You are on page 1of 3

X-men – Magneto Triunfa!

Reúne as edições 109 e 111 a 124 de Uncanny X-Men.

Fiquei surpreso por não ter um tópico pra esse clássico de Claremont e Byrne, e resolvi criar
um pra comentar alguns pontos que mais gostei desse volume. Aliás, parabéns a Panini (e não
fez mais que a obrigação), por depois de anos e anos de pedidos, enfim trazer a fase mais
clássica dos X-men. Acredito que com essa edição, enfim conseguiram publicar toda a fase
CC+Byrne. Mas espero que também publiquem no mesmo formato a fase anterior, com
Claremont e Cockrum.

O que mais admirei dessa fase é que apesar da inocência e leveza que os gibis de super-heróis
tinham, Claremont conseguiu abordar temas bem legais e transformar esses personagens em
pessoas com quem você consegue se relacionar. Os personagens são humanos e evoluem
bastante ao longo desse volume. A relação entre eles foi o que mais me deixou com vontade de
ler a edição seguinte.

A edição 109 começa logo após os X-men (basicamente a Fênix) ter salvado o universo do
D’ken e seu uso inconsequente do Cristal M’kraan. Basicamente uma edição de interlúdio em
que os X-men descansam em casa após viajarem pelo universo, e são brevemente atacados
pelo líder da Tropa Alfa que quer o Wolverine de volta.

Mas o que mais curti nessa edição é Ciclope olhando a Jean pela janela, conversando com os
pais sobre ter se transformado na Fênix. Noturno chega tentando puxar papo e Ciclope é,
gratuitamente, um babaca com o coitado, dizendo que a vida não é só acrobacias de circo e
brincar de espada. Noturno não gosta muito e devolve uma resposta na cara do babacão,
dizendo que a vida dele não é nada simples, mas ele escolheu ser um cara otimista. “Soltar uns
raiozinhos pelos olhos é tão difícil, tadinho. Pena que eu sou um demônio azul e peludo, seu
cuzão”. Banshee depois chega e corta o assunto. Essa interação entre os dois era algo que não
esperava. E é o que torna ambos bastante críveis como personagens. Kurt é um cara bacana e
aparentemente ingênuo, mas se mostrou maduro e sério quando precisou ser.

Outro momento bacana aconteceu logo em seguida, quando Ororo julga Wolverine como um
selvagem, mas ela logo se desculpa. E ele responde que está pouco se fodendo com o que ela
acha, porque tudo que eles têm feito é julgá-lo como um cara violento e bárbaro desde que
entrou nos X-men. Tempestinha mereceu essa. kkk

A edição 110 não foi publicada, mas li na internet e não fez falta realmente. Uma história
rápida e muito mal desenhada por um cara que nem vale a pena lembrar o nome.

Na edição 111, Mésmero sequestrou os X-men (off-panel), fez lavagem-cerebral neles e os
levou pro circo. O Fera, que era vingador na época, sentiu que os X-men estavam sumidos e vai
investigar. Isso me fez lembrar como o Fera era um personagem bacana na época. Uma pena o
que Fraction/Gillen/Bendis andaram fazendo com o personagem. Pausa pra esse momento:

Jean vestida e agindo que nem uma prostituta. Tem como não amar os quadrinhos da época?
As crianças de hoje em dia seriam “protegidas” desse tipo de coisa kkkkkkk.

Basicamente diz que ele só sabia lidar com uma garota. Jean e Fera fogem pra Antártida e acabam voltando pra mansão. Na edição 119. Lembrei que algum membro do MBB (esqueci quem) desmascarou o Fera. mas o Fera fala pra Jean parar pq não tinha chances deles estarem vivos. mas quando Jean se tornou uma mulher. Esse tempo foi essencial pros personagens se conhecerem melhor. que não só são lindos. já são todos mais velhos e habituados a lutar sozinhos. E nesse volume dá pra ver como ele é experiente e gente boa. Colossus. . Não faz mal. Uma pena. ri muito porque logo me lembrei do MBB. e só voltam a mansão X depois de passarem pela Terra Selvagem.. Ciclope levou belas patadas ao longo desse volume. Claremont. é claro que ele queria que o Ciclope morresse pra ter a Jean todinha pra si. li que Byrne achava o personagem sem sal e queria tirá-lo da equipe há tempos. quase um segundo líder. :lol: O grupo de Ciclope passa meses viajando ao redor do mundo. Gosto da interação que ele tem com Ororo também. mas tem muita noção de narrativa. Ciclope diz pra Tempestade que sentiu mais a perda do Fera do que da Jean. Kkkk Na edição 117. Mas os novos X-men tiveram que aprender por si só como fazer isto. Nisso. e Tempestade dá uma no Ciclope.Depois disso. Ciclope. Destaque pros desenhos do Byrne. Acho que o Ciclope acabou aprendendo a respeitá-los mais ao ver que eles eram diferentes dos X-men originais e não tinha nada de errado com isso. Ri muito quando o Fera mandou ela desistir de salvá-los. Noturno e Banshee acabam parando na Terra Selvagem. provando que ele sempre desejou a Jean e detestou o Scott por tê-la. Se não me engano. Ele acaba não e recuperando. leva os X-men pra Antártida. Colossus resolver ir sozinho e fazer um ménage com as duas garotas mesmo. :lol: E nessa mesma página. enfrentando vários vilões no percurso. Alguns destaques dessa longa viagem dos X-men: Colossus chama Wolverine pra um grupal na lagoa com as aldeãs da Terra Selvagem.. Enquanto isso. Xavier se lembra do primeiro encontro com o Rei das Sombras. gosto do personagem. Ah. Banshee acaba com sua garganta pra poder derrotar um vilão. Ciclope sempre tentou ensiná-los a isso. e vemos como o careca pode ser bad-ass. Japão e Canadá. pois diferente dos x-men originas. E ambos os grupos acham que o outro está morto. Tempestade. já no Japão. Eles tem uma luta fodástica e o grupo acaba se separando. mas ele não tava muito a fim. como os X-men originais faziam. Wolverine. o Magneto aparece. ele passou a não saber o que fazer mais. Pra mim o melhor dos X-men dessa época é o desenvolvimento dos personagens mesmo. Wolverine fica lamentando a dor da perda de Jean. tornarem-se de fato uma família e aprenderem a lutar em equipe. e isso é essencial pra saída dele da equipe mais pra frente. Jean tenta destruir o chão e tentar achar os X- men (Scott) que deviam estar soterrados.. Até mesmo Logan e Scott que vivem tendo belas discussões passaram a se respeitar mais..

mas com um pouco mais de capricho. que na época era mais coisa de criança do que tudo. Que venham mais materiais bons assim. mas CC parece amá- lo. após saírem do Japão e também depois de terem enfrentado a Tropa Alfa no Canadá. O ponto baixo é a revisão da Panini que deixou a desejar em alguns pontos. Destaque pro Colossus assumindo a identidade do Proletário. Destaque pra um momento em que Tempestade volta no bairro onde nasceu. Achei que nunca veria isso publicado aqui e fiquei muito feliz com a surpresa. As edições seguintes são os X-men enfrentando o Arcade.Na edição 122. eles estão de volta na mansão X. e encontra um bando de jovens usando heroína no apartamento onde morava. Mas a história em si não é ruim. Detesto o vilão. mais focado no desenvolvimento de personagem. . Que conceito :lol: Isso é o que destaco desse grande volume. Impressionante ter isso num gibi. Claremont fez um belo trabalho aqui. Em poucas páginas você vê a seriedade desse problema que a sociedade enfrenta e como Tempestade se sente vulnerável por não poder fazer nada pra ajudar as pessoas desse bairro decadente. Gosto muito da edição porque é um interlúdio.