You are on page 1of 4

XXIV Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica – 11 a 15/09/2017 – Rio

Grande - RS

CORREÇÃO DA APLICAÇÃO DE GRAXA EM MANCAIS DE
ROLAMENTOS

Luís Henrique Chagas dos Santos, Lucyano Wellington do Nascimento Medeiros, Vitor Vilarindo Coimbra, José
Antônio Silva Júnior, Theonas de Sousa Queiroz, Isaque Silva dos Santos.
Faculdade Pitágoras – São Luís - MA
Av. São Luís Rei de França, 32 – Turu, São Luís – MA, 65065 - 470
E-mail: santos.isaquesilva@gmail.com

RESUMO: Neste trabalho, propôs-se identificar a formação da película filme lubrificante ideal em mancais de
rolamentos. Para tanto, foram necessários estudos teóricos e aplicação em campo que tratassem acerca das melhores
práticas para dimensionamento do óleo básico de uma graxa lubrificante e a correção na aplicação em quantidade e
período. A metodologia utilizada foi estudo de caso. Os materiais empregados no estudo foram um termômetro
infravermelho e uma balança digital. Ao final do período de análise, obtiveram-se os resultados esperados, tais como:
viscosidade correta do óleo básico da graxa, quantidade e período corrigido para lubrificação dos mancais.

Palavras-Chave: Lubrificante, Mancais, Rolamento, Dimensionamento, Período.

ABSTRACT: In this work, it was proposed to identify the formation of the film ideal lubricant film in bearings. For that,
it was necessary theoretical studies and application in the field that dealt with the best practices for designing the basic
oil of a lubricating grease and the correction in the application in quantity and period. The methodology used was a case
study. The materials used in the study were an infrared thermometer and a digital scale. At the end of the analysis period,
the expected results were obtained, such as: correct viscosity of the basic grease oil, quantity and corrected period for
lubrication of the bearings.

Keywords: Lubricant, Bearings, Bearing, Sizing, Period.

INTRODUÇÃO

A lubrificação é um dos processos de manutenção industrial mais importantes para a conservação e aumento da vida
útil de todo equipamento ou mecanismo. De acordo com Carreteiro (2006), a lubrificação possui a função de formar uma
película protetora, reduzindo o atrito entre ambas as superfícies móveis ou uma fixa e outra móvel.
A necessidade de um estudo detalhado foi sugerida pela ausência do manual técnico de um equipamento citado ao
longo desta obra, ou seja, não foi possível saber qual a viscosidade correta do óleo base da graxa para a lubrificação do
mancal e nem o período estimado para relubrificação dos mesmos.
Desta forma, este estudo irá demonstrar através de cálculos e referenciais teóricos, baseados nas informações
apuradas em campo estabelecer um período ótimo de relubrificação, bem como, a quantidade ideal de graxa a ser aplicada
em mancais de rolamento. Para esta análise, ferramentas e equipamento serão utilizados para a coleta de dados acerca da
operacionalidade dos componentes para nortear o estudo.

METODOLOGIA

Para o estudo foram utilizadas ferramentas manuais e eletrônicas para obtenção dos dados, tais como: chave de boca
19 mm para fixação dos mancais, termômetro infravermelho para verificação da temperatura de operação dos mancais e
uma balança digital para pesagem da quantidade de graxa aplicada ao mancal de rolamento. Logo após a coleta de dados,
será feita a análise dessas informações por meio de tabelas e gráficos para a determinação dos melhores parâmetros
possíveis para sua utilização.

Procedimento experimental
Em visita ao pátio de operações de uma determinada mineradora, foi possível observar que a lubrificação dos
rolamentos é realizada com uma graxa com sabão espessante de poliuréia e viscosidade do óleo básico 115 cSt @ 40ºC .
Porém, na ausência do manual técnico do equipamento, não foi possível saber qual a viscosidade correta do óleo base da

000 100 a 115 Moderada 100. Figura 1.000 a 400.mesma e nem o período estimado para lubrificação dos mesmos. um ambiente muito agressivo. A temperatura média de trabalho dos mancais gira em torno dos 110ºC. Trabalham em ambiente severo onde sofrem com a ação do tempo.000 22 a 32 Alta 200. com furo de lubrificação central. fuligem e pó abrasivo decorrente do processo de britagem.000 150 a 220 Baixa Abaixo de 100.000 a 200. a quantidade ideal de graxa a ser aplicada aos mancais. levantamos algumas variáveis para nos auxiliar. bem como. Rolamento 22224 C3 W33 𝑫+𝒅 DmN = ( 𝟐 ) x (RPM) (1) Rolamento: DmN = 167. assim como. Portanto. Pelo mesmo motivo. 1790 RPM. seguem os dados do rolamento em questão: Tabela 1. Viscosidade do Óleo Básico Limites de Velocidade Para as Graxas Industriais Velocidade Fator dmn Viscosidade do óleo básico Muito alta Acima de 400.825 De posse do Fator DmN. Dados Rolamento NSK Diâmetro Médio do Rolamento Rolamento Ø (mm) Dm (mm) RPM 22224 CC Ext. a aplicação da quantidade de graxa não segue um padrão. temperatura esta. Temperatura do mancal Os rolamentos são do tipo autocompensador de rolos. 120 Tendo em mãos as dimensões dos rolamentos e a respectiva rotação de trabalho do equipamento. equação (1).5 x 1790 = 299.215 167. considerada elevada.2006).000 460 a 1500 . os limites de velocidades para as graxas industriais são mostrados na tabela abaixo: Tabela 2. Na tabela 1. é o produto do diâmetro médio do rolamento ( 𝟐 ) x (RPM) rotação de trabalho do rolamento (CARRETEIRO. modelo 22224 CC/W33. é possível calcular 𝑫+𝒅 primeiramente o fator de velocidade DmN cuja fórmula. fabricante NSK. não se possui período definido. para que consigamos efetuar os cálculos acerca do período ótimo de lubrificação. A quantidade inserida no mancal diariamente de acordo com relatos do técnico responsável são aproximadamente 1000g.5 1790 W33 Int. A rotação de trabalho é alta. Desta forma.

pois. . É importante que seja feita a lubrificação correta. compreendido na faixa entre de 200. N = velocidade do eixo (RPM) d = diâmetro interno do rolamento (mm) FB = fator do tipo de rolamento (rolamento cilíndrico = 5. conclui-se que o mesmo indicou velocidade limite alta.003 x 215 x 58 = 37. devido a um aumento na resistência ao movimento das partes rotativas e aumento da resistência térmica de transferência de calor. 80°C = 0. 𝟑𝟓 𝐡𝐨𝐫𝐚𝐬 (1790×√120)−(4×120) RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados obtidos através dos cálculos propostos norteiam de modo coesivo os passos idealizados para correção da aplicação de graxa nos mancais de rolamentos.000 a 400. aplicar a graxa correta e na quantidade adequada. esferas = 10) FT = fator de temperatura (abaixo de 70°C = 1.25 ∴ 𝐅 = 𝟏𝟏𝟒.25) 14000000 Rolamento: F = [ ] ×5×0. com o objetivo de se padronizar um período de utilização da graxa. prejudicando as características de lubrificação mesma.41 gramas Cálculos da frequência de relubrificação dos rolamentos (F) A frequência trata do período ideal para a relubrificação dos rolamentos. Analisando o resultado do fator DmN do rolamento. dentro da faixa de viscosidade exigida para a velocidade de rotação. com o valor corrigido.125×0. esférico/axial = 1. a viscosidade base da mesma é de 115 cSt @ 40ºC.125) FC = fator de contaminação (normal = 1. o consumo deste lubrificante em uma escala mensal está condicionado 216 Kg. Para este caso.5.003 𝑥 𝐷 𝑥 𝐵 (2) Onde.000. pois lubrificação deficiente ou excessiva trazem efeitos prejudiciais. este consumo caíra drasticamente para 36 Kg. Uma vez que na prática atual. A lubrificação em excesso pode acarretar na elevação de temperatura do mancal. crítico = 0. A Equação (3) para o cálculo da frequência de relubrificação leva em conta alguns fatores: 14000000 𝑭 = [(𝑁×√𝑑)−(4×𝑑)] ×𝐹𝐵×𝐹𝑇×𝐹𝐶1 (3) Onde. 0.25. são necessários o diâmetro externo e a largura dos rolamentos em milímetros: A Equação (2) calcula a quantidade de graxa (G) em cada relubrificação do equipamento: 𝑮 = 0. Cálculo da quantidade de aplicação de Graxa (G): Segundo Carreteiro(2006). 100°C = 0.5. 90°C = 0.003 = Para rolamentos W33 (Furo central de lubrificação) G = Quantidade de graxa em gramas D = Diâmetro externo do rolamento B = Largura do rolamento Rolamento: G = 0. para o cálculo da quantidade de graxa para relubrificação. a aplicação da graxa atual possui as características técnicas recomendadas segundo a ficha técnica do produto consultado. ou seja. isto é. além de evitar possíveis falhas consequentes do excesso ou ausência de lubrificação. moderado = 0. que seria ideal entre 100 e 115 cSt.

MOBIL INDUSTRIAL LUBRICANTS. Lubricants Additivies – Chemistry and Applications. Rio de Janeiro: Interciência: IBP. Lubrificantes & Lubrificação Industrial. espera-se compartilhar com este artigo. Ronald P. O objetivo proposto em todo o trabalho foi abordado de maneira direta. . 2006. algumas ferramentas básicas para a compreensão geral sobre os problemas abordados. AGRADECIMENTOS Caso necessário. RUDNICK.A. O mesmo revela a falta de conhecimentos básicos na determinação de qualquer tipo de lubrificantes e métodos de boas práticas na área de lubrificação na ausência de qualquer informativo técnico explícito.cosan. alcançando o resultado proposto na correção da viscosidade do óleo básico. 2017 NSK BRASIL.N.htm#tab2969> Acesso em 27 Mar. mostrando uma visão geral e abrangente deste conceito. Disponível em: http://mobil. período e quantidade de graxa para lubrificação.com/pt-br/industria/processos- primarios/mineracao> acesso em 27 Mar.com. CRC Press – Taylor & Francis Group. 2009. 2017 O(s) autor(es) é(são) o(s) único(s) responsável(veis) pelo material impresso contido neste artigo. Disponível em: http://nsk.. assim como.br/rolamentos-144. REFERÊNCIAS CARRETEIRO. pode servir de referência básica para uma iniciação de estudos bem mais aprofundados acerca da lubrificação de mancais e rolamentos.. P.CONCLUSÃO O estudo realizado elencou os fatores básicos que influenciam na correta lubrificação dos mancais de rolamentos. BELMIRO. LESLIE R.. inserir uma seção de agradecimentos. Deste modo. Second Edition.