You are on page 1of 7

Material Teórico - Módulo de Lei dos Senos e dos Cossenos

Razões Trigonométricas em Triângulos Retângulos

EP
Primeiro Ano do Ensino Médio

BM
Prof. Antonio Caminha M. Neto

O
l da
rta
Po

org.br/ 1 matematica@obmep. o lado BC. iguais. b=C B b = 45◦ . temos em todo triângulo retângulo. http://matematica. figura 3).br . na figura 2) também são iguais. triângulo ABC é equilátero se seus lados forem todos Po a2 = b 2 + c2 > b 2 . precisaremos mais adiante do seguinte fato: como AB = AC. Para o próximo exemplo. AB = AC e BM = CM . como plica a igualdade B que b b b ◦ A + B + C = 180 . AC = b e B C BC = a. b enquanto a igualdade AC = AB im- de modo que a > b. Seja ABC um triângulo retângulo em A e isósceles (cf. como a hipotenusa BC é BM a o maior lado de ABC. Já o lado oposto ao vértice A. Nesse caso. Nesse caso os ângulos opostos aos lados iguais (os ângulos ∠B e ∠C. recorde (cf. dizemos que A é o vértice do ângulo reto Figura 2: um triângulo isósceles. temos b+B A b+C b = 180◦ . o teorema de Pitágoras fornece 2 2 2 A c B BC = AB + AC = ℓ2 + ℓ2 = 2ℓ2 . então. como B b+C b= b = 90◦ . Nesse caso. segue da relação acima que Mas. o Teorema de Pitágoras diz que a2 = b2 + c2 . como A ◦ 90 . 2 2 2 BC = AC + AB . se A b = 90◦ (cf. Para o pri- ACM . a hipotenusa é o b=B b=C b = 60◦ . √ Portanto. figura 4) que um Assim. De outra forma. quer dizer. Recordamos que ABC é retângulo em A se o ângulo ∠A é reto. figura 2). b = AC e c = AB. a igualdade BC = AC implica a igualdade A b = B. e os lados AB e AC são os catetos do triângulo. Exemplo 2. a soma das me- didas dos ângulos diferentes do ângulo reto é ℓ igual a 90◦ . então sua hipotenusa mede Seja ABC retângulo em A. Denotando AB = AC = ℓ. Ainda sobre o triângulo ABC. os lados iguais de ABC devem ser b seus catetos AB e AC. Ab=B b=C b e.obmep. Como a soma das medidas dos ângulos de todo triângulo é 180◦ . BC = ℓ 2. A ℓ B rta tenusa BC em termos dos comprimentos dos catetos AB e AC: Figura 3: a hipotenusa de um triângulo retângulo isósceles. o Teorema de Pitágoras ensina como calcular o comprimento da hipo. para os triângulos ABM e Pitágoras que nos serão úteis mais adiante. Analogamente. a > c. b mas. l Sendo ABC ainda retângulo em A. C em todo triângulo retângulo. Se ABC é equilátero e M é o ponto médio do Vejamos dois exemplos de aplicação do teorema de lado BC (cf. concluı́mos que. sendo (como acima) a = BC. recorde que um triângulo ABC (não necessari- amente retângulo) é isósceles se tiver dois lados iguais (cf. retângulo em A e isósceles. dado um triângulo ABC. é chamado de hipotenusa do triângulo ABC.1 Recordando triângulos retângu. A lado de maior comprimento. e concluı́mos b = C. C Exemplo 1. temos meiro deles. denotamos os comprimentos de seus lados por AB = c. O √ ℓ 2. Então. B Assim. temos que B b = C.org. se os catetos de um triângulo retângulo e isósceles medem ℓ. figura EP 1). segue que da b+C b = 180◦ − A b = 180◦ − 90◦ = 90◦ . isto é. A los Em tudo o que segue. e mostramos que Figura 1: o triângulo retângulo ABC. b Portanto. figura 5).

b = C AM B AM b = 30◦ . daı́.org. devemos ter β A c B cB = AM AM cC = 90◦ . precisaremos a a c mais adiante do seguinte fato: como ABM ≡ ACM . associaremos a cada um dos ângulos ∠B e CM = 2ℓ . c < a (pois a é o comprimento da mos também que B AM b b . mesmo daqueles que não são retângulos.org. Mas. comprimento da hipotenusa do triângulo O cosseno desse ângulo é definido como o quociente a comprimento do cateto adjacente ao ângulo cosseno = . Assim.br/ 2 matematica@obmep. cos γ = e tg γ = . cos β < 1. (1) a a b se os lados de um triângulo equilátero medem √ ao passo que ℓ. a introdução desses números muitas vezes simplificará bastante o estudo da geometria de triângulos. como b. temos BM = A seguir. segue que 0 < sen β. logo. sendo AB = AC = BC = ℓ.obmep. c b b sen γ = . comprimento da hipotenusa do triângulo l B M a C 2 Por fim. O primeiro dos arcos trigonométricos associados a um √ ângulo agudo de ABC é seu seno. como B AM = C AM b + hipotenusa). que eles são a triângulos congruentes: ABM ≡ ACM . faça uma figura e desenhe essas outras duas alturas.) Agora. então suas alturas medem ℓ 2 3 . que dade: b c c Po sen β = . (Observe que ABC tem mais duas alturas. γ < 90◦ . o qual é definido como da ℓ 3 e. Aplicando o Teorema de Pitágoras ao triângulo ∠C de ABC três números reais positivos. acabamos de mostrar a seguinte proprie. a tangente desse mesmo ângulo é definida como rta o quociente Figura 5: alturas de um triângulo equilátero. sabemos que β + γ = 90◦ . temos. Em particular. Veja que. por tg. A 2 Trigonometria em triângulos re- tângulos Consideremos novamente um triângulo ABC retângulo em A. como na figura 6. Conforme veremos ao longo desse módulo. b segue que AM cB = AM cC. ac < 1. Denotando B b = β (lê-se beta) e B C b = γ (lê-se gamma). cos β = e tg β = . concluı́mos. agudos. nas notações da figura 6. te. comprimento do cateto adjacente ao ângulo Como um raciocı́nio análogo é válido para as outras duas Abreviando seno por sen. cos γ < 1. os ângulos ∠B e ∠C de ABC são EP Figura 4: um triângulo equilátero. AM = 2 o quociente comprimento do cateto oposto ao ângulo A seno = . como AM cB + AM cC = BM ◦ 180 . C 0◦ < β. ABC.) http://matematica. b b ◦ C AM = B AC = 60 .br . temos 0 < ab . também temos 0 < sen γ. conhecidos como ABM (o qual sabemos ser retângulo em M ). (Evidentemente. (2) Ainda sobre o triângulo equilátero ABC. Figura 6: o seno. C Como AM é lado de ambos esses triângulos. γ pelo caso LLL de congruência de triângulos. mas. obtemos 2 2 AM = AB − BM = ℓ2 − 2  2 ℓ 2 = 3ℓ2 4 O seus arcos trigonométricos. o cosseno e a tangente dos ângulos agudos Dizemos que AM é uma altura do triângulo equilátero de um triângulo retângulo ABC. comprimento do cateto oposto ao ângulo tangente = . isto é. cosseno por cos e tangente alturas de ABC.

(3) sen β tg γ √2 2 2 3 √1 1 cos β 2 2 √2 Como β + γ = 90◦ . e não do tamanho do triângulo retângulo utilizado para calculá-los. = ′ ′ BM ℓ/2 BC BC http://matematica. 90◦ − β = 60◦ : √ Portanto. Como o triângulo ABM é retângulo em M semelhantes. (5) AB ℓ 2 AB ′ ′ BC AC BM ℓ/2 1 Trocando os meios da proporcão dada pela primeira cos 60◦ = = = AB ℓ 2 igualdade acima.obmep. Como A b= Exemplo 4. agora. teremos 1 3 ◦ ◦ ◦ ◦ sen 30 = cos 60 = . o cosseno e a tangente de 30◦ . se ABC é equilátero de lado ℓ e M é o ponto médio de BC. Nas notações da figura 5. tomando um compri- sen β = cos(90◦ − β) 1 mento ℓ qualquer. De fato. com AB = AC = ℓ. Se. = ′ ′ = ′ ′. obtemos e √ AM ℓ 3/2 √ AB A′ B ′ tg 60◦ = = = 3. Portanto. temos e tal que ABM de triângulos.org. AB ℓ Figura 7: arcos trigonométricos só dependem do ângulo. e vice-versa. 4 3 Para uso futuro. nesse caso. cos β = sen γ e tg β = . Isso Resumimos em palavras as igualdades acima da seguinte sugere a validade da seguinte propriedade: forma: o seno de um ângulo agudo é o cosseno de seu complemento. seja ABC retângulo em √ A e isósceles. β BC ℓ 2 2 a A′ B′ b c′ l b = AB = √ ℓ 1 rta cos 45◦ = cos B = √ β BC ℓ 2 2 A c B e tg 45◦ = tg Bb = AC = ℓ = 1. Para entender porque a afirmação acima é verdadeira. cos β = = sen γ EP 5 5 e 1 1 e tg 30◦ = ◦ = √ . Portanto. tivermos b = 3 e c = 4. mento. na figura 6. 3 4 tg 60 3 tg β = . Nas notações da figura 3. √ √ ◦ AM ℓ 3/2 3 AB BC AC sen 60 = = = . o cosseno e a tangente o Teorema de Pitágoras garante que de 30◦ ou como acima (usando o fato de que B AM b = 30◦ p p √ – faça isso!). (4) cos β = sen (90◦ − β) tg (90◦ − β) para o seno. vimos que A b=B b=C b = 60◦ √ Ab′ = 90◦ e Bb=B b ′ = β. Vimos que BC = b=C b = 45◦ . 45◦ e 60◦ . os triângulos ABC e A′ B ′ C ′ são Po ℓ 3 e AM = 2 . com β = 30◦ e a = b2 + c2 = 32 + 42 = 25 = 5.br . obtivemos sempre os mesmos valores e tg β = . então Por fim.br/ 3 matematica@obmep. a tangente de um ângulo é o inverso da tangente de seu comple- O os arcos trigonométricos de um ângulo agudo só dependem da medida do ângulo. os exemplos 1 e 2. tg γ = . de modo que tg β √1 1 3 3 muitas vezes escrevemos as igualdades acima como  Nos cálculos do exemplo anterior. b=B retângulos em A e A′ e tais que B b ′ = β. tomemos (cf. cos 30 = sen 60 = 3 4 2 2 sen β = = cos γ. figura 7) dois triângulos ABC e A′ B ′ C ′ . as relações (1) e (2) nos dão β 30◦ 45◦ 60 √ ◦ 1 BM 1 √1 3 sen β = cos γ.org.Exemplo 3. pelo caso AA (ângulo-ângulo) de semelhança b = 60◦ . ou invocando as relações (3). podemos calcular o seno. temos γ = 90◦ − β. da Retomemos. resumimos na tabela abaixo os valores A igualdade de senos e cossenos do exemplo acima não calculados no exemplo anterior: é mera coincidência. C′ ℓ 2eB C a′ b′ b = AC = √ sen 45◦ = sen B ℓ 1 = √ .

do triângulo que considerarmos. aplicada ao triângulo ABC ou ao triângulo A′ B ′ C ′ . Como B seno de B b = 30◦ e sen 30◦ = 1 . A discussão acima dá uma maneira simples de.org. Ele caminhou por aproxi- dá como resultado números reais iguais ( ac no primeiro caso madamente 10 minutos. Em suma. também fornece dá números reais iguais como resultado. e do cosseno de um ângulo agudo. a qual é conhecida como bir o flanco menos ı́ngreme de uma grande colina. podemos calcular sua tangente simplesmente valores do seno. conhe. Pela discussão acima. da contanto que A BC 2 figura 1). = sen 30◦ = .e. o valor dessa altura. BC ′ ′ BC ′ ou. Solução. o que é o mesmo. a 3 c 2 2 sen β b/a b a b = = · = = tg β. também é uma das razões da im. daı́.br . 2 3 3 temos a1 = 31 . segue que AC 1 sen β = = . Ao chegar lá. calcular seus ou. cos β c/a a c c Po Portanto. 1 2 1 BC a AC ≈ · km = km = 333m. B representa o pé da colina. ABC ou A′ B ′ C ′ . se já tivermos calculado o seno e o cosseno de Conforme o próximo exemplo deixa claro. Suponhamos. Como 10 minutos equivale a 61 de hora. (6) cos trigonométricos) de um triângulo retângulo. segue que l 2 2 2 c2 = AB = BC − AC = 32 − 12 = 8 3 A relação fundamental da Trigo- rta √ √ e. isolamos outra propriedade importante do seno um passeio no campo e. cosseno e tangente de β não dependerem calculando o quociente entre o seno e o cosseno. Portanto. para calcular cos β e tg β O do topo da colina. calcule cos β e tg β. aplicando a definição do 2 b ao triângulo ABC. aplicada ao triângulo ABC ou ao triângulo A′ B ′ C ′ . Portanto. Exemplo 5. como BC ≈ 32 km. à velocidade média de 4km/h. ′ ou. até ′ e ac ′ no segundo caso). respecti- do triângulo ABC retângulo em A escolhido. vamente. cos β Exemplo 6. a definição de C sen β. ele olhou para baixo Trocando os extremos da proporção dada pela segunda e ficou impressionado com a altura em que se encontrava. ab ′ = ab . aproximadamente. conforme tros dois arcos trigonométricos. o fato de os um ângulo. Como Mas. obtemos podemos tomar um triângulo ABC de tamanho qualquer. temos que A b = 90◦ e AC é a altura no próximo exemplo. AC 1 b = 90◦ e B b = β. C seu topo e A o ponto. Marcos EP A′ C ′ AC = caminhou aproximadamente 4 km 1 2 h · 6 h = 3 km. nı́vel de B. Tro- cando os extremos dessa proporção. Sabendo que sen β = 13 . de modo que a = 3. sen β tg β = . obtemos Calcule. Então. pois (cf. o que é o mesmo. decidiu su.obmep. Vejamos como fazer isso mostrado na figura. inclinada cos β. 2 3 km Por fim. imediatamente abaixo de C. nometria √ Voltando a (1).br/ 4 matematica@obmep. c = 8 = 2 2. observe que (nas notações da figura 6) c 2 2 1 1 cos β = = e tg β = = √ . mas somente b = β. Solução. Na figura 8. Em uma manhã de domingo. que tem a relação fundamental da Trigonometria. Marcos saiu para A seguir. que AC = 1. igualdade em (5).org. no meio do caminho. também segue de (5) que AAB ′ B′ = AAC ′C′ . Logo. ao cendo o seno ou o cosseno de um ângulo. chegar ao topo da colina. ac = ac ′ . a definição de o formato aproximado de uma rampa retilı́nea. dos ar. do fato de que B portância prática do estudo da Trigonometria (i. e sejam BC = a e AB = c. http://matematica. de 30◦ em relação à horizontal. Portanto. obtemos BM 30◦ A′ C ′ AC A B = A′ B ′ AC e concluı́mos que a definição de tg β também independe Figura 8: a caminhada de Marcos. pelo Teorema de Pitágoras..

ainda. de sorte que o triângulo CDE é retângulo em E. ângulo se conhecermos somente um desses números. O x= √ = √ = · √ = . Terminamos essa aula apresentando mais um exemplo. dentre outras Portanto. a trigonometria do triângulo CD nos dá sas duas igualdades como um sistema de equações cujas incógnitas são sen β e cos β. escrevamos x = sen β e y = b = β. y 2 = 89 . Seja ABC um triângulo retângulo em A. temos de resolver CE 1 esse sistema.obmep. em seguida. obtemos razões. para calcular sen β e cos β. B 3 2 2 2 2 3 2 2 3 Solução. Como DCE b = ACB b = 90◦ − ABC b = 90◦ − 30◦ = 60◦ . calcule cos β e tg β. Segue de (7) que (cos β)2 = 1 − (sen β)2 . As relações (6) e (7) são importantes. = cos 60◦ = .br/ 5 matematica@obmep. 9 9 3 jamos como fazer isso em dois exemplos. relação na segunda igualdade. Portanto.br . o cosseno e a tangente de um 8 8 2 2 y= =√ = . então Se B cos β. temos BC √ b = 30◦ . Também. Sabendo que tg β = √ B 1 . Substituindo essa de Pitágoras. Então.org. r √ √ 8 8 2 2 cos β = = √ = . Para simplificar a notação. Em um triângulo ABC retângulo em A. 1−x cos β 2 2/3 3 2 2 2 2 30◦ A √ B 3 Exemplo 9. Nesse caso. Na figura 9. sen β 1 seja E o pé da perpendicular baixada do ponto D à hipo- = √ e (sen β)2 + (cos β)2 = 1. o primeiro dos quais revisita o exemplo 5.  2 2 1 1 8 Exemplo 10. daı́. isto é. Portanto. Em um triângulo ABC retângulo em A. a2 a (2 2)2 8 2 2 2 BM Como y8 + y 2 = 9y8 . e. que mostra como podemos utlizar o que aprendemos até Substituindo sen β = 13 . = 2 e ABC (cos β) = 1 − =1− = √ 3 9 9 Portanto.org. C 9 9 3 E l Por fim. obtemos da aqui para calcular sen 15◦ . Por outro lado. Sabendo que sen β = 1 . = √ + y2 = + y2. também temos b2 + c2 = a2 . cos 15◦ e tg 15◦ . temos y sen β = ab e cos β = ac . segue que 1 = 9y8 ou. cos β > 0. Ve. segue de (6) que x rta 2 D sen β 1/3 1 3 1 tg β = = √ = · √ = √ . y 2 2 Prova. AB = BC · cos 30◦ = 2 · 23 = 3 e AC = BC · sen 30◦ = 2 · 21 = 1. obtemos EP  2   2  2 2 b c 2 b2 c2 2 y 2 (sen β) + (cos β) = + = 2+ 2 1 =x +y = √ + y2 a a a a 2 2 2 2 2 b +c a y2 y2 = = 2 = 1. cos β 2 2 tenusa BC. (7) x 1 = √ e x2 + y 2 = 1. pelo Teorema A primeira igualdade nos dá x = 2√ 2 . de modo que (sen β)2 + (cos β)2 = 1. temos de ver es. lembrando que sen β. temos y 2 2/3 2 2 1 1 b = β. 2 2 Solução. (6) e (7) nos dão as igualdades Seja D o ponto sobre o segmento AC tal que BD bissecta b = DBC esse ângulo. tal que ABD b = 15◦ . temos Figura 9: calculando tg 15◦ . calcule sen β e cos β. lembrando que y é positivo. Novamente nas notações da figura 6. CD 2 http://matematica. √ √ Exemplo 8. r √ √ tar para calcular o seno. porque elas nos permitem utilizar Álgebra elemen. Po b = β.Proposição 7.

Rio de Janeiro. Paulo. Sugestões de Leitura Complementar 1. Vo- lume 2: Geometria Euclidiana Plana. tais triângulos são congruentes. deixamos como exercı́cio para você imitar o exemplo anterior para obter sen 15 =◦ √ 3−1 √ 2 2 ◦ e cos 15 = √ 3+1 √ . 2 2 O da Dicas para o Professor Reserve uma sessão de 50min para a primeira seção e duas sessões de 50min para cada uma das outras duas seções. para uso futuro.org. São 1 x CE = CD · = . Por fim. temos que BD é um lado comum. Editora S. ABD b = E BDb = 15◦ e DAB b = b ◦ DEB = 90 . nos triângulos ABD e EBD. Os Fundamentos da Ma- temática Elementar. O. Atual Editora. Segue que BE = AB = 3 e. BM AD = AC − CD = 1 − x √ √ = 1 − 2(2 − 3) = 2 3 − 3.B. contém exemplos e exercı́cios simples. Pompeu. Dolce e J.br/ 6 matematica@obmep.. trazendo vários problemas mais difı́ceis. 2 √ Resolvendo a equação acima. Caminha. Você também deve chamar a atenção dos alunos para a im- l portância da independência dos arcos trigonométricos em rta relação a dois triângulos retângulos semelhantes. Tópicos de Matemática Elementar. daı́. fazendo CD = x.br . uma vez que essa propriedade é que realmente dá flexibilidade de aplicação à Trigonometria de triângulos retângulos. cosseno e tangente de ângulos notáveis devem ser memorizadas. Volume 9: Geometria Plana. N. obtemos x = 2(2 − 3). AB 3 A partir daı́. A referência [1] (também a seguir) expande o material aqui discutido. Na segunda seção. os três exemplos da seção devem ser resolvidos em detalhe.Logo. x √ 2 = BC = CE + BE = + 3. 2 2 Por outro lado. que podem ajudá-lo na condução das sessões. Po A referência [2]. enfatize que as relações (4) e a tabela de valores do seno. http://matematica. Por fim. 2012. Portanto. A. que é a relação fundamental da Trigonometria.org. EP pelo caso ALA √ de congruência de triângulos.obmep.M. e a trigonometria do triângulo ABD fornece √ ◦ AD 2 3−3 √ tg 15 = = √ = 2 − 3. Junto com ela. 2013. a seguir. a terceira seção traz um resultado muito importante. segue da igualdade acima que 2.