Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza

CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

EDITAL 01/2016

IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR
A Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza – SEFOR, através da Célula de Formação,
Programas e Projetos – CEFOP, torna pública a abertura das inscrições para a seleção de projetos
científicos e artístico-culturais a serem expostos na IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e na V
Mostra Regional de Educação Ambiental da SEFOR, que acontecerão nos dias 24 e 25 de novembro
de 2016.

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
1.1 DA ENTIDADE PROMOTORA DO EVENTO
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza – SEFOR, por meio da Célula de Formação,
Programas e Projetos – CEFOP, com sede no Centro de Treinamento Professor Antônio
Albuquerque de Sousa Filho, sito à Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Edson Queiroz, CEP –
60811-740, telefones de atendimento: 3101.2061 e 3218.1213, endereço de e-mail
cefop@ct.seduc.ce.gov.br.

1.2 DOS DIRIGENTES
Hernita Carmem Magalhães Sousa – Coordenadora da SEFOR 1 (1ª e 3ª Regiões)
Jefferson Queiroz Maia – Coordenador da SEFOR 2 (2ª e 6ª Regiões)
Vitória Maria Cunha – Coordenadora da SEFOR 3 (4ª e 5ª Regiões)
Otávio Vieira Sobreira Júnior – Orientador da CEFOP

2. JUSTIFICATIVA
2.1. DA V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
A Política Estadual de Educação Ambiental tem como princípios “promover a consciência coletiva
capaz de discernir a importância da conservação dos recursos naturais e da preservação dos
diferentes ambientes como base para sustentação da qualidade de vida”, bem como “dar condições
para que cada comunidade tenha consciência de sua realidade global, do tipo de relações que os
seres humanos mantêm entre si e com os demais elementos da natureza e de seu papel na
articulação e promoção do desenvolvimento sustentável”1.
Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental, “as ações ambientais
devem ser desenvolvidas como uma prática educativa integrada e interdisciplinar, contínua e
permanente em todas as fases, etapas, níveis e modalidades de ensino”2. Nessa concepção, as
escolas cumprem um papel fundamental na formação e educação do ser humano, devendo formar
cidadãos capazes de participar ativamente na defesa do meio ambiente.

1
Lei nº 14.892/11 que instituiu a Política Estadual de Educação Ambiental.
2
Parecer CNE/CP nº 14/2012 que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental.
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

Com o objetivo de fortalecer programas educativos que colaboram para melhorar a divulgação e
compreensão dos projetos ambientais desenvolvidos pelas Escolas Estaduais, a SEDUC
desenvolveu quatro Mostras de Educação Ambiental, no período de 2011 a 2014 3.

As Mostras Ambientais, alusivas às comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente (05 de junho),
constituem importantes mecanismos para a reflexão da comunidade escolar acerca dos problemas
ambientais em âmbito global, nacional, regional, estadual, municipal e/ou escolar, com o objetivo de
despertar nos envolvidos, participantes ativos, a conscientização e o interesse pela solução destes
problemas.

A V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR envolverá apenas as Escolas
Públicas da Rede Estadual de Ensino situadas em Fortaleza, sejam estas Escolas Regulares,
Escolas de Educação Profissional, Escolas de Tempo Integral, e Centros de Educação de Jovens e
Adultos ou Escolas para Alunos com Necessidades Educacionais Especiais.

Este ano a V Mostra de Educação Ambiental não terá um tema gerador, entretanto, os trabalhos
apresentados deverão ter como foco a consolidação das escolas como espaços educadores
sustentáveis.

2.2. DA IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
A IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR tem como objetivo principal integrar alunos e
professores do ensino fundamental e médio, das redes estaduais e municipais de ensino de
Fortaleza, visando despertar o interesse dos alunos pelo universo acadêmico, promovendo o
intercâmbio cultural e científico entre os participantes do evento, estimulando as atividades
investigativas na escola, proporcionando a expansão dos trabalhos científicos e artístico-culturais,
ampliando o espaço para o desenvolvimento da curiosidade científica, em sua dimensão histórica,
social e cultural.

A IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR envolverá as Escolas Públicas da Rede
Estadual e Municipal de Ensino situadas em Fortaleza, sejam estas Escolas Regulares, Escolas de
Educação Profissional, Escolas de Tempo Integral e Centros de Educação de Jovens e Adultos ou
Escolas para Alunos com Necessidades Educacionais Especiais, representadas por projetos das
feiras escolares realizadas por estas instituições de ensino.

3. OBJETIVOS DO EVENTO
3
Em 2011, teve início a I Mostra da Educação Ambiental da Rede Estadual de Ensino. Em 2012, a II Mostra incluiu 08
Mostras Regionais precedendo à Mostra Estadual. Seguindo a mesma proposta da IV Conferência Nacional
Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, a III Mostra teve como foco temático: Fogo, Terra, Água e Ar, dentro da perspectiva da
construção de escolas como Espaços Educadores Sustentáveis. Assim, em 2013, 18 Mostras Regionais antecederam a
fase estadual. A IV Mostra teve como tema gerador a construção de escolas como Espaços Educadores Sustentáveis,
que integra três eixos: proposta curricular, gestão democrática e espaços físicos, contando com a adesão de 18 CREDE
que realizarão Mostras Regionais.
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

3.1. Incentivar o desenvolvimento de trabalhos/projetos científicos criativos e inovadores de
estudantes do ensino fundamental, médio e técnico da rede estadual e municipal Fortaleza,
estimulando novas vocações científicas;
3.2. Estimular a investigação e a busca de conhecimento de forma cotidiana e integrada com toda a
comunidade escolar, conduzida e desenvolvida pelos estudantes;
3.3. Envolver participações ativas, práticas e conceituais de alunos e professores, na construção e
desenvolvimento de projetos;
3.4. Estabelecer relações dinâmicas dos conhecimentos específicos das disciplinas da base nacional
comum do Ensino Fundamental e Médio, com problemáticas sociais, culturais, econômicas e
ambientais, de caráter local, regional, nacional e/ou global;
3.5. Buscar parcerias para a assistência científica, tecnológica e/ou pedagógica, compatível com a
natureza das atividades do projeto, fornecida por instituição acadêmica ou educacional, que
compartilhe com a escola interesses no desenvolvimento do projeto;
3.6. Promover o intercâmbio artístico, cultural e científico entre os visitantes e participantes do
evento;
3.7. Incentivar a participação das escolas da SEFOR e da Secretaria Municipal da Educação de
Fortaleza (SME) em eventos científicos e culturais desta natureza;
3.8. Servir como espaço de aprendizagem nas modalidades científica e artístico-cultural, qualificando
projetos para participarem da etapa estadual da Mostra de Educação Ambiental e da Feira de
Ciências e Cultura;
3.9. Promover a troca de experiências a partir da socialização das ações de Educação Ambiental,
desenvolvidas por alunos e professores da rede estadual de ensino de Fortaleza, contribuindo para
ampliar e divulgar a temática nas escolas;
3.10. Fortalecer a trans e interdisciplinaridade da Educação Ambiental no currículo escolar e no
Projeto Político Pedagógico das escolas;
3.11. Incentivar o diálogo entre os gestores, professores, técnicos, convidados e estudantes
participantes, buscando a transformação de escolas em espaços educadores sustentáveis;
3.12. Promover a troca de experiências exitosas na área de educação ambiental, tais como: COM-
VIDA nas escolas, desenvolvimento de atividades com o uso do Laboratório de Ensino de Ciências –
LEC e Laboratório de Educação Ambiental, atividades dos Coletivos Jovens de Meio Ambiente,
Permacultura e outros trabalhos que envolvam a temática na escola.

4. CATEGORIAS, ÁREAS E CARACTERIZAÇÃO DOS PROJETOS PARTICIPANTES
4.1. Serão aceitos projetos de relevância científica, social, histórica e cultural, protagonizados e
desenvolvidos por alunos do Ensino Fundamental e/ou Médio, sob a orientação de professores da
educação, vinculados às escolas da rede estadual e/ou municipal de Fortaleza, podendo ser estes
do quadro efetivo ou sob regime de contratos por tempo determinado.
4.2. O que define a categoria é a problemática da pesquisa e não a sua aplicação.
4.3. Todos os projetos deverão ter a participação de 1 (um) Professor Orientador.
4.4. Os projetos poderão apresentar dois formatos possíveis, definidos como Categoria Científica e
Categoria Cultural.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

4.5. CATEGORIA CIENTÍFICA
4.5.1. Na categoria científica, serão aceitos projetos formados por duplas de alunos ou por um único
aluno, necessariamente sob a orientação de um único professor.
4.5.2. Os projetos são classificados por Áreas da Pesquisa conforme informações do QUADRO I.

4.6. CATEGORIA CULTURAL
4.6.1. Na categoria cultural serão aceitos projetos individuais ou em grupos, não devendo estes
exceder 04 (quatro) alunos participantes na Modalidade Educação Ambiental Artística-cultural; 03
(três) alunos participantes da Modalidade Interpretação de Poema de Autoria Discente; 01 (um)
aluno na Modalidade Pintura em Tela e o número de 08 (oito) alunos participantes nas Modalidades
Dança Tradicional Brasileira, Interpretação Musical e Esquete Teatral, sempre sob a orientação de
um único professor.
4.6.2. Os projetos são classificados em cinco Modalidades conforme informações do QUADRO II.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

QUADRO I – Áreas e Componentes da pesquisa dos Projetos da Categoria Científica da IX
Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de Educação Ambiental
ÁREA COMPONENTES DA PESQUISA
Língua Portuguesa, Literatura, Línguas Estrangeiras, Educação Física, Artes,
Linguagens
Cultura e Informática.
Ciências da Natureza Biologia, Física e Química.
Ciências Humanas Filosofia, História, Geografia, Sociologia, Antropologia e Ciência Política.
Matemática Pura, Financeira e Comercial, Educação Matemática, Estatística e
Matemática
Matemática Aplicada.
Robôs, Automatizações e Desenvolvimento de Softwares com Aplicação em
Robótica Educacional
Automatizações.
Projetos/trabalhos desenvolvidos pelos estudantes do Ensino Fundamental da
Rede Pública de Ensino (Estadual e Municipal) de todas as áreas do
conhecimento. Esta categoria foi criada pela parceria da SEDUC com a Seara da
Ciência (UFC), que desenvolve o fomento à pesquisa junto aos estudantes das
Pesquisa Júnior –
Escolas municipais e estaduais de Fortaleza. Nesta Edição, continuamos sem a
Ensino Fundamental
distinção de qualquer área do conhecimento, podendo concorrer qualquer
projeto/pesquisa desenvolvido por estudantes do Ensino Fundamental. Os
critérios de avaliação seguem os mesmos das demais categorias, exceto para as
Escolas sob o âmbito da Secretaria Municipal de Educação – SME.
Projetos/trabalhos desenvolvidos por estudantes do Ensino Fundamental e/ou
Médio da Rede Pública Estadual de Ensino de todas as áreas do conhecimento.
Os trabalhos apresentados devem ter como foco a consolidação das escolas
como Espaços Educadores Sustentáveis. Este ano sugerimos como tema
gerador: “A Transformação de escolas em Espaços Educadores Sustentáveis”,
com o intuito de incentivar as escolas estaduais cearenses a realizarem projetos
de mitigação das mudanças climáticas em busca da sustentabilidade
socioambiental na comunidade escolar. Os projetos devem levar em consideração
os seguintes aspectos relacionados à sustentabilidade no cotidiano escolar:
Educação Ambiental 1. Redução dos impactos ambientais gerados pela escola;
Científica 2. Melhoria da qualidade de vida e interpessoal no ambiente escolar;
3. Estímulo ao uso racional dos recursos naturais;
4. Garantia hídrica e de geração de energias limpas;
5. Observação e estudo da natureza e das relações entre as formas de vida e
os ciclos naturais;
6. Reconhecimento, respeito, responsabilidade e convívio cuidadoso com os
seres vivos e os ecossistemas;
7. Reflexão e mitigação das desigualdades socioeconômicas e seus impactos
socioambientais que recaem, principalmente, sobre os grupos mais
vulneráveis.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

QUADRO II – Modalidades e Objetos da Pesquisa dos Projetos da Categoria Cultural da IX
Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de Educação Ambiental
MODALIDADE OBJETO DA PESQUISA
Forma tradicional de dança recreativa do povo brasileiro, representando as tradições e a
Dança Tradicional
cultura de uma determinada região. Tais danças podem estar ligadas aos aspectos
Brasileira religiosos, festas, lendas, fatos históricos, acontecimentos do cotidiano e brincadeiras
Execução de canção. O intérprete dimensiona a sonoridade de cada nota na frase
musical de forma equilibrada; relaciona de jeito harmonioso todas as frases que
Interpretação Musical compõem o discurso musical e dirige a sua sensibilidade para manifestar a obra em sua
inteireza.

Interpretação de Poema Recitação de poema de própria autoria do aluno em voz alta, com palavras e gestos
apropriados e convenientes, demonstrando compreender perfeitamente o que está
de Autoria Discente dizendo, bem como a correta pronúncia de cada termo do poema.
Peça ou cenas dramáticas de curta duração, com temas variados, mas que geralmente
Esquete Teatral abordam questões políticas, culturais e sociais.
Exposição de pintura em tela com dimensões de no mínimo 40cm x 60cm e máximo
Pintura em tela 50cm x 70cm, sem moldura e sem restrição de material ou técnica utilizada (técnica
livre).
Seguem os mesmos critérios e temas geradores da categoria Educação Ambiental
Científica, entretanto deverão ser apresentados por meio de manifestações artístico-
culturais, tais como: teatro, dança, música, poema, poesia, paródia ou outras
apresentações culturais que representem a culminância de um projeto desenvolvido na
escola, com um tempo máximo de sete minutos de duração. Projetos/trabalhos
desenvolvidos por estudantes do Ensino Fundamental e/ou Médio da Rede Pública
Estadual de Ensino de todas as áreas do conhecimento. Os trabalhos apresentados
devem ter como foco a consolidação das escolas como Espaços Educadores
Sustentáveis. Este ano sugerimos como tema gerador: “A Transformação de escolas
em Espaços Educadores Sustentáveis”, com o intuito de incentivar as escolas estaduais
cearenses a realizarem projetos de mitigação das mudanças climáticas em busca da
Educação Ambiental sustentabilidade socioambiental na comunidade escolar. Os projetos devem levar em
Artística-cultural consideração os seguintes aspectos relacionados à sustentabilidade no cotidiano
escolar:
1. Redução dos impactos ambientais gerados pela escola;
2. Melhoria da qualidade de vida e interpessoal no ambiente escolar;
3. Estímulo ao uso racional dos recursos naturais;
4. Garantia hídrica e de geração de energias limpas;
5. Observação e estudo da natureza e das relações entre as formas de vida e os
ciclos naturais;
6. Reconhecimento, respeito, responsabilidade e convívio cuidadoso com os seres
vivos e os ecossistemas;
7. Reflexão e mitigação das desigualdades socioeconômicas e seus impactos
socioambientais que recaem, principalmente, sobre os grupos mais vulneráveis.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

5. DAS INSCRIÇÕES
5.1. Todos os projetos deverão ter a participação de somente um professor orientador.
5.2. Cada professor poderá orientar até 2 (dois) projetos diferentes, sejam estes científicos ou
culturais, em qualquer área ou modalidade.
5.3. São de total responsabilidade do professor orientador a leitura do Edital, a adequação do projeto
científico e/ou cultural às regras exigidas e a sua inscrição para a efetiva participação na IX Feira de
Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de Educação Ambiental.
5.3. Não será permitido que um aluno se inscreva em mais de um projeto, ainda que sejam projetos
de categorias, áreas ou modalidades distintas.
5.4. Não será limitado o número de projetos inscritos por escola.
5.5. Este processo de inscrição é destinado somente às Escolas que estão sob o âmbito da
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza (SEFOR).
5.6. As Escolas que estão sob a esfera da Secretaria Municipal da Educação de Fortaleza terão sua
participação e inscrições garantidas, exclusivamente na Categoria Científica / Área Pesquisa
Júnior – Ensino Fundamental, por meio de credenciais recebidas através da participação na feira
afiliada promovida pela Seara da Ciência, entidade vinculada à Universidade Federal do Ceará
(UFC), que tem seus critérios de classificação e seleção similares aos expostos neste edital.
Portanto, tais escolas não deverão utilizar a plataforma para realizar qualquer inscrição.

5.7. CATEGORIA CIENTÍFICA
5.7.1. As inscrições serão realizadas exclusivamente on-line com no seguinte endereço:
http://feiradeciencias.seduc.ce.gov.br/, a partir das 08h do dia 13 de outubro de 2016 até as 23h59
do dia 28 de outubro de 2016.
5.7.2. Para os trabalhos da Categoria Científica poderão ser inscritos até 02 (dois) estudantes,
necessariamente sob a orientação de um único professor.
5.7.3. Para efetivar a inscrição do projeto na Categoria Científica, faz-se necessário que todos os
campos obrigatórios sejam preenchidos. Fiquem atentos às informações necessárias para o
preenchimento do formulário on-line: Crede; Escola; Professor Orientador; Área (Linguagens,
Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Robótica Educacional, Matemática e suas Aplicações,
Pesquisa Júnior – Ensino Fundamental ou Educação Ambiental Científica); Estudantes (com número
de matrícula no SIGE); Resumo do Projeto (Título; Autores; Contextualização; Objetivo Geral;
Objetivos Específicos; Metodologia; Relevância do Projeto; Impacto da Pesquisa/Projeto;
Considerações Finais; Referências Bibliográficas e Palavras-chave) – Vide modelo do resumo de um
projeto científico no ANEXO I deste Edital. Nesta edição, também será exigido a criação de um vídeo
de um a três minutos, que deverá ser postado no portal Youtube, sendo a anexação do link de
acesso obrigatória no ato da inscrição, no espaço disponível na plataforma.
5.7.4. Para a inserção do link (URL) na ficha de inscrição, o candidato deverá hospedar os vídeos,
previamente, em um canal do Youtube. Os arquivos de vídeo devem ser nomeados com o nome do
projeto, antes da publicação.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

5.7.5. O resumo da categoria científica deverá seguir o padrão definido abaixo:
I. Contextualização (até 120 palavras);
II. Objetivo Geral (até 70 palavras);
III. Objetivos Específicos (até cinco objetivos específicos, máximo de 40 palavras);
IV. Metodologia (até 150 palavras);
V. Relevância do Projeto (até 150 palavras);
VI. Impacto da Pesquisa/Projetos (até 100 palavras);
VII. Considerações Finais (até 100 palavras);
VIII. Referências Bibliográficas (3 principais referências);
IX. Palavras-chave (3 palavras-chave);
X. Link do vídeo no Youtube.

ATENÇÃO!
É importante reforçar que o resumo deve ser a síntese do trabalho/pesquisa com uma limitada
quantidade de palavras, de forma que todo o documento seja de até duas páginas. Lembre-se que
este resumo será entregue aos avaliadores e servirá de base para a avaliação dos
projetos/pesquisas no ambiente virtual. Qualquer discrepância entre o resumo e o vídeo inseridos
na ficha de inscrição on-line acarretará na DESCLASSIFICAÇÃO do projeto.

5.7.6. Não nos responsabilizamos por informações incorretas ou não recebidas por motivos de
ordem técnica, como falhas de computadores ou outros que impossibilitem a conclusão da inscrição.
5.7.7. Não serão aceitas inscrições encaminhadas fora do prazo estabelecido por este edital.
5.7.8. Ao se inscreverem na IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de
Educação Ambiental os candidatos manifestam sua total concordância com os termos deste
presente Edital.

5.8. CATEGORIA CULTURAL
5.8.1. Trabalhos da Modalidade Educação Ambiental Artística-cultural
5.8.1.1. Para os trabalhos da Modalidade Educação Ambiental Artística-cultural, as inscrições serão
realizadas exclusivamente on-line no seguinte endereço: http://feiradeciencias.seduc.ce.gov.br/, a
partir das 08h do dia 11 de outubro de 2016 até as 23h59 do dia 28 de outubro de 2016.
5.8.1.2. Para efetivar a inscrição do projeto na Modalidade Educação Ambiental Artística-cultural, faz-
se necessário que todos os campos obrigatórios sejam preenchidos. Fiquem atentos às informações
necessárias para o preenchimento do formulário on-line: Crede; Escola; Professor Orientador; Área
(Modalidade Educação Ambiental Artística-cultural); Estudantes (com número de matrícula no SIGE);
Resumo do Projeto (Título; Autores; Contextualização; Objetivo Geral; Objetivos Específicos;
Metodologia; Relevância do Projeto; Impacto da Pesquisa/Projeto; Considerações Finais;
Referências Bibliográficas e Palavras-chave) – Vide modelo do resumo de um projeto científico no
ANEXO I deste Edital. Nesta edição, também será exigido a criação de um vídeo de um a três
minutos, que deverá ser postado no portal Youtube, sendo a anexação do link de acesso obrigatória
no ato da inscrição, no espaço disponível na plataforma.
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

5.8.1.3. Para a inserção do link (URL) na ficha de inscrição do site, o candidato deverá hospedar os
vídeos, previamente, em um canal do Youtube. Os arquivos de vídeo devem ser nomeados com o
nome do projeto, antes da publicação.
5.8.1.4. O resumo da Modalidade Educação Ambiental Artística-cultural deverá seguir o padrão
definido abaixo:
I. Contextualização (até 120 palavras);
II. Objetivo Geral (até 70 palavras);
III. Objetivos Específicos (até cinco objetivos específicos – até no máximo 40 palavras);
IV. Metodologia (até 150 palavras);
V. Relevância do Projeto (até 150 palavras);
VI. Impacto da Pesquisa/Projetos (até 100 palavras);
VII. Considerações Finais (até 100 palavras);
VIII. Referências Bibliográficas (3 principais referências);
IX. Palavras-chave (3 palavras-chave);
X. Link do vídeo no Youtube.

ATENÇÃO!
O prazo para a inscrição de trabalhos não poderá, em hipótese alguma, ser estendido, tendo em
vista que a plataforma encerrará automaticamente a disponibilidade para a submissão de
trabalhos. Lembre-se que este resumo será entregue aos avaliadores e também servirá de base
para a avaliação dos projetos. Qualquer discrepância entre o resumo e o vídeo inseridos na ficha
de inscrição on-line acarretará na DESCLASSIFICAÇÃO do projeto.

5.8.2. Trabalhos das Modalidades Dança Tradicional Brasileira, Interpretação Musical,
Interpretação de Poema de Autoria Discente, Esquete Teatral e Pintura em Tela
5.8.2.1. Para os trabalhos das Modalidades Dança Tradicional Brasileira, Interpretação Musical,
Interpretação de Poema de Autoria Discente, Esquete Teatral e Pintura em Tela as inscrições serão
realizadas exclusivamente on-line através do preenchimento e envio do Formulário de Inscrições da
Categoria Cultural (ANEXO IV), exclusivamente em formato PDF, para o e-mail
cefop@ct.seduc.ce.gov.br, com cópia para cefopsefor@gmail.com. O título do e-mail deve conter os
dizeres “Inscrição Feira de Ciências da SEFOR”. No corpo do e-mail deve estar identificada a
escola, região, modalidade do projeto, título do projeto e nome do professor orientador.

5.8.2.2. Para efetivar a inscrição do projeto nas Modalidades Dança Tradicional Brasileira,
Interpretação Musical, Interpretação de Poema de Autoria Discente e Esquete Teatral, faz-se
necessário que todos os campos obrigatórios do Formulário de Inscrições da Categoria Cultural
(ANEXO IV) sejam preenchidos, em fonte Arial, tamanho 12, espaçamento entre linhas de 1,0 e texto
justificado, sem espaçamento entre os parágrafos. Atente para as informações necessárias para o
preenchimento do formulário: Crede; Escola; Professor Orientador; Modalidade (Dança Tradicional
Brasileira, Interpretação Musical, Interpretação de Poema de Autoria Discente, Esquete Teatral ou
Pintura em Tela); Estudantes; Resumo do Projeto (Título, Autores, Texto com até 500 palavras
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

descrevendo de forma breve o projeto com seus objetivos).
5.8.2.3. Além das informações pessoais e de outros dados solicitados para efetivação da inscrição
nas Modalidades Dança Tradicional Brasileira, Interpretação Musical, Interpretação de Poema de
Autoria Discente, Esquete Teatral e Pintura em Tela, será obrigatória a postagem de um vídeo da
internet (Youtube), de três a dez minutos, constando uma apresentação sobre o projeto cultural a ser
avaliado. O endereço de postagem do vídeo (URL) deve ser inserido no campo disponibilizado no
Formulário de Inscrições da Categoria Cultural (ANEXO IV).
5.8.2.4. Para a inserção do link (URL) no Formulário de Inscrições da Categoria Cultural (ANEXO
IV), o candidato deverá hospedar os vídeos previamente e por sua conta, em canal próprio na
internet (Youtube). Os arquivos de vídeo devem ser nomeados com o nome do projeto, antes da
publicação.
5.8.2.5. No caso dos trabalhos inscritos na Modalidade Pintura em Tela, deverá ser enviado no
mesmo e-mail uma fotografia da tela, preferencialmente em formato JPEG ou PDF.

6. TERMO DE RESPONSABILIDADE PARA OS PROJETOS SELECIONADOS
6.1. Os professores orientadores dos projetos selecionados, tanto da categoria científica, como da
cultural, das escolas associadas à SME ou à SEFOR, no ato do credenciamento, no primeiro dia do
evento (ou seja, dia 24 de novembro de 2016), deverão entregar os Termos de Responsabilidade e
Uso de Imagem (ANEXO II), devidamente preenchidos e assinados à Comissão Organizadora do
Evento.
6.2. A não entrega destes termos acarretará automaticamente na exclusão do projeto, tendo em vista
que os alunos não poderão efetuar o credenciamento, nem participar da Feira.

7. DA SELEÇÃO PARA A IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR E V MOSTRA
REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL – AVALIAÇÃO VIRTUAL
7.1. De caráter eliminatório e classificatório, o processo de avaliação virtual constitui-se da avaliação
dos resumos e das mídias de cada projeto inscrito por três especialistas da Comissão Avaliadora,
composta por profissionais ligados às escolas, universidades, empresas e instituições públicas e
privadas, com graduação e experiência profissional que os torna capacitados a atuarem nessa
função.
7.2. Ressalta-se que esta avaliação virtual é destinada somente às escolas sob o domínio da
SEFOR, não sendo, portanto, aplicada às escolas da SME conforme já explicado no item 5.6 deste
edital
7.3. Serão avaliados somente os projetos adequados aos critérios previstos neste Edital.
7.4. Projetos com formatação em desacordo às normas deste Edital serão DESCLASSIFICADOS.
7.5. Após a avaliação e comentários de cada especialista será obtida a média aritmética [MA =
(Avaliador1 + Avaliador2 + Avaliador3)/3] de cada projeto inscrito.
7.6. O projeto que obtiver MA inferior a 7,0 (sete), ou valor equivalente de acordo com a plataforma,
será automaticamente desclassificado deste certame, mesmo que haja vagas remanescentes na
categoria para a qual está inscrito.
7.7. Serão considerados classificados para participarem da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

SEFOR e V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL os projetos que obtiverem Média
Aritmética igual ou superior a 7,0 (sete), dispostos até o limite de vagas ofertadas por
categoria/área/modalidade.
7.8. Os projetos serão ordenados por categoria/área/modalidade de acordo com os valores
decrescentes da MA, observados os critérios de desempate presentes neste Edital.
7.9. O resultado final, por categoria e em ordem decrescente, contendo os projetos classificados para
serem apresentados na IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V MOSTRA REGIONAL
DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, será divulgado no Portal da Secretaria da Educação do Estado do
Ceará, endereço eletrônico http://www.seduc.ce.gov.br, até as 17 horas do dia 18 de novembro de
2016, sendo também enviado ao e-mail institucional de todas as escolas.
7.10. Os critérios a serem considerados na primeira etapa de seleção dos projetos (avaliação virtual
do resumo e mídia) serão diferentes dos critérios adotados para a avaliação presencial, sendo
também diferentes os critérios das Categorias Científica e Cultural.
7.11. Nesta Edição, assim como no I CEARÁ CIENTÍFICO, promovido pela SEDUC, os critérios de
avaliação terão pesos diferenciados, tanto na etapa virtual, como na presencial.

ATENÇÃO!
Nesta edição, assim como no I CEARÁ CIENTÍFICO, a etapa virtual terá influência no resultado
final do projeto (após a etapa presencial), tendo em vista que este se dará através da média
aritmética entre o resultado da avaliação virtual e o resultado da da avaliação presencial.

7.12. Critérios da Avaliação Virtual da Categoria Científica (Linguagens, Ciências da Natureza,
Ciências Humanas, Matemática, Robótica Educacional, Pesquisa Júnior – Ensino
Fundamental, Educação Ambiental Científica) – Resumo e Mídia
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Criatividade e Inovação 25%
b) Conhecimento Científico do Problema Abordado 25%
c) Metodologia Científica 20%
d) Mídia – Apresentação da Pesquisa/Projeto 15%
e) Mídia – Coerência com o Resumo 15%
7.12.1. Criatividade e Inovação – Resumo e Mídia (25%)
Criatividade é pensar coisas novas, inovação é fazer coisas novas e valiosas. Inovação é a
implementação de um “novo” ou “significativamente” melhorado produto (bem ou serviço), processo
de trabalho ou prática de relacionamento entre pessoas, grupos ou organizações com uma
contribuição social. Para a categoria Educação Ambiental, a criatividade e a inovação estão
atreladas ao reflexo da proposta em mudanças significativas capazes de minimizar impactos
ambientais e desigualdades socioambientais. Nem sempre a inovação é o resultado da criação de
algo totalmente novo, mas, com muita frequência, é o resultado da combinação original de coisas já
existentes. Algumas importantes inovações consistem de novos usos para objetos e tecnologias
preexistentes. É preciso demonstrar e convencer o que seu projeto tem de criativo e de inovador no
corpo do texto do seu resumo.
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

7.12.2. Conhecimento Científico do Problema Abordado – Resumo e a Mídia (25%)
Do conhecimento científico nasce o raciocínio argumentativo que é extremamente relevante para o
conhecimento das ciências. De posse do conhecimento científico, o educando poderá construir
modelos, desenvolver explicações do mundo físico e natural e ser capaz de interagir com eles.
Precisa demonstrar, no seu texto, que aprenderam significativamente os conceitos implicados
associados ao trabalho defendido, e que desenvolveram a capacidade de responder
questionamentos sobre o seu trabalho de posse dos conhecimentos científicos.
7.12.3. Metodologia Científica – Resumo e a Mídia (20%)
Os educandos precisam ser capazes de explicar, através do texto de seus projetos/pesquisa, como
procederam as suas investigações; que instrumentos eles utilizaram para coletar dados; quais as
fontes que eles pesquisaram e como eles tiveram acesso a tais fontes, bem como em que período
desenvolveu sua pesquisa. Todas estas explicações devem ter como amparo os conhecimentos
científicos adquiridos. Também será avaliado, neste quesito, a correta escrita e organização do texto
da pesquisa/projeto em relação à metodologia científica na redação de um artigo científico.
7.12.4. Mídia – Apresentação da Pesquisa/Projeto (15%)
Os vídeos devem apresentar a pesquisa/projeto de forma criativa e livre para que o avaliador possa
compreendê-lo(a) e avaliá-lo(a). Ressaltamos que, nesta categoria, os vídeos deverão ter uma
duração mínima de 01 (um) minuto e máxima de 03 (três) minutos.
7.12.5. Mídia – Coerência com o Resumo (15%)
O vídeo deve ser coerente com o que foi escrito no resumo, de forma que o avaliador possa ter uma
noção ampla e objetiva da sua pesquisa/projeto.

7.13. Critérios da Avaliação Virtual da Categoria Cultural.
7.13.1. Dança Tradicional Brasileira – Resumo e Mídia
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Qualidade e Adequação do Resumo 20%
b) Qualidade Artística e Técnica 20%
c) Coreografia 20%
d) Interpretação 20%
e) Harmonia 20%
7.13.1.1. Qualidade e Adequação do Resumo (20%)
Resumo contendo uma breve descrição do projeto, com seus objetivos, escrito de forma clara,
objetiva e coerente com o que é apresentado na mídia.
7.13.1.2. Qualidade Artística e Técnica (20%)
Dança de acordo com o estilo, preocupação em desenvolver a técnica de forma adequada.
7.13.1.3. Coreografia (20%)
Movimentos harmônicos de acordo com a música, utilização do espaço de forma ampla.
7.13.1.4. Interpretação (20%)
Expressão facial do bailarino, expressão corporal.
7.13.1.5. Apresentação (20%)
Conjunto, expressão, concentração, atenção, sensibilidade e originalidade da performance.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

7.13.2. Interpretação Musical – Resumo e Mídia
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Qualidade e Adequação do Resumo 20%
b) Qualidade Artística e Técnica 20%
c) Afinação 20%
d) Ritmo 20%
e) Interpretação 20%
7.13.2.1. Qualidade e Adequação do Resumo (20%)
Resumo contendo uma breve descrição do projeto, com seus objetivos, escrito de forma clara,
objetiva e coerente com o que é apresentado na mídia.
7.13.2.2. Qualidade Artística e Técnica (20%)
Candidato utiliza recursos técnicos, ou seja, instrumental ou vocal para execução da obra. Este
critério não está relacionado à quantidade de instrumentos musicais.
7.13.2.3. Afinação (20%)
O candidato mantém tom, percebe e executa com precisão e senso estético as variações melódicas.
7.13.2.4. Rítmo (20%)
O candidato executa o ritmo musical de maneira fluente, respeitando suas variações e nuances.
7.13.2.5. Interpretação (20%)
O candidato executa a música fluente, respeitando suas variações e nuances.

7.13.3. Interpretação de Poema de Autoria Discente – Resumo e Mídia
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Qualidade e Adequação do Resumo 20%
b) Excelência Técnica 20%
c) Interpretação 20%
d) Apresentação 20%
e) Excelência Artística 20%
7.13.3.1. Qualidade e Adequação do Resumo (20%)
Resumo contendo uma breve descrição do projeto, com seus objetivos, escrito de forma clara,
objetiva e coerente com o que é apresentado na mídia.
7.13.3.2. Excelência Técnica (20%)
Exploração de recursos inerentes à poesia, tais como: métrica, rima, ritmo, riqueza no uso de figuras
de linguagens, sobretudo as metáforas, etc.
7.13.3.3. Interpretação (20%)
Originalidade e estilo próprio, dicção e articulação vocal, dinâmicas, uso correto da voz (respiração,
impostação e projeção).
7.13.3.4. Apresentação (20%)
Conjunto, expressão, concentração, atenção, sensibilidade e originalidade da performance.
7.13.3.5. Excelência Artística (20%)
Qualidade na abordagem do tema escolhido, criatividade na elaboração do poema.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

7.13.4. Esquete Teatral – Resumo e Mídia
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Qualidade e Adequação do Resumo 20%
b) Excelência Artística do Espetáculo 20%
c) Encenação 20%
d) Interpretação 20%
e) Estrutura Cênica 20%
7.13.4.1. Qualidade e Adequação do Resumo (20%)
Resumo contendo uma breve descrição do projeto, com seus objetivos, escrito de forma clara,
objetiva e coerente com o que é apresentado na mídia.
7.13.4.2. Excelência Artística do Espetáculo (20%)
Atores atuam de acordo com o estilo, havendo a preocupação em desenvolver a técnica de forma
adequada, criativa e original.
7.13.4.3. Encenação (20%)
A encenação propriamente dita, conjunto de meios de interpretação cênica (cenografia, música, jogo
etc.) e transposição de uma escrita dramática numa escrita cênica.
7.13.4.4. Interpretação (20%)
Atuação do intérprete dentro da perspectiva proposta pela encenação e seu desenvolvimento
técnico.
7.13.4.5. Estrutura Cênica (20%)
Coerência estética entre a proposta de encenação e a encenação propriamente dita. Tipo de
Gênero, Proposta Conceitual e Proposta Formal, Linguagens e Técnicas Cênicas utilizadas e Modelo
de Interpretação.

7.13.5. Pintura em tela – Resumo e Mídia
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Qualidade e Adequação do Resumo 25%
b) Excelência Técnica 25%
c) Criatividade E Originalidade 25%
d) Composição 25%
7.13.5.1. Qualidade e Adequação do Resumo (25%)
Resumo contendo uma breve descrição do projeto, com seus objetivos, influências e características,
escrito de forma clara, objetiva e coerente com o que é apresentado na mídia.
7.13.5.2. Excelência Técnica (25%)
Conhecimento e domínio prático das ferramentas e materiais utilizados na elaboração da pintura em
tela.
7.13.5.3. Criatividade e Originalidade (25%)
Sensibilidade e inspiração, inovação, autenticidade e estilo próprio.
7.13.5.4. Composição (25%)
Exploração de recursos inerentes à pintura, tais como: luz, tons, planimetria, acabamento, correção,
construção em perspectiva, etc.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

7.13.6. Educação Ambiental Artística-cultural
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Criatividade e Inovação 25%
b) Conhecimento Científico do Problema Abordado 25%
c) Metodologia Científica 20%
d) Mídia – Apresentação da Pesquisa/Projeto 15%
e) Mídia – Coerência com o Resumo 15%
7.13.6.1. Criatividade e Inovação – Resumo e Mídia (25%)
Criatividade é pensar coisas novas, inovação é fazer coisas novas e valiosas. Inovação é a
implementação de um “novo” ou “significativamente” melhorado produto (bem ou serviço), processo
de trabalho ou prática de relacionamento entre pessoas, grupos ou organizações com uma
contribuição social. Para a categoria Educação Ambiental, a criatividade e a inovação estão
atreladas ao reflexo da proposta em mudanças significativas capazes de minimizar impactos
ambientais e desigualdades socioambientais. Nem sempre a inovação é o resultado da criação de
algo totalmente novo, mas, com muita frequência, é o resultado da combinação original de coisas já
existentes. Algumas importantes inovações consistem de novos usos para objetos e tecnologias
preexistentes. É preciso demonstrar e convencer o que seu projeto tem de criativo e de inovador no
corpo do texto do seu resumo.
7.13.6.2. Conhecimento Científico do Problema Abordado – Resumo e Mídia (25%)
Do conhecimento científico nasce o raciocínio argumentativo que é extremamente relevante para o
conhecimento das ciências. De posse do conhecimento científico, o educando poderá construir
modelos, desenvolver explicações do mundo físico e natural e ser capaz de interagir com eles.
Precisa demonstrar, no seu texto, que aprenderam significativamente os conceitos implicados
associados ao trabalho defendido, e que desenvolveram a capacidade de responder
questionamentos sobre o seu trabalho de posse dos conhecimentos científicos.
7.13.6.3. Metodologia Científica – Resumo e Mídia (20%)
Os educandos precisam ser capazes de explicar, através do texto de seus projetos/pesquisa, como
procederam as suas investigações; que instrumentos eles utilizaram para coletar dados; quais as
fontes que eles pesquisaram e como eles tiveram acesso a tais fontes, bem como em que período
desenvolveu sua pesquisa. Todas estas explicações devem ter como amparo os conhecimentos
científicos adquiridos. Também será avaliado, neste quesito, a correta escrita e organização do texto
da pesquisa/projeto em relação à metodologia científica na redação de um artigo científico.
7.13.6.4. Mídia – Apresentação da Pesquisa/Projeto (15%)
Os vídeos devem apresentar a pesquisa/projeto de forma criativa e livre para que o avaliador possa
compreendê-lo(a) e avaliá-lo(a). Ressaltamos que, nesta modalidade, os vídeos também deverão ter
uma duração mínima de 01 (um) minuto e máxima de 03 (três) minutos.

7.13.6.5. Mídia – Coerência com o Resumo (15%)
O vídeo deve ser coerente com o que foi escrito no resumo, de forma que o avaliador possa ter uma
noção ampla e objetiva da sua pesquisa/projeto.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

8. DAS VAGAS
8.1. Serão selecionados para participarem da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e da
V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL um total de 141 projetos, sendo 105 projetos
da Categoria Científica e 36 da Categoria Cultural, distribuídos respectivamente conforme o
QUADRO III e QUADRO IV.
8.2. O quantitativo de vagas é distribuído para cada SEFOR, sendo a SEFOR 1 composta pela 1ª e
3ª Regiões; a SEFOR 2 composta pela 2ª e 6ª Regiões e a SEFOR 3 composta pela 4ª e 5 Regiões.
8.3. Mesmo estando geograficamente em regiões diferentes, os Centros de Educação de Jovens e
Adultos – CEJAs irão concorrer somente com as Escolas pertencente à SEFOR 1 assim como a EEF
Instituto dos Cegos que concorrerá junto às instituições da SEFOR 2.
8.4. Em caso do não preenchimento das vagas em alguma Área, Modalidade e/ou SEFOR, seja por
ausência de trabalhos inscritos ou por eliminação após avaliação (MA inferior à 7,0), estas vagas
poderão ser remanejadas a outras Áreas, Modalidades e/ou SEFORs. A redistribuição das vagas
será decidida pela Comissão Organizadora da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V
MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, que definirá os critérios observando a
quantidade de trabalhos inscritos e aprovados.
8.5. Caso a comissão avaliadora julgue algum projeto como inscrito em área inadequada, pela
impossibilidade de modificá-lo após inscrito na Plataforma, este poderá ser DESCLASSIFICADO,
sendo esta desclassificação devidamente justificada aos autores.
8.7. Os projetos inscritos que apresentarem irregularidades técnicas, na formatação dos dados, na
composição dos resultados ou de qualquer outro item, regularizado pelo evento, serão
automaticamente DESCLASSIFICADOS.

QUADRO III – Distribuição das Vagas de Acordo com as Áreas da Categoria Científica
Categoria Científica
Quantidade de Vagas para Cada SEFOR/SME Quantitativo
Área de Projetos
SEFOR 1 SEFOR 2 SEFOR 3 SME
Linguagens 5 5 5 0 15
Ciências da Natureza 5 5 5 0 15
Ciências Humanas 5 5 5 0 15
Matemática 5 5 5 0 15
Robótica Educacional 5 5 5 0 15
Educação Ambiental Científica 4 4 4 0 12
Pesquisa Júnior – Ensino
2 2 2 12 18
Fundamental
Subtotal de Projetos da Categoria Científica 105

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

QUADRO IV – Distribuição das Vagas de Acordo com as Modalidades da Categoria Cultural
Categoria Cultural
Quantidade de Vagas para
Modalidade Cada SEFOR Quantitativo de
Projetos
SEFOR 1 SEFOR 2 SEFOR 3
Dança Tradicional Brasileira 2 2 2 6
Interpretação Musical 2 2 2 6
Interpretação de Poema de Autoria Discente 2 2 2 6
Esquete Teatral 2 2 2 6
Pintura em Tela 2 2 2 6
Educação Ambiental Cultural 2 2 2 6
Subtotal de Projetos da Categoria Cultural 36

9. DA EXPOSIÇÃO CIENTÍFICA
9.1. Cada equipe terá um estande de 2,00m X 1,00m, com uma bancada e duas banquetas, com
ganchos para a fixação de banners.
9.2. Cada estande será identificado por um código a ser definido pela Comissão Organizadora do
Evento e devidamente divulgado aos participantes.
9.3. Haverá uma equipe da Comissão Organizadora orientando os expositores durante os dois dias
do evento.
9.4. Todos os estandes terão a disponibilidade de dois pontos de energia (tomada de 220V em
padrão brasileiro tri pino de 4mm), entretanto, somente as equipes das categorias Robótica
Educacional e Pesquisa Júnior – Ensino Fundamental poderão utilizar equipamentos que façam uso
de eletricidade para comporem a sua apresentação.
9.5. Cada equipe da categoria Robótica Educacional e Pesquisa Júnior – Ensino Fundamental terá a
responsabilidade de trazer todos os equipamentos necessários, tendo sobre eles total
responsabilidade.
9.6. A apresentação visual e oral deve ser em Português.
9.7. Para o caso de algum aluno com deficiência auditiva, será permitida a presença de um intérprete
de LIBRAS durante todo o momento da apresentação, desde que este intérprete não seja o
professor orientador do trabalho.
9.8. É permitida a ornamentação dos estandes como um atrativo a mais para os visitantes, no
entanto, sem interferência nos critérios de avaliação, não sendo indicada a poluição visual nem a
extrapolação do espaço disponibilizado.
9.9. Poderão ser expostos esquemas, equipamentos, fotos, protótipos que ilustrem e/ou estejam
relacionados ao objeto da pesquisa, entretanto os pontos de energia não poderão ser utilizados para

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

a exposição de tais objetos, exceto para as categorias Robótica Educacional e Pesquisa Júnior –
Ensino Fundamental.

ATENÇÃO!
Será permitido o uso de computadores somente para os trabalhos da categoria Robótica
Educacional e Pesquisa Júnior – Ensino Fundamental, porém não será disponibilizado pela
Comissão Organizadora ponto de internet, seja este via cabo ou wi-fi.

9.10. A desenvoltura oral na defesa do trabalho, utilizando o banner e o caderno de campo/pesquisa,
será a análise principal da avaliação da equipe. A intenção deste processo é adequar sua forma
avaliativa aos critérios dos principais eventos científicos nacionais e internacionais.
9.11. Durante todo o evento, pelo menos um dos alunos expositores deverá permanecer em seu
estande apresentando o projeto aos visitantes. A ausência no estande poderá ocasionar a
eliminação da equipe.
9.12. A exposição dos projetos acontecerá nos dias 24 e 25 de novembro de 2016, em local e hora a
serem divulgados posteriormente.

10. DAS APRESENTAÇÕES CULTURAIS
10.1. Está previsto para os dias das apresentações culturais a seguinte infraestrutura:
a) Palco nas dimensões de 7m de largura x 7m de profundidade, com 1m de altura e piso
em linóleo adequado para dança;
b) Iluminação direta;
c) Sistema de som: mesa de som, com cabeamento para até quatro instrumentos musicais
(violões, baixos, guitarras entre outros);
d) Quatro microfones sem fio com pedestais;
e) Operador de som com notebook (durante todo o período de realização do evento);
f) Suportes para a exposição das pinturas em tela.
10.2. Caso haja alguma alteração na infraestrutura, informaremos, em tempo hábil, às Escolas
participantes, para possibilitar a todos os candidatos selecionados fazerem eventuais adaptações em
suas apresentações, caso haja necessidade, sem trazer-lhes qualquer prejuízo.
10.3. Os projetos culturais selecionados deverão se adequar aos espaços e recursos
disponibilizados para esse fim, sob pena de serem eliminados do evento.
10.4. A apresentação e a avaliação dos projetos ocorrerá nos dias 24 e 25 de novembro de 2016, em
horários e local a serem definidos após a seleção dos projetos.
10.5. Todas as equipes da categoria cultural deverão realizar o credenciamento a partir das 13 horas
do dia de sua apresentação (24 ou 25 de novembro).
10.6. Qualquer arquivo de áudio que será utilizado durante as apresentações deverá ser entregue,
exclusivamente em formato mp3, ao operador da mesa, no dia da apresentação até as 13 horas e 30
minutos, não nos responsabilizamos caso haja incompatibilidade de formato de arquivos.
10.7. As equipes deverão estar prontas para se apresentarem pelo menos 30 minutos antes de seu
horário de apresentação, que será divulgado posteriormente.
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

10.8. As equipes que não estiverem de prontidão no horário determinado para sua apresentação
serão penalizadas com a perda de 2,0 (dois) pontos na nota final para cada minuto de atraso.
10.9. A mesma penalidade do item anterior será aplicada às equipes que excederem o tempo
previsto neste Edital para sua apresentação, portanto, para cada minuto excedido, serão
descontados 2,0 (dois) pontos da nota final.
10.10. Os tempos para cada modalidade estão devidamente expressos no item 12 deste edital.

11. AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DA CATEGORIA CIENTÍFICA NA IX FEIRA DE CIÊNCIAS E
CULTURA DA SEFOR E V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL – ETAPA
PRESENCIAL
11.1. A Banca Avaliadora da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V MOSTRA
REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL será a mesma da etapa virtual, entretanto os critérios da
avaliação presencial não serão necessariamente os mesmos utilizados na etapa virtual.
11.2. É vedado qualquer tipo de interferência do professor orientador durante a avaliação.
11.3. Cada projeto será necessariamente avaliado por 03 (três) especialistas, que estarão
devidamente identificados com crachás.
11.4. A nota final atribuída a cada projeto se dará a partir da média aritmética entre o resultado da
avaliação virtual e o resultado da avaliação presencial.
11.5. Pelo menos um dos alunos expositores deverá permanecer sempre junto ao seu estande
durante todo o período de apresentação dos trabalhos.
11.6. A avaliação dos projetos ocorrerá ao longo dos dias 24 e 25 de novembro de 2016, em horários
a serem definidos após a seleção virtual dos projetos.

11.7. Da Apresentação Oral
11.7.1. A apresentação deve ser de forma clara e objetiva, obedecendo ao método científico, e
utilizando, como recursos principais, os elementos do banner e do caderno de campo/pesquisa.
11.7.2. Cada equipe dispõe de até 10 (dez) minutos, que devem ser distribuídos/administrados de
forma que tenha tempo para a sua explanação e para as possíveis perguntas e considerações do
avaliador.
11.7.3. Será permitida a distribuição de cartões de contato e folders relativos ao projeto. Entretanto,
a distribuição não pode fazer parte da apresentação.
11.7.4. Não será permitida a exposição de nenhum item que fuja às regras de segurança (conforme
Item 15 deste Edital).
11.8. Da Exibição Visual – Banner (Observar ANEXO IV):
11.8.1. A exibição visual deverá ser feita na forma de banner de maneira clara e objetiva, salientando
os dados mais importantes, para possibilitar o perfeito entendimento do projeto.
11.8.2. O banner deverá ser confeccionado apenas após a divulgação da seleção do trabalho pela
Comissão Organizadora da IX Feira de Ciências da SEFOR e V Mostra Regional de Educação
Ambiental.
11.8.3. O banner deverá seguir o seguinte padrão técnico:
I. Tamanho do banner: Largura: 0,90m; Altura: de 0,90m até 1,20m (no máximo);

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

II. O texto do banner deve ser legível a uma distância de, pelo menos, 1,00 m;
III. Fica a critério das equipes o material no qual o banner será confeccionado (lona ou
papel).

11.9. Critérios da Avaliação Presencial da Categoria Científica
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Criatividade e inovação 15%
b) Conhecimento científico do problema abordado 15%
c) Metodologia científica 20%
d) Clareza e objetividade na apresentação do trabalho 20%
e) Banner 15%
f) Caderno de Campo 15%
11.9.1. Criatividade e Inovação (15%)
Neste processo de análise, criatividade é compreendida como o ato de pensar coisas novas. Já
inovação, compreende fazer coisas novas e valiosas, ou seja, implementação de um “novo”, ou
“significativamente” melhorado, produto, bem ou serviço, processo de trabalho ou prática de
relacionamento entre pessoas, grupos ou organizações como uma contribuição social. A inovação,
geralmente, é o resultado da recriação de algo. Também pode ser o resultado da combinação
original de coisas já existentes. Algumas importantes inovações consistem de novos usos para
objetos e tecnologias preexistentes.

11.9.2. Conhecimento científico do problema abordado (15%)
O conhecimento científico promove o raciocínio argumentativo que é extremamente relevante para o
conhecimento das ciências. De posse do conhecimento científico, o educando poderá construir
modelos, desenvolver explicações do mundo físico e natural e ser capaz de interagir com eles.
Precisa demonstrar que aprenderam significativamente os conceitos implicados associados ao
trabalho defendido, e que desenvolveram a capacidade de responder questionamentos sobre o seu
trabalho de posse dos conhecimentos científicos.

11.9.3. Metodologia Científica (20%)
Os educandos precisam ser capazes de explicar como procederam as suas investigações; que
instrumentos eles utilizaram para coletar dados; quais as fontes que eles pesquisaram, como eles
tiveram acesso a tais fontes, bem como em que período desenvolveram suas pesquisas. Todas
estas explicações devem ter como fundamento os conhecimentos científicos adquiridos.

11.9.4. Clareza e objetividade na apresentação do trabalho (20%)
Os autores devem planejar com clareza e objetividade a sua apresentação de modo que o tempo
seja otimizado e as informações compartilhadas possam ser bem explicadas e bem interpretadas.
Um bom entrosamento (apresentação compartilhada) entre os alunos/expositores se faz importante
para este quesito. Este entrosamento se refere a um sequenciamento lógico e dinâmico, levando-se
em consideração a participação dos dois alunos na apresentação do trabalho.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

11.9.5. Banner (15%)
As equipes devem privilegiar o espaço do banner (0,90m x 1.20m) destinando a maior parte (até de
65%) deste para exposição de ilustrações (fotos, figuras, tabelas, quadros, gráficos, etc). No espaço
restante deverão ser explanados os textos relativos ao trabalho apresentado.
11.9.6. Caderno de Campo (15%)
11.9.6.1. Neste documento, o(s) alunos(s) deve(m) ter registrado as etapas, que realizou para
desenvolver o projeto, relatando todos os fatos e as datas respectivas.
11.9.6.2. Caso seja continuação de projeto, o Caderno de Campo deve abranger o período, relativo a
todo o desenvolvimento do projeto.
11.9.6.3. O caderno não deverá ser digitado, apenas manuscrito, mas caso tenha sido feito a sua
digitação ou a sua cópia, é obrigatória a apresentação do caderno de campo original.
11.9.6.4. O Caderno deverá conter:
a) Registro detalhado e preciso dos fatos, dos passos, das descobertas, das novas indagações;
b) Registro do(s) estudante(s) e professor(es) orientador(es) envolvidos em cada etapa/ação do
projeto;
c) Poderá incluir fotos, gravuras, figuras e desenhos;
d) Registro das datas e locais das investigações;
e) Registro dos testes e resultados;
f) Entrevistas e consultas às pessoas fontes;
g) Referências bibliográficas.

ATENÇÃO!
Recomendamos que o Caderno de Campo/Pesquisa tenha a assinatura cotidiana do orientador,
sendo numerado e datado para demonstrar a originalidade e a rotina de encontro e de
desenvolvimento do projeto/pesquisa.

12. AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DA CATEGORIA CULTURAL NA IX FEIRA DE CIÊNCIAS E
CULTURA DA SEFOR E V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL – ETAPA
PRESENCIAL
12.1. A Banca Avaliadora da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR E V MOSTRA
REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL será a mesma da etapa virtual, entretanto os critérios da
avaliação presencial não serão necessariamente os mesmos da etapa virtual.
12.2. É vedada qualquer tipo de interferência do professor orientador durante a avaliação.
12.3. Cada projeto será necessariamente avaliado por 03 (três) especialistas, que estarão
devidamente identificados com crachás.
12.4. A nota final atribuída aos projetos se dará a partir da média aritmética entre o resultado da
avaliação virtual e o resultado da avaliação presencial.
12.5. A apresentação e a avaliação dos projetos ocorrerá nos dias 24 e 25 de novembro de 2016, em
horários e local a serem definidos, e divulgados em tempo hábil, após a seleção virtual dos projetos.
12.6. Será disponibilizado um tempo de 60 (sessenta) minutos antes do início das apresentações
(entre 12h30min e 13h30min), compartilhado entre os grupos que apresentarão no dia, para ajustes

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

técnicos (passagem de som), marcação de palco e reconhecimento do local.
12.7. Todas as equipes terão um tempo mínimo e máximo determinado para as suas apresentações,
variável de acordo com cada Modalidade (Item 12.8 deste edital), além de 10 (dez) minutos para
ajustes necessários como: montagem/desmontagem de cenários, posicionamento do grupo,
passagem de som, conexão de instrumentos, entre outros.

12.8. Critérios da Avaliação Presencial da Categoria Cultural
12.8.1. Dança Tradicional Brasileira
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Figurino 20%
b) Qualidade Artística e Técnica 20%
c) Coreografia 20%
d) Interpretação 20%
e) Harmonia 20%
12.8.1.1. Figurino (20%)
Será considerado a originalidade e criatividade sem priorizar produtos materiais. Figurino de acordo
com o tema.
12.8.1.2. Qualidade Artística e Técnica (20%)
Dança de acordo com o estilo, preocupação em desenvolver a técnica de forma adequada.
12.8.1.3. Coreografia (20%)
Movimentos harmônicos de acordo com a música, utilização e deslocamento do espaço de forma
ampla.
12.8.1.4. Interpretação (20%)
Expressão facial do(a) bailarino(a), expressão corporal.
12.8.1.5. Harmonia (20%)
Conjunto, expressão, concentração, atenção, sensibilidade e originalidade da performance.
12.8.1.6. Tempo de apresentação mínimo 3 (três) minutos e máximo de 10 (dez) minutos.
12.8.1.7. Em caso de empate na contagem final, será utilizado o seguinte critério, conforme ordem
abaixo relacionada:
I. Maior pontuação no critério QUALIDADE ARTÍSTICA E TÉCNICA
II. Maior pontuação no critério COREOGRAFIA
III. Maior pontuação no critério INTERPRETAÇÃO
IV. Maior pontuação no critério HARMONIA
V. Maior pontuação no critério FIGURINO
12.8.2. Interpretação Musical
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Performance 20%
b) Qualidade Artística e Técnica 20%
c) Afinação 20%
d) Ritmo 20%
e) Interpretação 20%

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

12.8.2.1. Performance (20%)
Domínio do espaço cênico e interação com a obra e o público.
12.8.2.2. Qualidade Artística e Técnica (20%)
Candidato utiliza recursos técnicos, ou seja, instrumental ou vocal para execução da obra. Este
critério não está relacionado à quantidade de instrumentos musicais.
12.8.2.3. Afinação (20%)
O candidato mantém tom, percebe e executa com precisão e senso estético as variações melódicas.
12.8.2.4. Ritmo (20%)
O candidato executa o ritmo musical de maneira fluente, respeitando suas variações e nuances.
12.8.2.5. Interpretação (20%)
O candidato executa a música fluente, respeitando suas variações e nuances.
12.8.2.6. Tempo de apresentação mínimo 3 (três) minutos e máximo de 10 (dez) minutos.
12.8.2.7. O uso de figurino (fantasia) não é obrigatório e não interfere na nota do aluno.
12.8.2.8. Em caso de empate na contagem final será utilizado o seguinte critério, conforme ordem
abaixo relacionada:
I. Maior número de pontos no critério QUALIDADE ARTÍSTICA E TÉCNICA
II. Maior número de pontos no critério AFINAÇÃO
III. Maior número de pontos no critério RITMO
IV. Maior número de pontos no critério INTERPRETAÇÃO

12.8.3. Interpretação de Poema de Autoria Discente
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Excelência Técnica 25%
b) Interpretação 25%
c) Apresentação 25%
d) Excelência Artística 25%
12.8.3.1. Excelência Técnica (25%)
Exploração de recursos inerentes à poesia, tais como: métrica, rima, ritmo, riqueza no uso de figuras
de linguagens, sobretudo as metáforas, etc.
12.8.3.2. Interpretação (25%)
Originalidade e estilo próprio, dicção e articulação vocal, dinâmicas, uso correto da voz (respiração,
impostação e projeção).

12.8.3.3. Apresentação (25%)
Conjunto, expressão, concentração, atenção, sensibilidade e originalidade da performance.
12.8.3.4. Excelência Artística (25%)
Qualidade na abordagem do tema escolhido, criatividade na elaboração do poema.
12.8.3.5. O poema enviado deverá ser, obrigatoriamente, de um aluno regularmente matriculado em
uma escola da rede estadual de ensino, podendo ser interpretado por ele ou um aluno regularmente
matriculado na mesma escola.
12.8.3.6. A veracidade da autoria é de responsabilidade do mesmo. O não cumprimento deste

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

requisito desclassificará automaticamente o participante.
12.8.3.7. Tempo de apresentação mínimo de 3 (três) minutos e máximo de 5 (cinco) minutos
12.8.3.8. Em caso de empate na contagem final, será utilizado o seguinte critério, conforme ordem
abaixo relacionada:
I. Maior pontuação no critério EXCELÊNCIA TÉCNICA
II. Maior pontuação no critério INTERPRETAÇÃO
III. Maior pontuação no critério APRESENTAÇÃO
IV. Maior pontuação no critério EXCELÊNCIA ARTÍSTICA

12.8.4. Esquete Teatral
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Aspectos Visuais 20%
b) Excelência Artística do Espetáculo 20%
c) Encenação 20%
d) Interpretação 20%
e) Estrutura Cênica 20%
12.8.4.1. Aspectos Visuais (20%)
Aspectos visuais como elemento cognitivo e poético na valorização da proposta de encenação. Este
critério compreende o Figurino, Maquiagem e Cenário – não sendo obrigatória a utilização de todos
os elementos.
12.8.4.2. Excelência Artística do Espetáculo (20%)
Atores atuam de acordo com o estilo, havendo a preocupação em desenvolver a técnica de forma
adequada, criativa e original.
12.8.4.3. Encenação (20%)
A encenação propriamente dita, conjunto de meios de interpretação cênica (cenografia, música, jogo
etc.) e transposição de uma escrita dramática numa escrita cênica.
12.8.4.4. Interpretação (20%)
Atuação do intérprete dentro da perspectiva proposta pela encenação e seu desenvolvimento
técnico.
12.8.4.5. Estrutura Cênica (20%)
Coerência estética entre a proposta de encenação e a encenação propriamente dita. Tipo de
Gênero, Proposta Conceitual e Proposta Formal, Linguagens e Técnicas Cênicas utilizadas e Modelo
de Interpretação.
12.8.4.6. Tempo de apresentação mínimo 10 (dez) minutos e máximo de 20 (vinte) minutos.
12.8.4.7. A equipe deverá se organizar para montar o cenário, caso haja, de forma a não exceder os
20 min destinados à sua apresentação, sob pena de serem descontados 2,0 pontos da nota final
para cada minuto de atraso, adequando-se à área e aos recursos disponíveis no palco do evento.
12.8.4.8. Em caso de empate na contagem final, será utilizado o seguinte critério, conforme ordem
abaixo relacionada:
I. Maior pontuação no critério EXCELÊNCIA ARTÍSTICA DO ESPETÁCULO
II. Maior pontuação no critério ENCENAÇÃO

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

III. Maior pontuação no critério INTERPRETAÇÃO
IV. Maior pontuação no critério ESTRUTURA CÊNICA
V. Maior pontuação no critério ESTRUTURA CÊNICA

12.8.5. Pintura em Tela
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Excelência Técnica 30%
b) Criatividade e Originalidade 30%
c) Composição 40%
12.8.5.1. Excelência Técnica (30%)
Conhecimento e domínio prático das ferramentas e materiais utilizados na elaboração da pintura.
12.8.5.2. Criatividade e Originalidade (30%)
Sensibilidade e inspiração, inovação, autenticidade e estilo próprio.
12.8.5.3. Composição (40%)
Exploração de recursos inerentes à pintura, tais como: luz, tons, planimetria, acabamento, correção,
construção em perspectiva, etc.
12.8.5.4. A pintura enviada deverá ser, obrigatoriamente, de um aluno regularmente matriculado em
uma escola da rede estadual de ensino.
12.8.5.5. A veracidade da autoria é de responsabilidade do mesmo. O não cumprimento deste
requisito desclassificará automaticamente o participante.
12.8.5.6. As telas deverão ter dimensões de no mínimo 40cm x 60cm e máximo de 50cm x 70cm, e
poderão ser apresentados na horizontal ou na vertical.
12.8.5.7. As telas deverão ser apresentadas sem restrição de material ou técnica utilizada (técnica
livre).
12.8.5.8. Serão desclassificados trabalhos plagiados em sua totalidade ou em partes.
12.8.5.9. A inclusão e a retirada dos quadros são de exclusiva responsabilidade dos (as)
concorrentes.
12.8.5.10. Não serão aceitas telas que já tenham sido publicadas, exibidas em público, premiadas
em outros concursos ou que tenham sofrido qualquer modificação ou montagem em relação à
pintura original.
12.8.5.11. Em caso de empate na contagem final, será utilizado o seguinte critério, conforme ordem
abaixo relacionada:
I. Maior pontuação no critério COMPOSIÇÃO
II. Maior pontuação no critério CRIATIVIDADE E ORIGINALIDADE
III. Maior pontuação no critério EXCELÊNCIA TÉCNICA

12.8.6. Educação Ambiental Artística-cultural
Este ano, assim como será adotado no I Ceará Científico, os critérios utilizados para a modalidade
Educação Ambiental Artística-cultural serão similares ao utilizados nos trabalhos da Categoria
Científica, tendo em vista que as apresentações devem fazer parte de um algum projeto já
desenvolvido na escola fazendo uso do método científico. Os projetos terão um tempo mínimo de 05

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

(cinco) minutos e um máximo de 10 (dez) minutos para se apresentarem
Critérios de Avaliação Pontuação
a) Criatividade e inovação 15%
b) Conhecimento científico do problema abordado 15%
c) Metodologia científica 20%
d) Ação educativa 20%
e) Ação Curricular 15%
f) Caderno de Campo 15%
12.8.6.1. Criatividade e Inovação (15%)
Neste processo de análise, criatividade é compreendida como o ato de pensar. Significa a
necessidade de criar caminhos ou estratégias diferentes ao habituais meios para atingir
determinados objetivos. Já inovação, é trazer novidades, ou seja, implementação de algo novo, ou
significativamente aprimorado, produto, bem ou serviço, processo de trabalho ou prática de
relacionamento entre pessoas, grupos ou organizações como uma contribuição social. A inovação,
geralmente, é o resultado da recriação de algo.

12.8.6.2. Conhecimento científico do problema abordado (15%)
O conhecimento científico promove o raciocínio argumentativo que é extremamente relevante para o
conhecimento das ciências. De posse do conhecimento científico, o educando poderá construir
modelos, desenvolver explicações do mundo físico e natural e ser capaz de interagir com eles.
Precisa demonstrar que aprenderam significativamente os conceitos implicados associados ao
trabalho defendido, e que desenvolveram a capacidade de responder questionamentos sobre o seu
trabalho de posse dos conhecimentos científicos.

12.8.6.3. Metodologia Científica (20%)
Os educandos precisam ser capazes de explicar como procederam as suas investigações; que
instrumentos eles utilizaram para coletar dados; quais as fontes que eles pesquisaram, como eles
tiveram acesso a tais fontes, bem como em que período desenvolveram suas pesquisas. Todas
estas explicações devem ter como fundamento os conhecimentos científicos adquiridos.

12.8.6.4. Ação Educativa (20%)
Ações que promovam mudanças de atitudes e de comportamentos da comunidade escolar e
comunidade local quanto à gestão escolar, currículo e espaço físico que promovam a consolidação
das Escolas como Espaço Educador Sustentável.

12.8.6.5. Ação Curricular (15%)
As ações e projetos devem promover a integração curricular das disciplinas, enaltecendo a
transdisciplinaridade e interdisciplinaridade do tema abordado, fortalecendo a interface da Educação
Ambiental com o cotidiano escolar, de forma permanente ao longo do ano letivo.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

12.8.6.6 Caderno de Campo (15%)
12.8.6.6.1. Neste documento, o(s) alunos(s) deve(m) ter registrado as etapas, que realizou para
desenvolver o projeto, relatando todos os fatos e as datas respectivas.
12.8.6.6.2. Caso seja continuação de projeto, o Caderno de Campo deve abranger o período, relativo
a todo o desenvolvimento do projeto.
12.8.5.6.3. O caderno não deverá ser digitado, apenas manuscrito, mas caso tenha sido feito a sua
digitação ou a sua cópia, é obrigatória a apresentação do caderno de campo original.
12.8.6.6.4. O Caderno deverá conter:
a) Registro detalhado e preciso dos fatos, dos passos, das descobertas, das novas
indagações;
b) Registro do(s) estudante(s) e professor(es) orientador(es) envolvidos em cada
etapa/ação do projeto;
c) Poderá incluir fotos, gravuras, figuras e desenhos;
d) Registro das datas e locais das investigações;
e) Registro dos testes e resultados;
f) Entrevistas e consultas às pessoas fontes;
g) Referências bibliográficas.

ATENÇÃO!
Recomendamos que o Caderno de Campo/Pesquisa tenha a assinatura cotidiana do orientador,
sendo numerado e datado para demonstrar a originalidade e a rotina de encontro e de
desenvolvimento do projeto/pesquisa.

13. PREMIAÇÃO DOS PROJETOS CIENTÍFICOS E CULTURAIS
13.1. Todos os projetos selecionados para a IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V
MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL receberão certificados emitidos pela SEFOR,
através da Célula de Formação, Programas e Projetos.
13.2. Os projetos classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares, em cada categoria,
receberão premiação (medalhas e placas de homenagem).
13.3. Os casos omissos sobre avaliação, julgamento e classificação serão resolvidos pela Comissão
Organizadora da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V MOSTRA REGIONAL DE
EDUCAÇÃO AMBIENTAL.
13.5. A Solenidade de Premiação da categoria CIENTÍFICA e CULTURAL ocorrerá no último dia da
IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO
AMBIENTAL.

14. DA QUALIFICAÇÃO PARA O I CEARÁ CIENTÍFICO
14.1. Serão qualificados para participarem do I CEARÁ CIENTÍFICO os 03 (três) primeiros colocados
de cada área da categoria científica e os três primeiros colocados da modalidade Educação
Ambiental Artística-cultural da categoria cultural, classificados em ordem decrescente de acordo com
a média final, totalizando 24 (vinte e quatro) trabalhos (QUADRO V).

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

14.2. Período de realização do I CEARÁ CIENTÍFICO: 07 a 09 de dezembro de 2016 em local a ser
divulgado posteriormente.

QUADRO V – Quantidade de Projetos Classificados para participarem do I Ceará Científico
Categoria Área ou Modalidade QUANTIDADE

Linguagens 03
Ciências da Natureza 03
Ciências Humanas 03
Científica Matemática 03
Robótica Educacional 03
Pesquisa Júnior – Ensino Fundamental 03
Educação Ambiental Científica 03
Cultural Educação Ambiental Artística-cultural 03
Total de Trabalhos Qualificados da SEFOR ou SME 24

15. REGRAS DE SEGURANÇA
15.1. Serão proibidas as exposições dos seguintes itens:
a) Organismos vivos (ex: plantas, animais, microbiota de qualquer espécie etc.);
b) Espécimes (ou partes) dissecados;
c) Meios de cultura in vitro de qualquer espécie, mesmo que lacrados;
d) Animais vertebrados ou invertebrados preservados (inclusive embriões);
e) Órgãos ou membros de animais/humanos ou seus fluidos (sangue, urina, etc.), exceto: dentes,
cabelos, unhas, ossos secos de animais, cortes histológicos dissecados e lâminas de tecido úmido
quando completamente lacrado;
f) Gelo seco ou outros sólidos sublimáveis;
g) Comida humana ou animal;
g) Produtos químicos e/ou combustíveis
i) Substâncias tóxicas ou de uso controlado;
j) Colocação em marcha de motores de combustão interna;
k) Materiais perfurocortantes, ou materiais de qualquer natureza que possam provocar ferimentos;
l) Fotografias ou quaisquer outras formas de apresentação visual de técnicas cirúrgicas, dissecação,
necropsia ou outras técnicas de laboratório;
m) Quaisquer outras formas de apresentação visual que seja ofensivo ao direito e à dignidade
humana;
n) Aparelhos de áudio que não façam parte do Projeto ou que atrapalhem as apresentações dos
expositores circunvizinhos.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

15.2. O descumprimento das regras de segurança acarretará em penalidade a ser julgada pela
Comissão Organizadora da IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de
Educação Ambiental.

16. DAS PENALIDADES
16.1. A não observância das normas estabelecidas neste regulamento implicará prejuízos na
avaliação dos projetos inscritos.
16.2. Atos de indisciplina, por parte dos expositores, serão encaminhados à Comissão Coordenadora
da IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de Educação Ambiental e estarão
sujeitos à perda de pontos ou à desclassificação.
16.3. Casos especiais serão analisados pela Comissão Organizadora da IX Feira de Ciências e
Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de Educação Ambiental.
16.4. A falta de organização dos estandes implicará sobre a avaliação realizada pela Banca
Avaliadora. Esta análise será feita durante a realização da Feira e ao final de cada dia, pelos
organizadores da mesma, implicando numa penalidade de 10 (dez) pontos por dia.
16.5. Os projetos/trabalhos penalizados serão notificados por escrito, sendo o professor orientador a
pessoa para quem este documento será direcionado.
16.6. Em caso de atos de vandalismo por parte dos alunos expositores, orientadores ou
participantes, a escola responsável será imediatamente desclassificada e arcará com os prejuízos
causados.
16.7. Prêmios e/ou medalhas que tenham sido conquistados pela escola não deverão fazer parte da
exposição sob pena de desclassificação do trabalho.

17. DA DOCUMENTAÇÃO
17.1. Os documentos, informações e resumos necessários à inscrição on-line não precisam ser
enviados à Célula de Formação, Projetos e Programas (CEFOP).
17.2. O Termo de Responsabilidade deve ser preenchido e ficar de posse de seus representantes
legais que os acompanharão durante a IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra
Regional de Educação Ambiental (nesse caso, os professores). Deve-se entregar uma cópia desse
documento no ato do credenciamento, ou seja, no dia do evento, à comissão organizadora.

18. RESPONSABILIDADES
18.1. A Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza – através da Célula de Formação,
Programas e Projetos – CEFOP, será responsável pela organização e execução da IX Feira de
Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra Regional de Educação Ambiental e pela premiação dos
três primeiros colocados em cada categoria especificada neste edital.
18.2. É de inteira responsabilidade da escola o transporte dos participantes, bem como
equipamentos, para o local do evento, a montagem e a desmontagem do material necessário para
as exposições ou apresentações durante a IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V Mostra
Regional de Educação Ambiental.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

19. COMISSÃO ORGANIZADORA DA IX FEIRA DE CIÊNCIA E CULTURA DA SEFOR
19.1. Orientador da Célula de Formação, Programas e Projetos (CEFOP)
Otávio Vieira Sobreira Júnior

19.2. Assistente Técnica da Célula de Formação, Programas e Projetos (CEFOP)
Viviana Cavalcante Pinheiro de Lima

19.3. Professores e Técnicos Educacionais da Célula de Formação, Programas e Projetos (CEFOP)
Francisco das Chagas Silveira Filho
Francisca Hisllya Bandeira Cavalcante
Karla Barreto Silva Araujo
Rosaura Ribeiro e Silva Bessa
Rosilene Aires

20. CONTATO DA CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS – CEFOP
Centro de Treinamento Professor Antônio de Albuquerque Sousa Filho
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz
E-mail: cefop@ct.seduc.ce.gov.br / cefopsefor@gmail.com
Telefones: (85) 3101.2061 / (85) 3218.1213
Horário de Atendimento: Segunda à Sexta-feira de 8 às 12 horas e de 13 às 17 horas.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

ANEXO I

IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR

MODELO DE RESUMO DE UM PROJETO CIENTÍFICO

Título: A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO CIENTIFICA NO COTIDIANO ESCOLAR
Autores
Maria da Esperança1
Joaquina do Saber1
Pedro do Conhecimento2
1 Alunos da E.E.F.M do Desenvolvimento Científico
2 Professor de Filosofia da E.E.F.M do Desenvolvimento Científico

CONTEXTUALIZAÇÃO:
Um dos grandes problemas encontrados no sistema educacional brasileiro é a produção de
conhecimento (DEMO, 1996). Apesar dos avanços, ainda observam-se muitos professores como
meros transmissores e alunos somente espectadores de conhecimentos. Compreende-se que
produzir conhecimento não é necessário apenas para a base teórica, mas principalmente uma
educação metodológica interdisciplinar que coloque o estudante em condições de identificar e propor
soluções aos problemas de seu cotidiano (DEMO, 2009). Neste contexto, gera-se o seguinte
questionamento: Como o estímulo à pesquisa na educação básica pode melhorar os indicadores
escolares?

OBJETIVO GERAL:
Apresentar a experiência pedagógica na utilização da pesquisa no cotidiano escolar.

OBJETIVO ESPECÍFICO:
Dinamizar e (re)significar o currículo escolar;
Desenvolver o protagonismo docente e discente na escola;
Melhorar os indicadores internos e externos de aprendizagem.

METODOLOGIA:
Estabeleceu-se como área de estudo a E.E.F.M do Desenvolvimento Científico. A pesquisa ocorreu
com os alunos das três turmas de 3ª ano existentes na instituição. Foram selecionados 45
participantes, 15 de cada uma das turmas, estes alunos realizaram um curso de iniciação científica
com 30 horas-aula, ministrados pelos autores do projeto e por professores de outras instituições e,
posteriormente, deveriam ser multiplicadores nas células de aprendizagens em educação científica,
criadas para os demais estudantes e professores. Estimulou-se a produção de projetos e artigos
científicos. Estabeleceram-se encontros de discussões sobre as metodologias dos projetos, onde os
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

integrantes e os autores podiam apresentar a metodologia e os seus resultados. Realizou-se um
questionário com os todos os participantes a fim de avaliar os benefícios da ação. Também foi
analisado o rendimento escolar dos estudantes envolvidos antes e depois do desenvolvimento do
projeto.

RELEVÂNCIA DA PESQUISA/PROJETO:
O processo de educação científica possibilita a autonomia dos estudantes através da ciência,
induzindo o ato reflexivo e investigativo através do uso do método científico. Novas técnicas de
pesquisa e de levantamento de dados foram apreendidas pelos estudantes, os quais passaram a
aproveitar mais o tempo de aula, além de interagirem com mais frequência. Todos os encontros do
projeto acabavam em fervorosos debates que geravam aprendizado.

IMPACTO DA PESQUISA/PROJETO:
O projeto promoveu a mudança de comportamento de toda a comunidade escolar na construção e
no desenvolvimento dos projetos científicos, as aulas se tornaram mais dinâmicas e os professores
da unidade escolar foram convidados, pelos estudantes, para colaborarem na orientação das
pesquisas e projetos criados. Houve a redução na infrequência, aumentando em 30% o rendimento
escolar nas avaliações internas e houve a importante marca de 95% de inscrição no ENEM. Também
podemos relatar como impacto positivo a realização da feira escolar, onde tivemos 60 projetos
apresentados nos moldes do rigor científico que a SEDUC promove na sua Feira Estadual de
Ciência e Cultura.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
O incentivo à educação científica proporcionou aos jovens participantes da ação diversas
oportunidades, entre elas a formação de ser pensante e gerador de conhecimento. Os projetos
produzidos foram apresentados em eventos científicos. Na avaliação realizada, todos os integrantes
confirmaram sua melhoria nas disciplinas da grade curricular e a escola melhorou os seus
indicadores de aprendizagem e de permanência. Percebe-se a mudança significativa dos
estudantes, que agora conseguem ter autonomia na busca de conhecimento e criarem suas
oportunidades no mundo do trabalho. O trabalho continua e novos avanços devem ser alcançados.

REFERÊNCIAS
CARVALHO, A.M.P (org.). Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Pioneira
Thomson Learning, 2004.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 1996.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa. Brasília: Universidade de Brasília, 1999.

Palavras-chave: Ensino, pesquisa e educação científica.
E-mail para contato: pedro@conhecimento.científico.br

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

ANEXO II

IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR

TERMO DE RESPONSABILIDADE E USO DE IMAGEM
(ALUNO MENOR DE IDADE)

Eu, _______________________________________________________________, portador do CPF
____________________, RG __________________________, responsável legal pelo(a) aluno(a)
______________________________________________________, matrícula SIGE Nº __________
da Escola ______________________________________________, AUTORIZO sua participação na
IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO
AMBIENTAL DA SEFOR, bem como o uso de sua imagem em veículos de comunicação,
respeitando a ética e a conduta da Secretaria de Educação do Estado do Ceará.
Declaro ainda estar ciente das atividades previstas neste evento educacional e que meu (minha)
_____________________ terá que se dedicar exclusivamente à apresentação do seu trabalho sob a
responsabilidade do(a) professor(a) Orientador(a) ________________________________________
durante a participação do evento, respeitando as normas e critérios de segurança e conduta prevista
no Edital da IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR e V MOSTRA REGIONAL DE
EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR.
_________________ , ______ de ____________ de 2015

__________________________________________
Assinatura do(a) Responsável Legal pelo Aluno

__________________________________________
Assinatura do Professor(a) Orientador(a)

__________________________________________
Assinatura do(a) Diretor(a) da Escola
_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

ANEXO III

IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR

TERMO DE AUTORIZAÇÃO DE USO DE IMAGEM
(PROFESSOR E ALUNO MAIOR DE IDADE)

Eu, _______________________________________________________________, portador do CPF
____________________, RG __________________________, autorizo a Secretaria da Educação
do Estado do Ceará (SEDUC), estabelecida na Av. Gen. Afonso Albuquerque Lima, s/n, Cambeba –
Fortaleza-CE, inscrita no CNPJ sob nº 07954514/0001-25, o uso da minha imagem em publicidade,
por meio de peças gráficas, mídia impressa, mídia interior e exterior, matéria jornalística e site
(internet), em todo território nacional, até 31/12/2019. Tenho ciência que esta autorização está sendo
realizada em caráter gratuito, nada tendo a receber ou recorrer.

_________________ , ______ de ____________ de 2016

__________________________________________
Assinatura

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

ANEXO IV

IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR

ORIENTAÇÕES DE COMO FAZER UM BANNER/PROJETO CIENTÍFICO

1. Função do Banner
Sintetizar informações e dados relevantes da pesquisa. É a primeira impressão que o
visitante/avaliador terá da sua pesquisa/projeto. Neste sentido, deve ser atraente, mas não poluído,
deve conter informações que levem o leitor a saber do que se trata, mas não deve esgotar o
assunto, pois deve deixar um desejo de querer saber mais que a apresentação oral suprirá.

2. Formato Gráfico
2.1. Tamanho do banner: 0,90m de largura por 1,20m de altura (0,90m x 1,20m).
2.2. Tamanho da fonte e espaçamento entre linhas: (legível a uma distância de pelo menos 1m –
dependerá da quantidade de informação contida; no banner).
Tamanho recomendado de fonte para título: 40.
Tamanho recomendado de fonte para texto: 26.
Tamanho recomendado de fonte para gráficos, tabelas, fotos, figuras etc: 14 a 16.
Tamanho recomendado de fonte para contato: 14 a 16.
2.3. Cor da fonte (Que se destaque da cor definida no plano de fundo do banner).
2.4. Alinhamentos: justificado.
2.5. Margens: (esquerda 3,0 cm / direita, superior e inferior 2,5 cm.).

3. Estrutura do Banner e/ou do Resumo da Pesquisa/Projeto
3.1. Título
Deve ser sintético e refletir a essência do trabalho, ou seja, o objeto de pesquisa.
Deve ser centralizado.
3.2. Autores e Orientador(a)
Citados por extenso.
Deve ser centralizado.
3.3. Contextualização
A formulação do contexto/problema é a delimitação da pesquisa. Neste item é indicado qual a
dificuldade (problema) que se pretende resolver ou responder. É a apresentação da ideia central do
trabalho. É um desenvolvimento da definição clara e exata do assunto (problema) a ser desenvolvido
(resolvido). É onde o autor deve contextualizar, de forma sucinta, o tema de sua pesquisa.
Contextualizar significa abordar o tema de forma a identificar a situação ou o contexto no qual o
problema a seguir será inserido. Essa é uma forma de introduzir o leitor no tema em que se encontra
o problema, permitindo uma visualização situacional da questão (OLIVEIRA, 2002, p. 169).

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

3.4. Objetivo Geral
É o sentido mais amplo que constitui a ação que conduzirá ao tratamento da questão abordada no
problema da pesquisa/projeto.
3.5. Objetivo Específico
Detalhada, as ações que se pretende alcançar e estabelecer estreita relação com as particularidades
relativas à temática trabalhada.
3.6. Metodologia
Apresenta os procedimentos de coletas e análise dos dados. Síntese da metodologia (análise do
discurso, análise de conteúdo etc.) e dos procedimentos metodológicos (pesquisa em periódicos,
observação, entrevista, etc.) adotados pelo pesquisador.
3.7. Relevância da Pesquisa/Projeto
Revela a importância do problema ou tema estudado especificando a sua principal relevância social
e/ou acadêmica.
3.8. Impacto da Pesquisa/Projeto
Explicita o impacto da pesquisa/projeto para o ensino e para o aprendizado ou para a
comunidade/sociedade. Também pode ser impacto a mudança de concepção e de postura.
3.9. Considerações Finais
Breve resgate das hipóteses/objetivos, relacionando-os aos resultados de maior destaque, e
indicação de perspectivas para abordagem do tema. Confirma ou refuta as(os) hipóteses/objetivos
do trabalho. Deverá apresentar deduções lógicas e correspondentes aos(às) objetivos/hipóteses
propostos, ressaltando o alcance e as consequências de suas contribuições, bem como seu possível
mérito. Resumidamente, trata-se da indicação dos resultados alcançados, com breve análise de
como eles foram obtidos e quais as suas implicações.
3.10. Referências
Indicação da bibliografia, dos periódicos e de demais fontes efetivamente utilizadas pelo autor
conforme normas da ABNT. Citar as três fontes mais importantes.
3.11. Contatos dos participantes do projeto.
E-mail para contatos posteriores.

ATENÇÃO!
Sobre a colocação de Gráficos, Tabelas, Fotos e Figuras
Quando houver fotos, essas devem ser ampliadas, preferencialmente em cores, com boa resolução,
contendo legenda e fonte abaixo das mesmas. Tabelas e Figuras, também devem ser ampliadas,
com boa qualidade de impressão, contendo fonte e legenda explicativas.
Recomenda-se mesclar texto, gráficos e figuras. Não esqueçam! 65% do Banner deve ser
composto por Gráficos, Tabelas, Fotos, Figuras etc.

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

ANEXO V

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÕES DA CATEGORIA CULTURAL
(Apenas para as Modalidades: Dança Tradicional Brasileira, Interpretação Musical, Interpretação de
Poema de Autoria Discente, Esquete Teatral ou Pintura em Tela)

CREDE/SEFOR (SEFOR 1, SEFOR 2 ou SEFOR 3)

Escola

Professor Orientador

Modalidade (Dança Tradicional Brasileira, Interpretação Musical, Interpretação de Poema de
Autoria Discente, Esquete Teatral ou Pintura em Tela)

Nome Completo e Número de Matrícula (SIGE) dos Estudantes Participantes

Título do Trabalho

Link do Vídeo no Youtube (Vídeo de 3 a 10 Minutos)

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

Descrição do Projeto com seus Objetivos (Até 500 palavras)

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213
Superintendência das Escolas Estaduais de Fortaleza
CÉLULA DE FORMAÇÃO, PROGRAMAS E PROJETOS

ANEXO VI

IX FEIRA DE CIÊNCIAS E CULTURA DA SEFOR
V MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SEFOR

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

Evento / Atividade Datas
Abertura das Inscrições 11 de outubro de 2016
Encerramento das Inscrições 28 de outubro de 2016
Divulgação da Lista de Selecionados 18 de novembro de 2016
Realização da IX Feira de Ciências e Cultura da SEFOR e V
24 e 25 de novembro de 2016
Mostra Regional de Educação Ambiental da SEFOR
Premiação dos Trabalhos 25 de novembro de 2016
Divulgação dos Trabalhos Classificados para o I Ceará
25 de novembro de 2016
Científico
Realização do I Ceará Científico 07 e 09 de dezembro de 2016

_______________________________________________________________________________________
CENTRO DE TREINAMENTO PROFESSOR ANTÔNIO DE ALBUQUERQUE SOUSA FILHO
Rua Adolfo Moreira de Carvalho, S/N, Bairro Edson Queiroz, Fortaleza-CE
Telefones 3101.2061 / 3218.1213