You are on page 1of 11

Nome: Luana Ester Garcia de Moura

Trabalho individual de Fundamentos de Didática: [ x ]
Trabalho extra de Fundamentos de Didática: [ ]

Tendências pedagógicas na prática escolar

Trabalho parcial para aferição da nota
N1 da disciplina Fundamentos de
Didática. Ministrada pelo Prof. Dr.
Alcimar Queiroz.

FAED, UFGD
29 / 05 / 2017

DOURADOS, MS
Maio, 2017

TRABALHO ESCRITO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Tema          
Relação com o artigo/capítulo          
Profundidade          
Formato (Apresentação/Desenvolvimento [Etapas]/Considerações Finais)          
Ortografia/Clareza          
Ilustrações/Gráficos          
Extras          

53) . Desse modo. é uma manifestação própria desse tipo de sociedade. como costuma ser usado. (P. Pedagogia progressista  Libertadora  Libertária  Crítico-social dos conteúdos A exposição das tendências pedagógicas compõe-se de uma caracterização geral das tendências liberal e progressista. "aberto". atinge o nível da concepção filosófica da educação. portanto. Para desenvolver a abordagem das tendências pedagógicas utilizamos como critério a posição que cada tendência adota em relação às finalidades sociais da escola. "democrático". podemos dizer que a perspectiva redentora se traduz pelas pedagogas liberais e a perspectiva transformadora pelas pedagogias progressistas. seguidas da apresentação das pedagogias que as traduzem e que se manifestam na prática docente. que. ou seja. aqui. estaremos aprofundando a compreensão da articulação entre filosofia e educação. Pedagogia liberal  Tradicional  Renovada progressista  Renovada não-diretiva  Tecnicista 2. também denominada sociedade de classes. estabeleceu uma forma de organização social baseada na propriedade privada dos meios de produção. que se sedimenta em uma pedagogia.Fichamento: Tendências pedagógicas na prática escolar Neste capítulo. 53) Pedagogia liberal O termo liberal não tem o sentido de "avançado". A pedagogia liberal. conforme aparece a seguir: 1. (P. Genericamente. vamos tratar das concepções pedagógicas propriamente ditas. Assim vamos organizar os conjuntos das pedagogias em dois grupos. ao defender a predominância da liberdade e dos interesses individuais da sociedade. A doutrina liberal apareceu como justificação do sistema capitalista que. vamos abordar as diversas tendências teóricas que pretenderam dar conta da compreensão e da orientação da prática educacional em diversos momentos e circunstâncias da história humana.

o quanto possível. os problemas sociais pertencem à sociedade. Entretanto. Manifestações na prática escolar — Os princípios da pedagogia progressista vêm sendo difundidos. Caso não consigam. em larga escala. (P. (P. ela deve se organizar de forma a retratar. seu papel é auxiliar o desenvolvimento livre e espontâneo da criança. 56) Conteúdos de ensino — Como o conhecimento resulta dá ação a partir dos interesses e necessidades. antes. 57) Pressupostos de aprendizagem — A motivação depende da força de estimulação do problema e das disposições internas e interesses do aluno. os conteúdos de ensino são estabelecidos em função de experiências que o sujeito vivencia frente a desafios cognitivos e situações problemáticas. 55) Relacionamento professor-aluno — Predomina a autoridade do professor que exige atitude receptiva dos alunos e impede qualquer comunicação entre eles no decorrer da aula. O compromisso da escola é com a cultura. (P. O caminho cultural em direção ao saber é o mesmo para todos os alunos. sua aplicação é reduzidíssima. Relacionamento professor-aluno — Não há lugar privilegiado para 0 professor. 55) Conteúdos de ensino — São os conhecimentos e valores sociais acumulados pelas gerações adultas e repassados ao aluno como verdades. e muitos professores sofrem sua influência. (P. cursos de licenciatura. Todo ser dispõe dentro de si mesmo de mecanismos de adaptação progressiva ao meio e de uma consequente integração dessas formas de adaptação no comportamento. desde que se esforcem. não somente por falta de condições objetivas como também porque se choca com uma prática pedagógica basicamente tradicional. é para dar forma ao raciocínio dela. (P. se intervém. Pressupostos de aprendizagem — A ideia de que o ensino consiste em repassar (P. devem procurar o ensino mais profissionalizante. Assim. para isso. Método de ensino — A ideia de "aprender fazendo" está sempre presente. os menos capazes devem lutar para superar suas dificuldades e conquistar seu lugar junto aos mais capazes. Métodos — Baseiam-se na exposição verbal da matéria elou demonstração. 58) . a vida. 56) Tendência liberal renovada progressista Papel da escola — A finalidade da escola é adequar as necessidades individuais ao meio social e. Tendência liberal tradicional Papel da escola — A atuação da escola consiste na preparação intelectual e moral dos alunos para assumir sua posição na sociedade.

(P. razão pela qual deve estar mais preocupada com os problemas psicológicos do que com os pedagógicos ou sociais. orgânico e funcional. Pressupostos de aprendizagem — A motivação resulta do desejo de adequação pessoal na busca da autorrealização. a escola funciona como mediadora do comportamento humano. Menos recentemente. através de técnicas especificas. na verdade mais psicólogo clínico que educador. Taxia intervenção é ameaçadora. Métodos de ensino — Consistem nos procedimentos e técnicas necessárias ao arranjo e controle nas condições ambientais que assegurem a transmissão/recepção de informações.. Conteúdos de ensino — São as informações. de modo a que o aluno saia da situação de aprendizagem diferente . é portanto um ato interno. o aluno recebe. o inspirador da pedagogia não-diretiva é C. inibidora da aprendizagem. prevalecendo quase que exclusivamente o esforço do professor em desenvolver um estilo próprio para facilitar a aprendizagem dos alunos. Conteúdos de ensino — A ênfase que esta tendência põe nos processos de desenvolvimento das relações e da comunicação torna secundária a transmissão de conteúdos. principalmente orientadores educacionais e psicólogos escolares que se dedicam ao aconselhamento. "Ausentar-se" é a melhor forma de respeito e aceitação plena do aluno. 58) Métodos de ensino — Os métodos usuais são dispensados. conforme um sistema instrucional eficiente e efetivo em termos de resultados da aprendizagem.60) Relacionamento professor-aluno — São relações estruturadas e objetivas. podem-se citar também tendencias inspiradas na escola de Summerhill do educador inglês A Neil. Manifestações na prática escolar Entre nós.59) Tendência liberal tecnicista Papel da escola — Num sistema social harmónico. Pressupostos de aprendizagem — As teorias de aprendizagem que fundamentam a pedagogia tecnicista dizem que aprender é uma questão de modificação do desempenho: o bom ensino depende de organizar eficientemente as condições estimuladoras. (P. Suas ideias influenciam um número expressivo de educadores e professores. Rogers. leis etc.Tendência liberal renovada não-diretiva Papel da escola — Acentua-se nesta tendência o papel da escola na formação de atitudes. (P. aprende e fixa as informações. com papéis bem definidos: O professor administra as condições de transmissão da matéria. princípios científicos.O professor é um especialista em relações humanas ao garantir o clima de relacionamento pessoal e autêntico. estabelecidos e ordenados numa sequência lógica e psicológica por especialistas. Relacionamento professor-aluno — A pedagogia não-diretiva propõe uma educação centrada no aluno. visando formar sua personalidade através da vivência de experiências significativas que lhe permitam desenvolver características inerentes à sua natureza.

isto é. em seguida. ou seja. concretos e. 66) Tendência progressista ' 'crítico-social dos conteúdos' ' Papel da escola — A difusão de conteúdos é a tarefa primordial. (P. que levaria a reivindicações sem conteúdo? Representam as relações não-diretivas as reais condições do mundo social adulto? Seriam capazes de promover a efetiva libertação do homem da sua condição de dominado? . criar um clima amigável para alimentar boas relações. a partir dos níveis subalternos que. Se a escola é parte integrante do todo social. pela intervenção do professor e por sua própria participação ativa. ou garantir aos alunos a aquisição de conteúdos. A valorização da escola como instrumento de apropriação do saber é o melhor serviço que se presta aos interesses populares.68) Em favor da pedagogia crítico-social dos conteúdos: Haverá sempre objeções de que estas considerações levam a posturas antidemocráticas. A ideia básica é introduzir modificações institucionais. já que a própria escola pode contribuir para eliminar a seletividade social e torná-la democrática. à centralização no papel do professor e à submissão do aluno. (P. a análise de modelos sociais que vão lhes fornecer instrumentos para lutar por seus direitos! Não serão as relações democráticas no estilo não—diretivo uma forma sutil de adestramento. (P. (P. 61) Conteúdos de ensino — Denominados "temas geradores". passa de uma experiência inicialmente confusa e fragmentada (sincrética) a uma visão sintética. mas vivos. a apropriação dos conteúdos escolares básicos que tenham ressonância na vida dos alunos. vão "contaminando" todo o sistema. Ou seja.de como entrou. a função da pedagogia "dos conteúdos" é dar um passo à frente no papel transformador da escola. Entendida nesse sentido. Mas o que será mais democrático: excluir toda forma de direção. Não conteúdos abstratos. indissociáveis das realidades sociais. Assim. são extraídos da problematização da prática de vida dos educandos. portanto. uma das mediações pela qual o aluno. ao autoritarismo. Se o que define uma pedagogia crítica é a consciência de seus condicionantes históricos sociais. agir dentro dela é também agir no rumo da transformação da sociedade. mas a partir das condições existentes. o ensino é um processo de condicionamento através do uso de reforçamento das respostas que se quer obter. mais organizada e unificada. a condição para que a escola sirva aos interesses populares é garantir a todos um bom ensino. a educação é "uma atividade mediadora no seio da prática social global". deixar tudo à livre expressão. 63) Tendência progressista libertária Papel da escola — A pedagogia libertária espera que a escola exerça urna transformação na personalidade dos alunos num sentido libertário e auto gestionário.

Para desenvolver a abordagem das tendências pedagógicas utilizamos como critério a posição que cada tendência adota em relação às finalidades sociais da escola. (P. podemos dizer que a perspectiva redentora se traduz pelas pedagogas liberais e a perspectiva transformadora pelas pedagogias progressistas. Tendências pedagógicas na prática escolar. Fichamento: Tendências pedagógicas na prática escolar Neste capítulo. situar o ensino centrado no professor e o ensino centrado no aluno em extremos opostos é quase negar a relação pedagógica porque não há um aluno. nem um professor ensinando para as paredes. Um ponto de vista realista da relação pedagógica não recusa a autoridade pedagógica expressa na sua função de ensinar. Filosofia da Educação. São Paulo: Editora Cortez. ou grupo de alunas. ou seja. Cipriano Carlos. para ajudá- lo no seu esforço de distinguir a verdade do erro. que se sedimenta em uma pedagogia. 1994. Genericamente. entre seu modo de viver e os modelos sociais desejáveis para um projeto novo de sociedade. estaremos aprofundando a compreensão da articulação entre filosofia e educação. Desse modo. aqui. Assim vamos organizar os conjuntos das pedagogias em dois grupos. para ajudá-lo a compreender as realidades sociais e sua própria experiência. 72) Por fim. que. (P. p. não para se opor aos desejos e necessidades ou à liberdade e autonomia do aluno. Pedagogia liberal  Tradicional . Cipriano Carlos. vamos abordar as diversas tendências teóricas que pretenderam dar conta da compreensão e da orientação da prática educacional em diversos momentos e circunstâncias da história humana. para ganhar autonomia.73) Resumo: Tendências pedagógicas na prática escolar LUCKESI. 53-74. vamos tratar das concepções pedagógicas propriamente ditas. aprendendo sozinho. na falta de consideração para com o aluno ou na imposição do medo como forma de tornar mais cômodo e menos estafante o ato de ensinar. conforme aparece a seguir: 1. Mas não deve confundir autoridade com autoritarismo. Este se manifesta no receio do professor em ver sua autoridade ameaçada. mas para ajudá-lo a ultrapassar suas necessidades e criar outras. atinge o nível da concepção filosófica da educação. In: LUCKESI. Há um confronto do aluno entre sua cultura e a herança cultural da humanidade. E há um professor que intervém.

A pedagogia liberal. O compromisso da escola é com a cultura. como costuma ser usado. Assim. Pedagogia progressista  Libertadora  Libertária  Crítico-social dos conteúdos A exposição das tendências pedagógicas compõe-se de uma caracterização geral das tendências liberal e progressista. é uma manifestação própria desse tipo de sociedade. Métodos — Baseiam-se na exposição verbal da matéria elou demonstração.  Renovada progressista  Renovada não-diretiva  Tecnicista 2. desde que se esforcem. Relacionamento professor-aluno — Predomina a autoridade do professor que exige atitude receptiva dos alunos e impede qualquer comunicação entre eles no decorrer da aula. . A doutrina liberal apareceu como justificação do sistema capitalista que. Pressupostos de aprendizagem — A ideia de que o ensino consiste em repassar. os problemas sociais pertencem à sociedade. também denominada sociedade de classes. "aberto". Conteúdos de ensino — São os conhecimentos e valores sociais acumulados pelas gerações adultas e repassados ao aluno como verdades. Pedagogia liberal O termo liberal não tem o sentido de "avançado". "democrático". O caminho cultural em direção ao saber é o mesmo para todos os alunos. seguidas da apresentação das pedagogias que as traduzem e que se manifestam na prática docente. ao defender a predominância da liberdade e dos interesses individuais da sociedade. portanto. estabeleceu uma forma de organização social baseada na propriedade privada dos meios de produção. Caso não consigam. devem procurar o ensino mais profissionalizante. os menos capazes devem lutar para superar suas dificuldades e conquistar seu lugar junto aos mais capazes. Tendência liberal tradicional Papel da escola — A atuação da escola consiste na preparação intelectual e moral dos alunos para assumir sua posição na sociedade.

ela deve se organizar de forma a retratar. é portanto um ato interno. os conteúdos de ensino são estabelecidos em função de experiências que o sujeito vivencia frente a desafios cognitivos e situações problemáticas. em larga escala. Taxia intervenção é ameaçadora. cursos de licenciatura. Todo ser dispõe dentro de si mesmo de mecanismos de adaptação progressiva ao meio e de uma consequente integração dessas formas de adaptação no comportamento. "Ausentar-se" é a melhor forma de respeito e aceitação plena do aluno. Suas ideias influenciam um número expressivo de educadores e . Manifestações na prática escolar Entre nós. razão pela qual deve estar mais preocupada com os problemas psicológicos do que com os pedagógicos ou sociais. sua aplicação é reduzidíssima. o quanto possível. antes. Entretanto. Tendência liberal renovada progressista Papel da escola — A finalidade da escola é adequar as necessidades individuais ao meio social e. Relacionamento professor-aluno — Não há lugar privilegiado para 0 professor. Conteúdos de ensino — A ênfase que esta tendência põe nos processos de desenvolvimento das relações e da comunicação torna secundária a transmissão de conteúdos. Tendência liberal renovada não-diretiva Papel da escola — Acentua-se nesta tendência o papel da escola na formação de atitudes. Métodos de ensino — Os métodos usuais são dispensados. Relacionamento professor-aluno — A pedagogia não-diretiva propõe uma educação centrada no aluno. Pressupostos de aprendizagem — A motivação resulta do desejo de adequação pessoal na busca da autorrealização. seu papel é auxiliar o desenvolvimento livre e espontâneo da criança. visando formar sua personalidade através da vivência de experiências significativas que lhe permitam desenvolver características inerentes à sua natureza. prevalecendo quase que exclusivamente o esforço do professor em desenvolver um estilo próprio para facilitar a aprendizagem dos alunos.O professor é um especialista em relações humanas ao garantir o clima de relacionamento pessoal e autêntico. Método de ensino — A ideia de "aprender fazendo" está sempre presente. Conteúdos de ensino — Como o conhecimento resulta dá ação a partir dos interesses e necessidades. Manifestações na prática escolar — Os princípios da pedagogia progressista vêm sendo difundidos. para isso. Rogers. e muitos professores sofrem sua influência. a vida. Pressupostos de aprendizagem — A motivação depende da força de estimulação do problema e das disposições internas e interesses do aluno. inibidora da aprendizagem. é para dar forma ao raciocínio dela. o inspirador da pedagogia não-diretiva é C. não somente por falta de condições objetivas como também porque se choca com uma prática pedagógica basicamente tradicional. na verdade mais psicólogo clínico que educador. se intervém.

63) Tendência progressista libertária Papel da escola — A pedagogia libertária espera que a escola exerça urna transformação na personalidade dos alunos num sentido libertário e auto gestionário. indissociáveis das realidades sociais. são extraídos da problematização da prática de vida dos educandos. Tendência progressista ' 'crítico-social dos conteúdos' ' Papel da escola — A difusão de conteúdos é a tarefa primordial. Ou seja. Tendência liberal tecnicista Papel da escola — Num sistema social harmónico. conforme um sistema instrucional eficiente e efetivo em termos de resultados da aprendizagem. Menos recentemente.. Se a escola é parte integrante do todo social. podem-se citar também tendencias inspiradas na escola de Summerhill do educador inglês A Neil. Conteúdos de ensino — São as informações. a escola funciona como mediadora do comportamento humano. Conteúdos de ensino — Denominados "temas geradores". portanto. agir dentro dela é também agir no rumo da transformação da sociedade. vão "contaminando" todo o sistema. . a partir dos níveis subalternos que. Se o que define uma pedagogia crítica é a consciência de seus condicionantes históricos sociais. através de técnicas especificas. A valorização da escola como instrumento de apropriação do saber é o melhor serviço que se presta aos interesses populares. estabelecidos e ordenados numa sequência lógica e psicológica por especialistas. o ensino é um processo de condicionamento através do uso de reforçamento das respostas que se quer obter.professores. Não conteúdos abstratos. o aluno recebe. Pressupostos de aprendizagem — As teorias de aprendizagem que fundamentam a pedagogia tecnicista dizem que aprender é uma questão de modificação do desempenho: o bom ensino depende de organizar eficientemente as condições estimuladoras. aprende e fixa as informações. Relacionamento professor-aluno — São relações estruturadas e objetivas. princípios científicos. mas vivos. já que a própria escola pode contribuir para eliminar a seletividade social e torná-la democrática. de modo a que o aluno saia da situação de aprendizagem diferente de como entrou. mas a partir das condições existentes. A ideia básica é introduzir modificações institucionais. concretos e. principalmente orientadores educacionais e psicólogos escolares que se dedicam ao aconselhamento. em seguida. leis etc. a função da pedagogia "dos conteúdos" é dar um passo à frente no papel transformador da escola. com papéis bem definidos: O professor administra as condições de transmissão da matéria. Métodos de ensino — Consistem nos procedimentos e técnicas necessárias ao arranjo e controle nas condições ambientais que assegurem a transmissão/recepção de informações. (P. orgânico e funcional.

ou grupo de alunas. uma das mediações pela qual o aluno. a apropriação dos conteúdos escolares básicos que tenham ressonância na vida dos alunos. criar um clima amigável para alimentar boas relações. a condição para que a escola sirva aos interesses populares é garantir a todos um bom ensino. a educação é "uma atividade mediadora no seio da prática social global". entre seu modo de viver e os modelos sociais desejáveis para um projeto novo de sociedade. ou garantir aos alunos a aquisição de conteúdos. aprendendo sozinho. Este se manifesta no receio do professor em ver sua autoridade ameaçada. Mas o que será mais democrático: excluir toda forma de direção. para ajudá- lo no seu esforço de distinguir a verdade do erro. Entendida nesse sentido. para ajudá-lo a compreender as realidades sociais e sua própria experiência. Assim. na falta de consideração para com o aluno ou na imposição do medo como forma de tornar mais cômodo e menos estafante o ato de ensinar. pela intervenção do professor e por sua própria participação ativa. Mas não deve confundir autoridade com autoritarismo. Em favor da pedagogia crítico-social dos conteúdos: Haverá sempre objeções de que estas considerações levam a posturas antidemocráticas. não para se opor aos desejos e necessidades ou à liberdade e autonomia do aluno. passa de uma experiência inicialmente confusa e fragmentada (sincrética) a uma visão sintética. isto é. . a análise de modelos sociais que vão lhes fornecer instrumentos para lutar por seus direitos! Não serão as relações democráticas no estilo não—diretivo uma forma sutil de adestramento. situar o ensino centrado no professor e o ensino centrado no aluno em extremos opostos é quase negar a relação pedagógica porque não há um aluno. ao autoritarismo. ou seja. para ganhar autonomia. mas para ajudá-lo a ultrapassar suas necessidades e criar outras. Há um confronto do aluno entre sua cultura e a herança cultural da humanidade. nem um professor ensinando para as paredes. deixar tudo à livre expressão. mais organizada e unificada. E há um professor que intervém. que levaria a reivindicações sem conteúdo? Representam as relações não-diretivas as reais condições do mundo social adulto? Seriam capazes de promover a efetiva libertação do homem da sua condição de dominado? Um ponto de vista realista da relação pedagógica não recusa a autoridade pedagógica expressa na sua função de ensinar. Por fim. à centralização no papel do professor e à submissão do aluno.