You are on page 1of 1

O primeiro violonista paulistano a se destacar no cenrio musical brasileiro foi Amrico

Jacomino e o primeiro professor a formar uma escola foi Attlio Bernardini, e a eles
voltaremos a nossa ateno em especial. Amrico Jacomino (1884-1928), paulistano filho de
imigrantes italianos, foi um dos primeiros instrumentistas a alcanar fama como violonista.
Era chamado de Canhoto, pelo fato de tocar o instrumento invertido, na posio prpria a um
canhoto, mas sem inverter as cordas do violo. Seu interesse pelo instrumento vem da
infncia, por influncia do seu irmo mais velho Ernesto, que tocava violo e bandolim.

Aos 10 anos de idade Amrico j construa seus prprios violes, com madeira de caixotes.
Nesse perodo, j com a alcunha de Canhoto, inciava-se a carreira de um dos maiores
instrumentistas brasileiros de todos os tempos. Em 1907 Canhoto conheceu o cantor Roque
Ricciardi, o Paraguass, um dos mais famosos cantores de serestas paulistanas. O perodo da
Primeira Grande Guerra mexeu com as convices de Canhoto. Ele se tornou um patriota
obstinado, chegando at a alistar-se como combatente na Europa. Os brasileiros no entraram
na guerra e Canhoto extravasou seu entusiasmo compondo obras como Marcha Triunfal
Brasileira ou Marcha dos Marinheiros.

Em 1919 Canhoto realiza um Recital no Rio de Janeiro, impressionando o pblico e a crtica.


Autodidata e sem formao acadmica, superou as deficincias da falta de mtodo que o
instrumento tinha na poca, sem grandes dificuldades. Em 1927 recebe o ttulo de Rei do
Violo Brasileiro, superando violonistas como Joo Pernambuco e Manuelito (um violonista
cego, membro dos famosos Turunas da Mauricia). Junto com Paraguass, em 1923, Canhoto
inaugura a primeira emissora de Rdio paulistana, a Bandeirantes, logo depois denominada
Educadora.
No dia 07 de setembro de 1928, ao voltar de uma gravao no Rio de Janeiro, e depois de
passar alguns dias internado no Instituto Paulista, faleceu com problemas cardacos. Amrico
Jacomino deixou cerca de 100 obras, entre as quais figura a msica smbolo do violo
brasileiro, Abismo de Rosas.