UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO
PEDAGÓGICA
PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO NO PROCESSO

ENSINO-APRENDIZAGEM¹

Rubens José de Borba

ARAGUAÍNA - TO
DEZEMBRO – 2011
1 - Relatório analítico apresentado ao Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Coordenação Pedagógica, como
exigência parcial para obtenção do título de Especialista em Coordenação Pedagógica, sob a orientação da
professora Maria Alves Ferreira de Freitas.

. Coordenador Pedagógico e agora em 2011 estou na Função de Coordenador de Apoio Financeiro. como Coordenador de apoio. concursado e efetivado na Educação no Estado de Tocantins desde 01/03/1993. 3 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS Rubens José de Borba1 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM ARAGUAÍNA – TO DEZEMBRO – 2011 1 Graduado em História pela Faculdade de Ciências e Letras de Araguaína (FACILA). Professor na área de Humanas. Já trabalhei como Professor. trabalho no Colégio Estadual Rui Barbosa em Araguaína desde 1994.

as quais puderam contribuir significativamente para a mudança da prática dos docentes em relação à estruturação e a execução do planejamento. Palavras-chave: Planejamento. A mesma é fruto do desenvolvimento de um projeto de intervenção. 4 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM Rubens José de Borba Resumo: A presente pesquisa-ação focaliza a importância do ato de planejar em todas as ações humanas e especificamente na prática docente. A mesma tem como objetivo levar os leitores a pensarem sobre planejamento de ensino. foi realizado o projeto de intervenção na Escola Rui Barbosa com o intuito de observar como as professoras do ensino fundamental concebem. A partir dos problemas. estruturam e executam o planejamento. Foram levantados os problemas e possíveis soluções para os questionamentos feitos pela equipe de trabalho. no qual foi feito primeiramente um estudo bibliográfico para que se pudesse fundamentar o desenvolvimento do mesmo. detectados foi realizada uma formação por meio de oficinas. Processo de ensino-aprendizagem. Logo em seguida. sua importância no processo ensino- aprendizagem. .

Definição do tema . pois estatisticamente. para que estes consigam visualizá-lo como instrumento que permita o norteamento de suas ações na área pedagógica. 1 . INTRODUÇÃO O presente relatório analítico apresentado é resultado da pesquisa-ação sobre a importância do planejamento na prática docente e teve como finalidade. promovendo um ensino aprendizagem de melhor qualidade. oferece as modalidades de ensino fundamental de 1ª e 2ª fase e ensino médio. escola e comunidade. no sentido de juntas encontrarem soluções para os problemas mencionados. em Araguaína. é que começa refletir na consciência dos pais e da sociedade que devem participar mais no acompanhamento dos filhos. já está provado que os filhos que apresentam melhor rendimento são os que os pais dão melhor assistência. o PPP. situa-se. Por essas e outras razões é que se fez necessário a elaboração do nosso Plano Político Pedagógico. É um Bairro distante do centro da cidade e recebe alunos de vários bairros vizinhos. Araguaína – Tocantins. A população estudantil apresenta baixo poder aquisitivo e por isso muitos alunos evadem à procura de emprego em outras localidades. foi fundado em 1965. proporcionando assim aulas mais criativas e dinâmicas. atualmente. em 2002 foi criado o ensino médio através da Lei Seduc. 5 1. sendo 23 Professores e 20 administrativos. O Colégio Estadual Rui Barbosa. melhores condições quanto à aplicação do planejamento no dia a dia em salas de aulas do Colégio Estadual Rui Barbosa. pois nele encontram-se várias sugestões a serem trabalhadas. A pesquisa-ação centrou olhares em noções básicas que possibilitam o entendimento do planejamento em todos os seus aspectos. conta com 43 servidores. Tocantins. 1. nº 2210 de 16 de maio de 2002. desenvolver no corpo docente do 1º ao 5º ano. possui hoje 757 alunos matriculados nos três turnos. inicialmente oferecia apenas o ensino fundamental de 1º ao 5º ano. à Rua Tomaz Batista nº 105- Bairro JK. Somente agora com as campanhas educativas feitas pela escola e até mesmo pela televisão.

não constitui a fórmula mágica que soluciona ou muda a problemática a ser resolvida. Estas medidas favorecem a passagem gradativa de uma situação existente para uma situação desejada. . que estão estritamente ligadas ao desenvolvimento intelectual da criança. que contemple um bom planejamento e. entre outras. imutável e definitivo. A educação escolar tem como objetivo fundamental promover. Deve-se antes acreditar que ele representa uma primeira aproximação de medidas adequadas a uma determinada realidade. ao mesmo tempo. As acepções do planejamento são discutidas amplamente em nossos dias. necessários para que as crianças possam crescer e se tornarem membros ativos em seu âmbito sociocultural de referência. o desenvolvimento de certas capacidades e a apropriação de determinados conteúdos. tornando-se. Nunca se deve pensar num planejamento pronto. que respeite suas características intelectuais e suas necessidades individuais. coordenadores. Desta maneira este trabalho buscou analisar questões que não se restringem aos aspectos teóricos do planejamento. no que se refere à estruturação do planejamento e execução do mesmo. e ainda pretende situar- se num contexto que abrange as questões do planejamento referentes à primeira fase do Colégio Estadual Rui Barbosa. Exige uma busca cada vez maior de estudos que favoreçam o estabelecimento de diretrizes realistas. O planejamento implica em uma mudança significativa nos processos de ensino e aprendizagem. onde abrange uma gama de idéias. auxilia o desenvolvimento de habilidades como observação. Para atingir o objetivo indicado. 6 Para tanto se fez necessário o desenvolvimento de um projeto de intervenção com o objetivo de apresentar algumas contribuições didáticas e metodológicas para a atuação do professor de primeira fase. Por si só. atividades no processo escolar das crianças. O trabalho do professor. a escola em conjunto com os professores. reflexão. de forma intencional. que permite alterar o modelo tradicional de ensino. devem conseguir o difícil equilíbrio de oferecer uma resposta educativa tanto compreensiva quanto diversificada. cada vez mais apropriado para enfrentar a problemática desta realidade. organização. levando em consideração os pontos positivos sobre uma prática bem estruturada. através de sucessivos replanejamentos. proporcionando um conhecimento comum a todas as crianças. quando bem planejado e orientado. análise.

no momento de colocar esse planejamento em prática surgiam algumas dificuldades para executá-lo. Diante das percepções que se teve. elas passaram a se utilizarem mais dessas ferramentas. pois a equipe escolar começou a ter outra visão sobre a essência do planejamento e o que de bom ele pode proporcionar na prática de sala de aula. as dificuldades que as professoras tinham em relação ao planejamento. como estruturá-lo e ainda como executá-lo de forma eficiente e eficaz. Por isso. as quais foram atreladas ao tema proposto e articuladas ao Projeto Pedagógico da Unidade Escolar. realização de discussões sobre os textos estudados. todas são experientes na sala de aula. acredita-se que. a realização do projeto de intervenção foi de suma importância para o aprimoramento da prática do planejamento no processo ensino aprendizagem. 2. Com o intuito de alcançarmos os objetivos propostos. o uso das tecnologias como ferramenta para dinamizar os planejamentos eram pouco ou quase nunca utilizadas. o problema motivador para a elaboração desde projeto foi na verdade. 7 Conforme foi observado no âmbito da escola pesquisada. algumas professoras planejam. o trabalho desenvolvido na Escola Rui Barbosa. Dentre as ações realizadas podemos destacar: Entrevista os professores para conhecer suas opiniões sobre o planejamento e suas dificuldades em fazê-lo e aplicá-lo. A partir desses impactos. apresentando bons resultados. com a parceria da equipe gestora. mas às vezes. e após o inicio do projeto e as oficinas realizadas. pode-se perceber que a instituição escolar apresentada neste projeto pôde ter seu planejamento melhorado. Estudos de textos sobre Planejamento e sua importância. Aplicação de questionários sobre o Planejamento e sua importância na prática pedagógica. pois o mesmo causou impactos positivos e resultados satisfatórios a partir de uma mudança do modo de trabalho por parte dos professores. DESENVOLVIMENTO O projeto de intervenção foi idealizado e aplicado junto ao corpo docente do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. . realizamos as ações de cunho pedagógico. foi de suma importância. Observou se ainda que. nas dependências do Colégio Estadual Rui Barbosa localizado em Araguaína – TO.

trabalha com o 1º ano. 46 anos. mora bem próximo à escola. é . duas (2) disseram que tinham dificuldades apenas em organizar o Planejamento no papel. aceita algumas mudanças. Esta pesquisa se deu com entrevistas com toda a equipe docente. é uma boa professora. mas na sala de aula não tinham dificuldades. Realização de estudos bibliográficos sobre planejamento e sua importância com discussão sobre os textos estudados. principalmente nos itens de habilidades e competências. depois concluiu o Curso Normal Superior. atua a 17 anos na função foi aluna no Colégio Rui Barbosa. F. 2. Realização de oficinas de estudos e práticas sobre planejamento. atua a 17 anos na função foi aluna aqui no Colégio Rui Barbosa. casada. disseram que tinham algumas dificuldades no Planejamento. depois concluiu o Curso Normal Superior. Capacitação dos professores com ajuda de parceiros quanto à utilização das tecnologias na elaboração e prática do planejamento. Registro fotográfico das oficinas realizadas. é uma professora que possui um perfil tradicional. seus filhos também foram alunos da escola. casada. 1 . iniciou a carreira ainda com o nível médio. tem responsabilidade com seu trabalho. no início quatro (4) delas. O universo pesquisado foi composto por seis (6) professoras do 1º ao 5º ano. Professora M. através do nosso Projeto de Intervenção. Dentre as seis professoras. cujos perfis podemos descrever assim: Professora H. onde foram feitos questionamentos relacionadas ao Planejamento para sabermos suas opiniões e dificuldades no ato de Planejar. mas às vezes têm algumas resistências. 50 anos. mora em frente à escola. trabalha com o 4º ano. foi realizar uma pesquisa com as professoras da 1ª fase do Ensino Fundamental. A primeira iniciativa que tomamos em relação à nossa pesquisa.Perfil das professoras envolvidas na pesquisa. está começando a utilizar as tecnologias para melhorar a qualidade de seus planejamentos e consequentemente suas aulas. 8 Diagnóstico das dificuldades dos docentes quanto ao ato de planejar e aplicar o mesmo em suas aulas. Iniciou a carreira ainda com nível médio. seus filhos também são alunos da escola.

não é tradicionalista. trabalha também em uma escola particular. G. S. também foi aluna em nossa escola. mas aceitava e ouvia as sugestões e orientações que poderiam melhorar seu trabalho em sala de aula. tanto na sala quanto no planejamento de suas aulas. aceita as orientações e sugestões para desenvolver melhor o seu trabalho no dia-a-dia na escola. . Ela já se utilizava das tecnologias e inovações. casada. seus filhos estudaram aqui também. 43 anos. É uma professora que domina bem a sua sala. é uma professora mais voltada para o lado progressista. S. 9 uma professora que tem um bom domínio de sua sala. tem firmeza em suas decisões. ela também era uma professora tradicionalista e não gostava muito de mudanças. Professora M. principalmente tecnológicas. É uma professora que adota uma postura tradicional. L. tem 27 anos. é muito aplicada. trabalha com o 2º ano. reside distante da escola. com a aplicação das oficinas e estudos a mesma passou a utilizar-se das tecnologias disponíveis para melhorar seus planejamentos de aulas e também dinamizar suas aulas. como as professoras descritas acima. responsável. cursou Pedagogia e se pós- graduou em Educação Especial. com formação em Pedagogia pelo ITPAC. onde concluiu o ensino médio. Professora S. mas após as oficinas realizadas na escola. trabalhou nesta até maio de 2011. Inicialmente possuía também só o ensino médio e após alguns anos cursou o Normal Superior e agora desempenha a função de educadora na escola. 47 anos. solteira. trabalhava com o 5º ano. reside ao lado da escola. porém. é uma boa professora. utiliza-se dos meios tecnológicos para melhorar e dinamizar seu trabalho. era uma boa professora. notar essas mudanças que estão ocorrendo após a aplicação das oficinas realizadas com as professoras pesquisadas. no Ensino Fundamental. Está mais aberta às mudanças e inovações. também foi aluna da escola Rui Barbosa e sua filha também estuda nesta instituição. sendo substituída pela Professora S. é efetiva e leciona no 3º ano. casada. reside em um bairro próximo à escola. passou a utilizá-las de uma maneira mais prática e efetiva como ferramenta de aprendizagem em sua prática de sala de aula. É possível. está a 04 anos na função de educadora. tem pulso forte. casada. G. A sua substituta Professora S. trabalhava como contratada temporária e foi exonerada. A mesma. M. Professora D. tem uma filha. já se utiliza também das tecnologias como ferramenta para auxiliar o seu trabalho. ultimamente está se tornando uma pessoa mais maleável e aberta às sugestões e mudanças na sua maneira de lecionar. isso ocorreu após as oficinas que realizamos na escola com as professoras. está a 17 anos na função de educadora. trabalha com o 3º ano. Já utilizava as novas tecnologias para a melhoria da qualidade de seu trabalho. tem uma filha. está a 06 meses na função. 34 anos. é também tradicionalista.

Nesta tangente. Por isso. o processo ensino aprendizagem. Vale ressaltar que o tema planejamento é de suma importância. outros professores do Ensino Fundamental II e Ensino Médio também participaram juntamente com os demais das oficinas que foram realizadas na escola. Durante as oficinas. ou seja. Com muitas metodologias. Após a realização das entrevistas. foram feitas fotos das oficinas realizadas e que não estão anexadas neste trabalho. os planos são escritos para tornar mais eficiente e mais eficaz a ação das mesmas e. 39 anos. Assim sendo. Já de posse dos problemas diagnosticados. tem um filho que estuda na escola Rui Barbosa. casada. Ouve as sugestões e orientações. fica-se num suceder de planos desligados entre si. ser educativo. para dar consistência a um processo de planejamento. após a realização das oficinas. é um pouco avessa às mudanças e tem dificuldades em utilizar principalmente as novas tecnologias para auxiliar o seu trabalho no dia-a-dia. preparamos duas oficinas de estudos sobre Planejamento e práticas pedagógicas. por esta razão. como resultado adicional. notou-se que as professoras agora estão mais preparadas e mais seguras no ato de planejar e aplicar esses planejamentos em suas aulas. Esta Professora atua mais como dinamizadora. R. este Projeto contribuiu bastante com o fazer . diagnosticaram-se os principais problemas que as professoras enfrentavam no dia a dia com relação ao Planejamento e aplicação do mesmo em suas aulas. de como realizar planos salvando o que é mais fundamental. mas é também uma boa professora. conforme apresentado no referencial teórico. é uma professora de concepção tradicional. foi aplicado também um questionário de auto-avaliação sobre as oficinas ministradas. mesmo que se queira ter um processo. apresentam-se nesse trabalho algumas sugestões. ela não foi aluna desta escola. cursou também o Normal Superior e está trabalhando na equipe Rui Barbosa há 09 anos. reside em um bairro próximo à escola. Outro detalhe importante diz respeito às metodologias de elaboração de planos que são organizadoras de um processo de planejamento. Foram feitos também registros. 10 Professora A. sobretudo. De acordo com as discussões com as professoras. Após as oficinas que realizamos com as professoras. e obteve-se uma boa avaliação por parte das professoras pesquisadas. notamos que houve algumas mudanças na sua maneira de atuar. leituras de textos e discussões sobre o Planejamento como uma importante ferramenta na melhoria da qualidade do ensino. alcançando. não gosta muito de mudanças. realizamos também oficinas sobre o tema e as Tecnologias como aliadas ao Planejamento e sua prática. mas não é muito de colocar em prática.

pois. é necessário que ele seja benéfico e ativo a quem se dedica objetivamente. Na execução desta pesquisa. É importante apontar a participação do gestor da instituição. onde o executor do projeto apresenta as melhorias que houve no planejamento depois do PI. por meio de uma ação consciente e responsável. de fato. para que garanta o bom desenvolvimento da sua execução. ser ultrapassado por estágios superiores. conseguimos realizar todas as atividades a contento. Assim. pois se sabe que cada sala de aula tem sua realidade distinta. no desenvolvimento deste trabalho. com dificuldades e dissoluções diferentes. conforme anexo 1 (suprimido). seja considerado provisório. apesar de todas as dificuldades enfrentadas por nós. A mesma participou da pesquisa e das discussões relativas ao planejamento. Toda a equipe contribuiu para que este trabalho fosse desenvolvido de forma eficiente. principalmente com relação ao tempo que é muito corrido. 11 pedagógico das professoras. em certos momentos. sob uma coordenação. respondendo os questionários e oferecendo sua opinião e sua concepção sobre o planejamento. Foi possível verificar também que alguns docentes. houve também a participação da equipe de docentes que compõe a primeira fase do Colégio Estadual Rui Barbosa. A realização de oficinas pedagógicas privilegiando o planejamento é importante. O formidável é frisar que o planejamento serve de fato. devendo por isso mesmo. Com seu trabalho e experiências relacionadas ao planejamento e execução deste. totalizando 6 (seis) professoras e ainda a participação efetiva da Coordenadora Pedagógica. o próprio devolver-se do processo é o melhor método para o crescimento contínuo do grupo como um todo e de cada um dos seus membros em particular. em consonância com toda a equipe escolar. e ao mesmo tempo. sentem-se pessimistas nas metodologias que norteiam o planejamento. conforme se pode perceber no anexo 2 (suprimido). adaptar o seu planejamento. Após realizarmos as ações aqui elencadas. refletindo sobre os eixos norteadores que constroem seu papel como mediadores ou mesmo facilitadores no processo de ensino-aprendizagem. num processo em que cada estágio que se alcance seja assumido como algo que mereça o esforço de todos. contribuir para que o planejamento dos professores de primeira fase da escola seja . que não mediu esforços para dar sua contribuição para a pesquisa. para o professor e para os alunos. Assim. O fundamento e resumo desde trabalho é colocar os professores como um grupo a decidir seus rumos. compete ao professor. foi de incondicional relevância para que este trabalho acontecesse. espera-se que este trabalho possa de alguma maneira. serve como suporte de tempo necessário à implantação de um processo de planejamento.

é que conseguiremos propor mudanças e inovações. as quais permitirão um caminhar mais consistentes na longa estrada que nos leva ao conhecimento.. que possuem realidades distintas. busca de propósitos definidos. pois sabemos que dentro deste contexto do ensinar e aprender a falta desta prática implicará num trabalho realizado de forma alienada. colaborou em todos os momentos que solicitamos. sendo que. (S.. professores com muitas dúvidas ao planejar e assim sendo. H. Entendemos que. L. as professoras do 1º ao 5º ano que participaram do projeto foram: M. como instrumento norteador da prática pedagógica.. . que não mediram esforços para nos ajudar e também participaram das oficinas. 2 – Fundamentando a prática do planejamento O ato de planejar faz parte da história dos seres humanos. ). E. este projeto visa trazer subsídios para os professores quanto às dificuldades ao planejar.e principalmente a nossa Colega de curso M. Os outros coordenadores também colaboraram: B. também colaborou nas oficinas. observamos durante o ano letivo. metódica e sistematizada que será empreendida pelo professor junto a seus alunos. as sugestões das propostas curriculares. para a melhoria da qualidade do ensino. S. no planejamento curricular. visto que. e. R. O gestor J. G. o planejamento de ensino. pois estamos sempre enfrentando situações que necessitam serem planejadas. D. A colaboração do grupo pesquisado foi de suma importância para que esse projeto fosse executado. da ação que ficou configurada no nível de escola. 12 feito de forma cada vez mais especifica com vistas à observância dos objetivos a serem alcançados. isto é. Esta é a tradução. em nível mais específico.. participou das oficinas. a equipe gestora também participou. F.. Alicerçado nas linhas-mestres de ação da escola. nos deu apoio. assim podemos dizer que a ação de planejar faz parte da vida e aquele que não planeja corre o risco de realizar as atividades de forma mecânica sem sentido definido. A Orientadora Educacional R. V. surge. fornecendo condições para o desenvolvimento e aplicação deste projeto de intervenção. isto é uma preocupação da maioria das pessoas no seu cotidiano. M. A. A. tanto na sua elaboração. Indica a atividade direcional. em termos mais próximos e concretos. 2. para que seja adequado a cada turma. C. e M. só através da compreensão clara do que é o ato de planejar. Foi possível compreender a importância do planejamento e sua aplicabilidade. quanto na sua execução. Assim como a equipe docente.

enquanto nos dias de hoje o professor planeja visando não só ensino. isto se explica que o professor antes se preocupava somente em ensinar e não levava em conta o aprendizado. grande parte da eficácia de seu ensino depende da organização. De acordo com Padilha. envolve a previsão de resultados desejáveis. pode-se observar que: Planejar é uma atividade que está dentro da educação. . Pelo envolvimento no processo ensino-aprendizagem ele deve estimular a participação do aluno. para que possamos juntos criar condições pertinentes para que cada educador construa suas estratégias próprias. efetuar uma aprendizagem tão significativa quanto suas possibilidades. utilizando-se de estratégias dinâmicas em que desperte o interesse da turma e que venha ao encontro do atendimento de forma singular às necessidades destes educandos. mas o aprendizado. neste caso. coerência e flexibilidade de seu planejamento2·.18-19 3 PADILHA 2001. seus alunos. prever o futuro. 13 Dentro do planejamento de ensino. estabelecer caminhos que possam nortear mais apropriadamente a execução da ação educativa. A responsabilidade do mestre é imensa. e cada professor precisa definir suas atividades de sala de aula. pois este é o nosso ideal quanto ao propósito deste projeto: transformar pensamentos por meio da reflexão e da ação. envolvendo ações e situações do cotidiano que acontecem através de interações entre alunos e professores. onde na concepção de Turra: O professor que deseja realizar uma boa atuação docente sabe que deve elaborar e organizar planos em diferentes níveis de complexidade para atender. na sua ação pedagógica. assim como também os meios para alcançá-los. 2 TURRA et al. 1995. O planejamento. o ensino tem passado por grandes transformações deixando a visão de um ensino tecnicista passando a ter uma visão construtivista. prever o acompanhamento e a avaliação da própria ação3·. deverá refletir sobre o público alvo a que está direcionando seu trabalho e rechear de intenções e objetivos. visto que esta tem como características básicas: evitar a improvisação. a fim de que possa. O educador ao elaborar um plano de ensino ou mesmo de uma aula. 68. em classe. p. Um bom planejamento solicita ações em três esferas: a rede é responsável por dar as diretrizes gerais para o trabalho. Nos últimos anos. o coordenador pedagógico deve organizar o planejamento da escola. deve-se desenvolver um processo de decisão sobre a atuação concreta por parte dos professores. realmente. p. a partir do referencial curricular de habilidades e de outros recursos didáticos que estão à disposição do professor no seu campo de trabalho.

Conforme Gandin5 “um plano é bom. no planejamento. isto é. é imprescindível que se tenha em mente que é também tornar clara e precisa à ação. Ele deve ser tal que seja mais fácil executá-lo do que deixá-lo na gaveta”. a elaboração é um fator importante. elabora-se um processo de planejamento a fim de que seja bem feito aquilo que se faz dentro dos limites previstos para aquela execução. do desequilíbrio tão falado na teoria de Piaget. de fato. organizar o que faz sintonizar ideias. perder tempo. O professor neste processo deverá agir como mediador do ensino-aprendizado priorizando a qualidade do ensino. realidade e recursos para tornar mais eficiente à ação. além de considerar conhecimento prévio. Ao estabelecer objetivos (ações práticas e realizar em determinado tempo) sem saber qual a finalidade é. condição (no planejamento entendido na pura técnica) é a parte mais importante num processo compreendido como algo vital. p. isto é da inquietação. 14 numa perspectiva que leva em conta o conhecimento prévio do aluno partindo da necessidade. Por isso. 5 GANDIN 2005. No planejamento é preciso que se tenha em vista a ação. quando contém em si a força que o faz entrar em execução. algo que é. Ao agir em conformidade com o que foi proposto e revisar sempre cada um desses momentos e cada uma das ações.117. isto é. permite que a ação do planejamento aconteça de forma eficiente de modo a contemplar a especificidade de cada turma. . a consciência de que a elaboração é apenas um dos aspectos do processo e que há necessidade da existência do aspecto execução e do aspecto avaliação. O planejamento ajuda a alcançar a eficiência. Assim. Para tanto é necessário. No planejamento. compreender o seu pensamento sobre as questões propostas em sala de aula4. propor uma série orgânica de ações para diminuir essa distância e para contribuir mais para o resultado final estabelecido. pois ajuda a verificar a que distância se está da realidade de cada tipo de ação e até que ponto se está contribuindo para o resultado final que se pretende. bem como cada um dos documentos deles derivados. no mínimo. P. Para Xavier: Essa forma de planejar considera a processualidade da aprendizagem cujo avanço no processo se dá a partir de desafios problematizações. 25. 4 XAVIER 2000.

Mas o que se pretendeu com este trabalho. como. a continuidade. Uma afirmação que se pode considerar como conclusiva é sem dúvida que o planejamento de ensino eficaz. foi possível perceber que foi posto em prática de forma mais efetiva o planejamento em sala de aula. uma situação futura a partir da situação atual e prevê o que. é preferível evitar falar em planejamento: para não se enganar6”. 3 – CONCLUSÃO A prática do planejamento. sendo entendida e incluída no pensamento 6 GANDIN 2005. foi ressaltar as possíveis contribuições dessa prática para a solução de muitos deles. que têm uma importância intrínseca como organizadora do processo de ensino aprendizagem. como instrumento de desenvolvimento do trabalho. Melhorando a qualidade da educação oferecida pela mesma. a busca constante de querer o melhor para suas aulas. 39. sobretudo os originados – às vezes – pela não estruturação e execução do plano. Estudiosos do planejamento de ensino consideram o mesmo como um esboço. a fim de garantir a objetividade. . embora não seja uma garantia de aprendizagem. onde. a produtividade e a eficácia das metodologias planejadas. docente certamente não é a solução de todos os problemas do processo ensino aprendizagem. Os procedimentos didáticos. ou seja. Por meio deste trabalho. planejando e ensinando melhor e conseqüentemente aprendendo melhor. p. tornando o processo ensino- aprendizagem produtivo. a funcionalidade. só funciona de fato se houver um comprometimento do professor. Um ponto importante para a definição deste trabalho direcionado às atividades planejadas para o ensino diz respeito às didáticas. quando e o porquê se quer realizar tal objetivo. ligados no planejamento ganham em especificidade na medida da consideração de cada uma das necessidades apresentadas pelas crianças. 15 “Se o planejamento não leva à clareza em relação ao agir. com essa pesquisa encontramos suportes que nos auxiliaram e nos ajudaram a vencer os desafios que nos incomodava na trajetória do ensinar e aprender dentro desta instituição. ou sua prática efetiva. No entanto.

bem como as ações exercidas pelos alunos. não suporta a pretensão de esgotar as possibilidades da relação do planejamento com a execução. possibilita pensar a subjetividade do educando. agregando à análise da aprendizagem. por esse motivo. na unidade escolar Colégio Estadual Rui Barbosa. Assim. são determinantes da relação ensino aprendizagem. Uma vez preparados para discernirem o aspecto e a importância do planejamento. o projeto aqui apresentado foi elaborado e pensado nos problemas detectados e as possíveis soluções para os mesmos. esse aspecto. responsabilidade e união em nível de decisões conjuntas. ajustamento às mudanças. Cabe enfatizar que este trabalho. a fim de dar subsídios para os professores executarem melhor os seus planejamentos e consequentemente. uma vez contemplado na formação desses profissionais. da mesma forma em que as professoras passaram também a executar de fato aquilo que estava sendo proposto no planejamento. terem aulas melhores e planejadas adequadamente. tornando-se um instrumento pedagógico real. 16 educacional das professoras. os educadores dentro da própria escola. crescimento profissional. exercício de autodisciplina. proporcionando entre outros aspectos. Depois de se fazer uma observação e logo após uma pesquisa. onde as professoras desenvolvem habilidades necessárias à vida em comum com os colegas. poderão promover um atendimento às crianças com dificuldades. para além do olhar direcionado ao conhecimento. tinham dificuldades em organizar e aplicar o planejamento em sala de aula. . Com base nas referências teóricas abordadas no desenvolvimento deste estudo. também o olhar direcionado ao saber. Em outros termos. dos próprios currículos e do próprio processo de aprendizagem em si. algumas professoras do ensino fundamental do 1º ao 5º ano. a ampliação da atenção do educador poderá significar a promoção do desenvolvimento das crianças. ou seja. a partir destas conclusões. notou-se que havia uma carência no problema estrutural acerca do planejamento. dentro dos seus processos de trabalho. A contribuição de um bom planejamento. pôde-se pensar na importância do trabalho desenvolvido em conjunto. reitera-se aqui que o objetivo do projeto foi alcançado. de forma que houve uma mudança de comportamento por parte da própria coordenação pedagógica que passou a acompanhar com mais afinco o desenvolvimento do planejamento da equipe docente. porém reafirma que aqui as ações exercidas pelo professor. como um processo interativo.

TURRA. C. I H. Porto Alegre: 1975. et al. S. Secretaria do Estado da Educação e Cultura – TO. 1995. Planejamento em destaque: análises menos convencionais. Referencial Curricular do Ensino Fundamental das Escolas Públicas do Ensino Fundamental do 1º ao 9º ano. XAVIER. Danilo. L. C. TURRA. ENCONE. . Planejamento como prática educativa. Passo Fundo (RS): Universidade de Passo Fundo. Porto Alegre: Sagra-DC. G. 1995. LUZZATO. 2001. Planejamento de ensino e avaliação. Lenir Cancela. M. Avaliação da Aprendizagem Escolar/Cipriano Carlos. Parâmetros Curriculares Nacionais. LUCKESI. Projeto Político Pedagógico – CERB/2010/2011. Representações sociais: aspectos teórico-metodológicos. ed.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: GANDIN. M. Porto Alegre: PUC- EMMA. ZEM. 2000. TOCANTINS. ANDRÉ. 9ª Ed. Cipriano Carlos. 15ª Ed. I. 11. Délcia. Planejamento de Ensino e Avaliação. M. Porto Alegre: Mediação. 17 4. Cadernos Educação Básica 5. Clodia Maria Godoy.4 ed. Introdução Ensino Fundamental. M. M. São Paulo: Loyola. 2005. PADILHA. Planejamento de ensino e avaliação. 1ª Edição. D.

18 .