You are on page 1of 9

Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol.

25
Julho/Setembro, 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº3
Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols.

IMPORTÂNCIA DA COLONOSCOPIA NO RASTREAMENTO
DE PÓLIPOS E CÂNCER COLORRETAL EM PACIENTES
PORTADORES DE PÓLIPOS RETAIS

HUMBERTO FENNER LYRA JÚNIOR, MARCOS DE ABREU BONARDI, VINÍCIUS JOSÉ COTA SCHIOCHET,
ANTÔNIO BALDIN JÚNIOR, ELIANE RIBEIRO CARMES, MARIA CRISTINA SARTOR, JÚLIO CÉSAR PISANI,
SÉRGIO BRENNER, RENATO ARAÚJO BONARDI

Unidade de Coloproctologia e Serviço de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva do Hospital de Clínicas da
Universidade Federal do Paraná (HC- UFPR)

LYRA JÚNIOR HF, BONARDI MA, SCHIOCHET VJC, BALDIN JÚNIOR A, CARMES ER, SARTOR MC, PISANI JC, BRENNER S,
BONARDI RA. Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal em Pacientes Portadores de Pólipos Retais.
Rev bras Coloproct, 2005;25(3):226-234..

RESUMO: O câncer colorretal é a terceira causa de morte nas regiões sul e sudeste do Brasil. Os tumores crescem lentamente
seguindo a seqüência adenoma-carcinoma. A colonoscopia permite o diagnóstico e a ressecção dos pólipos. Atualmente discute-se a
colonoscopia para pacientes portadores de pólipos retais não-neoplásicos e pólipos pequenos, além dos adenomas.
Objetivo: Verificar a prevalência dos pólipos colônicos nos pacientes portadores de pólipos retais, correlacionar o tipo
histológico e o tamanho do pólipo retal com o achado de neoplasia proximal.
Pacientes e Método: Estudo transversal, entre 2000 e 2003, com pacientes portadores de pólipos retais submetidos a
colonoscopia. Dividiram-se os pacientes por faixa etária, tipo e tamanho do pólipo retal. Pólipos e câncer foram considerados
achados positivos na colonoscopia. Foram excluídas síndromes polipóides genéticas e câncer retal.
Resultados: Examinaram-se 1.715 pacientes dos quais 74 (4,31%) tinham pólipos retais. O estudo histopatológico mostrou
que 54,1% eram adenomatosos, 23% hiperplásicos, 12,2% inflamatórios e 10,8%, excrescências de mucosa. A maioria dos pólipos
foi encontrada em pacientes acima de 40 anos, havendo significância estatística no grupo dos neoplásicos (p < 0,0001). Não houve
diferença estatística quando comparados os achados positivos na colonoscopia entre os grupos de pólipos retais adenomatosos e
hiperplásicos (p = 0,052). O tamanho do pólipo retal não foi estatisticamente significante para achados positivos na colonoscopia.
Conclusões: Prevalência de pólipos proximais em portadores de pólipos retais foi 49,1%. Prevalência de neoplasia proximal
foi de 42,5% e 11,7% nos portadores de pólipos retais neoplásicos e não-neoplásicos, respectivamente. O tamanho do pólipo retal não
foi preditivo para achado de neoplasia proximal.

Descritores: Colonoscopia, pólipos retais, retossigmoidoscopia, pólipos colônicos

sudeste do Brasil. O seu desenvolvimento é o resultado
INTRODUÇÃO da transformação do epitélio colônico normal para
pólipo adenomatoso e, subseqüentemente, câncer. A
O câncer colorretal é causa importante de
progressão é lenta, possivelmente envolvendo vários
morbi-mortalidade nas populações ocidentais. É a
anos, e seguindo-se número considerável de alterações
terceira causa de morte por câncer nas regiões sul e
genéticas, recentemente caracterizadas 7, 60.

Trabalho realizado pelo Serviço de Cirurgia Geral – Unidade de Coloproctologia e Serviço de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva do Hospital
de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC- UFPR)

Recebido em 22/07/2005
Aceito para publicação em 19/09/2005

226

36. 1. raça. comprovada. os juvenis. retossigmoidoscopia. sendo incluídos no estudo. etária. retossigmoidoscopia rígida. 31. pelo software necessidade de investigação de proliferação epitelial “Epi-Info”. que se paramétricos de “Kruskal-Wallis”. Os pólipos retais foram divididos em menores Existem controvérsias. Trinta e seis pacientes eram do sexo masculino CASUÍSTICA E MÉTODO e 38 do feminino. indicação da pelos adenomas e carcinomas. Os métodos endoscópicos permitem o e maio de 2003. entre os dois grupos. Cada grupo foi investigação complementar com colonoscopia para as correlacionado com o achado de pólipo ou câncer na lesões polipóides neoplásicas retais menores que 1 cm colonoscopia. 51. flexível serve como parâmetro para a realização da Consideraram-se pólipos e câncer como colonoscopia. adenoma. especificamente os pólipos Foram excluídos do estudo pacientes com hiperplásicos 17. desenvolveu-se Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética protocolo de estudo com os seguintes objetivos: em Pesquisa em Seres Humanos do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. reconhece-se a síndromes polipóides genéticas e câncer retal. em outras regiões do cólon 35. ou seja. história familial. que 1 cm. interrompendo a seqüência adenoma–câncer. e o teste “Exato de Fisher”. 40. achado de pólipo ou câncer na hiperplásicos. “Comparação entre caracteriza por associação de tecido adenomatoso e duas Proporções”. os pacientes foram síndrome de Peutz-Jeghers e os inflamatórios 22. 34. sexo. Correlacionar o tipo histológico do pólipo retal com o achado de neoplasia proximal. realizado entre janeiro de 2000 familial de neoplasia colorretal. 74 (4. Tal fato pode indicar a Biostatistics”. incluindo os As lesões polipóides colorretais são divididas parentes de primeiro e segundo grau. quanto à indicação de e em maiores ou iguais a 1 centímetro. 59. 34% de adenomas proximais em pacientes com pólipos Analisaram-se as seguintes variáveis: faixa distais pequenos. destacam-se os pólipo retal. no exame distal 27. Correlacionar o tamanho do pólipo no reto com Destes. os que fazem parte da colonoscopia. hiperplásicos.05). e não-neoplásicos. divididos em dois grupos de faixa etária: até 40 anos e Geralmente a retossigmoidoscopia rígida ou acima de 40 anos. 3. O nível de significância adotado foi menor colônica também nos indivíduos com pólipos que 5% (p<0. comparando-se colonoscopia deva ser indicada quando se identifica estes achados entre pacientes portadores de pólipos lesão polipóide neoplásica. tipo histológico e tamanho do Dentre os pólipos não neoplásicos. Para fins de estudo. com pacientes atendidos no diagnóstico e ressecção dos pólipos quando ainda ambulatório de Coloproctologia do Hospital de Clínicas benignos. existência do adenoma serrilhado como achado O estudo estatístico utilizou os testes não- anátomo-patológico de alguns exames. Atualmente. não importando a histologia 3.715 pacientes no período. Todos com diagnóstico de A maioria dos pólipos está localizada no reto pólipo retal foram incluídos no estudo e encaminhados (50%).31%) apresentaram pólipos retais à os achados da colonoscopia. maior retais neoplásicos e não-neoplásicos. RESULTADOS 2.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol. Estudos prospectivos. Estudo transversal não controlado com dados Apenas 4 pacientes apresentaram história primários e secundários. 25 Julho/Setembro. Alguns autores estabeleceram que a resultados positivos à colonoscopia. 43. e não-neoplásicas. porém há número considerável destas lesões à colonoscopia no Serviço de Endoscopia Digestiva . Foram examinados 1. da incidência retossigmoidoscopia rígida como parte da investigação do câncer colorretal 60. através do software “Primer of tecido hiperplásico 25. confirmaram prevalência de 24 a arquivo eletrônico hospitalar do período acima citado. Não houve diferença estatística significante. 35. e história pessoal em dois grandes grupos: neoplásicos. caracterizados de neoplasia colorretal. Verificar a prevalência de pólipos colônicos nos indivíduos portadores de pólipos retais. 54. das queixas apresentadas. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº 3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols. Os dados dos exames endoscópicos foram obtidos no com colonoscopia. Todos tinham pólipos 227 . Com base nestes dados. da Universidade Federal do Paraná e submetidos à Com isso há diminuição.

228 .0 01 20.9 43 58. com 23. 09 100.1%).134 TOTAL 31 41.8 0. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols.1 74 100. Em todos os casos os pacientes tinham Constipação 12 16.0 16 40. diferença na distribuição dos pólipos não-neoplásicos A principal indicação para o exame de não foi significativa entre os dois grupos etários retossigmoidoscopia rígida foi sangramento colorretal (Figura-1). INDICAÇÃO Nº % apresentou significância estatística em relação àqueles com achado de origem neoplásica no reto.0 05 6.1% (n=40) de prevalência.1 09 42. seguida de dor anal (31.8% (n=8) (Figura-2). Em 70.118 •Tubulares 12 57. com 54.0 05 6.7 cos retais.2 0. que a tinha história pessoal de neoplasia colorretal. 02 (11. neoplásicos no reto.1 Foram diagnosticados três adenocarcinomas à Dor Abdominal 14 18. Nenhum dos pacientes estudados 40 anos (p < 0. Secreção Anal 02 2. Apesar do predomínio de achados neoplásicos TOTAL 129 / 74 1.5%) adenocarcinomas.9%).0 01 20.1%) e de dor O tipo histológico de pólipo retal mais comum abdominal (18.7 (35%) eram adenomas e 03 (7.0 0.4 05 55.1 analisados foi 41.071 NOTA: O percentual calculado é dentro de cada classe do pólipo.0 0. o que gida.0 40 54.0% (n=17).7 0.1 colonoscopia. hiperplásicos e 100% daqueles com pólipos retais inflamatórios a colonoscopia foi negativa.7 0.2 o pólipo representava apenas uma excrescência da Anemia 05 6. Noutro.997 •Vilosos 04 80.9 21 28. (58.2 retais neoplásicos e história familial positiva.2% (n=9) e excrescências da mucosa. neoplásicos naqueles pacientes com idade acima de inflamatórios com 12. Alteração dos Dos 40 pacientes com adenomas retais.0 09 12.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol. correspondendo a 10.0001 Excrecências Mucosas 02 25. Dor Anal 23 31. (1) TIPO DE PÓLIPO NO RETO SIM NÃO TOTAL VALOR DE p Nº % Nº % Nº % Adenomas 24 60.9 colonoscopia. foi o neoplásico.541 •Tubulo-Vilosos 04 44. 17 Gases Intestinais 02 2.6 09 12. Houve predomínio da prevalência de pólipos seguido pelos não-neoplásicos. no entanto.206 Hiperplásicos 05 29. Ressalta-se. Em dois deles havia pólipos Tumoração 12 16.0 0.7 (42.0 08 10. A prevalência de pólipos proximais em todos os grupos Sangramento 43 58.2 idade acima de 65 anos. (1) Aplicado o teste não-paramétrico “Comparação entre duas Proporções”. .7 Entre os 17 pacientes com pólipos hiperplási- Seguimento 02 2. todos adenomas (Tabela-3).039 Inflamatórios .7 / paciente à colonoscopia entre os pacientes com adenomas retais Tabela 2 – Tipo de pólipo no reto em relação aos achados na colonoscopia. 25 Julho/Setembro.5%) apresentaram neoplasia na colonoscopia: 14 Prurido 02 2.7%) apresentaram neoplasia na Outro 03 4.8 mucosa normal.6 17 23.6% dos pacientes com pólipos retais Tabela 1 – Indicação de retossigmoidoscopia rí.0001). Tabela-1.9% (Tabela-2).4 0.206 •Serrilhados 04 80.4 12 70. Diarréia 09 12.2 < 0.0 06 75.

Figura 1 em relação àqueles com pólipos hiperplásicos retais. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº 3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols.500 Este estudo mostrou prevalência de pólipos indivíduos submetidos a retossigmoidoscopia flexível.052) de autópsias a distribuição dos pólipos em indivíduos (Tabela-3). 31 . 21. Em séries não houve diferença estatística significante (p = 0. 31. variando entre 10 a 20% no reto 8. 25 Julho/Setembro.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol. 18. não foi estudos utilizando colonoscopia. 32. Em relação ao achado positivo na colonoscopia. submetidos à retossigmoidoscopia rígida.31% em pacientes com queixas colorretais mostrando resultado semelhante ao encontrado em 229 . DISCUSSÃO 46 . Um estudo prospectivo recente mostrou prevalência de 5% de pólipos retais em 1. 23. a prevalência de observada diferença significativa (Tabela-4). retais de 4. 29. presumidamente assintomáticos é igual por todo o Na avaliação do tamanho do pólipo retal em cólon. pólipos retais gira em torno de 5% nos pacientes assintomáticos e 10% nos sintomáticos 13.

2967 Não 39 60.5%) 17 (42.1 TOTAL 65 87. embora já se tenham descrito pólipos ou sésseis.0 ACIMA DE 1. Os pólipos hiperplásicos são os mais de seleção e investigação.6 31 41. com taxas variando entre 80 observadas pode dever-se a diferenças nos métodos a 86% 19.7%) 00 (00%) 02 ( 11. Figura 2 Tabela 3 – Tipo de pólipo retal x Achados positivos na colonoscopia ACHADOS POSITIVOS NA COLONOSCOPIA PÓLIPO RETAL (Nº PACIENTES) ADENOMA (%) ADENOCARCINOMA(%) TOTAL(%) Adenomas (40) 14 (35%) 03 (7. A prevalência dos pólipos 230 .4 43 58.0 TOTAL VALOR DE p (1) Nº % Nº % Nº % Sim (Pólipo + Câncer) 26 40. 27.0 05 55.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol.2 74 100. 25 Julho/Setembro.7%) Valor de p = 0. os adenomas tubulares são os mais hiperplásicos grandes 10.052 (Aplicado o teste não-paramétrico “Exato de Fisher”) Tabela 4 – Achado na colonoscopia em relação ao tamanho do pólipo.9 0. ACHADO NA COLONOSCOPIA ATÉ 1. têm Dentre os pólipos neoplásicos. A variação entre as taxas comumente encontrados. 28.5%) Hiperplásicos (17) 02 (11. geralmente. comuns entre os não-neoplásicos e. nossa casuística 39 . 58.8 09 12. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols. pediculados menos de 5 mm.0 04 44.0 (1) Aplicado o teste não-paramétrico “Exato de Fisher”.

32.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol.0001) nos pacientes acima que o risco relativo de desenvolver neoplasia proximal de 40 anos. Analisando o tipo de pólipo retal em cada pela prevalência de neoplasias proximais entre 10 e faixa etária. há diferença significante 15% 4. 44. 25 Julho/Setembro. A freqüência de pólipos retais. Estudos prospectivos 3. 55. tendência para significância estatística. 30.7% tiveram achados neoplásicos à tais fatores de risco. Estudo prevalência entre 9 a 10% de pólipos hiperplásicos 5. têm-se idade. multicêntrico concluiu entre os neoplásicos (p < 0. A idade colonoscopia. não permitiria afirmar que a colonoscopia é dispensável se pode considerar um fator de risco. variam de 30 a 60% 6. pois já tinham para portadores de pólipos retais hiperplásicos. mostram taxas de A prevalência de adenomas é mais alta em neoplasias proximais que variam entre 30 a 50% à idosos. o que está de acordo com a portadores de pólipos retais hiperplásicos. é controversa ao analisar os pólipos retrospectivos 26. Nos 17 com pólipos hiperplásicos apenas estatístico relevante. Em relação aos pólipos hiperplásicos retais. 23 . porém diferença estatística significante entre os grupos todos os pacientes encontravam-se na faixa etária de (p=0. porém esses dados mostraram uma risco para câncer. 48 e alto. No Tais resultados foram reproduzidos em estudos entanto. 38. 24. 37. Apesar de dois diferença estatística significante entre os grupos e deles apresentarem pólipos retais adenomatosos. analisando pacientes portadores de pólipos de 24 a 47% 13. 23. 56. principalmente acima dos 60 anos. adenomas na família. 15 e retrospectivos 42 também Neste estudo os pacientes foram divididos têm mostrado taxas entre 30 e 60% de neoplasias em duas faixas etárias: até 40 e maiores de 40 anos de proximais. 44.1%) foi maior. 29. 42.7% tiveram neoplasia à colonoscopia. 61. separadamente. acima de 65 anos de idade. dos pacientes com adenomas já que a grande maioria dos pacientes não apresentava retais. Não houve Houve três casos de adenocarcinoma. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº 3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols. pela idade e história clínica. O gênero também não teve valor colonoscopia. determinar a prevalência de adenomas 8. 52. idade e sexo. mas tende flexível ou rígida. risco só aumenta quando os pólipos estiverem Neste estudo a história familial e a história associados a adenomas retais 50. 15. comparando-se com os afirmando que não é necessária a colonoscopia para não neoplásicos (45. o que não ocorre entre os não neoplásicos. justificado literatura. a necessidade desse parece ser o fator isolado mais importante para exame ao ser diagnosticado pólipo retal neoplásico. reforçando essa afirmação. de metanálise que envolveu um período de 33 anos. 45. Porém. a prevalência de pólipos retais número semelhante de trabalhos prospectivos neoplásicos (54. com achados de colonoscopia. 32.9%). com idade acima de 50 anos demonstraram há controvérsias na indicação da colonoscopia. 11. 26. ou seja. os adenomas são encontrados em taxas que . 33. 14. Entre populações de risco intermediário acordo com o tipo histológico do pólipo retal 12. a ser maior naquelas com alto risco de câncer tentando padronizar a indicação de colonoscopia. 38. ao contrário de outros que relatam aumento da concluiu que pacientes com pólipos retais hiperplásicos prevalência. hiperplásicos. Estudo prospectivo. 53. 21. 16. Evidencia-se então. 52 . Com um intestinal e dois deles tinham história familial positiva. os achados da colonoscopia e o tamanho dos pólipos 231 . Neste estudo. 31. número maior de pacientes é provável que houvesse com parentes de primeiro grau afetados. neoplásicos é afetada por diversos fatores como Existem vários estudos que correlacionam achados de história familial. de colorretal 45. Em ambas. em portadores de pólipos retais hiperplásicos é igual Isso leva a crer que a idade é fator importante no ao de pacientes sem nenhum achado no reto. o que pode Da mesma forma apresentavam alteração do hábito dever-se ao número pequeno da amostra. Em pacientes A grande maioria dos trabalhos prospectivos assintomáticos estudos recentes demonstraram taxas publicados. mesmo sem Este estudo demonstrou independência entre os achados do reto.052). 62 . Estudos com pacientes assintomáticos. indicação de exame completo do cólon. e que esse aparecimento de pólipos neoplásicos. justificando a colonoscopia 11. Outros têm risco entre 21 a 25% de desenvolver algum tipo de estudos com sigmoidoscopia revelaram prevalência neoplasia proximal e de 4 a 5% de desenvolver maior que 26% entre indivíduos com história de neoplasia avançada. pessoal de neoplasia colorretal não foram significantes. retais adenomatosos 2. 41. semelhante aos neoplásicos1. 9. 10. em exames de retossigmoidoscopia adenomas varia muito entre as populações.

et al. Olynyk JK. Molecular Genetics and Colorectal Neoplasia. The tumor growth is slow according with adenoma-carcinoma sequence. atic subjects. Blue MG. Collan Y. 47. Gastrointest Endosc. 1963. De acordo com estudos CONCLUSÕES retrospectivos recentes que indicam colonoscopia para os pacientes. et al. Platell C.9%.neoplastic polyps. The polyp size was not predictive for proximal neoplasia. The polyp size was not significant. o que justificaria a 42. Targets for screening. Are hyperplastic cancer. Patients and Method: Transversal study from 2000 to 2003. analisa isoladamente o tamanho do pólipo retal. 9. The patients were divided by age. proctossigmodoscopy. Eide TJ.31%) had rectal polyps. 2. rectosigmoid polyps associated with an increased risk of proxi. Sivak MV Jr. 25 Julho/Setembro. história familial. Skolnic MH. colonoscopia 20. 7. EUA. Pinkas M. Brady PG. dentre outros 49. 23% hyperplastic.9% de pólipos na colonoscopia.15% were adenomatous. Early detection of ad. There was no statistic significance when compared the positive findings at colonoscopy between groups of hyperplastic and adenomatous rectal polyps (p= 0.001). retais (p=0. 24. O que 4. 319:533. Nowadays colonoscopy is being discussed for individuals with small and non. respectively. idade. houve prevalência retal. 1991.1996. Clark JC. 157:223-6. Int J Cancer. principalmente se forem adenomas.7% apresentaram neoplasia proximal.1995. Ed.5% apresentaram neoplasia proximal. N Engl J Méd. 6. Key words: Colonoscopy. 74 (4. 100(2):564-6. que variam de 20 a 57%. Rev Gastroenterol Mex.8% mucosal polyps. Robinson BE. 61(1): 27-30. de 41. O tamanho do pólipo retal não foi preditivo para iria indicar o exame completo seria o tipo histológico. Ann Surg. histologic type and rectal polyp size. 1999. Nos pacientes com pólipos retais. colonoscopy. colonic polyps REFERÊNCIAS BILIOGRÁFICAS 5. Chapman I. et al. Collet JA. Prevalence of polyps in an seen at colonoscopy. Patients with rectal polyps were submitted to colonoscopy. et al. Results: One thousand seven hundred and fifteen patients were examined . Gastroenterology.2967). Hyperplastic polyps Igaku-Shoin. Miller FP. Nos pacientes com pólipos adenomatosos no reto. autopsy series from areas with varying incidence of large bowel 4. Exclusion criteria were rectal cancer and genetic polyposis syndromes. 14(1): 67-71. rectal polyps. Nos pacientes com pólipos hiperplásicos no reto.1% and 11. Aggressive polyps in hereditary nonpolyposis mon inheritance of susceptibility to colonic adenomatous colorectal câncer. Bishop Dt. 1985. polyps and associated colorectal cancers.2% inflammatory and 10. 39(4): plasms predict proximal neoplasia in average-risk.052). 57. 12. The histopathology evaluation showed that 54. Aims: To verify the prevalence of colonic polyps in patients with rectal polyps. 1988. Distal colonic neo- mal colonic neoplasms?. Adenomas and cancer were considered positive findings at colonoscopy. Achkar E. The majority polyps were found in patients over 40 years old and there was statistic significance in the neoplastic group (p< 0. Cannon-Albrigth LA. Com- 1. Ahlquist DA. há benefícios em indicar colonoscopia quando se 11. 1996 seen at sigmoidoscopy are markers for additional adenomas 8. Levy GM. 3. et al. Conclusions: Prevalence of colonic polyps in patients with rectal polyps was 41. 232 . Belsaguy AF. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols. Colonoscopy can make the diagnosis and treatment of polyps. independentemente do tamanho do pólipo 1. não argumentando que neoplasias proximais são importando o tipo histológico. Church J. Outros autores referem que não 3. SUMMARY: Colorectal cancer is the third cause of death in the south and south-east of Brazil. 36(2): 179-86. asymptom- 481-5. encontradas em pólipos diminutos (<5mm) em taxas 2. 1993. Gastroenterology. achado de neoplasia proximal.7% in patients with rectal neoplastic and non-neoplastic polyps. compare the polyp size and histologic pattern with colonoscopy findings. 108(5):1590-2. Adenomatous polyps of the large intestine: inci- enomas in asymptomatic subjects: flexible sigmoidoscopy or dence and distribution. Prevalence of proximal neoplasia was 49.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol. J Gastroenterol Hepatol.

et al. Foutch PG. J Gen Intern Med. a systematic rewiew and meta. Risk of advanced grade dysplasia in colorectal adenomas. Norway. National Polyp colorectal neoplasia. Read T. Lin CY. Proc R Soc Méd. 1997. Weiss DG. Condon SE. the colon and rectum. O´Brien MJ. 343(3):169. et al. A prospective study enomas in patients with rectosigmoid hyperplastic polyps. 16. N Engl J Med. 66(3): 347-56. pp126 28. The sentinel hyper. Polyps of the large intestine in northern with colonoscopy. Nusko G. 17(6):886-90. Am J Surg Pathol. Significance of 44. 343:162. Palitz A. 1990. J Clin Gastroenterol. 113(10): 760-3. 27(4):259-65. et al. Mai HD. The evolution of cancer of tion to age: A colonoscopic study. 1974. cancer. Lieberman DA. The polyp-cancer sequence in the large bowel. Gastroenterology. Zauber AJ. Stalsberg H. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº 3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols. 2000. 36(12): 1121-5. Lee SK. 26. et al. 43. 34. in asymptomatic average-risk persons with negative fecal oc- Yonsei Med J. 2000. Prevalence and malig. Disario JA. 42. Smith FW. 7(2):105-16. 24. Hui S. Importance of adenomas 5mm or 25. Pennazio M. Rex DK. 32. Gondal G. Study (NPS): The diminutive colonic polyp. Volpe RJ. mal adenomas after an adenoma is found on flexible sigmoi- 20. Martin ZZ. Lieberman DA. 1988. Use of colonoscopy 15. Am J Gastroenterol. 86(10): 1482-5. 1990.C. Gastrointest Endosc. Risk of proximal adenomas as predictors for proximal colonic neoplasia and colorectal neoplasia in patients with distal hyperplastic pol- choice of endoscope in population screening: experience from yps. 86(8):941-5. 29. Colon adenomas in 85(8):969-74. distal adenoma for detection of proximal neoplasms in the 39. 281(17):1611-7. Hixson LJ. Veterans plastic polyp: a marker for synchronous neoplasia in the proxi. Affairs Cooperative Study Group 380. Cancer. 2003. proximal adenomatous polyps with screening sigmoidoscopy: 13. Provenzale D. Granqvist S. 38. JAMA. Predicting advanced 18(2): 128-37. AM J Gastroenterol. Philadelphia. 1994. Kozarek RA. Arch Intern Med. Grotmol T. ultrastructural and in vitro cell kinetics. Adenomatous polyps of the colon: Pathological and 11. 33(7): hyperplastic polyps of the colon: A hipothesis based upon 574-9. Gottlieb LS. Pathogenesis of metachronous colorectal adenomas. 1991. Clark LC. Gastrointest 35. 65:451-7. Morson.. Epidemiology of polyps and cancer. et al. 1978. 35(8):830-41. Schembre DB. 31. 37. et al. Levin TR. 1978. Detection of Intern Med. 10. Imperiale TF. 2003. Ng K. DiSario JA. 41(1):98-106. Endosc. Cancer Detect Prev. 16(8):1025-31. 36. proximal neoplasms in asymptomatic adults according to the 1990. 1999. Longacre TA. Eide TJ. Lance P. Arrigoni A. O´Brien K. Dis Colon rectum. Read J. Cho YS. Gastroenterol Clin North Am. Kim EC. Morson BCJ: Pathology of colorectal adenomas: BC(ed): The pathogenesis of colorectal cancer. cult blood tests. tients with an age-related risk. et al. Winawer SJ. Hung KE. J Clin Pathol. Sugimachi K. 100(1):64. Muto T. 41. 163(4):413-20. 14(6):524-37. 2003. 2003. Screenig colonoscopy rectosigmoid polyp as a predictor of proximal colonic polyp. 1984 30:143. et al. A colonoscopic survey. Hoff G. Shrier I. Sandler RS. Fenoglio-Preiser CM. total colonoscopy ?. Sternberg S. 1975. Morson BC. 40. N Engl J Med. et al. Johnson DA. Dave S. Lang KA. Winawer SJ. 336:8-12. 2001. 26:1-17. polyps as markers of proximal neoplasms. Gastrointest Dis. Provenzale D. risk men. 233 . Gut. Konishi F. Hahn EG. 1991. Ikeda Y. Grossman S. Intern Med. Right.analysis of screening nant potential of colorectal polyps in asymptomatic average. marker for proximal neoplasia ?. Lin OS. 1990. Hayashi T. Foutch PG. B. 2000. 42(6):2839-48. Bussey HJR. Am J Gastroenterol. WB Saunders. 25 Julho/Setembro. Grading of distal colorectal 33. mal colon. 1990. Butterly L. lonic neoplasia associated with proximal colon cancers. Is the distal hyperplastic polyp a clinical features. Risio M. to screen asymptomatic adults for colorectal cancer. colonoscopy. Arch 30. Lev R. patients with hyperplastic polyps. et al. 1996. Apostol J. 2000. Bond JH.sided found in 19. Dinning JP. Small rectosigmoid 74. Rustgi AK. Lehman GA. the Norwegian colorectal cancer prevention study. Surg Endosc. Hawes RH. Sandler RS. The National Polyp colorectum. Fisher JR. Yatani R. 2003. Scand J Gastroenterol. 12.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol. Am J Gastroenterol. Gastroenterology. Gastroenterology. et al. Mixed hyperplastic 52(3): 398-403. 1997. Am J Gastroenterol. Gastrointestinal adenomatous polyps. Correa P. Do distal adenomas mandate 10(1):46-9. 98(9S): S116. Endoscopy. 1991. 36(6):2251-70. Study: Patient and polyp characteristics associated with high- 21. Wiest G. 18. 52(3):358-61. Gurney MS. Manne RK.1991. Springer. Yoshizumi T. Khan A. 98(2):371-9. 154(8): 853-6. Itzkowitz SH. Prevalence of proxi- 1974. Prevalence of distal co. Wagner DR. Cancer.Verlag. 1982. proximal colonic neoplasia with screening sigmoidoscopy. Gordon PH. Imperiale TF. Lewis JD. Risk for colon ad- 23. 86(8):946-51. Significance of small doscopy. et al. New York. adenomatous polyps/serrated adenomas: A distinct form of 17. 1981. 22. Screening for colon malignancy 14. Semin 1993. NEJM. Kang JK. Distribution of polyps in the large bowel in rela. distal colorectal findings. Ann of the prevalence of colonic neoplasms in asymptomatic pa. In Morson 27. Kim WH. Colorectal polyps and their relationship to less in diameter that are detected by sigmoidoscopy. 2003. et al. et al.

Cancer. et al. colorectal cancer by colonoscopic polypectomy. Garfinkel L. 115(3):533. et al. Zheng S. 25 Julho/Setembro. and miss rates at 1993. Lewis BS. Gerdes H. Is colonoscopy needed 58. Is colonoscopy minutive colonic polyps found at flexible sigmoidoscopy. 1982. 25. 1998. Bonelli L. et al. Distal hyperplastic pol. Cancer. 45. Zauber AG. Frankel A. Chey WD. Small colon polyps. Schoen RE. 2005 em Pacientes Portadores de Pólipos Retais Nº3 Humberto Fenner Lyra Júnior e Cols. Sciallero S. Moseley R. Kemp JA. Sciallero S. Tedesco FJ. intestine in Oslo: An autopsy study. 1993. Glick ME.Rev bras Coloproct Importância da Colonoscopia no Rastreamento de Pólipos e Câncer Colorretal Vol. 90(21): 1661-5. 46(2):124-30. A randomized. cancer potential of colonic polyps. 53. Vatn MH. Stern MA. Gastrointest Endosc. doscopy?. J Natl Cancer Inst. et al. Ann Surg. 83(2):120-2. large intestine: A necropsy study of Hawaii Japanese. 62. Waye JD. Diverticulosis and polyps of the colonoscopy? Gastroenterology. 1989. Am J polyp prevention trial. Farraye FA. Rhodes RA. Fogt F. et al. Rúbia Carla 54. et al. J Gastroenterology. Villavicencio RT. Colonic Adenomas: Prevalence moidoscopy: are they significant?. 1982.Florianópolis – SC cance. Gianini A. 31(5):1260-70. Winawer SJ. Am 49. 1998. growth rates. 2000. 28(1):1-5. Shinya H. 1979. Polyp Study Workgroup. 48. tosigmoid adenomas 5mm or less in diameter need total 60. 89(1):123-5. 1973. centric study of colorectal adenomas. 57. Wallace MB. 40(5): 475-7. 1988. Pickens CA. 56. Yatani R. Schatzkin A. Tel: (48) 9963-7506 Balneário yps: Histopathology. Small polyps found at sig. Wolff WI. 2000. Potter JD. Semin Gastrointest Dis. anatomic distribution. Rokkas T. Do patients with rec. 129(4): 273-8. 1999. N Engl J Med. 49(4):819- 43:1847-57. Warner AS. et al. 59. Gastrointes Endosc. Zarchy TM. Hendrix JC. 1994. et al. The National 50. 106(6): 1501-4. flexible sigmoidoscopy predict advanced lesions on baseline 52. 1994. 46. Gastroenterol. 61. The significance of di. 95(8): HUMBERTO FENNER LYRA JÚNIOR 2074-9. 329(27):1977- yps do not predict proximal adenomas: results from a multi. and incidence rates. 41. Rua São Pedro 160 ap 302 Ed. 1979. Yang G. Wyman JB. tial adenomas as predictors for metachronous adenomas of 51. Bruzzi P. 47. Ann Intern Med. Bruzzi P. Stalsberg H. 88075-520 . Rickert RR. Do characteristics of adenomas on 190(6):679-83. Karameris A. 50(3): 314-21. 11(4): 185-93. Morphology. Rex DK. 1998. Gastroenterology. Ryan ME. Diminutive pol. Humbertolyra@pop. Stemmermann GN.com. colonoscopy. and clinical signifi. Corle D. indicated for adenomas found by screening flexible sigmoi- Gastrointest Endosc. spatial distribution. et al.br 234 . Adenomatous 55. 81. 35(2):85-9. Pathologic features of ini- 1997. Mikou G. Multiple large hyperplastic for the nonadvanced adenoma found on sigmoidoscopy? The polyps of the colon coincident with adenocarcinoma. Ershoff D. Cancer. Prevention of colonoscopy? Gastrointest Endosc. Hepatogastroenterology. The prevalence of polyps of the large lesions of the large bowel: An autopsy survey. and the rectum. controlled trial to asses a novel colorectal cancer screening strategy: the conversion strategy – a comparison of sequential sigmoidos- copy and colonoscopy with immediate conversion from sig- moidoscopy to colonoscopy in patients with an abnormal Endereço para correspondência: screening sigmoidoscopy. Am J Gastroenterol. Auerbach O.