You are on page 1of 26

EMENTÁRIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA

MÓDULO EMPRESARIAL

1. Administração Financeira

Carga Horária: 80 horas

Ementa: Estudo da gestão financeira contextualização/interfaces com áreas da empresa.
Relações de Agência e suas implicações. Ferramentas de análise e gestão financeira. Análise
Dinâmica de balanços Ciclos de atividades, modelagem dinâmica do Capital de Giro,
Necessidade de Capital de Giro, Tesouraria. Administração dos Ativos da Empresa,
Administração do crédito mercantil, Administração de contas a receber, Administração de
estoques. Administração de Caixa.
Objetivos: Desenvolver no aluno, habilidades técnicas necessárias ao bom desempenho
profissional, no que diga respeito a realidade financeira das empresas, identificando esta
como um único sistema, resultado da integração das diversas áreas, na busca de um objetivo
comum.
Bibliografia Básica:
1. GITMAN, Lawrence J. Princípios de administração financeira. 12 ed. São Paulo:
Pearson Prentice Hall, 2010.
2. GROPPELLI, A. A.; NIKBAKHT, Ehsan. Administração financeira. 3. ed. São Paulo:
Saraiva, 2002
3. NETO, Alexandre Assaf. Fundamentos da Administração Financeira. São Paulo:
Atlas, 2010.
Bibliografia Complementar:
1. ASSAF NETO, Alexandre; CENTRO DE PESQUISAS EM FINANÇAS- CEPEFIN.
Finanças corporativas e valor. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2005.
2. MATIAS, Alberto Borges (Coord.). Finanças corporativas de longo prazo: criação de
valor com sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2007.
3. ROSS, Stephen A.; WESTERFIELD, Randolph W.; JAFFE, Jeffrey F. Administração
financeira. São Paulo: Atlas, 2011.
4. SOUZA, Alceu; CLEMENTE, Ademir. Decisões financeiras e análise de
investimentos: fundamentos, técnicas e aplicações. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
5. WESTON, J. Fred; BRIGHAM, Eugene F. Fundamentos da administração financeira.
10. ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

2. Comportamento Humano nas Organizações

Carga Horária: 40 horas
Ementa: Apresentar aos alumos uma visão ampliada da estratégia empresarial direcionando-
a a logística. Identificar as principais ferramentos do desenvolvimento de um plano estratégico
atrelado a logística.
Objetivos: Compreender o conceito de práticas da gestão estratégica, aplicada a logística,
por meio da compreensão da logística na gestão da cadeia de suprimentos, na estratégia de
gestão mercadológica e na estratégia de compra e produção.
Bibliografia Básica:
1. FLEURY, Maria Tereza Leme; FISCHER, Rosa Maria (Org.). Cultura e poder nas
organizações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.170 p. (10)
2. ROBBINS, Stephen Paul. Fundamentos do comportamento organizacional. 8 ed.
São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011. 316 p. (16)
3. SCHERMERHORN JR., Jhon R.; HUNT, James G.; OSBORN, Richard N.
Fundamentos do comportamento organizacional. 2. ed. Porto Alegre, RS:
Bookman, 2005. 328 p. (10)
Bibliografia Complementar:
1. BERGAMINI, Cecília Whitaker. Motivação nas organizações. 5. ed. São Paulo: Atlas,
2008. 235 p. ( 10)
2. BOWDITCH, James L.; BUONO, Anthony F. Elementos de comportamento
organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. 305 p. (Biblioteca
Pioneira de Administração e negócios) ( 8)
3. CHIAVENATO, Idalberto. Comportamento organizacional: a dinâmica do sucesso
das organizações. 2. ed. Rio de Janeiro:Campus Elsevier, 2010. 539 p. ( 8)
4. LIMONGI-FRANÇA, Ana Cristina. (Org.). As pessoas na organização. São Paulo:
Gente, 2002. 306 p. ( 5)
5. MOSCOVICI, Fela. Equipes dão certo: a multiplicação do talento humano. 7. ed. Rio
de Janeiro: Olympio, 2002. 240 p. (Col. Adm e Negócios) ( 5)

3. Comunicação Empresarial

Carga Horária: 80 horas
Ementa: Técnicas de leitura, interpretação e produção de textos, expressão oral e
apresentação de trabalhos acadêmicos, argumentação científica. Textos técnicos, crônicas,
poesias, artigos empresariais, os erros mais comuns de português.Língua Portuguesa;
Elaboração de textos técnicos relativos ao ambiente empresarial tais como ofícios, cartas
comerciais, memorandos, resenhas, resumos, currículos, utilização de tecnologías modernas
etc.

reimpr. Peter. 5 ed. Othon M. São Paulo: Atlas. (Ronal Brian). 2011. Kebler Fossati. ed. Compreensão e produção de textos. Porto Alegre. para atingir resultados diversos e garantir o exercício da profissão e da cidadania. 142 p. Luiz Marques de. MANDRYK. ADLER. 5. São Paulo. ed. 9. ed. Agostinho Dias. Aprenda análise sintática. ed. GARCIA. ADLER. (Ronal Brian). Rio de Janeiro: FGV. ed. Redação em construção: a escritura do texto. Vanda Maria. 1 ed. São Paulo: Saraiva. Osmar. Márcia Angélica dos. SP: Contexto. RODMAN. SANTOS. 6. WANKE. São Paulo: Atlas. 2. Paulo Fernando. David. (5) 2. 3. SOUZA. (12) 3. 7. por meio da compreensão da logística na gestão da cadeia de suprimentos. São Paulo: Moderna. CARNEIRO. 2003. Petrópolis: Vozes. Comunicação em prosa moderna. 2006. ELIAS. (10) Bibliografia Complementar: 1. na estratégia de distribuição mercadológica e na estratégia de compra e produção. (5) 4. Ler e compreender: os sentidos do texto . 3. Ronald B. FARACO. Ingedore Grunfeld Villaça. CARVALHO. ed. 540 p. 8. (5) 5. Objetivos: Compreender o conceito de práticas da gestão estratégica. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos/Logística empresarial. Comunicação humana. Rio de Janeiro: LTC. 2002.(15) 4. BOLLOU. 2002 Bibliografia Complementar: .(8) 3. FIGUEIREDO. WEIL. Tourne. George. 2003 (15) 2. CORONADO. aplicada a logística. 2001. Petrópolis: Vozes. ed. Logística Integrada: modelo de gestão. ed. KOCH. Bibliografia Básica: 1. RS: Bookman. 2011 2. FLEURY. 7. Língua portuguesa: prática de redação para estudantes universitários. Estratégia Empresarial em Logística Carga Horária: 40 horas Ementa: Apresentar aos alumos uma visão ampliada da estratégia empresarial direcionando- a a logística. 2003. Carlos Alberto. 2002. Ronald H. 2002. Comunicação interpessoal. 22. Bibliografia Básica: 1. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: LTC. Sérgio Waldeck de.Objetivos: Propiciar ao aluno utilizar a língua portuguesa como interação social. Identificar as principais ferramentos do desenvolvimento de um plano estratégico atrelado a logística. Ronald B.

São Paulo: Atlas.J. Manual de gestão empresarial. Petrônio Garcia. A. . 5.) Paranaguá: século XXI: um salto para o futuro. DORNIER. Ética no empreendedorismo. Paulo Renato Campos. P. Logística e Operações Globais: Textos e casos. Francisco. 3. São Paulo: Atlas. Construção da visão de negócio. 2. São Paulo: Infinito. João Benjamin. F. Empresários do futuro: como os jovens vão conquistar o mundo dos negócios. 2ed. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. 1993. FEUDER. 3.) (Ed. TACHIZAWA. 2000. 2002. Metas e objetivos na ação empreendedora. VASCONCELOS. Rio de Janeiro: Arte América. Hamilton. Administração para o futuro: os anos 90 e a virado do século. 2000. Sérgio. Bibliografia Complementar: 1. Objetivos: Compreender a gestão de negócios e o empreendedorismo. 2006. DORNELAS. 2006. 204p. 2002. José C. 2000.Campus. Gestão de negócios: visões e dimensões empresariais da organização. R. Construção da rede de relações. M. 4. Takeshy. 4. ROCHA. 1ed. 2. 2011. São Paulo: Cultura. Inovação e espírito empreendedor: enterpreneurship. TREVISAN. 6 ed. São Paulo: Atlas. Análise de indicadores socioeconômicos da região. 3. DOLABELA. Michel. Elaboração e apresentação de um plano de negócio simplificado. CORTES. São Paulo: Pioneira. Empreendedorismo e Estratégia. O segredo de Luiza. P. ALT. DRUCKER. Bibliografia Básica: 1. Osmar. 5. BULGACOV. 2002. Antônio de Oliveira. CORONADO. São Pulo: Atlas. 1. Administração de Materiais e recursos patrimoniais. Ricardo. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. Rio de Janeiro: Campus. POZO. MARTINS. HARVARD BUSINESS REVIEW. São Paulo: Atlas. 2010. oferecendo ao aluno a noção do mercado de trabalho e de suas necessidades atuais. 5. 3.reimpr. CRUZ JR. Logística integrada: modelo de gestão. 1999. Gilberto Menezes (Org. São Paulo: Pioneira. Gestão do Negócio e Empreendedorismo Carga Horária: 40 horas Ementa: Nova realidade do mundo de trabalho. Philippe-Pierre. ERNST. 3 ed.2001. São Paulo: Atlas. 2. Empreendedorismo e o empreendedor: conceitos e definições. Perfil do empreendedor e autoavaliação. Análise de mercado. DRUCKER.

Normas para apresentação de trabalhos científicos. SANTOS. 2. MATOS. Curitiba: Unidade. Método científico: os caminhos da investigação. 2010. Belo Horizonte: UFMG. P. 6. 2010. Projeto de Pesquisa: fases e delineamento. L. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA. FRANÇA. LEHFELD. 2001. de. F. Metodologia da pesquisa científica. 7.. N. L. A criação científica.. Noções do código de defesa do consumidor. Mara Eli de. 1993. 1985. Sociedades comerciais e títulos de crédito. de S. 1998. A. SEVERINO. A. normas. 2005. São Paulo: Makron Book. 3. T. Norma Jurídica. Bibliografia Básica: 1. Fundamentos do direito comercial. Manual para Normatização de Publicações técnico-científicas. OLIVEIRA. Trabalho de Metodologia Científica. 1998. Metodologia Científica Carga Horária: 40 horas Ementa: Estudo de fundamentos. J. 3. Trabalhos acadêmicos: organização. Biblioteca Central. Biblioteca Central. J. A. Normas técnicas (ABNT). Manual de Normatização Bibliográfica para Trabalhos Científicos. Fontes do direito. MOLES. S. A. São Paulo: Cortez. Curitiba: Juruá. R. MARCANTONIO. Elaboração e Divulgação do Trabalho Científico. 3. São Paulo: Perspectiva. Fundamentos do direito empresarial. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. São Paulo: Pioneira. CERVO. métodos e técnicas de pesquisa científica. M. 8. Bibliografia Complementar: 1. l. Ponta Grossa: UEPG. Objetivos: Propiciar os conhecimentos das normas para elaboração de trabalhos acadêmicos. Direito Empresarial e Tributário Carga Horária: 40 horas Ementa: Noções preliminares de Direito empresarial. princípios. A Metodologia Científica. COSTA. São Paulo: Atlas. Metodologia do Trabalho Científico. B. São Paulo: Harbra. MARTINS. 1995. 2000. Metodologia científica: como tornar mais agradável a elaboração de trabalhos acadêmicos. Dos. A.. ed. Referenciação de obras.6. BERVIAN. formas de redação e comunicação. S. 5. 2. 4. A. Curitiba: UFPR. 1996. A. Responsabilidade . 7.

2009. Legislação tributária. Objetivos: Esta disciplina objetiva compreender o significado de ética. Láudio Camargo. E atual. 2007. Elaboração da significação social do profissional de logística e das características éticas necessárias ao exercício da profissão. 2003.pelo produto e serviço. A. et. CHAVES. NEGRÃO. CASSONE. 2011. 3. 2011. Wilson Alberto Zappa. Novo código civil: especial para contadores – Livro II – Do direito de empresa. 2003. Bibliografia Básica: . Objetivos: Instrumentalizar teoricamente o estudante para o desenvolvimento de uma visão fundamentada no Direito Empresarial e Tributário Bibliografia Básica: 1. São Paulo: Atlas. Contabilidade tributária na prática. moral e ética profissional. BRASIL. YHOOG. Contabilidade Tributária. Manual do Direito Público e privado. Édis. São Paulo: Saraiva. 2. 18 ed. 22 ed. Ricardo. E atual. Maria de Fátima Gameiro da. Bibliografia Complementar: 1. DOMINGUES. Leonor M.). 2011. Rev. José Ernani de Carvalho. 40 ed. Manual dos procedimentos de constituição e legalização de uma sociedade empresária. Regulamentos e regimes aduaneiros. Direito Empresarial: estudo unificado. Revis. moral e ética profissional. MMILARÉ. Situar ética com ciência que possui um campo próprio e objeto de estudo delimitado e definido. Nereu Ribeiro. Vittorio. relacionando-as com o código de ética de profissões correlatas (Administrador. 4. São Paulo: Saraiva. Érika Gadêlha. As questões étnicas e raciais no Brasil. 3. Francisco Coutinho. FUHRER. doutrina prática e jurisprudências. Guia Prático do direito empresarial no novo código civil: aspectos legais. São Paulo: Atlas. 2010. São Paulo. Ética e Cidadania Carga Horária: 40 horas Ementa: Definição teórico-conceitual de ética. 8. Curitiba: Juruá. definição de tributos e suas espécies. 2. 3ed. COSTA. Curitiba: CRC/PR. MUNIZ.al. PACHECO. 11 ed. modelos e formulários. Rev. conceito e classificação dos impostos. Maximilianus C. Acordo de cooperação aduaneira. Contabilista. FABRETTI. Prado. Legisla ção tributária básica do Paraná. Código Tributário Nacional e Constituição Federal. refletindo sobre o papel do profissional de logística. 6. São Paulo: Revista dos Tribunais. Psicologo.. Direito Tributário: fundamentos constitucionais da tributação. 2011. 5. etc. ALMEIDA. Maringá: UNICORPORE. C.

316p. 2009. CAEIRO. ed. (12) . HABERMAS. 254p. 6. 1. 5. Curitiba: Juruá. Rev. ALONSO. 25ed. GRANIOZO LÓPEZ. Ética. Félix Ruiz. Gestão de Armazenamento e Transporte Carga Horária: 80 horas Ementa: Moderno conceito de Supply Chain. 2003. 151p. EL FASI. 3. Riod e Janeiro: Tempo universitário. ARNOLD. 4. 1. Armazenagem e distribuição física. São Paulo: Atlas. 302p. Ética e responsabilidade social empresarial. movimentação e armazenagem de materiais. MARCONI. Estrutura de controle de processos. Brasília: UNESCO. São Paulo: Atlas. Olinto A. SANCHEZ VÁZQUEZ. Antonio de Castro (tradutor). 2010. 2ed. Consciência moral e agir comunicativo. 505 p. 2012. Objetivos: Formar e aperfeiçoar profissionais quanto à solução dos problemas de compras. Logística integrada: modelo de gestão. CASTRUCCI. Mohammed. MÓDULO DISTRIBUIÇÃO 9. Lenita R. 2ed. São Paulo: Atlas. PRESOTTO. 3. 2012. E ampliada. CORONADO. RIMOLI. 1Ed. Metodologia de um Plano de Transportes. Marina de Andrade. Plínio. 2004. Rev. Zelia Maria Neves. (9) 2. ESTEVES. Adolfo. Compras. ed. reimpr. 2ed. Osmar. 2010. PEGORARO. 236p. Osmar. Ética e justiça. Francisco. 1. Petrópolis: Vozes. Celso Augusto. ARISTOTELES. jüRGEN. São Paulo: Atlas. Introdução ao Planejamento de Transportes. São Paulo:Atlas. Tony. Antonio Lopes de. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. Ética profissional. Processamento de pedidos. 312p. Curso de ética em administração. Antropologia: uma introdução. 2. 1998. 2. Distribuição de bens de consumo. Equipamentos de movimentação e armazenagem. 2011. História Geral África III: África do século VII ao XI. 9ed. 4ed. oferecendo alternativas para os futuros e atuais profissionais encontrarem caminhos e soluções para os seus problemas operacionais. SÁ. São Paulo: Atlas. R. Sistema e subsistemas logísticos e de armazéns: técnicas de movimentação e armazenagem de materiais. Bibliografia Básica: 1. 2012. PONCHIROLLI. J. 2002. 217 p. 3. Ética a Nicômaco. 280p. Administração de materiais: uma introdução. Bibliografia Complementar: 1.

Amostragem e distribuição amostral. Medidas de Curtose. 4. CHRISTOPHER. Rio de Janeiro: Campus. 332 p. (15) Bibliografia Complementar: 1. Probabilidades. distribuição e trade marketing. Distribuição de Frequência. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. DIAS. Medidas de Assimetria. Bibliografia Básica: . (5) 8. as tomadas de decisão dentro da área de Logística. Teses de hipóteses. 4. Logística: armazenagem. Peter. ed. CHIAVENATO. Administração de materiais: edição compacta. WANKE. Gestão de Estoques na cadeia de suprimentos: Decisões e Modelos Quantitativos. São Paulo: Atlas. Medidas de Dispersão ou de Variabilidade. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada . ed. (2) 4. 4. São Paulo: Atlas. POZO. 2005. Medidas de Posição. (8) 4. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. Campinas: Alínea. Distribuição Binominal. 519p. 2010. São Paulo: Atlas. Probabilidade. 2011. São Paulo: Pearson / Pratice Hall.(2) 3. Gestão da cadeia de suprimentos: estratégia. 2011. Estimativa de parâmetros estatísticos. Objetivos: Capacitar o estudante para coletar e interpretar dados de forma sistematizada e imprimir credibilidade a análises quantitativas dos fenômenos da realidade investigada. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias para a redução de custos e melhoria dos serviços. José Vicente Caixeta – Martins. (X) 6. CHRISTOPHER. auxiliando. São Paulo: Atlas. ed. População e Amostra. Administração de materiais: uma abordagem introdutória. Idalberto. (7) 2. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. 1997.(3) 10. HARA. Hamilton. Ricardo Silveira (organizadores) – Gestão Logística de Transportes de Cargas. assim. Martin. Estatística descritiva. Sunil. Hong Yuk. Martin. ed. Representação Gráfica. (2) 7. Estimação de parâmetros. 2005. Marco Aurélio P. Principais distribuições discretas e contínuas. CHOPRA. Séries Estatísticas. Distribuições amostrais. CHING. 2011. 1ª Edição – São Paulo – Editora Atlas – 2010. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. (5) 5. 2. Variáveis Aleatórias. Celso Minoru. 2002. Testes de Hipóteses. planejamento e operações. 289 p. Estatística Carga Horária: 80 horas Ementa: Conceitos Fundamentais. FILHO. 3. 1997.Supply chain.

Estatística fácil. 3. Jairo Simon da. São Paulo: Atlas. FONSECA. Rio de Janeiro: LTC. 6. 240p. Bibliografia Complementar: 1. CRESPO. Estatística Geral. ed. Giseppe. Estatística aplicada. vii. SPIEGEL. ed. Estatística básica. 2004. Estatística geral. BRUNI. 10. São Paulo: Saraiva. 4. Adriano Leal. São Paulo: Saraiva. Estatística. Jorge Castellá. KAZMIER. ANGELINE. 2. RS: Artmed. custos tributários. 7. FONSECA. Custos de tecnologia da informação. 11. Francesc. Flávio. São Paulo: Atlas. 3 ed. 1. São Paulo: McGraw-Hill. MARTINS. Bibliografia Básica: 1. CRESPO. 5. MARTINS. 1993. custo de manutenção e inventário. 15. Processos logísticos. custos decorrentes de níveis de serviços. Antonio Arnot. MARTÍNEZ. Custos de embalagens. 2004. Objetivos: Formar profissionais aptos a compreender a importância do gerenciamento de custos logísticos para as finanças e para a competitividade da empresa. 2011. Apuração do custo logístico total. Introdução à estatística: enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Ivo Izidoro. 10 ed. 2 Ed. I e II. 643 p. FONSECA. São Paulo: Atlas. 2009. 1996. Murray R. ed. Flávio. conceituação. Jairo Simon da. 376 p. Geraldo Luciano e OVALLE. 2011. Antonio Arnot. TOLEDO. Estatística Fácil. 2. Guiseppe e ANGELINI. 2004. 1999. São Paulo: Makron Books. Gilberto de Andrade. Vol. Curso de estatística. 8. São Paulo: Atlas. Gestão econômico-financeira da logística. São Paulo: Atlas. Gestão de Custos Logísticos Carga Horária: 80 horas Ementa: Evolução Histórica. Fabiano Simões. 1991. Mario F. Estatística Aplicada a Economia e Administração. (X) 9. 1982. TRIOLA. Porto Alegre. SARRIERA. São Paulo: Mcgraw-Hill. 3. 1995. (10) . Custos de armazenagem e movimentação. 398 p. COELHO. Formação estratégica de precificação: como maximizar o resultado das empresas . Estatística aplicada à gestão empresarial. Rafael. São Paulo: Atlas. KAZMIER. 1997. Custos decorrentes de lotes. Estatística aplicada à administração e a economia. Introdução à estatística. 2. MILONE. BISQUERRA. 3. 696p. 1993. LEONARD J. São Paulo: Atlas. 256 p. Gilberto de Andrade. Leonard J.

5 ed.São Paulo: Atlas. 2001. Luciana. Luiz Eurico de. 2012. Gestão de custos: aplicações operacionais e estratégicas: exercícios resolvidos e propostos com utilização do Excel. 2006. 3. 2ed. (3) 5. Martin.Supply chain. Hong Yuk. KULPA. ed. Gestão estratégica de custos. RS: Bookman. Alexy. ed. 1998. São Paulo: Atlas.(10) 3. balanced scorecard (BSC). COSTA. PERES JÚNIOR. DUBOIS. CLEMENTE. Maria de Fátima Gameiro da. Hong Yuh. FARIA. 2. técnicas e características básicas. 2011 Bibliografia Complementar: 1. (12) Bibliografia Complementar: 1. CHING. Bibliografia Básica: 1. Objetivos: Formar profissionais aptos a compreender a dinâmica que envolve a gestão de estoques e o impacto que os estoques podem ter nos custos empresariais. CHING. São Paulo: Atlas. Logística Integrada: modelo de gestão. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada . Rogério Guedes. 1 ed. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos/Logística empresarial. São Paulo: Atlas. BOLLOU. Gestão de custos e formação de preços: conceitos. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada: Supply Chain. 3. Porto Alegre. 3 ed. Gestão de custos logísticos: custeio baseado em atividades (ABC). Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias para a redução de custos e melhoria dos serviços. Ronald H. OLIVEIRA. Osmar. Luís Martins de. CHRISTOPHER. Cadeia de suprimento. 2011. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada. 2. ed. Ademir. São Paulo: Atlas. São Paulo: Atlas. Ana Cristina de. valor econômico agregado (EVA) . Gestão de Estoques Carga Horária: 40 horas Ementa: Conceitos.(3) 3.(6) 2. 254 p. 2009. 1. CHING. São Paulo: Atlas. CORONADO.(2) 4. Gestão de estoque na cadeia de logística integrada. SOUZA. José Hernandez. 2. 431 p. Hong Yuh. ed. modelos e instrumentos: abordagem e giro e da margem de competitividade. 2001. 2010 .(2) 12. Engenharia econômica e análise de custos. São Paulo: Atlas. COSTA. Politica de estoque na cadeia de suprimentos. Henrique. 2. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. 2003. Atividades práticas. Alceu. SOUZA. HIRSCHFELD. 1997. São Paulo: Atlas.

Sunil. 1. A mágica do marketing: atravessando as paredes. WANKE. 13. Philip. operações. Philip. FIGUEIREDO. São Paulo: Atlas. CHOPRA. Objetivos: Formar profissionais aptos a compreender a dinâmica dos mercados interno e externo para melhor gerenciar os canais de distribuição empresariais. Peter. Gestão de Estoques na cadeia de suprimentos: Decisões e Modelos Quantitativos. KARTAJAYA. Erin. Hermawan.10) 5. Celso Minoru. implementação e controle. TAVARES. 2009. SP: Atlas. São Paulo: Atlas. ed. Logística: armazenagem. 1995. Canais de Marketing. 528 p. ed. Canais de Marketing. 1. HARA. ed. Adelli El Ansary T. LOUIS W. Peter. 4 ed.. Planejamentos. WANKE. planejamento e aplicações à realidade brasileira. São Paulo: Navegar. FLEURY. Philip. 8. Sérgio. Campinas: Alínea. Comportamento do consumidor. 385 p. KOTLER. Iwan. Marketing: conceitos. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. (10) 2. MEINDL. (11) 2. 5. casos . Administração de marketing: conceitos. 2011. 2012. São Paulo:Pearson. 2005. KOTLER. ed. STERN. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias para a redução de custos e melhoria dos serviços. LAS CASAS. SETIAWAN. planejamento. COUGHLAN. Peter. (10) Bibliografia Complementar: 1. Alexandre Luzzi. São Paulo: Atlas. Marketing 3. KOTLER. 2011. 5. (10) 3. com grandes influências nas variáveis que circundam o ambiente micro e macro das organizações. Gestão da Cadeia de Suprimentos: Estratégias. 138 p (. exercicios. Trade marketing: estratégias e práticas para o ponto de venda . 1997. Marketing e Canais de Distribuição Carga Horária: 40 horas Ementa: Conceitos básicos de marketing.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Administração de marketing: análise. CHRISTOPHER. Alexandre Luzzi. Bibliografia Básica: 1. Administração de marketing: a edição do novo milênio. LAS CASAS.(5) 3. 200 4. distribuição e trade marketing. São Paulo: Atlas. 2009. 10. (2) . ANDERSON. São Paulo: Prentice Hall. Kebler Fossati. Rio de Janeiro: Elsevier. 3. São Paulo: PEARSON. ed. 2011. 6. 2010. Clóvis. SIMONETTI. 2. Martin. Anne. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. 2000. Estratégias de mercados. Funções dos canais de Marketing.(7) 4. São Paulo. Curitiba: Juruá. Paulo Fernando.

M. (1996). Objetivos: A disciplina tem como finalidade proporcionar conhecimentos técnicos básicos sobre a infraestrutura de vias urbanas e a mobilidade urbana em transporte. 1978. VASCONCELLOS. 108 p. Política Nacional de Mobilidade Urbana – Lei 12. 2. 500. C. RIBEIRO. Rio de Janeiro: Mauad Editora Ltda. G. 3. São Paulo: Annablume. 15. Márcia Valle. Editora Interciência. J. 2. Cláudia do Valle. Transporte urbano. B. Filippo.. 2000. S.. V. E. D'AGOSTO. Goudard. Transporte urbano nos países em desenvolvimento: reflexões e propostas.. Mobilidade Urbana Carga Horária: 40 horas Ementa: Fundamentos de infraestrutura e mobilidade urbana. mobilidade de pessoas portadoras de necessidades especiais e de transporte não motorizado. A. A. Suzana Kahn. FOGLIATTI. C. 5. COSTA. Bicicletas e ciclovias. São Paulo. espaço e equidade. G. 2012. Editoras Unidas. SALGADO. Editora Interciência. REAL. e Cruz. Indicadores de ecoeficiência e o transporte de gás natural. DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO – DENATRAN. Ferro. 4. M. concentrando-se em temas voltados para conceitos básicos de mobilidade urbana. Transporte e mudanças climáticas. E.14. Bibliografia Básica: 1. Campos. 2008. I. M. VASCONCELLOS. L. Modos de Transportes. v. Manual de procedimentos para o tratamento de polos geradores de tráfego. Sinay. 2001. Composição do sistema viário urbano de acordo com o Plano Diretor das cidades. B. Eduardo Gonçalves. Brasília.587/2012 3. 2000. 6. (2004). Transporte público urbano e trânsito. A. VASCONCELLOS. DAVID. Malha viária urbana no contexto do sistema de transportes. Avaliação de impactos ambientais: aplicação aos Sistemas de Transporte. Rio de Janeiro: SENAC Editoras. Indicadores para a Mobilidade Urbana Sustentável. Plano municipal de mobilidade urbana e transporte integrado de Curitiba. A evolução dos transportes no Brasil.. 7. Mobilidade urbana e cidadania. IBGE/IPEA. Planejamento de Materiais . FOGLIATTI.A. Bibliografia Complementar: 1. Sistema de gestão ambiental para empresas: aplicação aos sistemas de transportes. Editora Interciência. E. Márcio de Almeida. C. 2007. Rio de Janeiro. BARAT. V. 4.

ESTEVES. 2005. Paulino G. FRANCISCHINI. ALT. Petrônio Garcia. 2002. ed. Objetivos: Esclarecer a importância e o papel central do planejamento de materiais na estratégia logística e empresarial. o consumidor on-line. Rio de Janeiro: Campus. empresas e seus sistemas produtivos. 2002. os sistemas produtivos. São Paulo: Saraiva. Administração de materiais e recursos patrimoniais. formatos. ed. Administração de materiais. Administração de materiais: uma introdução. Conhecer as ferramentas competitivas frente a globalização. Marco Aurélio P. cenários econômicos.Carga Horária: 40 horas Ementa: Evolução histórica das organizações. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. em termos econômicos e mercadológicos. benefícios estratégicos e contribuições para o sucesso das organizações. (5) 6. modelo integrado de Comércio Eletrônico e da sua importância para o ambiente empresarial enfatizando aspectos como: valor. (3) MÓDULO QUALIDADE 16. (15) 3. São Paulo: Atlas. rede de suprimento. 2002. (2) 3. (4) 2. David J. CHIAVENATO. Administração de materiais: princípios. (15) Bibliografia Complementar: 1. RIMOLI. J. conceitos e gestão. Celso Augusto. 2003. São Paulo: Atlas.. Paulo Sérgio. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Atlas. . As aplicações da tecnologia da informação na logística. VIANA. São Paulo: Pioneira Thomson. GURGEL. Idalberto. Proporcionar de satisfação das necessidades do cliente interno e externo por meio da otimização dos recursos materiais amparados pelo emprego das melhores formas de gestão. POZO. o mercado eletrônico brasileiro. ARNOLD. João José. ed. São Paulo: Atlas. 2005. R. Donald J. 2012. administração de materiais. 1. Administração de materiais: uma abordagem introdutória. Conceituação de comércio eletrônico. 5. Tony. Hamilton. Paulo Renato Campos. DIAS. Floriano do Amaral. 2. (2) 4. Lenita R. MARTINS. previsão de demanda. Administração de materiais e do patrimônio. (4) 5. CLOSS. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. Cenários Tecnológicos e Comércio Eletrônico Carga Horária: 80 horas Ementa: Conceituação de cenários tecnológicos. Rio de Janeiro: Elsevier. Bibliografia Básica: 1. São Paulo: Atlas. BOWERSOX. ferramentas utilizadas na administração e planejamento de materiais. (9 + 3) 2. 2001. GONÇALVES. 2004.

RFID. (8) 7. Alberto Luiz. 3 ed. 3. 285 p. APS. Comércio Eletrônico: Modelo. 2004. 9. Administração de informática: funções e fatores críticos de sucesso. ed. MOURA. 6. SILBERSCHATZ. Sistemas de informação: um enfoque gerencial. proporcionando a visão da Tecnologia da Informação usadas na logística e seus impactos nos sistemas organizacionais (ERP. 2010. orientar o comércio eletrônico para o modelo integrado com o ambiente empresarial. S. KORTH. Djalma de Pinho Rebouças de. ALBERTIN. ed. 2002. BIO. 3. SUDARSHAN. Sistemas de informações gerenciais: estratégicas. 2002 5. WMS. 2005. Comércio Eletrônico: Modelo. SALGARELLI. SRO e SISENEM). São Paulo: ICONE LV. São Paulo: Saraiva. 2010. O'BRIEN. O'BRIEN.(16) . Alberto Luiz. São Paulo: Atlas. e dotá-lo de ferramentas para analisar as vantagens e desvantagens do comércio eletrônico. São Paulo: Atlas. Rosa Maria de (Colab. Sistemas de informação: e as decisões gerenciais na era da internet. tecnologia e sistemas de informação na administração de empresas. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. Comércio eletrônico: estratégia e gestão. James A. 2. Sistema de banco de dados. 2008. São Paulo: Atlas. ALBERTIN. Bibliografia Básica: 1. São Paulo: Makron Books. e conhecimento em lucro. (5) 10. Aspectos e Contribuições de sua Aplicação. 2004. Sistemas de informação: e as decisões gerenciais na era da internet. 2010. 2008. LIAUTAUD. James A. táticas. TURBAN. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora Ltda. São Paulo: Atlas. 6. 2010. Ralph M. 2010. Alberto Luiz. Kelly Cristina. FRANCO JÚNIOR. São Paulo: Atlas. Carlos F. Sérgio Rodrigues.. São Paulo: Prentice Hall. ALBERTIN. 4. Alberto Luiz. ed. 2004 2. Efraim.Objetivos: Preparar os alunos para atuarem com o SIG . Henrique L. 3 ed. Henry F. 3 ed. Abraham. 202 p. 2 ed. Gestão de Rede de Suprimentos. Rio de Janeiro: Qualitymark. Comércio Eletrônico: Modelo aspectos e contribuições de sua aplicação. ALBERTIN. MRP. (8) Bibliografia Complementar: 1. E-business: internet. 778 p. São Paulo: Atlas. 2010. São Paulo: Atlas. Aspectos e Contribuições de sua Aplicação. Inteligência em e-business: transformando informações em conhecimento. David. (8) 5. 2010. São Paulo: Atlas. STAIR. 3.Sistemas de informações gerenciais. KING. São Paulo: Saraiva. operacionais. Bernard.(10) 4.(4) 8. OLIVEIRA. por meio da apresentação dos formatos e mercados brasileiro.). Direito do consumidor no comércio eletrônico: uma abordagem sobre confiança e boa fé. CORREA. (11) 9.

2. 2011. 2010. conceito. SEIFFERT. 3. de forma a capacitá-los para tomar as decisões mais adequadas no ambiente empresarial. MEURS. São Paulo: Atlas. Manual de Prevenção de Acidentes do Trabalho: Aspectos Técnicos e Legais. HARVARD BUSINESS REVIEW. e-Book Gestão da Cadeia de Suprimentos. James A. Mari Elizabete. 2009. CORREA. ferramentas para o controle da qualidade. Bibliografia Complementar: 1. São Paulo:Editora Elsevier.enfrentamento e prevenção. José Aldo Peixoto. 2011. 2. 2011 17. Fundamentos de Supply Chain Carga Horária: 80 horas Ementa: Conceito de Supply Chain Managment. Antonio Nunes Barbosa. 18. problemas e soluções. Objetivos: Preparar os alunos para terem a visão holística da cadeia logística bem como do transporte de materiais e produtos acabados. Gestão da Qualidade: Conceitos e técnicas. São Paulo: Atlas. sistema de gestão da qualidade ISO 9001. princípios da gestão da qualidade. Armazenagem e distribuição física.)). São Paulo: Atlas. modelos de gestão. Ana Maria. ROSSI. Atlas. Atlas. PERREWÉ. 4. FILHO. normas regulamentadoras. AYRES. 5. 2011. Dennis de Oliveira. a evolução do conceito e da prática da qualidade. Objetivos: Proporcionar o desenvolvimento da visão crítica do aluno. 11. Stress e qualidade de vida no trabalho: stress social . São Paulo: Atlas. Segurança e Medicina do Trabalho – Equipe Atlas. 230 p. sistema de gestão da Segurança e Saúde ocupacional. Bibliografia Básica: 1. ((Org. conceitos da Segurança do Trabalho. Norma OHSAS 18001:2007 – Sistema de Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional. Carlos Henrique Pereira. características. MELLO. Luiz Cesar Ribeiro. . ISO 9001:2008 – Sistema de Gestão da Qualidade para operações de produção e serviços. 2012. 3. 2010. a partir dos conceitos da Gestão da Qualidade e Segurança do Trabalho. Pamela L. CARPINETTI. Sistemas de Gestão Ambiental (ISO 14001) e Saúde e Segurança Ocupacional (OHSAS 18001) – Vantagens da Implantação Integrada. Fundamentos da Qualidade e Segurança no Trabalho Carga Horária: 80 horas Ementa: Conceitos da qualidade.. Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental.

Comércio Eletrônico: Modelo. Recrutamento. Abordagem sistêmica de Recursos Humanos. CORREA.(16) 19. 1978. Logística Empresarial. avaliações de desempenho. São Paulo: Atlas. 5. Aplicação e controle dos Recursos Humanos. Seleção de Pessoal. São Paulo: Atlas. São Paulo: Atlas. Hong Yuk. 2010. oferecendo instrumental atualizado ao seu exercício. BALLOU. Ralph M. Sérgio Rodrigues. OLIVEIRA. seu histórico e inserção nas organizações. os subsistemas operacionais de ARH: Recrutamento e seleção. Ronald H. a visão moderna de gestão de pessoas. (11) Bibliografia Complementar: 1. 1999. . 2. Gestão de Recursos Humanos Carga Horária: 80 horas Ementa: Administração de Recursos Humanos no Brasil: evolução histórica. Alberto Luiz. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora Ltda. Aspectos e Contribuições de sua Aplicação. 2001. CHIAVENATO. As tendências do mercado de trabalho e de rucursos humanos. distribuição física : São Paulo: Atlas. capacitação e desenvolvimento. ed. Sistemas de Informações Gerenciais. Henrique L.(4) 5. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. 2002. 2002. Bibliografia Básica: 1. Benefícios. táticas.(3) 4.Bibliografia Básica: 1.ed. 2010. Cleber. STAIR. (10) 2.(26) 3. 2008 (8) 3. Conceituar as funções Manutenção. O RH como processo estratégico nas organizações. operacionais.Supply chain. Administração de Recursos Humanos. Ronald H. oferecendo instrumental atualizado referente a seu exercício. Gestão de Rede de Suprimentos. Plano de Cargos e Salários. 1978. BIO. Estratégias. Djalma de Pinho Rebouças. Atlas. ALBERTIN. RS: Bookman. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada . São Paulo: Atlas. Transportes. cargos e remunerações. Idalberto. Planejamento de Recursos Humanos. HING. São Paulo: Atlas. PORTO ALEGRE. Administração de materiais. Sistemas de Informação. a função Administração de Recursos humanos. Um Enfoque Gerencial. BALLOU. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. bem como conceituar as funções e desenvolvimento. 2. 9ª Edição. 616 p. São Paulo: Atlas. (12) 2. 2006. Objetivos: Dar uma visão global da administração de recursos humanos e sua evolução nas empresas brasileiras. Administração de Recursos Humanos. AQUINO.

Curitiba: ANPAD. Indicadores como auxiliares no processo avaliativo do controle da performance logística. 3. SP: Atlas. São Paulo: Makron Books. Benedito R. Indicadores de Desempenho em Logística Carga Horária: 40 horas Ementa: Conceito e características dos indicadores de desempenho em logística. Revista de Administração de Empresa. João Bosco. Administração de Cargos e Salários. A Competitividade e a remuneração flexível. Marcado Global . Luis Carlos.1. João. nº. pág. In: ENANPAD. LOBOS. Gerenciando pessoas: o passo decisivo para a Administração Participativa. Bibliografia Complementar: 1. 18. 13. 1980. LTR.uma releitura contextualizada. Revisitando a função de RH: a visão estratégica representa modernização? In: ENANPAD. LODI. São Paulo. Administração Salarial para profissionais em P e D. ZIMPECK. LUCENA. 1992. 12. Indicadores internos e externos de desempenho logístico. É preciso mudar o discurso em Recursos Humanos. Allan Claudius. 20. Belo Horizonte. 7. 1991. 1976. Júlio. São Paulo. 1995. WOOD. Luciano e CABRERA. WERTHER. RESENDE. . Thomaz Jr. UFMG-FACE-CMA.nº. GUTIERREZ. SP.72-82. Planejamento. 10. 1994. Recrutamento e Seleção de Recursos Humanos. 18. Beverly Glen. Processos para controlar a qualidade da manufatura que passaram a serem usados em outras áreas para outras finalidades. 1992. Idalberto. Administração Estratégica de RH: uma abordagem sinérgica. PONTES.35. e DAVIS. Anais. Administração de Pessoal e Recursos Humanos. CHIAVENATO. Administração de Recursos Humanos. Curitiba: ANPAD. jan/1998. 7a ed.22-27. Administração de Cargos e Salários. Benedito R. Tese (Mestrado em Administração). Mudança Organizacional e Transformação da função de RH. A questão da política salarial. São Paulo: Atlas. Willian. LTR. 14. SP: Brasiliense. 4. 1987. pág. Anais. Recursos Humanos . SP: McGraw Hill do Brasil. Enio. PONTES. SP: EJ Rezende. Antonio Luis. set/1994. SP: Editora LTR. MARQUES.. Planejamento de Recursos Humanos. PONTES. BARBOSA. 11. Maria Diva. v. Recrutamento de Pessoal. São Paulo: Atlas. Curitiba. 2. 1978. SABÓIA. Luis Homero Silva. 3. 5.4. São Paulo: Atlas. set/1994. 1985. Curitiba. 1994. 15. GAINO. 8. Keith. 6. 1989. Benedito R. 1993. B. 9.

2012. ed. planejar e organizar os processos de logística reversa. Produção Limpa. Objetivos: Conhecer. (15) 3. Logística integrada: modelo de gestão. WANKE. 3. Sustentabilidade Ambiental e Logística Reversa. Closs. Bibliografia Básica: .. São Paulo: Atlas. SP: Atlas. Maria F. (12) Bibliografia Complementar: 1. 217 p. 2. ed. Serviços de Coleta e Transporte de resíduos. ed. Ronald H. 2009. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. São Paulo: Érica. 3. importância e estrutura da logística reversa. Bibliografia Básica: 1. (12) 3. Henrique L. (12) 2. Osmar. São Paulo: Atlas. 2011. CASTIGLIONI. ADMINISTRAÇÃO da produção: edição compacta. Gestão de estoques na cadeia de suprimentos: decisões e modelos quantitativos. por meio da introdução dos alunos nesta nova área da Logística Empresarial de crescente interesse econômico e estratégico para as organizações. CORRÊA. São Paulo: Atlas. ed. 1. Logística Reversa Carga Horária: 40 horas Ementa: Conceito. Canais de Distribuição Reversos. reimpr. Fernando P. ed. CORRÊA. Reciclagem e Logística Reversa. Peter. 2001. São Paulo. Nigel.(3) 2. HIJJAR. Logística empresarial. CORONADO. et al. (8) 6. São Paulo: Atlas. 2. 2006. permitindo-lhes identificar as oportunidades e riscos envolvidos preparando-os para decisões estratégicas face às mudanças que estão ocorrendo no ambiente estratégico empresarial na busca de novos e consistentes diferenciais competitivos. BALLOU. MARTINS. Logística Reversa e gestão integrada de resíduos. Carlos A. (5) 5. 1999. Petrônio Garcia. Administração da produção. Artigo publicado no site do CEL COPPEAD/UFRJ. (4) 4. Porto Alegre: Bookman.Objetivos: Apresentar ferramentas para que os indicadores de desempenho logístico possam monitorar a qualidade das atividades logísticas internas à empresa ou a de seus parceiros (fornecedores). Diagnóstico Externo do Desempenho Logístico: Utilizando Pesquisas de Serviço ao Cliente para Identificação de Oportunidades de Melhorias. 2011. BOWERSOX. Administração de produção e operações: manufatura e serviços: uma abordagem estratégica. São Paulo: Saraiva. 2002. SLACK. LAUGENI. 5. José Antonio de Mattos. 21. Logística operacional: guia prático.

268 p. LUDOVICO. (2) 5. 2002. VAZQUEZ. ed. CHOPRA. MEINDL. de forma que as ações sejam direcionadas à logística internacional. 250 p. Rogério. Comércio exterior: preparando a empresa para o mercado global. Comércio Exterior Brasileiro. CORRÊA.Rio de Janeiro: Papel virtual. operação e avaliação. 2003. Estratégia. Comércio Exterior Carga Horária: 40 horas Ementa: O comércio internacional no pós-guerra. ed Rio de Janeiro: Elsevier. 2. 240 p. c1997. (14) 4. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégias para a redução de custos e melhoria dos serviços. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 4. O departamento e os métodos de comércio exterior. São Paulo: Pearson Prentice Hall. Administração de materiais. Feiras e eventos internacionais. SOUZA. Objetivos: Conhecer. 2002. Logística reversa: meio ambiente e competitividade. 3. 3. 2005. Pesquisa de mercados internacionais. Regimes aduaneiros. 2013. Agentes internacionais. Transportes. Ronald H. A estrutura de um departamento de comércio exterior. São Paulo: Atlas. Sistemas de logística reversa: criando cadeias de suprimentos sustentáveis. CHRISTOPHER. Ética e valores. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. 173 p. Logística reversa: competitividade com desenvolvimento sustentável. 2011. Política Brasileira de Exportação. LEITE. 2014. VALLE. Martin. Bibliografia Complementar: 1. Peter. José Lopes. Política brasileira de importação. 5. Paulo Roberto. São Paulo: Atlas. BALLOU. Planejamento do comércio exterior. 1. planejamento e operações.(26) 2. FELIZARDO. Logística Empresarial.265 p. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. (10) MÓDULO PRODUÇÃO 22. Logística reversa: processo a processo. 2. distribuição física : São Paulo: Atlas. as ações e as características dos processos de importação e exportação. 3. Gestão da cadeia de suprimentos. . Ricardo Gabby de Souza. NOVAES. Henrique Luiz. Estratégia. Antonio Galvão. São Paulo: Atlas. Bibliografia Básica: 1. 2007. ed. Nelson. XAVIER. Estratégias ambientais. Lúcia Helena. Jean Mari. compreendendo os fatores. 2001. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. planejar e organizar os processos de comércio exterior. Sunil.

2005. São Paulo: Aduaneiras.. Samir. RABECHINI JR. Philip. ed. Objetivos: Conhecer. Antonio Vico. Administração de sistemas de informação: como otimizar a empresa por meio dos sistemas de informação. Bibliografia Complementar: 1. Tipos de projetos e processos. Método Pert. Planejamento do ferramental de projeto. ed. rev. 3. Integração regional e conteúdo de trabalho do comércio exterior brasileiro. Bibliografia Complementar: 1. Paulo C. 2006. 23. de. ed. MENDONÇA. Economia internacional e comércio exterior. LEVI. elaboração e análise. 2011. CASTILHO. 3. MATHIAS. São Paulo: Atlas. Transportes e seguros no comércio exterior. Importação: práticas. 3. Tecnologia para gestão de projetos.. 2. SP: Atlas. Visão sobre processo de gestão de projeto. Edith Simchi. . Jayme de Mariz. São Paulo: Atlas. Manual de exportação. 2010. 1999 4. KAMINSKY. 2. ed. 2011. 2004. MAXIMIANO. 2. Elaboração de projetos: da introdução à conclusão. projetar e avaliar um projeto. 3 ed. Marta Reis. Gerenciamento e controle do projeto. Marly Monteiro de. 2. Elaboração e Análise de Projetos Carga Horária: 80 horas Ementa: Conceituação e histórico. ampl. 2011. São Paulo: Atlas. rev. 3. Administração de projetos: como transformar ideias em resultados. José Lopes. david Simchi. LEVI. 14 ed. Rio de Janeiro: IPEA. WOILER. VASQUEZ. Antonio Cesar Amaru. Fundamentos em gestão de projetos: construindo competências para gerenciar projetos . Roque. Curitiba: IBPEX. Guiomar. 2. C. São Paulo: Atlas. Maria Alice Soares. 3. Cadeia de Suprimentos: Projeto e Gestão. São Paulo: Bookman. 2. CONSALTER. MAIA. rotinas e procedimentos. São Paulo: Aduaneiras. COELHO. Washington Franco. 4. reimpr. São Paulo: Aduaneiras. atual. por meio da apresentação de ferramentas e técnicas para o desenvolvimento de um projeto capaz de promover os meios para a obtenção de vantagens competitivas sustentáveis. São Paulo. 2011. Aquiles. Tributos sobre o comércio exterior. Bibliografia Básica: 1. ed. 6. Produção do documento. São Paulo: Erica. 3. VIEIRA. Desenvolvimento do plano de gestão de risco. CARVALHO. 2010. MAÑAS. ed. Análise de recursos. 2006. 2003. KEEDI. Planejamento do projeto. Samsão. 5. Projetos: planejamento. e ampl.

Administração de produção e operações: manufatura e serviços: uma abordagem estratégica. Dalvio Ferrari. Administração de materiais e recursos patrimoniais. do correto planejamento e controle da produção e por meio do emprego de softwares adequados para o auxílio das atividades. Wolfgang. ed. 1. Ademir (Org. Projetos empresariais e públicos. MRP II e ERP. Planejamento agregado. SCHEPS. 3. CAMPOS. Claude. MOTTA. RIMOLI. 24. São Paulo. São Paulo: Atlas.(3) 5. Belo Horizonte. ARNOLD. Administração da produção. Kurt E. GODINHO FILHO. PRADO. Gestão da Produção Carga Horária: 40 horas Ementa: Introdução à produção. Planejamento e controle da produção: dos fundamentos ao essencial. 1996. MG: 2004. Floriano do Amaral. MARTINS. ESTEVES. MOREIRA. Darci. (17) 3. 2012. 9. Petrônio Garcia. São Paulo: Atlas.. HARDING. MACHLINE. GURGEL. São Paulo: Atlas. São Paulo: Atlas. 8. Objetivos: Proporcionar o conhecimento necessário ao aluno para que possa planejar e organizar os processos de gestão da produção por meio do desenvolvimento de um layout adequado do ambiente organizacional. J. Henrique L. Projeção do ambiente operacional. FERNANDES. 2. ed. Administração de materiais: uma introdução. ed. 2000. Lenita R. Planejamento e controle de projetos. Administração da produção e operações. WEIL. Manual de planejamento e controle da produção. 2004. 2003. 2. CLEMENTE. Bibliografia Básica: 1. (10) Bibliografia Complementar: 1. (5) 7. TQC: controle da qualidade total (no estilo japonês). (3) 4. São Paulo: Saraiva. Vicente Falconi. Tony. 1990. São Paulo: Pioneira Thomson Learning. Manual de administração da produção. 4. Moacir. ed. ed. (3) 6. Ivan de Sá. Daniel A. MRP. R. Rio de Janeiro: FGV. 2012. São Paulo: Atlas. (3) 2. TUBINO. Hamish Alan. (3) . 2010. ed. Celso Augusto. 2008. Paulo Renato Campos. ALT. 2011. São Paulo: Atlas. Administração dos fluxos de materiais e de produtos. (9+3+3) 2. Minas Gerais: INDG TecS. Planejamento e controle da produção (PCP). (12) 3. CORRÊA. SP: Atlas. do correto planejamento agregado.). 7. 1992. Carlos A. Flavio César Faria. ed. CORRÊA. 5.

ABREU. Código Tributário Nacional Comentado. Bibliografia Básica: . H. 2009. A. SLACK. São Paulo: Atlas. (3) 25. Bibliografia Complementar: 1.C. 3. Projetando os sistemas de entrega dos serviços.. 2006. São Paulo: Atlas. São Paulo: Atlas. Roger W. São Paulo: Atlas. Obrigação Tributária. VELLOSO. Z. São Paulo: Atlas. Direito Tributário para os Cursos de Administração e Ciências Contábeis. por meio da compreensão de como os diversos tributos afetam o desempenho econômico-financeiro das empresas. Criando valor por meio de serviços. Objetivos: Compreender os tipos de negócios classificados como serviços. A. O serviço do ponto de vista do cliente. Administração da produção: edição compacta. POHLMANN. Administração de operações em serviços. 2009. Bibliografia Básica: 1. 9 ed. Constituição Tributária Interpretada. Tributação e Política Tributária. São Paulo: Atlas. São Paulo: Futura. SCHMENNER. Evolução do ambiente de serviços. Crimes Contra a Ordem Tributária. Manual de Direito Tributário. São Paulo: Atlas. L. FABRETTI. P. P. 26. 1999. S. MACHADO. S. Objetivos: Conhecimento tributário como instrumento de apoio às decisões sobre viabilidade e rentabilidade dos negócios. DENARI. B. et al. 4. 5 ed. 2. por meio da concepção de um plano técnico que reflita a complexidade e divergência no processo de entrega de um serviço específico. 2 ed. C. São Paulo: Atlas. 2008. Nigel. 2008. C. 2009. FABRETI. M. Impacto das novas tecnologias sobre a comunicação de marketing. 2. Marketing de Serviços Carga Horária: 40 horas Ementa: Conceituação. Forma de tributação das empresas. 5. L. IUDICIBUS. Curso de Direito Tributário. Gestão Fiscal nas Empresas: principais conceitos tributários e sua aplicação. São Paulo: Atlas. 2007. 7 ed. 8 ed. 2006. MARTINS. 8. (3) 9. 3. Legislação Tributária Carga Horária: 40 horas Ementa: Noções de legislação tributária e de direito tributário. 1999. Tributos de importação e exportação.

à situação financeira da empresa e ao incoterm negociado. estratégia e tecnologia de informação. Jean-Claude. Rio de Janeiro: Infobook. Administração de serviços: operações.. FITZSIMMONS. São Paulo: Saraiva. 2.. HOFFMAN. 2002. M. FITZSIMMONS. 5. Júlio M. Logística Internacional: um enfoque em Comércio Exterior.. David J. Porto Alegre: Bookman. 2. 2002. James A. Edição 1. 2011. São Paulo: Editora Atlas. RENOLD. Alcance mais clientes. Atual. EDIC. 2. Ed. 2. FITZSIMMONS. Seguro nos transportes internacionais e gestão dos transportes internacionais. Daniel Real de. Martin. Michael R. 1998 4. John e.. Transportes e seguros marítimos para o exportador. Administração de marketing: análise. Philip. Ver. rodoviário. São Paulo: Saraiva. LUDOVICO. BRANDÃO. 1998. BOWERSOX. MCCORMACK. Mark H. O inglês no transporte e na logística. 3. aéreo. KOTLER. 2007. BERTIN. Nelson. Administração de serviços: operações. 2001. O comportamento do consumidor: comprando. ed. Vera Maria. 4. FITZSIMMONS. 1997. ed. 2001. Chistopher. AZUA. 1997. BALLOU. São Paulo: Edições Aduaneiras. 2011. Porto Alegre: Bookman. CLOSS. 1. LOVELOCK. Bibliografia Complementar: 1. Donald J. 5. BATESON. Logística Empresarial: O Processo De Integração Da Cadeia De Suprimentos. Porto Alegre: Bookman. G. A arte de negociar. 27. São Paulo: Círculo do Livro. 2001 2. Logística Empresarial. SOLOMON. 1993. RONALD H. Objetivos: Capacitar o aluno para que o modal de transporte utilizado no fluxo de mercadorias tanto no mercado interno quanto no mercado externo seja o mais adequado à mercadoria. 3. São Paulo: Atlas. 3. estratégia e tecnologia de informação. Porto Alegre: Bookman. implementação e controle. ed. possuindo e sendo. Serviços : Marketing e gestão. Modal marítimo. Douglas. Mona J.. K. ferroviário. São Paulo: Atlas. Mona J. James A. Bibliografia Básica: 1. planejamento. ed. São Paulo: Edições Aduaneiras. 2. Bibliografia Complementar: 1. colha mais lucro. . Marketing de serviços. Modais de Transporte Carga Horária: 80 horas Ementa: Evolução histórica da logística empresarial.

o controle orçamentário é utilizado para comunicar aos empresários e administradores as intenções e realizações da empresa e é um instrumento eficaz para avaliar se a realidade da empresa está de acordo com aquilo que seus empresários desejam dela. KOBAYASHI.1993 – Corporação Sindical Portuária – Associação Brasileira Dos Terminais Portuários Privativos – Abtp – Rio De Janeiro – 1993. São Paulo: Atlas. STOCK. 2010. GITMAN. 2000. 4. M. Objetivos: Proporcionar ao aluno o conhecimento necessário para planejar e controlar o orgamento empresarial por meio da apresentação de ferramentas para quantificar as atividades e suas datas de realização a fim de melhorar a avaliaão e a utilização de recursos e da integração aos aspectos operacionais e financeiros. Logística empresarial – São Paulo: Editora Atlas. Renovação da logística: como definir as estratégias de distribuição física global. CHRISTOPHER. [Traduzido Para O Português De Global Operations And Logistics: Text And Cases]. ERNST. Calcular a receita líquida do negócio. VANTINE. São Paulo: Saraiva. São Paulo: Pioneira. Administração financeira. Projetar o valor esperado de vendas. Panos. 5. Pierre. Orçamento Empresarial Carga Horária: 80 horas Ementa: Características do orçamento. Martin. 28. NIKBAKHT. NETO. José Martins. 3. Logística e operações globais. 2002. 9. KOUVELIS. James R. Shunichi. Desenvolver um orçamento. Determinar o volume de despesas atuais. França. Lawrence J. 3. . T.São Paulo: Atlas. 10. FLEURY. FENDER. O Novo Sistema Portuário Brasileiro – Lei 8.1997. Paris. Bibliografia Básica: 1. GROPPELLI. CATHARINO. de administração e as despesas financeiras. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. 6. Incoterms 2000 Brochura Nº 560. São Paulo: Editora Vantine. 12 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 7.02.. Administração estratégica da logística. LAMBERT. Ricardo. José. Edição 1. 2000. Lei 8630/93 e Legislação Complementar. Ehsan. 1999. Michel. Princípios de administração financeira. A. São Paulo: Editora Aduaneiras – 1998. De 25. Douglas M. A classificação das receitas e despesas.630. Tradução Valéria Custódio Dos Santos. ed. Câmara De Comércio Internacional. . Paulo Fernando. levando-se em conta as despesas de vendas.. Cci.. 2001. Calcular os impostos sobre faturamento. A. PEREIRA. mês a mês. 2. 8. DORNIER.

10. Ronice Müller de. atualizada conforme as Leis nº 11. Alexandre Assaf. 10. técnicas e aplicações. KARNOPP. ed.ed. Fred.. São Paulo: Atlas. Finanças corporativas e valor. 2012. Bibliografia Complementar: 1. GESSER. Bibliografia Básica: 1. 1 ed. Orçamento na administração de empresas planejamento e controle. São Paulo: Companhia das Letras. Desenvolver habilidades comunicativas na Língua Brasileira de Sinais. Libras?: que língua é essa? : crenças e preconceitos em torno da língua de sinais e da realidade surda . 87 p. 2009. pedagógicos e técnicos da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS – a qual se constitui como sistema lingüístico das comunidades de pessoas surdas no Brasil. Fundamentos da administração financeira. 1. 4. estrategias financeiras. WESTON.CEPEFIN. Administração financeira e orçamentária: matemática financeira aplicada. variações linguísticas. SOUZA. 2010. São Paulo: Atlas. 221 p. 2011. Relacionar as abordagens da surdez com as concepções vigentes em nossa sociedade. Aprender sinais específicos. Audrei. Alceu. 215 p. Oliver. formação dos sinais). HOJI. 2009. orçamento empresarial.941/09. Celso da Costa. Antônio Zoratto. São Paulo: Atlas. sociológicos. Masakazu. 3. Fundamentos da Administração Financeira. SANTOS. São Paulo: Makron Books.638/07 e 11. ASSAF NETO. (10) . São Paulo: Atlas. CENTRO DE PESQUISAS EM FINANÇAS. J. CLEMENTE. 3. São Paulo: Parábola. 5. QUADROS. ed. 4. (Série estratégias de ensino 14) (10) 2. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. 2000. Objetivos: Conhecer a LIBRAS e seu funcionamento. Proporcionar embasamento teórico acerca dos aspectos linguísticos das Libras (estrutura gramatical. 2007. OPTATIVAS 29. Língua Brasileira de Sinais – Libras Carga Horária: 40 horas Ementa: Esta disciplina se propõe a apresentar os pressupostos teórico-históricos. Decisões financeiras e análise de investimentos: fundamentos. NETO. 2. contribuindo para a formação do professor no contexto da Educação Inclusiva. Eugene F.A. Porto Alegre: Artmed Editora S. ed. 1933 -. filosóficos.. 2 ed. ed. Lodenir Becker. SANVICENTE. São Paulo: Atlas. BRIGHAM. Língua de sinais brasileira: estudos lingüisticos. SACKS. (10) 3. Ademir. 2. 2011. 2005. Alexandre.

pdf>. FESTA. 1990. Aparecida. Eugênio. SALLES. Heloisa Maria Moreira Lima. São Paulo: Summus. <style pdfFontName='Times-Bold'> Ensino de Língua Portuguesa para Surdos : </style> Caminhos para a Prática Pedagógica. OATES.59. 2012. Enilde (Coord. 2004. 228 p. 2006.2 – (LIVRO) 5. v. ARANTES. (2) 3.1 Disponível em: <http://187. SALLES. Aprenda libras com eficiência e rapidez.) (Drª). DF: MEC/SEESP. DF:MEC/SEESP. Aparecida. 2004. v. Brasília. 6.Bibliografia Complementar: 1. Priscila Soares Vidal (Org. Libras. Inclusão escolar: pontos e contrapontos. OATES. Acesso em : 8 ago. FAULSTICH. 2011. ed.). Heloisa Maria Moreira Lima.5. MAIA. Éden. ed. VELOSO. Eugênio. Maria Teresa Eglér. SP: Santuário. ed. 2012.(2) 7. FAULSTICH. Enilde (Coord. SALLES. MANTOAN. 325 p. 1990.) (Drª). Djoni. SP: Santuario. (5) 6. Linguagem das mãos. SALLES. Ensino de Língua Portuguesa para Surdos : caminhos para a prática pedagógica.180:8085/pergamumweb/vinculos/000000/0000002d. Curitiba: Mãos Sinais. 5. Heloisa Maria Moreira Lima. Curitiba: Unidade. Linguagem das mãos. Valdeci. (2) .). 5. Brasília.(2) 2. Valéria Amorim (Org. Heloisa Maria Moreira Lima. (LIVRO) 4. SCHALLENBERGER.