You are on page 1of 89

Universidade Federal de Alagoas

Campus Arapiraca
Fisiologia Vegetal

FOTOSSÍNTESE

Unidade V

Fotossíntese
Taiz & Zeiger: Fisiologia Vegetal

Capítulo 7: Reações luminosas. pág 139 - 171
Capítulo 8: Reações de carboxilação. pág 173 - 198
Capítulo 9: Considerações Ecofisiológicas. 199 - 219

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS

Fotossíntese: “síntese utilizando a luz”

A energia luminosa dirige a síntese de carboidratos a
partir de dióxido de carbono e água

6CO2 + 6H2O C6H12O6 + 6O2

.

.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS Objetivo final: formação de ATP e NADPH Síntese e manutenção dos tecidos .

pois não armazenam os açúcares. poderiam ser consumidos nas horas sem iluminação. posteriormente. . que. as plantas morrem por deficiência nutricional. portanto. Ponto de compensação da luz (RFA)  As plantas não podem permanecer por muito tempo no ponto de compensação da luz ou abaixo dele.

Mesofilo: mais ativo dos tecidos fotossintetizantes Mesofilo possui cloroplastos Cloroplastos possui clorofila .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS As reações da fotossíntese ocorrem nas membranas internas dos cloroplastos Tilacóides As reações de fixação do carbono ocorrem no estroma dos cloroplastos .

.

Duas membranas externas Sistema de membrana interna (tilacóides conectados por canais) estroma canal (próximo slide) Parte do saco da membrana do tilacóide .

Luz solar O Lúmen do Tilacóide H+ H+ H2O H+ H+ e– H+ NADP+ NADPH ATP Estroma ADP + Pi H+ Reações independentes da luz CO2 P glicose H2O carboidratos e produtos (sacarose. amido. etc) . celulose.

.

Principais pigmentos Wavelength absorption (%) chlorophyll a chlorophyll b beta-carotene (carotenoide) Wavelengths absorbed (%) Comprimento de Onda (nm) ficoeritrina (ficobilina) Figure 7.6a Page 119 Comprimento de Onda (nm) .

.

.

.

.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS REAÇÕES FOTOQUÍMICAS .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS A LUZ: NATUREZA E CARACTERÍSTICAS A luz tem característica tanto de onda quanto de partícula Comprimento e frequência da onda Fóton .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS A LUZ SOLAR É UMA CHUVA DE FÓTONS DE DIFERENTES FREQUENCIAS .

.E. Experimento de T. que correspondeu as áreas iluminadas com radiação de maior energia e de maior efetividade para a fotossíntese. Englemann As bactérias se moveram para o local onde as células das algas liberaram mais oxigênio.

T.E. Englemann’s Experiment

Bacteria gathered mostly where violet and red
light fell on the green alga because
Photosynthesis was greatest in those locations

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS A clorofila absorve a luz e altera seu estado eletrônico CLOROFILA EM Fóton ESTADO DE MAIOR ENERGIA (EXCITADO) CLOROFILA .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS Verm – 660 nm Azul – 430 nm .energia + energético .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS No estado excitado a clorofila é instável e libera parte de sua energia ao meio como calor Estado basal Fóton Estado excitado Calor Estado de menor excitação Pouco tempo Processo de captação de energia deve ser rápido .

seja através da fluorescência ou na forma de calor. incluindo clorofilas. . liberan um fóton de luz.• Os elétrons excitados são instáveis. • Alguns pigmentos. liberando energia na forma de calor. • Geralmente. eles voltam em fração de segundo ( s) para seu estado original de maneira muito rápida.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS .

.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS No estado de menor excitação.Transferência de energia: sem emissão de fóton 4. a clorofila possui quatro alternativas de rotas para liberar a energia disponível 1.Calor: sem emissão e fóton 3.Fotoquímico: desencadeamento de reações .Fluorescência: emissão e fóton 2.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS Pigmentos: essenciais para a absorção de luz Os pigmentos: essenciais a absorção da luz solar .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS Pigmentos: essenciais para a absorção de luz .

coletando a luz e transferindo energia para o complexo dos centros de reações Qual a vantagem da presença de um complexo antena. FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS O COMPLEXO ANTENA E O CENTRO DE REAÇÃO Os pigmentos servem como complexo antena. associado a um centro de reação???? .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS O complexo antena e o centro de reação .

.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS OS FOTOSSISTEMAS As reações ocorrem em dois complexos fotoquímicos denominados Fotossistemas I (PSI) e Fotossistema II (PSII) PSI e PSII operam em série para realizar as reações de armazenamento de energia da fotossíntese .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS OS FOTOSSISTEMAS PSI absorve luz na faixa de vermelho distante – comprimento de onda acima de 680 nm PSII absorve luz na faixa do vermelho – comprimento de onda de até 680 nm .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS OS FOTOSSISTEMAS PSI produz um redutor forte. capaz de reduzir o NADP. capaz de oxidar a água e um redutor fraco Cada fotossistema tem seu próprio complexo antena e centro de reação . e um oxidante fraco PSII produz um oxidante forte.

.Fotossistema II – transporte de eletrons não cíclico.

9 Noncyclic Electron Transport Uses Two Photosystems (Part 2) .Figure 8.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS OS FOTOSSISTEMAS .

Pigments in a Photosystem Centro de reação (Molécula de clorofila a) .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO As clorofilas encontram-se nos tilacoides Tilacoides: membranas internas do cloroplasto Lamelas granais: membranas (tilacoides) empilhados Lamelas estromais: membranas “soltas” (sem empilhamento) .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO Nas membranas dos tilacoides existem várias proteínas Proteínas integrais de membrana .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO Os centros de reações e os complexos-antena são proteínas de membranas .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO O centro de reação PSI e seus complexos-antena e as proteínas da cadeia de transporte de elétrons estão localizados nas lamelas do estroma .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO .

5:1 O complexo antena se difere entre organismos e o centro de reação não se altera Essa adaptação do complexo antena reflete a adaptação dos organismos aos diferentes ambientes . FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO A razão PSII : PSI está ao redor de 1.

Por esse mecanismo a energia de excitação é transferida de uma molécula para outra através de um processo não radioativo . FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO O mecanismo físico pelo qual a energia de excitação é transferida da clorofila qua absorve a luz ao centro de reação seja a ressonância induzida.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO A transferência de energia nos complexos-antena é muito eficiente: 95 a 99% dos fótons absorvidos pelos pigmentos antena têm sua energia transferida para os centros de reações. .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS ORGANIZAÇÃO DO APARELHO FOTOSSINTÉTICO A transferência de energia entre pigmentos no complexo-antena é de natureza física e a transferência de eletrons no centro de reação envolve alterações químicas nas moléculas .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS As Etapas  Excitação da clorofila pela luz Redução do primeiro aceptor de elétrons Fluxo de elétrons através dos FS I e II Oxidação da água como fonte primária de elétrons Redução do NADP .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS Os elétrons ejetados da clorofila são “carreados” em um esquema tipo “Z” .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS Quase todos os processos químicos que perfazem as reações luminosas são realizados por quatro principais complexos protéicos FS II Complexo fitocrono b6f FS I ATP síntase .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS O FS II oxida a água a O2 no lumen do tilacóide .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS Estroma .Baixa concentração de H+ Plastoquinona Plastocianina Gradiente eletroquímico Oxidação da água Lumen – alta concentração de H+ .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS A água é oxidada de acordo com a seguinte reação: 2H2O O2 + 4H+ + 4e- A reação só ocorre via complexo fotossintético Os prótons liberados durante a oxidação contribuem para o potencial eletroquímico que irá operar na formação do ATP .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS O Mn é um cofator importante essencial no processo de oxidação da água: Íons de Mn sofrem uma série de oxidação São necessários 4 íons de Mn para cada complexo formado .

seguido por um complexo de duas plastoquinonas . FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS A feofitina atua como aceptor primário no FSII.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS Duas plastoquinonas estão ligadas ao centro de reação e recebem elétrons da feofitina de forma sequencial .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS O Citocrono b6f recebe elétrons do PSII e envia ao PSI .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS A hidroplastoquinona é oxidada e um dos dois elétrons é passado ao longo da cadeia linear de transporte de elétrons em direção ao FS I .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS Outro elétron passa por um processo cíclico que aumenta o número de prótons bombeados através da membrana .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS A plastocianina age como proteína móvel na transferencia dos elétrons do FSII para o FSI .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS O PS I reduz NADP a NAPH pela ação da ferrodoxina e da flavoproteína ferrodoxina redutase .

os tranportadores de elétrons que atuam na região aceptora do FSI são agentes redutores extremamente fortes Os elétrons são transferidos através de centros Fe-S para a ferredoxina. A flavoproteína associada a membrana da Ferredoxina-NADredutase reduz o NADP a NADPH . FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS Na sua forma reduzida.

como suprimento de redutores para reduzir o nitrato e regulação de algumas enzimas do ciclo do carbono . FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS A ferredoxina também possui várias outras funções no cloroplasto.

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS A ATP sintase produz ATP a medida que os prótons atravessam seu canal .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS FOTOFOSFORILAÇÃO Síntese de ATP a partir de luz Sob condições normais a fotofosforilação requer fluxo de elétrons .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS O lume é ácido e o estroma é básico Gera Potencial químico e potencial elétrico O ATP é sintetizado por um grande complexo enzimático: ATP sintase ou ATPase Há a formação de um canal no qual os prótons podem passar do lume para o estroma .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS MECANISMOS DE TRANSPORTE DE ELÉTRONS .

FOTOSSÍNTESE: REAÇÕES LUMINOSAS TRABALHO – VALENDO PONTO .Explicar os processos cíclico e acíclico de transporte de elétrons através do complexo citocromo b6f. .Quais as implicações da alta e da baixa intensidade luminosa (radiação) sobre os pigmentos acessórios do complexo antena? .