Anorexia: Novo Filme da Netflix Levanta Polêmica. Saiba Mais Sobre o Assunto!

Recentemente a famosa plataforma de filmes e séries chamada Netflix lançou um filme cujo
tema abordado é anorexia, intitulado “O mínimo para viver”. O filme mostra cenas fortes e
reflexivas sobre este tão recorrente distúrbio alimentar.

O filme sofreu uma série de críticas, inclusive de pessoas que tiveram este problema. A atriz e
protagonista, Lily Collins, também não se livrou dos olhares dos telespectadores. Segundo ela,
apesar de já ter também sofrido com a doença, precisou perder muito peso para fazer as cenas
perturbadoras do filme, porém alega ter sido com auxílio de uma nutricionista.

Polêmicas a parte... Este assunto me chamou atenção sobre um problema iminente: distúrbios
alimentares. A anorexia, que é o distúrbio em questão, é caracterizada por ser consequência
de uma série de fatores, inclusive da compulsão alimentar e pelo desejo de emagrecimento
imediato.

Para que você entenda melhor, a anorexia é um distúrbio alimentar que ocasiona na perda
exagerada de peso. Ou seja, a pessoa portadora do distúrbio fica muito abaixo do peso
considerado saudável. Estas pessoas também têm medo de ganhar o peso novamente, e
acabam achando que a perda de peso nunca é suficiente, se colocando em situações para
perder cada vez mais. A pessoa não se enxerga magra o bastante, fazendo então com que a
anorexia possa ser considerada também um distúrbio da imagem.

Além dos perigos da carência nutricional, deficiência de nutrientes e desnutrição severa, a
anorexia e todos os outros distúrbios alimentares, podem levar a pessoa a ter uma série de
outras doenças quando não tratada. Em mulheres, pode haver desequilíbrio hormonal e risco
de infertilidade, por exemplo.

O que eu quero alertar para você é que distúrbios alimentares no geral têm uma única causa e
consequência em comum: a má alimentação.

Pessoas que desenvolvem distúrbios alimentares provavelmente possuem um histórico grande
de dietas falidas onde o foco era passar fome, comer pouco ou até mesmo comer alimentos
nada saudáveis, uso de chás emagrecedores e remédios. Um distúrbio alimentar, em sua
maioria dos casos, pode ter origem de uma compulsão alimentar.

Alguns alimentos são capazes de agravar compulsões alimentares e gerar um futuro distúrbio
alimentar, principalmente em pessoas que buscam pelo emagrecimento.

A ciência do emagrecimento é complexa e não pode ser tratada de forma imediata, mas sim
natural e mais saudável possível. Perder peso rápido pode ser uma péssima ideia dependendo
do método que é utilizado para alcançar tal objetivo.

Por isso, sou defensor de um método fácil e saudável de alimentação estratégica* que visa o
emagrecimento saudável sem deixar de comer alimentos saudáveis, deliciosos e sem passar
fome. Assim, perder peso se torna algo natural e saudável, e não um terrorismo que ocasiona
em distúrbios alimentares.

BOTÃO: QUERO EMAGRECER SAUDÁVEL (pagina viver magra)
Quem me acompanha a mais tempo aqui no site sabe que sou um médico que é a favor do
tratamento e prevenção de doenças através da alimentação. E ao estudar sobre a ciência da
nutrição, nos deparamos com uma série de mitos que precisam ser quebrados e esclarecidos,
em nome da saúde das pessoas. Pensando nisso, eu criei uma plataforma de conteúdos
mensais sobre nutrição e saúde, especialmente para pessoas que querem se manter
informadas sobre o que há de mais atual desse universo. Caso queira saber mais sobre este
conteúdo valioso e até mesmo recebe-lo, clique na imagem abaixo.

BANNER: DR. ROCHA COM VOCÊ

As informações são embasadas cientificamente, porém com linguagem clara e simplificada,
para que você entenda e consiga aplicar todos os ensinamentos no seu dia a dia e de sua
família.

A sua saúde é o bem mais precioso que você tem. Preserve-a! Mantenha hábitos alimentares
saudáveis, pratique atividades físicas, trabalhe mais a ansiedade com exercícios de respiração
e tenha boas noites de sono reparador.

Vou ficando por aqui. Curta, compartilhe e deixe nos comentários aqui sua experiência com a
alimentação!

Um forte abraço,

Dr. Rocha!

*Link pagina de vendas viver magra