You are on page 1of 33

Seminário de Saúde da Criança

Tema: Doenças Neurológicas

Your Logo
Your
Logo

SÍNDROMES NEUROLÓGICAS

COMPONENTES:

Rafael Mascarenhas;

Raquel Esteves;

Renata Leal;

Vandinéia;

Sandra Dias.

Mascarenhas; ❖ Raquel Esteves; ❖ Renata Leal; ❖ Vandinéia; ❖ Sandra Dias. Here comes your footer

Here comes your footer

Mascarenhas; ❖ Raquel Esteves; ❖ Renata Leal; ❖ Vandinéia; ❖ Sandra Dias. Here comes your footer

APRESENTAÇÃO DO TEMA

Sistema Nervoso Central

Cérebro e medula espinhal
Cérebro e medula espinhal

Cérebro e medula espinhal

Sistema Nervoso Periférico

Nervos cranianos e espinhais
Nervos cranianos e espinhais

Nervos cranianos e espinhais

Função

e medula espinhal ❖ Sistema Nervoso Periférico Nervos cranianos e espinhais ❖ Função ❖ Here comes

Here comes your footer

e medula espinhal ❖ Sistema Nervoso Periférico Nervos cranianos e espinhais ❖ Função ❖ Here comes

HIDROCEFALIA

HIDROCEFALIA “A Hidrocefalia, também conhecida vulgarmente como "água na cabeça“
“A Hidrocefalia, também conhecida vulgarmente como "água na cabeça“

“A Hidrocefalia, também conhecida vulgarmente como "água na cabeça“

“A Hidrocefalia, também conhecida vulgarmente como "água na cabeça“
comes your
comes your
HIDROCEFALIA “A Hidrocefalia, também conhecida vulgarmente como "água na cabeça“ comes your Here footer
HIDROCEFALIA “A Hidrocefalia, também conhecida vulgarmente como "água na cabeça“ comes your Here footer

Here

footer

HIDROCEFALIA

A hidrocefalia é caracterizada por acúmulo anormal de líquido cérebro raquidiano (LCR) dentro da cavidade craniana.

cérebro raquidiano (LCR) dentro da cavidade craniana. ▪ O LCR atua como uma almofada para o

O LCR atua como uma almofada para o cérebro e a medula espinhal, suprindo de nutrientes e eliminando escórias (produtos degradados).

cérebro e a medula espinhal, suprindo de nutrientes e eliminando escórias (produtos degradados). Here comes your
cérebro e a medula espinhal, suprindo de nutrientes e eliminando escórias (produtos degradados). Here comes your

Here comes your footer

HIDROCEFALIA

HIDROCEFALIA Here comes your footer ▪ Ela tem como principal causa obstrução do fluxo de LCR

Here comes your footer

Ela tem como principal causa obstrução do fluxo de LCR em qualquer lugar ao longo de seu percurso, ventrículos, aqueduto cerebral, espaço e vilosidades aracnoidianas.

É importante lembrar a ocorrência das formas incomuns sem dilatação ventricular ou até mesmo com pressão normal.

É importante lembrar a ocorrência das formas incomuns sem dilatação ventricular ou até mesmo com pressão

HIDROCEFALIA

HIDROCEFALIA Here comes your footer
HIDROCEFALIA Here comes your footer
HIDROCEFALIA Here comes your footer
HIDROCEFALIA Here comes your footer

Here comes your footer

CLASSIFICAÇÃO

Hidrocefalia Congênita:

- Está presente ao nascimento, embora possa passar desapercebida por anos.

Hidrocefalia Adquirida:

- Resulta de traumas ou doenças que acontecem durante ou depois do nascimento, incluindo infecções no cérebro e na coluna vertebral (meningites), sangramento de vasos sanguíneos no cérebro, trauma de crânio, ou tumores e cistos cerebrais.

sangramento de vasos sanguíneos no cérebro, trauma de crânio, ou tumores e cistos cerebrais. Here comes
sangramento de vasos sanguíneos no cérebro, trauma de crânio, ou tumores e cistos cerebrais. Here comes

Here comes your footer

sangramento de vasos sanguíneos no cérebro, trauma de crânio, ou tumores e cistos cerebrais. Here comes

CLASSIFICAÇÃO 1

A Hidrocefalia pode ser classificada de acordo com sua causa:

- Hidrocefalia Obstrutiva (não-comunicante):

- é causada por um bloqueio no sistema dos ventrículos do cérebro.

- Hidrocefalia Não-obstrutiva (comunicante):

- é o resultado de problemas com a produção do líquido cérebro-espinhal ou de sua absorção.

- Hidrocefalia de Pressão Normal:

- é vista em adultos mais idosos. Pode ser o resultado de trauma ou doença, mas na maioria dos casos a causa é desconhecida.

Pode ser o resultado de trauma ou doença, mas na maioria dos casos a causa é

Here comes your footer

Pode ser o resultado de trauma ou doença, mas na maioria dos casos a causa é

QUADRO CLÍNICO

Varia de acordo com:
Varia de acordo com:

faixa etária do paciente

causa primária ou doença de base

presença de outras malformações ou danos cerebrais

grau de obstrução da circulação liquórica

nível da pressão intracraniana

liquórica ▪ nível da pressão intracraniana A partir do 3º ano de vida, podem ser diferenciados
A partir do 3º ano de vida, podem ser diferenciados dois quadros clínicos: - Hidrocefalia
A partir do 3º ano de vida, podem ser
diferenciados dois quadros clínicos:
- Hidrocefalia aguda:
- Hidrocefalia crônica:

Here comes your footer

QUADRO CLÍNICO

Nas crianças mais novas os sintomas são:

- Uma cabeça grande que cresce rapidamente

- Uma dilatação macia e "inchada" em cima da cabeça (fontanela anterior dilatada)

- Irritabilidade

- Ataques epiléticos

- Retardo no desenvolvimento físico e mental

Nas crianças mais velhas

- Dor de cabeça

- Dificuldade para caminhar

- Perda das habilidades físicas

- Mudança de personalidade

- Diminuição da capacidade mental

Em qualquer idade, os sintomas podem incluir:

-

Vômitos e

Here comes your

da capacidade mental ▪ Em qualquer idade, os sintomas podem incluir: - Vômitos e Here comes

- Letargia

footer

DIAGNÓSTICO

LCR;

- (colhido sempre por profissional experiente, por via transformada ou suboccipital; NUNCA lombar).

Ultra-sonografia transfontanela;

Tomografia do crânio;

- (nos pacientes com fontanelas fechadas ou quando o exame ultra-sonográfico exigir melhores esclarecimentos).

Ressonância magnética;

-

(indicada em casos reservados; exame de custo elevado).

▪ Ressonância magnética; - (indicada em casos reservados; exame de custo elevado). Here comes your footer

Here comes your footer

DIAGNÓSTICO

A hidrocefalia descompensada exige hospitalização e o encaminhamento ao neurocirurgião.

Conforme o caso, podem ser adotados os seguintes procedimentos cirúrgicos:

- punção de alívio,

- drenagem ventricular externa,

- derivação ventriculoperitoneal ou ventriculoatrial e/ou terceiro-ventrículo-cisternostomia.

Ocasionalmente, são usados medicamentos para reduzir a velocidade de produção do líquido cérebro-espinhal por um tempo.

medicamentos para reduzir a velocidade de produção do líquido cérebro-espinhal por um tempo. Here comes your

Here comes your footer

medicamentos para reduzir a velocidade de produção do líquido cérebro-espinhal por um tempo. Here comes your

DIAGNÓSTICO

DIAGNÓSTICO Here comes your footer ▪ A perspectiva depende da causa de Hidrocefalia e normalmente é
DIAGNÓSTICO Here comes your footer ▪ A perspectiva depende da causa de Hidrocefalia e normalmente é

Here comes your footer

▪ A perspectiva depende da causa de Hidrocefalia e normalmente é melhor se o problema
▪ A perspectiva depende da causa
de Hidrocefalia e normalmente é
melhor se o problema é
diagnosticado e é tratado cedo.
▪ Se a hidrocefalia piora rapidamente ou
dura muito tempo, pode causar lesão
cerebral e até a morte.
▪ Crianças com Hidrocefalia são mais
prováveis de ter déficits de
desenvolvimento.
▪ Com tratamento apropriado, a sobrevida
da maioria das crianças com hidrocefalia

é boa e aproximadamente a metade delas tem inteligência normal.

MIELOMENINGOCELE

MIELOMENINGOCELE

MIELOMENINGOCELE
MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso )
MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso )
MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso )

( É uma malformação congênita do sistema nervoso )

MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso )
MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso )
MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso ) Here comes your footer
MIELOMENINGOCELE ( É uma malformação congênita do sistema nervoso ) Here comes your footer

Here comes your

footer

APRESENTAÇÃO DO TEMA

DEFEITOS NO TUBO NEURAL (DTN)

O volume sangüíneo sofre modificações

caindo abaixo dos níveis não gravídicos. Ocorre então a queda do folato.

Função do Ácido Fólico- capacidade de intervenção em numerosos processos metabólicos

Ingestão diária de 0,4mg

Uma vez instalado o DTN, não há reversão, mesmo que, durante o pré-natal haja a ingestão do ácido fólico.

Anencefalia

Espinha bífida

Here comes your

footer

o pré-natal haja a ingestão do ácido fólico. ✓ Anencefalia ✓ Espinha bífida Here comes your

APRESENTAÇÃO DO TEMA

ESPINHA BÍFIDA (é causada pelo fechamento incompleto do canal vertebral)
ESPINHA BÍFIDA
(é causada pelo fechamento incompleto do canal vertebral)

- MENINGOCELE

- MENINGOCELE (Forma um cisto no local formado por tecidos da meninge e de líquido cefalorraquidiano.
(Forma um cisto no local formado por tecidos da meninge e de líquido cefalorraquidiano. )

(Forma um cisto no local formado por tecidos da meninge e de líquido cefalorraquidiano. )

- MIELOMENINGOCELE

- MIELOMENINGOCELE (Forma mais grave, constituído além das meninges e do líquido cefalorraquidiano, partes da medula
(Forma mais grave, constituído além das meninges e do líquido cefalorraquidiano, partes da medula e

(Forma mais grave, constituído além das meninges e do líquido cefalorraquidiano, partes da medula e nervos)

- OCULTA

(Esta é a forma mais branda

(Esta é a forma mais branda da espinha bífida)

da espinha bífida)

(Esta é a forma mais branda da espinha bífida)

Here comes your footer

partes da medula e nervos) - OCULTA (Esta é a forma mais branda da espinha bífida)

MIELOMENINGOCELE

(O tecido nervoso sai através do canal vertebral, formando uma protuberância mole, na qual a
(O tecido nervoso sai através do canal vertebral,
formando uma protuberância mole,
na qual a medula espinhal fica sem proteção)
mole, na qual a medula espinhal fica sem proteção) Here comes your (Causas genéticas, cromossômicas e
Here comes your (Causas genéticas, cromossômicas e ambientais)
Here comes your
(Causas genéticas, cromossômicas e ambientais)

footer

na qual a medula espinhal fica sem proteção) Here comes your (Causas genéticas, cromossômicas e ambientais)

MIELOMENINGOCELE

A falta de proteção da medula espinhal causada pela espinha bífida resulta em deficiências neurológicas,
A falta de proteção da medula espinhal causada pela espinha bífida
resulta em deficiências neurológicas, e ortopédicos
Região lombossacra
Região lombossacra

Região lombossacra

Prognóstico
Prognóstico
bífida resulta em deficiências neurológicas, e ortopédicos Região lombossacra Prognóstico Here comes your footer

Here comes your footer

bífida resulta em deficiências neurológicas, e ortopédicos Região lombossacra Prognóstico Here comes your footer

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Também podem ser constatadas uma série de outras anomalias congênitas associadas, como:

-Luxações coxo-femorais; -Pé eqüinovaro; -Presença de hemivértebras; -Lábio leporino; -Fenda palatina; -Malformações cardíacas e; -Malformações das vias urinárias.

leporino; -Fenda palatina; -Malformações cardíacas e; -Malformações das vias urinárias. Here comes your footer
leporino; -Fenda palatina; -Malformações cardíacas e; -Malformações das vias urinárias. Here comes your footer
leporino; -Fenda palatina; -Malformações cardíacas e; -Malformações das vias urinárias. Here comes your footer
leporino; -Fenda palatina; -Malformações cardíacas e; -Malformações das vias urinárias. Here comes your footer
leporino; -Fenda palatina; -Malformações cardíacas e; -Malformações das vias urinárias. Here comes your footer

Here comes your footer

DIAGNÓSTICO

Pode ser feito ainda intra-uterinamente pela ultra-sonografia ou pelo elevado nível de alfafetoproteína (AFP);

Exames Complementares:

Exame físico:

Radiologia Simples:

Tomografia Computadorizada (TC):

Ressonância Magnética (RM):

físico: Radiologia Simples: Tomografia Computadorizada (TC): Ressonância Magnética (RM): Here comes your footer

Here comes your footer

físico: Radiologia Simples: Tomografia Computadorizada (TC): Ressonância Magnética (RM): Here comes your footer

TRATAMENTO CIRÚRGICO

A cirurgia torna-se inevitável. É realizada para o fechamento da lesão.

Consiste em técnicas microcirúrgicas que buscam a reconstituição anatômica da medula espinhal e a preservação da maior quantidade possível de tecido nervoso funcionante.

É importante que a hidrocefalia, se presente, seja tratada simultaneamente, pois caso contrário, uma vez fechada a lesão, haverá aumento da pressão intracraniana, podendo levar a um extravasamento de LCR e não cicatrização da lesão.

pressão intracraniana, podendo levar a um extravasamento de LCR e não cicatrização da lesão. Here comes
pressão intracraniana, podendo levar a um extravasamento de LCR e não cicatrização da lesão. Here comes

Here comes your footer

pressão intracraniana, podendo levar a um extravasamento de LCR e não cicatrização da lesão. Here comes

HEMORRAGIA

INTRAVENTRICULAR

HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR Here comes your footer
HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR Here comes your footer

Here comes your footer

APRESENTAÇÃO DO TEMA

A hemorragia intra-ventricular (HIV) do recém-nascido é um distúrbio característico que ocorre em prematuros ou neonatos a termo de baixo peso com síndrome da angústia respiratória. A lesão inicial consiste de um infarto hemorrágico da substância branca periventricular que se rompe secundariamente para dentro dos ventrículos cerebrais.

Here comes your
Here comes your

footer

branca periventricular que se rompe secundariamente para dentro dos ventrículos cerebrais. Here comes your footer

HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR

HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR Here comes your footer
HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR Here comes your footer

Here comes your footer

HEMORRAGIA INTRAVENTRICULAR Here comes your footer

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Os sinais e sintomas clínicos relacionam-se com o resultado da perda de volume sanguíneo e sua evolução ou da disfunção neurológica.

Choque;

Palidez;

Angústia Respiratória;

Coagulação Intravascular Disseminada;

Icterícia;

▪ Angústia Respiratória; ▪ Coagulação Intravascular Disseminada; ▪ Icterícia; Here comes your footer

Here comes your footer

▪ Angústia Respiratória; ▪ Coagulação Intravascular Disseminada; ▪ Icterícia; Here comes your footer

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Com relação à disfunção neurológica: ▪ Fontanela anterior aumentada; ▪

Com relação à disfunção neurológica:

Fontanela anterior aumentada; Sonolência excessiva;

Hipotonia;

Fraqueza;

Convulsões;

Instabilidade de temperatura;

Apnéia;

Movimentos extra-oculares;

Convulsões; ▪ Instabilidade de temperatura; ▪ Apnéia; ▪ Movimentos extra-oculares; Here comes your footer

Here comes your footer

Convulsões; ▪ Instabilidade de temperatura; ▪ Apnéia; ▪ Movimentos extra-oculares; Here comes your footer

DIAGNÓSTICO

DIAGNÓSTICO Here comes your footer ▪ Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética; ▪ Para fins de

Here comes your footer

Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética; Para fins de avaliação clínica, a HIV é graduada pela TC e RM da seguinte forma:

Grau 1: hemorragia petequial, limitada a substância branca periventricular subependimária;

Grau 2: hemorragia intraventricular sem ventriculomegalia;

Grau 3: hemorragia intraventricular com ventriculomegalia;

Grau 4: hematoma intracerebral com hemorragia intraventricular e ventriculomegalia.

com ventriculomegalia; ▪ Grau 4: hematoma intracerebral com hemorragia intraventricular e ventriculomegalia.

TRATAMENTO

Ventilação assistida e transfusões freqüentes

Antibióticos, anticonvulsivantes e alimentação parenteral são também administrados.

A drenagem ventricular externa é preferível em vez de punções lombares repetidas.

Nos casos de hemorragias grau 2 ou 1, devido ao pequeno risco de hidrocefalia, a drenagem do LCR não está indicada.

grau 2 ou 1, devido ao pequeno risco de hidrocefalia, a drenagem do LCR não está

Here comes your footer

grau 2 ou 1, devido ao pequeno risco de hidrocefalia, a drenagem do LCR não está

AÇÕES DE ENFERMAGEM

AÇÕES DE ENFERMAGEM
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hidrocefalia)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hidrocefalia)

(Hidrocefalia)

AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hidrocefalia)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hidrocefalia)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hidrocefalia)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hidrocefalia)

Observar e registrar sinais de elevação da pressão intracraniana

Avaliar a evolução da hidrocefalia.

Medir diariamente o perímetro cefálico e abdominal

Palpar as fontanelas e linhas de sutura

Verificar e registrar sinais vitais.

Apoiar a cabeça do RN ao movimentá-lo.

Observar e registrar entrada e saída de líquidos.

Oferecer apoio emocional aos pais.

Reduzir a ansiedade.

Explicar os procedimentos e plano médico aos familiares.

Cuidados pré e pós cirúrgicos

Manter o RN aquecido

e plano médico aos familiares. ▪ Cuidados pré e pós cirúrgicos ▪ Manter o RN aquecido

Here comes your footer

e plano médico aos familiares. ▪ Cuidados pré e pós cirúrgicos ▪ Manter o RN aquecido
AÇÕES DE ENFERMAGEM

AÇÕES DE ENFERMAGEM

AÇÕES DE ENFERMAGEM (Mielomeningocele)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Mielomeningocele)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Mielomeningocele)

(Mielomeningocele)

AÇÕES DE ENFERMAGEM (Mielomeningocele)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Mielomeningocele)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Mielomeningocele)

Informar e apoiar familiares sobre os procedimentos e os cuidados Cuidados pré- e pós-operatórios

Diminuir o risco de infecção

Manter a protrusão sacular meningeo hidratado e limpo

Manter o RN aquecido

Avaliar sinais vitais

Medir diariamente o perímetro cefálico Encaminhamento para exames

O RN deve ser manuseado com cuidado, a fim de reduzir os danos à medula espinhal. Estes cuidados podem incluir posicionamento, objetos de proteção e modificações na forma de manusear, alimentar, dar

objetos de proteção e modificações na forma de manusear, alimentar, dar Here comes your banho e

Here comes your

objetos de proteção e modificações na forma de manusear, alimentar, dar Here comes your banho e

banho e cuidar do RN.

footer

AÇÕES DE ENFERMAGEM

AÇÕES DE ENFERMAGEM

AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hemorragia Intraventricular)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hemorragia Intraventricular)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hemorragia Intraventricular)

(Hemorragia Intraventricular)

AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hemorragia Intraventricular)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hemorragia Intraventricular)
AÇÕES DE ENFERMAGEM (Hemorragia Intraventricular)

Avaliar funções motoras e reflexos

Pesar o RN todos os dias;

Fazer balanço hídrico;

Avaliar Sinais vitais

Registrar e comunicar sangramentos (otorragia, epistaxe)

Medir perímetro cefálico

Cuidado do manuseio do RN

Comunicar aos familiares os procedimentos a fim de diminuir a ansiedade;

Oferecer suporte de O2;

Manter o RN aquecido;

a fim de diminuir a ansiedade; ▪ Oferecer suporte de O2; ▪ Manter o RN aquecido;

Here comes your footer

a fim de diminuir a ansiedade; ▪ Oferecer suporte de O2; ▪ Manter o RN aquecido;

BIBLIOGRAFIA

FIGUEIRA, Fernando - Diagnostico e Tratamento em Pediatria – Instituto Materno-Infantil de Pernambuco (IMIP), 2ª Ed., 2001.

BRUNNER, - Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgico, 10ª ed., Ed.

RPBBINS, Stanley Leonard – Patologia estrutural e funcional – 6ªed., Ed. Guanabara Koogan,1915.

www.scilelo.com

– Patologia estrutural e funcional – 6ªed., Ed. Guanabara Koogan,1915. ▪ www.scilelo.com Here comes your footer

Here comes your footer

– Patologia estrutural e funcional – 6ªed., Ed. Guanabara Koogan,1915. ▪ www.scilelo.com Here comes your footer