You are on page 1of 2

CLÍNICA SANTA BÁRBARA

SETOR DE NUTRIÇÃO

Dra . Fabiana França (nutricionista – CRN 1852-5) - Consultas de Nutrição por planos de Saúde: 74. 36213460

ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL DE ALTA PARA PACIENTES COM DIETA ENTERAL OU SONDA NASOENTERAL

A dieta enteral, é um tipo de dieta fornecida através de uma sonda, para facilitar o transporte do alimento até o
estômago ou até o intestino, isto dependerá do local que a sonda ficar localizada. As sondas para alimentação são utilizadas
quando a pessoa não deve ou não pode ingerir, ou não consegue suprir as necessidades nutricionais a dieta por via oral. Não
existe tempo certo para a utilização desta sonda. Isto dependerá do tipo de patologia do paciente e da evolução clínica do
paciente.

Os tipos de sonda de acordo com a localização: sonda nasoenteral (introdução pelo nariz, posicionada no estômago ou
intestino); gastrostomia (colocada diretamente no estômago através de cirurgia ou endoscopia); jejunostomia (colocada no
intestino através de uma cirurgia.

1. Orientações para dieta caseira

- Todos os utensílios e materiais devem ser utilizados exclusivamente para o preparo deste tipo de alimentação, ser
devidamente higienizados e acondicionados;
- Lavar as mãos com água e sabão neutro, escavando bem as unhas e secar em toalha de papel ou pano limpo e seco. Antes de
iniciar a preparação, retirar anéis, relógios, pulseira;
- Utilizar toca e luvas descartáveis;
- Preparar a dieta em local limpo, passando álcool a 70% na área que será utilizada;
- Não conversar durante o preparo da dieta;
- Utilizar água filtrada e fervida ou mineral para preparar a dieta. Porém, nunca oferecer o alimento quente ou gelado. A
temperatura deverá ser natural;
- Higienizar cuidadosamente as frutas e legumes utilizadas (colocando na solução clorada- 1 Colher de sopa de solução para 1
litro de água potável);
- Não utilizar colher de pau. Utilizar colher de polietileno no preparo;
- Liquidificar todas as preparações no liquidificador e coar em peneira fina;
- Evitar a permanência prolongada das dietas na temperatura ambiente, pois favorecem o crescimento bacteriano. O mais
seguro, é preparar a dieta minutos antes de sua utilização;
- A administração da dieta poderá ser feita com a seringa ou por gotejamento. Quando utilizar a seringa injetar o alimento
lentamente, a fim de evitar transtornos gastrintestinais. A seringa utilizada, deverá ser descartada. Quando a aplicação da
dieta for realizada por gotejamento, utilize frasco próprio para dieta enteral e controle o tempo de infusão;
- Não oferecer a dieta com o paciente totalmente deitado. A cabeceira do leito deverá estar inclinada no mínimo 30º;
- Seguir rigorosamente os horários e os volumes prescritos. Evite pular refeições e nunca tentar recuperar dobrando o
volume no próximo horário;
- Após o fornecimento da dieta, lavar a sonda injetando 50 ml de água na temperatura ambiente;
- Manter sempre a sonda de nutrição fechada após a administração do alimento ou da medicação, o que evitará contaminação,
retorno do que foi ingerido e ingestão de ar;
- O bom funcionamento intestinal é importante para o seu bem estar e a manutenção do seu peso.

2. Preparações que podem ser servidas

PREPARAÇÕES
Frutas: Todas poderão ser servidas sob a forma de sucos simples ou mistos. A escolha dependerá do estado do Trato
gastrintestinal;
Sucos obstipantes: lima, maçã, goiaba, caju, água de côco, melão;
Sucos laxantes: suco de laranja, laranja com mamão, laranja + mamão+ cenoura ou abacaxi+ cenoura +melancia
Coquetel laxante: suco de laranja (200mL) + ½ fatia de mamão + 05 ameixas + ½ copo de água de ameixa + 1 colher de sopa de
creme de leite + 1 colher de sopa de aveia. Liquidificar e coar;
Legumes: todos os legumes poderão ser utilizados combinados aos sucos e sob a forma de sopas mistas. É importante utilizar
couve, espinafre, agrião, temperos verdes;
Temperos: normais. Fazer restrição do sal quando necessário. Quando preciso, utilizar óleo de milho o girassol ou canola, conforme
recomendado
Preparações lácteas: todas as farinhas poderão ser utilizadas. Variarão conforme o estado do Trato gastrintestinal. Cuidado
também com os pacientes diabéticos com o neston, farinha láctea e cremogema
Farinhas obstipantes: maisena, mucilon de arroz, cremogema, farinha láctea, tapioca;
Farinhas laxantes: aveia, neston, milho;
Carnes: Todas as carnes poderão ser utilizadas, de preferência as magras no preparo das sopas.