FEBRE DE ORIGEM

INDETERMINADA

FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA • Presença de hipertermia (temp ≥ 38.sem evidência etiológica apesar da cuidadosa investigação clínica e laboratorial. .3°C) por mais de 8 dias .

FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA ETIOLOGIA Adultos Crianças Infecções 36% (25-40%) (30-50%) Neoplasias 19% (25-40%) (5-10%) Colagenoses 13% (10-20%) (10-20%) Outras Causas 25% .

• Leptospirose • Salmonelose • Tuberculose • Mastoidite • Tularemia • Sinusite • Osteomielite .S.aureus e S.enterococos. epidermidis). CAUSAS INFECCIOSAS BACTERIANAS • Brucelose • Endocardite (S. viridans.

CAUSAS INFECCIOSAS VIRAIS • CMV • Vírus de Hepatite • EBV (mononucleose) PARASITÁRIAS • Malária • Toxoplasmose • Larva migrans visceral .

CAUSAS NEOPLÁSICAS • Linfoma de Hodgkin • Leucemia/Linfoma • Neuroblastoma .

COLAGENOSES • Artrite Idiopática Juvenil (AIJ) • Poliarterite nodosa • LES .

OUTRAS CAUSAS DE FOI • Febre factícia • Diabetes insipidus • Febre Medicamentosa * • Pancreatite • Eritema multiforme • Sarcoidose • Doença de Crohn • Febre Mediterrânea Familiar .

agentes cardiovasculares (como quinidina). * Febre Medicamentosa • 1 a 3 semanas após início de medicação.antineoplásicos e drogas de ação no SNC (p. . • Mais associada a antibimicrobianos (sobretudo β-lactâmicos).ex. • Desaparece 2 a 3 dias após suspensão do uso. fenitoína).

Imaturos/Bizarros ~Leucemia .fictícia. NE > 500 ~ Infec Bacteriana Linfócitos Atípicos ~ Inf Virais (10% ~ EBV) Linf. • Hemograma Leuco > 10000. • Anamnese. Abordagem Diagnóstica da FOI • Documentação da febre –afastar f.

• Sorologias • Raio-X de tórax • RNM (avaliar SNC) .líquor e aspirado gástrico diurno( pensando em tuberculose). Abordagem Diagnóstica da FOI • Hemocultura • VHS • Cultura de materiais como urina.escarro.

Abordagem Diagnóstica da FOI • USG (rins.pâncreas e árvore biliar) • FAN (crianças > 5 anos) • HIV • Punção lombar em pacientes com cefaléia- afastar meningite. • TC –avaliação de massas .

TC e RNM) têm possibilitado maior detecção de linfomas e neoplasias ocultas. FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA • O uso de culturas microbiológicas e de potentes antimibióticos de amplos espectro têm reduzido o número de processos infecciosos responsáveis pela FOI. • Exames de Imagem (USG. • Disponibilidade de provas imunológicas mais específicas e sensíveis diminuiu o número de LES e outras doenças auto-imunes que não eram diagnosticadas. .

. • A criança deve ser sempre internada. O médico deve persistir no exame físico e avaliações constantes. FEBRE DE ORIGEM INDETERMINADA • Cerca de 10% a 20% das crianças com FOI não apresentam nenhuma causa identificada. • O curso de uma FOI em criança é pior do que no adulto.

Feigin RD. Philadelphia: WB Saunders Co. Cherry JD. In: Feigin RD. • Current Medical Diagnosis & Treatment . p. 1998. • Harrison .2003 . Principles of Internal Medicine. Textbook of Pediatric Infectious Diseases. 4th ed. BIBLIOGRAFIA • Lorin MI. 13th ed. 823-30. Fever of Unkown Origin.