APH Tático: Primeiro a vítima, um paradigma diferencial.

Nos últimos 5 anos, em razão da escalada da violência no pais, fruto da atual
degradação sócio política nacional (assunto que foge ao escopo desse
artigo), observa-se o crescimento das ocorrências que demandam um tipo
de Atendimento Pré-Hospitalar (APH) especializado, que em razão de sua
natureza, exige habilidades especificas, complementares a tradicional
capacitação dos profissionais, multidisciplinares, que atuam em
emergências.

A este atendimento especializado, convencionou-se o título de APH Tático.
Face a nova demanda, surgiram naturalmente diversos provedores de
capacitação, alguns muito bons, outros porem de qualidade duvidosa, com
carga horária inadequada e insuficiente, muitas vezes interessados apenas
em lucro financeiro, fato que pode incorrer em grave risco de vida, para o
aluno.
Mas apesar do grande entusiasmo com que alguns profissionais tem
buscado capacitação em APH Tático, a grande maioria se entusiasma com
os procedimentos e equipamentos específicos do meio tático, esquecendo-
se de um conceito básico, que faz toda a diferença e que torna o
atendimento tático tão diferenciado:
Enquanto vemos que no APH convencional, os profissionais envolvidos se
baseiam na premissa fundamental do “Primeiro EU”, (na qual se define,
como mais importante, a segurança do provedor de atendimento), no APH
Tático, a premissa fundamental de atendimento é “Primeiro a VÍTIMA”.
Este conceito, difícil de se assimilar pelos profissionais do APH
Convencional, é o moto básico do Atendimento Pré-Hospitalar Tático,
tornando-se o cerne de toda a doutrina do APH Tático.
Entretanto as diferenças ainda não param por aqui.
Dentro do APH Tático, temos duas divisões principais:
1 - SUPORTE MÉDICO DE EMERGÊNCIA EM OPERACÕES TÁTICAS (SMEOT)
Geralmente ligado a ações policiais onde se vê a necessidade de uso
progressivo da força, como controle de distúrbios civis, cumprimento de
mandados de prisão, intervenções em presídios, resposta a assaltos e
sequestros, entre outros.
2- CUIDADO TÁTICO DE VÍTIMA EM COMBATE / TATICAL CASUALTY
COMBAT CARE (TCCC). Voltado ao atendimento a vítimas durante combates
e missões especificamente militares em geral.
No SMEOT, prevalece o princípio de PRIMEIRO A VÍTIMA, Já no TCCC muitas
vezes a situação se torna ainda mais complexa, onde o princípio passa a ser
de PRIMEIRO A MISSÃO.
É quando confrontado com essas definições, que se diferencia realmente
quem é o verdadeiro profissional de APH Tático, daqueles interessados
apenas no glamour, dos equipamentos diferenciados e dos uniformes
táticos, mas que não possuem diferencial interno subjetivo, necessário ao
exercício consciente da profissão.

Por: Professor Lemuel Araújo.

(O Professor Lemuel Araújo, é Policial Civil, Operador Tático de Emergências
Médicas – OTEM, especialista em APH Tático e Resgate Aeromédico.)