You are on page 1of 2

OS ATOS DE PEDRO 1

Nos Atos de Pedro há apenas algumas referências diretas à paixão de Jesus. Como no Evangelho de Pedro 1-2, em Atos de Pedro 8, Herodes é responsável pela morte de Jesus: "Tu (o diabo) endureceste o coração de Herodes" (Tu Herodis cor indurasti). O motivo também aparece no Atos de Tomé 32.

Os Atos de Pedro, no entanto, mostram paralelos significativos com a narrativa da paixão de outra maneira. Que o martírio de Pedro imita a paixão de Cristo é explicitamente declarado no famoso episódio Quo vadis: "Quando ele (Pedro ) saiu do portão e viu o Senhor entrar em Roma. E quando o viu, disse: "Senhor, onde tu estás

Eu vou para Roma

a

indo?" E o Senhor para ser crucificado "(cap. 35).

disse

ele:

Pedro é preso por quatro soldados e levado diante do prefeito Agripa. Dada a ênfase na responsabilidade de Herodes pela crucificação de Jesus noAtos de Pedro, não seria surpreendente se isso fosse uma alusão a outro 'Herodes', a saber, o rei Agripa I (10 a. C - 44 d. C.

Em Atos 12, Agrippa I é chamado Herodes e apresentado como perseguidor do cristianismo. Depois de executar Tiago, o Irmão de João, ele resolveu prender Pedro também. Foi durante o festival do Pão Ázimo. Quando ele o agarrou, ele o colocou na prisão e entregou-o a quatro esquadras de soldados para protegê-lo, com a intenção de levá-lo para o povo após a Páscoa.

O uso do nome de Herodes, bem como a menção de Pães ázimos no relato de Lucas faz alusão à paixão de Jesus. As menções de quatro soldados em Atos de Pedro 36 e quatro vezes quatro em Atos 12 sugerem que as duas narrativas da prisão de Pedro decorre de uma tradição comum.

Isso torna ainda mais plausível que o nome de Agripa no Atos de Pedro É uma alusão aos Herodes envolvidos nas execuções e prisões de Jesus e seus discípulos. Somente no Evangelho de Pedro, que Jesus é realmente ordenado a ser crucificado, e pedido vem de Herodes (v. 2:). O comando da Agrippa para crucificar Cristo () é paralelo a essa narrativa da paixão.

Mais uma vez, a menção explícita da responsabilidade de Herodes na morte de Jesus no início dos Atos de Pedro Torna uma ligação ainda mais plausível. O Evangelho de Pedro dá especial atenção a José de Arimateia em contraste com os outros evangelhos. José é apresentado como um “amigo de Pilatos, bem como do Senhor” (v. 2). Pedro é enterrado por um personagem proeminente da Atos de Pedro, senador Marcellus, que é repreendido por Nero por seus atos de caridade com o cristãos (capítulo 8). Marcellus lava o corpo com costosos cosméticos e os enterra no próprio túmulo. Dois acordos verbais chamam nossa atenção nesta cena. A lavagem do corpo não é mencionada em

1 Tradução de Acts of Peter, pp. 248-249. In: CZACHESZ, Itsván. The Gospel of Peter and the Apocryphal Acts of the Apostles: Using Cognitive Science to Reconstruct Gospel Traditions. Disponível em: http://www.religionandcognition.com/publications/czachesz_gpt.pdf?i=1.

nenhum outro evangelho, exceto

24; a mesma forma verbal, , ocorre no Atos de Pedro 60. Somente o Evangelho de Pedro usa o adjetivo  para enfatizar que o túmulo era de Jesus, novamente, a mesma palavra é usada nos Atos de Pedro dentro da conexão com o túmulo de Marcellus.

Pedro

no

Evangelho

de

que tem paralelos com tradições de outros

evangelhos além das da Evangelho de Pedro . Por exemplo, Pedro desistiu de seu

espírito para o Senhor ( / deposuit spiritum), como

Jesus fez nos evangelhos canônicos, e não foi "ocupado" como Jesus no Evangelho de Pedro e o Evangelho dos Atos de João.

Há também detalhes no Atos de Pedro