MEMORIAL DE CÁLCULO 071811 / 1 - 0

PLATAFORMA PARA ANDAIME SUSPENSO 0,60 m X 2,00 m

MODELO RG PFM 2.1

FABRICANTE: Metalúrgica Rodolfo Glaus Ltda

ENDEREÇO: Av. Torquato Severo, 262 – Bairro Anchieta
90200 – 210 Porto alegre - RS

TELEFONE: ( 51 ) 3371-2988

CNPJ: 92.670.322/0001-66

INSCRIÇÃO ESTADUAL: 096 / 0086889

Elaborado por:

Jose Sergio Menegaz
Engº Mecânico
CREA 23991

1

1 OBJETIVO
O presente memorial de cálculo objetiva demonstrar a capacidade de carga e as
condições de segurança do equipamento em análise, do ponto de vista do
dimensionamento estrutural de seus componentes.

2. CRITÉRIOS PARA DIMENSIONAMENTO
O dimensionamento é efetuado em conformidade com as especificações da Norma
Européia EN 1808 e da Norma Regulamentadora NR 18, onde aplicáveis, sendo
elaborados cálculos segundo ambos os critérios para o sistema guarda corpo.

3. CARGA NOMINAL DA PLATAFORMA
3.1 Carga máxima admitida para dimensionamento
A plataforma comprimento 2,00 m é dimensionada para uma carga máxima igual à
606 Kgf. O peso próprio da plataforma é igual à 152 Kgf, o peso próprio dos guinchos
é igual a 21 Kgf por unidade e a tração máxima de cada máquina de movimentação
vertical da plataforma é admitida como igual à 400 Kgf.

3.2 Carga nominal de acordo com a Norma Européia NE 1808
A Norma Européia NE 1808 estabelece em seu item 6.3.2.1, que o cálculo da carga
nominal RL para plataformas ocupadas por duas ou mais pessoas é dado por:
RL = ( n x Mp) + (2 x Me ) + Mm
onde: n = numero de pessoas na plataforma
Mp = massa de cada pessoa, igual à 80 Kgf
Me = peso mínimo do equipamento pessoal, igual à 40 Kgf
Mm = massa do material na plataforma de trabalho

Para RL já definida, e para plataforma a ser ocupada, por definição, por duas
pessoas, temos:
606 = (2 x 80) + (2 x 40) + Mm ⇒ Mm = 366 Kg

Fica definido desta forma, que a massa de material na plataforma não pode
exceder 366 Kg, quando ocupada por dois trabalhadores

2

4. DISTRIBUIÇÃO DA CARGA RL NA PLATAFORMA
A Norma Européia NE 1808 estabelece:
- ítem 6.3.2.2 "A capacidade de carga mínima do piso da plataforma (RF) deve ser
igual à 200 Kg / m². O piso deve suportar uma carga de 100 Kg distribuida sobre
uma área de 0,2 x 0,2 m"

- ítem 6.3.2.3 " A carga RL é calculada de acordo com as fórmulas (1) e (2) e
distribuida sobre uma superficie Sa, localizada no comprimento T"
Sa = B x T
T = RL / (B x RF) onde RF = 200 Kgf / m²

T
RL

L B

O comprimento T é dado por:
T = RL / (B x RF)
T = 606 / (0,63 x 200) ⇒ T = 4,80 m

Tendo em vista que o comprimento T calculado é maior do que o comprimento
total da plataforma, a carga total é considerada como distribuida ao longo do
comprimento 2,00 metros.

3

5. ESQUEMA CONSTRUTIVO DA PLATAFORMA 4 .

1 Seção transversal do perfil composto 5 .6. MOMENTO DE INÉRCIA DA PLATAFORMA SEGUNDO O COMPRIMENTO 6.

..243) J2 = 611 cm4 6 .........3 Perfil U enrijecido inferior 6..............4 ...0024 + 0..........................84 ν = ys = 91.......... h³ / 12) J1 = (4 ......Altura.............00 mm ...4 ....... 24......20 mm .............44 cm² .....56²) + + (0..........................................072) + (17....19 cm4 6...Área da seção transversal.......................292 / 6.......................Largura..216 ) + (96.................... 1) + (0....Espessura da parede................84 ⇒ ν = 13......Área da seção transversal.........................................................Limite de escoamento.....Limite de escoamento.......2100 Kgf / cm² 6.1 Distancia da linha neutra do perfil enrijecido inferior ν = ys = Σ Ai ........4 ......................34 cm 6. O momento de inércia segundo o eixo X é dado pelo Teorema de Steiner conforme segue: J2 = Σ ( Jo + A ...24² ) + (0.Espessura da parede...5 ) + (0..........34²) + ( 0....3....................4 ..............2 Momento de inércia do perfil enrijecido inferior .....SAE 1020 .....72 ...92) + (0...................66²) J2 = (263...................................................... H³ / 12) ...2 Momento de inércia do tubo quadrado superior O momento de inercia do tubo quadrado superior é dado por: J1 = (B ......Largura. yi / A ν = ys = ( (5........................4................ 26) ) / 6.....................72 .72 ..........41 + 5 ................................40 mm ............938 ) + (126....00 mm ..... 12............................Altura do enrijecimento...1) + (0.. 12............218) +(61..... 3................6....4) + (10........72 ....Altura ..........2......................84 ν = ys = (62. 0....4 ..............2100 Kgf / cm² Perfil U enrijecido inferior .......0024 + 0.....................270 mm .. d2 ) J2 = (260..............1333 + 0....... Os elementos resistentes da plataforma segundo seu comprimento são executados com perfis tubulares quadrados superiores e com perfis U enrijecidos inferiores com seguintes características: Tubo quadrado superior ..........40 mm ............ 11.................SAE 1020 .40 mm .............Material............. 13.....................Material............84² ) + (0..........................3...1333 + 0..........9) + (0..............043) + ( 64...................(3.................... 0.........................5 ) + (0...............3.............84 cm² ....................................4³ / 12) ⇒ J1 = 10..(b ......4) / 6....... 4³ / 12 ) ............................................... 12...

Jc J = 2 .1 Distancia da linha neutra do perfil composto Área da seção transversal do perfil composto: A = 4. 36.84 .3.34) ) / 11. de modo que o momento de inercia resistente total é dado por: J = 2 .6. 62. 23.28 ⇒ ν = 38.28 ν = ys = (8. 10426 ⇒ J = 20852 cm 4 7 . 2 ) + (6.4 Momento de inércia resistente Cada plataforma utiliza duas laterais. d2 ) Jc = (13. yi / A ν = ys = ( (4.44 .3.58 cm 6.84 ⇒ A = 11.44 + 6.3 Perfil composto 6.40) / 11.88 + 426.84.44.58² ) + (611 + 6.34 + 4.28 cm² Distancia da linha neutra: ν = ys = Σ Ai .2 Momento de inércia do perfil composto O momento de inércia segundo o eixo X é dado pelo Teorema de Steiner conforme segue: Jc = Σ ( Jo + A .76² ) Jc = (5954) + (4472 ) ⇒ Jc = 10426 cm 4 6.

74 Kgf / cm 8 . conforme esquema: P1 P2 7.1 Determinação das forças P1 e P2 De acordo com o item 6. VERIFICAÇÃO DA PLATAFORMA Conforme dados do item 5. P1 = P2. temos: P1 + P2 = 948 Para carga distribuída uniformemente. tanto o peso próprio da plataforma (152 Kgf) quanto o peso da carga (606 Kgf) se distribuem ao longo do comprimento 2.00 m.25 ( RL + SWP) Q = 1.4 da Norma Européia NE 1808.25 ( 606 + 152 ) ⇒ Q = 948 Kgf Sabendo-se que P1 + P2 = Q .2 Carga distribuída na plataforma A carga Q = 948 Kgf distribui-se ao longo do comprimento T = 2000 mm (200 cm) de modo que a carga distribuída é dada por: q=Q/T q = 948 / 200 ⇒ q = 4.7. Temos então: P1 = 474 Kgf e P2 = 474 Kgf 7. a carga suspensa total deve ser calculada por: Q = 1.

item 6. ymax) / J. Temos então: σ = (23700 . L² / 8 M = 4.7.58) / 20852 ⇒ σ = 44 Kgf / cm² 7.5 Coeficiente de segurança De acordo com a Norma Européia NE 1808. onde: M = Máximo momento fletor atuante na estrutura resistente.3 Determinação do momento fletor na plataforma: O momento fletor na plataforma é dado por: M = q . de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1.2. J = momento de inércia da seção transversal resistente. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1. o maior momento fletor ocorre no centro da plataforma. 200² / 8 ⇒ M = 23700 Kgfcm Para a condição de carga apresentada. 7.5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σ n =1400 / 44 ⇒ n = 8. Para o material SAE 1020. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm².4 Tensão de flexão na plataforma A tensão de flexão é dada por: σ = (M .1.5. ymax = Maior distancia da linha neutra à fibra mais externa. 38.48 9 .5 σa = 2100 / 1.74 .1.

2. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm².88 ) ⇒ J = 2.1.1 Coeficiente de segurança para tensão transversal De acordo com a Norma Européia NE 1808.03. 1 ⇒ q = 303 Kgf / m = 3. o que resulta em: J = 2 ( 3 . 0. l² / 8 M = 3. l q = 481 . 63² / 8 ⇒ M = 1503 Kgfcm Para cada metro de comprimento do piso.63 .63 . 1. o momento resistente transversal é dado pelo menos pela soma dos momentos de inércia de dois tubos retangulares altura 20 mm. 2.24 ⇒ σ = 671 Kgf / cm² 8.03 Kgf / cm O momento fletor no sentido transversal é dado por: M = q. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1.24 cm4 A tensão de flexão é dada por: σ = (M .00) ⇒ G = 481 Kgf / m² No sentido transversal a carga distribuída é dada por: q = 481 .08 10 .8 TENSÃO DE FLEXÃO TRANSVERSAL NO PISO DA PLATAFORMA Peso por metro quadrado na plataforma: G = 606 / (0.00 mm.60 . 1 ) / 2.2.5.1. Para o material SAE 1020. item 6. b . 2³ / 12 .5 σa = 2100 / 1. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1. largura 30 mm e espessura da parede igual a 3. ymax) / J σ = (1503 .5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σ n =1400 / 671 ⇒ n = 2.60³ / 12) J = 2 ( 2 – 0.

com tensão de escoamento mínima igual à 650 Kgf / cm² e limite de resistencia mínimo igual à 1700 Kgf/cm².30 ⇒ A = 24 cm² A tensão de cisalhamento é dada por: τ =F/A τ = 100 / 24 ⇒ τ = 4. espessura 3.53 ϕY = 0. 20 ) ⇒ p = 0.20² ⇒ σX = 331 Kgf / cm² 11 .25 Kgf / cm² Para a/b = 1 temos: ϕX = 0. o piso deve suportar uma carga de 100 Kg distribuida sobre uma área de 0.2 x 0. O piso é executado em chapa de alumínio antiderrapante.2 Tensão de tração na chapa de piso Y σy σx 2a = 20 X 2b = 20 Para uma carga igual à 100 Kgf distribuída uniformemente sobre a área do quadrado. 0.53 ψ = 0.1 Tensão de cisalhamento na chapa de piso A área do perímetro de um quadrado de lado 20 cm executado com o material especificado é dada por: A = 4 . composição química conforme Norma ABNT 5052.25 .3.53 . p .2 m. b² / h² σX = 0. 10² / 0.16 Kgf / cm² 9.9. 0.225 As tensões segundo os eixos X e Y são dados por: σX = ϕX . VERIFICAÇÃO DA CHAPA DE PISO Conforme item 6. 9.2 da Norma Europeia EN 1808. a pressão é dada por: p=F/A p = 100 / (20 . 20 .00 mm.2.

132+ 0.35 σ + 0.1.65 (σ² + 4 τ² ) 0.1.5 σa = 650 / 1.35 .9.5 ⇒ σa = 433 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σ n = 433 / 332 ⇒ n = 1.3 Tensão combinada na chapa de piso σc = 0.5 ⇒ σc = 332 Kgf / cm² 9.25² ) 0.2.30 12 . Para o material SAE 5052. item 6.4 Coeficiente de segurança na chapa de piso De acordo com a Norma Européia NE 1808.6.5 σc = 0. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1. o limite de escoamento mínimo é igual à 650 Kgf / cm².65 (331² + 4 .5. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1.

10.2 Carga máxima atuante nos estribos De acordo com o item 7.1.10.1 Esquema construtivo 10.3 Forças atuantes no estribo P Fh P1 P1 Fv F P1 P1 13 . o maior valor da carga P em cada estribo é igual à 474 Kgf. VERIFICAÇÃO DOS ESTRIBOS 10.

quadrado.1 Coeficiente de segurança nas barras verticais De acordo com a Norma Européia NE 1808.1. 10. com lado igual a 40 mm. Para o material SAE 1020. item 6.44 ⇒ σ = 75 Kgf / cm² 14 .2 Força normal nas barras inclinadas F = P1 / cos α F = 237 / cos 45 ⇒ F = 335 Kgf 10.3 Determinação da componente horizontal FH = F.2 Tensão nas barras inclinadas As barras inclinadas estão sujeitas à tensão de tração determinada pela força F. com valor dado por: σ=F/A σ = 335 / 4.3.3.00 mm. As barras são executadas em tubo de aço SAE 1020.1 Força normal nas barras verticais P1 = P / 2 P1 = 474 / 2 ⇒ P1 = 237 Kgf 10.3.44 ⇒ σ = 53 Kgf / cm² 10. cos 45 ⇒ FH = 237 Kgf 10.3.1 Tensão nas barras verticais As barras verticais estão sujeitas à tensão de tração determinada pela força P1.3.5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σ n =1400 / 53 ⇒ n = 26 10. cos 45 FH = 335 .3. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1. espessura 3.4 Tensões no estribo Todas as barras do estribo estão sujeitas à tensões de tração.5.4. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm². compressão ou de cisalhamento. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1. área da seção transversal igual à 4.4.44 cm² e tensão de escoamento igual à 2100 Kgf / cm².1.5 σa = 2100 / 1.10.2.4.3.1. com valor dado por: σ = P1 / A σ = 237 / 4.

3.5.1. Sobre o sistema atua uma força igual a 474 Kgf.5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σ n = 1400 / 75 ⇒ n = 18 10.1 Coeficiente de segurança nas barras inclinadas De acordo com a Norma Européia NE 1808. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1.5 σa = 2100 / 1.4 Verificação do sistema de fixação do guincho ao estribo O guincho é fixado ao estribo por meio de um tubo externo soldado ao estribo e de um tubo interno fixado ao guincho por meio de parafuso M16. Para o material SAE 1020.2. por meio de dois parafusos M10. 474 474 15 . a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1. item 6.10.2. Os tubos interno e externos são fixados após regulagem.4. O tubo interno pode ser regulado em altura em relação ao tubo externo de modo a permitir uma correta adaptação ao operador. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm².1.

Rd / Q = 792 / 119 = 6. 0.1. 10.Rd / Q ≥ 1. Ap . de modo que em cada uma atua uma força igual a 237 Kgf. frup / γ VRd = 0.6 cm.1.1.4.1.45 . com área da seção transversal dada por: S = π . 3700 / 1.1.4.00² / 4 ⇒ S = 0.45 .00 .1 Parafuso de fixação do guincho ao tubo interno O guincho é fixado ao tubo interno por meio de um parafuso M 16 sobre o qual atua a carga 474 Kgf.1 Verificação dos parafusos do sistema de fixação 10.4.2.4.785 cm² A força cortante resistente de cálculo nos parafusos é dada por: VRd = 0.1 Força cortante resistente de cálculo nos parafusos Os parafusos possuem diâmetro 1. Temos então: Vt. 2.1.2 Coeficiente de segurança majorado no parafuso A segurança do parafuso é dada quando V. 3700 / 1.1.65 ⇒ VRd = 792 Kgf 10.1 Força cortante resistente de cálculo no parafuso O parafuso possui diâmetro 1.4.45 . Os parafusos resistem em quatro seções transversais simultaneamente de modo que em cada uma atua uma força igual a 119 Kgf. frup / γ VRd = 0.45 . com área da seção transversal dada por: S = π .65 ⇒ VRd = 2018 Kgf 10. 10.4.6 ( >1) 16 . Ap . 1.00 cm. Temos então: Vt.6² / 4 ⇒ S = 2. O parafuso resiste em duas seções transversais simultaneamente.2.4.Rd / Q ≥ 1.Rd / Q = 2018 / 237 = 8 ( >1) 10.2 Parafusos de fixação do tubo interno ao tubo externo O tubo interno (regulável) é fixado ao tubo externo (solidário ao estribo) por meio de dois parafusos M 10. 1.2 Coeficiente de segurança majorado nos parafusos A segurança dos parafusos é dada quando V.10.785 .1.00 cm² A força cortante resistente de cálculo no parafuso é dada por: VRd = 0.

55 cm² 10. de modo que a seção efetiva possui uma dimensão dada por: w = 2.4. a força resistente da solda supera a força máxima com coeficiente de segurança dado por: n = Fr / F n = 3195 / 474 ⇒ n = 6.1 mm de lado.2. correspondente à 2.148 cm) A seção transversal resistente da solda é dada por: A = 0. com valor máximo admissivel igual à 900 Kgf / cm².1 / 2 .4. 24 ⇒ A = 3. O cordão é especificado como igual à 0.148 . 900 ⇒ Fr = 3195 Kgf Conforme se verifica.2. Dessa forma a força resistente máxima é dada por: Fr = 3.2.7 vezes a menor espessura. Verificação da solda 10. cos 45º ⇒ w = 1.48 mm ( = 0.1 Área resistente da solda O tubo externo é soldado ao estribo com um comprimento total do cordão igual a 240 mm.55 .10.2 Força resistente da solda Conforme AWS (American Welding Society) a tensão na solda é sempre considerada como cisalhamento.4.74 17 .

fy / 1.09. 2100 / 1.19 cm4.2.2.2. com limite de escoamento igual à 2100 Kgf / cm². O tubo é executado em aço SAE 1020.00 mm de espessura.1 MRD = 5.1 Momento de inércia dos postes verticais O poste vertical comprimento 500 mm é executado com tubo quadrado 40 mm x 40 mm x 3.2. GUARDA CORPO LONGITUDINAL 11.19 / 2 ⇒ W = 5.1 Esquema construtivo 11.2 Módulo de resistencia do poste vertical O módulo de resistencia do poste vertical é dado por : W = J / ymax W = 10.44 cm² e momento de inércia resistente em relação à direção de carregamento igual à 10.4 Força resistente máxima Para o poste vertical ancorado no guarda corpo inferior.11. 11. área da seção transversal igual à 4.2 Força resistente imposta pelos postes verticais 11.1 ⇒ MRD = 9717 Kgfcm 11. distante 500 mm do guarda superior.09 cm³ 11. a força resistente de cálculo é dada por: Fr = MRD / l Fr = 9717 / 50 ⇒ Fr = 194 Kgf 18 .3 Momento fletor resistente de cálculo do poste vertical MRD = W ef .

2. definido por: f max = Fr .00 cm J = 10.2. 10.4 é atingida para o valor máximo de flechamento.11. até o limite onde o material inicia a deformação permanente (atinge a tensão de escoamento). l³ / 3 . 2100000 .19 cm4 Substituindo os valores na equação acima temos: f max = 194 . J No caso do tubo utilizado. e é proporcional ao valor do flechamento. E .19 f max = 0. provocada pelo flechamento do guarda corpo superior. temos: L = 50.5 Flechamento máximo do poste vertical A força resistente Fr sómente existe a partir do início da deformação do poste vertical. 50³ / 3 . A força Fr definida em 12.377cm 19 .

125² / 200² MAF1 = . a .3. atuando horizontalmente em intervalos de 500 mm" 12.Momento em A: MAF1 = .586 Kgfcm .4. b / l² 20 .Momento em B: MBF1 = .2.1 Esquema de forças segundo a Norma Europeia A pior situação que se apresenta é quando as forças são exercidas próximo ao centro do guarda corpo.20. 75 . é admitido como igual à 200 N para cada uma das duas primeiras pessoas na plataforma e 100 N para cada pessoa adicional.1 Momentos fletores devido à força F1 = 20 Kgf R1 F1 = 20 R2 B A 750 1250 .P.P. b² / l² MAF1 = .1: " O mínimo valor da força exercida por pessoas sobre os guarda corpo ou no canto superior de um lado rigido.2 Momentos fletores no guarda corpo devido às forças F 12. conforme esquema: R1 F1 = 20 F2 = 20 R2 Fr2 750 500 750 B A Fr 750 1000 1250 C 12. a² .12 VERIFICAÇÃO DO GUARDA CORPO CONFORME NE 1808 A Norma Européia NE 1808 estabelece em seu item 6.

a)] . (3 . 75 + 125) – 200 . b² / l² MAF2 = . b² / l³ [ x . 75² / 200³ [125 (3 .20. 125² / 200³ [100 (3 .Momento no centro do vão livre (x = 100) MCF2 = P . b / l² MBF2 = .Momento no ponto de aplicação da carga F2 ( x = 125) MF2 = P . b² / l³ [ x (3 . MBF1 = .Momento em A: MAF2 = .0140625 [56250 – 25000)] MF2 = 439 Kgfcm .20. 125)] 21 . 125 / 200² MBF1 = .2 Momentos fletores devido à força F2 = 20 Kgf R1 F2 = 20 R2 750 B A 1250 750 .Momento no centro do vão livre (x = 100) MCF1 = P .0390625 [35000 – 15000)] .P. 75 / 200² MBF2 = . a .P (x –a) MCF1 = 20 . b² / l³ [ x . 75 + 125) – 200 . a² .352 Kgfcm . 125 + 75) – 200 . 75² / 200³ [100 (3 . a)] MF2 = 20 . a)] MCF2 = 20 .20 (100 –75) MCF1 = 0. 125 . a)] MF1 = 20 . a + b) – l . 75)] . 75² . (3 .2. 125² / 200³ [75 (3 .20. 125² . b² / l³ [ x .586 Kgfcm . 125)] MF2 = 0. a + b) – l . a + b) – l . 75)] MF1 = 0.0390625 [26250 – 15000)] MF1 = 439 Kgfcm . a + b) – l .P.Momento no ponto de aplicação da carga F1 ( x = 75) MF1 = P . 125 + 75) – 200 . 75² / 200² MAF2 = . (3 .Momento em B: MBF2 = .500 MCF1 = 281 Kgfcm 12.352 Kgfcm .

(9.042392947. 10.3.200³) [100 (3. E.1 Flechamento no ponto de atuação de Fr devido à força F1 (x = 100) R1 F1 = 20 Fr R2 750 B A 1000 1000 fbc = ( F1.0. x ² / 6.001947 cm 22 .100 . J . 125 +75) – 3 .a + b) – 3 .100² / 6.09127 cm 12.3.100 + 100) – 3 .735657429 . 125² .2. E. E. E-06) [ 45000 – 75000] fbc = .b + a) – 3 . a)] MF21 = 20 .19 ..2. 75² / 200³ [75 (3 . J . MCF2 = 0. 125 + 75) – 200 .125 . b² .0140625 [33750 – 25000)] MF21 = 123 Kgfcm 12. a + b) – l .Fr .100² / 6. 10. E.l ] fab = Fr (100² .200³) [(200 – 100) (3.19.200] fbc = (3. b² / l³ [ x .3 Determinação do valor numérico de Fr 12.Momento de F2 no ponto de atuação de F1 ( X = 75) MF21 = P .l³) [ (l –x) ( 3.l³) [ x ( 3. 0. 125)] MF21 = 0.2 Contraflechamento em Fr devido à ação de Fr (x = 100) R1 Fr R2 1000 1000 B A fab = Fr (b² . E-08) [ 40000 – 60000 ] fab = . (3 .b .2.200] fab = Fr.0140625 [45000 – 25000)] MCF2 = 281 Kgfcm . x ² / 6.a .l ] fbc = (20.

100 . E. 75² .12.095261461 .03285 cm 12.Momento em B: MBFr = . 100² .001947 0. a² .P.2.200] fab = (1.a + b) – 3 .2.125 +75) –3 .2.06) [ 45000 – 75000 ] fab = . x² / 6. b / l² MBFr = .03285 = Fr .1600 Kgfcm .200³) [100 (3.64.3.09127 + 0.001947 ⇒ Fr1 = 64 Kgf 12. 10. 100 / 200² MBFr = .l ] fab = 20.Momento em A: MAFr = .12412 = Fr . E. a .4 Momento fletor devido à força Fr = 64 Kgf R1 Fr = 64 R2 1000 1000 B A .P.l³) [ x ( 3. b² .19 .3 Flechamento no ponto de atuação de Fr devido à força F2 (x = 100) R1 Fr F2 = 20 R2 1000 B A 1250 750 fab = F2.1600 Kgfcm 23 . J .4 Determinação da força Fr (x = 100) O valor dos flechamentos no guarda corpo e no poste vertical são iguais quando considerados na mesma posição.64.3.a. E. 0. 100² / 200² MAFr = . o que permite igualar as equações dos flechamentos conforme segue: 0.125 . b² / l² MAFr = . 0.100²/ 6.0.

586 .2. a)] . 100² / 200³ [100 (3 .1 Momento total em A O momento fletor total em A é dado por: MA = MAF1 + MAF2 – MAFr MA = .19 cm4. A tensão de flexão no guarda corpo é dada por: σ = M . . a + b) – l . (3 . área da seção transversal igual à 4.2. a)] MFr = 64 .5.MCFr MCt = 281 + 281 – 1600 MCt = . O tubos são executados em aço SAE 1020.5. 100)] MCFr = 0.2. ymax / J 24 .3 Momento total em C .352 + 1600 MA = 662 Kgfcm 12.P (x –a) MCFr = 64 . 100 + 100) – 200.586 + 1600 MB = 662 Kgfcm 12. (3 .6 Tensão de flexão no guarda corpo O guarda corpo é executados com tubo quadrado 40 mm x 40 mm x 3. 100 + 100) – 200.00 mm de espessura.08 [40000 – 20000)] MFr = 1600 Kgfcm . b² / l³ [ x . 100² / 200³ [100 (3 . 100)] MFr = 0. O momento fletor máximo no guarda corpo é igual à 1038 Kgfcm.2. com limite de escoamento igual à 2100 Kgf / cm². 12.352 . a + b) – l .08 [40000 – 20000)] MCFr = 1600 Kgfcm 12.5.2 Momento total em B O momento fletor total em B é dado por: MB = MBF1 + MBF2 – MBFr1 MB = .44 cm² e momento de inércia resistente em relação à direção de carregamento igual à 10.Momento no centro do vão livre (x = 100) MCFr = P .5 Momentos fletores totais no guarda corpo Os momentos fletores totais são dados pela soma vetorial dos momentos fletores provocados por cada carga individualmente em cada ponto considerado.Momento total no centro do vão livre devido à F1 e F2 MCt = MCF1 + MCF2 .Momento no ponto de aplicação da carga Fr ( x = 100) MFr = P .2. b² / l³ [ x .1038 Kgfcm 12.

2. item 6. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm².5. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1.2. 2 / 10. Para o material SAE 1020. σ = 1038 .19 ⇒ σ = 204 Kgf / cm² 12.6.1.1. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1.1 Coeficiente de segurança no guarda corpo De acordo com a Norma Européia NE 1808.33 σa = 2100 / 1.86 25 .5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σt n =1400 / 204 ⇒ n = 6.

l² / 12 MAd = . 200² / 12 MBd = .50 Kgf / cm Fr R1 R2 B A C 13.50.50.Momento no centro do vão livre: MCd = q. 200² / 12 MAd = .q.1 Esquema de forças segundo a Norma NR 18 1000 1000 q = 1.50.2 Momentos fletores no guarda corpo 13. l² / 12 MBd = .Momento em A: MAd = . l² / 24 MCd = 1.5000 Kgfcm .1.q.50 Kgf / cm R2 B A 3000 . 200² / 24 MCd = 2500 Kgfcm 26 .2.1.13 VERIFICAÇÃO DO GUARDA CORPO DE ACORDO COM A NORMA NR 18 13.1 Momento fletor devido à carga distribuida R1 q = 1.5000 Kgfcm .Momento em B: MBd = .

Momento em A: MAFr = . E .200] fab = Fr.100² / 6.5 Determinação da força Fr (x = 100) O valor da flecha no guarda corpo e no poste vertical são iguais quando considerados na mesma posição.735657429 . E-08) [ 100 (400) – 60000 ] fab = Fr.19 .P. 100 . a .001947 ⇒ Fr = 150 Kgf 13. a² .001947 cm 13.5 Momentos fletores no guarda corpo devido à força Fr .3750 Kgfcm 27 .4 Contraflechamento em Fr devido à ação de Fr (x = 100) 1000 1000 Fr R1 R2 B A 2000 fab = Fr (b² .3 Flechamento do guarda corpo no ponto de atuação de Fr (x = 100) f = (q . 100 + 100) – 3 . x ² / 6.P. E-08) [ 40000 – 60000 ] fab = -Fr .735657429 .29206 cm 13.l ] fab = Fr (100² . 100² / 200² MAFr = .a + b) – 3 .3750 Kgfcm . (9. 0.150.13. 100 / 200² MBFr = . 100² .2. x² / 24 .l³) [ x ( 3. 100² / 24 . (9. E. J . E . b² / l² MAFr = .a .150. J) ( l – x )² f = (1.19) ( 200 – 100 )² f = (2.920697229 E -05) ( 200 – 100 )² ⇒ f = 0.200³) [100 (3. 10.29206 = Fr .Momento em B: MBFr = . 10. E.100 .50 . o que permite igualar as equações dos flechamentos conforme segue: 0. b / l² MBFr = . 0.

P (x –a) MCFr = 150.Momento no centro do vão livre (x = 100) MCFr = P . 2 / 10.1875 [40000 – 20000)] MFr = 3750 Kgfcm .6.MCFr MC = 2500 . (3 .2 Momento total em B O momento fletor total em B é dado por: MB = MBd – MBFr MB = .2.Momento no ponto de aplicação da carga Fr ( x = 100) MFr = P .6 Momentos fletores totais no guarda corpo Os momentos fletores totais são dados pela soma vetorial dos momentos fletores provocados por cada carga individualmente em cada ponto considerado.6. . 100)] MCFr = 0. b² / l³ [ x . 100)] MFr = 0.19 ⇒ σ = 225 Kgf / cm² 28 . ymax / J σ = 1150. a)] MFr = 150. 100² / 200³ [100 (3 . (3 . 13.1150 Kgfcm 13.2.7 Tensão de flexão no guarda corpo O momento fletor máximo atuante no guarda corpo é igual à 1150 Kgfcm.2. b² / l³ [ x .2.5000 + 3750 MB = .1875 [40000 – 20000)] MCFr = 3750 Kgfcm 13. a + b) – l .1150 Kgfcm 13. A tensão de flexão no guarda corpo é dada por: σ = M .3 Momento total em C O momento fletor total em B é dado por: MC = MCd .1 Momento total em A O momento fletor total em A é dado por: MA = MAd – MAFr MA = .1150 Kgfcm 13. 100 + 100) – 200.2.3750 MC = . 100 + 100) – 200. a + b) – l . 100² / 200³ [100 (3 .5000 + 3750 MA = .6. a)] .

2.7.1.5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σt n =1400 / 225 ⇒ n=6 29 .1. Para o material SAE 1020. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm². item 6.1 Coeficiente de segurança no guarda corpo De acordo com a Norma Européia NE 1808. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1.33 σa = 2100 / 1.13.5.2. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1.

4.14.00 mm espessura da parede.1 Esquema construtivo 390 710 O guarda corpo lateral é executado em tubo quadrado 40 mm x 40 mm x 3. é admitido como igual à 200 N para cada uma das duas primeiras pessoas na plataforma e 100 N para cada pessoa adicional.2. o que resulta no esquema conforme abaixo: R1 F = 20 R2 355 355 B A C 710 30 . GUARDA CORPO LATERAL 14. Em função de limitações físicas. atuando horizontalmente em intervalos de 500 mm" 14.1 Esquema de forças segundo a Norma Europeia A pior situação que se apresenta é quando as forças são exercidas próximo ao centro do guarda corpo. 14.1: " O mínimo valor da força exercida por pessoas sobre os guarda corpo ou no canto superior de um lado rigido.2 VERIFICAÇÃO DO GUARDA CORPO LATERAL CONFORME NE 1808 A Norma Européia NE 1808 estabelece em seu item 6. somente uma força pode ser aplicada no comprimento 710 mm.3.

b² / l³ [ x .20.1.P. 35.5)] MC = 0.5 . o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm².5 (3 .1.5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σt n = 1400 / 35 ⇒ n = 40 31 .5² / 71³ [35.14.2. b² / l² MA = . 35. 2 / 10.2. a)] MC = 20 .2. 35.5 + 35.Momento no centro do vão livre (x = 35.5. ymax / J σ = 177.Momento em B: MB = .20. (3 .2. 35.5 / 71² MB = .5)] MC = 177 Kgfcm 14.2 Momento fletor no guarda corpo devido às forças F .19 ⇒ σ = 35 Kgf / cm² 14. 35. a . a² .5) – 71 .5) MC = P .Momento em A: MA = .4 Coeficiente de segurança no guarda corpo De acordo com a Norma Européia NE 1808.5² . Para o material SAE 1020.33 σa = 2100 / 1.3 Tensão de flexão no guarda corpo O momento fletor máximo atuante no guarda corpo lateral é igual à 177 Kgfcm. item 6. b / l² MB = .177 Kgfcm .070422535 [5041 – 2520.177 Kgfcm . a + b) – l . de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1. 35.P.5² / 71² MA = . A tensão de flexão no guarda corpo é dada por: σ = M . a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1. 35.

q.2. a máxima tensão admissível no caso 1 é dada por σa = σe / 1.3. Para o material SAE 1020.19 ⇒ σ = 124 Kgf / cm² 14. l² / 12 MAd = .50.33 σa = 2100 / 1.5 ⇒ σa = 1400 Kgf / cm² O coeficiente de segurança em relação à tensão admissível é dado por: n = σa / σt 32 .Momento no centro do vão livre: MCd = q. item 6. l² / 12 MCd = 1.1. 71² / 12 MBd = .2 Momentos fletores no guarda corpo 14. 71² / 12 MAd = .1 Momento fletor devido à carga distribuida .q.3.3.Momento em B: MBd = .630 Kgfcm .2.50 Kgf / cm R2 B A C 710 14. o limite de escoamento é igual à 2100 Kgf / cm².1.14.3 VERIFICAÇÃO DO GUARDA CORPO LATERAL DE ACORDO COM A NR 18 14.3.3. l² / 12 MBd = .3 Tensão de flexão no guarda corpo O momento fletor máximo atuante no guarda corpo é igual à 630 Kgfcm. A tensão de flexão no guarda corpo é dada por: σ = M .5. de modo que a tensão admissível é dada por: σa = σe / 1.1. 71² / 24 MCd = 315 Kgfcm 14.630 Kgfcm .1 Coeficiente de segurança no guarda corpo De acordo com a Norma Européia NE 1808.50.Momento em A: MAd = . ymax / J σ = 630.1.3.50. 2 / 10.1 Esquema de forças segundo a Norma NR 18 R1 q = 1.

uma vez que não se verificam tensões superiores às admissíveis nos diversos pontos analisados. 20 de Julho de 2011 Jose Sergio Menegaz Engº Mecânico CREA 23991 33 . n =1400 / 124 ⇒ n = 11 15 CONCLUSÃO Conforme demonstrado. a plataforma para andaime suspenso apresenta plenas condições de segurança do ponto de vista de seu dimensionamento estrutural para operação com cargas máximas iguais a 606 Kgf. Porto Alegre.