You are on page 1of 14

1

0.0.1 Simulações computacionais

As principais coisas que serão analisadas neste trabalho são: a área da cultura
secundária que apresenta resistênci do tipo antibiose bem como sua distribuição espacial.
Realizaremos as seguintes simulações:
Simulação I: Dinâmica sem o consórcio de culturas
Como estamos interesados em saber os efeitos que a presença da cultura secundária
causa na densidade dos insetos, primeiro iremos analisar a dinâmica da espécie em um
domı́nio composto somente pela cultura principal.
Simulação II: Efeitos da área que a cultura com antibiose ocupa
Neste caso, a cultura secundária está disposta em torno do domı́nio principal,
iremos inserir de uma até seis fileiras desta cultura com o objetivo de comparar os efeitos
que a cultura secundária exerce sobre a densidade do inseto.
O domı́nio principal terá dimensões 40 x 40 sı́tios, mas quando inserirmos a cultura
com antibiose o domı́nio total assumirá dimensões que variam conforme o número de
fileiras da cultura secundária que serão introduzidas. Assim, as dimensões variam de 42
x 42 sı́tios (uma fileira) até 52 x 52 sı́tios (seis fileiras)
Na figura ?? estão ilustrados alguns destes casos
Neste capı́tulo, vamos descrever a dinâmica do inseto modelada via Redes de Mapas
Acoplados e considerar o domı́nio composto por duas culturas distintas: a principal e uma
secundária que apresenta resistência do tipo antibiose.
De acordo com o modelo que vamos estudar o parâmetro λx irá assumir valores
distintos que serão definidos pela cultura que está em cada sı́tio. Deste modo, λx é definido
como: 
 λ se x é um sı́tio da cultura principal
λk =
 λ se k é um sı́tio da cultura com antibiose.
x

A dinâmica será composto por duas fases distintas: a movimentação e a reação. A
etapa de movimentação é descrita por:

0 µX
hx,t = (1 − µ)hx,t + hy,t , (1)
4 y∈V
x

0
com, hx,t e hx,t sendo as densidades dos insetos na posição x = (i, j) antes e depois da
movimentação respectivamente, µ a fração de indivı́duos que abandona o sı́tio de origem

(3) P h̄tx t=1 x∈Ω com h̄tx sendo a densidade de pragas no sı́tio x = (i. usaremos o percentual de decrescimento da população após tk gerações.0. 0.t eλx −hx. onde as dimensões irão variar de acordo com a configuração que a cultura secundaria apresentar e para descrever a movimentação e reação dos indivı́duos usaremos as equações (1) e (2) respectivamente. (2) 0. maior será o valor de E.3 Simulações Para as simulações consideramos um domı́nio n x n. Para a etapa de reação temos a seguinte equação: 0 0 hx. htx representa a densidade das pragas no sı́tio x ∈ Ω e tempo t mas com o domı́nio composto pelas duas culturas e Ω é o domı́nio formado pelos sı́tios da cultura principal. quanto maior for a redução da população de pragas do caso homogêneo para o caso heterogêneo. Aqui estamos considerando que os indivı́duos se movimentam de maneira aleatória. Com este percentual sendo medido através da seguinte expressão: tk P tk P h̄tx − htx P P t=1 x∈Ω t=1 x∈Ω E= tk P .2 Eficiência Para medir a eficiência que cada arranjo teve na redução da população de pragas na cultura principal. Assim. Portanto. 2 e se dispersa para os quatro sı́tios vizinhos mais próximos (vizinhança de Neumann) e 1 − µ a fração de indivı́duos que permanece no sı́tio original. j) no tempo t considerando o domı́nio composto somente pela cultura principal. Consideramos o habitat com condições de fronteira reflexivas e 600 gerações em todas as simulações.t+1 = hx.t . não são influenciados por fatores como a densidade local dos indivı́duos. . o percentual de redução da população de insetos na cultura principal com a presença da cultura com antibiose é dado pelo valor E. ou seja.0.

num primeiro momento. 1 será fixo. uma pequena fração de insetos no sı́tio x0 = ( n2 . para a cultura com antibiose usaremos os parâmetros λx = 0. na cultura principal o parâmetro λ = 0. 01 e λx = −1. 7 − k). Para o caso em que a cultura com antibiose se encontra distribuı́da na forma de fileiras entre a cultura principal e os insetos apresentam movimentação aleatória ou dependente da densidade local lançamos. 6. onde k (k ∈ Z e 0 < k > 7) está relacionado com o número de fileiras da cultura com antibiose que serão inseridas em torno da cultura principal. . para as simulações com a cultura secundária disposta ao redor do domı́nio consideramos um pequena inoculação da espécie de insetos no sı́tio x0 = ( n2 . Para os demais sı́tios a densidade inicial é nula e também desconsideramos densi- dades de indivı́duos abaixo da ordem de 1010 . E a fração de indivı́duos que abandona cada sı́tio será representada por µ = 0. 1 e µ = 0. n2 ) e depois consideramos que os insetos estavam distribuı́dos de forma aleatória no domı́nio. Ainda. 3 Como condição inicial.

a densidade total de insetos assume valor máximo igual a 160.6 0. 1 e µ = 0. . Desta forma.4 Movimentação aleatória dos indivı́duos Neste tipo de movimentação a fração de indivı́duos que abandona o sı́tio não de- pende da densidade local de indivı́duos ou da cultura presente em cada sı́tio. como observamos na figura 2. Figura 1: Distribuição espacial dos indivı́duos na cultura principal para diferentes etapas de tempo. os indivı́duos se movimentam de forma aleatória sem apresentar preferência ou tendência de movimentação. A figura 1 representa as distribuições espaciais dos indivı́duos em diferentes etapas de tempo.0. 6. 1.0.5 Dinâmica sem o consórcio de culturas Vamos considerar o domı́nio composto somente pela cultura principal. (a) t = 50 (b) t = 100 (c) t = 600 Fonte: Elaborado pelo autor Após seiscentas geração podemos observar que cada um dos 1600 sı́tios do domı́nio composto somente pela cultura principal possui densidade máxima igual a 0. Na próxima simulação. consideramos que a fração de indivı́duos que abandona cada sı́tio é µ = 0. com os parâmetros λ = 0. Desta forma. 4 0.

6 Efeitos da área da cultura com antibiose § Resultados obtidos fixando o parâmetro λx = 0. considerando µ = 0. 1 e µ = 0. 1 e µ = 0. As figuras 3 e 4 mostram a distribuição espacial dos indivı́duos para as confi- gurações onde foram adicionadas de uma até seis fileiras da cultura secundária ao redor do domı́nio (dimensões 40 x 40 sı́tios). 01. 5 Figura 2: Densidade total de indivı́duos presentes na cultura principal. 6. 6 respectivamente e λx = 0. 01 e variando os parâmetros de movimentação µ = 0.0. . Fonte: Elaborado pelo autor 0.

(f) corresponde a 2 fileiras. 6 Figura 3: Distribuição espacial dos indivı́duos em diferentes etapas de tempo e para diferentes distribuições espaciais da cultura secundária ao redor do domı́nio.(o) corresponde a 5 fileiras.(i) corresponde a 3 fileiras.(l) corresponde a 4 fileiras. (d) . (m) . Parâmetros λx = 0. 01 e µ = 0. (j) .(c) corresponde a 1 fileira.(r) corresponde a 6 fileiras. (p) . (g) . (a) . 1 (a) t = 50 (b) t = 100 (c) t = 600 (d) t = 50 (e) t = 100 (f ) t = 600 (g) t = 50 (h) t = 100 (i) t = 600 (j) t = 50 (k) t = 100 (l) t = 600 (m) t = 50 (n) t = 100 (o) t = 600 (p) t = 50 (q) t = 100 (r) t = 600 Fonte: Elaborado pelo autor .

(r) corresponde a 6 fileiras. (j) .(c) corresponde a 1 fileira. (a) . 7 Figura 4: Distribuição espacial dos indivı́duos em diferentes etapas de tempo e para diferentes distribuições espaciais da cultura secundária ao redor do domı́nio. (m) . (d) .(i) corresponde a 3 fileiras.(l) corresponde a 4 fileiras.(o) corresponde a 5 fileiras. 01 e µ = 0. 6 (a) t = 50 (b) t = 100 (c) t = 600 (d) t = 50 (e) t = 100 (f ) t = 600 (g) t = 50 (h) t = 100 (i) t = 600 (j) t = 50 (k) t = 100 (l) t = 600 (m) t = 50 (n) t = 100 (o) t = 600 (p) t = 50 (q) t = 100 (r) t = 600 Fonte: Elaborado pelo autor . Parâmetros λx = 0. (g) .(f) corresponde a 2 fileiras. (p) .

6 Fonte: Elaborado pelo autor Para determinar os efeitos causados pelo aumento da área da cultura secundária com a inserção de uma até seis fileiras da mesma ao redor do domı́nio. 4 fileiras (tracejado médio). 2 fileiras (tracejado bem pequeno). . (a) µ = 0. domı́nio composto somente pela cultura principal (preto). como observamos na figura 5 que compara a densidade total de insetos presentes somente na cultura principal sem a presença da cultura secundária (em preto) com casos onde a cultura secundaria está presente na forma de listras em torno do domı́nio. 1 fileira (pontilhado). Esse fato ocorre pois a cultura secundária apresenta resistência do tipo antibiose e isto reduz o fator de crescimento dos indivı́duos. per- cebemos uma diferença na densidade dos insetos na cultora principal para a área da cultura secundária. Figura 5: População total de indivı́duos na cultura principal. 8 Através da distribuição espacial dos indivı́duos ilustrada nas figuras 3 e 4. 6 fileiras (tracejado bem grande). 5 fileiras (tracejado grande). Outro fator que reduz o crescimento dos insetos é o número de fileiras adicionadas em torno do domı́nio. utilizaremos o parâmetro γ que representa a fração da área da cultura secundária em relação a área da cultura principal. teremos um domı́nio total de dimensões 42 x 42 sı́tios. No caso onde inserimos uma fileira da cultura secundária ao redor do domı́nio com- posto somente pela cultura principal (de dimensões 40 x 40 sı́tios). 3 fileiras (tracejado pequeno). 1 (b) µ = 0.

observamos que para o parâmetro de movimentação µ = 0. Na figura 6 apresentamos o percentual de decrescimento da população E mencio- nado anteriormente. 1025. isto é. (a) µ = 0. obtemos k = 164. . uma fileira da cultura secundária inserida em torno do domı́nio composto somente pela cultura principal. 9 O número de sı́tios da cultura secundária é calculado pela expressão: k = 4l2 + 160l. Desta forma. para o caso l = 1. o que reduz sua densidade. 1 ocorre maior redução na densidade dos insetos quando comparado ao parâmetro µ = 0. ou seja. 6. Figura 6: Percentual de decrescimento da população para λx = 0. 6 Fonte: Elaborado pelo autor Analisando o percentual de decrescimento. 01. 1 (b) µ = 0. desta forma uma fração maior dos indivı́duos permanece na cultura com antibiose para µ = 0. este percentual é obtido para diferentes proporções da área da cultura secundária e considerando 600 gerações. 1 do que para µ = 0. Isto ocorre pois a fração de indivı́duos que deixa o sı́tio onde se encontra é menor. O domı́nio da cultura principal tem dimensões 40 x 40 sı́tios que correspondem a um total de 1600 sı́tios. 164 sı́tios são ocupados pela cultura secundária. 6. 164 γ= 1600 ≈ 0. Por exemplo. (4) onde l representa o número de fileiras da cultura secundária adicionadas em torno da cultura principal.

10 § Resultados obtidos fixando o parâmetro λx = −1 e variando os parâmetros de movimentação µ = 0. 01. 6 As figuras 7 e 8 mostram a distribuição dos indivı́duos em um domı́nio onde as dimensões variam de acordo com o número de fileiras da cultura secundária que são adicionadas em torno do domı́nio com a cultura principal. . Considerando µ = 0. 1 (figura 7). 6 (figura 8) e λx = 0. 1 e µ = 0. µ = 0.

(c) corresponde a 1 fileira.(l) corresponde a 4 fileiras.(o) corresponde a 5 fileiras. (p) . Parâmetros λx = −1 e µ = 0.(i) corresponde a 3 fileiras.(f) corresponde a 2 fileiras. (a) . (m) . 11 Figura 7: Distribuição espacial dos indivı́duos em diferentes etapas de tempo e para diferentes distribuições espaciais da cultura secundária ao redor do domı́nio.(r) corresponde a 6 fileiras. (j) . (d) . (g) . 1 (a) t = 50 (b) t = 100 (c) t = 600 (d) t = 50 (e) t = 100 (f ) t = 600 (g) t = 50 (h) t = 100 (i) t = 600 (j) t = 50 (k) t = 100 (l) t = 600 (m) t = 50 (n) t = 100 (o) t = 600 (p) t = 50 (q) t = 100 (r) t = 600 Fonte: Elaborado pelo autor .

(g) .(f) corresponde a 2 fileiras. (p) -(r) corresponde a 6 fileiras. (d) .(c) corresponde a 1 fileira.(l) corresponde a 4 fileiras. (j) .(i) corresponde a 3 fileiras. (m) . Parâmetros λx = −1 e µ = 0. 12 Figura 8: Distribuição espacial dos indivı́duos em diferentes etapas de tempo e para diferentes distribuições espaciais da cultura secundária ao redor do domı́nio. (a) .(o) corresponde a 5 fileiras. 6 (a) t = 50 (b) t = 100 (c) t = 600 (d) t = 50 (e) t = 100 (f ) t = 600 (g) t = 50 (h) t = 100 (i) t = 600 (j) t = 50 (k) t = 100 (l) t = 600 (m) t = 50 (n) t = 100 (o) t = 600 (p) t = 50 (q) t = 100 (r) t = 600 Fonte: Elaborado pelo autor .

domı́nio composto somente pela cultura principal (preto). Na figura 10 representamos o percentual de decrescimento E da população. (a) µ = 0. 6 Fonte: Elaborado pelo autor Figura 10: Percentual de decrescimento da população para λx = −1. Figura 9: População total de indivı́duos na cultura principal. 1 fileira (pontilhado). 13 A figura 9 compara a densidade total de insetos presentes somente na cultura prin- cipal sem a cultura secundária (de preto) com os demais casos onde a cultura secundária está presente e inserida ao redor da cultura principal. 5 fileiras (tracejado grande). 1 (b) µ = 0. 6 Fonte: Elaborado pelo autor . 4 fileiras (tracejado médio). (a) µ = 0. 3 fileiras (tracejado pequeno). 2 fileiras (tracejado bem pequeno). 6 fileiras (tracejado bem grande). 1 (b) µ = 0.

λx = −1 (preto) e (b) Parâmetros µ = 0. 1 apresenta um alto percentual de redução de insetos quando comparado ao parâmetro µ = 0. A figura 11 compara os resultados obtidos fixando µ = 0. 6 figura 11(b) e os parâmetros λx = 0. (a) Parâmetros µ = 0. 1 (b) µ = 0. 1. Por outro lado. 6 Fonte: Elaborado pelo autor . 6 os indivı́duos atingem a densidade de equilı́brio em cada sı́tio do domı́nio mais rapidamente quando comparada ao parâmetro µ = 0. Figura 11: Percentual de decrescimento da população. 01 (cinza). 01 λx = −1. λx = 0. está densidade atinge valores menores para o caso µ = 0. 6. λx = −1 (preto). 1 figura 11(a). para µ = 0. (a) µ = 0. 14 Percebemos que para o parâmetro de movimentação µ = 0. 01 (cinza). 6. Analisando o percentual de decrescimento. notamos que o parâmetro µ = 0. 1. 1. Este fato é justificado pois a fração de insetos. tanto que quando inserimos 5 e 6 fileiras da cultura secundária. que permanece na cultura com antibiose é maior. 1. µ = 0. λx = 0. observamos que os insetos vão pra extinção.