Márcio Covello ________________________________________

ADVOCACIA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DD. _____VARA
CÍVEL DO FORO CENTRAL-SP

MÁRCIO COVELLO, brasileiro, solteiro, advogado,
portador da cédula de identidade R.G. n.º 20.133.832-4, inscrito no CPF/MF sob n.º
135.001.238-64, residente e domiciliado na Rua Faustino Augusto César n.º 155, Vila
Marari, São Paulo – SP, CEP 04402-120, vem respeitosamente perante Vossa
Excelência, em causa própria, propor a presente

AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER CC. RESTITUIÇAO DE VALORES PAGOS
E INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS

em face de LOVATEC ELETRÔNICA, inscrita sob o CNPJ n°. 19.560.745-0001/33,
situada na Alameda dos Jurupis nº. 1947, Indianópolis, CEP 04088-006, São Paulo – SP,
pelas razões de fato e de direito que passa a expor:

Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04.402-120 –: Tel.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428
e-mail covello@aasp.org.br

o Autor dirigiu-se à empresa requerida Lovatec. que ainda estava na garantia. modelo SV152C29L. levando seu notebook marca Sony. ao ligar o notebook.402-120 –: Tel. Após diagnostico técnico. Em 18 de abril. notou-se que o sistema operacional continuava lento e que o “mouse touch” não funcionava. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA 1. através da ordem de serviço nº 11738. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. uma vez que seu notebook.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. DOS FATOS No dia 03 de outubro de 2014.00 (duzentos reais). sendo gerada a ordem de serviço nº 30499 (doc. o Autor foi informado que foi diagnosticado problema de “recover”. devendo ser pago o valor de R$ 200. foi aceito o orçamento. Em 13 de abril de 2015. Apesar da vigência da garantia. Ainda dentro da empresa Lovatec. Após alguns dias.org. apresentava o mesmo problema anterior.br .00 (duzentos reais). o autor foi informado que o problema seria novamente de “recover” e que deveria desembolsar novamente o valor de R$ 200. Xxxx). o ora demandante retornou novamente à empresa Lovatec. o autor foi buscar seu equipamento e observou novos defeitos que não haviam no equipamento. que se encontrava na garantia. A funcionária Carol o atendeu e sugeriu que deixasse o equipamento na assistência técnica por mais alguns dias a fim de ser revisto o serviço feito pelo técnico. mas para evitar maiores transtornos. dando entrada por aparente problema no hard disk.

Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. após algum tempo. desde a aquisição do mencionado notebook.br . Em meados do mês de maio de 2015. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA O requerente então retornou no dia 20 de abril e. nunca havia ocorrido qualquer problema com o seu teclado. Considerando a garantia que possui o equipamento até outubro de 2015. nem mesmo o “mouse touch”.00 (duzentos reais) (doc. após ser dada entrada do equipamento.402-120 –: Tel. não se mostrou razoável desembolsar qualquer quantia a fim de corrigir erro no teclado. retirou seu equipamento. Porém. Heraldo. pois anteriormente nunca havia falhado qualquer tecla. onde foi relatado acerca de todas as ordens de serviço anteriores. aguardou posicionamento da empresa Lovatec. Ao chegar em casa. bem como o fato de que o teclado só começou a dar problema depois que o notebook entrou para manutenção. Xxxx). ocorrido dentro da assistência técnica. Sr. conseguiu contato com o supervisor. pois diversas teclas não estavam mais funcionando. considerando a desídia da empresa requerida. xxxx). Diante disso. onde foi informado que o teclado teria de ser substituído e que deveria pagar a quantia de R$ 390. xxxx). Em 28 de abril. tendo sido gerada a ordem de serviço 31339 (doc.org.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. após o pagamento de R$ 200. notou que havia sérios problemas com o teclado.00 (trezentos e noventa reais) para substitui-lo (doc. retornou à assistência técnica em 23 de abril e. novamente dirigiu-se à requerida Lovatec. o autor entabulou diversos contatos telefônicos com a empresa Sony do Brasil. telefone nº 4003-7669 e.

promover o mencionado “recover”. bem como Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04.br . o sistema operacional foi reinstalado no notebook. O teclado. Foi atendido pela funcionária. Diante de tais considerações. que por duas vezes foi pago à assistência técnica. Sra. que deixou de apresentar a mencionada lentidão. porem. Após cerca de uma hora. Após diversos dias sem retorno do Sr. o que não ocorreu. Outro funcionário o atendeu e disse que assim que houvesse uma posição mais concreta retornaria a ligação. bem como encaminhar a nota fiscal do aparelho (doc. ora requerida. Heraldo. a Requerida é obrigada a reparar o dano sofrido pelo Autor.org. o autor entrou em contato com o suporte técnico da Sony do Brasil pois seu aparelho ainda apresentava lentidão. A mencionada funcionária orientou passo a passo. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA Após lhe ser relatado todos os problemas aqui narrados. de como deveria proceder o Autor a fim de restaurar o sistema operacional.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. situação que nunca havia ocorrido antes de dar entrada na mencionada assistência técnica. sem êxito. continua a apresentar defeitos em diversas teclas. necessitando utilizar seu notebook uma vez que iria viajar e o levaria.402-120 –: Tel. Priscila. novamente o autor tentou contato telefônico com a empresa Sony do Brasil. ou seja. que adquiriu um produto reconhecido como de alta qualidade e o levou em assistência técnica autorizada pela empresa Sony. gerando o protocolo E61481577. tal supervisor pediu que enviasse um e-mail detalhado. Xxxx). Em 08 de julho de 2015.

br . também conhecida como Código de Defesa do Consumidor..... 156). coletivos e difusos. 6º São direitos básicos do consumidor: (. – Rio de Janeiro: Forense. sendo este um dos efeitos da aplicação da legislação consumerista.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. da Lei 8. alternativamente e à sua escolha: Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. assim como por aqueles decorrentes da disparidade com as indicações constantes da oferta ou mensagem publicitária.1. p. Já o artigo 20 da Lei 8. 2. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA proceder à troca do teclado.. ed. [et al. e reform.10.. atual.078/90 prevê que: Art. em primeiro lugar.402-120 –: Tel. É gritante a hipossuficiência do Autor no presente caso.078/90. vol I. VI.]. “quando se fala em prevenção de danos. que se tornou inoperante após as intervenções dos funcionários da assistência técnica Lovatec.) VI .org. DO DIREITO 2. que: Art. (. rev. fala-se certamente. 20. individuais. Do direito do consumidor e à restituição dos valores pagos Preceitua o artigo 6º. 2011. podendo o consumidor exigir. Consumidor nada mais é do que a pessoa econômica e tecnicamente vulnerável.a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais.. nas atitudes que as próprias empresas fornecedoras de produtos e serviços devem ter para que não venham a ocorrer danos ao consumidor ou a terceiros ” (in “Código brasileiro de defesa do consumidor: comentado pelos autores do anteprojeto / Ada Pellegrini Grinover .) Neste sentido. O fornecedor de serviços responde pelos vícios de qualidade que os tornem impróprios ao consumo ou lhes diminuam o valor.

§ 1° A reexecução dos serviços poderá ser confiada a terceiros devidamente capacitados. garantindo-lhes o direito de reaver a quantia paga pela aquisição de bens móveis. ou seja. 08. apresentando defeitos e vícios aparentes. sem prejuízo de eventuais perdas e danos.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. “os serviços padecem de vicio de qualidade quando são impróprios ao consumo.TUTELA ANTECIPADA .o abatimento proporcional do preço.a restituição imediata da quantia paga. III . Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA I . pretende o demandante com a presente ação a restituição imediata das quantias pagas. já se decidiu que: “RESCISÃO CONTRATUAL . Demonstrada a plausibilidade da argumentação fática e jurídica contida na pretensão dos consumidores. 35ªCâmara. sem custo adicional e quando cabível. 230). § 2º)” (op. quando se mostram inadequados para os fins que deles se esperam ou não atendam às normas regulamentares de prestabilidade (cf. mediante prova de que se funda em bom direito. sem prejuízo de eventuais perdas e danos. II . bem como aqueles que não atendam as normas regulamentares de prestabilidade”. rel. § 2° São impróprios os serviços que se mostrem inadequados para os fins que razoavelmente deles se esperam. eis que os serviços executados pelo fornecedor prejudicaram a qualidade do produto. determinando-se também a retirada dos produtos entregues e instalados.COMPRA DE BENS MÓVEIS FORNECEDOR DE PRODUTOS E SERVIÇOS .org. o produto em questão tornou-se inadequado ao uso uma vez que seu teclado tornou-se praticamente inoperante diante das várias teclas que não mais funcionam.2007) Posta a questão nestes termos.402-120 –: Tel. Clovis Castelo. Importante salientar que. por conta e risco do fornecedor. Neste sentido. p.DEFERIMENTO.br .VÍCIO DE QUALIDADE RESTITUIÇÃO DA QUANTIA PAGA AO CONSUMIDOR . In casu.10. cit. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. monetariamente atualizadas. Des.a reexecução dos serviços. (AI N°1123944-0/3/SP. j. monetariamente atualizada. pertinente a concessão de tutela antecipada.

p. Dispõe o artigo 84 da lei consumerista: “ Art. vale consignar que é preciso desencorajar a repetição de semelhantes condutas. tem função puramente coercitiva” (grifo nosso) (op. impor multa diária ao réu. § 3° Sendo relevante o fundamento da demanda e havendo justificado receio de ineficácia do provimento final. 114/115). cit.402-120 –: Tel. portanto.br . sua imposição não prejudica o direito do credor à realização específica da obrigação ou ao recebimento do equivalente monetário. fixando prazo razoável para o cumprimento do preceito. II. concebida para induzir o devedor a cumprir espontaneamente as obrigações que lhe incumbem. Na ação que tenha por objeto o cumprimento da obrigação de fazer ou não fazer. Da obrigação de fazer Noutro vértice. se for suficiente ou compatível com a obrigação. vol. e tampouco à postulação das perdas e danos. é lícito ao juiz conceder a tutela liminarmente ou após justificação prévia. 287. o juiz concederá a tutela específica da obrigação ou determinará providências que assegurem o resultado prático equivalente ao do adimplemento.. Vislumbra-se. independentemente de pedido do autor. 84. § 4° O juiz poderá. a necessidade de imposição de multa coercitiva na espécie. § 2° A indenização por perdas e danos se fará sem prejuízo da multa (art.)” Como é sabido “a medida coercitiva representada pela multa. A multa. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA 2. § 1° A conversão da obrigação em perdas e danos somente será admissível se por elas optar o autor ou se impossível a tutela específica ou a obtenção do resultado prático correspondente. não tem caráter reparatório.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. em suma. (. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04.2... na hipótese do § 3° ou na sentença. Vale dizer. citado o réu. do Código de Processo Civil). principalmente as de natureza infungível.org.

org. p. sem imposição de qualquer ônus ao demandante. responsabilizar os que agem culposamente e promover uma equilibrada distribuição dos riscos de certas atividades não pode representar o estágio final da responsabilidade civil. Diante disso e pelo que já discorrido alhures.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. 2009. Belo Horizonte: Del Rey. Do direito ao dano moral Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04.3. teria horizontes mais amplos do que a mera atribuição do dever de ressarcir àqueles que. antes focada na análise subjetiva da conduta do ofensor. punindo o ofensor ao estabelecer a ele uma sanção a fim de que não repita determinado comportamento lesivo. consistente na promoção de condutas socialmente desejáveis pela rigorosa punição aos que violassem tais padrões comportamentais” (in Direito Civil: princípios jurídicos de direito privado. De fato. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA Ademais. mister se faz seja a requerida impelida a promover a troca do teclado do mencionado notebook. independentemente da ilicitude da conduta. Tal dualidade de funções vem sendo lembrada pelas Cortes Superiores na finalidade de desestimular o ofensor. Preleciona Rodolpho Barreto Sampaio Junior que: “o instituto da responsabilidade civil passou por sensível transformação ao admitir a atribuição do dever de ressarcir com amparo no dano. no sentido de dissuadir terceiros a adotarem o mesmo procedimento. criaram riscos para os direitos e interesses alheios. 2. mesmo agindo licitamente. Entretanto. bem como pedagógico.402-120 –: Tel. eis que este último não deu causa aos defeitos que surgiram em diversas teclas.br . A tão pretendida socialização da teoria da responsabilidade civil. a responsabilidade civil encontraria um novo fundamento ético. a imposição da multa coercitiva visa atingir dois objetivos: coercitivo. Atualidades III. 230-231).

o Autor entabulou contatos com a Requerida por diversas vezes na tentativa de reparar o defeito causado pela assistência técnica em seu aparelho. Como já dito. principalmente. fls.br . ensina Rui Stocco: “ obrigação de reparar o dano representa o preço da responsabilidade de viver em sociedade e interar com seus pares. mas deve sempre respeitar Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. como é sabido. Mais importa ao consumidor alcançar. O Código não faz expressa referência à sanção relativa aos danos morais partindo do suposto que pertence à Teoria Geral do Direito. Trata-se de equipamento novo.. cit. nota-se que os danos morais constituem. Ademais. De todo modo. por vezes. em sua plenitude o ressarcimento da ordem moral do que a reparação dos danos materiais inculcados ao fornecedor relapso” (op. é certo que o teclado não tinha qualquer defeito antes da permanência do notebook na assistência técnica durante o mês de abril de 2015. todos sem êxito. Na mesma esteira. é notório seu dever de indenizar o Requerente pelos danos morais suportados. 231). não tendo sofrido qualquer queda ou avaria enquanto permaneceu com o autor. pois cada um de nós é detentor de direitos. a reparação mais acalentada por todos aqueles que se sentem ofendidos ou destratados nas relações de consumo pactuadas com os respectivos fornecedores. com mais frequência. “em sede de prestação de serviços é que. usuários de serviços prestados por empresas privadas e públicas. se localizam os danos que afetam a esfera moral dos consumidores. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA Restando configurado o descumprimento de norma legal pela Ré.402-120 –: Tel. Não bastasse tanto. com pouco mais de um ano. da leitura dos julgados prolatados em ações indenizatórias propostas por consumidores e.org.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp.

como consequência.. Para que se amenize esse estado de melancolia. Surgem o padecimento íntimo. sempre que os elementos caracterizadores do ato ilícito estiverem presentes. pois a utilização de seu notebook é essencial para desempenho de seu mister.org. rev. na opinião dos mais retrógrados (muitos assim ensinavam antes do advento da Constituição Federal de 1988). Nos tempos atuais é sabido que o dano moral não corresponde à dor. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. É evidente que a demandada causou transtorno ao Autor.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. atual e ampl. a humilhação. p. São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais. 113). o constrangimento de quem é ofendido em sua honra ou dignidade.. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA os direitos do próximo e agir segundo as regras que a própria sociedade consagrou e o Direito positivo estabeleceu” (in “Tratado de responsabilidade civil: doutrina e jurisprudência”. a obrigação de indenizar e a responsabilidade civil. a vergonha.402-120 –: Tel. há de se proporcionar os meios adequados para a recuperação da vítima. de desânimo. se torna um imperativo aquela obrigação. É sabido que o dano moral advém da dor e esta não tem preço tarifado. pelo sofrimento. Toda lesão a qualquer direito traz.7ª ed.br . mas ressalta efeitos maléficos marcados pela dor. São a apatia e a morbidez mental que tomam conta do ofendido. Sua reparação seria enriquecimento ilícito e vexatório. o vexame e a repercussão social por um crédito negado. 2007.

Questiona-se agora a dor. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA Não se está pagando a dor nem se lhe atribuindo um preço e sim aplacando o sofrimento da vítima.org. se ocupe e assim supere a sua crise de melancolia. o cargo por ele exercido e a repercussão negativa em suas atividades devem somar-se nos laudos avaliatórios para que o juiz saiba dosar com justiça a condenação do ofensor. denominando os meios adequados para a recuperação do ofendido de “derivativos”. a vergonha. que diverge de pessoa a pessoa. a posição social do ofendido.402-120 –: Tel. os de coração empedernido. Na avaliação do dano moral. varia de pessoa a pessoa (uns sentem-na menos. mas os meios para combater os males oriundos da dor (tristeza. Uns são mais fortes.br . Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. Derivativo significa ocupação ou divertimento com que se procura fugir a estados melancólicos. é personalíssima. o juiz deve medir o grau de seqüela produzido. tensão nervosa). outros mais suscetíveis ao sofrimento. A dor não é generalizada. Augusto Zenun considerou impróprio o vocábulo “sucedâneo”. O derivativo não representa a dor. outros em maior profundidade). Há pessoas que dispensam os derivativos: são os estóicos. Condenar o ofensor por danos morais implica reparar o necessário para que se propiciem os meios de retirar o ofendido do estado melancólico a que fora levado.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. as situações vexatórias. fazendo com que ela se distraia. apatia. A humilhação.

A Constituição Federal. a condenação deve atingir somas mais altas.br . a Lei de Imprensa. Leciona Caio Mário da Silva Pereira que: “o fundamento da reparabilidade pelo dano moral está em que. Toda vez que houver ataque à honra. a par do patrimônio em sentido técnico.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. Há os que acham que a reparação pelo dano moral vem associada à reparação pelo dano material. não podendo a ordem jurídica conformar-se em que sejam impunemente atingidos”. incs.402-120 –: Tel. deverá estar presente a reparação pelo dano moral. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. o que já haviam feito o Código Brasileiro de Telecomunicações. para arranhar a honra e a boa fama do ofendido. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA Há ofensor que age com premeditação. especificamente. à dignidade. unicamente para prejudicar. V e X. usando de má- fé. os quais devem ser analisados pelos julgadores: extensão do dano.org. situação patrimonial e imagem do lesado. em seu art. 5 °. situação patrimonial do ofensor. Costumam os julgadores atentar para a repercussão do dano na vida do ofendido e para a possibilidade econômica do ofensor. Neste caso. à reputação de uma pessoa. intenção do autor do dano. prevê a indenização por dano moral como proteção a direitos individuais. o indivíduo é titular de direitos integrantes de sua personalidade. o Código de Defesa do Consumidor e Lei dos Direitos Autorais. Ives Gandra Martins considera relevantes alguns aspectos.

impôs valor para troca da peça. sendo que o defeito foi causado dentro do estabelecimento. surpreendeu-se o demandante com a facilidade na realização do mencionado “recover”. ao entabular contato telefônico recentemente com o suporte técnico da Sony do Brasil. a quantia de R$ 200. como determina o Código de Defesa do Consumidor. é evidente a desídia da empresa requerida que entregou o notebook ao autor com problemas no teclado e não se dignou a resolvê- los. por duas vezes. em momento algum.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. já este que não consegue mais utiliza-lo diante dos problemas que surgiram no teclado. Não bastasse tanto. E mais que isto: uma empresa que tenha por finalidade prestar assistência técnica a clientes de determinada fabrica tem por dever zelar pelos equipamentos que lhe são confiados para conserto e fazer todo e qualquer teste de qualidade a fim de devolver o equipamento àquele que lhe entregou.00 para restaurar o sistema e instalar novamente o sistema operacional e.402-120 –: Tel. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA O que se valora é a repercussão da lesão sofrida. causou grande desgaste ao Autor. Diante disso. Contribui para aumentar o valor da indenização o elemento intencional do autor do dano. Pelas razões expostas. na espécie. que a requerida cobre. que funciona apenas parcialmente. tenha orientado o autor a proceder ele mesmo tal procedimento.br . demonstrou-se que o descaso da Ré em promover o correto reparo no notebook. Ao revés.org. Não se mostra plausível.

por CARTA-AR DIGITAL. quando. inclusive com a inversão do ônus da prova. Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04. mostra-se necessária na espécie a inversão do ônus da prova.) VIII . do Código de Defesa do Consumidor: Art. a critério do juiz. (. requer seja julgada PROCEDENTE a presente demanda.br . provida de todos os conhecimentos e aparatos técnicos pertinentes. nos termos dos artigos 221. para que. nos termos do art. 6º São direitos básicos do consumidor: (. no processo civil. ambos do Código de Processo Civil. É inegável que a produção da prova é mais adequada à empresa ora demandada pois esta certamente possui maiores elementos para sua elaboração. 84 da Lei 8. sob pena de revelia e confissão. pois não detém o mesmo grau de informação que a Requerida. no prazo legal.. querendo.4. destarte. I. Da inversão do ônus da prova Por fim.) Neste sentido. DO PEDIDO Pleiteia-se. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA 2.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp.. Por conseguinte. sob pena de imposição de multa coercitiva em valor a ser fixado por esse E. conteste os termos da presente demanda.a facilitação da defesa de seus direitos. segundo as regras ordinárias de experiências. diante do que preceitua o artigo 6º.402-120 –: Tel. para a Requerida ser condenada ao cumprimento da obrigação de fazer consistente em troca do teclado no notebook do autor. 3. é evidente na espécie a vulnerabilidade do Autor. VIII. e 222.org.. a citação da requerida pelo correio. Juízo..078/90. a seu favor. for verossímil a alegação ou quando for ele hipossuficiente.

em valor a ser fixado por Vossa Excelência. Pede Deferimento. setecentos e noventa reais).402-120 –: Tel. 14 de julho de 2015. além de juntada de novos documentos e oitiva de testemunhas.790. Nestes Termos. do Código de Defesa do Consumidor. bem como sejam feitas as anotações de estilo. Postula-se a inversão do ônus da prova.000.: (11) 5562-0234 / 9 9971-6428 e-mail covello@aasp. bem como honorários advocatícios. Postula pela produção de todos meios de prova em direito admitidos. Márcio Covello ________________________________________ ADVOCACIA Requer-se. VIII. São Paulo. ainda. requer-se a condenação da Ré ao pagamento de custas e despesas processuais. Ademais. bem como ao pagamento de indenização por danos morais. MÁRCIO COVELLO OAB/SP 326. a serem arbitrados em 20% (por cento) sobre o valor da condenação. requer-se que sejam as futuras intimações feitas na pessoa do autor Márcio Covello. com inscrição na OAB/SP sob o n° 326.org.00 (cinco mil. condenação da Requerida a devolver os valores despendidos. Dá-se à causa o valor de R$ 5.281 Rua Faustino Augusto César nº 155 – Vila Marari – São Paulo/SP – CEP 04.281. diante do que preceitua o artigo 6º. consistentes em R$ 400. especialmente depoimento pessoal do representante legal da Requerida ou eventuais prepostos. devidamente acrescidos de juros e correção monetária desde o desembolso.br . Por fim.00. A título de sugestão: R$ 5.00 (cinco mil reais).