You are on page 1of 15

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

DAMEC - DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ENGENHARIA MECÂNICA

CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

ACIDENTES DE TRÂNSITO

DISCIPLINA MÁQUINAS TÉRMICAS 1

MARCELO MIGUEL TIBES PELUSO

Pato Branco

2015

40. falta de manutenção do veículo. perdas materiais. Inevitável. Uma das maiores causas dos acidentes chama-se condutor de veículo. porquanto a esse são impingidos aspectos relacionados com a morte. Os países em desenvolvimento provocam 400 vezes mais mortes que o terrorismo. Acidentes de trânsitos RESUMO Acidente de trânsito. ou seja. Pelo menos 1. o homem e/ou animais e para caracterizar-se. muitas vezes de difícil superação. Na atualidade. com a incapacitação física. sono. 75% dos acidentes foram causados por falha humana (condutor). O acidente de trânsito é uma ocorrência que afeta diretamente o cidadão.610 pessoas em acidentes. ele ocorre. falta de fiscalização. é o fato de que os acidentes ocorrem. 6% por deficiências das vias e 7% por causas diversas. em sua maioria. é necessário a presença de dois desses fatores. direta ou indiretamente. Existem dois tipos de acidentes: o evitável e o não evitável. 12% por problemas nos veículos.5% dos acidentes com vítima fatal. por 93% dos acidentes. é responsável. morre por ano vítima desse mal. ACIDENTES DE TRÂNSITO Acidente de trânsito é todo evento danoso que envolva o veículo.3% do número de veículos da frota mundial. fadiga. cansaço. apesar do condutor fazer tudo para evitar o acidente. O número de acidentes de trânsito no Brasil é alarmante. o grande mal que pode ser evitado no mundo segundo a OMS. podemos dizer que o homem. registrados em todo mundo.2 milhões de pessoas perdem a vida todos os anos nas rodovias e estradas mundo a fora. animais e outros fatores. podendo provocar sérios comprometimentos de cunho psicológico. Evitável é em que o condutor deixou de fazer tudo o que razoavelmente poderia ter feito para evitar o acidente. Entre as diversas causas podemos citar: falta de conservação e sinalização das vias. no mínimo. Matam quatro vezes mais que as guerras e os conflitos. História: . mas é responsável por 5. Estatisticamente. é aquele em que. a via. os acidentes de trânsito são a maior causa de morte entre as pessoas de 10 a 24 anos. o Brasil participa com apenas 3. O que nos deixa em uma situação bastante triste. por falhas humanas. Segundo as estatísticas. principalmente nos finais de semana prolongado e durante as férias escolares quando aumenta o número de motoristas inexperientes nas rodovias.

que transportava quatro pessoas e tinha velocidade máxima de 3. . Tudo indica que o primeiro acidente foi em 1771. Mary Ward que é representada na figura 2 e seu marido ganharam uma carona de seus primos. com o automóvel inventado pelo francês Nicholas Cugnot. bateu em um muro de concreto. que acabou passando por cima dela. o próprio Cugnot perdeu o controle da direção ao tentar fazer uma curva. e por não ter freio. o veículo estava aproximadamente a 6km/h e Mary foi arremessada para o lado de fora do veículo. conhecida como fardier á vapeur. no dia 31 de agosto de 1869. surgiu a necessidade da organização desse tipo de trânsito. não houve vítimas. Figura-2 Mary Ward Reprodução/Gazetaidea Leis de trânsito Com o crescimento do número de automóveis colocados nas mãos do povo. no caso do acidente. foi criada uma regulamentação de sinais. morrendo com uma fratura no pescoço. cuja é mostrada na figura 1. sendo muito instável. e em determinado momento da viajem. por causa da péssima distribuição de peso. A caldeira ficava a frente da máquina. Figura-1 Automóvel inventado por Cugnot/ 1771 O primeiro acidente de trânsito fatal da história aconteceu na Irlanda.6 km/h.

Além de limitar em dez quilômetros por hora a velocidade máxima. já criando uma taxa. O sinal de três cores que temos hoje foi inventado e instalado pelo policial William Potts. As resoluções do Contran e as portarias do Denatran que tratam de assuntos específicos da relação do cidadão com o Sistema Nacional de Trânsito. na sua cidade. foi o Decreto-Lei nº 3. Em 2014 uma lei Federal 12. foi promulgada em 1836. Sr. Determinadas multas ficarão mais caras. No Brasil O primeiro Código de Trânsito do Brasil. Pedro II. contemporânea a D. na sua rua.503 de 23 de setembro de 1997. hoje. o Código de Trânsito Brasileiro instituído pela Lei nº 9. lei da Bandeira Vermelha No Brasil.671 de 25 de setembro de 1941. cuja é mostrada na figura 3. que seria afixada na parte traseira. depois veio a Lei n º 5. em 1920. Tudo esse dinheiro que mexe com o bolso dos motoristas. Figura 3. E. em Detroit. Mais rigor também no caso de cometimento de crimes de trânsito. seja a expressão da maturidade e autoestima de um povo que zela pela segurança individual e coletiva como valor fundamental a ser reafirmado a cada ato da mobilidade e da cidadania. na Inglaterra. Em 1903. Em 1900. o então prefeito da Cidade de São Paulo. a prefeitura tornou obrigatória a inspeção de veículos. tudo isso para se conseguir um trânsito mais seguro.108 de 21 de setembro de 1966. A primeira lei de trânsito chamava-se Lei da Bandeira Vermelha. a no mínimo 60 metros de distância.fiscalização e punição. serve também para diminuir os números de acidentes. instituiu leis regulamentando o uso do automóvel na cidade. destina-se a ser um instrumento de consulta frequente por todos que se empenham para que o trânsito no seu país.971/2014 promoveu alterações no Código de Transito para coibir impunidade no trânsito. encontra-se em vigor. Antônio Prado. a Lei mais antiga que se conhece é de 1853. obrigava a que o carro fosse precedido por um homem portando uma bandeira vermelha para alertar os pedestres. Estatísticas nacionais de acidentes . para fornecer uma placa de identificação.

a curva "DPVAT" representa o número de indenizações pagas cada ano. O gráfico mostra que. Gráfico 1 Neste gráfico. indenizados pelo DPVAT. O gráfico 2 abaixo mostra a evolução. de dois indicadores referentes aos feridos que sofreram lesões graves: Gráfico 2 A curva "DATASUS" representa o número de pessoas que foram internadas em hospital em decorrência de acidentes de trânsito. de 2002 a 2014. no período 2002-2013.O gráfico 1 abaixo mostram a evolução do número de óbitos registrados pelo Ministério da Saúde de 2003 a 2013. de 37%.7% no último ano. pois certos processos de indenização podem levar vários anos. a diferença foi. Ao contrário. . Entre 2002 e 2013. o número de mortos no trânsito. foi superior ao número registrado no âmbito do Sistema Único de Saúde. com diminuição de 5. Isto não corresponde ao número de óbitos ocorridos no ano. em média. a curva "DATASUS" representa o número de óbitos registrados pelo Ministério da Saúde cada ano.

Índia e Nigéria. Apresenta. de qualquer modo.200 indenizações por morte e 596. 52. Uma análise comparativa mais detalhada seria necessária. que é responsável pela maior frota de veículos do grupo e do mundo.000 feridos hospitalizados em 2014) e o Seguro DPVAT (em 2014. Isto não corresponde ao número de lesões ocorridas no ano. Estes dois indicadores têm a ver com a gravidade das lesões. É possível notar que essas mortes também estão intimamente conectadas ao IDH (índice de desenvolvimento humano). ficando somente atrás da China. o menor número de mortes por 100 mil pessoas (11. a longevidade e a renda per capita. Dentre os 10 países mais violentos do planeta não aparece nenhum do grupo do capitalismo evoluído e distributivo. porém os valores dos últimos anos são tão diferentes que não é possível tirar deles. uma avaliação do número de feridos graves. com exceção dos Estados Unidos. que. Ministério da Saúde (42. diretamente. tem por base a educação. pois certos processos de indenização podem levar vários anos.A curva "DPVAT" representa o número de pessoas que foram indenizadas por invalidez permanente cada ano. contra 22 do Brasil).000 por invalidez). A grande diferença entre as ordens de grandeza dos números de indenizações antes e depois 2007 pode se dever a uma maior facilidade de acesso ao seguro a partir daquele ano.4. Vejamos: Gráfico 3 .266 óbitos em 2013 e 201. por sua vez. Mortes no Trânsito Brasil é o 4º do mundo com maior número de mortes.

pessoas do sexo masculino se envolvem em acidentes com mais frequência. No gráfico 6. podemos identificar os dias da semana em que acontece mais acidentes. representa a divisão por sexo dos acidentes. percebemos que o horário critico que dá mais acidentes em média é entre 18h e 19h. No gráfico 4. devido a diversos fatores. Gráfico 4 . como vemos é mais frequente acontecer nos finais de semana. analisando o gráfico. representa o número de acidentes por hora da ocorrência. como podemos perceber. Seguem abaixo 3 gráficos com dados relacionados a acidentes de transito. dia de trabalho. No gráfico 5. um deles é o fator álcool. devido a muitos fatores. nervosismo. como transito.

Gráfico 5 Gráfico 6 .

029 mortes por mês. de 9. Sendo assim. no entanto. a Polícia Rodoviária Federal. A cada 4 minutos uma criança perde a vida no trânsito no mundo. como o endurecimento da legislação. Em 2013. registrou queda de 8. Com o aumento da frota assim como do fluxo viário. Esta mesma faixa etária representa 24% da população brasileira. Especialistas atribuem essa redução a diversas frentes de ação. as campanhas educativas. como câmeras de vídeo monitoramento e radares modernos. . os acidentes e mortes podem ter incremento. ocorreram 157 mortes nesse período. de acordo com o Instituto Avante Brasil. Na comparação com o ano anterior. Reportagens sobre acidentes de transito: a) Trânsito seguro: estatísticas mostram queda no número de acidentes e mortes em 2015 O trânsito inicia o ano com números otimistas.349. Os dados mais recentes são de 2014. foi feito com base nos números de 2010 de todos os países). Em relação a 2010. atualizado em 2011.3% no número de acidentes nas estradas federais. chegou a 43. sobretudo quanto à redução de mortes e acidentes. o número de mortes no trânsito estimado é de 48.2% no número de feridos e de 15.844 mortes no trânsito do Brasil. país considerado em desenvolvimento segundo os critérios da Organização. em 10 anos Dado reforça a necessidade dos sistemas de retenção (tipo cadeirinhas) que reduzem em cerca de 70% probabilidade de lesões fatais em bebês. No Brasil. o aumento da fiscalização e o investimento em tecnologia. Mas ainda não é possível comemorar plenamente porque é alto o índice de problemas nas vias provocados por mau comportamento humano. Em 2014. por exemplo. só nas estradas federais. estima-se que ocorram 4.694 mortes de pessoas entre 0 e 14 anos – o que representa 4% de todas as mortes no trânsito no país (dados do Ministério da Saúde). Esse número. a queda é ainda maior: 29% a menos no número de mortos.4% nas mortes. uma a cada 10 minutos. este ano. 132 mortes por dia e 6 mortes por hora. ou seja. foram registradas 42. no ano de 2013 foram 1. Com a chegada do Carnaval esse número pode ser ainda maior. Segundo o Datasus. b) Estatísticas divulgadas recentemente mostram queda considerável no número de acidentes e mortos no trânsito. Este é o dado divulgado pela Organização Mundial da Saúde no documento “Dez estratégicas para a segurança de crianças no trânsito”. em 2010. C ) Mortes no trânsito na faixa de 0 a 4 anos cresceram 22% no Brasil.256 mortes (o ranking.

noite).)  Falta de cortesia e educação no transito  Não obediência das normas de circulação e conduta  Falta de conhecimento e obediência das leis de transito  Impunidade dos infratores  Sonolência. são várias. rebite) Exemplo de defeito nas vias Exemplo de defeito nas vias . neblina.as causas dos acidentes de trânsito.  Falta de atenção  Defeito nas vias  Falta de manutenção adequada dos veículos  Distração interna do condutor(radio.Causas. falta de descanso. drogas(remédios. mas a que mais está em alta é a imprudência dos motoristas: segue as listas dos erros mais comuns dos motoristas. cerração. celular.  Imprudência dos condutores  Excesso de velocidade  Desrespeito á sinalização  Ingestão de bebidas alcoolicas  Ultrapassagens indevidas  Má visibilidade(chuva.

entre os motoristas Caso típico de imprudência dos motoristas Caso típico de imprudência dos motoristas 25 DE SETEMBRO — DIA DO TRÂNSITO . causa estresse.Exemplo de congestionamento. impaciência.

essa campanha é desenvolvida na Semana Nacional de Conscientização no Trânsito. quando também se costuma organizar a Semana Nacional do Trânsito a fim de melhor conscientizar os motoristas. Figura 4 Segue abaixo algumas campanhas de conscientização no trânsito. . Geralmente. baldes de gelo para cervejas que são feitos com o que restou de carros que sofreram perda total. foram distribuídos pela Capital. as campanhas de conscientização no transito passam a ser necessárias. e não mais preventivas. O objetivo era estabelecer uma campanha intensificada de conscientização das pessoas sobre o seu comportamento utilizando veículos ou agindo como pedestres. o Detran criou o CrashBucket. A criação do Dia Nacional do Trânsito ocorreu a partir da criação do Código Nacional de Trânsito em 1997. Detran do Paraná cria campanha criativa contra o habito de beber e dirigir: Para conscientizar sobre a importância de ser manter sóbrio quando for pegar o volante. elas podem ser feitas pelo governo. O Dia do Trânsito é comemorado sempre no dia 25 de setembro. chamando a atenção e tendo a finalidade de deixar o cliente ainda mais prudente quando beber. Campanhas e publicidade Os acidentes de trânsitos fazem parte de nosso dia a dia. por empresas particulares e associações não governamentais. Segue algumas propagandas que possuem o intuito de diminuir os acidentes e melhorar a harmonia do trânsito. Os baldes de cerveja que são vistos na figura 4. Curitiba.

Melhorias que devem ser feitas para diminuir o número de acidentes de trânsito .

conscientizando não só os motoristas como o trânsito em geral.  . precaução e prudência entre outras várias maneiras. Manter sempre uma distância segura.  . roupas claras e sinalizar com os braços quando for virar à direita ou esquerda. pois os motoqueiros costumam transitar nos “pontos cegos”. A seguir uma lista de pequenos cuidados que devemos ter diariamente:  . O uso do cinto de segurança para todos os passageiro é obrigatório. Precisamos de atenção e conscientização. Evitar cruzar entre os carros e sempre usar a faixa de pedestre.  . Não usar celular ao dirigir. mas acabamos nos esquecendo de colocar em prática regras básicas. Tomar cuidado em conversões à esquerda e à direita. Não falar ao celular ao atravessar ruas.Motoristas: Praticar a direção defensiva. fiscalização mais firme. afinal um pequeno descuido pode gerar um acidente.Ciclistas: não usar fone de ouvido. procurar usar sempre os equipamentos de segurança. . multas mais caras.Pedestres: atenção ao sinaleiro. Capacete é equipamento obrigatório de segurança.Motociclistas: cuidado com a velocidade. Conclusão Por meio de políticas públicas. Na maioria das vezes nós sabemos o que é preciso fazer. campanhas publicitarias. podemos diminuir os números de acidentes no cenária mundial.

ajudeafazerobemnotransito.transitobr.com.org.prf.br/pagina/direcao-defensiva.php?site=estaseguro http://www.com.pmpr.html http://www.viverseguronotransito.html http://www.dnit.br/modules/conteudo/conteudo.br/rodovias/operacoes-rodoviarias/estatisticas-de-acidentes http://g1.com/jornal-hoje/noticia/2015/06/acidente-de-transito-e-principal-causa-de-mortes-de-jovens- no-mundo.br/site/index.gov.vivoseudinheiro.br/acidentes-de-moto-foram-recordistas-em-indenizacoes-em-2014/ .Referências http://www.pr.br/noticia/campanha-alerta-jovens-motoristas-sobre-os-perigos-de-beber-e-dirigir http://www.br/index2.com.com.gov.onsv.php?id_conteudo=8 http://www.globo.br/tag/estatistica/ http://www.com.php?conteudo=172 http://revista.br/portal/noticias/nacionais/prf-balanco-de-atividades-2014 http://www.com/os_acidentes/estatisticas/estatisticas_nacionais http://www.com.gov.vias-seguras.pensecarros.itatiaia.br/noticias/mortes-no-transito-na-faixa-de-0-a-4-anos-cresceram-22-no-brasil-em-10- anos/ https://www.