You are on page 1of 17

CURSO DE BACHARELADO EM ARQUITETURA E URBANISMO

MAYRA CUSTÓDIA

TRABALHO DE GEOPROCESSAMENTO

Campos dos Goytacazes/RJ

Orientador: Profº. Liana Macabu Campos dos Goytacazes/RJ 2017 . MAYRA CUSTÓDIA TRABALHO DE GEOPROCESSAMENTO Trabalho apresentado ao Instituto Federal Fluminense de Campos como requisito parcial para aprovação na disciplina de Geoprocessamento.

em geodésia utiliza-se um elipsoide de referência para representar matematicamente a superfície terrestre. ou seja. O geoide se estende através dos continentes em uma forma ondulada. Fonte:http://mundogeo. Para identificar a posição de uma determinada informação ou de um objeto. Assim. a superfície do geoide é mais irregular do que o elipsoide usado habitualmente para aproximar a forma do planeta. O geoide é uma superfície equipotencial do campo de gravidade da Terra que coincide com o nível médio dos mares. 1. estão associados a uma superfície que se aproxime do formato da Terra.com/blog/2013/06/05/coordenadas-topograficas-x- coordenadas-utm/ A forma da Terra foi representada inicialmente por uma esfera. Segundo o IBGE (2013). elipsoide e geoide. . Geodésicas ou Elipsoidais e Planas. um elipsóide. em uma superfície esférica recebem o nome de coordenadas geodésicas e em uma superfície plana recebem a denominação da projeção às quais estão associadas. ou datum. são utilizados os sistemas de referência. com a topografia. ou seja. Pitágoras e Aristóteles foram os primeiros que expressaram esta ideia. Sobre esta figura matemática são calculadas as coordenadas. servindo como base ao Sistema de Posicionamento Global (GPS). O modelo matemático da Terra é denominado datum. onde o eixo equatorial era maior do que o eixo polar e assim a Terra era achatada nos polos. 2007).elb. No século 19. como por exemplo. que podem ser apresentadas em diversas formas (VOLPI. FORMA DA TERRA (GEÓIDE E ELIPSÓIDE) O Geóide é uma superfície irregular com saliências “buracos” ocasionado pela maior ou menor concentração de massa no interior da Terra. No século 17. Apesar do geoide ser o modelo mais próximo do verdadeiro formado da Terra. o atual Sistema Geodésico Brasileiro (SIRGAS2000 – Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas) adota o elipsóide de revolução GRS80 (Global Reference System 1980). as coordenadas referidas aos sistemas de referência são normalmente apresentadas em três formas: Cartesianas. Também conhecidos como sistemas de referência terrestres ou geodésicos. mais usados é o WGS84. Atualmente. as coordenadas planas UTM. um dos elipsoides de referência. Gauss e outros afirmaram que o modelo elipsoidal não era convincente e então surgiu a forma de geoide para a superfície terrestre. Laplace.amazonaws. Newton demonstrou que o conceito de uma Terra esférica era inadequado e representou a Terra como um elipsoide de revolução. se aproximando da topografia terrestre. Os modelos de representação da Terra.useast1.com/content/ABAAAhE6 wAD/conversao-entre-coordenadas-geograficas-utm O geoide é um modelo físico da forma da Terra enquanto o elipsoide é uma superfície matematicamente definida. No Brasil. Fonte:http://ebahweb586602798. O elipsoide de referência torna bem mais simples a execução dos cálculos e definição das coordenadas e elevação. compare então a forma geoide com a forma elipsoide do nosso planeta.

O elipsóide de revolução difere do geóide em até ± 50 metros (VEIGA. sendo positivo para Leste e negativo para Oeste. As linhas de força ou linhas verticais são perpendiculares a essas superfícies equipotenciais e materializadas. Latitude Geodesica: ângulo que a normal forma com sua projeção no plano do equador. Um elipsóide de revolução fica definido por meio de dois parâmetros.com/blog/2013/06/05/coordenadas-topograficas-x- coordenadas-utm/ . cada país ou região adotou um Elipsóide de referência diferente e que melhor ajustou às suas dimensões. • Superfície elipsoidal: É o mais usual de todos os modelos. o elipsoide se ajusta ao Geóide com uma aproximação de primeira ordem. Sendo assim. no ponto considerado. os semi-eixos a (maior) e b (menor). Em Geodésia é tradicional considerar como parâmetros o semi-eixo maior a e o achatamento f. direções e outros elementos geométricos da mensuração. ZANETTI e FAGGION. Nele. Dado que a Terra é ligeiramente achatada nos pólos e se alarga mais no equador. É definido teoricamente como sendo o nível médio dos mares em repouso. De uma forma mais simplificada. p. sendo positiva para o Norte e negativa para o Sul. a Terra é representada por uma superfície gerada a partir de um elipsóide de revolução.br/2015/02/uma-revisao-na-forma- geoide-e-elipsoide. Longitude Geodesica: ângulo diedro formado pelo meridiano geodésico de Greenwich (origem) e do ponto P.html Superfície geodal: O modelo geoidal é o que mais se aproxima da forma da Terra.com. O elipsóide de revolução é a figura que se obtém ao se rodar um elipse em torno de seu eixo menor. para um bom ajuste. O geóide é utilizado como referência para as altitudes ortométricas (distância contada sobre a vertical. Fonte:http://mundogeo. o elipsóide e o geóide. permite que a superfície terrestre seja representada por uma superfície fictícia definida pelo prolongamento do nível médio dos mares por sobre os continentes. Não é uma superfície regular e é de difícil tratamento matemático. Segundo Veiga et al. por exemplo. distâncias.blogspot. a figura geométrica regular usada em Geodésia e que mais se aproxima de sua verdadeira forma é o elipsóide de revolução. 2013. A reta tangente à linha de força em um ponto simboliza a direção do vetor gravidade neste ponto. as coordenadas geodesicas de um ponto sobre o elipsoide ficam assim definidas. do geóide até a superfície física) de um ponto considerado. prolongado através dos continentes. e também é chamada de vertical. Fonte:http://paulogeonet. expresso pela equação ƒ=(a-b)/a.12). Elipsóide de revolução é uma superfície matemática adotada como referência para o cálculo de posições. pelo fio de prumo de um teodolito nivelado. (2007) a normal é uma reta ortogonal ao elipsoide que passa pelo ponto P na superfície terrestre. Na figura abaixo são representados de forma esquemática a superfície física da Terra.

na forma de um elipsoide de revolução. as medidas de distâncias e ângulos horizontais permitem calcular as coordenadas planas X e Y. Qualquer que seja o sistema envolvido. Y 7382350. na geometria do elipsoide de revolução. mais usados é o WGS84 e é o que está sendo usado neste artigo. Fonte:http://ebahweb586602798. No escritório as coordenadas são calculadas em função das medidas de campo. um ângulo horizontal e uma distância vertical ou ângulo vertical para cada ponto. Com o intuito de tornar este artigo o mais simples possível na execução da conversão. as fórmulas adotam alguns valores (parâmetros) constantes e estes valores estão definidos no datum. este artigo não trata da coordenada de altitude. definindo a posição tridimensional do ponto. Uma informação importante nos valores de uma coordenada no sistema UTM é sobre o elipsoide de referência. O sistema de coordenadas UTM expressa a posição de um ponto em uma projeção plana do globo terrestre.com/content/ABAAAh E6wAD/conversao-entre-coordenadas-geograficas-utm Sistema de coordenadas topográficas A posição relativa dos pontos da superfície terrestre é caracterizada pelas coordenadas num sistema de referência. Uma terceira grandeza. longas e volumosas mas não difíceis de compreender. que serve como referência no posicionamento geodésico. nos cálculos. a altura (cota ou altitude) junta-se às coordenadas planas X e Y. o sistema de coordenadas topográficas é definido por um sistema plano-retangular XY.elb. além da determinação da orientação em relação a uma direção fixa: direção norte-sul. sendo que o eixo das ordenadas (Y) está orientado (é paralelo) segundo a direção norte-sul (magnética ou verdadeira) e o eixo positivo das abscissas (X) forma 90º na direção leste. As fórmulas são baseadas nas propriedades do elipsoide. Ainda. . a teoria sobre a geometria do elipsoide de revolução não está demonstrada. muito menos a origem das fórmulas. 2. e assim executar os cálculos e definir as coordenadas. Um exemplo desta coordenada são os valores X 271960.000 (Easting).653492 graus de latitude e -47. Em topografia. ou datum. As operações de campo para a obtenção das coordenadas topográficas consistem na medição de uma distância horizontal.useast1. Um exemplo desta coordenada são os valores -23.200 (Northing). Fuso 23 (Zone).amazonaws. que convertem uma coordenada do sistema de coordenadas geográficas para o sistema de coordenadas UTM e vice-versa. Um dos elipsoides de referência. Existem uma série de fórmulas. o plano topográfico. As coordenadas podem ser convertidas de um sistema para o outro.235703 graus de longitude. enquanto as medidas de distâncias verticais ou ângulos verticais conduzem às cotas ou altitudes. SISTEMAS DE COORDENADAS (GEOGRÁFICAS E UTM) O sistema de coordenadas geográficas expressa a posição de um ponto na superfície esférica do globo. tais coordenadas são: a abscissa e a ordenada. Hemisfério Sul e Elipsoide WGS84 (datum). Conhecer o datum é importante porque. as coordenadas são referidas ao plano horizontal de referência. O elipsoide de referência serve para representar matematicamente a superfície terrestre.

isso evitará o procedimento citado no paragrafo anterior. Um ponto é definido neste sistema através de uma coordenada denominada abscissa (coordenada X) e outra denominada ordenada (coordenada Y). que podem. executando dessa forma trabalhos com melhor qualidade. Ouro fato a ser considerado e que muitos profissionais se esquecem é que a projeção UTM representa cartograficamente ponto na superficie do elipsoide de referencia. Características que envolvem o sistema UTM O sistema UTM. Profissionais que não seguirem o descrito acima podem ter surpresas em seus levantamentos e projetos. Uma rodovia projetada com coordenada plana UTM ao ser locada com essas mesmas coordenadas não chegara ao seu destino. e ampliadas da linha de secância até a extremidade do fuso. as áreas mapeadas no sistema de projeção UTM são reduzidas na região do meridiano central até o limite de secância do sistema. Ao se optar por transformar as coordenadas de pontos GPS podem-se utilizar as fórmulas da NBR-14166. Assim. obviamente. ser convertidos para coordenadas geodésicas ou UTM. o mais importante é que os profissionais tenham o conhecimento dos erros que podem ocorrer e escolha uma forma de tornar esses erros insignificantes. sendo que o mesmo não acontece com as distâncias obtidas devido à curvatura da terra.9996 no meridiano central e 1. ou então a transformação direta de distância UTM em topográficas local. 2003). As metodologias que possibilitam a transformação das coordenadas UTM em coordenadas topográficas locais. por se tratar do sistema mais usado pelos profissionais da área topográfica é. Dessa forma. deve–se tomar cuidado com locações e levantamentos em escala grande isso porque o sistema apresenta ângulos sem deformação. sendo que as distâncias podem ser obtidas desta última. Muitos profissionais ignoram. Conclusão Medições topográficas se referem a um plano topográfico local. .y) são utilizados para denominar um ponto P com abscissa x e ordenada y. O mais prático é trabalhar desde o início com um sistema de coordenadas local. Pontos levantados por GPS se referem a um sistema de coordenadas cartesiano geocêntrico. integrar os dois sistemas significa ou “trazer” os pontos GPS para um Sistema local. sendo que a distância pode ser obtidas através das coordenadas topográficas locais. porém. sendo assim. sendo que essa transformação altera os valores das coordenadas alterando consequentemente o valor da distância entre estas (MARCOUIZOS e IDOETA. ou como opção transformar para um Sistema Geodésico Topocêntrico. ou desconhecem que o sistema UTM é um sistema de projeção cartografica sendo seu uso eficaz para mapeamentos em pequenas e médias escalas. Existem métodos que possibilitam a transformação de coordenadas UTM em coordenadas topográficas locais. O sistema UTM possui 60 fusos e cada fuso possui 6º de amplitude e apresenta valores de k de variam de 0. Um dos símbolos P(x. onde não há deformação. portanto o que mais incorre em erros. ou as medições topográficas para o plano UTM. sendo que para utilização dessas coordenadas para projetos ou locações precisa considerar o fator de elevação que transporta os pontos representados sobre o elipsoide o elipsoide de referencia para a superfície física. ou então com as próprias coordenadas geodésicas dos pontos. visto que cabe ainda ressaltar que existe a opção de se realizar transporte de coordenadas geodésicas. ou então a transformação direta de distância UTM em distância distância topográfica local. assunto não abordado. Pode ser observado que o procedimento citado anteriormente pode ser evitado se trabalhamos desde o inicio com um sistema de coordenadas locais.001 no extremo do fuso.

como é o caso do WGS84.org. SIRGAS 2000. o sistema UTM. o Meridiano Central do Fuso UTM. no Brasil a projeção mais utilizada é a Universal Transversa de Mercator (UTM). Podendo ser indicada pelas letras E e W para leste ou oeste respectivamente. Longitude geodésica é o ângulo formado entre o meridiano de origem (Greenwich) e o meridiano do ponto considerado. Sistema de projeção UTM UTM é um sistema de coordenadas baseado no plano cartesiano (eixo x. . através de formulações que fazem associações entre estes dois sistemas (Cartesiano e Geodésico). Tais formulações podem ser encontradas na “Resolução da Presidência da República nº 23 de 21/02/89 (IBGE. As coordenadas curvilíneas podem ser representadas em um sistema cartesiano. Para representar uma superfície curva em plana são necessárias formulações matemáticas chamadas de projeções. Esta coordenada tem sinal positivo no hemisfério norte e negativo no hemisfério sul. denominados de eixos coordenados. SAD69. 2013). Sistema de coordenadas planas As coordenadas podem ser representadas no plano através dos componentes Norte (N) e Leste (E) regularmente utilizadas em mapas e cartas. positivo na direção de longitude 0°.php/artigos-mobile/292-coordenadas- topograficas-x-coordenadas-utm?start=3 Sistema de Coordenadas Cartesianas Um sistema coordenado cartesiano no espaço 3-D é caracterizado por um conjunto de três retas (x. positivo na direção de longitude 90°. Define-se como coordenadas geodésicas de um ponto P qualquer na superfície do elipsóide como: Latitude geodésica é o ângulo formado entre a normal (linha perpendicular ao elipsóide) no ponto considerado e o plano equatorial do elipsóide. não acompanha a curvatura da Terra e por isso seus pares de coordenadas também são chamados de coordenadas planas. Diferentemente das Coordenadas Geodésicas. Esta coordenada é positiva a leste de Greenwich e negativa a oeste. Os fusos do sistema UTM indicam em que parte do globo as coordenadas obtidas se aplicam. A origem é definida quanto a localização. uma vez que o mesmo par de coordenadas pode se repetir nos 60 fusos diferentes.Fonte:http://www. com a linha horizontal representando o Equador e a vertical.y) e usa o metro (m) como unidade para medir distâncias e determinar a posição de um objeto.apeaesp. O eixo Y coincidente ao plano equatorial.y e z). referidas a um determinado sistema de referência geodésico. Se está localizada no centro de massas da Terra (geocêntro). Esta coordenada é nula sobre o elipsóide. mutuamente perpendiculares. usualmente utilizadas no posicionamento à satélites. pode-se também ser indicada pela letra N quando no hemisfério norte ou S no hemisfério sul. as coordenadas são denominadas de geocêntricas.br/index. e O eixo Z é paralelo ao eixo de rotação da Terra e positivo na direção norte. contado sobre o plano equatorial. recebe a denominação de Sistema Cartesiano Geodésico de modo que: O eixo X coincidente ao plano equatorial. Ele associado à um Sistema de Referência Geodésico. longitude e altitude geométrica ou elipsoidal) considera-se um elipsóide de revolução. Sistema de coordenadas geodésicas Um ponto na superfície definido por suas coordenadas geodésicas (latitude. Altitude geométrica ou elipsoidal corresponde à distância entre o ponto considerado à superfície do elipsóide medida sobre a sua normal. A imagem abaixo representa esses fusos. Diferentes projeções poderão ser utilizadas na confecção de mapas.

000 m e 830. era utilizado um elipsóide diferente para cada país ou grupo de países. Entre os círculos de secância. 670 km de extensão leste-oeste. Como o meridiano central possui valor de 500. referente ao eixo das ordenadas do hemisfério norte. Cada fuso. mas possui imprecisões nas medições de áreas e distâncias (INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA. com o do Equador.000 m. 2013) O sistema UTM emprega diferentes escalas dentro do mesmo fuso de representação. referente ao eixo das ordenadas do hemisfério sul. Mesmo sendo considerada como um dos melhores sistemas de projeção para a cartografia de médias de grandes escalas.000 m para o meridiano central. a coordenada 320. pois mantém precisão dos ângulos. enquanto. a zona de ampliação. conforme especificado na figura abaixo. valores próximos a 160. passam-se a ter duas linhas de deformação nula (K=1). Assim cada ponto do elipsóide de referência (descrito por latitude. externa a eles. Como convenção atribui-se a letra N para coordenadas norte-sul (ordenadas) e. (INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA. e 500. longitude) estará associado ao terno de valores Meridiano Central. As linhas de secância do cilindro estão situadas entre o meridiano central e o limite inferior e superior de cada fuso. Ele também usa um fator de redução de escala. nos limites do fuso. já que a circunferência da Terra é próxima a 40. respectivamente. e em vez de se ter uma linha de verdadeira grandeza (k=1) e deformações sempre positivas (ampliações). Um par de coordenadas no sistema UTM é definido. 10. (IBGE.000 m e 680. com valores crescentes do eixo das abscissas em direção ao leste. No sistema UTM é adotado um elipsóide de referência que procura ser unificado com um elipsóide internacional. cujos parâmetros vêm sendo determinados com maior precisão. duas linhas onde a distorção é nula. Cada um destes fusos é gerado a partir de uma rotação do cilindro de forma que o meridiano de tangência divide o fuso em duas partes iguais de 3º de amplitude (IBGE. Isso diminui o valor absoluto das deformações. coordenada E e coordenada N.000 m. apresenta. na linha do equador. e continuando para leste. onde cada um se estende por 6º de longitude. aproximadamente. o coeficiente de redução de escala corresponde a 0. N). os erros aumentam na medida em que os dados se afastam do meridiano central e da latitude de origem. 2013). na linha do Equador.0010. . Inicialmente. o coeficiente de ampliação é igual a 1. Não proporciona continuidade de representação entre os diferentes fusos. respectivamente. a letra E. O quadriculado UTM está associado ao sistema de coordenadas plano-retangulares.2005).000. fica estabelecida a zona de redução e. é o mundo é dividido em 60 fusos. tal que um eixo coincide com a projeção do Meridiano Central do fuso (eixo N apontando para Norte) e o outro eixo. ou seja. com redução no interior (k <1) e ampliação no exterior (k>1). o fator escala igual a 1. De uma forma mais simples. com valores decrescentes nesta direção. 0 m para a linha do Equador. pelas coordenadas (E. com valores crescentes nesta direção. são acrescidas constantes à origem do sistema de coordenadas. assim. assim. No meridiano central. 2013) Para evitar coordenadas negativas. de forma a se tornar secante ao esferóide terrestre. Os fusos são numerados de um a sessenta começando no fuso 180º a 174º W Gr. correspondendo. a projeção UTM apresenta algumas limitações para a representação do globo terrestre. para as coordenadas leste-oeste (abscissas).000 m.000 km. que corresponde a tomar um cilindro reduzido a esse valor. o limite leste e oeste de cada fuso corresponde.000 m para a linha do Equador. o que infere.9996. Elas estão situadas a cerca de 180 km a leste e a oeste do meridiano central.

php/artigos-mobile/292-coordenadas- topograficas-x-coordenadas-utm?start=2 . Devido à sua extensão longitudinal. situado no extremo leste do território. ao fuso 25. ver figura abaixo. as coordenadas situadas ao norte da linha do Equador.org. Fonte:http://www. do fuso 18. dando continuidade às coordenadas atribuídas ao hemisfério sul. Como quase toda a extensão latidudinal do território está situada no hemisfério sul. situado no extremo oeste.000.000 m. de acordo com a convenção atribuída à origem do sistema de coordenadas.apeaesp. apresentam valores crescentes e seqüenciais a partir de 10.br/index. o território brasileiro possui oito fusos UTM. que deveriam apresentar valores crescentes e seqüenciais a partir do zero.

uma origem fisicamente materializada (marca de origem). Fonte:http://snig.htm Datum geodésico Destinado ao posicionamento planimétrico de pontos sobre a superfície terrestre.igeo. Um datum geodésico contém na sua definição um elipsóide de revolução como modelo da Terra. bem como sua posição relativa ao geóide define um sistema geodésico (também designado por datum geodésico). .as coordenadas geográficas do marco de origem. .a altura geoidal do ponto de partida. Fonte:http://www.com/dicionario/o-que-e-datum-geodesico.br/sigcidades/images/Download/sgb_sigcidades_2012. . e materializada por um conjunto de pontos distribuídos na superfície terrestre. atualmente.pdf O Datum que especifica um sistema de coordenadas geodésicas. 3.ufpb. é utilizado o Sistema Geodésico Sul-Americano (SAD 69). Fonte:http://www. No caso brasileiro adota-se o Sistema Geodésico Sul A DATUM GEODÉSICO. É definido: . Um Datum Geodésico pode ser Planimétrico ou Altimétrico.Gravimétrica: valores precisos de aceleração da gravidade. uma vez que a superfície terrestre de referência adotada em cada caso é diferente. Fonte:http://www. DATUM GEODÉSICO SIRGAS 2000 O Sistema de Referencia Geocêntrico para as Américas (SIRGAS 2000) encontra-se em implantação e está sendo utilizado concomitantemente com o SAD69.pdf. .geociencias.000 estações implantadas pelo IBGE em todo o Território Brasileiro.a orientação do modelo matemático (azimute de partida). .br/leppan/disciplinas/lic/aula1. DATUM GEODÉSICO  O sirgas foi escolhido devido as necessidades de um sistema de referência compatível com o Sistema de Posicionamento Global (GPS).Altimétrica: altitudes de alta precisão.um modelo matemático de simulação da superfície terrestre (elipsóide). no Brasil.ecivilnet.html DATUM GEODÉSICO A forma e tamanho de um elipsóide.pt/Portal/docs/glossario_v08/D/Datum_geod_sico. dimensões e posição do centro do elipsóide relativamente ao centro de massa da Terra são determinados de forma a que a superfície do elipsóide se adapte o melhor possível à superfície terrestre num determinado país ou região. . esse sistema está programado para substituir o SAD69 até 2015. DATUM GEODÉSICO.uff. O Sistema Geodésico Brasileiro (SGB) é constituído por cerca de 70. . Como já foi dito. divididas em três redes: DATUM GEODÉSICO Planimétrica: latitude e longitude de alta precisão. DATUM GEODÉSICO Um Sistema Geodésico também chamado de Datum Geodésico consiste em um sistema de referência terrestre definido por uma superfície matemática (elipsóide) posicionada no espaço a partir de um ponto de referência (origem). A forma.

shtm? c=1 O estabelecimento do Sistema Geodésico Brasileiro (SGB) foi iniciado na década de 40. está relacionado. mostrando-se amplamente superior nos quesitos rapidez e economia de recursos humanos e financeiros. num plano a duas dimensões. eram observados os satélites do Sistema TRANSIT. Inicialmente. Fonte:http://www. O SGB é dividido em dois componentes: o datum horizontal e o datum vertical. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo . por exemplo. na década de 70. essa tecnologia possibilitou. No Brasil. compostos pelos sistema de coordenadas e superfícies de referência (elipsóide e geóide) e a rede de referência O datum indica o ponto de referência a partir do qual a representação gráfica dos paralelos e meridianos. SGB .pdf .geociencias.SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO O desenvolvimento do Sistema Geodésico Brasileiro . e consequentemente de todo o resto que for desenhado na carta.RBMC). A materialização do Sistema Geodésico Brasileiro dá-se através das Redes Geodésicas Brasileiras (RGB): Rede Horizontal.gov. planimétrica e gravimétrica pode ser dividido em duas fases distintas: uma anterior e outra posterior ao advento da tecnologia de observação de satélites artificiais com fins de posicionamento.br/home/wpcontent/uploads/2011/10/CAP2 _DISSERT_REGIANE.ufpb. O SGB caracteriza-se pelo conjunto de estações que representam o controle horizontal e vertical necessários à localização e representação cartográfica no território brasileiro. a expansão do SGB à região amazônica.br/leppan/disciplinas/lic/aula1. Fonte:http://www. Em fins da década de 80.br/home/geociencias/geodesia/default_sgb_int. permitindo o estabelecimento do arcabouço de apoio ao mapeamento sistemático daquela área. 4. Rede Vertical e Rede Tridimensional (Rede Nacional GPS.ufpr. p.ibge. composto pelas redes altimétrica.SGB.pdf O Sistema Geodésico Brasileiro (SGB) é definido apartir de um conjunto de pontos geodésicos implantados na superfície terrestre delimitada pela fronteira do país. 5).cartografica. 2000. que se apresentava como uma evolução dos métodos de posicionamento geodésico até então usados. seu estabelecimento e manutenção são atribuições do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) através de seu Departamento de Geodésia (IBGE. que são formadas pelos conjuntos de estações e coordenadas geodésicas. o IBGE. mantendo no entanto os cruzamentos em ângulo retos dos meridianos e paralelos (o mapa) Fonte:http://www. A importância do datum prende-se com a necessidade de projetar um corpo curvo em três dimensões (a Terra). criou o projeto GPS com o intuito de estabelecer metodologias que possibilitassem o uso pleno da tecnologia do Sistema NAVSTAR/GPS. através do seu Departamento de Geodésia.

mapas básicos que os serviços de levantamento do governo publicam (IBGE.000 ou 1/100. A proporção entre a terra e seu mapa chama-se escala. centímetros (cm) e decímetros (dm). pode também ser numérica e/ou gráfica. uma escala de 1/25.000 ou __1___ . capaz de ser representada em desenho por meio da escala mencionada. Este número pode parecer estranho. (Figura 9).000 significa que 1 centímetro ou qualquer outra unidade de comprimento. A escala numérica pode ser representada por qualquer uma das seguintes formas: 1:100.000 cm ou 1000 m. é dividida em três unidades: milímetros (mm). A experiência tem demonstrado que o menor comprimento gráfico que se pode representar em um desenho varia entre 0. O milímetro.000 Escala gráfica . pois eles normalmente são feitos em centímetros ou milímetros. Podemos tomar qualquer comprimento no mapa e lê-lo na escala gráfica em quilômetros. Em uma escala 1/100. um decímetro a 10 cm .000 vezes menor do que no terreno. cada centímetro neste mapa representa exatamente 250 metros no terreno. convencionado e generalizado.000. que na realidade mapeada correspondem a quilômetros ou metros. qualquer medida linear no mapa (d) é.000 vezes maior. assim.000 diz-se ser um mapa de grande escala. no terreno (D). 100. Uma régua por exemplo. mais ou menos. sendo portanto. um metro a 10 dm ou 100 cm e. Assim. um quilômetro 100. ou seja. Por exemplo. A escala é a primeira coisa que se procura em um mapa. o metro e o quilômetro são medidas de distância. mas um metro tem 100 centímetros. Um milímetro corresponde. DSG).000. metros. este erro admissível. A escala pode ser numérica ou gráfica. Dominar essas noções é importante para se trabalhar com mapas. um centímetro a 10 mm. o erro pode ser determinado por: Erro admissível no terreno = erro máximo desejável no papel x denominador da escala x fator de conversão Exemplo: Para um mapa na escala de 1:100.5.000. uma das porções da escala está dividida em décimos. o centímetro. É mais indicada para se visualizar a escala e para medir distâncias.5 mm. e o denominador. As folhas topográficas. onde: d é a distância entre dois pontos no mapa e D a distância entre esses mesmos dois pontos no terreno. Se ela é superior a 2 quilômetros por centímetro ou aproximadamente 1:250. a distância correspondente no terreno. etc.é a que representa as distâncias no terreno sobre uma linha graduada. Escala numérica .é representada por uma fração na qual o numerador representa uma distância no mapa.2 e 0. escala (E) é: E = d / D. Necessitando-se medir ao longo de uma estrada curva. Os mapas de escala média vão de 1:250. para que se possa medir as distâncias com maior precisão. temos: . à largura de um alfinete. O mapa deve ser bastante seletivo. uma relação numérica entre o mapa e a realidade que ele representa. Normalmente. e dos quais são feitas reduções para todos os mapas de pequena escala. ESCALA A escala é uma proporção matemática. por exemplo. Portanto. Precisão Gráfica É a menor grandeza medida no terreno.000 a 1:1. constituem um bom exemplo.5 mm. está representado 25. admitindo-se um erro no papel de 0. usa-se um compasso ou instrumento chamado curvímetro. 100. no mapa.000. A escala pode ser expressa de diferentes modos.

0 10. quando menor for a escala. que mantém a sua forma.0 1:1. 2 cm a 6 km. ou seja. portanto. Em muitos casos é necessário utilizar- se convenções cartográficas. uma relação de proporcionalidade entre O material deste conteúdo pode ser reproduzido desde que citada a fonte.001 m/mm = 50 m O erro tolerável.8 1. como um bairro. através de uma representação gráfica ou de uma representação numérica. Escala Gráfica A escala gráfica é representada por um pequeno segmento de reta graduado. com denominador pequeno. Essa redução - feita com o uso da escala . independente do tamanho em que ele é apresentado.br/cartografiabasica/cartografia%20texto%20bom. cujos símbolos irão ocupar no desenho. a construção do mapa. É sempre bom lembrar que o tamanho da escala varia de acordo com a área a ser representada no mapa. Assim. A escolha da escala é determinada em função da finalidade do mapa e da conveniência da escala. as distâncias lineares num desenho (mapa) e as distâncias correspondentes na realidade.0 1:10.000 Qual a melhor escala ? Não existe um melhor tipo de escala. As escalas podem ser indicadas de duas maneiras. Quanto maior for a escala maiores serão os detalhes sobre o espaço mapeado. varia na razão direta do denominador da escala e inversa da escala.001 m/mm) = 20. A escala cartográfica estabelece. por exemplo. como o Brasil. com denominador grande. por exemplo. indicadas a cada trecho deste segmento. um mapa urbano possui muito mais detalhes do que um mapa político do mundo.0 8.0 1:5.0 1. a menor escala que se deve adotar para que essas feições tenham representação será: Denominador da Escala = 10 m / (0. portanto. dimensões independentes da escala. maior será o erro admissível. Fonte:http://www. O erro máximo aceitável.5 mm x 100.5 4.000 2. pode-se dizer que o primeiro item determina a escala e o segundo. estão representados no quadro a seguir.0 A Escolha da Escala A escolha da escala depende da menor feição no terreno que deseja-se representar. Caso a distância no mapa entre duas localidades seja de . Portanto: Denominador da Escala = menor feição (m) / erro máximo desejável no papel x fator de conversão Exemplo: Considerando uma região da superfície da Terra que se queira mapear e que possua muitas feições de 10 m de extensão. Erro admissível no terreno = 0.0 50.uff.000 1.pdf Escala Cartográfica O mapa é uma imagem reduzida de uma determinada superfície. Por exemplo. pois a sua confecção obedeceu a determinada escala.torna possível a manutenção da proporção do espaço representado.0 5. e a distância real de um território. Observe: De acordo com este exemplo.000 25. e assim sucessivamente.5 0. conforme a classe de precisão e a escala. exige uma escala grande. cada segmento de 1 cm é equivalente a 3 km no terreno.000 0. É fácil reconhecer um mapa do Brasil. por exemplo.5 mm x 0.000 5.0 40. Precisão Exigida para Mapas em função da Escala Escala Classe A (m) B (m) C (m) 1:50. Os elementos cujas dimensões forem menores que os valores dos erros de tolerância.000 x 0. Uma área pequena.6 2.0 1:2. Uma área grande. não serão representados graficamente. sobre o qual está estabelecida diretamente a relação entre as distâncias no mapa. exige uma escala pequena.

1mm no mapa representa 300 000 mm (ou 300 m) no terreno e assim por diante. o mapa é 300 000 vezes menor que o tamanho real da superfície que ele representa. cada 1cm no mapa representa 300 cm ou 3 m. Caso o mapa seja confeccionado na escala 1: 300. 3.unesp.3. Se considerarmos a unidade [cm] para o numerador. 1 cm no mapa representa 300 000 cm (ou 3 km) no terreno.000. Logo 1: 50. Trata- se. Por ser uma razão. logo a escala é: 50. No caso da escala exemplificada (1: 300 000). da representação numérica da mesma escala gráfica apresentada anteriormente. a distância real entre elas será de 3.5 X 3 km ou 10. A escala gráfica apresenta a vantagem de estabelecer direta e visualmente a relação de proporção existente entre as distâncias do mapa e do território. existe uma maior preocupação com os detalhes.ead. As escalas maiores normalmente são denominadas de plantas.000. o detalhamento neste tipo de mapa compromete a sua qualidade e dificulta a sua leitura. a mesma unidade [cm].5 km (dez quilômetros e meio). que podem ser utilizadas num projeto arquitetônico ou para representar uma cidade. Para fazer estas transformações é necessário aplicar a escala métrica decimal Aplicação da Escala A escala de um mapa é a relação entre a distância no mapa e a distância real Portanto. A primeira informação que ela fornece é a quantidade de vezes em que o espaço representado foi reduzido. Exemplo escala gráfica: 500 m Se 1 cm vale 500m. . Assim.000 cm/ 1cm = 50. um número inteiro múltiplo de 100. As numéricas são representadas na forma 1:T onde T é geralmente. é possível um maior detalhamento dos elementos existentes. Numa pequena escala o mais importante é representar as estruturas básicas dos elementos representados e não a exatidão de seu posicionamento ou os detalhes que apresentam. normalmente representada por uma razão.000 representam grandes extensões. como plantas de uma casa ou de uma cidade. mas assim mesmo as informações devem ser selecionadas para atender apenas o objetivo pelo qual foram elaboradas.pdf Escala Dentre os conceitos mais importantes que deveremos abordar neste trabalho está o de ESCALA que é a relação entre as dimensões dos objetos representados em um mapa. Por isso. 1:100.000 Bases cartográficas com escalas pequenas como 1:250. Numa grande escala.br/dspace/bitstream/ana/100/2/Unidade_2. são aquelas cujo denominador é menor. Aliás. manteremos a mesma relação. Fonte:https://capacitacao. De acordo com os exemplos já citados a escala 1: 300 é maior do que a escala 1: 300 000.4 Escala Numérica A escala numérica é estabelecida através de uma relação matemática. A escolha da escala é fundamental ao propósito do mapa e ao tipo de informação que se pretende destacar. carta ou planta e as correspondentes no mundo real traduzidos por uma fração: E = distância no mapa /Distância no terreno As escalas são classificadas em numéricas e gráficas. As escalas grandes são aquelas que reduzem menos o espaço representado pelo mapa e. por essa razão. por exemplo: 1: 300 000 (1 por 300 000). portanto.5 cm. Neste exemplo. a escala numérica é adimensional. o denominador deverá possuir O material deste conteúdo pode ser reproduzido desde que citada a fonte. quanto maior o denominador da escala. maior é a redução aplicada para a sua elaboração e menor será a escala.

Fonte:http://www. Escalas grandes 1:2000 a 1:10000.pr.br/arquivos/File/TEXTOS_CURSO_VIGI LANCIA/ptt1. para projetos.gov.pdf . onde pequenas áreas são representadas com detalhes possuem fins cadastrais. outros.escoladesaude.

Sensoriamento Remoto e o GPS. o GPS e o geoprocessamento. São utilizados por pesquisadores. Fonte:PENA. Brasil Escola. O Sensoriamento Remoto é um conjunto de técnicas utilizado para a captação de imagens por meio de sensores de satélites.htm>. cartas topográficas.br/geografia/sig. Uma das principais aplicações do SIG é no planejamento e ordenamento territorial. Exemplos de SIG são: Geoprocessamento. Acesso em 07 de julho de 2017. empresas. o sensoriamento remoto pode funcionar através do uso de fotografias aéreas. como a extensão de uma área agrícola. realizado pelo IBGE utilizou-se do SIG para a coleta. Os SIGs resultam da combinação entre três tipos de tecnologias distintos: O sensoriamento remoto. serviços de inteligência. armazenamento e tratamento dos dados colhidos. para a captação de informações e imagens acerca da superfície terrestre. o tamanho de uma determinada cobertura vegetal. como o planejamento urbano de uma cidade. gráficos e sistematizações em geral. O GPS vem se tornando cada vez mais comum na vida das pessoas Geoprocessamento: consiste na etapa de tratamento das informações obtidas por meio do sensoriamento remoto e do GPS para a produção de mapas. citando como exemplo o controle e o monitoramento do desmatamento na Amazônia. O último Censo. como satélites e radares. pois permitem a maximização de informações coletadas. governos. tendo como produto final mapas temáticos. "SIG". É uma técnica que permite obter informações de um determinado objeto sem entrar em contato físico com ele. gráficos e tabelas. O SIG é uma ferramenta que vem sendo utilizada cada vez mais pelos órgãos públicos e privados. entre outros. imagens de satélites. Esses produtos são importantes para a análise de evoluções espaciais e temporais de um fenômeno geográfico e as inter-relações entre diferentes fenômenos espaciais. de 2010. acoplados de equipamentos fotográficos e scanners. que são capazes de adicionar legendas e informações diversas sobre o espaço representado. O GPS é o Sistema de Posicionamento Global (sigla derivada do inglês Global Positioning System). processar.uol. ONGs. o movimento das massas de ar. armazenar.com. Rodolfo F. localizar focos de incêndios e desmatamentos. Além do uso de satélites. Sensoriamento Remoto: consiste na utilização de ferramentas. Uma das ferramentas de Geoprocessamento mais conhecidas e utilizadas pelas pessoas é o Google Earth. um instrumento que permite a localização de uma pessoa ou um . cartogramas. Tal procedimento consiste no uso de softwares especialmente programados para essa função. 5. Tal procedimento se faz com a realização de fotografias tiradas em câmeras acopladas em aviões e helicópteros. o planejamento ambiental. Alves. analisar e representar inúmeras informações sobre o espaço geográfico. O Sistema de Informações Geográficas – SIG é um conjunto de sistemas de softwares e hardwares capazes de produzir. Podem oferecer informações importantes. SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA – SIG Os Sistemas de Informações Geográficas (SIG) são equipamentos e meios tecnológicos para se estudar o espaço terrestre. o que também é chamado de aerofotogrametria. Cada uma dessas três ferramentas tem uma função específica. entre outros. disponibilizado tanto em software quanto por meio de acesso à internet. Disponível em <http://brasilescola.

pdf . Atualmente. Com os problemas de trânsito enfrentados nas grandes cidades. ESRI. vem sendo utilizado em diversos setores econômicos.htm Sistema de Informação Geográfica SIG ou GIS é tecnologia baseada em Hardware e Software utilizada para descrição e análise do espaço geográfico.gov. latitude e longitude..escoladesaude. Esse processo envolve informações coletadas tanto pelo Sensoriamento Remoto quanto pelo GPS.com.? Por que? O quê? SIG = Geoprocessamento + Análise Espacial SIG é o ambiente que permite a integração e a interação de dados referenciados espacialmente com vistas a produzir análises espaciais de apoio à tomada de decisões técnica e política COMPONENTES DE UM SIG Principais Softwares de SIG (análise): ARCGIS(Arc-info.pr. O Geoprocessamento é a técnica de coleta e processamento de dados espaciais.uol.br/geografia/sistema-informacoes- geograficas-sig. BASE CARTOGRÁFICA Mapa digital + INFORMAÇÃO = RESPOSTAS Onde? Como? Se..objeto espacial a partir de suas coordenadas geográficas.br/arquivos/File/TEXTOS_CURSO _VIGILANCIA/ptt1. EUA) ERDAS Imagine (EUA) VISION (EUA) IDRISI (EUA) SPRING (BRASIL) APPIC (FRANÇA) SPANS (CANADA) Principais Softwares de Geoprocessamento (CAD-Computer Aided Design) Autocad (EUA) Maxicad (BRASIL) Microstation(EUA) Fonte:http://www. Fonte:http://mundoeducacao. Esta tecnologia integra operações de banco de dados .bol. como na agricultura e no rastreamento de carga de veículos. análise estatística e mapeamento digital espacialmente referenciado. vem se tornando um item indispensável para navegação e orientação aos motoristas de carro.