PODER JUDICIÁRIO

JUSTIÇA DO TRABALHO
TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO - 6ª REGIÃO
07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE

Classe: Reclamação Trabalhista
Processo n. 0000018-90.2012.5.06.0007
Reclamante: EMERSON HILTON RATIS
Reclamados: ITAÚ UNIBANCO S/A E CONTAX S/A

SENTENÇA

Vistos etc.
I – RELATÓRIO:

Trata-se de ação trabalhista proposta por EMERSON
HILTON RATIS em desfavor das empresas ITAÚ UNIBANCO S/A e CONTAX
S/A, pleiteando o pagamento dos títulos especificados no rol de pedidos às fls.
36/40 dos autos.
Processo autuado e registrado corretamente.
Ata da audiência inicial às fls. 133.
Decidiu o Juízo incluir a empresa CONTAX S/A no pólo
passivo, após requerimento das partes.
Regularmente notificadas, as reclamadas compareceram à
audiência inicial, através de prepostos. Realizada a primeira tentativa de
conciliação, que restou frustrada, apresentaram suas defesas em forma de
contestação, através de memoriais escritos às fls. 134/169 pelo ITAÚ
UNIBANCO S/A e pela empresa CONTAX S/A, ambas impugnando os pedidos
do reclamante.
As partes estão devidamente qualificadas nos autos.
Valor da causa fixado de acordo com a petição inicial.
Foram juntados documentos pelas partes.
Há dois volumes de autos apartados.
As partes impugnaram os documentos juntados pela parte
adversa.
Ata da audiência de instrução às fls. 226/230 apenas duas
testemunhas foram ouvidas, uma da reclamante e outra da segunda
reclamada.
Razões finais remissivas pelas partes.
Rejeitada a segunda tentativa de conciliação.
É o relatório. Passo a decidir.

II – DA FUNDAMENTAÇÃO:
Das questões prévias
Da notificação dos reclamados

Defiro o pedido de notificação exclusiva dos dois primeiros
reclamados em nome dos advogados especificados às fls. 02 das respectivas
peças de contestação, tudo com fundamento no entendimento consolidado na
Súmula n. 427 do C. TST.

Processo n. 0000018-90.2012.5.06.0007 1

0007 2 . Desse modo. pois a não participação da prestadora dos serviços torna vulnerável a produção probatória. é indiscutível que o tema terceirização trava diversas controvérsias jurídicas ficando as partes expostas a fragilidade e carência de uma norma regulamentadora. Caso contrário.5. afirmando a licitude da terceirização. TST.6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE Determino que a secretaria da vara efetue os registros necessários junto ao SIAJ. Analisando a ação sob os aspectos da eventual procedência ou improcedência. 331 do C. inclusive a prova da Processo n. mediante remuneração e com continuidade. No caso em análise.2012. tudo isso tendo como fundamento a nulidade da primeira relação jurídica. Contax S/A. pleiteia a formação do vínculo diretamente com as tomadoras com fundamento no item I da Súmula n. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO . 331). uma aberração jurídica estará formada pelo Juízo. apenas uma Súmula do C. pois é preciso que a relação jurídica com o empregador formal seja declarada nula em razão da alegada ilicitude. Outro ponto que merece atenção são os riscos da demanda para os dois primeiros reclamados sob a ótica dos princípios do contraditório e da ampla defesa. O primeiro reclamado nega a existência de relação empregatícia com o reclamante alegando que jamais houve prestação de serviços de forma subordinada. ou seja. 0000018-90. haveria uma relação jurídica válida entre o reclamante e a empregadora originária e outra relação jurídica válida entre a reclamante e o primeiro. por conseqüência. Das preliminares Da regularização do pólo passivo – inclusão da segunda reclamada CONTAX S/A O reclamante impugna a determinação de chamamento da empregadora principal. TST trata da matéria como sendo a única fonte jurídica aplicável aos casos concretos (Súmula n. verifico que a manutenção apenas dos reclamados originários enseja riscos tanto para o demandante. Registro inicialmente que a terceirização no Direito do Trabalho decorre de uma construção doutrinária sem regulamentação própria e específica. caso o pedido seja procedente.06. já que toda documentação da relação de emprego está com a empregadora formal. Pergunto: quais efeitos jurídicos da declaração da nulidade da primeira relação sem a participação direta de uma das partes. da qual uma das partes não estava participando. o reclamante com base no seu direito subjetivo de ação propôs ação direta contra a empresa tomadora dos serviços prestados (Itaú Unibanco S/A) pela empresa interposta (Contax S/A) alegando que a terceirização da qual participou como empregado é ilícita.

essa hipótese de intervenção é facultativa.6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE atividade efetivamente executada pela reclamada está nas mãos da prestadora. Diz-se que há esse tipo de interesse jurídico quando a decisão puder afetar relação jurídica de que seja o terceiro.): “A assistência litisconsorcial cabe quando o terceiro alegar a existência de um interesse jurídico imediato na causa. Ademais. ou seja. titular. também ou só ele. há muitas indagações acerca da fragilidade da defesa dos tomadores e evidentes lesões aos princípios constitucionais podendo ocasionar mais adiante a nulidade processual por cerceamento de defesa. Além disso. Ultrapassa das questões acima. concluo que de acordo com o art. já que a prestação se deu exclusivamente no ambiente físico da prestadora e era ela responsável pela direção da atividade executada pelo reclamante. o terceiro. 77 do CPC porque a solidariedade somente existirá mediante requerimento da parte demandante e com a conseqüente declaração de nulidade da relação jurídica até então válida no mundo jurídico. 769 da CLT. 54 do CPC. “Considera-se litisconsorte da parte principal o assistente. Em suma. (Teoria Geral do processo e processo de conhecimento – vol. Salvador. o que não é o caso dos autos.2007. Mantém. toda vez que a sentença houver de influir na relação jurídica entre ele e o adversário. pois como os dois primeiros reclamados poderiam se defender diante da mera afirmação testemunhal.ITAÚ UNIBANCO S/A Processo n. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO .” Desse modo. declaro válida e legítima a inclusão da empresa CONTAX S/A na qualidade de assistente litisconsorcial passivo. relação jurídica com a parte adversária daquela a quem pretende ajudar. 07ª Ed. Da ilegitimidade passiva ad causam do primeiro reclamado . transcrevo trecho da obra Curso de Direito Processual Civil do civilista Fredie Didier Jr. já que depende de pronunciamento do Juízo a invalidade da mesma. 70 da CLT. entendo que a ausência de regulamentação do instituto da terceirização impede a aplicabilidade do disposto no inciso III do art.06. ela poderia ser indeferida sem prejuízo às partes. Na oportunidade.2012. resta evidente o interesse jurídico da própria prestadora dos serviços de ter sua relação jurídica com o demandante válida em prol da manutenção dos seus postos de trabalho perante os clientes reclamados.” Diante do exposto.0007 3 . esclareço as partes que de acordo com o meu entendimento o caso em análise não é hipótese de chamamento ao processo com fundamento no inciso III do art. aplicado subsidiariamente ao processo do trabalho por força do disposto no art. Editora: Jus PUDIVM. 0000018-90.5. I. No caso da denunciação à lide.

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO . sendo que quem autorizava ou não a liberação era o sistema. Da análise da petição inicial. 0000018-90.0007 4 .)que o depoente não possuía acesso a contas bancarias dos clientes. Processo n.que o depoente tinha poderes para alterar no sistema dados cadastrais dos clientes.que os clientes do banco reclamado telefonavam objetivando tratar de todas as questões relativas ao cartão de credito do ITAU. (. já que no presente momento processual as condições da ação são verificadas apenas de forma abstrata (Teoria da Asserção). como conta corrente ou poupança. Na oportunidade. ressalto que o reclamante não efetuava manuseio de numerário ou cheque. não tinha acesso a dados mais específicos dos clientes.6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE O primeiro reclamado suscita a preliminar de ilegitimidade passiva alegando que não possui qualquer relação jurídica empregatícia com o reclamante. transcrevo trecho da prova oral produzida nos autos pelo reclamante: Testemunha do Reclamante: “que o depoente trabalhava no atendimento receptivo.5.. o reclamante alega que o primeiro reclamado é devedor dos direitos invocados em Juízo. Desse modo. especificando das várias atividades exercidas às fls. somente no momento do exame do mérito é que a matéria será efetivamente enfrentada de acordo com as provas produzidas nos autos.2012. Desse modo. Aduz que as funções exercidas estão diretamente ligadas à atividade-fim do Banco. não efetuando ligações. mas possuía acesso a todas as informações relativas ao cartão de credito do banco. presumindo-se verdadeiras. preenchida tão somente a partir das alegações do reclamante na peça inicial. exceto os dados junto ao cadastro do cartão de crédito constantes no próprio sistema do cartão e somente atendia clientes do referido cartão de crédito para fins de suporte e não a clientes do Banco Itaú S/A.que em relação a alteração de limite dos cartões de credito. requer a declaração de ilicitude da terceirização e formação direta do vínculo com o Hipercard. Os reclamados não negam que o serviço desempenhado pelo reclamante referia-se ao atendimento do cliente ITAUCARD. 03 dos autos. o depoente lançava no sistema os valores pretendidos pelos clientes.06. seguros e capitalização. por ora. como por exemplo endereço. exercendo a função de Atendente SAC I. tomador dos serviços. aumento de limite. portanto. Do mérito Da terceirização lícita – atividade-meio – serviço de atendimento ao cliente – Call Center O reclamante foi admitido pela empresa Contax S/A em 07/06/2010 para prestar serviço de teleatendimento aos clientes do tomador – Itaú Unibanco S/A. Desse modo. como estorno de encargos. a legitimidade encontra-se. data de vencimento da fatura. rejeito a preliminar. cancelamento de compras ou cartão.. De logo.

a terceirização transfere para terceira pessoa a responsabilidade e execução de uma atividade que faz parte do processo de apoio da empresa. entendo que os serviços prestados pelo segunda reclamada não se enquadram na atividade fim do Banco. mas não relacionada à sua atividade fim. sendo expressamente permitido o repasse das atribuições realizadas pelo reclamante pelo principal órgão de controle de atividade bancária no país. executava funções alheias à atividade bancária.6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE numero de telefone e retificação de nome. 0000018-90. intermediação ou aplicação de recursos financeiros próprios ou de terceiros.que o depoente não se recorda se para alteração do Estado Civil havia necessidade ou não do cliente enviar documentos. como por exemplo o caso de alteração de renda. destaco que a atividade principal de um Banco é a coleta. serviços. Depreende-se. ou seja. além de disponibilizar capital de giro. 3.0007 5 . determinados dados somente poderiam ser alterados após o envio da documentação pelos clientes. No mesmo sentido: A) RECURSO DE REVISTA DA RECLAMANTE. pois trata-se de uma atividade de suporte e acessória ao negócio principal da empresa. No caso específico. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO . na medida em que o trabalho com telemarketing não se ajusta ao núcleo da dinâmica empresarial do tomador dos serviços. 17 da Lei n. VÍNCULO DE EMPREGO. configurando mera atividade meio.5. ainda. ATIVIDADE MEIO DO TOMADOR DE SERVIÇO. disponibilizar recursos para financiar através do cartão de crédito a compra de bens de consumo. ficando a empresa focada na sua atividade principal. do acórdão regional que não houve comprovação de que a reclamante fora contratada diretamente pelo Banco reclamado. contudo. Desse modo. TELEMARKETING.06. que é bancária. Nesse contexto.2012. entendo que a terceirização impugnada pelo reclamante é legítima no âmbito do direito do trabalho. Para melhor esclarecer. que. A reclamante prestava serviços de call center.que os documentos enviados para alteração da renda eram analisados por um setor do banco após serem enviados por fax. já que a atividade desenvolvida pelo reclamante não é da essência da atividade financeira do primeiro reclamado. em moeda nacional ou estrangeira e a custódia de valor de propriedade de terceiros (art. entendo que utilizando por analogia para as relações trabalhistas a Resolução n.595/64).954. que é o financiamento de créditos. se assim fosse o BACEN não permitiria a terceirização da atividade por meio de correspondentes bancários. de 24/02/2011 (BACEN). o objeto da terceirização foi a contratação de serviços de Call Center para atendimento aos clientes do cartão de crédito. atividade que no meu entender não está relaciona à atividade-fim do primeiro reclamado (Banco). o Banco Central. 4. Portanto. Registro que de acordo com o entendimento da doutrina e jurisprudência brasileira. No caso em análise. ou mesmo que dele recebesse Processo n. que regulamenta toda e qualquer atividade das financeiras em sentido estrito (o que pode e não pode ser feito pelas financeiras). já que não há norma específica e objetiva de terceirização nesse setor da economia.

2010. já estando. Esse é o entendimento consagrado pela Súmula nº 331. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO . O reclamante prestava serviços de call center. Relatora Ministra: Dora Maria da Costa. caberia ao reclamante arguir eventual irregularidade de representação na primeira oportunidade que teve para se pronunciar nos autos. pois. 1. Realizadas as considerações acima.. que é bancária.0007 6 . Data de Julgamento: 14/03/2012. pois foi nesse momento que o autor.0138 . quando da realização da audiência inaugural. não só tomou ciência da juntada das procurações ora questionadas e da ausência dos atos constitutivos.03. Recurso de revista não conhecido. mas tal afirmação não convenceu este Juízo. ou seja. ATIVIDADE MEIO DO TOMADOR DE SERVIÇO. 0000018-90. TST.2009.140100-37. TELEMARKETING. No que diz respeito à análise dos demais requisitos da terceirização. 8ª Turma. TST. NÃO CONFIGURAÇÃO. VÍNCULO DE EMPREGO. III. 2. portanto.0021 . com a configuração dos elementos necessários ao vínculo de emprego (artigos 2º e 3º da CLT) ou com o labor em atividade fim da empresa tomadora. Relatora Ministra: Dora Maria da Costa.5.6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE ordens diretas. AUSÊNCIA DE IMPUGNAÇÃO EM MOMENTO PRÓPRIO. 8ª Turma. na medida em que o trabalho com telemarketing não se ajusta ao núcleo da dinâmica empresarial da tomadora dos serviços.5.) TST. com a configuração dos elementos necessários à configuração do vínculo de emprego (arts. Data de Julgamento: 25/04/2012. como também teve oportunidade para se manifestar sobre a aludida irregularidade de representação. do acórdão regional não ter havido comprovação de que o reclamante fora contratado diretamente pelo Banco reclamado.873-19. configurando-se mera atividade meio. destaco que a testemunha do reclamante noticiou em seu depoimento pessoal que havia subordinação direta a empregado da empresa da tomadora. concluo que as atividades desenvolvidas pelo reclamante no decorrer do sue contrato de trabalho não se enquadram na atividade-fim do Banco. AIRR .2012. Cosoante assentado pelo Regional. realizada posteriormente à audiência. RR . Esse é o entendimento consagrado pela Súmula nº 331. Data de Publicação: 27/04/2012. Data de Publicação: 23/03/2012.5. ainda. III. visto que impossível uma única pessoa do Banco tenha 300 pessoas como subordinados Processo n. 2º e 3º da CLT) ou com o labor em atividade fim da empresa tomadora.. não há que falar em terceirização ilícita com base no disposto no inciso I da Súmula 331 do C.06. (. preclusas as argumentações suscitadas a esse respeito por ocasião da impugnação dos documentos. PRELIMINAR DE NULIDADE POR IRREGULARIDADE DE REPRESENTAÇÃO EM VIRTUDE DA AUSÊNCIA DE JUNTADA DOS ATOS CONSTITUTIVOS PELAS RECLAMADAS. isto é. do TST. Depreende-se. do TST.06. A fraude na terceirização trabalhista a possibilitar a formação de vínculo com o tomador deve ser cabalmente comprovada. executava funções alheias à atividade bancária. AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. Agravo de instrumento conhecido e não provido. ou mesmo que dele recebesse ordens diretas. A fraude na terceirização trabalhista a possibilitar a formação de vínculo com o tomador deve ser cabalmente comprovada.

Inserida em 20. Desse modo. 74.Res. pode ser elidida por prova em contrário. a qual pode ser elidida por prova em contrário. 129/2005 .Os cartões de ponto que demonstram horários de entrada e saída uniformes são inválidos como meio de prova. Por último. o fato noticiado pela testemunha já se encontra notoriamente superado. esclarecendo que sua jornada era das 11h às 22h.2012.OJ nº 306 – DJ 11. invertendo-se o ônus da prova. (ex-OJ nº 234 . 0000089- 92. DJ 21.A presunção de veracidade da jornada de trabalho.04.11.É ônus do empregador que conta com mais de 10 (dez) empregados o registro da jornada de trabalho na forma do art. é pré-constituída e obrigatória. relativo às horas extras. da CLT. O entendimento consolidado na Súmula 338 do TST diz o seguinte: Súmula Nº 338 do TST Jornada de trabalho.06. uma vez que dele é o dever de manter. É do empregador o ônus da prova da jornada de trabalho.06.Res. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO . (ex. ainda que prevista em instrumento normativo. § 2º.2003) II .2003). prevalecendo a jornada da inicial se dele não se desincumbir. Das horas extras O reclamante alega na inicial que a empresa reclamada não efetuou o pagamento de todas as horas extras trabalhadas. fiscalizar.0007 . Ônus da prova. A prova. pois em outros processos com as mesmas partes há provas da inexistência de subordinação direta à empregados da tomadoras nos contratos com a Contax S/A. Vale dizer. Registro.5. a única prova admitida do empregador será a prova documental. (incorporadas as Orientações Jurisprudenciais nos 234 e 306 da SDI-1) .6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE diretos. 121.06.2001) III . (ex-Súmula nº 338 . cito a ata da instrução do processo n.2012. Diante do exposto. Além disso. que passa a ser do empregador. requer o pagamento das horas extras trabalhadas e não pagas pela empresa. Processo n.05 I . 0000018-90. no caso. considero lícita a terceirização e declaro prejudicados todos os pedidos relacionados à formação direta do vínculo empregatício com o primeiro reclamado.DJ 20. ressalto que a participação de empregados do tomador em treinamentos não traduz por si só na caracterização de subordinação jurídica necessária para fins de reconhecimento de vínculo empregatício.5. conservar e ter sob sua posse e vigilância os controles de horários de seus trabalhadores.08.0007 7 . A não-apresentação injustificada dos controles de freqüência gera presunção relativa de veracidade da jornada de trabalho.

0000089- 92. 790. como se nele estivesse transcrita. porém. o que não ocorreu na hipótese dos autos.2012. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO . da CLT c/c com o disposto nas Orientações Jurisprudenciais 269 e 331 da SDI-I do C.000. §3º. 30 do C.2012. declarando legítimos os controles de jornada apresentados pela segunda reclamada nos autos.06. Além disso.0007 e 0000265-77. dispensadas na forma da lei.2012.5.00. (Súmula n.06.00. valor fixado para a causa em conformidade com a inicial. é do reclamante o ônus de provar as horas extras trabalhadas e não pagas pela empresa demandada a teor do disposto no art. decido:  Declarar legítima a inclusão da empresa CONTAX S/A no pólo passivo da presente ação. Intimem-se as partes.000. 818 da CLT. Desse modo.0005). III – DO DISPOSITIVO: Diante do exposto e considerando o mais que dos autos consta.5.5. Custas processuais pelo reclamante no valor de R$ 1. indefiro o pedido de pagamento das horas extras pleiteadas. tudo na forma da fundamentação supra. Diante do exposto. TST. Cássia Barata de Moraes Santos Arteiro Juíza do Trabalho Substituta Processo n. 0000018-90.  Rejeitar as preliminares suscitadas pelos reclamados.0007 8 .06. 05 de novembro de 2012. tem sido observado em várias outras reclamações trabalhistas que o horário informado pelo reclamante na inicial não reflete a realidade da rotina de trabalho dos empregados da Contax S/A (ver atas da audiência de instrução dos processos n. visto que sua testemunha não foi convincente. Recife. Dos benefícios da justiça gratuita Defiro o requerimento de concessão dos benefícios da justiça gratuita formulado pelo reclamante em razão do preenchimento dos requisitos exigidos pelo art.6ª REGIÃO 07ª VARA DO TRABALHO DO RECIFE/PE Na hipótese dos autos. a qual passa a integrar o presente dispositivo. calculadas sobre R$ 50.  JULGAR IMPROCEDENTES os pedidos formulados por EMERSON HILTON RATIS em desfavor das empresas ITAÚ UNIBANCO S/A e CONTAX S/A. a empresa reclamada apresentou os registros de ponto se desincumbido do ônus probatório que lhe pertencia. TST).