You are on page 1of 42

PRIMEIRO EDITOR DA REVISTA - Nuno Argel de Melo PRIMEIRO DIRECTOR - Octávio Lixa Filgueiras DIRECTOR - EDITOR - Artur Lopes

Cardoso APOIO EDITORIAL Adalberto de Campos Moraes José Guedes Rodrigues Miguel Sousa Guimarães SUPERVISÃO Governador do Distrito 1960 - Compº Eduardo Caetano de Sousa Governador do Distrito 1970 - Compº Bernardino Pereira PROPRIETÁRIA Associação Portugal Rotário N.I.F.: 502 128 321 SEDE E SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS Avenida da República, 1326-7º s/ 7.4 Apartado 148 4430-192 VILA NOVA DE GAIA Codex Telef./Fax: 351 22 3721794 Email: portugalrotario@sapo.pt Net: www.rotary.pt (link Portugal Rotário) TEXTOS DA AUTORIA DE: Tom Wilkinson A. Gonçalves Afonso Bhichai Rattakul Artur Lopes Cardoso Eduardo Caetano de Sousa Wilfrid J. (Wilf) Wilkinson William H. “Bill” Huntley Bernardino Pereira Mário Carapinha DELEGADO DA REVISTA PARA A GRANDE LISBOA: Joaquim da Silva Gonçalves. DELEGADO DA REVISTA PARA O D.1970 (CENTRO/NORTE): Miguel Sousa Guimarães EXECUÇÃO GRÁFICA Tipografia Nunes, Lda - Maia Depósito Legal n.º 5448/84 I.C.S. N.° 110486 Tiragem: 7.500 ex. Autorização CTT DE 00022007 ATO/RSC SUPERVISÃO:
Governador do Distrito 1960 – Compº. Eduardo Caetano de Sousa Governador do Distrito 1970 – Compº. Bernardino da Costa Pereira

Sumário
Assim decidiu o “Board” ………………………… 2 Nota de Abertura ………………………………… 3 A Prova Wilkinson ………………………………… 4 Pelos Serviços Internacionais …………………… 9 Em Torno da The Rotary Foundation …………… 11 Rotary International em Imagens ……………… 15 Mensagem do President ………………………… 16 Rotary pelo Mundo Fora ………………………… 17 Os Nossos Governadores dizem ………………… 20 O que vai pelos Rotary Clubes ………………… 22 Porquê sou Rotário ……………………………… 28 Mensagem do Presidente ………………………… 29 Os Clubes dos Jovens ……………………………… 30 O Presidente Wilf convida ……………………… 32 Um Projecto de Referência ……………………… 35 O Conselho de Legislação de 2007 (conclusão) 37

A nossa capa
Esta edição da nossa Revista Regional Oficial apresentase, no fundamental, com o mesmo tema que, em todo o mundo, devem ostentar todas as revistas da “Rotary World Press”, ou seja relativamente a toda a vasta rede de 32 revistas classificadas como oficiais do Rotary: a imagem do novo casal Presidencial. Virada a página de mais um ano rotário, aqui tem o leitor a cativante simpatia dos sorrisos confiantes do nosso Presidente Wilfrid “Wilf” J. Wilkinson e de sua Mulher, Joan. Eles são, doravante, o símbolo da unidade, da coesão e da presença do Rotary, onde quer que ele esteja, e constituem garantia segura da perenidade e da confiança no futuro do nosso Movimento. Pertencem ao segundo País a ter Rotary: o Canadá. Um País estupendo, mosaico de contrastes ambientais e não menos de povos e culturas, certo que é de recente formação e ao longo dos anos, tem atraído larga cópia de emigrantes, com importante quota de conterrâneos nossos. É um País de progresso e de oportunidades. O leitor vai poder travar conhecimento sobretudo com a personalidade do Presidente Wilkinson, um líder na verdadeira acepção do termo, ou seja experimentado, generoso, indulgente e tenaz nas suas convicções. Sabe (e sempre soube) o que quer e, designadamente, ele quere-o a si para, juntamente com ele e com todos os Rotários do mundo, compartilhar o Rotary. Leia, pois, e assimile, os seus ensinamentos e as suas exortações. Parta para a acção a partir delas de modo a que Rotary, com o seu contributo, saia enriquecido. E, se mais enriquecido, por certo que mais ele poderá compartilhar.

DELEGADOS DOS CLUBES:
DISTRITO 1960 ABRANTES: Paulo Sousa; ALBUFEIRA: Arnaldo Guerreiro; ALCOBAÇA: José Manuel Patrício Lemos da Silva; ALGÉS: Cristina Bello; ALMADA: João Rafael F. de Almeida; AMADORA: Avelino Matos; BARREIRO: Manuel António Esteves Mendes; CALDAS DA RAÍNHA: Jaime Simões Neves; CARNAXIDE: Luís Perestrelo; CASCAIS-ESTORIL: Hrácio Bacelar de Brito; CASTELO BRANCO: José Carlos G. Mocito; COSTA DA CAPARICA: Jorge Pedrosa de Almeida; ENTRONCAMENTO: Manuel Augusto Pires; ÉVORA: Prazeres Rosa Nunes; FARO: Tito Olívio Henriques; FUNCHAL: António Drummond Borges; HORTA: Manuel Joaquim Brum; LAGOS: Fernando Ferreira Fontes; LISBOA: António Coutinho de Miranda; LISBOA-BELÉM: José Luiz Ferreira; LISBOA-BENFICA: Miguel Mendes Real; LISBOA-ESTRELA: Maria Fernanda Jesus Silva; LISBOA-LUMIAR: João Silva; LISBOA-NORTE: Antonino Ribeiro da Silva; LISBOA-OESTE: Francisco Inácio Pires Lopes; LISBOA-OLIVAIS: Margarida Domingos; LOULÉ: Silvério Guerreiro; LOURES: Júlio Joaquim Pereira Gonçalves; MACHICO-SANTA CRUZ: João Luís Rodrigues Jardim; MAFRA: César Anselmo de Castro; OEIRAS: António Dinis da Fonseca; PALMELA: Fernando M. F. Martins; PAREDE-CARCAVELOS: Rui Correia; PENICHE: António Alves Seara; PORTALEGRE: Manuel Garcia; PORTELA: Jorge Marçal; PORTIMÃO: Rui Alves; PORTO SANTO: José Manuel Santos; PRAIA DA ROCHA: João Pereira Antunes; SETÚBAL: Maria do Rosário Lopes; SILVES: Maria de Lurdes R. Marreiros; SINTRA: José S. Monteiro Martins; TAVIRA: António Miguel Viegas da Silva; TOMAR: Ângelo Bonet; TORRES VEDRAS: Ana Margarida. DISTRITO 1970 ÁGUEDA: Maria de Fátima Damásio Ervedoso; AMARANTE: José Francisco Rodrigues; ANSIÃO: Antero Costa; AROUCA: Fernando Garrido Almeida; AVEIRO: Énio Semedo; BARCELOS: Vítor Pinho; BRAGA: José Augusto Ribeiro Moreira; BRAGA-NORTE: Osvaldo Marques; BRAGANÇA: Carlos Manuel Miranda; CALDAS DAS TAIPAS: José Martins dos Santos; CAMINHA: José Avelino Rodrigues Pedra; CASTELO DE PAIVA: Pedro Maldonado; CHAVES: Sotero Lopes Palavras; CINFÃES: Serafim Pedro Ferreira; COIMBRA: Alda Mourão e Isabel Garcia; COIMBRA-OLIVAIS: João Ramalho; COIMBRA-SANTA CLARA: Luís Filipe Ribeiro; COVILHÃ: António Pereira Nina; CURIA-BAIRRADA: Varlos Matos; ERMESINDE: Carlos José Saraiva Faria; ESPINHO: Francisco Brandão; ESPOSENDE: Manuel Passos Ferreira Vicente; ESTARREJA: Alcides Sá Esteves; FAFE: Manuel Ribeiro Mendes; FEIRA: Sérgio Vaz; FELGUEIRAS: Octávio B. Pereira; FIGUEIRA DA FOZ: José Pires Lopes Azevedo; GAIA-SUL: José Fernandes Silva Neves; GONDOMAR: Francisco Gouveia; GUARDA: Maria de Lurdes Lopes; GUIMARÃES: António Gonçalves Ferreira; ÍLHAVO: José Manuel Senos Resende; LAMEGO: José Alves Maravilha; LEÇA DA PALMEIRA: João José Cadilhe; LEIRIA: Victor Gonçalves; MAIA: Gracinha Maria da Costa Tavares; MANGUALDE: António Aluquerque Castro Oliveira; MARINHA GRANDE: Fernando Manuel Santos Pedro; MATOSINHOS: Maria Helena D. Sequeira M. e Couto; MIRANDELA: João Luís Teixeira Fernandes; MONÇÃO: Cristina Carvalho de Sousa Bártolo Calçada; MONTEMOR-O-VELHO: Rita Sansão Coelho; MURTOSA: Pedro Tomás Pereira Marques; OLIVEIRA DE AZEMÉIS: Margarida Perez Figueiredo; OLIVEIRA DO BAIRRO: Acácio Almeida de Oliveira; OLIVEIRA DO HOSPITAL: Rui Manuel A. Lopes Dias; OVAR: Joaquim Oliveira; PAREDES: José Armando Baptista Pereira; PENAFIEL: Vitorino Pereira Ferreira; POMBAL: José António Coelho; PONTE DA BARCA: Adolfo Fernando Barreto; PONTE DE LIMA: José António Silva Pereira de Melo; PORTO: José Guedes Rocha; PORTO-ANTAS: Henrique Maria Alves; PORTO-DOURO: Maria de Lourdes Moura; PORTO-FOZ: Manuel Cardoso; PORTO-OESTE: Nuno dos Santos Canavez; PÓVOA DE LANHOSO: Manuel Martins; PÓVOA DE VARZIM: José Azevedo; RÉGUA: Edgar Filipe Guedes; RESENDE: Brites Inácio; S. JOÃO DA MADEIRA: Adriana Mota; S. MAMEDE DE INFESTA: Fernando Silva Rodrigues; SANTO TIRSO: Armindo Godinho da Silva; SEIA: José Diogo Pinto; SENHORA DA HORA: Amadeu Pimenta Alves Carneiro; SEVER DO VOUGA: Celestino de Bastos; TONDELA: Artur Jorge Amaral Leitão; TRANCOSO: João Marinho Morrão; TROFA: Joaquim Vilela de Araújo; VALE DE CAMBRA: Manuel Bastos Pinto; VALENÇA: Paulo do Souto Álvares da Cunha; VALONGO: José Carmindo Cardoso; VALPAÇOS: Maria Angelina Cardoso; VIANA DO CASTELO: Maria do Céu Amorim Novais; VILA DO CONDE: António Ventura Santos Pinto; VILA NOVA DE FAMALICÃO: José Moreira; VILA NOVA DE FOZ CÔA: António Carlos Duarte Marques; VILA NOVA DE GAIA: Artur Lopes Cardoso; VILA REAL: Luís Pinto Pereira; VILA VERDE: Artur Rego; VISEU: José Campos Cruz; VIZELA: Maria do Resgate Silva. DISTRITO 3450 MACAU: José da Silva Maneiras.

Conselho Editorial
Artur Lopes Cardoso - Rotary Club de Vila Nova de Gaia (Editor) Esmeralda Pires Figueiredo Canedo Trindade – Rot. Club de Carnaxide Horácio Bacelar de Brito – Rotary Club de Cascais-Estoril José Maria Gonçalves Pereira - Rotary Club de Lisboa-Norte Luís Manuel Belens das Neves Branco – Rotary Club de Horta Manuel Martins Costa – Rotary Club de Vila Verde Maria Isabel Fernandes de Carvalho Garcia – Rotary Club de Coimbra

Assim decidiu o “Board”
Na reunião que fez de 30 de Outubro a 3 de Novembro de 2006, em Evanston, Illinois (EUA), na Sede do R.I., o Conselho Director do R.I. passou em revista relatórios que recebera de 16 Comissões e tomou 105 decisões, destas sendo de destacar:

I – CLUBES & DISTRITOS

1

A aprovação da continuidade do programa “Coordenadores do Quadro Social do Rotary International” que decidiu reavaliar em 2008. O mencionado programa tinha sido lançado em 2001-02 com a finalidade de constituir uma rede de voluntários a nível regional para manter os Distritos e os Clubes atentos à importância das questões relacionadas com o Quadro Social. A sugestão da criação do cargo de “Instrutor de Clube”, destinado a auxiliar nos trabalhos de desenvolvimento das qualidades de liderança dos membros do Clube. Irão ser em breve publicadas directrizes acerca desta função. Os Presidentes dos Clubes, os Governadores e os seus Assistentes, assim como as Comissões Distritais pertinentes, deverão dar apoio ao exercício de funções do “Instrutor de Clube”.

III – PRÉMIOS ROTÁRIOS, PROGRAMAS & COMUNICAÇÕES

6

2

Para expansão de oportunidades de prestação de serviços, pelos Rotary Clubes e pelos Distritos, nos campos da fome e da saúde, o Conselho decidiu no sentido de que o R.I. se aproxime do Programa Alimentar Mundial (PAM) das Nações Unidas, com ele procurando estabelecer parcerias. Neste sentido, o Secretário-Geral ficou encarregue de elaborar um “Memorandum de Entendimento” no qual sejam definidos os termos de cooperação entre as duas entidades, a ser revisto na próxima reunião. Foi também aprovado o desenvolvimento doutro “Memorandum de Entendimento” com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID). O Conselho aprovou critérios adicionais para reconhecimento e funcionamento dos Grupos Rotários de Acção, exigindo que esses Grupos adoptem o Regimento Interno. Foi solicitado aos Grupos de Apoio do R.I. que facilitem as actividades daqueles Grupos nas suas áreas geográficas. Foram seleccionadas 145 pessoas para serem distinguidas com o “Prémio Dar de Si Antes de Pensar em Si” 200607, prémio que honra os Rotários que prestam serviço ininterrupto humanitário e de maneira exemplar. A lista será revelada no fim do ano rotário. Os Distritos anfitriões passam a dispor de certificado especial para conferir aos participantes de Intercâmbios de Jovens no final das suas estadias. O Conselho reconheceu o Grupo de Companheirismo de Publicações e Obras Antigas e Raras (International Fellowship of Old and Rare Antique Books and Prints).

7

8

II - ADMINISTRAÇÃO

3

O Conselho ratificou a sua deliberação de Setembro no sentido de ser realizada uma votação postal visando a eleição do PGD Barry J. Rassin para Director do R.I. em representação da Zona 34 e substituindo o Director Milton O. Jones que tivera de renunciar ao cargo, por motivos de saúde, em Agosto. O Conselho expressou o seu agradecimento ao então Presidente Eleito do R.I., Wilkinson, por ter designado quatro Rotários ilustres para servirem como Curadores da Fundação Rotária do R.I. a partir de 1 de Julho de 2007, dentre eles o ex-Presidente do R.I., Carl-Wilhelm Stenhammar, o ex-Vice-Presidente Louis Piconi e os exDirectores David D. Morgan e José António Salazar. O Conselho concordou com a deliberação de Outubro, tomada pelo Conselho de Curadores da The Rotary Foundation, de que sejam divulgadas as actas das suas reuniões no “site” do R.I. e no prazo de 90 dias após cada reunião.

9

4

10

5

11

IV – REUNIÕES INTERNACIONAIS

12

Depois de analisar diversos locais para neles ter lugar a Convenção Internacional de 2013, o Conselho escolheu Lisboa (Portugal), escolha sujeita embora à ponderação de várias questões logísticas.

2

Nota de abertura
por Artur Lopes Cardoso P.G.D. e Director/Editor de “Portugal Rotário”

Que extraordinários momentos não haverão de ter sido

vividos por todo o mundo rotário, mais uma vez, por alturas dos meses de Junho e de Julho! Milhares de mudanças de testemunho, desde o mais alto nível dos nossos Presidentes Boyd e Wilkinson, até ao nível de cada um dos mais de 32.000 Rotary Clubes espalhados por toda a parte, passando pelos render da guarda a nível das mais de cinco centenas de Distritos Rotários. É assim em cada ano no Rotary. É neste clima que o Rotary todos os anos se revitaliza e se revê em lufadas de esperança no futuro desde há mais de um século.

deles, está a incumprir: tem de ser clarividente, compreensivo, tolerante e partir sempre da equação imbuída da Prova Quádrupla: há a minha verdade, há a verdade do outro e... há a verdade. É que uma coisa é a letra da lei, impessoal, cega. Outra, bem diferente e bem mais difícil, posto que salutar, a sua interpretação e, sobretudo, o seu espírito, que ilumina a sua aplicação no concreto das coisas. E, se é assim em toda a parte, então no Rotary tem que ser muito mais ainda, certo que os Rotários são voluntários e são líderes profissionais, que devem respeitar, respeitar-se e têm de ser respeitados.

Temos, assim, uma nova e vasta fornada de equipas O Presidente Rotário tem, por isso, que usar as leis rotárias
dirigentes, nestas avultando o Presidente, um Rotário escolhido a quem cabe, antes de tudo o mais, fazer quanto esteja ao seu alcance para que os Objectivos do Rotary sejam alcançáveis. Quem os leia, sente que a pedra de toque de quanto o Rotary logra realizar resulta do companheirismo. Por isso, nem admira que o seu reforço constitua logo o primeiro dos objectivos traçados. O saudoso Kenneth E. Wacher, velho e respeitado Rotário que por muitos anos integrou o Rotary Club de Winter Park, Florida (EUA) e serviu o Rotary de muitas maneiras, especialmente como seu Director em 1968-70, fê-lo notar sem reservas. É que, dêem-se as voltas que se queiram dar, o companheirismo rotário é a mola real de toda a acção útil, é a condição indispensável para o fortalecimento, para o engrossamento e para a acção dinâmica de serviço do quadro social de todo o Clube.

Um Presidente Rotário, por isso, não é o que manda (?!):

além de não ser o que manda, pois que co-manda, ele é o que congrega, o que lidera, convidando e convencendo à acção. É o que está atento ao “clima” do Clube, do Distrito, do Movimento, para o manter salubre e até lhe melhorar a salubridade. O Presidente pode saber, de cor e salteado, todas as regras escritas nos diplomas que constituem o, assim chamado, “Manual de Procedimento”, pode recitar na ponta da língua todos os Códigos de Políticas do Rotary, pode dominar as especiosas regras protocolares. Tudo isso, porém, nada trará de positivo à sua liderança (pelo contrário, frustrála-á) se todo esse “saber” ele o quiser impor, na observância dessas regras frias, autoritariamente. Um Presidente não pode “agredir” os seus Companheiros com a acusação, de dedo em riste, de que eles, ou qualquer

como mero instrumento, que são, ao serviço da prossecução dos Objectivos do Rotary. É sob a luz reflectida por esses indeclináveis princípios que ele tem de se nortear, procurando, em vez e antes de acusar o outro de infracção, ir ao seu encontro para conhecer das suas razões. Humildemente (o Presidente existe para Servir), quiçá analisando com sinceridade se, inclusivamente, o que se passa com ele, não esteja ele mesmo, o Presidente, pelo menos em certa medida, a causá-lo, mesmo que inadvertidamente e sem disso, até, se dar conta. O verdadeiro Presidente Rotário, usando da atenção que lhe é exigível, deve procurar antecipar ou prever dissensões, preferentemente a, só a juzante, se ocupar em tentar saná-las ou apenas mitigá-las. Um autêntico bom Presidente é aquele que foi capaz de gerar amizades, de granjear boas vontades, de liderar disponibilidades para Servir. Se o conseguiu fazer com plena observância literal dos escaninhos regulamentares, óptimo! Mas se o conseguiu encarando com benevolência e tolerância um ou outro atropelo não essencial, paciência... O saldo, esse, é o que conta e importa. Porque um Presidente digno desse nome é o que consegue chegar ao fim do seu mandato e todos lho reconhecem: acrescentou vigor no Clube, no Distrito, no Rotary. Melhorou ainda mais o Companheirismo. Foi um Chefe Rotário a sério do qual se dirá que o Rotary, através dele... Compartilha e vai poder continuar a compartilhar.. Faça por ser um Rotário assim: menos que os seus iguais, para ser maior que eles. E, com toda a amizade, aceite o abraço do seu Companheiro,

3

O Novo Presidente do R.I. acredita que os Rotários podem mudar o mundo

Contributo do PGD Tom Wilkinson fornecido por ele a Nancy Shepherdson.

4

Os

Rotários são pessoas trabalhadoras e idealistas que se importam com o que acontece com os seus semelhantes e crêem nos valores da Prova Quádrupla. Muitos deles destacam-se pela sua extraordinária generosidade. Nesta perspectiva, arrisco uma previsão: o meu irmão, Wilf Wilkinson, vai impressionar os Rotários, nas suas funções enquanto Presidente do Rotary International, por causa da sua imensa devoção ao ideal de Dar de Si Antes de Pensar em Si. Não pensem que estou a vangloriar-me por causa do meu irmão. Wilf e eu somos do Canadá e, como todos sabem, os canadianos são em geral tímidos e evitam auto-promover-se. Talvez deva tão somente apresentá-los ao Wilf e deixar que cada um forme a sua própria opinião. Digamos simplesmente que o homem que conseguiu convencer o Governo do Canadá a financiar com mais de 180 milhões de dólares a Iniciativa Global de Erradicação da Polio só pode ser uma pessoa especial. -“A incansável perseverança e extraordinária paciência de Wilf contribuíram para que o Governo abrisse os cordões à bolsa.”, afirmou John Eberhard, ex-Director do R.I. e Presidente da Comissão Rotary do Canadá para o Desenvolvimento Internacional. –“Wilf é uma pessoa altamente convincente quando defende uma causa na qual verdadeiramente acredita. Dedica-se muito à criação dos relacionamentos necessários para alcançar o objectivo.”

O início no Rotary.

Wilf residia havia pouco tempo em Trenton, no Ontário, quando

foi convidado a ingressar no Rotary Clube local em 1962. Na primeira reunião do clube percebeu quanta sorte tivera em ter passado a integrar um grupo cujos ideais se assemelhavam aos seus próprios ideais. Peter, um dos quatro filhos de Wilf, disse-me que o pai acreditava que “muito se espera daqueles que tiveram a sorte de muito terem recebido”. Wilf entendia que tais expectativas se encontram espelhadas na Forma Quádrupla. Wilf confiava tanto na Prova Quádrupla que ele e os seus sócios criaram uma versão própria dela para a sua empresa, a Wilkinson & Company. A “Prova Wilkinson”, com uma lista de dez princípios éticos, mostra-se patente desde há décadas na sede da empresa. Wilf aposentou-se em 2001, mas a Prova permanece na parede como símbolo dos valores éticos que permitiram à sociedade estabelecer três filiais e empregar mais de 100 trabalhadores. -“Eu sabia que Wilf era um líder notável muito antes de tomar conhecimento da sua ascensão no Rotary ou do seu êxito profissional, ou, ainda, das contribuições que realizou em benefício da sua comunidade.” – declarou há pouco tempo o Governador de Ontário, Dalton McGuinty. –“Trabalho em estreita colaboração com dois dos seus filhos, John, que é membro do Parlamento da nossa Província, e Peter, chefe do gabinete de Ontário.” -“ íderes são aqueles cujas acções inspiram outros a sonhar, a aprender, a agir e, sobretudo, a superarem-se.” – observa o Governador. –“Com base no idealismo dos filhos de Wilf, nos princípios éticos em que se baseiam e na sua dedicação à prestação de serviços, posso apenas concluir que Wilf e Joan são excelentes líderes.” O desejo de servir de Wilf foi fundamental para que se tornasse num líder no Rotary. Ele crê que não devemos necessariamente buscar uma posição de liderança numa organização, mas sim fazer simplesmente o que nos seja pedido, pois as oportunidades surgirão naturalmente. Wilf agradece todos os dias, por escrito, ao maior número possível de pessoas que o ajudam. Não surpreende que, depois de cinco anos no Rotary, já se tivesse tornado Presidente do seu Clube. Em 1971, foi eleito Governador do Distrito 707 (actualmente 7070), e iniciou a sua escalada como líder do Rotary International. Estava interessado em melhorar as condições de vida dos necessitados e acabaria por ter uma oportunidade com a qual jamais tinha sonhado.

L

Momento decisivo.

Wilf recorda-se com nitidez da visita que fez ao sul da Índia em 1982 para dar uma ajuda aos Rotary Clubes locais na
promoção do programa de imunização contra o sarampo, doença que, na época, matava milhões de crianças no subcontinente indiano. Numa reunião de clube, Wilf viu um médico a segurar um bébé ao colo enquanto lhe ministrava a vacina. –“Esta

5

foi uma experiência que mudou a minha vida.” – comentou recentemente. –“Pude ver a dedicação com que os Rotários procuravam atender a necessidades tremendas.” Ken Hobbs, membro deste há longo tempo do Rotary Club de Whitby, no Ontário, e médico empenhado em eliminar o sarampo da Índia, lembra-se de como meu irmão se envolveu nessa iniciativa. –“Em 1980, Wilf e diversos outros exGovernadores de Distritos de Ontário, convidaram-me para integrar a comissão de combate ao sarampo. Wilf encarregouse da parte financeira do projecto e ajudou a convencer o Governo Indiano a fornecer refrigeração para as vacinas. Além disso, persuadiu as autoridades governamentais do Canadá a patrocinarem o envio das vacinas que provinham de Rahway, em Nova Jersey.”

-“Os Rotary Clubes de Salem vacinaram 150.000 crianças contra o sarampo em 45 dias.” – afirmou P. V. “Puru” Purushothaman,

PGD do Distrito 3230, da Índia, ao recordar a viagem de Wilf. –“Quando ele desembarcou em Salem, no Estado de Tamil Nadu, os anfitriões viram-se perante um Rotário jovem, amigável e de sorriso cativante.”! Em Salem, foi recebido com fanfarra e fogo de artifício. –“A notícia da sua chegada propagou-se com rapidez.” – lembra Puru. –“Quando foi vacinar crianças num povoado remoto onde não existiam quaisquer sistemas de comunicação, os residentes decidiram soltar rojões e bombinhas ao longo do caminho. Quando chegou à aldeia, as crianças aglomeraram-se à sua volta. Wilf ficou emocionado.”. Antes da campanha contra o sarampo se concluir, Wilf foi convidado para usar os seus conhecimentos no sentido de dar resposta a outra necessidade. Em 1986, Gerry Wooll, que, na época, era o Presidente da Comissão PolioPlus do Canadá e era ex-Tesoureiro do R.I., nomeou-o para Vice-Presidente e para Tesoureiro do programa PolioPlus daquele país. A sua missão apresentava-se como colossal: angariar 10 milhões de dólares canadianos de Rotários do Canadá. Pois, menos de três anos mais tarde, já tinham conseguido recolher 12 milhões e, com base no êxito conseguido, Wilf foi convidado para dirigir uma campanha de captação de recursos que visava assegurar mais de 180 milhões de dólares americanos a serem disponibilizados pelo Governo do Canadá para o programa PolioPlus.

“Continue a pedir”.

Para Wilf, um homem alto e elegante de 77 anos e cabelo branco, essas incursões visando angariar fundos são nada mais

do que um dia normal de trabalho. -“Para alcançar êxito numa captação de recursos é preciso estar-se convencido de que a necessidade é legítima, ter a coragem de solicitar sem desânimo quando se receba um “não” como resposta. Em cada quatro pessoas, haverá uma que estará disposta a contribuir. Então, continue a pedir e, eventualmente, convencerá alguém a dar.” – ensina Wilf. O próximo passo é utilizar adequadamente os fundos arrecadados. A primeira campanha de captação de recursos na qual Wilf participou, na década de 60, visava o restauro da igreja que ele frequentava em Trenton, um feito que foi realizado em tempo recorde. Desde então, jamais participou num projecto para o qual não pudesse angariar fundos, seja em favor de um hospital, duma instituição educacional, dum centro de reabilitação de deficientes, ou doutros quaisquer.

Perito em contabilidade forense, Wilf está habituado a analisar problemas. Com a calma que lhe é peculiar, faz perguntas

como, por exemplo: -“Já pensou nessa possibilidade?”. E ouve atentamente as respostas. Quando Wilf serviu em campos de refugiados na fronteira do Afeganistão com o Paquistão, depois do bombardeamento liderado pelos EUA, em 2001, a necessidade não era financeira, pois os Rotary Clubes angariaram mais de 1,7 milhões de dólares em menos de quatro meses. A Comissão que chefiava os esforços era presidida pelo ex-Director Lynmar Brock. Como Wilf recorda, “tínhamos que decidir como gastar o dinheiro. A maior carência era de cobertores, de botas, de casacos e de todo o tipo de vestuário próprio para o inverno. A Comissão especificou o que era prioritário e solicitou respostas das empresas locais. Precisávamos também de determinar como iriam ser distribuídos os bens, de modo a evitar que fossem ter ao mercado negro.”. Em 2002, ao atravessar a passagem de Khyber para inspeccionar os acampamentos e iniciar o

6

processo de acomodação da população noutros locais, Wilf percebeu que muitos dos deslocados eram agricultores cujas terras se encontravam infestadas de minas terrestres. Foi quando, juntamente com outros Rotários, decidiu ajudar os Rotary Clubes locais a estabelecer cursos práticos de canalização, de electricidade e de carpintaria para eles.

Presidente da Comissão da Convenção do Centenário.

Todas essas experiências prepararam Wilf para o desafio de presidir à Comissão

da Convenção de Chicago de 2005. Para assinalar o Centenário do Rotary, quase 40.000 pessoas se deslocaram de 200 regiões do mundo, resultando num dos mais altos índices de comparência numa Convenção do R.I.. O Curador da Fundação Rotária, Louis Piconi, que presidiu à Comissão de Promoção da Convenção de Chicago de 2005, elogiou a dedicação de Wilf nestes termos: -“O seu sincero apreço pelas actividades empreendidas nos mais diversos níveis é uma característica que não vemos com frequência. Ele tem a capacidade de cativar as pessoas em todo o mundo.”. Wilf deixou a sua marca em inúmeros projectos. Dez anos atrás, decidiu reactivar um Rotary Clube em Stirling, Ontário. Contactou com o redactor de um jornal da terra e convocou doze pessoas para uma reunião. O clube foi restabelecido em poucos meses e angariou mais de 200.000 dólares canadianos que viriam a ser aplicados na transformação duma estação de combóios num centro comunitário. Os serviços prestados por Wilf estendem-se para além do Rotary. Em 2001, recebeu do Papa João Paulo II a Medalha de Honra “Pro Ecclesia et Pontifice” em reconhecimento pelos trabalhos realizados em benefício da sua igreja. Pela altura em que se tornou Presidente Eleito do R.I., serviu como director executivo do “Quinte Ballet School of Canadá”, uma das principais escolas de dança canadianas. O envolvimento com a prestação de serviços comunitários jamais interferiu com a atenção que dedica à sua família. Wilf e Joan mantêm um estreito contacto com os seus quatro filhos – Bill, Peter, John e Stephen, este membro do Rotary Club de Barrie-Huronia, de Ontário -, e oito netos. Jamais deixou de estar presente nos acontecimentos significativos da família, mesmo que tivesse, para isso, de viajar longas distâncias ou de conciliar tudo isso com outros compromissos importantes.

O modelo que serviu de inspiração.

Wilf ainda se comove ao falar dos nossos pais e sobre quanto eles continuam a inspirá-lo, isto apesar de já terem falecido

há muitos anos. O nosso pai ajudou a paróquia que frequentávamos em Montreal, cidade onde fomos criados, e chegou a presidir à “Holy Name Society” da arquidiocese de Montreal. -“Vi quanto pode ser feito por uma pessoa simples.” – disse Wilf. Meu irmão recorda-se sempre duma reunião da “Hojy Name Society” em que participou juntamente com o nosso pai. Durante ela, alguns jovens comentaram que, apesar de se terem empenhado com muito afinco na angariação de fundos, ainda assim tinham perdido dinheiro. Retirando a carteira do bolso, o nosso pai disse então: “Aqui está. Dou metade da perda e veremos o que poderemos fazer quanto à outra metade.” Esta foi uma lição sobre como demonstrar apreço pelos esforços de outros, que Wilf nunca esqueceu. Naquela mesma noite, aprendeu também sobre liderança. O nosso pai foi eleito presidente da Sociedade durante a reunião.

Nessa altura, Wilf estava a convalescer duma experiência que transformou a sua vida. Durante dois invernos seguidos foi

acometido por pneumonia. Enquanto outros meninos corriam e brincavam na rua, ele explorava o mundo lendo revistas da “National Geographic”. Mas o que realmente o abalou, não obstante, foi a morte da nossa irmã mais nova, por causa da mesma doença. Tenho a impressão de que, ao lidar com tal enfermidade e essa tragédia, Wilf alimentou a sua paixão em ajudar os outros. Ao curar-se, Wilf dedicou-se à melhoria da sua condição física através da prática de desportos. Sempre reservou tempo para a família, tinha seis irmãs e três irmãos e ajudava-os a fazer os deveres. Além disso, esforçou-se por alcançar a mais alta distinção conferida aos escuteiros canadianos. Mais tarde, viria a ser convidado para ingressar no Rotary por um comissário dos escuteiros, assim provando que nenhum esforço se faz em vão. Como era de esperar, aquela vontade de excelência transpareceu também na vida profissional de Wilf. Nos princípios da sua carreira, trabalhou numa firma de contabilidade de Montreal e, ao mesmo tempo, frequentava a Universidade de Mc-

7

Gill. Embora tenha sido avisado pelos seus superiores de que indivíduos casados e com filhos jamais passavam na primeira tentativa no exame para obtenção do título de “contadores ajuramentados”, Wilf conseguiu tal feito em 1958. E, depois, ganhou o “Certificado de Examinadores de Fraudes”.

Wilf foi eleito para membro do Instituto de Revisores En-

cartados de Ontário em 1979, adiantou David Wilson, Rotário e ex-director executivo do Instituto, e recebeu Diplomas de Honra ao Mérito tanto aqui como do Instituto Canadiano de Revisores Encartados. Wilson acrescentou que Wilf recebeu “inúmeras homenagens ao longo dos anos. No entanto, era evidente que o reconhecimento pessoal nunca constituiu a razão pela qual oferecia tão generosamente do seu tempo e das suas aptidões. Ele aceitava essas homenagens com grande humildade e simplesmente continuava a dar de si.”. oan, a esposa de Wilf, acompanhou-o sempre na sua trajectória no Rotary, inclusivamente durante as longas estadias na cidade da sede mundial, Evanston (EUA), na qualidade de Presidente Eleito do R.I.. Ela vai continuar a fazê-lo durante o seu mandato como Presidente. O filho deles, Peter, declarou: “A minha mãe disse que o “hobby” do meu pai é tomar parte em reuniões.”.

J

Um sócio por ano.

Embora as suas atribuições de líder o obriguem a ausentar-se

da sua cidade por largos períodos, Wilf mantém-se envolvido com o seu Rotary Clube e continua a servir na Comissão de Desenvolvimento do Quadro Social. Disse ele: -“Quero que os Rotários, em todo o mundo, assumam a responsabilidade de recrutar um sócio por ano e de o orientar para que se torne um Rotário interventivo.”. Wilf acredita sinceramente que cada Rotário pode fazer a diferença. No início do ano, voltou ao Paquistão para receber do Presidente Pervez Musharraf um prémio em nome do Rotary. No encontro que teve com ele, desafiou o líder paquistanês dizendo-lhe: -“O seu País foi o último a conseguir erradicar o sarampo. O senhor compromete-se a não ser o último a eliminar a poliomielite?”. Sugeriu então a Musharraf que o seu Governo ajudasse através de videos promocionais e de fundos estatais para essa causa. Musharraf interessou-se tanto pela discussão que prometeu fazer mais por apoiar os trabalhos de combate da doença no seu País.

A capacidade que meu irmão tem de persuadir tanto líderes

do mais alto patamar, como pessoas comuns faz com que acreditemos nos seus mais ambiciosos sonhos: “A paz mundial é possível, e o Rotary pode ajudar a alcançá-la.” – disse Wilf. Impossível? Talvez. Mas eu aprendi que, quando Wilf Wilkinson diz que é capaz de fazer com que algo aconteça, somente um maluco iria apostar contra ele.
Tom Wilkinson, PGD do Distrito 7820 (Canadá, Saint-Pierre e M)iquelon), é professor aposentado da “Prince Edward Island” e Presidente fundador do Rotary Club de Charlottetown Royalty. Nancy Shepherdson é jornalista “free lancer” em Illinois (EUA) e membro do Rotary Club de Lake Zurich.

8

Pelos Serviços Internacionais

CIP PORTUGAL/ALEMANHA
Foi assinado já, em 9 do passado mês de Junho, o Protocolo de Constituição desta CIP para o que se deslocou expressamente a Nordhorn (Alemanha), Distrito 1850, o Presidente da Secção Portuguesa, Gov. 2003-04 do Distrito 1970, Compº. Rui Amandi de Sousa. Na referida cidade alemã, o Protocolo, quer em versão de língua portuguesa, quer em versão de língua alemã, foi assinado pelos Governadores de Distrito alemães (na foto a ser assinado pelo Gov. Peter Beckmann), vindo mais tarde a ser assinado pelos então Governadores Portugueses, Artur Almeida e Silva (D. 1960) e Álvaro Gomes (D. 1970). Entretanto, e no âmbito desta nova CIP, está em andamento o processo de constituição de emparceiramento entre o Rotary Club de Vila Nova de Gaia e o Rotary Club de Oldenburg, do Distrito 1850, no que constituirá a primeira geminação. A Secção Portuguesa lança um apelo a que surjam mais Rotary Clubes de Portugal a manifestar-lhe interesse em encontrar clube-parceiro na Alemanha.

9

CIP PORTUGAL/TURQUIA
Decorrem aturados contactos entre os Rotary Clubes de Portimão e de Bodrun, do Distrito 2440, visando alcançar a geminação entre estes dois Clubes. No passado dia 9 de Junho, teve lugar, em Bodrun mais um desses encontros (na foto, e da esquerda para a direita, podem ver-se
os então Presidentes dos Rotary Clubes de Portimão e de Bodrun, Compºs. Rui Alves e Halice Gur, respectivamente, o Comte. José Ilídio Barroso Pereira, representante do Município de Portimão, e o então Presidente Eleito do clube turco, Metin Gur).

INROT-6
Em 9 de Junho, na cidade espanhola de Cáceres, realizou-se o II Congresso deste agrupamento de seis Rotary Clubes: Badajoz, Cáceres, Castelo Branco, Évora, Mérida e Portalegre. Na sua sessão de abertura estiveram presentes D. José Maria Saponi Mendo, Alcalde de Cáceres, e os então Governadores dos Distritos 1960, Compº. Artur Almeida e Silva, e 2200, Compº. Juan Jesús Suárez, que participaram também activamente nos trabalhos, estes seguidos por boa quantidade de Rotários em representação dos referidos Clubes. A organização esteve ao cuidado do Rotary Club de Cáceres, ali representado pelo seu Presidente Compº. Rafael Bergillos Lopez. O Presidente do INROT-6, Compº. José Carlos Mocito, foi quem apresentou as conclusões deste encontro.

NOVA CIP
Foi criada uma nova CIP englobando o Canadá, os Estados Unidos e a Rússia, como todas, visando o desenvolvimento do companheirismo e a coordenação internacional de projectos de serviço às comunidades.

CIP PORTUGAL/GUINÉ BISSAU
Com o objectivo de obter os fundos necessários para o pagamento dos salários devidos a dois professores que ensinam a língua portuguesa na região de Ingoré, o Rotary Club de Montemor-o-Velho organizou uma “Noite de Fados” (veja a foto, de Aldo Aveiro), numa iniciativa de todo o êxito que interessou mais de centena e meia de pessoas e teve ainda o condão de cimentar ainda mais o espírito de companheirismo adentro do quadro social do Clube e de ter constituído excelente ocasião de se falar acerca do Rotary a estranhos. O espectáculo realizou-se no Salão de Festas do Grupo Cénico Amador da Portela, em Tentúgal, e contou com a participação graciosa do grupo de Antigos Estudantes da Universidade de Coimbra, “Guitarras de Coimbra”. É de sublinhar que este Clube tem actuado com muito empenho em parceria com a Congregação do Preciosíssimo Sangue, que dispõe duma Missão neste país lusófono, e foi ainda há pouco tempo distinguido com o Diploma de Trabalho Comunitário Internacional, em reconhecimento pela valia deste projecto educacional.

10

Em torno da The Rotary Foundation
DO MICRO-CRÉDITO À ÁGUA
Há sempre um grupo para si, destinado a transformar ideias em
actos, o que é o melhor que os Rotários sabem fazer. Existem agora mais quatro métodos através dos quais o Rotary pode ajudar os membros dos seus clubes a apoiar causas em que acreditam. Em Fevereiro passado, o Conselho Director do R.I. reconheceu mais quatro Grupos Rotários de Acção, voltados para a água e a sanidade, o micro-crédito, a doação benévola de sangue e a saúde mundial. A partir de agora, os Rotários podem escolher dentre 14 diferentes Grupos o que permite a quem tenha preparação adequada num determinado domínio, ou a quem seja apenas atraído por determinado tema, juntar-se a outros com idênticas afinidades e cooperar com Clubes e com Distritos em projectos voltados para o atingir de certa meta -“Ser eficaz a nível mundial exige que os Rotários coloquem no terreno programas de vasta dimensão.” – afirma Ron Denham, Presidente do Grupo Rotário de Acção Água e Sanidade e membro do Rotary Club de Toronto Eglinton, de Ontário (Canadá). –“Os membros fornecem a “cola” para muitos Clubes e Distritos para que se mantenham coesos e trabalhem eficazmente em grandes projectos.“ Segundo Kurtzman, um estudo efectuado pela Universidade Cristã do Texas mostrou que 817.000 unidades de sangue já foram oferecidas em cada ano como fruto dos trabalhos liderados pelos Rotários. Este novo Grupo de Acção irá permitir aos Rotários de toda a parte espalhar o seu entusiasmo pelas dádivas de sangue, partilhando ideias e conselhos.

O Grupo da Saúde Mundial, entretanto, tem por finalidade apoiar

O Grupo Rotário de Acção do Micro-crédito, por exemplo, está a

os Rotários que estão a organizar eventos com a finalidade de alertar para as doenças evitáveis e para a educação das comunidades quanto às questões da saúde e das boas práticas. -“A saúde pública põe em destaque os recursos locais, pelo que o nosso objectivo não é o de trazer especialistas para certa área e por curtos períodos. O trabalho principal é levado a cabo pelos Rotários locais.” – diz Will Files, que é membro do Rotary Club de Homer-Kachemak Bay, Alaska (EUA) e co-Presidente do Grupo. –“Também esperamos colaborar com outros grupos como o Grupo de Acção Contra a Malária, de maneira a que se possam distribuir redes mosquiteiras nas áreas em que a malária seja um problema sério e as pessoas sejam instruídas relativamente à sua importância e ao seu uso.”

granjear crescente interesse ao conceder pequenos empréstimos. –“Quando as pessoas ouvem falar no extraordinário efeito do microcrédito ficam absolutamente entusiasmadas com o programa.” – diz o Presidente do Grupo, Steve Rickard, do Rotary Club de CalgaryOeste, Alberta (Canadá). –“Este novo Grupo de Acção vai alargar e aprofundar a compreensão dos Rotários acerca do micro-crédito de tal modo que o seu entusiasmo irá fazer atingir resultados até agora intangíveis.“ Os Grupos de Acção podem também dar início a projectos deles mesmos e são exortados a que organizem os seus próprios “sítios” na Internet de modo a permitirem trocas de ideias e a publicitarem as suas actividades. O Grupo do Micro-crédito já o tem em www. rotrianmicrocredit.org, assim como o Grupo da Doação de Sangue. –“Podemos encontrar-nos em www.ourblooddrive.org em qualquer altura” – afirma Charles Kurtzman, membro do Rotary Club de Fort Worth-Sul, Texas (EUA), e Presidente da Rede Global das Doações de Sangue – um Grupo Rotário de Acção.

D esde

que foram reconhecidos os Grupos Rotários de Acção, em 2005, como contraponto aos Grupos Profissionais e Recreativos do Rotary, muitos deles atingiram resultados bem significativos. O Grupo de Rotários contra a SIDA, conseguiu mobilizar apoios de várias outras organizações, incluindo a “CocaCola” e a “Esperança Mundial”, para chegar a um subsídio de 8,1 milhões de dólares da USAID, que foi beneficiar uma parceria a trabalhar na ajuda aos órfãos da SIDA em África. O Grupo Rotário de Acção para a Prevenção da Cegueira planeia com regularidade missões médicas para a realização de operações às cataratas em países nos quais não há eficazes medidas de cuidados clínicos. Estes quatro novos Grupos Rotários de Acção irão estar no estatuto de provisórios durante os próximos dois anos enquanto procuram criar uma base de apoio em quadro social e organizam um plano de trabalhos que irão apresentar ao Conselho Director do R.I..

11

PENSAMENTOS DO PRESIDENTE

Resoluções do novo ano.

Agora que iniciamos um novo ano, dediquemos alguns momentos a reflectir no que foram os últimos 12 meses e nas

importantes metas que o ex-Presidente do Conselho de Curadores Luís Vicente Giay traçara para a nossa Fundação Rotária em 2006-07. Advirto, porém, que não temos tempo para lá muita reflexão. O ano que acabamos de iniciar vai decorrer rapidamente e temos que nos deitar ao trabalho imediatamente para podermos mostrar ao mundo que Rotary Compartilha e a Fundação Rotária se preocupa. Os nossos objectivos para 2007-08 são quatro: terminar o trabalho da erradicação global da paralisia infantil e provar assim que um mundo livre da polio é um sonho realista; continuar o compromisso de Cada Rotário em Cada Ano através das contribuições individuais que nos irão conferir o poder de modificar vidas; mostrar que a paz é possível através do apoio aos nossos Centros Rotary de Estudos Internacionais da paz e da resolução de conflitos; e retomar o contacto com os Bolseiros da Fundação, um dos nossos mais valiosos serviços. Espero que todos se juntem a mim para o atingir de tais metas, até porque elas não poderão ser alcançadas de cima para baixo. O mundo melhor que a a nossa Fundação pretende atingir só poderá atingir a partir das bases através do vosso apoio e da vossa dedicação. Comecemos já, hoje mesmo, para evidenciar como o Rotary Compartilha o seu amor e os seus recursos através da The Rotary Foundation. Bhichai Rattakul Presidente do Conselho de Curadores

WILKINSON ACEITA PRÉMIO POR ACÇÕES DE RECUPERAÇÃO APÓS SISMO NA CACHEMIRA
Quando um sismo da magnitude de 7.6 atingiu a Cachemira em Outubro de 2005, os Rotários locais e doutras partes
estavam na primeira linha das respostas aos seus efeitos. Organizaram equipas de médicos, montaram campos para refugiados, ofereceram sangue para as vítimas. No total, o Rotary contribuiu com mais de 5 milhões de dólares em dinheiro e em espécie, e levou essas ajudas até às dezenas de milhar de sobreviventes do sismo. Estes esforços vieram a ser reconhecidos publicamente pelo Governo do Paquistão em 11 de Fevereiro. Num encontro televisionado que teve lugar em Islamabad, o Presidente do Paquistão, Pervez Musharraf fez entrega ao Presidente 2007-08 do R.I., Wilfrid J. Wilkinson, da “Sitara-e-Eisaar” (Estrela do Sacrifício) em homenagem ao trabalho realizado pelo Rotary na recuperação dos danos causados pelo tremor de terra. Depois de fazer a entrega do Prémio, que distingue organizações em função do seu apoio dado após o desastre, Musharraf discutiu os trabalhos de reconstrução com Wilkinson, salientando a eficiência dos Rotários no levar ajudas onde se mostravam precisas e na colaboração com o exército do Paquistão, que tinha sido mobilizado para a ajuda em áreas do interior. -“Pensava que seria um encontro de uns 10 minutos. ” – comentou Wilkinson. –“e, passados 20, o Secretário dele começou a vir todos os minutos para lhe recordar que era tempo de acabar. Mas ele continuava e, no final, tínhamos conversado por quase uma hora.”

Musharraf e Wilkinson falaram também sobre a erradicação da polio no Paquistão, um dos quatro países que ainda

restam endémicos da polio. Musharraf manifestou o seu empenhamento no extermínio da doença e também o seu apreço quanto aos esforços dos Rotários na imunização. O Paquistão recebeu 39 milhões de dólares da The Rotary Foundation para que passe a ser um país livre da polio. A TV paquistanesa cobriu seriamente o evento e nessa noite, quando Wilkinson saía dum jantar com Rotários em que participara, sentiu-se como uma celebridade. –“Apanhámos um táxi e, quando entrei nele, o condutor logo me reconheceu e ficou a estoirar de excitação. Estávamos todos tão cheios de energia!” O Paquistão tem mais de 100 Rotary Clubes, com um total de quadro social de cerca de 2.900 líderes profissionais e

12

de negócios. A história, já antiga, do Rotary no País começou com a admissão em R.I. do Rotary Club de Lahore, em 1927. Para além das acções desenvolvidas na recuperação dos danos provocados pelo sismo, os Rotary Clubes do Paquistão apoiam muitos projectos de serviço humanitário, como a construção de escolas para as crianças, formação profissional para pessoas pobres e acesso a água potável de aldeias de fracos recursos.

TOLERÂNCIA PARA A DIVERSIDADE
O seu Clube está a envidar todos os esforços para manter os seus mais recentes membros a continuar a vir às
reuniões em cada semana? Alguns clubes de sucesso enfrentaram este desafio organizando programas e actividades de si mesmo pensados para os Rotários mais novos. Há, porém, algo ainda mais simples que você pode tentar: faça-os sentir que são bem-vindos. O conselho vem de John Gomes, que, quando entrou para o Rotary com 32 anos, se tornara o mais jovem elemento do Rotary Club de Cidade do Cabo (África do Sul), admitido em R.I. em 1925. Afirma que aderiu ao clube com alguma apreensão em volta da questão de diferença de idade entre ele e os seus Companheiros. Afortunadamente, Richard Martin Friedlander, que era nessa altura o Presidente do Clube, arranjou tempo para dedicar a Gomes. –“Lembro-me como se fosse hoje o quanto ele me fez sentir bem-vindo e me exortou a estar sobretudo atento ao Interact.” – afirma Gomes, que tem hoje 62 anos e avançou para a organização de três Interact Clubes em liceus da Cidade do Cabo. Acrescenta que privilegiou uma mistura inter-geracional, “uma mais valia no recrutamento em Rotary”, pois que “mistura a experiência com novos pontos de vista e novos desafios, uma ponte que muitas vezes falta fora da família rotária”. Friedlander era um sério oponente ao “apartheid”. Faleceu em Fevereiro, mas o seu legado continuou na pessoa de Gomes. –“Uma das mais vivas recordações que conservo das Conferências Distritais foi quando se realizou a dele em 1985-86.” –diz Gomes. –“Os seus dotes de oratória, afirmaram-se e foram-se aprimorando, como conselheiro da cidade, durante três décadas, juntamente com o seu sentido de humor e a sua dedicação em aliviar as doenças da sociedade, e inspiraram-nos a todos.” Advogado, Friedlander foi Presidente da Câmara da Cidade do Cabo de 1971 a 1973, e foi quem mais tempo seguido serviu como membro do Conselho da Cidade: desde 1961 até ter-se reformado em 1994. Sua mulher, Phyllis, lembra o quanto ele lutou por manter o Conselho diversificado do ponto de vista racial e para garantir a todos o direito de voto. Friedlander ocupou vários outros lugares no governo local, incluindo o de “Mayor”.

PRONTOS! AOS SEUS LUGARES! ÀS METAS!
O Presidente 2007-08 do Conselho de Curadores, Bhichai Rattakul acalenta grandes sonhos: um mundo inteiramente livre da paralisia
infantil, um mundo no qual cada Rotário doa em cada ano à Fundação o que quer que seja, um mundo em que a paz é possível e um mundo em que os ex-participantes em programas da Fundação Rotária pertençam à família rotária. Divulgou para tanto as suas metas junto dos Coordenadores Regionais da Fundação Rotária (CRFRs) no decurso do seminário que se realizou em Skokie (EUA) em Março passado. -“O futuro e o êxito da Fundação Rotária estão nas suas mãos.” – disse então. Os CRFRs são nomeados pelos Curadores, com a aprovação do Presidente e do Presidente Eleito do R.I. e para um mandato de três anos. As suas atribuições incluem estabelecer a comunicação entre os Curadores e os Rotários, fazer intervenções em seminários de formação e auxiliar os Governadores de Distrito na selecção de membros para a Comissão Distrital da Fundação Rotária e para o alcance das metas definidas. Luís Vicente Giay, que foi o Presidente do Conselho de Curadores em 2006-07, designa os 42 CRFRs como “olhos, ouvidos e mãos dos Curadores”. No seminário de Março último, os Coordenadores aprenderam sobre as metas da Fundação para 2007-08: a iniciativa “Todos os Rotários, Todos os Anos e os esforços a aplicar na obtenção de fundos para a continuidade do financiamento dos Centros Rotary Internacionais na Área da Paz e da Resolução de Conflitos.

13

14

em Imagens
BRASIL ÁFRICA DO SUL

Associando-se ao Grupo PromoFair, o Rotary Club de Santos (D. 4420) montou uma biblioteca no Instituto de Educação Infantil São José, à qual deu o nome de “João Paulo II” (foto “Brasil Rotário”).

O Rotary Club de Letaba (D. 9250) pôs em prática um excelente projecto de formação de professores do ensino básico (foto “Rotary África”).

INGLATERRA

BÉLGICA

Surgiu na Conferência de Bournemouth um novo veículo divulgador da imagem do Rotary que está a circular por todo o país (foto “Rotary Today”).

ÁFRICA DO SUL

Uma esplêndida Exposição/Venda de obras de arte foi organizada pelo Rotary Club de Genk-Staelen como maneira de realizar fundos que lhe permitiram ajudar o Rotary Club de Sousse (Tunísia) a montar uma escola própria para crianças autistas próxima de Sousse (foto “Rotary Contact”).

Por iniciativa do Compº. Derek Stedall, membro do Rotary Club de Pretória-Silverton, que perdeu um filho que, ainda muito jovem, fora atacado de cancro, nasceu a ideia dos “Camp Quality”, que hoje já se organizam em diversos locais do País e são destinados a jovens com problemas de cancro. São Campos de Férias com a duração de uma semana e dedicados às mais diversas práticas desportivas (fotos “Rotary África”).
MÉXICO

AUSTRÁLIA

Por iniciativa do Distrito 9700 (Nova Gales do Sul), e liderada por Maria Bargwanna, esposa do Governador Geoff, membro do Rotary Club de Orange, foi lançado um programa eficaz de luta contra o analfabetismo que se traduziu na distribuição de dicionários, em Março passado, aos jovens estudantes (foto “Rotary Down Under”).

SAMOA Com a capacidade de 20.000 lts., o Rotary Club de San Miguel Allende, de Águascalientes, em parceria com alguns Clubes da Florida (EUA) e apoiado num Subsídio Equivalente da Fundação Rotária, instalou um grande depósito para abastecimento de água potável a cerca de 500 famílias do município de Jalpa (foto “Rotarismo en México”). Através do programa desenvolvido pelos Serviços à Comunidade Mundial do Rotary da Austrália, Ldª. (RAWCS) foram realizadas doações em espécie de ambulâncias como estas, postas ao serviço da zona setentrional de Samoa (foto “Rotary Down Under”).

15

Mensagem do Presidente
Caríssimos Companheiros Rotários. Os Presidentes entrantes do R.I. têm o privilégio de escolher o lema da Organização para o ano dos seus mandatos. O desafio para cada um deles é o de poderem criar um lema que represente o que sentem pelo Rotary, comunique a sua mensagem e motive os Rotários para servirem. O lema seleccionado pelo ex-Presidente do R.I., Bill Boyd – Mostremos o Caminho - incentivou os Rotários a servirem como “heróis” nas respectivas comunidades. A sua liderança fortaleceu o Rotary. Para mim, Rotary Compartilha foi a escolha natural para 2007-08. Sempre achei que a essência do Rotary estava na sua capacidade de partilhar. Diariamente, os Rotários partilham com outros das mais diversas maneiras. Partilhamos o nosso tempo, os nossos talentos e os nossos recursos. Partilhamos a nossa benevolência e o nosso amor. No Rotary, compartilhar não significa dar do que se tem de sobra ou do que não se quer mais. Compartilhar significa dar de si mesmo, sem egoísmo, para o bem dos outros. Significa identificar as necessidades da comunidade e decidir quais delas podem ser atendidas mais eficazmente. Significa dividir o que temos com pessoas ao nosso redor, bem como com aquelas a quem jamais teremos oportunidade de conhecer. Todos viemos ao Rotary com a intenção de partilhar com os necessitados e de confraternizar com outros Rotários. Compartilhamos o Rotary com outros ao recrutar sócios qualificados, compartilhamos o Rotary com as novas gerações ao apoiar a juventude.

Wilfrid J. Wilkinson

A Mensagem do Presidente

Os Rotários têm muito a partilhar e o mundo tem inúmeras carências. O nosso sistema de classificações garante que cada Rotary Clube tem no seu quadro social representantes das mais variadas áreas empresariais e profissionais. Os Clubes contam com uma série de talentos e de aptidões, e possuem os recursos necessários para superar os obstáculos mais refinados. Tudo de quanto precisam é de determinação e de compromisso para a acção. Neste ano peço que digam “sim” aos desafios que surgirão no desempenho das suas funções no Rotary. As nossas ênfases – saúde, alfabetização, recursos hídricos e família rotária – oferecem excelentes oportunidades para servir. Novos projectos e novas possibilidades nos esperam durante os próximos meses. O primeiro passo é dizer “sim”. Sim, transformarei aquela ideia num projecto e dedicar-me-ei à iniciativa até que ela esteja concluída. Sim, compartilharei as minhas aptidões, o meu tempo e os meus recursos com o meu Clube e com aqueles que necessitarem da minha ajuda. Sim, levarei o Rotary aos outros, recrutando um novo sócio para o meu Clube. Espero que, neste ano, possamos demonstrar que o ROTARY COMPARTILHA oferecendo o melhor de nós mesmos aos nossos Clubes, às nossas comunidades e ao mundo.

Wilfrid J. (Wilf) Wilkinson Presidente do R.I.

16

Rotary pelo fora
NÚMEROS ROTÁRIOS
Segundo os dados referentes a 31 de Maio, havia 1.221.298 Rotários, 32.747 Rotary Clubes e 529 Distritos. O Rotary estava presente em 169 diferentes países. Os Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário eram 6.278 em 73 diferentes países. O seu quadro social é de 144.394 membros. Os Grupos de Companheirismo Internacional eram 95. Clubes que tenham entre 10 e 14 sócios; alcançar um mínimo de 20 sócios novos quanto a Clubes que tenham entre 15 e 19 sócios. Para receber o Certificado, o Clube deverá alcançar a meta até 15 de Maio e os nomes dos Clubes deverão ser comunicados pelo Governador a R.I. até 30 de Junho. Representantes de todos os 530 Distritos existentes, reunidos em Chicago de 23 a 27 de Abril passado, no Conselho de Legislação e, no que se refere ao quadro social, foram aprovadas as propostas de:: I – aumento do “per capita”, aumento que passará a ser de 50 cêntimos do dólar em cada semestre de 2008-09 e 2010-11. II – autorização de admissão nos Clubes de líderes comunitários. III – isenção do pagamento de jóia de admissão quanto a Rotaractistas que tiveram de deixar o Rotaract. IV – permissão de que ex-participantes em programas da Fundação Rotária possam tornar-se Rotários mesmo que a sua classificação já se encontre preenchida.

5ª REUNIÃO DE EX-DIRIGENTES DO ROTARY
De 16 a 18 de Janeiro de 2008, vai realizar-se esta importante reunião de reflexão e planeamento do futuro do Rotary, em San Diego, Califórnia (EUA). Decorrerá no Hotel “Four Star Omni San Diego. Este evento vai coincidir com a realização da Assembleia Internacional de 2008, sendo que esta realiza bem proximo do referido local, no Hotel Manchester Grand Hyatt. O preço de inscrição de Rotários é de 175 dólares e, quanto a convidados, de 90 dólares. O custo do hotel, por cada noite, é de 199 dólares e as reserves só serão aceites até 4 de Janeiro. Mais informação poderá ser obtida em www.rotaryreunion.org, ou contactando o PGD Werner Schwarz usando o telefone/fax 00 1 415 472 3385 ou pelo correio electrónico wlschw@LVHA.net, ou contactando Marty Peters pelo telefone 00 1 858 755 0201 ou pelo correio electrónico marty.financialplandesign@lpl.com.

INSTITUTO ROTÁRIO DE LISBOA
Voltamos a lembrar que se vai realizar em Lisboa, ocupando os dias 5 a 9 de Dezembro, um Instituto Rotário da Zona 10-B, que é convocado pelo Director do R.I., Örsçelik Balkan, da Turquia. A Zona 10B inclui os seguintes países: Argélia, Azerbaijão, Bahrein, Chipre, Egipto, Emiratos Árabes, Espanha, Geórgia, Grécia, Jordânia, Líbano, Macedónia, Marrocos, Mauritânia, Montenegro, Portugal, Roménia, Sérvia, Sudão, Tunísia e Turquia. Neste importante evento rotário irão estar e intervir o Presidente Eleito do R.I. (2008-09), Dong Kurn Lee, Directores do R.I. e ex-Presidentes do R.I., o Secretário Geral Ed Futa, ex-Directores do R.I. e várias outras individualidades do mundo rotário. Os trabalhos deste Instituto irão decorrer no Hotel Marriott Lisboa.

CRESCIMENTO DO ROTARY
Os números acerca do quadro social do Rotary são reveladores de que 22% dos Rotary Clubes de todo o mundo têm menos que 20 sócios. Para incentivar o crescimento dos efectivos nestes Clubes, foi lançado o “Reconhecimento a Clubes de Pequeno Porte por Crescimento”, uma iniciativa do Conselho Director do R.I.. O Vice-Presidente da Comissão do R.I. de Desenvolvimento do Quadro Social e Retenção, Juan Pedro Torroba, faz notar que, apesar de muitos dos pequenos clubes desenvolverem excelentes projectos, não se mostram capazes de cumprir os quatro elementos de um clube eficaz. Devem, por isso, utilizar os recursos que se encontram à disposição no “site” do R.I., adoptar o Plano de Liderança de Clube e pedir ajuda aos Governadores de Distrito. Para este Reconhecimento foram definidas as seguintes metas, a avaliar em 1 de Julho: alcançar, no mínimo, 10 sócios para Clubes que tenham menos de 10; alcançar um mínimo de 15 quanto a

IV ENCONTRO DE ROTÁRIOS DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA
Tome nota de que vai ter lugar de 4 a 8 de Setembro, em Belém do Pará (Brasil) este importante evento rotário, que decorrerá em paralelo com a realização do XXX Instituto Rotário do Brasil – 2007. Informações pormenorizadas sobre qualquer dos dois acontecimentos poderão ser obtidas acedendo a www.xxxinstitutorotario.org. As inscrições no IV Enontro podem ser feitas via internet em www.frsp.org/CIP_PLOP. .

17

PRÉMIO “DAR DE SI ANTES DE PENSAR EM SI”
Prémio que constitui a mais alta distinção conferida pelo R.I. a Rotários e em reconhecimento da excelência da prestação de serviços humanitários, foram recentemente proclamados os laureados com ele em 2006-07 e que são: A. C. Peter (D. 3010) Ali Akhtar (D. 3270) Andrea Thorpe (D. 6970) Andrew Buttfield (D. 9750) Andy Smallwood (D. 5890) Ann MacInnes Cook (D. 5500) António T. Uy (D. 3860) Awadh Dubey (D. 3110) Bárbara Clemmons (D. 5890) Bem C. Eubank (D. 5510) Benjamin R. Cherian (D. 3230) Birsen Gökyigit (D. 2420) Blake McBurney (D. 6900) Bradley E. Habermehl (D. 6330) Brij Bhushan (D. 3100) Cathy Forsberg (D. 7980) Charan Phatchorn (D. 3330) Charles Adams (D. 7190) Chris Snyder (D. 7070) Colin Hook (D. 5870) Colleen Doyle (D. 9710) D. H. Short II (D. 6840) Deepak Padmakar Dabhere (D. 3030) Deepak Purohit (D. 3130) Dennis La Frenier (D. 7930) Devrim Erol (D. 2430) Donald E. Cutlip (D. 5500) Donald Fultz (D. 5190) Edmond Jacky Cathala (D. 1700) François Giraud (D. 1690) Frank C. Collins Jr. (D. 7890) Frank Mayhew (D. 5130) Garbis Der Yeghian (D. 5300) Gaston Kaba (D. 9100) Gedson J. Bersanete (D. 4470) George F. Harris (D. 6450) Glenn F. Abel (D. 6690) Gregory S. Kuhl (D. 5150) Häkon J. Andreassen (D. 2260) Hari Singh Kanwar (D. 3070) Harry Nash (D. 1010) Hector Mário Denner (D. 4870) Heinz Kounio (D. 2480) Helvécio Botelho Siqueira (D. 4480) Hemant Desai (D. 3060) Hiroshige Hayashi (D. 2700) Hugh Impey (D. 5370) Hugo B. Keller (D. 2410) Hui-Hsia Chu Yeh (D. 3490) Iain Young (D. 1010) Ian Howden (D. 9680) Ian Pickering (9820) Ian Yarker (D. 9640) Il Kyun Shin (D. 3670) Ila Shah (D. 7620) Irving J. Brown (D. 5520) Ivan Cornelius (D. 5170) J. Frank Bradshaw (D. 6200) Jay Eastman D. 6380) Jenny Horton (D. 9600) Jim Kite (D. 5890) Jo Ann Lemmon (D. 5180) John Fair (D. 6820) John Henderson (D. 9810) John L. Hertle (D. 5220) John Ronald Seddon (D. 9600) John W. Carpenter Jr. (D. 6290) Jogn W. H. Knight (D. 1080) José António Figueiredo Antiório (D. 4610) José Francisco Troche (D. 7000) Joyce M. Lockard (D. 5100) Juan José De La Cruz Veguero (D. 2200) Katherine Thompson (D. 5030) Keiji Shioda (D. 2790) Kenichi Kaneko (D. 2790) Kent D. Converse (D. 5690) Kim Schilling (D. 5470) Kishor Kedia (D. 3030) Koji Mizogushi (D. 2600) Lalit Mohan Gupta (D. 3100) Linda Raney (D. 7070) Manilal Premjibhai Shah (D. 3160) Marcel Gregoire (D. 1680) Mark A. Hansberger (D. 5500) Mark Healy (D. 5810) Mark Leeka (D. 5280) Martin Byrnes (D. 5580) Melquíades Alvarez Chaires (D. 4130) Michael Perera (D. 3220) Michel Defrance (D. 1730) Michelangelo Ambrósio (D. 2100) Nathan K. Kere (D. 9600) Nicholas Mancus (D. 9100) Nobuhiro Fujita (D. 2770) Noel Fryer (D. 1210) Norman O. Olsen (D. 5190) Olaug Sofie Andreassen (D. 2260) Paras Mal Bhansali (D. 3190) Pascual Taddei (D. 4380) Paul Manchak (D. 7620) Pervez Ahsan Khan (D. 3270) Peter Pearce (D. 9680) Phililip Gary Parrish (D. 6150) Ram Reddy (D. 1030) Ram Shanker Bhargava (D. 3100) Ramesh Karkare (D. 3030) Ramiro Garcia Jr. (D. 3850) Rangarao Krishna (3180) Rebecca Anwar (D. 7450) Richard Allen (D. 6970) Richard Kemme (D. 5440) Richard W. Keffer Jr. (D. 7680) Robert A. McClenathan (D. 7390) Robert Cerwin (D. 7670) Robert French (D. 7040) Robert J. Grantham (D. 7170) Robert P. Lewis (D. 5030) Robert Rose (D. 5030) Roberto Seymour (D. 6800) Roberto Carra (D. 4880) Roger Esnault (D. 1110) Ronnie Strickland (D. 6760) S. B. Budhiraja (D. 3010) Sadao Kuranami (D. 2780) Sajid Baseer Shaikh (D. 3270) Satya Narayan Gupta (D. 3080) Shankarnarayan Hebbar (D. 3180) Sharad Phatak (D. 3040) Shekhar Mehta (D. 3290) Shigekazu Miyzaki (D. 2650) Srinivasalu Mallappa Mekal (D. 3190) Takeshi Tanaka (D. 2680) Tapan Kumar Ray (D. 3240) Tawfiq Kawar (D. 2450) Teong Dato Low (D. 3300) Thirupanthi Naidu (D. 3160) Thomas Greidanus (D. 5370) Toshikazu Michishita (D. 2500) Vijay B. Rathi (D. 3130) Vishwas Sahasrabhojanee (D. 3030) Walter A..Arzabe Fuentelzas (D. 4690) William Feyrer (D. 5020) William Griffin (D. 7510) William Rowley (D. 5060) Yuichi Tomori (D. 2730)

DALAI LAMA
O Dalai Lama realizou, em Agosto passado, uma visita a Dharamsala, na região dos Himalayas da Índia, para tomar parte na inauguração de um Centro de Reabilitação patrocinado pelo Rotary numa região que é muito pobre de apoios a pessoas com deficiência.

NOVO PLANO ESTRATÉGICO

18

O Conselho Director do R.I. aprovou um novo Plano Estratégico para aplicação de 2007 a 2010.

THE ROTARY FOUNDATION
MENSAGEM DO PRESIDENTE DO CONSELHO DE CURADORES Comecemos a usar um recurso natural. Agosto é o Mês do Desenvolvimento do Quadro Social e Expansão o tempo ideal para nos concentrarmos na meta da Fundação Rotária de reatar contacto com ex-participantes em programas seus. A maioria das pessoas que, no passado, beneficiaram de Intercâmbios de Grupos de Estudos, de Bolsas Educacionais e de Bolsas Rotary pela Paz Mundial está extremamente grata pela oportunidade que teve dada pela Fundação. Muitas delas gostariam de continuar envolvidas com o Rotary. A questão é que não nos esforçamos por manter o contacto com essas pessoas e não as convidamos para ingressarem nos nossos Clubes. Nem mesmo as desafiamos a virem ao clubes proferir uma palestra! Não lhes damos a oportunidade de contribuírem para a Fundação e assim possibilitarem que outros tenham uma experiência semelhante àquela que tiveram. Tantas dessas pessoas possuem os mesmos ideais e valores dos Rotários, vêem o mundo sob uma perspectiva mais ampla e acreditam no poder de cada um de fazer deste um mundo melhor e mais pacífico! Que candidatos mais qualificados poderíamos arranjar do que estes?! Mostremos a ex-participantes em programas da Fundação Rotária como o Rotary Compartilha convidando-os a fazerem parte da nossa Organização. Bhichai Rattakul Presidente do Conselho de Curadores

CONHECER MAIS SOBRE ROTARY
Aproximam-se os meses que o Rotary dedica à Juventude e aos Serviços Profissionais. Nas áreas da Juventude pode consultar o Guia do RYLA (694-PO) e o Guia de Participantes no Intercâmbio de Jovens (752-PO), qualquer deles ao preço de 1,5 dólar. Tem ainda diverso material sobre IGE (073, 077, 078, 160, 161, 164, 165 e 260-PO), quase todos gratuitos, o Guia sobre Intercâmbio de Jovens (755 e 756-PO), por 3 dólares, a publicação sobre Programas Educacionais da The Rotary Foundation (431-PO), a 2 dólares, os Manuais do Interact e do Rotaract (654 e 562-PO), por 3,25 dólares. Na zona dos Serviços Profissionais, não se esqueça da Declaração das Normas a observar pelos Rotários nos seus Negócios e nas suas Profissões (200-PO), disponível por 2 dólares. Para encomendar, contacte o Balcão de Encomendas de Publicações através do

telefone 00 1 847 866 4600, ou pelo fax 00 1 847 866 3276. Pode também fazê-lo por correio electrónico em pbos@rotary.org em qualquer dos escritórios do R.I., ou “on-line” pelo sítio www. rotary.org/shop.

AS PRÓXIMAS CONVENÇÕES
Em 2008, a Convenção do R.I. realizar-se-á em Los Angeles, uma como a outra nos Estados Unidos. Em 2009, a Convenção irá realizar-se em Seul (Coreia do Sul) e a de 2010 em Montreal (Canadá). Irá realizar-se nos Estados Unidos a Convenção de 2011, em Nova Orleães (EUA), e a de 2012 em Banguecoque (Tailândia). Em 2013, a Convenção vai realizar-se em Lisboa (Portugal). A de 2014 decorrerá em Sydney (Austrália).

“Flashes Rotários”
* Philip Lader, notável líder mundial, foi distinguido com o Prémio de Serviço Humanitário Global da Fundação Rotária durante a Convenção de Salt Lake City, no passado mês de Junho. * Um numeroso grupo de jovens com deficiência, representando mais de 20 países tomou parte no RYLA internacional que se realizou em Salt Lake City, na oportunidade da realização da Convenção do R.I.. * Dê uma ajuda! Há muita coisa que faz falta um pouco por toda a África: antibióticos, electricidade, medicos otorrinolaringologistas e professors de educação especial. A sua ajuda pode constituir prevenção contra mudos, desemprego e pobreza. * O primeiro Rotary Clube a tornar-se 100% em “Major Donors” da Fundação Rotária foi o Rotary Club de Kowloon-Leste.

NOTA DO EDITOR
Com esta edição de PORTUGAL ROTÁRIO é distribuído, em separata, um caderno com abundante informação acerca de noções básicas do Rotary, da sua organização, propósitos e actividades. Constituindo material que pode ser útil para o esclarecimento público e para o reforço da imagem do Rotary, poderá o seu Clube requisitar, sem custos, o fornecimento de exemplares extra desse caderno para eventual distribuição exterior ao Rotary.

19

Os nossos Go
Caros Companheiros e Amigos.

É com muito prazer que vos saúdo através da nossa Revista
Regional Oficial do Rotary International, no início de um novo ano rotário.

O nosso Presidente do R.I., Wilfrid J. Wilkinson, escolheu o lema “Rotary Compartilha” para o ano rotário de 2007-08, cujas cores do logo representam o céu e a generosidade (azul), a terra e a caridade (laranja), a vida e a honestidade (verde). Juntos, todos os elementos do planeta e a humanidade formam o mundo rotário para compartilhar. Rotary é a mais antiga organização internacional de clubes prestadores de serviços, com dezenas de milhares de projectos úteis e criativos que são empreendidos durante o ano em prol das pessoas mais carenciadas do Mundo. Na verdade, a magia do Rotary permite que pessoas como vós e eu, que giram em torno da família, carreira e comunidade, consigam ir mais além da rotina diária e fazer algo mais sublime. Rotary abre os corações a pessoas que talvez jamais viéssemos a conhecer, que defendem os mesmos ideais de amor ao ser humano. Rotary é amor vivo entre os seres humanos, seja lá quem forem e onde estiverem, e o Rotary permite-nos compartilhar esse amor. O Mundo está muito carente de amor e de paz. Por isso torna-se necessário e urgente compartilharmos o nosso amor através dos Serviços Profissionais, à Comunidade e dos Internacionais e, também, apoiando a juventude, futuro do Rotary e do Universo. Assim, o nosso Presidente do R.I Wilfrid J. Wilkinson convida-nos na sequência das ênfases presidenciais - Alfabetização, Recursos Hídricos, Saúde e Nutrição e Família Rotária - a continuar a satisfazer as necessidades básicas, no que tem estado na vanguarda dos esforços rotários nos últimos anos.

Para que estas acções sejam compartilhadas é necessário convidar pessoas a fazer parte do quadro social dos Rotary

Clubes, assim como não esquecer o contacto com os ex-Rotários, inclusive os viúvos (as), contribuindo desta forma para o melhor fortalecimento do Rotary. No intuito de angariar fundos a favor dos clubes para a satisfação dos projectos junto das suas comunidades e, também no cumprimento das suas obrigações rotárias internacionais, a Governadoria vai promover o Projecto Distrital “Rotary em Acção... Para um Mundo Melhor”, que consiste na venda de bilhetes pelos clubes promotores, com atribuição de prémios a sortear no dia 25 de Junho de 2008. É por tudo isto que vos convido a “Compartilhar Rotary” livre e intensamente. Estou certo do empenhamento de todos os companheiros do Distrito 1960 para este desafio. E todos podem crer que podem contar comigo. Eduardo Caetano de Sousa Governador 2007-08 – Distrito 1960

20

overnadores
Companheiras e Companheiros. Devemos perguntar a nós próprios: O QUE É O ROTARY? PORQUE ESTAMOS EM ROTARY? Quando encontrarem a resposta vão ver que O ROTARY É INCRÍVEL! É MAGIA! É AMOR VIVO! Parece impossível como somos capazes de realizar dezenas de milhar de projectos num ano rotário, projectos úteis e criativos. Somos capazes porque é grande o Companheirismo e a Amizade que existe e se cria entre Rotários e destes para com a Humanidade. Na realidade, o mundo não está bem, mas, sem o ROTARY, estaria decerto pior. E a Magia do Rotary está em permitir que pessoas comuns façam coisas extraordinárias. O Rotary é amor vivo entre seres humanos, seja lá quem for e onde estiver. Rotary permite-nos Compartilhar este Amor. Foi o Movimento Rotário que, em 1979, se uniu ao governo das Filipinas para a primeira vacinação em massa contra a paralisia infantil. Em 1985 lançou o Programa POLIOPLUS e, em 1996, só na África Sub-Sariana, vacinou 120 milhões de crianças. Foi graças a este programa que milhões de pessoas, que poderiam ter sido vítimas da poliomielite, vivem hoje uma vida normal. Companheiras e Companheiros. Compartilhamos o Desenvolvimento de Ideias para novos projectos nos nossos clubes. Compartilhamos o amor pelo Rotary no Quadro Social, estimulando a entrada de novos membros. Não importa se os clubes são já bem sucedidos.Certo é que, se não conquistarmos novos sócios, o Rotary não sobreviverá. Sem novos associados “nada de mágico” acontecerá. Por isso, desafio-vos a Compartilhar o crescimento de Rotary. Vamos também Compartilhar esse amor apoiando a juventude, que é o futuro do Movimento e do próprio mundo. Companheiras e Companheiros. Vamos empenhar-nos no combate às necessidades das pessoas, tendo em conta as ênfases do nosso Presidente Wilf. A água, os recursos hídricos e o Ambiente, a literacia e a alfabetização, a saúde e a nutrição e a família rotária. E, quando nos empenharmos em debelar essas necessidades, não nos esqueçamos que “a verdadeira essência do Rotary é o Amor, e que a essência de expressar o Amor é a Gentileza. Esses dois ingredientes, amor e gentileza, fazem com que Rotary seja possível”. Compartilhar não é dar o que nos sobra, seja o nosso dinheiro ou os nossos talentos. Compartilhar é tembém oferecer o nosso amor. O Rotary Compartilha porque cada Rotário conhece as necessidades do Mundo, “dá de si antes de pensar em si”. Companheiras e Companheiros. Há muito ainda a fazer num mundo onde 2.500 milhões de pessoas vivem com menos de 1 Euro por dia, 300 milhões estão com fome neste momento, 1.350 milhões não têm água potável, 3,5 milhões de hectares de floresta e 2 milhões de terra arável vão perder-se durante o nosso ano rotário e 20 mil pessoas morrerão por dia à fome, sendo a maior parte crianças. Rotary tem de ajudar a melhorar as condições destes milhões de pessoas mostrando o caminho para um desenvolvimento humano sustentado. Só assim a PAZ É POSSÍVEL. O Mundo espera por nós. Este ano rotário muito nos será pedido. Reconheço que nem sempre será fácil. Muitas vezes seremos colocados à prova do quanto amamos Rotary. Mas estou certo de que todos, sem excepção, estamos empenhados em criar entre nós uma verdadeira e grande amizade e, assim, em conjunto, podermos contribuir para melhorar as condições de muitas pessoas. Companheiras e Companheiros. Continuemos a mostrar o caminho compartilhando Rotary e façamos saber que ROTARY COMPARTILHA! Bernardino Pereira Governador do Distrito 1970

21

O que vai pelos Rotary Clubes
PERSPECTIVAS DE EXPANSÃO E NÃO SÓ
No que diz respeito ao Distrito 1970, o agora PGD Álvaro Gomes designou como seu Representante Especial para os trabalhos conducentes à formação de um Rotary Clube em Leça do Balio a Compª. Teresinha Fraga, que é membro do Rotary Club de Senhora da Hora, que servirá de clube-padrinho. de Grupos de Dança Jazz da Escola Ana Luísa Mendonça, do Grupo de Dança do CCD, do “Kashibas’Band”, da Banda Juvenil da Escola de Música de S. João da Madeira, da Academia de Música, do Grupo Coral de Centro de Educação Integral, do Grupo Coral “Os Espadanitos” e do Grupo de Canto Novo da Escola Secundária de Serafim Leite.

NOVO ROTARY CLUBE

Foi admitido em R.I., quanto ao Distrito 1970, e no passado dia 5 de Junho, conforme já noticiámos, o Rotary Club de Murtosa,

cujo padrinho é o Rotary Club de Estarreja. O novo Clube dispõe dum quadro social misto e com 21 membros, e é presidido pelo Compº. Alfredo Costa Pereira. Reúne semanalmente às quartasfeiras na Estalagem “Riabela”, na Torreira. Foi Representante Especial do Governador para a formação do Clube o Compº. Diamantino Matos, membro do clube-padrinho. Sobe assim para 83 o número dos Rotary Clubes deste Distrito. A reunião festiva de entrega da Carta de Admissão teve lugar no dia 23 do mesmo mês e com a presença, não só do Governador, Álvaro Gomes, que a ela procedeu, mas também de representações de muitos dos Clubes do Distrito em festa.

SERVINDO

O Rotary Club de Benedita voltou a organizar um Torneio de xadrês, que contou com a entusiástica participação de 40 jovens praticantes.

O Rotary Club de Mafra organizou com muito sucesso um Jantar Medieval nas instalações da sede do Rancho Folclórico “Cantarinhas de Barro”, com música e animação medievais, como maneira de angariar fundos para o seu projecto de construção de um Lar de Idosos no Lugar de Ribeiralva.

O Rotary Club de Braga promoveu um amplo rastreio público da diabetes e do colesterol, uma iniciativa gratuita para a população de todo o concelho bracarense. Um rastreio visual foi realizado pelo Rotary Club de Estremoz nos cerca de seiscentos alunos das escolas do ensino básico. E um rastreio do cancro gástrico foi promovido pelo Rotary Club de Viana

do Castelo.

Um animado torneio de golfe foi implementado pelo Rotary Club de Marinha Grande, iniciativa que foi beneficiar a SPEM-Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla, a “Casa dos Afectos”, que se dedica à protecção de crianças em risco, e a APPC-Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral. O Torneio decorreu no Campo Real de Torres Vedras. A organização duma série de espectáculos musicais foi a iniciativa de muito mérito tomada.pelo Rotary Club de S. João da Madeira com a finalidade de realizar os fundos necessários para aquisição duma cadeira de rodas de tracção eléctrica. Os espectáculos tiveram as actuações do Coro e Tuna, assim como da Turma de Dança, da “sua” Universidade Senior,

O Rotary Club de Espinho organizou no Casino local um espectáculo de variedades a que deu o nome de “Vozes, Música & Bailado”, como maneira de angariar fundos que foram dar uma boa ajuda à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Espinho para aquisição de um monitor destinado a equipar uma ambulância de socorrro. Um Torneio de Golfe, no Campo de Golfe de Benamor, animado com a actuação da Banda Filarmónica de Castro Verde e complementado com a realização de rifas e leilões e um animado Jantar Dançante de Gala, tudo num conjunto de acções que o Clube denominou “Festa Big Bang de Caridade”, foi a excelente iniciativa tomada pelo Rotary Club de Almancil Internacional e que lhe permitiu angariar mais de 13.500 Euros para constituição de um Fundo em apoio a crianças desfavorecidas do Algarve. Com a finalidade de reunir fundos a favor da The Rotary Foundation, a “Casa da Amizade da Maia” organizou um animado “Chá Inter-Clubes” na Estalagem Via Norte. O Rotary Club de Oeiras levou por diante a organização, no “Atrium” principal do “Tagus Park”, de uma exposição/venda de serigrafias com a finalidade de realizar receitas a aplicar na concessão de Bolsas de Estudo para estudantes aplicados mas com dificuldades económicas.

22

Aproveitando a realização da Mostra de Artesanato das Festas da Cidade,o Rotary Club de Abrantes participou nela e realizou uma quermesse com a qual logrou angariar fundos que fez reverter em favor da IPSS “CRIA-Centro de Recuperação Infantil de Abrantes”, numa ajuda significativa para que ela consiga levar por diante a construção do novo lar residencial.

Teve absoluto êxito a “2ª Grande Noite Rotária de Fado” em muito boa hora organizada pelo Compº. José Rocha, do Rotary Club de Esposende, com o apoio de sua Mulher, Maria do Carmo. O evento decorreu no Palace Club de Priscos (Braga) em 31 de Março e teve forte adesão, revertendo a receita assim obtida a favor da campanha “Cegueira Evitável”.

Com a colaboração do Instituto Português de Sangue, o Rotary Club de Sintra realizou uma forte Campanha de Colheita de Sangue e de Dadores de Medula Óssea. O Rotary Club do Funchal organizou mais uma “Sardinhada do Artista”, nos Jardins Municipais, que contou com a participação de 23 Artistas Plásticos (1 de Espanha, 8 do Porto e 14 da Região Autónoma da Madeira), um projecto durante o qual 42 obras de arte foram pintadas ou esculpidas e, no decurso do jantar de encerramento, leiloadas, o que permitiu ao Clube angariar 28.000,00 Euros aplicados em mais 5 Bolsas de Estudo de curso integral, a somar às 26 que este Clube já mantém. Com o objectivo de financiar Bolsas de Estudo, o Rotary Club de Albufeira organizou também uma “Grande Noite de Fado”, no Hotel Paraíso, durante a qual mais de duas centenas de pessoas, para além do convívio do jantar, puderam deliciar-se com as vozes de uma dezena de fadistas dos melhores que actuam no Algarve. O Rotary Club de Senhora da Hora voltou a organizar, e com absoluta pertinência, um “Rally-Paper”, iniciativa que teve em vista a realização de fundos para consecução de Subsídios Equivalentes para a sua intervenção no programa “Cegueira Evitável”.

O Rotary Club de Ovar inaugurou em local de destaque da cidade, um bonito Marco Rotário.

UNIVERSIDADE SENIOR

Mais uma Universidade Senior se perfila no horizonte, cabendo agora a iniciativa ao Rotary Club de Fafe. O seu processo de organização arrancou com o início do novo ano rotário e conta-se que seja ultimado durante ele.

À ATENÇÃO DOS SECRETÁRIOS
Mudou o ano rotário. É boa altura para que o Secretário de cada Clube envie para a Associação Portugal Rotário nova listagem, devidamente actualizada, contendo a composição de todo o quadro social do Clube, com suas moradas correctas, a fim de proporcionar as condições para que a Revista lhes possa ser remetida adequadamente, assim se evitando indesejáveis extravios e devoluções. Por favor, faça-o já.

IMAGEM DO ROTARY

Com o objectivo de reunir fundos destinados ao financiamento dos programas humanitários que promove, o Rotary Club de Senhora da Hora organizou com bastante visibilidade o seu XVII Rally Paper.

23

COMPANHEIRISMO & CULTURA

“Cuidados Continuados de Saúde” foi o assunto versado no Rotary Club de Coimbra pelo Dr. Fernando Regateiro, Presidente da Administração Regional de Saúde do Centro.

O Rotary Club de Montemor-o-Velho foi de visita aos moínhos de Penacova e Ançã (foto de Aldo Aveiro).

O Rotary Club de Vila Nova de Famalicão promoveu uma Caminhada/Pic-Nic à Senhora da Peneda.

Também no Rotary Club de Coimbra esteve o Dr. Jaime Gama, Presidente da Assembleia da República, que aqui proferiu uma palestra sobre “Após 50 Anos do Tratado de Roma, que Futuro para Portugal na União Europeia?”

O Rotary Club de Fafe passou um fim de semana a efectuar visitas a Aldeias Históricas, tendo-se, para o efeito, deslocado a Castelo Mendo, Sortelha, Castelo Novo e Piódão

Em reunião conjunta dos Rotary Clubes que operam na cidade de Lisboa, funcionando como anfitrião o Rotary Club de Lisboa-Oeste, foi feita a apresentação pública dum livro da autoria do Compº. António José Sarmento Felgueiras. A obra, intitulada “Porquê?”, foi apresentada pelo jornalista Dr. César Urbino Rodrigues, e versa um drama familiar. Mais uma vez, o Rotary Club de Oliveira de Azeméis realizou um encontro/convívio entre seus Bolseiros, respectivos patrocinadores das Bolsas e os membros do próprio Clube. O Rotary Club de Barreiro levou a cabo uma muito bem conseguida jornada de companheirismo e cultura, com toda a família rotária, que incluiu uma visita guiada às instalações e ao espólio do Museu da “CUF”, na “Quimiparque”, acção que foi enriquecida com o contributo do Engº. Sardinha Pereira.

PALESTRAS

24

No Rotary Club de Póvoa de Varzim proferiu uma bem interessante palestra sobre “A Cerâmica Chinesa no Tempo dos Descobrimentos” o Dr. Hernâni Martins de Campos.

O Bispo da Guarda, D. Manuel da Rocha Felício, esteve no Rotary Club da Guarda a apresentar uma comunicação sobre “Erradicação da Pobreza em Ano Europeu de Igualdade de Oportunidades”. Foi palestrante no Rotary Club de S. João da Madeira a Drª. Cristina Mesquita, que abordou o tema “Seniores em Movimento”. E no Rotary Club de Santo Tirso orou acerca de “Doping no Desporto” o Prof. Doutor Félix de Carvalho. O Dr. Hugo Cruz, Coordenador do Projecto “Trevo”, foi o orador convidado pelo Rotary Club da Feira, aqui proferindo uma acutilante palestra sobre “Violência Doméstica”. No Rotary Club de Marinha Grande dissertou sobre “Ética e Felicidade“ o Dr. António Rijo Martinho. Neste mesmo Clube foi oradora a professora e jornalista Alice Marques e para dissertação acerca de “Corpos Danone, Cérebros Danoninho – Representação das Mulheres nos Media”. “Constelações Familiares” foi o tema de palestra que a Drª. Paula Matos proferiu no Rotary Club de Parede-Carcavelos. “Sistema de Segurança Interna Nacional e o Terrorismo como Ameaça Global” foi sobre que proferiu uma palestra no Rotary Club de Setúbal Daniel Sanches. No Rotary Club de Évora esteve como palestrante o Prof. Doutor José Manuel de Barros Dias que proferiu uma lição sobre “Ética Profissional e Responsabilidade Social no Momento Histórico da Globalização”. “A Matemática e os Azulejos” foi o interessante tema da palestra proferida no Rotary Club de Ovar pelo Prof. Doutor Arala Chaves, docente da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Igualmente neste Clube esteve o Dr. Fernando Pinto, médico especialista em cardiologia, que dissertou sobre “O Exercício Físico na Prevenção das Doenças Cardiovasculares”. No Rotary Club de Loulé foram oradores convidadaos os Engºs. Artur Ribeiro e Joaquim Freire que expuseram sobre “Actividades de Saneamento de Águas Residuais nas Águas do Algarve”. Neste Clube foi também palestrante o jornalista Idálio Revez, que abordou o assunto “Por Detrás da Notícia”. A Engª. Elsa Costa foi ao Rotary Club de Figueira da Foz

fazer uma intervenção acerca de “Injecção do Plástico – Área Automóvel”. Sobre o importante programa “Leiria Digital” expôs o seu Coordenador, Engº. Vítor Noronha e Távora, professor da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Instituto Politécnico de Leiria, no Rotary Club de Leiria. O Director do Instituto Politécnico, Doutor Rui Teixeira, foi palestrante no Rotary Club de Viana do Castelo na abordagem do tema “O Futuro do Ensino Superior no Distrito de Viana do Castelo”. “Urbanismo e Regime Democrático” foi o tema de palestra que, no Rotary Club de Coimbra-Santa Clara foi proferida por Paulo Morais. No Rotary Club de Torres Vedras foi orador o Vice-Presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, Pedro Almeida Freire, que abordou o assunto “Cidadania, Ética e Desenvolvimento Sustentável”. O Ministro da Presidência, Dr. Pedro Silva Pereira, esteve a proferir uma palestra sobre “Imigração no Contexto Actual da Sociedade Portuguesa” no Rotary Club de Lisboa-Cen-

PARCERIAS

O Rotary Club de Barreiro estabeleceu protocolos de cooperação com a Associação para a Promoção da Saúde Mental “Persona”, e com a Associação Comunitária do Barreiro-Centro de Apoio Alimentar.

EM PROL DA CULTURA

tennarium.

“Projecto de Inclusão” foi o tema abordado no Rotary Club de Vila Nova de Gaia pela Drª. Olga Figueiredo, Directora do CEFPI-Centro de Educação e Formação Profissional Integrada. Esteve no Rotary Club de Senhora da Hora o Gov. 200607 do Distrito 1970, Compº. Álvaro Gomes, a expor sobre “Alfabetização”.

COMPANHEIRISMO

O Rotary Club de Gaia-Sul promoveu um pic-nic da sua família rotária no Parque Nacional da Peneda/Gerês.

O Rotary Club de Senhora da Hora organizou uma Exposição de Pintura nas instalações da sua Sede. Mais de 100 obras de arte estiveram patentes no I Salão Internacional de Artes Plásticas de S. João da Madeira, uma iniciativa do Rotary Club de S. João da Madeira de parceria com a Autarquia. O Rotary Club de Benedita organizou a Desporto Autarquia IV, uma acção através da qual galardoou com Prémios de Mérito Desportivo jovens atletas menores da sua comunidade, que decorreu nas instalações do Centro Cultural Gonçalves Sapinho. O Rotary Club de Faro volta a organizar o certame que dá pela designação de “Prémio Literário Paul Harris”, ao qual podem concorrer obras inéditas em língua portuguesa. Nesta nova edição são admitidas produções do género Narrativa (romance, novela ou colectânea de contos), sendo o valor pecuniário do Prémio de 1.500,00 Euros, o qual integra os direitos de autor para a primeira edição da obra. Esta edição é assegurada pelo clube organizador. Mais detalhes podem ser obtidos em Prémio Literário Paul Harris-2007, Rotary Club de Faro, Apartado 56, 8001-911 Faro, pelos TLM 91 724 3446 ou 96 608 0640 ou pelo correio electrónico tito. olivio@sapo.pt.

VISIBILIDADE

Na zona da Quinta da Portela, em Coimbra, passou a haver uma rua com o nome de Paul Harris, em resultado de proposta feita pelo Rotary Club de Coimbra-Olivais que foi aprovada pela Câmara Municipal
Muito feliz iniciativa tomaram os Rotary Clubes de Arouca, Castelo de Paiva, Oliveira de Azeméis, Ovar e S. João da Madeira ao realizarem, em conjunto, uma jornada de companheirismo gastronómico neste último, em que. cada um levou para a refeição as suas especialidades regionais: broa e pão-de-ló (Arouca), vinhos da Adega Cooperativa (Castelo de Paiva), padinhas de Ul e broa (Oliveira de Azeméis) e pãode-ló (Ovar).

INTERESSANDO-SE

O Rotary Club de Ponte da Barca reuniu toda a sua família rotária num convívio de companheirismo que a levou a confraternizar em Oleiros, numa quinta paradisíaca do Compº. Manuel Sousa.

O Rotary Club de Águeda promoveu uma conferência pública sobre o problema da violência doméstica. Sob a designação “Rostos de Silêncio”, a conferência realizou-se no Auditório da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Águeda e foi oradora a Drª. Daniela Moreira, advogada e técnica ao serviço da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV). Durante ela, e em regime de integral anonimato, qualquer pessoa pode colocar por escrito as suas reflexões em volta do tema e colocar questões concretas à conferencista. Por sua banda, o Rotary Club de Chaves promoveu a organização das VIII Jornadas Culturais, cujo tema central foi “Alto Tâmega – Desafios para uma Nova Centralidade”.

25

Nas instalações do Centro Cultural de Cascais, osRotary Clubese de Cascais-Estoril e Parede-Carcavelos organizaram uma sessão pública sobre “Ética, Responsabilidade Social e Desenvolvimento Sustentável”, moderada pelo Dr. Reinhard Naumann da Fundação Friedrich Ebert em Portugal, na qual também participaram o Engº. António Neves de Carvalho, da EDP, a Prof. Doutora Maria João Nicolau dos Santos, do ISEG, o Engº. Mário Parra da Silva, da “Pedra Base”, o Dr. Marcelino Pena Costa, da APETT, o Prof. Doutor Amílcar Ramos, do ISTCE, o Eng. Rui Ribeiro, da Tratolixo, e o Engº. João Teixeira, da EPUL.

Uma sessão de cinema com a projecção de um filme sobre a freguesia de Santo António dos Olivais, foi a iniciativa em muito boa hora tomada pelo Rotary Club de Coimbra-Olivais. O Presidente da Junta de Freguesia de Ameixial, Abílio de Sousa, foi recebido no Rotary Club de Loulé onde fez uma descrição sobre as actividades desenvolvidas pela autarquia. O Rotary Club de Santarém organizou um magnífico colóquio nas Escolas Secundárias Sá da Bandeira e Ginestal Machado subordinado ao tema “Profissões & Profissionais”, iniciativa que decorreu em colaboração com o serviço de psicologia escolar e que teve em vista esclarecer ao jovens dos 9º ao 12º anos de escolaridade no tocante à escolha duma profissão. Nele participaram, a convite do Clube, vários profissionais, alguns deles antigos alunos dessas Escolas. Álvaro Reis, um ambientalista convicto, foi orador convidado pelo Rotary Club de Ovar tendo dissertado sobre “Erosão e Ordenamento do Litoral Vareiro”. E o Rotary Club de Tondela promoveu uma palestra sobre “Energia e Desenvolvimento Sustentável”, que esteve a cargo do Prof. Doutor Joaquim Delgado, docente do Instituto Politécnico de Viseu. O então Presidente, Compº. Álvaro Rodrigues Gaspar, proferiu no seu Clube, o Rotary Club de Barreiro, uma intervenção oportuna sobre “As Forças Armadas Actuais e Principais Projectos Futuros”.

CONSAGRAÇÃO DE MÉRITOS

No Rotary Club da Régua foi especialmente enaltecido como “profissional do ano” Fernando Guichar. A jornalista da SIC, Fátima Lopes, foi a profissional homenageada pelo Rotary Club de Setúbal-Sado. O distinto médico, Dr. Teófilo Bernardes foi alvo de distinção no Rotary Club de Vila do Conde. Tendo há anos instituído o “Prémio Helena Sá e Costa”, no âmbito do ensino da música, o Rotary Club de Gaia-Sul fez entrega solene deste Prémio aos alunos da Academia de Música de Vilar do Paraíso Tiago Matos (guitarra clássica) e Edgar Cardoso (piano). O Rotary Club de Coimbra distinguiu as empresas ESPECTRO-Sistemas de Informação, Ldª. e HRCENTROAssociação dos Industriais de Hotelaria e Restauração do Centro. Por seu lado, o Rotary Club de Loulé distinguiu os méritos profissionais do jornalista Idálio Revez, um dos fundadores da TSF e do periódico “Público”, e homenageou o seu Compº. José Manuel Pereira, Gov. 2005-06 do Distrito 1960.

26

O economista Dr. Miguel Cadilhe foi considerado como o “profissional do ano” pelo Rotary Club de Póvoa de Varzim.

27

Porquê sou Rotário

“O meu primeiro contacto com o Rotary foi em Hertford (Inglaterra), onde pude verificar a boa influência que um grupo de homens dedicados estava a ter na comunidade local. Nessa altura, era o nº. 2 na direcção duma escola para rapazes adolescentes delinquentes. Os rapazes davam ajuda em vários dos programas do Rotary Clube em favor da comunidade, o que os beneficiava a eles e melhorava os próprios programas. Senti-me tocado com ver homens que eram líderes na comunidade a trabalhar juntos para o bem dos menos afortunados. Mais tarde, a Comissão dos Serviços Profissionais de um Clube próximo pediu-me que encontrasse um miúdo que nunca tivesse beneficiado de um programa de ocupação de duas semanas de aventura. O rapaz escolhido por mim veio contar, depois, no Clube as suas experiências. Um dos membros do Clube ficou de tal maneira impressionado com o jovem que logo lhe ofereceu emprego. O fim da história veio alguns anos mais tarde, quando o rapaz foi feito sócio da empresa. Aqui, então, vi bem o que era isso do “Dar de Si Antes de Pensar em Si” levado à prática pelos Rotários para o bem de todos. Quando surgiu para mim a oportunidade de entrar para o Rotary, fiquei deliciado ao notar que o meu Clube aproveitava todas as ocasiões para ser activo no serviço, tal como acontecia com outros clubes que eu tivera ensejo de observar. Cada um dos membros daquele pequeno clube desempenhava o seu papel na ajuda em variados programas. Nunca me senti desiludido pelos Rotários, pois que eles sempre se me mostraram dispostos a ajudar e em prestar serviços nos mais diversos domínios. Como Curador da Fundação Rotária, pedi a cada Clubes da Grã-Bretanha que arranjasse 500 dólares

ex-Presidente do R.I., William H. “Bill” Huntley

para a criação de um subsídio especial para ajuda a um Núcleo Rotário de Desenvolvimento Comunitário do Sri Lanka. Um dos Distritos, só à sua conta, imediatamente ofereceu o total pretendido. Uma carta vinda do Sri Lanka ilustra bem o efeito dessa acção. Dizia nela a última frase: -“Que Deus os abençoe. Vocês nem sonham o que fizeram.” É por isso que sou Rotário; é isto o que me mantém na condição de Rotário. O ver-me associado a um grupo de homens e mulheres que estão instantaneamente prontos a dar ajuda é um privilégio e uma bênção. Como Rotário, faço parte de um Movimento que ainda precisa de realizar de pleno o seu verdadeiro potencial. A nossa força reside no nosso desejo de servir. Quem sabe até onde poderemos ir? Nós nem sabemos o que podemos chegar a fazer!” Atentamente, Bill

William H. Huntley
Presidente do Rotary International 1994-95. Membro do Rotary Club de Alford & Mablethorpe (Inglaterra) Lema do seu ano de presidência: “SEJA UM AMIGO”.

NOTA – Esta mensagem foi recebida antes do falecimento de Bill Huntley, em Fevereiro de 2006. O leitor poderá não saber que a devoção de Bill Huntley ao RIBI e o sem envolvimento pessoal no Rotary a nível internacional o levaram a participar em conferências de mediação que tiveram lugar em Nashville, Tennessee (EUA), entre Rotários da Argentina e da Grã-Bretanha, pouco logo a seguir ao conflito armado relacionado com as Ilhas Falkland (ou Malvinas). Como resultado dessa arbitragem, foram aprovados 15 IGEs para o ano seguinte, proporcionando aos Rotários a a outras pessoas dos dois países (a Argentina e a Grã-Bretanha) oportunidades de interagirem, um a um, na difusão de ideais entre gente de ambos os lados que queria a paz e um melhor entendimento recíproco. A arbitragem da Guerra das Falkland foi uma clara manifestação da fé de Bill no Rotary e na Paz Mundial. Muitos dos seus amigos em todo o mundo se aplicam agora na angariação de fundos para a criação de um Prémio Rotary da Paz Mundial com o nome de Huntley.

28

Mensagem do Presidente
Caros Companheiros Rotários. No Rotary, Agosto é o mês que dedicamos às questões do quadro social. É adequado que este tempo especial ocorra logo no início do ano rotário, pois que tudo quanto aconteça no Rotary começa com o quadro social. Quando falo em reuniões rotárias, a cada passo conto a história de como eu próprio vim a ser convidado para aderir à nossa Organização. Eu era novo na minha cidade de Trenton, Ontário (Canadá), e minha mulher, Joan, e eu ainda nos não tínhamos encontrado com lá muita gente. Éramos activos na Igreja e nos Escoteiros, pelo que talvez fosse uma questão de tempo até que nos víssemos aliciados para entrar num grupo de serviço. E quando a oportunidade surgiu, vi-me convidado a ir a uma reunião de Rotary Clube. O Rotary pareceu-me um bom lugar para alguém como eu me encontrar com outras pessoas com idêntico espírito. Falei da coisa com Joan e ambos pensámos que isso nos poderia proporcionar novos amigos e, possivelmente, ensejo para fazer alguma coisa de útil no serviço à comunidade. Pensei que, por ali, até poderia atrair novos clientes para a minha actividade de contabilista. Por isso, quando fui convidado para entrar, aceitei. Agora, volvidos 45 anos, essa decisão moldou as nossas vidas. Pensara que entrava para um Clube. Na realidade, entrava a fazer parte duma Organização que fortalecia comunidades, melhorava a saúde, abria possibilidades, salvava vidas e tornava o mundo melhor sob tantos incontáveis aspectos, e o fazia, e faz, todos os dias. Tanta coisa que vi como dirigente rotário tornaram-me orgulhoso de ser um Rotário. Mas bem sei que estar apenas orgulhoso não é suficiente. Temos de partilhar o nosso orgulho com os nossos colegas, com os amigos e com os que fazem parte da nossa família, e carecemos de procurar homens e mulheres qualificados de quem teremos orgulho de os vermos tornarem-se Rotários também. Uma nova geração de Rotários é essencial para cada Clube e para o Rotary. Em algumas partes do mundo, os nossos clubes estão a desenvolver-se, e estão a surgir novos clubes. Contudo, noutras partes, há clubes que estão a envelhecer e a fazer muito pouco para atrair novos membros. À medida que saem sócios, não se vê quem os venha substituir – e quando um clube desaparece, não há outro que vá pegar no trabalho que ficou por fazer. Todos sabemos que quando pedimos a alguém que aceite entrar num Rotary Clube, não estamos a impor-lhe um fardo: estamos a dar-lhe um presente. Estamos a partilhar com outrem a força maravilhosa, admirável, que o Rotary é, tal como Rotary Compartilha connosco. Por isso, peço a todos encarecidamente que, nesta precisa semana, como Rotários dignos desse nome, partilhem o Rotary com alguma pessoa com qualidades. Façam a indicação do seu nome, pelo menos na condição de Rotário prospectivo, e, se vier a ser aprovado, peçam a essa pessoa que aceite aderir – tal como alguém, um dia, fez quanto a mim, tal como alguém, um dia, fez relativamente a si.

A Mensagem do Presidente

Wilfrid J. Wilkinson

Wilfrid J. (Wilf) Wilkinson Presidente do Rotary International

29

Os Clubes dos Jovens
OS NÚMERO
De acordo com os dados mais próximos, havia 165.117 Rotaractistas em 7.179 Rotaract Clubes espalhados por 157 diferentes países e regiões. Os Interactistas eram 248.929 e agrupavam-se em 10.823 Interact Clubes a funcionar em 120 países de todo o mundo. professores da Escola de Artes Decorativas de Soares dos Reis, cujo produto foi aplicado pelo Clube no apoio à CERCI local.

SERVIR
Com o objectivo de angariar fundos que foram beneficiar a APATRIS 21- Associação de Portadores de Trissomia 21 do Algarve, o Rotaract Club de Loulé organizou o “ROTAKART II”, nas instalações de Karting de Almancil (veja o cartaz).
O Rotaract Club de Loulé promoveu um vasto rastreio de saúde que incluiu 25 rastreios visuais, 25 rastreios da SIDA e cerca de 300 à diabetes e tensão arterial Numa parceria com as Juntas de Freguesia de A-Ver-O-Mar e de Póvoa de Varzim, e também com o Grupo Recreativo Estrela do Bonfim, o Rotaract Club de Póvoa de Varzim deitou mãos ao trabalho no seu projecto “Espaço Estudando” através do qual deu ajuda, nas suas actividades escolares, a crianças e adolescentes que vinham sendo acompanhados pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Póvoa de Varzim, e terminaram o ano lectivo com uma visita ao Parque Zoológico da Quinta de Santo Inácio, em Vila Nova de Gaia, uma jornada que os estudantes abrangidos pelo projecto vão lembrar por muito tempo.

O Rotaract Club de Castelo Branco organizou, em favor da Escola Superior de Educação de Castelo Branco, um fim de semana dedicado ao meio ambiente, que teve a projecção do documentário “A Verdade Inconveniente”, da autoria do americano Al Gore, seguida de uma larga série de intervenções: do meteorologista Costa Alves (“Efeito Estufa no Século XXI”), de José Barros Gomes (“Casa Ecológica”), de Carlos Almeida (“Comércio Justo: uma Via para o Desenvolvimento Sustentável”), de João Carvalhinho (“Agenda XXI na Cidade de Castelo Branco”), de José Carlos Moura (“Ambiente e Energias Renováveis”) e António Costa (“Viaturas Híbridas: “Toyota Prius””). A moderação esteve a cargo do jornalista Vítor Tomé. Por seu lado, o Rotaract Club de Espinho levou a efeito nas instalações da Junta de Freguesia de Espinho uma Exposição/ Venda de trabalhos de arte da autoria de antigos alunos e

30

Numa atitude a todos os títulos louvável, o Rotaract Club da Maia ofereceu ao Rotaract Club de Santo Tirso uma cadeira de rodas para as acções de serviço por este desenvolvidas. Vêem-se aqui, no momento da entrega, a então Representante Distrital do Rotaract, Compª. RTC Nilsa Silva, com as Presidentes da altura dos Clubes, Compªs. RTC Joana Gomes e Ângela Barros.

NOVOS REPRESENTANTES
No ano rotário agora iniciado é Representante do Rotaract junto do Governador do Distrito 1960 o Compº. RTC Ricardo Bruno Caldeira Nunes Sabrosa, membro do Rotaract Club de CascaisEstoril, e é representante do Interact a Comp.ª ITC Margarida Vital Nunes, membro do Rotaract Club do Entroncamento. No que se refere ao Distrito 1970, é agora Representante do Rotaract junto do Governador o Compº. RTC Rui Cardoso, membro do Rotaract Club de Valongo, e Representante do Interact a Compª. ITC Sara Sousa Lima Santos, sócia do Interact Club da Maia.

Rotaract, Compº. RTC Miguel Heleno, o Interact Club de

Vila Nova de Famalicão, um clube
que dispõe dum quadro social de 15 elementos de ambos os sexos e é presidido pela Compª. ITC Vera Faria (na foto, a entrega do Certificado).

VISIBILIDADE

CAMPO DE FÉRIAS
De 30 de Junho a 14 de Julho, e sob a impecável organização do Rotary Club de Sintra, realizou-se um magnífico Campo de Férias Internacional sob o tema “Sintra, Património da Humanidade”. Nele participaram 7 jovens de ambos os sexos: Antoine Houtart (Bélgica), Marek Ondrüj (República Checa), Pierre-Adrien Ponthieux (França), Gokhan Erguven (Turquia), Eva Nagyfejeo e Zsuzsanna Vasas (Hungria) e Pauline Maassen (Holanda). Da programação do Campo fizeram parte visitas guiadas a monumentos e locais históricos, dentre eles se destacando Lisboa, Sintra, Mafra, Cascais, Estoril, Alcobaça, Batalha e Óbidos. Diversos Rotary Clubes colaboraram no seu desenvolvimento no terreno, como foram os casos dos clubes de Alcobaça, CascaisEstoril, Lisboa, Lisboa-Belém e Lisboa-Norte.

O Rotaract Club da Maia participou activamente, em

parceria com a Associação “Mundo a Sorrir”, na iniciatica da Câmara Municipal “Maia Saúde”, o que constituiu uma magnífica oportunidade de divulgação do Rotary e do Clube. O mesmo Clube, aliás, e em parceria com o seu Rotary Clube patrocinador e o Interact Club da Maia, participou com “stand” na Feira de Artesanato da Maia (veja a foto), uma excelente oportunidade, atentamente aproveitada para a divulgação rotária.

CLUBE QUE RESSURGE

Foi reactivado o Rotaract Club de Vila Nova de Famalicão em reunião festiva de transmissão de tarefas do Rotary Clube patrocinador que se realizou a 21 do passado mês de Junho que contou com a presença do agora PGD Álvaro Gomes.

PALESTRAS

O Rotaract Club de Castelo Branco realizou uma reunião com palestra, que esteve a cargo de Cláudio Santos e sobre a matéria “Árbitros de Futebol“. Entretanto, o Rotaract Club de Póvoa de Varzim levou a efeito no Auditório da Biblioteca Municipal Rocha Peixoto uma palestra aberta ao público subordinada ao tema “(Des)Igualdades – na Participação Cívica e Associativa”, em que foi oradora a Drª. Marta Costa. Esta iniciativa foi desenvolvida em parceria com a “Rede Portuguesa de Jovens para a Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens (REDE)” e foi a forma encontrada pelo Clube de assinalar e comemorar o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, para uma Sociedade Justa.

NOVOS CLUBES
Teve lugar no passado dia 14 de Maio a reunião festiva da entrega do Certificado de Organização ao Rotaract Club da Trofa- Este Clube dispõe de um quadro social de 15 elementos e a cerimónia, bastante concorrida, contou com as presenças do Governador do Distrito 1970, Compº. Álvaro Gomes, assim como com a da Representante do Rotaract e de muitos Companheiros do seu Rotary Club patrocinador, o Rotary Club da Trofa. A 21 de Junho foi a vez de receber o seu Certificado de Organização, das mãos do então Governador do Distrito 1970, Compº. Álvaro Gomes, e com as presenças da ainda Representante do Interact, Compª. ITC Nilsa Silva, e do ainda Representante do

Num muito de aplaudir esforço conjunto, os Rotaract Clubes de Cascais-Estoril, Algés e Sintra proporcionaram a um grupo de 15 crianças de famílias carenciadas, sendo 10 indicadas pela Junta de Freguesia do Dafundo e 5 pela “Obra do Padre Gregório”, um fim de semana diferente e muito divertido, levandoo até Óbidos, com ida à praia e prática de vários jogos. Na deslocação, os jovens Rotaractistas fizeram ainda entrega, àquela Obra e a cada uma das famílias donde os jovens provinham de cabazes com géneros alimentícios, tendo entregue um cabaz semelhante ao Rotary Club de Peniche para apoio ao seu Centro de Férias (na foto, o
grupo dos participantes fez uma pausa justamente em frente das instalações do Centro).

31

O Presidente Wilf Convida
Joan e eu temos o maior prazer em convidá-lo a juntar-se a nós em Los Angeles, de 15 a 18 de Junho de 2008, para “Ver as Estrelas!” na 99ª Convenção do Rotary International. Casa das estrelas, dos pequenos e dos grandes “ecrans”, Los Angeles vai ser também a cidade das estrelas do Rotary, uma vez que irá acolher milhares de Rotários de todas as partes do mundo. Uma Convenção do Rotary é um acontecimento como nenhum outro – tempo de contactos com Rotários que doutra forma se não teria facilmente oportunidade de encontrar. Recordo sempre a minha primeira Convenção, em Toronto em 1964, como tendo sido o momento que me fez realmente Rotário. Cada um daqueles com quem então me encontrei me parecia tão diferente até que tomei consciência do muito que todos tínhamos em comum. Pela primeira vez vi e entendi o carácter internacional do Rotary – e o quanto se pode alcançar através dele. A nossa Convenção oferecerá uma vasta quantidade de meios para o serviço internacional e para o companheirismo, intervenções inspiradoras de oradores em plenário, “workshops” informativas, uma Exposição de Projectos de Clubes e de Distritos, a “Casa da Amizade” e tanto mais ainda. Como capital mundial do cinema e grande centro para compras e cozinha internacional, que é, Los Angeles oferece ainda muita coisa para ver e para fazer fora da Convenção. E a

32

Comissão Organizadora da Convenção promete levar esta a bem altos níveis de interesse com espectáculos no “Hollywood Bowl”, no Teatro “Nokia” e noutros locais. Cada Rotário deve tomar parte em pelo menos uma Convenção do Rotary. Acredito de tal maneira na importância de se participar numa Convenção que decidi voltar a que fosse ponderada a devolução do custo de inscrições a Distritos dentro do Plano de Incentivo Financeiro Mundial LA2008, através do qual o seu Distrito poderá ganhar um retorno quanto a inscrições de Rotário ou de qualquer pessoa adulta que excedam em 2% o quadro social desse Distrito. Procure mais detalhes acerca deste Plano em www.rotary.org. Espero que o leitor e a sua família possam vir até Los Angeles em 2008 e “Ver as Estrelas!” Seja esta a sua primeira Convenção, ou seja a 50ª, ela será certamente uma experiência inesquecível. Fico na expectativa de poder partilhar consigo esta Convenção, tal como Rotary Compartilha com todos nós.

Wilfrid J. Wilkinson Presidente do Rotary International

33

34

Um Projecto de Referência O “Clube de Ciência Viva”
Sob o lema “Dar de Sí Antes de Pensar em Si”, o Rotary International é a maior ONG

mundial na área da promoção do bem. Guiado pelo espírito desse lema, o Rotary Club de Ovar, em parceria com a Paróquia local e com a Irmã Ana Maria, IJM, lançou há vários anos o projecto do “Centro de Promoção Social do Furadouro”, nessa altura graças aos especiais esforços dos Compºs. João Peixinho, Mário Alçada e Júlio Mateiro, estes dois últimos infelizmente já desaparecidos do nosso convívio. Estamos a falar no já remoto ano de 1969. O CPSF tem vindo desde essa altura a ser gerido pelo Rotary Clube e tem prestado muito relevantes serviços não só às crianças do Furadouro, como a pessoas de parcos recursos e a gente idosa. A sua crescente importância foi-se progressivamente afirmando e, em 1983, o então Presidente do R.I., Hiroji Mukasa, não hesitou em honrá-lo com a visita que lhe fez e que se encontra assinalada com uma placa nas instalações.

No ano de 2006-07, agora terminado, o seu projecto educativo contemplou a educação

ambiental, sobretudo: identificação de vários tipos de poluição, tratamento de resíduos domésticos, instalação de “Ecopontos”, montagem duma horta pedagógica, ensino de reciclagem, preservação das dunas, etc. Na primeira fase foram incluídas na leccionação a educação ambiental, a detecção dos principais problemas sentidos na praia do Furadouro, “ballet”, iniciação musical, informática e ainda outras áreas. São mais de 150 as crianças que frequentam actualmente o Centro, nas valências de creche, ensino pre-escolar e ATL. O CPSF ocupa-se ainda em Serviço de Acção Social, prestando acolhimento a famílias, concedendo subsídios de apoio ao estudo e eventuais, proporcionando rendimento social de inserção, e dispondo de Bancos de Ajudas Alimentares e de Ajudas Técnicas. Prepara para o emprego e dá formação profissional através de parcerias com outras organizações, e oferece serviços de Biblioteca Infanto-Juvenil, de Apoio no Estudo. A sua vasta acção educativa contempla “ateliers”, Exposições, Concursos, acções de animação, férias escolares, higiene, tratamento de roupas e habitação social, numa abrangência que tem por objectivo preparar as crianças para um futuro papel interventivo na sociedade, acompanhando as mudanças que o tempo vai provocando.

Mário Carapinha membro do Rotary Club de Ovar

Em 2006, o CPSF apresentou candidatura ao Concurso “Ciência Viva VI – Ensino Experi-

mental das Ciências na Escola”, em parceria com a Associação “ATRACTOR-Centro de Ciência Viva de Ovar” e com os apoios do Prof. Doutor Arala Chaves, docente da Fac-

35

uldade de Ciências da Universidade do Porto, e da Drª. Maria Renata Arala Chaves, do “Núcleo IFIMUP – POLO IMAT Porto”, numa candidatura que foi aprovada, mercê do que foi atribuída uma verba para equipamento do “Mini-Clube da Ciência”, uma estrutura que passou a dar apoios não apenas aos educandos, mas a toda a comunidade envolvente, na área da Matemática.

Para o ano ora em curso, de 2007-08, o “Clube de Ciência
Viva”, permitindo alargar a escolaridade do ensino básico até ao terceiro ciclo, dinamizado pelo Centro, está já a funcionar numa casa da Avenida Central, gentilmente cedida por cinco anos pelo Dr. Arala Chaves, e está aberto a toda a gente. Tem por fulcro as questões ecológicas. Apostar nas crianças é apostar na pessoa humana, na formação da sua personalidade e na sua dignidade, através da exploração das suas capacidades artísticas, psico-motoras e intelectuais, especialmente nas que crescem no seio de famílias problemáticas. O maior benefício que se pode prestar às crianças, para que possam chegar aptas à idade da razão e venham a interagir na comunidade, é a formação. O “Clube de Ciência Viva” concorre para o desenvolvimento da comunidade vareira, o que exige a colaboração e empenhamento de todos, já que todos beneficiam do seu profícuo trabalho. Generosidades em equipamentos e materiais diversos de carácter didáctico que possam ser-lhe oferecidos serão manifestamente bem vindos.

36

O Conselho de Legislação de 2007
Um Agente de Mudança
NOTA PRÉVIA – O autor do texto/relato que segue foi o Representante do Distrito 1970 ao último Conselho de Legislação. Em representação do Distrito 1960 compareceu o Gov. 2002-03, Henrique Gomes de Almeida. Dada a especial importância que reveste sempre o desempenho do órgão legislativo rotário por excelência, que é o Conselho de Legislação, publicamos na íntegra o relato daquele nosso Companheiro, concluindo-se nesta edição a sua publicação. Renovamos os nossos melhores agradecimentos ao Compº. Gonçalves Afonso por esta magnífica colaboração informativa. A. Gonçalves Afonso Gov. 1999-00 – D. 1970

Quanto à Fundação Rotária, resoluções e recomendações, foram na maior parte
aprovadas:
* definição da missão, do lema e das prioridades do Plano Visão de Futuro para a FR; * a autorização aos Distritos para utilização de 30% do seu FDUC para aplicação em Subsídios Distritais Simplificados; * a redução de 5.000 dólares para 2.500 dólares do valor mínimo para Subsídios Equivalentes; * novos procedimentos quanto a despesas e auditorias de projectos financiados pela Fundação; * o estabelecimento de facilidades de contactos entre Distritos, para emparceiramento dos IGE, através de programa no “site” do R.I.; * a redução para 10 meses (até agora, mais de 19 meses) para o processamento de inscrições para concessão de Bolsas Educacionais.

Quanto ao Objectivo do Rotary, cinco considerações, tendo sido retirada uma e três
rejeitadas.
Foi tão só aprovada uma alteração, na versão de língua castelhana, relativamente ao primeiro item. Por ela, foi substituída a expressão “el conocimiento mutuo y la amistad como ocasion de servir“, por “El desarrollo de relaciones personales amistosas como una oportunidad de servicio“.

Quanto aos Distritos, das vinte propostas apresentadas, quatro foram retiradas, catorze
não foram aprovadas e apenas duas mereceram aprovação:
* a alteração no Regimento Interno do R.I. (MP, pág. 239), ponto 15.060.4, da Declaração e Relatório de Auditoria das Finanças do Distrito, que passou a rezar como segue: “O

37

Um aspecto geral do Conselho

Relatório pode ser revisado por contador público independente ou pela Comissão Distrital de Auditoria, a qual deve: a) – ser composta por um mínimo de três membros; b) – ter, como membros, Rotários que sejam sócios representativos; c) – ter pelo menos um membro que tenha sido Governador ou que tenha experiência em auditoria; d) – impedir que haja entre os seus membros pessoas a cumprir mandatos como Governador, Tesoureiro, membros de comissão financeira ou que tenham poder para assinar conta bancária do Distrito; e) – ter membros que foram seleccionados pelo Distrito de acordo com procedimentos por este estabelecidos. * a alteração no Regimento Interno do R.I. (MP, pág. 239), “per capita” distrital – ponto 15.060.2 – permitindo a aprovação de três quartos dos Presidentes Entrantes, no Seminário de Formação de Presidentes Eleitos.

Quanto à Administração do Rotary International, das sessenta e seis propostas apresentadas,
dezasseis foram retiradas, não mereceram aprovação vinte e cinco e outras vinte e cinco foram aprovadas. Alterações ao Regimento Interno do R.I.: * (MP, Pág. 191), ponto 5.020, Publicação das deliberações do Conselho Director: todas as actas das reuniões e as deliberações do Conselho Director deverão ser divulgadas junto dos Rotários, no “site” do R.I., dentro de sessenta dias após a sua ocorrência, inclusive apêndices oficiais, com excepção de matéria que seja considerada confidencial. * (MP, Pág. 192), ponto 5.020, Recurso das deliberações tomadas pelo Conselho Director – o recurso, que era interposto para uma Convenção ordinária ou extraordinária, passa a ser por meio de votação pelo correio dos representantes distritais do mais recente Conselho de Legislação, segundo as normas estabelecidas pelo Conselho Director. * (MP, Pág. 241), ponto 16.020, Membros das Comissões – passa a ser exigida a consulta, pelo Presidente, ao Conselho Director. * (MP, Pág. 242), ponto 16.020, a Comissão de Finanças passará a ter oito membros, em vez de seis, sendo os dois outros membros o Tesoureiro do R.I. e um indicado pelo CD, estes sem direito a voto na Comissão. * (MP, Pág. 242), ponto 16.010, a Comissão de Estatutos e do Regimento Interno, em ano em que reuna o Conselho de Legislação, passará ter quatro membros e, nesse ano, o exmembro mais recente servirá nessa Comissão. * (MP, Págs. 243 e 244), é criada uma Comissão de Auditoria, com seis membros versados em assuntos financeiros, sendo três deles membros do CD, com funções de revisar, auditar e controlar todos os assuntos de carácter financeiro. * (MP, Pág. 253), insere um novo artigo – o 24º - referente a arbitragem e mediação para a solução de divergências entre Rotários e um Distrito, o R.I. ou um administrador do R.I.. * (MP, Pág. 244), ponto 16.100, a Comissão de Planeamento Estratégico adquiriu mais as atribuições que lhe forem designadas pelo CD e considerará estudos sobre alterações no número de Rotários potenciais em cada continente, inclusive em países em vias de abertura para expansão rotária, de modo a prever o impacte que tais mudanças causarão no quadro social de cada zona. * (MP, Pág. 252), no art. 21º (Rotários e a “World Wide Web”) é acrescentado, na parte final: “ clubes e distritos com seus próprios “Websites” devem aí incluir “link” que conduza ao “website” do R.I., no idioma correspondente”. Foram aprovadas diversas resoluções de recomendação ao CD, designadamente: # a criação duma comissão encarregue de estudar a questão da pobreza; # o realinhamento das Zonas; # o realinhamento dos Distritos de modo a que cada um pertença somente a uma Zona; # a reorganização da Zona 5 em 3 Secções;

O Presidente do Conselho de Legislação, John F. Germ. dirige a palavra aos Conselheiros

38

# o estudo de soluções mais eficazes e mais económicas para a comunicação com os Clubes; # a possibilidade de os Rotários acederem, ainda que com limitações, às informações contidas no “site” do Rotary; # melhoria dos documentos veiculados no mesmo “site”; # melhor esclarecimento do vocabulário com interpretação ambígua, presente nos Estatutos do R.I., no Regimento Interno e no Código de Políticas do Rotary; # a utilização de um sistema decimal para as publicações do R.I.; # a alteração das normas de viagem ao serviço do R.I.; # a obrigatoriedade de o Representante do Presidente em Conferência Distrital ser fluente na língua do país onde o for representar; # a inclusão do hindí e do russo entre os idiomas oficiais do Rotary.

Quanto às Reuniões do Rotary International, das cinco propostas que

foram apresentadas, foi retirada uma e houve duas propostas de emenda e duas resoluções que foram aprovadas, a saber:
# (MP, Pág. 214) – no art. 9 (Convenção), o programa, ordem do dia, poderá ser alterado por meio de voto favorável de dois terços dos membros do CD, durante a Convenção. Anteriormente, a alteração apenas podia alcançar-se por dois terços dos delegados e procuradores presentes e votantes; # (MP, Págs. 247, 248 e 250) – arts 17 e 19 – é alterada a designação de Institutos Zonais para a designação Institutos Rotary; As resoluções aprovadas quanto a este grupo vão no sentido de que a Convenção se encerre entre 14 e 16 de Junho de cada ano, o mais tardar, e da criação de passes especiais de um dia para os Rotários na sede da Convenção.

Os ex-Presidentes do R.I., Carl-Wilhelm Stenhammar e Mat Caparas, participaram nos trabalhos

Quanto a Administradores do R.I. e Eleições, foram apresentadas cinquenta e uma
propostas, delas tendo sido retiradas doze, não provadas vinte e três e sido aprovadas dezasseis propostas de emenda e resoluções.
Das propostas de emendas, salientamos: I – Regras sobre a eleição do Presidente do R.I. (MP, Págs. 215, 216, 217 e 219) – Foram aprovadas emendas, extensas, nas regras de selecção para a indicação do Presidente visando proibir qualquer esforço positivo ou negativo de propaganda, solicitação de votos ou eleitorais, incluindo comunicações diversas e “mídia” electrónica. Foram definidos alguns procedimentos, feitas alterações das qualificações dos membros da Comissão de Indicação, bem como a representação das 34 Zonas existentes e a entrevista pessoal aos candidatos. II – Regras sobre a indicação para Director (MP, Pág. 225) – Deixa de ser exigido, para fazer parte da Comissão de Indicação, que o ex-Governador tenha servido como Governador pelo menos há três anos, mas, diferentemente, que tenha participado em, pelo menos, dois Institutos e uma Convenção nos três anos anteriores à data em que irá servir na Comissão. III – Regras sobre a indicação do Governador (MP, Págs. 230 e 240) – No essencial, é eliminado o ponto 15.070.3 (sócio de clube, activo), no ponto 13.010, o prazo de selecção de Governador Indicado é fixado entre 24 e 36 meses, nenhum clube pode propor mais do que um seu sócio para Governador, e há uma melhor sistematização do ponto 13.020, mas sem modificação substancial. Também a indicação de Governador em situação especial (caso o Indicado ou o Eleito não puderem ou não desejarem assumir o cargo – ponto 13.080, actualmente 13.070, MP, Pág. 235) sofreu alterações na sua redacção, embora sem modificação do regime, tão só retirando a exigência
Um Delegado absorvido na análise das questões tratadas

39

de voto favorável da maioria dos membros do CD, colocando uma melhor especificação da obrigatoriedade de o Governador enviar a cada clube a quantidade de cédulas correspondente ao número de votos que a este caiba em caso de votação por via postal (MP, Pág. 232, ponto 13.040). Em caso de empate, o desempate faz-se a favor do Indicado pela Comissão de Indicação ou, se essa não for a hipótese, por decisão do Governador (MP, Pág. 233, ponto 13.040). Finalmente, no ponto 15.090 (MP, Pág. 241) foi aditada uma alínea quanto às atribuições do Governador: “e) – fazer escrutínio regularmente de actividades distritais em grupo empreendidas por Rotários (como Intercâmbio Rotário de Amizade, Comissões interclubes, Rede Global de grupos de Rotários, etc.)”. Foi ainda aprovada uma emenda ao ponto 10.030 (membros da Comissão de Indicação – MP, Pág. 215) no sentido de impedir a indicação de cônjuge, filho(a), mãe ou pai de membro dessa Comissão. E foi aprovada uma proposta de emenda (MP, Pág. 195 – ponto 6.020) que define que o Vice-Presidente e o Tesoureiro do R.I. terão de ser escolhidos entre os Directores que se encontrem a servir em segundo ano de mandato.

Quanto a finanças do R.I. e quotas per capita, com vinte e três propostas, destas foram retiradas seis, dez não
foram aprovadas e sete aprovadas.
Merece-me especial atenção a formulada pelo Distrito 3870 (Filipinas), com base num relacionamento do per capita com o PIB de cada país, aliás um excelente trabalho e estudo que, porém, não foi aprovado. As emendas às quotas a pagar a R.I. (MP, Págs. 245 e 246 – ponto 17.030) são as seguintes: * em 2007-08 – 47 dólares; 2008-09, 48 dólares; 2009-10, 49 dólares; 2010-11 – 50 dólares. * os novos sócios pagarão quotas rateadas na base de 1/12 por cada mês (MP, Pág. 246). * as quotas vencem-se e deverão ser pagas nos dias 1 de Julho e 1 de Janeiro de cada ano. Outra emenda foi a alteração da possibilidade de utilização do superavit do Fundo Geral do R.I. (Orçamento, ponto 17.050) quando ele ultrapasse 85% (e não 100%, como estava) o nível mais alto das despesas anuais durante o último triénio. Foi aprovada uma recomendação ao CD para que forme uma equipa visando a redução de custos.

Quanto a procedimentos legislativos, área em que houve vinte propostas, foram destas aprovadas seis:
* uma, definindo alterações à redacção ao art. 8 (Conselho de Legislação), exigindo maior responsabilidade individual ao Rotário candidato a ser representante do seu Distrito no Conselho e fazendo pequenas alterações de procedimento, nomeadamente através da Comissão de Indicação respectiva. * foi revisto o cronograma para a entrega de propostas dirigidas ao Conselho de Legislação, sendo alargado o prazo de 30 de Junho até 31 de Dezembro do ano rotário anterior ao da reunião do Conselho (MP, Pág. 189). * a não permissão a nenhum Distrito que formule mais de cinco propostas (MP, Pág. 199 – ponto 7.030, ratificação distrital de propostas de legislação feitas pelos clubes). * foi eliminada a distinção entre legislação proposta, falha e com defeitos, passando a ser apenas considerada a legislação proposta e a legislação com defeitos (MP, Págs. 199 e 201).

Finalmente, as propostas de legislação de cunho técnico, em que foram aprovadas duas emendas:
* (MP, Pág. 207 – Conselho de Legislação, art. 8) – no ponto 8.120.1 foi acrescentado, a final (regras de procedimento do Conselho), a partir do Conselho de Legislação de 2007, deverão permanecer vigentes até que sejam alteradas em Conselho de Legislação futuro. * (MP, Pág. 242) – no ponto 16.010, a Comissão de Estatutos e Regimento Interno, no ano em que o Conselho de Legislação for realizado, passará a ter quatro membros, sendo que, nesse ano, o ex-membro mais recente servirá nesta Comissão. * (MP, Pág. 238) – foi explicitado o ponto 15.050 quanto aos votos dos clubes nas Conferências: um clube até 37 sócios, tem direito a um voto; um clube com 38 a 62 sócios, tem direito a dois votos; um clube com 63 a 87 sócios, terá direito a três votos, e assim por diante. Este relato é objectivo e, naturalmente, complicado. Estamos, todavia, disponíveis para qualquer informação adicional ou para melhor explicitação, se entendidas necessárias.

40