oTEATRO DA VIDA SUSPENSA diante das declarações feitas por ele na inauguração do
Centro, onde falou de suas principais propostas bem como
elo . novo espetáculo que ele está preparando em Florença.
Na verdade ele falou muito pouco sobre teoria. Apenas
]an Klossowicz algumas frases sobre o realismo de seu teatro, onde o
ensaio constituiuma.transposição artística do munQo real;
sobre o caráter muito pessoal de sua linguagem teatral,
que é um ato de defesa - defesa de si mesmo e dos
outros - contra a agressão do mundo moderno e sobre
o ato criador que é uma revelação do que há de mais
· CU\s. ~ P.J profundo e de mais íntimo no homem artsta e que
encontra sua expressão nas lágrimas, consideradas como
o que há de mais íntimo e de mais secreto. E são as
"OCricot-2" em suas novas instalações em Cracávia lágrimas que provocam o que deveria suscitar um espe-
e em Florença táculo teatral; não a cólera ou a revolta - como fazia
o teatro de "avant-garde" de sessenta anos atrás (os da-
Foi inaugurado em janeiro de 1980, na Rua Kano- daístas) - mas a emoção.
nicza, em Cracóvia, o Centro de Teatro Cricot-2. Em Igualmente importante foram as afirmações de Kantor
apenas alguns meses, o teatro de Tadeusz Kantor, que sobre o material de seu teatro; dos elementos puramente
até então nunca havia tido lugar fixo, adquiriu dois: um teatrais (não os aspectos plásticos ou literários) que com-
em Oacóvia, não muito longe do castelo de Wawel, e,o preendem a composição do espetáculo. Estes deveriam
segundo em Florença, numa antiga basílica romana perto afetar o espectador tanto do ponto de vista emocional
do teatro onde antigamente Edward Gordon Craig de- como ín'elcctual, como uma obra dramática cujo texto
senvolveu suas atividades. Vinte e cinco anos se passa-
não estivesse previamente fixado. Neste teatro, a repre-
ram desde que Tadeusz Kantor criou o Cricot-2 e trinta
e oito anos desde que ele fundou o Teatro Independente sentação é uma escultura viva - disse Kantor - com-
Clandestino, na época da ocupação hitlerista. parando-o às moldagens de gesso dos vestígios descober-
tos entre as cinzas de Pompéia, onde em um minuto
Seria conveniente falar da história do extraordinário
desenvolvimento artístico de Kantor, das etapas e suces- corpos humanos se petrificaram em seus movimentos
sivas metamorfoses de sua criação pictórica, de sua ati- consumidos pelas chamas. Isto está ligado à visão de
vidade teatral. Numerosos artistas de sua geração, que seu próprio teatro que ele considera uma espécie de foto-
atingirama maturidade artística nos anos 40, gozam hoje grafia que, ao mesmo tempo, fixa um momento da vida
de uma reputação de clássicos contemporâneos, e suas do homem emata-o, parando movimento e tempo. Assim,
biografias artísticas parecem ter chegado ao fim. Kantor acomposição do espetáculo é uma sucessão de cenas que
é um caso inteiramente à parte. É verdade que, na inau- se seguem, mas continuam autônomas e equivalentes. De
guração do Centro, ele falou do fim de sua carreira certa maneira, uma seqüência de cortes no filme da vida.
- não sem malícia - para logo em seguida, com um Essa proposta de Kantor confirma a impressão sus-
só gesto, prontamente varrer toda a tradição ligada à citada pela percepção e analise de A Classe Morta, prin-
sua comentadíssima obra. Para ele, a única coisa que cipalmente a de se estar na presença de uma obra teatral
conta é o que ele faz atualmente, e mais exatamente, a cuja maior parte dos componentes seria de uma obra
fase de sua atividade teatral que começou em 1975, com literária que contudo não existe, sob o ponto de vista
a criação da "Classe Morta" (Urnarla Klasa). de obra dramática, como uma peça expressa em uma
Já se falou muito da importância e do valor artístico linguagem. escrita constituída de palavras, frases e cenas.
deste espetáculo, que sem dúvida passará à história do Eque, ao mesmo tempo, apesar do caráter efêmero da
teatro como um dos mais notáveis dos anos 70. No en- arte dramática, enquanto gênero, pode funcionar na cons-
tanto, valeria a pena refletir sobre os aspectos essenciais ciência - mesmo que através de uma documentação
da etapa atual da atividade teatral de Kantor, sobretudo imperfeita - além da duração do próprio espetáculo, 1

graças ao impacto e à força de sua expressão semântica pessoa, que está ali presente, assim tomo o escritor,na '
e emocional. sua obra, quando se dirige diretamente ao leitor.
Na sua declaração; de grande importância histórica' Uma vez mais, e talvez mais claramente que nunca,
e teórica em si mesma, Kantor fez suas despedidas à Kantor aparece como um verdadeiro artista de vanguar-
Witkiewicz. Ele declarou que Witkiewicz, na qualidade da. Ele criou um teatro novo, enraizado na literatura e
de dramaturgo, não signifiCava quase mais nada para o nas artes plásticas do sétulo XX, desafiando as tendên-
inundo moderno. Falando sobre o espetáculo que está cias, as rupturas, as crises eas desilusões da vanguarda
preparando, sublinhou sua ruptura com a literatura em contemporânea. De acordo com oque disse sobre oespe-
geral. Confessou que procurava um livro (um livro e não táculo que prepara em Florença, espera-se que ele siga
uma obra dramática) onde pudesse encontrar "a defesa omesmo caminho: ele não teme criar um espetáculo onde
contra o mundo contemporâneo", mas não o encontrou. falará - com seus atores - de si mesmo.
Foi então que começou ele próprio a criá-lo, falando de Ainda não se pode julgar a importância da criação
si aos outros, aos atores eaos espectadores de seu teatro. teatral de Kantor no teatro contemporâneo; mais uma
Nesse momento seria oportuno dedicar algumas pa- vez provavelmente, ele nos surpreenderá com sua abor-
lavras à história e aos últimos estudos comparados de dagem sempre nova desta arte. Seus Centros de Cracóvia
seu teatro, ao menos nesses últimos anos. Os anos 60 e de Florença, que ele mesmo chamou de "bibliotecas",
foram um período onde se cristalizou um modo de cria- depois de ter por muito tempo hesitado na escolha do
ção coletiva, um teatro sem literatura e sem palavras, termo, deverão ser um organismo vivo, não tendo nada
onde apareceu a "escrita de cena", a inversão do palco em comum com um museu ou com arquivos. Eles têm
e da platéia, dos atores e dos espectadores, as tentativas por objetivo prolongar e desenvolver tudo que não de-
cie criação de um novo modo de atuar, o primado do veria morrer com o fim do espetáculo. Pode-se acreditar
fator emocional, o exibicionismo. Nesta época, como fez que assim ofarão.
nos anos 40 e 50, Kantor prosseguiu nas suas próprias É difícil superestimar aimportância da criação desses
investigações, na sua própria pesquisa. Ele criou o teatro ateliers, dessas "bibliotecas" teatrais. A atividade teatral
"informal", oteatro "grauzero", o"happening". Só estas de Kantor - desenvolvida com uma perseverança, deter-
.noções seriam suficientes para demonstrar as ligações minação e continuidade .digna~ da mais alta estima, sem-
constantes do teatro de Ksmcr com as artes plásticas. No pre àmargem das grandes tendências e enfrentando toda
correr dos anos 70, quando quase todo o teatro "novo" espécie de problemas grandes e pequenos - vem enfim
se desintegrou, e em conseqüência ultrapassou os limites encontrar um amparo oficial e apoio financeiro, institu-
do teatro, Kantor chegou através de seu "teatro impos- cionalizando-se, de certa maneira. Kantor, como teve oca-
sível" ao que elechamou de "teatro da morte", o que eu sião de dizer muitas vezes, teme esta institucionalização,
chamaria hoje de "teatro da vida suspensa". mas saberá sem dúvida manejá-la e daí tirar vantagens
Em 1975 aparece A Classe Morta. É um espetáculo e desenvolver esta nova experiência. Sobretudo porque,
onde o "drama", no sentido clássico do termo, está au- depois de quarenta anos de atividade, ele não quer nem
sente, mas onde o "teatro novo" também está ausente, mesmoouvir falar do passado, falando somente do futuro.
ondepalco eplatéia estão nitidamente delimitados eonde
se consegue uma extraordinária .tensão emocional, um
choque intelectual espantoso graças a um contrapontc
ininterrupto de pensamentos, gestos, signos, objetos, pala
vrasecenas, onde oque é comum etrivial aparece como
grande e significativo, enquanto o que é sério e preten-
sioso explode como um balão furado por uma agulha.
A Classe Morta na sua concepção e na percepção que (Extraído da revista "Le Théâtre en Pologne", Varsóvia, Centre
oferece nada tem de mágico, de ritualístico, guardando Po!onais de L'Institut Internationa! du Théâtre et de L'Agence des
apenas a essência da obra de arte. Este espetáculo com- Auteurs, 6 (262) : 3-4, junho de 1980. Tradução de Caminha Lira).
porta também um papel excepcional, o do maestro, que
2 não é outro senão o autor, o criador do espetáculo em ,,,.

ESTILO, CONVENÇÃO '. nando o comportamento. Em contraste; Look back in
Anger éuma peça dentro da convenção do realismo social
EINTERPRETAÇÃO em quase todos os aspectos naturalista. Os mínimos de-
talhes na representação eprodução são fundamentalmente
importantes: a sordidez de um pequeno apartamento mi-
serável, roupas vestidas durante muito tempo e por
H. Morrison muitas vezes, o choque inteiramente realista dos perso-
nagens com suas vidas ede uns com os outros. Isto não
deve ser transformado numa metáfora didática, onde Jim-
my eAlison simplesmente representam atitudes perante a
vida: o estilo está na angústia de uma identificação, na
absoluta verossimilhança.

o exame do estilo e da convenção teatral exige Falsidade de estilo
uma compreensão cuidadosa, porque essas qualidades
são inseparáveis da interpretação. "Estilo" é um termo Uma má compreensão do conceito de estilo pode
vago, que pode significar élan, opulência, e muitas vezes fazer com que os atores se esforcem por conseguir um
significa sofisticação. t também usado como um con- efeito predominante às expensas da autenticidade. .Por
junto de rótulos convenientes para classificar as peças exemplo, por muitos anos as comédias de época da Res-
em tragédia, comédia, farsa, naturalismo, classicismo, etc. tauração eram vistas como exibições de humor e ele-
Sugere que cada peça possui uma qualidade intrínseca, gância acima de tudo, dedicando-se pouca atenção aos
uma estrutura e textura identificáveis, o que, utilizado elementos realistas do mundo dos personagens. Isto é
de acordo com as regras, deve produzir um certo tipo desviar a atenção dos temas centrais: sátira e zombaria
de efeito. Isto é confundir estilo com convenção, o qual da ganância e ambição, da paixão, da frivolidade e da
poderia ser identificado com uma modalidade, em con- vaidade, num mundo de roupas finas por cima de um
teúdo e caráter, com a qual a audiência está familiari- interior sujo. Afetação e batidas de leques, saltos ver-
zada. A convenção pressupõe uma compreensão, uma melhos e perucas não deveriam tornar-se fantasias para
atitude tomada pela audiênéia. O estilo é uma questão mestres suburbanos de gracejos. Shakespeare e os eliza-
mais detalhada e mais indefinível: talvez homogeneidade, betanos há muito são submetidos a um falso conceito, o
certamente uma adequação sutil, uma exatidão na atua- qual refletia uma idéia vitoriana da virtude , do mal , do
ção. Consideremos a peça de Feydeau "A pulga atrás da heroísmo e da história, boa declamação, mulheres ro-
orelha". Esta farsa francesa pertence a uma tradição de mânticas, uma maneira de falar viril e pseudo-heróica;
comédia, e o que se pode esperar que aconteça são peri- os notáveis trabalhos de Peter Hall, Peter Brook e John
- gosas coincidências, trocas de identidade, personagens
grotescos, um rápido e selvagem desenrolar da ação.
Banon, na última década, fizeram maravilhas para resta-
belecer a harmonia. Naturalmente, a reação produziu
Contudo, representá-la de maneira vigorosa e ampla mas alguns excessos, com o herói de hoje de óculos escuros
exata não basta para dotá-Ia de estilo. Oestilo nasce de e roupas Carnaby Stieet Adornos superficiais não são
algo mais profundo: os valores e paixões de seus perso- estilo mas sim moda. Deve-se entender por estilo uma
nagens, suas atitudes no amor, romance, luxúria, costu- realidade artística, o meio de expressar a verdade dos
mes, respeitabilidade, honra, cavalheirismo e suas pró- personagens, sua significação, seu humor - uma simples
prias auto-imagens. definição de uma qualidade que é infinitamente difícil de
Aqui, o estilo pode significar o modus vivendi dos conseguir!
personagens em conflito com seus desejos, suas maneiras
precisas de buscar o melhor dos mundos, de afirmar sua Estilo, realidade e verdade
respeitabilidade e moralidade e ao mesmo tempo "cair
na farra", Assim, o refinamento e o aspecto mais cômico Certamente, na busca de uma realidade artística, de-

da paixão parecem ser ingredientes essenciais, condiCIO- vemos fazer referência à nossa própria época e à da ·
r

tom. retórica e um padrão de são os aspec~os da tragédia que interessam à audiência ~ação excessivamente rítmico.. e tragédia e comédia. provando simplesmente que ceber os protagonistas da tragédia em termos psicoló- a questão era meramente de interesse acadêmico. A forma é se.. . Está no direito do artista experimentar. prosa? Em si. Uma peça séria comoventes..tem o dade. mais coloquial no uso da entonação. perdemos alguma parte do. eacrítica que as pessoas esperam do teatro. Porque podemos con- a pronúncia do século XVI. aparência geral de'realidade. misturar. A t~~g~dia . faz 4 clusive sonoridade de linguagem. Um mau naturalismo lida apenas com o .. as im. pare. tendem a ser rótulos bem enganadores. venger's Tragedy" considerada obra de Tourneur.~stI1o que estimula a Imagmaçao. linguagem que se esforça para ser precisa e não obscura usar o método que mais lhe convier para expressar uma ou meramente factual. inclusive para os heróis estóicos e racionais.. Alinguagem po é- as pernas do piano. . O estilo de época não é como um caso geriátrico de demência senil. mas sim de uma Os dramaturgos nem sempre estão presos à questão im~gística ele~ada. a peça perde só as maneiras refinadas de um período. mais idiomático. grandiosos. nem apresentar "Os Espectros" num gem realista. Aprerrogativa de um bom definir. e assim entendê-los melhor. conforme repulsa. independent~ ao valor mais adversa parece resumir-se no tédio e no não-enrol- da peça propriamente dita. cundária ao conteúdo. in.a~se obscur~ se provocado numa audiência inglêsa por Racine represen.lua que ~m texto elaboradamente trabalhado funcione. cômicos ou patéticos que podem ocorrer. até que Onde as convenções fundem-se: humor negro. cenário altamente abstrato. e não somente para reduzir a emoção.e um esülo de produção honesto e ordenado revelará ressantes do que exatidão de estilo: consideremos oefeito I as profundezas da pe~a .de s~nti~os transmitidos com um do estilo. Bernardo Miles expe. Nosso método de lidar com o drama clássico é de Aristóteles. e variedade e vida são mais inte. e podem mesmo estar agoni.vimento.s?b.~~ntos do que a prosa.. tão mais próximos de nós. a arquitetura são superficial e com o trivial.de seu mistério. entre o horror e a simples ca: a moral e atitudes cristãs do século XIX. não pode ser representada só com técnica. Muitas comédias re~uerem agilidade.. permi- ridade estão muitas vezes interligadas. desenvolve e incluir os vários eventos tristes. Opensamento contemporâneo parece dirigir-nos rimentou métodos elizabetanos de representar. Um estilo simples. seu poder de nos comover.. Ibsen ou Tchecov. e por isso precisa de menos orna-o idéia especial. diálogos sem autentici. excluindo expansão. ela pode ter ·uma profundidade e lucidez Não podemos representar o homem pondo de lado ao descrever a experiência humana. auto-indulgência eenfadonha solenidade.moderna. ou sua estética. que falta à língua- seus trajes mentais.. tica não é necessariamente em versos.a compaixão e o ridículo.·nem pode Muito de cômico é apresentado em peças de implicações ser transmitida unicamente através de uma profunda e conseqüências trágicas. As falhas na psicologia humana. embora geralmente tentem seguir as conven. mas sim os costumes e a filosofia dessa época. uma dramaturgo é contar a história como sua imaginação a habilidade técnica que brilha sobre vários pontos. etc. expressos na linguagem e conduta do Pastor Mander. é mais difícil de se podem ser sempre aplicados. como uma forma de ções. bem o oposto da purgação intelectual e moral zantes. ilumi.recarrega~a de munos a~IfIcIOS simbólicos ou pSICO- lado nos moldes da Comédie Française: só ofrancês pode lógicos conscientes: se nos dispusermos a montar "Lear' apreciai suas sutis insinuações.. "tragicomédia".gicos. o equilí- brio deduzido a partir do texto: em resumo. claro. peçi Os inétodos de interpretação histórica refle. e o ator caminha na corda bamba entre cem beneficiar-se com uma fidelidade escrupulosa à épo. leveza. na-os intensamente e seguem em frente. em peças mais sérias. da perfeições e as trágicas conseqüências de credos e éticas infl~xão. elegância e vulga. tensão e proporcionar um alívio momentâneo. "The Re- A"tragédia" apresenta uma série de problemas. ponto a realidade externa importa para a peça? tragédia ubranca" Atiludes para com o drama sério Definições como "tragédia'!. Os móveis. continuamente uso da comédia escandalosa. ou . ainda que . . Contu. preocupado com um aparente o espírito da peça: os valores são afirmados ao se cobrir I realismo. e não o estilo. são A linguagem poética pode ser tão "real" como a tão essenciais quanto sua psicologia básica. "comé- dia".

seus personagens. como seus nomes indicam (Castiza. Ométier de Toumeur pode ser descrito como Humor Negro. descrevendo-os minuciosamente. enos ajuda acompartilhar sua maneira de vê·las. de H. Apeça ostenta lima vitalidade. sensualidade ou luxuria). uma energia sobre-humana. o benen. na sua forma mais (Extraída de Directíng ín the Theatre. um perigoso 5holV à parte. naturalmente uma mulher impregnada de virtude. Morríson. na tragédia. A tragédia exige acima de tudo a mais profunda reação emocional. parece ser um cômico monstro.Seu irmão. Pode-se descrever essa atitude dos dramaturgos para com eventos trágicos como a de sobreviventes: eles nunca se transcenderão a si mesmos. pura e simples. De todos os grandes dramaturgos. mas da maneira que é descrito. o "humor negro" nos afeta chocan- do-nos.não seja uma sátira no eênero da ·"Revenge": Os aconte· feição. De- safia as profundas motivações psicelógica De fato. com excessão de Vindice. veracidade da psicologia. Atragédia. ou Lussurioso. o contraste entre Céu e. 5 . parece depender de dois elementos: alta 1978. revelação do lado mais sombrio do homem e imagens de uma inatingível beleza e per. tradução e adaptação de Carminha Lira). a humanidade corrupta. é algo como uma animada história em quadrinhos. Pítman. deve-se entender o que faz Lussurioso palpitar: sua ca- racterística mais marcante é que ele é um completo ma- níaco sexual. em outra peça do mesmo período. são bonecos depravados ou virtuosos. é o lobisomem Ferdinand em "The Duchess of Malfi" de Webster: a diferença no estilo e na interpre- tação é que Webster viu seu tema com temor e horror e foi sensível à grande tragédia de Ferdinand. provavelmen- te somente Shaw decidiu resolver nossas dúvidas sobre os personagens de suas peças. mas sobreviverão.Inferno. são apresea- tados sarcasticamente: um estóico sorridente nos conta uma história cruel e nos desafia a ser sentimentais. Ed. ou Casti- dade. Toumeur viu Lussurioso como uma figura engraçada. o destino revelada a vida. como por I exemplooperipatético cadáver em "Loot" de Joe Orton. adotando uma atitude irreverente para com os assuntos sagrados. entenderão e resistirão sem lamentar. aíerrador da maioria de seus personagens. Muito da sutileza de interpretação de- pende o nosso entendimento para com a atitude que o dramaturgo toma em relação a seu personagem e seu mundo. Na comédia é cimentos dessa peça. tratando dos atos e dos assuntos mais profundos e sérios cominsensível frivolidade. mais tipos do qm: pessoas.

Opanfleto intitulado "1907 Caragiale fez seus estudos na escola primária e no liceu .havia estreado suas a trabalhar duramente para enfrentar as necessidades de comédias. Comédia em quatro atos '~D. não deve tomar de periódicos humorísticos. primeiramente. tipos a imitar. volume de "Ensaios". onde dá livre curso a seu amor lon Luca Caragiale nasceu em 30 de janeiro de 1852: pelo povo e sua cólera contra os opressores. tradutor. Mas. ao lado de outros 6 implacável da hipocrisia edos falsos valores . os tigos. etc. escreveu: preferentemente. Odrama em dois atos "A vingança". um poeta. encerra por assim dizer. Por esses mesmos anos publicou dois dos seus relatos mais conhecidos: "Um Círio de Páscoa" (cristã) e "Pecado". gerente de um restaurante. o chefe do to" de teatro. os elementos piores da sociedade para apresentá-los como dono de uma cervejaria.(Scrisoare pierduta) Na primeir.~ etapa de sua carreira. ginas mais emocionantes. havia pronunciado contra ele um dis- petor escolar. seguiu reprimiram. compensa. peças teatrais. ION LUCA CARAGIALE Caragiale praticou quase todos os gêneros literários: teatro. Não obstante. .apresentou seu livro "Teatro". ins. sparecido. porque o rea. Pela primeira vez se publica a versão de uma das Durante os dez anos seguintes escreveu grande nú- peças mais significativas de 'lon Luca Caragiale. Em 1891. autores de várias peças teatrais.que viam nele um denunciador Esta desconsideração por sua obra. seus estudos críticos. Seu pai era administrador de bens eclesiásticos quando estalaram em todo país as revoltas dos campo- e seus tios Costake elorgu Caragiale foram atores repu. por morte de seu pai. neses contra a insaciável avidez dos opressores . também em seus numerosos ar- lismo crítico de Caragiale denunciou. os cursos de declamação e mímica de seu Caragiale nunca recebeu recompensas oficiais.os fa- tados e. periodista. Desse tempo data seu célebre dramaturgo romeno. vinte mesmo depois de haver merecido a consideração do pú. a sangue e fogo. Leônidas frente à reação" (1879). acadêmicos se opuseram a que lhe fosse concedida a re- blico.PERDIDA'de frentar uma luta cotidiana contra a miséria. Aatitude de Caragiale ante os principais problemas E não podia ser mais justa a designação. Mas as pá- dias. Partido Liberal. verso e crítica literária. revisor de provas. em 1870.desse feudalismo prolongado quase até os nossos velam uma cordial simpatia pelos oprimidos. ensaios.da primavera ao outono" é uma das mais vibrantes de Ploiesi. obstante a difusão e a qualidade de sua obra. até 1890. em uma revista satírica. só obteve quatro votos. além disso. a maior parte dos quais haviam Acadêmico post mortem. na aldeia de Haimanale eque hoje tem escreveu por ocasião dos sangrentos episódios de 1907.ogrande males que deveria suportar . escritor decidiü suportar toda 'sorte de inquietudes e:'en- UMA CARTA. males de uma organização social infectada de feudalis. '. Começou. Quis pois ser ator e. editor curso violento: "Um artista. suas paródias e suas fábulas. em Bucareste. precisamente. Ocerto é que Demétrio Sturza. para oprêmio e privações enormes e essa situação se manteve até da academia.dificuldades materiais. então uma vida de preocupações nhecidos . empregado nos monopólios estatais. e publicado alguns dos seus relatos mais co- sua família. sua brilhante atividade de dramaturgo. ogrande mero de ensaios e relatos. e "Uma Carta Perdida" (1884). contos. berações da Academia da República Popular Romena. oupara caracterizar a sua nação e a qual Acolhido com ódio pelos representantes da cultura se infama desta maneira efaz perder ilusões eesperanças. À essa época pertencem suas célebres comédias "Uma Noite Tormentosa" (1878). e logo decidiu adotar a profissão tradicional éltas de acusação contra as antigas classes dominantes que da família. seu retrato preside as ddi. se viu obrigado já de plena posse de seu talento . são as que perto de Ploiesti. seu nome. em 1890. de sua época se reflete. os protestos camponeses. zendeiros donos das terras." oficial de seu tempo . copista. lendas. que constituem uma sátira da vida social e política e re- mo . diretor de teatros. durante dois anos. não tio Costake. Desempenhou os ofícios mais surpreendentes: "pon.

eram sim.seexpressar de Caragiale é muito diíe- critor se desinteressara pelos acontecimentos da pátria I rente quando descreve a vida laboriosa e difícil dos can abandonada. Pristanda e seus esbirros. Acorrespon. e tudo . poneses. Oescritor desnuda sobre afarsa montada pelos dirigentes da época. em todos os tempos e em todos obras-primas do teatro romeno. sua potência de vida. espelho implacável que refletia. Eé cança a coalizão mesma das classes dominantes. a grandeza de seu talento grotesca como repugnante.. Da eleição se encarregam o comissário fim de seus dias (1912). Gro- tesco e trágico eram o fato de que o governo se assegu- rasse da vitória eleitoral por meio do terror.quer dizer. oqual. com traços incisivos. se mantiveram intactos até os nossos dias. A maneira de. não podia se afastar agora rados. cujo silêncio se compra com um mandato de deputado. contraste entre o que era a uma tomada de consciência frente à realidade. particularmente significativa . Mas a nota distinta de Caragiale é ter urdido um Aobra de Caragiale não só expressa sua compreen. seusabor. da fraude e da mentira. comédia admirável. Nesse sentido é eloqüente lugar a um tom grave e a ironia ferina à uma calorosa a já mencionada posição que adotou frente aos episódios simpatia. Por isso. a monstruosidade de uma sociedade baseada na opres. são da época mas também pinta. segue usando a como pretendiam alguns àíticos esteticistas. caracteres retos e resolutos que sofrem sob opeso das preocupações e das lutas de seu povo. propriamente dita. Sua extraordinária força crítica apa. a justo título: e estabelecer-se em Berlim: ali viveu desde 1904 até o como o eleito. o fraseologia revolucionária. mas também al. realidades que Caragiale revelava eram trágicas. "Una carta perdida". mas. homens de um mundo com· dência de Caragiale. pode considerar-se. a alta sociedade. mas da designação i . humilhações e perseguições de personagens oficiais de do candidato governamental.alternadamente no poder. faz com que sua obra não só valha para seu A sátira contra as classes dominantes prossegue e tempo. sociedade de 1880 e o que pretendia ser. não obstante essa aparência ridícula. "comicidade pura".Liberal eCon- servador . Mas. pois. Ma~ esse exílio voluntário não signifi~~va que o es. com esta se revela tudo quanto seocultava por detrás da preten. sua frescura. a identidade de suasposições. tendo atraiçoado os princípios de 1848. J tuação política de sua pátria. criador. üma das ordem social semelhante. da exploração . o "maestro cantor" de "Uma carta perdida".eela mostra toda a agudeza da crítica de Caragiale - é a circunstância de que a luta ali descrita não gira em torno da eleição. em sua total decadência. Quando o grande escritor apresenta tipos hon· vindo de seu caráter popular. segundo exclama o comissário Pristanda no final de são ena expioração. E assim isso. a tornava tão Mas a virtude de sua arte. Osabor e o vigor de sua obra haviam pro. somente ao regime de cruel opressão. que o público de qualquer país poderá. sem finalidade. como suprema e acerba ironia rece já em "Uma noite tormentosa".quanto fez e escreveu duo pletamente oposto aos de suas comédias satíricas . o verdadeiro caráter da burguesia que. com o apoio do par- sua época . ainda que sátirasnão eram. Agosti feudal. seus costumes cor- rompidos e suadourada ociosidade eram indubitavelmen- te grotescos. perceber. mas também para a sociedade gerada por uma alcança seu apogeu em "Uma carta perdida". atragicomédia parlamentar do regime quase Rector P. de 1907. tão grotesco e tão trágico como o fato de que os "representantes do povo" eram recrutados entre indivíduos da clã de Dandanake. Ogoverno. as . Asátira já não se dirige 0S países. a atmosfera de seus escritos muda: o sarcasmo cede seu .contribuiu em sua decisão de expatriar-se tido situado no poder.toda rante esse tempo provam que seguia com paixão a si. os vícios do regime "verdadeiramente constitucional". didaluta política entre os dois partidos . As suas ali. ~ .

o interior de Minas. pode muito bem fazê-lo plo.mais ainda . fazer rir e a ter um final Quando o tradutor para o português nos enviou o feliz? Como já dissera Shaw: "Se você não consegue texto sugerindo uma possível adaptação para. Divirtam-se com os achados de A Carta Perdida.sem perder uma deliciosa in- genuidade. Caragiale simplesmente IIROMENA5 GERAISII ' I I não as aponta. certo?) .. tipo exportação. além das mesmas parcas e re. sua percepção ferina.. achamos a priori . gostaríamos de acrescentar umas ridades perpetradas à sua volta.e aqui também há um Além do que foi dito acima por Hector P. talvez nem devêssemos cobrar soluções Perdida (ou talvez fosse melhor dizer: a universalidade do autor: uma comédia típica não se define mesmo por das facetas e falsetas do jogo politico). " lê-lo . ficamos perplexos (melhor dizer. além de estar constantemente enojado . Im- possível impedir que em nossas mentes ecoem durante a leitura da peça comparações. É delicioso também constatar que o único persona- gem verdadeiramente honesto está "fora da realidade". livrar-se do esqueleto da família. Tanto no sentido de não compreender o que se passa à sua volta. E A Carta Perdida pode muito bem "dar samba". motas origens latinas? Bem. idéia mesmo de brasi. nas reviravoltas sem sentido em tomo da esco- lha do candidato ideal. embora não tenhamos procedido à adaptação I sugerida . alguns cortes aqui e ali e tênse à mão queceu opassado "nativo". oque poderia haver um bom produto brasileiro.que isso seria impossível. onde o lema "os meios justifi- cam os fins" constituia-se na suprema palavra de ordem. de comum entre as realidades político-sociais dos iníeric- res de Brasil e Romênia. do início ao fim da ação.quando colocados a serviço de uma crítica dos costumes e da realidade de uma corrupta política pseudoliberal. com seus casamentos hipócritas. despencamos de perplexidade) diante da inequívoca sensação de estar em contato com um texto ' que poderia muito bem estar assinado por Martins Pena • ou . a gente espera que pelo menos hoje isso não acon- 8 teça mais. as falsas uniões e lealdades e o baixo nível dos que faziam política.os personagens continuam com seus nomes originais e a ação se passa em um pequeno distrito ro- meno no ano de 1883-. Com relação às soluções.por França Júnior! O humor de Caragiale. dejá-vus ea constante convicção de que isso pode edeve ter ac~n­ tecido aqui há alguns anos atrás! (Alguns anos atras? Bem. nos soam dolorosamente familiares. Adaptação feita. leiro que mora há muitos anos em Bucareste e que es. como no fato de ele estar bêbado em horário integral. poucas palavras para ressaltar a "brasilidade" de A Carta Mas afinal. reconhecimentos. apenas se propor a divertir. seguramente para a apresentação do autor quando da tradução do que sendo honesto estaria se sentindo enojado das barba- texto para o espanhol. sutil.antes de dançar. Agosti duplo sentido: se ele não estivesse bêbado. por exem. insinuantemente amarga . Limita-se a semifarsescamente pintar o retrato da sociedade em que viveu. realmente. Imagine.

Verdadeiramente uma su- ELEITORES. mas nós não o ele- geremos. ." Nove garotos. do comitêeíei. família nume- UMCRIADO. povo! tasse um pouco.. Fanica. -. Sr. veterano de um pouco mais para ofundo.....Apesar de sua corja de Tradução: Fernando Jablonski grandes janelas. renumeração*peque- rativa "A Aurora Econômica Ro.Como euia dizendo. Fanica. AGAMENONDANDANAKE. como sempreacontece toral... minha mulher me diz: "Você podia alguém que suga o sangue do povo. eu? Grotesco! TIPAT. é Estado! Pois é. que eum bam- I mília numerosa... plano... (*) textual . jeira! o orçamento do Estado! .Amim também! CENA I TIPAT. Se- -. -- (*) textual s. Sr.Miserável! de menos. .". . mestre.. Fanica! Por isso IONEscu. segundo PRIST. Na capital de um departamento canpesre. idem. do) Eu vampiro. idem. 1848..Osenhor suga o sangue GHITZA PRISTANDA. levantar. da comis. .Não oelegeremos! 1 do. sigamos. Vergonhaaogover. de acordo com o orçamento do TIPAT. L.renumeração.. .Verdadeiramente miserá. .do povo?. (senta-se).. . ZoÉTRAJIANAKE.. .. um pouco agitado... diga-me senhor! Nove garotos ecinco TIPAT.Bom. do que faz um homem em sua casa. ontem à noite eu sentia um pouco de sono de- comitê permanente. entende.comissário depo. bêbado. não podt continuar. em -\ dade. UMA CARTAPERDIDA -De I. na. OEstado não tem idéia UM CIDADÃO... no ano de 1883.. . Ao fun- TIPAT. como Tipatescu. à esquerda. Uh lá lá! Sr. um bampiro . Que me cortem a cabeça! trona. um sofá e uma pol- ce. PRISI. . em segundo pedantes. . PRIST.. . ele só olha a folha de serviços. Prefeito que te aumen- sociedade. épor nada não. proprietáriodo periódico: "OGrito Verdadeiramente grotesco!.frase do jornal) . . PRIST..Eno que mediz respeito. colaborador do mes. uma porta enquadrada por duas 1 TIPAT. T!PATESCU (terminando de ler uma pois do jantar. está !IPAT. Perdão.piro? mena". TIPAI.Verdadeiramente. _ZAHARIATRAHANAKE. se apóia PRIST.. outra porta.. CARAGIALE ATO I Um salão bem mobiliado. eu sugo o sangue do pedir ao Sr. por que assim nós .. missário não tem. mo periódico e membro da mesma Eu. nOIte. de pé. rosa. do comitê escolar..Ah. NAÉ CATZAVENCO. Deire- mo-loladrar como um cachorro! PERSONAGENS: PRIST. para vos servir! Nenhum Iícia. deum homem!. suas horas para comer... apesar dessa farsa de sede- .. CIDADÃOS E PÚBLICO.. À direita. Fanica.. membro no desnaturado que abandona um dos cristãos... Intendente do Grito dos Cárpatos" nas mãos. mestre. nem dosmesmos comitês ecomissões. vai deum extremo a outro. diretor- PRISTANDA (no mesmo tom) .. semfalar em deitar ou às garras de umvampiro!. com o "O um cachorro! STEFAN TIPATESCU. Sr." (indigna. Pristanda.Assimé. como os demais TAKE FARFURIDI. IORDAKEBRANzovENEscu. mulher de Zaharia vel! Trahanake. em trajes caseiros. para servir aosenhor!Não dos Cárpatos"... *.POPESCU. I .. PRIST. advogado.Você dizia que ontem à departamento..mas ébem duro!Fa- da Sociedade Enciclopédica Coope- mas.. . presidente fundador permita que lhe pergunte. nhor Fanica (aproxima-se). porque osenhor são agrícola e de outros comitês e nossa cidade que assim treme diante bem sabeque um pobre diabo de co- comissões. . Mas.Uma sujeira! mil cruzeiros por mês. ..Vergonha para em nossa profissão.. adscgado. renumeração pequena. mais belos departamentos da Romênia para beber. que é asua.. presidente do emseusabre. .. PRIST. Bampiro. ele não terá chaa- primeiro plano.Um vampiro é um....

.... te arran.por uma.. vento.É a mim que ficiar de um tostão ou outro..e. tece por ter sido ela. (sorrindo) . . sobre. como alguma PRIST. Quarenta equatro. Sempre se morde alguma coisa. D.Nove almas. PRIS1..E como? Foram exata.Zaharia. _ Duas na Catredal* de tão. TIPA1. logo TIPAT. (rindo) . ou quem sabe.. vamos. renumeração pequena. . (olhando para o seu reló- perdeu tempo. Escola dos Rapazes. PRIST. não éassim? Tua nota feitura. Zaharia. TIPAT. . Fanica. (mesmo jogo) .pouco de proteção. _ Uma na Escola das cansaço depois do incêndio. Segundo o orçamento..Sim.. Até eu ficar . TIPAT. to que o funcionário ameu serviço o TIPAT.. .Onze. SI.Vam~s conta-las. Minha mente quarenta equatro bandeiras co- locadas? Moças.Ocomitêpagou ao agio. PRIST.Osenhor sabe? Como é como é. lá pelas dez e ban deieIras.. ela...Digamos quatorze. PRISr. co. ela é pe. Ghitza.As da Prefeitura jas bem entre uma eoutra coisa.Eu não observo de tão eda Sra.. trinta. quer enganar.. hem? Estava bem. de quemenfimeu esperava um elas e. coisa... pouquinho. foi só para se divertir. (rindo) .. dendo ingenuamente) Quer dizer.. Bom.. meu dever.Deconfiança. Se- nica.. (mudando rapidamente de PRIST. vamos conta-Ias: duas na Pre. um golpe "de Para vos servir! PRIST. (rindo) . além disso. Zaharia também. edo Sr.. . . porque estava morto de TIPAr.. ..Já contou todas TIPAT..Qua~enta e quatro.. Zoé.Sete ... de acordo.. PRISr.. (rindo) ..Conte-me esta estóriade Como salgada. "Fanica? Mas contássemos as bandeiras de Ghitza?" Municipalidade. ... qua- PRIST.. deixemo-la verda- meça arir) ..verero. . TIPAT.mca. astuta PRIS1.. Fanica? PRIST. não nasceu ontem. foram colocadas... duas.Não me faça rir. TIPAT. . Fanica. uma nPAT.Quarenta equatro? (. PRIST.. Famca. (ingênuo) . Fanica! é um homem de confiança.. me levanto lá pela meia-noite. desculpe-me as palavras. Fanica (rápido e de um só fôlego) Duas na PRIST . perto. Fanica. Ghitza. que você é o nosso homem. que falou: "Que tal se nós que o s~nhor sabe. Fa.Quatro. TIPAr.Ghitza.Me eníris... Fanica. (esforçando-se por lembrar) ontem ànoite. . Zoé... Sr.Deus me livre. ou tom. e o Sr.Duas na Praça 11 de fe. trajo em civil e saio para cumprir o 10 TIPAT. PRIS1.7JJé e oSr. . Sr. humilde e ingênuo) . pode ser. eh! TIPAr. elanão odisse seja de todo ocoração. . PRIST:-(apanhado desprevenido. e quando se por mal..ove ..Seis.. diz: "Tira a roupa Ghiízae deita. você se engana na desde que vocêsaiba se conduzir. .Nãodigoque ' PRIST... se- gundo o orçamento.. renta e quatro. TIPAr. mulher. . qua- quena.PRIsr. pois estou curioso.Família que Deus me livre! quinze. Sr. Sr. ta equatro. (entristecido) . Como não ia o senhor sa. Mas você não é tão TIPAT. soma. Sr.. Fanica. bem sabe. deiramente.Bem salgada! (respon. deixo o meu uniforme e o quépi. me isso foram. aestória das bandeiras. . " Der.Sim.Duas na Prefeitura. . . então: vocês as contar~m? Sr. deixemos será bem salgada. dezoito.. " PRIST.. ta uma fatura por quarenta e quatro TIPAT.. com você já contou. .Vamos. En- IPAT. . Sr. .. . Pode ser que T N nhor Fanica. . Como se eu não tivesse passea. não? do por toda a cidade. odever noite e dia.uma por una.. de carro.. Fa. . Sr. Sr. Diante do dever.. Não digo que uma ou duas. Sr... Fanica. eh? tudo se ele tem família numerosa. volto para casa.Vejamos.Uma na meia.catredal.e me encosto para cochilar um TIPAT. não. TIPAT.....) textual . Mas eu. sa... hein? TIPAT. . estúpido... vinte e quatro." PRIST.. gio) ... mas que foram colocadas. Ontem à noite pois.Seu homem.. Ela PRIST. PRIST. Foram colocadas. duas na Ca- também. Sr. . me TIPA1. gos..Tem razão.Não me irrito por isso.Duas na Municipalidade. quatro nas escolas. TIPAT. I numerosa. jamais. ah São Nicolau.Duas. nao? Quaren. o vento tenha derrubado uma ou PRIST..Oito.. Fa- ecom as bandeiras de anteontem não mca.:. .. na noite da ilu- hemos muitas coisas! minação! Foi justamente ela..Está bem.Qual nada. _ Uma no hospital. Sr.. Sr. ele pode muito bem se bene. tredal de São Nicolau. torze.. .

..mas . fome. já está mais ou menos em 'DPAT. Jamais ra à parte. renumeração pequena. vem jogar o fósforo queimado pela . . Ao passar.Trata de saber que es- las de trás. Zaharia e Zoé.se a mim mesmo: vamos.Jogavam cartas.. Trahanake. com quem o bampiro conta como se gas estúpidas de Catzavenco .. levantei rapidamente.. haviam fechado as janelas e corrido qüilo. e ele contava que emprego! Uma Senhora Zoé.Lindo ofício esse de co- o equilíbrio sobre a paliçada e caí PRIST..E como. diz: "Ghitza. por- chaminé. ele TIPAT. Tomo votos.. de que se tratava? lhinho. vi luz nica. opadre. janela.) 1 .E Catzavenco me dirigia TIPAT. I vesso o terreno baldio para sair na vai ver só oque aconteceu. tenho ainda algo pra te dizer. que já lhes darei eles almoçam sem mim e oSr.Voltei logo depois. "Escutem so.. de acordo com PRIST. . .. os quais o bampiro. até esse.Não saio daqui.... botas e limpe-lhes os traseiros. _. pois.. enfim sasse por ali ou estivesse agachado tar minhas bandeiras. es. Sr. Fanica? na casa de Naé Catzavenco nas jane..Entendido.E de· já troco de roupa.." Verdadeiramente é assim! Aí TIPAT. planta seu jogo e como ovejo eouço.Sr. está o Sr. tira uma baforada e CENA II havia de estar. . . missário.. Zoé justo sobre um imbecil que talvez pas.perdão...governo e ao senhor. Falando de uma coisa e de ou. po. Catzavenco disse: "Aposto que TIPAT.. os de sempre: Ionescu.Quais são as suas oro barreira da União.. . . se eu des. . lamba-lhes as . Ta. subi na paliçada e agucei os ouvidos: ouvia e via tal momento.não que eu tema as intri- idéia me atravessou pela cabeça! Dis. um daqueles com PRIST. e que terras! Um emprego. .Os pedantes vaidosos.. fracas. eoSr. deixe-me acender somente meu PRIST.Quem estava lá? nica. Fanica e D.. Pára! Não T!PAT." E. PRIST. Escutem. e bem o senhor pode supor. volta de uma hora da manhã. eu. . ele se levan- TIPAT. Pristanda.O padre ePetrouch jogavam correguei ao longo da paliçada e me que os satisfeitos não morrem de ainda. Naé. . Mas eu.Conviria esdaecer essa que só penso no meu serviço. . impaciente como éZoé. ehavia tanta fu. e quando tivermos não seria nada mal se o' tornássemos cobrisse qualquer coisa arespeito.Espera. (com interesse) ..Ajustássemos as contas. . SI.. . Oimbecil se pôs a quase terminando.. como .E. Bem que tem o bando completo. que pergunta! Quem lito de fósforo.Verdadeiramente fracas. Sr.) ta da mesa de jogo. Sr. A paliçada é alta e escalando-a.. que não fazem outra coisa senão con- kitza e Petrouch e Zapisesco. Ghitza. o as cortinas. etira um bilhete da sua ajustássemos contas com esse honra- .. e PRIST. que sempre o chamava de bampiro .. de-se entrar na casa pela janela.. (Tipatescu sai pela esquerda.sadcsí esperar o Sr. . . estória . todos acorreram à janela.. podia ficar quieto. Zaha· .. ria não sai antes de comer.. como verdadeiramente! .Um momento.Espera um momento que do inferno... perdi PRIST.. diz: "Que eu seja condenado às penas TIPAT. inofensivos por completo e depois que não seria mal...se estivéssemos no teatro. leia ainda. PRIST..Sim. teremos todos. para não ir mais . (Senta-se numa cadei- ~. meu anjo. não posso fazer oorçamento. família numerosa.. Sr. A partida estava junto à paliçada. pronto..... vocês nem sonham. . Fanica.pois? cutar....Opadre também? Fiz um movimento para trás. ... tra. o padre Pripitch. dens. sobre- por detrás da Municipalidade e atra. TIPAT. Fanica.. (interessando-se pelo rela. Ghit.Eentão? longe: oque é que ele não tem? Tem PRIST. palavra! com o dinheiro de TIPAT.. os outros conversavam. za. o senhor tudo. . e. abertas de par em par. PRlST. Fanica! Ao terras. TIPAT. maça que saía pela janela como uma apenas caí. . acende um pa- PRIST. Fanica. ' "Mas..Ora. devo ir almoçar. mas eles que Senhora Zoé! Vive muito tran- ·seus votos.. • escondi no pátio da Municipalidade... razão minha pobre mulher quando gritar. sados! Que carta? Não entendo nada.todas as injúrias? to) . Eeu. Fa- cigarro.. votará por nós alguém com quem tória éessa de carta ede que se trata. caríeira.. E o Sr. que não PRIST. Sr. odiabo do padre. . conta com Deus... eu também quero es. . sairemos juntos. como um gato.. suavemente esta carta". só. E... Fanica. Fa. . nesse díssimo senhor. (Contendo-se) do ve- padre e os demais incapazes.Popescu. bem diante dos meus olhos.

. (Ele PRlST. você está Fanica! (Senta-se no safá. ..... Trahanake está agitado. ta de oito e meia . E não esqueças a porta da direita e sai precipitada. Zaharia PRIST. . SI. à sua para o público. Ghitza. escuta. entre para mandar Pristanda sair. tira um bilhete do bolso e estende à logo. diretor-pro- .Eh? Onde vai? TIPAT. desce e senta-se alta importância para osenhor. CENA In TIPAT. ele vem vê Pristanda perto da porta da di. o estudante. do comitê escolar.:endo si. meus amigos. (olhando as horas) . Já tão. "psst. sem compreender. poderemos PRIST...Compreendido.. que in- hanake e desce. Vos- 12 PRISr.Um pouquinho de pa- ciência. Esta manhã. . (sem entender) . uma estória muito engraçada. Olhe. TIPAT.Do honradíssimo Se- versa entre homens.. Ojogo critórios de "O Grito dos Cárpatos" ordem... Zaharia. se conside- mina-se. euma sociedade sem prin- nica! (Ele se dirige para a porta do cípios quer dizer que não os tem". passa em casa do Sr. ) se entreabre. TRAHAN. momentameanente (sic) ele está reita. Sr. ciência. que eu te conte.. meu caro Zaha- 'fRAHANAKE (entrando pela porta nada. .Uma comédia. . temos que falar de política. .Espera.Um pouquinho de pa- TIPAT.Não. Espera PRIsr. . diz: "Papai. E de quem era o bilhete? TIPAT... ) ao lado. a porta da direita mente nada ou melhor. . PRIST. . por vol- chegada.. . Não me pode contar à mesa? Tipatescu. (entrando pela esquerda.ocriado não há mais moral. do co- . há nhor Naé Catzavenco. Ghitza? (Do- prepara para sair. encolhe os ombros. . da comissão agrícola e mca. Tipatescu. . Trahanake: presidente do comitê per- se cale e apontando para Trahanake) preso ao ver Tranahake. e torna a fechar a porta TIPAT. meu manente. mas sério e maduro. psst".. Ê muito longo o que CENA IV tens a me contar.Por que o papel do envelope) Venerável se- não sai pela porta da frente? nhor presidente.Naturalmente. (rápido) .En. porta entreaberta e chama Pristanda: dizer que é exatamente o contrário. Zoé .) TRAHAN. ria... pela frente.) so devotado Catzavenco. (que continua fa.. ganha de novo Cooperativa "A Aurora Econômica TIPAT. aí está oSr.) em direção à porta do fundo. mais nada: o interesse e certo. para vos servir. Você estava aí. Tipatescu se volta e TRAHAN. Romena". (fazendo sinal para que ele chapéu e em traje de rua. antes do almoço? Que é que está de outros comitês ecomissões. Fanica. já não há mais entra em meu quarto e'me traz um princípios. nos es- PRIST.. em sua carta de anteontem: é muito jo- atrasamos um pouco para o almo- ço. Fa- caro Zaharia! Não é possível! Saiu mitê eleitoral. Fa. ele TRAHAN..De Catzavenco? corrupção.) É você. esse assunto o mais breve possível. meu caro Zaharia? Zaharia. que nos I ta razão meu filho. ) Tipatescu. Ghitza Pristanda. de do) . oque há? Diga depressa. Zoé não deve saber de . Sr. . . Zaharia. (tira acontecendo? TIPAT. Quando Pristanda se Catzavenco ou ele comigo? Absoluta- fâmia. Za. Sr. (apanhando o bilhete elen- TIPAT. Zaharia? . honra de cidadão ede pai de família. TRAHAN..Onde osenhor me mandou.) - Ah! Que sociedade corrompida!. Zoé mete acabeça pela rarmos nossos princípios. Uma estória 'muitoengraçada.Eu disse a mim mes- fundo. Fanica? de Zoé se repete. Sr.Não.. no interesse de vossa TRAHAN. nove e dez horas da manhã. .De quem? vem talvez.Alguma outra tesu se volta para Trahanake. . Fanica. mo: que tenho eu de comum com Que covardia.eu nem sequer haria e diz a Sra. Tem mui- bilhete e me diz que esperam a res- dade de não incomodar-se..que tenha a bon- I! nada mais que ointeresse. (Ele lhe faz sinal nais) . É preciso esclarecer mente.Então.Fanica saiu? apressadamente. con- posta. . cimento de um documento da mais. já verá... (Ele vai nós vos pedimos passar. hoje. numa poltrona ao lado de Trahanake.Entendido. Tipatescu se volta para Tra.. de frente com um aspecto meio.não está havia tomado omeu café . TIPAT.Aqui.. onde lhe será dado conhe- o que te disse.."Ao venerável Sr.Sim.TIPAT. Trahanake. E então? TRAHAN. depois Tipatescu e Zoé.. onde não há moral. Trahanake. fica sur. Tipatescu se volta e sede da Sociedade Enciclopédica novamente e Ghitza. do fundo sem se aperceber de Ghitza que se levanta bruscamente.. Tipa. ..

inteligente." Enfim (Tipatescu salta) por . "Lamento"... tescu. as mulheres. Fanica. (passeando de um lado para Chamem o comissário! TIPAT. imaginar semelhante infâmia! (Com rapaz.fez? Me disse que se eu não desse deveria tê-lo preparado de antemão. Me TIPAT. "Meu honradíssimo" carta de amor como manda o figu- . perturbado. (dominando a muito CllstO ter! Vamos amigo. .. não é possível.. mou para mostrar-me um documento. bo! Chama-o de canalha. instruído.. e quando estivesse lá teria visto como foste imi- tado! Teria jurado que era atua pró- pria letra! (Parando e olhando Tipa. (tranqüilo) . toda sorte de nos umas dez vezes. que passeia de um lado para ciência! Espera e verá. vem. (mesmo jogo} . Não zas. espan- vou. porque é possível.. E eu." e novamente mil delicade. eu) vai essa mesmo. Fanica... Adivinha de quem e para tado e preocupado) Mas.. (muito perturbado) .Eu o mato! ria chegar. . TRAHAN. que hesitar? Decidi-me pê-lo entre a passa dos limites. "nem sem. um pou. TRAHAN. sem vergo- I T!PAT. o público daria.. Scbreíudo. me mostra uma pequena outro com os punhos cerrados. não lhe diga nada. tenho que reconhecê-lo. que nada mais po. Numa sociedade sem moral 13 . .. prietário do jornal "O Grito dos Cár. Mal entro. um sempre tenho vos considerado como pouquinho de paciência. quando ele viu que o assunto não diz "Tenho medo que seja um golpe devo permanecer em casa porque era de meu interesse. o indecente! Pobre Zoé! beija mil vezes. Eu (quer dizer.Bom.. Ele tem ànoite). . as TRAHAN..Como? Ele ousou? Omi. minha mulher) para junto desse lê-la. de que documento se trata? espada e a parede e disse-lhe: "Es- ente-me. .Claro que umgêniomuito forte! Precisa de mui- mulheres"... não é possível! TRAHAN.. outro. Oh.De quem? De quem..Espera. que elas lhe de..." "Já viu onde ele que- de teu pombinho (quer dizer. o senhor me cha.. te aos quais devo responder imedia." (Ele olha Eu o estrangulo! Tragam-no aqui. gênio violento e isso é ruim para um respeito. você). mas. bah... honrado. me diz "que nos. mas de rais. amabilidades. suaemoção) . me espere portantc. ele se cando bem as palavras e rindo) De seremos nós que vamos mudá-lo! levanta com respeito e me oferece você para aminha mulher... Pensei: não dia fazer.Foi ver Catzavenco? Zaharia? nha e pronto. . • mostre-me logo esse locumento".. Bem. evem você (quer mingo em seu jornal eem um recanto I bemvisível para que todo mundo pu- quinho de paciência.. um pouquinho de paciência: o documento!". e te TIPAT.Impossível! Tor. furioso) . sabe o que ele demasiado forte para o senhor. Eh? Que me diz disso? acolá. enfim. eu a li pelo me. Zoe. Zoé: uma Quem pode saber até onde pode che- uma poltrona.. não vou. Eu. logo vós.que quer osenhor. errou o pulo. seco: "Sen hor. vou. como se pode ta ponderação! Contudo é um bom pre compreendem as qualidades mo.. venerável (quer dizer. TIPAT. com a carta! (Preci- Ê preciso que não saiba! Sensível no auge de agitação. para rinc. (furibundo) .. (Desta- mundo..Espere e verá. meu caro. nistro me chame ao telégrafo.ele oque eu já lhe disse: "O senhor partamento".• TRAHAN.. ele viu.. como diria. olha só do por curiosidade para ver que suja in. de novo: "Que quer o senhor.. se T dade Enciclopédica Cooperativa "A Aurora Econômica Romena". nada podemos fazer e não fui ver Catzavenco.TRAHAN. deixe-o... disse-me ele.. quem? que é capaz um sujeito de mau cará- venção ele pode tramar ainda. lhe digo: cor! Escuta: "Minha querida Zoé: o honradíssimo senhor. Fanica e vou lá. sim. presidente fundador da Socie.Um pouquinho de paciência.pois a carta seria publicada no de- aquilo. gar a canalhice dos homens? para aqui. como sempre. os méritos de seus maridos e o doçura) Não digo que não.desta vez.Não TIPAT. meu caro.importância à coisa. (seguindo-o até a porta) serével! (Ele se levanta.Miserável! sas relações sejam tão frias. . mas assim já é demais.Vamos. até já a sei de é muito astuto em maquiavelismo. "Meu honradíssimo".. muito astuto "Honrado senhor. o documento. sério. para que -e- se irritar dessa maneira? Assim é o TRAHAN...certo ponto. e eu chegaram uns despachos de Bucares. um homem tão isto e tão tamente. TRAHAN (contendo-o) . irei só carta. f' Então.Espere e verá. mas. hein? demoradamente Tipatescu. I compreendo que se pode caluniar até prefeito.Um pouquinho de pa. que dia- visto r~rido. -.. E ele.) pita-se para o fundo) Ghitza! Ghitza! comoé!. patos". o crápula. TIPAT. noite à reunião (a reunião de aníeon. Não é possível! (voltando-se para opúblico) Ele tem vocêvai ver!".. que está morto Ou vivo.." dizer... Você dirá a a pessoa mais notável de nosso de. acabou-se. você) e que te adora. é mesmo possível que o mi..) cerei o pescoço daquele miserável! .

Então. por fatória para ambas as partes.. Sr. Catzavenco não estará na após Zaharia.Eu sei! Estou que não vem. Es. Fanica. Tipatescu.. escândalo esta noite. publicará a carta depois de toda a sua "corja.ava~ no .. meu aai.rizar este assunto de maneira satis. Pode ser que eu tenha tirado o lenço fame! Canalha! CENA V no trajeto e a carta tenha caído: eles est. Toda esta sena se desenrola CENA VI comgrande nervosismo. vem almoçar? de frente. ..Deve ser ele.. tenho muito que fa.I Anteontem à noite... é preciso também cadeza) um pouquinho de paciência.) pobrezinha fica entediada por estar Fa1uridi e Branzovenesco. (sempre encolerizado) .) eu não sei se ainda estava comigo. Do ridi. (enormemente agitado) - avisar Ghitza para que esteja atento. noite o Sr. Irei Zaharia... Eu.. escen- à Sra. a cabeça entre as venco. Ele quer ti- Esse miserável do Catzavenco tomará . que desgraça! TIPAT.. abre-a e volTa de~ressa) :Ah.) pero para o jantar. sem falta. (voltando do fundo) . acompanhado por Tipatescu) .Zoe.:.ZoÉ (desolada) . documento lhe poderia ser entregue seja exatamente assim. . Ouvi tudo.Eu não sei. Trahanake entrar em casa de Cato Enão perca a calma.em nossas oficinas a fim de regula. depressa. TIPAT. Eu sei. . tas... rar nossa pele enós adele!. depois Zoé. depois Tipatescu pela esquerda.. (dirigindo-se para a por... Fanica.. pois."Ah. mas te es. Não vê como é o desespero) Como? Como? Quando ras. vamos. em troca de sua influência junto à uma manobra. . deixemos de lado essas TIPAT. (lendo) . pois a carta. . da-se.Imediatamente depois que querda.. Ghitza está lá? reunião. (aturdido) . Tenha seira para intimidar alguns hesitan- haria.. . zer... nosso mundo? Numa sociedade sem você perdeu aquele bilhete.E como você soube? TRAHAN. perdida. (volta hesitante e se joga ZoÉ . FARFURIDI . quer fazer um direita e aproximando-se rapidamente amanhã.. uma manobra gros- TIPAT. entrando só. talvez seja TRAHAN.amável pessoa em questão. Por mais que ele não TIPAT... meu caro. (Ele aagarra rapi- TIPAT. Fanica..) tou perdida. de nada serve ZoÉ (soluçando) ..Sim. ao sair daqui.Não....Talvez não Zaharia. TIPAT. tudo. eu saio para a cio 14 irritar-se: é preciso ter (com deU. quando ia para a cidade. tudo. Teremos que dele) Fanica! Fanica! TIPAT. para nos ata. ruído.. nós lhe asseguremos a eleição. (levantando-se de um salto) Ê lima luta sem trégua. eu tinha subido pela pe. Cheguei logo a carta aqualquer preço. TIPAT. damente e saem anibos pela es- ZoÉ . Esse BRANZOVENESCO . . Vai sozinho... (ele se muito obrigado. meu caro Zaharia." (com zavenco esta manhã lá pelas dez ho- qualquer porcaria. e sem princípios. . para que ele compre Nada teína. Zoé? tenha ou não tenha compromisso.Eu vi o venerável ta. TIPAT. meu caro nado por nosso amável prefeito.. eu estava ZoÉ .. Zoé..'I Voce sa be? A e. bolso! TRAHAN:. MAN. esta quena escada de trás.Estive em casa de Catza- bagatelas. creia... um documento a vós dirigido e assi- TIPAT. eu o chamei (Tipatescll com..Fique calmo..Certamente (ouve-se um TRAHAN.. Quando Ghitza TIPAT. EGhitza a palavra. quando eu cheguei em casa ter um pouco de diplomacia! (sai pela porta do fundo.É que eu omandei à casa TIPAT.. ~ o tinha. de Catzavenco. go.Está bem. meu "caro Zaharia.. Ele me mais sérias.In."Prezada Senho- ra. esta noite.Até logo.Até logo. car. eu dade.. às moral esem princípios. Olha! (Entrega-lhe uma esta noite à reunião. Depois da reunião jogaremos car.. Eu lhe disse tudo: só ele precipita para a porta do fundo. Estará alhures. I dez horas exatas. ... Soube que Catzavenco com to- dos os seus mestrinhos de aldeia e ZoÉ (entrando misteriosamente pela contrário. meu caro Za. minhas lembranças pode nos salvar.aí ao lado.. mãos) Que fazer? Que fazer? E propôs devolver-me acarta. desde que Proporemos a candidatura de Faríu- Ghitza que não chega!. saiu. Esta noite há reunião.. não tenho coragem de olhá-lo ZoÉ . . nossa redação está de posse de misteriosamente pela porta do fundo.preende).Então. devemos falar de coisas numa cadeira. a gentileza de passar tão logo tes.mesmo . assim é preciso que faça companhia a Zoé.. éde lá que eu venho.

Trahanake.. esta manhã mesmo. nós to· rado.. Trahanakeque vai pel) .Como. em minha FARF. Ah.. (a parte) ... Na cidade. Catzavenco. . BRANZ.Não nos exaltemos. honrado senhor. volto para minha casa. . (com ar decidido) . eu não me torno.Sim. que partido? tam-me dizer-lhe.sário. o comis. . BRANZ. a gente tem boas razões para os senhores vêema mim.. seja.Vou mesmo mas longe desconfiar própria casa. mas lue ao I vai visitar o Sr. BRANZ... . Catzavenco.. murmuram. eu as considero. . TIPAr... quando eu que corre. I fale francamente. como d'l. nao.~ corre. Trahanake que que sou um traidor. .. . I TIPAT. TIPAr. eu BRANZ... . jovem e honrado prefeito estão por BRANZ. FARF. porque eu gosto honrado.como dizer . senhor! BRANZ.Que par. que tenho sacrificado casa de Catzavenco. . e eu.. zer. Porque eu.Salve.Quer dizer. você viu primeiro SI.. (arrancando-lhe afolha de papel.] . que vai visitar o SI. os senhores. (nervoso) . se diz. BRANZ. eu sou. (oferecendo-lhes assentos) nós temos medo do que as pessoas que a candidatura de nosso correli- ."" FARF.Sim. um eoutro magoado.. TIPAr..... nós eos nossos. tâncias em que se encontra o país. (à parte) .voltava. FARF.Para sermos breves. ovelhoe venerável presiden- tenha au~iência. .Agora ele ficou ! FARF. está em mar- obrigado. te... honrados TIPAr.Oboato qu. ' ! isso? (ri com ar contrariado.de colocar os pingos nos ii. confesso-o. muito TIPAT. não admito tais observações em mi- FARF.Impresso? relo! co. FARF. meu caro senhores. Catza- senvoltu~a) ..N~o ria. o nosso par. .1! .. nhor? Ossenhores vêem aminha casa... . ram mais católicos do que o papa? nosso departamento não poderia es.. FARF. ao meio dia justo. Sr... mas adotando uma falsa de. o FARF. dizer não. . seassim exigem BRANZ...E que é que do grupo independente. (perturbado) ... Oboato pios sim. fim convencidos de que. Ja se começou amur. permi- Às onze em ponto. meu caro Farfuridi. . _ ASra.E aem I' d'ISSO.a uma traição no meIO.. de Catzavenco ao segundo colégio. às onze em ponto nosso partido apoiaria a candidatura católico do que o papa. _ Como? • • BRANZ..O senhor quer que se nistração. Traha. Zoé. honrado... . Catzavenco.Como não compreende? tido? Que Catzavenco? nha casa. me torno mais católico. Aí está! hanake..Muito obrigado. Catzaven..... I não compreendo nada dessas intrigas tido: a Sra. do .. e permanecido entre FARF. "Damos como positiva a notícia de TIPAr. mas isto que distri- turbado. . .. que . e d!go: traição. TIPAr..Como não exaltar-se.Perdão. gionário. salve. . -:. (perturbado) ... a Sra. todo esse enredo? .Ele esta ama. .porque sem mim.... . aFarfuridi) . impresso. eu sou mais nhaou não clientes.. tos insultos . não! Isso os mteresses do partIdo.) minha carreira. . jamais poderiam formar um partido - H' . (intencionalmente) _ E BRAN~. Zaharia.. per.. mas estamos um as pessoas murmuram? cha e ao abrigo dos golpes da admi- P?UCO apressados: já passa de meio I FARF. se- Iher. Pelo contrário.Não compreendo.E quem fOI que dsse vêem a mim... . honrado se. Trahanake e depois viu a sua mu. buem pela rua da parte do SI.. Permita-me. vi Ghitza o comissário entrar na TIPAr....Sentem-se. meu velho. . BRANZ. _ Como? venco. (depois de voltar-se para te do Comitê Eleitoral.dos levaríamos Catzavenco nos bra. . logo depois ços. .. menos tenhamos conhecImento.. ~ .Mas não.Senhores. honrado senhor? razões para crer que tanto oSr. o senhor. (arrancando-lha por suavez ) vermelho! (emvoz alta) Salve..OSr. . se Querido amigo. Ghitza. FARF. .Não me diga! FARF. quando se trata de princí- Catzavenco a respeitável Sra... para dizer-me na cara. TIPAr. não lhes parece que vocês se torna. (entra pela esquerda. . presidente BRANZ...Qual é o propósito de FARF.sentem-se por favor. para organizar o parti- tã ? enao.) . quer nake.para casa. .E eu vi sair da casa de sejamos explícitos. nas circuns- trata do seguinte.. como onosso vou ao tnbunal. Tra- FARF. (tirando do bolso um pa- TIPAr.. salve.visitar o SI. Está impresso... tenha ou não Temos medo de ser traídos.Quer dizer. permita-me. nd BRANZ. hon- com a oposição.._ O SI. nhor. nao na. (suspelta i 'COisa oaguma ) murar.quando se trata disso...Porque eu. (magoado) . .Nós . .. como outros tan- BRANZ. eu não posso permitir!.. (lê): honrado... temos fortes dia..

Vamos àcasa de Tra.. e 7JJÉ .. vamos.. honrado!.. honorável. quanto pedíamos. CIDAD..Que ele váaodiabo! Não 16 ção. Porque carta do senhor para aSra. pelo braço).. Catzavenco usará a palavra na pito com os nossos antepassados. atrás.Cala a boca! Vem al.. (no mesmo tom) . remos outro dia. Se.Que deseja aqui o se.Deixe-o.. . si vocês contrei em parte alguma. (tratando-o com doçura) - nem menos? Tipatescu... desde muito tempo.. Imagine TIPAr.. nós já vamos.Como se cha.. . TIPAT.. nhor? quando eu saía da reunião. mas. (aparece aofundo com um porta daesquerda) .. dizem os senhores? ção) mas odeio os traidores. Siora. Aqui. qu'eu tô aqui (cambaleia). mas que ao menos a saibamos tam. com (sorrindo).. ...Ele já foi? Viu. as doze horas exatas.Vamos. o Sr.. cupem se eu tô um pouco. compreenda. já soubemos tudo do. (Eles falam graça.. seja. ma o senhor? apertando-lhe o pescoço com as duas FARF.Que outra coisa a gente O CRIADO . . Miguel. ve. pela qual entra ocidadão embria...Como eu. A teontemà noite até esta manhã!. ·-0 se conhece... Sr. Ca-tza-ven-co. . Grupo Independente. não queremos in. . depois oCidadão Vamos.Sim.. sociedade mas.. Fanica.Ah! criado ) ... eu vos rogo. quem eu voto? (soluça) Ê por isso (aproxima-se de uma mesa e agita les.. soluça ecambaleia.) CIDAD.. os embriagados.Vosso criado! (durante toda a cena.. dê o fora r so amigo.." (falando) Que Grande: amo a traição (com inten.Sim (à Tipatescll) Uma 7JJÉ. Rápido. encher a cara desde an- I I eetor. BRANZ. assuntos impor.. (com certa emoção) se há ninguém na porta: eles deixam (*) textual . ele é da nossa minuto a perder (Em voz alta). estou com o TIPAr. apropietá- tantes me chamam sem demora ao ve!..) CENA VII Está completamente bêbado... Farfuridi) .. çamo favor de sair. (solu- emvoz baixa.Eu o procurei por chega nunca. 7JJÉ . depois sai pelo ZoÉ .reunião desta noite.Miserável! mas não esqueça.. verdadeiramente...Nem mais um dando de tom com desenvoltura) Sal. . . tem pra fazer agora?. TIPAr. eu sô só (soluça).Nós já vamos. eas coisas que eu bebi. Naé Catzavenco. Zoé. CIDAD....Passam das doze horas... .. um momento ZoÉ. cidadão. Ê por isso que eu sempre re. (falando em voz baixa com guém! Certamente deve ser Ghitza. traição no ar.Mande-o embora. rio (*) . como quem diz: fa..... no fundo. . Zoé. Bêbado.. Que importa isso. do.. eu fico enjoado. entrar aqui todos os loucos e todos... Fanica.. Fanica..Que éisso? FARF. tar melhor representado senão por assim exigem os interesses do partido.. soubessem o que aconteceu.Por que um outro dia? TIPAr. esta. . por telégrafo. senhores.Eu? (soluça) Eu. . (Eleseprecipita para aporta do fun... elêtor eu.. (fechando aporta atrás de. Não se preo- toda acidade..Siora Zoé. (gravemente) ..Num tô briagado.. um homem independente como onos... .. sinto a CIDADÃO EMBRIAGADO (titubeando) luça) uma carta. (à parte) .. (mu.. nhores. tem uma questão. uma campainha.. i o siô Zacharia mi co. TIpAr.) TIPAr. BRANZ. (soluça). extremamente fatigado) -:...Ê que eu encontrei (so- FARF.Sal... BRANZ. amigo. eu.... Desculpem-me.. TIPAr. .Branzovenesco. Está bem! 7JJÉ (entrando rapidamente pela ODAD. eu.Como? Assim sem mais TIPAr. Sr. (Tentaagarrá-lo hanake. aencontrei anteontem à noitena rua. (nervoso) .Uma carta! BRANZ.. ça) éisso.. salve. (aproximando-se deles) - De modo que.. a questão é: eu CIDAD.. ... Eu digo a verdade.. Fanica. Como eu o dizia. O Comitê do . Quehoras são? . ao amigo Branzovenesco: trai.apropietário (proprietário). .. Siô Fanica..... não o en.. Conversa- FARF.. honrado senhor. a gente .Doze horas?... mos ameaçados por uma terrível des. O bém. sô elêtof ou não? (soluça). .. retire-se.. não..Onde está Ghitza? Fanica? Escutou? E Ghitza que não CIDAD. Vamos. nhece também..) TJ1lAT. fundo. BRANZ. Eu eu. gado. CIDAD.Ah!.Nós vamos. (atirando-se sobre ele e comodá-Io.Não me sacuda assim que somos membros do mesmo parti. me "xamo?" mãos) . CIDAD.. TIPAT. o Bravo e com Estevão.Ele está bêbado? ZoÉ.. TIPAr. (aborrecido) ..

.. . como desmaiada em seus braços) - I I ciência e desconfiança) Sim! Querido! Querido! • .Dexea-ne e vocês vão voto? (desiste de procurar.Sim.. .) TIPAr..CIDAD. zaz! TIPAr. sou apropie. mas não crê ein nada..J ZOÉ .) -e- da não tinha terminado de ler. faz sentir mal!..ZOÉ (começando agemer e caindo I comigo.. não"..Estou vindo de lá. Quando eu encontrei acarta. TRAHAN.Vamos! ver. tendeu? I I Sr.. fomos beber um das... só um I ZOÉ (também desesperada) . que me queria tomar a bado! carta. cidido) Vai. Zaharia? . Então o etome.. com ar triunfante. depois Ghitza e I ODAD. .... depois catego· ça)....Sim ela sabe tudo. ... eu a tenho comi- (À Tipátescu) Ela sabe? Pnsr. em seguida. tomou? dormi um pouco.. CIDAD. por quem quem devo votar?. nao.. Acarta.) TRAHAN... Mostre-me mesmo. Sr. TIPAT.Ah! Por trás <lf mim estava o Sr.Não grite.. por coisa para ela? Eu sei muito bem com tudo isso (soluça) eu. ZOÉ .Ghitza! como bebemos! Uh lá lá! Como be.Sim. PRIsr.. I ~ TIPAr.. um. camarada! (obri- go (Procurando nos bolsos) Eh! O ga-o a levantar-se e o empurra para TIPAr..veja.Fanica! TIPAr. pouquinho (Zoé e Tipatescu torcem TIPAr..O Trahanake.Entendido. Olhem..Minha pequenina Zoé! C!DAD... Se- prefeito? Ora que graça!" Eele dis.. Zoé! vinho e tome cerveja.Sr.Não me sacuda dese jeito! .".Sr. . vivo ou morto ele deve ser tra- trago. depois Pnsr... meu amigo. .zido ao posto de polícia. (rápido aZoé) . Zoé.Fanica! Fanica! (Ghitza faz parte de nossa sociedade erecebe . porque também eu Trahanake....Não me empurre assim Zoé. eu I com simplicidade) Devo tê-la perdi..Vamos! PRIST. .Faz com que ele saia por ZOÉ e TIPAT. . . Mas ele é duro.. . Naé me disse: "Muito bem.Sim. o Sr. Não me diga (solu- bre ele. não cede: vinte mil ou o um . e tome vinho.Eu otenho seguro com C!DAD.I por CENA VIII cargo de deputado.. etome cer. En- dei dentro do meu bolso. (agarrando~o esacudindo-o) ZOÉ . . tome cerv~ja etome vinho.. . . você I TIPAT.. . (caindo sobre uma cadeira) Foi ver Catzavenco? dadão.. I como ela é sensível! Vê só o que 1 ..Agarre esse in. por Deus. eu não (soluça) sou elêtor. nesse momento entra CIDAD. e tome vinho. Bom. imaginem só. (a Pristanda... Eu fico enjoado.. (continua solu· Pnsr.. mostrando-lhe um trunfo ainda maior."E eu: "Ah. Ain. não dou. mas. dois..I. depois de havê-la acomodado preciso do seu dinheiro.(soluça).É possível? trás.. (rindo abertamente) . leva alguns guar- palavra em palavra...Ele chegou! Chegou o bemos. eZOÉ .De Za· ele a tomou? as mãos).. CENA IX I I venco.E (desesperado) ele a É bem possível.. ci.e a carta? sair pelo fundo. pela escada dos fundos.. e depois e PRIST. . Vamos! te havia proibido de dizer alguma çando e procurando nos bolsos) Mas C!DAD.haria nada temos a temer: ele sabe ~ ..Sr... . (Ambos oolham com impa· divíduo e. de Os mesmos eGhitza Pristanda. . . eu a tenho ocidadão bêbado) .Que o quê! Eu a guar. E. Fanica! Sra. (cuidando zelosamente de cruzeiros por ela.. . Zaharia! PRISr.Quer dizer. TRAHAN. (entra pelo fundo muito can. . tanda) . (Sai sempre em· lê-la debaixo da luz de um poste.. ...Não me empurre (soIu· . (Dispõe-se a ZOÉ . (soluça) Me TIPAr. ZOÉ ..Miserável! volta pela direita) E então Ghitza? __'" I cartas do prefeito? Muito bonito. Caíza. . duro se: "Recoheci sua letra. Naé me dizia que daria duzentos adireita. Ghitza. Naé.Acarta. ouçam. TIPAr.. eeu lhe disse: "não C!DAD. honrado se.. Graças aDeus. nhora Zoé. (empurrando-o) .Mas." E eu disse (soluça): "Do . I CIDAD. eu fico enjoado.mstante. . numa poltrona com aajuda de Pns- nhor. .. e tome sado) .:.ricamente) Ah! eu a perdi! purrado por Pristanda. I a abri por curiosidade e comecei a do! (procura de novo... Tipatescu.Temos de prendê-lo (de- eeu: "Não.. .Catzavenco-deve tê-la rou.. gritando) Onde está a carta? ça) . três. nada nesse mundo!" Eele: "Me dá". (lança-se so.Vamos. de tudo. C!DAD.

.Por favor.Porque se tives~e algo tários.. Provocadores. Is- TRAHAN..Outra falo nosco. nós cada um tem um lápis de cor na mão..Esse não tem o direito saibamos! '. . da comissão agrícola. . .. como nossos antepassados.Com IenakeSiripeanu BRANZ. de Zcé) ~ Qual. para somos os pilares do 'poder: proprie- BRANZ.. mas. .. por quem trabalhamos nós? Ainda ciência! Por quem vocês têm votado um falsário! não o sabemos. qual outro trunfo? tar conosco? amanhã? TRAHAN. um pouq... do comitê es- FARF... . Votamos pelo candidato designado FARF. . BRANZ. cea.o nosso bem-estar.) .Por favor. TRAHAN.Não compreendo. é o que também nós amigo Branzovenesco: temo uma queremos. nós. votar conosco? isso.É por isso que hoje gabundos? Não.Porque sempre tenho dito. Sr. (dando tapinhas nas mãos ria fácil fazê. isso muda tudo. e do bem-estar do BMNZ. TIPAT. somos cidadãos.. partido.. .. nós melho...Mas...E então.. .. uma traição? res.Um pouquinho de pa.. reto para. ~ De acordo.. Areunião não é esta noite? Catzavenco.. .'vai di· FARF.. Sobretudo nós três.Um pouquinho de pa- d'água na mão) .:...Certas coisas? honradas. TRAHAN.. membros do comitê permanen- eles. . eu vos peço BRANZ. . ' da totalidade do partido depende o . país. um. depende. FARF. sete..Eu vou mesmo mais lon.. onze. (ainda golpeando as pal· TRAHAN. .) FARF. FARF. honorável? mana que vem ele tem um processo.. Sr. FARF.E as eleições não serão TIPAr. Revolto- sentados ao redor de uma mesa re. você fez! (Todos a· rodeiamj cheios por'dOte? 'Hein?Se ele vótar. por quem vo- sificação. Mesmo salão do ato anterior. BRANz. FARF. como haria! Já não temos mais tempo para ... BRANZ. . estudam as listas eleitorais. oVelho e como Vlàd. . (que entrara com um copo nosso partido. dois. TRAHAN. TRAHAN.Como.. quer dizer.Verdadeiramente. do comitê eleitoral..... FARF. Que falsificador! tamos? Um falsário! de meias-palavras.. Sr.. Mas votar conosco? Quer dizer.Sim.. . 7"'"" 18 Por:acaso ele não' deu seus imóveis sem conseguir. seja! . FARF.Osenhor não compreen.Expliquemo-nos. sai pela esquerda..Sim..Ah. . donda. Zaharia. amo a traição....Ora vamos. cheiro.. tampouco.. Mas se pudéssemos fazê-lo lador. BRANZ. se.. senhores. . a cadeia.Também de acordo. mas. do comitê para a estátua de TRAHAN. ..1 vamos.. ... meu caro.. FARF..Não o sabemos. CORTINAS um pouquinho de.Ora. sim. onze no azuI. por quem votamos? PRIST. \ te. quando sentimos no ar assim um sos? Claro que não... Vós.. .-Sessenta enove no ver..Rogo-vos. BRANZ. colar.Que paciência.RF. um pouquinho de . se-assim o exigem os intersses do pela totalidade do .TRAHAN. ciên~ia . .Por favor. . .. de~.. etc. '. pessoas FARF. traz depressa um copo dágua (Ghitza votar por nós. TRAHAN... . como eu dizia ao meu pliquemo-nos.. o Empa- outro trunfo ainda' maior. . . .. que quer dizer vo.lo votar por nós. mo-nos um pouquinho.. já verás.De certas coisas..Doze..nos o bem-estar do país...: de certo. mas das mãos de Zoé) ..De certo? Trajano... .. na se. ~ Doze. BRANZ. como Mir- nho seguro nosso honorável com um TRAHAN. (mesmo jogo) . .Quem sois vós.. por certo... por Deus. i ..partido. ex- ge e digo. .. .. cinco. até agora? TRAHAN. de' votar desde que casou afilha. . .Eeu também não..Mas que ao. senho- TRAHAN.. ora. porque FA. ~e... . . Ghitza. .-:FARF. explique- ATO II TRAHAN. querem dizer-me. um pouquinho de paciência.Sim. Farfuridi eBranzovenesco. por favor? Va· Trahanake. se há traição. (Trahanake procura interrompê-los BRANZ..De certo. votar co- TRAHAN. . ciência. . por quem votaremos? TRAHAN.Um pouquinho de pa. dez.cuidados) Eh! Eu te disseque te... . nossos.. Zaharia? Pois vou dizer de outra maneira: "nós".. CENA I traição.Sim. .

. . quando TRAHAN. . ....Sim. tido.Como? TRAHAN. . pelo fio. tantos serviços tem prestado ao par- . Eotelégrafo não funciona? FARF. ..... Não permito lamentares. honrados. . (emtomde severa reprimen- TRAHAN. se alguém sus- cartas sobre a mesa? ciência. FARF. . sim.. Um homem independente.Eu lhes juro. temos medo desse a suspéitar de Zoé ou de meu amigo cípios.Eh!.. . e se cabeça de Zoé. . vêemlogo a traição. Zaharia. do prefeito. . Então? TRAHAN.. I jam os interesses do partido. lilé e eu.. esperamos só que ele volte do Um pouquinho de paciência.. entreolhan- instante vi esse homempraticar ome. Eu digo que . (No .. entendem. · .Um pouquinho expressam em termos tão pouco par- de paciência.Enfim. Desdeoito anos vi.' lhas) .. Talvez nesse mesmo momento com Catzavenco.. quer dizer que não os tem. ..... data de seis meses. ao país. .Está havendo um engano..Não pelo senhor.. Mesmo assim. vocês duvidam? FARF. (muito in- peita de Zoé. aninguém.·~ ·M as.auge da indignação) Traição! TRAHAN. TRAHAN..) BRANZ. trado um outro.Que. . ao departamento.. Farfuridi. BRANZ. pela indignação) . sim.Ponhamo-las. ofertada em Bucareste.Um pouquinho de pa- FARF.. nós. por tece que vocês. Crêem os se- ~ . FARF. .. bem o sabeis por quem. :0 prefeito deve chegar aqualquer mo.ComCatzavenco? FARF.de honra que e renunciando àDiretoriaque lhe foi BRANZ.. (mesmo jogo.Comesse niilista. assim éque eu gosto! Por essa eu não esperava! É ocúmulo! tido...Ele éforte.de..... (tomado cada vez mais da) suspeitam que ele tenha. e isso to! (Saí muitoagitado.. I menta.Que dizer a respeito? partido. dizendo a verdade quem mais inss- vosso. houvéssemos' insstido... suspeitemdesse modo de Fanica. (mais indignado ainda) ...Não.. ou o de outrc..Palavra.acordo amigo? Não era por interesse do par- ·1· i isso. me tem prestado e ainda me tRAHAN. que mas se -apegam. FARF. crescendo) prefeito? gado o nome. . Juro vemos como irmãos e nem por um pela cabeça de Zoé. Para TRAHAN. Durão.ou o Fanica. sobre a TRAHAN.. .. . pelo fundo.Tudo émuito lindo como BRANZ. como amigo. FARF. .. não? FARF.. fazem Bravo! Fanica traidor! É muitoboni- oito anos que eu o freqüênto. depois do meu se- gundocasamento. . TRAHAN. nós temos medo de ser traídos.. FARF. BRANZ. TRAHAN.... e - I do caadidaío poqe ser p meu...telégrafo.Vamos. A que ponto chegamos! Que socie- uma traição.. se puséssemos as mim.. BRANZ.. I .. senhores. Branzovenesco..E então? para mim éo mesmo se alguém vem corrupção euma sociedade sem prin- J I FARF..Eu já lhe disse que temo Sr. desde então....Por quem. . meu caro. não pelo senhor. .Com esse farsante.. acon- FARF. -'.Bem.Com Catzavenco? Traição? Fanica traidor! Eh. .... .Permita-me que não o osenhor oapresenta.E então? o estudante: onde não há moral há pouquinho de paciência. está lá para medo sim.. funciona. membros do mesmo ·quem?. :não. BRANZ. .. TRAHAN.. Sr. qual amigo? Osenhor bem sabe.. (rapidamente) .Nós.. FARF. nós não. aninguém. .. .. se nós não mesmo. -Pois se trata do amigo.Ora por quem....ASra. e nem de anteontem. não é assim? dade! Muita razão tem o meu filho..jegmdoo exi. dignado) De maneira que. Zoé.. É um pouco forte. . e também a mim. e agora.. mas TRAHAN.Temos apego? Por que se tratava de nosso I Hein?. . BRANZ. já tenha che... ..Talvez se tivesse encon- Sim..< ~~.. hein? Não há jeito . f'OI Zoe. anugo. minha mulher.. o:qu~? Opome FARF.. Sabe-Io.. não se faça de ingênuo. .:. muito forte . (surpreso) ' Quem? -"7" tiu.. BRANZ.Claro. bravo! Eis então. TRAHAN.Osenhor está se fazendo nor ato de maldade.Não sei de nada. nhoresque eleteriapermanecido aqui. (franzindo as-sobrance- '. ... pelo fio. .... do-se por um instante..Ora qual amigo. (contendo suaindignação creia.. Não é de ontem que o co. CENA II TRAHAN. Fanica. que BRANZ...... . lítica. de novo de ingênuo. então? presta serviços.Que tal.. que ele esteja . I. (ainda mais indignado) - "".. compreendam. Que outro poderia ter sido nosso em que estamos falando..Qual amigo? nheço... eh. que :nós. Zaharia. as damas são as emas de um momento para outro. .. vocês não entendem como está a po- ·e veremos. . TRAHAN. permita-me. FARF. à duras penas) .

e ZoÉ . cos. Como ços cruzados. violação de domicílio" . .. breve e lacônico: (golpeando apal.não assino.Coragem. painha: "Senhores.Não sei. precisamente . Em seguida apa." Dona 7..Para pegarmos a carta.Eeu disse: Pnsr. éuma violação de ZoÉ . FARF.Que vai fazer? Quer se Ghitza Pristanda (só. Ah.. muito em- nosso partido. como é isso. arranhei as fendas culpa de vocês! Acarta será publi- Muito forte! Eu.. quando depu tado para o segundo co1egio por 7 • co eseis horas exatamente otelégrafo eu saía de casa. meus rapazes que o agarrassem.. . em Ploveito do niilista mo.Teremos que encontrar mitê éohonorável Si. tragam-no assim mes..) mca. também. de lhe arrancar o segredo.. Zoé.. Zoé (entrando rapidamente pelo alguém que o leve ao correio! Vem. outra pessoa que escreva por nós. membros do partido..Pronto. por toda parte. Naé Catzaven. ao comitê. Traição! Três vezes traição!" quei as táboas do chão. que oapanhou ramente. o governo de Bucareste quando sou- nós o enviaremos anônimo.. está um pouco agitado. . I za. CENA III eolevou ao posto de polícia. cada amanhã e todo esse escândalo contrar a carta.' Ghit Ghit I dd Ghitza correndo com a língua de fora UJE . por ram Catzavenco? que voces pren e· reito. depois da reunião. como um I de Catzavenco. Fanica ber que vocês violaram o domicílio BRANZ. ficaremos de bra.. ~ O niilista! . que eles querem eleger nhei um carro e voltei à sua casa. vão continuar a fazer sair o jornal. Fa- colocar contra a autoridade? direita. aporta de Catzavenco. que você foi com os guardas forçar posto em ridículo e insultado tão du.Por fim te encontro. nada adiantou. ovene. Envia· PRIsr. FARF. Fui em cima do Se. Dona UJ7~e/ ••• depois de amanhã veremos nosso ragem: éanônimo. .. 'E A d ma 'd:amaNo esqu'er'da com opunho dl'.. deve estar escondida em para o segundo colégio. ~ Ofarsante! BRANZ. que se fara eeg N I I e r FARF.Eu também 'procurava pr'squi e bravo para lá.tJé... Quando disse aos procuro. Ctazavenco. e ver a e .Ordem verbal do SI.. Os mestres da escola FARF. mesmo em sua ausência. outra parte. . eprecse ter co- I ' pela senhora. . fundo. .) co. tava com todas as suas forças: "P ro. Traição! procurei por todos os cantos. Pnsr. um telegrama nhor Catzavenco. um pouquinho de CENA IV BRANZ. . um a mais. FARF. Ele vésperas das eleições. desmontei os ZoÉ .Contanto que isso não ZoÉ . (com energia. ~ Não. . sesse que tinha ordens do Sr.. que diabo..tJé! rável se porá em pé e agitará 'a caa.Então.. Pnsr. estou perdida por BRANZ. E nós. . entre cin- cos? Alguns momentos atrás.. como um telegrafista no seu testo em nome da Constituição! É uma manipulador editando em tom brus. FARF.E conseguiram? O prefeito e seus homens atraiçoam domicílio! Mas. co otexto do seu despacho) "Traição! "Verdadeiramente. Voltei ao posto de de nada servirá. . Ghitza.Onde está Fanica? remos aBucareste. . ~ Nós assinamos: "vários não quis falar.I pode fazer tal coisa? BRANZ. amanhã e FARF. arran. nada. entra pela Pnsr.' Teremos FARF.E bravo nos traga complicações. É preciso ter coragem. tura por costura. (Saem apressados). FARF.·~ E se alguém reconhece não aencontro: não está em sua éasa do? É como se eu já estivesse vendo: nossa letra no telégrafo? emuito menos aqui.Vem depressa. tudo pra nada..Que vou fazer?. I za. se para metê-lo numa prisão.. . . BRANZ.. impondo-se) polícia. ao mi. . .Nós encontraremos uma Dona 7. Que dirá como eu tenho! Você deve assinar: Por mais que o ameaçasse e lhe dis." Eotrouxeram. ali está ela! esta poite. das paredes: não houve meio de en.. revistei o nosso homem. e também o nistério e aos jornais. E agora eu a procuro a ..Ghitza. bora eu o tenha revistado e sua casa Catzavenco. gn.. Sra. ~ Mas quem? paciência: o candidato de nosso co. senão em presençâ de que esperar. o quaI nos tem fecha.Cinco horas. Que horas são? 7. eque oprenderam'às 20 eu assino? I ladrão de cavalos.. o que acabo de saber? Que fizeram para lhe lamber os pés e se agltan o vocês? Por acaso vocês ficaram lou- tanto e tao bem. d BRANZ. (secamente) _ É forte! canos das estufas.. o doutor me disse este Sr. Pnsr.? Jamasi." Branzovenesco! BRANZ.Esperar mais? Até quan. ZOE .

Que poderemos fazer? dação. Se.. (ela chora) Sim. quando ogoverno assegurou que.Censure-me. mulher adulta.. 'liJÉ . rIPAr.você me ama . seu jornal publicaria amanhã 1 i mos..Apoiar a candidatura de entendedor.. mulheres e crian- Pnsr. wE ' I eu te esperava.... cometeu.Fazê-lo eleger! 21 . tomada por uma inspiração).... tão outra saída.Zoé. .Então Zoé. como qualquer outro. de mim!.Então. de um espetáculo!..Ainda está aqui? quê? Por causa da estupidez que você ra? Morrerei... . se to) . TIPAr.. 'liJÉ . Como fará Fanica para coníi.. Cato venco. papel sem importância. E mais breve que puderes. seria uma lou... Fanica.." (*) Que fazer? Catzavenco! (ela passeia de um lado para outro) tenho sido uma criança.... que quer que eu faça du- PRIsr.. mas agora épre.Estou saindo. onde está venco podia morrer hoje e mesmo Fanica? Onde poderá ele estar?. alguma'vez representei algo em sua ZoÉ . nada mais podemos fazer? mais influentes. dizer uma coisa: depois de todas as um miserável como ele.Partamos juntos. I . depois perdê-la. Zoe. ... curiosos nos escritórios da nOSS1 re.. . está aqui? rejo."Emnosso próximo número. -Sra. salve-me da vegc- se passaria com muita ordem e cal. Fanica. (desalentado) . censu- re-me.Para que. nha.. salve-me. Você é homem e. no final das contas. (nervoso) .. provocou com sua negligência. isso pra você ""I I ma?...Pense em teu emprego e um mês ou um ano. que venha CENA VI todos se atirar sobre esse jornal eirão . Eu o espero. Ghitza. anda. . TIPAr.. não se vê nem o original estará à disposição dos 'liJÉ ...Às suas ordens! quê? E é você que me pergunta por rante todo esse tempo? Que eu mor- ZoÉ .. nhora Zoé? Onze bocas! ças não têm outra distração senão Oque você fez? Prendeu Catzavenco. 7. .. Tanto descuido. (dando um salto de espan- ciso repará-la. absolutamente zavenco pode ser tão bom deputado I 'liJÉ ..Claro que sim! mesmo nas novelas ou no teatro. Ao bom ZoÉ . Zoé.. porque depois de tudo PRIsr. Fanica.Anão ser para mim?. mesmo sem me- 'liJÉ . rápido... Cat. .. Ê pre.) promessas eameaças que lhe fiz.Então vai rápido e não vcl.. se oSr..' . por hoje.. a não ser para asenhora. Não não importa! Para você não serià uma nuar sendo prefeito? há outra coisa a fazer.. pense nsso. Trata-o ama. enão mais uma crian.. Fanica. assim. E o escân~alo que estouraria mais J reproduziremos uma interessante carta mais esperava de você semelhante forte à~ nossas costas?.. esqueci de lhe tempo para pensar demais. 'liJÉ .. DPAr. ciso que Catzavenco seja eleito...'Famca...tudo agitada) mas logo se detém como que vida.•·Nesse luga- TIPAr.. como se fosse um . eles não falarão pense em tua família. e tampouco desgraça que nossas 'relações fossem PRIsr.... Imagine quando eles teaqui sem Catzavenco..E como não pensar.. Francamente. apanha um carro e volta o Por quê? nica!...Mas. para mim. te deu na cabeça de fazer tal coisa? têm esse motivo!. e que motivo... Mas. Pensou bem no que fez? Que é que tivo.Precisamente por isso é zavenco me respondeu que eu estava cura. e 'liJÉ . sentimental de uma alta personalidade mancada! Que diabo! Você é uma de nossa localidade à uma dama das rIPAT. I me condenar moralmente e se rirão Zoé eTipatescu) que entra pela PRIsr. . Zoé.. Fanica.. CENA V estouvada? Colocar uma carta de I ....Impossível! (*) emfrancês no texto. ou porta do fundo. amor no bolso. Fanica deve ceder. Durante uma semana.. onde homens. solta-o e a nossa carta. Va. para evitar a desgraça que isso já não poderei viver. I boca diante de nada..Zoé. que me assegurei da pessoa de Catza- 4!' perdendo tempo e que não abriria a Edepois! E. Fanica? Catza- nada. Meu Deus! Como irão pede-lhe.. Fanica!. ja. Lutar com reveladas. falar mal dos outros.Eu te amo. mas. aqUI. de minha parte. Fa- velmente.. (chora. Se me ama.. salut. senão nessa aventura•. . quando se pense nisso... como se fosse 'liJÉ (afastando-se dele) .. Como TIPAr. é verdade.Está ZoÉ (agitada) apanha um jornal e um programa que se joga fora àsaída louco? E Zaharia? E sua situação? lê) . so..'. deve. se não há é possível que seja tão distraída. está em suas mãos. .. Ê tudo. mas salve-me .. cometi uma besteira sem limites. A partir de amanhã ça.Por quê? Por eu. junto com o lenço. Que escândalo inferna!!. rIPAr.

das duas COIsas uma: ou N PRIST.nteresses polític~s ZoÉ . porque eu a~OIar esse mIseravel. Estou ~e tal modo não soubéssemos o que é a polícia? mo! .Certamente que devo ter 22 um pouco! ger-se. pensemos salvar-me.. .. aquele . aqui mes. d'o°bemna... Não sei se o leu:..vemos esperar depois de sua prisão? a cena permanece vazia.(Sentencjoso) Em um Estado cons- te.n. e quem não estiver com ' ele.. o que de. Mate-me.aco?te~er... tomei conhecimento. Sim. há poucos instantes.levou-o 'ao telégrafo. F~~ica! Cad~. Eu estou com Catzavenco. que eles que. voce que anônimo. toda sua energia). (aparecendo pelo fundo e nao!. CENA VII vários membros do parti~o." Aconte. Cor. ': marido também.. Retive-o e dei ordens que cidade. Ghitza. bêbado de ontem.. Onlh·a :. TIPAT. Escuta: da redação imprimiu.. ZoÉ (soluçando) .Oculpado não éo braço valem . Me deddir' Me dscidirí. da prisão de Catzavenco.:. ~Oquê? . e I te repito. . or. . não há outra solução. Eu mesmo escrevi um artigo morrer. in- se desfazer em desculpas?.Louca! Que você fez? mento! teus mesquinhos i. respeitosa- precisamos encontrá-lo! a luta contra Catzavenco éimpossível mente. o cana.:I~O ~e~mo) .Vamos. !IPAT: ~lul tando CO... agora.'TIPAT. abrevia meus das. Olha só oque fez de mim! crescente) eeu lutarei! Lutarei contra (suplicante) vos peço que me per- Olha só oque valem seus juramentos! você com todas as minhas forças. P~T. lha' que encontrou tua carta.tinamente. PRIST.(ele sai atrás dela.que golpeia. estou CATZ..c1usive a você..decidida e me imporei a todos.noque pensan n diz? IZ. hoje.. que um instrumento! TIPAT... deve esíarcom Catza- ceptar: . seu doe. (chorando).Zoé... mas como posso saber o que Toma. entre. dade Catzavenco eque lhe pedisse em nem menos... e me denei a Ghitza que pusesse em liber. nha. nem mais deixa morrer. mais ser feito.porque (deci. O senhor xe-me deixe-me com a minha des. (Sério) ser escrupulosos no ZOÉ' . . .. ' ça . olha só a folha que o comitê TIPAT.minuto qu'epas-rmÉ ~ Sim. para salvar-me.. então eu. . que quero a esse respeito..ingrato.:. agora... ZoÉ _ Não é a vida delegue ele Ghitza Pristanda eCatzavenco. Como se dalo estoure.. ZOÉ. eu vos peço.Não vejo outro _ e'você deve ceder.repen- cumprimento do dever. PRIST. '> TipÀ{~ Jamais. mas a vontade que oro que minha VIda. não quero ~orrer antes um policial: mesmo se for seu pai..o. um policial é graça. esmague-me. na combata-me. . Deixe-me morrer de vergo.) . deire-mel Deixe-me venco. P r" da esse rim doi ' sa.Zoé! Zoé! meu nome que venha até aqui. I nao pod~mos I joga... vamos.você me empurra para amor.. (soluçando) Dei.. ' ': "7iJf '~ Não há mai~ fempo' pata '... venco. éa min~a...Então.) · missão.ri até ao jornal como uma louca.. ou então você favor.. diante de Catzavenco) . sem coração!.Deixe-me. Nao.. Fanica. (desesperada) consideração ao meu ofício que nos ordena. . depois de ter sacrificado tudo todos. vida! . ... em TIP Ai'.. Sr.. Traição! Traição! Três vezes traição!. Veremos! (ela vai nada seja transmitido sem minha per. (Ela lhe estende ZoÉ ..) rem eleger para o segundo colégio. de que dispõe. .. Naé... Vamos. ~ue . quando poderia salvar-me... Fanica. lido... um instru- ZoÉ . você me ama eeu estou salva eentão dando um passo para trás.maIs que mI~ha desonr~. nao...Ê um despacho mentos antes. '.Estou decidida.. ' . o apoiarei e o farei ele.Por ZoÉ (abatida) . não me ama e eu estou perdida . pouco me importa.Fiz oque achava que devia CATZ. TIPAr.. meu ES·'ta.Poucos mo. es- 'sabe melhor que eu.tou decidida. (recobr~ndo.Esse homem joga sua .Então. Sim.. Me levou à morte . com :todos os votos só o telegrama que acabá de inter.decidida que..-Zoé! diz um telegrama cifrado?. Por isso por você. Sr. Se tua ambição. Compreende. serei'eu 'que o farei . TIPAT. . (Humildemeiz· meio:. decidir! .. .Deixe-me! (ela·sai:) "Traição! O prefeito e seus homens o jornal e Tipatescu lê para si mes. Se não quer apoiar Catza. (seguindo-a) _ Zoé! Zoéf atraiçoam nosso partido em: proveito mo). eu sempre leio o seu . depois de ter amado de lutar com todos os meios econtra deve prendê-lo? Prenda-o! Não adian- tinto. por que dida) me matarei antes que o escân.. se não quer fazê-lo se eleger dena.titucional um policial não é.dizia me amar..Exatamente. Vamos buscar um outro meo. para adireita.. (ela chora. ."':" Ê preciso' pensar. Naé. ' ' .. Tem que se eleger.está contra mim . TIPAT. (com uma e~ergia c~da vez ta fazer rodeios: é o ofício.. te) e perdoe-me..n' . Por um momento do niilista Catzavenco. .

sea gente deixa falar perder a cabeça.Meu Deus.se- ria existir o mártir. Mas. osenhor está de posse de uma I I . Zoé me tescu! Teria preferido que fosse ela! chamou.. esperava encontrá-lo. fico. nervosamente.. julgar..' como' se fosse o Evangêlho.' à parte) É preciso' que eu feito. somente a Sra. . entre dois homens que têm CATZ. Sente-se. Zoé. tantQ pior para ele. com 'ar irritado e punhos cerrados. o senhor estar se roendo os cotovelos.. ara. (olhando fixamente Catza- olhares furtivos de admiraçao. tanto outra coisa.Porque me haviam dito mar-se dele e Catzavenco se afasta de parece-me ouvi-lo esta noite. . .:Vim. (que aparece pela direita diatamente.que CATZ. e não peço não se espante. Zoé que osenhor chegou.. não quero vel por um instante.) CAIZ. Mas devo dizer-lhe que fui co. mais esperta. depois ta de jogar limpo. por meios que não me cabem ~ fim justifica os meios.. só. (mesmo jogo) . (que havia recuado um... Permita-me . (Senta-se ao CAIZ.. enquanto mede com PRISI. o emprego... estou aqui pronto para porque. mas não quero vêlo. dão. não esqueça sob que 'condições vos diga duas palavras.Estimado se. aqui. Onde estará ela? Onde siosas e afetadas. PRlST. '[ I Catzavenco. Eesse TIPAT..Faz bem. (entediado) .. ~. serão aque.Muito bem (à parte. ele seria! (Sai eolha Catzavenco com frio! rIPAI.Caro e honrado Se- ção pequena. u nao .e1jar ... CENA IX gosta de jogar limpo.Ealém disso como pode.Caro senhor. ddicadezas.Cida. S Zo'? e. (mudando de tom}':. refinadíssimas.. rIPAT. e eu não TIPAI. O to. (Aponta-lhe uma .. enfim para adireita. ·(em tom melhor para mim! Quanto mais ele ripAT. étão clara.. (à parte) . (Fazendo um gesto de cortar) Po- Peço que se sente. . ve. essas jogadas preten- I . novo e assim acontece ainda uma ter- proclamando candidato do colégio! do contrário. lhe 9. disse o imor. qualidade de prisioneiro.. compreende. I ' misterioso) Ah. lado de Catzavenco e este se afasta poderia ser de outra maneiral.. está bem. Fanica nem sequer está aqui.com o orça.. . .Mas claro que sim.. quando a situação Naé! estara. demos solucionar ..Pode mesmo dizer-lhe que se detém. sente-se! graça. a pretensão de ser pessoas 'sérias. Senhor tado. porque a Sra... eu gosto de ser breve. mais viva do que todos. venco eem tom áspero) .... retiro-me imediatamente.·Catzavenco-tem comprometer-me de nenhuma maneio me domine. I missário... ao lado! ra. com os den- a fazer: família numerosa. .. o senhor PRIST.muito bre- Sr.não teria vindo.. lá..Descarado! um pouco. mas. Se. . se detém por um ins. . se não houvesse Bom.. de alto abaixo...este assunto ime- sar aSra. onde permanece imó- . cadeira. primeiramente' na entrada.Verdadeiramente. Tipatescu volta a aproxi- caro. eu cheguei aqui.. Zaharia (ri). por ordem de... atei- nhor Naé. Oamável Fanica deve se estou em liberdade.pau- I irregular. sen- Nesse momento aparece Tipatescu na te-se. en- J CENA VIII • nhor. perdoe-me se lhe pareço que me aprésento em sua casa de maneira . Zoé. me chama. I CÁTZ... de 'acordo. honrado se- Pobre Farfuridi!. (Tipatescu lhe oferece (se dispõe asair).. renumera. eu vos peço.. uma poltrona que ele recusa suave- CAIZ.r~speitosamente as mãos. eles capitulam! E. um pouco contrariado) . não há nada Ele me prendeu. tal Gambetta!. porta do fundo.Enfim. e quero ver somente ela... tes Cerrados) . eu vos peço. melhor para mim! avança a passos lentos.por iso.Obrigado.) Que oolhar. já me que me chamavam da parte de. vou avi. e eu.. esse caríssimo SI.chão com o pé. CATZ. I os seníimeates' Mas qual. À parte) Tipa. fante no fundo. Sr.. para aesquerda.. Vim à casa do pre. tao.Muito espertalhão! Eque 'magníficoprefeito À parte) . trazido da prisão até aqui por seu co. porta da direita. jornal.. ASra.. no .. mente) Muito obrigado! estou apressado para voltar à prisão elogo se dirige tranqüilamente para a onde fui metido por causa da sua des. pai) ..Pois. (Gravemente) O Em outras palavras: se estou aqui na nhor. ... rIPAI. Naé.. I ceira vez) Assim pois.. Catzavenco. cede finalmente e cai num sofá. não compreendo menta. Felizmente que Zoé está um gesto de surpresa. CAIZ... todo nhor Catzavenco....Sente-se. E ' a veJo. Sou um homem que gos- (Ele se dirige para o fundo. .. jam precisos esses truques e maneiras o verdugo? las mãos que me farão eleger depu. logo. Catzavenco e Tipatescu.. dê-me sangue obrigado. (que não parava de bater . no filial das contas.sente-se. CATZ... .

CAIZ. Se é assim. fervendo troca e agora me fai a pergunta. um homem como eu. (em tom insinuante) . pé. (sorrindo e com tranqüili.. mas diga-me francamente. (no mesmo tom) .. TIPAI. honrado senhor. Eu vos pe- I N-ao me combata..E políticos. senhor! gesto "cortante" de Catzavenco). se ao mesmo SI. . atualmente vago.. Que eu quero? ora. TlPAT. Ou eu pareço 'fIPAT... (o mesmo jogo) . Não. exatamente? (ele se levanta. . com uma insinuação calorosa e cres- TIPAT. (obstinado) .e destacan. não lhe parece para os basbaques. circunstâncias de da Ordem de São Nicolau.. entre os homens TIPAT.. Osenhor me propôs a mos claramente: que quer o senhor Eis aí. CAIZ. senhor? senhor nem mesmo pode imaginar? CAIZ.. Catzavenco..senhor.. Quero. recém-saído de.. onde sabe? sou omais notável..Como? Não o CAIZ. Não e não! Eu combata minha candidatura. ciso eosenhor bem sabe como preciso TIPAT.. zê-lo eleger-se? sobretU(lo de um Estado jovem.Que quer o CAIZ...Mas é.. um homem político. em troca dessa carta? Seja do as palavras. duas vezes nada. Vamos.....Peço-lhe desculpas se o que está pedindo demais?.. mos em consideração o passado de TIPAI..) sua honra?. quero o que me- CAIZ.Permita-ae...Por favor... (impaciente e batendo no tâncias de tal natureza que podem de. gado do Estado?.. que me lhe parece um pouco exagerado? Heín? Quero oque me pertence. der.... eode administrador nesse mesmo momento. terminar um movimento geral... .. va) . como se estivesse ele CAIZ. eu quero. CAIZ... o que eu quero.. melhor TIPAT. . CAIZ.. mos.E se eu não qui- tacando bem as palavras) que me pede mento que (acariciando . ser um homem que se deixa embro- CATZ... .. teriores. É isso oque eu vos pergunto .Osenhor esquece se o senhor quer que eu seja breve. dade) . (aproximando-se de Catza- venco que recua como das vezes ano CAIZ.Muito bem.. poe-me.. Pela mi- natureza tais que podem determinar nomeado o mesmo amigo Catzaven. sobretudo nas circuns...Carosenhor (com digni.. de raiva). (com ironia) . mente de um Estado jovem como o que é perigoso entrar em luta com serei: quero (suplicante) que não nosso.Veja. CAIZ. TIPAT.. CAIZ.... (aos gritos) . É a sua vez de respon. fale- ofendi.Admita que eu não queira! osenhor. (a ponto de explodir de raio do-o) .. (ingênuo) . .Pode sim! tico deve.E.E que talo lugar de no mesmo momento em que eu tenha político deve. (quase a explodir) .. 'fIPAT.. '(que cada vez mais perde chão com opé) . especial. sido eleito com amaioria necessária. Faça-me eleger.Não.Não E é por isso que omandato de deputado.. Um homem DPAT. co? Hein? (Catzavenco sorri com um se tomarmos em consideração o pas. não Osenhor bem sabe o que . TIPAI. como mita-me honorável: um homem polí- onosso. (Com muito calor) .Sua candidatura! (dominan. honrado . reço nesta cidade de imbecis. movimento que. todo Estado Constitucional. vós tereis a contra nossa pátria.. Nada! Nada! (depois de uma pausa. Depois de amanhã..É pouco. (que consegue se dominar CAIZ.. (des. omesmo jogo se repete) - (com muita amabilidade) . e nada mais do que isso! CAIZ. (levantando-se também) - dela..Pela gesto de recusa.. .Quero. Sejamos ainda mais breves.. rer. .. especialmente em circuns- TIPAT. breve mesmo! (e ele repete o mesmo se escutando falar) se tomar.. . osenhor. E se eu não puder fa- sado de todo Estado Constitucional. zavenco se confiasse ocargo de advo.. (com um gesto) .. que pode comprometer TIPAT. (sempre sorridente) .Deve que- breve. a duras penas) . movi... . nha honra! um movimento geral.Oh! do-se) Meu senhor. (mesmo jogo) . Cat- dade).Per.eu quero. .Quer dizer. . A" ço.. TIPAT. o so caríssimo Sr. Eu me apresento e lhe digo. des frases. mar dessa maneira?.Não. meu prezado senhor.. impacientemente e interrompen. osenhor é um homem prático. tâncias políticas como as que se en. ese fosse carta. o sangue frio) .E.. . Presidente da Câmara Municipal.Deixemos de lado as gran- a honra de uma família. (ingenuamente) . cente) Tenho direito!.. Catzavenco! É muito bom CAIZ. quero que aapóie. (golpeando o chão com o não quero fazê-lo eleger-se! 24 ainda..Deve! .. após uma pede em troca dessa coisa? Que me diz? luta de tantos anos.. se o comitê permanente renunciasse e reservássemos um lugar para o nos. ser? ... carta minha. osenhor tem uma coisa da qual pre..

.E compreendes lembra de algo) Ah. (Catzavenco dá um passo para trás) TIPAT. suplicante CATZ. me esquecia! CENA X então que quando eu recuperar acar. se opreocupa. Tipatescu. Fala!. prostrado em sua poltrona) . ta. CATZ.) nica e Zoé estavam aqui. (Ouvem rumores lá fora e a voz de Trahanake que diz: IIUm pouqui- da que seja um pouco... . ZoÉ (triunfante) . grita pela janela) CATZ. oqual faz Trahanake... tudo....Em troca da carta em ques... seJa.Crá. para o senhor pouco . e por conseguinte..Zaharia!" canalha sujo! Não sei onde-estou que importa.Não! CATZ... . Catza. tratemos de resolver as enbru- . . Aceita? aporta da direita ebate discretamen- CATZ. TipatesCll 'liJÉ . Sr.. conteça oque Catzavenco pela direita.Nada de desculpas. osenhor deseja tão obstinadamente. . apodera-se de um pedaço de CATZ.Depressa.. ...Deve. CATZ.. por um momento. (levantando-se.. TRAHAN. te procurei! Volto dentro de meia 'liJÉ (colocando-se rapidamente en. tranqüilidade?. (ele se pre. permanece ~'" TIPAT. senhor. se. . estará ter. a honra de. .Aceito..." (deixa o bilhete lhe peço. em voz alta) "Meu caro Faniea. devolverá a carta a quem avolta em torno da mesa e do sofá.Fanica! Fanica! Decida-se! agora. ficou 'liJÉ (insistindo ao lado de Tipa. . devo ir-me imediatamente! CATZ. já sem qual- enxugandoo rosto ese deixando cair da esquerdaseabrem lentamente. tem um minuto de sossego (Vai até ~ . do Sr.Sim. (aponta para Tipatescu não saia! Um pouquinho de paciên- venco. minado entre nós. TIPAr. Espera-me sem falta.. senhora? lhe. (também muito emociona. eamim osenhor devol- fora.Ah! nhora!. não foi? O senhor jurou carta.Está bem: se você entra pela esquerda e Tipatescu e sobre uma cadeira à direita) . e CATZ. 'liJÉ . Eoun . . mguem.. Fanica. quando se ZoÉ (baixo à Tipatescu. Ele não deve vê-los.Sr. apa- Os mesmos e Zoé que entra precipi. hora. Trahanake.) se volta furioso contra Catzavenco. meu! Depois de amanhã osenhor será deputado!. Catzavenco. . Catzavenco.. numa casa onde minha vida está em " pengo. depois as portas da direita e TIPAT.) tão o senhor pediu o mandato de Crápula! Você vai me dar agora a deputado. mas.) cia.. não grite. Catzavenco.) pula! Crápula! Crápula! acontecer (decidido) Sr. o tenha feito eleger.. vai me dizer onde ela está. 'liJÉ (suplicante) .Maldita política! Não se .. bem visível sobre a escrivaninha) E louco?.. Zaharia. não é assim?.. Cat..Sr.. . Zoé quer resistência) . e escreve... TIPAT...N"? derruba os móveis ecorre à uma ja..Vejamos. depois o quecer de.Socorro! Ovampiro me mata! O ... tes da reunião. inclinando-se logo para meu marido.. só.... e muito emocionada) . (muito cansado e nervoso. .. (Em voz alta) Es. .. (Suplicando. totalmen. (Vai até verá a carta. cidadão bêbado.. o senhor é o candidato de Zoé. eu peço ao tescu) .. acena. senhor....Depois de amanhã vo.• TIPAT..Como não gritar. escondam-se os cipita. te. do) .' de quem venha aquilo que não lhe quebro a cara. Não posso ficar nem mais um minuto cês terão. vazia. Fanica. o CENA XII sou eu que lhe peço mil desculpas pelo nervosismo que fez Fanica es.. depois de ama- ou te mato como aum cachorro! (ele nhã. Catzavenco. (estourando) . Você pode ser o inimigo da minha Ihadas do nosso caro Sr. .. com um gesto.. e Catzavenco pela direita. (tremendo. nha caneta e papel. eu e cil do criado me havia dito que Fa- nela que abre.. .. senhora. (Senta-se diante da escrivaninha..Omeu marido! homem prático. Catzavenco. deputado.. Zoé. (como tomado de uma idéia) te) Ninguém! (Mesmo jogo na porta. (Zoé sai pau que estava encostado na parede e rapidamente pela esquerda...Miserável! osenhor éum homem responsável. dois. lendo' tadamente pela direita.... be- Pois bem! Eu o farei eleger-se. ee- tamos totalmente de acordo...... ain- . zavenco. É preciso que nos vejamos an- tre Catzavenco eTipatescu. com doçura) Fanica!.Não entendo. pelo amor de Deus! eu . da esquerda) Ninguém! (Ele está qua- prefeito me assassina! Socorro! se para sair pelo fundo... quando osenhor for proclamado se lança sobre Catzavenco. tudo. (Afasta-se rapidamente pelos fundos. I A assm oquer. Catzavenco. Sr. nho de paciência!") I' TIPAT.. um 'liJÉ .. Sr.... CENA XI pela sua honra que. ..

um bêbado.Um eleitor.Fanica! Ghitza. (soluça e.Sim.Vamos cama- tenha muito cuidado. não é um mite: amim me parece.':'mas porque o senhor é cidadão: o senhor. ZoÉ ~ Fmica. TIPAr. 'é 'preciso ter rada. . por todas essas TIPAT... .de querer. . Não o tinha visto! Seu criado! ODAD.) Agora nha linda cara esim para roubar-me empurra) o senhor 'está cheirando' a estamos tranqüilos. Esta noite...) .. Catzavenco! (afasta 26 veja e tome vinho. . e Trahanake.Oh! Oh! CIDAD.. c'~n'a) ... jeito.. CIDAD. . Catzavenco. em sua embora. mente. Branzovenesco e não quero votar em ninguém.ea fecha. Bravo. (Solu- me. deixe-nos em paz. sobre nhor não é um infame desprezível tudo num Estado novo. casa. (com repugnância) .r11ais nervoso.De novoaqui~(recua... Naé! " rum! ..e~e~ni'e'eni paz.. espere no~ícia~minqas . que teremos que eleger..) 'l1JÉ . como é o viciado. Oseaher queria reste. um bêbado.: Então.) gesto de votar... ZoÉ..... TIPAr. venco.. Sr.. (barra... carta do'seu bolso. voce e.Osenhor sem- cidadãobêbado assoVi{uído. durante li 'reunião. ... --... acalma-te.. aparece o quem? (Em meio a um soluço faz o CATZ.Não se trata. . um corrompido.. Branzovenesco ODAD.. porque o se- TIPAT~ . está s~ tornando o nosso mais honesto concidadão... Olha eleitor como o senhor.De. com tão grande cons- voltou a beber (Catzavencori).. .Deixe-me falar..calam-seos três. TIPAr. repito-o. um que num EstadoConstitucional. só! Osenhor ainda está embriagado. hein? E tome cer. . e dena encontrar um candidato melhor permanecem imóveis.Vote pelo Sr. Oue . liporta'do fundo . cheirasse a petróleo? '. assovios.) CIDAD. eu fico enjoado! çado a isso.. razões.(Ouve-se' baterem na par~ oSr. CENA XIII . Catza- Muitas felicidades! O senhor traba. trabalhamos para o Sr. (destacando bem as palavras) lhou muito bem.. cutar... pestiando o ar a uma légua (ele o comasco. (nervoso) ..não é?. CIDAD.. Darei um pulo até ao telégrafo para CAIZ.Porque o insuportável.. canalha como os outros. Trahanake que aparecem nesse mo- TIPAT. (cada vez .) não é um CAIZ.Isto é ótimo! Esse é o anunciar a sua .dig~ essa loucura..4e Zoé. para oterceiro.. Porque o CIDAD... (à Catzavenco) .Não. É insuportável! que e~. . senhor deixou que lhe roubassem a nhor quiser. ao mes- mo tempo espo~a ' numa risada) Não Os mesmos.) É luça) Por quem devo votar? Por 'l1JÉ . mente límpida. o honorável Sr. Sim..çangidatura à Buca.. . Em apoiamos não éporque tenha nos for- CIDAi). . o cidadãobêbado. infelizmente! O seu cheiro está em. mento . então? (So- para um eleitor como o senher.. acenaque se desen- fluenciar quem quer que seja.Fanica! como os outros. (intervindo ) ~ Se me per.Então deixe-me em paz.. . ciência política. lhor representante que o Sr. ..P'orque osenhor éum venco. dei~e-nos . . (cada vez mais exci- nossa..Sim.. (mesmo jogo) .... Naé Catza- venco.. Mande-o meu cheiro·natural.Sim. me deixa nau. .. é ele que apoiamos e será ele TIPAT.. ao contrário... Não se po- Que éque 'osenhor quer éxatamente? porta' do fundo.Eu? (hesitante) . para um 'l1JÉ (intervindo.. porque. porque ogoverno não tem a intenção de in.Fanica! miserável como os outros.atrás. Faryuridi. Catza- Eu. 'l1JÉ. Vote . e depoistrê$.. Não me sacuda desse quem? em quem? D. seado. Ainda não lhe disse? (so- luç~) Amanhã serão as. tória que falamos esta:manhã:.ldo~lhé à passagem sujo viciado. osenhor deve dar oseu voto ~lUito cuidado. não pode haver me- CIDAD. rola diantedeseus olhos..) .. (sorrindo) . ~ Por. . inteligente. 'l1JÉ . .Olá. em quem devo'votar? ' cudindo-o) . pre irônicol TIPAT.O mesmo sujeitol (Es- cO]Jde-se como pode.~ Batem. TIPAT. . TIPAT....Estou calmo..:. . TIPAT. qgarrando b cidadão pelo braço'e se. possamos encontrar uma outra.::(A' Catzavenco) a carta!... é seu sinal! t Dirige-se para a porta do fundo e. também) .Fanica! Fanica!. ! TIPAT.. nova. mas não pela mi.a apre.. eu de novo. CIDAD...Ah! Não faz mal! Talvez senhor (Farfuridi. param para es- T!P~T. olá!.. (cada veZ mais exciiado)- fazemos? Começa amanhã. CATZ. o governo deveria.per aquela es.. tado) . ça)' Vim aqui ainda .pelo fundo. surpreso. E se nós o para que não entre e~. Os dois primeiros apontam. de pende de cada pessoa.em que~ o se.

a elendo) . ..Por quê? segundo colégio deverá eleger o Se. mas" 'liJÉ (com toda 'energia)' ::.' lutaremos . ado meio dà para TIPAT.:..) são que simples questões pessoais.. isso me dá náuseas . onde falam em voz baixa e 'liJÉ . seguramente. '.. . mais tarde eu lhe conto e suprema questão de confiança". {rês portas. .. honrados.nn. chegan. Zaharial voltam para o fwÍdo. . em segundo plano.:. .. ---: Sr. :(àFarfuridi e Brcinzovenes.Naturalmente.I TRAHAN. honesto.Ao Governo! OOAD. À direita.. cipita sobre Trahanake .Sim! ciência! 'liJÉ . .) Ah! por um tabique de madeira. uma espécie de he- TRAHAN. (à Trahanake) ::.' na' maspartimos para Bucareste.'PARF. . CATZ.doro O' CI'dad-ao b'b ' e ado. é preciso.. tas da Prefeitura.ao seu te- CATZ. uaremos can- a 'u tima pa . . parte.. -:. no mao.. '. e I agrupam-se de um lado. q~erid~! . ço. (abrindo nervosamente ote. Ao acontecendo Fanica? ma muito.Ó' .. A cena representa o salão de fes- zovenesco..Alto lá! Um pouquinho depaciêncial ' TRAHAN.(Catzavencp". ATO III . natura" mente. -Ah..Sim. . . que está PRIST. (Tipatesco" completamen:. emu . no outro" TIPAr.. senhor. '" " dao 'bêbado falam do outro lado com que todos vossos escrúpulos nada mais ..) . ~ E diremos tudo oque.. deixem-me todos em quando pessoas como vós. xágono. se ainda represento algo para geral). . Ghitza está no: FARF.e Trahanake.Permitam-me' dizer-lhes Governo! .. da: TIi'AT. UArquivo". querido.Isso é muito bonito! E fundo..ridi eBranzovenesco esfregam as paz! . ·CATZ. do qual se vêm três lados.contra o animadamente.) ..) . CATZ.) do. mas a qualquer preço mesmo.Vamos aos jornais! 'I" 1 lmeníel mOVlmen o .Se me nhor Agamenon Dandanake (surpresa outra porta com ainscrição: "Prato- amas. hana e . FARF. (também envolvido .Sem dúvida! Omais fiel! também contra o...im.• cena. vêem. .. os eeítores arao ' t ) S' I t' FARF. dan do rapl'da- . Central! a última palavra! Contra à Governo eu não luto. QDAD. sobre a porta: nfior deve perguntar.. Tipatescu. querda.Aí 'está des. ainda nos'insulta! cade. o com a inscrição: "Gabinete do Pre- TRAHAN.. vamost mãos..Governo! .. ' (bonachão. .. (seria) .Muito bem. Ghitza Pristanda. no mesmo plano. (Catiavenco e'o cidadão conversam do ao fundo com um telegrama na animadamen'te com Faryuridi e Bran. como. de.os mesmos.Oh! 'b BRANz.. os senhores não poderão impossível! Lutaréncs contra 'quem' Ah! .. Tipatesco.Vão para o ma p~1avra. 'queo honorável (todos escutam. satisfação. . bre ada esquerda.) diabo! (Aproxima-se de Trahanake e ZOkE '() encoraS~ando ~ cII~adao edTr~. ODAD. . não..I FÀRF:'e BRÀNZ: ~Ah!' AhL . muito fatigado.se não tivesse qualquer: ~RANZ.. governo!."A qualquer pre. o prefeito mais deira.. trai I ' do. ' '. !CATZ.: Un pouquinho de pa:" TRAHAN. do "arquIvo" está separado'da cena tudo.. uma porta palavra.contra . ' FarfU.. a mesma animação. Lutaremof. ''liJÉ (cOm precipitação) . muito urgente! fundo. . 7JJÉ . feito"..OS eienores arao a u 1. mão.. Cátzavenco e o cida. inspirar maior confiança às autorida. Fanica! Um telegra.. 'cale-se. atraição! Quando eu vos dizia. . Zof .Nenhuma legram.. nos daremos mente de tom) 'Quer dizer. pelo' de Zoé. Omais íntegro! .'Zoé' . 'l 't darã 'lt' participação no que ocorre .' se deixa cair nUma ca':' rável!.avra.SIm. Esta épara osenhor uma alta colos". . À es- 'liJÉ (com energia) . . ' ~ Compreendemos. (gritando lá do 'fundo) . Sr. sorrindo) '.Meu querido! (Ela se pre.Não é a mim que o se.) da direita lê-se: IIRegistro Civil".Exatamente.. (Os três falam em voz baixa.Permitam-se.. Tipatesco . so- TIPAT..passeia nervosamente ao te esgotado.. disfarçado 27 . ' Como o prefeito é irônico! co) .' .quer que seja:..Sim. Olado esquerdo até a porta ti. (Adiantam-se. vene. por favor.E ao Comitê Eleitoral ~I?AD. (Souçan . (mostrando Farfuridi e CENA XIV PANO Branzovenesco à Catzavenco) Uh lá lá!.Um telegrama? (Todos se o conedo: de entrada. . BRANz. FARF~ ..) Sr. (à parte) . '.ir~.. CATZ. lutaremos . .e o leva à CIDAD.

. mente possível.Uh! Uh! Uh! tecido) _verde. Farfuridi..Mas sim. (agitando asineta) . Temos apresenta então.. antigamen- TRAHAN. Ao plebiscito? algumas lâmpadas presas com para.. nas cadeiras e em (Rumores e protestos no grupo de cando por cima da mesa. papel. Rumores. por .. co- À direita._ FARF.. resco.. cito.Mas. (dirigindo à Popescu). o mesmo ao pé do estrado. . termina. (Riso no banco POP.Permitam-me.. Perto .. Trahanake está então. Mas... TRAHAN... à esquerda. (da tribuna) . permitam-me. (à Farfu. TRAHAN. dente! Ahora está passando..) disfarçado...Depois de haver falado mores) vantadas as cortinas. vanta durante uma interrupção. público. ainda outros oradores inscritos para sião de pronundar-se mediante um tam-me! (Rumores. . ainda na cena. ano de mil oitocentos evinte eum(*). te como se contasse uma estória) No o presidente concede a palavra. as mãos so- outros lugares. Catzavenco. na ordem do dia.Permitam-me! TODOS (com força) .Passemos ao plebiscito! (Tomando-o mente. IONEscu.. oitocentos e.E vinte e um. docemente. uns sentados e outros de pé..Se. a tribuna. Raul Raul Raul) bre os ombros de Farfuridi...) pelos ombros. Presi... rei assim o mais brevemente possí. TODOS (e no mesmo tom da voz de Farfuridi) .De verdade?. Igual. consultasse aassembléia) .Permita-me... Catzavenco... (levantando-se como se vai da porta de entrada do -fundo e favor. por cortinas de estamenha (espécie de tes.. ao plebiscito! (Ru- fusos. O presidente agita a TRAHAN. Melhor. como CATZ. zer. precisa. a oca- me! (Bebe um gole d'água) Permi.... (voltando as costas para a na mesa presidencial.. mantenha a palavra. (agitando asineta) . FARF. Um pouquinho só de.TODO o GRUPO .. o senhor tem a pala.. do que quer dizer um plebis- social encabeçada por Tudor V1adimi- ~ por favor! Temos questões importan. (bebendo um gole dàgua... TRAHAN. eleitores. do ponto de vista histórico e FARF. eleitores. ridi) Prossiga.ce-me que desde o momento 'em que para eles.... assembléia e encarando o presidente) na..Honrado. Branzovenesco e outros conci.. protestos. Popescu. creio que não bre a mesa. ecomeça lentamen.) FARF...Ao plebis- Trahanake..Permitam-me. dois candelabros. peço-vos não interromper. Presidente. passemos ao escola e partidários políticos. POP.. . (à Farfuridi. faça-me o favor. terminarei..Quer di- que atravessa a cena. Sr. . (Bebe um gole a'água nhor me concedeu a palavra. Em mil pede. A cortina se le- FARF. pare- dadãos.Depois de inclinando-se para atribuna por cima pouco mais embaixo. em sua poltro. Farfu.desse tabique pouquinho de paciência. vejamos. em tom meiros bancos. So. vel. (gritando) . público. ele o faz voltar-se deli- CENA I cadamente. A luz é escassa. Ru..Bom! Se voltarmos ao ano carinhoso) . Ao serem le. o mais breve.. Sobre a tribu.. 1 dãos. Nas paredes.. há um estrado com mesa e poltrona vra! TRAHAN. . No extremo dos pri.. Ionescu. ) plebiscito. uma garrafa e um copo d'água... na. urgentes. Presidente. por trás da tribuna.. nhores.seria mal se pulássemos para o ano tinteiros e uma sineta...eu estava dizendo pois. Ao redor da como acabo de dizer. Branzovenes. com ar resignado) .. ponto de vista jurídico. e TODO OGRUPO - Bancos ecadeiras em todas as partes. (levantando-se e colo- mente nos bancos. Popescu e demais mestres de de 1821 estamos fritos! (Rumores e vel..Ano da revolução nacional e zer.cito! Ao plebiscito! co.Não me interrompam. . (ainda mais suplicante) - sineta.de 48. Um 1 -.. .. cida.. plebiscito.não interrompa por favor. TODOS . Diante da mesa. em direção à assembléia.. presidenciais. e do ponto de vista jurídico. (Rumores e protestos. FARF. Diante da tribuna ede costas recupera ofôlego. TRAHAN. . cidadãos. mores na sala. para o povo. menos numa pequena passagem que FARF. te. o se- mesa. em 1864 se FARF. POPESCU . CATZ. demo-nos conta do que quer di- nhores! (Com afabilidade) Silêncio. .Que paciência. dos mestres de escola) Sim! Sim! Comecemos de 64. honorá- nescu. . -deiras. (à assembléia) .Sim. por onde as pessoas chegam esaem. Sr.Eu vos peço. a assembléia assim o ridi está na iribuna. um FARF. Sr.. Catzavenco com 10..(Rumores... .) falar. várias filas de bancos eca. FARF. Então meçar de 64.Se. ter falado do ponto de vista histórico da mesa) . (*) 1821 ..Permitam.

.. que dela dependem o futuro.Per.. a Romênia. Vejamos que é um plebiscito! Muito obrigado não me engano. Cada um de nós sabe o TODO OGRUPO . FARF. não se trata senhores. ' "? por que. cima da mesa) . (suando em bicas e visivel- mitam-me... permitam-me (Enxuga-se de nhores. (Com muita afabilidade) cito.... Presidente.. não? nhores.Permita-me... em certo seatido.. vos peço. pois. (muito cansado. (gritando) . (Todos os diálogos e interrupções se realizam em TRAHAN. se sembléia que o pede. (agitando asineta) . TRAHAN..Ouçamos TODOS . não. FARF.. Pre. com respeito aquilo que nos concer- dade dó banco) ... Presidente!. com bom senso um estilo de debate de tribunal entre (Faz soar asineta) Bom. voltados para nós..... venco) tato. tem isso a ver com o que discuti- -... (Com FARF.... Se a Europa. do que em tom mordaz) Sr.Como... (Começando sua frase TRAHAN. 1864 queremos dizer plebiscito e CATZ. e muito suavemente) Eu •maneira que chegou aocasião de per- biscito.. enfim. caçoes. mitam-me. (aos interruptores) .. . (cansado pelas interrupções digo eque comigo (começa a confun~ quinho só de paciência. por favor! Sabem qual é a ne.. FARF.Não!. nem o plebiscito..Minha opi- SIid ente. honorável. parece-me que esta.. TODOS . na ordem do dia. (Rumores afavor de Catza.... Sr..Permita-me. (Afá.. Constituição e da lei eleitoral.. ..... (À Farfuridi) se volta para Trahanake dando as cos. compreendam os todos os povos têm seu 64..o64 e.. por demasiado lento... FARF. continuamente com o lenço) .. vejamos agora o que é faz falta! chegar. (apoian4o as mãos. dir-se) devem dizer todos os que não O senhor tem a palavra.Sim! À questão! À ques. (à Trahanake ) Sr. permitam-me. (levantando-se novamente mente emocionado) . honorável.. Presi.Se. furidi) Seja breve. Faça ohonrado orador voltar a opinião do ' honorável Farfuridi. dos... (Com convicção) e so. (mesmo jogo) .. Ê a as. Fale! pela explicação! mos no ano da graça de 1883... (Ele se enrola cada com força) Oplebiscito!. quero dizer. igual- questões urgentes..Aqui não se trata de ple. não faz em uma questão política.. e lá que é 1864.. não interrompam vel e suplicante) Deixemos o plebis- TODOS (com força) .. como...Permita-me. (entusiasmando-se) . e quando dizemos plebiscito queremos falta. breve. Farfuridi. pouco d'água ese resigna) ..... apenas um mo- advogados. com muita vivacidade e um pou. dizemos 64. por assim dizer..... bebe um cada vez mais) e. .Sabemos muito bem o questão 'urgente na 'ordemdo dia? Se . mento antes. a nação.. eu vospeço. bebe e se enxuga mente.. agora.. sobre os ombros de vez mais. Faça-me este favor: é a 21. eu FARF. por favor.. e que..Não precisamos de expli. à questão. e CATZ. FARF. (Discutindo vor.. qual é!. (emocionado e transpirando Silêncio.quinho de paciência. e.... quer dizer. silêncio.De conceder a palavra. sua e engole em seco) de CATZ.. que golpeiam a sociedade.. que ela tenha os olhos com Catzavenco) Parece-me que... eu vos peço por favor... (agitando asineta) . (Enxuga-se) como no TRAHAN. TODA A'SALA'.Per. o pre- dizer 1864.((Trahanake agita a sineta.. TODOS . .Chega- CATZ.. gun tar por que. mais para que a Europa... por favor: temos questões muito) . nada de exageros!.. o34..Honorável. temos assembléia que opede. novo) o48. (transpira. Faça-me o fa. (ironicamente) . deva reconhecer. o 74.. bretudo não tente me contradizer: vou tão! a causa das comoções. o 84 e o 94 e etc.. IONESCU . para quem em toda mos agora à questão da reforma da ocasião solene tenho dado provas de do 64. honrados. (À Far.... ..Se.. se para os modera- maneira. o senhor teve a benevolência de me de-se cada vez mais) quer dizer. Que CATZ. nem demasiado ligeiro.. podemos dizer que depende.Ah! força) opaís enfim. mos?.. eis aqui o que eu urgentes. o54....Então. cima da mesa. Creio que faria quero dizer que. (pondo-se de pé na extremi.. não sente e opassado de um país...Sim! Sim! o orador. "? sim.. idéias provar-lhes com fatos históricos que subversivas.Não.Ah! Até que enfim! o povo. etocando os ombros de Farfuridi por nião é esta: trata-se de reformar a TRAHAN.. passemos à questão. Voltemos ao assunto.Não. tas para aassembléia) Sr. ..) FARF... por favor... quer dizer. que quando dizemos falta. Constituição.. para que também demos um dente? Desde quando o 64 é uma minha opinião arespeito da reforma? exemplo aos nossos irmãos de raça 29 .. um pou... querem cair no radicalismo (confun- prossiga. (Transpira e se perde FARF.

Catza. ION..Ê verdade!.. (O público do tabique que dá sobre a tribuna e Os mesmos. Trahanake acompanhou com mo. como poderíamos enviar esse éassim: quanto mais rápido avanças. gesticulando vivamente. meus retrocede. menos Trahanake e começa a perceber que ele está pero- puxaT.. .ciência.não digaque o domina) Das duas coisas. '. .. rias subversivas. em o qual estava agitando a sineta.. Mas. ese dirigepara o fun... O e Ghitza desaparecem no interior.Hein? -Que se passa? disso ... a história nos ensina... pé.0 que dizer ainda duas palavras. loe.IatináH Suadíssimo.. bate venco vai de direita para o centro. ao lado. 'I " · com opiniões enferrujadas.. se 'enxuga. mas opiniões semelhantes eu não r'es- âe Catzavenco. te. os mestres.co minutos! zão. são magníficos nhor Farfuridi..Mas não. . Ou ela não TRAHAN. então.. os partidários de Farfuridi e contanto que sejam sinceras. ele tem ra- primeiras filas.. ninguém duvida ximado e escutavam um pouco afas- voltando). mas que. acordo. Ele disse. (O ruído Não posso deixar a presidência. assunto terminado. murmúrio nas ALGUMAS VOZES . prias .Honradíssima assembléia! De. nesco. mãos de sangue latino. sair desse dilema. com suas teo- sos no fundo. Prefeito. quando o honorável se enxugade novo erespirei fortemen.) (Emtom declamatório) Agora. deve ser revisada? Estou também de ta) . misteriosamente do gabine. se troque pois do importante discurso de nosso CATZ.Bem. Trahanake CATZ. .'Os algo aqui e ali e.. (Catzavencoeseu grupo..estão esperando. que se haviam apro- 'fRAHAN. Constituição? Estou de acordo. irmãos de sangue latino. precisamente. Zaharia! Sr. POP..a sineta e se mesmo é sincero.de Farfuridi. especialmente. oratórias. (Com força) eque história? Por buna completamente esgotado. devemos dar mau exemplo aos nossos uma. desde Ele disse explicitamente: nossos ir- que nada seja mudado. dão de ombr~s. honorável à Câmara? Não digo que não tenha suas idéias e opiniões pró. Todos se põem em do tabique epassa comGhitza para o CATZ.Que antepassado? Como grupo. permitam-me: deve-se revisar a PRIST. : . Farfuridi desce da tri. " ? quee. CENA III tudo. mas têm um grande defeito: suspender asessão por cinco minutos.ahanake pelas abas da roupa. (Ogrupo de Catzavenco aprova e Os mesmos ePristanda. Dnde fala em voz baixa com o seu Zoée Tipatescu abrem-na... sinahistória antesde tudo? do. Venha imedia. Farfuridi quesetrata de história. . antes de tanda sai..Ê preciso. . Fanica! vemcom suas idéias já ultrapassadas.RAHAN. rando ese agrupa. que mantém Farfuridi.e respeito também todas as tados.ritmo das' frases .J .damente) ~ Sr. Pris.. Eles"vieram por detrás. . opiniões. eles tenham um pouquinho de pa. muito nesco em outro grupono fundo..Que nosso antepassado.ladoesquerdo.outros eleitores turam com a nwltidão. essenciais. . bem..e eu respeito essas idéias admira. CENAII mais longe chegas. Risos .. .porta volta a fechar-se. o. assustar sem cessar com sua Europa.e Branzovenesco com o seu. quer dizer.Eles estão lá. abre a pequena porta não avança está detido. nos honrado concidadão e advogado Se. Tenho dito! basta que alguém lhes fale de histó- (A plausos no fundo.. (largando . isso tem medo das convulsões -'.Sra. se mis. a nosso? Vê como vocês não sabem! mesmo fazem Farfuridi e Branzove. (com ar protetor) .. na porta do gabinete do Sr. (agita asineta eselevan. minha opinião. senhores. separado da cena.Eh.Que a Romênia depois de vão ao seu encontro elheapertam as que desceu do estrado abre a porta Trajano. Branzovenesco e. (misterioso tambem) . POP.PRIST:' (em tom misterioso e rapi.) Permitam-me! Ter.. pouco apouco. cessa) Esta é pois. vem nos vimelitos de mão.) torno dele para escutá-lo) e inclusive CATZ~ (ao seu grupo) .Bravos e aplau~ . ION.. de. a desordem se generaliza. . observa só .. ·PRisT. mino em seguida! Tenho apenas que TRAHAN. suspenda! . peito.. quem nos en- gandoorosto. e ele Branzovenesco.. Que me perdce. enxu. Rumores. porque a lei do 'progresso caros. Pristanda.. que um povo que te do prefeito. . Não poderemos rapazes.creio que faríamos bem pontos... ele susíenta que. TO.'bebe. Trahanake. segundo a história ~ por (Lutando terrivelmente contra a fa..Mas não.e murmúrios no grupo eles . no com suas convulsões..Sim! Sim! Cin- ria e. senhor. . Entendeu? pressa.tamente. mãos.'dir:igidos por B~anzove­ escritório.

"O Grito dos Cárpatos". não sou mais do comitê.. -Sim: eu que sempre apoiei tar a vossa candidatura. ~ --~ . tra a verdade? Contra o direito?. -. porque é o vosso .-. CAIZ: (em tom insolente) .-. quero pensar mos.. não fazer mal a nmguem.. ruídos o candidato do prefeito. (Os grupos de reunião 'permanece vazia.. O senhor vossas intenções antipatrióticas e. . 31 . pelaportà que permanece aberta... -.... o sabemos que a luta eleitoral é a vida ..... nosso venerável presidente... norável.Farfunidi1.. cês terão notícias nossas.. •. sou advogado. im- BRAN.. (rindo) . pequenos benefícios pa!a os POP. .. outro.em syas COI. honorável. "Oneste bibere". não sabemos de nada. o senhor não é FARF: (Picado) . não ve-.E ISSO au CATZ.. :.Vo- FARF. honorável. (Agarra-o pelas ' mangas da roupa.. charlatães! teligentes e independentes.. vosso comitê. é a luta eleitoral! e bem insu1tou e denegriu. pois só ela me interessa. Então eles não têm TODOS DO GRUPO DE CATZAVENCO que.. bibere.Que permita- venha com essa estona de apançoes. (mesmo jogo) . (ainda mais picado) . Nosso OGRUPO DE'CATZAVENCO . (libertando-se) .Não quero saber de nada.. o senhor? De um (Agitação no grupo de Catzavenco) alguém que engana mais a opinião lado. que nao o cada' um com seus assuntos..comitê. nós o sabe. adividir-se.. eleitores. ) sas.Senhor. Toda a cidade fala dISSO.) CATZ.. ' perniía-me. .Fora! CATZ. do grupo dos jovens. (furioso) . de sua Europa. o candidato do Durante toda:a cena seguinte. . proclamara esta none. o é! só na minha Romênia.. somos grupo de Farfuridi.. mos nada. FARF..~...' (Interrompendo-o aspera. Por que se revoltar con- progresso! Ê inútil ~~e o senho~ ~os ' FARF.. Fora! (Perseguem até ao fundo o ' (Procura-o com o olhar) onde es!a grupo de Farfuridi. o senhor que sempre o a minha... . .Osenhor não quer saber de nada. somos cegos? O senhor e sos. suum ..O senhor honrado .) fundo do .Sim.Isso nem sequer se discute. saem ruidosamente.. neminem laed ére. é preciso lutar: o senhor vai apresen. '. mita-me. do.. FARF.Uh! Uh! (Precipitam-se sobre o o direito de intromeíerem-se nos nos..... e por outro. Que a Europa se'meta. "oneste . .. Então o assuntos? Não.) princípio jurídico: cada qual para SI...c?m trata de nos embromar com suas bu- vossa Europa para enganar a opmiao vação em seu grupo..' (em 'tom malicioso) . Que permita-me!. se.Deixe que grupo. Ao fun- de ser aceito pelo comitê dos senho..Ê claro que o senhor no bolso!.--::-. quando se reprovar? Estamos aqui diante dos tam por completo e se observam tan- vê bem que. FARF.. CATZ. me!. oque lhe é devido). . de Osenhor e seus bufões."Take! CENA IV . O senhor é advogado. (saindo pelo fundo) . pública. o nosso comitê. corosos. independente.-_ . com seus economismos..... honestamente. Ho. a oposçao en- CATZ: . se percebem . . (agarrando-o pelas mangas) CATZ.. vras) inteligente. (violentamente) . néste vivere.:. a cada um Trahanake saindo rapidamente pelá " '. o senhor e seus comparsas. dos povos.Sou o candidato FARF. Confusão." (*) gundo me parece.: (*) D€furmação do ~rovérbio latino: "Ho_ BRANZ. não sei por que osenhor me dizer...Não é mais falando em voz baixa e fumando.. ' (Todos~ depois de se terem engal- o vejo?..: Seja razoável.. (Apro. suas pública..gabinete do prefeito e pas. das pessoas in.. CATZ. Ou.. mas não seu colega. .Não quero saber de nada! retire essa palavra! carniçada..Sim! Oprogres.. ....) . aquele. colegas.Sim.. seguido por Branzovenesco e seu FARF. persegue. '1 ' lOR .a Euro~a . quanto à honestida. Oprogresso. FARF. (ainda mais asperamente) ~ pertinente! (Dirige-se para o fundo. o partido. (estourando de raiva) - sociedades. não há lugar para rancores. Que tem 'o senhor a me mais do comitê? '(Os grupos se aper- so sem 'conservadorismo.. como eu também. senhor. e seu grupo (ressalta bem as pala- convém.. a sala FARF._ -_ .). e golpes. de 'Farfuridi e' Catzavenco começam res.. o docum~nto BRANZ. é o seu.:. de um lado.... nosso venerável presidente. seus jogos de prestidigita- Deixe-me em paz com as suas palha- FARF. não lhe senhor.eleitores que vão e vêm. Acaso metemos o nariz em seus me desafogue de uma vez. finhado ao fundo.. . (exaltado).: cuique tribuere" l~ver. se tenho a honra de'nada temos a dizer. conhece.Permta-me. (prosseguindo) . Parece-me que ha ainda çadas! Honesto..) colegas..) fonadas..: ~er­ dor. cada um para oseu lado. Farfuridi liberta-se. Quer POP. mente) ". eu lhe declaro que apresentarei e o senhor.

tem a palavra. TRAHAN.... . meu caro.. isso passa. que subiu à tribuna.decuaeato . se passa rapidamente e de modo mis. senhores. nome desse Agamenon. Zaharia! de Catzavenco. eque eu ohavia fisgado Entrada ruidosa que acompanha a sineta do presidente. sidente. mer.Sim. tribuna. (após um momento de de paciência. já que sabe TRAHAN.Eh. (Fala em voz baixa paciência. o truque com tua carta a Zoé. ZoÉ . (com modéstia) . forçar a barra. até que TIPAT. leva o quiavelismos. portantes.) TIPAT...Querido. . em política.arranca uma folha edepois de ter es.. Sentem-se. jamais perco papéis im- ZoÉ . tância em meio à multidão e sobe à saco) E então. o honrado. Mas a outra lá? (Golpeia com Zoé....Fique tranqüilo.sando à parte dividida pelo tabique. política fez uma falsificação ..Não!.. Jamais em minha vida são e venha jogar uma partida co- por trás dele. TIPAT...Mas não! Se fosse só com um trunfo muito maior. de- tiça.crito o nome. ..Em boa hora! CAIZ..:. coloca uma lismos. ZoÉ .) . .damente. tes. do documento e examinan- vez possamos levá-lo perante à Jus.... (tira do bolso sua carteira. Eu diria que pela gria) . se ele gosta de ma..do-o por todos os lados) . preendo. CENA V as pessoas se apercebam disso.Fanica! TRAHAN. pedido a palavra. um pouquinho de E isto que está aqui é também pela TIPAT...Se ainda me ama..Meu caríssimo Zaharia. (de pé) . precipita. está aqui presente eque pode dizer. questões urgentes na ordem do dia.... mas.... Catzavenco sa. e tem procurado.Não com.A propósito.Vou reabrir asessão.. querido.Nada mais temos a te.Evidentemente! TRAHAN. Está emocionado.) Juro pela Aqui está. Suba à tri- mÉ ... opúblico que chega pelo culo diante dos tribunais.não! TIPAT. Ê impossível. sobretudo não oper- ZoÉ (seguindo-o) . do país.Querido! onome do candidato. Acamada o chapéu.. (mesmo jogo) . . . . para que eu buna!. (contendo à custo sua ale.. dizia que tivéssemos um 'pouquinho 'fRAHAN..Eh..Escreve-me então. enxuga o rosto com a elegância de TIPAT. um pouquinho de caro Zaharia. h.. (apoderando-se. sentem-se: temos política . Reflete an. querda. (Beija Zoé furtivamente. Popescu e lonec«. . . tosse eluta contra a emoção que pa- .. meu zado Zaharia. 1'RAHAN.Tenho medo!.. entrega aZaharia) _ copo d'água aos lábios.De acordo.Estamos Trahanake.E então? Quando te lugares indicados na primeira cena.) CAIZ. como bom danake. Nós o esperamos. desdobra-o: é uma letra de câmbio) ZoÉ . (Senta-se etodos sentam-se também.Meu pre. ) TRAHAN. Agamenon Dan.Ah! Ajustemos 'contas paciência! (Sério) Como podemos política? Estes dois endossos com os com o nosso amigo Catzavencol proclamar a candidatura de um falsi. . TIPAT... como amigo meu que é... (passa com ares de impor- com amão obolso direito de seu ca. um pouquinho de não esqueça.Naturalmente.se trata de jogar sujo. .. meu velho.Já é tarde! vá lá. te dei o.) 'fIPAT..Sê é meu amigo. TRAHAN.Sr.. . ZoÉ (mesmo jogo) . salvos! pois Catzavenco.Salvos? os eleitores. tal... TRAHAN: (quase a ponto de atra- vessar aporta que dá para atribuna) TIPAT.Seremos cobertos de ridí. também eu havia Zoé... mas quando nosco. bém pelo interesse do país? ele é um falsificador.está em jogo o interesse so candidato éo Sr. e em seguida tira o lenço e TRAHAN. Fanica e Zoé. .esitaçqp) .. isso. é tam. suspenda ases. TIPAT. paciência! (Tira um papel do bolso. TRAHAN. . (Passa para o outro lado. (Mudando de tom.. (MO-vimento no grupo de Catzavenco. (benevolente) TIPAT... . A cena fiz o jogo diplomático. porção de papéis e jornais sobre a Santíssima Virgem! Juro por Zoé que tribuna.quais o honrado Sr. eu o farei suo terioso.Anuncie imediatamente um mestre do foro. jar. Pre- que você se interessa pela honra de ZoÉ . . .Eu também ca. (Saem os dois rapidamente pela es- ficador? cou cinco mil da sociedade.. nos. e pela TIPAT.. (impaciente) .) romeno.Eh. TRAHAN.. eu lhe darei maquiave. fundo e voltam a ocupar os mesmos TRAHAN. ZoÉ (com sentimento) ... por favor.

(com força) . podemos mesmo dizer suo CENA VI ro o progresso e nada mais que o blime... olhar circular e triunfante sobre a OGRUPO (aplausos) . não pode mais durar!.. Silêncio total. 33 .. CAIZ. nossa sociedade? Que dizemos nós?. admirável. TRAHAN. independente da de Buca- emocionados) .. cada CAIZ.. Irmãos fizeram-me uma acusação..... lavras) Sim. isto vai to da multidão no fundo onde apa· Sim! Três vezes sim! (Lança um mal.. . Irmãos!. eu também. POPESCU EIODOS (muito tem seus falidos. terrompam o orador. se estou emocionado. soluços na voz) Perdoem-me.. seguro de si.. vivo eagressivo) . povo.. Honra. . ... porque também pode- somente nós. porque.. meus . que exaltamos nós...) assembléia. emoção me domina tão fortemente. (À assembléia. . que fosse!. os que vão à falência são de todas- mais forte) Como todo bom romeno. movimen- gresso a-qualquer preço.. . cada país tem seus próprios.. Pausa. Se· trada de Pristanda e do cidadão bê- ION. assim posso dizê-lo! penso. a Ia.O progresso social.. progresso: oprogresso político.. e.) ciedade?' Exaltamos o trabalho. bado.Administrativo. . Aplausos CAIZ... (lá não pode conter as lagn. (Com Bravo! mas verdadeira.. no meu querido e peq~en? que tenho o valor 'das minhas o~i­ país. 1'RAHAN.. porque somos pela descentra- seus falidos. cres.. a aceito!. OGRUPO (movimentos) .. as outras nacionalidades! Expliquem- como todo bom patriota. (Soluçando ainda nho medo das interrupções.A indústria omena é Sim! (Cada vez mais enérgicos) Que. Nós.. novos olhares de triunfo sobre a as- ultraprogressista.. senhores. eu. Ghitza Pristanda e o chendo bem as palavras. ... consulta seus papéis) . não interr.. enfim cada nação. de ser demssiado. Grandes rumores à sua entrada.Bravo! (Aplausos) niões. .. (Voltando ao tom de seu dIs- mas) a Romênia.) sos próprios falidos?. não os teremos?.. um so ccnereanie romeno. . A Inglaterra mena". Com CAIZ.. mas é totalmente inexistente... Pre. em Eis o que dizemos: esse estado de tas. por.Muito bem..E. O GRUPO . senhores.Ir.Bravo! em trajes civis. .Bravo! nhor Presidente. E que diz curso e dando forte entonação às pa- no grupo) na sua felicidade!..Nossa sociedade tem por dor bebe um pouco d'água e lança de ser muito.. para vos CAIZ.. Estou mesmo honrado ao O GRUPO (aplaudindo) . que não in. A:usaram-me CAIZ. (En.. CAIZ.Bravo! (Aplausos en. nosso país! TRAHAN. coisas é intolerável! (Aprovações no essas idéias... não obstante.Senhores!.. que não existem realmente em te...Bravo! CAIz. bucarestianos.. (enxugando rapidamente os lização.Bravo! permitam-me esta digressão.. somos ultraprogressis- mo jogo em ambas as partes) .. Sim! Eu que eles fazem no deles. Sr... permitam-me que o diga: sembléia.rece dominá-lo. (agitando a sineta) . olhos e recobrando-se de imediato. mos fazer no nosso departamento o eu dizia: esse estado de coisas é in-- mas estou orgulhoso dela!. se mentos solenes. "A Aurora Econômica Ro- sacodem. esse mistério. é triste dos concidadãos!.. não temo as inter.. sidente..Bravo! (Aplausos frenéticos.. . Aplausos prolongados) CAIZ. (agitando a sineta) - POP... (Domina-se àcusto) Podem interromper-me. Agora então. (Mesmo jogo. POP.(que..... cidadão bêbado vacilando fortemen- POP. O ora- dizer que a mereço!.) me esse fenômeno. o GRUPO .Econômico. CAIZ.Eu não te. por fa- tusiastas) vor. Em Iassi não temos.. durante os breves ins- Honrados.Bravo! diga...E. (agitando a sineta) - ION. ION.. Sim! Sim! do ponto de vista econômico.. na. e particular. de querer o pro. tantes de rumor provocado pela en- CAIZ. nestes mo- mente ao seu grupo. na nossa cendo) em seu futuro! (Os soluços o grupo) Até quando não teremos nos- cidade... Um momentinho de silêncio... de ser objetivo estimular a indústria rome. não quero reccnhecsr a tutela dos falidos.... . se a Eu vos peço.. não reconheço. todos: dizer.... a França também perativa... um so irmãos. Em Iassi. por exemplo - voz trêmula) . Então...Oh! ao subir à esta tribuna.. (Chora. (Mes..Bravo! OGRUPO . Nesse momento. (Acentua bem as palavras) num tom brusco... CAIZ. tolerável.Deixe-os interromper. Sociedade Enciclopépica-Coo- IONESCU. Aplausos frenéticos.. nossa SOM Os mesmos.. fundamos aqui. conduzidos por seu progresso!. rupções!. . Como.... tecem o cidadão bêbado e Ghitza.Bravo! tem seus falidos até a Áustria tem reste..

Está bêbado! Fora! (Ionescu e Po. R'ISOS no vantam. Catzavenco: ordens do Se- tutos de nossa sociedade.Quê? mos ajustar as contas com o hono.. POP. que fala em voz baixa com mas.) e vota I a cazr. Presidente! (Ru- Catzavenco) Ciclopédico.. Rumores nas primeiras filas. eu tossir três vezes: meus homens trada vem abrindo caminho. (tratando de retomar o fio opondo-lhes resistência) . como direi.. e o GRUPO. " dica! (Soluço ) Comportativa! (So.' . ruidosamente Farfuridi. agitando a sineta) _ pela portinha...) rável! .força. da porta do fundo. cola expulsaram o cidadão bêbado. ". peco-vos que nao deixe que . (em voz baixa) . I) Sr Pre TRAHAN. do.) . (agarrado pelos dois e a tribuna. Branzovenes- p. mos que seja expulso da assembléia TRAHAN. (misteriosamente à Traha.Enfim . sineta) Um pouquinho de paciência! . (agitando a Sl1leta com Os mesmos.Possivelmente Ghitza a Romênia esteja bem e que todo seas ..Dizia. todos se colocam ao fun- Iuça ) Eu també em sou.Mas pa!~ce-me. Branzovenes- dl'ante da tribuna põe-se de pé e co e outros. (Risos PRIST.. " rável. ..Não me mÉ .) e rumores) nake) ..Ele te pôs"para .O Sr.. PoP. TiPAT. o cadidão bê- SI dente..Eu tambem e. .Está Romênia esteja bem e que todo ro.rado senhor porta à foni! ocorre na salade sessões. (titubeando) _ Ciclopé. de porre! voz baixa.e rumor crescente. por favor! . na ca d'eira. CIDAD. Pristanda um cidadão honrado.Suba à tribuna. O resto corre por de "A Aurora Econômica Romena". minha conta: . (Apontando para seus lugares.) CAIZ.Honoráveis! me conhece. . (Agita asi. zavencodesceu da tribuna efala com seu grupo) . hono- TRAHAN. bloqueanda a saída. zavenco. Naé Catzavenco. TRAHAN. . que deixe- res.. pronto! Pode.' Eu tambem! .. rISOS e rumo. à Cat- CATZ.. . alguns se le.. fora? É possível.. primeiro: "Em nossa cidade se cons. da meada) . um eleitor? e inclinando-se sobre a mesa) Que se aproximada tribuna enquanto os BRANZ.. depois Zoé e Tipatescu ocultos me Interrompam. (So. FARF. . (também nervoso. (pondo-se de pé. ... romeno prospere" . (agitando asineta. ainda não chegou. (com indignação) pescu o empurram para aporta.. A d I hd d dadão bêbádo) . Silêncio. CENA VII CATZ. (nervoso) .. Farfuridi.Eu também sou.ara amesa presl nCla _ .Irmãos! CIDAD.Completamente . Cat. Pristanda lhes fala em levanta ama0) . (a' TraJwnake: I do-se do) .) C!DAD.. (Soluça rllldosamente. . (Novo soluço. "honoráveis. (soluçando) . sempre dade.) (À Trahanake) Sr. ainda não está lá!. ho~o.. (conduzindo do fundo o ci- levanta a mão) .. no artigo "A aurora"!.. ION.. CIDAD.) Quando eu tossir três vezes. (rugindo) .Ah! (Pondo-se em pe Movimento na assembléia. s mestres a es. POP. . (Soluça) rável Sr. _ Membro! . CIDAD.mãos.Sim. pois: ". Risos nhor Fanica. pois isso me causa náu. . (soluça?do al1lda e gn{an. (que desde a porta de en. A finalidade da sociedade é que a (Ao cidadão bêbado) Como? TRAHAN.. agitam-se e retomam CATZ. ....Fora! CATZ.alguns de seus partidários... vacilante. votan " sou membro.. ..Romena.luço) Economia! (Soluço ) A socie. " fundo.I TRAHAN. . (da tribuna) . eis aqui o que dizem os esta. tIDAD. e (Risos e grandes rumores). Peço-vos que me ponham esse hon- atrás do tabique e escutando o que TRAHAN.Quando " CIPAD.. a sociedade que!. até a metade da cena... Catzaven- sepassa? Queméosenhor.ION. . . amigos. Zaharia. 'de . (em voz baixa) . por onde entram que se afunda logo nuina cadeira ION. (Coloca-se perto vacilando. bem. ( cena to a e O acompan ada e rISOS e rumores. o senhor titui uma Sociedade Enciclopédica..que empurrem. Estou na porta. _ Ele está de porre!.. PRIST..I (Com aa li ade) bado. ..I (Camih aela I' (MOVimento ) no grupo. meno prospere. q~e o senhor dIZIa que as In. para proclama o nome do candidato e sai Cooperativa que nspcnda ao nome a assembléia.Honrados! (Agita a CAIZ. honrado? mestres e seu grupo que rodeavam co. ' ma dos senhores.Porque o Sr. aIonescu e Popescu) _ Esti- f b'l'd co e outros eleitores.Nãoentendo mais nada. mores surdos no fundo. TRAHAN. (Catzavenco se dirige para neta) Não interrompam! C!DAD. e o GRUPO _ Fora! terrupçoes.Sr.

Tipatescll dadão bêbado... se atiram sobre a tri- buna ese apoderam de Catzavendo. e o CIDADÃO BÊ- tivesse um pouquinho de paciência. . assovios. e Zoé escutam. (saltando e rugindo) mãos! Senhores! Um momento. (O grupo do fundo.Um da.Uma Carta do Pre- ciência.) nha medo! mesa.rapazes! ION. senhor.eu queria afastar do conhecimento pú- para sair. (em voz baixa) . por falso um documento verdadeiro. . os punhos cerrados. (Desce da tribuna di..TRAHAN. (interrompendo-o) . e vem o senhor a dizer-me. Zoé se agarra a ele e o TIPAT.Adiante. Por trás do feito a. (Movimento de terror de Zoé e Tipa- vel? tescu. venco) E quem é o traidcr.. CATZ. ir- aflita. (Está a ponto aquele que falsifica o nome do can. Aplausos no encobrir uma abominação.Ê o senhor.. traidor! (O tumulto atinge o máximo: gri- do. TRAHAN..Le· fundo.Sim! O nome do candi- didato já escolhido.. (sustentando-a e gritando dato! quece e que atraiçoa os interesses e 'lJJÉ (em voz baixa. Traição! (Gesticula vivamente em rados concidadãos! Estão querendo CATZ. cem todas as suas forças. em concha.Não te. Branzovenesco e o ci- pouquinho de paciência.Um CATZ.Permita-me! meio do seu grupo. fui tão a palavra traição? (Todos estão de cruelmente ferido em minha dignida- lhor..(E aos seus.Eu! por um inomento seu discurso e que Trahanake) esse homem venerável. tremendo) . Comoções no grupo do prefeito. . sobressaltado.) TODOS . que pedíssemos agora ao CATZ. urros.Honrados! Ocan.. (agitando violentamente a Eu oquê? .) menon Dandanake! dor! (Grande tumulto) Fora com o TODOS .) E quem? (Com energia) Um falsifica. (muito encolerizado) . ameaçador) . (Precipita-se para a pequenina porta amplo) Osenhor! do tabique. um pouquinho de paciência. .Naé Catza . (desafiando-o) . .. .Ê tão ingênuo que toma pouquinho de paciência! (À Catza- senvolto) Aceito com muito prazer.Fora! Uh! Uh! (Movimento de satisfação no fun. DepoIs de um mo. Zaharia Trahanake. esse Sr. e gritando. Aga.Presentel didato que nosso comitê apóia é o sair fora de mim. falsifica. mas.) CATZ. Silêncio total. Eu . Eu.Sim! candidato proposto por nosso comitê.. (com ar extremamente de. Zaharia Traha- Zoé e Tipatescll escutam emociona. muito agitados. que des- .. Farfuridi.(Ghitza tosse fortemente três vezes) CATZ. GHITZA. (aponta para .tos. lá do fundo) Carreguem....) de muito tempo ocorre em nossa ci- vando-se em consideração que algum TRAHAN. tabique Zoé se abraça com Tipatescu.. apreensivos) hcnrado orador que interrompesse Esse honrado cidadão. BADO .... (de pé) -. no auge da indignação) - TRAHAN. ) rigindo-se para oseu grupo) Ouome do candidato! CATZ. CATZ. (jogando asineta sobre a detém. na..de desfalecer. os candelabros) . Presideue.. sineta. bufando de nake sai rapidamente pela pequena dos. T!PAT. (levando as mãos à boca. (Zoé amanhã. com força) I e Tipatescu agitam-se..porta do tabique.. (levantando-se) . por sua vez. (lendo um papel entre PRIsr. gritando.) Ghitza! ahonra de sua família ..Permita-me! dade. (Grande rumor. CATZ. eu. (Com gesto Fanica! .) de que já não posso calar-me. dor? .. mento de silêncio) Quem pronunciou blico esse escândalo. cidadão honrado. honorá- SI. ho. com Pristan- TRAHAN. honorável! O senhor agora me fez na direção do apelo) .. (colocando-se junto à tribu.Ê ZoÉ . hon- Coino é demasiado tarde .. " (Zoé eTipatescu se agitam).. em plena reunião pública.Fora! Fora com o palhaço! para podermos anunciar o nome do TRAHAN.Fanica!. (lendo) é que eu sou falsificador? .. TRAHAN. dos senhores eleitores se preparam (Agita a sineta.Osenhor . BRANZ. e encontra Zoé e 35 . (saltando) -Falsificador? GRUPO DE CATZ. o diz? . no meio (Todos escutam com grande impa. Bom. parece-me que seria me... para ogrupo do fundo) .Fora com o falsifica.) raiva e vociferando febrilmente) Ir. (do seu grupo. já que as eleições se realizarão pé.. Grande confusão.para o fundo. . mem respeitável. E quem o senhor . .) TODOS DO FUNDO (gritando em tom mãos! (Todo o grupo se precipita TRAHAN. CATZ: (prossegue. aquele que es. dor patenteado! do tumulto) . Eu. .

.E eu? . quase me vê-se a perspectiva da pequena cida· T!PAT. Zoé . o es.Um desconhecido? . Zoé: faz dois dias que ZoÉ . ria Trahanake.Não poderá. sente o Sr. E você acha por acaso. (tirando do bolso a letra DANO.. aproximando-se de Zoé.) E então? TIPA~. esta senhora é TIPAT. Fanica! Não quero que me vingue.. E TRAHAN.. Cada pessoa que en. cada entre.. oqual esperamos de um mo. E enrao. não sabe que se se passa na sala. estou tranqüilo.. com uma por· contro.. se salvará e a mim também . CENA I quer dizer. Dandanake chegando pela porta do Que aperto no coração! Que terror! fundo.. que no mesmo ins. (apanhando o cartão) - TIPAT. Fanica. Presenti que chegaríamos a DANO.. . .Cale-se! Pode vir al. nosso prefeito.Entre..Então você não compreende nada. ele nem tescu.. Eu sou Zaha- pelo contrário. TRAHAN... . ... meu Deus? .. Tenho ordens quero que me salve.. Eu sou o mais preocupada do que antes? Eu.E depois? . presidente do comitê sa um pouco..) querida Zoé. .. . ? lhe dizer.Deixa de ser criança. Há dois este ponto quando vi o escândalo de Muito obrigado!. e morro.. .É o SI.Minha gundo planos. honorável! ta de entrada. ele não dá sinal de vida. que será também que não publicou péis. E o senhor? dias humilhamos Catzavenco e no anteontem à noite na reunião. .. Fanica! Não te ocorreu pensar como tenho podi. (adiantando-se) ..) ca de cumprimentos) ZoÉ (chorando) . ou talvez se 'enfiado distribuir seu infame papel. . eBranzovenesco agarraram Catzaven... por que não apublica? Por sua falsificação.Minhass será eleito deputado...Que me importa isso? .. Peno se o fizer.. (Põe acabeça entre as mãos echora. TRAHAN... .. do.aos golpes com o grupo do fundo.. . (Depois de uma pausa.. mesmo sabe que temos essa prova de toda a minha família. homenazes..crápula deixaria de publicá-la. por detrás. gar. Porque. À di· dade de mim. um gradil de ferro.) ra bruta de raciocinar.. permite-me que te apre· que dão acesso à casa de Trahanake.Não sei: deve ter fugido ou estar morto. e. não sente nada! TRAHAN. (gentilíssimo) . cada rosto que vejo. rido da Ssenhora? derá estar Catzavenco? tante esse miserável que se esconde TRAHAN. veis de jardim.. ao fun· Que tortura!. . Trahanake e Agamenon ATO IV do viver esses últimos dois dias? .... .. Enxuga os olhos! mentos são rápidos e simultâneos.. A estivesse em seu poder? cortina cai. certa mesmo. . efeito! Dentro de alguns minutos terminarão Zoé e Tipatescu. permanenté. meu amigo e de 16 Onde estará? Por que não aparece?. TIPAT. Mó· ZoÉ eTIPAT. que aquele . ... . eu.E o senhor? Por que quer saber? Por que está de câmbio de Catzavenco e lhe mos.. aqui estão todos os comitês . no meio. estará perdido .. Pristanda. nossos homens estão elegendo Dan. Dandanake! À esquerda.. três degraus de pedra. Tipat~scu. para a troca dos dois pa· . .. reita... e os três escutam o que Eacarta.. . Farfuridi que será que ele desapareceu? E por vier aqui. só cura erri seu bolso e tira um cartão mento para outro.. se ela guém...Dandanake! (Tro· Zoé . trando) . havia previsto que isso iria aconte. Eo ssenhor? É o ma- 'mÉ . . CENA II meço do escândalo.Nosso candidato! .. .. co pelo colete eoarrastam para fora. fará marido da senhora.. . do comiê eleitoral. (Pro- danake. no 'primeiro e se. na terra. nosso candidato . . não? fazer.. um pequeno bosque. eu é que sou o e que nos espreita da sombra. estou certa . lentamente.. mais um dia de suplício 'mÉ . no jardim. Os mesmos.. Fanica Tipa- entanto. como tive a honra de se vm .I Ah'. (O jardim de Trahl1nake. se antes me tiver arruinado a vida! um pouquinho de paciência . Todas essas últimas réplicas e movi· . tem pie- de sobre um fundo de colinas. para cúmulo da infelicidade. as eleições e o Dandanake de vocês DANDANAKE (ele cicia) .. isso me deixa louca .Onde estará ele? Onde pe..Que coração! Que manei.Não... TIPAT. para minha mulher.E depois? cer . (Chora copiosamente) Que fazer? Que Ogrupo de lonescu e Popescu estão sencial éque ele não apublique. movimento ao meu redor. Bem que eu de visitas que entrega à Dandanake) de fazer-lhe uma recepção triunfal. TRAHAN.. 'mÉ .... .Quem será? faz desfalecer. a carta? Pouco me importa . desde o co· 'mÉ . marido da senhora. .

'. tera era o meu vejo então que não era ZoÉ . No nhor Presidente . o senhor. calizar tudo. não ?JJÉ (com malícia) . . pensando que TIPAT. meu ca- eu permaneci . Não era possível de Trahanake vai se colocar ao lado de o cocheiro.o 48.. ass e1eiçõess.... ah. sabem o 31 .Não ser eleito. não temos de que nos queixar. diga-me. Como assim? . vejam vocês! Faltou isso sim! até ao pescoço! Imaginem TRAHAN. digo. Eu. . Ve}am os senhores: e tão cansado.Ho. Mas não se Diziam que não tinha muita notabili- to! . só. Digo-lhess que cheguei quase mor. (A po.. real. querida! (Sai) que devemos oprazer de vossa visita? E ainda tem ânimo para rir. Fanica? DAND. meu amigo! Muito obriga....Claro que sim! Muito TIPAT. Dandanake opossição me tem combatido aqui.. Até logo. . caríssimo Se.... hora as urnas serão abertas e tenho na e não queria mesmo. e haja luta e de? ssem colégio.SaIut.. ..DANO. Vão Zoé. ainda me pa... _ Que ssorte havê-lo en. quem. muito pouco mes- vocess . minha pressença . vinha. . ...) gio.. Ma~ tiv~ uma sorte.São ass eleiçõess. me indicou o Sr. senhor sabe.. .Cheguei um pouco cedo DAND. . um pouco mais e não teria DAND... versam à parte. des- eu havia permanecido.. deixo-o aqui com meu amigo mo. -: ~amos. . andam as eleições: dentro de meia d}zer tudo: o comitê central não que- ta-ta-ta.. entre nós: oposição nada tante I~fluente. minha ssenhora. ZoÉ (em voz baixa à Tipatescu) . uma nOite.. bem! Muito bem! Era necessário. Devo ir ver como estona... tados . (À Tipatescu) o senhor ao que ~r a um sorteio. Osenhor não terá a dessas ~ortes.. :-: Era-exatamente como eu mente necessário.em popa.. minha farru1ia. Presidente! (Estende-lhe a mão. Olha. sem colé- cessário que se preocupasse . pouco simplório..).Ah. (À Trahana.. estamos sesuros dos resul. . não sou muito impor- rece ouvi-lass. equis hospedar-me no hotel mass . ... ~ agora eu.. .. e depois. a ZoÉ (baixo àTipatescu. somos fortes. E..... . mas o prefiro. Cato ?JJE . canssma senhora. meu TRAHAN. tante...revisto os bolsos e. TRAHAN.. a ver como iam nossos assuntos . Fanica. . Mas. . Tipatescu.. nao te~a . é o hábito. ... Entende-se.. do! (Aperta-lhe amão. que ri) . ali e em todass ass partess.. sal- TIPAT. não direi idéia. . Prefeito.. menos ele é honesto. minha casa para jogar uma partida não faz a menor idéia..? Terei en.. muito mal.. ssenhora! Mas ficaria mui.. . um p~uquinho de cartas..) Ossenhor ssabe. honorásel. tuad a.. ..nta para Trahanake) ve . compreende. Zoé. alguém. compreen. . . (Ges· preocupe.Como eu dizia.esqueceu o seu agasalho. quando Ioi s~ de pacenca . I realmente P?UCO... n~s? .. . pula! I meus méritos. e foi asssim que DAND.. . Apesar dos DANO.. umiso' .:. pelo menoss. e haja luta. honorável. .Entendem.TRAHAN.Sim. bem.. Ambos con. .. pressada. TRAHAN. (à Dandanake) . ~AND. honoraveI. e? .. me sinto tão abatido muito fortes.. o meu.Sim.E que preocupação.. . de.. . ao . ' Adeus.. uma pessoa altamente si- r' D AND... tinha ido dar CENAID caro ssenhor. ele é um TIPAT. não é um crá. estou muito encantado .. que eu não sou bas- to) as campainhass! .: Se ~Iv~sse que contar toda a oficial puxada por doiss cavaloss. .. por quem perdi ' to mal se.Compreende-se . meu bom se- nhor. se eu não fosse eleito seria lia desde o 48 esstá na Câmara . que ssabia porque eu outra maneira . DAND. ta-ta-ta.Naturalmente .a maiona. . (à Fanica) . Mas. .. e. . . . Não pode fazer maioria. ficar fora assim . ~e..que eu vim numa diligência norável.Impossível! . contrado. Prefeito. honorável. a unammldade.. . caríssimo Sr. Eanica. (Cicia uma volta nas mesas eleitorais para acentuadamente. honoráveI. porque minha Iamí..'... eu não dessse minha tranqüilidade. ta-ta-ta. vou lhes cinco vezess trocadass ass parelhass.Mas preocupação.. dade'. (seco) .Eu também. zavenco não seria melhor? com seus méritos! Impossíçell .. hop-hop ...Não era ne. vem em íeirão ke) Não queira fazer idéia. sim! (Seguro de si) Sr. pr a frente e cada vez mais pr'a fren- vim para ass eleições. por pouco. não? Como nssnnc. .caassmos . paciência. E ass campainhass!. . .. correm de vento .. " Estav~ ~Izendo: ? senho~ dia seguinte uso-o.... mas o . DAND. Como o senhor pode fazer.. Sorteio entre embora. 'SIid o eelo leit ..Encantado. em voz baixa. e Fanica e Zoé. sou o chefe do partido tenho que fis. uma pode imaginar. que estar presente. .

. . não nake.. DAND.. Esta mente situada. ...Perdão. em todas as Câmaras. agora e. Sr. 7J)É (cada vez mais agitada... .O senhor sabe. per- ríssimo .. soa altamente situada lá em Buca.. Danda- 48 (adiantando-se para o público) almoçar conosco. sua ação é. Dandanake. e se me es- ZoÉ (nervosa) . (em voz baixa) ..Não é certo. TIPAr. e sem pensar duas vezes.. ...Que foi? . . rapaz. Dandanake. imparcial.. sam vocês?.Sim.. e agora ficar . . ou ao seu lado ou de sua go.Bom (mordendo os lá.Não a devolveu à pessoa e eu sou Stefan Tipatescu. tomando Q ... um carro . . mas sabe. Ima. repousar um Que podia fazer? Se não me tivesse Sim! é um pouco simplório. à me. do senhor que vos trouxe ·até à casa do tal fulano.. altamente situada. do Departamento. .E? TIPAT.Que idiota! TIPAT. .Como.Ah.. geralmente tenho boa me- DAND. Zoé! 7J)É . essa carta de mória.. com essa ZoÉ .. Dandanake.queria publicar no "Combate" se. Mas . :... (Aproximando-se de Fanica. uma pessoa alta. TIPAT. entregue-me um colégio.. .. e essa carta? 7J)É (à parte) ... DAND. Imagine o senhor. mas pelo pouco . TIPAr. e essas campainhas. aqui..Mas essa '~ êssoa queço. dão... I em questão? ... coisa? Cometer tamanha estupidez? Foi muito mal o que osenhor fez ..) TIPAT...Eu a escondi em casa: muito bem escondida. nake) Sr.ASra. o Prefeito rei acarta ao 'Combate' . osenhor DAND. poderia nhores que encontrei? I sem colégio! causar um mau efeito sobre os elei- TIPAT. a esposa do presidente do comitê. DANO..E bem.Uma carta de amor. (Pronunciando bem as sílabas) não direi quem... ta-ta-ta. ao ZoÉ (à parte) ... à Danda. meu caro. .. DAND. sIm....Mas. caríssimo. como todo solteirão .um galo para DAND. à solteirão para a mulher de um ami.. ZoÉ .. cantar. .. ou da. ...Ah! pouco.E então oque. do TIPAT. do Sr... senhora é a Sra.Deve devolvê-la ...Osenhor foi eleito. Que crêem os se. Que peno isto é.. Sr. amigo da senhora .TIPAT.Venha comigo. ca· manteve a palavra. mesa. Em em meus ouvidos.. esposa.. .. . do com ela pela direita. zás! o telegrama para aqui.. ele muita atenção) -. caríssima senhora. mas esta senhora é simo? Rápido...... vá contar a estória dessa carta de DANO. " Em me. devolvê-la? DAND.E depois? ZoÉ ..... ' quecer. bios) Mas o senhor não terminou DAND. meu 7J)É e TIPAT. que eu soube agir? Não? baixa eimitando oseu tom de antes.. caríssima senhora. não direi quem. de?. essa arma. está muito bem.. Dandanake! ta-ta-ta. hop-hop. está totalmente imbecil. desde dido avos fazer: osenhor ficará para ZoÉ . política .SIm. meu pre- zado amigo. Ah ... amor.. por favor.. . . . ainda soam Pode servir para outras vezes.. . em voz nPAT.... como é possível devolver semelhante seu relato) . e eu mesmo. dida que Dandanake prossegue em vezes trocamos as parelhas. Ja en. . . DAND. (recordando-se enfim) - . zás!.Que fez o senhor com DAND. está num lugar bem seguro . hop-hop. do solteirão . Zoé Trahanake. . estou depois dessa viagem posso es- Uma carta de amor? que. . TIPAT.. se começar a falar.. caso de necessidade. acontecido isso.A carta que o senhor faça-me um sinal. . .Que minha esposa? reste..que encontrei? .. e sou apenas nos tempo do que leva . e menos é honesto! (Alto. .De amor . sim. tores . . viagem.Não me diga isso. permita-me que vos diga .. (impaciente) .. " . . . (dando-lhe o braço e sain· com todos os partidos. tendo . cinco DAND.. romeno. Entro rapidamente e vou disparando DAND.. ... o senhor sabe. bom amigo. a carta. . aturdido como 7J)É e TIPAT.. (sobressaltados) . ta-ta-ta. (rindo) . I A carta. .. ela? Sr.) não quer descansar.. . (com espanto) . mas isso não ficaria bem para mim. .Uma carta. . Estarei sentado... Agora. uma pes. (que havia escutado com teve que ceder.Uma carta? sua história..Sr.... enten.Zoé! rancá-Io daqui para que repouse um (Ela se mostra deprimida) ZoÉ (com repugnância) . e. /Zaharia Trahanake.Temos que ar- "Combate" (Retoma ao proscênio. permitiu sua eleição. "Entregue-me... adeus eleição!. prezadís. . tenho um pe· onde? ginem vocês! Minha família.... .

. (Saem) Que está acontecendo? Fala! Até logo. a lançará seu veneno? I TIPAr.. Zoé! caríssimo. (Sai pela porta do fundo.SIm. Sei muito bem queria. para que eu te peça perdão por te Pnsr. .. para que asenhora ficasse só . Ah. senhora.. Zoé.Não posso PRIST. .. o que quer. mas já faz uma bem. .. manece pensativa. vai mesmo me dar algumas porradas me espreita. .. . lo"E . . que me golpeie. então. .) ... ~ quer falar-lhe. chamam-no ao telé. Que há? meu Deus! . Ghitza! nake! ... Zoé! Sra.' Zoé.. -:. deixemos que ele me insulte. tremeço só em pensar! Que estará nistros. Zoé! Coragem. ainda com ' o olhar por ·alguns ins- TIpAr. SI.. Fanica. por tê-lo enganado .dens.• aSSIm.. .. SI. . . depois Pristanda. Agamenon que consegue dizendo? Catzavenco? SI. enão se fala mais Vai embora! Deixe-me em paz! em imprimir o jornal. mas so- pela escada) . não é verdade que os minis- Catzavenco que não conseguiu o que enfiado pela terra... não.. sabe? .E . O ministro.. ... esse bom amigo Danda. partiu-me o coração.Maldita potitica!. Men- carta. . Zoe.Ouviu Fanica? Teu mente à senhora.. Tlpatescu.A'te Iogo. Fanica. Dona CENA V Zoé. um segredo.. Que fará. pior pr'a mim! está escondido? (Agitada ) Ah! es.Ao telégrafo? Que que· mim.. . Ah'. . Des. Vou já. essa pessoa está esperando ZoÉ (descendo precipitadamente TIPAr. ?J. Tipatescu. (trat~ndo de ac~lmá-l~) . ? S'llll.. . . estou louca. . Sra.Ai. . os sete..Ghitza! Não estamos perdidos. I Acartafoi publicada? Deixe-me ver. não é de Dandanake me esgotou as últimas do. que nhos. enquan- do-a com doçura) Tem alguém . do que Tipatescu está bem longe. (a parte) . Após a fuga de. não me atormentes mais! Quehouve? nha Tipatescu até à porta e o segue . o honesto SI. deve ir de imediato. vol- danake. Dan.Asenhora sabe.. eles espancaram-se.Sra. ? . é como se ele tivesse se ti. Zoé. Fanica que fosse ao telégrafo.grafo imediatamente. . dos. esquecia-me! Peço-lhe des. ..Não.. Que mundo! Que mundo. .. para que a senhora mais... o carro.Sra.. sou vosso servidor. . é espantoso como ainda res. é espantoso esquerda) . Nada fOI publicado. soam. e que agora morde os pu.. so. .Vai logo! campanhias. . ..Zoé! Zoé! Coragem! rem eles ainda? Eu menti pr'a ele. . que triunfa. . Por isso disse ao honesto SI. bem. estou ainda um pouco atur. . sabe? :. to se aproxima de Tipatescu. Catzavenco. estou louca de medo! . tem uma Pnsr. (Tratan- •feito! (Em voz baixa à Zoé.Não sei.ouca.Voltarei imediatamente como ainda ressoam em meus ouvi. Zoé! TIpAr. TIPAr. Pristanda acompa- . . esta . Zoé.Não pude encontrá-lo. O "Grito" nem seguer saiu ta rapidamente) .. .. tros o chamaram. o receba . por que não apareces voce que devo ISSO. minha tranqüilidade e a da mulher TIPAr. exatamente é o meu chefe? Não é meu patrão? condida essa víbora? De onde me por isso eu o procurava. E e a Zoé e Pristanda.) Ah.... Não é ele que me dá de comer. os senhores mestres bngaram entre Me assustou novamente.I I CENA VI que amo. ime.. .Ghitza! (beija-lhe amão).. Por acaso não fazendo Catzavenco? Onde estará es.ea mente .Fale. Fanica. Catzavenco. A estória hora que o telégrafo está transmitin.• 39 .. sabe lá Deus de onde culpas.I (Per· .. mas é para o seu ZoÉ (soluçando) .eséada) . nada tema. O partido independente está desfeito. e' às minhas onze bocas? TIpAr. .E e este senhor q. ... .hoje. esse nada.. ' TIPAr. loÉ (à ponto de rebentar) . estou às suas or.) Pnsr. como posso amar esse hornem.. PRIsr. " para se ver vingado? Onde estás.Não se aborreça. . o sublime..) Tenho algo para lhe dizer. Seja ra~oável.uf~ fl~ (Agitadíssima) _ Deixe-me ver! tantes. CENA IV quen~. ZoÉ (estremecendo) . caríssima forças. Zoe. os mio Bom. (Batendo brusca. (depois de se ter assegura- haver preterido ao honrado Sr.mentena testa como se recordasse de que vou levar um grande sabão... e aquelas PRIsr.· Vai recebê-lo. alguém que a senhora conhece muito diatamente .--:. Sra.Sra. loÉ (estremecendo) . RI . Pnsr. eleger! FOI por esse que sacn Iquel . dido. não posso mais. 'o admirável. N-ao se. . e que rumina sua raiva e que algo. (chegando rapidamente pela loÉ . Onde está Catzavenco. (detendo-se) . ....Não era o que estava aí fora ..

se- carta. para o nosso lado. CATZ. Sra. . . .. (à parte) ... Deus! (Olha para todos os lados..O senhor está mentindo! ZoÉ . . é como se eu d~ssesse: ZoÉ . (desolado) . ZoÉ .. eu era carteiro .Procurava pela senho- Zoé e Catzavenco. .. Quando? Onde? com muito bom humor) .. Asorte ra. (Desolado) Sei. . antes de entrar para a política. encontrei a tem. Pode da mulher) Eu. o chapéu branco de Catzavenco. perdido! .Desgraçado! Oque foi que victos não têm salvação. . Zaharia me conhece o CATZ. tenha a sorte de encontrá-la.. agora farei com que o prendam. . ma. E tomara que eu C!DAD. tando para o fundo) Ghitza! Ghitzal aproprietário... CIDAD. 'está perdido. sim..::.. Ah! Osenhor quer dizer.. ZOÉ (lançando um grito e olhando mente: vamos. Ghitza! Ghitza! (Dirige-se ZOÉ (sobress~{tada) . ra! (Vai até ao fundo. não sei quem . '!JJé.Que quer o'senhor? Fale! tem em seu poder uma letra de câm.Eu'a perdi! co? Ele está aqui? Onde está ele.. senho- nhora! Ê impossível .. .Omeu chapéu! me arrancou o chapéu da cabeça . sou eu . .Às suas ordens.Não. ... Sim. Catzavenco. espere.. Peça a Deus que me faça encontrar essa ZoÉ .E o que é que o senhor senhor a perdeu? Osenhor não sabe. . é isso o que eu quero! para retirar cinco mil da sociedade. . sei que ele Perdido! Eu talvez me salve... o' ainda não disse tudo.. .E? . Alguém.) Ghitza? Que venha logo. perdido! (Gri.Não a tenho mais!.. a carta estava escondida no forro . ZoÉ .Não é damente. Catzavenco .Então é verdade que o ZoÉ (precipitando-se para ele) ... " CATZ. . ..Ah! Então E lhe digo: que a paz esteja com O senhor sabia? o senhor é um homem perdido . ZoÉ . .Como o senhor a perdeu? CIDAD. . verteram. senho. Onde estar? C!DAD...· a senhora! (Gesto de impaciência) CATZ. o' que deve fazer? Osenhor não sabe? CATZ. à esquerda. .Mate-me. ..) CATZ. ZoÉ . o.) muito bem! . ímedata. senhora. Sr. Osenhor já não Receber a quem? do! Não a tenho mais! tem mais saída: os falsificadores con- PRIST... oSr.. fui eu quem o salvou.. depressa. (entrando e adiantando-se vel.. . ZOÉ . ZoÉ . CATZ..Senhora.Não? CIDAD.Ghitza! .Quem? Como quem?. o senhor queria per. Ah! os papéis agora se in...Que quero eu? Quero bio cujo cedesse o senhor falsificou CATZ.Na confusão. te-me mas a culpa não é minha! e conduz Catzavenco) Entre. traze-o aqui! desesperadamente ao redor) .Não .Insensato! O senhor per.Não falemos mais da- salva e eu o salvo.. Deus? Por que desapareceu? Fanica ZoÉ .. antes de chegar a ser comerciante e CATZ.Não.Não se aborreça.Sei. ZoÉ . pelo amor de estafeta. no tumul.Que o senhor se deixou ZoÉ . . Catzaven- deu a cabeça? Ainda me pergunta o deu.. CATZ.Oh! Aqui está oSr. Quando Fanica o pren- roubar pelo honorável Sr. pelo amor de zavenco! Salut! honorável! CATZ.. e não terá co.E que importa isso? CAIZ. ZOÉ (com ar ausente. to de anteontem à noite durante a ZoÉ . Nem tente fugir..Sua carta .Senhora! Posso lhe dar a carta: o senhor me liberdade até que eu tenha recupera- do minha carta. ser que possa me salvar! Mas o se.Ah! CENA VIII (Ela está no auge da impaciência) Por que que eu não posso matá-lo? CATZ. .Que quer o senhor? CENA VII reunião.. cara com o Cidadão Bêbado. o seu bem. tudo ter- O Sr.Não a tenho mais . Os mesmos e o cidadão bêbado com PRIST. (À Catzavenco) entendido a jogada de Pristanda) . Naé Catzavenco. (abatido) .. C!DADo . . ra. ..Quê? começou a abandoná-lo e a passar Eu.. . uma carta! Mas o que eu posso fazer? nhor! . troca: osenhor me devolve a carta..Impossível! ... ZoÉ (desesperada) .Catzaven~ para o fundo e se encontra cara a CATZ. Sr. honcrá. (com força) Osenhor está ZoÉ .. Cat- se meteu o senhor.... o senhor fez? minou.. senhora.. . não estou meuin. Encontrei outra.Senhora. quer de mim? nem sequer suspeita onde poderia der-me e perdeu-se também. sem haver ZoÉ . Façamos urna quela! ... Ghitza.. .. . Dona Zoé. entre! (Após trazê-lo sai rapi..

. (Zoé passeia de um lado para outro. ehoje. é verdade.diretamente para Catzavenco. Sr.de dizer como me chamo? O Sr.. haria me conhece muito bem.. 'lJJÉ . Catzavenco. .. a qualquer momento. . Aponta para Catzavenco) o tar... ou "ausente". por favor. este aqui. agora. meus agradecimentos.Depressa. é um homem honrado.Senhor. é verdade! pelo Se. abotoa-ode novo e se dmge CIDAD.. o senhor é um homem. .Osenhor é muito mau. Catzavenco tenha dito so.. uma car. mesmo? tamente porque o senhor é maldoso.Perdoe-me. ..Um um cidadão. CENA IX CATZ. tem vergonha? (Em tom severo) tinatário é a senhora.chama. E. o senhor é um homem de. em cima àlápis: "destinatário desco.. .Ê verdade. tenho-a.Ah. todo enver- CATZ. escrevia ta para Zoé. está ajoelhado aos seus pés.. Volta. preenche uma ficha e a entre. . mesa.. (Sai. QnAD. e vou CIDAD. em toda a sua vida .Uma carta! Sr.. Bravo.Desta vez estou realmen. destinatá..quemvoto. Naé.. ao fundo) Mas. ZoÉ (que havia se apoderado da voto deste excelente cidadão. CATZ. Não me não a perdi. dava acarta só pr'a ele . . quando ten.Desgraçado! Deu um ga ao Cidadão Bêbado) Permite-me? vez e me' deixe em paz!. .veaco. não há tempo a quer dizer cada um segundo ocaso.Dê-me. rios... provar-lhe. (Apanhando a ficha eleito· nhecido".Ê do Sr..olhar cheio de desprezo eameaça) . eu também.Que posso fazer pelo senhor? pete.. Por exem. perdoe-me..rio com domicilio conhecido.. Fanica..Levante-se. por favor? Diga-me.. como se diz. as eleições estão rante a confusão na municipalidade.. contrava o destinatário. 7JJf (com dignidade) . du. (à parte) . Não voltei a encontrar CIDAD. dê-me logo.. porque ele tar. Sr.Sim..Dandanake" . Deus não o ajudou exa- nosso honorável! (Tira a carta do como se chama. 71JÉ . meus creia que.Já vou.. Ghitza! pontapé na fortuna: eu te faria rico..importa se quis fazer-me mal e não (Soluça. ta. Se não o encontrava.) honra.. um cha.E depois.. entreabre seu cor- CIDAD..) 71JÉ .... (Apon. tra-lhe a carta. (humilhado) .. dele. desde quase terminando.. CATZ. 71JÉ (que se refizera da primeira QDAD.. miserável! seja amável e preencha a ficha de continue a me ajudar.Uma carta! 'lJJÉ (voltando-se para ele com o QDAD.Não se assuste! Dou-lhe CATZ. ou "morto". dade que oSr...Perdoe-me .DIga-me por quem vo. I tro. (com amargura) .. Agora sou feliz.. Catzavenco vai até a minha palavra de honra que osenhor dão Bêbado. . Agamenon Dandanake. te perdido! talvez tenha sido essa a única ver. 'lue encontro no forro?. ODAD.mos. deIxa deslIzar a carta para ~~n- péu. senhor.. (Apronta-se para sair) Mas.e I passo de Zoé. .cer que o senhor é muito corajoso.. que se havia aproxi..Não podia. devo reconhe. Zoé? Levante-se! 71JÉ . Catzavenco! O senhor ainda se CATZ. Mas eu sou boa.Sim. Vamos beber uns tragos?. ganhado) . Zoé e Catzavenco. . A cada tava enfiá-lo na cabeça.Então já vou indo vo.Dei... Catza- levava as cartas aos seus destinatá. 71JÉ (muito emocionada) . incomparável. Sra... Oh! Vá embora de uma mado dele) . . sim.Sr. Porque anteontem. um homem perder. senhor. Eu também sou sua ficha..Sim.Senhora! carta) .) maior. Zoé o conduz até a saída 7JJÉ (aproximando-se dele) . osenhor ral) . então eu agradecimentos. . 41 .ajoelhando.Tenho-a.. Sr.. não CIDAD. 7JJÉ .atrave a falar? E a fazer-se irônico 'lJJÉ (rindo) .há tempo a perder.. CATZ. se ainda a tem. conseguiu. mas eu serei sempre boa para que CATZ. e me deu provas dis- 71JÉ . está salvo... quis arrancar o h~ra e zas terminadas as e.nhor Dandanake. Falta ~elnos de ~m quarto d. QnAD. . (levantando-se..Pelo 7JJÉ . forro do chapéu e aentrega aZoé. quando ela chega diante forro para que lhe ficasse um pouco çoes E eu por . va- xe-me vê-la! depois de tudo? Ah. emoção) .Ah! venco não se move) Por favor! -(Mos. ... (Catza. Como se 71JÉ (acompanhando-o) ..Que necessidade tenho . o 11 de fevereiro.. (à parte) .. impaciente. (apressadíssimo) ~ Não plo... ...el. c~m a maior gentileza. admirável.Senhor. se en.. (em voz baixa para oCida. (Apanha a ficha e lê) "Agamenon ODAD.. CIDAD. sim. Za. agitando encontrei um chapéu . de- chapéu? 'lJJÉ _ Como posso agradecer-lhe? tem-se ~o fund?. Catzavenco vai se é bem pequeno. . eodes. ..

(A banda se aproxima.Participarei..Não entendo nada.Quem? 7iJÉ ... ao contrário..) Sr.Que me diz.Como. de. a se. .Infâmias! Imagine só: pressa . atentamente.. a luta foi encarniçada.) Ah! Já passou!.O senhor participará dos cou louco? Me fez ir ao telégrafo J)AND. · CATZ... pus entre a espada e a parede.... TRAHAN. .. te aturdido pelo fundo. (Ao ver Zoé. Mas.. .Muito obrigada.... que se 7iJÉ .... Trahanake. modo... já vou e lhe sionar Tipatescu. todos os lados esai rapidamente pela te" .) ção pública.. o deputado eleito e o prefeito.. um farsante. ele nada comprende. dentro de alguns retira a carta de dentro do corpete.Sra. uma festejos com o público.) dadeiro? CATZ. depois da tempes- ZoÉ . .. . Trahanake e Dandanake entram pela DAND. CATZ. e seja cuidadoso vezes a mesma estória e no entanto porque esta não será a última câ.É verdade.Justamente estava dizen- vantando-se rindo.. TRAHAN. ) te o telegrama para aqui. 7iJÉ (descendo os degraus seguida I sim. o senhor a encabeçará. não poder mais .Será o senhor quem pre.... (entra rapidamente pelo DAND. . compreend?' I raplid amen- e. em nome dos eleitores.. era um caso 7iJÉ .devoção. de Tipatescu. observam os que estão em cena ) - cha. Quando o CATZ. da cabeça. fundo) ..Ah! . houve coisas ter..... até a entrada da multidão.A carta era verdadeira- CENA XI 7iJÉ .Sim.Beijo-lhe as mãos. feitura . Beijo-lhe as mãos!. Tipatescu. TRAHAN. . de um sidirá o banquete no jardim da Pre... mente de uma pessoa. é isso! O senhor não é o pre. inven..Quer dizer. . fegundos se põe de pé..Sim. a (Chora nervosamente..: ou 7iJÉ .Que me diz. tom. um caso -ver- sai.. te. (à parte) . lê e aleva aos lábios) Fanica! (Le. Está se divertindo às pessoa altamente situada. TRAHAN. CATZ. CENA XII (À parte) A viagem o deixou meio 7iJÉ . lhe conto duas posto.Está bem. Prefeito.. Fanica! (Sobe ouvem gritos de hurras. rapidamente as escadas .Sim... ouvem-se cada vez mais claramente nhora é um anjo . velho amigo. e imita a letra do prefeito. vá e ocupe seu direita... meu velho? aproximam pouco a pouco.4a direita e. Prefeito.. (Sai rapidamen. o solteirão.Eu a encabeçarei.Ou para colocá-lo Trahanake e Dandanake. das eleições. Após alguns DAND.Ah! Aqui entre nós. DAND. para pres.. DAND.Que velho amigo? CATZ..) mas parecendo não entender) .. feito....... um miserável. ... direita.. . amigo? Mas senhora tem toda a minha . a marcha e as aclamações..... Zoé e Tipatescu. nem mais nem menos. pre. sim. as campainhas. prefeito. até esta cena.. TRAHAN... o pre- juro que a senhora ficará satisfeita. .. .. minhas custas? Que significa isto?.Não direi quem. eu estarei so. o senhor DAND. . relendo a carta era a sua. . (que o escuta.. TIPAT.Estamos de acordo? idiota. para Zoé.. '.. nhor Dandanake. o prefeito.. TRAHAN. o carro.. como o bêbado.. Os mesmos. . CATZ... se p~deria jurar que DAND. para nada. Fanica. . agora vá.Com uma condição: depois xuga os olhos e suspira profundamen. . sozinha.. . o tade vem a calma..Evirá aqui com os demais E Zoé? Onde estará ela? (Olha para um colégio ou a carta ao "Comba- para saudar..) é muito gentil. (mesmo jogo) . . ríveis .. que..Mas será que Ghitza fi. ta uma carta de amor de Fanica. só. sorrindo.Já vou.. zas..) E então... . de tal instantes será servido o almoço. sidirei . muda de contra mim e minha família.Não gira bem ZoÉ . minha mulher. (Descendo) Se- nhando? (Senta-se em uma cadeira. verdadeiro.... haverá uma manifesta... (rápido e submisso) .. (Durante toda mara! honrado. TRAHAN. CENA XIII CATZ.. do ao Sr. (Uma banda ataca uma mar. procedentes 40 jardim. e o mesmo me ~2 beija-a e volta a sentar-se) Fanica! Imagine que falsificador! dizia. o meu. estão radiantes e não CENA X feito.. de imediato. . en.

sim!. 43. cidadão e público. Para mim não há prefeito! Eu Quando prometi? À senhora? (Re. eu. (tomando uma taça e me prometeu não dizer uma palavra sica. e eu..zovenesco. guerra dá Criméia? Temos lutado e bado. oCidadão Bêbado..Em circunstâncias como estas (Co. ao fundo. esta. eu havia prometido? bem. gosto! Bravo! À sua saúde. o Cidadão Bê.cena) .. (elevando uma taça de cham. Pelo fundo entram Catzavenco.. sos.. hoje. das copos de champanha às pessoas mais e todos somos romenos.. . Zoé. parar. .aproxima dele e de Tipatescu) . Trahanake e outros eleitores. e brindes. hoje. (Aclamações e brindes. Eu não conheço o prefeito r '(Rapidamente) E a quem prometi? DANO. é disto que eu marchado desde então: ontem.aventuras e evoca com o gesto as mara.ontem. a banda e d d co. Todos os que che.campainhas. Tipatescu. Farfuridi.) baixa) . . mações estão já muito perto. Ionesco.Ah..endomingados como pro.. (Não encon. Popesco. . (em voz baixa) . ? tanda. (baixo à Tipatescu) . CATZ. que mi. movido) os pequenos ressentimentos mos nós até pouco tempo. a luz! ontem o fa- gam do fundo. entram procedentes da casa dadeiro prazer... Catzavenco.. TIPAT. nunca mais. mú. nosso eleito! Hurra! (Hurras..des. dos que trazem garrafas de champa. dos leitores.Ele esta. Da casa. saúde do nosso querido prefeito! Viva meu caso..Sr.eu. CATZ. Cessa a música. como dima. conta em voz baixa suas CENA XIV . que meu caso era um querda. Ionesco e Popesco.que nosso sonho se realiza. TRAHAN. eleitores.Per- do em cena. que dura- e descem pelos degraus da direita. agoraosenhor é um dos nos. triotismo e aceitaram.À saúde do Sr. Todos brindam e be. CATZ. quer diizer. antes da Ghitza em traje civil.) tescu. Hurras. Tipa- Ghitza Pristanda. o senhor ke. tidão faz sua entrada ao com da tra as palavras). a alegria!.. Dandanake. que lhe nosso eleito.) falando afastado com Zoé. sobretudo Catzavenco e o Ci. a tristeza. à direita.Venerável Sr. com a mão.amigos! (Beija Fanica. Pristanda dirige as aclamações avançando feliz para o meio da dessa estória. seus sufrágios.vel e imparcial Presidente Trahana. Em suma. Sim! Porque (soluça) é uma mulher 71JÉ (em voz baixa) . um pouquinho de pa- DANO. Branzovenesco boníssima! (Brinda com ela. meu querido? e outros eleitores. .. TRAHAN. .mais apre.Então. patescu avança com uma taça na mão tenho um amigo! À saúde de Fanica! cordando de imediato) Ah! Sim! até o meio da multidão) . (As acla. em voz panha) .. que solúça Incessan. depois Zoé. agitando uma taça e vai oferecer-lhe.Fanica beija a mão de Zoé. parcial... honorável? Bravo! Causa-me ver.) tiência!. Pris- Os mesmos. Ghitza Pristanda.demasiado nha. menos honrados! (Tipatescu ri) · à mento de Zoé) e eu lhe contava o nake e Dandanake se mantêm à es..Dandanake. Todos le. ao Sr. (à Catzavenco que se No meio.. Hurras TRAHAN....da Sra. ke! (Hurras e brindes. Traha.Irmãos! (Todosse voltame escutam) vincianos. Catzavenco. vamos.. à saúde dos senhores! a multidão. a carta falsificada (movi.) ramos verdes e bandeiras. Branzovenes- Ab d .natismo. Zaharia! ram cerca de trinta anos. faz sinais para a banda doe-me e sejamos amigos. eis então trocade saudações por todas as par. encabeçan. (empurrado por Zoé e Ti..) o nosso prefeito para a felicidade do caso verdadeiro. (a Tipatescu) ..Gosta do seguindo a Farfuridi. importantes. como todo romeno im.) o (Branzovenesco e Farfuridi segui. Zoé vê'entré DAND. FARF.Sim.. Prefeito! temente. Distribuem vo) porque todos amamos a Pátria va me contando a estória daqui. mais ou eleições. Que éra- tes. TRAHAN.. Dandana.. que está cidadãos igualmente ébrios.Ah.. Zoé! vam garrafas nas mãos. aperta a mão calorosamente. nha família desde o 48 está na Câ.) ligente. CIDAD. hoje. Depois de lutas seculares. ~ À saúde ...nosso departamento! (Hurras e -brin- 71JÉ (correndo para ele. digam-me a palavra. que provaram seu pa. entreos quais estãoFarfuridi e Bran- ah. o Ci a ão Be a o.dindo-semas sempre com ênfase) - sentáveis ... como di. À esquerda.. A mul.Inte. (expansi- DANO. mas me parece. .... confun- dos por outros eleitores .. com o solteirão. Zoé.À saúde do nosso venerá. no meio dos eleitores" banda) zer?. . saem alguns cria. estão ligeiramente bê· CATZ.Ao prefeito? dadão Bêbado. apenas chega- astuto.Eh. Nunca mais. (totalmente ébrio. toma (Aponta para Trahanake. a do amanifestação. Segue-se uma multidão de a multidão o Cidadão Bêbado.devem desaparecer.. senhor! obscuridade.À saúde Viva Fanica para afelicidade de seus. o livre-pensamento! I bados...

subrriisso pe- piam a cena. Mas esses nomes. -' tucional! Música! Música! (A banda Iordake Branzovenescu: esse nome .ataca. faz alusão à palavra romena "bran- Tempestuosas aclamações. se agitam. Talvez seja o único persona- gem honesto da comédia e que.final. A cortina cai rapida. com vivacidade. Zaharia Trahanake: seu nome é um diminutivo de "matraca". chato. meio da cena. contem· te. galho". rante os chefes e ladrão dos bens mente. . político por tradição. os quais se abraçam no divíduo de duas caras. de batizar os filhos com apelidos históricos. -"É o típi- PRI5r. O nome Agamenon mostra o costume das famílias. . assumem significado alegórico que devem ser explicados. co pedante. em alguns casos.Take Farfuridi: Take é o diminu- aí os benefícios do sistema constituo Itivo de Demétrio e Farfuridi tem o cional' I significadode. Os grupos za". uma marcha. especialmente visando-se uma possí- vel encenação da comédia. Agamenon Dandanake: seu nome faz alusão a uma palavra romena "dandana" que quer dizer "cacete. por mais baixos que sejam. Eis aí 'as vantagens do progresso! Eis . não sabe mesmo em quem vo- ter a forma romena nos nomes dos tar ou em quem acreditar. para quem não importam os meios. o movimento das campainhas. "É caracteristicamen- Zoé e Tipatescu. antipático". sempre alegre por ter NOTA SOBRE OS PERSONAGENS bebido. Personagem ridí- culo eignorante. é um personagem provinciano e convencido 4 de seus valores."fanfarrão".e Dandanake. que significa "ramo. o funcionário servil. oFanica: "Fani- ca" é o diminutivo de Stefan (Este- vão). pertencente a uma família rude. preferimos man. é o protótipo do in- . nutivo de Jorege. com Ghitza Pristanda: Ghitza é o dimi- amão. Todos se beijam e formam Naé Ca:tzavenco: Naéé o diminuo um círculo em torno de Catzavenco tivo de Nicolau. I OCidadão Embriagado: é um ci- dadão simples.) públicos. afastados. é o protótipo do indivíduo fe- lino. vejamos: Stepan Tipatescu. para se alcançarem OS fins desejados. Assim. personagens. . Dandanake imita. no Na presente versão.Verdadeiramente consti.

reção de Hamilton Vaz Pereira. Lupe TEATRO DULCINA ral. Henriqueta Brieba. Eduardo Assunto De Família.00. In. TEATRO DO BNH Osmar Prado. reção de Paulo Reis. Nelson Caruso.00. de Paulo José. com Man1ia Pêra. Direção de Diz-Ritmia. Direção Dario Fó. Ingressos: Cr$ 250. Susana Vieira e outros. got Mello. com Paulo Goulart e Louise Cardoso.' Elcio Romar e outros. Ingressos: Cr$. TEATRO MESBLA Ingressos: os 250. Ariel Coelho. Cr 250. com Gracindo Júnior. sos: Cr 350. Os Órfãos de Jânio. com Suely Franco.00. Fernando de Souza. Quixote De La Pança. Ingressos: À Direita Do Presidente. Cavalcanti. In- gressos: Cr$ 400. Alby Ramos. Di. Perfeito Fortuna.00.00.00. Susana Faíni. Ingressos: Cr$ 350. de CamiJa Amado. com Re- TEATRO CASA GRANDE gina Casé. Ingres. Maria Helena Dias e outros. Patrícia Tra- vassos e Evandro Mesquita. com ção de Buza Ferraz. Ingressos:os 350. TEATRO DA LAGOA TEATRO DA ALIANÇA FRANCESA mes. . 45 . com Jorge Dóría. TEATRO MAISON DE FRANCE Uma Noite Em Sua Cama. de Domingos de Oli. traz. de Brecht e Kurt Weill. Miguel Falabella. Direção de Antonio. com Fernan- da Montenegro.00. de Mauro Rasi Cr 200. Angela TEATRAL Rebello .00. Stella Miranda.00. Direção de Etienne Le Meur. Sérgio Britto. com Bodas De Papel. Sebastião Nery e Armando Costa. Marco Nanini. Otávio Augusto. com Ana Lucia Bruce. Helber Rangel e outros. de Carlos Vereza. com Maria Padilha.00. criação coletiva do Grupo Asdrubal Trouxe o Trombone. Ingressos: Cr 300.Transaminases. Ingressos: Ingressos: Cr 150. Toalhas Quentes. As 1001 Encarnações de Pompeu Loredo.. Machado e outros. Di-. Tamara Taxman e outros. de Jorge Fernando. Brasil: Da Censura À Abertura. Lande Leal e outros. Rasga Coração. Antonio De Bonis e gressos: Cr$ 200. de Oduvaldo Vianna Fi. OutubrolNovembro/Dezembro -1980 lho. com Cláudio Gigliotti. de Jô Os Justos. Direção de José Renato.00. TEATRO COPACABANA Direção de Jô Soares.Abujamra. Teresa Rachei. An. Flávio Migliac- cio e outros. e outros. Di- de Mauro Rasi e Vicente Pereira. Direção de Álvaro Gui- marães. Soares. Fernando Torres. Direção de Helder Costa. Bia Bedran e outros. com Rogério TEATRO CLARA NUNES Fróes. Dire. Direção do autor.'I tonio Pedro e Carlos Vereza. O Treze. varro.00.00. Bia Payne. Analu Prestes e Mário Borges. e Vicente Pereira. Diogo Vilela. de Slawomir Mrozek. TEATRO GLÁUCIO GIL Oswaldo Loureiro. veira. Ingressos: Cr 350.250. de Karl Valentin. de MiJor Fernandes. ' . Pedro Paulo Rangel. de Marc Camoletti. de Brecht. com Elza Go. TEATRO DO AMÉRICA Direção do autor.00. Luca de Castro e outros. de TEATRO DOS QUATRO A Alma Boa De Setsuan.. Ana Lucia Torre. Ingressos: Jackson de Souza. com Ricardo Blat. com Neuza Na. com Marieta Severo. Sílvia Bandeira e Geraldo O Senhor É Quem?. Dire. Arlete Sa. de Maria Adelaide Ama. com Gilda GuiJhon. Direção de Cecil Thiré. TEATRO JOÃO CAETANO les. ção de Luís de Lima.00. Direção de PauÍo José. Alves. In.00.00. Naum Alves de Souza. Ingressos: Cr$ 300. Di. Ingressos: Cr$ . No Natal A Gente Vem Te Buscar.MOVIMENTO Happy End. de Jean Le. Thelma Reston gressos: Cr$ 300. Os Polícias. Ingressos: Cr$ 200. Direção TEATRO GINÁSTICO reção de Bibi Ferreira. André Villon e outros. com o Grupo Disritmia. de Sérgio Jockyman. Ingressos: Cr$ 300. Mar. com Armando Bogus.00. Direção de Aderbal Júnior. criação coletiva. Ingressos:os 100. Ingressos: Cr$ 300. Carmem TEATRO PRI CESA ISABEL TEATRO CACILDA BECKER Silva. de Albert Camus. Cr 250.00.00. de Cabaré Valentin . Ivan de Albuquerque e outros. Ingressos: Cr$ 350. e outros. Direção de Sérgio Britto. reção de Eric Nielsen. . 200. Rodrigo Santiago. Direção d~ Antonio Pedro. Guida Vianna. Aquela Coisa Toda.00. com Felipe Carone. de João Bithencourt. Ary Fontoura e outros. com Cláudio Corrêa e Castro. TEATRO IPANEMA Fábio Juriqueira. ' TEATRO CÂNDIDO MENDES TEATRO GLAUCE ROCHA Morte Acidental De Um Anarquista.00.

reção do autor. Só Sonho. O Olho Da Rua. O Jovem Karl de Lima.00. Fala Palhaço. Ingressos: Cr$ 250. Mansamente. de Dias Gomes. Reunião de Grêmio. Mas Riso. Direção de \Volf Maya. de tes.Fernando Bezerra. de Sylvia Orthof. com Denis Carvalho. Noite de Guerra. xonou Pela Sombrinha. guintes espetáculos: Rocha. O último Dos Nukupyrus. de Fernando Augusto e O Dia Em Que O Guarda-Chuva Se Apai- Nilson de Moura. Poema Com Panos e Lendas. de Chico Buarque Alex RipoIl e outros. Uma Peça Por Outra. de Jean Anouilh. de Paulo Cesar TEATRO VILLA-LOBOS Coutinho. Wanda Bedran. Caique Botkay. de Roberto ) Schwarz. de Jean Tardieu. A Estrela Que Caiu Do Céu. Marx. Passa. Horóscopo Vladimir Capela.de Claudia Castro. I tro Independente de Nova Iguaçu. de Suely Fuentes. de Antonio B. Pertinho Daqui. Ingressos: Cr$ 300. de Fernando Palitot. Papitoco. Tu Choves. pelo Grupo Tea. de Maria Clara Machado. com Glória Me· poldina. pelo Grupo Os Só Até Sábado. de Millor Fernandes e Flávio Um Lugar Distante. O Macaco E O Rabo. • A Lata De Lixo Da História. de Sylvia Orthof. Monsieur Bameu. de Luís Carlos Saroldi. e Zeca Ligiero. de Alexandre Marques. TEATRO SENAC TEATRO INFANTIL Blue leans. e outros.00. A Farsa de Yarim No Céu De Mandacaru. de Ben- nardo VilIar e outros. Julio Cesar. Roberto Bonfim e Edgar Gurgel A Maravilhosa História Do Sapo Tarô - Aranha. de Antonio Jogos Na Hora Da Sesta. de Maria Luiza Pra. de Marcos Ribas. de Eugenio TEATRO SESC DA TImCA Santos. Ingressos: Cr 350. de Gugu Oli· mecha e Ziraldo. Rocha. A Pedra Negra. Festança. Operação Limpeza. Luis Carlos Nino A Estrela Guia Do Oriente. de Rafael Albcr. Eu Chova. Di. de Zeno Wilde e Wanderley Estiveram em cartaz as seguintes peças: Aguiar. de Roma Ma. de Luiz SoreI. Os Segredos Do Bosque. de João das Neves. de Thiago de Keirbeck. Grupo Em-Cena- OUTROS ESPETÁCULOS Ação.A Loja Das Maravilhas Naturais. Passa Tempo. João E Maria. / Sonho. de Mareie de Souza. de Mauro Cesar. com Simone Hoffman. Bequê.Diana Ribeiro e Marilda Kobachuk.Zé Vagão Da Roda Fina E Sua Mãe Leo- reção de Odilon Wagner. Choro e Cuíca. E O Bei/à. de Paulo Afonso de Carlos Queiroz TeIles. ti. I A Menina Que Perdeu O Gato.00.Flor Virou Lenda.Estela.Santos. de Eugenio Mello. Di. de Plínio Marcos.Um Dia Atrás Do Outro. Woiteck. Direção de Antonio Mercado. Em diversos locais apresentaram-se os se. Navalha Na Carne. As Três Faces do Poder. Jonas Bloch.00. pelo Grupo Hembu. Café Da Manhã. de Mauro Menezes e Lu Maia. Chapeuzinho Amarelo. nezes. com Ml- guel Carrano. de Ricardo Bandeira. Bufões. de José Geraldo e Sangrento. Liberdade. Para Os Que Estão Vivos. Queridos Monstrinhos. de Buchner. jamimSantos. Cresça e Apareça. de Lucia Coelho e Campeões Do Mundo. de Rangel. Vamos Jogar O Jogo Do Jogo. Liberdade. Angela Leal. Leo. . de Marco TEATRO VANUCCI A. Ingressos: Cr$ 300. de Ronaldo Ciambroni. hieu.

Mestre Pedro Pathelin e gentino. Boris . nQ 76. nQ 83. Karl . nQ 73.Textos à disposição dos leitores na Secretaria d/O .A Derradeira Ceia.O Guarda dos Pássaros.O Nariz Novo. Tardieu Jean . Marinho Luiz . cios.Morte Natural na Forca. Qorpo-Santo .O Vnico Ciúme de Emer. nQ 69. Largekvist. Carmosina .Do Tamanho de Baccioni.Maldita Parentela. Bergamota. Tennessee . Trenton a Camden. nQ 61. nQ 67. nQ 59.A Noite de Teresa Ci- Barros A. Paer . mônio.Sketches Cômicos. XV) . e A Dama da nQ 4.Os Embrulhos. nQ 71 . nQ 79.A Vigarista.A Intrusa. Wilder. O Pastelão e A Torta. Inês . NãoConsultesMédico. nQ 63. e Os Viajantes.A Morta.A Exceção e a Re- gra. nQ 84. Luigi .O Tribunal dos Divór. nQ 66. Os Males do Fumo.A Gramática. Machado de Assis . Casona Alejandro . balena. Monteiro A. José Ignácio . nQ 76.Bumba- Borges.O Caixeiro da Taver- Andrade Oswald . nos Cabos. Virginia .Farsa do Mance. França Júnior .O Jogo da Indepen.Amor de D. Yeats .Todomundo. e Piquenique no Front.Mateus & Mateusa. nQ 86. nQ 50 Maeterlinck . nQ43.Édipo Rei. nQ 68. rança das Mulheres. O'NeilI Eugene . e Simum. Aquele PirandeIlo. E. nQ 82. Thorton Viagem Feliz de Aman-Jean . As Interferências. deiro. .A História do Zoa. nQ 67. nQ 64.O Novo Otela.Teatro um Defunto.Antes do Café. nQ58. J. nQ52. Manuel .Os Advogados. Garcia Lorca . nQ 75. Raul .Lição de Botâ. Quanto Custa o na Boca. BertoIt . nQ49.Os Cegos.Assassino Espe. Perlim. Thomas. nQ 60. nQ61.Os Credores. nQ 62. nQ47. nQ80. nQ 57. Vian. nQ 54. nQ 46. e Viajantes para o Mar. nQ 48. nQ65. Gheon Remi . O Retábulo das Maravilhas.A Morte e o De- Labiche. Um Tango Ar- Anônimo .O Doido e a Morte. O Mendigo. Como a Chuva.A Via Sacra. Pinter. nQ 62.O Túnel.Noite. C. nQ 78. e Treco bo. Harold . nQ 82.O Jubileu. . na. Racine . nQ 84. nQ 72. Aquele que diz Sim. nica. O Inglês Maquinista. Cavalcanti . Eugêne . nQ 83. . Valli. plimcomBelisa em seu Jardim. nQ 74. nQ 85.TABLADO Albee. nQ 66. nQ 81. William. dência. Wedekind. Robert . Meireles. 47 . nQ 65. Synge 1. nQ 68. nQ 77.Em Figura meu-Boi.Ato Cultural. Ghelderode . nQ81. Ferro. Marinetti . nQ47.O Homem da Flor que diz Não. Cervantes . rio. Arrabal Fernando . nQ 53. . Só o Faraó Tem Alma. Valentim. Cabrujas. nQ 48. Machado M. nQ55. Cocteau Jean . M. R. nQ 85. e Chica da Silva. nQ 52. nQ 55.A Sombra do Desfila- Checov Anton . Strindberg August . Brandão.A Mais Forte. nQ 46. nQ 83. nQ 64.Construtores de Impé- Kokoschka Oskar . MilIor Fernandes . Frank . nQ 56. Brecht. Martins Pena . nQ 63.Conversão Sinfonieta. nQ54. nQs de Gente. C. nQ81. nQ47. O Pedido de Casamento. nQ82.Guernica. SettimeIli. 70-71. e Um Gesto por Outro. nQ 82.Fala Comigo Doce Macedo J. Anônimo (séc. Futurista. nQ 51. Silveira Sampaio . nQ 72.

... Caragiale " .. Caragiale ..00 pre em nome de 'EddyCintra de Rezende Nunes.. Convenção e Iítterpertaçãõ ..' . pagável no Rio de Janeiro.. .00 TABLADO. . . lNDICE 26 MAl 'I . .I.:.. Em caso O Patinho Feio (música-gravação) .O Embarque de Noé (música-gravação). 1 _•..00 de vale postal. 70. . . ..00 Autora: MARIA CLARA MACHADO Clarinha na Ilha 90. ' 45 Àvenda na Secretaria dlO TABLADO CADERNOS DE TEATRO assinatma anual (4 n.. Agosti .........OS) " ." ..'."' " 9 Movimento Teatral .Estilo. 100. . sem- B CARTAZES 10.. . .. "... " .isolJ ' . em nome de Eddy Rezende Nunes .. ..... Sobre I.... o mesmo deverá ser remetido à agência dos correios do Jardim Botânico . 100.. L.. . ... 160. o Teatro da Vida Suspensa . 6 ACarta Perdida . lan Klossowicz .00 Estas publicações poderão ser pedidas à Secretaria O Cavalinho Azul .oH: Mbr. L..RJ.H.... . .00 d'O TABLADO mediante pagamento com cheque visado.... 3 . " ..