You are on page 1of 2

CENTRO DE ESTUDOS TEOLOGICOS DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS DA

PARAIBA

DISCIPLINA: MONOGRAFIA

PROFESSORA: JUSSARA VENTURA SANTOS

ALEX PEREIRA LIMA

UMA ANÁLISE DO FILME DEUS NÃO ESTA MORTO

JOÃO PESSOA

2017

Deus. pesquisadores. . a acima de tudo salvação. filósofos. então. Isso Josh sentiu na pele e precisou ter coragem para enfrentar o desafio de provar com evidencias cientificas que a afirmação de que Deus está morto é incoerente. professores como Radisson que tentam fulminar a crença ou idéia da existência do Deus da bíblia. mostrar a necessidade que as pessoas têm de Deus. aluno calouro do curso de artes liberais – tem como objetivo. Logo. no entanto foi bem simples sem abordar questões complexas e exaustivas da filosofia dado a proposta do filme. O final do filme deixa isso bem claro. O debate. As primeiras universidades americanas foram criadas por protestantes para formar pastores. Com o passar do tempo essas mesmas universidades passaram a ser núcleo de disseminação do ateísmo. sua busca por respostas. as pessoas se convertem a Jesus e encontram sentido existencial. propósito. entretanto. mais especificamente. seria a resposta para a eterna busca do ser humano: “de onde viemos e para onde vamos”. As várias histórias paralelas ao fato principal do filme – o embate entre o professor de filosofia Radisson e Josh Wheaton. Não é estranho.ANÁLISE O filme “Deus não está morto” é uma obra de ficção dirigida a um publico especifico: cristãos. um sistema educacional nada parecido com o utilizado no Brasil. este ser. cientistas que crêem na existência de um ser que criou todas as coisas que conhecemos e isso nos inclui. sentido. é possível mesmo para uma pessoa não cristã enxergar lógica nos argumentos apresentados e verificar por si só a quantidade de pensadores.