You are on page 1of 4

INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

UNIDADE MOSSORÓ
CURSO: ELETROTÉCNICA (Subsequente - Matutino)
DISCIPLINA: MECÂNICA BÁSICA
PROFESSOR: PEDRO HENRIQUE XAVIER DE MESQUITA

RELATÓRIO FINAL DA DISCIPLINA
NOÇÕES DE MECÂNICA

Alunos: EDENILTON JOSÉ DE SOUSA
EMERSON DA ROCHA BEZERRA
FÁBIO ARAÚJO MIRANDA

Aulas práticas realizadas no
laboratório de Mecânica do IFRN
da Unidade/Mossoró-RN

Mossoró-RN, 27 de março de 2017

o objetivo era estabelecer um furo de Ø 10 mm. utilizamos inicialmente o esmeril elétrico que rapidamente consome o excesso. após o corte o restante do material foi devidamente acondicionado em local próprio. . utilizamos um paquímetro para a devida checagem e correção das medidas. para o qual foi utilizado a furadeira de bancada. 32 mm 62 mm Na sequência passamos a utilizar a serra para o corte inicial. furo concluído com exito. Com o objetivo de oferecer aos alunos uma oportunidade de colocar em prática as teorias estudadas em sala. utilizamos inicialmente um broca de menor bitola e em seguida avançamos com a bitola definida no desenho. nos lados da altura e lateral. nos dias 12. para o acerto final. A meta estabelecida pelo professor era obter uma peça com determinadas dimensões fazendo uso de cortes e dos processo de usinagem. deixamos uma margem de segurança no corte da serra (uma sobra) pois há uma perda no corte. Passamos a desbastar a peça. sendo que. neste processo de usinagem utilizam-se vários equipamentos os quais os próprios alunos manuseava-os com o auxilio do instrutor. fizemos os ajustes necessários à serra e processamos o devido corte. Posicionamos a peça inicial da serra. ajustando a cada momento para que as medidas previamente definidas não fossem ultrapassadas. 19 e 24 de março de 2017. e fazemos medições. Tendo atingido as medidas laterais e de altura da peça. levando-se em conta a marcação feita pelo traçador. as aulas laboratoriais mostram as etapas do processo de usinagem de uma peça metálica. utilizando-se do traçador. baseando na altura e largura o ponto de furo. já na aproximação das medidas definidas pelo desenho. Utilizou-se um traçador de altura para marcação do corte. passamos a utilizar o esmeril manual (lima). de Mesquita. realizadas no laboratório de Mecânica do IFRN – Unidade Mossoró/RN.Este relatório diz respeito às aulas práticas ministradas pelo professor Pedro Henrique X. ou seja um chapa com dimensões e medidas aproximadas do objetivo final. Na primeira fase foi escolhida o material adequado. tendo em vista o excedente.

parcialmente com o esmeril elétrico e concluirmos com o esmeril (lima) manual. acertada pelo goniômetro e compasso. utilizando-se de uma serra manual efetivamos o corte. feito o corte inicial na peça passou-se a desbastar tanto no esmeril elétrico quanto com a lima. sempre utilizando-se do paquímetro. fizemos as correções com a lima. 16 mm 16 mm 47 mm Neste ponto foi definido também o corte a ser feito em diagonal na peça (Ângulo de 141º). bem como do goniômetro. dividimos a de acordo com o desenho e marcamos novamente com traçador. R10 Passamos então processar o corte de um dos cantos da peça. considerando ainda o meio da mesma. após fizemos o desbaste. 12 mm 141º 15 mm . Ø10 36 mm Nesta fase passamos a fazer a marcação também com o traçador do ponto para corte e desbaste da curva (R10). utilizamos o traçador e com a serra manual passamos a processar o corte. com medida de 16 mm de cada lado.

62 mm 36 mm 16 mm R10 Ø 10 16 mm 141º 12 mm 32 mm 15 mm . fizemos o lixamento da peça metálica.Medidas satisfeitas. com lixa e equipamento apropriado na bancada. finalizamos com uma última leitura do paquímetro. e em seguida envolvemos a peça em óleo para reduzir a reação da corrosão ambiente.

Related Interests