You are on page 1of 12

INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA DE MOÇAMBIQUE

Ministério da Agricultura
Edição Trimestral Abril - Junho de 2011 Nº 19

IIAM LIBERTA 46 NOVAS VARIEDADES DE
Nota de abertura
CULTURAS DIVERSAS
Estimados leitores,
É com muito prazer que pela décima
nona vez, em doze páginas tentamos
partilhar algumas das nossas inúmeras
actividades, concorrendo para a
prossecução das nossas atribuições.
Nesta edição, a agricultura está em
festa! 46 novas variedades de culturas
diversas altamente rentáveis
disponíveis. Destacamos também
que, quadros de comunicação e
transferência de tecnologias escalam
sede da EMBRAPA em Brasília,
capital de Brasil. Ainda que, o povo
moçambicano tem desde já um novo
tipo de arroz. Que a gestão de recursos
naturais será por satélite. E que, batata
doce de polpa alaranjada entra no
combate à fome urbana.
O investigador Jone Januário Mirasse
propõe um debate sobre o indivíduo
enquanto actor de desenvolvimento
procurando despertar a
responsabilidade do Homem nesse
exercício. Painel no acto de divulgação das 46 variedades
Em reportagem, o investigadores e
planificadores são capacitados em
matéria de assuntos transversais. O Instituto de Investigação Agrária de mapira, nove (9) de soja, oito (8) de
Ainda que, cerca de 150 mil mudas de
coqueiro foram plantadas na Moçambique (IIAM) anunciou feijão vulgar, três (3) de feijão nhemba,
Zambézia e Nampula. A honra de
receber o Secretário de Estado - oficialmente, dia 10 de Junho de 2011, sete (7) de batata-reno e seis (6) de
Adjunto dos EUA ficou
indelevelmente marcada nos a libertação de 46 novas variedades de amendoim.
IIAMistas!
diferentes culturas aprovadas pelo
Na divulgação, no âmbito de
horticultura nas escolas, o IIAM é Sub-Comité de Libertação de Segundo Doutor Calisto Bias, Director
presenteada pela Escola Unidade “6”
e, duas oportunidades de formação Variedades sob a égide da Direcção Geral do IIAM, a libertação das
para investigadores do IIAM nos
EUA. Nacional de Serviços Agrários referidas variedades, vai impulsionar o
Como fecho, mas não menos (DNSA), no início de Junho do desenvolvimento da agricultura
importante, detalhes sobre o programa
de desenvolvimento da agricultura corrente ano, no recinto da sede desta moçambicana através do aumento dos
tropical (ProSAVANA).
Por último, despedimo – nos com um instituição em Maputo. volumes de produção e da
forte abraço e com a promessa de que
voltamos na vigésima edição.
produtividade agrícolas, porque vão
Trata-se de quatro (4) variedades de oferecer novas e melhores alternativas
Feliciano Mazuze /DFDTT milho, uma (1) de arroz, oito (8) de para o sector produtivo agrário.

que surge na sequência do acordo 2 . Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). De referir que. evoluir para a construção de uma Quadros Técnicos do IIAM posando para posteridade estratégia de comunicação que se pretende fortalecer este sector no Teve lugar. CIMMYT. Informação e Comunicação (DDIC) da sede e. enfatizou Calisto Bias. ICRISAT. CIP que são predominantemente cultivadas tolerantes às principais pragas e e IRRI. Bias Internacionais de Pesquisa Agrária do melhorada que substituirá assegurou que as novas variedade são Grupo Consultivo para a Pesquisa progressivamente o grão (“semente”) de alta produtividade. em Brasilia. para além de que em larga Verde em Africa (AGRA) e das Mocumbe/IIAM/DFDTT/DDCI) Quadros de Comunicação e Transferência de Tecnologia do IIAM na EMBRAPA Os técnicos e investigadores do IIAM que participam neste evento são oriundos do Departamento de Documentação. um Workshop envolvendo técnicos e investigadores IIAM. IITA. resultado. necessidade de aumento da produção e produtividade nas culturas acima Para a realização efectiva deste Constitui interesse e preocupação do mencionadas”. dos Departamentos de Formação e Divulgação dos 04 Centros Zonais. O Grupo de Gestão Estratégica do IIAM está também representado no workshop. O evento decorre na Este exercício decorre no âmbito do 23 de Maio com o término previsto sede da Empresa Brasileira para a Programa EMBRAPA – Moçambique para 03 de Junho do corrente ano.Boletim do IIAM DESTAQUES “As variedades libertadas vão dar um medida o produto final é satisfazer as Fundações McKnight e Bill & Melinda valioso contributo crescente perante a preferências do consumidor. CIAT. adaptadas às Agrária (CGIAR). tais como das variedades locais pouco produtivas diferentes condições agro-climáticas. aumentar a percentagem dos e a participação dos Centros produtores que utilizam semente Num outro desenvolvimento. Gates. tendo iniciado a moçambicana. da Aliança para a Revolução pelo sector familiar. o Workshop tem sido moderado por investigadores e técnicos da Secretaria de Comunicação (Secom) da EMBRAPA num modelo que prevê partilhar a experiência desta empresa agropecuária latino – americana e. o IIAM contou com o apoio IIAM. de fortalecimento da Comunicação no ligados à comunicação e tranferência Instituto de Investigação Agrária de de tecnologia nesta instituição Moçambique (IIAM). (Sostino doenças.

Surapong. Na sequência da sua aprovação pelo Campo de arroz Comité de Libertação de Variedades nos princípios de Junho de 2011. Macassane foi seleccionado com rendimentos altos e resistência às um papel chave na testagem de localmente como a variedade com o principais doenças bem como Macassane em seis locais do Norte ao melhor gosto. por descobrir formas de diminuir o gestão da marca e publicidade na tempo e aumentar a produção de forma Entretanto. multiplicação e para que os especialmente desenvolvido para camponeses possam beneficiar desta responder às preferências dos “Este é apenas o começo. assessoria de Deste modo. Surapong Macassane mostrou boa adaptação consumido e tem resistência a Sarkarung. produtores e consumidores forem amplamente adoptadas. as importações no país explodiram. Brasil e Estados Unidos tecnologias agrárias com vista a da América. o Os moçambicanos terão em breve a mo çamb ican o s e r es p o n d e às IRRI providenciou ao Governo e aos oportunidade de comprar e saborear exigências do mercado e às condições produtores “semente básica” para um arroz testado no país e de produção locais. Nós semente. Moçambique pode tornar-se auto- Moçambique terá um nova variedade de arroz suficiente e exportar arroz porque o grão do Macassane e das outras variedades que estamos a desenvolver reúne os padrões internacionais de qualidade. Macassane tem duas 3 .Limpopo. consumidores locais. Por outro lado. meios clássicos e novas consistente. passando de cerca de 75. identificamos recentemente muitas variedades novas que têm uma O Instituto de Investigação Agrária de Depois de extensivos testes ao longo combinação de grão de alta qualidade Moçambique (IIAM). plano estratégico de organização de pesquisa. Moçambique. Coordenador do IRRI para para os ecossistemas irrigados do sul de doenças. relacionamento com públicos recursos que facilite esta produção. o consumo de arroz por pessoa em Moçambique cresceu mais que o dobro. desempenhou do país. comunicação para o dificuldades dos produtores agrários.” que Macassane pode produzir 6 à 7 de Investigação de Arroz (IRRI) que acrescentou o Dr. além de apresentar novos mecanismos que progressivamente mídias.” De 2002 a 2007.” disse o Dr. o que é muito importante o programa de melhoramento de arroz Moçambique. DESTAQUES Boletim do IIAM tripartido envolvendo os Governos de disponibilizado sistematicamente a visibilidade do referido esforço. ultrapassando os 20 quilogramas por pessoa por ano e espera-se que a demanda continue a aumentar. Contudo. na África Austral e Oriental.000 toneladas por ano entre 2002 e 2008 – um aumento em mais de 4 vezes. tal como toda a Daí que. atractivo. o Wo r k s h o p d e impacto significativo na produção e fortalecimento da comunicação no A investigação agrária tem assumido produtividade no país. desenvolvimento.000 a 350. boa textura quando Moçambique. Macassane é a primeira variedade “Moçambique tem uma vasta extensão Os testes de campo mostram também melhorada pelo Instituto Internacional de terra apta para a produção de arroz. que passa como: comunicação na EMBRAPA. noutras regiões. mas a testagem continua para os produtores locais. vão diminuindo as limitações e de interesse. responder os anseios e limitações do sector sobre os produtores com P o r t a n t o . “Se mais toneladas por hectare como uma das foi concebida especialmente para os variedades boas como Macassane variedades mais populares . o IIAM tem um recurso fundamental para assegurar comunicação para o IIAM. a conscientização sobre os esforços do IIAM para encontrar EMBRAPA. IIAM envolve na agenda assuntos um papel muito importante. a comunicação aparece como imprensa. Tem um grão longo e adaptação às condições de cultivo de Sul do país nos últimos três anos.

assegurando resistente à doenças e tem grãos longos de grão é significativamente melhor e desta forma que qualquer variedade e atractivos. Os camponeses da Aldeia de Macassane tem um rendimento Projecto “Stress-Tolerant Rice para Macassane. Embrapa Moçambique para produção acordo com seu interesse”. com a participação da Agência apropriadas aos cultivos anuais. em 2010. curvas de nível. no dia 26 de Abril de de chuva. a tecnologias lançadas em parceria informações sobre os tipos de solo Embrapa Monitoramento por com a Embrapa coincidindo com do país. explica Solos e o IIAM. é resistente a duas das principais nova esteja em conformidade com as doenças – bacterial leaf blight e blast – suas necessidades. Para além disso. técnicos dos solos e outros recursos dos recursos naturais. consumidores e com as cheias mas não demasiado alta para Tecnológica de Moçambique apoiada fábricas de descasque e preparo de acamar facilmente. classes de Satélite deverá colaborar para o os 38 anos daquela instituição declive. um sistema informação. Para o WebGIS de levantamento das características dinâmico e interativo para gestão Moçambique. avaliação e selecção. novas informações forem geradas a Agência dos Estados Unidos para o partir do projecto. da perenes e criações. além dos recursos naturais de cruzando e construindo mapas de da Embrapa Cerrados. Ainda segundo ele. sobre o uso e cobertura das terras. suportado pela Fundação Bill & variedade como a sua favorita. ferrovias. o Projecto conta indicativos das áreas mais o pesquisador Édson Luis Bolfe. elas serão Concebido como um sistema de Desenvolvimento Internacional incorporadas no WebGIS. agrícola e pecuária. “O usuário poderá Secretaria de Relações mapeamento das potencialidades seleccionar os dados que desejar. é Fonte: IRRI Moçambique Conta com um Novo Sistema de Gestão de Recursos Naturais Chama – se WebGIS. tem muitas pela USAID. médias projecto organizando. O sistema técnicos do Instituto. treinamento e capacitação para Inovação Agrária de Moçambique estradas e rodovias. suficientemente alta para sobreviver às Investigação Agrária e Inovação camponeses. rede hidrográfica. o (USAID) e do Instituto de WebGIS permite ao usuário Investigação Agrária de consultar informações Duas missões em campo foram Moçambique (IIAM). arroz em Moçambique que ajudam no panículas que produzem grão. assim que Brasileira de Cooperação. que participaram na industrial mais elevado (cerca de África e Sul da Ásia (STRASA)”. Além da Embrapa.Boletim do IIAM DESTAQUES vantagens distintas – a sua qualidade processo de selecção. foi uma das organizaram bases de dados e naturais. implementando programas de programa de apoio à Plataforma de como aeroportos. Internacionais da Embrapa. a instalação brasileira. com um dos coordenadores do projecto. Eles disseram que gostaram dela por ser Melinda Gates e pela Plataforma para O IRRI trabalha em estreita colaboração com o IIAM. mapas de uso e cobertura de um laboratório de 2011. das terras e ainda a divisão política geoprocessamento no IIAM e É um dos primeiros resultados do e a infraestrutura de transporte. As e está disponível na internet. Este trabalho de investigação está que podem causar sérias perdas de sendo possível graças ao apoio do grão no Limpopo. para análises amigável e interativo. O utiliza como base imagens de actividades têm a participação da sistema vai subsidiar o satélite. informações geográficas. georeferenciadas de modo realizadas. Além do WebGIS. Fonte: Embrapa Monitoramento manipulando diferentes planos de p r o s p e c ç ã o d e m a t e r i a i s e por Satélite 4 . classificaram esta 80%) em relação ao Limpopo (70%).

assumir um protagonismo fulcral. ao colocar a um dia de campo. parceria com os Governos da os produtos sucedâneos podem Cidade e da Província de Maputo e. Cicília Hama. Devido a conjuntura económica internacional. acreditam de Umbelúzi em Boane (Walate). o preço do pão tem Rama da batata-doce para plantio caseiro Governadora da Cidade plantando batata-doce enfrentado variações que limitam o 5 . no dia 9 de Deste modo. surge na sequência do cumprimento de um dos mandatos do IIAM contribuindo na luta contra a pobreza absoluta (desta vez. o IIAM e os parceiros Junho de 2011. que contou com a pão nos momentos em que este honrosa presença de Sua Excia a escassea. a urbana em particular) através da disponibilização de recursos tecnológicos agrários.doce de polpa alanjada No acto em que se mostrava a nomenclatura e canteiro da batata-doce de polpa alaranjada O Instituto de Investigação Agrária seu acesso para grande parte das de Moçambique (IIAM) em famílias moçambicanas. na Estação Agrária supracitados. urbana. Mocumbe). (S. cujo fundamento disponibilidade a rama da batata- é disponibilizar a rama de batata. pelo que. doce de polpa alaranjada para que os doce de polpa alanjada como uma Sumo como um dos derivados da batata-doce interessados possam desenvolver das soluções para estancar a fome de polpa alaranjada alguns canteiros em seus quintais. Governadora da Cidade de Maputo. tal pode concorrer para substituir o Esta iniciativa. profundamente que. apoio do Centro Internacional da Batata (CIP) organizou. DESTAQUES Boletim do IIAM Dia de Campo para promover alternativas de combater a fome urbana com recurso à batata .

mais que simples base provocar e mobilizar. desempenha relevante por uma delimitação de suas e comportamentos agregados função na construção de laços v a n t a g e n s t e ó r i c a s e nele. econômicas de que dispomos - (2007) aponta. permite contexto histórico do local e de em que o interesse individual é gerar tecnologias e induzir o sociabilidade.com. As salienta que mesmo para o tanto de encontrar óptima sociedades são elas fortes e sucesso dos territórios é preciso confluência de certos recursos e promissoras tanto quanto forem tomar em conta que a ideia factores de produção. uma organização várias abordagens na tentativa de cada um é inescapavelmente complexa feita por laços que vão se obter melhor entendimento e r e s t r i t a e l i m i t a d a p e l a s muito além dos seus atributos formas de intervenção sociais. Da mesma historicamente e localmente forma que Abramovay (2000). que dele e para ele se epistemológicas. políticas e por este caminho que Long transportes e comunicações. submerso dentro dos padrões processo de mudança. vê-se aqui um existe uma acentuada indivíduo que é em si bastante especificamente a perspectiva de complementaridade entre a complexo. O que dentro das inter-relações o religiosa e de vários outros no colectivo se aprimora à medida indivíduo como ator. possui um desenvolvimento proporciona diz que a condição de agente de tecido social. seguidos coletivismo. tornam-no um ser sociais. com 6 . moral. É naturais e dos custos de oportunidades sociais. O desenvolvimento não depende definidos e estabelecidos.br) Introdução que a constituem bem como das física para as relações entre O debate sobre o suas inter-relações. o indivíduo debates contemporâneos sobre individual. Portanto as atitudes social. Além do mais. Sen (2000) indivíduos e empresas. culturais de sociabilidade. (2007) faz apreciação crítica do detém capacidade e autonomia de caráter paradigmático dos poder decidir o melhor para si e Desenvolvimento conceptual enfoques estruturalistas em para o meio onde vive e partilha o O indivíduo como membro do contraste com as do ator. propondo Nesta perspectiva. emaranhado de símbolos e de materializam relações e normas complexos significados de Storper (1995) admite também identidade cultural.Boletim do IIAM INVESTIGAÇÃO O INDIVÍDUO ENQUANTO ACTOR DO DESENVOLVIMENTO Jone Mirasse (jmirasse@yahoo. quanto de as capacidades dos indivíduos central. É disso que Long dentro da sua racionalidade pobreza. na medida em que ele atores sociais (locais e externos) condição de agente individual e as constitui em si mesmo a essência como uma das saídas que pode disposições sociais: é importante da sociabilidade e como motor trazer maiores contribuições nos o reconhecimento simultâneo da para todo processo de mudança planos desenvolvimentistas nos c e n t r a l i d a d e d a l i b e r d a d e social.

et al. desenvolvimentto. necessariamente. empregados (HIRSCHMAN.. Teoria e o s p r o p ó s i t o s especificos entre pequenos e Evidencia Económica.191–222. 2007. válidos e 26. p. p. Studies. p. fortes e fracos. México. Isto incapacitados da sua comunidade LONG. São Paulo: Companhia Editora 1961. dificilmente haverá o KUHN.134. a mobilidade. n. Considerações finais HIRSCHMAN.2. 2000. que o subdesenvolvimento é capacidade de se deslocar de Español Ed. p. O actor local pode no espaço geográfico mas Magdalena Villareal y Pastora capitalizar-se mais e provocar também entre as pessoas ou ainda Rodriguez. colocando Companhia de Letras.13-52. Mas para regional economies. R. Com base nas discussões feitas (1961) ao trazer o aspecto de Rio de Janeiro: Fundo de Cultura. Ele conhece as heterogeneidade revelada pela provavelmente de uma melhor regras sócio-culturais e abordagem das capacitações nos orientação que fosse dirigida para mecanismos de sociabilidade municípios gauchos. O capital later: the region as a nexus of actores locais necessitam de ser social dos territórios: repensando untraded interdependencies. D. N. capacitadas. European Urban and Regional (2006) no seu estudo sobre a Economia Aplicada. p. D. 2006. Sociologia del sem querer concordar totalmente ou do seu meio social. autônomo. A. n. K. São Paulo: do seu prórpio processo de outros sigam. n. a Centrada en el Actor.379-397. nos parágrafos dos capítulos aptidão. A. não somente inglês: Horacia Fajardo. The resurgence of da sua comunidade. recursos e aptidões que se acham Brazil. 181-236. Traducción del portanto um processo histórico maneira autônoma. ten years orientar e ampliar as escolhas dos ABRAMOVAY. do desenvolvimento Económico. p. anteriores sobre a posição do potencial de conhecimentos e actor local. apesar de Kuhn et al. 7 . nos espaços mentais entre as pólos de crescimento. é qualidade do actor local assimetria positiva – competitiva SEN. Estratégia de Nesse contexto Hirschman Desenvolvimento Económico. o d e s e n v o l v i m e n t o r u r a l .19). Nacional. dispersos ou mal m e i o s n ã o c o n d u z e m . Pobreza no práticas em que para sua melhor desenvolvimento se ele não for R i o G r a n d e d o S u l : a aplicação necessitaria comtemplado. Vol.7-106. criar ideias. interesses individuais acima mas sem ignorar os colectivos dentro Bibliografia STORPER. reforça a existência dum 1961. integrada e que o espaço de ação inválidos. 4. desenvolvimentistas de forma grandes. Nestas Desarrollo: Una Perspectiva com a idéia de Furtado (1977). capacitados e do ator local fosse ampliado. os pobreza no Rio Grande do Sul . afirmar que melhores FURTADO. Teoria e política ocultos. INVESTIGAÇÃO Boletim do IIAM propósito desenvolvimentista. 1995. a melhores fins. V. p.abril/junho 2000. 113 . M. 2. 14. de condições. 1977. O Desenvolvimento como indivíduo e como mediador – no sentido que será luz para que como Liberdade. C.

solteiras Neste momento. central em colaboração com os responder a demanda da agenda de coordenadores dos CZ's fará um investigação. desenvolver actividades de corte de 10% da doença. pese destas habilidades foram mulheres. por 3 investigadores e o grupo de integração destes assuntos em cada Género e Segurança Alimentar) para discussão de pré-pensadores onde Centro Zonal a coordenação do nível fazem parte todos os investigadores. são o seu início em Janeiro de 2011 no técnicos do Provedor de Serviços caracterizadas por manifestarem mais Distrito de Inhanssunge. realizadas capacitações nos períodos idade após a implementação dos de 24 a 25 (CZNoroeste). auxiliar e auto-apoiaram. CZ's revelou um nível de satisfação contaram com um total de 46 bastante positiva desde a metodologia Como mecanismo de fortalecimento participantes sendo 31 homens e 15 até ao conteúdo abordado.Boletim do IIAM REPORTAGEM O IIAM Empoderando Os Investigadores E Planificadores Com Ferramentas De Integração De Assuntos Transversais Dando seguimento às acções de ferramentas para a inclusão de AT nos planos e projectos do IIAM. plantar na sua machamba. foram plantadas em 8 distritos das cerca de 30 mudas de coqueiro. e abrangeu (ACDI/VOCA). Formar os investigadores e se na concretização de inserção destes planificadores dos CZ's no uso das assuntos nos protocolos. coqueiro. Cada beneficiário recebeu em média. (Fonte: MCA) 8 .000 pessoas. de 75% da doença do amarelecimento mais de 5. treinamento de nos ultimos 3 meses. 29 a 30 protocolos de investigação constitui Uma avaliação feita pelos (CZNordeste) e de 31 de Março a 1 de uma prioridade na agenda de participantes do curso em todos os Abril (CZCentro) do corrente ano. que investigação. epidemicas. coqueiros nas zonas epidémicas. técnicos e planificadores para acompanhamento de Investigadores e acompanhar. embora a necessidade de consciencializados e mobilizados os acompanhamento solicitada por A formação visava criar capacidade de investigadores e planificadores a criar unanimidade pelos mesmos. programas. o Projecto está a são aquelas que apresentam menos ou viuvas. foi deixado como recomendação planificadores com ferramentas de mesmos com capacidade de para a inclusão deste plano de acção no integração de assuntos transversais interpretação dos resultados através PAAO's de 2012 de forma a tornar (AT) na agenda de Investigação. Por um formação dos investigadores e protocolos de investigação e dotar os lado. para limpeza das machambas nas zonas Provincias da Zambézia e Nampula. foram desagregação dos dados por sexo e efectiva a sua implementação. sobre O plantio das mudas de coqueiro. teve técnicas de plantio. ministrado pelos As zonas endémicas. passaram comercialização da produção.367 letal do coqueiro e as zonas epidémicas mulheres chefes de familia. por um processo de formação. sendo 2. os camponeses. Fonte: PIAIT Mais de 100 Mil mudas de coqueiro. em duas Províncias do norte do País Cerca de 150 000 mudas de coqueiro. aplicação de ferramenta de integração uma equipe de coordenação composta Para garantir a efectivação de de assuntos transversais (HIV e SIDA. uma iniciativa do camponeses em plantio de culturas Projecto de Apoio à Renda do Para proceder o plantio das mudas de alternativas e apoio na Agricultor. Planificadores.

a destacar o laboratório de Antes de assumir o seu cargo actual. a divisão da banca dos Estados Unidos da America. Conselho de Relações Exteriores. o Secretário de Estado – Zoológico Nacional. a s ala vitrine Sr. O visitante aproveitou a ocasião para de investimento do Credit Suisse Thomas R. da Empresa de Apoio à Iniciativa Local. Doutor Calisto Bias. Thomas como Vice-presidente Sénior da Durante a visita. Nides iniciou a sua carreira no Instituto de Investigação Agrária de IIAM irão continuar. tendo na Capitólio. vive em para se inteirar do funcionamento da Estado Adjunto para a Gestão e Washington. Nides. Nides foi membro do Conselho de tecnológica. visitou no passado enfatizar que os relações de parceria Group sediado em Zurique. para além da visitar o IIAM. Nides. estufas e sala de Administração da New York Cares. Antes de se juntar à Morgan Stanley. com o O Sr. Thomas Nides. REPORTAGEM Boletim do IIAM IIAM Recebe Secretário de Estado – Adjunto dos EUA Recursos. o Sr. trabalho à instiuição que a seu ver trilha Representantes dos Estados Unidos e Thomas Nides é Secretário de Estado por um caminho salutar. visitado alguns sectores chave. Assistente Executivo do Porta-Voz da Adjunto. R. Nides. Estados Unidos da América. Nomeado pelo presidente Barack Obama. no ambito da sequência endereçado votos de bom da Bancada Maioritária da Câmara dos sua visista de trabalho a Moçambique. Nides serviu como Presidente Mundial O Secretário de Etado cumprimentando quadros do IIAM e Director Geral da Burson-Marsteller e como Director Executivo da Credit S. Sra. da processamento de batata doce de Fundação de Aliança Urbana. Antes de entrar para a Administração. O Sr. O Sr. Sostino Mocumbe/IIAM 9 . as instalações do com os EUA através da USAID. Thomas Nides é Secretário de Universidade de Minnesota. uma firma líder global em serviços financeiros de 2005 a 2010. como Assistente do Chefe Moçambique (IIAM). o Sr. Adjunto reuniu com uma equipa de Breve biografia de Thomas Nides quadros do IIAM encabeçados pelo O Sr. servindo como Chefe de Operações do Departamento e como fiel colaborador da Secretária Clinton. Fannie Mae e como Chefe de Gabinete procurou inteirar-se do manteve encontros com altas figuras do Representante de Comércio dos funcionamentto da instituição. o biotecnologia. Acompanhado por S. Leslie dos EUA membro do Conselho Consultivo do Rowi. licenciado pela Director Geral. Nides foi o Chefe de Operações da Morgan Stanley. Nides mais tarde serviu Na sua curta visita a Maputo. Câmara. Sr. Excia Secretário de Estado Adjunto instituição. tendo do Governo de Moçambique. bem como Thomas Nides Secretário de Estado Adjunto América em Moçambique. do polpa alaranjada. Exerceu funções executivas e serviu como membro do Comité de Administração e do Comité Operacional da Morgan Stanley. Suisse First Boston. dia 03 de Abril. desde Dezembro de 2010. foi confirmado pelo Senado no dia 22 de Dezembro de 2010 e empossado no dia 3 de Janeiro de 2011.Excia da Associação da Indústria de Valores e Embaixadora dos Estados Unidos da Mercados Financeiros.

afirmou enquadraria na recentemente criada De referir que. encontramos técnicas de “Basicamente a parceria é de demostrar as várias maneiras de transferência de tecnologias. hortículas. Chefe do Departamento de sumos. tais representam um ciclo prestação de assistência técnica. técnica do DTT equipamentos de processamento. assistência técnica em todo o processo as comunidades circunvizinhas que de produção de hortícolas para a são essencialmente produtoras de Escola. Director Técnico de disciplina de Agro. como forma de transferidas.Pecuária. Alguns técnicos que contribuiramaram para a capacitação dos professores e alunos em matérias de hortícolas plasmados no seu mandato. se à instituição e reconhecendo a elo de interação com a Escola. Sostino Mocumbe/IIAM prossecução dos objectivos Na perspectiva desta iniciativa. que. esclareceu Anabela vários derivados a destacar: bolos e Manhiça. O Director Técnico do DFTT recebe o presente das professores e alunos em matéria de mãos da Professora Elisa. que na maioria se dedicam à “O processo de capacitação dos actividade. “Volvidos quatro anos de actividade conjunta. “ Este exercício prende – se na consubstanciar o programa liderado A parceria iniciou no momento em que necessidade de contribuir para trazer pelo Governo visando o combate da a escola resolveu abordar o IIAM por um equilíbrio alimentar com recurso à pobreza urbana. é antecedido por uma A Unidade “6” produz e comercializa Trata – se de uma experiência sem palestra com vista a colher dos paralelo para a transferência de parte da colheita cujos rendimentos participantes os aspectos mais figuram como um grande contributo tecnologias do IIAM na medida em determinantes de suas preocupações”. Unidade “6” achou que esta é a altura ideal para reconhecer a intervenção do IIAM oferecendo um quadro com carinho feito pelos alunos. uma dentre aquelas com que esta instituição de pesquisa interage no âmbito do programa horticultura nas escolas. para o Transferência de Tecnologias (DTT) IIAM representa um esforço que vem no IIAM. os formandos curto de vida. Documentação e Transferência de Tecnologia no IIAM. produção muito rápida e numa área Pelo que. qualidade de parceria desenvolvida até ao presente. o formação aos professores e alunos em processamento. de conservação de hortícolas na medida preparação e utilização das hortícolas. concorrendo.Boletim do IIAM DIVULGAÇÃO IIAM Reconhecido no Âmbito de Horticultura nas Escolas O Instituto de Investigação Agrária de Moçambique recebeu um presente de reconhecimento pela transferência de tecnologias e assistência técnica prestada. de existe no módulo de capacitação. financeiro numa actividade que se para a segurança alimentar”. com a 10 . das mãos da Escola Primária Unidade “6”. enfatizou a Directora da Escola. Num outro desenvolvimento. imbuído de muito simbolismo como forma de celebrar a parceria bem conseguida entre as duas instituições”. para a compra de alguns materias ou reforçou Isabel Lavo. as hortícolas detêm a Feliciano Mazuze. produção de hortículas para a nutrição são expostos a técnicas de produção de e saúde humana”. desta feita. De referir que esta iniciativa. no dia 28 de Junho do ano em curso. Directora da Escola produção de hortícolas e seus derivados. é o público – alvo aproximando. os pais dos alunos. indirectamente irão beneficiar da mesma e. grande vantagem de serem de Formação. Lavo Como parte das tecnologias enalteceu que. num claro exercício de pequena. via de uma carta a solicitar apoio horticolas e. Aqui. o IIAM colocou-se a disposição de assegurar capacitação dos professores e alunos. em que.

Associação de Camponeses de água na planta. ajudar a Universidade da Flórida nos Estados Estado Unidos da America (EUA) determinar as necessidades reais de Unidos. maneio de nutrientes. a Universidade de Empresa Brasileira de Pesquisa diferentes condições agroecologicas Guelph. acessíveis. Os Lavo. a cenoura. De forma indirecta. processamento comunitário de para a simulação de crescimento e a hortaliças nas Zonas Verdes. quente em Maputo. Carlos Ecole/DARN/IIAM colheita e agro-processamento. Visa o reforço da maneio e factores de pragas na capacidade de pesquisa em hortícolas treinamentos. de Maio a 02 de Junho. da Sitoe. Universidades da Florida e da seleccionar cultivares de hortícolas Universidade do Estado de Michigan State's. DIVULGAÇÃO Boletim do IIAM Oportunidades De Formação Para Cientistas Do IIAM Nos EUA Como parte do Programa de O outro evento foi o Tour Técnico em Uma das actividades do grupo que se Cooperação Trilateral. Universidade Politécnica de Agropecuária (EMBRAPA) que do pais e principalmente para a época Madrid. pressupõe-se que sejam como apresentar os modelos actuais. e a de boa qualidade biológica e a preços treinamento em técnicas de pós- variação do potencial genético. na sede do IFDC em Luisa Penicela. 11 . Os participou com seis (6) técnicos. visando o aprimoramento condições das Zonas Verdes. repolho Centro Zonal Sul participaram deste resfriamento. couve. com o apoio da EMBRAPA e com prioridade e responsabilidade modelos para estudar os impactos das Universidades de Michigan e da social passa a ser o consumidor de específicos de irrigação. de 23 Maputo. será Maguiguana. O unidade de treinamento em métodos e treinamento era familiarizar os grupo encerrou a sua participação com tecnologias adequadas à manutenção participantes com o Sistema de discussões sobre os avanços e de qualidade das hortaliças. a cebola Models ". Usando como Engenheiros Tomas Maculuve. o Sustainability with Simulation Carvalho Carlos Ecole. ofereceu duas oportunidades consumo de hortaliças na cidade de de capacitação de técnicos do IIAM . o pimento. Os participantes aprenderam Umbelúzi. as flutuações de preços de equipas envolvidas no projecto hortaliças. economia será por exemplo. no Alabama. que passará climática. Isabel cidade de Maputo. os camponeses. instalando Suporte à Decisão para Transferência retrocessos na condução do projecto. dos nutrientes e com duração para 3 anos. técnicos que beneficiarão dos Cooperação. que foi realizado de 9 a 19 de cinco técnicos do IIAM. previsão das mudanças a consumir vegetais de produção local economia. assim como ajudar a indicar o Production. A alface. Como objetivo de integrar as três Maputo. adubação e Florida. Isabel Monjane. Sendo implementado hortaliças da cidade de Maputo. Na Florida. Nutrient Management. A Equipa coordenada pelo Dr. o Instituto de Pós-Colheita/Processamento de 23 de envolverá com as actividades de sócio Alimentos e Ciências Agrárias da Maio a 2 de Junho de 2011 na Florida. além da equipa das responsabilidade de testar e Universidade da Flórida. da Durante cerca de 12 dias. seis técnicos do período real em que o pais precisa Climatic Risk and Environmental IIAM. cenoura e curso dos mais de 50 profissionais de comercialização de hortícolas e frutas cheiros verdes serão avaliados nas todo o mundo convidados para “in natura”. Já a equipa de Muscle Shoals. tendo financiamentos da essas acções. de entre eles: e a batata para suprir o “déficit” na Maio de 2011. de métodos e tecnologias apropriadas equipa de pós-colheita e para a manutenção da qualidade e agroprocessamento desenvolverá uma O objectivo geral do programa de redução de perdas pós-colheita. clima. e USDA-ARS. sequestro de carbono. integrava mais repolho. dinâmica do carbono. do de produção e agro-processamento. extensionistas e USAID Brasil e Agencia Brasileira de como simular os efeitos do solo. hortaliças que alimentam o grande intitulado “Assessing Crop deslocaram-se a Florida. a dinâmica de uso e intitulado “Apoio Técnico à Segurança resíduos de pesticidas na produção de O primeiro é o programa de formação Alimentar em Moçambique”. e a aplicação de executado pela Direcção de modelos para os problemas do mundo Agronomia e Recursos Naturais (DARN) na Estação Agrária do Os maiores beneficiários de todas real. sistemas de produção e climáticas. o grupo fez referência a Associação de Direcção de Agronomia e Recursos visitas técnicas a diferentes unidades Camponeses do Bloco 1 da Moamba Naturais (DARN) e Manuel Sitoe. Tomas Maculuve e Manuel sistemas de produção terá a instrutores do curso eram do IFDC. integrava o grupo a com potencial de produção para Washington. a variabilidade basicamente em acções de sócio enquanto projecto-piloto. uma cozinha industrial na Estação de Agrotecnologia (DSSAT) e do realizada na Universidade da Flórida Agrária do Umbelúzi e uma unidade de Modelo do sistema de cultivo (CSM) em Gainesville. para hortícolas como o tomate. Já a participar do programa. do solo e da O Projecto de Segurança Alimentar. recepção e e cebola. EUA. e eles vão usar os do IIAM. mas produção agrícola. produção das culturas. embalagem. importar hortaliças como o tomate.

Telefone: 21 460219. Levi Barros . que atuam Triangular para o Desenvolvimento da desenvolvimento dos cerrados directamente no desenvolvimento de Agricultura nas Savanas Tropicais de brasileiros. Arquivo do DDIC. Lançamento do Programa. que reafirmou o compromisso da Nampula (Pedro Zucule) e Corredor de Nacala que tem por instituição com a execução do projecto. e um ressaltou a importância desta Corredor de Nacala – Moçambique. com o objectivo Também fez uso da palavra Miyazaki de colectar subsídios para a elaboração Akhiro em representação da JICA e Projeto III: Plano Director Integrado de dos projectos técnicos de pesquisa e discorreu sobre a actuação da Agência Desenvolvimento Agrícola da Região do desenvolvimento do ProSavana. Internet: http//www. Fotografia: Jonas Malapende. José Pacheco. com representante da SRI-Embrapa. do Ministro da Nacala. das FPLM. segurança alimentar e a geração de investigadores sobre as suas demandas Antonio de Souza e Silva e do excedentes exportáveis. Sede: Av. desenvolvimento de Moçambique. Com as acções que estão físicas dos Centros Zonais Nordeste e Agricultura.gov. Carlos Ecole. que visitaram produtores. um Memorando de de cooperação entre os três países. moçambicanas. Impressão: Reprografia do IIAM Tiragem: 500 exemplares.mz. DCI e Assessores do em Nampula a Cerimónia Oficial de apresentou o modelo que está sendo MINAG. Macuácua. Após a fase preliminar de estudos. Novembro daquele ano e por todo o ano Investigação e Transferência de com destaque para os Directores dos de 2010. espera-se melhorar a Noroeste e ouviu os respectivos Governador de Nampula Felismino competitividade do sector agrícola a directores e representantes dos Tocoli. similaridades com as savanas Corredor. Email: info@iiam.Boletim do IIAM ÚLTIMAS Lançamento do Programa de Cooperação Triangular para o Desenvolvimento da Agricultura nas Savanas Tropicais em Moçambique (ProSAVANA) Os Governos da República de Enfatizou a importância do ProSavana Alberto Santana apresentou. agricultura familiar e comercial. Entre os convidados.REG/GABINFO-DEC/2006 12 . Fax: 21 460220. proposto para o desenvolvimento da produção do setor rural através do Destaque. Américo Humulane. também.gov.iiam. Maquetização e Arte Final: Alberto Zandamela e Marcos Vieira Niuaia. pela previstas nos dois Centros Zonais Entendimento visando a Cooperação experiência Brasil-Japão no (Nordeste e Noroeste). Bellini Leite. Moreira. Marta Francisco. foi aprovado. do Sector de Engenharia da Embrapa. Redacção: Sostino Mocumbe e Adriano A. japonesa em diversos sectores da vida Corredor de Nacala (Master Plan). IAM. Transferência de Tecnologias para o feita por Calisto Bias. em enalteceu a presença do Brasil no acordo Embrapa para as novas construções Setembro de 2009. Programa. Moçambique é hoje beneficiário do associações de pequenos produtores e maior número de projectos entre os Projeto II: Implementação de Projetos Organizações Não Governamentais que países com quem o Brasil tem acordo de Produtivos Pilotos no âmbito da cooperação. representantes do Serviço de Extensão. da Secretaria de DNSA. No dia 8 de Abril foi realizada Relações Internacionais da Embrapa CEPAGRI. Projeto I: Melhoria da Capacidade de Também participaram da missão o Frederico Paiva representando a Pesquisa e Transferência de Tecnologia representante da Embrapa em Agência Brasileira de Cooperação para o Desenvolvimento Agrícola no Moçambique. do programadas. o Moçambique. Revisão: Roseiro M. Levi Barros. O modelo em termos de instalações e facilidades Embaixador do Japão que falaram sobre deverá ser implementado através de três para melhor desempenharem as suas a contribuição dos dois países para o projectos: tarefas.mz. Diretor Geral do o Diretor Provincial da Agricultura de Desenvolvimento da Agricultura no IIAM. Editor: Feliciano Mazuze (DFDTT). em Janeiro de Tecnologia para o Desenvolvimento da Centros Zonais Nordeste (Fernando 2011. com sócio-económica de Moçambique. Coordenação de Produção: Américo Humulane. Roseiro Moreira. INCAJU. ainda para a missão realizada A cerimónia teve a presença do fortalecimento da capacidade de entre os dias 4 e 8 de Abril pela arquitecta Primeiro-Ministro de Moçambique. Colaboração nesta Edição: Feliciano Mazuze. Carlos Dominguez. Distribuição Gratuíta: DISP. inovação tecnológica para o Corredor de Aline Braga. prazo de 20 anos. do Embaixador do Brasil. do Japão e da República para o desenvolvimento moçambicano e estudo feito pelo sector de engenharia da Federativa do Brasil assinaram. agro ecossistema com muitas tecnologias para a sector agrícola do Moçambique (ProSAVANA). 2698. objectivo a implantação da 1ª Fase do Alberto Santana.EMBRAPA Director: Doutor Calisto Bias. Levi Barros e Sandra Gonçalves. do Corredor de Nacala. o Projecto de Apoio à Pesquisa e Agricultura no Corredor de Nacala foi Chitio) e Noroeste (Carolino Martinho). Propriedade: Instituto de Investigação Agrária de Moçambique. que avaliou as instalações Bonifácio Aires Ali. José cooperação e enfatizou que prazo de 5 anos. IIAM. com actuam no desenvolvimento agrícolas prazo de 10 anos. representantes das através de missões realizadas a partir de A apresentação do Projecto de Apoio à instituições oficiais de Moçambique.