INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS

Sumário:
2- Condutores e cabos elétricos
2.1- Generalidades
- Regulamentação e Normalização (caraterísticas
dos cabos e das instalações).

2.2- Constituição dos condutores/cabos
- Alma condutora (natureza, composição e
forma, classes de resistência elétrica);
- Camada Isolante;
- Revestimentos metálicos;
- Bainhas interiores e exteriores.

1

INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.Condutores e cabos elétricos (I) 2.Generalidades (I) ** Regulamentação / Normalização  papel essencial na definição dos materiais elétricos. * segurança na utilização (prevenção do perigo para as pessoas e bens  circulação de I(A)).  Canalizações elétricas: * assegurar a Qualidade / Fiabilidade do fornecimento (escolha do cabo.1. 2 . A ação da regulamentação é exercida nas caraterísticas dos cabos e nas caraterísticas da instalação. condições de instalação e exploração).

dos quais o IPQ (Instituto Português de Qualidade). metrologia … de todo o material elétrico (fabricado em Portugal e 3 importado).Condutores e cabos elétricos (II) 2. .1. recomendações. …  definem tipos de cabos. especificações técnicas. * CENELEC (Comité Europeu de Normalização Electrotécnica)   harmonização das diferentes normas nacionais e processos de certificação.Generalidades . certificação. cadernos de encargos. No plano nacional: * IPQ  áreas: normalização (NP-XXXX). controlo de qualidade. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.Regulamentação / Normalização (II) ** Caraterísticas dos cabos Regulamentação  normas. fixam dimensões e características principais  No plano internacional: * CEI (Comissão Electrotécnica Internacional)  agrupa representantes de diversos países.

Generalidades . como p. Regulamento de Segurança de Subestações. exploração e proteção das canalizações.Regulamentação / Normalização (III) ** Caraterísticas das Instalações  Define as condições gerais que as instalações devem satisfazer. Regulamento de Segurança de Linhas Eléctricas de Alta Tensão.: .RSSPTS. Prescrições administrativas (i. 4 .RSIUEE. ex. .e. Regras Técnicas de Instalações Eléctricas de Baixa Tensão … .. .RSRDEEBT.RSICEE. . manutenção.1. Regulamento de Segurança de Instalações de Utilização de Energia Eléctrica. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. Para as canalizações as prescrições abrangem: . Regulamento de Segurança de Redes de Distribuição de Energia Eléctrica em Baixa Tensão.Condutores e cabos elétricos (III) 2.RTIEBT. .escolha de condutores/cabos  natureza da instalação (normas/especificações). Postos de Transformação e de Seccionamento.condições de instalação.RSLEAT. . decretos e deliberações técnicas)  fixam as regras de aplicação de textos legislativos. Regulamento de Segurança de Instalações Colectivas de Edifícios e Entradas.

Alma Camada condutora isolante .Um condutor munido de revestimento exterior  Cabo unipolar (monopolar ou monocondutor) Alma Camada condutora isolante Revestimento 5 exterior . .Constituição dos condutores/cabos (I) ** Introdução (I) Tipo e caraterísticas dos principais materiais utilizados nos condutores e cabos elétricos. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.2.Condutor – conjunto constituído por uma alma condutora e a sua camada isolante.

2.Cabo multipolar – formado por vários condutores eletricamente distintos e mecanicamente solidários.Constituição dos condutores/cabos (II) ** Introdução (II) . 6 . cabos com mais de 3 condutores. Alma Camada condutora isolante Revestimento exterior Cabo multicondutor  geralmente. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.

Écrans condutores  geralmente utilizados em BT.2.  prevenir contra efeitos indutores dos E externos/internos. 7 . ** Tipos (atendendo à sua localização e função): * Écran sobre a alma condutora (enfitamento ou extrusão)  Superfície equipotencial uniforme em torno da alma  evita concentração do campo elétrico (E) nas irregularidades da sua superfície.  se cabo perfurado. barras ou fios metálicos ou fitas enroladas em hélice)  Geralmente ligado à terra.Constituição dos condutores/cabos (III) ** Introdução (III) . melhorando o comportamento do isolante. permite  criar superfície equipotêncial à volta do isolante (orienta E). INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.  assegurar escoamento de Icap(A) e de Icc à terra/homopolar. * Écran sobre a camada isolante (bainha metálica contínua. protecção de pessoas e bens  corpo condutor exterior ao potencial da terra.

8 .Revestimento  conjunto de camadas de materiais apropriados que conferem ao cabo a forma determinada e assegura a sua proteção contra ações exteriores. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. ** Enchimentos ou bainhas de enchimentos  preenchem os espaços vazios entre condutores e dão ao conjunto uma geometria determinada (cilíndrica). ** Bainha de estanquidade  assegura a proteção do isolante contra humidade ou agentes corrosivos (metálica ou sintética). Bainhas  partes do revestimento formando um tubo de matéria contínua.Constituição dos condutores/cabos (IV) ** Introdução (IV) .2. ** Revestimento exterior  Assegura a proteção química e mecânica do cabo (material sintético). ** Armadura  confere ao cabo uma proteção mecânica reforçada (fitas ou fios metálicos).

9 .028 mm2/m . S(mm2) e composição   condicionam a flexibilidade e R() do condutor. .multifilar  diversos fios cableados.: Rcu=RAl  SAl1. Obs. Natureza do metal condutor: * Cobre recozido (20ºC0.5Mcu   emprego do Al.2. ligas de alumínio (resistência mecânica superior). nu ou estanhado. * Alumínio (20ºC 0.maciça  um único fio – S(mm2) – ou vários setores cableados para S(mm2). INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.Constituição dos condutores/cabos (V) ** Alma condutora (I) carateriza-se pela natureza do metal.6*Scu e MAl0.017 mm2/m. 20ºC 0. 20ºC 0. As secções das almas condutoras são geralmente circulares ou cableadas.004ºC -1).0039ºC -1). Composição e forma: Em função da Sn(mm2) + grau de flexibilidade desejado a alma condutora pode ser: .

2. vários elementos cableados com forma setorial.e. contudo para grandes secções a alma condutora poderá ser segmentada. i.Constituição dos condutores/cabos (VI) ** Alma condutora (II) As secções setoriais usam-se sobretudo nos cabos com 3/4 condutores  otimiza ocupação do espaço destinado à alma condutora  diminui dimensões e peso do cabo.  reduz efeito pelicular e de proximidade  Rca() Cabo com alma circular 10 . Cabo com alma circular Cabo com alma setorial Camadas concêntricas. isolados ou não. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.

condutores do cabo 11 . a R[] é mono/multicondutores. do Nº * CLASSE 6 – Almas extraflexíveis em cobre. * CLASSE 5 – Almas flexíveis em Cu para cabos Mesma S[mm2]. * CLASSE 2 – Almas multifilares em Cu/Al para cabos da forma e do Nº condutores do cabo mono/multicondutores. a 20 ºC.Constituição dos condutores/cabos (VI) * Classes de resistência As normas CEI 228. idêntica independent/. é função da Sn(mm2) e da Classe da resistência. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. a mono/multicondutores.2. * CLASSE 1 – Almas maciças em Cu/Al para cabos Mesmo material e S[mm2]. de 1978.: as Sn(mm2) não constituem valores geométricos exatos  o valor da resistência da alma em CC. e NP-2363 definem uma gama de secções nominais para as almas condutoras  4 classes  ordem crescente de flexibilidade: Obs. R[] é idêntica independent/.

2.  permitem atenuar inconvenientes levantados pelo papel Isolantes sintéticos impregnado (condições de instalação e de exploração). tais como. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.  apresentam caraterísticas muito superiores existindo uma grande variedade de materiais usados.Constituição dos condutores/cabos (VII) ** Camada Isolante (I) Os cabos de isolamento seco (sintético) suplantam em muito os cabos com isolam/. Poliuretano. … 12 . a papel impregnado a óleo (sob pressão ou não) até tensões de 400 kVca. produtos 12 fluorados. Podem ser:  materiais termoplásticos – T(ºC) provoca uma variação na plasticidade (reversível)  Policloreto de Vinilo (PVC) e Polietileno (PE)   elastómeros e polímeros reticulados – grande domínio de elasticidade associado a uma elevada aptidão de deformação  Polietileno Reticulado (PEX). Borracha de Silicone Em aplicações particulares utilizam-se ainda materiais especiais.

.conteúdo mínimo de água  devido à degradação das propriedades dielétricas ao longo do tempo (presença de humidade e campo elétrico).Constituição dos condutores/cabos (VIII) ** Camada Isolante (II) Quanto mais elevada for U (kV) de funcionamento do cabo mais importantes serão as exigências da qualidade dielétrica da camada isolante.eliminação de impurezas  filtragem do isolante na sua fabricação. . Cabos de AT e MAT a qualidade do dielétrico está diretamente ligada à natureza do material isolante e à sua aplicação.2. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.ausência de bolhas gasosas  nas superfícies de separação entre a camada isolante e os écrans condutores. 13 . nomeadamente: .

resistência de isolamento e rigidez dielétrica muito elevadas. . INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.Constituição dos condutores/cabos (IX) ** Camada Isolante (III) Polietileno (PE) – utilizado em cabos de AT e MAT.2. à fissuração e às baixas T(ºC).resistência elevada à grande maioria dos agentes químicos/atmosféricos.boas caraterísticas mecânicas  resistente aos choques.tg  (ângulo de perdas) e r (permitividade dielétrica relativa) muito baixas  independente da T(ºC). caraterísticas:  excelentes qualidades dielétricas: . Apresenta fraca resistência à propagação da chama  atenuar com outros constituintes mais apropriados. 14 . . .

.a combustão do PEX. MT e AT.boa estabilidade térmica e boas caraterísticas mecânicas (melhores do que as do PE). Boas caraterísticas elétricas (não tão boas como as do PE)  tg  (ângulo de perdas) e r (permitividade dieléctrica relativa) baixas e rigidez dieléctrica satisfatória Vantagens do PEX: .2.Constituição dos condutores/cabos (IX) ** Camada Isolante (III) Polietileno Reticulado (PEX) – domínio de emprego: BT. 15 . INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. não liberta gases corrosivos. tal como do PE.

. as perdas dielétricas. No entanto.2. são importantes podendo tornar-se críticas em MT. Em MT até 10kV.Muito boa resistência à propagação da chama (ação retardadora  ajuda de composições especiais ignífugas) Liberta gases nocivos 16 . r.Boa resistência à água e à maioria dos produtos químicos correntes. . resistência ao desgaste. Pouco usado em instalações móveis e muito em instalações fixas.Boas caraterísticas elétricas: rigidez dielétrica e resistência de isolamento Contudo. à compressão e ao choque. apresenta uma reduzida flexibilidade e fragilidade ao frio.Constituição dos condutores/cabos (X) ** Camada Isolante (IV) Policloreto de Vinilo (PVC) – largamente utilizado em BT.Boa resistência ao envelhecimento térmico. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. . O mesmo acontece com permitividade dielétrica relativa.Boas caraterísticas mecânicas: carga de rutura. tg . . que são muito elevadas. alongamento. .

Écrans Écran individuais 17 Bainha de cintura 17 .Cabo de campo radial – cada condutor é envolvido por um écran condutor. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. . Materiais usados: Cobre (nu/estanhado). ** Cabos de campo radial ou não  disposição do écran e a sua repartição no isolante e a do campo E em regime trifásico. Um cabo unipolar com écran é obviamente de campo radial.Cabo de campo não radial – écran envolve o conjunto dos condutores. Alumínio.malha  enrolada em hélice. … Forma dos écrans de Cu/Al: .Constituição dos condutores/cabos (XI) Écran ** Revestimentos metálicos Armadura Écran – parte metálica sob a camada isolante  escoar Icc(kA) monofásica da instalação.fitas (uma ou várias)  enroladas em hélice.  colocadas ao comprimento e revestida numa das faces para assegurar a sua aderência. . .2.

18 . os cabos unipolares alimentados em CA não são armados. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2. estas perdas são elevadas num cabo unipolar  limita a capacidade de transporte da canalização. Pode ser utilizada com a função de écran metálico (condições no plano elétrico). pelo contrário. ou longitudinais: tracção) quer durante a colocação quer ao longo da exploração. Disposições simples utilizam fios de aço encostados uns aos outros revestidos por uma bainha de enchimento coletiva (boa proteção mecânica. para instalações em ambiente húmido/corrosivo é desadequada).Constituição dos condutores/cabos (XII) * Armadura Assegura a proteção mecânica do cabo (esforços transversais: compressão. Armaduras mais correntes  constituídas por fitas de aço macio (recozido. Num cabo tripolar funcionando em regime equilibrado as perdas magnéticas na armadura são reduzidas. Geralmente.2. choques. zincado) enroladas em hélice.

composição  devem ser escolhidas de acordo com: .Poliuretano. INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS 2.PE.resistência mecânica (colocação/exploração). .estanquidade. à propagação da chama. 19 . -… Materiais mais utilizados: . .resistência aos agentes atmosféricos/químicos.resistência ao calor/frio. . .PVC.Polietileno cloretado. flexibilidade.2. As qualidades das bainhas variam em função da aplicação pretendida  natureza do material mais adequado. utilizam-se materiais sintéticos (podendo servir de bainha de enchimento). .Constituição dos condutores/cabos (XIII) ** Bainhas interiores e exteriores As bainhas interiores assumem um papel muito importante  asseguram a estanquidade do cabo (evitam o contacto entre a água/agentes químicos exteriores e a camada isolante. … .