You are on page 1of 22

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 23

2. Critério do limite da queda de tensão (qualquer carga):

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 24

 Exemplo de aplicação 4.4(3.7):
4 4(3 7): Calcular a seção do condutor que liga um QGF ao CCM,
CCM
sabendo‐se que a carga é composta por dez motores de 10 cv, IV polos, 380V, fator de
serviço unitário, e o comprimento do circuito é de 150 m. Adotar o condutor unipolar
isolado em PVC, instalado no interior de canaleta não ventilada, admitindo uma queda de
tensão máxima de 3%.

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 25 3.34  log    234  T i  I cs : Corrente simétrica de curto-circuito trifásico (kA) Te : Tempo de eliminação da falta (s) T f : Temperatura máxima de curto-circuito suportada pela isolação do condutor (C) Ti : Temperatura máxima admissível pelo condutor em regime normal de operação (C) Nota: Os valores Os valores de T de Tf e T e Ti são estabelecidos por norma. Critério da capacidade de corrente de curto‐circuito: Limitação da seção do condutor para uma determinada corrente de curto‐circuito Te  I cs Sc  (mm 2 )  234  T f  0. ou seja: ‐ Condutor com isolação PVC 70o C – Tf=160oC e Ti=70oC ç ‐ Condutor com isolação EPR ou XLPE – Tf=250oC e Ti=90oC  . ou norma.

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 26 Capacidade máxima da corrente de falta ‐ PVC .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 27 Capacidade máxima da corrente de falta – EPR‐XLPE .

O circuito for presumivelmente equilibrado. 3. 33% • Conforme a NBR NBR‐5410. as três condições seguintes: 1. 2. 2. Circuitos bifásicos com neutro ((2 fases + neutro). apenas nos circuitos trifásicos é admitida a redução do condutor neutro. Tal procedimento deve atender. em serviço normal. 3 O condutor neutro for protegido contra sobrecorrentes.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 28  Critérios para Dimensionamento da Seção Mínima do Condutor Neutro (NBR‐5410:2004) • O condutor neutro deve possuir a mesma seção que os condutores fase nos seguintes casos: 1. Circuitos trifásicos com neutro. 5410. quando a taxa de 3ª harmônica e seus múltiplos não f superior for i a 33%. 3. q quando a taxa de 3ª harmônica e seus múltiplos não for superior a 33%. Circuitos monofásicos. simultaneamente. ). A corrente das fases não contiver uma taxa de 3ª harmônica e seus múltiplos superior a 15%. sobrecorrentes .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 29  Critérios para Dimensionamento da Seção Mínima do Condutor Neutro (NBR‐5410:2004) .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 30 Harmônicos .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 31 Harmônicos .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 32 Harmônicos .

. 4 Sobrecorrentes. entre outros.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 33 Harmônicos • Efeitos provocados por harmônicos: 1. Sobretenções. Erros de leitura em equipamentos q p de medição. Operação indevida de equipamentos – eletrônicos. proteção. Redução da vida útil dos equipamentos. Perdas excessivas em cabos e transformadores. 2. 3. Interferência em sistemas de comunicação – principalmente sinais de rádio. 7. de controle. Sobrecorrentes 5. 9. 4. 6. 8. Ressonâncias série e paralela. Ruídos audíveis.

a corrente que circula pelo neutro é superior à corrente das fases. num circuito trifásico com neutro ou num circuito com duas fases e neutro.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 34  Critérios para Dimensionamento da Seção Mínima do Condutor Neutro (NBR‐5410:2004) • Quando. A seção do condutor neutro pode ser determinada calculando‐se a corrente no neutro como: I N  Fcn  I c (A) nh h 2 3 4 I 2 i 2  I 2  I 2  I 2  .  I 2 nhh (A) nh I c  I12   I h 2 (A) i 2 Fcn : Fator F t dde correção ã de d corrente t de d neutro t I c : Corrente de projeto em valor eficaz I h : Corrente harmônica de ordem h ... a taxa de 3ª harmônica e seus múltiplos for superior a 33%.

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 35  Critérios para Dimensionamento da Seção Mínima do Condutor Neutro (NBR‐5410:2004) 33% .

Considere que o nível de 3ª harmônica não ultrapasse 33%.5 (3.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 36  Exemplo de aplicação 4. PVC dispostos em eletroduto aparente. abaixo Na instalação são utilizados cabos isolados em PVC. .4): Determinar a seção dos condutores fase do circuito trifásico mostrado na figura abaixo.

Critério da seção mínima dos condutores de proteção (tabela 3. Utilizando a equação a seguir quando o tempo de atuação da proteção for < 5s. .25). proteção das isolações e outras coberturas e temperatura inicial e final 2.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 37  Critérios para Dimensionamento da Seção Mínima do Condutor de Proteção: 1. I 2fft max  Tc Sp  ((mm 2 ) K I ft max : Valor eficaz da corrente de falta fase-terra máxima que pode atravessar o dispositivo de proteção (A) Tc : Tempo de eliminação da falta (s) K : Fator que depende da natureza do metal do condutor de proteção.25). Critério da seção mínima dos condutores de proteção (tabela 3.

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 38 .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 39 .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 40 .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 41 .

5 mm2 em cobre/16 mm2  em alumínio. se não for provida proteção contra danos  mecânicos. b) 4 mm2 em cobre/16 mm / 2 em alumínio.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 42 Nota: A seção de qualquer condutor de proteção que não faça parte do mesmo cabo ou não esteja contido no mesmo conduto fechado que os condutores de fase não deve ser inferior a: a) 2. se for provida proteção contra danos mecânicos.  .

4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 43 Sistema de Aterramento Industrial .

.4 foi utilizado um cabo de 2.4 – Dimensionamento de Circuitos de Motores 44  Exemplo de aplicação 4. Determine a seção mínima do condutor pelo critério da capacidade de corrente de curto‐ circuito.8 4 8 (3. sabendo‐se que os condutores fase são 70 mm2 .4 foi utilizado um cabo de 95 mm2 com isolação de PVC para o dimensionamento do circuito entre o QGF e CCM. isolados em PVC a temperatura de 70oC.5 s para eliminar o defeito. Sabe‐se que a corrente de curto‐circuito trifásica simétrica calculada no barramento do CCM é de 1000 A e que o fusível utilizado para a proteção dos motores demora 0.7: Considere ainda que no exemplo 4.5 s para eliminar o defeito. A corrente fase‐terra máxima (curto‐circuito franco) é 9500 A e o tempo de atuação da proteção é de 80 ms. Exemplo de aplicação 4. ms O condutor de proteção será instalado no mesmo eletroduto dos condutores de fase.CCM Sabe Sabe‐se se que a corrente de curto‐circuito trifásica simétrica calculada no barramento do QGF é de 10000 A e que o fusível utilizado para a proteção do circuito demora 0.5 mm2 com isolação de PVC para o dimensionamento dos circuitos terminais dos motores.13): (3 13) Determinar D t i o condutor d t de d proteção t ã ded um circuito i it ded distribuição que liga o QGF ao CCM. Determine a seção mínima do condutor pelo critério da capacidade de corrente de curto‐circuito.6: Considere que no exemplo 4.  Exemplo E l de d aplicação li ã 4.