You are on page 1of 48

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO,
ORÇAMENTO E FINANÇAS
INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO, SOCIAL E AMBIENTAL DO PARÁ

ESTATÍSTICA MUNICIPAL

Bragança

2012

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ
Simão Robison Oliveira Jatene

VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ
Helenilson Cunha Pontes

SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E
FINANÇAS - Sepof
Sérgio Roberto Bacury de Lira

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, SOCIAL E AMBIENTAL DO
PARÁ - Idesp
Maria Adelina Guglioti Braglia

DIRETORIA ESTATÍSTICA, TECNOLOGIA DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO
Sérgio Castro Gomes

NÚCLEO DE DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E SUPORTE
DE DECISÃO
Geovana Raiol Pires

EQUIPE TÉCNICA

André Renan Campelo Pimentel
José João Pacheco
Marcus Vinícius Oliveira Palheta
Raymundo Nonnato da Frota Costa Júnior
Silas de Oliveira Ribeiro
Walenda Silva Tostes

Apresentação

No cenário atual, no qual o planejamento e a gestão do município são processos que exigem
um diagnóstico global e continuado da realidade local, que acompanhe e interprete a dinâmica
municipal em seus diversos aspectos social, econômico e ambiental, a informação desagregada é de
fundamental importância para planejadores e gestores de um modo geral.
A Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças – SEPOF, entende que ao se
organizarem, interpretarem e disponibilizarem dados, informações e diagnósticos necessários a esse
processo, aumenta-se a possibilidade de acertos na tomada de decisões rumo às metas estabelecidas
na gestão administrativa em qualquer esfera de governo. Dessa forma, disponibilizar informações
municipalizadas permite aos governos disporem de instrumentos adequados para uma gestão
descentralizada.
O Governo do Estado do Pará, em consonância com a preocupação nacional de se tratar
dados, informações e indicadores desagregados, disponibiliza à sociedade mais uma atualização das
“Estatísticas Municipais Paraenses”, que apresentam informações estatísticas sobre os 143
municípios do Estado do Pará, constituindo um conjunto de dados capazes de configurar um perfil
sobre os aspectos históricos, físicos, culturais, econômicos e sociais, além de instrumentalizar a
construção de indicadores macroeconômicos.
As Estatísticas Municipais possuem uma série histórica mais freqüente é 1996 – 2006.
Este trabalho vem sendo constantemente atualizado e disponibilizado na internet através do site da
SEPOF ou diretamente na Secretaria. Os dados são provenientes de órgãos Federais, Estaduais e de
algumas empresas da iniciativa privada, os quais a SEPOF agradece e releva as contribuições de
importância fundamental.
Ao disponibilizar mais uma atualização deste trabalho, o Governo do Estado está certo de
sua contribuição para o desenvolvimento da democracia, através da disseminação de informações
sócio-econômicas, para os gestores e a sociedade civil, contribuindo para a formação de cidadão.

Diretoria de Estatística,Tecnologia e Gestão da Informação
Sérgio Castro Gomes

SUMÁRIO

1 ASPECTOS HISTÓRICOS E CULTURAIS ................................................................................................................................ 6
1.1 HISTÓRICO ................................................................................................................................................................................. 6
1.2 CULTURA .................................................................................................................................................................................... 7
2 ASPECTOS FÍSICO - TERRITORIAIS ........................................................................................................................................ 8
2.1 LOCALIZAÇÃO............................................................................................................................................................................ 8
2.2 LIMITES ....................................................................................................................................................................................... 8
2.3 SOLOS ........................................................................................................................................................................................ 8
2.4 VEGETAÇÃO .............................................................................................................................................................................. 8
2.5 PATRIMÔNIO NATURAL ............................................................................................................................................................ 9
2.6 TOPOGRAFIA ............................................................................................................................................................................. 9
2.7 GEOLOGIA E RELEVO ............................................................................................................................................................... 9
2.8 HIDROGRAFIA ............................................................................................................................................................................ 9
2.9 CLIMA .......................................................................................................................................................................................... 9
3 DADOS ESTATÍSTICOS ........................................................................................................................................................... 10
3.1 DEMOGRAFIA........................................................................................................................................................................... 10
3.2 HABITAÇÃO .............................................................................................................................................................................. 12
3.3 SAÚDE ...................................................................................................................................................................................... 14
3.4 EDUCAÇÃO .............................................................................................................................................................................. 17
3.5 MERCADO DE TRABALHO ...................................................................................................................................................... 23
3.6 ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO ........................................................................................................................... 24
3.7 SEGURANÇA PÚBLICA............................................................................................................................................................ 24
3.8 POLÍTICO ELEITORAL ............................................................................................................................................................. 24
3.9 ENERGIA ELÉTRICA ................................................................................................................................................................ 25
3.10 ABASTECIMENTO DE ÁGUA ................................................................................................................................................... 27
3.11 TRANSPORTE .......................................................................................................................................................................... 29
3.12 PRODUTO INTERNO BRUTO MUNICIPAL ............................................................................................................................. 31
3.13 AGRICULTURA ......................................................................................................................................................................... 32
3.14 PRODUTOS DAS LAVOURAS TEMPORÁRIAS ...................................................................................................................... 32
3.15 PRODUTOS DAS LAVOURAS PERMANENTES ..................................................................................................................... 33
3.16 PECUÁRIA ................................................................................................................................................................................ 34
3.17 PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL .......................................................................................................................................... 34
3.18 EXTRATIVISMO VEGETAL ...................................................................................................................................................... 35
3.19 FINANÇAS PÚBLICAS .............................................................................................................................................................. 36
3.20 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS .......................................................................................................................................... 39
NOTA TÉCNICA ...................................................................................................................................................................................... 40
GLOSSÁRIO ........................................................................................................................................................................................... 41

........................................................................................................................................................................................ 25 3................7 Natalidade por Residência da Mãe........... 17 3............................................7 GEOLOGIA E RELEVO ................................................... 13 3........................................................................................... 9 2......... 14 3..................................................................................................................................1................................................... 23 3.......................... 8 2.....................................................4....................................6 Domicílios particulares permanentes..........8.......6 Indicadores Demográficos 1970/80/91/00/2010 ..2 Estoque de Emprego Segundo Setor de Atividade Econômica 1999-2010 .............3...... 13 3......... 12 3.....................................................................................................................................................5 PATRIMÔNIO NATURAL .... Ininterruptos de Residência na Unidade da Federação 2000/2010 .........................................................6 TOPOGRAFIA ............................ 10 3....3............................................................................ por Naturalidade em relação a Unidade de Federação e ao Município 1991/00/2010 ............................................... 14 3........................6 Taxas de Rendimento Escolar 1999-2010 ................... Patrimônio e Crimes Violentos 2007-2010 ............................................................................................................................................................................................................................................ 9 3..............................2 LIMITES...... 12 3........................................................... 24 3......................................................................... 15 3..............3............................................6............. 24 3. 10 3.......................4............................................................2..1 HISTÓRICO ......................................................................4 Domicílios particulares permanentes.....1 Estabelecimentos por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1996-2010 ....................................5....................................................................... 23 3...........................................................................................1 DEMOGRAFIA .... 9 2................3.................5 População Residente...................................................... 11 3...................2 Domicílios particulares permanentes.......................................................................... 15 3...................................................3..........................8 Nascimento por Faixa Etária e Residência da Mãe 1997-2010 ..............................................................................................................1.............4 EDUCAÇÃO ....................................................2 Bibliotecas por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1999-2010 ..............................3.........................................................................................6 ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO ..............................11 Mortalidade Geral Segundo Principais Causas 1997-2010.................................................................. 24 3. 18 3.....1.......................... 24 3............................9 CLIMA .....3..................... 9 2.................................................................................1 Número de Estabelecimentos com Vínculos Empregatícios Segundo Setor de Atividade Econômica do Cadastro RAIS 1999-2010 ................................................................................................................................. 16 3..............2............................ 9 2...........................3 População por Sexo 1980/1991/1996/2000/2007/2010 ................................................................1 Profissionais por Esfera 2006-2011 ...................... Segundo Peso ao Nascer 1997-2010 ........................................................................................9........... Segundo Sexo 1997-2010 ..........................................2....................... 23 3..................... 22 3....... Segundo o Sexo 1997-2010 ...................... 7 2..5 Funções Docentes por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1996-2010........................4...................... 8 2................................1 Eleitores por Sexo 1996/98/00/02/04/06/08/2010 .................................................................................................................3 Laboratórios de Informática por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1999-2010 .....3.................................................7 População Residente............................5 Internações 1997-2010................................................................ 25 ........1..... 24 3.....................2................... por tipo do domicílio 1991/2000/2010 ..................................2....................................................................................4 Hospitais e Leitos Segundo Algumas Características 2006-2010................................................... por existência de banheiro ou sanitário e tipo de esgotamento sanitário 1991/2000/2010..... por condição de ocupação do domicílio 1991/2000/2010 ................ 10 3..3 SOLOS ....................................................................................................................................................................1 Número de Crimes Contra a Pessoa................................................................................................. Área e Densidade Demográfica 1980/91/96-2011 .....................4 População por Faixa Etária 1991/2000/2007/2010 .......................................................................... 17 3.......................................................................4 Matrícula por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1996-2010 .........2 CULTURA .........1.......................... Segundo Algumas Características 1991/2000/2010 .................9 Óbitos por Residência......................................................................................................................................................1 Habitantes por Domicílios Permanentes 1996/2000/2007/2010 .................................. 16 3.............. 21 3............................................................................................................................................................ 6 1...........................................................................................5 MERCADO DE TRABALHO ................................... 15 3..................................... 20 3...............................................................8 POLÍTICO ELEITORAL .........................8 HIDROGRAFIA .................................................................................10 Óbitos por Residência.........................................................................4......2..7................................................................4 VEGETAÇÃO ..................................................... 16 3...................... 19 3.................. 10 3...... 10 3............. 24 3..........1 Índice de Desenvolvimento Humano – IDH – 1970/1980/1991/2000...............................................................................4............1....................... 16 3. 12 3................................................................................................ 13 3........5................................................................................................................................ por forma de abastecimento de água 1991/2000/2010 .................................... 8 2.....................................................................................................................3 SAÚDE ..................................................3...7 SEGURANÇA PÚBLICA............................................ 14 3...................................................................................................1........................ 11 3..........2 População Segundo Situação da Unidade Domiciliar 1980/1991/1996/2000/2007/2010 ...................................................... por destino do lixo 1991/2000/2010 ....................................3 Domicílios particulares permanentes.........................................................................1 Consumidores e Consumo de Energia Elétrica por Classe 1995-2003 .............................1.................2 HABITAÇÃO ......................................................................3.................................................... 8 2............................................................. 12 3..................................6 Nascimento por Residência da Mãe.................................. 14 3................... 12 3......4............................3..................................................................................................1 LOCALIZAÇÃO.............8 Pessoas não Naturais da Unidade da Federação que Tinham 10 Anos ou Mais...............................................2 Unidades Ambulatoriais Cadastradas no SIASUS 2006-2011 .......5 Domicílios particulares permanentes.......................................................3 Leitos por Habitantes 2006-2011 ....... 12 3......................................................................................................... Segundo Faixa Etária 1997-2010 ............................................................. 15 3..............................................................1 População..............9 ENERGIA ELÉTRICA ............... Tabelas 1...............

........14...................13 AGRICULTURA ................................ 33 3.......................................11............. 34 3............................................12........................ 26 3........................................ Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Permanentes 1997- 2000.........12 PRODUTO INTERNO BRUTO MUNICIPAL . 32 3..................................... 32 Temporárias 2005-2008 .........10...................... 33 Permanentes 2005-2008 ..... 33 3..................4 Arrecadação de ICMS por Atividade Econômica 2000-2003 (Valores Nominais (R$) ..................... 37 3...................................... FUNDEF/FUNDEB e IPVA 1997-2011(1) (R$ 1..........1 Veículos por Tipo 1999-2011 ....................... IPI...3 Transferências Constitucionais do ICMS...........................................00) .............20 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS ......... 35 3......................................... 32 Temporárias 2001-2004 ...........................................2 Veículos Licenciados e Não Licenciados 1999-2011 .......11........................................18.............................................................................................................2 Área Colhida............................................................................................................................................1 Consumidores e Consumo de Água por Classe 1995-2006 ........ 33 Permanentes 2001-2004 .......................... 33 3........................................................................................11................................................................4 Área Colhida....................................................................................................2 Quantidade e Valor dos Produtos da Extração Vegetal 2002-2006 ..........................................................................................................3 Quantidade e Valor dos Produtos da Extração Vegetal 2007-2010 .....2 Consumidores e Consumo de Água por Classe 2007-2011 .................................................................. 31 3..........14 PRODUTOS DAS LAVOURAS TEMPORÁRIAS ...........................................19................... 29 3..................................................................................................19....... 32 3........18............................17 PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL ........ FPM........................... 38 3...........................................1 Número de Agências Bancárias.................................. 34 3............................................... 36 3...........................19...................................................3 Quantidade e Valor dos Produtos de Origem Animal 2007-2010 .............................................. 39 3....................11 TRANSPORTE .................................................................................................................................................................1 Área Colhida..................................... 31 3..................................................................................................................... 31 3............... 32 3..........19........................................................15...................................9...............5 Arrecadação de ICMS por Atividade Econômica 2004-2007 (Valores Nominais (R$) ...............................19...................2 Valor Adicionado Bruto a Preço Básico Corrente por Setor 2002-2009 (R$ Mil) ................3 Área Colhida............................................ Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Temporárias 1997-2000 ........................ Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras ...................3 Fluxo de Passageiros por Terminal Rodoviário Intermunicipal e Interestadual 1995-2006 ..................... 27 3............. Depósitos e Poupança no Estado do Pará 1994-2007 (R$ 1...........3 Produto Interno Bruto Per Capita a Preço de Mercado Corrente 2002-2009...... 33 Permanentes 2009-2010 ........................................................................................................................................................... Aplicações..................................................................12............................... 35 3........................................................ 32 3............12..19...................................................10..........................................................................................18 EXTRATIVISMO VEGETAL ..............................16 PECUÁRIA .......... 36 3.................... 35 3....... 32 3.......... 34 3.................10 ABASTECIMENTO DE ÁGUA ..... 30 3............................................. 28 3...........................00(Valores Nominais) .................. 29 3...................................................................................... 39 ................................................................00) ....... 31 3.20................................................1 Quantidade e Valor dos Produtos da Extração Vegetal 1997-2001 .....................................19 FINANÇAS PÚBLICAS .......................................... 36 3...................................18.....1 Composição do Produto Interno Bruto a Preço de Mercado Corrente 2002-2009 (R$ Mil) ........................................................... Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras .....2 Quantidade e Valor dos Produtos de Origem Animal 2002-2006 ...........................17.................................... 29 3...............................................................................................................................2 Consumidores e Consumo de Energia Elétrica por Classe 2004-2011 .................................................................................................................................................................................00) ................................................................................... 34 3.........2 Principais Rebanhos Existentes 2005-2010 ................................................................................................ 36 3..................................................15.14...............4 Área Colhida.. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras ...........................17........................................................15.....................................................15........17...............15 PRODUTOS DAS LAVOURAS PERMANENTES ..................................................2 Receitas Municipais 2005-2010 R$1....... 34 3...1 Quantidade e Valor dos Produtos de Origem Animal 1997-2001 ......................... 27 3..............14............. 35 3.......................................................................................... 32 3............................3 Área Colhida.............16................1 Receitas Municipais 2000-2004 R$1...................1 Principais Rebanhos Existentes 1997-2004 ............. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras .................................. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras . 39 3...... 32 Temporárias 2009-2010 ......................................... 33 3...............................2 Área Colhida................ 35 3...14..........................................16.....................................................00 (Valores Nominais) ..............................1 Área Colhida............6 Arrecadação Federal 1995-2008 (R$ 1............................................... 33 3...............................................3......................... 34 3.............. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras ...............................................................................................

o Governo Provisório do Pará extinguiu as Câmaras Municipais. Em 1760. para levar a Jerônimo de Albuquerque a notícia enviada por Francisco Caldeira Castelo Branco. tomou medidas militares para coibir os revoltosos.1 HISTÓRICO A origem do município de Bragança está relacionada com a história da conquista da Amazônia. 6 . doou a Gaspar de Souza. o povoado de Sousa de Caeté foi erigido em Freguesia. ocorreu na sessão de 18 de novembro de 1828. que. o rei da Espanha. onde. filho de Gaspar de Souza. fundou em 1634. após a conquista do Maranhão e com o intuito de aumentar seus domínios na região. oportunidade esta em que foi eleita a nova Câmara Municipal de Bragança. o Governador Geral do Brasil. mandava seus homens adentrarem o território amazônico. a elevou-a à categoria de Comarca. instalando o Município com o topônimo português de Bragança. No dia 26 de agosto de 1824. foi instalada a primeira Câmara Municipal de Bragança. Os primeiros civilizados que exploraram as terras do atual município bragantino. passou pelo território bragantino em direção ao Maranhão. o coronel José de Araújo Rozo. Quando a tropa chegou em Bragança não mais encontrou nenhum dos chefes da revolta. Em 1753. o conquistador da Amazônia. origem do atual município de Cametá. que desaprovou esta última doação. O 1º Conselho nomeado foi presidido por Aureliano Marinho. dentro das normas estabelecidas. quando a expedição chegou a Ourém. à margem direita do rio Caeté. Quando essas notícias chegaram ao conhecimento do presidente da Província. fazendo seguir pelo rio Guamá. posteriormente transferido para a margem esquerda. seguirem juntos para Bragança. uma força existente em Ourém e. Porém. No dia 9 de fevereiro de 1622. tendo com presidente Leandro Caetano Pinheiro. Dessa forma Francisco Coelho de Carvalho doou depois ao mesmo filho a Capitania de Camutá. Em 1633 o governador do Maranhão e do Pará Francisco Coelho de Carvalho deu a seu filho. cuja vigência estendeu-se até 1839. atualmente. que compreendia todo o território entre os rios Turiaçu e Caeté. Feliciano. se situa a sede municipal de Bragança. O presidente da então Província do Pará. com 20 léguas de fundo para o sertão. Sabe-se que Pedro Teixeira. com o nome de Nossa Senhora do Rosário. protestou junto à Corte da Espanha. A adesão da Câmara Municipal de Bragança à República. Município de Bragança 1 ASPECTOS HISTÓRICOS E CULTURAIS 1. durante o Período Colonial. onde ficariam sob as ordens de seu comandante militar. A adesão do Município de Bragança à Independência do Brasil ocorreu logo depois da adesão de Belém. que se tinham embrenhado nas matas. tendo assinado como presidente da Câmara Francisco Antonio Pinheiro Júnior. Mas o descendente de Gaspar de Souza. promovendo sangrentos episódios. por volta de 1613. rebentou na localidade de Turiaçu. situadas na margem esquerda do rio Caeté. o povoado Sousa de Caeté. a Capitania do Gurupi. com grande repercussão em Bragança. o major Luis Ferreira Cunha foi cientificado de que os amotinados fugiram. em 1616. logo após a fundação da cidade de Belém. uma revolta. quando a Lei nº. na época exercia o cargo de juiz ordinário. seguiu para a região conturbada a 1º de outubro. O Governo Provincial estabeleceu a divisão judiciária do Estado em maio de 1833. 17. confirmando a de 11 anos antes. presidida por José Quitério da Costa. a partir de lá. por interferência de Domingos José de Souza que. No dia 1º de outubro de 1828 foi assinada a Lei que dava organização aos municípios do Império do Brasil. através da qual Bragança passou a constituir um Termo de Comarca da capital estadual. feita por Felipe II. em 1823. Acontece que os revoltosos já tinham ido além. do êxito de sua missão.teriam sido os franceses de La Ravardiere. Álvaro de Souza. Felipe II. à frente da nova força armada. Dentro da nova organização republicana. este nomeou o novo comandante militar de Bragança o major Luis Ferreira da Cunha. substituindo-as por Conselhos de Intendência Municipal. ao saberem da grande força que iria combatê-los. Álvaro de Souza. Mas coube ao governador e capitão-general do Grão-Pará Francisco Xavier de Mendonça Furtado. no dia 16 de setembro. a mesma Capitania. que. de 9 de setembro do mesmo ano. dar-lhe os foros de Vila. no local onde havia uma aldeia que era habitada pelos índios da tribo dos Tupinambás.

há o “Tríduo” (ladaínha com três dias de duração) e. a maior manifestação religiosa de Bragança é a festa de São Benedito. Em 1955. pela Lei nº 5.688. Graças a ela e à colonização de suas margens o Pará sofreu menos com o declínio da borracha. para as quais foi eleito durante o primeiro triênio republicano de 1891 a 1893. um povo católico e que comemora suas festas religiosas. por tradição. Entretanto. ser ponto final da Estrada de Ferro constituía importante papel na economia estadual. Já no segundo domingo de novembro. de 29 de dezembro do mesmo ano. a Município. 1. Município de Bragança A Lei Provincial nº 252.). com encerramento somente no dia 26. acontece a procissão do Corpo de Cristo. com Alvorada Festiva.). Conhecida em todo o Brasil. depois de quase 25 anos do inicio da sua construção. que teve assim o seu patrimônio ampliado. Bragança perdeu o distrito de Urumajó. O fato de Bragança. através da Lei nº 324. essencialmente. comemorada no dia 20 de janeiro. De caráter apenas religioso. de 24 de outubro. a extinguiu. como sede do respectivo Município. tem mantido a festividade com o mesmo brilho e fervor religioso. concomitantemente. tanto na parte religiosa (ladaínha. anexando o seu território ao de Bragança. Em 1991. 19 e 20. o município de Bragança teve parte de seu território desmembrado para a criação do município de Santa Luzia do Pará. Em 1856 o território de Bragança foi desmembrado quando a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Viseu passou à categoria de Vila e.. segundo a Lei nº 823. e de Salinas uma cidade balneária. no dia 20. E o capítulo da Estrada de Ferro de Bragança ficou para o passado. etc. com a criação do município de Augusto Correa. finalmente foi solenemente inaugurada a Estrada de Ferro de Bragança. o Visconde de Maracaju presidia a Província do Pará. As comemorações têm início no dia 18 de dezembro. A 24 de junho de 1883 teve iniciada a construção da Estrada de Ferro de Bragança. sob a alegação de déficit. é o marco da inauguração da parada de Tracuateua e a 3 de maio do mesmo ano. No dia 3 de abril de 1900. desmembrado assim do município de Bragança. Dois anos depois o município de Quatipuru foi restaurado. acontece a Marujada. Em março ou abril. percorrendo as principais ruas da cidade e retornando ao mesmo lugar. para criar o município de Tracuateua. cuja festividade dura oito dias. o monicípio de Quatipuru foi extinto. uma das maiores e mais antigas do Município. O ano de 1908. Almoço. a festividade segue o seguinte ritual: nos dias 18. Porém em 1961 esse desmembramento ocorreu. teve novo desmembramento de suas terras. Durante a festa de São Benedito. no governo de Castelo Branco. acontece a procissão que sai da Igreja Matriz. Piabas e Tijoca. que é a maior manifestação de cunho cultural. quanto na profana (arraial. Em 1994. Dentre as festividades religiosas mais expressivasdo Município. Mas o Supremo Tribunal Federal.2 CULTURA Os Bragantinos são. além de tudo. Coube a José Caetano Pinheiro desempenhar as funções de Intendente. Nova Mocajuba. transformado em Município. Governava o município de Bragança o Intendente major Simplício Fernandes Medeiros. A Estrada de Ferro de Bragança teve vital importância no progresso do município de Bragança e de toda a Zona Bragantina. porque. por ocasião da Semana Santa. Segue o novenário. era o ponto intermediário com o Maranhão. pode-se destacar a festa de São Sebastião. a dança é um auto dramatizado da tragédia da Nau Catarineta. etc. é realizado o Círio de Nossa Senhora de Nazaré. imbuídos de maior respeito e fé. de 6 de julho. tendo como Ministro da Aviação o Marechal Juarez Távora. considerou inconstitucional o desmembramento. no dia 4 de outubro. A data do início do culto é o ano de 1798. Atualmente o município de Bragança é integrado pelos distritos de Bragança (sede). às 6 horas. quando foi fundada a irmandade que. desde então. com a participação de banda de música. de 2 de outubro de 1854. Caratateua.460. constituída quase que 7 . O intuito era fazer-se de Bragança um grande celeiro para Belém. através da Lei nº 729. procissão. no dia 29 de setembro. originalmente denominado Urumajó. Em 1955. de 13 de dezembro. segundo a Lei nº 2. com o topônimo de Viseu. leilões. criou a cidade de Bragança. do Município.

e. foi substituída pela ação dos desmatamentos. Municípios de Augusto Corrêa e Viseu A Oeste . gaiolas. Nas Várzeas. São objetos de cerâmica. da vara simbólica aos que serão “marujos” e “marujas” no próximo ano. peças de crochê e tricô. a mais antiga da cidade com data. foram também desmatadas para o cultivo do arroz. dominam os Manguezais. secundados pela Restinga e pelos Campos Naturais. Município de Tracuateua 2. a marujada vem fazer o agradecimento à porta da igreja. é caracterizada pela dança. estão presentes os solos de Terra Firme. Oceano Atlântico Ao Sul . No litoral e no baixo curso dos rios. constituindo-se em peças que possuem tanto valor artístico quanto utilitário.4 VEGETAÇÃO A cobertura vegetal original da Terra Firme. Além disso. do século XVIII. à noite. Os solos localizados às proximidades do litoral são os solos indiscriminados de Mangue.TERRITORIAIS 2. vasos. pelos juízes da festa. construído pelos portugueses. Além da entrega. vassouras. 2.3 SOLOS No Município. Com papel marcante em toda a festa. cujo motivo musical é o Retumbão. é nessa hora que se faz o “Responsus do Divino”. há fabricação de embarcações e vários outros apetrechos de pesca. O ponto alto da festa é a escolha das “marujas” e “marujos”: para exercerem as funções no ano seguinte. 8 . o Instituto de Santa Terezinha. composta pelo subtipo Floresta Densa dos baixos platôs. Os Bois-Bumbás e os Cordões de Pássaros. O município de Bragança orgulha-se de seus monumentos históricos e culturais. estão presentes os solos Hidromórficos indiscriminados e Aluviais. Os equipamentos culturais de maior destaque no município de Bragança são a Casa da Cultura e a Biblioteca. outros dois exemplos da cultura popular de Bragança. Dignos de registro são também a igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. tijolos.1 LOCALIZAÇÃO O município de Bragança pertence à messoregião Nordeste Paraense e à microrregião Bragantina. etc. bolsas. ocorrem Florestas de Várzeas que. onde um puxador de “Responsus” lidera a cerimônia e um grupo entoa um canto triste. A Marujada em Bragança. atingindo esta vários estágios de regeneração. a Marujada realiza desfiles pela cidade e se reúne em um banquete tradicional no último dia. A sede municipal. telhas. Laterítico. Concrecionário. o Forte de Caeté. acontece a procissão aberta com duas alas de “marujos” e “marujas”. sem marcar identidade. móveis. como a Igreja de São Benedito. À tarde. tarrafas.2 LIMITES Ao Norte . espinhéis. também. Municípios de Santa Luzia do Pará e Viseu A Leste . 2 ASPECTOS FÍSICO . Tanto a construção da igreja como a confecção da imagem do Santo. Só à meia-noite encerram-se os festejos com fogos de artifícios. em 1614. Plintossolo e Latossolo Amarelo cascalhento. abajures e arranjos diversos. principalmente ao longo das margens do alto e médio curso do rio Caeté. tem as seguintes coordenadas geográficas: 01º 03’15’’ de latitude Sul e 46º 46’ 10 “ de longitude a Oeste de Greenwich. em parte. estátuas. após o que se inicia o almoço. Município de Bragança exclusivamente por mulheres. datam do século XVIII. como currais. Bragança possui uma grande variedade de produtos que são confeccionados pelos artesãos locais. tradicional educandário do Município. numa ilha em frente ao litoral de Bragança. fora da sede. pela Floresta Secundária. surgem e desaparecem. cestas. 2. Embora sem incentivos. representados pelos seguintes tipos: Podzólico Vermelho- Amarelo. Nas planícies aluviais. ao som de atabaques e violinos. embora tradicionais na região. Eles são organizados por ocasião dos festejos juninos e/ou por ocasião do concurso oficial promovido pela Prefeitura Municipal.

recebe o rio Cipó-Apara e os igarapés Anauera e do Meio. que nasce no município de Bonito. utilizadas largamente na fabricação de cimento.9 CLIMA O clima do município de Bragança. ainda. constituído pelas áreas tabulares (Formação Barreiras). com os municípios de Primavera e Capanema. O rio Arapucu. No Município. pela margem esquerda. e o Manguezal da orla flúvio-marinha. como a de Ajuruteua. enquanto que.8 HIDROGRAFIA O principal destaque da hidrografia de Bragança é o rio Caeté. na Estação Meteorológica de Tracuateua é similar ao da média da região Bragantina: equatorial superúmido.6 TOPOGRAFIA A topografia é bastante modesta. ora largos(principalmente próximo a sua foz). e percorre a extensão de 60Km(da nascente à foz). onde recebe influência das marés. a Sudoeste. com mais ou menos. igarapé Açaiteua. Nessa margem. Destacam-se. rochas graníticas de idade Pré-Cambriana. afluente da margem direita do rio Caeté. até atingir o nível do mar. apresentando média de 27ºC e elevada pluviosidade de 2.53%. a cerca de 25Km da foz. assim como rochas da Formação Gurupi. onde se destacam as ilhas de praias e manguezais. 9 . Município de Bragança 2. 2.5 PATRIMÔNIO NATURAL A alteração da cobertura vegetal. 2. com temperatura máxima de 33ºC e mínima de 18ºC. apresentando trechos ora estreitos. de idade Cretáceo/Terciário(Formação Pirabas). situa-se a cidade de Bragança. posicionadas na sua porção meridional. corresponde à unidade morfoestrutural do Planalto Rebaixado da Amazônia(da Zona Bragantina). do ano de 1986. largamente utilizadas como matéria-prima para a construção civil. na região litorânea. o que condicionando o patrimônio natural do Município ao rio Caeté. observada nas imagens LANDSAT-TM. não havendo valores altimétricos expressivos. além dos sedimentos Terciários(Formação Barreiras) e Quaternários Atuais e Subatuais. exposições de rochas da seqüência carbonática. áreas levemente colinosas (cristalino) e área de planícies fluviomarinha. conforme dados obtidos pelo IBGE e. com seu afluente da margem esquerda. onde aparecem belas praias oceânicas. cortadas por meio de quartzo.7 GEOLOGIA E RELEVO O município de Bragança difere um pouco da simplicidade geológica dos Municípios de sua microrregião. Os afluentes que recebe pela margem direita são os mais importantes. serve de limite a Nordeste com o município de Augusto Corrêa. O rio Tracuateua. 2. as cotas mais elevadas no Município giram em torno de 30 metros. alguns deles auríferos. A morfologia geral. Parte do seu curso é sinuoso. estava em 74. apresentando considerável trecho de Várzea. como o Jenipaú-Açu e o Água Preta. localmente. 60 Km navegáveis.501 mm/ano. por apresentar. com período chuvoso nos primeiros seis meses do ano. 2. limita Bragança a Oeste. constituídas por metassedimentos e metavulcânicas.

779 2.621 40./Km²) 1980 85.01 2001(1) 95.363 2000 47.360 70 anos e mais 2.94 26.845 15 anos a 29 anos 24.333.10 37.13 2011(1) 114.344.81 2006(1) 103.002 3.333. Município de Bragança 3 DADOS ESTATÍSTICOS 3.826 2.38 2009(1) 107.40 2003(1) 97.333.060 2.1.728 2.1.936 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof (1) População Estimada.091.175 49.1.660 12.333.772 46.911 2.2 População Segundo Situação da Unidade Domiciliar 1980/1991/1996/2000/2007/2010 Anos Urbana Rural 1980 35.86 2002(1) 96.227 2.149 3.3 População por Sexo 1980/1991/1996/2000/2007/2010 Anos Masculino Feminino 1980 43.549 1996 45.798 10. 10 . Área e Densidade Demográfica 1980/91/96-2011 Anos População (Hab.007 2007(1) 51.08 1999(1) 87.70 41.695 26.703. 3.142 11.935 2.25 2005(1) 102.967 2010 72.257 30 anos a 49 anos 16.207 2007 (1) 64.924 2.761 36.223 01 ano a 04 anos 12.150 39.00 26.12 1991 97.70 43.46 2007 101.611 3.333.70 40.646 8.145 48. 3.70 45.866 2.10 36.018 42.783 12.562 12.70 43.70 40.069 1991 49.004 1996 43.1 População.950 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof (1) População Estimada.92 54.) Área (Km²) Densidade (Hab.572 37.1 DEMOGRAFIA 3.676 2000 56.606 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof (1) População Estimada 3.4 População por Faixa Etária 1991/2000/2007/2010 Faixa Etária 1991 2000 2007 2010 Menor de 01 ano 3.333.333.978 12.48 2000 93.957 2.878 21.352 2.924 49.785 9.10 36.720 2.551 34.067 2.139 2.344.258.70 44.615 2.67 1998(1) 86.359 9.749 2.10 37.84 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof (1) População Estimada.291 55.460 05 anos a 09 anos 15.59 2008(1) 105.600 47.97 2004(1) 100.344.92 54.908 2.712 2010 57.70 45.232 2.469 8.70 43.163 1991 49.025 50 anos a 69 anos 8.796 12.431 11.333.333.374 27.23 1996 84.333.091.463 41.267 30.344.453 3.19 1997(1) 85.107 10 anos a 14 anos 13.70 41.618 2.087 3.1.741 17.88 2010 113.

145 17. Elaboração: Idesp/Sepof.87 .03 46 0.68 .03 102.. Município de Bragança 3.460 3.63 .451 83.25 51.12 . . 11. 48 0. 642 63...017 1.. .. . Segundo Algumas Características 1991/2000/2010 1991 2000 2010 Características População % População % População % Cor ou Raça Branca 12...253 36...631 90..64 7.841 72.36 16. ..55 Parda 83..006 22. ... 168 0.78 Indígena 12 0.... ..56 74. 2. com alguma ou grande dificuldade permanente de caminhar ou subir escadas . 1 a 3 anos 24.58 8.68 2.66 . 375 36.90 ... Censo Demográfico 1991/2000.. Estado Civil Casado(a) 12.20 79.50 .889 34. Outras Religiosidades .91 Viúvo(a) 2... .22 15.642 13.389 30. ..118 18.14 Razão de Dependência 100...367 2.716 2.87 60..52 . (2) Considerou-se a população de 10 anos ou mais. . .. .588 13..842 22...15 9. 4 a 7 anos 15.70 Taxa Geométrica de Incremento . Incapaz.. Não determinados 49 0.724 5. Deficiência mental permanente .20 679 0.. 8 a 10 anos 3. 0... mão....5 População Residente. Não Determinadas 207 0...02 Taxa de Urbanização 32.. ... 11 a 14 anos 2.97 2. .11 42 0.75 23... 575 0.409 84...61 .08 .....44 .74 20.....457 3.01 16.77 Preta 939 0. pé ou dedo polegar e (6) Inclusive a população sem qualquer deficiência. braço. ..... ... Incapaz.02 1.874 71.791 15.... .....58 Anos de Estudos( 2 ) Sem Instrução e menos de 1 ano 20...02 . ......... Falta de membro ou de parte dele( 5 ) .. . .350 1.24 810 0..06 11 0.92 91..92 ..... 14..47 79.90 10.....113 3... Judaica .898 3.. 1.797 5. .. Evangélicas 7.126 85...89 64. (1) Inclusive as pessoas sem declaração de religião.009 78..32 64.... Fonte: IBGE....06 60.. Espírita ....630 1. ..01 107 0....... 20 0.77 . .00 . .578 10.470 80. ..00 Religião ( 1 ) Católica apostólica romana 87.02 1. com alguma ou grande dificuldade permanente de enxergar..21 Desquitado(a) ou separado(a) judicialmente 90 0. . Sem Religião 1.. Tetraplegia.... paraplegia ou hemiplegia permanente..92 .. ..39 1..14 375 0. Deficiência Física 1.05 .48 Solteiro(a) 31.05 626 0.. . 3.70 11.781 8. Nenhuma destas deficiências( 6 ) . 15 anos ou mais 130 0.13 . Incapaz.... ..501 4.23 1. .364 12. Umbanda e Candomblé . .82 Divorciado(a) ... ...6 Indicadores Demográficos 1970/80/91/00/2010 Indicadores 1970 1980 1991 2000 2010 Razão de Sexo 1...559 29. .90 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof 11 . . . Tipo de Deficiência (3 e 4) Pelo menos uma das deficiências enumeradas . .04 Sem Declaração .86 Amarela 29 0.. .03 . .. .70 5.. . (4) Inclusive as pessoas sem declaração destas deficiências. 4. ..43 .352 14..15 49...04 1. .73 2.113 47. . . com alguma ou grande dificuldade permanente de ouvir .. .33 ..09 5..... . . 469 0.78 ... (5) Falta de perna...05 16.482 7....54 3..441 3... (3) As pessoas incluídas em mais de um tipo de deficiência foram contadas apenas uma vez.37 13.1...98 .54 731 0.78 19.01 . 78...45 42.12 .88 110.66 Índice de Envelhecimento 5.21 -0..01 1. 3....501 23.07 538 0.1.. Religiões Orientais 56 0.254 12..

96 671 10. .26 2000 93.544 - Menos de 1 ano 272 13.7 População Residente. 5.678 .) Domiciliares Domiciliares 1996 84.2.101 2010 113.3 1 a 2 anos 687 34.8 Pessoas não Naturais da Unidade da Federação que Tinham 10 Anos ou Mais.2 Domicílios particulares permanentes.205 4.728 25.663 17.072 62. por existência de banheiro ou sanitário e tipo de esgotamento sanitário 1991/2000/2010 Existência de Banheiro ou Sanitário Tinham Ano Total(1) Tipo de Esgotamento Sanitário Rede geral de Não Tinham Total(2) esgoto ou Fossa séptica Outro pluvial 1991 17.847 Fonte: IBGE.538 21.663 5.2 HABITAÇÃO 3.147 91. (2) Inclusive os domicílios sem declaração do tipo de esgotamento sanitário..95 775 11.711 2. Município de Bragança 3. 12 .32 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof 3.3 3 a 5 anos 392 19.4 10 anos ou mais . .388 2000 18.222 4.895 4..616 6.1.091 2010 26. 4.779 18.2.779 88..826 19.1.544 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof 3.733 620 Fonte: IBGE.893 .30 940 14.572 24 6.558 5. Elaboração: Idesp/Sepof (1) Inclusive os domicílios sem declaração da existência de banheiro ou sanitário.84 86 1.222 25. Não Naturais % Total de Pessoas não Naturais 1.04 2010 113.459 9. Censo Demográfico 2000 Elaboração: Idesp/Sepof 3.359 11.227 106.1 Habitantes por Domicílios Permanentes 1996/2000/2007/2010 População Unidades Habitantes / Unidades Ano (Hab.712 5.602 331 3.782 15.222 9.2 Fonte: IBGE.602 2000 93. Elaboração: Idesp/Sepof 3.763 1. Não Naturais % Pop. 6.663 8.02 2007 101. Censo Demográfico 1991/2000/2010. Censo Demográfico 1991/2000/2010.8 6 a 9 anos 615 31.189 1.905 2.532 6. Ininterruptos de Residência na Unidade da Federação 2000/2010 Tempo Ininterruptos na Unidade 2000 2010 da Federação Pop. por Naturalidade em relação a Unidade de Federação e ao Município 1991/00/2010 Naturais da Federação Não Naturais Ano Total Naturais do Não Naturais do Total da Federação Município Município 1991 97.188 7.965 .833 7.130 12.683 97.570 2010 26.067 9.2. 3.889 2000 18.843 9.545 83..227 26. por forma de abastecimento de água 1991/2000/2010 Forma de Abastecimento de Água Ano Total Poço ou Nascente na Rede Geral de Distribuição Outra Propriedade 1991 17.3 Domicílios particulares permanentes.

59 97 - 2010 26.039 64 1.222 22. Elaboração: Idesp/Sepof (1) Inclusive os domicílios sem declaração do destino do lixo.855 2010 26. Município de Bragança 3. por destino do lixo 1991/2000/2010 Destino de Lixo Coletado Ano Total(1) Em Caçamba de Diretamente por Outro Total Serviço de Serviço de Limpeza Limpeza 1991 17.5 Domicílios particulares permanentes.012 38 2000 18.222 25.551 257 11. 67 10 - 2000 18.120 12. 3.222 16.533 60 Fonte: IBGE.663 16.558 17.710 798 1.362 1.663 6.519 2000 18.102 Fonte: IBGE.4 Domicílios particulares permanentes.507 . Censo Demográfico 1991/2000/2010.6 Domicílios particulares permanentes. Elaboração: Idesp/Sepof (1) Inclusive os domicílios sem declaração do tipo do domicílio. 13 .558 15.685 951 868 159 2010 26.267 2.996 10. por condição de ocupação do domicílio 1991/2000/2010 Condição de ocupação do domicílio Ano Total(1) Próprio Alugado Cedido Outra 1991 17.975 15.481 . Censo Demográfico 1991/2000/2010.2.808 6.663 18.2. 3.124 3. Censo Demográfico 1991/2000/2010. Casa ou em Apartamento Oca ou Maloca cortiço ou cabeça Condomínio de corpo 1991 17. Elaboração: Idesp/Sepof (1) Inclusive os domicílios sem declaração do tipo do domicílio.456 608 87 71 - Fonte: IBGE.558 2.2. por tipo do domicílio 1991/2000/2010 Tipo de Domicílio Habitação em casa Ano Total(1) Casa de Vila de cômodos.

.Hospitalares 458 482 482 482 465 406 Número de Leitos . . . 1 1 1 3 TOTAL 36 38 34 34 36 40 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3.1 Profissionais por Esfera 2006-2011 Esfera 2006 2007 2008 2009 2010 2011 POR NATUREZA Administração Dir. . .Soc.76 4. - Unidade móvel terrestre . . . . .84 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 14 . . - Entidade S/fins Lucrativos 88 176 209 183 208 226 Sindicato . - Farmácia . . . . - Laboratório Central de Saúde Pública . . .Pública . . . . . . . . . - Fundação Pública . . .45 3. . . . - Outros . . . - Pronto socorro geral . . . . . . . . . .Outros . 1 Unidade de serviço de apoio de diagnose e terapia 2 2 2 2 2 2 Unidade de vigilancia em saude 1 1 1 1 1 - Unidade mista . . - POR ESFERA ADMINISTRATIVA Federal .Saúde 282 287 416 409 429 439 Administração Dir.LACEN .Urgência 9 9 9 9 21 21 Total de leitos 488 512 510 510 500 441 Leitos/ Mil Habitantes 4. . - Org. . . . . .3. - Secretaria de saude . . . . . . . .3 Leitos por Habitantes 2006-2011 Leitos 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Número de Leitos . . - Autarquias . . . . . - Posto de saude 11 11 8 8 9 8 Pronto socorro especializado . . - Policlínica . . . .80 4. - Municipal 282 287 416 409 429 439 Privada 139 232 237 219 279 315 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3. . . . .3. - Hospital geral 3 3 3 3 3 3 Hospital dia . . . . - Empresa Privada 48 54 25 33 68 80 Fundação Privada 3 2 3 3 3 9 Cooperativa . - Estadual . Município de Bragança 3. - S. .Soc. . .3 SAÚDE 3. .2 Unidades Ambulatoriais Cadastradas no SIASUS 2006-2011 Estabelecimentos 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Centro de saude/unidade básica de saude 11 11 9 10 11 13 Central de regulação de serviços de saude . . .70 4. - Hospital especializado . . . .82 4. . . 1 1 1 - Clinica/ambulatório especializado 3 3 3 3 3 3 Consultório isolado 5 7 6 5 5 6 Cooperativa . 1 Unidade móvel fluvial . .Autônomo . . .Ambulatórios 21 21 19 19 14 14 Número de Leitos . . . . . - Unid móvel de nível pré-hosp-urgência/emergência . . .3. .

617 1.494 1.454 2004 16. . .502 1.113 1.335 2. .391 4. . 8 Privada 3 3 3 3 3 458 482 502 482 492 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3.206 2.953 2000 17.303 15. .300 2. . 8 5 7 1. . .091 1. - Empresa Privada 2 2 1 1 2 295 295 126 123 313 Fundação Privada .054 1.020 2008 15. 1 .200 2. - TOTAL 2. . .116 20.138 1. . . .500 a 2. .264 2. 3 1 500 a 999g 1 .615 1.096 1. . - Adm Indireta – Autarquias .3.126 1. . 1 6 5 .949 20. - Estadual . .293 2. .097 Ignorado .5 Internações 1997-2010 Ano Internações segundo local de residência Internações segundo local de internação 1997 18.398 21.3.169 1. .116 1. . .769 2.543 1. .581 1.555 2. .500 a 2. .469 2001 18.769 2. .498 1.417 1998 16.843 2005 16. . 8 . .251 1. SES. .169 1. . Município de Bragança 3. .999g 389 286 326 311 365 433 446 439 437 461 492 542 504 558 3.211 20. . . . . 1 .722 21.418 2. . . .530 20. .970 21. . . . .459 2006 15.470 1.972 2010 12. .757 16.134 1.335 2. . . .031 1.249 1.131 1. .152 1. .499g 5 5 10 3 11 5 8 9 18 10 13 15 11 16 1.000 e mais 217 178 218 207 192 190 174 146 159 173 168 188 157 129 Ignorado 3 1 1 1 .4 Hospitais e Leitos Segundo Algumas Características 2006-2010 Hospitais Leitos Características 2006 2007 2008 2009 2010 2006 2007 2008 2009 2010 POR NATUREZA Administr Direta da Saúde (MS.741 19. .617 1. . 1 TOTAL 2.555 2. .519 1.499g 94 61 89 103 101 113 104 103 137 140 128 185 185 162 2.300 2.085 852 1. . .000 a 3.277 19. .610 1999 17.382 21. - Org. .3.264 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 15 . .264 2. 7 3 . e SMS) . . . .122 1. .Fundação Pública .217 1. .6 Nascimento por Residência da Mãe. - Adm Indireta .264 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3.541 1.166 Feminino 1. . . . . Segundo Sexo 1997-2010 Sexo 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Masculino 1. .966 2002 16.166 917 1. . 1 . .144 1.230 2. .338 1. . 1 .000 a 1. MEx.122 2. 8 .284 2.7 Natalidade por Residência da Mãe.284 2. - Entidade Beneficente sem fins lucrativos 1 1 2 2 1 163 187 376 359 179 POR ESFERA ADMINSTRATIVA Federal .238 1. 1 1 .288 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3.200 2.101 20. .293 2.230 2.418 2. .122 2.809 2009 13. . .086 1.477 2007 15. 8 Adm Direta outros orgãos (MEX. . . - Municipal . .120 2003 16. . Marinha) .251 1. . . .177 1. . .999g 1.3.278 20.213 1. .140 1.206 2. . . . . Segundo Peso ao Nascer 1997-2010 Peso 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Menos de 500g 1 . Social Pública .477 1. .

. . .122 2. .264 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3. .9 Óbitos por Residência. 1 - 55 a 59 anos . 1 . 3 1 2 Aparelho Geniturinário 1 4 1 3 2 5 3 6 2 . . . . . .230 2. 2 1 . 1 1 . . . . . . . .206 2.251 1. . 3 8 6 1 50 a 54 anos 2 1 . 1 1 .3.555 2. .11 Mortalidade Geral Segundo Principais Causas 1997-2010 Causas 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Sistema Nervoso 3 . 1 . 1 1 2 TOTAL 350 443 318 287 366 436 436 472 483 506 495 504 523 544 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3. . . . Parto e Puerpério 2 6 4 1 1 . 1 . 2 1 2 Causas Exter Morbidad e Mortalidade 20 22 13 14 10 20 14 11 19 25 38 59 18 48 Gravidez. Município de Bragança 3. - Idade Ignorada 6 8 4 4 . . 1 2 1 . .769 2.335 2.3.10 Óbitos por Residência. 1 TOTAL 2. . .264 2.200 2. .292 2. Segundo Faixa Etária 1997-2010 Faixa Etária 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Menor de 1 ano 36 74 50 50 56 62 47 68 59 47 53 47 53 37 1 a 4 anos 8 18 12 12 10 16 18 11 13 15 8 10 10 12 5 a 9 anos 4 4 2 1 4 7 5 9 7 4 3 9 3 3 10 a 14 anos 4 6 8 3 4 6 7 3 3 4 4 5 5 3 15 a 19 anos 8 12 6 6 4 7 11 4 13 9 11 13 9 12 20 a 29 anos 11 22 11 9 12 24 22 19 24 31 33 33 31 31 30 a 39 anos 19 29 18 18 18 22 24 21 27 22 24 28 27 39 40 a 49 anos 19 25 25 24 24 21 26 47 31 24 26 35 35 40 50 a 59 anos 44 33 26 25 28 30 35 41 45 53 43 51 47 60 60 a 69 anos 58 61 43 32 51 61 69 62 58 80 62 70 73 78 70 a 79 anos 70 68 53 58 73 74 74 87 99 105 101 103 102 108 80 anos e mais 68 91 64 49 82 106 98 100 104 112 126 99 128 120 Ignorado 1 . . . . .3. . . .8 Nascimento por Faixa Etária e Residência da Mãe 1997-2010 Faixa Etária da Mãe 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 10 a 14 anos 29 29 26 32 22 30 20 32 33 28 30 36 39 46 15 a 19 anos 711 569 696 713 750 748 703 685 696 691 707 726 657 615 20 a 24 anos 804 587 739 813 834 843 854 872 882 856 877 898 835 775 25 a 29 anos 383 318 375 382 391 360 379 367 412 407 480 524 475 494 30 a 34 anos 177 156 169 151 175 174 171 153 184 198 201 225 208 218 35 a 39 anos 97 74 82 85 84 78 81 75 76 84 91 111 92 87 40 a 44 anos 38 24 28 23 32 29 21 14 13 20 28 27 22 27 45 a 49 anos 4 3 3 3 4 2 1 2 3 . . . 1 1 3 9 4 6 7 Aparelho Circulatório 36 34 33 35 33 34 49 35 51 78 88 92 96 67 Aparelho Respiratório 29 16 18 19 9 21 21 18 27 19 36 40 41 33 Aparelho Digestivo 9 12 6 8 6 8 13 12 7 21 14 14 28 21 TranstMentais e Comportamentais . . . .284 2. . . . . .418 2. 1 TOTAL 350 443 318 287 366 436 436 472 483 506 495 504 523 544 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 3. . Segundo o Sexo 1997-2010 Sexo 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Masculino 196 235 181 186 208 250 266 274 263 286 290 313 292 313 Feminino 154 208 137 101 158 186 170 198 220 219 205 190 230 229 Ignorado .3. 1 . . 6 8 13 7 TOTAL 100 95 76 81 63 89 100 83 109 148 191 222 204 187 Fonte: DATASUS/MS Elaboração: Idesp/Sepof 16 . . .300 2. .

56 117 3 176 Ensino Médio ... 1 13 Fonte: MEC/INEP/SEDUC Elaboração: Idesp/Sepof 17 . 31 3 34 Ensino Fundamental . 1 11 2010 Pré-Escolar . . . . 1 8 2004 Pré-Escolar . . . . 61 115 3 179 Ensino Médio . 78 115 2 195 Ensino Médio .. 10 . 8 . 112 139 4 255 Ensino Médio . 4 . 1 9 2007 Pré-Escolar . 80 115 2 197 Ensino Médio . 36 3 39 Ensino Fundamental . 7 . 28 14 .. 1 5 1998 Pré-Escolar . 12 . 16 29 3 48 Ensino Fundamental . . 72 114 2 188 Ensino Médio . 21 12 2 35 Ensino Fundamental . 68 116 2 186 Ensino Médio ... 1 6 2001 Pré-Escolar .4. . 38 2 40 Ensino Fundamental . 1 6 2000 Pré-Escolar . 1 8 2003 Pré-Escolar . 76 115 3 194 Ensino Médio . 78 126 3 207 Ensino Médio . 7 . 28 3 31 Ensino Fundamental . 5 . 16 12 3 31 Ensino Fundamental . 9 . 7 . 1 6 1999 Pré-Escolar .4 EDUCAÇÃO 3. . 1 8 2005 Pré-Escolar . 20 32 4 56 Ensino Fundamental . 5 . 4 . 68 114 3 185 Ensino Médio . 1 5 1997 Pré-Escolar . 17 7 4 28 Ensino Fundamental .. 1 9 2006 Pré-Escolar . 5 . 53 119 3 175 Ensino Médio . Município de Bragança 3. 20 8 4 32 Ensino Fundamental . 8 . 9 .. 64 115 4 13 Ensino Médio . 33 3 36 Ensino Fundamental . 56 116 3 175 Ensino Médio . . 1 10 2009 Pré-Escolar . 13 31 3 47 Ensino Fundamental . 52 120 3 175 Ensino Médio . 28 3 31 Ensino Fundamental . Ensino Fundamental .1 Estabelecimentos por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1996-2010 Estabelecimentos Anos/ Graus Federal Estadual Municipal Particular Total 1996 Pré-Escolar . 7 . 1 10 2008 Pré-Escolar . 42 Ensino Fundamental . 1 8 2002 Pré-Escolar . 77 119 2 198 Ensino Médio .

2 . Município de Bragança 3. 4 . 5 3 1 9 Ensino Médio . 7 3 1 11 Ensino Médio . 3 . 1 4 2007 Ensino Fundamental . 5 . 9 7 3 19 Ensino Médio . 6 5 1 12 Ensino Médio . 6 . 9 7 3 19 Ensino Médio . 3 . 5 . 3 . 5 3 1 9 Ensino Médio . 1 6 2010 Ensino Fundamental . 2 . 3 . 5 5 1 11 Ensino Médio . 1 4 2004 Ensino Fundamental . 3 2 1 6 Ensino Médio . 1 3 2005 Ensino Fundamental . 5 2 1 8 Ensino Médio . 4 .2 Bibliotecas por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1999-2010 Bibliotecas Anos/ Graus Federal Estadual Municipal Particular Total 1999 Ensino Fundamental . 1 3 2000 Ensino Fundamental . 1 7 Fonte: MEC/INEP/SEDUC Elaboração: Idesp/Sepof 18 . 1 4 2008 Ensino Fundamental . 1 5 2003 Ensino Fundamental . 1 4 2006 Ensino Fundamental .4. 8 8 3 19 Ensino Médio . 4 . 10 12 3 25 Ensino Médio . 1 5 2001 Ensino Fundamental . 1 6 2009 Ensino Fundamental . 1 5 2002 Ensino Fundamental . 4 7 1 12 Ensino Médio .

8 . 10 . 14 23 2 39 Ensino Médio . 7 1 2 10 Ensino Médio . - Ensino Médio . 1 9 2009 Ensino Fundamental . 5 . 1 2000 Ensino Fundamental . 4 . . 4 . 5 6 1 12 Ensino Médio . 1 5 2008 Ensino Fundamental . 1 9 2010 Ensino Fundamental . . 1 5 2007 Ensino Fundamental . 1 1 2 2002 Ensino Fundamental . 4 1 1 6 Ensino Médio . 1 . 5 . . 1 .4. 5 1 1 7 Ensino Médio . 5 5 1 11 Ensino Médio . 1 6 2005 Ensino Fundamental . 1 11 Fonte: MEC/INEP/SEDUC Elaboração: Idesp/Sepof 19 . 1 4 2006 Ensino Fundamental . . 1 2 2001 Ensino Fundamental . 1 6 2004 Ensino Fundamental . 3 . 12 8 2 22 Ensino Médio .3 Laboratórios de Informática por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1999-2010 Laboratórios de Informática Anos/ Graus Federal Estadual Municipal Particular Total 1999 Ensino Fundamental . Município de Bragança 3. 11 6 2 19 Ensino Médio . 1 4 2003 Ensino Fundamental . 2 1 1 4 Ensino Médio . . 8 . 4 5 1 10 Ensino Médio . 2 1 1 4 Ensino Médio . 3 .

2.459 Ensino Médio .497 2004 Pré-Escolar .138 437 25.270 1.357 Ensino Fundamental .646 Fonte: MEC/INEP/SEDUC Elaboração: Idesp/Sepof 20 .451 .100 1998 Pré-Escolar .976 Ensino Fundamental . 3.465 8.503 .713 Ensino Médio .142 620 28.766 .174 2010 Pré-Escolar .421 8. 2.605 Ensino Médio . 16.884 7. 3. 946 223 188 1. 1.370 Ensino Médio . 4.735 160 2. 14.585 Ensino Médio .446 .588 Ensino Médio .804 8. 16. 1. .730 497 26.882 .444 Ensino Fundamental . 152 4. 20.444 2005 Pré-Escolar .120 Ensino Fundamental .126 2006 Pré-Escolar .397 145 2. . . 1.893 Ensino Fundamental .694 Ensino Médio . 915 2. 133 3.834 8.830 Ensino Fundamental . .549 218 3. 4005 .968 1999 Pré-Escolar .898 222 3.579 2000 Pré-Escolar .542 Ensino Fundamental .005 . 2.387 Ensino Fundamental . 464 2.356 173 3.660 232 3. 4. 17. 17.327 .697 341 25.039 805 25.914 191 3. 16. 152 3.034 2009 Pré-Escolar .356 Ensino Fundamental . 195 4.210 356 26.107 .409 Ensino Médio . 201 3.476 . 13. 2.4.124 5. 115 4.214 2.615 215 2. 12.548 Ensino Médio .673 Ensino Médio .272 Ensino Fundamental . 3. 505 2.751 456 25.010 9.868 Ensino Fundamental . 2. 316 2. 143 4.379 375 26.908 11.332 Ensino Médio . 4.321 2002 Pré-Escolar .247 2008 Pré-Escolar .899 .619 2003 Pré-Escolar . 128 4.646 Ensino Médio .804 402 181 2. 18. 140 4.461 1. 129 4.176 .189 611 26. 16486 9. Município de Bragança 3.664 419 27. . 2.736 Ensino Fundamental . 17.898 . 16.092 Ensino Fundamental . 16.979 2001 Pré-Escolar .382 . 202 2.401 360 25.086 328 322 1. 117 4. 4.742 Ensino Médio 4.997 . . 3. 906 758 204 1.084 26. 4.384 494 4.396 Ensino Médio . 2.827 . 1. .778 198 2.907 674 26. 145 4.198 435 260 1. 4.279 22. 16.635 8.819 1997 Pré-Escolar .805 11.105 Ensino Fundamental .588 8.149 8. 169 4.489 Ensino Médio .133 2007 Pré-Escolar .895 Ensino Fundamental 12.125 8. 2. 2.444 377 25.4 Matrícula por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1996-2010 Matrícula Anos/ Graus Federal Estadual Municipal Particular Total 1996 Pré-Escolar .

18 211 2006 Pré-Escolar .5 Funções Docentes por Dependência Administrativa e Graus de Ensino 1996-2010 Funções Docentes Anos/ Graus Federal Estadual Municipal Particular Total 1996 Pré-Escolar . 9 Ensino Fundamental . 31 30 14 75 Ensino Fundamental . 113 11 124 Ensino Fundamental . 532 266 17 815 Ensino Médio . 43 13 8 64 Ensino Fundamental . 416 510 49 975 Ensino Médio . 17 99 9 125 Ensino Fundamental . 18 250 Fonte: MEC/INEP/SEDUC Elaboração: Idesp/Sepof 21 . 172 . 19 203 2007 Pré-Escolar . 213 . 629 226 21 876 Ensino Médio . 201 . 115 . 539 198 39 776 Ensino Médio . 193 . 184 . 9 . 14 173 2010 Pré-Escolar Ensino Fundamental . 127 . 185 . 538 325 28 891 Ensino Médio . . 18 219 2009 Pré-Escolar . . 572 321 39 932 Ensino Médio . 22 135 1999 Pré-Escolar . Município de Bragança 3. 91 . 15 106 1997 Pré-Escolar . 107 9 116 Ensino Fundamental . 14 186 2008 Pré-Escolar . 123 11 134 Ensino Fundamental . 113 . 15 142 2000 Pré-Escolar . 550 271 24 845 Ensino Médio . 41 16 14 71 Ensino Fundamental . 20 221 2002 Pré-Escolar . 118 12 130 Ensino Fundamental . 414 372 39 825 Ensino Médio . . 465 456 42 963 Ensino Médio . . 17 183 2005 Pré-Escolar . 33 7 13 53 Ensino Fundamental . 201 . 31 146 1998 Pré-Escolar .019 Ensino Médio . 150 . 580 288 26 894 Ensino Médio . 14 104 13 131 Ensino Fundamental . 31 90 10 131 Ensino Fundamental . 529 296 49 874 Ensino Médio . . 63 15 12 90 Ensino Fundamental . 525 303 33 861 Ensino Médio . 23 208 2003 Pré-Escolar . 159 . 423 487 48 958 Ensino Médio . . 25 238 2004 Pré-Escolar . 116 12 128 Ensino Fundamental . 232 .4. 554 425 40 1. 166 . 536 296 26 858 Ensino Médio . 12 162 2001 Pré-Escolar .

90 Reprovados .50 3.2 . 93. 20.60 .00 28. 6.40 . 4. 4. Município de Bragança 3.5 .30 .90 0. 10. 13 .6 . 14.40 .6 .90 . 3.2 0.90 2002 Aprovados .60 .90 .30 .60 Evadidos . 7.40 1.60 11.7 Reprovados .30 .10 .80 4.20 60. 6. 0 Fonte: MEC/INEP/SEDUC Elaboração: Idesp/Sepof 22 .3 5. 66. 17 18.50 97. 92.00 .60 32. 96. 75 85.3 94.2 .70 0. 18. 72.00 .5 2008 Aprovados . 8.6 .6 19.7 95.7 . 10.90 Reprovados .90 15.50 7.70 .10 .10 .10 71.5 . 26. 85. 16. 2. 15. 11. 11.2 . 66. 70.4 Reprovados . 90. 73. 72. 24.80 Reprovados .40 . 1.10 .7 93. 20.60 3. 16. 16.40 Evadidos .8 Evadidos .90 Reprovados .40 2000 Aprovados .2 .80 61.3 Reprovados .5 2009 Aprovados . 18. 8.70 2003 Aprovados .70 .80 .2 2010 Aprovados .30 Evadidos . 74 75.30 93. 5 Evadidos .4.30 97.10 . 89.20 .80 7.30 .1 5. 9.50 . 19. 1.20 27.50 .4 .90 . 67.40 . 71. 67.90 . 9. 65. 16. 65.3 .8 1.20 14. 18.5 74.20 Evadidos .5 . 70. 69. 9.9 4.8 Reprovados . 16 .50 .4 10. 3.7 14.90 2007 Aprovados . 12.40 . 93.40 96.8 0.6 .6 .20 92.30 .5 3.90 1.60 Evadidos . 17.8 .40 . 12.40 .20 4. 11.70 .20 8.6 3.20 Reprovados .30 . 0. 6.90 2004 Aprovados . 1.30 .60 Reprovados .40 0.7 95.1 Evadidos . 6. 9 5. 65. 18.50 64. 70.50 52. 25.00 Reprovados . 96. 72. 67. 3.50 Evadidos . 93. 5.30 1. 23. 2.8 4.70 69. 8.10 .80 2. 3. 17.70 25. 17.90 . 71.10 21. 6.80 22. 25.50 2001 Aprovados .20 .00 .00 . 14.3 .6 Taxas de Rendimento Escolar 1999-2010 Ensino Fundamental Ensino Médio Anos Dependência Administrativa Dependência Administrativa Federal Estadual Municipal Privado Federal Estadual Municipal Privado 1999 Aprovados . 93. 66.7 Evadidos . 16.5 0.8 .50 13.30 26.20 4.50 2005 Aprovados . 13. 3.00 93.9 6.1 .20 .20 2.80 57. 75 79. 83.4 .80 2.2 . 16. 6.30 Evadidos . 2.7 .80 .60 97.

266 2. .916 3. Município de Bragança 3. . . . . . .923 2. .952 5.5 MERCADO DE TRABALHO 3.375 Agropecuária 8 9 68 63 78 227 121 216 145 63 100 98 Outros / Ignorados . .245 1.1 Número de Estabelecimentos com Vínculos Empregatícios Segundo Setor de Atividade Econômica do Cadastro RAIS 1999-2010 SETOR DE ATIVIDADE 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Extrativa Mineral . . . .388 2.2 Estoque de Emprego Segundo Setor de Atividade Econômica 1999-2010 SETOR DE ATIVIDADE 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Extrativa Mineral .662 1.145 1. . .246 3. . .028 1.358 1. . .218 4. . . .5. . . . . . . . .296 Serviços 407 417 469 491 554 582 623 832 898 976 1.270 Fonte: MTE/RAIS Elaboração: Idesp/Sepof 23 .192 1. . . . .016 1. . . - Indústria de Transformação 38 63 62 108 205 229 192 235 205 209 223 298 Serviços Indust Utilidade Pública 38 40 40 43 38 37 37 36 38 34 33 32 Construção Civil . 14 12 2 43 44 22 8 35 104 Comércio 321 359 374 458 569 715 818 906 974 1. .067 Administração Pública 380 357 345 485 467 474 1. .5. . - Indústria de Transformação 14 15 12 15 16 16 18 22 23 27 25 29 Serviços Indust Utilidade Pública 3 3 3 3 2 2 2 2 2 2 2 2 Construção Civil . - TOTAL 153 168 186 197 232 270 291 299 329 344 349 396 Fonte: MTE/RAIS Elaboração: Idesp/Sepof 3. - TOTAL 1.299 4. 1 1 2 1 3 9 7 2 3 5 Comércio 78 87 102 108 128 158 175 168 187 195 209 249 Serviços 50 54 55 58 67 67 71 68 77 90 90 91 Administração Pública 3 4 4 4 3 3 3 2 2 2 2 2 Agropecuária 5 5 9 8 14 23 19 28 31 26 18 18 Outros / Ignorados . .082 977 936 1. . . .993 2.

987 Não Informou 151 145 125 112 96 91 78 68 TOTAL 48.422 0.825 62.473 0.509 26.449 0.244 29.662 IDH – M Longevidade 0.1 Índice de Desenvolvimento Humano – IDH – 1970/1980/1991/2000 Anos IDH 1970 1980 1991 2000 IDH – M 0.400 520 Fonte: SEGUP/Sisp Elaboração: Idesp/Sepof 3.774 IDH – M Renda 0.7 SEGURANÇA PÚBLICA 3.367 27.788 Feminino 23.274 0.193 67.665 28.561 0.494 0.395 31.7.843 Fonte: TRE Elaboração: Idesp/Sepof 24 .1 Eleitores por Sexo 1996/98/00/02/04/06/08/2010 Sexo 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 Masculino 24.379 507 2009 572 1.299 0.662 IDH – M Educação 0.001 54.401 51.133 0.195 207 2010 715 1.440 35.474 0.021 57.935 25.6.8. Município de Bragança 3.319 44.845 34.513 0.321 25. Patrimônio e Crimes Violentos 2007-2010 Anos Crimes Contra a Pessoa Crimes Contra o Patrimônio Crimes Violentos 2007 367 924 347 2008 466 1.8 POLÍTICO ELEITORAL 3.856 23.550 Fonte: PNUD/IPEA/FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Elaboração: Idesp/Sepof 3.349 0.6 ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO 3.312 20.441 0.334 30.451 34.257 33.1 Número de Crimes Contra a Pessoa.969 70.

757 Industrial 69 6.073 4.565 35.990.178 23.990 Comercial 1. Outros 175 .494 Comercial 711 2.454.524.911.984 Outros 199 9.343 30.804 Outros 173 7...546 Total 13.1 Consumidores e Consumo de Energia Elétrica por Classe 1995-2003 Anos/Classe Consumidores Consumo (Kw/h) 1995 Residencial 9.368 Outros 144 4.309 Comercial 1.388 28.976 Total 15.847 Outros 180 5.041 11.898 Total 9.458.753 1998 Residencial 10.056.645. para o ano de 1998 foram fornecidos apenas os valores de Consumo Residencial e Valor Total. Município de Bragança 3..085 14.843 Outros 190 8.328 Outros 165 4.565.327.766.694 13.753.629 Industrial 16 1.045 Total 11.926.047 28. Continua.459.396 5..368 4.387 Comercial 1.237 4.072 2002 Residencial 12.385 2000 Residencial 11.952.369.767 Industrial 17 1.040 Comercial 1.305.229 Total 14.912.527 1996 Residencial 9.758.409.738 13.957 Industrial 13 2.9 ENERGIA ELÉTRICA 3. 25 .058.704.295.849.017 3.996 Outros 188 7.024.432.912 26.204.182 Total 10..366.403.815 Industrial 15 1..077 Comercial 750 3.759 Industrial 14 2.561 19.093 Total 12.605 12.558.. Industrial 14 .087 9..909.860 11.453.941.362.871 21.413 Industrial 32 3...707 Fonte: CELPA/ REDE CELPA Elaboração: Idesp/Sepof .132 Outros 211 7.948 Comercial 1.402 1997 Residencial 9.751 1999 Residencial 10.959 18.308 Total 10.901 14.242.291.406 2003 Residencial 13.9.170 Comercial 948 .237.969 Comercial 815 3.220.475.854.435.077. Total 11.045.386 Industrial 47 4.631 10.024 2001 Residencial 11.

906.716.090 41.570 Industrial 1.758 21.881 9.145 Outros 255 9.804.792 Total 20.084 Industrial 86 6.971.629 Industrial 80 7.047 Outros 1.368.774 8.887 11.218 Outros 248 9.411 20.559 Total 25.490.443 5.907.585.448. Município de Bragança 3.067 Total 18.552.520.661 7.877 Total 21.920 10.391.671.732.446.837.981 44.402 2008 Residencial 17.965 36.521.562.878 Outros 1.794.935 2010 Residencial 21.850 2005 Residencial 16.820 9.085 53.479.201 2009 Residencial 20.013 Industrial 81 6.557.985.819 9.474.257 26.511 6.178 Total 23.505 Total 26.497 Comercial 1.798 Total 20.327.828 8.878.766 2007 Residencial 17.581.597 7.472 Fonte: CELPA/ REDE CELPA Elaboração: Idesp/Sepof 26 .533.053 18.111 Outros 1.659 8.991 Comercial 1.708.2 Consumidores e Consumo de Energia Elétrica por Classe 2004-2011 Anos/Classe Consumidores Consumo (Kw/h) 2004 Residencial 15.042 27.026 Total 16.168.115 Industrial 89 6.887 57.033 Comercial 1.009 39.921.153 17.633 Comercial 1.022 Outros 1.915 2006 Residencial 17.443.250.225.495.9.750.323 46.670 Industrial 90 5.399 Comercial 1.557 Comercial 1.036 Comercial 78 6.196 15.158 Industrial 90 6.991.057 2011 Residencial 23.742.302 Outros 1.047 22.843 9.673.843 Outros 1.627 Industrial 77 8.307.974.351 9.745 47.218 Comercial 1.

10 ABASTECIMENTO DE ÁGUA 3.095 Comercial 146 30.820 Comercial 333 26.433.490 Industrial 2 400 1998 Residencial 8.472 91. 27 ..344 Industrial 2 .895 Industrial 1 125 1999 Residencial 8.762 Comercial 166 24..827 1.760 Industrial 2 600 1997 Residencial 7.850 Industrial 2 680 1996 Residencial 5.353.106 Industrial .765 1.561 1.237 1.325. Município de Bragança 3.914 Comercial 165 2.200.326 2004 Residencial 8.095 2006 Residencial 5. - Público 182 34.212 Fonte: COSANPA Elaboração: Idesp/Sepof (1) Os totais de Consumo de Residencial e Comercial são referentes apenas ao mês de dez/2005 Continua.433.821 1.142 1.414.561 1.969 Comercial 313 28.781 1.060.1 Consumidores e Consumo de Água por Classe 1995-2006 Anos/Classe Consumidores Consumo (m³) 1995 Residencial 5.781 1.334 Comercial 287 25.200 Comercial 142 31..215 Industrial 1 - Público 224 39.359 Comercial 319 60.612 Comercial 313 23.850 Industrial 2 3. - Público 199 3.105.716 2005(1) Residencial 5.593 Industrial 1 - 2002 Residencial 8.10.149.470 Industrial 1 - Público 224 29.524 1..595 1.235 Comercial 331 66.040 2000 Residencial 8.456 Industrial 1 - Público 224 27.530 Comercial 273 28. 2001 Residencial 8.972 2003 Residencial 8.426 Industrial .272 Comercial 327 25.419.219.

916 Total 5.608 1.146 Comercial 164 24.266 1.191 1.530 1.053.432 1.342 1.036.945 Industrial 1 120 Público 188 37.111.498 Comercial 153 20.10.479 Fonte: COSANPA Elaboração: Idesp/Sepof 28 .925 Total 5.688 1.055.262 Industrial .855 Total 5. - Público 174 33.641 Comercial 170 24. - Público 176 32.940 2008 Residencial 5.095.754 Industrial 1 60 Público 189 33.689 2011 Residencial 5.335 Comercial 163 24.870 Total 5.382 Industrial .278 2009 Residencial 5. - Público 175 33.241 1.2 Consumidores e Consumo de Água por Classe 2007-2011 Anos/Classe Consumidores Consumo (m³) 2007 Residencial 5. Município de Bragança 3.232 Industrial .950 Comercial 156 23.878 2010 Residencial 5.052.063.112.778 1.121.

.291 2. . . . .527 1.880 2.248 Fonte: DETRAN Elaboração: Idesp/Sepof (1) Para o ano 2000 foram considerados apenas veículos circulantes e com cadastro no sistema RENAVAM (placas 3 letras) 3.010 2.227 1.519 2009 3.098 1. . . .11. 2 3 3 4 7 10 18 21 TOTAL 2.146 2005 2.866 2.2 Veículos Licenciados e Não Licenciados 1999-2011 Anos Licenciados Não Licenciados Total 1999 1.427 1. .214 2001 1. .514 4. .11.335 3.564 3. . .268 5.11 TRANSPORTE 3.752 2.281 1. . .148 2007 2. .861 2011 5. . 1 Microônibus 13 21 22 20 23 21 26 26 23 20 23 23 25 Motocicleta 422 472 602 1. . . . .784 4.969 3. . .628 1. . .172 1.570 5. - Ônibus 76 67 87 88 88 88 99 111 122 125 134 139 143 Quadriciclo . - Reboque 7 9 9 11 13 14 17 26 30 33 45 58 72 Semi-Reboque 11 6 4 2 2 4 3 6 6 4 4 6 8 SideCar .1 Veículos por Tipo 1999-2011 Tipo 1999 2000(1) 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Automóvel 1. .575 2006 2. . . . . . - Triciclo . . .795 4. Município de Bragança 3. . - Trator Misto .734 10.888 2004 2.441 2. .630 881 2. . .405 1.083 3.252 1.248 Fonte: DETRAN Elaboração: Idesp/Sepof 29 .937 Caminhão 253 177 185 202 232 247 264 287 286 314 329 351 366 Caminhão-Trator 12 5 4 4 4 5 5 5 4 4 4 5 7 Caminhonete 2 21 39 66 86 347 368 407 464 524 590 676 762 Camioneta 365 286 287 299 299 87 94 99 102 101 102 120 127 Ciclomotor . .146 4.060 3.549 8. . . . . . .148 5. 1 1 1 1 2 Trator de Rodas . . . .184 6.324 1.529 1.077 8.549 2010 4.523 691 2. . . . . .580 7.366 2.430 889 2.855 6. .519 7.356 1. . - Utilitários .319 2000 1.861 10.511 3. . .678 2. . .310 2003 2.511 2002 2. .466 1.158 Motor-Casa .310 3.882 4. .596 3. .575 5. 1 . . . . . . . .888 4. .693 1. .855 2008 3. . .214 2.619 Motoneta 28 52 100 221 309 338 415 539 656 739 875 991 1. . . .285 3.790 4.051 2.116 1.

744 62.333 - Desembarque 64.899 6.686 - Desembarque 66.795 2003 Embarque 103. Município de Bragança 3.294 - Desembarque 81.486 2005 Embarque 102.892 Desembarque 13.11.506 - 2001 Embarque 130.343 - 1999 Embarque 98.572 - 2000 Embarque 106.099 - Desembarque 105.066 - Desembarque 122.742 - 1997 Embarque 98.333 - 1998 Embarque 66.873 - Desembarque 102.757 - Desembarque 90.430 - 2002 Embarque 82.769 31.578 - 2004 Embarque 60.854 - Desembarque 15.778 - Desembarque 15.047 - Desembarque 15.176 - 1996 Embarque 120.955 3.567 - Fonte: DETRAN Elaboração: Idesp/Sepof Obs: A SINART passou a administrar o Terminal Rodoviário de Belém e as Estações Rodoviárias do Interior á partir de Maio/2003 30 .307 - 2006 Embarque 103.3 Fluxo de Passageiros por Terminal Rodoviário Intermunicipal e Interestadual 1995-2006 Anos Intermunicipal Interestadual CAPACIDADE 310 - ITINERÁRIO Federal BR 316 BR-316 Estadual PA-242 PA-242 PASSAGEIROS 1995 Embarque 135.715 Desembarque 63.

353 16.353 Fonte: IBGE – SEPOF / DIEPI / GERES Elaboração: Idesp/Sepof 3.626 2008 51.12.826 164.626 13.308 216.984 8.855 2005 36. Município de Bragança 3.369 332.287 109.64 21 2.61 22 2.689 2008 332.1 Composição do Produto Interno Bruto a Preço de Mercado Corrente 2002-2009 (R$ Mil) Ano Valor Adicionado bruto a preço Impostos sobre produtos.728 2009 46.877 2004 206.940 273.113 87 2008 347.780 26.689 0.877 0.530 206.809 30.438 2006 47.772 11.455 382.855 9.760 222.893 189.647 33.163 2005 222.788 2003 34.899 144.615 0.274 90 2006 273.163 0.12 PRODUTO INTERNO BRUTO MUNICIPAL 3.142 88 2005 232.374 29.047 366.936 248.808 0.808 Fonte: IBGE – SEPOF / DIEPI / GERES Elaboração: Idesp/Sepof 3.A 2002 32.518 2006 261.64 21 1.518 0.063 316.712 2007 303.59 23 3.915 92 2004 216.3 Produto Interno Bruto Per Capita a Preço de Mercado Corrente 2002-2009 PIB PIB PERCAPITA Ano Valor (R$ Mil) Participação Ranking no Estado Valor (R$) Ranking no Estado 2002 164.423 32.080 232.712 0.62 21 3.312 0.576 83 Fonte: IBGE – SEPOF / DIEPI / GERES Elaboração: Idesp/Sepof 31 . líquidos Produto interno bruto a preço de básico corrente de subsídios.2 Valor Adicionado Bruto a Preço Básico Corrente por Setor 2002-2009 (R$ Mil) Ano Agropecuário Indústria Serviços V.728 14.538 261.861 184.328 222.66 20 3.036 180.312 2009 366.59 23 1.438 10.615 2003 180.427 22. mercado corrente 2002 158.638 84 2007 316.984 2004 33.12.057 303.12.584 347.279 83 2009 382.658 286.330 159.895 158.772 2007 50.606 16.520 124.426 28.788 5.686 96 2003 189.59 21 2.

350 2.458 4.015 850 860 570 700 600 552 257 322 291 298 Soja (em grão) .900 7.215 1.575 680 950 607 1.4 Área Colhida.000 6.14.14 PRODUTOS DAS LAVOURAS TEMPORÁRIAS 3.100 1.000 Fumo (em folha) 8 12 6 9 48 144 Malva (fibra) 80 100 56 70 73 119 Mandioca 7.000 66.531 13.606 5.14.000 9.440 4.985 3.112 4.600 91.592 4.000 81.14. - Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 32 .500 6. . Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2009 2010 2009 2010 2009 2010 Arroz (em casca) 80 80 142 157 71 79 Feijão (em grão) 2. .168 Fumo (em folha) 10 12 10 12 7 9 7 9 40 53 28 48 Malva (fibra) 90 90 80 70 63 54 48 42 82 68 55 50 Mandioca 6.3 Área Colhida. .000 70.000 8. Município de Bragança 3.000 67.650 4.000 959 1.1 Área Colhida. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Temporárias 1997-2000 Área Colhida (ha) Quantidade Produzida (t) Valor (Mil Reais) Produtos 1997 1998 1999 2000 1997 1998 1999 2000 1997 1998 1999 2000 Algodão Herb(caroço) 6 5 . . Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2001 2002 2003 2004 2001 2002 2003 2004 2001 2002 2003 2004 Arroz (em casca) 120 130 90 100 159 177 150 191 40 62 75 89 Feijão (em grão) 3. 27 - Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 3.289 4.785 3.100 4.000 91.160 2.250 80.103 Fumo (em folha) 60 60 50 80 30 30 25 40 83 78 66 114 Malva (fibra) 70 60 70 6 42 30 35 3 14 12 14 0 Mandioca 25.900 4.300 250.080 864 1.865 3.340 5.220 12.000 79. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Temporárias 2009-2010 Área Colhida (ha) Quant.368 Milho (em grão) 800 1.894 2.200 1.000 800 820 550 600 240 492 330 120 52 108 86 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 3.470 Milho (em grão) 950 1. . Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Temporárias 2001-2004 Área Colhida (ha) Quant.800 1.000 3.320 Milho (em grão) 1.13 AGRICULTURA 3.500 70.000 7. .000 5.230 3.500 5.2 Área Colhida. .000 7.785 4.672 4.600 6. 54 .190 12.200 3.700 3.400 2.200 5.000 104.000 7.000 8.120 3.000 3.168 Milho (em grão) 860 930 612 686 355 398 Soja (em grão) . 2 1 .600 1. .000 75. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Temporárias 2005-2008 Área Colhida (ha) Quant.000 3. .270 5.14.000 70.000 950 900 480 600 570 594 125 168 205 238 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 3.150 2. 4 2 .600 1.702 15. - Arroz (em casca) 340 230 210 20 348 312 337 12 58 71 70 3 Feijão (em grão) 1. 23 .000 33.125 8. .300 4. Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2005 2006 2007 2008 2005 2006 2007 2008 2005 2006 2007 2008 Arroz (em casca) 95 77 110 80 155 123 212 127 48 45 87 61 Feijão (em grão) 3.400 Fumo (em folha) 30 20 16 15 18 11 12 12 58 55 56 53 Malva (fibra) 60 70 90 100 30 35 63 70 27 26 57 49 Mandioca 7. .200 7.

Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2001 2002 2003 2004 2001 2002 2003 2004 2001 2002 2003 2004 (1) (2) Banana 10 10 10 12 220 220 120 264 59 62 38 90 Borracha (Látex) 1 2 2 2 1 5 2 3 1 5 2 3 Castanha de Caju 48 48 48 48 24 24 24 24 12 18 12 20 Coco-da-Baia (Mfrutos) 130 285 320 320 780 1.602 1. .175 14.558 1.15 PRODUTOS DAS LAVOURAS PERMANENTES 3.15.440 450 336 330 288 Laranja 210 160 120 100 1. 20 31 38 Pimenta-do-Reino 136 196 196 246 3.208 2. banana.160 3. laranja. . . marmelo. Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2009 2010 2009 2010 2009 2010 Banana 3 5 66 110 26 45 Borracha (Látex) 3 3 9 12 12 23 Castanha de Caju 54 54 27 27 16 41 Coco-da-Baia(Mfrutos) 260 260 1. manga. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Permanentes 1997-2000 Área Colhida (ha) Quant.560 1. 25 40 50 .593 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof Nota (1) A partir do ano de 2001.3 Área Colhida.400 112 104 386 576 Pimenta-do-Reino (1) 90 96 96 16 144 156 156 38 648 702 1.15. Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2005 2006 2007 2008 2005 2006 2007 2008 2005 2006 2007 2008 Banana 12 12 10 3 264 264 220 66 100 102 86 28 Borracha (Látex) 2 2 2 3 3 3 3 9 3 3 3 18 Castanha de Caju 48 48 48 48 24 24 24 24 20 18 14 17 Coco-da-Baia (Mfrutos) 300 267 250 240 1.220 42 42 150 488 Laranja 156 146 450 200 11.000 2.191 627 627 590 7. .920 195 342 173 557 Laranja 360 430 250 250 4. (2) – Quantidade produzida em mil cachos 3. melão.000 467 439 780 170 Maracujá .800 1.048 2.326 144 Maracujá .mamão. .1 Área Colhida. 3.2 Área Colhida. 5 8 10 . as quantidades produzidas dos produtos abacate.pêra. caquí.15.920 1. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Permanentes 2005-2008 Área Colhida (ha) Quant. Município de Bragança 3.560 343 437 Laranja 100 100 600 600 168 186 Maracujá 4 6 20 30 16 36 Pimenta-do-Reino 120 60 246 120 910 780 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 33 .15.439 32.850 1. Nota (2) A partir do ano 2002 a quantidade produzida do café em coco (t) passou a ser expressa em café em grão (t). 32 .762 1.320 5.Produzida (mil frutos) Valor (mil reais) Produtos 1997 1998 1999 2000 1997 1998 1999 2000 1997 1998 1999 2000 Banana (2) 21 10 12 3 46 22 26 6 115 55 52 5 Castanha de Caju (1) 48 48 48 46 24 24 24 23 9 13 14 15 Coco-da-Baia (Mfrutos) 35 35 100 370 140 140 600 2. 4 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof (1) – Quantidade produzida em toneladas. melancia.076 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 3. .500 1. figo. goiaba.154 10. maracujá. 1 . limão.710 1.978 3. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Permanentes 2009-2010 Área Colhida (ha) Quant. pêssego e tangerina passaram a ser expressas em (t).4 Área Colhida. maçã. Quantidade Produzida e Valor da Produção dos Principais Produtos das Lavouras Permanentes 2001-2004 Área Colhida (ha) Quant.680 800 720 600 151 120 101 66 Maracujá 5 5 4 4 25 25 20 20 20 17 13 14 Pimenta-do-Reino 261 281 260 140 604 569 533 287 1.

16.500 Galos.724 Suínos 5.890 Galos.450 6.120 1.100 3.500 680 245 Eqüinos 3. Frangas.700 26.000 183.282 19.350 850 900 7.300 2.520 Suínos 5.000 58.000 196. Frangas.050 3.500 67.509 12.100 3.080 3.100 3.520 26.17 PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL 3.800 38.600 161. Frangos e Pintos 175.960 5.650 Asinino 260 260 230 210 220 200 180 150 Muares 870 850 870 870 850 900 870 810 Ovinos 480 600 460 450 440 480 520 550 Caprinos 440 430 510 490 450 450 490 510 Galinhas 67.500 61.750 49.000 6.000 48.2 Quantidade e Valor dos Produtos de Origem Animal 2002-2006 Quantidade Produzida Valor (mil reais) Produtos 2002 2003 2004 2005 2006 2002 2003 2004 2005 2006 Leite de Vaca (mil l) 508 507 388 366 371 457 507 388 366 445 Ovos Galinha (mil dz) 167 164 155 163 159 400 427 556 587 572 Mel de Abelha (kg) 4.080 1.000 25.780 31.120 3.500 159.580 Bubalinos 1.500 15.000 162.100 1.000 12.185 4.000 15 23 25 59 58 Fonte: IBGE/PPM Elaboração: Idesp/Sepof 34 .17.16 PECUÁRIA 3.080 1.2 Principais Rebanhos Existentes 2005-2010 Efetivo Rebanhos 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Bovinos 25.000 26.500 190.000 59.17.000 Vacas Ordenhadas 1.100 5.050 2.500 54.100 6.900 5.090 835 Fonte: IBGE/PAM Elaboração: Idesp/Sepof 3.16.215 21.800 26.500 Vacas Ordenhadas 850 860 485 472 450 415 Fonte: IBGE/PPM Elaboração: Idesp/Sepof 3.750 4.800 2.870 5.000 185.200 956 449 390 492 Asinino 120 110 125 13 73 29 Muares 680 650 448 176 163 175 Ovinos 420 400 257 249 529 815 Caprinos 400 380 394 128 276 68 Galinhas 50.400 5.000 178. Município de Bragança 3.1 Principais Rebanhos Existentes 1997-2004 Efetivo Rebanhos 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 Bovinos 25.000 175.500 183.030 5.100 1.800 1.000 16.799 19.300 5 5 6 7 9 Fonte: IBGE/PPM Elaboração: Idesp/Sepof 3.520 4.000 2.000 183.239 Bubalinos 343 446 454 686 485 580 Eqüinos 2.550 1. Frangos e Pintos 182.220 29.800 51.000 174.100 1.750 1.750 1.350 4.1 Quantidade e Valor dos Produtos de Origem Animal 1997-2001 Quantidade Produzida Valor (mil reais) Produtos 1997 1998 1999 2000 2001 1997 1998 1999 2000 2001 Leite de Vaca (mil l) 512 519 529 523 520 256 286 317 366 364 Ovos Galinha (mil dz) 201 203 183 177 174 241 243 220 319 313 Mel de Abelha (kg) 1.164 10.000 55.850 5.100 27.

800 35.500 276 290 288 350 715 Madeira em Tora (m3) 350 320 200 .750 15.3 Quantidade e Valor dos Produtos da Extração Vegetal 2007-2010 Quantidade Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2007 2008 2009 2010 2007 2008 2009 2010 ALIMENTÍCIOS Açaí (fruto) 16 19 18 18 9 11 13 15 FIBRAS Buriti 2 2 2 2 5 8 6 11 MADEIRAS Carvão Vegetal 166 158 155 150 66 82 82 87 Lenha (m3) 64.18.17.1 Quantidade e Valor dos Produtos da Extração Vegetal 1997-2001 Quantidade Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 1997 1998 1999 2000 2001 1997 1998 1999 2000 2001 ALIMENTÍCIOS Açaí (fruto) 13 11 15 16 15 2 2 4 5 5 FIBRAS Buriti 5 3 3 3 3 1 .000 . 3 6 5 MADEIRAS Carvão Vegetal 134 137 156 162 165 34 34 44 49 43 Lenha (m3) 69.000 71.3 Quantidade e Valor dos Produtos de Origem Animal 2007-2010 Quantidade Produzida Valor (mil reais) Produtos 2007 2008 2009 2010 2007 2008 2009 2010 Leite de Vaca (mil l) 198 194 184 166 277 292 276 332 Ovos Galinha (mil dz) 150 116 93 89 541 416 336 429 Mel de Abelha (kg) 13.761 17. 11 9 7 . .700 648 320 372 371 Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof 35 .18 EXTRATIVISMO VEGETAL 3.000 68.000 29. . .849 11.500 31. .000 413 520 300 560 578 Madeira em Tora(m3) .500 50. Município de Bragança 3.000 70.900 73.072 72. - Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof 3.18.900 49 60 91 132 Fonte: IBGE/PPM Elaboração: Idesp/Sepof 3.000 71.000 76.18. 8.2 Quantidade e Valor dos Produtos da Extração Vegetal 2002-2006 Quantidade Produzida (t) Valor (mil reais) Produtos 2002 2003 2004 2005 2006 2002 2003 2004 2005 2006 ALIMENTÍCIOS Açaí (fruto) 15 14 92 16 15 5 55 35 7 8 FIBRAS Buriti 2 2 1 2 2 4 5 3 4 6 MADEIRAS Carvão Vegetal 168 170 128 167 168 47 49 18 50 59 Lenha (m3) 75. - Fonte: IBGE Elaboração: Idesp/Sepof 3. . 384 .

139.68 66.19 FINANÇAS PÚBLICAS 3.24 258.703.198.43 215.916.926.981.41 145.42 2008 3.658.523.670.626.953.96 16.597.995.93 Fonte: SNT Elaboração: Idesp/Sepof (1) Até o ano de 2001 a sigla desse imposto era ISS.01 232.72 31.75 266.59 5.489.751.202.995.50 - IPTU 46.81 1.98 .694.498.87 3.705 279.643.095.120.89 453.865.12 73.243.43 2005 2.23 13.08 1999 831.972.00 5.036.98 - Receita Tributária 220.037.061.558.072.72 191.43 35.172.162.85 Receitas Transferidas 26.223.431.11 55.81 2009 3.10 206.286.42 99.763.218.061.054.269..351..00 17.415.732.93 1998 856.328.488.39 21..180.82 - ITBI 13.437.531.111.75 10.132.03 168.081.55 IPTU 150.923.300.10 5.280.075.635.85 61.085.25 ISSQN(1) 285.65 130.937.519.937.917.549.594.82 162.920.374.766.778.78 107.999.41 1.17 17.138.53 - Impostos 168.808.64 91.228.195.83 12.794.00 (Valores Nominais) Receitas Municipais 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Receita Corrente 27.467.86 8.551.92 6.16 6.469.957.499.51 11.906.818.589.00 9.176. .096.97 782.170.190.363.181.69 85.548.110.028.110.968.281.852.54 2.047.28 1.067.00 75.710.082.154.414.854.60 49.923.26 54.69 101.657.957.021.85 355.86 9.258.31 Outras Receitas Próprias 174.521.60 246.035.061.64 Receita Tributária 895.530.27 2011 3.276.509.19 34.32 42.80 2010 3.83 20.595.760.632.042.074.27 498.31 2.126.00(Valores Nominais) Receitas Municipais 2000 2001 2002 2003 2004 (*) Receita Corrente 13.555.23 12.167.37 1.503.939.318.16 636.3 Transferências Constitucionais do ICMS.11 2.507.117.79 1.325.976.2 Receitas Municipais 2005-2010 R$1.51 424.311.86 Impostos 707.389.656.23 1.27 - Taxas 51.341. 185.909.743.609.598.821.19.072.32 8.881.59 1.77 31.348.860.217.861.557.000.269.280.63 141.166.012.945.937.538.351.610.02 12.39 1.) aguardando uma posição da SEFA 36 .269. 3.241.953.341.10 1.96 315.951.19.005.20 - Fonte: SNT Elaboração: Idesp/Sepof (*) O município não apresentou seus dados financeiros ao STN até a data da extração 3.00 2001 1.08 261.42 77.15 2000 982.340.871.67 25.455.54 10.697.98 3.129.054.089.313.85 7.82 4.136.803.61 2006 2.999.254.349.842.10 7.62 1.351.595.382.665.405.228.505.91 32. FUNDEF/FUNDEB e IPVA 1997-2011(1) (R$ 1.532.41 70.563.009.364.693.05 1.249.65 1.055.786.00 2.37 78.97 5.12 22.924.252.843.159.00) Transferência do Transferência do Transferência do Transferência do Transferência do Anos Total ICMS FPM IPI FUNDEF/FUNDEB IPVA 1997 837.652.659.88 9.50 288.26 66.027.38 - IRRF . .76 14.93 2.591.10 IRRF 248.011..997.980.71 223.716. Fonte: SEFA/STN Elaboração: Idesp/Sepof Nota: Valores Nominais (1) Menos 15% do FUNDEF (.1 Receitas Municipais 2000-2004 R$1.79 42.437.60 139.565.93 55.147.817.04 65.17 180.292.555.068.658.25 - Receitas Transferidas 13.644.374.140.641.171.747.853.56 508.00 106.90 209.03 70.25 8..05 6.35 95.87 136.83 246.481.37 38.76 38.19.99 13.04 ITBI 22.51 72.002.36 6.51 953.601.95 1.355.01 3.670.33 399.48 2.274.16 14.762.32 2004 2.602.67 2002 1.03 - Outras Receitas Próprias 293.355.312.980.84 23.89 2.46 88.555.42 436.720.94 15.470.633.24 177.436.017.85 143.16 Taxas 188.41 4.52 6.24 97. Nota: O total da Receita Própria equivale a soma da Receita Tributária e Outras Receitas Próprias.733 329.290.225.277.385.636.969.163. FPM.361.07 26.424.149. Município de Bragança 3.926..03 19.565.93 100.909.60 2003 1.48 21.16 83.218.175.32 16.521.03 - ISS 108.601.450.424.34 80.25 10.92 1.403.200.62 2007 3.791.415.04 10.39 224.612.084.195.448.46 658.032.092.60 18.38 15.979.36 54.343.733.099.441.109.854.454.87 45.600.904.765. IPI.905.28 238.32 269.41 921.92 539.599.89 1.897.158.97 59.340.913.

Papel e Produtos de Papel . - Eletricidade.50 53. - Produção Florestal .19. .74 2.343.86 1.081.146. - Fabricação de Máquinas e Equipamentos . - Fabricação de Móveis . Automotores e Motocicletas 52.390.106.99 805.57 Fabricação de Produtos de Borracha e de Material Plástico . .91 930. Produtos Eletrônicos Ópticos .56 132.761.697.615.091.265.15 12.554.207.04 2.018.246.877.112. . . . - Transporte Aquaviário . - Fabricação de Veículos Automotores.72 44.29 1.97 32.796. .99 3. . .28 6. - Fabricação de Celulose. . . . de Produtos Derivados do Petróleo e de Biocombustíveis . - Outros 1.891.602. - Obras de Infraestrutura . . . . - Fabricação de Produtos Químicos . . Município de Bragança 3.65 Fabricação de Produtos Diversos 7. .308.51 Comércio Varejista 869.889. - Fabricação de Prod. .30 1.098.90 1.23 3.66 90.471.344. .10 6.348.177.988. . - Fabricação de Bebidas . .428.760.323. . .64 Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios . . . . .242. Pecuária e Serviços Relacionados . .279.400.764.294.32 33. exceto Veíc. . Gás e Outras Utilidades 675. . .316.23 Fabricação de Produtos de Minerais Não-Metálicos 10. - Fabricação de Produtos de Madeira . .846.132.746. - Transporte Terrestre 2.853. .13 1.950. . .862.99 Transporte Aéreo . - Fabricação de Produtos Têxteis . .98 Fabricação de Produtos do Fumo . - Alimentação .61 2.834.84 1. . .869.59 9.989.875.Automotores e Motocicletas 2.696.163. . .69 5.17 30.48 4. Artigos p/Viagem e Calçados .75 740.102. . . - Fabricação de Produtos Alimentícios 13.54 5.776. . - Fabricação de Equipamentos de Informática.266.93 13. .05 39.040.12 Pesca e Aqüicultura 10.045.183. - Comércio e Reparação de Veíc. - Metalurgia . - Extração de Minerais Não-Metálicos . - Fabricação de Coque. .64 831. Aparelhos e Materiais Elétricos . Segurança e Investigação .359.4 Arrecadação de ICMS por Atividade Econômica 2000-2003 (Valores Nominais (R$) Divisão CNAE 2000 2001 2002 2003 Agricultura.57 17. . - Telecomunicações 448.12 762.247.65 Extração de Minerais Metálicos .56 Fonte: SEFA/ Sistema de Informação da Administração Tributária (SIATI) Elaboração: Idesp/Sepof 37 . .52 1. Exceto Máquinas e Equipamentos 1. .50 Comércio p/Atacado.02 4.04 8. .43 Preparação de Couros e Fabricação de Artefatos de Couro. . .548.33 903.29 TOTAL 6.512.97 190. - Armazenamento e Atividades Auxiliares dos Transportes . .589.433. Reboques e Carrocerias .62 2. .301.510.327. De Metal.392.639. - Atividades de Vigilância.893.407. - Fabricação de Máquinas.

. Reboques e Carrocerias . .13 Pesca e Aqüicultura 39. .08 Transporte Aéreo .131. .189.102. - Fabricação de Máquinas. Gás e Outras Utilidades 2.72 170.759.11 7.31 89.08 Produção Florestal . .957. Aparelhos e Materiais Elétricos . 69. 898.491. .049. .581.939. Produtos Eletrônicos Ópticos .606.88 11. 64.20 19. - Atividades de Rádio e Televisão . .82 170.14 1. Automotores e Motocicletas 47. . de Produtos Derivados do Petróleo e de Biocombustíveis . . - Fabricação de Máquinas e Equipamentos . - Obras de Infraestrutura . De Metal.888. 481.82 4.774. 6. . . Artigos p/Viagem e Calçados .137.834.507.298.65 Correio e Outras Atividades de Entrega . . Pecuária e Serviços Relacionados . . Exceto Máquinas e Equipamentos 5. . .21 2.436. . .117. - Fabricação de Produtos de Madeira .04 5.10 206.674. 6.80 Eletricidade. .169. .844.55 Fabricação de Produtos do Fumo .110.724.66 Armazenamento e Atividades Auxiliares dos Transportes . - Impressão e Reprodução de Gravações . - Transporte Aquaviário . .965. . . .200.949.56 1. - Coleta. . - Fabricação de Equipamentos de Informática. - Edição e Outra Edição Integrada a Impressão . .496.66 TOTAL 14.10 18.661.933. - Fabricação de Produtos Alimentícios 141.979. .14 Fabricação de Produtos de Borracha e de Material Plástico .263. Segurança e Investigação . - Atividades de Vigilância.129.163. . - Fabricação de Bebidas .77 10.985. 1.5 Arrecadação de ICMS por Atividade Econômica 2004-2007 (Valores Nominais (R$) Divisão CNAE 2004 2005 2006 2007 Agricultura.24 8.674. .67 Atividades Cinematográficas. - Fabricação de Celulose. .73 2.156.14 50. - Fabricação de Produtos Químicos .713.855.87 Fabricação de Produtos Têxteis .76 Alimentação .821. . .249.16 1. . . .95 1.622.91 67. . .778. . Tratamento e Distribuição de Água .165.Automotores e Motocicletas 7. .26 Fonte: SEFA/ Sistema de Informação da Administração Tributária (SIATI) Elaboração: Idesp/Sepof 38 .00 6.946.27 17.80 Comércio Varejista 1.54 9.196. . . . . . . .75 2. .23 45.719. - Extração de Minerais Metálicos .019.32 Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios .151.52 2. - Fabricação de Produtos Farmaquímicos e Farmacêuticos . - Metalurgia .17 47. .43 2.346. . Produção de Vídeos e de Programas de Televisão. .616.410.951. Município de Bragança 3. - Fabricação de Veículos Automotores.17 Fabricação de Produtos Diversos 44. .902.21 2.26 Fabricação de Produtos de Minerais Não-Metálicos 5.314. Papel e Produtos de Papel . . .26 27. .172. - Outros 1.563.83 Extração de Minerais Não-Metálicos . - Captação.44 Fabricação de Prod.10 Comércio p/Atacado.307.49 6. exceto Veíc. 2.17 Extração de Carvão Mineral .332.006.124. .468. .19 Fabricação de Outros Equipamentos de Transporte.348. . - Comércio e Reparação de Veíc.963.06 44.330. .69 Preparação de Couros e Fabricação de Artefatos de Couro.923.191. . . .00 2. - Fabricação de Móveis .16 Transporte Terrestre 2.490.52 10.827.851. .279. . .633.17 2. Tratamento e Disposição de Resíduos.19. . Exceto Veículos Automotores .799.452.288.08 Telecomunicações 805. .57 4. 178. .85 44. - Atividades dos Serviços de Tecnologia de Informação . . .828. . 59. 86.70 12.51 2. .044.056.080. 1. Recuperação de Materiais . .428. . Gravação de Som e Edição de Música .451. . - Fabricação de Coque.

019.11 1.450.341.36 278.950 17.291.140 335.608.042 22.00 .900.689 384.483.35 9.41 2008 301.015.029.089.442.043.00 68.893 2003 4 19.403.616 6.976 4.00 92.220.00 11.169.420.19.88 .00 465.177. 109.418.00 113.892.00 650.514 204.00 6.973.226.095 1.219.836.00 1998 51.225 2007 4 38.474.445 1.319.360 8.408 15.672.907.998 1995 4 4.00 .194 2006 4 32.165.00 9.00 576.063.386.00 2001 76.968.217 937.209.978.633.777.065 771.290 1996 4 5.908.) À prazo 1994 .00 2003 87.024.00 55.00 1.00 982.73 213.278.052.045.489.044.990 272.789.206.924 779. Município de Bragança 3.723 1.212 2.021 5.95 1.20 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 3.257 3.849.28 9.271.020.628 10.848 6.240.00 342.208 1.436.00 2000 72.00 10.137.303 1.52 1. 92.269 2.908 473.835.969.00 67.225.168.17 6.14 Fonte: RECEITA FEDERAL Elaboração: Idesp/Sepof Nota: Valores Nominais 3.395. 2.00 488.00 .918 2.622.028.934.139.00) Depósitos Anos Agências Aplicações Poupança À vista (Gov) À vista (Priv.960.00 345.332.278 6.053.000.00 133.27 954.264.263.834.79 3.00 6. Aplicações.825.856 905.20.23 216.00 49. 105.453 36.337 Fonte: BANCO CENTRAL DO BRASIL Elaboração: Idesp/Sepof Nota: Valores Nominais 39 .763.437.00 89. 93.056.317.00 110.705.416.00 54.096 2.53 299.00 961.429 76.281 126.194 208.676.604 2.446.615.379 2.742.720.00 169.137 13.00 .971.19 .442 631.346.00 1.771.689.736 5.677.53 2007 216.887 332.034.904.00 1997 39.00 2002 73.68 9.055.00 .528.157.00 1.780.00 354.00 733.015.00 594.862 2002 4 15.00 .744.848.073.00 733.00 2004 199.133.270.00 6.199.00 766.746.156.00 1999 64. 102.115 2.832.806.00 8.481.823 1.626. Depósitos e Poupança no Estado do Pará 1994-2007 (R$ 1.000 2000 4 6.210.172 1999 4 5.508 1998 4 7.148.18 1.188.514.229.781.214.109.00 .983.00 1.891.828.793.80 2.307.187.975 2004 4 21. 5.790 1.754.425 749.414.713.030.492 9.929.36 148.00 73.00) Anos IRPJ IRPF IOF PIS/PASEP ITR Outras Receitas Total 1995 92.442. 471.170 3. 127.19 2.059 1.565.00 8.00 482.917 731.514. 94.661. 389.00 373.173.44 79.69 872.263 3.724.521.1 Número de Agências Bancárias.304 1.33 2006 198.992 939.71 1.006.249 2001 4 9.00 264.439.00 1996 90.166.283.320.469.313.00 39.773 14.086 640.849.125.00 79.891 1.220 5.00 584.00 .535 1997 4 6.430.202.917.852 11.953.6 Arrecadação Federal 1995-2008 (R$ 1.065 82.00 7.303.990.637.571.009.681.323 2005 4 26.00 2005 193.

Pecuária – No ano de 1996. os totais das características destacadas divergem entre si. ) – Informações não disponíveis ( . devido à realização do Censo Agropecuário.. em alguns municípios. logo para os anos que o município não entrega seu balanço ao TCM. Entre os períodos censitários utilizou-se estimativa de população. não é o mesmo utilizado na pesquisa (janeiro a dezembro/ano). devido à dimensão do Estado o registro de óbitos torna-se. Transporte – Segundo informações. cuja Fonte. os mesmos são atualizados em seus respectivos anos. no ano de 1998. o que não ocorrerá mais a partir do ano de 2000. Para definir as populações Urbana e Rural. são utilizadas conforme os estabelecimentos vão efetuando os Pagamentos atrasados. no entanto não atinge a unidade trabalhada Demografia – Trabalhou-se com os “números” oficiais do IBGE (Órgão Fonte). cuja fonte. podem ter divergências dentro de um mesmo ano. exceto a residencial. as estatísticas referentes a veículos por tipo e veículos licenciados. entretanto é importante destacar que o período de coleta do Censo (agosto/95 a julho/96). em datas diferentes.Tecnologia e Gestão da Informação Sérgio Castro Gomes 40 .. a SEPOF/DIEPI adota a mesma participação do ano censitário. é a SEFA. e por Sexo. – As Estatísticas da Receita Própria e Arrecadação Municipal são retiradas do Balanço de cada Município. pois o mesmo está trabalhando as características em um mesmo programa. eram trabalhadas em setores/programas diferentes. os quais não tinham nenhuma correlação. na medida em que os registros vão ocorrendo. relatórios gerados da mesma variável. divulgado em cada 30/06 do ano corrente. Diretoria de Estatística. Energia – Devido a problemas no Sistema da Rede Celpa. não foi possível desmembrar suas estatísticas por classe. Devido ao fato. Saúde – Segundo a Secretaria de Saúde – SESPA. na maioria das vezes. sendo assim. o IBGE não realizou a Pesquisa de Pecuária Municipal – PPM.) – O Município não possui a variável destacada ( 0 ) – O Município possui a variável destacada. retardatário. Município de Bragança NOTA TÉCNICA Simbologias Adotadas ( . as informações não estarão disponíveis. Finanças Públicas – Estatísticas. Desta forma. é o DETRAN.

É definido normalmente por lei de qualquer umas das instâncias da administração pública. Se contada no sentido este é chamada longitude este de Greenwich (E Gr. Taxa de Urbanização – Proporção entre a população da área urbana em relação à população total. sendo determinada pela razão entre a população e a área de uma determinada região. “área” ou “município”. Decreto ou Ordem. Fuso Horário – convenção estabelecida que se refere a uma área abrangida por dois meridianos. a qual pertence. a situação rural abrange a população e os domicílios recenseados fora dos limites daquelas áreas.). tendo como centro um meridiano cuja longitude é exatamente divisível por 15.) ou negativa. Distribuição da População por Situação de Domicílios – a população é classificada segundo a localização do domicílio nas áreas urbanas ou rurais. Localização Municipal – Refere-se a posição do município em relação ao contexto do Estado. Na situação urbana. contribuindo para aumentar-lhes o volume. onde Pn P (n+1) e Pn representam as populações correspondentes a duas datas sucessivas e n. conforme delimitadas pelas respectivas posturas municipais à época de realização dos Censos Demográficos. Limite – Linha materializada ou não. mesmo que ausentes na data das pesquisas. Densidade Demográfica – é o indicador que mostra como a população se distribui pelo território. medido em ano. Área Municipal – É o cálculo do espaço geográfico ao qual a circunscrição administrativa está inserida. dentro da qual a hora é a mesma em todos os lugares nela inseridos. quando é chamada longitude oeste de Greenwich (W Gr. Coordenadas Geográficas – São valores Numéricos através dos quais pode-se definir a posição de um ponto na superfície da terra. Taxa Geométrica de Incremento Anual – mostra o ritmo de crescimento anual experimentado pela população num determinado período de tempo. Quando medida no sentido do Pólo Sul é chamada latitude sul ou negativa. portanto do ano de emancipação política. A longitude pode ser contada no sentido oeste. DEMOGRAFIA População Residente – constituída pelos moradores nas unidades domiciliares. que demarca a fronteira entre duas áreas vizinhas. definidas por lei municipal. diferente. etc. o intervalo entre essas duas datas. arraiais. com memorial descritivo. Afluente – curso de água que vai até a outra corrente fluvial ou a um lago. Município de Bragança GLOSSÁRIO FISIOGRAFIA Ano de Criação – Significa o ano no qual o distrito foi criado legalmente através da Lei de Criação. estadual ou municipal. 41 . e o mediano de Greenwich para a origem das longitudes. consideram-se as pessoas e os domicílios recenseados nas cidades. tendo como ponto de origem para as latitudes o Equador. inclusive nos aglomerados rurais (povoados. Razão de Sexos – é a relação entre a população masculina e a feminina por 100 e representa o número de homens para cada 100 mulheres. Latitude – Ângulo formado pela normal à superfície adotada para a terra. federal. vilas e áreas urbanas isoladas. Sua variação é 0º a 90ºN ou 0º a + 90º e 0º a 90ºS ou 0º a – 90º. Longitude – Ângulo diedro formado pelos planos do meridiano de Greenwich e do meridiano que passa pelo ponto considerado. Cada fuso tem em geral 15º de longitude. “nação”. É obtida através da fórmula: P (1 + n) i= n -1 x 100 . A latitude quando medida no sentido do Pólo Norte é chamada latitude norte ou positiva.) ou positiva. Gentílico – Nome que designa a “terra”. que passa pelo ponto considerado e a reta correspondente à sua projeção no plano do Equador.

choro. Mortalidade Fetal – é definida entre nós como a produzida antes do nascimento. batimento cardíaco. Função Docente – é o número de professores da escola que leciona em cada grau / modalidade de ensino.000 habitantes. responsáveis pela integração e coordenação das atividades de saúde e assistência. etc). de menos de 15 anos de idade SAÚDE Centro de Saúde . movimentos de músculos de contração voluntária. em relação ao número total de nascimentos. para adolescentes de 11 a 14 anos). para crianças de 7 a 10 anos) e do Ensino Médio de 1o ciclo (também de quatro séries. Ensino Médio – composto de três ou quatro séries é equivalente ao antigo Ensino Médio de 2o ciclo e destina-se a conferir habitação profissional de nível médio à faixa etária de 15 a 18 anos. em um determinado nível de ensino. dividido pela população produtiva de 15 a 64 anos. Fecundidade – Número médio de filhos que teria uma mulher.São serviços oficiais do Ministério da Saúde e Assistência. completando a ação da família e da comunidade. estando sujeita a uma determinada lei de fecundidade. de uma coorte hipotética. com inovações pedagógicas nas terminalidades do nível de ensino. Um professor pode ter mais de uma função docente. manifestou algum sinal de vida (respiração. psicológico. ou ausência de mortalidade desde o nascimento até o final do período fértil. em geral um ano. reprovados e evadidos no final do ano X. Pré-Escolar – primeira etapa da educação básica tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até os 6 anos de idade em seus aspectos físico. ainda que tenha falecido em seguida. Mortalidade Perinatal – é o número de nascidos mortos e mortes ocorridas até uma semana (morte no período à volta do parto) por mil nascidos vivos até uma semana. ou seja. ao fim do período reprodutivo. e exprime-se por 1. Nascidos Vivos – número de nascimentos onde. Ela representa o dimensionamento da força de trabalho. após a expulsão ou extração completa do corpo materno. durante um período de tempo especificado. Taxa de Aprovação – indica o percentual de alunos aprovados em determinado nível de ensino em relação à matrícula final. EDUCAÇÃO Estabelecimento de Ensino – São unidades escolares onde se processa as atividades de ensino e aprendizagem Matrícula Inicial – Número de alunos matriculados em cada grau / modalidade de ensino. Índice de Envelhecimento – Expressa o ritmo de envelhecimento verificado anualmente sendo obtido por: I= Pop. de 65 anos e maior de idade x 100 Pop. bem como pela prestação de cuidados médicos de base. Constitui uma fusão do antigo ensino primário comum (quatro séries. de acordo com o horário de funcionamento da turma. Mortalidade Infantil – número de mortes de crianças com menos de 1 ano de idade por mil nascidos vivos nesse ano. Mortalidade Geral – refere-se ao número total de óbitos ocorridos numa determinada população. Mortalidade Materna – É número de mortes maternas associadas com a gravidez e o parto. mostra a percentagem da população dependente em relação à população em idade ativa. intelectual e social. efetivamente freqüentando a escola em cada série. no nível de ensino. 42 . Matrícula Final – é o total de alunos aprovados. Município de Bragança Razão de Dependência – é o resultado da soma da população jovem de 0 a 15 anos mais a população idosa de 65 anos e mais de idade. com o objetivo de assegurar a cobertura médico-sanitária da população da área que lhes corresponde. de natureza não especializada. Doenças Crônicas Degenerativas – patologias que não tem cura. Ensino Fundamental – obrigatório e gratuito para alunos de 7 a 14 anos compreende oito séries letivas. independentemente do tempo de duração da gestação. e que causam danos em longo prazo. Tais doenças ocasionam ônus à saúde pública pois exigem uso de medicamentos contínuos.

no nível de ensino. salvo aqueles situados em propriedade rural na qual seja desenvolvida atividade agropecuária com objetivo econômico. couros. outros serviços. produtos alimentares. em determinado nível de ensino em relação à matrícula final. material elétrico e de comunicações. produtos de materiais plásticos. Volume Faturado – Quantidade de água (medida e/ou estimada) ou de esgotos. é o serviço de telecomunicação destinado a distribuir sons e imagens a assinantes. saneamento e tração urbana e/ou ferroviária explorados mediante concessão ou autorização. industriais e públicas. indústria rural e coletividade rural). dotado de no mínimo um ponto de água. borracha. editorial e gráfica. têxtil. iluminação pública (são alocados iluminação de ruas. praças. TVA – Serviço especial de televisão por assinatura. Comercial – É aquela em que as unidades consumidoras exercem atividade comercial e de prestação de serviços (exclusive os serviços públicos). bebidas. consumo próprio (fornecimento destinado ao próprio concessionário devendo ser consideradas as seguintes subclasses: consumo próprio. para efeito de faturamento. exceto a iluminação pública e os serviços públicos)). sabões e velas. produtos minerais não metálicos. no nível de ensino. 43 . ou de órgãos pertencentes aos poderes públicos municipal. o setor rural (são alocados nesta categoria consumidores que desenvolvem atividade rural com objetivos econômicos. perfumaria. diversos. que forem de responsabilidade de pessoa jurídica de direito público. comerciais. comerciais. relativo ‘as economias residenciais. Taxa de Evasão – indica o percentual de alunos evadidos (afastados por abandono). esgoto. serviços de irrigação. produtos farmacêuticos e veterinários. inclusive o fornecimento destinado às instalações de uso comum de prédio ou conjunto com predominâncias de unidades consumidoras não residenciais. peles e produtos similares. e construção. papel e papelão. Inclui-se nesta classe o fornecimento para uso comum de prédios ou conjuntos com predominância de unidades consumidoras residenciais. madeira. exclusive tração elétrica. estradas e outros logradouros de domínio público de uso comum e livre acesso de responsabilidade de pessoa jurídica de direito público). ABASTECIMENTO DE ÁGUA Economias – Todo imóvel com ocupação independente. cooperativa de eletrificação rural. avenidas. mecânica. mobiliária. destaca-se. Emissora de TV – É a emissora de radiodifusão de televisão que transmite simultaneamente sinais de imagens e som destinados a serem recebidos pelo público em geral. serviços de transporte. Industrial – É aquela em que as unidades consumidoras desenvolvem atividades industriais. máquinas e equipamentos para prestação de serviços públicos de água. Dentre as que se classificam como outro. de profissionais liberais no exercício de sua profissão. A classe comercial deve ser estratificada nas seguintes subclasses: comercial. metalúrgica. Esta categoria é estratificada nas seguintes subclasses: agropastoril. canteiro de obras e interno). serviço público (são alocados os consumidores que utilizam motores. ENERGIA ELÉTRICA Residencial – É aquela em que as unidades consumidoras utilizam a energia elétrica para fins residenciais. vias. serviços de comunicação e telecomunicações. vestuário. química. através de sinais codificados. calçados e artefatos de tecidos. Outros – São alocados nesta categoria as unidades consumidoras não prevista nas demais classes. Município de Bragança Taxa de Reprovação – indica o percentual de alunos reprovados em determinado nível de ensino em relação à matrícula final. utilidade pública. jardins. perfeitamente identificável como uma unidade autônoma. estadual ou federal. fumo. Para que se tenha um conjunto mais homogêneo com relação à atividade industrial sugere-se estratificar os consumidores nos seguintes gêneros: extração de tratamento de minerais. COMUNICAÇÃO Terminal Instalado – Terminal telefônico utilizado por domicílio residencial e os estabelecimentos industriais. faturado no mês. mediante utilização de canais do espectro radioelétrico. e poder público (são alocados os consumidores independentes da atividade desenvolvida.

assinante de linha telefônica têm acesso através do nº especial para transmitir o telegrama e informações adicionais. AGROPECUÁRIA Culturas Temporárias – São culturas de curta ou média duração. café. álcool anidro. impressão ou carimbo de indicação ‘ PORTE PAGO ’. Objetos Simples recebidos – São todos os objetos sem registro recebidos de outras localidades. gasolina. O nome e o endereço do assinante de caixa postal só poderão ser divulgados. feijão. na data de referência da pesquisa. óleo combustível. gás liquefeito de petróleo (GPL). que pode ser nacional ou internacional. a pedido de um remetente. Navegação externa. Caixas Postais – É o serviço através do qual os objetos são depositados em receptáculos apropriados. Município de Bragança MMDS – Serviço de distribuição de sinais multiponto multicanal. instalados em logradouros públicos ou em estabelecimentos comerciais destinados ao atendimento do usuário por meio de depósito de correspondências previamente franqueadas. fumo. Encomenda Normal – É a modalidade de serviço de envio de encomenda em âmbito nacional. Unidade Armazenadora – (Pesquisa de Estoques). batata-inglesa. Ex: algodão arbóreo. querosene de avião. sem a interferência de empregado da ECT.: algodão herbáceo. é um codificador de televisão que se utiliza faixa de microondas para transmitir sinais a serem recebidos em pontos determinados dentro da área de prestação de serviço. necessitam de um novo plantio. mediante tratamento urgente. do valor correspondente a um título emitido por unidade ou órgão da ECT. cacau. E para as culturas temporárias de longa duração. soja. cebola. exclusivamente em território nacional. ou seja. Navegação de Longo Curso – é a navegação realizada com o comércio internacional. para entrega mediante a utilização da respectiva chave. para serem entregues aos seus respectivos destinatários. pela ECT. banana. Para as culturas temporárias de curta e média duração.. Telegrama Fonado – É o serviço no qual o cliente. geralmente com ciclo vegetativo (período compreendido entre o plantio e a colheita) inferior a um ano e que depois de colhidas. no máximo. no regime nacional ou ‘ PORTPYÉ ’. Culturas Permanentes – São culturas de longo ciclo vegetativo. Área Colhida – É a parcela da área plantada de cada produto que foi realmente colhida durante o ano-base do levantamento. mediante tratamento não urgente. quando o proprietário da caixa postal autorizar. coco-da-baía. que permitem colheitas por vários anos sem necessidade de novo plantio. liquido de castanha de caju (LCC) e lubrificantes naftênicos. no internacional. pimenta-do-reino. Sedex . Porte Pago – É o serviço que possibilita a postagem de impressos franqueados mediante colagem de etiqueta padronizada. derivados de soja e fertilizantes. a área colhida será. milho e soja. sisal e uva. petróleo comum. Vale Postal Nacional: Consiste no pagamento a um favorecido (destinatário) em moeda corrente no país. encaminhamento e entrega. Reembolso Postal – Consiste no recebimento. Navegação de Cabotagem – é navegação realizada porto a porto no próprio país. tais como: trigo em grãos. a área em que foi colhida a produção no ano-base do levantamento. laranja. igual à área plantada quando não houver perda por adversidade climática (chuva. podendo ser postada com ou sem valor declarado. arroz. amendoim.. no formulário próprio. Prédio ou instalação construída ou adaptada para a armazenagem de produtos. Produção Agrícola – Quantidade de cada produto agrícola obtida na área colhida. de objetos postais e no pagamento aos remetentes dos valores por estes determinados e recebidos dos destinatários.É a modalidade do serviço de encomenda expressa. etc. Granéis Sólidos – São Considerados granéis sólidos a movimentação de cargas. seca. Valor da Produção – É o preço médio do produto multiplicado pela quantidade produzida.). pode ser postada com ou sem valor declarado. Ex. A unidade 44 . granizo. patogênica ou econômica. executada em âmbito nacional. exclusive os tonéis ou tanques metálicos utilizados para armazenagem de óleos vegetais. TRANSPORTE Granéis Líquidos – a movimentação de cargas do tipo: óleo diesel. geada. Caixa de Coleta – Receptáculos em acrílico. Para as culturas permanentes a área colhida corresponde à área ocupada com pés que produziram no ano- base do levantamento. milho.

Tal unidade armazenadora pode ser de concreto. expresso em metros cúbicos para armazéns convencionais. equipamentos automatizados ou semi-automatizados. Produção da Extração Vegetal e Silvicultura – Informações sobre a quantidade e valor das produções obtidas mediante a exploração de maciços florestais nativos (extrativismo vegetal) ou provenientes da exploração de maciços florestais plantados (silvicultura). Armazém Graneleiro – Unidade armazenadora caracterizada por um compartimento de estocagem. de comportamentos únicos. de pedras preciosas e semipreciosas. gás natural e combustível mineral de carvão-de-pedra. dotada de válvulas e comportas que permitem sua modelagem ou armação através de insuflação de ar circulante. nas zonas de expansão das fronteiras agrícolas. de outros minerais não metálicos. ou que tem a guarda de produtos agropecuários e/ou seus derivados vinculada à sua atividade principal (agropecuária. Armazém Inflável – (Pesquisa de Estoque). Unidade armazenadora de estrutura auto-sustentável. para operar com produtos a granel. de petróleo. Unidade armazenadora de estrutura flexível e inflável. metais não ferrosos (bauxita. de concreto ou alvenaria. armazém granelizado e silo (para grãos). geralmente em número de dois. resultante de uma adaptação do armazém convencional. granelizados e silos. em geral. caixas. cobre. armazém estrutural. em vinil ou polipropileno. adequados à guarda e à proteção de mercadorias embaladas em sacos. Armazém Convencional – Unidade armazenadora de piso plano. à qualidade e quantidade do atendimento e dos serviços e equipamentos ofertados. FINANÇAS PÚBLICAS Receita Tributária – São Recursos decorrentes da arrecadação de impostos. tório e areia monazítica). estruturais e infláveis. caracterizada por um ou mais compartimentos estanques denominados células. Receita Própria – São Recursos decorrentes da arrecadação e transferências de impostos e contribuições de melhoria. possuindo. com fechamento lateral e cobertura de vinil ou polipropileno. que se dedica à prestação de serviços de armazenagem. Armazém Granelizado – Unidade armazenadora de fundo plano. cassiterita e manganês). metais preciosos. movimentação. obedecendo a padrões dando ênfase. apresentando fundo em forma de V ou W. nas zonas de expansão das fronteiras agrícolas. utilizada. como também na extração de sal. alvenaria ou de outros materiais próprios para a construção. xisto betuminoso e outros combustíveis. indústria). formando um conjunto sob a mesma gerência. onde a massa de grãos é separada por septos divisórios. comércio. extração de gesso e minerais radioativos (urânio. Limite máximo de utilização da unidade armazenadora. que permite armazenagem emergencial. Silo – Unidade Armazenadora de grãos. com refeição ou sem elas. extração de pedras e outros materiais para construção. Estabelecimento – Local constituído por uma ou mais unidades armazenadoras. extração de minerais para fabricação de adubos e fertilizantes para elaboração de outros produtos químicos. Capacidade Útil – (Pesquisa de Estoques). com a finalidade específica de alojamento. Município de Bragança armazenadora classifica-se em: armazém convencional. Armazém Estrutural – (Pesquisa de Estoque). localizado. etc. TURISMO Estabelecimentos de Hospedagem – São estruturas prediais construídas ou implantadas. ainda. instalados numa central de recebimento e beneficiamento de produtos. armazém inflável. 45 . Hotéis Cadastrados – Estabelecimentos onde se reservam ou alugam quartos e apartamentos mobiliados. taxas e contribuições de melhoria. armazém graneleiro. para visitantes ou turistas. e em toneladas para armazéns graneleiros. constantes na classificação da EMBRATUR. em geral. Extração Mineral e Metálica – Consiste na extração de minério de ferro. desde que apresente boas condições de ventilação. próprias ou não. sintetização ou solonização de minerais metálicos. fardos. drenagem e cobertura.

incentivando a descentralização da localização de empreendimentos e a formação de cadeias produtivas. abrangendo o setor público e privado. taxas e contribuições de melhoria da esfera Municipal. INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS Operação de Crédito – Recursos decorrentes da colocação de títulos públicos ou de nenhum dos demais regimes e tenham escrita fiscal e contábil maior que 200. em consonância com as diretrizes do Plano Plurianual. 46 . FDE – Fundo de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pará é um fundo para financiar Programas e Projetos. Recursos do Governo Federal que através de convênios com Estados repassa recursos para pequenos agricultores através das secretarias de Agricultura. Projetos CONDEL/SUDAM – São projetos de incentivos fiscais na Região Amazônia.000 UFIR. Arrecadação Federal – São Recursos decorrentes da arrecadação de impostos. IPVA e cota parte do Fundo de Exportação (IPI – Exportação). Arrecadação Municipal – São Recursos decorrentes da arrecadação de impostos. que a partir do no 2000 passa a ser PEQ (Programa de Ensino de Qualificação). o qual determina repasse aos municípios nos percentuais de 25%. Arrecadação Estadual –São Recursos decorrentes da arrecadação de impostos. pertinente a arrecadação sobre o ICMS. diversificar e integrar a base produtiva. taxas e contribuições de melhoria da esfera Federal. respectivamente. considerados relevantes para o desenvolvimento econômico do Estado do Pará. 50% e 25%. taxas e contribuições de melhoria da esfera Estadual. Município de Bragança Transferências Constitucionais – Dispositivo constitucional. PRONAF – Programa Nacional Agricultura Familiar. INVESTIMENTOS E FINANCIAMENTOS Programa de Crédito Produtivo – São Programas voltados para dinamizar os setores produtivos. de forma a reduzir as desigualdades Regionais e Sociais. PEP – Programa de Ensino Profissionalizante.

gov.pa.pa.050-350 Fone/Fax: 3321-0610 / 3321-0628 E-mail: sergio.br .Informações: NÚCLEO DE DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.gov. COMUNICAÇÃO E SUPORTE DE DECISÃO Rua Municipalidade.pa. 1461 CEP: 66.br E-mail: geovana.pires@idesp.br Home page: www.gov.idesp.gomes@idesp.