e-industria-vao-contribuir-para-expansao-da-economia. É claro que aqueles leitores que não souberem o que significa a sigla no contexto. Observe as palavras em destaque: Confira os aplicativos gratuitos que ajudam os usuários a perder peso Cada vez mais. temos vários recursos que podem ser utilizados. várias empresas criaram aplicativos para os sistema iOS. interroga- tivos e relativos. Perceba que no título há a sigla “BC”. terão que ler a notícia e encontrarão o seu significado: Banco Central. São aplicativos de dieta e de exercícios.br/app/noticia/economia/2013/03/28/internas_economia. pronomes possessivos.com. Fonte: http://www. demonstrativos. indefinidos. • Referência: indica uma parte do texto já citado por meio de pronomes pessoais.2 Elementos coesivos Para dar linearidade a um texto por meio de elementos coesivos. o subtítulo e o primeiro parágrafo de uma no- tícia sobre economia. evitando repetição desnecessária da informação. e-Tec Brasil 50 Português Instrumental .shtml Você acabou de ler o título. Vejamos algumas possibilidades: • Substituição ou sinonímia: referência a uma parte do texto já citado por meio de sinônimos ou palavras análogas.

• Elipse: É a omissão de palavras ou frases que o leitor pode facilmente subentender.br/noticias/confira-os-aplicativos-gratuitos-que-ajudam-os-usuarios-a- -pe_178942/ Nesse trecho do texto. Na realidade ele foi omitido para dar coesão ao texto.correiodoestado. de acordo com o tipo de relação que se pretende estabelecer entre elas: adição. são orientações de exercícios para você perder a famosa barriguinha e adquirir um abdômen de tanquinho! Com aulas em vídeo. Aula 8 – Coesão textual 51 e-Tec Brasil . causalidade. • Conectores: são palavras ou expressões que servem para ligar ideias. iOS.com. finalidade etc. Veja: Treino Diário de Abdominais (Android. Dá para escolher a duração do treino entre cinco a dez minutos. Fonte: http://www. e a frequência com que você deseja se exercitar. Windows Phone) O aplicativo oferece acesso a um banco de dados com a pontuação de cada alimento e com todas as informações nutricionais importantes para sua saúde. oposição. o pronome “sua” foi usado fa- zendo referência ao pronome “você” que indica a pessoa para quem se destina a informação.com. iOS) Como o próprio nome já diz.br/noticias/confira-os-aplicativos-gratuitos-que-ajudam-os-usuarios-a- -pe_178942/ Perceba que para evitar repetição no texto.correiodoestado. uma personal trainer ensina rotinas de movimentos rá- pidos e eficazes que podem ser feitos diariamente.Observe as palavras destacadas: O Portal da Band selecionou cinco aplicativos gratuitos (e em português) que você pode baixar para tentar ficar em dia com a balança: Dieta e Saúde (Android. Fonte: http://www. em dois momentos é perceptível a ausência do pro- nome “você”. logo após a palavra “diariamente” e depois da expressão “dá para”.

mam uma das principais categorias de ferramentas móveis disponíveis hoje no mercado. O Endomondo consegue rastrear o usuário a partir da localização GPS e analisa a trajetória percorrida. que tem o hábito de pedalar e correr semanalmente. Veja o uso de alguns conectores neste texto: Aplicativos de celular e tablet ajudam na atividade física. passei a observar a evolução da minha velocidade e fazer um trajeto específico e pude saber como melhorar”.  e-Tec Brasil 52 Português Instrumental . As informações e detalhes de performance durante o exercício físico fo- ram os principais motivos que levaram o consultor Desdede marketing então: indica umaJoão relação de posterioridade. Conheça progra- mas de diversas plataformas para garantir rotina saudável Aplicativos Desde:que ajudam expressa os usuários a terE:um relação dia auma expressa diarelação mais de saudável for- de ponto de partida. “Percebi em que aspectos eu podia melhorar e também vi quando conseguia fazer progressos. com as informações que obtéminício comdeouma explicação. adição.shtml Para saber mais sobre coesão textual. velocidade do atleta e tempo de corrida.com. os conectivos.em. explica. Por exemplo. não abro mão dele”. Desde então. aplicativo para corredores e ciclistas. sou a se policiar mais durante os exercícios. os tempos verbais. Por exemplo: expressa o João conta que. os processos de ordenação e de retomada do tema.pas- aplicativo. desde os cuidados na alimentação e no sono ao desempenho em corridas e outros esportes. Nesta edição. não deixe de ler a obra A Coesão Textual da autora Esses são alguns exemplos de recursos coesivos que podemos usar nos tex- Ingedore Koch.br/app/noticia/tecnologia/2013/04/04/interna_tecnologia. Diversas áreas e atividades são contempladas pelo seg- mento. “Esses dados são grandes motivadores. explica João. as classes de palavras e de sentenças. entre outros fenômenos. de soma de ideias. a professora Ingedore Grunfeld tos que elaboramos no nosso dia a dia.” Fonte: http://www. no fim das contas. a partir deles. conheça alguns Praticar atividades físicas por meio de aplicativos no smartphone e tablet facilita a vida de quem tem preguiça de ir à academia. Augusto Cisneiro a baixar o Endomondo. que registra dados como tamanho do percurso.367159/aplicativos-de-celular- -e-tablet-ajudam-na-atividade-fisica-conheca-alguns. Você já havia percebido a importân- Villaça Koch faz uma introdução à Linguística Textual e identifica cia da coesão textual na produção textual? os mecanismos constitutivos do texto e examina. “Comecei a usar há pouco tempo.

A expectativa é de que o decreto seja publicado já na próxima segunda-feira (15). que lembrou ainda que já existia uma nota técnica do Ministério que previa que os celulares deve- riam ser considerados essenciais. E a maneira de fazer essa regulamentação é através de um decreto”. Fonte: http://www. afirmou à imprensa. que o Governo Federal pretende criar na próxima segun- da-feira (15). esta “essencialida- de” não está explícita no CDC e.html Aula 8 – Coesão textual 53 e-Tec Brasil . Porém. que garante tanto a troca. por isso. Os chamados “produtos essenciais” são os protagonistas do artigo 18 do Código de Defesa do Consumidor (CDC). destacou o ministro.meionorte.com/noticias/tecnologia/governo-propoe-que-celulares-com-defeito-sejam-trocados- imediatamente-203698.Atividade de aprendizagem Leia esta notícia: Governo propõe que celulares com defeito sejam trocados imediatamente Fabricantes de celulares podem ter que trocar aparelhos imediatamente Os celulares devem ser os primeiros integrantes de uma lista de “produ- tos essenciais". Diversas pesquisas confirmam que os smartphones são cada vez mais presentes na vida não só dos brasileiros como em todo o mundo e isso é mais uma prova da “essencialidade” dos celulares. O governo vai se reunir com representantes do comércio para elaborar este documento e encaminhá- -lo para a presidente Dilma Rousseff nos próximos dias. “Precisamos de uma regulamentação para que esse direito possa ser exercido pelo consumidor. José Eduardo Cardozo. O ministro da Justiça. A medida. como o reembolso do valor pago ou até o abatimento no preço de outro produto imediatamente em caso de defeito. garantirá que consumidores tenham a troca imediata de aparelhos defeituosos ou que recebam o ressarcimento do dinheiro gasto na compra do produto. caso seja aprovada. discute-se a criação de uma lis- ta com os chamados “produtos essenciais”. na úl- tima terça-feira (3). que a lista será formada pela “essencialidade e a im- prescindibilidade do produto para as pessoas nos dias de hoje”.

elipse e conectores. No texto foram utilizados alguns recursos coesivos. como a “substituição ou sinonímia” destacada em vermelho no início do texto. referência. o desafio será encontrar um exemplo de elementos coesivos para cada tipo que estudamos na aula: substituição ou sinonímia. e-Tec Brasil 54 Português Instrumental . Agora é com você.

Atualmente.shtml A palavra ortografia é de origem grega (orthographia) e significa escrita cor- reta.folha. O Novo Acordo Ortográfico entrou em vigor em 2009. estudaremos o conceito de ortografia. pelos represen- tantes dos sete países lusófonos. 9. teríamos até dezembro de 2012 para conhecermos e nos adap- tarmos às novas regras. mais conhecido como “Novo Acordo Ortográfico”. com a finalidade de unificar a ortografia das palavras dos países que possuem o português como língua oficial.com. na data de 16 de novembro de 1990. o nosso conteúdo será o novo acordo ortográfi- co. No entanto. Para isso.Aula 9 – Nova ortografia Nesta unidade. conheceremos as novas regras e saberemos como usá-las nos textos escritos. como você pode observar na leitura do trecho desta notícia: http://www1.uol.1 Novo Acordo Ortográfico Inicialmente. ou cuja língua brasileiro em 1994. 55 e-Tec Brasil . oficial é o português. refletiremos sobre a importância de seu uso de acordo com a norma padrão. está em vigor o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa assinado em Lisboa. a obrigatoriedade da nova ortografia foi adiada.br/educacao/1204152-governo-adia-novo-acordo-ortografico-para-2016. que foi aprovado pelo Congresso Nacional Lusófono: que ou aquele que fala português.

academia. a partir de 01 de janeiro de 2016. No entanto. descobrimos que quer apenas atualizar o corretor ortográfico de seu computador.portugues. pois a língua não pode ser mudada por regras e leis.gov. o personagem Grump conversa com o seu cachorro. A partir de 01 de janeiro de 2016 concursos e documentos oficiais passarão a aceitar somente a nova versão da ortografia. até 31 de dezembro de 2015 serão aceitas tanto a grafia anterior como a nova. já estão dominando as regras ortográficas do novo acordo. somente a nova grafia será considerada adequa- da.br/modules/galeria/uploads/4/acordoortografico.pr.jpg Na tirinha. é só acessar www.org. br e procurar o serviço “ABL Responde”. sobre o Novo Acordo Ortográfico e destaca que há várias mudanças.seed. Veja na tirinha a seguir a reação do personagem diante das novas regras para ortografia: Se tiver dúvidas quanto à grafia das palavras. O objetivo é a unificação da ortografia e não da língua. o Vândalo. Portanto. Vejamos na sequência o que mudou com o Novo Acordo Ortográfico: e-Tec Brasil 56 Português Instrumental . Quan- do pensamos que ele vai estudar as novas regras. Há muitas pessoas que acham que apenas atuali- zando o corretor ortográfico. É importante observarmos que nem toda comunicação por escrito é feita na tela do computador. Mesmo com o Novo Acordo Ortográfico em vigor. Fonte: http://www. a Academia Brasileira de Letras (ABL) dispõe de um link para quem tiver dúvidas sobre o acordo. A situação da tirinha não é algo fictício. é imprescindível saber as novas regras para poder utilizá-las quando for preciso. O objetivo principal desse acordo ortográfico é a unificação ortográfica da língua portuguesa dos países da comunidade lusófona.

são homógrafas de palavras átonas. substantivo. creem. e pela(s). Aula 9 – Nova ortografia 57 e-Tec Brasil . nas palavras paroxítonas. substantivo e flexão do verbo pelar. apazigúe e argúem passam a ser grafadas averigue. nas formas verbais rizotônicas (que têm o acento tônico na raiz). substantivo. • polo(s) (ó). veem. apazigue.1 Acentuação* a) Fica abolido o trema: palavras como lingüiça. arguem. o acento agudo no i e no u tôni- cos quando precedidos de ditongo: palavras como feiúra. cinqüenta. assembléia. seqüestro pas- sam a ser grafadas linguiça. flexão de pelar.9. e) Fica abolido. tendo respectivamente vogal tônica aberta ou fechada. combinação da preposição per e o artigo a(s). arg(ü/u)ir: averigúe. e para. e polo(s). b) Desaparece o acento circunflexo do primeiro ‘o’ em palavras terminadas em ‘oo’: palavras como vôo. Essa regra alcança algumas poucas formas de verbos como averiguar. assembleia. e pelo(s) combinação da preposição per e o artigo o(s). paranoico. pelo(s) (ê). g) Deixa de existir o acento agudo ou circunflexo usado para distinguir pa- lavras paroxítonas que. f) Fica abolido. baiúca passam a ser grafadas feiura. vêem passam a ser grafadas leem. c) Desaparece o acento circunflexo das formas verbais da Terceira pessoa do plural terminadas em ‘eem’: palavras como lêem. baiuca. apaziguar. heróico. cinquenta. dêem. preposição. d) Deixam de ser acentuados os ditongos abertos éi e ói das palavras paroxí- tonas: palavras como idéia. deixam de se distin- guir pelo acento gráfico: • para (á). heroico. abençôo passam a ser grafadas voo. flexão do verbo parar. crêem. • pelo (é). enjôo. abençoo. paranóico passam a ser grafadas ideia. deem. enjoo. • pela(s) (é). Assim. combinação antiga e popular de por e lo(s). o acento agudo do u tônico precedido de g ou q e seguido de e ou i.1. sequestro.

pera (é). • e quando o prefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento Ex. coobrigação) Com isso. que em geral se aglutina com o segundo elemento mesmo quando iniciado por o (coorde- nação. contrarregra.: antirreligioso. b) no caso de palavras formadas por prefixação. substantivo arcaico (pedra) e pera preposição arcaica. 9. inábil. um sinal gráfico mal sistematizado na ortogra- fia da língua portuguesa. por exemplo). tradicionalmente. infrassom. semi-hospitalar EXCEÇÃO: manteve-se a regra atual que descarta o hífen nas palavras for- madas com os prefixos des– e in– e nas quais o segundo elemento perdeu o h inicial (desumano.: contra-almirante. Determinou apenas que se grafe de forma aglutinada certos compostos nos quais se perdeu a noção de composição (mandachuva e paraquedas. antissemita. micro-onda. • pera (ê). EXCEÇÃO: manteve-se a regra atual em relação ao prefixo co-.2 O caso do hífen O hífen é. de modo a tornar seu uso mais racional e simples: a) manteve sem alteração as disposições anteriores sobre o uso do hífen nas palavras e expressões compostas. super-homem. supra-auricular. pan-helenismo. substantivo (fruta).: pré-história. inumano). houve as seguintes alte- rações: • só se emprega o hífen quando o segundo elemento começa por h Ex. cooperação. auto-observação.1. infra- -axilar. O texto do Acordo tentou organizar as regras. ficou abolido o uso do hífen: • quando o segundo elemento começa com s ou r. e-Tec Brasil 58 Português Instrumental . Ex. devendo estas conso- antes ser duplicadas.

a ter 26 letras. super-revista.EXCEÇÃO: manteve-se o hífen quando os prefixos terminam com r. Atividades de aprendizagem Leia a seguinte charge: Tem que colocar um hífen! O que tem de errado com meu microondas? Aula 9 – Nova ortografia 59 e-Tec Brasil . aeroespacial. inter-resistente. que passa. hiper-. antiaéreo. w. Apenas fixa a seqüência dessas letras para efeitos da listagem alfabética de qualquer natureza. y Embora continuem de uso restrito.pdf (Adaptado). elas ficam agora incluídas no nosso alfa- beto. o w depois do v e o y depois do x. autoestrada. Adotou-se a convenção internacional: o k vem depois do j.seed.pr. Resumo O Novo Acordo Ortográfico foi assinado com o objetivo de unificar a orto- grafia dos países que têm português como língua oficial.portugues. • quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente Ex. então.3 O caso das letras k.gov. As novas regras instituem que o alfabeto agora tem 26 letras.br/arquivos/File/novoacordo2. agroindustrial. Importante deixar claro que essa medida nada altera do que está estabeleci- do. inter– e super Ex. que não há mais o sinal de trema e também determina mudanças para acentuação gráfica e para o uso do hífen. autoa- prendizagem. hidroelétrica 9.: hiper-requintado. *Fonte: http://www.1.: extraescolar. ou seja.

.

a concordância. a placa está correta. • Concordância nominal: é a harmonia. Para iniciar a nossa conversa sobre concordância. em gênero e número.Aula 10 – Concordância verbal e concordância nominal Nesta aula. Em língua portuguesa. leia esta placa: Ao ler a placa. em nú- mero e pessoa. a relação entre sujeito e o verbo em uma oração. você saberia dizer se a concordância do verbo precisar está adequada? Seria adequado mudar para “Precisam-se / profissionais com ex- periência? Nesse caso. 61 e-Tec Brasil . nosso objetivo é o de refletir sobre o uso da concor- dância verbal e nominal na produção de textos e compreender a sua importância como um dos elementos padrões da língua. estamos nos referindo a um princípio linguístico que orienta a com- binação das palavras nas frases.1 A importância da concordância Quando tratamos desse tipo de observação. há dois tipos de concordância: • Concordância verbal: é a harmonia do verbo com seu sujeito. entre o substantivo e seus determinantes: o adjetivo. o numeral e o particípio. o arti- go. 10. como na placa. ou seja. o verbo precisar é transitivo indi- reto e em situações como essa sempre deve constar no singular. o pronome adjetivo. em todos os textos.

Pronome de tratamento: o verbo fica na 3ª pessoa: Sua Excelência. Sempre sou eu que faço o discurso do presidente. o presidente. os verbos transitivos diretos concordam como o sujeito. o sujeito do verbo transitivo consertar é impressoras. Sujeito representado pelo pronome que: o verbo concorda com o ante- cedente do pronome. Se passar- mos a frase para a voz passiva analítica. O funcionário ouviu o discurso do presidente.1 Casos especiais de concordância verbal Se como pronome apassivador: quando apassivados pelo pronome se. Fomos nós quem trouxemos o presidente.2 Concordância verbal A regra geral de concordância verbal é simples: o verbo concorda com o sujeito em número e pessoa. existem alguns casos de concordância verbal que merecem atenção por apresentarem particularidades. Consertam-se impressoras. 10. 10. fará o discurso em breve. como: Sujeito coletivo: o verbo fica no singular. Nesse caso. Sujeito representado pelo pronome relativo quem: o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou concorda com a pessoa do antecedente do pronome: Fomos nós quem trouxe o presidente. A multidão ouviu o discurso do presidente. a concordância ficaria: e-Tec Brasil 62 Português Instrumental . Os funcionários ouviram o discurso do presidente. No entanto.2.

pronomes. porque seu sujeito é indeterminado: É o caso que apresentamos no início da aula: Precisa-se de profissionais com experiência. quando seguidos do pronome se. é necessário. em concordância nominal também há regras especiais. é bom não variam quando o adjetivo se refere a substantivos de sentido genérico: Nesta empresa. 10. a concordância é feita normalmente: português contemporâneo dos autores Celso Cunha e Lindley Cintra. numerais e particípios – concordam em gênero e número com os substantivos a que se referem. e concordância nominal.Impressoras são concertadas. tristeza é proibido. você pode consultar gramáticas como estas: Porém. Bechara. Moderna gramática portuguesa do autor Evanildo Naquele departamento.3 Concordância nominal A concordância nominal também segue uma regra geral: adjetivos e outras palavras – artigos. alegria é necessário. a gramática é um livro para con- sulta. a tristeza é proibida. Naquela empresa. intran- sitivos e transitivos indiretos. ficam na 3ª pessoa do singular. não deixe de consultar esse livro. Se como índice de indeterminação do sujeito: verbos de ligação. O seu presidente querido discursou para os funcionários. Aula 10 – Concordância verbal e concordância nominal 63 e-Tec Brasil . a alegria é necessária. Veja algumas delas: Expressões é proibido. No entanto. Para consultar outros casos especiais de concordância verbal Neste departamento. é preciso. Há muitos outros casos singulares para concordância verbal que podem ser consultados em uma boa gramática. Todas as vezes que você tiver dúvidas sobre alguma regra gramatical. se o substantivo a que o adjetivo se refere é determinado por artigos Nova gramática do ou pronomes. Sim.

incluso concordam com o substantivo a que se referem: Seguem anexos os documentos. mesmo. Os adjetivos anexo. obrigado. As atas foram inclusas no processo trabalhista. próprio. Atividade de aprendizagem • Leia os textos a seguir e indique se as concordâncias verbais e nominais estão de acordo com a norma padrão da língua portuguesa: a) b) Meio-dia e meio ou meia? c) Obrigado! Obrigada! e-Tec Brasil 64 Português Instrumental .

d) Houveram ou Houve problemas? Anotações Aula 10 – Concordância verbal e concordância nominal 65 e-Tec Brasil .

.

que provavelmente. os de- monstrativos. Nesta unidade. vos. Você perceberá a importância da classe gramatical pronome para produção de textos em geral ao final de nosso estudo. se. é comum as pessoas ficarem apreensivas com relação aos nomes dados para as posições dos pronomes nas frases.1 Pronome Os pronomes são classificados em seis grupos. os possessivos. as. o. Saberá ainda. a. Essas palavras são denominadas pronomes e também podem fazer referência a palavras. Assim. os interrogativos e os relativos.1. você já conheceu durante sua vida escolar: os pessoais. 11. No entanto. orações e frases já expressas anteriormente. indican- do-as. os indefinidos.Em + gerúndio: 67 e-Tec Brasil . 11.te. quando usar e como organizar os pronomes nos textos. Há palavras que usamos nos textos para designar pessoas ou coisas. nos. Os pronomes oblíquos átonos (me. Ocorre quando há uma palavra atrativa. lhes) são colocados de três formas nas orações: • Próclise A próclise é a colocação do pronome oblíquo átono antes do verbo. nesta aula.1 Colocação pronominal Quando tratamos de colocação pronominal. os.Aula 11 – Colocação pronominal e emprego dos pronomes de tratamento O nosso objetivo. tal nomenclatura só indica em a posição dos prono- mes em relação a outros termos. fique tranquilo e vamos à colocação pronominal. trataremos especificamente de colocação pronominal e do empre- go dos pronomes de tratamento. lhe. que é reconhecida por: . é reconhecer e entender especi- ficidades de uma classe gramatical que possui a função de nos orientar sobre as pessoas do discurso nos textos.

Quantos me disseram isso? • Pronomes Relativos O funcionário que me questionou não trabalha mais aqui. trabalha-se. a ênclise se torna obrigatória. • Pronomes Interrogativos. A mesóclise é usada: • Quando o verbo estiver no futuro do presente ou futuro do pretérito. Nunca se importou com a empresa. Aqui. Quando me contaram a verdade. Como se chama a secretária? • Mesóclise A mesóclise é a colocação pronominal no meio do verbo. • Pronomes Demonstrativos. exclamativas e optativas (exprimem desejo). Comprar-te-ei o material para a reunião. Aquilo me incomodou. e-Tec Brasil 68 Português Instrumental . • Conjunções Subordinativas. trabalha-se. • Advérbios: Aqui se trabalha. trabalha-se muito. contanto que esses verbos não estejam precedidos de palavras que exi- jam a próclise. nesta empresa. não quis acreditar. • Frases interrogativas. Em se querendo. Aqui. • Pronomes Indefinidos: Ninguém me avisou o horário de saída do trabalho. Se o advérbio estiver isolado.

portugues. por meio da qual podemos nos referir ao nosso interlocutor. o pronome de tratamento mais adequado a cada tipo de interlocutor: Aula 11 – Colocação pronominal e emprego dos pronomes de tratamento 69 e-Tec Brasil .• Ênclise A ênclise é a colocação pronominal depois do verbo.br Veja que um dos personagens utiliza a forma “senhor” para se referir ao outro personagem. Veja no quadro a seguir. Já indicamos algumas nas aulas anteriores. não deixe de consultar. a partir da consulta de uma boa gramática.gov. 11. É usada quando a pró- clise e a mesóclise não forem possíveis: • Quando o verbo estiver no imperativo afirmativo. Mandem-me o pedido. • Quando houver vírgula antes do verbo. • Quando o verbo estiver no gerúndio.1.seed.2 Pronomes de tratamento Observe o uso de um pronome de tratamento nesta charge: Fonte: http://www. Saiu da sala. A palavra “senhor” é um pronome de tratamento. falaram-me todas as verdades. Calem-se! • Quando o verbo iniciar a oração. por favor. Dúvidas relacionadas à colocação pronominal também podem ser soluciona- das. Quando me encontraram. fazendo-se de desentendida.pr.

senhora Sr. Este assunto já foi abordado em uma de nossas aulas anteriores. a mistura da 2ª com a 3ª pessoa ocorre naturalmente. Altas autoridades do governo e das Forças Armadas Vossa Majestade V. Veja: Vossa senhoria se dirigiu à pessoa certa. e-Tec Brasil 70 Português Instrumental . S. estudamos os pronomes de tratamento. M. Exª. Pronomes de tratamento Pronome Abreviatura Interlocutores Você v.A.. diretores e pessoas a quem se quer tratar com distanciamento e respeito Senhor. Príncipes e duques Vossa Excelência V. Mesóclise: colocação pronominal no meio do verbo. Autoridades em geral: chefes. Tu te dirigiste à pessoa certa. sra. Reis. ou a quem queremos tratar com distanciamento e respeito Os pronomes de tratamento representam a terceira pessoa do singular ou do plural. Resumo Nesta aula. Esses são os que mais nos interessam para a redação de textos empresariais e oficiais. Geralmente pessoas mais velhas que nós. pois são muito usados nesse contexto. Ênclise: colocação pronominal depois do verbo.Sª. Papas Vossa Senhoria V. Próclise: – colocação do pronome oblíquo átono antes do verbo. imperadores Vossa Santidade V. Pessoas com quem temos intimidade Vossa Alteza V . Tu ou você? Na fala das pessoas. sendo assim. em situações em que o uso da língua esteja sendo avaliado. Você se dirigiu à pessoa certa. deve-se sempre atentar para a concordância ao usá- -los. é preciso evitar essa mistura. No entanto.

Atividade de Aprendizagem • Busque no Manual de Redação da Presidência da República. disponível em <http://www.gov. Aula 11 – Colocação pronominal e emprego dos pronomes de tratamento 71 e-Tec Brasil . liste abaixo os vocativos adequados às autoridades do Poder Executivo e Legislativo.br/ccivil_03/manual/index.planalto.htm> as indica- ções de como utilizar os pronomes de tratamento nas redações oficiais. Em seguida.

.

Já estudamos em aulas anteriores que existem diferenças entre fala e escrita. na organização das frases e orações.Aula 12 – Pontuação Nesta aula.” e “Se está falando com meu ego.” Ao reler as frases da tira. 73 e-Tec Brasil . Também retomaremos algumas regras de uso de sinais de pontuação que costumam causar dúvida em quem escreve. de Cícero Lopes: Fonte: http://www. A fala é sempre marcada pela entonação. é capaz leva a empresa nas costas.br Na tira. Na escrita. 12. Por isso. tratare- mos da entonação na fala e de como é indicada na escrita por recursos gráficos. os recursos gráficos de pontuação. pela pontuação. do que adianta ser chefe se eu não tenho equipe?” e duas afirmativas “Você é um profissional raro. podemos perceber que o ponto de interrogação e dos pontos finais são fundamentais para indicar a entonação de leitura. Portanto. na escrita.seed. Além disso. há uma frase interrogativa “Dr. leia esta tira. você deve ter percebido que as diferenças de en- tonação da fala são marcadas. relendo a tira. nosso conteúdo será pontuação.gov. também são utilizados na coesão do texto. pulando numa perna só. pelo tom que o locutor dá à voz para expressar sua intenção. ele não veio trabalhar por falta de pagamento. Armando.portugues.pr. existe a pontuação que ajuda o leitor a perceber a entonação pretendida por quem produziu o texto.1 Entonação e pontuação Para começar a nossa conversa sobre pontuação. deixando-o mais claro e preciso.

1. ou e nem: Eu. as diferenças de entonação e marca a coesão entre as palavras e partes do texto.) • o ponto (. e-Tec Brasil 74 Português Instrumental . os sinais de pontuação podem ser classifi- cados em dois grupos: Os sinais de pontuação que se destinam a marcar as pausas: • a vírgula (. • para isolar o adjunto adverbial quando ele é extenso ou quando se quer destacá-lo: No dia seguinte.1 Vírgula Emprega-se para: • separar termos que exercem a mesma função sintática. quando não vêm unidos por e.) • as aspas (“”) • os parênteses ( ( ) ) • os colchetes ( [ ] ) • o travessão (–) Vejamos o emprego de alguns sinais de pontuação que costumam causar dúvidas em quem escreve: 12. A pontuação indica.. meu ego e minha secretária queremos uma equipe de trabalho.. Segundo Cunha e Cintra (2009).) E os sinais de pontuação que marcam a melodia: • os dois pontos (:) • o ponto de interrogação (?) • o ponto de exclamação (!) • as reticências (. o chefe me demitiu por ter solicitado uma equipe de trabalho. na escrita.) • o ponto e vírgula (.

3 Ponto e vírgula Emprega-se para separar: • orações coordenadas de maior extensão: Creio que conseguirei trabalho logo. Al- guns desses sinais apresentam várias possibilidades de utilização nos textos. para destacar palavras estrangei- ras e gírias. uma citação ou a fala de uma personagem: Eu não me esqueci de trazer o que você pediu: o currículo e a pasta. para indicar a fala de pessoas ou de personagens: O meu antigo chefe disse “você é um profissional raro. nunca fiquei sem emprego por mais de um mês. João. 12. pulando numa perna só”. um esclarecimento. ou seja. meu antigo coordenador. engordarei as esta- tísticas do desemprego. caso surja dúvida. Francisco. Acabamos que repassar algumas regras de uso dos sinais de pontuação. como isto é. ou seja: Procurarei emprego na próxima semana. não deixe de consultar uma boa gramática. elementos que já estão anteriormente separados por vír- gula: Encontrei na seleção de emprego: Pedro.1.2 Dois-pontos Emprega-se para introduzir uma explicação. é capaz leva a empresa nas costas. a saber. 12. ou me- lhor.1. 12.• para isolar expressões explicativas.4 Aspas Emprega-se no início e no final de citações. meu ex-colega na última empresa. meu ex-secretário. por isso é sempre importante reler sua produção textuais e observar se a pontuação está bem empregada. Aula 12 – Pontuação 75 e-Tec Brasil . por exemplo. • em uma série.1.

imaginabilis. sublinhado. Observe neste texto. são eles: o hífen. O homem morreu sem pontuá-lo. Reflita sobre a importância da pontuação. para expressar nos textos escritos o movimento da oralidade é preciso servir-se da pontuação. a partir da leitura do texto que segue: O Testamento Um homem morreu e deixou o seguinte testamento: Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada dou aos pobres. 12. e-Tec Brasil 76 Português Instrumental .br Vimos nesta unidade. o parágrafo. negrito).2 Outros sinais de pontuação Há outros sinais que podem ter valor expressivo para a leitura de um texto. Fonte: http://www. letras maiúsculas e diversos tipos e cores dos caracteres de imprensa (itálico. que a escrita não dispõe dos inumeráveis recursos de ritmo de melodia da fala e que por esse motivo. o uso do negrito e das cores para enfatizar a mensagem sobre a importância de economizar água. Veja como cada uma das partes inte- ressadas na herança fez a pontuação do testamento.com.

gov. as partes do discurso que não têm entre si ligação íntima. O alfaiate Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate.mec. Os pobres Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Dou aos pobres. ela consegue trabalhar tranquila. Jamais será paga a conta do alfaiate.html?aula=1894 (Adaptado) Resumo Pontuação: Ação de dividir. por meio de sinais gráficos. O sobrinho Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Só. A irmã Deixo meus bens à minha irmã. Nada dou aos pobres.br/fichaTecnicaAula. e de mostrar de modo mais claro as relações que existem entre essas partes. a) Só ela consegue trabalhar tranquila. Não a meu sobrinho. Atividade de Aprendizagem • Observe o emprego da vírgula nas seguintes pares de frases. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada dou aos pobres. ex- plique a diferença de sentido de casa uma das frases. Depois. Nada dou aos pobres. Aula 12 – Pontuação 77 e-Tec Brasil . Fonte: Autor desconhecido http://portaldoprofessor.

e-Tec Brasil 78 Português Instrumental . Não precisa reclamar. b) Não precisa reclamar porque seu uniforme chegou. porque seu uniforme chegou.

seja impessoal e utilize sempre a norma culta. Após o nome da cidade utilizamos uma vírgula para separar da data. d) Escreva o nome do destinatário à esquerda abaixo do local e da data. Devemos observar três itens importantes: clareza. a estética e a linguagem. c) Não se usa mais colocar a preposição “para” antes do nome do destina- tário. Cada um destes documentos possui caracterís- ticas específicas que você deverá conhecer. comunicação interna e memoran- do e quais os itens necessários para a elaboração destes docu- mentos. o que é? A carta comercial é um documento escrito que tem por objetivo realizar a comunicação entre empresas. O texto deve ser bem organizado formatado. • Linguagem: Seja conciso e objetivo. • Clareza: O texto deve ser claro e objetivo não dando margem a mais de uma interpretação. comércios e clientes. • Estética: Não pode conter rasuras. 79 e-Tec Brasil .1 Carta comercial.Aula 13 – Carta comercial. O mês deve ser escrito com letras minúsculas e o ano em seguida e feche com o ponto final. 13. 13.1.2 Características da carta comercial a) Papel com timbre ou logotipo da empresa com nome e endereço. comunicação interna e memorando Nesta aula você verá como fazemos para confeccionar os docu- mentos citados. Informe o que é necessário. O objetivo dessa aula é apresentar como se redige os seguintes documentos: carta comercial. b) Coloque o nome da cidade e data abaixo do timbre e à esquerda.

Veja o exemplo a seguir: Casa das Sapatilhas Av. Não use: Sem mais nada para o momento. está é uma informação que ele já sabe e o endereço interessa somente ao Cor- reio que terá que entregar a carta. Se você acabou o assunto. i) Faça o fechamento. h) Escreva o texto e utilize-se de pronomes de tratamento como V.. f) Não se usa mais colocar a referência ao assunto tratado na carta. Cordialmente.Sª. Não coloque o endereço do destinatário. 13 de março de 2013. Evite usar Através desta. Informamos que a remessa foi enviada no dia e-Tec Brasil 80 Português Instrumental . 1030 Goiânia – GO Goiânia. João. g) Quando houver mais de uma assinatura na carta coloque a do superior hierárquico à esquerda e a do emitente à direita.. Respeitosamente. À diretora Beatriz Paixão  Prezada Senhora: Confirmamos ter recebido uma reclamação acerca de um pedido de 120 sapatilhas para sua escola. etc. Exmo... e) Coloque um vocativo impessoal: Prezado Senhor. Termino esta. pela presente. é através dela que solicitará algo. Vá direto ao assunto. e outros. Caro cliente. poderá colocar o cargo. por meio desta. somente faça a despedida. Portanto. solicito através. Senhor diretor. Então não seja redundante. não seja redundante. É óbvio que se você está escrevendo esta carta. Despeça-se amigavelmente usando somente: Aten- ciosamente. Sr.. Saudações.

o que é? De acordo com Oliveira (2005). A este estilo chamamos de Bloco. Para que você tenha outras opções de modelos correspondência utilizada quando enviamos o mesmo texto a diversos des. 2 de março. tinatários. Atenciosamente. A comunicação entre os diversos setores da empresa é feita por uol.com. Observe o modelo a seguir: há um acervo grande para consulta. enfim. comunicação interna e memorando 81 e-Tec Brasil . procurações. acesse o site http://ziggi.br/downloads/600- modelos-de-cartas-comerciais meio destes documentos. isso quer dizer. Reflita Uma carta comercial bem escrita e formata demonstra que a empresa que a faz respeita seu destinatário e se preocupa com sua imagem.3 Comunicação interna. e faça o download de 600 modelos de cartas. pedimos que a senhora verifique junto aos cor- reios e nos comunique. Rodrigo Melo Gerente comercial Observe que não há marcas de parágrafos e que o texto está justificado. Por favor. editais. Aula 13 – Carta comercial. Seja levado a sério como bom profissional que conhece como se faz uma car- ta comercial elaborando em um formato claro e objetivo. circular ou memorando. a comunicação interna ou a Circular é a Mídias integradas. a margem direita e a margem esquerda estão marcadas. 13. atas. memorandos.

Resumo
Nesta aula apresentamos as características da Carta Comercial, da Comuni-
cação Interna ou Memorando. Demonstramos por meio de exemplos como
você deverá formatá-los.

Atividade de Aprendizagem
• Escreva uma carta comercial destinada à empresa em que você trabalha,
ou à sua instituição de ensino, solicitando uma bolsa de estudos e expli-
cando o motivo e porque eles deverão dá-la a você.

e-Tec Brasil 82 Português Instrumental

Aula 14 – Ofício

O objetivo dessa aula é demonstrar como se elabora um Ofício
e onde ele é utilizado.

Fique atento para todas as informações de como você pode-
rá elaborar um ofício e quais as normas que utilizamos para

14.1 Ofício, o que é?
Ele é o meio de comunicação utilizado entre órgãos de serviço público ofi-
cial. A diferença entre uma carta e um ofício é que sempre haverá um órgão
público em um lado do processo de comunicação.

14.2 Características do ofício
• Número do ofício, seguido da sigla do órgão que o emite. Ex. Of.
142/2013-MEC

• Local e data, por extenso sempre à margem direita. Ex.

Brasília, 02 de março de 2013.

• Assunto: resumo do que será abordado, preferencialmente em negrito
para chamar a atenção do leitor. Ex.

Assunto: Processo ENEM 2013

• Destinatário: Coloque o nome e cargo e endereço para quem se destina
o ofício. Ex.

Excelentíssimo Senhor
Professor Aloisio Mercadante
Ministro da Educação
Brasília – DF

83 e-Tec Brasil

• Vocativo;

• Texto: deve conter a introdução; quando se apresenta o assunto. Evitar as
formas: “tenho a honra de”, “tenho o prazer de”, “cumpre-me informar
que”, empregue a forma direta (Manual de Redação, 2002);

Desenvolvimento: detalha-se o assunto, lembrando que para cada ideia nova
usa-se novo parágrafo, isso deixa o texto com maior clareza.

Conclusão: Reafirma-se a posição sobre o assunto.

Quando você utilizar o ofício para encaminhar documentos o texto deverá
ser objetivo, deve iniciar com a informação do motivo do ofício que é “enca-
minhar” e em seguida coloque todos os dados do documento encaminhado
(tipo, data origem e assunto) e a razão pela qual está sendo encaminhado.

Observe o exemplo retirado do Manual de Redação da Presidência da Repú-
blica (2002):

"Em resposta ao Aviso nº 12, de 1º de fevereiro de 1991, encaminho,
anexa, cópia do Ofício nº 34, de 3 de abril de 1990, do Departamento
Geral de Administração, que trata da requisição do servidor Fulano de
Tal."

        ou

"Encaminho, para exame e pronunciamento, a anexa cópia do telegrama
no  12, de 1o  de fevereiro de 1991, do Presidente da Confederação
Nacional de Agricultura, a respeito de projeto de modernização de
técnicas agrícolas na região Nordeste."

Caso haja necessidade de fazer comentários a respeito do que você está
encaminhando, inclua parágrafos no desenvolvimento. Se isso não for ne-
cessário, vá diretamente para o fecho do ofício.

• Fecho: Tem a função de arrematar o texto e saudar o destinatário. Para
isso o Manual de Redação (2002) estabelece somente dois fechos: Ex.

e-Tec Brasil 84 Português Instrumental

Ima- gine se cada um de nós fizesse uma formatação diferente. emitente. como po- deríamos identificar este documento? Para que você conheça as normas de diagramação ou formatação. • a partir da segunda página deve constar a numeração. apresen- tamos aqui como você deve proceder: • Fonte Times New Roman. b) para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior: Atenciosamente. Ex: Signatário: é a pessoa que assina um documento.4 Forma de diagramação Você considera importante uma boa formatação em seu Ofício para que ele fique bem apresentado e dentro das normas solicitadas. • Início de cada parágrafo deve ter 2. inclusive o Presidente da República: Respeitosamente.a) para autoridades superiores. • Margem lateral esquerda 3 cm. Aula 14 – Ofício 85 e-Tec Brasil . tamanho 12. • Assinatura do emitente: • Identificação do signatário: Em todas as comunicações oficiais. deve constar o nome e cargo de quem a emite logo abaixo da assinatura.5 cm de distância da margem esquer- da. exceto as do Presidente da República. (espaço para assinatura) Nome Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República (espaço para assinatura) Nome Ministro de Estado da Justiça 14.

itálicos e sublinhados com parcimônia. simplicidade e moderação. naturalidade. o documento deve ser elegante e ter sobriedade. exceto para gráficos podemos ler como ausência de artificialidade e complicação. • Espaçamento simples entre as linhas e 6 pontos após cada parágrafo • Utilizar negritos.5 cm. e-Tec Brasil 86 Português Instrumental . Sobriedade: Neste contexto. • Margem lateral direita 1. Observe agora o exemplo de um ofício: Fonte: Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU. • Impressão sempre em preto no papel branco A4. que pode-se utilizar de impressões coloridas.

Neste exemplo você poderá observar que os parágrafos podem ser numera- dos.5 cm Aula 14 – Ofício 87 e-Tec Brasil . Analise! 3 cm 1.

htm Fonte: Manual de Redação da Presidência da República. Atos Normativos e outros. Nele você encontrará as Comunicações Oficiais. Ortografia e Gramática. e-Tec Brasil 88 Português Instrumental .planalto.gov. Para saber mais a respeito do Ofício e de outros documentos oficiais acesse o Manual de Redação da Presidência da República. os itens essenciais que tratamento. este documento deve conter e sua formatação.br/ccivil_03/ manual/manual. http:// www. É neste endereço que você encontra na íntegra o Manual de Redação da Presidência da República. Atividade de Aprendizagem • Escreva um ofício para o Ministro da Educação solicitando investimento específico para ampliar e melhorar a educação de seu município. Mídias integradas. Lá você encontrará Resumo também um item específico sobre os pronomes de Apresentamos nesta aula como elaborar um artigo.

15. Este documento deve ser assinado pelos participantes da reu- nião pelo presidente (conforme estatuto ou contrato social da empresa) e secretário. As organizações sempre fazem atas para registrarem suas decisões. falaremos do bom uso do e-mail corporativo. faz-se as correções ou retificações da ata anterior. escrita. • Existem atas que se refere a atos rotineiros. ou seja. usa-se a expressão “digo” e coloca-se a forma correta na sequência. 89 e-Tec Brasil .1 Ata.Aula 15 – ata e e-mail Apresentamos nesta aula a elaboração de uma ata e suas características. • Nos casos de equívocos no momento da redação. Abordamos o que é correio eletrônico ou e-mail e as regras de etiqueta de como devemos utilizá-lo. Além disso. há um formulário a ser pre- enchido e sua redação é padronizada. assembleia ou convenção. • O texto será compacto. Lavrada: Neste con- texto tem o sentido de • O texto pode ser digitado ou manuscrito. sem parágrafos. • A ata pode ser lavrada em livro próprio ou em folhas soltas e não deve conter espaços que possibilitem a inclusão de modificações. • Na ata do dia. transcrita. • Os números são escritos por extenso. o que é? É o registro de tudo o que acontece e se define em uma reunião.2 Características da Ata • As ocorrências da reunião devem ser escritas de forma simples e objetiva. 15. porém sem rasuras. estilo bloco. Então convido você para verificar como podemos fazê-la conforme as regras propostas. A ata é um documento que irá acompanhá-lo em qualquer instituição que você estiver.

do dia 20 (vinte) de janeiro de 2013 (dois mil e treze) à página 34 (vinte e quatro). Eustáquio Gusmão. • Local da reunião. hora da reunião (todas estas informações devem ser escri- tas por extenso). Presidente da Empresa. declarando iniciada a reunião. nº 124. Constatou-se pelo Sr. devidamente convocados por edital publicado no jornal “Ga- zeta do Povo”. Nada mais havendo a tratar o Sr.3 Estrutura da Ata • Dia. Ata da escolha do Conselho Fiscal Aos vinte e dois dias do mês de fevereiro de dois mil e treze. da Empresa Cruzeiro do Sul. 15. na sala de reuniões. o número suficiente de acionistas presentes para a devida assembléia. reuniram-se em Assembleia geral ordinária os acionistas da empresa. estado de São Paulo. Este exemplo é de uma ata de Assembleia Geral. Em seguida principiou-se a votação para a escolha do novo Conselho Fiscal para o biênio 2013/2015 em vis- ta do término dos serviços do Conselho Fiscal anterior. nesta cidade de Divinópolis. • Fecho. Foram empossados na mesma data de hoje de acordo com o estatuto da empresa. Eustáquio Gusmão e por mim Marina Silva. para deliberarem sobre os motivos da convocação. • Ordem do dia. que após lida foi aprovada por todos. • Relação e identificação de pessoas presentes. Observe o formato da ata no exemplo e constate que não há espaços vazios entre uma frase ou outra. sito à Rua das Estrelas. ano. • Declaração do presidente e secretário. a reunião presidida pelo próprio Sr. iniciou-se a leitura da ata anterior. mês. Após a com- posição da mesa. de acordo com o estatuto. secretária. às quinze horas. • Nome da empresa. Apresentaram-se os senhores Edson Arantes. e-Tec Brasil 90 Português Instrumental . Marcelo Figueiredo e Joaquim Vasconcelos que foram eleitos por todos. Bairro Mercúrio.

22 de fevereiro de 2013. agradeceu a presença de todos e deter- minou a mim. Divinópolis. Esta será assinada por todos os presentes. Fonte: Secretaria da Educação da Bahia. Presidente Eustáquio Gusmão. secretária. Veja o exemplo a seguir da uma ata que já possui com formulário pronto. Aula 15 – ata e e-mail 91 e-Tec Brasil . que lavrasse a presente ata. Fonte: As autoras.

como a internet.4 E-mail. e-Tec Brasil 92 Português Instrumental . E-mail correio eletrônico 15. b) Corpo: Expomos o conteúdo da mensagem e assinamos. 15. Trouxemos aqui uma imagem de um livro ata para que você conheça. É importante fazer a abertura do Livro ata e todas as folhas devem ser nume- radas. o que é? É o método que permite elaborar.5 Características do e-mail Basicamente se compõe de duas seções: a) Cabeçalho: contém o endereço do destinatário e o assunto da mensa- gem. mandar e receber mensagens por meio dos sistemas de comunicação.

• Não abuse da a opção “responder a todos”. não abrevie as palavras • Cuidado com a gramática. Confira a história do Como você se sente quando recebe um e-mail referente a uma reunião Incêndio no link http://www. • Nada de colocar enfeites no e-mail.com/watch?v=l7ut_ com todos os colaboradores de uma empresa e todos respondem com Am09mQ.6 Regras de etiqueta para o e-mail corporativo • E-mail corporativo é somente para o trabalho. • Não escreva em caixa alta.youtube. • Seja objetivo e claro • De preferência. Portanto use a opção de responder a todos com quem escreve. Reflita Assista ao vídeo do Telecurso sobre elaboração de ata de reunião. Confira no link bom senso. http://www.15. em caso de dúvida. Aula 15 – ata e e-mail 93 e-Tec Brasil . Se for uma empresa de 50 funcionários.com/ watch?v=FDvDOLDYSrY. cargo e formas de contatá-lo. • Na assinatura. coloque seu nome. cópia para todos. youtube. • Utilize um layout apropriado. consulte o dicionário. sua caixa de Veja também o vídeo do entrada ficará abarrotada de e-mails de confirmação da presença ou da Momento VIP com Vânia Nacaxe sobre o comportamento de justificativa da ausência.

Bom trabalho! e-Tec Brasil 94 Português Instrumental . Atividade de Aprendizagem • Na aula anterior você fez um ofício solicitando investimento para a edu- cação de seu município. Faça desta atividade algo prazeroso. Resumo Pudemos constatar nesta aula as etapas necessárias para elaboração de uma ata e de um e-mail. então solte a imaginação e va- mos ver o que acontece nesta reunião. Pois bem. agora imagine uma reunião com o Ministro da Educação e relate os acontecimentos desta reunião em uma ata. Vimos ainda como utilizar o e-mail corporativo de forma adequada.

Vamos estudá-las então? 16.Aula 16 – Relatório O objetivo e demonstrar como se faz um relatório. você se sairá muito bem. fazendo com que sua redação fique mais fácil. apresente o objetivo geral 95 e-Tec Brasil .1 Relatório. 16. Utilize seu conhecimento de mundo. É importante saber como fazer um relatório. o que é? Um documento que irá apresentar a descrição de fatos verificados durante uma pesquisa ou se relata a execução de serviços ou de experienciais. informe-se a respeito do tema que será descrito. Podemos desenvolver o relatório da seguinte forma: • Introdução: Neste parágrafo você deve fazer um resumo do assunto que será discutido. isso e mais as leituras realizadas deixarão o tema mais claro e evidente para você. gráficos. Destaque as palavras-chave que devem ser usadas no relatório para que você possa fazer um esquema estabelecendo a ordem dos assuntos a serem tratados. estatísticas e ou- tros. Este documento poderá ser solicitado a você e com as informações que colocamos aqui. Lembre que se deixar de mencionar um simples fato seu relatório poderá ficar vago e não ser compreendido da forma que você deseja por seu leitor. esclareça todas as informações e detalhes a respeito. sua bagagem cultural. O objetivo de se fazer um relatório é de divulgar ou registrar determinadas ações. São complementados por documentos como tabelas. as partes que o compõe e a forma como deve ser elaborado. e para que você possa desenvolver um relató- rio de maneira eficiente. tire todas as dúvidas e leia materiais que abordam o assunto.2 Características de relatório É um documento descritivo.

É de muita importância. sempre com as causas e dificuldades encontradas.3 Formatação do Relatório • Eles podem ter apenas uma página. crítica e construção por parte do autor do relatório. tome por base os itens de seu desenvolvimento e sugira formas de solucionar o problema. • Conclusão: Neste item. é na conclusão que você vai expor o seu ponto de vista. e-Tec Brasil 96 Português Instrumental . identificados ao longo do texto. pois é por meio dele que decisões podem ser tomadas. • Aos relatórios podem ser anexados documentos. • Desenvolvimento: Neste momento apresente as informações específicas do tema abordado. Portanto. O relatório é um documento que pode ser apresentado em univer- sidades e empresas em geral. • Para relatórios mais longos. Escreva sempre de forma clara. As ideias de cada parágrafo devem estar bem articuladas entre si. justificativas. desti- natário e autor do relatório. para confirmação dos fatos. • Utilize de negrito para evidenciar aspectos relevantes do texto. Há neste momento um envolvimento pessoal de apreciação. para que fique fácil ao leitor acompanhar o raciocínio do autor do relatório. você deve reafirmar o que mencionou na intro- dução. o espaçamento entrelinhas deve ser de 1. explicações. argumentos. e outros. Reflita Observe que após você apresentar os argumentos todos fundamenta- dos. estatísticas. • Respeite a normatização quanto às margens. é imprescindível que você conheça bem o assunto e que seu texto leve o leitor a compartilhar com este ponto de vista. simples e cuide sempre da apresen- tação. objetiva. em seguida a introdução. desenvolvimento e conclusão. com diferentes opções frente aos resultados avaliados. Observe que a con- clusão faz o arremate com a introdução. 16.5 para facilitar a leitura. onde será colocado o título. análise de problemas.

Resumo Aprendemos a desenvolver um relatório e a perceber sua importância nas organizações e instituições de ensino. Aula 16 – Relatório 97 e-Tec Brasil . Ressaltamos ainda a necessidade do conhecimento do tema e da visão crítica que o autor deve ter ao elaborá-lo. afinal você está descrevendo algo que já aconteceu.• Referências: coloque ao final do seu relatório todas as fontes consulta- das.ª pessoa. Seu texto deve ser escrito sempre na 3.

Atividade de Aprendizagem • Observe o relatório e marque nele a introdução. e-Tec Brasil 98 Português Instrumental . o desenvolvimento e a conclusão.

Ele poderá servir como prova para uma eventual ação. compra móvel ou imóvel.2 Características do contrato pessoas e coisas. presa com seus dados pessoais. o que é? Contrato é o documento utilizado para formalizar um acordo conforme as exigências legais. o direitos e deveres de cada parte. quando ele não é realizado o acordo não tem valor legal. • Vínculo entre as partes de forma detalhada. Podemos fazer um contrato entre pessoas físicas. Nos contratos • Qualificação das partes (nome. 99 e-Tec Brasil . Fique atento a todas elas! 17. ou seja.Aula 17 – Contrato O conteúdo apresentado aqui é para que você aprenda como elaborar um contrato e sua finalidade. Portanto um contrato deve ter no mínimo três elemen- tos: pessoas. Vínculo jurídico: Vínculo é uma ligação. que ocorre entre uma pessoa física e outra pessoa física ou jurídica. Vamos abordar aqui algumas dicas preciosas para que você possa elaborar um Contrato quando for necessário. trabalho. endereço completo. prestação e o vínculo jurídico. se for pessoa jurídica o CNPJ e o representante legal da em. • Prazos de pagamento. entrega de valores.1 Contrato. Podemos e profissão. alguma cláusula no contrato de enfim o que gerou a negociação. O contrato obriga as duas partes devedor e credor a cumprirem o que foi acordado. estado civil o vínculo está diretamente rela- cionado às obrigações. citar como exemplo o vínculo jurídico de natureza trabalhista. físicas e jurídicas e pessoas jurídicas com pessoas jurídicas. de entrega. juros. • Penalidades para as partes de o açodo não for cumprido. CPF. se uma das partes não cumprir o que foi combinado estará sujeita a indenizar a outra. entre pessoas ou 17. É a discordância de • Objeto do acordo: serviço. RG.

3 Os contratos dividem-se quanto à forma e podem ser: • Livre: Troca de consentimentos. consulte um advogado. São os que necessitam de escritura pública: testamento. Veja este exemplo de Contrato de Prestação de serviço de Transporte Uni- versitário. • Assinaturas. Cabe lembrar que o contrato visa apresentar. • As cláusulas devem ser numeradas e de preferência que contenham um título que destaque seu conteúdo. a vontade das partes (contratante e contratado) e formalizar um acordo que o concretize. e-Tec Brasil 100 Português Instrumental . Reconhecer firma do todos os envolvidos.(em casos específicos) • Utilize linguagem simples e clara. Reflita Você é capaz de fazer um contrato somente com o que apresentamos aqui? Acredito que sim. maiores e capazes. • O foro. ele irá elaborar um contrato perfeito e válido. contrato de compra e venda. por meio escrito. sem palavras abreviadas. 17. mas sempre é bom garantir e buscar mais infor- mações a respeito. • Solenes: Dependem de forma imposta em lei. Nestes casos deve-se ir ao Cartório para firmar o acordo. • Registro em cartório. Se você tiver dúvidas. Lembre-se que quando não conhecemos a legisla- ção específica a respeito de um determinado assunto podemos cometer equívocos. casamento e certos imóveis. ou seja quando não segue uma de existir prescrita na lei. Neste casos as partes for- malizam o acordo. onde o acordo foi firmado. assinando ao final do documento e sempre acompa- nhados de no mínimo duas testemunhas.

residente à Rua _____________________. mediante assinatura de novo contrato. 4ª – O valor da parcela de fevereiro será de R$ ____ (________) e as de- mais de R$ ____(_________). Aula 17 – Contrato 101 e-Tec Brasil . considerar-se-á como:                 1º semestre: os meses de fevereiro a junho e 2º semestre: de agosto a dezembro. fones: _________.: M– ____________   CPF: _______________                   CONTRATADO: __________________________. § 2º – Posteriormente o Contratante poderá interromper este contrato. Sem nome__________. 2ª – Para efeito de interpretação deste instrumento. mediante o pagamento de uma multa no valor relativo a 01 (uma) par- cela mensal. ____. sendo dividido em 10 (dez) parcelas. 00  Bairro:  _______Cida- de: ______ / Estado – CEP:___________ Fones: ___________   Ident. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE UNIVERSITÁRIO                  CONTRATANTE: Nome: Nome _______________ Endereço:  R. se houver interesse das partes. identidade: M– ___________________ CPF ___________________   Contrato que fazem entre si as partes acima identificadas para a presta- ção do serviço de transporte coletivo de universitários porta a porta. sob o regime de fretamento. Nº _______  Bairro___________  Est. § 1º – As parcelas vencerão no 1º (primeiro) dia da prestação do serviço e terão uma tolerância de até 10 (dez) dias no respectivo mês para serem pagas sem multa e juros. subseqüente à formalização por escrito da rescisão deste contrato. 3ª – O valor inicial do presente contrato é de: R$ ______ (____________). § 1º – Este contrato poderá ser rescindido por qualquer das partes duran- te o primeiro mês de sua assinatura ou durante o mês de ______ e será devido pelo usuário somente o valor proporcional aos dias utilizados. mediante as cláusulas e condições a seguir: 1ª – O presente contrato terá validade para o ano 20____ e poderá ser renovado para o ano seguinte. vencíveis de fevereiro a dezembro porém excetuando-se os meses de janeiro e julho do respectivo ano.

pois haverá uma tolerância de 5 (cinco) minutos na saída/ retorno.                                  _____________. greves ou mesmo que o(a) universitário(a) falte. 8ª – Havendo recessos. e por julga-lo conveniente para ambas às par- tes. com expressa renúncia de qualquer outro por mais privilegiado que seja. e a saída/ retorno estará prevista para as _______ hs. tornando-o instrumento legal. dentro das possibilidades do Contratado. conforme o percentual acumulado no aumento dos combustíveis ou da inflação acumulada. independente de aviso e o acerto poderá ser decidido pela via judicial. como único com- petente para todas as ações e feitos judiciais decorrentes deste contrato. a parcela deverá que ser paga normalmente. § 2º – Havendo simultaneamente alteração no horário de início das aulas de todos os usuários do transporte o horário de ida poderá ser alterado. § 1º – Ocorrendo o término das aulas antes do horário normal o trans- porte poderá ser antecipado. 5ª – As parcelas mensais poderão ser reajustadas nos meses de julho e ja- neiro. § 2º – Incidirão multa de 10% e juros de praxe sobre as parcelas não pagas na data definida nesta cláusula. ____ de ____________ de 20____    e-Tec Brasil 102 Português Instrumental . § 3º –  Eventualmente poderá o (a) usuário (a) solicitar uma tolerância máxima de 10 minutos para a saída/retorno. 7ª – Fica acordado que o serviço será prestado durante o calendário leti- vo normal da Universidade de 2ª a 6ª feiras no horário normal. § 4º – Se compromete o Contratante a comunicar ao Contratado uma eventual ausência à universidade a fim de evitar uma espera desneces- sária na saída. 6ª – O serviço contratado se consiste no transporte porta a porta sob a condição inicial de:  Retornaro(a) usuário(a) à(da) Universidade (à re- sidência). desde que o fato ocorra simultaneamente com todos os usuários do veículo. 9ª – Fica eleito o foro da Comarca de Belo Horizonte. assinam o presente. excluindo- -se os sábados e eventuais dias de provas especiais e excetuando-se os domingos e feriados. em um veículo _________.                 CONTRATANTE e CONTRATADO declaram concordar com as cláusulas deste contrato. tendo como previsão de chegada à ________ Bairro ________ em ____________ às  _____  hs. § 3º – O Contratado deixará de prestar o serviço “caso” a parcela men- sal devida não for paga até o último dia do mês respectivo.

no Estado (xxx). confira! CPF: Observe agora o exemplo de um Contrato de Compra e Venda de um Veí- culo Usado: CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE VEÍCULO USADO     IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES VENDEDOR: (Nome do Vendedor). As partes acima identificadas têm.P.br/modelos_ RG: contrato. entre si. (Nacionalidade). (Estado Civil). Cep (xxx). Cidade (xxx). Contratante: Contratado: Nome: Nome: ________________________________       __________ _______________________                 Assinatura                                           Assinatura    1ª testemunha: ______________________________________ Nome: RG: CPF: Buscamos um site para que você possa consultar alguns modelos de contratos e outros 2ª Testemunha: ______________________________________ documentos como cartas e atas. C. Carteira de Identidade nº (xxx). Aula 17 – Contrato 103 e-Tec Brasil . (Nacionalidade). Cep (xxx). sitecontabil.F.  COMPRADOR: (Nome do Comprador). nº (xxx). (Estado Civil). nº (xxx). no Estado (xxx). Cidade (xxx). (Pro- fissão). justo e acertado o presente Contrato de Compra e Venda de Veículo Usado. bairro (xxx). nº (xxx).htm. Nome: Acesse o link http://www. residente e domicilia- do na Rua (xxx). (Profis- são). residente e domiciliado na Rua (xxx).P. C. que se regerá pelas cláusulas seguintes e pelas condições descritas no presente.F. nº (xxx). bairro (xxx). Carteira de Identidade nº (xxx).com.

a quantia de R$ (xxx) (Valor Expresso). dentro do prazo estabelecido na Cláusu- la 3ª. o veículo (xxx) (Nome do veículo e sua fabricante).  O  VENDEDOR  se responsabilizará pelo bom es- tado e perfeito funcionamento do veículo pelo prazo de (xxx). nas mesmas condições de que quan- do foi inspecionado pelo COMPRADOR. apresentan- do um desgaste natural decorrente do tempo. DAS RESPONSABILIDADES Cláusula 3ª. apresentando as seguintes caracte- rísticas: (xxx) (Descrever detalhadamente as características do veículo). o qual tomou ciência de suas condições e estado de conservação. a serem pagas até o dia (xxx) de cada mês. Cláusula 2ª. já visto e inspecionado pelo COMPRADOR. de propriedade do VENDEDOR.  O presente contrato tem como OBJETO. li- vre de qualquer ônus ou encargo. di- vidida em (xxx) parcelas de R$ (xxx) (Valor Expresso). O VENDEDOR se responsabiliza pela entrega do veículo no local indicado pelo COMPRADOR. pela compra do veículo objeto deste contrato.  O veículo. deverá ser comunicado pelo  COMPRADOR  ao  VENDEDOR  no e-Tec Brasil 104 Português Instrumental . DA TRANSFERÊNCIA DA PROPRIEDADE DO VEÍCULO Cláusula 5ª. DO OBJETO DO CONTRATO Cláusula 1ª. Cláusula 4ª. contado a partir da assinatura deste instrumento pelas partes. A transferência da propriedade do veículo será feita no pra- zo de (xxx) após a quitação da última parcela acertada para o pagamento do automóvel.   DO PREÇO Cláusula 6ª. O COMPRADOR pagará ao VENDEDOR. CONDIÇÕES GERAIS Cláusula 7ª.  Qualquer problema verificado no funcionamento ou na estrutura do veículo. objeto deste contrato é usado.

o COMPRADOR deverá realizar revisões no mesmo com a periodicidade indicada pela fabricante do veículo. RG e assinatura da Testemunha 2) Resumo Vimos como elaborar um contrato e as formas que eles possuem: simples e solene e que para o o contrato solene precisamos de registro em Cartório. o vínculo jurídico e o objeto do acordo. prazo de (xxx) após aquele vir a tomar conhecimento do problema. data e ano). DO FORO Cláusula 11ª. O presente contrato passa a valer a partir da assinatura pelas partes. Atividade de Aprendizagem • Nos exemplos apresentados destaque o contratante e o contratado. Para dirimir quaisquer controvérsias oriundas do CONTRA- TO. (Nome e assinatura do Comprador) (Nome e assinatura do Vendedor) (Nome. em duas vias de igual teor. (Local. juntamente com 2 (duas) testemunhas. e por problemas decorrentes da não realização das revisões acertadas. Cláusula 9ª. Por estarem assim justos e contratados.  O  VENDEDOR  não se responsabilizará pelos da- nos causados no veículo por negligência do  COMPRADOR.  Cláusula 8ª. firmam o presente instrumen- to. Aula 17 – Contrato 105 e-Tec Brasil . obrigando-se a ele os herdeiros ou sucessores das mesmas. Cláusula 10ª. Enquanto durar o prazo em que o VENDEDOR se responsabiliza pelo perfeito funcionamento do automóvel. as partes elegem o foro da comarca de (xxx). RG e assinatura da Testemunha 1) (Nome.

.

Portanto. por isso não se preocupe com o tamanho do edital.2 Características de um edital Cada edital possui suas especificidades e aqui apresentamos alguns itens que devem estar presentes em qualquer edital. ele vai convocar. O objetivo dessa aula é apresentar como se elabora um edital. avisar ou informar e deverá ser publicado em locais de grande circulação de pessoas. jornais e internet. 18. Outro objetivo é o de não favorecer ninguém e caso haja algo fora do processo estipulado. • Faça uma relação de todas as regras que deverão compor o edital.Aula 18 – Edital Você deve saber que para qualquer seleção pública existe a necessidade de um Edital. de licitação. como são muitas as divida por assuntos. Sejam detalhistas para não deixar dúvidas ou duplas interpretações. os tipos existentes e suas finalidades. • Objetivo: deve-se explicar para qual finalidade ele está sendo elaborado e quais as regras do processo. Existem diversos tipos de editais e podemos citar aqui alguns para que você se familiarize com eles: de abertura de concursos para provimento de car- gos. o que é? São as regras de determinado processo que pode ser seletivo ou a contrata- ção de algum serviço. mas sim 107 e-Tec Brasil . de publicação. estas características farão com que seu texto seja maior. de habilita- ção.1 Edital. Ele tem por finalidade esclarecer e determinar como o processo deverá ocorrer é um documento que auxilia na transparência do processo. não use palavras de difícil entendimento para o leitor. de resultado e outros. leilão. convocação. • Linguagem simples e clara. 18. às pessoas poderão recorrer e solicitar a correção. concorrência. casamentos (proclamas). de inscrição.

. locais. Esta descrição é a introdução do documento. especifique todos os itens. Quanto mais claro e objetivo for o texto de um edital. formas de provas.. > Convido você para esmiuçar um pouco mais o edital e os itens que o com- põem. Faça isso por tópicos • Fechamento: coloque a comarca escolhida para resolver quaisquer dúvi- das e a assinatura do responsável. os tipos de vagas ou serviços. menos problemas de interpretação e de recursos solicitando a correção de determinado item. que a partir deste exemplo: e-Tec Brasil 108 Português Instrumental . com sua clareza. valores. • Desenvolvimento: neste momento é descrito como acontecerá o proces- so. prazos. Enfim. a quem se destinam.

O Reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Na sequência outro período de prova e novo cronograma.editalconcurso. para quem interessa: faz saber aos interessa- dos o objetivo está bem claro: estarão abertas as inscrições para pro- cesso seletivo de contratação de docente por tempo determinado e complementa com os dados: professor substituto – no período de 08 a 21 de março de 2013. Que tipos de edital você conhece? Já respondeu a algum deles ou participou de alguma seleção? A interpretação foi fácil ou você teve dificuldades em achar as informações? Resumo Abordamos as características de um edital e sua finalidade. Já no terceiro parágrafo. informa-se onde os interessados poderão obter mais informações. DE 6 DE MARÇO DE 2013 CONVOCAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE DOCENTE POR TEMPO DETERMINADO No primeiro parágrafo. na introdução. o valor da taxa de inscrição. Apresentamos a análise de um edital como exemplo para que haja maior compreensão por Mídias integradas.com/ Aula 18 – Edital 109 e-Tec Brasil . o autor apresenta-se o responsável pela convocação do processo seletivo. Informam o prazo de validade do concurso. carga horária e o número de vagas. Confira ainda os concursos em todo o país e analise os editais no site da edital concurso http:// www. Recôncavo da Bahia http:// ufrb.Observe que há um cabeçalho formal: EDITAL Nº 5.edu. para atuarem no Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas/CETEC. inclusive este que trouxemos como exemplo. data e forma da divulgação do resultado. No segundo parágrafo há a informação do período de prova e logo abaixo o cronograma com as disciplinas. No site da Universidade Federal do parte do aluno. Fecha-se o edital com a assinatura do reitor. dão informações quanto a contratação temporária e ao protocolo dos processos.br/concursos/ você encontrará alguns editais para consulta.

Atividade de Aprendizagem Fonte: http://www.superest. registre aqui! e-Tec Brasil 110 Português Instrumental .br • Você é capaz de escrever aqui alguns itens a respeito do Edital de Even- tos? Que informações você imagina que podem constar nele? Por genti- leza.ufrj.

Chamamos de outorgante a pessoa que nomeia e de procurador a pessoa Revogar: Significa cancelar. profissão e endereço.1 Procuração. • Procuração para a compra e venda de imóveis. É um documento simples de fazer e você mesmo poderá redigi- -lo. Queremos dizer com isso que a procuração foi elaborada e quer tempo.Aula 19 – procuração O objetivo dessa aula é apresentar como se redige uma procu- ração e sua finalidade. mover ações e outros. Para isso você deve ter o RG e o CPF origi- nais e ter 18 anos ou mais. o que é? É o documento que pelo qual você concede a outra pessoa poderes para re- presentá-lo e praticar. • Procuração para administrar bens. chamamos de Procuração Particular. limite os poderes da pessoa que irá repre- sentá-lo somente para aquele ato específico e nunca dê uma procuração irrevogável ou irretratável. Para dar maior credibi- lidade ao documento é necessário que ele seja reconhecido em cartório. ou se for necessário os Cartórios possuem este documento pronto e chamamos de Procuração Simples. Quando fizer uma procuração. estado civil. não poderá ser desfeita e nem modificada. Ex. leve os dados completos de quem será seu procurador como: nome completo. responder ou exercer atividades em seu próprio nome. anular. nacionali- dade. elaborar contratos. Outorgada em caráter ir- revogável ou irretratável: Por ser feita baseada na confiança. Além disso. desde que não tenha sido estipulado um prazo determinado ou em seu texto fica claro que que não tenha sido “outorgada em caráter irrevogável ou irretratável”. 111 e-Tec Brasil . que irá representá-lo. 19. Cuidado! As procurações mais conhecidas são: • Procuração ad judicia: é aquela que concedemos aos advogados para que nos represente em juízo. o outorgante poderá revogá-la a qual.

(nome do outorgante). • Procuração para matrícula de cursos e concursos.com/ watch?v=lpwQO1ayKQ8 e Como você está dando plenos poderes para que outra pessoa fale e haja amplie seus conhecimentos. Confira também o vídeo em seu nome é bom nomear alguém bem próximo e de extrema confian- Casamento com europeu no ça.youtube. • Procuração para venda de automóveis. Substabelecer: delegar. residente e domiciliada em (endereço completo). CPF). irmãos ou seu advogado. assista ao vídeo A importância da procuração Para refletir feita em cartório. placa ARN 5013 e assinar todos os atos que se tornem necessários para o bom e fiel cumprimento do presente manda- to assim como substabelecer. residente e domiciliado (endereço completo). Veja o exemplo: PROCURAÇÃO Por este instrumento particular de procuração. seus pais. direção hidráulica. motor 1. existem regras estabelecidas que te- mos que obedecer ao redigirmos uma procuração. • Procuração para movimentar contas bancárias. nomeia e constitui seu bastante procurador (nome do outorgado seguido de sua identificação pessoal: RG.4.youtube. Flex. Brasil e por procuração por meio do link: http://www.2 Características de uma procuração: Por se tratar de um documento oficial. Disponível em: http://www. transferir. 19. poden- do o outorgado vender o veiculo de marca Chevrolet Agile. • Procuração previdenciária: quando nomeamos alguém para que receba a aposentaria em nosso nome. (Local e data) (Assinatura do outorgado) Fonte: As autoras Para que você tenha mais subsídios. com/watch?v=uj_EdlEdvno e-Tec Brasil 112 Português Instrumental .

para que serve suas ca- racterísticas e como podemos elaborá-la. Aula 19 – Procuração 113 e-Tec Brasil .Resumo Apresentamos nesta aula o que é uma procuração. ELEITOR INGRATO! • Analise o cartaz e escreva se o seu voto pode ser ou não uma procuração. Atividade de Aprendizagem RECLAMA DE QUÊ? Afinal foi VOCÊ quem me passou procuração para que eu roubasse em seu nome. Discuta com seus colegas e tutores o porquê e faça a sua resposta.

.

ou festas. o que não acontece com a convocação que é mais formal. no prazo de cinco dias contados da ciência da nomeação. Um exemplo para ilustrarmos. por exemplo. • Informe o local. 20. é a convocação do TRE (Tribunal Regional Eleitoral).Aula 20 – Convite e convocação As organizações se utilizam muito destes meios de comunicação e eles podem ser elaborados no papel timbrado da instituição e também via e-mail. o que são? São documentos que possuem a finalidade de convidar alguém para algum evento. 115 e-Tec Brasil . A pessoa que recebe um convite tem liberdade par aceitá-lo ou não. o atendimento é obrigató- rio. O convite é um meio de comunicação onde a forma e a linguagem são mais descontraídas.1 Convite e convocação. • Inclua o texto que deverá ser objetivo e claro para que a pessoa que está sendo convocada saiba todas as informações a respeito do evento. Caso haja algum impedimento para que o convocado não possa compa- recer. data e horário do evento. • Faça um título em negrito que resuma o conteúdo. ele deverá fazer um pedido de dispensa ao juiz eleitoral responsável. • Inclua os assuntos que serão abordados neste evento ou reunião. já a convocação exige a presença da pessoa. de saúde.2 Características do convite e convocação: • Coloque o nome da pessoa que está sendo convocada. 20. Este pedido deve ter um motivo justo. por ser mais ágil. reunião. O objetivo desta aula é tornar claro para o aluno o que são um convite e uma convocação e suas características.

nome completo. ele deverá comparecer. na importância da presença do convida- do. • Assinatura. primeiramente no evento. Modelo 1 – Convite e-Tec Brasil 116 Português Instrumental . ou lhe é facultativo e por último na formalidade do seu documento Convido você para analisarmos um convite e uma convocação. cargo e empresa. Observe as diferenças dos textos. Quando usamos o convite ou a convocação? Pense antes de redigir seu do- cumento.

............. endereço ............. Assinatura da Comissão ou Presidente Aula 20 – convite e convocação 117 e-Tec Brasil .......... Assuntos Gerais Local e data................... ___:___ horas..... Analise e Aprovação do Estatuto Social.............. 2....Modelo 2 – Convite Modelo 3 – Convocação Criação da Cooperativa Convoca-se todos os interessados em criar a Cooperativa ......... para a Assembleia de sua Constituição................ a realizar-se em .... data ___/___/___ ..... com os seguintes assuntos: 1... Eleição do Conselho de Administração (ou Diretoria) e do Conselho Fiscal...............

Constate que a convocação sempre é formal.com Para refletir Observe os dois modelos de convocação.serramil. Modelo 4 – Convocação Fonte: http://www. e-Tec Brasil 118 Português Instrumental . Verifique a formalidade do tex- to e as informações contidas. conforme explicamos nas características dos documentos.

os jogadores convocados podem não aceitar o convite de Felipão? Por quê? Aula 20 – convite e convocação 119 e-Tec Brasil . do Bayern de Munique. contra a Inglaterra. do Atlético-MG. Como o treinador já havia adiantado em sua apresentação oficial ao torcedor.html • Baseado nas informações estudadas nesta aula.. do Atlético de Madrid. (.Resumo Apresentamos o convite e a convocação. Os experientes atletas se unirão a surpresas como Dante. os veteranos Ronaldinho Gaúcho. em 22/01/2013 Felipão faz primeira convocação com surpresas e Ronaldinho Gaúcho A primeira convocação de Luiz Felipe Scolari para a Seleção Brasileira foi anunciada com as surpresas que o  torcedor  tanto esperava. no estádio de Wembley.net/noticia/2013/01/selecao-brasileira/felipao-faz-primeira-convocacao-com- surpresas-e-ronaldinho-gaucho. em Londres. estão de volta ao grupo canarinho. e Filipe Luis e Miranda.) Fonte: http://www. como elaborá-los e suas finalidades.gazetaesportiva. no amistoso de 6 de fevereiro.. do Queens Park Rangers. Atividade de Aprendizagem • Leia a notícia publicada na Gazeta Esportiva. e o Júlio César.

.

com. 2002 CUNHA. MARCUSCHI. VILELA. CINTRA. BANDEIRA. (Volochinov). L. R. BRASIL. PENTEADO. análise de gêneros e compreensão. 2013. Acesso em: 3 jun. ed. BAKHTIN. 2009. Manual de redação da Presidência da República. Porto Alegre: Doravante. empresarial e conhecimentos de gramática. VILARINHO. A. ed. 121 e-Tec Brasil . Sabrina. M. Gramática da língua portuguesa. mundoeducacao. e atual.. B. ed. São Paulo: Hucitec.Referências ANDRADE. rev. 2008. W. Produção textual. Celso. V. MEDEIROS. A técnica da comunicação humana. de. São Paulo: Pioneira. Poesia completa e prosa. OLIVEIRA. 1999. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. 2. L. São Paulo: Edicta. KOCH. J. M. Como redigir documentos empresariais. São Paulo: Parábola. 2001. de Michel Lahud e Yara Frateschi. 9. P. 2001. J. 5. OLIVEIRA. 5.. Correspondência oficial. GRION. M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Atlas. Comunicação em língua portuguesa. 2002. Nova Gramatica do Português Contemporâneo. Lindley. I. M. É.htm>. 2009. Trad. 1993. 2005. Disponível em: <http://www. Coimbra: Almedina. M.br/redacao/como-produzir-um-bom-texto. Como produzir um bom texto. Brasília. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

.

especialista em Ensino e Cultura de Língua Estrangeira (UFPR) e em Formação de Tutores e Orientadores Acadêmicos para EaD (Facinter). Especialista em educação a Distância pela Faculdade De Administração. Mestranda em Educação – Escola. Regiane Pinheiro Dionisio Porrua Licenciada em Letras Português/Espanhol (FACEL/PR). Professora conteudista. Docente. coordenadora do setor de e-learning e coordenadora do curso de pós-graduação em Educação a Distância. Educação e Letras – FACEL. licenciada em Letras Português e Inglês pela Universidade Tuiuti do Paraná  (2000). Cultura e Ensino (UFPR). técnico e PROEJA. 123 e-Tec Brasil .Currículo da professora-autora Elaine Mandelli Arns Mestre em Engenharia da Produção com ênfase em Mídias e Tecnologias pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (2003). Web e conferencista de Língua Portuguesa e Espanhola na educação a distância do IFPR. Ciências. para os níveis médio.

V . experiência ou mes- mo incompetência. busca-se reduzir a probabilidade de ocorrência de danos .V .F . de- satenção ou descuido.F b) F . displicência.V b) F .V .V .F .V .F . desa- tenção ou descuido.F .F 2.V e) V . destreza.1.F c) V .F 3. as máquinas reduziam o ritmo do trabalho hu- mano.V .V . displicência.F . ( ) Negligência significa falta de habilidade.V d) F .F .V . Ao se investir em segurança nos ambientes de trabalho ou em um evento. destreza. ( ) Na Revolução Industrial.F . a) F .F d) F . Marque (V) para Verdadeiro ou (F) para Falso e assinale a alterna- tiva que corresponde à sequência CORRETA:  Sobre a história do trabalho e da segurança se pode afirmar que: ( ) Na Antiguidade.V . o trabalho humano era tão valorizado quanto o das máquinas. experiência ou mes- mo incompetência.F . o trabalho artesanal era tido como importante.F c) V . ( ) Na Revolução Industrial. ( ) Imperícia significa falta de cuidado ou de exatidão. o trabalho braçal era muito valorizado. ( ) Na Idade Média.V .F . a) V .F . ( ) Negligência significa falta de cuidado ou de exatidão.V e) V . Marque (V) para Verdadeiro ou (F) para Falso e assinale a alterna- tiva que corresponde à sequência correta: ( ) Imperícia significa falta de habilidade.