You are on page 1of 221

Presidente da República
Luiz Inácio Lula da Silva

Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão
Paulo Bernardo Silva

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE
Presidente
Eduardo Pereira Nunes

Diretor-Executivo
Sérgio da Costa Côrtes

ÓRGÃOS ESPECÍFICOS E SINGULARES
Diretoria de Pesquisas
Wasmália Socorro Barata Bivar

Diretoria de Geociências
Luiz Paulo Souto Fortes

Diretoria de Informática
Paulo César Moraes Simões

Centro de Documentação e Disseminação de Informações
David Wu Tai

Escola Nacional de Ciências Estatísticas
Sérgio da Costa Côrtes (interino)

UNIDADE RESPONSÁVEL
Centro de Documentação e Disseminação de Informações
Coordenação de Projetos Especiais
Edna Campello

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Atlas 5a edição

geográfico escolar

Rio de Janeiro • 2009

– 5. Franklin Roosevelt. ISBN 978-85-240-4091-7 1. color. 166 – Centro 20021-120 – Rio de Janeiro. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA . : il.CDDI Atlas geográfico escolar / IBGE. I.Rio de Janeiro : IBGE. Gerência de Biblioteca e Acervos Especiais CDU 912 RJ/IBGE/2009-16 O. Atlas. Público a que se destina: Ensino fundamental e médio. 218p. glossário e índice. . 1 a reimpressão – 2010 a Capa Fernanda de Souza Lima da Costa e Silva Fernanda Jardim Gerência de Editoração/Centro de Documentação e Disseminação de Informações . ed.IBGE Av.REF Impresso no Brasil/Printed in Brazil . Inclui bibliografia. 2009. IBGE. RJ – Brasil ISBN 978-85-240-4091-7 © IBGE 2009 1a edição – 2002 2a edição – 2004 3a edição – 2006 4a edição – 2007 5a edição – 2009 5 edição.

da sociedade. reformulada e atua- lizada. Apresentação O IBGE traz até você a nova edição do Atlas Geográfico Escolar. cartográficos e estatísticos. dessa forma. entender e refletir sobre as características do local onde vive e de outras paisagens e espaços geográficos distantes. a pu- blicação oferece um conjunto de informações imprescindíveis para o estudo e a análise das dimensões política. características demográficas. formação dos continentes e do universo. O Atlas contempla os Parâmetros e Referenciais Curriculares Nacionais – PCN do MEC. redes de transporte e indicadores econômicos. ambientais e sociais são apresentados num total de mais de 250 mapas. conhecer. na medida em que possibilita ao aluno observar. espa- ço econômico. ambiental e econômica do Brasil e de outros países. urbanização. despertar o interesse do público jovem para a compreensão da nossa realidade e de outras tão diversas e dinâmicas que compõem o cenário sociopolítico e econômico mundial da atualidade. O Atlas também contém textos explicativos e infográficos com noções básicas de car- tografia. regionalização. esperan- do. a publicação aborda vários aspectos da realidade brasileira e mundial. Fundamental para o conhecimento do espaço que nos cerca. espaço das redes. Temas como diversidades ambiental e cultural. Presidente do IBGE . desigualdades socioeco- nômicas. Convidamos você a nos acompanhar em mais uma excursão geográfica pelo Brasil e mundo afora e desejamos uma boa pesquisa. do território e da dinâmica da população. estrutura da população. recursos naturais. Reunindo num mesmo volume dados geográficos.

IDH 32 Divisões políticas e regionais Esperança de vida ao nascer 32 Planisfério político 74 Mortalidade infantil 33 Polo Sul . meridianos e hemisférios 76 Acesso à água potável Países mais extensos Acesso à rede sanitária 35 Fuso horário civil 77 Alfabetização Passagens marítimas estratégicas Taxa de matrículas 36 Continentes e regiões do mundo 78 Espaço econômico 36 América do Norte 78 Blocos econômicos 38 América Central 79 Produto Interno Bruto .Físico 82 Densidade de rodovias 55 Pólo Norte .Político 75 Calorias per capita 34 Divisões dos continentes Crianças abaixo do peso Paralelos.Político Subnutrição Pólo Norte .Físico Principais portos e aeroportos 56 Dinâmica da litosfera 83 Acesso à linha telefônica 56 Planisfério físico Telefones celulares 57 Estrutura geológica 84 Computadores 58 Dinâmica dos climas Acesso à Internet 58 Clima e correntes marítimas 85 A Terra à noite .PIB 40 América do Sul PIB per capita 42 Europa 80 População economicamente ativa .PEA 44 África Mulheres economicamente ativas 46 Ásia 48 Oriente Médio 81 Gastos públicos com educação 50 Sudeste Asiático Investimentos em pesquisa e desenvolvimento 52 Oceania 82 Espaço das redes 54 Polo Sul .GPS 69 Estrutura e dinâmica da população 21 As projeções cartográficas 69 População 25 Escala População urbana 26 Sensoriamento remoto 70 Nível de densidade demográfica no mundo 27 Aerofotogrametria 71 Densidade demográfica por países 28 Convenções cartográficas Taxa de crescimento da população 29 Mapeamento temático 72 Natalidade Mortalidade Mundo S 73 73 Indicadores sociais Índice de Desenvolvimento Humano . 8 O que é um Atlas? 59 Precipitação 60 Temperatura 9 Nosso lugar no universo 61 A Terra e o uso dos seus recursos 9 O universo 61 Vegetação 10 11 A Terra O homem no espaço N 62 Grupos de solos Nível de biodiversidade 12 A formação dos continentes 63 Florestas originais e florestas remanescentes 64 Áreas protegidas N Emissão de dióxido de carbono W S E Introdução à cartografia 65 66 Uso da terra Distribuição de recursos hídricos 16 Cartografia Produção pesqueira 17 Forma da Terra 67 Recursos minerais 18 Coordenadas geográficas 68 Petróleo 19 Altitude W E Gás natural 20 Sistema de posicionamento global .

137 Principais setores industriais Brasil 138 Agroindústria Brasil 139 Turismo 88 Federação e território 140 Produto Interno Bruto 88 Físico 141 Espaço das redes 89 Relevo continental e do fundo oceânico 141 Evolução das redes ferroviária e rodoviária 90 Político 142 Sistema elétrico 91 Pontos extremos e fronteiras 143 Redes de transporte Fuso horário civil 144 Meios de comunicação 92 Evolução da divisão político-administrativa 145 Urbanização e gestão ambiental 94 Unidades político-administrativas 145 Urbanização 95 Evolução da malha municipal 146 Complexo metropolitano do Sudeste 96 Diversidade ambiental 147 Regiões metropolitanas 96 Esboço geológico 148 Acesso ao serviço de água 97 Relevo 149 Acesso ao serviço de esgoto 99 Clima 150 Lixo 100 Vegetação 151 Regionalização 101 Tipos de vegetação 151 Região natural 102 Retração da vegetação nativa 152 Regiões geoeconômicas 103 Evolução do antropismo na Amazônia Legal 153 Regionalismo literário 104 Solos 154 Unidades da Federação 105 Regiões hidrográficas 155 Rondônia 106 Unidades de conservação 156 Acre 108 Fauna ameaçada de extinção 157 Amazonas 112 Parques e terras indígenas 158 Roraima 113 Características demográficas 159 Pará 113 Distribuição da população 160 Amapá Eleitores votantes 161 Tocantins 114 Densidade demográfica 162 Maranhão 115 Idade da população 163 Piauí 116 Diversidade cultural 164 Ceará 116 Distribuição da população por cor e raça 165 Rio Grande do Norte Analfabetismo por cor e raça 166 Paraíba 117 Religião 167 Pernambuco 118 Desigualdade socioeconômica 168 Alagoas 118 Mortalidade 169 Sergipe 119 Endemias 170 Bahia 120 Alfabetização 171 Minas Gerais 121 Matrículas por série de ensino 172 Espírito Santo 122 Ensino superior 173 Rio de Janeiro 123 Rendimento 174 São Paulo 124 Bens duráveis e serviços 175 Paraná 125 Participação feminina 176 Santa Catarina 126 Espaço econômico 177 Rio Grande do Sul 126 Ocupação da terra pela agropecuária 178 Mato Grosso do Sul 127 Distribuição da soja em diferentes domínios fitoecológicos 179 Mato Grosso 128 Culturas temporárias 180 Goiás e Distrito Federal 129 Culturas permanentes 130 Café 131 Pecuária 181 As bandeiras dos países 133 Aplicação de defensivos agrícolas 186 Referências 134 Fertilizantes 135 Assentamentos rurais 190 Glossário 136 Distribuição espacial da indústria 196 Índice geográfico .

Porém. Por causa disso. porque sustenta a cabe- ça. informações que sustentam o conhecimento. Ter à mão um atlas é ter um mundo de informações. o termo também se aplica a um conjunto de dados sistemati- camente organizados sobre determinado assunto e que servem de refe- rência para a construção de informações de acordo com a necessidade do usuário. que narra a história do titã Atlas. foi obrigado a carregar o mundo nas costas. Como cas- tigo. Informações sustentadas. a primeira vértebra se chama atloide. é um conjunto de mapas ou cartas geográficas. Um atlas escolar funciona como apoio para pesquisas. deixando Zeus furioso. A palavra atlas é inspirada na mitologia grega. para sempre.8 O que é um Atlas? Um atlas. Atlas também pode designar uma figura masculina que serve como coluna de sustentação em construções. a palavra atlas está quase sempre associada a algum tipo de apoio: na coluna vertebral. . por exemplo. por definição. Conta-se que Atlas tomou a frente das batalhas de Cronos e dos Titãs contra os deuses do Olimpo.

que. a maior estrutura conhecida do Universo). o que dos (com diâmetro equatorial 142 800 km. Terra. que por sua vez formaram os átomos dos gases se expande. Não cinturão de asteroides. levando 88 dias Cinturão de asteroides Saturno hélio (7. o planeta com as maiores representa 99% da massa total de 4 878 km). Esses gases formam na atualidade a mos ver que o universo é formado por estruturas sucessivamente maiores. Tem ao seu redor ra) atinge cerca de 6 000ºC. Talvez um dia esse mo. 9 Nosso lugar no universo O universo O Big Bang Acredita-se que o Universo originou-se de uma grande explosão. A Via Láctea é um membro extenso de um cúmulo (aglomerado de chamada pelos cientistas de Big Crunch. o Sol é um dos duzentos bilhões de estrelas na galáxia da Via Láctea. do sistema. Esta gigan- tesca explosão. Vênus madamente nove voltas em tor. Fobos e Deimos.8%) e seu raio equatorial terrestres para dar uma volta Entre Marte e Júpiter há um denso Sua distância do Sol é de 1 427 milhões de km. . sideral é de 365 dias. na camada visível do Sol (fotosfe. 2 876 milhões de km do Sol de translação. As. composto deral é de 29. São conhecidos 16 satélites na sua órbita. Netuno Vênus Terra Marte A distância de Netuno ao Sol é Em dimensões é o planeta Nosso planeta está a 149.3 milhões de km e seu pe- ma solar. Seu período si- é de 1 390 000 km. vinte satélites. as reações nucleares com o hidro- gênio que geram o calor. e verso continua se expandindo.6 bi- lhões de anos e tenha combustível para mais 5 bilhões de anos. maior parte do Universo. nas um satélite. por fragmentos de um planeta que É o segundo maior planeta do sistema solar. Sol Mercúrio Júpiter O Sol é o maior corpo do siste. é cha- mada Big Bang. Tem um total de tro equatorial. não chegou a se formar. para completar seu movimen. A escala do universo las fundamentais se combinaram e formaram prótons e Nós estamos em algum ponto dentro dessa gigantesca estrutura que nêutrons. o que representa aproxi. 47 100 km. de ma- neira simultânea. a Lua. Com esse resfriamento. À medida que o Universo se expandia. e estendeu-se a uma velocidade incrível. por sua vez. em um espaço infinitamente pequeno. É o planeta mais próximo do Sua distância do Sol é de 778. Tem dois satélites 52 400 km de diâmetro e oito em sua órbita.9 mi. em conjunto. O sistema solar O sistema solar é formado por oito planetas que giram ao redor do Sol. tem satélite.8 anos terrestres. to de translação. satélites girando ao seu redor. sendo lhões de km de distância do Sol e Urano necessários 164 anos terrestres mais parecido com a Terra. télites e seu diâmetro atinge não tem satélite.9 dias terrestres em sua para completar seu movimento translação ao redor dele.7 milhões de km. Acredita-se que o Sol esteja ativo há cerca de 4. é membro do Supercúmulo Local (um dos aproximadamente cinquenta cúmulos que formam. chega a 15 000 000ºC. no do Equador. Além desses.989x1030 kg. São necessá. ocorrendo uma contração final. as diminutas partícu. as temperaturas extremamente altas da matéria expelida diminuíam. Tem diâmetro de madamente 1. Toda matéria que existe formou-se em uma fração de segundo. que ocorreu entre 15 e 10 bilhões de anos atrás. É muito conhecido pelo anel formado por mi- quanto no núcleo. portanto. lhões de km do Sol e seu período Este planeta se situa a mais de com 12 104 km de diâme. de 4 496. volta em torno do Sol. Este planeta se encontra a 227. É composto princi. existem no sistema solar muitos outros astros. Sol e o segundo menor de to- ríodo sideral é de 11. sua massa é de aproxi. Sua distância em dimensões. Seu diâme. demora 686.9 mi- palmente por hidrogênio (92%) e lhões de km. onde ocorrem lhões de partículas sólidas que se movem ao seu redor.4 anos terrestres e seu diâmetro é de 119 300 km. Possui 15 sa- sim como Mercúrio. A Terra é um dos oito planetas que gravitam em torno do Sol. sendo. Ao olharmos em direção ao exterior de nosso planeta.5 mi. Possui ape. relação ao Sol é de 57. vimento possa se deter. Segundo estudos atuais. que está a e consome 84 anos terrestres rios 225 dias para dar uma uma distância de 384 000 km da tro é de 6 790 km. A temperatura completa em torno dele. pode- hidrogênio e hélio. o Uni. galáxias) conhecido como Grupo Local. en.

a quantidade de terras submersas é mais de duas vezes superior à de emergidas. .10 Nosso lugar no universo A Terra 23. Chamamos esse período de dia. inclinado da Terra.5o O diâmetro da Terra na Linha do Equador é de 12 756 km. quando é primavera no norte. dada época do ano. no Norte Primavera Inve o Sul rno Outono n no N Verã orte o no Sul Verã o no Inve Nort Norte rno e t o no no no S O u o Sul ul r im a vera n P As estações do ano A órbita terrestre é elíptica. Sua superfície é calculada em 510 100 000 km2. do ano a mesma estação nos dois hemisférios. As estações do ano. dando origem aos dias e às noites. Esse movimento dá a noção temporal de ano. Se assim fosse. deradas uma das consequências do movimento de translação da Terra. sendo 149 400 000 km2 de continentes e 360 700 000 km2 de oceanos. é outono no sul. também podem ser consi- e vice-versa. Devido à inclinação aproximada de 23. o que não é verdade. Dura aproximadamente 365 dias. a luz solar não atinge igualmente os dois hemisférios: numa não ocorrem por causa dessa variação da proximidade da Terra em re. teríamos na mesma época resulta em estações do ano opostas: quando é verão no hemisfério norte. ao contrário do que muitos pensam.5º do eixo de ro- Essa variação é muito pequena (cerca de 2% apenas). as estações do ano torno do Sol. Isso lação ao Sol durante o ano. portanto. tação da Terra em relação ao eixo perpendicular ao plano de sua órbita em Porém. pois é achatada nos polos. A Terra não é uma esfera perfeita. O movimento de rotação O movimento que a Terra realiza ao redor de seu próprio eixo imaginário é cha- mado de rotação e leva aproximadamente 24 horas para se completar. um dos hemisférios fica mais voltado para o Sol. isto é. o que aproxima nosso planeta do Sol As estações do ano são decorrentes principalmente da posição do eixo em determinados momentos (periélio) e o afasta em outros (afélio). O movimento de translação É o movimento que a Terra realiza ao redor do Sol. e assim pois quando é verão no hemisfério norte é inverno no hemisfério sul sucessivamente. Durante este intervalo de tempo uma parte do planeta está iluminada enquanto outra está escura. é inverno no sul.

a Gemini 4. 2006: Em 30 de março.os Challenger. são os primeiros homens a pisar o solo lunar. Rússia.9 m/s em seu último estágio Williams e o brasileiro Marcos Cesar Pontes. Os motores da Brasil. que reduzem a velocidade da cápsula de 230 m/s para 80 m/s. 11 Nosso lugar no universo O homem no espaço 1961: A União Soviética lança o Vostok I com Yuri Alexeyevich Gagarin. de 12 cm/s. Holanda. 1998: Início da construção da Estação Espacial Internacional. dois de seus três tripulantes. Suécia e Suíça. 23h29min do dia 29/03/2006 (horário às 20h46min do dia de Brasília). Estação Espacial ocorre às 17h28min O norte-americano Edward White II sai de sua nave. com o acoplamento das naves Apollo 18 e Soyuz 19. Neil Armstrong e Edwin Aldrin. Dinamarca. 5. chegando a uma velocidade de mesma altitude da Estação levando a bordo o russo Pável Vinográdov. Participam do projeto 16 países: Alemanha. solares abrem-se e a nave atmosfera terrestre. Espanha. A nave Soyuz 10. o primeiro a cerca de 350 km do solo. rumo à estação espacial internacional. brasileiro a ir ao espaço. a mais avançada plataforma de pesquisa espacial já concebida. 1968: A nave norte-americana Apollo 8 faz o primeiro voo tripulado na órbita lunar. para o espaço. após 2h57min de seu desacoplamento. a Voskhod 2. feita pelo multimilionário ame. 1975: Primeira experiência espacial conjunta dos EUA e URSS. As antenas e os painéis sua entrada na 2001: Primeira viagem turística espacial. ricano Dennis Tito. de forma a acoplar-se a ela. 1965: O soviético Alexsei Leonov é o primeiro homem a sair de uma O desacoplamento da nave espacial da nave. espacial começa a girar em após 3 minutos de A nave espacial leva torno da Terra (cerca de seu desacoplamento. de separação. 1971: Lançamento da primeira estação espacial orbital. de Baikonur. Casaquistão. São abertos dois páraquedas. Estados Unidos da América. no Casaquistão. 1981: O ônibus espacial Columbia inaugura nova fase da exploração O acoplamento da nave espacial espacial com naves construídas para fazer sucessivas viagens entre a Terra e o espaço. a nave Soyuz TMA-8 parte do cosmódromo aproximadamente 9 minutos 33 voltas) até alcançar a para alcançar a órbita terrestre. a uma velocidade permanece 20 minutos no espaço. Canadá. Marcos Pontes Soyuz TMA-8 A cápsula espacial chega Lançamento da Soyuz TMA-8. Reino Unido. na Estação Espacial por 8 dias. Baikonur. França. na base de lançamento 08/04/2006. recuperáveis . Japão. Bélgica. com três astronautas. nave espacial são acionados para Itália. O satélite permanece 108 minutos em O astronauta brasileiro permanece órbita e retorna à Terra sem nenhum problema. liberando a cápsula com os tripulantes. e do dia 08/04/2006. às em Arkalyk. 1969: Apollo 11 é a primeira nave tripulada a descer na Lua. um após o outro. o americano Jeffrey Espacial Internacional (ISS). Noruega. O seu retorno ocorre através da Soyuz TMA-7. no Casaquistão. . Soyuz TMA-8 à Estação Espacial ocorre à 1h18min do dia 01/04/2006 1983: Os Estados Unidos começam com sucesso o seu segundo programa de naves espaciais (horário de Brasília). faz a primeira manobra de acoplamento de uma nave à estação. onde permanece por 12 minutos. o primeiro homem no espaço. a Salyut 1. Os módulos se separam.

se nos basearmos em um referencial de milhões de anos. sobe e extravasa através de zonas frágeis da crosta. Essa teoria foi proposta var o “crescimento dos oceanos”. formando um novo fundo oceânico. de topo- grafia muito mais acentuada e exuberante que as zonas montanhosas dos continentes. terrestre e flutuam sobre o magma. . ainda que imperceptível dentro de nossa vivência de tempo. encontrando altas temperaturas e se fun- dindo parcialmente. Esse novo magma. Laurásia ia nge Pa Gondw ana Permiano Triássico Jurássico Cretáceo Quaternário 225 milhões de anos 200 milhões de anos 135 milhões de anos 65 milhões de anos hoje Choque de placas Ocorre devido ao movimento convergente. Ao longo de milhões de a Teoria da Deriva Continental. por exemplo. que aperfeiçoou Pangeia (do grego. comparou-o com o da costa atual posição. oeste da África e notou algumas semelhanças. em meados to. Separação de placas Ocorre em virtude do movimento divergente. Wegener morreu sem conseguir comprovar sua teoria. as Porém. há centenas fluida. menos denso. que observou o das Placas Tectônicas. Isso só foi possível com a criação de novas tecnologias. Com a utilização de aparelhos que puderam compro- faz os continentes se deslocarem lentamente. a movendo até hoje. Este. extensas elevações submarinas. por possuir consistência De acordo com essa teoria. Cerca de dois terços destes e três quartos dos ter- remotos ocorrem nessas áreas. é. formou a Cadeia Andina. Entretanto. que explica como os continentes chegaram à recorte da costa leste da América do Sul. possibilita o deslizamento dos continentes. os cientistas elaboraram a Teoria em 1912 pelo alemão Alfred Wegener (1880-1930). pan = toda e geo = terra). como se os dois lados As placas tectônicas são grandes blocos que formam a crosta tivessem estado juntos um dia. existe um movimen. com o movimento das placas tectônicas. até assumirem a forma atual. que continuam se de milhões de anos. Acontece principalmente ao longo das cadeias mesoceânicas. Segundo a Teoria da Deriva dos Continentes. O magma sobe através das fendas e extravasa. formando vulcões. que do Século XX.12 A formação dos continentes A divisão do mundo em continentes parece uma situação estática. quando duas placas se chocam. todos os continentes formavam um só bloco. Normalmente. uma desliza por baixo da outra. a Pangeia dividiu-se se explicar a formação dos continentes. quan- do as placas se afastam uma da outra. atualmente. inicialmente em duas partes: Gondwana e Laurásia. A interação entre as placas de Nazca e da América do Sul. em determinada época. tudo partes foram sendo fragmentadas. indica que não é bem assim. Daí em diante. A Teoria da Tectônica de Placas. e podem alcançar mais de 1 000 km de largura e 20 000 km de extensão. a forma mais aceita de anos.

separa placas que se deslocam lateralmente. na Califórnia. limitando a Placa Americana da Placa do Pacífico. 13 A formação dos continentes Falha transformante Também denominada Movimento Horizontal. . O atrito entre as placas é grande e causa nas rochas esforços e deforma- ções que. Miguel placas tectônicas. O melhor exemplo é a falha de Santo André (ver página 57). Mauna Loa Quilimanjaro presentados por pontos amarelos. Vesúvio Santa Helena Etna Fuji Atividades sísmicas Fogo As atividades sísmicas ocorrem nas fronteiras entre as S. Na imagem ao lado. se manifestam por meio de grandes terremotos. periodicamente. Cracatoa Aconcágua Santa Helena Valeriy Poltorak/Shutterstock Estrutura do vulcão abertura central fluxo de lava NASA magma câmara magmática Fonte: Atlas geográfico ilustrado e comentado. 1999. os vulcões são re. São Paulo: FTD.

.

N W S E Introdução à cartografia .

Por meio da cartografia. podendo se aproximar ou se afastar da realidade representada. de saúde. socioeconômicos.16 Cartografia A palavra cartografia tem origem na língua portuguesa. 4 ed.A. Além disso. em um determinado instante do tempo. 1998. facilitando e tornando mais eficaz a sua compreensão. como veremos mais adiante. Hoje entendemos cartografia como a representação geométrica plana. traduzem os interesses e objetivos de quem os pro- põe. Planta . as limitações e distorções que inevitavelmente surgem quando da transposição da realidade para o plano. educacionais. etc. tendo Carta Internacional do Mundo. cartas ou plantas. quaisquer levantamentos (ambientais.) podem ser represen- tados espacialmente. ao Milionésimo sido registrada pela primeira vez em 1839 numa correspondência. indicando a ideia de um traçado de mapas e cartas. retratando a dimensão territorial. enfrentam. como meios de representação. Não se pode esquecer. Mapa de Mercator (1587) . que os mapas. no entanto. Rio de Janeiro: IBGE.Cidade de Porto Alegre Fonte: Empresa Siscart S. Todo produto cartográfico é sempre útil e válido para uma deter- minada aplicação. Fonte: Porto Alegre (RS): folha topográfica SH-22. apre- sentada através de mapas. simplificada e convencional de toda a superfície terrestre ou de parte desta.

sendo “a” o eixo maior ou equatorial e “b” o eixo menor ou polar.edu/geography/gcraft/notes/ datum/gif/surface. portanto. Nota: A superfície irregular contida na figura foi exagerada para fins de clareza didática. Richard. 2002. essa superfície por meio do prolongamento do nível médio dos mares por dentro dos continentes. vemos a elipse que gera o Elipsoide de Revolução. que tem uma superfície irregular e. Na figura abaixo. 2009 . distâncias. Enschede: International Institute for Aerospace Survey and Earth Sciences. ou seja. medições de coordenadas de pontos. definido pela rotação de uma elipse sobre o seu eixo menor. com uma superfície de equilíbrio de massas d’água. Earth surface. portanto. pos- sibilitando assim a realização de cálculos relacionados a medições sobre a superfície terrestre (por exemplo. coincidindo. Disponível em: <http://kartoweb. H. superfície terrestre geoide b a elipsoide Fonte: Dana. nl>. não corresponde a uma esfera. os cartógrafos buscaram a figura geométrica mate- maticamente definida que mais se aproximasse do geoide. Map projection overview. aproximadamente. In: geometric aspects of mapping. Disponível em: <http://www. 2000. Perspective view of the globe. o geoide é uma superfície equipotencial do campo da gravidade. Acesso em: out. Como o geoide é uma superfície de características físicas complexas.itc.colorado. P. que Uma visão do geóide medem respectiva e aproximadamente 6 378 km e 6 357 km. Acesso em: out.gif>. 17 Forma da Terra N W S E Geoide e elipsoide Define-se a forma da Terra como geoide. etc. áreas. Podemos visualizar. ângulos. Fonte: Knippers.). sobre essa superfície o potencial do campo da gravidade é constante. Essa figura é o Elipsoide de Revolução. Mais precisamen- te.

da linha do Equador até o paralelo de um de- terminado lugar. Polo Norte 90oN calizado no mapa. adotou-se como origem o Meridiano de Greenwich (que passa pelo observatório de Greenwich na Inglaterra).18 Coordenadas geográficas Para que cada ponto da superfície da Terra pudesse ser lo. Os parale- los são linhas imaginárias que circulam a Terra no sentido leste–oeste. Paralelos e meridianos são definidos por suas dimensões de latitude e longitude. entre o meridiano de origem e o meridiano local. Diretoria de Geociências. ligando um polo ao outro. que é a distância. Por convenção. devendo ser indicada também a posição: no hemisfério sul (S) ou no hemisfério norte (N). A coordenada geográfica de um determinado ponto da superfície da Terra é obtida pela interseção de um meridiano e um paralelo. em graus. . foi criado um sistema de linhas imaginárias chamado Sistema de Coordenadas Geográficas. Os valores da latitude variam de 0º (linha do Equador) a 90º (polos). Coordenação de Cartografia. Os valores da longitude variam de 0º (Greenwich) a 180º a leste e a oeste de Greenwich. respectivamente. Polo Sul 900S Polo Norte A longitude é a distância. LONGITUDE Os valores das longitudes são considerados negativos a oeste de Greenwich (hemisfério ocidental) e positivos a leste de Greenwich (hemisfério oriental). em graus. Polo Sul Fonte: IBGE. LATITUDE Os paralelos nos indicam a latitude. Os meridianos são linhas imaginárias que cortam a Terra no sentido norte–sul.

Diretoria de Geociências.IPP Fonte: IBGE. da distância do plano de inter- seção ao nível do mar. em metros. 50 m. Cada curva de nível traz o valor. . definidas por planos paralelos ao nível do mar que interceptam o relevo em inter- valos regulares definidos a cada 20 m. Coordenação de Cartografia. São também utilizadas as curvas de nível.. Corcovado Perfil do Morro do Corcovado Instalação do marégrafo digital metros 750 700 650 600 550 500 450 Curvas de nível sobre a fotografia aérea do Morro do Corcovado 400 350 300 250 200 Foto: Chris Broome/Shutterstock. Fonte: Instituto Pereira Passos . a altitude é representada por uma escala de cores que varia do verde (baixas altitudes) ao marrom (altitudes mais elevadas). determinado por medições feitas pelos marégra- fos em diferentes pontos do litoral. 19 Altitude Mapa Físico do Brasil Todas as altitudes são contadas a partir do nível médio dos mares. Nos mapas. etc. conforme os objetivos da representação cartográfica.

nos quais a localização geográfica seja uma informação necessária. . uma ferramenta de suporte para a utilização desta tecnologia no Brasil e o principal elo de ligação com os sistemas de referência internacionais. sendo. O GPS é baseado numa constelação de 24 satélites. Estação de RBMC em Viçosa Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo . através das coordenadas geográficas. foi calculada de mo- do que cada satélite passe sobre o mesmo ponto da Terra num intervalo de 24 horas. implantação de eixos rodoviários. unidades de conservação e terras indígenas. portanto. Diretoria de Geociências. e também para a localização de expedições exploradoras. A altitude da órbita. O IBGE opera uma rede de estações GPS (Rede Brasi- leira de Monitoramento Contínuo) permanentes composta por nove estações. 20 200 km. Fonte: IBGE. marítima e terrestre. demarcação de fron- teiras. O GPS pode ser aplicado em vários ramos de atividade. distribuídos por seis órbitas em torno da Terra. carros ou qualquer outro tipo de transporte. Diretoria de Geociências. bem como para o monitoramento de caminhões de cargas.20 Sistema de posicionamento global .GPS Este sistema foi projetado para fornecer o posicionamento ins- tantâneo e a velocidade de um ponto na superfície terrestre ou pró- ximo dela. Coordenação de Geodésia. Tornou-se importan- te instrumento para a realização de levantamentos topográficos e geodésicos. Foi originalmente concebido para ser utilizado nas navegações aérea.RBMC Fonte: IBGE.

são.html/cylinder.gif>. — quanto à superfície de projeção: podem ser projeções planas. Os exemplos abaixo demonstram a transformação da superfície esférica em uma superfície plana sem que ocorram extensões superfície terrestre em uma superfície plana com auxílio das e/ou contrações. Fonte 3: Dana. Fonte 2: Dana. Map projection overview. Planar projection surface. devido à impossibilidade de se representar uma terrestre.edu/geography/gcraft/notes/mapproj_f.gif>.html/cone. etc. Conical projection surface. Disponível em: <http://www. cônicas ou cilíndricas.colorado. Peter H. Acesso em: set. quanto à superfície de projeção e às propriedades: cada uma priorizando determinado aspecto da representação (dimen.edu/geography/gcraft/notes/mapproj_f.colorado. Disponível em: <http://www. cone ou cilindro como base para planificar a esfera vre de deformações. Fonte: IBGE. 2002. 2002.). Acesso em: set. Peter H. 2002. forma. a representação da esfericidade terrestre num plano (mapas e cartas). . Projeção Plana Projeção Cônica Projeção Plana Polar Projeção Cônica de Albers Projeção Cilíndrica Projeção Cilíndrica de Peters Fonte 1: Dana. Disponível em: <http://www. superfícies de projeção. Map projection overview. Cylindrical projection surface.edu/geography/gcraft/notes/mapproj_f. 21 As projeções cartográficas Diferentes projeções cartográficas foram desenvolvidas para permitir As projeções cartográficas são classificadas.gif>.colorado. Map projection overview. quando forem utilizadas as superfícies de É importante ressaltar que não existe uma projeção cartográfica li.html/plane. um plano. principalmente. Diretoria de Geociências. Departamento de Cartografia. Peter H. Acesso em: set.

Diretoria de Geociências. mas nunca aos Projeção conforme três simultaneamente. conservando. Os comprimentos são representados em escala uniforme. Departamento de Cartografia. Os exemplos abaixo mostram a possibi- lidade de alterar as projeções para o Brasil de acordo com as propriedades. . aos ângulos ou às distâncias.22 As projeções cartográficas — quanto às propriedades: podemos minimizar as deformações ocorridas pela planificação da superfície terrestre no que diz respeito às áreas. assim. Projeção equidistante Não altera as áreas. Fonte: IBGE. Projeção equivalente Não há deformação dos ângulos em torno de quais- quer pontos. uma rela- ção constante com a sua correspondência na su- perfície terrestre.

em escala geográfica. porém apresenta características seme- lhantes às da projeção cilíndrica). Projeção de Miller É uma projeção equivalente cilíndrica. são apresentadas as principais projeções cartográficas utilizadas na representação do espaço geográfico. Projeção cilíndrica equidistante meridiana Os meridianos e paralelos são igualmente espaça- dos. 23 As projeções cartográficas A seguir. que tem como característica a diminuição da deformação da conver- gência dos meridianos. Projeção de Mercator É uma projeção conforme cilíndrica. mantendo uma melhor representação da Região Sul do País. Departamento de Cartografia. Era muito empregada na navegação marítima. As projeções de Mercator. Projeção de Berhmann É uma projeção equivalente cilíndrica (não possui nenhuma superfície de projeção. Berhmann e Robinson são aplicadas à representação do mundo. O mapeamento oficial do País. Para representar o Brasil. Miller. Diretoria de Geociências. O mapeamento na escala de 1:1 000 000 é realizado na projeção cônica conforme de Lambert. utilizamos as projeções cilíndrica equatorial de Mercator e policônica. definido pela ONU. mas foi substituída pela projeção de Mercator. Fonte: IBGE. é elaborado na projeção policônica. seguindo o padrão do mapeamento mundial. .

Departamento de Cartografia. Fonte: IBGE. -25° -25° -30° -30° -75° -70° -65° -60° -55° -50° -45° -40° -35° -30° Projeção policônica É uma projeção afilática (não é conforme ou -75° -70° -65° -60° -55° -50° -45° -40° -35° -30° equivalente ou equidistante) e policônica (utili- 5° 5° za vários cones como superfície de projeção). . 0° 0° -5° -5° -10° -10° -15° -15° -20° -20° -25° -25° -30° -30° -75° -70° -65° -60° -55° -50° -45° -40° -35° -30° Projeção cilíndrica equatorial de Mercator É uma projeção conforme cilíndrica. porém apresenta características semelhantes às da projeção cilíndrica). Projeção de Eckert III Projeção pseudocilíndrica adequada para mapea- mento temático do mundo.24 As projeções cartográficas -75° -70° -65° -60° -55° -50° -45° -40° -35° 5° 5° 0° 0° -5° -5° -10° -10° Projeção de Robinson -15° -15° É uma projeção afilática (não é conforme ou equivalente ou equidistante) e pseudocilíndrica (não possui nenhuma -20° -20° superfície de projeção. Diretoria de Geociências.

podendo ser maiores ou menores conforme a necessidade de se observar um espaço com maior ou menor nível Escala 1:25 000 de detalhamento. mática de centímetros para quilômetros ou metros.gov. conhecido como “escala primária”. to à direita de referência zero. A escala re. namento”. rial representada no papel e sua medida real na superfície terrestre. A escala pode ser representada numérica ou graficamente.htm>.ibge. dividido em submúltiplos da unidade escolhida. Por Escala 1:50 000 exemplo. Acesso em: out. não há necessidade de transformação mate- As escalas são definidas de acordo com os assuntos represen. a relação entre a medida de uma porção territo.br/home/geociencias/cartografia/manual_nocoes/indice. dos da direita para a esquerda. portanto. denominado “talão” ou “escala de fracio- sua representação. A es- cala numérica indica a relação entre as dimensões do espaço real e do espaço representado. 2009. sendo necessário indicar a proporção entre a superfície terrestre e a e de outro à esquerda. por meio de uma proporção numérica. É constituída de um segmen- Escala 1:250 000 Exemplos de mapeamentos em escalas diferentes de uma mesma região Escala 1:50 000 Escala 1:100 000 Escala 1:250 000 Escala 1:1 000 000 Fonte: Noções básicas de cartografia. gradua- presenta. numa escala 1:100 000. . tados nos mapas. 1 centímetro medido no mapa representa uma distância de 100 000 centímetros ou 1 quilômetro na superfície terrestre. 25 Escala Os cartógrafos trabalham com uma visão reduzida do território. Esta proporção é indicada pela escala. Disponível em: <http://www. Escala 1:100 000 A escala gráfica é a representação gráfica de distâncias do ter- reno sobre uma linha reta graduada. Na escala gráfica.

ou por fon- atmosfera tes artificiais (sensor ativo). floresta rio pastagens solo exposto rodovia máticos. impactos ambientais. atualmente. levam consigo um sensor capaz de emitir e/ou receber a energia ele- tromagnética refletida da Terra. gerada por fontes naturais (sensor passivo). Departamento de Cartografia. como o radar. Satélite de sensoriamento remoto com sensor ativo mações acerca de um objeto. sendo mais utilizadas. como o mapeamento e a atualização de dados cartográficos e te. área ou fenômeno localizado na Sol Terra. São apresentadas na forma de imagens. girando numa órbita em torno da Terra. . Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. Os satélites. aquelas captadas por sensores óticos orbitais localizados em satélites.INTERSAT.26 Sensoriamento remoto O sensoriamento remoto é a técnica de obtenção de infor. a produção de dados meteorológicos e a avaliação de Fonte: International Satellite Communications Corporation . como o Sol. As imagens orbitais possibilitam muitas aplicações. sem que haja contato físico com o mesmo. Diretoria de Geociências. As informações podem ser obtidas através de radiação eletromagnética. Satélite de sensoriamento remoto com sensor passivo Sol energia solar incidente atmosfera energia solar refletida floresta rio pastagens rodovia Fonte: IBGE.

as fotografias aéreas são tomadas de modo so- breposto. Diretoria de Geociências. Com o auxílio de um aparelho fotogramétrico. através de um modelo tridimensional. 60%) Para obter uma cobertura completa do terreno a ser re- presentado. . processo de confecção do mapa. 27 Aerofotogrametria foto 1 foto 2 O levantamento aerofotogramétrico é um dos métodos utilizados para o mapeamento da superfície terrestre. rea- liza-se a restituição. modelo tridimensional linha de voo plano de fotografias altura do voo representação cartográfica superposição longitudinal (aprox. Departamento de Cartografia. O voo fotogramétrico é realizado por uma aeronave. foto 2 foto 1 Fonte: IBGE. na qual é aco- plada uma câmera fotogramétrica que cobre toda a área a ser mapeada.

28 Convenções cartográficas Para facilitar a representação cartográfica. Os símbolos foram escolhidos de forma a conter um certo grau de compreensão e intuição de seu significado. . foi criado um sis- tema de símbolos conhecidos como convenções cartográficas. possibilitando a leitura da informação contida no mapa por qualquer pessoa em qualquer parte do mundo.

etc. Como exemplo de mapas temáticos. Acesso em: set.htm>. . Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais-CPRM. podemos citar os geológicos. 29 Mapeamento temático A cartografia temática tem como objetivo gerar a representação das informações geográficas referentes a um ou vários fenômenos (físicos ou sociais) de todo o planeta ou de uma parte dele. climáticos.embrapa. Base Cartográfica Fonte: Ministério de Minas e Energia. 2002.br/rj/htm2/rj05_03. Carta geológica Carta geomorfológica Imagem de satélite Fonte da imagem de satélite: Rio de Janeiro (RJ): carta SF-23-Z-B-IV. Departamento de Apoio Técnico.cdbrasil. A representação dos fenômenos ou temas é ajustada às referências físicas que figuram em uma base cartográfica. Serviço Geológico do Brasil. de vegetação. Divisão de Cartografia.cnpm. Disponível em: <http://www.

.

.

.

.

33 Divisões políticas e regionais Polo Sul . 1:100 000 000 500 0 1 000 km GREENWICH PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA ºO 45 45 ºE O C E A N O A T L  N T I C O ºO 30 ÁFRICA ºE 30 15 º ºO 15 E 0º Polo Norte . Winnipeg ÁRTICO PÓLO NORTE R Ú S S I A 90 º O CANADÁ MAGNÉTICO 90 º E sey Baia de PÓLO NORTE Yenis Hudson ÁSIA Grandes Arq Mar h Lagos Baia de ys .Svalbard Kara Irt Baffin (NOR) Ob Groenlândia Mar de L.Político 30 º N 165 º 180 º ºE 165 O 40 º N 15 E 0º 0º 15 O 50 º N 13 ºE 5 ºO 5 13 AUSTRÁLIA 12 60 º N 0º E 0º O GLA CIAL 12 CÍRCU LO POLAR ANT Á RT AN PÓLO SUL ingr ads kaja ) A) IC O TÁ MAGNÉTICO Len (RUN tt (EU a lle H RT Dumont D´Urville (FRA) Mar de O 105 70 º N ºE ºO Charcot (FRA) Ross IC 105 AN Mac Murdo (EUA) O C E A N O O OCE Scott (Nov. Bajkal Mar do Escravo GLACIAL Laptev L. 1:100 000 000 OCEANO EUROPA GREENWICH 500 0 1 000 km ºO AT L  N T I C O 45 45 ºE PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA rrâ neo M edite Mar ºO 30 ÁFRICA ºE 30 Oeste de Greenwich Leste de Greenwich 15 º ºO O.Político 30 º N 165 º 180 º ºE 165 O 40 º N 15 POLOS E 0º 0º 15 O Bases científicas 50 º N 13 ºE 5 O C E A N O P A C Í F I C O ºO 5 13 fronteira internacional Mar de 12 Bering 60 º N Mar de 0º Amur E rio O ALASCA Okhotsk 0º Golfo do Alasca 12 (EUA) POLAR ÁR CÍRCULO T ICO AMÉRICA Al n da ko Mar de n DO Yu Chukchi 105 NORTE MacKenzie 70 º N ºO Mar de ºE 105 Gde. Ferraz (BRA) ver RG) G) Arctowsky (POL) (FRA) Mizuno (JAP) m a A US ) ) Pri bio ( a (AR (R AP ram anç aja wa (J ja Ma sper zn yo ka E lo de S Vs N S ig M o are S) ÍND) Sa eu Ór ny az ( n a ma ca (R vo L (RU aitri e ye da UN No M (A r s( ) fr. Belgrano (ARG) Mar de Faradaer (EUA) ) Palm (CHIL Halley (RUN) Weddell ) nt a S pring Is. Greenwich 15 E 0º . Kerguelen G Pu 75 º E O AR 75 º a( Cmte. Lago Beaufort Lena Le Gde. Greenwich E. (A S) LE AR G) AMÉRICA 60 ) ºO DO SUL º E 60 ESCALA APROX.Scott (EUA) PÓLO SUL Spile (EUA) P A C Í F I C O Davis (AUSTR) Mar Bellingshausen Zhongshan (CHIN) Fossil Bluff (RUN) (RUN) Rotera Í N D I C O ANTÁRTIDA San Martin (ARG) y (RUN ) Mawson (AUSTR) Gen. Zel) Pequena América (EUA) Casey (AUSTR) Concordia (FRA e IT) Byrd (EUA) Mar de Amundsen O C E A N O 90 º O Mirny (RUS) Vostok (RUS) Mar de Davis 90 º E Amundsen . Balkash 75 º E O Mar da 75 º (DIN) Barents Groenlândia A EG ga FI l RU Mar da Vo CIA NL NO ISLÂNDIA Noruega  ND SUÉ 60 ºO ºE 60 IA Mar Mar do Báltico Norte ESCALA APROX. Lago do Urso OCEANO na L.

Diretoria de Geociências.PRED BANK. Rio de 2 Brasil 8 514 876 km Janeiro: IBGE.0.br/home/geociencias/cartografia/default_territ_area. Land – 2005-2007. Rome: Food and Agriculture Organization of the United Nations.org/site/377/default. Países mais extensos RÚSSIA CANADÁ EUA CHINA BRASIL Rússia 17 098 240 km2 1 000 ESCALA 1:200 000 000 0 2 000 km Canadá 9 984 670 km2 PROJEÇÃO DE ROBINSON China 9 598 089 km2 EUA 9 632 030 km2 Fontes: Resources statistics. Hemisfério Norte TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO 30° Hemisfério Sul 60° ESCALA 1:360 000 000 CÍRCULO POLAR ANTÁRTICO 1 800 0 3 600 km 90° PROJEÇÃO DE ROBINSON Fonte: IBGE. Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://faostat. Diretoria de LINHA DO EQUADOR 0° Geociências.ibge.shtm>. Área territorial oficial. 2009. New York: United Nations. 2002.gov. Coordenação de Cartografia. (ESA/P/WP. . IBGE. 2009.34 Divisões políticas e regionais Divisões dos continentes 180° 120° 60° 0° 60° 120° 180° 90° América Europa 60° Ásia Oceania África 30° Antártida 0° 30° ESCALA 1:200 000 000 1 000 0 2 000 km PROJEÇÃO DE ROBINSON 180° 120° 60° 0° 60° 120° 180° 90° 60° CÍRCULO POLAR ÁRTICO 60° 90° MERIDIANO DE GREENWICH 30° Paralelos TRÓPICO DE CÂNCER Fontes: Population resources environment and development databank . 170). FAOSTATS. Acesso em: jul.aspx>. Acesso em: out.fao. 2009. Coordenação de Cartografia. Population Division. Version Meridianos 3. [2002].

Iucatã Estr. ed.Pitcairn Maputo 30° Cidade Sydney Buenos Aires do Cabo Melbourne Is.Málaca Estr. 1 atlas (114 p. Coordenação de Cartografia.Bass ESCALA 1:200 000 000 1 000 0 2 000 km PROJEÇÃO DE ROBINSON Fonte: IBGE. NASA Johnson Space Center”.Sonda Cabo da Boa Esperança Canal de Moçambique Estr.Tonga Is. Passagens marítimas estratégicas Passo de Calais Estr. .Fiji Brasília Is. Madeira Trípole Teerã Tóquio Cairo 30° Is.Palk Estr.Gibraltar Estr. 2009. 35 Divisões políticas e regionais Fuso horário civil -12 -11 -10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 +8 +9 +10 +11 +12 90° Reykjavik 60° Moscou Is.Bering Estr.Havaí Cidade do México Cabo Verde Dacar Manila Niamei Georgetown Adis Abeba Bogotá 0° Meridiano de Greenwich (GMT) Is.jsc.Galápagos Nairóbi Is. Acesso em: fev. Bab El Mandeb Estr.Falkland (Malvinas) 60° ESCALA 1:200 000 000 1 000 0 2 000 km PROJEÇÃO DE ROBINSON 90° 180° 120° 60° 0° 60° 120° 180° Horário fracionado em meia hora Linha internacional de data Fonte: Atlas geográfico. Disponível em: <http://eol.Ormuz Estr.Torres Canal do Panamá Estr. Rio de Janeiro: IBGE.Luzon de Suez Estr. “Image Science & Analysis Laboratory. da Flórida Canal Estr.Aleutas Vancouver Londres Berlim Ottawa Paris Astana Madrid Bucareste Nova Iorque Beijing Seul Açores Argel Washington Los Angeles Is.gov>. 2006. Diretoria de Geociências.Coréia Estr. Canárias Riad Nova Délhi Hong Kong Is.Maldivas Luanda Jacarta Lima Is. 1986. 3.): mapas. Imagens: NASA. Nota: Mapa atualizado e revisado pelo IBGE.nasa.Magalhães Canal de Beagle Estr.Bósforo Estr.

2 000 m PEN. BA de MTE 0m FF IN Yukon BOOTHIA Es B oo tre . Superior ak D Lo DA O S A S AC GR Nova Escócia o AN Sã IA DE OS DE Lago Oahe M S L. Macken do MTE. Banks 105º O I. Lourenço 13 5º Est 2 000 m CA O Is.194 m I.8 000 m a N T Pe Baía Profundidades Lago Ungava DA Athabasca Picos I.Bermuda is A S. Vancouver AL IAN S an AN NC S tchew TA Saska Baía L P R E ºN ia 45 Lago Albany James U 45 LA b ºN Terra Nova um Winnipeg R O C H Col RAINIER Golfo de AS 4 392 m S. Michiga ário i L.36 Continentes e regiões do mundo América do Norte .Físico 0º ºO ºO 75 Altitudes de 165 15 Mar ng OCEANO GLACIAL ºN ºO 60º N TERRA Mar da Groenlândia 4 000 m 15 i ing Ber 60º N Ber ÁRTICO 0 e DE ºO 3 000 m r. CADEIA . Ont Cataratas A Cabo Cod NEVA Lago de Niágara Pla Salgado tt e rie L.4 000 m E NZ zie. E CADE DA s rado oi Mis Colo in WHITNEY Ill so ELBERT O C E A N O IA D 4 418 m uri 4 399 m BLANCA Colorado Ark Ohio Vale da 4 373 m nsa P L A N Í C I E a S A T L  N T I C O A Morte PLANALTO s PLANALTO DE E CO H DO COLORADO C E N T R A L CUMBERLAND STA C LA 30º DESERTO N N 30º pi MITCHELL PA Gi sip Ar k SONORA la' ans as 2 037 m S Is. Co O lor C DA E S SE ad C I N Í Go L I F Ó PE o RR PL A SE CA P L N. d Est 30 2 500 m ELLESMERE I. de Hu d s .7 000 m Grande Lago on ce do Escravo Mar Labrador . Príncipe DE ALA ds de 100 m CA Gales Mackenzie en Go TE SCA MCKINLEY RR lfo 50 m 6. Queen ºO re i DE Elizabeth 45 Es 1 500 m to d IA Mar de Beaufort Groenlândia GUNNBJORN tre n BR I. lfo TRÓ AM AN DA PIC RR da OD Gr EC FLÓ A an  NC Delta do Ca AD AM LT ER de Mississippi R lifó O RE Flórida IDA A RN rnia DO DR G o l f o OC IA E O MÉ da IDE d o ito tre XIC R Es NT IEN M é x i c o O AL Estreito TA L 15º de N N I uc atã 15º POPOCATÉPETL CITLALTÉPETL Baía de 5452m Campeche PEN. Devon 75º O nk on arc de FOREL s 400 m 90º O a DO Am Baía de Baffin 3 360 m 200 m IA un Is. 1:34 000 000 170 0 340 km PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA . Belcher Es Ne TO O CO I. Lourenço Colu AT mb Lago Nipigon ia Lago SC CA Sakakawea Mis CA D ço so E ren uri IA e u Sn S L. Melville Yuko 120 i aD to 1 000 m OO ºO 60º O 3 780 m ºO de KS Go inam Ba 600 m 15 Yuk lfo Is. DE 5 610 m SER IUCATà RA M AD RE DO S UL M a r d o C a r i b e Golfo de AMÉRICA Tehuantepec O C E A N O P A C Í F I C O CENTRAL AMÉRICA DO 60º O 120º O SUL 105º O 90º O 75º O 0º 0º ESCALA APROX.3 000 m Alasca 5 959 m CÍRC MELVILLE do Urso ULO POLAR ÁRTICO .5 000 m M O . Vitória A DE PEN.S. A (RUN) ss TE I R Mi M E PE I. LOGAN Da ACK Grande Lago vis . Guadalupe T S N. Queen Charlotte A N Baía de a Hudson Isle sc PEN.1 000 m ito S. Huron is TA LA CA si S E RR ssi n GO pp S L. M th Golfo de ia . DO LABRADOR lle ba Be WADDINGTON ha e At Ch od H A 4 041 m u rch n tr eit ill ls o Is.6 000 m IE Estr.

A. Kansas St. John Is. C. Oahu Ottawa Honolulu O C E A N O E. Bermuda (RUN) Mexicali Oklahoma Memphis Charlotte Tucson Little Rock Columbia I. B. Vitória Fort Good Hope DE Cordova Golfo do BAFFIN Alasca Nuuk C ÍR C Whitehorse ULO POLAR ÁRTICO Qaqortoq Juneau Yellowknife Baker Lake Rankin Inlet Prince C A N A D Á Rupert Baía de Hudson Fort McMurray Churchill Prince George 1 Edmonton Thompson I. Maui ESTADOS Toronto Albany P A C Í F I C O Reno Hamilton Boston I. Marie North Bay Halifax Montreal I. Pearl Harbor Minneapolis St. Vancouver Flin Flon Prince Labrador City Kamloops Albert 45 °N Vancouver Calgary Victoria Saskatoon TERRA St. Paul Kingston I.U. Havaí Sacramento UNIDOS DA Madison Milwaukee Lansing Buffalo Hartford San Francisco Oakland Salt Lake City San Jose Cheyenne AMÉRICA Des Moines Chicago Detroit 15 °O Omaha Cleveland Nova Iorque 30° °N Monterey Harrisburg 120 N Fresno Filadélfia Denver Lincoln Columbus Baltimore Santa Maria Colorado Springs Springfield Las Vegas Indianápolis Cincinnati Washington D. Louis City Richmond Los Angeles Wichita Louisville Roanoke Norfolk O C E A N O 30° Santa Fé Poplar Bluff N N San Diego Phoenix Tulsa Raleigh 30° Albuquerque Nashville Is. Guadalupe Bisbee El Paso Birmingham Atlanta A T L Â N T I C O Dallas Charleston Shreveport Montgomery Savannah Hermosillo Mobile Go Austin Baton Rouge Jacksonville lfo Chihuahua San Antonio da Nova Orleans Houston Orlando Ca MÉXICO ER Tampa ÂNC lifó Nuevo Laredo West Palm Beach DE C PICO rnia TRÓ O C E A N O La Paz Culiacán Monterrey G o l f o Miami Durango d o Key West M é x i c o B A H A M A S Zacatecas Cidade Vitória Tepic San Luis Potosí 15° León N N P A C Í F I C O Guadalajara Mérida 15° Manzanillo Cidade do México Campeche Puebla Acapulco Oaxaca M a r d o C a r i b e Capital de país A M É R I C A Cidade principal C E N T R A L A M É R I C A fronteira D O internacional 105° O 90° O 60° O 75° O 0° S U L 0° ferrovia rodovia ESCALA APROX. Kauai Fargo Sheridan I.Político °O ÁSIA ºO O 180 165 OCEANO GLACIAL 15° Mar de(Federação Russa) Mar da Groenlândia 60° N g Berin 60° N Bering ito de 0º O ÁRTICO Estre Barrow 15 TERRA °O 30 Estreito DE da Nome ELLESMERE Dinamarca Mar de Beaufort O °O 5º Groenlândia (DIN) E U R O PA 45 13 O ºO ALASCA (EUA) 0º 60 12 O 75º O Fort Yukon 90° O Bethel 105º Fairbanks Baía de Baffin Anchorage Fort McPherson TERRA Valdez I. John's °N 45 Trail NOVA 1 Ilhas Havaí (EUA) Seattle Swift Current Moosonee Olympia Lethbridge Spokane Regina Vancouver Winnipeg Portland Brandon Sydney Salem 45 O O O Thunder Bay °N Helena 5° 0° 5° Quebec 16 15 13 Butte St. 37 Continentes e regiões do mundo América do Norte . 1:34 000 000 170 0 340 km rio PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA . HAVAÍ Bismarck Trois-Rivieres (EUA) Duluth Sault St.

da M E S Honduras I. Jardines I. Lo AI ng I. Aruba E L H A S Is. de Pinos Arq. de Canarreos Is. Porto Rico irg m V e HA MACIÇO DE HOTTE g I.Manágua Pta. Hispaniola Ca I. Granadinas P L. Cat Estreito da Flórida I.CHIRRIPÓT CO r A e q. Antígua . Orchilla I. n. San Antonio U I.Caicos tre ito I. 4 000 m Pe SUL 3 000 m 2 500 m 95º O 90º O 85º O 80º O 75º O 70º O 65º O 60º O 2 000 m 1 500 m ESCALA APROX. a l re A N ito ss I. del Rey Golfo de Chir iquí Golfo do ero b AMÉRICA i Panamá o zu P A C Í F I C O C eA a de Altitudes DO d I.IRAZÚ 10º N TE 3 432 m ca I.5 000 m 20N . La Tortuga I. Cayo Romano AS Ca y I. Guadalupe TO T AN Golfo de Is. St. Tobago Juan del Norte na I. Acklins Is. Turneffe m T CU I. Elena UAN RD AC . Granada DE L. Grande Cayman G. São Vicente ENA SAB P E Q U AV Golfo de Fonseca D. Santa Lúcia TO A EN ELL I. Long Island C. Grande Ábaco A A T L Â N T I C O H M É X I C O I. Los Roques AS I. de Tortuga Fossa de Porto 20º N TURQUINO a ge war 8 648 m I. New A I. BARÚ TM NA O C E A N O Pen.2 000 m . I E N A S Continentes e regiões do mundo I. Martin na Pa DE T I I. 1:17 000 000 1 000 m 85 0 170 km 600 m PROJEÇÃO CILÍNDRICA 400 m EQUIDISTANTE MERIDIANA 200 m 100 m 50 m 0m . de Osa A 3 475 m IS M Á I. Margarita ILH G CO n JuaS. S. Turks de Iu Arq. Blanquilla Baía de Is. de la Gonaives DUARTE TR s eg IL A N en An Mo D E 3 175 m AL I. de Nicoya Bo ro nam os Golfo á V. Bonaire I. Marie-Galante AS L.7 000 m . Dominica ILH a 15º N V. Grande Inágua ca América Central . Cayos Miskitos M a r d o C a r i b e 2 865 m S I. de Coronado A E M O A NC V. Rum Cay TRÓPICO DE CÂNCER I. Ometepe Ca YOSLAINA a I. Anguilla da S S Est Is. Grande Exuma (L I.8 000 m Profundidades F os s as P icos . Nicarágua CORD. s Pa AS V. Martinica ANT MINAS I. Curaçao BA I. Izabal C. 38 95º O 90º O 85º O 80º O 75º O 70º O 65º O 60º O AMÉRICA 30º N 30º N DO NORTE O C E A N O I L H A S G O L F O D O I.Físico de la Reina Golfo de de tã SA. I. San Salvador Ex um TRÓPICO DE CÂNCER a I. UM OS ia EN Bah I. Gracias a Diós CERRO LAS C I. São Cristóvão I. D M a I. D o s DO P B. Nevis AY aic AV CH A.C a EN na ad G R I. de Cuba ) I. Trinidad 10º N Pen. Perlas I. Sta. MAESTRA m d Rico 20º N Guacanaibo I. Andros de I. n l do C. Eleuthera M 25º N Providence 25º N A Es S tr. TAJUMULCO 3 993 m otágu 15º N 4 220 m M oco C. Crooked C I.4 000 m . Pequena Inágua I.3 000 m . Pequena Cayman ss ind CO 2 005 m Pa W RD I.1 000 m . Grande B Bahama I. Montserrat ES AT I. Mayaguana Es I.Jamaica da L H I. Barbuda A A S SO Ja S Is. Barbados QU COR A N T I RL I.de Gonaives . DE I. Patuca CUILCO Laguna de Caratasca I. Croix I. l To o d os 3 837 m AL RD d Golf quit de Darién AM .6 000 m .

Rum Cay TRÓPICO DE CÂNCER Havana A Exuma I. Grande I. George's L. Guadalupe (FRA) Trujillo Puerto Barrios B a s s e . Long Island H I. Nicarágua (VEN) Rivas São Carlos I. Long Cay Es M Caicos tr Cienfuegos Cabaiguan I. Turks I. Pequena Cayman Santiago I. San Salvador M é x i c o I. Trinidad 10º N Pa 10º N Puntarenas Limón na m São José Almirante á Colón Panamá Puerto Cortês David La Palma O C E A N O PANAMÁ A M É R I C A D O S U L Santiago Las Tablas P A C Í F I C O 95º O 90º O 85º O 80º O 75º O 70º O 65º O 60º O ESCALA APROX. São Francisco de Macoris ens N) (R UN (FRA (RUN) HAITI Virg uilla artin as D E DOMINICANA (RU Ilh Montego Bay S ng n M I. New Providence I. Andros I.Político ei A (RUN) Ciego de Ávila to Sancti C S de Spíritus U Camaguey Is. Curaçao SÃO VICENTE E Bridgetown EL SALVADOR León (HOL) DE S A S GRANADINAS Chinandega (HOL) Masaya I. Grande Abaco NORTE Bahama A T L Â N T I C O d o Nassau I. de Pinos Iu B ca A Holguín I. Blanquilla GRANADA Manágua (VEN) St. La Tortuga I. Tobago C (VEN) (VEN) TRINIDAD E an Port of al COSTA RICA Spain TOBAGO do Alajuela I. Eleuthera 25º N 25º N I. Montserrat Cobán (RUN) I. Martinica (FRA) Fort-de-France Cidade de Tegucigalpa M a r d o C a r i b e Guatemala São Salvador Puerto Cabezas P E Q U E N Castries SANTA LÚCIA A S sonate ig u e l NICARÁGUA A N T Kingstown BARBADOS Son São M I L H Matagalpa A S ANTILHA La Unión I.Turks e Pinar del Rio Colón I. Sa A N Porto San Juan I rre A) JAMAICA T I São ete ss (EU Belize City L Príncipe Domingo Porto Rico a A M É R I C A D O N O R T E S p a n i s h To w n Kingston H A O B ANTÍGUA E Flores BELIZE S (EUA) BARBUDA S T ÓVÃ IS ( M É X I C O ) Belmopán CRI NEV St. Acklins América Central .Crooked Sta. Orchilla I. Grande Cayman G Gonaives Santiago ) ) C ampech e R A de Cuba George Town Ilhas Cayman N REP. Bonaire Granada Bluefields (HOL) I. Grande TRÓPICO DE CÂNCER B I. A . 95º O 90º O 85º O 80º O 75º O 70º O 65º O 60º O 30º N 30º N AMÉRICA O C E A N O DO G o l f o I. Aruba S HOLAN I. 1:17 000 000 85 0 170 km Capital de país PROJEÇÃO CILÍNDRICA Cidade principal EQUIDISTANTE MERIDIANA fronteira internacional Continentes e regiões do mundo ferrovia rodovia rio 39 . Grande Inágua tã Guantánamo 20º N Puerto Plata 20º N Go lfo de I. Clara A Is.Te r r e GUATEMALA La Ceiba São Pedro Sula Puerto Lempira Roseau DOMINICA 15º N 15º N Quezaltenango HONDURAS I. Margarita I.Caicos Is. John´s SÃO E I. Cat I.

D C ad MANGAS gua Te O PL M le A R V. MAIPO Par e aná P 5 323 m Salad M P A C Í F I C O Rio d a Pra A o CAMPANÁRIO ta 4 002 m P Pta. C ENT ALTO 2 734 m Or S DAS 50 m ino A. D C F o s s a AL I. Geórgia do Sul TERRA DO FOGO I. Falkland/ Is.D OR O á R B A LT Juru Uca SA rus Pu ra BO AN ei ia CH.P RD GUIA C.5 000 m de s s Na m Japurá zona Marajó ay Ama ía . 1:31 000 000 JU Golfo de DA IC AN RA E NT MA SA. Bonaire I. Malvinas de Dios Baía Grande Estreito de Magalhães Estreito de Magalhães Is. Três Pontas Penas P A 50º S 50º S I. DO gu h ILLIMANI uitin N ES i PLANALTO Jeq PA A T 6 402 m A l A SA e CENTRAL O L NT . Orange SA.7 000 m Xin Ama IE C Tocantin Golfo de Guayaquil zon Arq. M O C E A N O 1 000 m CO CO 600 m NO AL I co OR Orino NT Golfo do O 400 m ED lena RIE Panamá ÍC I 200 m TR L AN RORAIMA A T L Â N T I C O AL A Magda PLAN 100 m .1 000 m A RD 5 600 m I. COTOPAXI M 5 896 m Pu tu Ilha de S. OJOS DEL CA 20º S SALADO BOLÍVIA LÂ 20º S 155 0 310 km AT O AL 6 908 m RA Fossa de Atacama BANDEIRA EI C PROJEÇÃO CILÍNDRICA TO D O S 2 892 m AL QU EQUIDISTANTE MERIDIANA ATAC AM A á LIPEZ I NT AGULHAS NEGRAS n AN A ra 5 929 m PL MA Pa 2 792 m Par 8 050 m H TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO A AR TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO . D Arica V. de Maracá RD 31 DE MARÇO .3 000 m s 0º EQUADOR 2 994 m co EQUADOR 0º ar . Fernando de gú A as Solimões OS . G A N DE Paraná Ilha de Santa Catarina SA P e r u ATA C A M A ai u D E GAL. Chiloé N Chubut Arq.C h i l Lagoa dos Patos PL S ACONCÁGUA 6 962 m Lagoa Mirim A V. BELGRANO P L AT I N A ug TO 6 250 m r U AL 30º S 30º S S AN O C E A N O . dos Chonos Ô A T L Â N T I C O G PEN. Sebastião ai V.Físico 80º O 70º O 60º O 50º O 40º O P E Q U E N A S A N T I L H A S Altitudes ne da 4 000 m ela Ve olfo zu I. HUASCÁRAN sP ABEIR N Ara ire AS ins D TI 10º S 6 768 m s 10º S Repr.Curaçao 3 000 m G I. dos Estados Canal de Beagle Canal de Beagle Estreito de Drake 80º O 70º O 60º O 50º O 40º O .D SAJAMA A LT I P L A N O B R A S I L E I R O 6 542 m SA O ESCALA APROX. OC V.O PL . de . Negra A Ta iali . Margarita 2 500 m I.4 000 m beta V.2 000 m Trom CO NEBLINA 2 973 m .D OM agu SA SA. E Titicaca P L A N A L T O ID a PIN C ha ai IR hon E . AN a Tocant F Sobradinho O Juruen s CH gú AM Dio R o ou e Xin ed AP IE DI s C dr .8 000 m TEI Noronha (BR) B RA PA ñó n Profundidades Mara P L A N Í C I E A M A Z Ô N I C A BIA s s jó EM DA Picos pa AI Pta. de Santa Inês I. Trinidad 10º N Maracaibo ID Darién ÉR 1 500 m RD . Golfo de TAITAO Des ead São Jorge T A Golfo de o C.40 Continentes e regiões do mundo América do Sul . CHIMBORAZO po o PLA Ba g 6 310 m ro NÍC . Tobago L. .6 000 m Ne V. LLULLAILLACO DE SE RT O DE ON Sa 6 723 m L DI lad RA RI PUNA PLANÍCIE o E ME . Lavapié Colo rado Baía B 40º S Ne gro lanca 40º S TRONADOR O C E A N O I A 3 410 m Golfo de São Matias I. TOLIMA . PACARAIMA EN co A ID R NAS 0m CO IM CO . de S. M. do Bananal IL Fra e ÇO . D São Ma A N s O Gu AD OS co C ap R TA a Mamoré R O oré Ma O ncis AP PA R D L AD P Baía de Todos nue RE CH D I. de 2 000 m 10º N Golfo de A I. CI NC os Santos l r ILLAMPU O u H Lago S São HA C 6 362 m ra RO . Madre Is.

Sta. Fernando de Tefé Manaus Santarém Cuenca Letícia Fortaleza Noronha (BR) Iquitos Sobral Tucuruí Marabá 1 Benjamin Constant P E R U Imperatriz Teresina Natal Jacareacanga Chiclayo Orellana Campina João Pessoa Cruzeiro do Sul Grande Cajamarca Petrolina Recife Trujillo Cachimbo Palmas Rio Porto Velho Juazeiro Huaraz 10º S Branco Maceió 10º S Huánuco Cocama B R A S I L Aracajú Gurupi Feira de Lima Huancayo Barreiras Santana Cuzco Salvador Ica B O L í V I A Brasília Jequié Puno Cuiabá Anápolis Ilhéus Montes Vitória da La Paz Goiânia Claros 1 Ilhas Galápagos (EQ) (cap. 41 Continentes e regiões do mundo América do Sul .) I.Curaçao (Hol. São Porto Casado Dourados Preto Fora Cristóvão EQUADOR Bauru Campinas Niterói TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO PARAGUAI TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO Concepción Londrina Rio de Janeiro Antofagasta San Salvador Sorocaba de Jujuy São Paulo Coronel Ponta Grossa PERU E Salta Oviedo Assunção Foz do Curitiba Paranaguá Joinville 90º O 80º O Iguaçú San Miguel Blumenau Encarnación de Tucuman Resistência Passo Florianópolis Santiago del Corrientes Caxias Estero Fundo Santa do Sul 30º S La Serena Maria 30º S A R G E N T I N A Uruguaiana Porto Alegre L Santana do Córdoba Salto Livramento Pelotas O C E A N O Viña del Mar Paysandú Valparaiso Mendoza Rio Grande Rosário Durazno Santiago P A C Í F I C O URUGUAI San Rafael Buenos Aires Montevidéu I Concepción Baía Blanca Mar del Plata Neuquén 40º S Valdívia 40º S Carmen de Patagones H Puerto Montt S. Aruba ANTILHAS HOLANDESAS (Hol. Trinidad 10º N Maracaibo Cumaná Barquisimeto Monteria Ciudad Bolívar Cúcuta San Ciudad Guayana O C E A N O Cristóbal Georgetown Medellín V E N E Z U E L A Paramaribo Manizales GUIANA Puerto Caiena Ibagué Ayacucho Bogotá Buenaventura SURINAME GUIANA A T L Â N T I C O Apoteri FRANCESA Cali Boa Vista Camopi Tumaco COLÔMBIA Caracaraí Pasto Serra do Navio 0º EQUADOR Macapá EQUADOR 0º Quito Ilha de Bragança EQUADOR Marajó Ambato Itacoatiara Belém Guayaquil São Luís Parnaíba Arq. Falkland/ Is.Político 80º O 70º O 60º O 50º O 40º O P E Q U E N A S A N T I L H A S I. Galápagos (EQ) Iquique Potosí Rio Preto Uberaba Vitória 0º Tarija Ribeirão Ouro Preto I. Isabela I. Carlos de Bariloche Viedma O C E A N O Capital de país Esquel Cidade principal Rawson A T L Â N T I C O Comodoro fronteira Coihaique Rivadávia internacional C Puerto Deseado ferrovia 50º S 50º S Puerto Santa Cruz Is. 1:31 000 000 155 0 310 km PROJEÇÃO CILÍNDRICA 80º O 70º O 60º O 50º O 40º O EQUIDISTANTE MERIDIANA . ARG) Punta Arenas TERRA DO FOGO I.)I.Geórgia do Sul Ushuaia (RUN ) ESCALA APROX. Tobago Barranquilla Valência Caracas 10º S Cartagena I. Cruz Quito Juiz de Campos dos Goytacazes I. Margarita (Hol.administrativa) Cáceres Conquista Arequipa Cochabamba Canavieiras Tacna Oruro Santa Cruz Porto Arica de la Sierra Suarez Corumbá Uberlândia Belo 20º S Sucre Campo S.legislativa) Grande Is.José do Horizonte 20º S COLÔMBIA (cap.) (VEN) I.Bonaire I. Malvinas rodovia Puerto Natales Rio Gallegos Stanley rio (RUN pret.

I. Mallorca Mar O Tirreno Mar Jônico Estreito de Gibraltar Ma r Me d i te r râ n e o PARNASO Mar 2 457 m Egeu V.7 000 m . BRANCO P E S C AS OS CRIMÉIA O MACIÇO 4 807 M L o Cabo Finisterra n CENTRAL Róda A FRANCÊS Pó AL Gar PE Mar Negro PIR Danúbio S one 40º EN A Bóseito de M D N N Douro EU P ar IN 40º foro S E ÁR N Ad ANETO IN riá IC r Est 3 404 m I.8 000 m Profundidades Picos . Islândia To M a r d a N o r u e g a R Mar rre 60 da S ºN A ºN Branco eg 60 O IS Dv ch AV ina Vi d IN oN or D te ia AN tn Bó Ka C A m a IC ES de Is. ETNA Peloponeso 3 323 m I. ELBRUS PLANÍCIE RP Baía de 3 797 m Danúbio 5 633 M AT DA HUNGRIA PEN.2 000 m PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA . Córsega O tic O o Tejo S S BÁLCÃS TRÁCIA Mar de Mármara PENÍNSULA res lea Á S I A P V. Sardenha 1 277 m 2 917 m IBÉRICA D I. VESÚVIO OLIMPO Ba IN Is.1 000 m .6 000 m .4 000 m .Físico 40º O 30º O 20º O 10º O 0º 10º E 20º E 30º E 40º E 50º E 60º E 70º E Is. Kolguiev PO M LA R Estreito da Dinamarca O ÁR TI Pe N C O ch TE or a PEN. Chipre I. 1:24 000 000 0m 120 0 240 km . Malta I. Nova Zembla Mar de Barents ºN CÍ 75 RC Mar da Groenlândia ULO I.3 000 m . Faeroe L.P OL O a MANO RA Grã Bretanha Í CI E GER Vístula Pripat PLAN L OCEANO O Vo de lg a r Canal da Mancha ATLÂNTICO n Se Do Dni n Di n a ies ter epe úbio GERLACHOVSKY Dan r Reno Loire 2 655 m Mar de CÁ GLOCKNER Azov MTE.5 000 m . DA CÁU Biscaia MTE. Onega a on ÁT lfo kh RM Go Su GLITERTTIND 2 472 m SA S Da Is.Rodes I. Sicília I. Creta M a r M e d i t e r r â n e o Altitudes 30º N 30º N 4 000 m 3 000 m Á F R I C A 2 500 m 2 000 m 1 500 m 1 000 m 600 m 0º 10º E 20º E 30º E 400 m 200 m 100 m 50 m ESCALA APROX. DE S KOLA U I. de Volga Mar Riga DE VALDAI B A C I A D E MO S C O U do PLANALTO Ilha Dvin Báltico a PL DO VOLGA lga Norte AN Do Vo Mar da AL n I. da Irlanda Dnieper 50º TO N Irlanda da N 50º RU CE A SS ONES NT Tâmisa Elb . Orkney A NÍ Finlândia Volga PL lga Vo PLANALTO Mar G.42 Continentes e regiões do mundo Europa . Ladoga PE l E Golfo da CI AL Is. Shetland L.

Armênia. Cáspio SAN MARINO HERZEGOVINA GEÓRGIA San Marino SÉRVIA Tbilisi Split Sarajevo M.UN) Atenas Rodes Nicósia ÁF RICA I. Sardenha Nápoles Córdoba I. Córsega Podgórica BULGÁRIA Tirreno AZE FRANÇA Roma O c e a n o VATICANO ALBÂNIA Skopje Veles Tabriz A t l â n t i c o ÁFRICA Mar MACEDÔNIA 40º E 45º E 50º E I. 43 43 Continentes e regiões do mundo Europa .Político 40º O 30º O 20º O 10º O 0º 10º E 20º E 30º E 40º E 50º E 60º E 70º E Vorkuta CÍ RC UL O I. de forma unilateral. em 17 de fevereiro de 2008. Faeroe S (DIN) Perm A Trondheim I A Vaasa G Ostersund Kirov E Tampere U Is. de Creta rodovia M a r M e d i t e r r â n e o 30º rio N 30º N Oeste de Greenwich Leste de Greenwich (O. Sardenha Nápoles Tirana GRÉCIA 10º E Mediterrâneo 15º E Bari 20º E Salônica 1 O Kosovo declarou sua independência. . Mallorca Faro Sevilha Cartagena Cagliari GRÉCIA M a r M e d i t e r r â n e o fronteira Málaga Palermo Estreito de Gibraltar Patras internacional Gibraltar (R. Greenwich) ALEMANHA Debrecen ESCALA APROX. a ser discutida na Corte Internacional de Justiça a partir de dezembro de 2009.MAR BULGÁRIA Varna 40º Marselha MONTENEGRO KOS. Orkney Oslo Helsinque São Petersburgo Kazan Stavanger Tallinn Yaroslavl Inverness Estocolmo ESTÔNIA Nizhny Novgorod Parnu Pskov Goteborg Moscou FEDERAÇÃO RUSSA Glasgow Edinburgh Riga LETÔNIA (RÚSSIA) DINAMARCA OCEANO Belfast LITUÂNIA Kaluga Sunderland Copenhague REINO Vilnius ATLÂNTICO Dublin UNIDO Leeds Odense Malmo Kaliningrado Smolensk Saratov 50º N Irlanda FED. Córsega VAT Istambul ESPANHA Barcelona MAC Tirana TURQUIA Capital de país Lisboa (Parte européia) Á S IA Valência ALBÂNIA Salônica Cidade principal I.1 Coimbra Saragoza ANDORRA ITÁLIA Sófia Podgorica Pristina PORTUGAL Roma Skopje Madrid I. Greenwich) (E. A Organização das Nações Unidas (ONU) ainda não tem uma posição final a respeito desta declaração. Negro P o t i 1 EUROPA Florênça Mikhaylovo Açores PORTUGAL ARMÊNIA Baku (POR) ITÁLIA 1 Sófia Lisboa Bástia Mar Adriatico MONTENEGRO KOSOVO Pristina 40º N Ierevan AZERBAIJÃO Ponta Delgada Mar I. TCHECA Rennes Estrasburgo ESLOVÁQUIA Dnepropetrovsk Munique Viena Bratislava MOLDÁVIA Nantes Zurique ÁUSTRIA Budapeste Krasnodar Berna LIECH Salzburgo HUNGRIA Cluj-Napoca Chisinau Odesa Genebra Vaduz Simferopol SUÍ ESLN ROMÊNIA Bordeaux Trento La Coruña Lyon Milão Liubliana CRO Timisoara Galati Santiago de Bilbao FRANÇA Zagreb Turim Rijeka Belgrado Bucareste Compostela Toulouse Gênova Mar Negro Montpellier Veneza BÓ. 1:24 000 000 Zurique ÁUSTRIA Gyor Vaduz Innsbruck Budapeste 120 0 240 km Graz D a n ú b io 0º LIECHTENSTEIN 10º E 20º E HUNGRIA 30º E PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA Cluj-Napoca 1 Açores (POR) 2 SUÍÇA ESLOVÊNIA Szeged Arad Pécs 2 Centro-Sul Europeu Liubliana ROMÊNIA Milão Zagreb Novi 3 3 Leste Europeu Timisoara 2 Verona Rijeka CROÁCIA Sad 3 (Geórgia. Sicília ferrovia Cândia CHIPRE MALTA Canéia (Creta) Valeta I. Azerbaijão) 40º E 45º E 50º E Belgrado 45º N 1 Pó Banja D anúb RÚSSIA io Gênova Bolonha Luka BÓSNIA M. Kolguiev PO LA R ÁR TI Tromso CO Murmansk F I N Harstad Reykjavik ISLÂNDIA A 60 ºN ºN L Â I Bodo Archangelsk 60 C Lulea É N D U Is. N Liverpool Sheffield RUSSA Minsk 50º Manchester Gdansk Voronez Bremen Hamburg Birmingham Bialystok Gomel Amsterdã Hannover POLÔNIA BELARUS Cardiff HOLANDA Berlim Poznan Volgograd Rotterdã Varsóvia Londres Antuérpia ALEMANHA Kiev Kharkov Bruxelas Lodz Mancha Bonn Lublin Canal da Lille Leipzig Wroclav Brest BÉLGICA Frankfurt Praga UCRÂNIA Doneck Cracóvia Lvov Paris LUXEMBURGOStuttgart REP. Shetland R (RUN) Vologda Izevsk O Bergen Uppsala N Is.HER Bayonné Bolonha 40º Porto Florença Sarajevo SÉRVIA N N Valladolid MÔNACO S.

Elena Í N D I C O Cabo da Boa Esperança 10º O 0º 10º E 20º E 30º E 40º E 50º E ESCALA APROX. Príncipe ia Lago Albert Go QUÊNIA ál lfo B A C I A m RUVENZORI 5 199 m da São Tomé So 0º EQUADOR 5 119 m EQUADOR 0º Gu D O da iné Lago ía C O N G O Victoria Ba Congo L. Zanzibar K L. d e Be CAMEROON Uba Cabo das Palmas 4 100 m ngi fra G. Canárias 200 m PLANALTO DE DE QATTARA ue C z 100 m TADEMAIT D E S E R T O Ni EIA D A L Í B I A lo 50 m OÁSIS A 0m PLANALTO DE RÁ M MTE. ADAMAOUA ETIÓPIA Niger Sh eb nin ele G. Lago L.4 000 m 20ºN Cabo S A A R A . NÚBIA 20º N r m . AHAGGAR DE KOUFRA .8 000 m Cabo Profundidades Verde Gâm Ni bia er L. Benguela MT e DE BIÉ u Za biq Za mb do Cu L. Comores D'Ambre HI Golfo de M UC PLANALTO ES. Turkana gi Congo Uban I. 1:43 000 000 215 0 430 km PROJEÇÃO CILÍNDRICA EQUIDISTANTE MERIDIANA . S O C E A N O EN THABANA NTLENYANA 30º S 3 482 m 30º S AK CHAMPAGNE CASTLE DR 3 650 m Baía de Sta.Físico 10º O 0º 10º E 20º E 30º E 40º E 50º E Altitudes EUROPA 4 000 m 3 000 m M Estreito de Gibraltar a r 2 500 m a bes S de G M 2 000 m L A TAL Golfo e d I. Kivu QUILIMANJARO 5 892 m go Ka sai PLANALTO Con DOS GRANDES LAGOS I. Chade Nilo Picos Nig ger PLANALTO I.44 Continentes e regiões do mundo África . Socotra RAS DASHEN Vo Nilo Branco DE DARFUR Golfo de Áden Azu 4 620 m lta PLANALTO l DE Ch 10º N 10º N ar BAUCHI i PENÍNSULA ue PLANALTO DA SOMÁLIA Ben DA L. Volta MTES. Seicheles M 10º S 10º S S.2 000 m r MTES.3 000 m V TIBESTI DESERTO DA e . Nasser ICA .5 000 m Branco EMI KOUSSI lo 3 415 m Ni . Kariba çam m an be ez Cubango ze e Mo D ES de 20º S DEPRESSÃO 20º S nal DE NGAMI ER Ca I. . de Madagascar TO Limpopo D ESERTO TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO NA DO MÍ GREENWICH KALAHAR I Baía de Delagoa BI RG al A BE Va Orange . Madeira AT E N i t e 1 500 m O I D TA L r r â D OC n e o IA IEN 1 000 m RG OR Ca TBUKAL A DE EE E RG na 600 m C D 4 167 m AN DE 30º N ld 30º N GR AN DEPRESSÃO 400 m GR e S AD Is. de Bia L. Niassa TE A T L Â N T I C O Mweru Cabo M N GA Is.1 000 m DJADO B TRÓPICO DE CÂNCER a L.7 000 m Senegal ERG DU TENERE o . Tanganica as BA ai O C E A N O UM IT Is.6 000 m e l h .

legislativa) MAURITÂNIA Gao ESCALA APROX. Canárias MAR Cairo Suez (ESP) El-Giza ARGÉLIA Sebha Á S I A El Aaiún L Í B I A Asyut SAARA OCIDENTAL EGITO M ar (ESP e MAR) Assuan TRÓPICO DE CÂNCER Ve rm Tamanrasset lo el Ni MALI o ho Atar 20º N Ri 20º N MAURITÂNIA Bilma Porto Sudão Nouakchott NÍGER Agadez S U D Ã O Atbarah Tombouctou Saint-Louis Omdurman ERITRÉIA Abechê Asmara Dacar SENEGAL Cartum Caolak Zinder CHADE Kassala Kayes Niamei Banjul BURKINA El Obeid GÂMBIA Bamako FASO Gondar Aseb I. DEM. Lago Porto Vitória Nairóbi Gentil DO CONGO RUANDA (Zaire) Bukavu Quigali Muanza Brazaville Bujumbura BURUNDI Mombassa Pointe-Noire Kinshasa DODOMA Cabinda Matadi (Angola) Cananga Zanzibar TANZÂNIA Dar Es Salaam Luanda Mbuji Mayi SEICHELES 10º S Vitória 10º S ANGOLA Lubumbashi COMORES Moroni Lobito Kitue Benguela Huambo Ndola MALAUÍ ue Lilongue MOÇAMBIQUE ZÂMBIA biq Blantyre çam Lusaca AR Mo Livingstone Harare Capital de país de ASC O C E A N O Ondangua Quelimane Antananarivo nal ZIMBÁBUE Cidade principal 20º S Ca 20º S DAG Beira Bulawayo NAMÍBIA A T L Â N T I C O MA BOTSUANA Fianarantsoa Walvis fronteira TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO Bay Windhoek Gaborone internacional Pretória Maputo ferrovia GREENWICH Luderitz Johanesburgo SUAZILÂNDIA Mbabane Bloemfontein LESOTO O C E A N O rodovia 30º S (cap.) SÃO TOMÉ Bata GUINÉ EQUAT. 45 Continentes e regiões do mundo África . 1:43 000 000 215 0 430 km 15º N Kayes PROJEÇÃO CILÍNDRICA 40º E Tamba NÍGER N 10º O 0º 10º E 20º E 30º E 50º E EQUIDISTANTE MERIDIANA íg SENEGAL MALI er 2 Tambacounda e r BURKINA N íg Bamako FASO Niamei GUINÉ Ouagadougou BISSAU Bobo Dioulasso 1 GUINÉ 1 BENIN 2 10º N Kankan CABO VERDE Conacri Korhogo GANA Parakou N IG É R IA SERRA COSTA Tamale Sokode LEOA DO F re e to w n Praia Lago Volta MARFIM Bouaké TOGOPorto O C E A N O Man Novo A T L Â N T I C O Cumasi Monróvia s LIBÉRIA go Abidjan Lomé 1 Cabo Verde La 5º N Acra 2 Países da África 10º O 5º O 0º . UGANDA Mbale QUÊNIA Mogadíscio 0º EQUADOR E PRÍNCIPE Libreville Kisangani Merka 0º São Tomé CONGO Campala Nacuru GABÃO REP. jurídica) 30º S Maseru Durban ÁFRICA DO SUL rio Í N D I C O East London Cidade do Cabo Porto Elizabeth (cap. Madeira Rabat Trípole El Beida (POR) Safi TUNÍSIA Misurata Marrakech OS Ghardaia Bangasi Alexandria Port Said R OC 30º N EGITO (Parte Asiática) 30º N Is. Socotra Golfo de Áden Bissau Cano Ndjamena DJIBUTI Djibuti Bobo Ouagadougou Dese U GUINÉ 10º N ISSA Kindia Kankan Dioulasso BENIN Berbera 10º N B Tamale Parakou NIGÉRIA Adis Abeba INÉ Conacri SERRA Geroua COSTA DO GANA Sokode Abuja Diredaua SOMÁLIA GU Freetown LEOA Moundou Por Lomé TOGO MARFIM Ogbomosho LIB Bouaké Ibadã REP. ÉR Lagos CENTRO-AFRICANA Monróvia IA Cumasi Porto ETIÓPIA Harcourt CAMARÕES ovo Buchanan Bangui Bambari Juba Acra Duala jan to N Malabo Iaundê Abid (GUINÉ EQUAT.Político 10º O 0º 10º E 20º E 30º E 40º E 50º E EUROPA Argel Túnis Estreito de Gibraltar Ceuta Oran Constantina r Ta n g e (Esp) Batna Gabes Sfax Casablanca M a r M e d i t e r r â n e o Is.

46 15º O 0º 15º E 30º E 45º E 60º E 75º E 90º E 105º E 120º E 135º E 150º E 165º E 180º 165º O 150º O O C E A N O G L A C I A L Á R T I C O Is. 1:58 600 000 1 200 m 293 0 586 km 600 m PROJEÇÃO DE ROBINSON 300 m escala referenciada ao Equador 150 m no Meridiano 0º (Greenwich) 0m . SAIA L. ND M PLANALTO HI st I. Bajkal S. Terra do Norte Is.5 000 m . Okhotsk MTES N TE M r Amu E U R O P A Irtys I. Sri Lanka d r a M 0º EQUADOR O C E A N O Is. Balkash S.3 000 m . Ku S ÃO AL DA MONGÓLIA s 45º N ES TA I da 45º N PR as DE I ss Mar Aral G OB I.4 000 m . Maldivas EQUADOR 0º Í N D I C O Altitudes 45º E 60º E 75º E 90º E 105º E 120º E 135º E 150º E 165º E 4 800 180ºm 3 000 m 1 800 m ESCALA APROX. Ob' CÍRCULO POLAR ÁRTICO IS CÍRCULO POLAR ÁRTICO ma Ni A Yenis znj V PLANÍCIE aja Tunguska PLANALTO A R AldanERKH CENTRAL OIA YM OL U NSK K DA SIBÉRIA SIBERIANO I TES S 60º N MON 60º N Ásia .2 000 m . Nova Zembla Mar de Laptev 75º N 75º N Mar da Sibéria Mar de Oriental Mar de Kara PEN. da Nova Sibéria Is. Taiwan Es Mar da Salween Arábia PLANALTO P A C Í F I C O kim l l DO DECA Go Tonfo de a Baía IS GATE n Continentes e regiões do mundo Mek TA de io 15º N 15º N IEN S OC id Fossas Mar ong Bengala r R ian e a SO M s IDEN TE a TAIS in GA h C a Á F R I C A I. Shikoku E DO TIBET MINYAKONKA 10 230 m H 7 590 m I. Hokkaido Fo O DE N RT o SHA SE Mar do Japão/ COMUNISMO T IA N DE Mar do Leste Japã Am 7 495 m Mar Cáspio o u DESERTO DE He I. O ey MTES. Sacalina h M TE 10 500 m as CASPIANA PLANALTO ril L.1 000 m .8 000 m Profundidades Fossas Picos . na Chukchi DE Le ey S I B É R I A Koly s TAIMIR MTES. Formosa/ TRÓPICO DE CÂNCER tr. Kyushu DHAULAGIRI I 30º N tse 30º N 8 172 m ng M tal O A EVEREST Ya zul) RT 8 848 m (A ien ina do L A rd m PLA Fossa de In ESE HAR Or a Ch r D T NÍC I A I Ma osa DE ED O C E A N O Fo Izu OG e d Ganges ANGE Xun TRÓPICO DE CÂNCER S Jian g I. I.lo) sa d Da PAM IR TAKLA MAKAN a re a ria Hu ma Fos éi (A or CA KU NLU N g-He C SH RA Mar MONTE FUJI KU CO Huan lo) re da O (Ama 3 776 m RU Amarelo r.Físico a E Angara Len T VY PEN. N N STANO iss KAMCHATKA O n VOI O BL Ye Mar de Mar de Bering IA M .6 000 m .7 000 m . Honshu n g.

1:58 600 000 internacional 293 0 586 km Continentes e regiões do mundo PROJEÇÃO DE ROBINSON ferrovia escala referenciada ao Equador no Meridiano 0º (Greenwich) rodovia rio 47 . da Nova Sibéria 75º N 75º N Ust- Volochanka Olenek Ásia . 15º O 0º 15º E 30º E 45º E 60º E 75º E 90º E 105º E 120º E 135º E 150º E 165º E 180º 165º O 150º O Is. Terra do Norte O C E A N O G L A C I A L Á R T I C O Is.Político Khatanga Dudinka Norilsk CÍRCULO POLAR ÁRTICO Igarka CÍRCULO POLAR ÁRTICO FEDERAÇÃO RUSSA (RÚSSIA) Sangar Nizhnevartovsk Mirnyy Yakutsk 60º N R Ú S S I A Magadan 60º N ( P ar te E ur opé ia ) BodaJbo Yekateringurg Krasnoyarsk Bratsk Chelyabinsk Omsk Novosibirsk Rudnyy Irkutsk Astana Ulan Ude Petropavlovsk- Karaganda Kamchatskij Aktyubinsk E U R O P A Hovd Ulan Bator CASAQUISTÃO Balkash Qiqihar Khabarovsk Aralsk Harbin Yuzhno Sakhalinsk 45º N Karamay Altay MONGÓLIA Jixi 45º N Urumqi Dalandzadagad Jilin Sapporo Alma Ata UZBEQUISTÃO Bishkek Fuxin Korla Hami Benxi Tashkent QUIRGUISTÃO Baotou Yumen CORÉIA DO NORTE TURCOMENISTÃO Duchambe Kashi Qiemo Yinchuan Beijing Piongiang TADJIQUISTÃO Xining Taiyuan Seul JAPÃO Sendai Ashkhabad Hotan Golmud Taian CORÉIA Lanzhou Kaifeng Kioto Kabul Sian Qingdao Tóquio DO SUL O C E A N O Xuzhou Osaka AFEGANISTÃO Islamabad CHINA Mianyang Hefei P A C Í F I C O 30º N O R I E N T E Multan Chengdu Huangshi Shangai 30º N Nova Délhi Zigong Yueyang Ningbo NEPAL PAQUISTÃO Agra BUTÃO Wenzhou M É D I O Jaipur Katmandu Thimphu Fuzhou Allahabad Guiyang BANGLADESH Xiamen Taipé TRÓPICO DE CÂNCER Varanesi Dacca Shantou TRÓPICO DE CÂNCER Ahmadabad Nanning TAIWAN/ Calcutá MIANMA Macau Hong Kong FORMOSA Surat Nagpur (BIRMÂNIA) Mumbai ÍNDIA (Bombaim) Pune Rangoon 15º N 15º N Chennai (Madras) Kochi (Cochin) SRI LANKA S U D E S T E (Ceilão) Colombo A S I Á T I C O MALDIVAS Male 0º EQUADOR EQUADOR 0º O C E A N O Í N D I C O Capital de país 45º E 60º E 75º E 90º E 105º E 120º E 135º E 150º E 165º E 180º Cidade principal fronteira ESCALA APROX.

Ba b el I. Fartak 15° N 105 0 210 km P L R A D PROJEÇÃO CILÍNDRICA H A ÍNDI CO EQUIDISTANTE MERIDIANA Es tr. st MTE Mar 1 000 m E S.4 000 m s H P D E K AV I R US M LA O K . Aral E UROPA 4 000 m ro M a r N e g r o 3 000 m 2 500 m fo ós 2 000 m B de 1 500 m r. H ARÁBIA Á R I J B V Á A I e B A Z r m 20° N I Golfo de 20° N A C e I Masira S A ÄL Á F R I C A l h I R C.5 000 m O E M DE ND N PO S O SE DE HI ÍC T M a r M e d i t e r r â n e o N RT KUH-E-KALA .6 000 m O SE IE ÂM Jordão T DINAR Ke RT 4 144 m .48 Continentes e regiões do mundo Oriente Médio .7 000 m E D IA 4 276 m DO S A rsa . Madraka KH L o A B’ Mar da Arábia RU R TO Is. Barein rm O N T de S tr. Go 25° N O Es 25° N U Golfo de Omã L D M P L A N A LTO A A a MO A TRÓPICO DE CÂNCER r A AK NT L DA HD ES C. 1:21 000 000 3 760 m LT T 15° N A N AM A U C.1 000 m S G. Tuz KO 100 m PE 50 m T DA 0m A U R DEMAVEND G T U 5 670m . Van 200 m ARMÊNIA L.Físico 30° E 35° E 40° E 45° E 50° E 55° E 60° E Altitudes L.2 000 m E Antalya Tig uf .3 000 m ra 35° N 35° N re te DESERTO . DO 30° N e G IR Ã DESE RTO R SINAI HAZAR O GRANDE N EF U D 4 375 m lfo SINAI S de 2 637 m P D G Su ol E fo E ez Ácaba S P ér N E si co uz lfo de Í R I. PÔNTICOS ARARAT 40° N PLANALTO 5 166m s 40° N 600 m Ara Cáspio 400 m P E N Í N S U L A D A A N AT Ó L I A DA L. de Elburz . Socotra M Golfo de Áden an (IEM) de b 30° E 35° E 40° E 45° E 50° E 55° E 60° E .8 000 m O DESERTO n IRÃ DE Mar Morto PLAN ALTO Profundidades C a n a z Go DA de Su and LU Z SÍRIA DO H e lm Picos A T l 30° N PEN. Farasan DESE NABI SHUAYB O OC EANO ESCALA APROX. Al Hadd A R AR .

não rec. de Aral io Danúb EUROPA M A R N E G R O Mar Cáspio TURQUIA Istambul Samsun (Parte Zonguldak Trabzon Européia) Adapazari 40° N Ankara Kirikkale Erzurum 40° N Bursa Usak T U R Q U I A L. 49 Continentes e regiões do mundo Oriente Médio . 1:21 000 000 Mediterrâneo Capital de país 105 0 210 km Nabulus Cidade principal PROJEÇÃO CILÍNDRICA Tel-Aviv CISJORDÂNIA 32º N EQUIDISTANTE MERIDIANA 32º N (cap. Van Izmir L.) 1 Amã Jerusalém fronteira (cap. rec. Tuz Malatya Diyarbakir Tabriz Ardabil Denizli Konya Gorgan Gaziantep Urmia Rasht Babol Sabzevar Antalya Mersin Al-Qamishli Adana Mosul Eu Mashhad Maimanah Alepo fra Irbil Teerã tes Tigr Hamah Kirkuk 35° N Hamadan 35° N Dayr az Zawr e Homs Qom SÍRIA Samarra Kermanshah Herat Beirute Mar Mediterrâneo LÍBANO Damasco I R Ã Bagdá Karbala A FE GA N IS TÃ O Isfahan Birjand Yazd Jerusalém Amã Najaf Gaza IRAQUE An-Nasiriyah Kandahar ISRAEL Mar Morto Badanah Abadan JORDÂNIA Kerman 30° N Basra 30° N Ácaba KUWAIT Cidade Shiraz Zahedan Bam Tabuk do Kuwait Bandar'Abbas Hail Golfo Ni EGITO BAREIN Pérsico lo (Parte Africana) Manama CATAR 25° N Doha 25° N Riad Abu Dhabi M Hofuf Golfo de Omã ar Medina Mascate Ve EMIRADOS ÁRABES TRÓPICO DE CÂNCER rm UNIDOS Ad am A R Á B I A S A U D I T A el Sur ho Jedda Meca Al Khaluf 20° N 20° N O M Ã Mar da Arábia Á F RIC A Salalah Sana I Ê M E N Saihut 15° N 15° N Al Mukalla Yarim Zabid Taizz I.) internacional FAIXA Belém DE GAZA Gaza Mar Hebron Morto ferrovia 1 Região da Palestina 31º N I S R A E L 31º N rodovia rio J O R D Â N I A 30º N 30º N ARÁBIA Golfo de Ácaba SAUDITA 34º E 35º E 36º E . ocupado por Israel) J o rd ã o Nazaré Mar ESCALA APROX.Político 30° E 35° E 40° E 45° E 50° E 55° E 60° E L. Socotra Golfo de Áden 34º E 35º E 36º E LÍBANO S Í R I A 33º N 33º N 30° E 35° E 40° E 45° E 50° E 55° E 60° E Haifa Mar da Colinas Galiléia de Golã (terr.

Java PEQUENAS ILHAS SONDA Es V. Enggano S on Mar de Banda U C de A ito S tre I.Simeulue Is. Bali I. Guam I. Timor Timor I. I. Siberut I A wa 3 805 m E reit de Estr. Luzon EIA 2 934 m IA M a r d a s F i l i p i n a s Me l NS CADEIA a AN UL kon Baía n A AM CADEIA BILAUKTAUNG g I.2 000 m . Sulawesi BA CA M Mar de Seram Est A S Is.4 000 m . DEMPO 3 455 m I. Escarpada (OCEANIA) Baía de CA M a r i a 2 820 m CAD NA DAW Bengala DE PE PULOG PHETCHABUN NÍ I. San Augustin an 4 094 m Gr UL I. Marianas 2 595 m PHOU BIA I. SEMERU Is. 1:48 600 000 Altitudes 243 0 486 km 4 000 m 3 000 m PROJEÇÃO DE MERCATOR 2 500 m 2 000 m 1 500 m 1 000 m 600 m 400 m 200 m 100 m 50 m 0m . Tanimbar RINJANI Mar de Arafura 10º S 3 726 m Mar de Mar de Estreito de Torres 10º S Savu I. Berhala 2 278 m Mar de E Is DE ER SCHWAN Molucas Es I L H nta . IR AD M AI 2 988 m ál C I.50 Continentes e regiões do mundo Sudeste Asiático . Sumbawa I.Físico 100º E 110º E 120º E 130º E 140º E Á S I A TRÓPICO DE CÂNCER I. Nicobar . Mindanao A Es ABONGABONG I. Ca-Mau de Sulu PE Is. Taiwan FAN-SI-PAN 3 143 m on Luz de eito PLANALTO Estr Is. Tonle Sap DO Is. H P A C Í F I C O tre r I. Flores Is. Morotai ac I. Panay A Golfo da Fossa A nd a man kon I. Kepulauan Natuna O C E A N O tre M Mar de Célebes ito 2 985 m AL de MURUD AN .6 000 m . Kepulauan A a Anambas ULU Es CADEIA KAPUAS. N o v a G u i n é M 3 159 m Í N D I C O da O M ar de J av a S O N D A L Is. Buru I.Andaman e a I. Balabac r Estr s al a NÍ an APO M C 2 954 m NS de KINABALU C. Mindoro I.Sumatra das Dam CA RAYA M str. Sula Ka I.Seram G R A N D E S I L H A S I . Negros das F a ISTMO Mar d ilipina DE KRA C.1 000 m . od KERINCI Halmahera IA tr. Batan 20º N 20º N DO LAOS Golfo de n a s DOI INTHANON Is.5 000 m . Saipan i o Golfo de D Dingalan ÍT A NGOC LINH (OCEANIA) s CADEIA IC Martaban d 2 598 m d a M DANGREK A PHNU IN r i L.Borneo en (Célebes) RI Mar de rim O C E A N O ta SA at Buru w elasa a N ai RANTEKOMBOLA V. Formosa/ TRÓPICO DE CÂNCER I. Hainan Pta. Babuyan Tonkin Is. eM Me Estr.8 000 m Profundidades Fossas Picos .Nias ito 0º EQUADOR A Mar r EQUADOR 0º C UL pie aka de I.3 000 m . Sumba O C E A N I A 100º E 110º E 120º E 130º E 140º E ESCALA APROX.7 000 m . Halmahera D LER ssa I. Aru 3 676 m I. Palawan h 10º N Tailândia 10º N C g I. Samar M s s CH 10 400 m F o a IN Mar de i n Me I. Kai I. G D i I.

Aru Surabaia I. Bali I. 1:48 600 000 243 0 486 km Capital de país Kuala Lumpur Cidade principal PROJEÇÃO DE MERCATOR Kelang Seremban Pematangsiantar Es tr M AL ÁSIA fronteira 1 ei t o Málaca internacional de OCEANO M PA C Í F I C O ferrovia ál ac a Johor Baharu rodovia CINGAPURA 1 Cingapura Cingapura rio I. Saipan d Nakhon r i Ratchasima Quezon City Bangcoc Manila e CAMBOJA M Battambang I. Samar Gia Dinh h I. Sumba TIMOR LESTE 10º S I. Palawan 10º N Ma r de A nd a man Can Tho Libagon (Saigon) I. S u m I N D O N É S I A a tr a Pakanbaru 0º EQUADOR Bukittinggi OCEANO GRANDES ILHAS Í N DIC O SONDA Padang 100º E . Luzon a Phitsanulok Baguio n Savannakhet Da Nang M a r d a s F i l i p i n a s i o Nakhon Sawan TAILÂNDIA I. 51 Continentes e regiões do mundo Sudeste Asiático . Nicobar I. Mindoro FILIPINAS GUAM (EUA) Is. Mindanao a (IND) Songkhla M Kudat Zamboanga Davao Cotabato Kota Kinabalu Alor Selar Kota Baharu Sandakan George Town Banda Aceb Bandar Seri Begawan Ipoh BRUNEI Medan Mar de Célebes Binjai Kelang Kuala Lumpur Bintulu Pematangsiantar M A L Á S I A Sambas Sibu Manado CINGAPURA Kuching I. Timor Mar de 10º S Kupang Arafura O C E A N I A 100º E 110º E 120º E 130º E 140º E ESCALA APROX. Bangka Is Balikpapan . Sulawesi Estr S (Célebes) en G R A N D E S I L H A S Jayapura ta Banjarmasin Palopo IRIAN w Palembang I. Kai Jacarta Baubau S I . Halmahera u n aka 0º 0º m EQUADOR Pontianak r Gorontalo EQUADOR a o de M Samarinda tr B I L Padang . Panay Phan Thiet Bacolod Iloilo C 10º N Chumphon Ho Chi Min I. N o v a G u i n é Serang Banda Semarang O C E A N O Bandung Surakarta PEQUENAS ILHAS SONDA Is.Tanimbar I. Seram I N D O N É S I A ai OCIDENTAL M Mar de Parepare (INDON) O S O N D A L Java U Watampone Telukbetung Ujung Pandang Mar de C A Is.Java I.M Jambi I. Flores I.Político 100º E 110º E 120º E 130º E 140º E Mar da China Oriental Á S I A a os rm Fo de ito tre Es TRÓPICO DE CÂNCER TRÓPICO DE CÂNCER VIETNÃ O C E A N O Hanói 20º N LAOS Haiphong P A C Í F I C O 20º N Luang Prabang Baía de Nam Dinh kin on Bengala Chiang Mai eT Vinh lfo d Laoag Go Aparri Vientiane Udon l Thani Hué I. Negros a Golfo da Vinh Loi d Cagayan De Oro Butuan Surat Thani Tailândia r Is.Sumbawa Í N D I C O Jogjacarta Malang Dili Is. r ssa o S e I. a I H A eito I. Andaman Nha Trang a (IND) Kampong Cham i n Phnom Penh I.

Auckland 1 800 m 1 200 m 600 m 120º E 135º E 150º E 165º E 180º 165º O 150º O 135º O 300 m 150 m 0m ESCALA APROX. de Tonga N L GRANDE DESERTO a Arq.8 000 m Profundidades P icos . 1:40 000 000 200 0 400 km . Flint Mar de Arafura Is.4 000 m . 52 120º E 135º E 150º E 165º E 180º 165º O 150º O Is. Kiritimati M Is. Nova Guiné R E I. Senyavin I. Loyauté ÍN E AREIA Caledônia ong EA C eT BRUCE TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO O ad 1 235 m s RD I Fos DESERTO LH DE GIBSON Continentes e regiões do mundo GRANDE DESERTO EIR VICTORIA O C E A N O 30º S 30º S c g rlin ade Da P A C Í F I C O erm A DIVISÓ DARL IN sa K IA RI Murray CADE G A Grande Baía Fos Australiana Murray KOSCIUSKO 2230 m Mar da Tasmânia V.2 000 m PROJEÇÃO DE ROBINSON . Tahiti G CO R A RA Is. Samoa RA Golfo de N 15º S Carpentária 15º S DE B Mar de Is. Bora Bora AR Corais RE Is.6 000 m . Palau Is. Marshall Is. Tabuaeran I. Manus L O I N A N Oceania . Gilbert P 0º EQUADOR 0º O I C M L I. Fiji IR A I. Nova D Is. Tuamotu Mar de Timor I.3 000 m escala referenciada ao Equador no Meridiano 0º (Greenwich) . Teraina I. Banks Arq.Físico N É É É S S Arquipélago S Bismark I A I A I A Mar de Solomão Is. RUAPEHU 2796 m O C E A N O Estreito de Bass Furneaux Group COOK Í N D I C O 3 754 m L I.7 000 m .1 000 m . Stewart 4 800 m 3 000 m Is.5 000 m . Marquises Estreito de Torres G Is. Salomão I. Tasmânia SU DO 45º S S 45º S PE AL Altitudes I.

Christimas (KIR) L 0º A EQUADOR 0º NAURU É K I R I B A T I N I Yaren Oceania .Político É S N S I Á S I A PAPUA ( I N D O N É S I A ) NOVA GUINÉ I A É ILHAS A SALOMÃO TUVALU Is. 1:40 000 000 fronteira 200 0 400 km internacional PROJEÇÃO DE ROBINSON escala referenciada ao Equador Continentes e regiões do mundo ferrovia no Meridiano 0º (Greenwich) rodovia rio 53 . Tahiti Suva (FRA) Port Hedland Tennant Creek Mackay TONGA Learmonth Nukualofa Alice Springs NOVA CALEDÔNIA TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO (FRA) Carnarvon AUSTRÁLIA Brisbane Geraldton 30º S Bourke 30º S Kalgoorlie Cook g r lin Da Perth Murray O C E A N O Sydney Albany Adelaide Murray Camberra P A C I F I C O M a r d a Auckland Melbourne Ta s m â n i a NOVA ZELÂNDIA O C E A N O I.Tokelau Is.ZEL) (NOV. Tasmânia Wellington Í N D I C O 45º S 45º S Dunedin Capital de país 120º E 135º E 150º E 165º E 180º 165º O 150º O 135º O Cidade principal ESCALA APROX. 120º E 135º E 150º E M 165º E 180º 165º O 150º O ILHAS I MARSHALL PALAU Ilhas Carolinas (Mic) C Uliga Koror FEDERAÇÃO DOS ESTADOS P M R DA MICRONÉSIA Palikir E O O L Bairiki N Kiritimati / Is.ZEL) Ilhas Port Moresby Honiara Marquises (FRA) I Darwin SAMOA A 15º S Apia 15º S Cairns VANUATU FIJI I. Cook S Fongafale (NOV. Bora Bora Porto (FRA) Broome Vila I.

4 000 m ÍND WILKES DE AMUNDSEN ÍNDICO P A C Í F I C O . 1:100 000 000 500 0 1 000 km PLANÍCIE ABISSAL WEDDELL PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA PLANÍCIE ABISSAL ENDERBY 60 60º O AMÉRICA ºE DO SUL O C E A N O 45 ºO ºE 45 ESCALA APROX.000 500 0 1000km ÁFRICA A T L Â N T I C O ºO 30 ºE 30 15º O 15º E 0º .Físico 30º N 165º E 180 º 165º O 40º N E 15 0º 0º 15 O 50º N E 13 Altitudes 5º 5º 13 O 4 800 m AUSTRÁLIA 3 000 m 1 800 m 12 DORSAL DO ÍND 60º N E 1 200 m 0º TICO 0º O ICO SUL ORIENTAL ANTÁR 12 ÍFICO .6 000 m PLANALTO AL 90º O MARIE BYRD 90º E AMERICANO .5 000 m DO TERRA Mar Bellingshausen .8 000 m O DE RONNE ANTÁRTIDA EAN Profundidades BANQUISA AN P FILCHNER TÁ EN RT . OC Is.7 000 m DORS PÓLO SUL BANQUISA .54 Continentes e regiões do mundo Polo Sul . Kerguelen TERRA RAINHA MAUD Mar de IC 75º E 75º O (FRA) Weddell A ESCALA APROX. 600 m AL PAC ANTÁRTIC DORS POLAR O 300 m ULO CO ÍRC 150 m L C TI TA IE N O C E A N O 0m R Mar de OR PÓLO SUL TÁ 105º 70º N E .3 000 m ICO BANQUISA GLACIAL TERRA DE PLANÍCIE ABISSAL DE ROSS .2 000 m AN SU TERRA DE VITÓRIA .000. 1:100.1 000 m O MAGNÉTICO Ross 105º OCEANO L .

2 000 m na AMÉRICA do Urso Is. Banks . h Profundidades Lagos ys Baffin Svalbard Irt Is. i Winnipeg Is. Islândia Noruega 60 ºO ºE 60 Zona de Fraturas Mar Mar Charlie .Lago GLACIAL Mar DESERTO DE GOBI .5 000 m Angara NORTE L.8 000 m Kara Grandes Hudson Baia de Arq.4 000 m do Escravo ÁRTICO Laptev .1 000 m 105º O M O N Mackenzie 70º N Lena 105º E Gde. 55 Continentes e regiões do mundo Polo Norte .3 000 m DO Gde. Groenlândia ESCALA APROX. Nova Ob M Zembla ON TE ASIA 75º E 75º O Mar de S UR I. da n T A N Nova Beaufort Sibéria .Físico 30º N 165º 180 º E 165º O 40º N 15 E 0º 0º O 15 O C E A N O P A C I F I C O TKA 50º N Altitudes 13 E HA 5º 5º U TA S C 13 ALE M 4 800 m O AS S AS KURIL KA SS F OS 3 000 m FO Mar de Bering 1 800 m Mar de 12 0º Golfo do 60º N Amur E 1 200 m O Okhotsk 0º Alasca 12 600 m n LO POLAR ÁRT 300 m CÍRCU ko ICO Yu Mar de I. Terra ipp PÓLO NORTE .7 000 m Baia sey PÓLO NORTE Mar Yenis de . 1:100 000 000 Mar da Barents AI S Groenlândia 500 0 1 000 km l ga Vo PROJEÇÃO ORTOGRÁFICA Mar da I.Gibbs do Báltico Norte EUROPA OCEANO R en Danú o bio ºO AT L Â N T I C O 45 45 ºE 30 ºO ºE 30 15º 15º O E 0º . Lago