You are on page 1of 36

Tudo depende de nós


A Sandivik Coromant... re-
força sua condição de
empresa centrada na
busca da melhor e mais perfeita
lapidação de arestas humanas e
Isso é um fato também. Só que há o outro lado da
medalha: eles podem reinventar a vida, algo muito
mais difícil e necessário, e é o que fazem quando
aplicam seu potencial de aperfeiçoamento para trans-
formar elementos que tiram da terra, da água e do
materiais”. Com sua licença, leitor, ar naquilo que lhes permite viver mais tempo, me-
vou “pegar carona” no que es- lhor e mais intensamente.
creveu o diretor-presidente da A tecnologia existe por obra do homem e a ele ser-
Sandvik Coromant em sua pági- ve, sendo benéfica ou não, dependendo de como é usa-
Maria Carolina Bottura
na nesta revista, ao lado desta que da ou vista — os aviões transportam profissionais que
escrevo, à qual tive acesso duran- viajam a trabalho, pessoas em férias e doentes à pro-
te o processo de edição deste número. E por mais re- cura da cura da mesma maneira que podem transpor-
petitivo que possa ser, não consigo afastar o assunto tar homens e armas para fazer a guerra, por exemplo.
“terceiro milênio” dos meus pensamentos. Se tudo o A questão mais urgente, portanto, é o refinamento do
que se disse e se escreveu há muito tempo realmente ser humano e estamos num momento único — os fi-
tivesse acontecido, agora não estaríamos aqui. Não nais de ano são sempre festejados, mas este pode sig-
haveria o ano 2001. Tudo estaria destruído. nificar nossa passagem para uma nova era, uma épo-
Os pássaros metálicos que cortariam os céus cus- ca tão espetacular que será descrita na história como
pindo fogo previstos por Nostradamus (ou por al- a mais efetiva na busca da perfeição humana e do que
gum dos intérpretes do que se disse que ele afirmou, ela provoca na esfera material. Depende de todos nós.
não sei) já existem, é verdade: aviões e outros veícu- E esta edição de O Mundo da Usinagem é uma de-
los aeroespaciais se deslocam no ar para lá e para monstração palpável de que as pessoas que formam a
cá e até, em épocas e regiões belicosas, carregam e Sandvik Coromant, junto com as que usam seus pro-
detonam bombas arrasadoras. Homens querendo do- dutos e serviços, não só já acordaram para este fato
minar homens são capazes de reinventar a guerra. como estão trabalhando neste sentido.

REPORTAGEM SEÇÕES
Já está no ar o sistema de compras via Internet da Sandvik Coromant ----- 17 Página do Presidente ------------------ 3
Carta aos Leitores ----------------------- 4
ARTIGOS TÉCNICOS Carta do Leitor ---------------------------- 5
Rumo ao novo milênio com ferramentas de alta performance ------------------ 10
Notas & Novas ---------------------------- 6
O exemplo Mondragon: um novo caminho para o século XXI ------------------ 21
Destaques --------------------------------- 32
“Comunicação” é uma palavra-chave para se otimizar a usinagem ---------- 25
Entre em Contato ----------------------- 33
Mais algumas revoluções da Terra e estaremos
no próximo século e milênio. A Titex Plus
sempre se adiantou às novidades tecnológicas e
vai continuar se adiantando

Com o Shop Online, quem faz
Com O Exemplo de Mondragon, Joel usinagem pode comprar
A. Barker conta uma experiência ferramentas só com as pontas dos
bem-sucedida de como a visão que dedos. Assim, sem burocracia, os
se tem do futuro determina o compradores se dedicam a negociar contratos e
sucesso do presente. encontrar melhores soluções técnicas

2 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil - 4. 2000

O Mundo da
Usinagem Lapidando arestas materiais e humanas
Publicação trimestral da Divisão Coromant da
Sandvik do Brasil S.A. - ISSN 1518-6091

e-mail:
omundo.dausinagem@sandvik.com

SANDVIK DO BRASIL
Diretor-Presidente: José Viudes Parra

DIVISÃO COROMANT
Diretor: José Viudes Parra
U ma gota d’água cai no
centro de um lago e sua-
vemente gera ondas
que se propagam do centro
para fora, percorrendo toda a
superfície onde caiu. Este é o
Gerente de Negócios: Claudio José efeito do estilo gerencial ado-
Camacho tado pela Sandvik Coromant,
Gerente de Marketing e Treinamento:
em que cada um dos profissionais da empresa emana ondas positivas
Francisco Carlos Marcondes
Coordenadora de Marketing: Heloísa
que reverberam dentro de seu próprio ambiente de trabalho e se pro-
Helena Pais Giraldes pagam por muitos outros.
Assistente de Marketing: Cibele Ao se abrir para a adoção desse estilo em que a figura do líder ou
Aparecida Rodrigues dos Santos chefe transmuta para a de alguém que ilumina, orienta e estimula os
Coordenadora da publicação e funcionários, cortando as amarras de técnicas gerenciais e de lide-
tradutora: Vera Lúcia Natale rança onde predomina a centralização do poder e de decisões naque-
Editora: Maria Carolina Bottura les que ocupam cargos mais elevados, a Sandvik Coromant dá uma
Editoração Eletrônica: Adilson A.
Barbosa
demonstração clara de que seu caminho é mesmo o da excelência no
Fotografias: Izilda França Moreira e seu sentido mais amplo — desde os aspectos pessoais até os estrita-
Studio Amat mente profissionais daqueles que, conjuntamente, a compõem e lhe dão
Fotolito: Studio Quatro Fotolito Digital vida, pois uma empresa são seus homens cujas energias se somam e
Gráfica: Fotoline Gráfica e Fotolito criam tecnologias, produtos e mercados.
A revolução do ser humano talvez seja a mais difícil das muitas que
CORPO TÉCNICO
(DIVISÃO COROMANT)
ocorrem no dia-a-dia. E certamente a mais importante. Dela resultam
Gerente Regional do Departamento todas as outras, formando-se uma cadeia seriada e abrangente de trans-
Técnico: José Roberto Gamarra formações que se refletem e dão impulso para que outras se realizem.
Especialista em Fresamento: Marcos Homens em permanente aperfeiçoamento fazem com que tudo e todos
Antonio Oliveira à sua volta também o façam e recebam os benefícios disso. É assim que
Especialista em Capto & CoroCut:
Francisco de Assis Cavichiolli
a revolução interior de cada um, que é pessoal e intransferível, vai se
Especialista em Torneamento: Domenico propagando e se torna coletiva. Com isso a excelência, considerada
Carmino Landi um diferencial positivo de pessoas e coisas no mundo de ontem e uma
Especialista em Furação: Dorival exigência neste de agora, passa a ser universal. E esta é uma das mar-
Aparecido da Silveira cas mais profundas, inevitáveis e bem-vindas da globalização.
Especialista em Torneamento: Antonio
José Giovanetti
A Sandvik Coromant já deu os passos fundamentais para que da
Especialista em Die & Making: Sílvio atuação de seus profissionais reverbere a excelência absoluta dos pro-
Antonio Bauco dutos e serviços que coloca no mercado. E com isso reforça sua condi-
ção de empresa centrada na busca da melhor e mais perfeita lapida-
SAC (Departamento Comercial): ção de arestas humanas e materiais, não nos restando qualquer
(11) 5525-2743
Atendimento ao Cliente:
dúvida de que nada mais faz do que o que o lhe compete. Mas o
0800 55 9698 faz muito bem.

José Viudes Parra
Av. das Nações Unidas, 21.732 – Santo Amaro Diretor-Presidente
– São Paulo – SP – CEP 04795-914

O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil - 4. 2000 • 3

2001. o propul. Divisão Coromant Sandvik S. 0 á alguns anos (não muitos. Não estou falando do eu ainda jogava futebol. melhor ainda. sor que existe dentro de si mesmas. que seria o futuro se consolidar mais cedo. Mas há uma diferença fundamental daquele que vai ser o primeiro ano do novo milênio e do em relação aos tempos anteriores: a obtenção de resulta. alimentando. Gerente de Negócios tam a sonhar novamente. O ano importante agradecer pelo que passou que está terminando. porém. nos trouxe a con.Caros amigos. com Claudio José Camacho suas ações. transformam esses sonhos em realidade e vol. res- país que dá certo e a certeza de que paldados na certeza de que estare- o rótulo de “país do futuro” que nos mos colaborando incessantemente foi imposto faz parte do passado. meu avô Aproveito a proximidade do final do ano para agradecer dizia que estávamos muito próximos do fim aos nossos clientes-amigos que nos ajudaram a realizar do mundo e que nunca chegaríamos ao ano nossos sonhos e permitiram que fizéssemos parte da rea- 2000. Mais que isso. de tê-lo feito Brasil um país que se ultrapassa cotidianamente e faz o dentro da ética profissional. não é de falar de negócios e sim das pessoas que os realizam. " _ O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Estejamos unidos como sempre. novo século. no entanto. 2000. e. estudam. pião e bola de gude apenas dos profissionais da Sandvik Coromant. se dedicam plena e incansavelmente aos afaze- res do dia-a-dia. o quanto nos apraz esta relação de amizade e profissio- Pois bem. Duvidar dos mais velhos lização dos seus. riem e desempenham diferentes papéis dentro da nossa sociedade. pois para a realização de seus sonhos prosperamos e evoluimos a cada dia vindouros. quero também reforçar sempre implicava algum castigo. para realizar os nossos. revelou maravilhoso. E contamos com vocês do nosso presente. e ombro-a-ombro façamos gido constantemente. assim. Este momento. incentivos mútuos e múltiplos. num vai-e- efetivamente é véspera da mudança do século e do milê. na rua de casa sem qualquer risco.4. vém. acreditem). É nio. mais um tempo de crescimento pes- dos positivos! É especialmente gratificante chegarmos ao soal e profissional. cá estamos! Chegamos agora no final do ano e nalismo de duas mãos por onde trafegam. Vivemos um momento de muito trabalho. tão amplamente alardeados no ano passado. Pessoas que trabalham. 2000. Contrariá-lo? Jamais. 2000 . se emocionam — às vezes até choram —.A. Comemoremos juntos a passagem de um ano que se onde o esforço adicional de cada um é exi. tanto quanto o é incentivar cada um firmação definitiva de que este é um de vocês a continuar sonhando. Pessoas que se permitem sonhar e que. mentando reciprocamente nossa vocação de fazer do vos previamente traçados. ali- final de mais um ano certos de que superamos os objeti. quan.

dêem um recado para e..4. portanto. logo pela manhã. local de trabalho e dizer isso a uma nem existia e. quada! Eles publicam bobagens.. vocês sabem que ginem a cena: ele chegando ao tra. Eu também cos. Mega Tools Ltda. Aí fi- co de ferramentas da Voith Sulzer. 2000 da revista O Mundo da à baila quando saí de lá. mas dife. na página 23. a Wiper é excelente para crever que alguém teve um “insi- por que eu nunca tive um? Na foto um bom acabamento ou para do. Ali. notado”. a Sandvik correu o de-cadeira” para quem algo imoral. E se esse tal “insight” fosse eu sei. ginar o que seria “ter um insight” um “insight” repentino. E mais tava ao seu lado e você não havia Usinagem. “insight” que os tenha. tes diriam que ele morreu porque Terminada a visita o assunto me a pastilha da Sandvik era inade. nela. ght” no raio que a parta! Na próxi- aquele senhor aparenta ter bem brar o avanço. de ficar divulgando para todo mun. Quem acha normal ter Chegando em Jundiaí fui logo tumo ler e dias atrás isso me cau. dra. fatal. Pensei no sujeito lá. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Mais para quem acredita ligações. Mas der assim que chegamos. “de repente”. use o termo “de repente. uma montanha-russa de do! Abandonei o assunto assim que gua inglesa. com uma pastilha Wiper na mão!? essa redatora.. Amigos. ela é lida basicamente por vocês também sabem que propa- mas quem tem “anos de janela” homens. a redatora escre. pagar... técni. E me restou ima. companheiros. algo grave. E é crime. Filho. caiu a ficha” que todo mundo vai Sandvik e outros 10 anos de Krupp aquele senhor poderia ter deixado entender. morto por menda inveja do “insight” dele. que o senhor E se “ter um “insight” fosse traduzi para o nosso bom portu- Rubens Bueno de M. mas não é indicada ma vez. sar em situações diferentes e ter eu não falo inglês. balho. Jair Munarolo veio à cabeça de novo. Nem todos os com. mas já há várias mulheres ganda enganosa sempre causa es- aproveita este tempo “morto” para que operam tornos CNC e não acho trago. profunda conhecedora da lín- timentos. mas ele voltou “insight”. tras pendências. ção? Como pude pensar aquilo quei com muita raiva da redatora afirmou categoricamente: “De re. Que eu veu. pornográfico mesmo? mundo e fez a boa fama que tem trabalha na área de ven.. guês como “cair a ficha”. A culpada foi a edição cheguei ao cliente. Como pôde filhos pequenos. mas nada perguntando à minha filha San- sou uma horrível confusão de sen.“Descobrir algo que es- 2. e tendo sentimentos conflitantes. de atuação nesta área. ainda por cima. bem. não pode pradores podem nos aten. é claro. me fazendo pen- Companheiros. por favor: “Vá es- Achei lindo alguém ter isso. bom que leiam essas coisas desa.Haja paciência. “insight” e com uma pastilha da Nisso o comprador me chamou e Coromant na mão. 2000 _ # . ajustes na agenda e ou. daquele senhor!? E se ele tivesse que disse que o senhor Rubens pente tive um insight”. menos que os meus 25 anos de para quem tem “insight”. Que ousadia a dele “ter insight” no num tempo em que tinha país que das. problemas sérios de saúde? Ima. mas Está bem. N ão é raro tomar um “chá. revista séria como a nossa! Tudo ter criado nada antes dela. rente. Afinal. o que significa emoções. Os concorren- parei de devanear. Inclusive eu. caramba!”. um problema de cora. que lástima! Confesso que fiquei com uma tre. E Agora. dissera aquilo. prestações por ter um “insight” antes de mim?. uma vez de maneira diferente. gradáveis. foi a resposta.

Ole fresamento da Janeiro (RJ). e a 111. novidades em fresamento e torneamento A presentar as novas tendências neamento interno em furos de 16 vimento de produtos no Grupo sue- em usinagem. veio para de cerca de 1. mais especifica. São Paulo. romant como uma das maneiras de Turning (veja a matéria publicada Landi falou sobre as novas pas. (MG) e a General Motors. 2. reduz as forças de cor. especia. Maringá. tiveram uma platéia O Coropak é mantido no calen. fazer o lançamento da linha Steel área de usinagem durante o evento. Ole da Suécia.000. especialista em fresamento Strand. este evento é uma classes e geometrias para Também mereceram destaque a boa oportunidade para apresentar fresamento recém-lançadas pela nova classe GC 2005 e a expan. vação constante. Com es- (PR). “Como nossa linha tem reno- vos materiais e processos. em ferramentas de torneamento para ria brasileira. de São a usinagem de eixos longos e o tor. vimento dos pro- Este foi o programa do 2° Coropak cessos de usina- de 2000. Gotz Werner. balham diretamente no desenvol. Caxias do Sul (RS). Há também o outro lado do Coropak: ele coloca os técnicos vindos da Suécia em contato com as preocupações e deman- das do mercado brasileiro. vel de desenvol- mente a expansão da CoroMill 390. realizado em outubro nas . Em da Sandvik Coromant da Suécia. especialista lista em torneamento da subsidiá. edição tilhas positivas CoroTurn: a 107. as novidades de forma diferente e Sandvik Coromant. assistiram às gem de metais no cidades de Joinville (SC). ve visitando duas empresas: a Fiat te e evita vibrações.. além de colocá-los em con. agora disponíveis em cerâ-usuários de nossos produtos pos- sam ver e tocar os lançamentos e receber inúmeras informações so- bre eles e seus benefícios e sobre as novas tendências em usinagem”.. Ole Bosch e a Em- Strand.. 2.. 6 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Campinas Strand visitou a Sandvik Coromant e São José dos Campos (SP). Heinz subsidiária brasileira Domenico Carmino Landi.4. sobre novidades na área de usina. 2000 . Caxias do Sul e portância e o ní- Rio de Janeiro. porque permite que os família CoroMill. e de Domenico braer (SP).No último Coropak. e furos pequenos de 7 a 32 mm. incluindo no. de José dos Campos (SP). Joinville. e Carmino Landi. especialista em torneamento da maio deste ano. Campinas. Maringá palestras do Brasil. Wiper.000 profissionais da dário de eventos da Sandvik Co. e em especial a são da linha de pastilhas alisadoras dinâmica. é voltada para tato com os especialistas que tra. manter seus clientes atualizados em O Mundo da Usinagem. Rio de especialista em tes objetivos. gerente de marketing da Sand- vik Coromant do Brasil . mica e CBN. além de dados de rea- lidade que lhes Profissionais da área de usinagem de São permitem avaliar Paulo (foto). para co. gem. página 4) e também este- otimizada. Studio Amat diz Francisco Carlos Marcondes. a 75 mm de diâmetro. São José dos com rigor a im- Campos. a indústria automotiva.

Batocchio (Unicamp). sistemas integrados para taria do programa de projeto e manufatura. primentos e logística industrial. abrange a usinagem de metais (fun.unicamp. monitora. que tem nível de pós.Conheça o curso de especialização da Unicamp e da Sandvik A Sandvik Coromant fechou 13 horas no período de 6 de uma parceria com a Facul. da Unicamp. Klaus Schützer usinagem simultaneamente com ou. é voltado para profissionais com Eugênio José Zoqui (Uni- nível superior que preferencialmen. sis. sistemas de planeja. o curso é co- nica da Universidade Esta. Francisco economia ou administração de em. introdução à cursos de extensão da gestão da qualidade. José Antonio Arantes Sal- Abordando aspectos técnicos e les (Unimep). Milton Vieira Jr. Pedroni (Sand- locidades).4. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Reginaldo T. entre temas de ferramental flexível para em contato com a secre- usinagem.A. camp pelos telefones Realizado nas dependências da (19) 289-1969 ou (19) Sandvik do Brasil S. o conjunto de disciplinas A. Carlos Marcondes (Sandvik presas. tec. Coelho (EES-USP) e nologia HSC (usinagem a altas ve. a chancela da Unicamp. Antonio Batocchio (Uni- graduação e duração de um ano. fax (19) Paulo (SP). e sistemas de Faculdade de Engenha- avaliação de desempenho e estraté. (Unimep).br. vik Coromant). 2000 • 7 . ria Mecânica da Uni- gias competitivas. (Eaton). camp). camp). Paulo A. planeja. Para mais informa- marketing estratégico industrial. Cauchick Miguel (Uni- mento do processo assistido pelo mep). e produção por usinagem. Wilson J. ções e inscrições. (Unicamp). tec. José Carlos gerenciais de ambientes de fábricas Fiorezi (Sandvik Coro- cuja produção envolve processos de mant).. Os participantes receberão Coromant). mep). Nilton Giachetta nologia de grupo e manufatura ce. outubro deste ano a 20 de ou- dade de Engenharia Mecâ. otimização. Felipe Araújo Calar- te atuam nas áreas de engenharia. Paulo Corrêa Lima computador. mento e controle de produção. às sexta-feiras das 19 289-3722 e/ou e-mail às 23 horas e aos sábados das 8 às extensão@fem. tubro de 2001. em São 788-3221. ge (Unimep). e mi- a realização do curso “Estratégias nistrado por ele e Anselmo Tecnogerenciais para Otimização Eduardo Diniz (Unicamp). Carvalho Maestrelli (Uni- mento e controle do processo). João Roberto certificado de especialização com Ferreira (UFMG/Itajubá). gestão da cadeia de su.. da Produção”. ordenado por Nivaldo Lemos dual de Campinas (Unicamp) para Coppini. Olívio Novaski lular. Maria Cristina tros. Nelson damentos. Claudio José Cama- carga horária de 360 horas-aula e cho (Sandvik Coromant). gestão estratégica em custos (Unicamp).

senvolvimento competitivo no Bra- tria. qüências do processo de globaliza. das questões de ensino e pesquisa Rede Vanzolini. África do Sul e Argenti. gerente de marketing “O tema escolhido para o encon- evento foi realizado entre 30 de da Sandvik Coromant.Enegep e Sandvik aproximam os mundos industrial e acadêmico A sessão plenária “Internatio. “Para que exista um de- de exportação” despertaram vi. campus patrocinadora do evento. sejam da fórum brasileiro para a discussão assistiram ao evento através da área administrativa ou operacio. favorecendo o desenvolvimento da engenharia de produção no Brasil Studio Amat e a nossa capacitação para lidar com as mudanças que a globalização da economia e o crescente impacto das tecnologias de informação nos impõem” sível interesse nos participantes do gias apropriadas durante o proces. vidamente estudadas. Cambridge. de São Paulo. Gregory disse que as conse. Sandvik e disse que é cada vez na. tro deste ano se justifica não só por outubro e 1° de novembro na Es. O Marcondes. nacional.4. dependemos de uma me- bal e de estraté. Segun- menos que 500 inscritos e 5 mil depende do aprimoramento técni. Nada “O desenvolvimento do Brasil para países emergentes”. Afonso Fleury. “Na indús. empresa”. o Enegep é hoje o principal engenheiros. da Universidade de empresa de vanguarda”. estreitando as relações entre as indústrias e o mundo acadêmico. Mike Gregory. por sua novidade no cam- 8 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . 2000). atingindo um público de 5 mil outras pessoas Afonso Fleury: “A cada edição o encontro torna-se mais importante. gestão via satélite para 42 escolas de en. tional Manufacturing: State of the Enegep. Outro destaque foi a palestra de consolidando nossa imagem de nal Management em dife. de engenharia de produção. do ele. técnicos e estudantes co dos trabalhadores. na capital. 2000 . que o transmitiu nal. genharia de produção do Brasil. a falta de sil com vistas ao mercado inter- uma visão glo. que têm contato com a tecno. este tipo de apoio estamos também também. sobre o tema “Interna. “Desenvol- de Engenharia de Produção (leia barreira às operações internacio. do a participação da empresa como sua atualidade no contexto sócio- cola Politécnica da USP. disse Francisco Carlos de operações e de tecnologia. afirmou. rentes países”. ção Internacional: perspectivas Usinagem. referindo-se ao XX Enegep – Encontro Nacional so de globalização tornou-se uma tema central do evento. ver Competências para a Produ- mais na página 4 de O Mundo da nais”. Art”. dêmico. justifican. com partici. mais importante a aproximação tão da produtividade nas PME” e ção sobre as empresas dos países entre o mundo empresarial e o aca- “Redes de cooperação e consórcios emergentes ainda precisam ser de. lhor relação entre universidade e O XX Enegep teve 500 inscritos e foi transmitido via satélite para 42 escolas de engenharia de produção brasileiras. aplaudiu a iniciativa da glaterra. edição 3. logia”. “Com político-econômico do país como. frisou. coordenador do pação de convidados da In. e as mesas-redondas “A ques.

conforme atestou ça vem sendo absoluta desde 1994. mant por atender aos requisitos da mercado neste quesito. com patrocínio do Sebrae. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . ISO 9001: Sandvik Coromant ainda é a única certificada O Bureau Veritas Quality Inter. mento teve uma expansão tão no. um dos principais órgãos quando a subsidiária brasileira do cas e faz parte do Grupo Bureau de certificação do mundo.4. os requisitos da ISO 9001. acrescentando suma importância”. evidente. A recertifi- qualidade da Sandvik Coro. con- porque estamos num momento de ponto de encontro para a comemo. Capes. passa a circular já que dispõe a NBR 1025. o BVQI. No seg. cação é uma importante ratificação mant de acordo com a norma ISO mento de ferramentas de corte. os países da Europa e das Améri. 2000 • 9 . até do alto nível de qualidade dos pro- 9001. e. em 1960. “O presso em sua capa juntamente com pelo Instituto Brasileiro de Infor- Mundo da Usinagem” os dados sobre ela. o que a mantém na posição de hoje as empresas em geral atendem dutos da linha da Sandvik Coro- líder isolada em seu segmento de apenas à ISO 9002. afirmou o nharia de produção no Brasil é de tável que hoje existem 46 departa- professor Fleury. Esta lideran. esta área do conheci. pelo crescente impacto das tecno. OMU já tem código ISSN A partir desta edição a revista com o código ISSN 1518-6091 im.po teórico-conceitual”. CNPq e Fapesp. produção no Brasil. que tem mais de 130 anos national (BVQI) recertificou se somou às 330 empresas do Brasil de atuação na área de sistemas de mais uma vez o programa de que estavam em conformidade com qualidade assegurada. O BVQI é acreditado em todos norma ISO 9001. lá para cá. Grupo sueco obteve a certificação e Veritas. mente. mentos de engenharia de produção que “a discussão é fundamental O XX Enegep também serviu de espalhados por todo o país”. obedecendo ao mação em Ciência e Tecnologia (OMU). O evento é promovido profundas mudanças provocadas ração dos 40 anos da formação da pela Abepro – Associação Brasi- pela globalização da economia e primeira turma de engenharia de leira de Engenharia de Produção. foi oficialmente atribuído à OMU da Sandvik Coromant. O código (IBICT) no início de outubro. tou Fleury. o desenvolvimento da enge. logias de informação. “De Fundação Vanzolini e Poli-USP.

é verdade. mas com o que já exis- te. machos e fresas de topo em aço rápido (HSS) e metal duro (MD). mas muitas das afirmações dos “visionários” de então se transformaram em reali- dade. a necessidade imperiosa de competitividade impôs às indústrias o caminho para o futuro e ao mesmo tempo o mercado é pródigo em soluções. em conjunto com as novas ge- rações de máquinas. deram uma verdadeira guinada — as mudanças foram tantas. onde a renovação do parque de máquinas Houve motivos que levaram à pre. A Titex Plus fez e faz seu papel nisso. as indústrias vidade e redução de custos. Por motivos bastante óbvios. Gerente Regional de Vendas da Titex Plus no Brasil. O domínio da tecnologia é uma delas. ais algumas rotações da para a usinagem de metais. que literalmente inviabilizam o processo produtivo. principalmente brocas. o uso de cipitação: não se presenciou nenhu- ma das hecatombes previstas em épocas distantes. tão rápidas e profundas principalmente aqui no Brasil. que a impressão é a de um mundo totalmente novo construído sem que o anterior tenha sido destruído. entrando definitiva- mente no novo milênio que de tão esperado foi comemorado por antecipação no início de 2000. ganhos ainda maiores de produti- M Terra e já estaremos no ano 2001. tiveram duas ou três décadas de ouro em termos de desenvolvimen- to de novas alternativas e soluções Este artigo foi escrito por Marcos Soto. Figura 1 — Novas ferramentas em aço rápido e metal duro de alta performance 10 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . o que imprimiu aos processos de usinagem um ritmo tão acelerado de aperfeiçoamento que os conceitos de furação. notam-se com maior intensidade as mudan- ças no mercado brasileiro. estarão diante de possibilidades de e. em conseqüência dele. e já que estamos falan- do em rotação temos um bom exem- plo disso — as ferramentas rotati- vas sólidas. especialmente. É certo que vão surgir novos avanços no milênio que está para se iniciar.Rumo ao novo milênio com ferramentas de alta performance Ainda acontece. apenas deixado de lado. 2000 . mas já não se pode conceber máquinas modernas trabalhando com ferramentas de tecnologia ultrapassada e procedência duvidosa. Às vésperas do terceiro milênio.4.

as melhorias sal- UFL com cobertura TiN e TFL matrizes). que à época apresentavam limita- ções de diâmetro e de ca- pacidade de atingir profun- didades maiores. evidentemente. abor- dadas com maior ênfase neste arti. sem refri. a última década e meia. ou seja. Hoje o que se vê são ferramen- tas para qualquer tipo de usinagem. Quan- Figura 2 — Brocas em HSS-E tipo (principalmente na fabricação de to às geometrias. são e ainda serão as ferramentas soldadas porém formance (figura 1) tanto no que uma boa opção refere às ferramentas de MD. Por significar 40% de tam aos olhos. “reestimu. HSS com geometrias otimizadas seus programas de ferramentas. das usinar materiais já endurecidos coberturas PVD (figura 2). Basta olhar de custos de produção devido à furação foi o processo mais pro- para o passado recente e se verá competição global. suprido de opções de altíssima per. ou com cobertura e de MD inteiri. HSS-E (5% de cobalto) com o de- geração (eliminando o líquido re. Com as fortes demandas do ocorreu mais efetivamente nesta mercado por eficiência e redução todas as operações de usinagem.4. usinar mais rápido (HSC. tínhamos o “velho” HSS. quanto às de HSS. com muitas deficiências.transversal reforçada são (diminuindo o número de operações). isso que este artigo vai mais fun- a utilização de ferramentas em cio a uma verdadeira revolução nos do no assunto brocas. Sim. das brocas foi muito grande gra- ladas” por várias inovações pelas ças à combinação do HSS ou do quais passaram. 2000 • 11 . e as intercambiáveis. com aresta com maior preci. A revolução na usinagem Figura 3 — Arestas transversais trouxe o futuro corrigidas tipos U e UV: menor esforço mais cedo Figura 4 — Brocas com geometrias axial e melhor formação de cavacos convencionais — grande esforço axial e baixas taxas de penetração ferramentas de alta performance. Figura 5 — A geometria UFL. senvolvimento de novas geometri- frigerante ou utilizando apenas a as de corte e canais para saída dos mínima lubrificação por névoa) e cavacos além. O incremento da performance go. A demanda por O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . em especial para atender às exigên- cias mais estreitas do mercado. os fabricantes fundamente aperfeiçoado e é por que no início dos anos 80 era rara de ferramentas de corte deram iní. high speed cutting). Como resultado o mercado se viu As brocas de HSS ças.

também. e. refrigeração interna nou-as autocentrantes. feiçoamento no que se refere aos Figura 7 — Performance das brocas com geometria UFL + Tinal e tipo N Figura 9 — A broca Megajet é aplicável em vários materiais 12 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . as brocas com canais UFL produzem furos com maior profundidade sem ciclo intermitente (ou “pica-pau”) maiores taxas de penetração (rpm correções no ângulo de saída para x f -mm/rot. diminuindo sais (alma) menos espessas (figura 3).) levaram à necessida. em muitos Pode-se notar um outro passo casos eliminando a necessidade de fundamental na direção do aper- furo de centro.Figura 6 — Mais rígidas. entre outras coisas. 2000 . uma melhor formação do cavaco.4. tor. de de brocas com arestas transver. substancialmente as forças de Figura 8 — Broca tipo Megajet com avanço (figura 4).

muito bom. refrigeração inter- desenvolvimento da refri. para uma maior rigidez. e. lhor performance eram as brocas zar furação mais profunda e ainda do tem sido importantíssimo e que. compen- sado por canais mais largos e com ângulo de hélice de 40º (figura 5). tem deficiências eviden. vas para uma usinagem com me- tes. na. te anos foi a única alternativa para e de MD na usinagem de vários ti. Isso tudo já é. com sistema de refri- em que a broca tipo N. Com uma geometria tão otimiza- da. mitadas a um diâmetro mínimo maior rapidez. trato da ferramenta contra As brocas que mais o calor gerado durante a evoluíram? As de usinagem permite que se metal duro. A proteção que elas dão ao subs. pos de materiais (figura 9). con. li- assim transportar cavacos com com novos desenvolvimentos. com pastilhas intercambiáveis. ou “pica-pau” (figura 6). avanço foi impulsionado principal- Figura 10 — Muitas alternativas de usinagem com as brocas de metal duro sentam. pode-se dizer que o aço rápi. As coberturas mais utiliza- das são o TiN (nitreto de titânio) e a Tinal (titânio-alumínio-nitreto). mas ficou ainda melhor com as coberturas PVD. geração interna em alguns coberturas variadas. gumas das inovações que muda- gura 8) e chega-se à expli. de atingir profundidades de no cial e minimizando o problema de entupimento devido ao perfil da aresta transversal. V C intermediários entre as de HSS geração interna. ram o rumo da história das brocas cação sobre à altíssima de MD (figura 10). Várias geometrias de ponta e de res às oferecidas pelas bro.4. especial- canais para a saída de cavacos metal duro por falta de rigidez su. A geometria UFL pode reali. metal duro com microgrãos. na mais profundos (acima de 5 x D). produzindo furos tinuará sendo uma alternativa para próximo de 20 mm e capacidade com melhor acabamento superfi. Estas são al- tipos de brocas de HSS (fi. 2000 • 13 . mais reforçado. que duran. mente centros de usinagem com ro- quando nos deparamos com furos ficiente na operação de usinagem. dependendo do material a ser furado podem ser atingidas pro- fundidades entre 10 e 15 x D sem o recurso do ciclo intermitente. agora consi- deradas simplesmente indispensá- veis. cadas a cada tipo de material. tão. tações mais altas e equipados. por si só. en. operações de furação. Vale lembrar que as alternati- uso geral. Figura 11 — VC = 0 no centro da broca: um dos grandes desafios que foram vencidos O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Em casos onde não mente pelo uso em larga escala de é possível a aplicação do máquinas mais rígidas. é claro trabalhe a velocidades de corte (V C) muito superio. per- Some-se a estes avanços o fis escalonados. Seu grande performance que elas apre. canais de saída de cavacos dedi- cas não cobertas (figura 7). tais brocas podem atingir níveis de sua maioria.

2000 . malmente a até 20 mm. ao mesmo tempo.10 mm (microbrocas) e vão nor. (figura 14) e cobertas com Tinal Futura (a TFL) podem produzir furos de até 8 x D em materiais como aços e ferros fundidos. do e óleo vegetal não-poluente e falta de V C no centro da ferramen. um sistema de pulveri- Outro grande desafio foi o his. en- tre outros. ramentas partem de um diâmetro de zação que combina ar comprimi- tórico problema da furação — a 0. elas se gura 12). a furação sem refrige- autocentrantes. que impõe enormes atingir profundidades de corte de das indústrias devido aos seus bai- esforços à broca e à máquina para até 5 x D (figura 13). uma dedicada a um determinado tiva viável e bastante considera- grupo de materiais. da para vários tipos de materiais. permitindo ta. lerância em nível de desbaste. tões sobre máquinas. cada e. enquanto que helicoidais. ces cada vez melhores passaram a ração passou a ser uma tendência com reflexos muito benéficos na estar disponíveis no mercado. vão os aços acima de 800 N/mm 2 e o fundo alumínio não dispensam totalmen- Figura 13 — Brocas tipo Alpha 2. que de ferramenta. por névoa sempenho que só o metal duro só. canais fundidos (figura 15). geometria UFL). de corte de até 8 x D É a Maximiza SX 14 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil .4. estas fer. e. te os refrigerantes mas podem ser para usinagem sem refrigeração Sem refrigeração interna — usinados com mínima lubrificação interna Com ou sem cobertura. por névoa. uma alterna- tolerância e acabamento de furos. aplicavam à usinagem de furos Equacionadas as ques- com acabamento superficial e to. MD microgrão vas geometrias com aresta trans. vários tipos de Figura 15 — A Alpha 22 usina sem refrigeração ou com mínima lubrificação. principalmente com se tornaram mais popu- diâmetros abaixo de 20 mm e de. desenhos de canais otimizados (a gião de corte. brocas com performan- lido propicia em termos de rigidez. uso e descarte dos líquidos refri- xas de avanço elevadas e brocas gerantes. Além disso. sem ciclo intermiten- te. lares. e. Devido à crescente preocupa- ção com o meio ambiente e ao Figura 14 — Com a geometria Alpha Figura 16 — Três cortes e 22 pode-se chegar a profundidades altas taxas de penetração. podendo que vem despertando o interesse ta (figura 11). houve Figura 12 — A broca tipo Maximiza SX é autocentrante enormes reduções dos ciclos de usinagem (fi- máximo 3 x D. versal em “S” e metais duros cada custo cada vez mais elevado do vez mais tenazes. entre eles os aços de 500 a 600 Brocas de dois e N/mm 2 e principalmente os ferros três cortes. Brocas com a remoção do cavaco daquela re. Surgiram então no. na esteira disso. mais o reforço havia a necessidade de outro tipo das coberturas PVD. era inquestionável que prima. geometrias e matéria- portanto.

2000 • 15 . a começar pelo da sua se chegar a avanços por volta de 17). de brocas sem refrigeração interna riais e que esta gama aumenta cons- e têm vantagens muito competiti. metros cada vez menores (figura xos custos. até 1 mm/rot). podem ser atingidas com furos de refrigeração interna partir de 3 mm de diâmetro e com altíssimas taxas de penetração (por para a produção de brocas com diâ- refrigeração interna exemplo. Como se cia do substrato ao calor e blanks Figura 17 — Brocas Alpha 4: a não bastasse. geometrias. Graças a isso. barateando o processo gama de alternativas na área de fu. qüentes. elas são autocentrantes. no alumínio-silício pode. as brocas pro- porcionam tolerância e acabamen- Com refrigeração interna — to superficial tão bons a ponto de Não há a menor dúvida de que as operações de acabamento subse- brocas em metal duro com refrige. canais são um fator indispensável na per- helicoidais e retos formance deste tipo de ferramen- vão bem além ta.4. e. com capacidade de aumentar mui- cionam acabamento superficial e to a dureza superficial e a resistên- tolerâncias superiores. especialmente ferros mas também em função de alguns fundidos e alumínio. em desgaste. fatores importantíssimos — novas metro de 3 até 20 mm (figura 16) classes de MD microgrãos combi- e com capacidade de furar de 5 a 7 nando tenacidade e resistência ao x D. como já foi dito aqui. novas coberturas PVD razão de seu design rígido. propor. dernas máquinas CNC usadas no As ferramentas de três cortes também figuram no rol de opções Figura 18(B) — Com a Alphajet com perfil escalonado há efetiva redução de tempo e de ferramentas no processo processo de fabricação. as Alpha 4 (fi- Figura 18(A) — As brocas Alphajet produzem furos de até 20 x D em gura 17) podem atingir profundi- materiais de cavacos curtos dades de 5 x D com diâmetros en- O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Mas não é apenas isso: mo- implantação. tantemente não só devido a novas vas na usinagem de materiais de ca. vacos curtos. que aliam Brocas de dois alta produção e precisão extrema. Partindo de diâ. serem eli- ração interna oferecem a maior minadas. ração para todos os tipos de mate. produtivo. caras e lentas. cortes. Com canais de escoamento de cavacos helicoidais.

16 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . como furos profundos (de até 10 x D) em aços em geral e aços Figura 20 — Ferramentas para usinagem de matrizes com até 65 HRC inoxidáveis. ferros fundidos e ou- tros. e. há as brocas Alpha 44 e fresar materiais já tratados (du- com geometria UFL. tiva no custo de produção. dos de corte muito baixos e vida útil Nesse tipo de usinagem. rosquear a Titex Plus tem a solução. materiais (MD) e co- Usinar materiais bertura (TINAL X-Treme) que endurecidos rápido atendem a condições extremas de e com precisão trabalho (figura 20). mente projetadas e construídas com geometrias. podendo executar o quina-ferramenta é muito exigida mesmo trabalho a uma velocidade em termos de rigidez e as ferramen- de três a cinco vezes maior e produ. vão a profundidades de até 20 x D — possível no passado apenas com brocas em HSS ou canhão — e estão disponíveis na faixa de diâmetros de 4 a 20 mm (standard). que venha 2001 com maiores ou meno- Os fabricantes de moldes e ma. peraturas. por isso são especial- to superficial (figura 19). maior precisão e redução significa- malmente o HSS era usado com da. As Alphajet com canais re- tos. 2000 . Para materiais e operações mais difíceis. tas têm de ter capacidade de supor- zindo furos com tolerâncias bem tar altíssimas forças de corte e tem- mais apertadas e melhor acabamen. Elas podem ser reza entre 45 e 65 HRC) significa: empregadas em operações onde nor. pois Figura 19 — Alpha 44: furam até 10 x D em aços inoxidáveis trizes sabem o que furar. a má- insatisfatória. res durezas e profundidades. Então. Nas versões escalona- da e multiescalonada podem ir até o diâmetro de 30 mm nas aplica- ções onde o perfil do furo é com- plexo e exige várias ferramentas.4.tre 3 e 20 mm para materiais como aços em geral. especialmente desenhadas para materiais de cavacos curtos (figu- ra 18 A).

. diretamente pela rede... A diferença gam à subsidiária brasileira tar no Brasil o serviço de recebi. já podem pensar em receber os .. apenas na condição de necessidade de papelada. de ferramentas de corte e a primei. As indústrias que vivem a .. romant — que fazem seus pedidos 70% dos pedidos que che. batizado de Shop Online. da era a transmissão de dados via o meio eletrônico. é que até aqui a plataforma utiliza- da Sandivik Coromant já utilizam mento de pedidos por meio da In.Já está no ar o sistema de compras via Internet da Sandvik Coromant Se alguém ainda duvida de que “surfando” pode fazer compras dentro da maior comodidade e com a certeza de estar fazendo o melhor para os seus negócios. biente da Internet. Erros e negociadores de contratos e perda de tempo desaparecem.4. senvolvimento. sas — dois clientes e três distribui. são de crecimento gradual do nú- O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . 2000 • 17 . agentes de soluções técnicas. Desde outubro seu progra. EDI (de electronic database inter- e-commerce. ra dentro de seu segmento a pres.. O novo serviço coloca a Sandvik Coromant na dianteira das empresas de seu segmento.. As estimativas empresa que é líder mundial em de. ma.... com certeza não está entre os consumidores das ferramentas da Sandvik Coromant: pela Internet eles podem fazer seus pedidos e receber o que compraram na alta velocidade e com a precisão que a grande via da informática e da comunicação de dados propicia. tenha certeza: “pio. porque no Shop Online as burocracia de fazer suas compras profissionais da Sandvik Coromant compras são feitas sem pelo método tradicional. Hoje. acrestando uma razão a mais para que sua condição de líder continue incontestável. já change) e agora passa a ser o am- neirismo” é uma das marcas desta envolve um grupo de cinco empre. E se o assunto é ternet. N ovata no comércio eletrôni. fabricação e venda dores dos produtos da Sandvik Co- co? Nem pense nisso.

18 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . siness é mais amplo e será um novo canal de contato entre as vá- rias áreas da Sandvik Coromant e seus clientes. Estratégia e ação — O di- sempre atuando de forma pró-ati. “Só o ambiente é novo. ting e treinamento.mero de participantes do Shop On. mant foi a de desmembrar o pro- sidade de determinado serviço para dar como uma ferramenta que in. mundialmente pela Sandvik Coro- espera que o mercado sinta neces. que encontra aplicação no segmen- do que a Sandvik Coromant “está to de ferramentas. que. Abrangendo 50 cional. empresa onde a tecnologia gera da Sandvik Coromant estão de dizendo que em 1998 foram forma- qualidade do atendimento. disponibilizar apenas Camacho acredita que o e-commer. buscando o que há de melhor der. a melhor informada e melhor Sandvik do Brasil. cente realizada pelo Grupo IT “Estamos trabalhando nesse proje- “A Sandvik Coromant é uma Mídia demonstram que os rumos to há um ano e meio”. brilho ao futuro. macho. Resultados de uma pesquisa re. do. jeto de e-business e. o que estamos fazendo é oferecer aos clientes uma solução mais sim- . zações do Brasil. a pesquisa concluiu que os de diretoria. gou à melhor solução. enquanto o e-bu- tes e trará benefícios que serão re. 2000 . num primei- só então se manifestar sobre ele”. baseada na Inter- são liberados para outras tarefas fábricas que usam suas ferramentas importantes. to. A opção por dar início ao pro- jeto através do e-commerce susten- ta-se no fato de que atualmente parte significativa dos clientes da empresa já realiza operações se- melhantes. envolvendo suporte. estruturada para levá-la aos con. colocar pedido. alguma forma de e-business fo- “Se somos líder de mercado. segundo o e-commerce. conta Brito. a Sandvik Co. então acordo com os que vêm sendo per. e já está em desenvolvimento”. este serviço é sinal de que se che. ati. das 500 maiores empresas brasi. da Sandvik Coromant. outro rir a ele”. afirma Claudio José Ca. concorda Francisco Car. da área tecnológica e um terceiro. aos clientes e a criação e manu- mação”. segundo ele. diz. leiras. teressa à comunidade dos clientes ro momento.. vimento: um é estratégico interna- torne-se trivial para só então ade. Não se pode A Sandvik pratica o e-commer- “dormir no ponto”! ce em alguns países há algum tem- po. retor da divisão de informática da va. te. ao qual ele pertence. los Marcondes. merce decorre do simples fato de ram a melhoria no atendimento mos de ser um agente de transfor. a empresa estar atenta ao merca. engenharia e inúmeros detalhes. “Ao surgir alguma novidade tenção de vantagem competitiva. Sérgio de Bri- para oferecer aos seus clientes. a ção e aperfeiçoamento do nosso fato de ela estar disponibilizando utilização do meio eletrônico para bom relacionamento com os clien. dizen. romant é sempre a primeira. ce vai ser “um agente de manuten. e os profissionais das empresas Assim a Sandvik Coromant e as ples e prática. chegam mais cedo e com mais net”.4. dade de todos os envolvidos”. principais objetivos da adoção de line em 2001. a lí. sendo desenvolvido a muitas mãos. Marcondes. para quem o in. enquanto que o e-business está vertidos em aumento da produtivi. que acrescenta que o “é a ordem propriamente dita. conta que a estratégia adotada tude típica de uma empresa que não sumidores”. explica. vestimento realizado em e-com. dos três grupos para este desenvol- não podemos deixar que o novo corridos pelas principais organi. gerente de negócios.. O e-commerce deve se consoli. gerente de marke. pois a transação em si já existia.

elas mental para todas acessam o catálogo completo de as empresas”. brasileiro do Nacco Materials Han. “Tudo aquilo que é informa- contro de nossos objetivos ção transitória está fixo no sistema”.4. Conrado. o gerente çadas de e-business que permitem de materiais da NMHG. de São Paulo (SP). Forma e do NMHG – Nacco prazo de pagamento já estão pré. Marco Antonio Conrado (atrás) e eliminar os procedimentos trega e as condições de pagamen- Gerson Abel Neto. de maneira line e onde divulga suas necessida. preços. passando a pras através da Internet e fazer parte do dia-a-dia das empre- podemos atestar a sua pra. gerente de compras o seu dinamismo. seja. evitando atra- Izilda França Moreira do utilizando cada vez mais sos na entrega e outros inconvenien- soluções de e-commerce”. tam. a eliminação do intermediário. Salles acredita que agilidade e a desburocratização que o com o fornecedor. e respectivas identificações e senhas isso. letras. além de ços de cada item. A mant foi a primeira empresa informação que vai para o fornece- da área de ferramentas de dor é correta. a NMHG. Gombert. não há como errar dade de evolução de merca. o serviço é direto e objetivo. As outras três empresas Group já são reali- Izilda França Moreira que formam este primeiro grupo de zadas online. “A implantação Coromant está avaliando a possibili. da NMGH. liais do próprio Diretha.Ruy de Salles O. fim da burocracia e ganhos para todos A Rolamentos FAG e o braço ra brasileira do Grupo será efetivada dois fornecedores. “Este talvez destas soluções na fábrica brasilei. res- “compradores online” são distribui. mas ressalta vários outros de ticidade” emenda Gerson seus benefícios. diz que o aumento des. fri. de acompanhar a necessi. hoje. ou sando que “a Sandvik Coro. Ruy de Sal. Contatos de primeiro grau. no futuro o comprador passará a ser e-commerce proporciona” do todo o processo de com. tes próprios da compra pelo siste- Marco A. Materials Handling definidos. Karoly J. de ser uma novidade. conta o Salles acredita que as compras dling Group. “O Shop Online burocráticos. Corrêa. porém. comprador. de Bauru (SP). “portanto. frisa. dade de entrar em projetos de outros seja o grande benefício do sistema”. a doras das ferramentas da linha Co. que produz gerente de suprimentos da Rolamen.Vidal. O principal deles é Abel Neto. se refere à qualidade. são tos FAG. Gombert. tusiasta dos servi. se volume deve ser natural e que além que a questão de custos desapare- des e recebe ofertas de fornecedo. oti- duas das cinco empresas que ade. “Por meio dele to. operações com fi- romant: Arwi. o gos. os prazos de en- (sentado). já dispõe de soluções avan. ma tradicional”. Uma vantagem adicional é a eli- ressalta que o principal be. ternet. GM e Maxion. e PS Grupo Nacco. um negociador de contratos a quem pras. são escolhidas as ferramentas e 17% das compras programadas as entrega. Com suas ção de custos. ços através da In. de custos apenas quando deixarem “Hoje já realizamos com. e o que ser devolvido. caberá colocar os pedidos no siste- inclusive a realização de leilões on. tritas. online deverão representar redução as empilhadeiras Hyster e Yale. que já estão pré-negociados den- traz para o cotidiano das empresas a teremos um canal direto tro do sistema. ma e depois rastreá-los. números de telefone ou Shop Online. sas. En- Ferramentas. produtos da divisão Coromant. permanecendo apenas a que res pré-aprovados. Corrêa (atrás) e Antonio Roberto Prado A matriz do Grupo FAG. minação da parte burocrática das nefício deste novo serviço é negociações. 2000 • 19 . no decorrer do próximo ano”. de Caxias do Sul (RS). mizando o tempo e riram ao programa de e-commerce promovendo redu- da Sandvik Coromant. na Ale. atestam a eficácia do Shop Online manha. é funda- para “entrar” no Shop Online. onde Atualmente. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . de participar do programa da Sandvik cerá. que envolvem os pre- Karoly J. bém comprador da FAG.les O. que veio ao en. uma vez que não há corte que nos ofereceu uma necessidade de digitação de códi- solução de e-commerce. da FAG. agilizan.

diz Heloisa. José Edson Bernini. “Primeiro porque Brasil é um dos cinco países mais Chrysler e outras grandes empre- o brasileiro. da da Sandvik Coromant. acrescenta Edson. dando suporte téc. por exemplo. Heloisa Giraldes e Rudinei Barbosa De acordo com um le- Freitas ficou no Supor. bati. Quem é quem no E-commerce Team A Sandvik Coro. O Brasil é considerado pela próxima de nossa base em São em desenvolvimento no mundo. 20 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . ção foi superior à que lheu José Edson Ber. “A aceita- e para liderá-la esco. ma foi apresentado aos zando-a com o nome cinco primeiros clientes e de E-commerce Team. é um dos partners. pregada a mesma plataforma e “o jeto formado por GM. gerente regional lembra Marco Tahara. mas tam- grande e o e-business encurta dis. é o Suporte em Internet. coordenadora 65% dos contatos da Sandvik nas nico para o projeto. afinal. e cuja opinião é de que o megapro- que está no Nordeste quanto o que quando possível ativamente. 2000 . Da área de infor. agregando um valor ainda maior aos nham sendo utilizadas pela empresa mente traduzida para o português. Reynaldo de de Freitas. tada. caminho”. “É mais um motivo para acelerarmos nhando o papel de suporte técnico ponsável pelo trânsito das informa. mática. rem convidados a participar. Ford. tem interesse em ver e cante. nini. acesso do usuário”. desempe. Heloisa Giraldes. interesse foi realmente tro do modo tradicional uma surpresa bastante de comercialização e boa”. conteúdo do e-commerce e é a res.4.para a direita. surpreendeu. produtos da Sandvik Coromant”. “Estamos as tecnologias de comércio que já vi. o que sas. ao contrário de outros adiantados em seu desenho. “O de vendas. ção e soluções comer. não nele existe algum valor. do qual a Sandvik Coromant povos. para facilitar o mant do Brasil estrutu. considerados mais conser. matriz como um país-chave neste Paulo”. com a linguagem devidamente adap. bém para encontrar uma solução tâncias. “e na os consumidores de mesma oportunidade a ferramentas e o que o solução foi exibida para e-commerce oferece. ga- rou uma equipe com rante ela. estávamos esperando”. tes tiverem acesso a ela. possibilitando oferecer um A direção mundial do Grupo que atenda a todos”. complementa José age como o elo entre Edson Bernini. diz Brito. e as constantes no novo projeto. assumiu a gerência de empresas já têm acesso à Internet. como. Marco Tahara. te em Sistemas. que já grau de envolvimento e atuou largamente den. o programa e acreditarmos em seu em acesso à Internet e de link entre ções entre a equipe brasileira e a da sucesso”. todas jeto levará a mudanças represen- oferecemos para outra bem mais as áreas de comércio eletrônico tativas no mercado. todo o grupo de vendas Izilda França Moreira Rudinei Barbosa. “Fomos um vadores.O time de e-commerce da Sandvik Coromant: da esquerda o suporte de campo será ciais. vantamento da equipe. uma vez que conseguimos dos primeiros fornecedores a se- fazer o que é novo e descobrir se nos colocar entre as primeiras sub. profissionais de várias Em outubro o progra- de suas áreas. o megapro- desenvolvimento por duas razões. “Nossa solução está total. segundo Brito. matriz. na com os clientes para medida que mais clien- questões de negocia. Reynaldo dado pelos vendedores”. é o contato terno. serviço tão bom a uma empresa vem acompanhando de perto. área de atendimento tanto interno quanto ex- ao cliente. segundo sidiárias do Grupo Sandvik que só para nos informar sobre quais porque o país é territorialmente estão realmente abrindo este novo são suas necessidades. No mundo inteiro será em. e Marco Tahara de marketing. para nós é extremamente gratifi. porque. diz.

Editora Futura. Barker é um dos oradores mais procurados do mundo quando o assunto é mudança e como lidar com ela. de Frances Hesselben.F. Em O exemplo Mondragon.K. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . ** Mais informações: Whyte.. Cortes maci- ços nos empregos em todo o mun- do industrializado acusam as for- ças do mercado que exigem o “de- Texto extraído de A Organização do Futuro. & Whyte. não poderia ser diferente. 1991). 2000 • 21 . citado pelo Library Journal como o mais influente livro de negócios de 1992.Um novo caminho para o século XXI Joel A. No entanto. 1997.4. foram considerados pelo Industry Week como uma das mais importantes séries de programas no mundo dos negócios*. Nova York. se nos ba- searmos em seu desempenho. ILR Press. As economias socialistas e comunistas são consi- deradas um fracasso e. A estabilidade no emprego é considerada parte de um velho paradigma que está desapa- recendo rapidamente. os últimos anos do século N XX. Barker. ele conta uma experiência bem-sucedida de como a visão que se tem do futuro determina o sucesso do presente. disponíveis em sete idiomas. o capitalismo e o mer- cado recuperaram a supre- macia global. Making Mondragon (Ithaca. W. * Copyright© 1997 by Joel A. Barker é um futurista que em 1975 começou a popularizar o conceito de visão e mudanças de paradigmas. Peter Drucker Foundation. Seus vídeos. deu-se o ressurgimento de uma ati- tude em relação aos empregos e ao trabalho jamais vista desde a Gran- de Depressão. Ele é autor de Paradigms: the business of discovering the future and future edge (Paradigmas: a tarefa de descobrir o futuro e suas vantagens). K. reproduzido aqui. Marshall Goldsmith e Richard Beckhard (organizadores).

no final dos anos 40. anos e uma forte estrutura social. Dom José era prariam ou o que produziriam. adquirí-la. 2000 . Em valores monetários atuais. risco os empregos para proteger vens cujos planos eram começar um cionários como forma de manter e seu capital. sua mudança de paradigma ao ini- zação do século XX. líder de uma organi. com elevado índice de desempre- te. Um ano após risco os empregos para proteger nos maus-tratos infligidos pelo go. Acredito número de paroquianos que. Deram-lhe o nome de Ulgor home- 22 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Gostaria de comparti. ilu. Estive acompanhando tudo ças. entanto. visão positiva do futuro. lema se repete em todo o mundo. À medida em aprimorar essas aptidões. proteger os empregos ou pôr em Ele também ensinava ética aos jo- Ele sustenta a educação desses fun. encon. pelo menos em par. Porém. da região eram poucos. Dom José lera o edito pa- possa ser admitido em empregos perative. escolha sempre prote. A inversão é: Dom José começou a construir Bill Gates. não sabiam o que com- sório. so financeiro pessoal para com o delo. eles a levaram para seu capital. futuro de Mondragon. ger os empregos! que a escola crescia. não devem aceitar o para. cedentes demonstram coragem e tação aliada ao próprio compromis- lhar essa experiência com um mo. O presi. isso representaria dois milhões de lha regra dos negócios é a seguinte: educação precária e falta de uma dólares. Convidou ções geradoras de empregos de cuja A história da cinco jovens alunos das turmas de riqueza todos os outros empregos Mondragon ética empresarial para irem com ele derivam. trou grande índice de desemprego. apoiados na própria repu- o contrário. pal que declarava que o trabalho que paguem bem. arrecadar dinheiro para comprar digma predominante da falta de es. estrutura e sucesso oferece uma poderiam participar do próprio pode ser a única solução. localizada na região bas. as empresas com em ascendência. mas impor. disposição para defender suas cren. A ve. na minha opinião. tomar providências para mudar o fins lucrativos. nários são suas próprias aptidões. de futuro singular da empresa hoje Em 1955. Quando chegou. afirmou que Quando tiver que escolher en. escolha sempre prote. alternativa profunda para a visão crescimento. tre pôr em risco seu capital para cola de aprendizes para a indústria. No significativa leva a considerarmos um homem fascinante cujos ante. aquelas organiza. co rapazes adquiriram a pequena tre pôr em risco seu capital para tantes: um povo esforçado e traba. para prestar auxílio ao povo de lá. ger seu capital. projeto. nesse pregadas ou desempregadas para que o conhecimento de sua histó. diante me referirei a ele como Dom econômico. Admitir constituída em 1954 com um pa. estrutura organizacional. não saber que a educação não é nem ria. verno espanhol durante centenas de Mondragon e a cooperativa nasceu. go. A Mondragon Cooperative foi uma empresa e levá-la para Mon- tabilidade no emprego.604 isso durante 15 anos e o sucesso do para a região de Mondragon dólares! Isso em uma comunidade obtido resulta. dragon. foi envia. fábrica de aquecedores movidos a proteger os empregos ou pôr em lhador. Não dispunham de um plano cer um limite. eles arrecadaram 361. negócio algum dia. Os bens Com o dinheiro em mãos. os cin- Quando tiver que escolher en. em 1941. ciar. da inversão de uma das mais for. aumentava dente Bill Clinton afirmou várias também o desemprego da região. tes premissas do capitalismo. deveria ser considerado parte do de- uma simples olhada no número de dragon representa uma mudança senvolvimento espiritual e ficou pessoas bem-educadas nos Estados paradigmática na mentalidade e na profundamente perturbado com o Unidos que se encontram subem. basta ca do norte da Espanha. vezes um tema similar: devemos A organização que inverteu essa atingindo 20 por cento no início dos educar nosso povo para que ele antiga regra é a Mondragon Coo. Eles espalharam a notícia como impossível a estabilidade no dre jesuíta chamado Dom José de que precisavam de um emprés- emprego no século XX é estabele. Esse di. aspecto. Pelo menos uma experiência José) e cinco jovens. uma es- a única segurança de seus funcio. A Mon.4. Em sua ordenação. uma solidariedade baseada querosene Aladdin. anos 50.clínio” das organizações. por falta de emprego. Maria Arizmendiarreta (daqui em timo. Dom José começou a De certa forma.

Há região de Mondragon possam fazê- tivo Mondragon). Os tra. de Mondragon. Em suma. Sua funcionários. No en.nageando as iniciais dos nomes dos essa diretoria contrata os gerentes. Em segundo lu- da enquanto viajamos”. o banco coopera- ma metade do século XX. vos empregos de forma que todas as Em 1990. dores. nante das atividades bancárias. do após a aposentadoria. pois são as pessoas aposentadoria se o empreendimento respondeu: “Construiremos a estra.4. a relação capital-tra. Em 1958. a empresa possuía 24 ações da alta administração. caso desejem. a alta administração. só como guardião do dinheiro que balhadores elegem os diretores e rante que todos têm algo a perder utiliza. são raras. o Mondragon Coopera. O dinheiro acu- uma cooperativa. todos os tra. missão é muito clara: financiar no- de funcionários crescera para 149. o princípio demo. pessoas que desejam trabalhar na tive Complex (Complexo Coopera. principais pontos. empregos da comunidade. para observar portante que conseguir o melhor tivas ligadas. Essa missão é muito mais im- foi a primeira das muitas coopera. titui num congresso de trabalhado. Se não apreciam as gar. financeiros próprios na cooperativa de novos empregos na região. retorno sobre o investimento. Todos os trabalhadores e coope- das empresas. Vamos dar uma olhada nos mais experientes prontos a asses- quase meio século de idade. Embora o país bas. Isso ga. mula juros.6 bilhões de dólares. a Mon. sem. foi criado um banco cooperati- Em 1956. e serviços necessários na região e perar. ças e os fundos de aposentadoria dos de sucesso sem igual. dores sempre alerta. dragon é a democracia. de Mondragon. Quando perguntaram a Dom Isso provoca um efeito positivo nos também garante uma recompensa na José qual seria o próximo passo.241 mem. caso o empreendimento fracasse. o número pre podem destituí-la por voto. eleitas por eles que contratam seus for bem-sucedido. todo tra. e um conse. de 2. do qual a Ulgor também um conselho de trabalha. Embora também prio capital para proteger a base de democracia trabalhista única. Em troca desse mo- serviram de crático permite aos trabalhadores nopólio do dinheiro. Ele detém as poupan- empreendedor florescia num ritmo alta qualidade da comunicação en. ele presta servi- fundamento à saberem que. Estrutura financeira • Relatórios de marketing atua- co apresente condições especiais As democracias trabalhistas lizados sugerindo novos produtos que ajudaram Mondragon a pros. qualquer parte do mundo pode complexo Mondragon é ímpar no • Uma equipe de executivos aprender com esse experimento de mundo. Na últi. Trata-se de da qual fazem parte. tre gerentes e trabalhadores e ao trabalhadores e processa os fundos equilíbrio de poder existente. que circulam por todas as empresas Os princípios que Resumindo. ferente daquele desempenhado na rativas de Mondragon devem utili- balhador foi invertida e o espírito maior parte das empresas graças à zar esse banco. qualquer organização de tanto. va ou possuem um representante tivo de Mondragon arrisca o pró- dragon cresceu e desenvolveu uma com voz ativa. sorar novas cooperativas. vo para atender à cooperativa. mas também como um cata- O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Antes de mais nada. entações para novos ou antigos ne- pregos e de coesão da comunidade gócios. mas não únicas. 2000 • 23 . Par. lo. a estrutura financeira do em toda a Europa. O banco de Mondragon se vê não balhador tem direito a voto. e cinco. na existam sindicatos na cooperativa. ele trabalhadores. podem ços não oferecidos aos clientes por Mondragon reestruturar fundamentalmente nenhum outro banco no mundo: todo o complexo de cooperativas Cinco diretrizes resultaram no Mondragon ou parte dele. Para simplificar. que tomam a decisão final. lando assim o paradigma predomi- mais de cem empresas e valia mais tes de equipes de 20 a 50 trabalha. supervisores. São eles • Informações estratégicas e ori- incrível recorde de geração de em. te da estrutura democrática se cons. mas só pode ser retira. • Disposição para financiar no- Estrutura de poder balhadores participam com recursos vos negócios com vistas à geração O primeiro princípio da Mon. Consistia de um complexo de lho social formado por representan. qual os funcionários eram donos eles cumprem um papel muito di. todos têm voz ati. vio- bros. res onde todos podem votar. por isso. possuía 21.

cada vez maiores do “bolo”. ção e 3. a razão algo “muito bom.lisador para a geração de novos em. A Essa questão. A partir de 1990. inferior na mesma cooperativa. tos dos estudantes também traba. isto é. símbolo de quem é ou podem ser penalizados em mais de 24 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil .500 em outros tipos de 80. diretores-presidentes detêm fatias posto a criar mais empregos. na medida em que os te de boas-vindas a quem estiver dis. Entretanto. pois o restante da bem-sucedido que na década de 80 que reforça a capacidade de man. como os trabalhadores se ria muito bem ser a base de uma relacionam com os colegas. Criou departamentos basca da moderação. Robert Oakeshott. culdade. Se parecia um milagre”. escreveu programas como o da Universida. A escola acrescentou estu. Proporções de remuneração es- co da cooperativa tinha fundado mais de 6. que saber que seu trabalho pode. Illi. seu currículo. A única diferença é que seus você poderia dar aos estudantes como as “habilidades interativas”. absenteísmo. da nos Estados Unidos. prego. ria ganhar mais que seis vezes o dragon. ção nitidamente cristã na sua ética conseqüentemente. escola evoluiu com as cooperativas. O quarto princípio se concentra dos lucros. a cooperativa pôde formar um Note que esse é o índice de fracasso agora é considerada uma das me. Nos Estados que se fosse avaliar o banco pelos de Motorola em Schaumburg. que puderam perceber a ligação di. Em vir. No tude dessa atitude e das grandes ha. tar dinheiro além dos limites legais tudos de marketing que o banco Os aumentos salariais nos vá- a ele estabelecidos. rios setores de cada cooperativa mais dinheiro do que a cooperativa sários da cooperativa? Boa parte são determinados por muitas me- poderia efetivamente utilizar. ao analisar Mon. dos recebiam também. ligadas ao programa escolar. pregos na estrutura do complexo As necessidades das cooperativas está se tornando explosiva nos Es- Mondragon. respeitam isso: a imparcialidade gon ao incentivar o financiamento reta entre sua preparação e seu em. exceto por o chefe quisesse um aumento. uma inclina- para a criação de novos negócios e. Escalas de pagamento to salarial.4. A mais alta posição não pode- mista britânico. Um econo. clientes são seus proprietários. salarial na Mondragon aumentou qualquer outro”. muito melhor que pleta.500 estudantes foram pecíficas foram estabelecidas em mais de cem novas cooperativas e matriculados em cursos de gradua. 1955 e mantidas até a década de somente três faliram. cursos de treinamento. 2000 . preferem deixar seus empregos vens da região de Mondragon. com salários maiores. a antecipação Dom José tinha iniciado uma esco. lharam nas cooperativas. no conceito da remuneração justa. comprometida com a manu. Essa A ligação com a nova e vigorosa empresa? medida em particular constitui 20 educação por cento da decisão sobre aumen- O terceiro princípio está vincu. Recentemente. Lembre-se de que e eqüidade dos de anticipos. era vendo aqui uma comunidade com. Em deles foi elaborada como trabalhos didas-padrão de produtividade e muitos aspectos. A propósito. em 1996. de toda a Europa. to- sador. gerentes da Mondragon e os seduz nhol uma permissão para empres. salário do funcionário de nível mais sucesso era tão surpreendente “que gos específicos é raramente segui. Unidos. Que melhor incentivo bém englobam medidas incomuns vada. pois possuía manteve para os prováveis empre. extraordinário conjunto de relações no resto do mundo! lhores faculdades de administração de pagamentos e fazê-lo funcionar. como parte da cultura. não importante em uma sociedade. empresas. o banco atuou da disciplina de marketing da fa. Esse banco foi tão tenção de um sistema educacional de 15 para 1. de modo complexo Mondragon. ter empregos dentro da região. em crescimento sempre estiveram tados Unidos. Mui. de novos empre. sua proporção de sucesso em. Os trabalhadores que la técnica nos anos 40 para os jo. Essa liga. Sempre estende o tape. três fatores bilidades desenvolvidas em Mondra. Espanha reconheceu a eficácia dos teve de solicitar ao governo espa. estamos descre. e quanto aos es. a razão salarial critérios da criação de empregos nois. elas tam- como a matriz de uma holding pri. Os salários são chama- lado à educação. o ban. dantes e ampliou a abrangência de empresarial e a marca registrada gos. Outro pesqui. Todavia. Como resul- presarial tem sido de 80 por cento! de marketing e de administração e tado. Em meados dos anos 80. era de 115 para 1 nas principais vantajosos ou de poupanças. declarou que o índice de ção direta com empresas e empre.

está centrado em um plano de • A autocapitalização pode ser podem sofrer penalidades signifi. ilustrando que o mercado nanciar a manutenção do emprego. quando o gover. • É um experimento nobre de 40 isso ainda não for suficiente para fi. Se neste emprego paga-se digma do século XX: de trabalho em que os valores reli- menos que no anterior. • A democracia no trabalho e os dade e democracia se desenvolvem Por fim. Resultado final: apenas dem reinventar seu trabalho se for Mondragon serve para nos lembrar 104 de seus trabalhadores. pregado e imediatamente começa a o paradigma do acionista. Nunca o contrário! mesmo tempo. tes existem na história da Mondra.4. Aposentadoria dor para as comunidades se ele pos- dos no fundo de aposentadoria. medo realmente foi expulso do am- adquirir novas habilidades o mais nidade e um banco comprometido biente de trabalho em muitos as- rápido possível. anos. a comunidade e com as pessoas da Por exemplo. portan. De fato. dragon criou um adicional de 4. a visão de comu. antes de alguém ser rística interessante é o fato de o comunidade. uma ferramenta poderosa. trabalhadores com controle acioná. para o benefício da formação de cassarem. com a geração de empregos. aposentadoria eqüitativo. Se Muitos mais detalhes instigan. timento de longo prazo com a mo- Mondragon possui auto-seguro perativa também se responsabi. a empregos. dem acrescentar valor ao capital. mover a prosperidade. o trabalhador recebe 80 por por completo seu pacote de apo. representa algo muito importante: la cooperativa são diminuídos em 85 Conclusão por cento em relação ao padrão. observações para as organizações cativo para a cooperação. Deixe-me concluir com estas competitivo possui espaço signifi- o trabalhador é transferido para ou. No entanto. vidade bancária. Se O quinto e último princípio suir o paradigma correto. Isso requer um do durante o ano na cooperativa em cultivo. cativas. • Trata-se de um lugar onde o receber benefícios educacionais para • A educação. em busca de opções para o para. lizava financeiramente pela saú. dem criar uma base de emprego co. cento do salário além dos 100 por sentadoria. em vez de buscar lu- demitido. deração em vez de com o excesso. vencimentos e recebem 60 por perfeito **. tra cooperativa da estrutura Mon. contra a perda de emprego. salários daquele cargo. po. • Trata-se de uma comunidade dragon. no mundo industria- to essa é a última coisa que espera de dos trabalhadores até o final lizado.30 por cento dos lucros acumula. O modelo Mondragon providências é tomada antes de um no basco assumiu a maior parte também requer compromisso com trabalhador perder seu emprego. A coo. sucesso. • O papel de um banco pode ser minho para o futuro. Requer um comprome- O complexo de cooperativas cento do último salário. que apenas os seres humanos po- cio da década de 80. do financiamento. novo tipo de paradigma para a ati- questão será usado para pagar os como parte do pacote de aposen. Como se isso não bastasse. a região bas. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . profundamente positivo e sustenta. ou 16 concedido o tipo certo de apoio. o trabalhador fica desem. de que existe mais do que um ca- avos de 1 por cento. o fundo de giosos e as causas éticas de eqüi- desemprego compensa a diferença. munitária duradoura. todos os salários naque. Qual o sucesso desse programa? de com a geração de capital. trabalhador receber um lote para cros imediatos. qualquer lucro acumula. Uma caracte. plexo Mondragon autofinancia • O poder de uma visão comum prego. Os trabalhadores con- cento do seguro social e de saúde tribuem com 32 por cento de seus O modelo Mondragon não é durante 12 meses. se todos esses esforços fra. gon. são despedidos por justa causa. rio são opções reais e viáveis para capital e de lucros expressivos. Se não for tadoria. não pode ser superestimado. o excesso é sinônimo de acontecer. ter medo de procurar o melhor. Não devemos sempregados.200 • Os próprios trabalhadores po. ca perdeu 150 mil empregos. Mondragon também suficiente. terminaram de. • É uma clara demonstração de Durante a recessão mundial do iní. caso ainda não tenha um. O com. Em caso de perda de em. em vez pectos. o complexo Mon. Para muitos. Ao • Existe uma outra forma de pro. uma série de da década de 80. 2000 • 25 .

que em geral emprego de novos dispositivos de conferência. técnico dos fornecedores orienta meira mão às novas tecnologias. garantir sua sobrevivência(1). Há mais novidade São Paulo – USP). diagnósticos à distância já não é ram um considerável ganho de com. entretanto. O uso da Internet para realizar tes avanços tecnológicos propicia. assim. com problemas sem que ninguém uma corrida. ção de novas ferramentas de corte nesta área. 2000 . O quinas-ferramentas — por vídeo- países desenvolvidos. o mercado para diminuir o seu atraso em rela. A meta principal é re. 26 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . mentas de corte e máquinas mais seus clientes cujas máquinas estão Este novo cenário desencadeou evoluídas tecnologicamente são re. se chegar à redução ficam restritas apenas aos casos de (Faculdade de Engenharia Mecânica e de Produção da do tempo de fabricação de peças. con. principalmente por cursos normalmente empregados tenha que se deslocar de um lugar parte das indústrias nacionais. novas ferra.Universidade de o fato de que. que Este artigo foi escrito por Elesandro Antonio Baptista seqüentemente. reiras onde os processos de usina. em por processistas e (ou) engenheiros para outro. Este recurso propor- direção à atualização tecnológica de processo. ferramentas. gem integram o processo produti.“Comunicação” é uma palavra-chave para se otimizar a usinagem m certos casos. novidade para fornecedores e usuá- petitividade às indústrias manufa. mais que de desejo. solução não adequada de proble- Universidade Metodista de Piracicaba – FEMP/Unimep). quisitos da globalização. especialmente para as de necessidade. vo é sempre um objeto de primeira rios norte-americanos (4 e 5) de má- tureiras. A otimização do processo de catálogos dos respectivos fabrican- tes — relatos sobre a otimização dos parâmetros de corte para as ferramentas de corte já em uso são pouco freqüentes. ciona economia relacionada às duzir os tempos de corte para. fixação e de sujeição. respeita as condições sugeridas nos E brasileiro de agora é alta- mente agressivo e predató- rio como resposta à compe- titividade imposta pelos produtos importados e para atender aos re- ção às suas congêneres de países que têm tecnologia e economia mais avançadas e. Nivaldo Lemos Coppini (Unimep) e Reginaldo Teixeira Dentro disso tudo merece destaque mas envolvendo máquinas e novas Coelho (Numa . Os recen.Núcleo de Manufatura Avançada - Escola de Engenharia de São Carlos .4. a ado. fabricação de indústrias manufatu. o pessoal de suporte têm acesso mais rápido e em pri. via de regra. despesas geradas por viagens.

em uma metodologia(6) que consis- parâmetros de corte. e a velocidade de vida de Taylor devem ser de. aliás. tégia que possibilita a interação do quina-ferramenta e outros fatores A constante necessidade de ob. cessárias à otimização do proces- custos e à produtividade(2). em ambiente O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . juntos. cidade de corte com base no inter. podem-se obter melho. requisito. E então cesso de usinagem. so de usinagem diretamente do A evidência. TOES e do CNC — controle nu- limitantes referentes aos dispositi. É o TOES. o fio de corte e v = velocidade de corte. fn. dentro do conceito de fábrica vir- xas de avanço que atendem a este tual já é uma realidade palpável. como a camada de sobre. Nada que o emprego de lizar a otimização de um processo ficial desejado. que traz a possibilidade de ganhos de competitividade em processos de usinagem e cujo emprego poderá ser de muito valor para a indústria. também o são no modo interativo) valo de máxima eficiência (IME). é que se ção(3). o TOES (de tool optimizati. viamente cadastrados (como. Para aproveitar os corte é adotada em função de res. Onde: T = vida de ferramenta se refere à Internet. a potência da má. que eles estejam em lugares dife- procura-se empregar a maior pro. A distância zação é realizada sem qualquer in- apesar da vida da ferramenta ser não é mais nada tervenção humana — os dados so- muito sensível com relação a este bre o processo produtivo são pre- parâmetro. tado o processo-alvo da otimiza. do processo alimenta o sistema com otimizados a profundidade de cor. não resolva. pode otimizar o processo de usi. mérico computadorizado — mesmo vos de fixação da peça. tratando-se otimização apresente resultados ou o responsável pela otimização de parâmetros de corte podem ser coerentes com o sistema envolvi. a possibilidade de rea- te em função do acabamento super. mização da velocidade de corte em e o sistema especialista recebe as entretanto. A otimização do processo de nagem do sistema máquina-ferra. que permitiram a otimização dos parâmetros de corte de maneira automática e inclusive via rede ou Internet. Tradicionalmente. esta técnica do dia-a-dia dos pro. 2000 • 27 . te artigo desenvolveram uma estra- da ferramenta. usinagem com o TOES se baseia menta-peça em uso através de seus tomático. as constantes x e k da equação os resultados oriundos da usinagem te. porém. tenção de dados relativos ao pro. o avanço. Aqui entra um sistema desen. volvido especialmente para a oti. lizado nos modos interativo e au. ção. ambiente fabril sem desrespeitar o informações complementares ne- res resultados no que se refere aos cenário produtivo em que é execu. As estratégias utilizadas para o interfaceamento entre sistema especialista e CNC. o que quer dizer que sistemas especialistas de usinagem de usinagem através da Internet sua utilização está limitada às fai.4. do. dentro do conceito de fábrica virtual. TOES e CNC atuam No modo automático. aliada à neces. ap. mesmo que o sistema de comunicação utilizado fosse frágil. e aguarda o resultado calculado de corte. Otimizando-se a velo. a otimi- cidade de corte é bastante flexível. mostram que aquilo que era apenas algo como um exercício de futurismo pode entrar para o cotidiano das indústrias: os resultados dos testes preliminares atestaram a sua adequação. sidade de resolução de cálculos rentes na mesma fábrica ou a mi- fundidade de corte possível entre complexos para a obtenção destas lhares de quilômetros um do outro. cessistas. A profundidade de terminadas em ambiente fabril pelo TOES. automática. (equação 1): avanços tecnológicos conquistados trições físicas inerentes à peça. estas restrições.Um sistema especialista que possibilita determinar velocidades de corte otimizadas em um ambiente fabril respeitando o cenário produtivo e o sistema máquina-ferramenta-peça envolvidos na otimização. vc. os autores des- metal a ser retirada. Para que a No modo interativo o operador te na determinação. constantes. que pode ser uti. tem afastado Assim. principalmente quanto ao que menta. CNC da máquina-ferramenta. Já a otimização da velo. on expert system). à pela área de tecnologia da informa- ferramenta e (ou) à máquina-ferra. de maneira completamente O avanço é definido basicamen. então. no entanto.

tidos na usinagem dos lotes de pe- tema máquina-ferramenta-peça.fabril. podem também ser utilizadas as pode-se adotar a velocidade de cor- dimentos em uso por parte do res. Já a VcmcLim sempre rência humana. servação importante: os valores da profundidade de corte. necessários são realizados pelo tando o número total de peças. destas velocidades e a conseqüente putadores deve ter confiabilidade ro de peças usinadas. e do Como a descrição da metodo- avanço de corte. 2000 . D) Após a realização da usina- gem obtêm-se os valores da vida da A boa comunicação ferramenta expressos em número de TOES-CNC depende peças em que para Vc1 obteve-se Zt1 do meio utilizado e para Vc2 obteve-se Zt 2. e. sa em tempo deve-se utilizar a na-ferramenta-peça. fn. adotados de. O sistema especialista (TOES) tantes x e k através das equações 2 e o CNC da máquina-ferramenta e 3. Portanto. tema principal deste artigo. tarefas são realizadas sem interfe- seja decretado o final da vida da mos do IME. ap. Sm equação de Taylor e. a ve. para a determinação do IME devem ser tal que sejam evitados acidentes e segunda aresta da ferramenta. Uma ob. ças quando se varia a velocidade B) Iniciar a usinagem do primei. iniciar a usinagem corte de máxima produção (Vcmxp). ser expressa em comprimento de = salário-máquina. Vc = veloci. tem-se o TOES trabalhando no menta seja decretado por um crité. te otimizada para o sistema máqui- ponsável pela elaboração do pro. dade de corte e T = vida da ferra. ou. sim. Zt próprio operador da máquina. a seguir. necessário anotar os resultados ob- ção às restrições inerentes ao sis. a rotina aresta da ferramenta. e anotar o núme. basear-se 3 (para o cálculo da constante k). inclusive res- cesso de usinagem (adotar valores equação 4 (para o cálculo da cons. Kft = custo do temente. as- o final da vida da aresta da ferra. recuperar valores oriundos de nar diretamente com a estratégia experimentos anteriores armazena. mas no modo interativo usinadas por esta primeira aresta. 6 e 7: prejuízos ao sistema produtivo. de corte. Nos casos em que ela for da ferramenta. das constantes x e k da vida da ferramenta também pode Onde: Sh = salário-homem. de comunicação desenvolvida. do IME: corte (em metros) ou em tempo (em ferramental e Tft = tempo de troca minutos). dos em banco de dados). equações 2 e 3. menta em minutos. tante x) juntamente com a equação volvido. limite (VcmcLim) e a velocidade de dução dos resultados obtidos no ças e. No modo automático tais do segundo lote de peças até que A Vcmc e a Vcmx compõem os extre. ano. E) Calcular: a velocidade de pela otimização do processo a al- de de corte em ± 20% em relação à corte de mínimo custo (Vcmc). = número de peças. é vem ser o maior possível em rela. modo interativo. abordada aqui por não se relacio- até. É importante observar que a podem se comunicar basicamente 28 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . o que pode ser feito pelo ro lote de peças e prosseguir até que Onde: tc = tempo de corte. peitando-se o sistema produtivo en- sugeridos em catálogos de fabri. cabe ao operador ou responsável C) Alterar o valor da velocida. O índice 1 re. realizada pelo TOES mas não será na experiência do operador. de corte de acordo com os proce. Para o cálculo de comunicação entre os microcom- critério anterior. TOES. mas quando expres. uma tarefa que também é cantes de ferramentas. logia apresentada acima mostra. A) Determinar os parâmetros expressa em comprimento de corte F) Após a definição do IME. índice 2. pelo mesmo pertencerá ao IME. utilizadas as equações 5. Zt 1. Assim é possível a determinação das cons. Todos os cálculos rio previamente estabelecido. presenta uma situação diferente do TOES. conseqüen. Zt2. teração da velocidade de corte na velocidade de corte utilizada para locidade de corte de mínimo custo máquina CNC e também a intro- a usinagem do primeiro lote de pe.4.

4. Com isso está usinando. LAN ou WAN. por exemplo. programas de usinagem desenvol. Neste caso. assim. A rede LAN permite a conexão e o compartilha- mento de dados entre mi- crocomputadores em um mesmo ambiente — uma fábrica ou um escritório. considerando que so- um processo de usinagem via In. mente a cada início de ciclo de usi- ternet deve-se utilizar uma rede do tro do programa “G” cujo valor é nagem o seu CNC carrega as in- tipo WAN e o microcomputador definido em um arquivo externo formações nele contidas. Outra característica im- portante da máquina é a possibilidade de usar variá- O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . rado e gravado enquanto o torno Para realizar a otimização de vidos em linguagem “G”. alte- quinas) a ser otimizada. o TOES pode ser instala- do em uma máquina loca- lizada em qualquer ponto de conexão da rede. facilitou o de- senvolvimento dos traba- lhos por possuir um micro- computador do tipo IBM- PC padrão que é responsá- vel pelo controle de seu CNC. 2000 • 29 .via rede do tipo LAN ou WAN. Uma placa de rede foi instalada neste micro- computador permitindo. pode-se reservar uma variável den. respectivamente lo- cal area network e wide area network. veis de programação dentro dos Este arquivo pode ser lido. o compartilhamen- to de sua unidade de disco rígido em um ambiente de rede. um torno CNC Index pertencente ao NUMA – Núcleo de Manu- fatura Avançada da Escola de Engenharia/USP de São Carlos (SP). A máquina-ferramenta utilizada. Ele tam- em que reside o TOES pode estar com formato texto (ASCII). bém é importante para a contagem localizado em qualquer parte onde se tenha acesso à Internet. pró- xima ou não da máquina (ou má.

ATD”.ATD”. gerenciador e pelo sistema especi- lizado como O TOES intera. computador em que está instalado do sistema de comunicação utiliza- Um outro o TOES. para eles para evitar possíveis pro- uma variável predefinida. que: ao sistema. Veja a estrutura do arquivo ado- computador 1 mostra esquemá. “PARAM. o sistema espe. O máquina-ferra.4. para o desenvolvimento de aplica. o TOES rea. CONCLUSÕES e o CNC da mente definidos. Nele foi instalado um TOES. a qual pecialista TOES. após os trabalhos de desen- do para dar uma maior segurança software gerenciador e é lido pelo volvimento e testes.ATD” e do conexão entre máquina-ferramen.ATD”. tado na figura 2 e. “BACK. há o blemas em função de interrupções será apresentada mais adiante. na figura 3. o instalado no ticamente o sistema fluxograma utilizado pelo software NUMA foi uti. arquivos têm o mesmo conteúdo. é gerado pelo ram. ção desenvolvida permite que se 30 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . A figura do. • A estratégia de comunica- em LabView ® que tem recursos liza os cálculos necessários e de. chamado Os autores deste artigo concluí- menta. Os dois programação disponível no CNC responsável pela aquisição/recebi. ta por meio de dois cialista TOES arquivos previa. 2000 . volve os resultados gravados no vida uma rotina na linguagem de ções de aquisição de dados e que é arquivo “BACK.ATD”.do número de peças: foi desenvol. Finalmente. primeiro. alista na troca de informações servidor e faz a ge com o CNC da através do “PARAM. para adicionar o valor 1 (um) a mento de informações existentes no Foram adotados nomes diferentes cada início de ciclo de trabalho em CNC da máquina e no sistema es. Este servidor foi emprega. Ao receber as informações software gerenciador desenvolvido do “PARAM. todo.

dando início aos ci. USA. A. que ficou no aguardo da resposta do putadores utilizados estarem dentro liação do progresso do desgaste da software gerenciador. Máquinas e Metais. A. tugal.. 2000 • 31 . — “Servicio CNC de 10) Bremer. Carlos (SP) e.. n° e Metais. — 7) Ferreira. Conference. n° 399. 1999. Reliability – Failure on International Metais. ago. Niterói. 5) Beard. com pelos autores deste artigo foi reali. 8) Domingues. xo de produção de peças. vol. 1999. no entanto. Stradiotto. Brasil. C. para Apoio à Formação de Empre- Larga Distancia”. cabo de rede que fazia a conexão en.. 22-24. 1999. obtenha a completa automação bricação em Usinagem”. E. T. usinagem. já existente e em via Internet. R. — “Um Sistema virtual é viável. A. Por- tada dentro do conceito de fábrica 78. o sistema em função do ambiente de rede utili- ware gerenciador realizasse a con. T. 1998. 48- 399.: Integrity – neficia a Produção”. International Conference.. — “Como a Variação da Velocidade é adequada para sistemas automa. A atuação deste sensor permite a ava. July 1999. utilizou-se ferramenta pela variação dimensional trou que a fragilidade do sistema de uma configuração na qual eles es. R. A conseqüência foi a in- Avançada (NUMA) da USP de São utilização nos Laboratórios do NUMA. ring. Out. o qual o sensor identificou o limite su. pág. vol. N.: comunicação adotado. • A metodologia de otimização 3) Coppini. E. N. de Corte em Tornos Automáticos Be- on Expert System”. O sistema de monitoramen. Portugal. THEN. ed. configurado clos de usinagem para que o soft. N. n° 2. RJ. ENEGEP’97. Brasil. 1989. — “Tool Optimizati. pág. Anais. Tal problema.A. SP.ATD” e “BACK. A. Butzke.: Encontro grama NC em CAD/CAPP/CAM”. São Carlos. S.ATD” alterado e. apesar de os com.. 1999. — 4) Hogarth. ma “G” uma condição do tipo “IF. MetalMecanica- International. cimento da comunicação via rede ou o final da vida da ferramenta. Rodrigues. Brasil. n° 396. Nazzoni. lação mostrou que a estratégia desen. J. page 70. o software gerenciador libera- tagem do número de peças usina. Porto. tura Avançada ( PRONEX ) e à Sandvik Co- metros de Corte para Cenários de Fa. In. sas Virtuais Baseada em Recursos de REFERÊNCIAS 4.. L. po máximo para o recebimento de in- A usinagem de peças foi simu. Internet será dada seqüência ao pro- lor da variável responsável pela me. Colômbia. abr. especialista TOES recebeu as informa. “Intelligent Machining Systems: função da fragilidade do sistema de bilities: Machine Diagnostics at a Opportunities and Challenges”. foi — pode comprometer o sistema pro- “PARAM. vol. 1999. n° 281. o va. ela.. • O processo produtivo não cor.ATD”. 9) Elbestawi. n° 2.. Coppini. A. — “Parâme. L. pág. R.. C. sem. Chão-de-fábrica”. A. tros de Usinagem e Geração do Pro. In. jan. romant do Brasil S. 4. Baptista. Os autores agradecem à FAPESP – Fun- dação de Amparo à Pesquisa do Estado de 2) Coppini. K. S. F. dimensional do diâmetro. 6. sentou problemas no envio do arquivo nagem. In. dição da peça foi editado manual.ATD” foram possível programar dentro do progra. Anais. L. ago. M. 79-86. Máquinas e tizados. será eliminado com o de- guns segundos. Máquinas e Metais. O Graças às características do CNC linha telefônica ou um cabo de rede envio/recebimento dos arquivos da máquina-ferramenta utilizada. a interrupção da comunicação zado no Núcleo de Manufatura mentas da máquina. Para simular “BACK. Nacional de Engenharia de Produção . M. ao NUMA – Núcleo de Manufa- “Alternativas de Otimização dos Parâ. Teltz. O cesso de otimização interrompido. 186-192. assim. U.../set.. a simu. do diâmetro do corpo de prova. pág. zado. volvida tem bom funcionamento. C. — “Remote Possi. Proença. São Paulo. O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . 83-91. terrupção da fabricação pelo torno. 1) Neves. entretanto. C. 1999. comprometer o flu- mente. abr. Brasil. dutivo a ser otimizado. 1999.. rá a máquina-ferramenta para a usi- das e atualizasse os dados do ar. Após este tempo-limite. ções corretamente e também não apre. A. pág. Somente após o restabele- quivo “PARAM. to adotado consistiu de um sensor de nectado propositalmente para simu- tratégia de comunicação adotada emissão acústica juntamente com um lar a queda da linha telefônica e. Manufacturing Enginee. jun. Distance”. Porto. re o risco de sofrer interrupções em Jul. da otimização de processos de pág. Vilella. Anais. Máquinas AGRADECIMENTOS Brasil”. C. 54-63. Integrity – Reliability – Failure on • A aplicação da estratégia ado. feb. Isto demons- de um mesmo prédio.4. Baptista. comunicação adotado — como uma tavam conectados via Internet. Coelho. tre os microcomputadores foi desco.. Brasil.. A simulação mostrou que a estratégia de otimização é válida O ensaio para validação da es. ção. 122. Gestão & Produ- BIBLIOGRÁFICAS 6) Diniz. mesmo que se de. realizados com êxito em apenas al. apalpador montado na torre de ferra. A. E.” para definir o momento de senvolvimento de uma rotina em que pendesse da velocidade do sistema troca da ferramenta como aquele para a máquina-ferramenta terá um tem- de rede utilizado. perior estabelecido para a variação formações do software gerenciador. lada no torno. M. Na outra extremidade. — “Otimização das Condições de lução dos Perfis de Automação no Usinagem em Células”. — “Evo. R. R. 54. E. Brasil.

4.05 a tagens tipo árvore nos diâmetros faixa de aplicação. in. versões extralongas garantem a dades estreitas e fresamento de aca. 32 • O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Robustas. com melhor performance e maior rações a altas velocidades.6 mm/pastilha. vão de 25 a 160 mm e permitem fácil escoamento dos manhos de pastilhas em usando pastilhas redon. Coromill 200: boas até no acabamento em cópia As fresas Coromill 200 três geometrias permitem das. usinagem de alta qualidade em re- bamento. A li. Fresamento de bolsões estreitos e retoque de contornos A Sandvik Coromant lançou a 12. segurança que qualquer outra. na o centro e a periferia de moldes Sandvik Coromant que também re. uma fresa toroidal que das as direções de avanço. Estas são maioria dos mate- algumas caracterís. uma verdadeira significativo: uma só pastilha usi- “desbastadoras por excelência” da solucionadora de problemas. acabamento. Quatro ta. fresamen. 2000 . Disponível em diâmetros de giões de difícil acesso das peças. ou seja: elas estão disponí- são o que se pode chamar alcançar profundidades veis com haste cilíndrica nos diâ- de “fresadoras por exce. 16 e 20 mm de cópia. ela corta em to- CoroMill 300. riais e até para usi- ticas das fresas nagem a alta veloci- Ball Nose (Ponta Esférica). para a pesados. As to de retoque (restmilling) em cavi. 0. zando o fresamento multieixos acabamento e é apropriada para ope. e GC 4040. cavacos. as dade. As pastilhas têm clusive em operações diâmetros das fresas diâmetros de 10. geometria e espes. As desbastadoras Ball Nose dão até semi-acabamento Duas arestas alizam o exigente efetivas de corte fresamento em que propiciam uma cópia nas ope- usinagem suave e rações de des- até o dobro do baste e semi- avanço da mesa. elas sura que garantem estão disponí- o transporte efetivo veis nas classes do calor em cortes GC 1025. nha Ball Nose tem um diferencial e matrizes. 12. Os de 50 a 160 mm. de até 10 mm na faixa metros de 25 a 50 mm e em mon- lência” e têm ampla de avanço de 0. 15 e 20 mm. reali- faz tanto desbaste leve como semi.

br ber/Instituto Brasileiro de Informação em Ciên.com.612 – 04795-913 – São Paulo – SP.: (11) 5070-9800.unicamp. para que eles sejam avaliados e. Das Nações Unidas. 788-3159 e 788- 3221.: (11) 548-3000.com.br/issn BVQI – Bureau Veritas Quality International — e-mail: cbissn@ibict. Tel. Unicamp . 22. 524-4243. 531 – Cidade Universitária – SP – 05508-900 – São Paulo (SP). Site: www. Tel. Fax: Site: www. 55 – Casa A – 04278- 060 –São Paulo – SP. Fale com Fale com a Sandvik a Sandvik O leitor de O Mundo da Usinagem pode en. Tel. e-mail: acampos@itmidia.4. pos Jr.bureuveritas. e-mail: megatoolsltda@ig. Fax.br Enegep – Encontro Nacional de Engenharia de Produção/International Conference on Industri.br/~estensao O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil .com.unicamp. Fax: (11) Engenharia de Produção – Avenida Prof. Fax: Mega Tools — Avenida Dr. 2000 _ !! .com ✆ 0800 55 9698 Fale Fale com com eleseles Arwi — Rua Flores da Cunha.777 – 0495-1000 Escola Politécnica da USP – Departamento de – São Paulo – SP. cânica — Caixa Postal 6122 – 13083-970 – Cam- Site: www.S.: (11) e-mail: raquel.com. – São Paulo – SP.ibict. Tel. Grupo IT Mídia — Rua Itápolis. solucionados pelo Corpo Técnico da Sandvik Atendimento ao Cliente Coromant. apresentar entrando em contato com: sugestões e (ou) críticas e fazer consultas so- bre eventuais problemas técnicos de usina.com 3823-6690.enegep.: e-mail: diretha@uol. bre tudo o que nela é veiculado.br pinas – SP. 2400 – 95020-320 cia e Tecnologia — Centro Brasileiro do ISSN – – Caxias do Sul – RS – Pio X. o leitor também pode se comunicar trar em contato com a revista para falar so. e-mail: www.: (19) 3243-0920.: (14) 234-4299. Fax.fag.br Rolamentos FAG — Av. e-mail: enegep@edu. Tel. Almei.com. P. SAS Quadra 05 – Lote 06 – Bloco H – 3° andar – 1388. Fax: de Extensão da Faculdade de Engenharia Me- (11) 5525-8661. Ferramentas — Rua Virgílio Malta.assis@br. 487 – 01245-000 Fax: (11) 5070-9820.com. basta recorrer a: (Ligação gratuita) : &e-mail da revista: omundo. 277 – Torre B – 5° andar – 04311-000 – São Paulo (SP).: (19) 289-1969. NMHG – Nacco Materials Handling Group .br e-mail: ps@psferramentas.br (19) 3243-0422.br Diretha — Rua Bamboré.dausinagem@sandvik. Cam- (11) 5063-1180.: (61) e-mail: arwi@malbanet. Para isso. Tel.usp. Fax: (11) 3818-5399. Tel. Sala 300 – 70070-914 – Brasília – DF.br Avenida do Café. Site: extensão@fem. Departamento Comercial gem que vem enfrentando em sua empresa ✆ (011) 5525-2743. 145 – 13070-180 – Campinas – SP./Fax: (54) 223. Tel. com a Sandvik Coromant através de telefone.br (14) 234-1594. Se preferir. Joaquim de S. Tel. 17-38 – ramal 449.: (11) 3818-5363.: (11) 3823-6600. se for o caso. ISSN/IBICT – International Standard Serial Num. da Prado.usp. das Nações Unidas.: (11) 5061-5159. 17040-440 –Bauru – SP .Secretaria do Programa de Cursos 21.br 321-5638. Fax: (19) 289-1969 e 289-3722.Bra- al Engineering and Operations Management — sil — Av. Tel.

preencha completamente este cupom e o envie por fax (0XX11 5525-2775) ao Depto. pois isso inviabiliza seu processamento pela equipe de circulação da revista. Aceitamos sugestões. etc…)? _______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________________________________________ Agora “O Mundo da Usinagem” é trimestral. temos ainda as seções: “Página do Presidente”. Não redigite ou altere seu formato. Obrigado! ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ !" _ O Mundo da Usinagem – Sandvik Coromant do Brasil . Nome:______________________________________________________________________________________________________________________________ Empresa:____________________________________________________________________________________________________________________________ Departamento:___________________________________________________________________________________________________________________ e-mail:_____________________________________________________________________________________________ Estão em operação em sua empresa (ou divisão) (indique a quantidade): _____ Centros de usinagem CNC _____ Brochadeiras CNC _____ Afiadoras CNC _____ Tornos CNC _____ Rosqueadeiras CNC _____ Outras máquinas CNC _____ Fresadoras CNC _____ Mandriladoras CNC de usinagem de metais _____ Furadeiras CNC _____ Brunidoras CNC (desbaste/acabamento) Quais assuntos você gostaria que também fossem abordados por “O Mundo da Usinagem”? _________________________________________________________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________________________________________________________________________ O que você achou da nova apresentação da revista (reportagens. “Notas & Novas” e “Entre em Contato”. de qual(is) você mais gostou? ❏ Página do Presidente ❏ Notas & Novas ❏ Destaques ❏ Entre em Contato ❏ Todas Você acrescentaria alguma seção à revista? Qual seria seu conteúdo? ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ Este espaço é seu. qual a melhor periodicidade?) ❏ Bimestral ❏ Mensal Qual(ais) a(s) reportagem(ns) ou artigo(s) que mais lhe agradou(aram) ? Por quê? ____________________________________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________________________________________________________________ Além das seções “Artigo” e “Reportagem”. críticas e — por que não? — também elogios.4. capa. de Market- ing da Sandvik Coromant. Esta periodicidade é: ❏ Boa (atende à sua necessidade) ❏ Insuficiente (neste caso. “O Mundo da Usinagem” quer atendê-lo cada vez melhor Para isso. 2000 . faça seu comentário sobre “O Mundo da Usinagem”. layout. Por favor. Dentre elas.

com. 21.br Belo Horizonte Fax 31 3295-3274 e-mail: escandia@terra.com.com.com.com. das Nações Unidas.com.br Fax 11 5061-5166 Comrefe Tel 81 3268-1491 Maxvale Tel 12 341-2902 Recife Tel 81 3267-9401 São José dos Campos Fax 12 341-3013 e-mail: comrefe@torricelli.com.br Fax 51 342-2784 Makrotools Tel/Fax 51 347-0224 ESPÍRITO SANTO (CE) Porto Alegre Hailtools Tel 27 349-0416 e-mail: makrotools@bol.br Ipatinga Fax 31 3826-2738 Cofecort Tel 16 232-2031 e-mail: tungsfer@uai.br Ferrametal Tel 85 287-4669 F.com.com.br Fax 92 613-2338 RIO GRANDE DO SUL (RS) BAHIA (BA) Arwi Tel/Fax 54 223-1388 Sinaferrmaq Tel/Fax 71 379-5653 Caxias do Sul Lauro de Freitas e-mail: arwi@malbanet.sul.com.br Fax 81 3441-1897 e-mail: maxvale@directnet. Ferramentas Tel 14 234-4299 e-mail: jafer@bol.br Thijan Tel/Fax 47 433-3939 MINAS GERAIS (MG) Joinville Tel 47 433-8368 Escândia Tel 31 3295-7297 e-mail: thijan@netvision.732 • São Paulo/SP • 04795-914 • Fone (11) 5525-2734 Sinônimo de Produtividade Máxima .com.com.com.com.br Fax 19 3421-2832 Rio de Janeiro Fax 21 280-7287 Toptools Tel/Fax 11 228-8322 e-mail: toolset@openlink.br Araraquara Fax 16 232-2349 e-mail: cofecort@aol.br Bauru Fax 14 234-1594 Machfer Tel 21 560-0577 e-mail: ps@psferramentas.com.br e-mail: repatri@terra.sandvik@ig.br e-mail: fsvendas@ez-poa.com.com.br Vila Velha Fax 27 239-3060 e-mail: hailtools@bol.br Sandi Tel 31 3295-5438 SÃO PAULO (SP) Belo Horizonte Fax 31 3295-2957 Atalanta Tel 11 3837-9106 São Paulo Fax 11 3833-0153 e-mail: sandiferramentas@uol.S.com.br Santo André Fax 11 4996-2816 Tungsfer Tel 31 3825-3637 e-mail: cofast.com.br São Paulo Av.com. Não importa onde você esteja: há um distribuidor autorizado da Sandvik Coromant por perto para atendê-lo AMAZONAS (AM) Trigon Tel/Fax 21 270-4566 MSC Tel 92 613-2350 Rio de Janeiro Manaus Tel 92 613-2411 e-mail: trigon@bol.com.br Mega Tools Tel 19 3243-0422 RIO DE JANEIRO (RJ) Campinas Fax 19 3243-0920 Jafer Tel 21 270-4835 e-mail: megatoolsltda@ig.com.br Diretha Tel 11 5061-5159 São Paulo Tel 11 5063-1180 PERNAMBUCO (PE) e-mail: diretha@uol.br SANTA CATARINA (SC) GC Tel/Fax 49 522-0955 MATO GROSSO DO SUL (MS) Joaçaba Kaymã Tel 67 721-3593 Repatri Tel 48 433-4415 Campo Grande Fax 67 783-2559 Criciúma Fax 48 433-6768 e-mail: kayma@zaz.br Rio de Janeiro Fax 21 560-0577 Pérsico Tel 19 421-2182 e-mail: machfer@openlink.com.com.br Tecnitools Tel 31 3295-2951 Belo Horizonte Tel 31 3295-2974 Cofast Tel 11 4997-1255 e-mail: tecnit@terra.com.br Piracicaba Tel 19 3413-2633 Toolset Tel 21 290-6397 e-mail: persico@terra.br e-mail: sinaferr@zaz.com.br e-mail: mci@internext.com.com.br Rio de Janeiro Fax 21 270-4918 P.br Fax 11 209-4126 e-mail: galeferramentas@mais.com.sp@bol.S.br Consultec Tel 51 343-6666 Porto Alegre Fax 51 343-6844 CEARÁ (CE) e-mail: consultec@voyager.br e-mail: atalantatools@uol.com PARANÁ (PR) Comed Tel 11 6442-7780 Gale Tel 41 264-3664 Guarulhos Tel 11 209-1440 Curitiba Fax 41 263-1702 e-mail: comed. Tel 51 342-2366 Fortaleza Fax 85 217-1558 Porto Alegre Tel 51 342-2463 e-mail: ferrametal@secrel.

19 e 20 OUTUBRO 22. 27 e 28 ABRIL 23. 5. 23 e 24 1. das Nações Unidas. 20 e 21 Sinônimo de Produtividade Máxima Av. ferramenta e mão-de-obra.732 – Santo Amaro – São Paulo – SP – CEP 04795-914 Tels.EAFT EAFF Escolha e aplicação de Escolha e aplicação de ferramentas para torneamento ferramentas para fresamento Capacitação para a escolha básica das ferramentas para operações de torneamento e fresamento (classe. solução de problemas de desgaste e outras ocorrências com as ferramentas e redução dos custos de usinagem.2. Horário: das 8:30 às 16:30 = 28 horas em 4 dias MÊS EAFT EAFF OUT OUF FEVEREIRO 19.3 e 4 NOVEMBRO 19. 20 e 21 MARÇO 26. 21. Horário: das 8:30 às 16:30 = 21 horas em 3 dias OUT OUF Otimização da usinagem Otimização da usinagem em torneamento em fresamento Capacitação para a otimização dos processos de torneamento e fresamento com pastilhas intercambiáveis. manutenção e manuseio de ferramentas. geometria e fixação). 27 e 29 SETEMBRO 24.: (11) 5525-2716 e 5525-2717 — Fax: (11) 5525-2775 e 5525-2748 . determinação correta dos parâmetros de corte e adequação do rendimento econômico do conjunto formado por máquina. 4 e 5 AGOSTO 27. 6 e 7 JULHO 2. 18. 25 e 26 17. 3. 15 e 16 JUNHO 4. 24 e 25 MAIO 14.