You are on page 1of 1900

' ... ·..

~ ' .

í
'
;

R

E

--· .
1~·1~•-'=·- -- ·--~~~-~------·-----

' ... ·..
~ ' .

í
'
;

IW

REVISAO FINAL
TRE-SP
Analista Judiciário -Área Judiciária
Analista Judiciário -Área Administrativa
Edital nº 1-TRE/SP ffCC), de 30.08.2016 - Revisão ponto aponto

COORDENAÇÃO
Henrique Correia

AUTORES
Danilo da Cunha Sousa, Duda Nogueira, Edem Nápoli,
Emannuelle Gouveia, Giovanna Carranza, Jaime Barreiros
Neto, Lidiane Coutinho, Luciano Alves Rossato, Paulo
Henrique Boldrin, Robnei Stefanes e Rodolfo Gracioli.

2017

);j EDITORA
1f JUsPODIVM
www.editorajuspodivm.com.br

Há tempos o
sam seguir, estr
A Coleção RE
nada a determin
então, só havia a
havia muitos err
O candidato
TRE-SP, especia
lista Judiciário -
conhecidos nac
mas provas real
Como o pró
com dicas, esqu
abordar outros
Nesse livro e
Área Administra
com matérias co
cos de cada car

1f
À/ fasPODIVM
EDITORA Em resumo,

www.editorajuspodivm.com.br

~~a(~l~to Grosso, 175 - Pituba, CEP: 41830-151 -Salvador- Bahia
e: 3363-8617 /Fax: (71) 3363-SOSO. E-mail: fale@editorajuspodivm.com.br
Copyright: Edições JusPODIVM Gramática e interp
Conselho Editorial: Dirley da Cunha Jr Leonardo de . . Noções de Inform
José Marcelo Vigliar, Marcos Ehrhardt JÚ~io N t 1' Medeiros Garcia, Fredie Didier Jr., José Henrique Mouta
Rodolfo Pamplona Filho, Rodrigo Reis Mazz~i eeRsooré ~vosra, Rhobério Nunes Filho, Roberval Rocha Ferreira Filho, Normas Aplicáveis
9 no anc es Cunha. •
Diagramação· Linot F t
Regimento Intern
• ec o ocomposição e Fotolito ltda. (www.linotec.com.br) São Paulo - TRE-SP
Capa: Ana Caquetti
Código de ttica d
Paulo - TRE-SP
Todos os direitos dest d. -
a e içao reservados à Edições JusPODIVM Estatuto da Pessoa
É terminantemente proibida a reprodução total ou arcial des .
a exp~essa autorização do autor e da Edições JusP061vM . ta o~ra, por ~u~lquer meio ou processo, sem Plano Estratégico
descrito na legislação em vigor sem pre· , d - . ~ ~1olaçao dos direitos autorais caracteriza crime Paulo para o perío
' JUIZO as sançoes c1v1s cabíveis.
Temas de redação

Apresentação do REVISÃO FINAL -TRE/SP

Há tempos os alunos procuram livros específicos a determinado concurso para que pos-
sam seguir, estritamente, aquilo que é exigido no edital.
A Coleção REVISÃO FINAL nasceu para atender a essa demanda de preparação direcio-
nada a determinado concurso público nos meses que antecedem a realização da prova. Até
então, só havia apostilas de cursinhos que tratavam dessas matérias específicas, entretanto /·_,'

~'
havia muitos erros e, na maior parte dos casos, não seguiam estritamente o edital.
O candidato encontrará nesse livro, as matérias exigidas no edital do concurso do
,.
TRE-SP, especialmente para os cargos de Analista Judiciário - Area Judiciária e de Ana- ii
lista Judiciário - Área Administrativa. Aliás, os autores escolhidos são autores e professores ~
conhecidos nacionalmente e adequaram as dicas de acordo com o perfil exigido nas últi-
mas provas realizadas pela Fundação Carlos Chagas (FCC).
Como o próprio nome sugere, o livro tentará oferecer uma revisão total das matérias, 1
com dicas, esquemas e quadrinhos, aprofundando nos pontos principais, sem deixar de
abordar outros temas acessórios e correlatos ao conteúdo programático do Edital.
Nesse livro específico para Analista Judiciário - Área Judiciária e de Analista Judiciário -
Área Administrativa do TRE-SP, houve separação entre a parte de conhecimentos gerais,
com matérias comuns aos dois cargos do concurso, e a parte de conhecimentos específi-

'
cos de cada cargo (Analista Judiciário e Analista Administrativo).
[.

Em resumo, a obra foi organizada da seguinte forma: li

Discipl!nas cô~.uns aos cargo~ de Analls~ J~dlciário ê .Adnilnistfativo ":i:;;;)'{k;i:,:;:,;
~~ '';
!
,, TRE-SP. ,· ....
.. -· .. , .. ,.
'····'·<·

Disciplina Autor(a) 1
~
Gramática e interpretação de texto da língua portuguesa Duda Nogueira
Noções de Informática Emannuelle Gouveia
Normas Aplicáveis aos Servidores Públicos Federais Lidiane Coutinho
Regimento Interno do Tribunal Regional Eleitoral de
Jaime Barreiros Neto
São Paulo - TRE-SP
Código de ttica do Tribunal Regional Eleitoral de São
Jaime Barreiros Neto
Paulo - TRE-SP
Estatuto da Pessoa com Deficiência Paulo Henrique Boldrin
Plano Estratégico do Tribunal Regional Eleitoral de São
Jaime Barreiros Neto
Paulo para o período de 2016-2021
Temas de redação Rodolfo Gracioli

.: .•.:.·

------·,·---·-,----~' ---~---,-----··~·"'-~-~

-1 ;'.·.t

-cs::isi:~8 )í; a. )> ....
~· 3· 3 ~ ~ ~ ~ ~ ~
e.. 'O e: º;::i.Sln>!!!_::i-; "' ~-·
3QJ ffin> "O t t t t ~ ~ º ~ ~ &~
QJO;:+)> @'c:~33~l>J• ~ ~ ~ ~ ~ ~ 1 ~ ~ "81~~~-~~~~
::i 3 'iii ~ o
QJ ::J .., -·
? ::i6r Sl "'Q.
a. QJ
~DJ..,~fg(D'O -o mmmmº º º ~ ~ a. ~
m º ~º º~ oº ~º 6:º b'º ~
r+ -· ::J
o 'O ~ n> .... ::!3
• <n-·xro:;!'
-· ro-n> =S'~ ~ ~ ~ ~ ~ g ~ ~ ~
QJ -· ::i '" 'O 3· 5- ~ g. !!!.. ~ ~ ~ ~ ~ a 3 ~ ~ ~@~@~~ª-~ 1
Br ~ 5= e.. .a QJ ;.+
n> -QJ• .o o "O o "' QJ 11>· i i i i ~ 5 ~ ! ! ~~ ~ @2.2
3· o QJ n> !:. iJ 3 "' e: ;::i.
~ ~ ~ ~ - ~ g ~ l 2:i ~ -~g. l
o e: e.. .o " QJ o CXl n> QJ
C?'..,t1t=r::s::s m~:3-ê
.. IQ n> ~ ~ ~ o g ~ ~ g ~" n a-.::i
f'1>1QJrt>rt>CJ1(ti .... f't) -· < Q.I
'O QJ n> g ~ g ~ ~ o @ Q e
DJn>.a_..... o.o 5.;Q*-~ ~ ~ ~ º - e
ãT ~ ~
::i e: Sl~:ii::l.!!l~c: ~~tg~·Q ~-~ @• ~ ! - ~
-· ,.... o.. <nV (1)33DJ e e m - ;g '§:
::;:: n> o mro~.3-· ~ ~ ~ ~· ~ 5. ~ ~ o "2.
n ~
QJ 3 .nO> :r
.. ~
"' 5ii.ho~ii1~o ;-
"' "O "' ~ O>
~~I~: ~ ::>'-o" 3
o n> 9:~~~;;;.3~ g o ~ S' !!!.
QJ
11> .., 11> V\ Q,>,. ::>
"o "O <
3 n> n> ~.oQ~tv.O.., .... a. "O )> '"
'O ::i "O oSlg-Sl ::!.
::rc: 3 ~ ~!:.ro O>
'"'
- "'
n> QJ QJ
.... Qmo..,. .. ~~
X ::1 l>J C.h O> V\ -0 '1> V1 QJ
x· ~ VI
-êfD m
r+ •..o
~ g- .g ::!.3 .... iii"DloO <c:"n>
" n> n> ~ ~3 :!.~.e~ 2!. g- !2.. Q
o 3 < n>::r-0::;::33::1 ro"'ºlO
3 .a g ~Qpe:-oO"N' ~ ~I ~ ~•
e: 11>• ~·~ c..oroN
f'1)QJQ.n<D..,-0QJ1
3 QJ ::i m,"'Q.za.o ~ ~ ~ E 51 ~ 5: ~
fD,~.º<9:..,o ~ ~ 3 ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~
~ ~· ::i::;::"Cn>DJoro e.. .... o ::i ~ ~ ~ ~ i 3 ~ ~ 1 ~~~~·~~~·3
~
3~ ~ c:Dl~~ ~ ~ o ~ ro z co - ~
o. QJ 3 ::l. ~ e..
g_ Sa.a.Oa.g'~~
n>· .a @3c:"' O> O> > O> = ~ ~ ~ O> Q.I Q,I Q,I )> o "C Q.I ....
o.. ::::!. e: B:rt>'ro~ft>w~ ::in>DJQJ n n < n ro o e ~ n
n> QJ n> c..DJ3-.1.n~3 ,.... :::s V\ .., Qf'f'~f'~.~g
m§ § § ~ = ~ ~ = ::: ::::J ::::J VI ::::J 0 :;·
S' a. a. ro-§"'~3ºa.;::;: Q.I =s- =s- :tJ =s- "' =s-
::i w Q.I Q.I
n>ron>:: ODJ ~S"~s- ~ ~ ~ ~ ~ ~ m~ o z o
:r ~ ~ "' lO ~ ~ VI ~ f'tl N
n> n> QJ ~ ãT ~. N' ~ VI "Q, õ Q,I ~~~~~~º
xss·~ª' g g ~ g e: e: e: rf'
.!"' c.n ;a C:_a::IDJ:::!>"CO -~'.·
O..c:!!:.frm~o.. 3 9:8',!!!.. ~ ~ o ~ K: ~ o ~
3 !!l n> QJVlfDO. > >
QJ n> a. Pm2c.n=:s,DJ0 ~ ~ V\ m g
Vi'~ f'1) < 3 " < -· .... o ::i C.."C :a
g n> o !!!. ~· n> i ~
QJ e: QJ g <
..... a. IÕ n>•::13Y'-·3 ..e: ~.. ; <D !:
.... QJ e: QJ <_"O iii'
.g g. 3 "8°º::t~"8 ...
o
g~g3~ro. ::r
e..
~ ~e::
~· =
5= ;,., e: )í;ro;::i.~n>S' ~ -g ~ ~I 5'
""
QJ o 3 teron>::i~3 ::J õ1 a. . . !.
QJ
3 e: ....
... c:~rooc:o­
ro...,a."'a.ro• ~c:~g­ ·''. ~ 1
e.. a n>· ,! -1
o "O ~· ~. iii' ~ ~ 3
e3c.."'"'-oro §' 3 ~ 3 j ' :a
.o "' "O QJI Q.11 -0 Q V'1
v.O'"c:o ~~.
::i "O
e: o a.º c..c.. r:1
VI
::::!.ooa::ss- g. "O
n> S' Q =-" m CJ" • 1 .., n> 3 ~ ~

Sugestão de organização de Estudos 01 - Dedicação exclusiva aos estudos >
'ti
;
..."'~
J:

5= ;,., e: )í;ro;::i.~n>S' e.. ~
~ ~ ~I
-g = 5'
""
QJ o 3 teron>::i~3 ::J õ1 a. . . !.
QJ
3 e: ....
... c:~rooc:o­
ro...,a."'a.ro• ~c:~g­ ·''. ~ 1
e.. a n>· ,! -1
o "O ~· ~. iii' ~ ~ 3
e3c.."'"'-oro §' 3 ~ 3 j ' :a
.o "' "O QJI Q.11 -0 Q V'1
v.O'"c:o ~~.
::i "O
e: o a.º c..c.. r:1
VI
::::!.ooa::ss- g. "O
n> S' Q =-" m CJ" • 1 .., n> 3 ~ ~

Sugestão de organização de Estudos 01 - Dedicação exclusiva aos estudos 'ti
>
;
..."'~
~
J:DI•
,·:r ~''""1lüfriii'.i·;~,, o
a.
Direito o
Direito Administrativo Direito Eleitoral Português Direito Civil Processo Civil :a
Bhàs llh 1 Constitucional (3 horas) (3 horas) m
(3 horas) (3 horas) (3 horas) 1 1 ,<
(3 horas) 1 ,-
i~
11h às 13h 1 Almoço e descanso (2 horas) 10
Dia livre ! ""
Regimento Interno Estatuto da Pessoa Direito Eleitoral
::z
com Deficiência I Código de ttica do Ou I>
TRE-SP/ Normas Administração /Administração Direito Penai I
TRE-SP I Noções de Revisão i ';"'
Aplicáveis aos Plano Estratégico do Financeira e Processo Penal
13h às 16h 1 Pública/ Redação Informática 1
Servidores Públicos TRE-SP para o período Finai-TRE i!m
(3 horas) Orçamentária (AJAA) (3 horas)
Federais de 2016-2021 (3 horas) (Livro de i Vi
(3 horas) "O
(3 horas) (3 horas) Dicas)

16h às 18h 1 Academia, TV ou descanso (2 horas)

Revisão Final -TRE Revisão Final -TRE Revisão Final -TRE 1Revisão Final -TRE 1 Revisão Final -TRE
Revisão Final-TRE
(Livro de Dicas) (Livro de Dicas) (Livro de Dicas) (Livro de Dicas) (Livro de Dicas)
18h às 20h 1 (Livro de Dicas)
(1a2 horas) (1a2 horas) (1a2 horas) (1a2 horas) (1a2 horas)
(1a2 horas)
Obs. 1: Os estudos devem ser encarados como trabalho, ou seja, em turnos fixos. Ideal é tentar, sempre, manter a rotina diária.
Obs. 2: Não deixe de praticar, pelo menos duas vezes por semana, alguma atividade física. Essa tática evitará problemas físicos e psíquicos.
Obs. 3: A desconexão, em 1 dia por semana, é muito interessante. Caso resolva estudar, pegue uma matéria com que tenha mais afinidade ou aquela que não pôde se
dedicar durante a semana.
Obs. 4: Lembre-se de que você trabalha com a mente. Portanto, descanso/sono/lV são tão importantes quanto o estudo. Descanso não pode ser encarado, por você e
muito menos por outras pessoas, como preguiça!
Obs. 5: Faça a sua planilha e deixe em um local sempre visível para poder verificar se está mesmo sendo cumprido ou se precisa de ajustes. Repito, a melhor de todas as
planilhas é aquela fácil de ser executada.
Obs. 6: Livros específicos ao TRE-Coleção Tribunais- Ed. Juspodivm. Link: http://www.editorajuspodivm.eom.br/categorias/colecao-tribunais/44
Obs. 7: O melhor livro de português para seu TRE: Língua Portuguesa para Concursos - Duda Nogueira - 3ª edJ2016 - Editora Juspodivm.
Obs. 8: O Revisaço TRF e TRE é, sem dúvida, uma excelente ferramenta para o seu TRE/SP.
Obs. 09: Atividades do dia a dia, aquelas de "pessoas normais", como consulta médica, ir ao banco, dentista etc., devem ser encaradas sem desespero ou estresse. Deixar
de fazê-tas poderá gerar problemas muito maiores. ~
' 1
Obs.10: Os períodos de almoço e descanso você poderá utilizar para as atividades pessoais- levarfilho à escola, ir ao banco etc. -~'

Sugestão de organização de Estudos 02 - Divisão do tempo entre trabalho e estudos ,-..
1 '

"''

Português -·--
6h às8h 1 Constitucional Direito Eleitoral Processo Civil
(2 horas) Administrativo Direito Civil !
(2 horas) (2 horas) (2 horas) (2 horas) (2 horas)
1 1
8h30 às 18h 1
Trabalho

.; 1 1 Revisão Final -TRE Revisão Final -TRE Revisão Final -TRE
1
Revisão Final-TRE Revisão
(Livro de Dicas) (Livro de Dicas)
(livro de Dicas) (livro de Dicas) Revisão Final -TRE Revisão Final -TRE Final-TRE
+ + + (Livro de Dicas)
+ (livro de Dicas) (livro de
19h às 22h 1 Noções de Informática Normas Servidores Administração Pública Dicas)
Regime Interno/ + +
Públicos Federais /Administração
/Estatuto da Pessoa Código de Ética Direito Penal/
Financeira e Direito Eleitoral/
com Deficiência TRE-SP /Plano Estratégico
Orçamentária (para Processo Penal Redação
(2 horas) TRE-SP para 2016-2021
(3 horas) AJAA) (3 horas) (3 horas)
(3 horas)
(3 horas)

Obs. 1: Os candidatos que dividem o tempo de estudos com o trabalho devem aproveitar cada minuto! Cada minuto mesmo - seja organizado!
Obs. 2: As mesmas observações da planilha 1 valem para essa rotina de estudos.
Obs. 3: Ideal seria acordar cedo e estudar, antes de ir ao trabalho.
Obs. 4: Pessoas com dificuldades de acordar de madrugada devem "forçar" estudo à noite ou em intervalos durante o trabalho. J
.~
l Obs. 5: O Revisaço TRF e TRE é, sem dúvida, a excelente ferramenta para o seu TRE-SP. Use-o o máximo que puder!
1 Obs. 6: Fins de semana, feriados e férias devem ser aproveitados ao máximo.
Obs. 7. Deixe o domingo para resolver provas ou matérias que você não teve condições de estudar durante a semana. =
ID
<
Ui'
Ili•
:o
.,,
':;·
~
1 1
. -1 f
=
m
V.
. 'ti

Além disso, foi deixado um espaço abaixo para que você possa organizar seus estudos para o TRE-SP de forma personalizada: :I>
l 'ti
;
'ID
"'
f ':~tY,}~" ",, ..ir~@. ~-:.~~l~~WJti--~ :: ia
'Ili
.n
'Ili•
o
8hàs llh e.

~
1 1
. -1 f
=
m
V.
. 'ti

Além disso, foi deixado um espaço abaixo para que você possa organizar seus estudos para o TRE-SP de forma personalizada: :I>
l 'ti
;
'ID
"'
f ':~tY,}~" ",, ..ir~@. ~-:.~~l~~WJti--~ :: ia
'Ili
.n
'Ili•
o
8hàs llh e.
o
"m<
llh às 13h Vi
:I>•
1 .,,o
,z
13h às 16h '':I>
r-
'
-1

16hàsl8h !!!
=
VI
'ti

18h às 20h

20h às 22h

Obs. 1: Lembre-se de verificar, após 1 semana de estudos, se está conseguindo cumprir suas metas. Caso não esteja, faça as adequações necessárias para que a planilha
seja viável para você.
Obs. 2: Deixe essa planilha em um local sempre visivel. Repito, a melhor de todas as planilhas é aquela fácil de ser executada.
Obs. 3: O ser humano não é uma máquina, portanto eventuais descumprimentos e oscilações de horários são totalmente naturais na preparação ao concurso.

Fl

.L.',""':_·---:Gf~~_____,,_.::___,_,4_.~êl'--rr. ·-:2í.2::r::'.:C _·L-l ""~----·- __:,~~.R.~\1:"·J'!T,J:<J_ _ _,,

Revisão Final - TRE-SP

Esperamos que este livro possa ajudá-lo a conquistar a tão sonhada vaga ao cargo
do TRE-SP. Caso queira fazer alguma sugestão ou crítica às matérias, estamos sempre à
disposição.

Outubro/2016.
HENRIQUE CORREIA
Coordenador

COORD
Procura
saraiva.com
tora Juspo
Site: ww
Twitter
lntagra
Perisco

DANIL
Analista
em Direito

DUDA
Profess
tica e Grad
Simulaço e
Curso tnfa
Grupo
Twitter
Contat

EDEMN
Profess
tipla e do
Direito e d
do Institut
E-mail -
Redes s
poli / Snap

Final - TRE-SP

vaga ao cargo
mos sempre à Sobre os Autores
Outubro/2016.
QUE CORREIA
Coordenador

COORDENADOR: HENRIQUE CORREIA
Procurador do Trabalho. Professor de Direito do Trabalho do CERS on-line (www.renato-
saraiva.com.br). Autor e Coordernador de diversos livros para concursos público pela Edi-
tora Juspodivm.
Site: www.henriquecorreia.com.br
Twitter: @profcorreia
lntagram: Prof_correia
Periscope: @henrique_correia

DANILO DA CUNHA SOUSA
Analista Judiciário. Oficial de Justiça Avaliador Federal do TRF da 3ª Região. Mestrando
em Direito pela UNESP-Franca. E-mail: danilojur@yahoo.com.br.

DUDA NOGUEIRA
Professora de Língua Portuguesa para concursos públicos. Pós-graduada em Linguís-
tica e Graduada em Letras. Autora de vários livros das Coleções Tribunais e MPU, Revisaço,
Simulaço e Sinopses para carreiras fiscais. Coordenadora Editorial JusPodivm. Docente no
Curso tnfase e no curso EuVouPassar.
Grupo de estudos Facebook- Duda Nogueira Língua Portuguesa para concursos.
Twitter, lnstagram e Periscope - @DudaProfe
Contato - professoraduda@gmail.com

EDEMNAPOLI
Professor de Direito Constitucional do CERS Cursos Online. Diretor Executivo da Mbl-
tipla e do CERS Salvador. Professor dos Cursos de Especialização da Faculdade Baiana de
Direito e da Estácio/CERS. Pós-Graduado em Direito - Faculdade Baiana de Direito. Membro
do Instituto de Direito Constitucional da Bahia - IDCB. Advogado
E-mail - professoredem@gmail.com
Redes sociais - lnstagram: @edemnapoli / Facebook: Edem Nápoli / Periscope: edemna-
poli / Snapchat: edemnapoli / Twitter: @edemnapoli

Revisão Final - TRE-SP Sobre os Autores

EMANNUELLE GOUVEIA Fanpage: Pro

Bacharel em Ciência da Computação. Especialista em Gerência de Projetos e em Cripto- lnstagram: pr
grafia e Segurança da Informação. Servidora Pública. Atua na área acadêmica, em cursos de Twitter: Lidia
Graduação em Ciência da Computação e em (ursinhos para Concursos em vários Estados YouTube: Pro
do país. Professora do CERS cursos on-line.
Email: profali
Facebook: Emannuelle Gouveia

lnstagram: @emannuellegouveia
LUCIANO AL
Periscope: @emannuellegouveia Doutor em D
Twitter: @manurolimf fessor de Cursos

Email: manurolim@yahoo.com Site: www.luc
lnstagram: @

GIOVANNA CARRANZA
PAULO HEN
Formada em Administração de Empresas pela Universidade Centro Americana - UCA.
Mestrando e
Especialista em Marketing e Publicidade. Mestre em Marketing Estratégico. Foi Diretora
pela mesma facu
Administrativa e Cultural da Embaixada do Brasil na Nicarágua. Atualmente é Consultora
Organizacional e docente de Administração, Marketing e Ética nos principais cursos prepa- E-mail: paulo
ratórios para concursos do Brasil. Sócia-proprietária do curso preparatório para concursos
Prime, em Fortaleza. Autora e coautora de diversos livros de administração.
ROSNEI STE
Email: falecom@giovannacarranza.com
Graduado em
Face: Giovanna Carranza Ex-Chefe Substi
Saúde da FIOCR
lnstagram @giovannacarranza
públicos no Exé
Facebook: Ro
JAIME BARREIROS NETO
lnstagram: @
Mestre em Direito (UFBA). Professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal E-mail: profro
da Bahia, aprovado em concurso de provas e títulos. Professor da Universidade Católica do
Site: www.ex
Salvador e da Faculdade Baiana de Direito. Analista Judiciário do Tribunal Regional Eleitoral
da Bahia. E-mail: jaimebarreirosneto@globo.com
RODOLFO M

LIDIANE COUTINHO Graduado em
lista "Júlio de ~e
Lidiane Coutinho é advogada, graduada em Direito pela Universidade Federal do Novas Tecnologi
Ceará- UFC, membro da comissão de Direito Constitucional da OAB/CE, especialista em sofia e Atualidad
Direito e Processo do Trabalho, pós-graduanda em Direito Constitucional pela Escola Supe- públicos (online
rior da Magistratura do Ceará- ESMEC. Foi servidora do Tribunal de Justiça do Estado do
Facebook: ht
Ceará no período de 1999 a 2008. Desde 200S leciona em cursos de atualização jurídica e
preparatórios para concursos públicos na área jurídica, administrativa e fiscal como profes- Site: www.rod
sora de Direito Administrativo e Organização Judiciária do Estado do Ceará. Contato: rodo

i

""' ~]

~

al - TRE-SP Sobre os Autores [ii]
1
t
Fanpage: Profa. Lidiane ~

~·~!
f;l
e em Cripto- lnstagram: profalidianecoutinho 1

i
m cursos de Twitter: Lidiane Coutinho
i
ios Estados YouTube: Profa. Lidiane Coutinho
Email: profalidiane@yahoo.com.br '

'

LUCIANO ALVES ROSSATO.
Doutor em Direito pela PUC/SP. Professor do Complexo de Ensino Renato Saraiva. Pro-
fessor de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu. Procurador do Estado de São Paulo.
1
~f':
Site: www.lucianorossato.pro.br.
lnstagram: @lucianorossato 1. Periscope: @lucianorossato ::1

,;
~.1
:.i
~~1
PAULO HENRIQUE BOLDRIN .1
~!
ana - UCA.
Mestrando em Direito pela Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da USP. Graduado

i
Foi Diretora '
pela mesma faculdade. Advogado. '
Consultora
'

rsos prepa- E-mail: paulomboldrin@gmail.com
concursos

ROSNEI STEFANES
Graduado em Administração Geral e mestrando profissional em Administração Pública.
Ex-Chefe Substituto de Administração e Finanças do IBAMA/RO. Analista de Gestão em
1
.t1'
~;.!
Saúde da FIOCRUZ (aprovado em 1 lugar). Professor de administração para concursos
,
públicos no Exército PHD 1 Concursos Públicos.
Facebook: Robnei Stefanes
r '!
1

1

lnstagram: @robnei ! ;'I
li

ade Federal E-mail: profrobnei@hotmail.com
~;
~\i
Católica do
nal Eleitoral
Site: www.exercitophd.com.br ~i
~
RODOLFO MUNIZ ALVES GRACIOLI
Graduado em Ciências Sociais (Bacharel e Licenciatura) pela Universidade Estadual Pau-
lista "Júlio de ~esquita Filho" (UNESP). Pós-graduado em "Política, Gestão Educacional e
1
t:
Federal do Novas Tecnologias de Informação e Comunicação" (UNESP). Professor de Sociologia, Filo-
~r:.
.-
cialista em sofia e Atualidades de redes particulares de ensino e cursos preparatórios para concursos .1
:1
scola Supe- ·1
públicos (online e presencial). ,~:
Estado do .1
li
Facebook: https://www.facebook.com/rodolfo.gracioli
o jurídica e

!,J
mo profes- Site: www.rodolfogracioli.com.br
'
'
Contato: rodolfogracioli@uol.com.br / rodolfogracioli@gmail.com 1

i

. ···''

GRAMÁTI
Duda Nogu

PARTE 1- A
1. Apresen
2. Edital si
PARTE li - F

CAPÍTULO 1
1. Introduç
2. O alfabe
3. Empreg
4. Empreg
4.1. E
4.2. E
5. Empreg
6. Empreg
7. Empreg
7.1. E
7.2. E
8. Empreg
8.1. E
8.2. E
8.3. E
8.4. E
8.5. E
8.6. E
8.7. E

Sumário

GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO DA LÍNGUA PORTUGUESA
Duda Nogueira

PARTE 1- APRESENTAÇÃO E EDITAL SISTEMATIZADO
1. Apresentação................................................................................................................................... 55
2. Edital sistematizado...................................................................................................................... 55
PARTE li - FONOLOGIA

CAPÍTULO 1. ORTOGRAFIA........................................................................................................... 57
1. Introdução........................................................................................................................................ 57
2. O alfabeto......................................................................................................................................... 57
3. Emprego das letras K, W e Y....................................................................................................... 57
4. Emprego de Xe eh........................................................................................................................ 58
4.1. Emprega-se o X................................................................................................................. 58
4.2. Emprega-se o dígrafo eH............................................................................................... 58
5. Emprega-se o G............................................................................................................................... 58
6. Emprega-se o J................................................................................................................................ 59
7. Emprego das letras S e Z ............................................................................................................. 59
7.1. Emprega-se o S.................................................................................................................. 59
7.2. Emprega-se o 2................................................................................................................. 59
8. Emprego de S, Ç, Xe dos dígrafos se, SÇ, SS, xe, XS......................................................... 60
8.1. Emprega-se o S.................................................................................................................. 60
8.2. Emprega-se Ç..................................................................................................................... 60
8.3. Emprega-se o X................................................................................................................. 60
8.4. Emprega-se Se.................................................................................................................. 60
8.5. Emprega-se SÇ .................................................................................................................. 60
8.6. Emprega-se SS................................................................................................................... 61
8.7. Emprega-se o xe e o XS ................................................................................................. 61

r 16 1 Revisão Final - TRE-SP Sumário

9. Emprego das letras E e 1.............................................................................................................. . 61 4 Uso do hífen c
9.1. Emprega-se o E................................................................................................................. . 61 5. Uso do hífen c
9.2. Emprega-se o 1................................................................................................................ .. 61 5.1. Casos p
1O. Emprego das letras O e U.......................................................................................................... .. 62 5.2. Outros
11. Emprego da letra H....................................................................................................................... . 62
PARTE Ili - MORFO
11.1. Emprega-seoH ................................................................................................................. 62
CAPITULO 1. FLEX
12. Em concursos ................................................................................................................................. .. 62
1. Introdução .....
12.1. Emprego dos porquês ................................................................................................... . 62
2. Classificação e
12.2. Mal e mau ............................................................................................................................ 63
2.1. Classes
12.3. Viagem e viajem ............................................................................................................... . 63
2.2. Classes
12.4. Cessão, sessão e seção (ou secção) ............................................................................ 63
12.5. Onde e aonde .................................................................................................................. .. 63 3. Flexão do sub
12.6. Se não e senão ................................................................................................................. .. 3.1. Flexão
63
12.7. Tão pouco e tampouco ................................................................................................ .. 3.1.1.
64
12.8. De encontro a e ao encontro de ............................................................................... .. 64 3.1.2.
12.9. Em vez de e ao invés de ............................................................................................... .. 64 3.1.3.
12.1 O. Acerca de, a cerca de e há cerca de ........................................................................... . 64 3.1.4.
12.11. Mas e mais ......................................................................................................................... .. 64 3.2. Flexão
12.12. Afim e afim ......................................................................................................................... 6S 4. Flexões do ad
12.13. Se quer e sequer .............................................................................................................. . 6S 4.1. Flexão
4.1.1.
CAPÍTULO 2. ACENTUAÇÃO .......................................................................................................... 67
1. Introdução ....................................................................................................................................... . 67
4.1.2.
2. Regras de acentuação gráfica .................................................................................................. .. 67
2.1. Proparoxítonas ................................................................................................................. . 67
4.2. Flexã
2.2. Paroxítonas ....................................................................................................................... .. 67
4.2.1.
2.2.1. Observações ..................................................................................................... . 68
2.3. Oxítonas ............................................................................................................................... 68
4.3.2.
2.4. Monossílabos .................................................................................................................... . 68
2.4.1. Monossílabos Tônicos.................................................................................... . 68 CAPITULO 2. CL
2.4.2. Monossílabos Átonos ................................................................................... .. 69 PRONOME ..........
2.4.3. Observações .................................................................................................... .. 69 1. Introdução
2.5. Regras Especiais ............................................................................................................... . 69 2. Definição ...
2.5.1. Ditongos abertos ........................................................................................... .. 69 3. Pronome ad
2.5.2. Hiatos .................................................................................................................. . 69 4. Classificaçã
2.5.3. Verbos TER e VIR ............................................................................................. .. 70 4.1. Pron
CAPÍTULO 3. REFORMA ORTOGRÁFICA ....................................................................................
4.1.1
71
1. Mudanças no alfabeto ................................................................................................................ .. 4.1.2
71
2. Trema ................................................................................................................................................ .. 71
4.2. Pron
3. Mudanças nas regras de acentuação ..................................................................................... . 71
4.2.1

al - TRE-SP
[ 11 1
Sumário

4 Uso do hífen com compostos .................................................................................................... 72
........ . 61
5. Uso do hífen com prefixos ........................................................................................................ .. 73
........ . 61
74
....... .. 61 5.1. Casos particulares ..............................................................;.............................................
5.2. Outros casos do uso do hífen ....................................................................................... 74
....... .. 62
........ . 62
PARTE Ili - MORFOLOGIA
......... 62 77
CAPITULO 1. FLEXÃO NOMINAL.................................................................................................
....... .. 62 77
1. Introdução ...................................................................................................................................... ..
........ . 62 77
2. Classificação e flexão das palavras ......................................................................................... ..
......... 63 77
2.1. Classes gramaticais variáveis ........................................................................................
........ . 63 79
2.2. Classes gramaticais invariáveis ................................................................................... .
......... 63
3. Flexão do substantivo ................................................................................................................. .
79
....... .. 63 ~=
3.1. Flexão de Número do substantivo ............................................................................. 79 1·
....... .. 63
3.1.1. Plural dos Substantivos Simples ................................................................. 79
....... .. 64
80
l!
....... .. 64 3.1.2. Plural dos Substantivos Compostos ......................................................... .
3.1.3. Plural das Palavras Substantivadas ........................................................... . 81
....... .. 64
........ .
....... ..
64 3.1.4. Plural dos Diminutivos ...................................................................................
3.2. Flexão de Grau do Substantivo ................................................................................. ..
81
81 1
~
~.·
64
82 ~
4. Flexões do adjetivo ........................................................................................................................

~
......... 6S
4.1. Flexão de Número ........................................................................................................... . 82
........ . 6S ~

4.1.1. Plural dos Adjetivos Simples ...................................................................... .. 82
......... 67 82 !.'
4.1.1.1. Em concursos ................................................................................... . r:
........ . 67 82
4.1.2. Plural dos Adjetivos Compostos ............................................................... ..
....... .. 67 82
4.1.2.1. Em concursos .................................................................................. ..
........ . 67 83
4.2. Flexão de Grau .................................................................................................................. . t!
....... .. 67

i
4.2.1. Grau comparativo ........................................................................................... . 83
........ . 68 83
4.2.1.1. Em concursos .................................................................................. ..
......... 68 83
4.3.2. Grau superlativo .............................................................................................. .
........ . 68 ?.
........ . 68 CAPITULO 2. CLASSES GRAMATICAIS ........................................................................................
ss '~
85 ~
....... .. 69 PRONOME ................................................................................................................................................ .
85 ~
....... .. 69 1. Introdução ...................................................................................................................................... .. r
........ . 85
69 2. Definição ......................................................................................................................................... .. '~·1

85 i':I
....... .. 69 3. Pronome adjetivcf e substantivo ...............................................................................................
........ . 69 85
4. Classificação dos pronomes ..................................................................................................... ..
....... .. 70 85 •:
4.1. Pronome pessoal .............................................................................................................. ti
86
......... 71
4.1.1. Em Concursos .................................................................................................... ~
4.1.2. Emprego dos Pronomes Pessoais ............................................................ .. 86
....... .. 71
4.2. Pronomes de tratamento .............................................................................................. 88
....... .. 71
91 1
........ . 71
4.2.1. Em concursos .................................................................................................... ~
~
~
~
r

Sumário
Ciãl.,___ _ Revisão Final - TRE-SP

8 . Voz verb
4.3. Pronome possessivo ....................................................................................................... . 92
8.1. V
4.3.1. Morfossintaxe do Pronome Possessivo .................................................... 92
8.2. V
4.3.2. Em Concursos ................................................................................................... . 92
8
4.4. Pronome Demonstrativo .............................................................................................. . 93
8
4.4.1. Emprego do Pronome Demonstrativo ..................................................... 93
4.5. Pronome Relativo ............................................................................................................. 94 9. Preposiçã
4.5.1. Emprego do Pronome Relativo .................................................................. . 94 9.1. I
4.6. Pronome Indefinido ........................................................................................................ 95 9.2. D
4.6.1. Em concursos ................................................................................................... . 96 9.3. C
4.7. Pronome Interrogativo .................................................................................................. . 96 9.4. L
5. Colocação pronominal ................................................................................................................. 96 9.5. R
5.1. Próclise ................................................................................................................................ . 97 PARTE IV - S
5.2. Mesóclise ............................................................................................................................ . 97
CAPITULO 1
5.3. i:nclise ................................................................................................................................... 97
1. Introduç
6. Em locuções verbais ..................................................................................................................... . 98
2. Definiçã
VERBO ......................................................................................................................................................... 98
3. Sintaxe
1. Introdução ....................................................................................................................................... . 98
2. Definição .......................................................................................................................................... . 3.1. F
98
3. Classificação verbal ....................................................................................................................... 98 3
3.1. Defectivos .......................................................................................................................... . 99
3.2. Abundantes ...................................................................................................................... .. 99
3.3. Anômalos ........................................................................................................................... . 100 3
3.3.1. Em concursos.................................................................................................... 101 3
3.4. Auxiliares ............................................................................................................................. 101 3.2. T
3.5. Pronominais ....................................................................................................................... 101 3
3.5.1. Conjugação........................................................................................................ 102
3.5.2. Em concursos .................................................................................................... 102 3
4. Modo verbal ..................................................................................................................................... 102
4.1. Formas Nominais ............................................................................................................. . 102
4.1.1. Em concursos .................................................................................................... 103
5. Tempo verbal ................................................................................................................................... 103
5.1. Tempos Primitivos ............................................................................................................ 104
5.2. Tempor Derivados do Presente do Indicativo ....................................................... 105
5.3. Tempos Derivados do Pretérito Perfeito do Indicativo ....................................... 106
CAPITULO 2
5.4. Tempos Derivados do Infinitivo Impessoal... .......................................................... 107
1. Introdu
5.5. Tempos Compostos ........................................................................................................ . 108
2. Objeto
6. Aspecto verbal ................................................................................................................................ 110
2.1. E
7. Infinitivo pessoal e impessoal .................................................................................................. .. 110
2.2. O
7.1. Emprego do Infinitivo impessoal.. .............................................................................. 111
2.3. O
7.2. Emprego do Infinitivo pessoal .................................................................................... . 112

Final - TRE-SP
Sumário
------- ------·--·-·-------- ---------------------------- ________0
8 . Voz verbal.......................................................................................................................................... 112
.............. . 92
8.1. Voz Ativa.............................................................................................................................. 112
............... 92
8.2. Voz Passiva.......................................................................................................................... 112
.............. . 92
8.2.1. Passiva Analítica............................................................................................... 112
.............. . 93
8.2.2. Passiva Sintética............................................................................................... 113
............... 93
............... 94 9. Preposição........................................................................................................................................ 114
.............. . 94 9.1. Introdução .......................................................................................................................... 114
9.2. Definição.............................................................................................................................. 114
............... 95
.............. . 96 9.3. Classificação das Preposições ...................................................................................... 114
.............. . 96 9.4. Locução Prepositiva ......................................................................................................... 114
............... 96 9.5. Relações das Preposições ............................................................................................. . 115
.............. . 97 PARTE IV - SINTAXE
.............. . 97
CAPITULO 1. TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO .................................................................... 117
............... 97
1. Introdução ........................................................................................................................................ 117
.............. . 98
2. Definição .......................................................................................................................................... . 117
............... 98
3. Sintaxe de oração - termos essenciais .................................................................................. . 117
.............. . 98
3.1. Frase, oração e período .................................................................................................. 117
.............. . 98
3.1.1. Frase ..................................................................................................................... . 117
............... 98
3.1.1.1. Tipos de frase ................................................................................... . 117
.............. . 99
............. .. 99 3.1.1.2. Construção da frase ....................................................................... . 118
.............. . 100 3.1.2. Oração .................................................................................................................. 118
............... 101 3.1.3. Período................................................................................................................. 118
............... 101 3.2. Termos essenciais da oração........................................................................................ 118
............... 101 3.2.1. Sujeito.................................................................................................................. 118
............... 102 3.2.1.1. Em concursos.................................................................................... 119
............... 102 3.2.2. Predicado ........................................................................................................... . 120
............... 102 3.2.2.1. Predicação verbal ............................................................................ 120
.............. . 102 3.2.2.1.1. Estados do verbo de ligação .................................. . 121
............... 103 3.2.2.1.2. Em concursos ............................................................... 121
............... 103 3.2.2.3. Predicativo ......................................................................................... 121
............... 104 3.2.2.3.1. Morfossintaxe dos predicativos ............................ . 122
............... 105 3.2.2.4. Classificação do predicado........................................................... 122
............... 106 123
CAPITULO 2. TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO ...............................................................
............... 107
1. Introdução ....................................................................................................................................... . 123
.............. . 108
2. Objeto direto ................................................................................................................................... 123
............... 110
2.1. Em Concursos ................................................................................................................... . 123
............. .. 110
2.2. Objeto Direto Preposicionado ..................................................................................... 124
............... 111
2.3. Objeto Direto Pleonástico ........................................................................................... .. 124
.............. . 112

Revisão Final - TRE-SP Sumário

3. Objeto indireto............................................................................................................................... . 124 4.3. Subord
3.1. Objeto Indireto Pleonástico ......................................................................................... . 125 4.3.1.
4. Morfossintaxe dos complementos verbais .......................................................................... . 125 4.3.2.
5. Agente da passiva ......................................................................................................................... . 125 4.3.3.
5.1. Em concursos .................................................................................................................... . 126 4.4. Subord
5.2. Morfossintaxe do agente da passiva ......................................................................... 126 4.4.1.
126 4.4.2.
6. Complemento nominal ............................................................................................................... .
127 4.5. Oraçõe
6.1. Morfossintaxe do complemento nominal.............................................................. .
4.5.1.
7. Diferença entre complemento nominal e objeto indireto .............................................. 127
8. Diferença entre complemento nominal e agente da passiva ........................................ 128 CAPÍTULO 5.CON
9. Diferença entre complemento nominal e adjunto adnominal .................................... . 128 1. Introdução.......
2. Concordância
CAPÍTULO 3. TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO ................................................................. 129 2.1. Casos
1. Introdução ....................................................................................................................................... . 129 2.2. Sujeito
2. Adjunto adnominal ...................................................................................................................... . 129 2.2.1.
2.1. Morfossintaxe do adjunto adnominal ...................................................................... 129 2.2.2.
2.2. Em concursos .................................................................................................................... . 129 2.3. Verbo
3. Adjunto adverbial ......................................................................................................................... . 130 2.4. Verbo
3.1. Diferença entre adjunto adverbial e predicativo ................................................. . 130 2.5. Haja v
3.2. Classificação do adjunto adverbial ........................................................................... 130 3. Concordância
3.3. Morfossintaxe do adjunto adverbial ........................................................................ . 131 3.1. Casos
4. Aposto ............................................................................................................................................... . 131 CAPITULO 6. REG
4.1. Morfossintaxe do aposto .............................................................................................. . 131 1. Introdução.......
4.2. Classificação do aposto ................................................................................................. . 131 2. Regência ver
4.3. Em concursos .................................................................................................................... . 132 2.1. Verbo
5. Vocativo ............................................................................................................................................ . 132 2.2. Verbo
5.1. Morfossintaxe do vocativo ........................................................................................... . 132 2.3. Lista d
3. Regência nom
CAPÍTULO 4. PERfODO COMPOSTO ........................................................................................... 133
CAPÍTUL07.CRA
1. Introdução ........................................................................................................................................ 133
1. Introdução......
2. Conceitos ......................................................................................................................................... . 133
2. Regra geral....
3. Coordenação .................................................................................................................................. . 133 3. Casos em qu
3.1. Assindéticas ....................................................................................................................... . 133
4. Diante de no
3.2. Sindéticas ........................................................................................................................... . 133 5. Diante de pr
3.3. Em concursos .................................................................................................................... . 134 6. Com pronom
4. Subordinação .................................................................................................................................. 134 7. Com pronom
4.1. Introdução ......................................................................................................................... . 134 8. Antes da pal
4.2. Subordinada substantiva .............................................................................................. . 135 9. Crase faculta
4.2.1. Em concursos ................................................................................................... . 136 1O. Não se usa c

L

al - TRE-SP Sumário - ---·--·· -------- ------ _121]
........ . 124 4.3. Subordinada adjetiva...................................................................................................... 136
........ . 125 4.3.1. Classificação das subordinadas adjetivas................................................ 136
........ . 125 4.3.2. Em concursos.................................................................................................... 137
........ . 125 4.3.3. Funções sintáticas do pronome relativo.................................................. 137
........ . 126 4.4. Subordinada adverbial................................................................................................... 137
.......... 126 4.4.1. Classificação....................................................................................................... 138
126 4.4.2. Em concursos.................................................................................................... 139
........ .
127 4.5. Orações reduzidas............................................................................................................ 139
........ .
4.5.1. Classificação....................................................................................................... 139
.......... 127
.......... 128 CAPÍTULO 5.CONCORDÂNCIA .................................................................................................... 141
......... . 128 1. Introdução........................................................................................................................................ 141
2. Concordância verbal..................................................................................................................... 141
.......... 129 2.1. Casos particulares............................................................................................................ 141
......... . 129 2.2. Sujeito composto............................................................................................................. 142
......... . 129 2.2.1. Casos particulares............................................................................................ 143
.......... 129 2.2.2. Verbo+ SE........................................................................................................... 143
......... . 129 2.3. Verbo SER............................................................................................................................ 144
......... . 130 2.4. Verbo PARECER.................................................................................................................. 145
......... . 130 2.5. Haja vista............................................................................................................................. 145
.......... 130 3. Concordância nominal................................................................................................................. 145
......... . 131 3.1. Casos particulares............................................................................................................ 146
......... . 131 CAPITULO 6. REGl:NCIA.................................................................................................................. 149
......... . 131 1. Introdução........................................................................................................................................ 149
......... . 131 2. Regência verbal .............................................................................................................................. 149
.......... . 132 2.1. Verbos que apresentam uso popular em desacordo com a norma culta.... 149
.......... . 132 2.2. Verbos que possuem mais de uma regência.......................................................... 150
......... . 132 2.3. Lista de verbos notáveis................................................................................................. 151
3. Regência nominal.......................................................................................................................... 152
.......... 133
CAPÍTUL07.CRASE......................................................................................................................... 153
........... 133
1. Introdução........................................................................................................................................ 153
.......... . 133
2. Regra geral........................................................................................................................................ 153
.......... . 133 3. Casos em que sempre haverá crase........................................................................................ 153
.......... . 133
4. Diante de nomes de lugar.........l··········································································....................... 154
.......... . 133 5. Diante de pronome demonstrativo......................................................................................... 154
.......... . 134 6. Com pronome relativo................................................................................................................. 155
........... 134 7. Com pronome demonstrativo................................................................................................... 155
.......... . 134 8. Antes da palavra distância.......................................................................................................... 155
.......... . 135 9. Crase facultativa ............................................................................................................................. 156
.......... . 136 1O. Não se usa crase ............................................................................................................................. 156

L

,..-
r-:;:;1
Revisão Final - TRE-SP
L~-~--------- -- ·-·----------
Sumário

CAPITULO 8. PONTUAÇÃO ......................................--.................................................................. 157 NOÇÕES D
1. Introdução ........................................................................................................................................ 157
Emannuelle
2. Vírgula ................................................................................................................................................ 157
2.1. Vírgula no interior da oração ........................................................................................ 157 CAPITULO 1
2.2. Vírgula entre as orações ................................................................................................ . 158 PARA EDIÇÃ
3. Ponto e vírgula .............................................................................................................................. .. 159 OFFICE 2013
4. Dois-pontos .................................................................................................................................... .. 159 1. Word .....
5. Ponto final.. ..................................................................................................................................... .. 160 1.1. G
6. Ponto de interrogação ................................................................................................................. 160 1.2. Te
7. Ponto de exclamação ................................................................................................................... 160 2. Excel ......
8. Reticências ....................................................................................................................................... . 160 2.1. G
9. Parênteses......................................................................................................................................... 161 2.2. P
10. Travessão ........................................................................................................................................... 161 2.3. P
11. Aspas ................................................................................................................................................ .. 161 3. PowerPo
12. Colchetes ........................................................................................................................................... 161 3.1. G
13. Asterisco .......................................................................................................................................... .. 161 4. Writer......
PARTE V - COESÃO E COERÊNCIA - REESCRITURA DE FRASES 4.1. P
4.2. P
CAPÍTULO 1 - COESÃO E COERÊNCIA - REESCRITURA DE FRASES ................................. . 163
5. Cale.........
1. Introdução ...................................................................................................................................... .. 163
5.1. B
2. Coesão referencial ........................................................................................................................ . 163
5.2. P
3. Coesão sequencial ......................................................................................................................... 164
6. lmpress...
3.1. Paráfrase ............................................................................................................................. . 165
6.1. B
3.2. Perífrase ............................................................................................................................. .. 165
6.2. P
4. Tipos de incoerência .................................................................................................................... . 165
5. Estudo dos vocábulos QUE, SE e COMO ............................................................................... . 166 CAPITULO li
5.1. A Palavra Que .................................................................................................................... . 166 RE. CONCEIT
5.1.1. Funções Sintáticas da palavra Que .......................................................... .. 166 E PROGRAM
5.2. A Palavra Se ...................................................................................................................... .. 168 1. Noções
5.3. A Palavra Como ................................................................................................................. 169 2. Windows
3. Conceito
PARTE VI - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO
e progra
CAPITULO 1. INTERPRETAÇÃO DE TEXTO................................................................................. 171 4. Teclas d

~: ~~;:i~~;:~~~~~·~;::::::r:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
171
CAPITULO I
172
FERRAMENT
3. Gêneros textuais ........................................................................................................................... .. 172 TRANET E RE
3.1. Gêneros literários ............................................................................................................. 173 REIO ELETR
3.2. Gêneros dramáticos ...................................................................................................... .. 174 1. Conceito
3.3. Gêneros líricos .................................................................................................................. . 174 e proced
4. Dicas para interpretar .................................................................................................................. . 174 2. Internet
Referências .............................................................................................................................................. .. 174 3. Correio

. --· .
. . ···-·- •.:.'.• ,..,.-.1

,..-
Final - TRE-SP Sumário 1
' 23-]
-----------·--·-·-·------------------ ------·-·-----------~---

................ 157 NOÇÕES DE INFORMÁTICA
................. 157
Emannuelle Gouveia
................. 157
................. 157 CAPITULO 1. CONCEITOS BÁSICOS E MODOS DE UTILIZAÇÃO DE APLICATIVOS
................ . 158 PARA EDIÇÃO DE TEXTOS, PLANILHAS EAPRESENTAÇÕES: AMBIENTE MICROSOFT
............... .. 159 OFFICE 2013 E LIBREOFFICE VERSÃO 4.1 OU SUPERIORES................................................ 179
............... .. 159 1. Word ................................................................................................................................................... 179
............... .. 160 1.1. GuiasdoWord2013 ........................................................................................................ 179
................. 160 1.2. Teclas de atalho do Word............................................................................................... 181
................. 160 2. Excel .................................................................................................................................................... 184
................ . 160 2.1. GuiasdoExcel2013 ......................................................................................................... 184
................ 161 2.2. Principais Funções do Excel .......................................................................................... 186
................. 161 2.3. Principais teclas de atalho do Excel ........................................................................... 188
............... .. 161 3. PowerPoint ....................................................................................................................................... 189
................. 161 3.1. Guias do PowerPoint 2013 ............................................................................................ 190
............... .. 161 4. Writer.................................................................................................................................................. 191
4.1. Principais Barras de Ferramenta do Writer: ............................................................. 191
4.2. Principais teclas de Atalho do Writer......................................................................... 192
............... . 163
5. Cale...................................................................................................................................................... 195
............... .. 163
5.1. Barras de Ferramentas do Cale.................................................................................... 196
................ . 163
5.2. Principais Teclas de Atalho............................................................................................ 197
................. 164
6. lmpress............................................................................................................................................... 200
................ . 165
6.1. Barras de Ferramentas do lmpress............................................................................. 200
............... .. 165
6.2. Principais Teclas de Atalho............................................................................................ 201
................ . 165
................ . 166 CAPITULO li. SISTEMAS OPERACIONAIS: WINDOWS XPn, SOFTWARE E HARDWA-
................ . 166 RE. CONCEITOS DE ORGANIZAÇÃO E DE GERENCIAMENTO DE ARQUIVOS, PASTAS
............... .. 166 E PROGRAMAS.................................................................................................................................. 205
............... .. 168 1. Noções Básicas de Hardwares................................................................................................... 205
................. 169 2. Windows............................................................................................................................................ 207
3. Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas
e programas. e compartilhamento de arquivo.................................................................... 207
................ 171 4. Teclas de Atalho.............................................................................................................................. 210

:::::::::::::::
171
CAPITULO Ili. CONCEITOS BÁSICOS E MODOS DE UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS,
172
FERRAMENTAS, APLICATIVOS E PROCEDIMENTOS ASSOCIADOS À INTERNET, IN-
............... .. 172 TRANET E REDES DE COMPUTADORES. INTERNET EXPLORERVERSÕES 9 E 11, COR-
................. 173 REIO ELETRÔNICO (WEBMAIL E MOZILLA THUNDERBIRD)................................................ 213
............... .. 174 1. Conceitos básicos e modos de utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos
................ . 174 e procedimentos associados à Internet, lntranet e redes de computadores........... 213
................ . 174 2. Internet Explorer versões 9 e 11 ............................................................................................... 216
............... .. 174 3. Correio eletrônico (webmail e Mozilla Thunderbird)........................................................ 219

----------

Revisão Final - TRE-SP Sumário

CAPÍTULO IV. CONCEITOS DE PROTEÇÃO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. VÍRUS, 2. Direitos Fund
WORMS EOUTROS TIPOS DE MALWARE ................................................................................... 221 2.1. Direito
1. Conceitos de proteção e segurança da informação.......................................................... 221 2.1.1.
2. Vírus, worms e outros tipos de malware................................................................................ 221 2.1.2.
3. Direito à igua
NORMAS APLICAVEIS AOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS
3.1. Atend
Lidiane Coutinho
4. Direito à vida
1. Agentes públicos............................................................................................................................ 225
1.1. Espécies de Agentes Públicos (Doutrina Clássica):.............................................. 226 5. Direito à hab
6. Direito à Saúd
REGIMENTO INTERNO DO TRE-SP 7. Direito A Edu
Jaime Barreiros Neto 8. Direito à mor
1. Da organização do Tribunal ....................................................................................................... 267 9. Direito à assi
2. Competência do Tribunal............................................................................................................ 268 1O. Direito à Prev
3. Das atribuições do presidente................................................................................................... 271 11. Direito à cult
4. Atribuições do Vice-presidente................................................................................................. 272 12. Direito ao tra
5. Atribuições do corregedor.......................................................................................................... 272 13. Acessibilidade
6. Do procurador-regional eleitoral............................................................................................. 274
13.1. Princí
7. Da ordem de serviço no Tribunal............................................................................................. 275
13.2. Premi
8. Dos processos no Tribunal.......................................................................................................... 277
13.3. Acess
9. Apuração das eleições.................................................................................................................. 281
1O. Da secretaria.................................................................................................................................... 281 13.4. Acess
11. Disposições gerais......................................................................................................................... 281 13.5. Tecno
13.6. Partic
CÓDIGO DE ÉTICA DO TRE-SP 14. Ciência e tec
Jaime Barreiros Neto 15. Acesso à just
1. Disposições iniciais........................................................................................................................ 285 16. Reconhecim
2. Direitos, deveres e vedações...................................................................................................... 286 17. Crimes ..........
3. Regras específicas para os ocupantes de cargos em comissão de direção e chefia
18. Reflexos do
ou de funções de natureza gerencial...................................................................................... 289
18.1. Direit
4. Condutas éticas em situações diversas.................................................................................. 289
5. Comissão Permanente de ttica................................................................................................. 290 18.2. Direit
6. Disposições finais........................................................................................................................... 291 19. Disposições

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICl~NCIA PLANO ESTRA
Paulo Henrique Boldrin Jaime Barreiros
1. Introdução ....................................................................................................................................... . 295 i 1. Macrodesafi
1.1. Pessoa com Deficiência ................................................................................................. . 296 ! 2. Revisão do p
1
1
1.2. Conceitos do Estatuto da Pessoa com Deficiência .............................................. . 298 1 3. Comitê gest
1
1

·•--· -•rr
f;
.-... -.,,_.....~~-• -~""'"""' ~'"···--•·'"'-'·'-"" ~· ... - - ..... ,..,..-~-~,., .. ....,._..,,.._~,_~
L

-----------·-·--------------·-· · - - - - -
li
~
nal - TRE-SP Sumário _[~5]
1

'
ÍRUS, 2. Direitos Fundamentais................................................................................................................. 299 ~
........... 221 2.1. Direito ao Trabalho........................................................................................................... 299 l
1
'

'
.......... 221 2.1.1. Habilitação e reabilitação profissional..................................................... 301 '
........... 221 2.1.2. Inclusão da pessoa com deficiência no trabalho................................. 302
3. Direito à igualdade e à não discriminação............................................................................ 303
3.1. Atendimento Prioritário da Pessoa com Deficiência........................................... 306
4. Direito à vida.................................................................................................................................... 306
........... 225
........... 226 5. Direito à habilitação e à reabilitação....................................................................................... 308
6. Direito à Saúde................................................................................................................................ 309
7. Direito A Educação........................................................................................................................ 312
8. Direito à moradia............................................................................................................................ 314
........... 267 9. Direito à assistência social .......................................................................................................... 315
........... 268 1O. Direito à Previdência Social........................................................................................................ 317
........... 271 11. Direito à cultura, ao esporte, ao turismo e ao lazer........................................................... 317
........... 272 12. Direito ao transporte e mobilidade......................................................................................... 319
........... 272 13. Acessibilidade.................................................................................................................................. 321
........... 274
13.1. Princípio do Desenho Universal.................................................................................. 323
........... 275
13.2. Premissas Básicas de Acessibilidade.......................................................................... 323
........... 277
13.3. Acessibilidade em Edificações, Vias e Espaços Públicos..................................... 323
........... 281
........... 281 13.4. Acesso à Informação e à Comunicação.................................................................... 324
........... 281 13.5. Tecnologia Assistiva......................................................................................................... 326
13.6. Participação na Vida Pública e Política..................................................................... 327
14. Ciência e tecnologia...................................................................................................................... 328
15. Acesso à justiça............................................................................................................................... 329
........... 285 16. Reconhecimento igual perante a lei ....................................................................................... 329
........... 286 17. Crimes .................................................................................................................................. :............. 332
chefia
18. Reflexos do estatuto da pessoa com deficiência nos demais ramos do direito...... 333
........... 289
18.1. Direito do Trabalho.......................................................................................................... 334
........... 289
........... 290 18.2. Direito Civil......................................................................................................................... 336
........... 291 19. Disposições finais e transitórias····················+········································································ 339

PLANO ESTRATÉGICO DOTRE-SP PARA O PERÍODO DE 2016-2021
Jaime Barreiros Neto
.......... . 295 i 1. Macrodesafios, missão, visão e valores.................................................................................. 345
.......... . 296 ! 2. Revisão do plano estratégico..................................................................................................... 346
1
1
.......... . 298 1 3. Comitê gestor de estratégia....................................................................................................... 346
1
1

~,_~
L ,.-· ·:·

"'í'f'.". ·'

[~]_ ____ ----------- Revisão Final - TRE-SP Sumário

TEMAS DE REDAÇÃO 8.3. Ca
Rodolfo Gracioli 8.4. Int
PERFIL DA BANCA EXAMINADORA FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) ..................... 9. Desafios d
351
10. Temas ge
1. Representação da mulher na esfera política ........................................................................ 352
Referências B
1.1. O que os dados dizem? ................................................................................................. . 352
1.2. Qual gancho o examinador pode solicitar para a reflexão?............................. 354
1.3. O que já foi feito para diminuir essa discrepância na participação femini-
na na esfera política brasileira?................................................................................... 356
1.4. Intervenções para a proposta...................................................................................... 358 DIREITO CO
2. Os 20 anos da urna eletrônica................................................................................................... 360 EdemNápoli
2.1. Destrinchando o tema .................................................................................................... 360 1. Constituiç
2.2. Argumentos de defesa da utilização da urna eletrônica .................................. . 363 2. Poder con
2.3. Argumentos contrários à utilização da urna eletrônica ..................................... 365 3. Interpreta
3. Votos brancos e votos nulos como mecanismos de protestos ..................................... 379 4. Aplicabil
3.1. Entendendo a questão do voto nulo e voto branco............................................ 380 5. Controle
3.2. O mito da anulação do pleito eleitoral .................................................................... . 381 6. Dos princ
3.3. Qual o significado, portanto, dos votos brancos e nulos? ................................. 382 7. Dos direi
3.5. Argumentos favoráveis ao voto nulo e branco .................................................... . 383 8. Da organ
3.6. Argumentos contrários ao voto nulo e branco ..................................................... 384 8.1. Da
3.7. Intervenção para a questão .......................................................................................... 384 8.2. Da
3.8. Eleição municipal de 2016 ........................................................................................... . 385 8.3. Do
4. Obrigatoriedade do voto: saúde ou desgaste para o pleito ......................................... .. 387 8.4. D
4.1. Argumentos favoráveis ao voto facultativo .......................................................... .. 388 7.5. Do
4.2. Argumentos favoráveis ao voto obrigatório .......................................................... 389 7.6. Da
5. Corrupção: do cotidiano à esfera política ............................................................................ . 390 7.
5..1. Extensão de base argumentativa ............................................................................. .. 391 7.
5.2. Números da corrupção ................................................................................................... 394 8. Da organ
6. Abstencionismo, amnésia eleitoral e analfabetismo político: recortes da política 8.1. D
contemporânea ............................................................................................................................ .. 395 8.2. D
6.1. Questão do Abstencionismo ...................................................................................... .. 395 8.3. D
6.2. Amnésia eleitoral.............................................................................................................. 397 8.
6.3. Analfabetismo político como efeito sintomático da realidade brasileira.... 403 8.
6.4. Intervenções...................................................................................................................... . 406 8.
7. Política, Religião e Sexualidade na sala de aula: necessidade ou futilidade? ........... 407 8.
8. Ativismo virtual e a tecnologia nas eleições ...................................................................... .. 411 8.
8.1. Democracia ....................................................................................................................... .. 412 8.
8.2. Referências histórias ao termo democracia .......................................................... .. 413 D
8.4.

inal - TRE-SP Sumário _ _[_~1]
8.3. Caminhas para o ativismo virtual ............................................................................. .. 414
8.4. Intervenções ..................................................................................................................... .. 416
9. Desafios da promoção de uma cultura inclusiva ................................................................ 419
........... 351
10. Temas gerais para a prova ........................................................................................................... 423
............ 352
Referências Bibliográficas .................................................................................................................... 429
.......... . 352
........... 354
emini-
........... 356
........... 358 DIREITO CONSTITUCIONAL
........... 360 EdemNápoli
........... 360 1. Constituição: conceito e classificação .................................................................................. .. 435
.......... . 363 2. Poder constituinte ........................................................................................................................ . 436
........... 365 3. Interpretação ................................................................................................................................... 440
........... 379 4. Aplicabilidade das Normas Constitucionais ....................................................................... .. 442
........... 380 5. Controle de constitucionalidade ............................................................................................ .. 444
.......... . 381 6. Dos princípios fundamentais .................................................................................................... . 468
........... 382 7. Dos direitos e garantias fundamentais .................................................................................. . 475
.......... . 383 8. Da organização do Estado ......................................................................................................... . 527
........... 384 8.1. Da Organização Político-Administrativa ................................................................. . 527
........... 384 8.2. Da União .............................................................................................................................. 528
.......... . 385 8.3. Dos Estados Federados ................................................................................................. . 532
......... .. 387 8.4. Dos Municípios ................................................................................................................. . 535
......... .. 388 7.5. Do Distrito Federal e dos Territórios ........................................................................ .. 537
........... 389 7.6. Da Administração Pública ............................................................................................. 539
.......... . 390 7.6.1. Disposições gerais .......................................................................................... . 539
........ .. 391 7.6.2. Dos servidores públicos ................................................................................ 541
........... 394 8. Da organização dos poderes ..................................................................................................... 542
olítica 8.1. Do Poder Legislativo ...................................................................................................... . 542
........ .. 395 8.2. Do Poder Executivo ....................................................................................................... .. 556
........ .. 395 8.3. Do Poder Judiciário........................................................................................................ .. 565
.......... 397 8.3.1. Disposições gerais .......................................................................................... . 565
ira.... 403 8.3.2. Do Supremo Tribunal Federal ...................................................................... 573
......... . 406 8.3.3. Do Superior Tribunal de Justiça ................................................................. . 573
.......... 407 8.3.4. Dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais .................. .. 574
........ .. 411 8.3.5. Dos Tribunais e Juízes Eleitorais .................................................................. 574
........ .. 412 8.3.6. Dos Tribunais e Juízes dos Estados ........................................................... . 575
........ .. 413 Das Funções Essenciais à Justiça ................................................................................. 576
8.4.

' " - - - - - -...
·-·--
--··-·-----

Revisão Final _ TRE-SP
Sumário
DIREITO ADMINISTRATIVO
lidiane Coutinho Da inexecuç
Regime Jurídico Administrativo Teoria da im
........................................................................................................ 585
Conceito ............................................. . Responsabilidad
Princípios da Administração Pública............................................................................................... 585 Controle da adm
Poderes Administrativos ······························································································ 585 Classificação
······················································································································ 587
Serv~:;~~ab~~o~ecreto........................................................................................................................ 592
Controle exercid
Análise do c
Ato ~:~~:ii;~rativ~·::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::: :~~ Controle leg
Agentes públicos
············································································································································ 601
Requisitos ou elementos ....................................................... Classificação do
Principal análise para a sua prova: análise de validad ···d·······················.····.························ 601
. e o ato administrativo 60 2 Espécies de
Atributos dos atos administrativos ········
Lei 8.112/90 - P
Vinculação e discricionariedade ·························································································· 602
Atos administrativos em espécie ······························································································· 604
DIREITO ELEI
Organização administrativa ······································································································ 612
Jaime Barreiros
Formas ~e
realização ~·:·~~·~~~·~··:~~;~;:~·;:~;~~··=·~~·~~;~·;;~:~·~~:··~~:~:~~~:;;~:~ 617 1. Direito Eleit
çao, concentraçao e desconcentração
CI "li ·····················•·········•·······••···························· 617 1.1. Conc

Lk;~::.sz-'~:.~:,_·:'. :=:: :: : :::= :: ==: ::: : : ::: : :;~ 2.
1.2. Font
Organização
Contratação dire~:;·::~:~~:~··~··~·~;;~·:;~;;:~:~:··~:·;:··:t···························································· 623 2.1. Funç
ICI ar ... 2.2. Orga
. Principais diferenças entre a dispensa e a inexigibilida~:··············································· 627
3. O Ministério
Dispensa obrigatória (licitação dispensada) .......................... ·············································· 628
Alienação de bens (móveis e imóveis) dos Incisos 1 e;;·~··········:······································ 629 3.1. O Mi
Dispensa facultativa (licitação dispensável): artigo 24 o artigo 17 ·························· 629 4. Sistemas ele
lnexig'bTd 5. Garantias el
1 11 a d e:art25 ....................................................... . ····················································· 630
Modalidades de licitações (art. 22) ........................................................... 631 6. Crimes eleit
Anulação e revogação (artigo 49) ·························································································· 631 7. Condições d

Sistema de registro de preços.................::::::::::::::::::::::::··································································· 636 8. Partidos pol
Pregão- Lei n° 10.520/2002 ··································································· 636 9. Convenções
Procedimento ················································································································ 644 1O. Arrecadaçã
Contratos adm·;~·i·~~;:;;~:·~·::::::::::::::::::::······························································································· 645 11. Propaganda
Características dos contratos ad~·i·~·i·~~;:~·i·~~·~..i:;~···~····~··:··············································· 648 12. Organizaçã
Do estudo dos contratos administrativos ., a e1 nº 8.666/93)..................... 648 13. Condutas v
Das disposições preliminares . ············································································· 649 14. Lei nº 6.091
Da formalização dos contratos··································································································· 649 15. Resolução 2
Da alteração dos contratos ....... :::::::::::::::::::::::::::::::::································································· 651 16. Ações eleitor
Da execução dos contratos ································································· 651 17. Recursos ele
········································································································ 653
18. Súmulas do

-- .. ,,,_ .....,..-
···~·· -

-·-----

o Final _ TRE-SP
Sumário [~]

Da inexecução dos contratos..................................................................................................... 654
Teoria da imprevisão..................................................................................................................... 656
................ 585
Responsabilidade civil do estado..................................................................................................... 656
............... 585 Controle da administração pública.................................................................................................. 661
··············· 585 Classificação das formas de controle...................................................................................... 662
··············· 587
............. 592
Controle exercido pela Administração Pública ........................................................................... 663
Análise do controle da administração.................................................................................... 663
::::::::::::: :~~ Controle legislativo ou parlamentar....................................................................................... 665
Agentes públicos.................................................................................................................................... 668
·············· 601
Classificação dos agentes públicos.................................................................................................. 668
··············· 601
vo 60 2 Espécies de Agentes Públicos (Doutrina Clássica)............................................................. 669
········
Lei 8.112/90 - Provimento.................................................................................................................. 672
············· 602
············· 604
DIREITO ELEITORAL
············ 612
Jaime Barreiros Neto
~:;;~:~ 617 1. Direito Eleitoral: conceito e fontes........................................................................................... 697

············ 617 1.1. Conceito, objeto e objetivos do Direito Eleitoral.................................................. 697

: :;~ 2.
1.2. Fontes do Direito Eleitoral.............................................................................................
Organização e competência da Justiça Eleitoral................................................................
697
698
········ 623 2.1. Funções da Justiça Eleitoral.......................................................................................... 698

········ 627 2.2. Organização e competência da Justiça Eleitoral................................................... 700
3. O Ministério Público Eleitoral.................................................................................................... 702
·········· 628
········· 629 3.1. O Ministério Público Eleitoral....................................................................................... 703
·········· 629 4. Sistemas eleitorais......................................................................................................................... 704
········· 630 5. Garantias eleitorais........................................................................................................................ 706
......... 631 6. Crimes eleitorais e processo penal eleitoral......................................................................... 707
········· 631 7. Condições de elegibilidade e inelegibilidades.................................................................... 715

········ 636 8. Partidos políticos............................................................................................................................ 725
········ 636 9. Convenções partidárias e registro de candidaturas.......................................................... 736
········ 644 1O. Arrecadação de recursos e prestação de contas nas campanhas eleitorais............. 7 40
······· 645 11. Propaganda política e pesquisas eleitorais.......................................................................... 7 46
······ 648 12. Organização das eleiçõe\s e diplomação dos eleitos......................................................... 757
...... 648 13. Condutas vedadas em campanhas eleitorais e abuso de poder.................................. 763
······ 649 14. Lei nº 6.091/1974 e alterações posteriores........................................................................... 765
······ 649 15. Resolução 21.538/03 e alistamento eleitoral....................................................................... 765
······ 651 16. Ações eleitorais............................................................................................................................... 769
····· 651 17. Recursos eleitorais......................................................................................................................... 778
····· 653
18. Súmulas do TSE............................................................................................................................... 781

Sumário
Revisão Final - TRE-SP

13. Contratos
DIREITO CIVIL Sociedad
Danilo da Cunha Sousa fiança, loc
1. Direito objetivo. Norma jurídica: características, elementos e classificação. Fon- te e agên
tes do direito. Vigência, validade, eficácia, aplicação, hierarquia e revogação. In- 14. Contrato
terpretação das leis. Conflito intertemporal e interespacial das leis. Lei de Intro- 15. Negócios
dução às Normas do Direito Brasileiro ................................................................................... 791
16. Respons
2. Direito subjetivo. Faculdades e interesses. Direito adquirido e expectativa de di- pendênc
reito ..................................................................................................................................................... 794 Culpa. Re
3. Pessoas. Nascituro. Pessoa natural: começo, fim, personalidade, capacidade e nativa. E
legitimidade, cessação da incapacidade, emancipação, registro civil e nome. so de dire
Domicílio. Ausência, morte natural e presumida. Pessoa jurídica: conceito e clas- fatos das
sificação. Associações, organizações sociais e organizações sociais de interesse ral e esté
público. Fundações. Desconsideração da personalidade jurídica. Direitos da per- 17. Posse. Co
sonalidade: direitos à integridade moral, física e intelectual ......................................... 794 fesa da p
4. Bens. Classificação. Bens em si considerados, bens reciprocamente considera- A função
dos. Bens públicos e privados: regime jurídico. Bem de família legal e convencio- à proprie
nal ........................................................................................................................................................ 803 e perda.
4.1. Diferentes classes ............................................................................................................. 803 lamento
4.2. Bens Corpóreos e incorpóreos .................................................................................... 804 sobre co
4.3. Bens no comércio e fora do comércio ...................................................................... 804 superfíci
4.4. Bens de família .................................................................................................................. 805 Direitos
5. Fatos, atos e negócios jurídicos: conceito, classificação. Elementos de existência. priedade
Pressupostos de validade. Representação. Invalidade. Nulidade e anulabilidade. 23. Registros
A simulação. Princípio da conservação dos negócios jurídicos. Conversão, con- 24. Direito d
centração e convalidação dos negócios. Boa-fé objetiva e Teoria dos Atos Pró- das. Soc
prios. Vícios dos negócios jurídicos: erro, dolo, coação, estado de perigo e lesão. des por
A eficácia do negócio jurídico. Condição, termo, encargo .............................................. 805 e debên
6. Prescrição e decadência .............................................................................................................. 808 sociedad
7. Obrigações. Conceito e elementos essenciais. Modalidades ......................................... 811 25. Concurs
8. Fontes e efeitos das obrigações. Transmissão das obrigações. Cessão de direitos. 26. Títulos d
Adimplemento e extinção das obrigações. Inadimplemento. Pagamento inde- 27. Jurispru
vido. Enriquecimento sem causa. Mora. Extinção e inexecução. Dívidas de valor. riores .....
Correção monetária. Perdas e danos. Cláusula penal. Juros. Arras .............................. 811
9. Contratos. Conceito. Classificação dos contratos. Contrato preliminar. Formação DIREITO p
dos contratos................................................................................................................................... 813 Luciano Alve
1O. Estipulação em favor de terceiro. Promessa de fato de terceiro. Contrato com 1. Novo Có
pessoa a declarar ............................................................................................................................ 814 lações e
11. Evicção e Vícios Redibitórios ...................................................................................................... 815 2. Princípio
12. Extinção dos contratos. Extinção normal e anormal. Resolução, resilição. Exceção 2.1. A
de contrato não cumprido. Resolução por onerosidade excessiva. Teoria da Im-
2.2. O
previsão. Teoria do adimplemento substancial .................................................................. 815

Sumário
nal - TRE-SP

13. Contratos típicos. Compra e venda, permuta e doação. Contrato de sociedade.
Sociedade simples. Contrato estimatório. Mandato, depósito, mútuo, comodato,
fiança, locação, locação predial urbana, seguro, comissão, corretagem, transpor-
. Fon- te e agência e distribuição. Transação .................................................................................... 816
ão. In- 14. Contratos de adesão. Contratos aleatórios ........................................................................... 819
Intro- 15. Negócios jurídicos unilaterais .................................................................................................... 819
........... 791
16. Responsabilidade civil. Responsabilidade civil e responsabilidade penal: inde-
de di- pendência e ressalvas. Responsabilidade objetiva e responsabilidade subjetiva.
............ 794 Culpa. Responsabilidade civil dos incapazes. Nexo de causa. Causalidade alter-
ade e nativa. Excludentes de responsabilidade. Responsabilidade decorrente de abu-
nome. so de direito. Responsabilidade pelos fatos de terceiros. Responsabilidade pelos
e clas- fatos das coisas. Dano e indenização. Dano patrimonial, dano pessoal, dano mo-
resse ral e estético. Dano coletivo. Dano social .............................................................................. 820
a per- 17. Posse. Conceito, evolução, classificação. Aquisição e perda. Efeitos da posse. De-
........... 794 fesa da posse. Compasse. 18. Propriedade. Conceito. A propriedade em geral.
idera- A função social da propriedade. Propriedade imobiliária. Limitações impostas
encio- à propriedade. 19. A propriedade imobiliária urbana. Modalidades de aquisição
............ 803 e perda. Condomínio. Propriedade em planos horizontais. Incorporação. Parce-
............ 803 lamento do solo urbano. Usucapião. Direitos de vizinhança. 20. Direitos reais
............ 804 sobre coisa alheia. Conceitos e princípios. 21. Enfiteuse. Servidões. Direito de
........... 804 superfície. Usufruto, uso e habitação. Promessa de compra e venda de imóvel.
............ 805 Direitos reais de garantia. 22. A propriedade móvel. Aquisição e perda. A pro-
priedade resolúvel. A propriedade fiduciária ...................................................................... 822
ência.
dade. 23. Registros públicos .......................................................................................................................... 824
, con- 24. Direito de empresa. Empresário. Sociedades personificadas e não personifica-
s Pró- das. Sociedades simples e sociedades empresariais. Teoria da empresa. Socieda-
lesão. des por ações. Sociedades limitadas. Microempresa. Fundo de comércio. Ações
............ 805 e debêntures. Subscrição de capital. Responsabilidade dos administradores de
............ 808 sociedades. Cooperativas ............................................................................................................ 825
............ 811 25. Concurso de credores. Falência, recuperação judicial e recuperação extrajudicial .. 828
eitos. 26. Títulos de crédito: cheque, letra de câmbio, nota promissória e duplicata .............. 830
inde- 27. Jurisprudência dominante dos Tribunais Superiores relacionadas aos itens ante-
valor. riores ................................................................................................................................................... 832
........... 811
mação DIREITO pROCESSUAL CIVIL
............ 813 Luciano Alves Rossato
o com 1. Novo Código de Processo Civil - Lei Federal n. 13.105/2015 e alterações e legis-
............ 814 lações especiais ............................................................................................................................... 83S
............ 815 2. Princípios gerais do processo civil ........................................................................................... 835
ceção 2.1. As Normas Fundamentais do Processo Civil. .......................................................... 835
da Im- 836
2.2. Os Princípios e a sua força normativa .......................................................................
............ 815

[3!_1 __ --- Revisão Final - TRE-SP Sumário

2.3. Princípios Processuais Mantidos no Novo CPC e a Inserção de Novos Prin- 7.3. Condiç
cípios com Fundamento Constitucional .................................................................. 837 7.4. Classifi
2.4. Classificação dos Princípios Processuais: princípios informativos e funda- 7.5. Concur
mentais ................................................................................................................................ . 839 8. Conexão e con
2.5. Princípios Expressos na Constituição Federal ....................................................... . 839 9. Processo............
2.5.1. Princípio do devido processo legal .......................................................... . 839 9.1. Noções
2.5.2. Princípio da isonomia .................................................................................... . 840 9.2. Relaçã
2.5.3. Princípio do juiz natural ................................................................................ . 840 9.3. Pressu
2.5.4. Princípio da inafastabilidade do controle jurisdicional.. ................... . 840 9.4. Pressu
2.5.5. Princípio do contraditório ............................................................................ . 840 9.5. Pressu
2.5.6. Princípio da proibição da prova ilícita ..................................................... . 841 1O. Processo e pr
2.5.7. Princípio da publicidade dos atos processuais .................................... . 841 10.1. O Proc
2.5.8. Princípio da motivação das decisões judiciais ..................................... . 841 10.2. Do Pro
2.5.9. Princípio do duplo grau de jurisdição ..................................................... . 841 10.3. Do Pro
2.6. Normas Fundamentais Contidas no Novo CPC .................................................... . 841 10.4. Espéci
3. Fontes ................................................................................................................................................ . 842 10.5. Objeto
4. Lei Processual Civil ......................................................................................................................... 843 11. Mérito. Quest
4.1. Eficácia e Aplicação......................................................................................................... . 843
12. Sujeitos Proce
4.2. Direito Processual lntertemporal. Critérios ............................................................ . 843
12.1. Obser
5. Jurisdição ......................................................................................................................................... . 844
12.2. Juiz......
5.1. Conceito.............................................................................................................................. . 844
12.3. Media
5.2. Característica ..................................................................................................................... . 844
12.4. Princíp
5.3. Natureza Jurídica ............................................................................................................. . 845
12.5. Imped
5.4. Princípios ............................................................................................................................ . 845
12.6. Organ
5.5. Limites da jurisdição nacional .................................................................................... . 845
12.7. Partes
6. Competência .................................................................................................................................. . 847
12.8. Capac
6.1. Critérios determinadores .............................................................................................. . 847
12.9. Regul
6.1.1. Competência em razão da matéria .......................................................... . 847
12.1 O. Cu rate
6.1.2. Competência em Razão do Valor e do Território ................................. . 847
6.1.3. 12.11. Repre
Competência funcional ................................................................................ . 848
12.12. Repre
6.1.4. Competência territorial ................................................................................. . 848
6.1.5. Competência da Justiça Federal ................................................................ . 13. Litisconsórcio.
849
6.1.6. Competência originária dos Tribunais Superiores .............................. . 13.1. Conce
850
6.2. Competência absoluta e relativa ............................................................................... . 852 13.2. Litisc
6.3. Modificações da Competência ................................................................................... . 853 14. Da fntervençã
6.4. Meios de declaração de incompetência ................................................................. . 855 14.1. Noçõ
6.5. Conflitos de competência e de atribuições ........................................................... . 855 14.2. Classi
7. Direito de ação ............................................................................................................................... . 856 14.3. Da ass
7.1. O Direito de Ação ou Direito à Jurisdição ............................................................... . 856 14.3.1
7.2. Elementos ........................................................................................................................... 856 14.3.2
1

1

L ...,... ..- .. ,.,.._~~,,,.,,,,.~,.,..,.,

al - TRE-SP Sumário

Prin- 7.3. Condições da ação........................................................................................................... 856
........ 837 7.4. Classificação e critérios identificadores.................................................................... 859
nda- 7.5. Concurso e cumulação de ações................................................................................ 859
....... . 839 8. Conexão e continência................................................................................................................. 859
....... . 839 9. Processo............................................................................................................................................. 859
....... . 839 9.1. Noções gerais..................................................................................................................... 859
....... . 840 9.2. Relação Jurídica Processual.......................................................................................... 860
....... . 840 9.3. Pressupostos processuais.............................................................................................. 860
....... . 840 9.4. Pressupostos processuais de desenvolvimento (ou de validade).................. 861
....... . 840 9.5. Pressupostos processuais negativos......................................................................... 861
........ . 841 1O. Processo e procedimento ........................................................................................................... 862
....... . 841 10.1. O Processo Sincrético...................................................................................................... 862
....... . 841 10.2. Do Procedimento............................................................................................................. 862
....... . 841 10.3. Do Procedimento Comum............................................................................................ 863
........ . 841 10.4. Espécies de processos e de procedimentos........................................................... 863
........ . 842 10.5. Objeto do Processo.......................................................................................................... 863
......... 843 11. Mérito. Questão Principal, Questões Preliminares e Prejudiciais.................................. 864
........ . 843
12. Sujeitos Processuais...................................................................................................................... 864
........ . 843
12.1. Observações Preliminares............................................................................................. 864
........ . 844
12.2. Juiz......................................................................................................................................... 864
........ . 844
12.3. Mediadores e Conciliadores......................................................................................... 865
........ . 844
12.4. Princípios. Poderes. Deveres. Responsabilidades do Juiz.................................. 865
........ . 845
12.5. Impedimentos e Suspeição.......................................................................................... 866
........ . 845
12.6. Organização judiciária federal e estadual............................................................... 866
........ . 845
12.7. Partes e Procuradores..................................................................................................... 866
........ . 847
12.8. Capacidade Processual e Legitimação...................................................................... 866
........ . 847
12.9. Regularização do vício ................................................................................................... . 867
........ . 847
12.1 O. Cu rateia especial .............................................................................................................. . 868
........ . 847
12.11. Representação de pessoas jurídicas e de entes despersonalizados .............. 868
........ . 848
12.12. Representação e Substituição Processual............................................................... 868
........ . 848
........ . 13. Litisconsórcio................................................................................................................................... 869
849
........ . 13.1. Conceito e Classificação................................................................................................. 869
850
........ . 852 13.2. Litisconsórcio eventual, alt~rnativo e sucessivo................................................... 871
........ . 853 14. Da fntervençãodeTerceiros....................................................................................................... 871
........ . 855 14.1. Noções gerais..................................................................................................................... 871
........ . 855 14.2. Classificação: intervenção voluntária e provocada.............................................. 872
........ . 856 14.3. Da assistência..................................................................................................................... 873
........ . 856 14.3.1. Apontamentos gerais..................................................................................... 873
.......... 856 1
14.3.2. Modalidades de assistência.......................................................................... 873

1

L ...,... ..- .. ,.,.._~~,,,.,,,,.~,.,..,.,........,._.,.,...-..__~-,,..--....-.-,.r..,...ft•-._._~__,_ .... _....._~-------__,._. _ _ _ _ _ _,,,.,.,.....,.._ _

.. ~~t-~'I . . ~.
' 1 i •' ' } ~~ '. . •t'

Revisão Final - TRE-SP
r
1

Sumário

14.3.3. Procedimento de ingresso do assistente ................................................ 874
16. Fatos e Ato
14.3.4. Requerimento de assistência formulado pela União .......................... 874
16.1. Con
14.4. Da denunciação da lide .................................................................................................. 874
16.2. For
14.4.1. Considerações Iniciais .................................................................................... 874
16.3. Do
14.4.2. A provocação da denunciação da lide ..................................................... 875
16.4. Lug
14.4.3. Cabimento da Denunciação da Lide ......................................................... 876
16.5. Dos
14.4.4. Cumprimento da obrigação de pagar exigido diretamente pelo
16.6. Da
autor em face do denunciado ..................................................................... 877
16.7. Das
14.4.5. Vedação da Denunciação da Lide no Código de Defesa do
17. Procedime
Consumidor ligada à indenização por fato do produto .................... 878
17.1. Asp
14.5. Do chamamento ao processo ...................................................................................... 878
17.2. Fas
14.5.1. Considerações iniciais e natureza jurídica .............................................. 878
17.3. Da
14.5.2. Da Admissibilidade do Chamamento ao Processo .............................. 878
17.
14.5.3. Da Sentença de Procedência ....................................................................... 879
17.
14.5.4. Chamamento ao processo e o Código de Defesa do Consumidor 879
17.
14.6. Do Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica ......................... 879
17.
14.6.1. Considerações Iniciais .................................................................................... 879
17.
14.6.2. A Desconsideração Requerida na Própria Inicial.................................. 880
17.
14.6.3. Legitimidade para requerer a instauração do incidente ................... 880
17.4. Re
14.6.4. Admissibilidade do Incidente ...................................................................... 880
17.
14.6.5. Procedimento .................................................................................................... 880
17.
14.7. Intervenção do Amicus Curiae ...................................................................................... 881
17.
14.7.1. Previsão Legislativa ......... ;............................................................................... 881 17.5. Da
14.7.2. Quem é o Amicus Curiae? .............................................................................. 882 17.
14.7.3. Limitação à Legitimação Recursai do Amicus Curiae........................... 882 17.
15. Advogado, Ministério Público e Advocacia Pública. Prerrogativas da Fazenda Pú- 17.
blica em juízo ................................................................................................................................... 884
17.
15.1. Advogado ............................................................................................................................ 884
17.
15.2. Do Ministério Público...................................................................................................... 885 17.
15.3. Advocacia Pública ............................................................................................................ 885 17.
15.4. Prerrogativas da Fazenda Pública em Juízo............................................................ 886 17.6. Im
15.4.1. O princípio constitucional da isonomia e o interesse público ....... . 886 17.7. Pra
15.4.2. A citação do Estado para compor a relação processual.. ................... 886 17.8. Pre
15.4.3. Prazos diferencihdos para a prática de atos processuais ................... 886 17.9. Iné
15.4.4. Do não adiantamento de despesas processuais e dos honorários 17
advocatícios ....................................................................................................... 887
17
15.4.5. Restrições à concessão de medidas de urgência contra a
17.1 O. Da
Fazenda Pública ................................................................................................ 890
17
15.4.6. O regime especial das liminares contra o poder público .................. 892
17
15.4.7. Da remessa necessária ................................................................................... 895
17

Final - TRE-SP
r
1

Sumário

............... 874
16. Fatos e Atos Processuais .............................................................................................................. 897
............... 874
16.1. Conceito de atos processuais ....................................................................................... 897
............... 874
16.2. Forma .................................................................................................................................... 897
............... 874
16.3. Do Tempo dos Atos Processuais.................................................................................. 897
............... 875
16.4. Lugar ..................................................................................................................................... 898
............... 876 898
16.5. Dos Prazos Processuais ...................................................................................................
e pelo 901
16.6. Da Comunicação dos Atos Processuais ....................................................................
............... 877
16.7. Das Nulidades .................................................................................................................... 903
o
17. Procedimento comum ................................................................................................................. 903
............... 878
17.1. Aspectos Gerais ................................................................................................................. 903
............... 878
17.2. Fases ...................................................................................................................................... 903
............... 878
17.3. Da Petição Inicial ............................................................................................................... 904
............... 878
17.3.1. Instrumento da Demanda ............................................................................ 904
............... 879
17.3.2. Requisitos da Petição Inicial. ........................................................................ 904
umidor 879
17.3.3. Do Pedido ........................................................................................................... 905
............... 879
17.3.4. Alteração do pedido ou da causa de pedir ............................................. 909
............... 879
17.3.5. Indeferimento da Petição Inicial................................................................. 909
............... 880
17.3.6. Da Improcedência Liminar do Pedido ...................................................... 910
............... 880 911
17.4. Resposta do réu ................................................................................................................
............... 880 911
17.4.1. Princípios que regem a contestação .........................................................
............... 880 912
17.4.2. Da Forma e do Prazo da Contestação .......................................................
............... 881 914
17.4.3. Conteúdo da Resposta ...................................................................................
............... 881 917
17.5. Da Reconvenção ...............................................................................................................
............... 882 917
17.5.1. Conceito ..............................................................................................................
............... 882 918
17.5.2. Momento para o exercício ............................................................................
nda Pú- 17.5.3. Partes na reconvenção ................................................................................... 918
............... 884 918
17.5.4. Formação do contraditório na reconvenção .........................................
............... 884 918
17.5.5. A decisão da reconvenção ............................................................................
............... 885 918
17.5.6. Honorários Advocatícios na reconvenção ..............................................
............... 885 919
17.5.7. Reconvenção à reconvenção .......................................................................
............... 886 919
17.6. Impulso processual ..........................................................................................................
ico ....... . 886 919
17.7. Prazos e preclusão ............................................................................................................
............... 886 17.8. Prescrição ............................................................................................................................ 919
............... 886 17.9. Inércia processual: contumácia e revelia ................................................................. 919
orários 17.9.1. Contumácia ........................................................................................................ 919
............... 887 919
17.9.2. Da revelia ............................................................................................................
17.1 O. Da Formação, da Suspensão e da Extinção do Processo.................................... 921
............... 890
17.10.1. Da formação do processo ............................................................................. 921
.............. 892
17.10.2. Da Suspensão do Processo ........................................................................... 921
.............. 895
17.10.3. Da Extinção do Processo ............................................................................... 923

•~ .. ·----•••••"., ·-

Revisão Final - TRE-SP
r !
t Sumário

1
17.11.Contestação. Reconvenção........................................................................................... 923 l 18.6. Protest

17.12.Das Disposições Preliminares....................................................................................... 923 1 Apreen
[ 19. Sentença .........
17.13.Julgamento Conforme o Estado do Processo........................................................ 924 l
!f 19.1. Concei
17.14.Das Provas........................................................................................................................... 925
19.2. Classifi
17.14.1. Apontamentos Gerais..................................................................................... 925
! 19.3. Requis
17.15. Audiências........................................................................................................................... 927 t 19.4. Efeitos
17.15.1. Da Audiência de Conciliação ou de Mediação...................................... 927
19.5. Publica
17.16. Da Audiência de Instrução e Julgamento................................................................ 928
17.17. Distribuição do ônus da prova.................................................................................... 928 20. Do cumprime
17.18. Fatos que independem de prova............................................................................... 929 21. Coisa julgada
17.19. Depoimento Pessoal....................................................................................................... 929 21 .1 . Concei
17.20. Confissão............................................................................................................................. 929 21.2. Efeitos
17 .21. Prova documental............................................................................................................ 930 22. Remessa Nec
17 .22. Exibição de documentos ou coisas............................................................................ 930 23. Meios de imp
17.23. Prova testemunhal........................................................................................................... 931 24. Ação rescisór
17.24. Prova pericial...................................................................................................................... 931 24.1. Conce
17.25. Inspeção judicial............................................................................................................... 932 24.2. Objeto
17.26. Exame e valoração da prova......................................................................................... 932 24.3. Comp
17.27. Produção Antecipada de Provas................................................................................. 932 24.4. Ajuiza
18. Da Tutela Provisória: Tutelas de Urgência e de Evidência................................................ 933 24.5. Requi
18.1. Fungibilidade..................................................................................................................... 933 24.6. Hipót
18.2. Princípios Gerais ............................................................................................................... 933 24.7. Legiti
18.3. Da Tutela de Urgência..................................................................................................... 934 24.8. Polo P
18.3.1. Requisitos Comuns para a Tutela de Urgência...................................... 934 24.9. Não i
18.3.2. Prévia Garantia para a Tutela Provisória de Urgência de Caráter 24.1 o. Indef
Antecedente...................................................................................................... 935 24.11. Impro
18.3.3. Comprovação dos Requisitos da Tutela de Urgência.......................... 935 24.12. Respo
18.3.4. Condição para o Deferimento da Tutela Provisória............................. 935 24.13. Presc
18.3.5. Fundamentos, Requisitos e Condição para o Deferimento da 25. Recursos .....
Tutela de Urgência .......................................................................................... . 936 2S.1. Dispo
18.3.6. A Tutela Antecipada Requerida de Forma Antecedente ................... 936
25.3. Efeito
18.3.7. Da Estabilização da Medida ......................................................................... 937
26. Apelação .....
18.3.8. Ação para Rever, Reformar ou Invalidar a Tutela Antecipada
26.1. Cabi
Estabilizada ........................................................................................................ 938
26.2. Form
18.3.9. Decisões que não podem ser estabilizadas (família, parciais etc.). 939
26.3. Efeit
18.4. Da Tutela Cautelar ............................................................................................................ 939
26.4. Juízo
18.4.1. Medidas Cautelares Típicas e Atípicas ...................................................... 939
26.5. Juízo
18.4.2. Tutela Cautelar Antecedente .......................................................................
18.5. Tutela da Evidência ..........................................................................................................
940
941 ! 27. Agravos (Ag
18.5.1. Diferenciação para com a Tutela de Urgência .......................................
18.5.2. Hipóteses Legais de Tutela da Evidência ................................................ .
941
941 l 27.1. Agra
27.2. Agra

--- ~.~,. ·~-.-

·/
~-

·.
...., ...................
~

..
L ...
"º'~...,.,._,........ ,,.~

•~ ---·=-.,.,,."
.. ·----•••••"., ·-~~·~~.,, __., __ .,,,_,·•"-•~<••"·"''·""'-•· . - r~--~~~·--~~~-·- - -- h"-·-·~" .~·~··~
,. "~o-•
~- ·~·•
..
-~ -·t

Final - TRE-SP
r !
t Sumário
.J.37-]
f.

1
............. 923 l 18.6. Protesto, notificação e interpelação. Arresto. Sequestro. Caução. Busca e
942
............. 923 1 Apreensão. Exibição. Justificação ...............................................................................
942
[ 19. Sentença ............................................................................................................................................
............. 924 l 942
!f 19.1. Conceito .............................................................................................................................. .
............. 925 945
19.2. Classificações .....................................................................................................................
............. 925
! 19.3. Requisitos ........................................................................................................................... . 946
............. 927 t 19.4. Efeitos .................................................................................................................................. . 947
............. 927
19.5. Publicação, intimação, correção e integração da sentença ............................. . 948
............. 928
20. Do cumprimento da Sentença .................................................................................................. 948
............. 928
21. Coisa julgada .................................................................................................................................. . 948
............. 929
21 .1 . Conceito e espécies ........................................................................................................ . 948
............. 929
21.2. Efeitos da coisa julgada ................................................................................................. . 949
............. 929
22. Remessa Necessária ...................................................................................................................... 951
............. 930
23. Meios de impugnação à sentença ........................................................................................... 951
............. 930
24. Ação rescisória ............................................................................................................................... . 951
............. 931
24.1. Conceito ............................................................................................................................... 951
.............. 931
24.2. Objeto da Ação Rescisória ............................................................................................. 951
.............. 932
24.3. Competência para Julgamento .................................................................................. . 954
.............. 932
.............. 932 24.4. Ajuizamento da Ação Perante Tribunal Incompetente ....................................... 955
............. 933 24.5. Requisitos de admissibilidade da ação rescisória ................................................. 956
............. 933 24.6. Hipóteses indicadas no art. 966 CPC ........................................................................ . 958
.............. 933 24.7. Legitimidade para a propositura da ação rescisória ........................................... . 959
.............. 934 24.8. Polo Passivo ........................................................................................................................ 959
............. 934 24.9. Não impedimento à execução .................................................................................... . 959
ráter 24.1 o. Indeferimento da petição inicial ................................................................................ . 959
............. 935 24.11. Improcedência Liminar do Pedido ............................................................................ . 960
............. 935 24.12. Resposta do réu ............................................................................................................... . 960
............. 935 24.13. Prescrição intercorrente ................................................................................................ . 960
da 25. Recursos ............................................................................................................................................ 960
............. . 936 960
2S.1. Disposições Gerais ...........................................................................................................
.............. 936 987
25.3. Efeitos dos recursos .........................................................................................................
.............. 937 989
26. Apelação ............................................................................................................................................
da 989
26.1. Cabimento ..........................................................................................................................
.............. 938 989
26.2. Forma .............................................................. \.. .................................................................. .
is etc.). 939 989
26.3. Efeito .................................................................................................................................... .
.............. 939
26.4. Juízo de admissibilidade ............................................................................................... . 990
.............. 939
26.5. Juízo de retratação ........................................................................................................... 990
..............
..............
940
941 ! 27. Agravos (Agravo de Instrumento e Agravo Interno) ......................................................... 990

..............
............. .
941
941 l 27.1. Agravo de Instrumento ..................................................................................................
27.2. Agravo Interno ..................................................................................................................
990
991

L ...
"º'~...,.,._,........ ,,.~

r
1

Revisão Final - TRE-SP Sumário

28. Embargos de declaração............................................................................................................. 991 39. Execução
29. Embargos de Divergência........................................................................................................... 992 40. Execução
30. Recursos Ordinário, Especial e Extraordinário···········································-························ 992 41. Embargos
30.1. Recurso Ordinário ............................................................................................................ 992 42. Exceção d
30.2. Disposições Gerais quanto ao Recurso Extraordinário e Recurso Especial . 993 43. Remição....
30.3. Recursos Extraordinário e Especial Repetitivos..................................................... 994 44. Suspensã
30.4. Agravo em Recurso Especial e em Recurso Extraordinário............................... 995 45. Procedim
45.1. Ge
31. Reclamação...................................................................................................................................... 995
46. Da Ação d
32. Repercussão geral.......................................................................................................................... 995
46.1. Fin
33. Súmula vinculante......................................................................................................................... 996
46.2. Int
34. Recursos repetitivos...................................................................................................................... 997
46.3. Co
35. Liquidação de Sentença - Espécies e Procedimento........................................................ 997
46.4. Leg
35.1. Os Pronunciamentos llíquidos que Reconhecem a Existência de Obrigação... 997
46.5. Co
35.2. Liquidação Provisória e Definitiva.............................................................................. 998
46.6. Efe
35.3. Concomitantes liquidação e cumprimento de sentença em relação ao 46.7. De
mesmo título...................................................................................................................... 998
46.8. Pet
35.4. Apuração do Valor Dependente de Cálculos Aritméticos................................. 998
46.9. Co
35.5. Fixação de Honorários na Liquidação Proposta em Face da Fazenda Pública.. 999 46.1 O. Con
35.6. Liquidação Incidental e Autônoma........................................................................... 999 46.11. Re
3S.7. Iniciativa da Liquidação................................................................................................. 1000 46.12. Lit
35.8. Procedimentos para Apuração do Valor.................................................................. 1000 46.13. Co
35.8.1. Liquidação por Arbitramento...................................................................... 1000 47. Ação Mon
35.8.2. Liquidação pelo Procedimento Comum.................................................. 1000 47.1. Fin
35.9. Natureza do Pronunciamento que Julga da Liquidação.................................... 1001 47.2. Pro
35.1 O. Condenação em Verba Honorária na Liquidação................................................. 1001 47.3. Pol
35.11. Inviabilidade das Sentenças llíquidas no Âmbito dos Juizados...................... 1001 47.4. Co
35.12. Liquidação Imprópria...................................................................................................... 1001 47.5. Em
36. Cumprimento da sentença - Procedimento e Impugnação.......................................... 1002 48. Da Ação d
36.1. Títulos executivos............................................................................................................. 1002 48.1. Fim
36.2. Cumprimento de sentença enquanto fase do cumprimento de sentença. 1002 48.2. Pro
36.3. Competência...................................................................................................................... 1003 48.3. Con
36.4. Cumprimento de sentença que reconhece o dever de pagar quantia Adm
certa ·················································+················································································· 1003 49. Das Ações
36.5. Cumprimento provisório............................................................................................... 1004 49.1. A F
36.6. Procedimento do cumprimento definitivo da sentença que reconhece a 49.2. Esp
exigibilidade de obrigação de pagar quantia certa............................................. 1004 49.3. Açõ
36.7. Impugnação ao cumprimento de sentença:.......................................................... 1005 49.4. Ped
37. Processo de Execução. Princípios gerais e Espécies.......................................................... 1005 49.5. Con
38. Execução contra a Fazenda Pública. Regime de Precatórios. Requisições de Pe- 49.6. Inv
queno Valor...................................................................................................................................... 1006 Pos

r
1

Final - TRE-SP Sumário

............. 991 39. Execução de obrigação de fazer e de não fazer.................................................................. 1007
............. 992 40. Execução por quantia certa........................................................................................................ 1007
············· 992 41. Embargos de Terceiros................................................................................................................. 1008
.............. 992 42. Exceção de pré-executividade.................................................................................................. 1008
special . 993 43. Remição............................................................................................................................................. 1008
............. 994 44. Suspensão e extinção do processo de execução............................................................... 1009
............. 995 45. Procedimentos Especiais ............................................................................................................. 1009
45.1. Generalidades, Características e Espécies............................................................... 1009
............. 995
46. Da Ação de Consignação em Pagamento............................................................................. 101 O
.............. 995
46.1. Finalidade do Procedimento........................................................................................ 1010
............. 996
46.2. Interrupção da Prescrição.............................................................................................. 1010
............. 997
46.3. Consignação Extrajudicial............................................................................................. 101 O
............. 997
46.4. Legitimidade...................................................................................................................... 1011
gação... 997
46.5. Competência Territorial.................................................................................................. 1011
.............. 998
46.6. Efeitos da Consignação.................................................................................................. 1011
ção ao 46.7. Depósito das Prestações Sucessivas.......................................................................... 1011
.............. 998
46.8. Petição Inicial: requisitos intrínsecos......................................................................... 1012
............. 998
46.9. Consignação de coisa indeterminada....................................................................... 1012
Pública.. 999 46.1 O. Contestação........................................................................................................................ 1012
............. 999 46.11. Reconvenção em Consignatória de Alugueres...................................................... 1013
.............. 1000 46.12. Litisconsórcio Passivo Alternativo.............................................................................. 1014
.............. 1000 46.13. Consignatória de Aluguel e Férias Forenses........................................................... 1014
.............. 1000 47. Ação Monitória................................................................................................................................ 1014
.............. 1000 47.1. Finalidade ............................................................................................................................ 1014
............. 1001 47.2. Prova oral documentada............................................................................................... 1014
.............. 1001 47.3. Polo passivo........................................................................................................................ 1015
............. 1001 47.4. Constituição de título executivo judicial................................................................. 1015
.............. 1001 47.5. Embargos à ação monitória.......................................................................................... 1015
............. 1002 48. Da Ação de Exigir Contas............................................................................................................ 1015
.............. 1002 48.1. Fim da Ação de Prestar Contas.................................................................................... 1015
ntença. 1002 48.2. Procedimento da Ação de Exigir Contas.................................................................. 1016
.............. 1003 48.3. Contas do Inventariante, Tutor, Curador, Depositário e de Qualquer Outro
quantia Administrador.................................................................................................................... 1016
··············· 1003 49. Das Ações Possessórias ................................................................................................................ 1017
.............. 1004 49.1. A Fungibilidade das Ações Possessórias .................................................................. 1017
nhece a 49.2. Espécies de Ações Possessórias................................................................................... 1017
.............. 1004 49.3. Ações Possessórias e Invasões Coletivas.................................................................. 1017
.............. 1005 49.4. Pedidos na Ação Possessória........................................................................................ 1018
.............. 1005 49.5. Contestação........................................................................................................................ 1018
de Pe- 49.6. Inviabilidade de Ajuizamento de Ação Petitória Durante o Curso de Ação
.............. 1006 Possessória.......................................................................................................................... 1018

..7...... Do Crime.......................... Prazo para o ajuizamento ................... 1032 tos em legi 53......... Exercício do Direito de Retenção ............. A autoridade apontada como coatora .....................1 O..........5........1.6............ Legitimação para a propositura da ação popular...............2................................... ........3......... Mandado de Segurança (Lei n.........11........................1... Citação do Requerido e Prazo para Resposta .........6....... ......... Sequ 53.. Man Público .............. Aplic 49............. Mandado de Injunção ....................6...2...................... Dos entes legitimados ......... 1029 57....... ...........3............. 1034 ~ Danilo da Cunh L 54....... Prev 53....................... Da S 53........................ Mandado de Segurança Coletivo ................................ ............... Restauração de autos ............. ............................................................ Exigência de Caução ........... Polo passivo ..7.................3...........016/2009) ............................................... 1023 56.. Observações Prévias..4.. Habeas Data 49.............13.........................................2...................... 1035 1... Espécie do gênero ações coletivas...........................8..........................14..'"'·---.............1..............................3................................. 1023 56........................................... 1026 57................... 1020 55..........................................2............................. 1019 54...... Legitimidade Ativa ............................................... Indi 53..............................--......................... Posse com força nova e os requisitos da tutela possessória ....10.. 1031 58...4..........-==...... Ocupação Indevida de Bem Público .~--.............................. Previ 49....._":~-_................9.................... Declar 51....... 1030 57....................................... Definição.............................................5........ Açõe 51.................... Coisa julgada .... . Sentença proferida no mandado de segurança ....._...2.6....... Sumário 49.......................................i!....................... Argu S2........................................................................................ .............. 1025 57........ Legitimação ativa coletiva .... A po 53..........................5...1....... Da Sentença na Ação Popular......... Med 51.............................. ................................................... O polo passivo no mandado de segurança .........................................12....................... .. Aplicação d 54.................. 1019 55.................7............... Legit 49...3.......8............ Cond 50. Da Coisa Julgada .................................................... 1021 Inconstituc 51....... 1022 telar....... 1018 54.- ...................... Ação de Im 52............11................................. 1029 trativ 53............. 1024 56.............................. Procedimento da Ação Possessória: posse nova ............_-- .................. <-...................... 1029 57..........2........................... 1020 55.............7......... Contraditório Prévio e as Liminares contra as Pessoas Jurídicas de Direito 54.......... 1035 2... 1031 57......1......... Legiti 49........................... Vedação da concessão de liminar ... Competência para o julgamento do mandado de segurança ................... 1032 vil aplicáve 53....... Efeito 49..........5.................. ----·-""'"'"--·~---------- ....... Obse 51... Aspe 51....................... 1022 56................... 1018 54........ ............................ Proc 51......................... Ação 51...............3.............1.................... 1029 57........................................................................... 1028 57....................................................................... Vedação da utilização do mandado de segurança .9.......... Introdução ....................... 1024 56......... ....... 1020 55................................ 1025 57.................8.....................................9............................... Jurisprudên 53.................................... 1033 t DIREITO PEN 1 53.... Coisa julgada e Cumprimento de Sentença ............... ...............................1.................. Ação Civil Pública .............. 1033 1 53.....4......4... 1019 54.5............................... O direito líquido e certo como requisito específico de admissibilidade ............................. 1030 57......... 1024 56..............2................. Aspe Ação Civil Pública .... Afas 53......12.................................... 1020 55.... Ação Popular.......1 O.............. .....4.......... ..... \("'Ili'"'\.................... Do Procedimento da Ação Popular.......8............................................. .............. ........ ........--·--....3..................... ............................................ 12...... 1020 56.... ........ Denominação de Ação Civil Pública e interesses tutelados pela lei da 57........ Legit 52...... Proc 52...._""1...................................................... Remessa Necessária .............. O Processo 51.. Comp 51.... ......... Posse Velha e Litígio Coletivo ........... ........... 1019 55......................7................4....9.................... ........................................................... Reco 49. Da P 53.........6.......................

......... Medida Cau- ........... ... Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental.4................................................................................................... Sequestro e Arresto de Bens........... Da Prescrição ........................ ....... 1030 57....... .................................. Jurisprudência dominante dos Tribunais Superiores em matéria de Processo Ci- .................................... Procedimento de Improbidade Administrativa................. Competência................. 1019 55.........................3............................. 1038 .................. Ação Declaratória de Constitucionalidade................... Do Crime........... ............................. Mandado de injunção coletivo................ Indisponibilidade de Bens........... Da Sentença................................... 1023 56... Aspectos de direito material........................................................... 1038 ......................... 1029 57............ ........ 1045 ............. 1044 . Legitimidade........................................................................................... ..... Procedimento da Ação Direta de Inconstitucionalidade...............2.............................................. .. Ação de Improbidade Administrativa .................................... ade .........................3...........8............................ 1036 .............................................-==..................2....... 1032 tos em legislação processual específica............................... 1020 56.___... 1046 1.............. 1035 .......................... J~{] ..........................5..............9............. 1023 56..................3.... 1024 56........-_...........--·--............3.......... Efeitos da decisão.............................. ............................... .................. 1035 Direito 54................1..........................................:.... 1020 55...--T:"""----..... 1037 . Ações Civis Constitucionais.... 1033 t DIREITO PENAL 1 ................................................................ 1038 .............. .................... 1037 .................. . 1033 1 ........ 1036 . .......................................................... 1040 lei da 57................... 1036 ............................................. Prevenção do Juízo................. ....... 1028 57................. 1030 1031 57.................................... 1035 2.....5. O Processo Civil nos sistemas de controle da constitucionalidade.................. 1039 .................................... Ação Direta de ................................. 1024 56............................................. 1034 ~ Danilo da Cunha Sousa L ............... . ............ 1021 Inconstitucionalidade..... Aplicação da lei penal................................. 1018 54.............7........................................................ Legitimidade................ ....... 1037 .........----... A possibilidade de celebrar transação em ação de improbidade adminis- .........................1........ 1019 54............... Observações Gerais.......... :.1........................................ 1039 ........................................................... ....................................................... 1045 .......... 1047 .. 1029 trativa............... ............................................... Previsão constitucional e regulamentação procedimental ......... Condições específicas para a ação... 1043 ........_........................................................--....... 1265 ................... 1022 56........................................... 1026 57....... 1019 55................. 1036 ......................._.............................................. 1043 .................... Habeas Data........_---................................................ Declaração incidental de inconstitucionalidade........................................4......2...................... 1031 58........................ 1046 57...................... Sumário .--..6......_____.......................... .....Jc·~! ...............................-----............. 1018 54.................... 1039 ... ............................ 1043 .... ..................................10.... 1035 ........... ............6....... Aplicação subsidiária do procedimento do mandado de segurança .............. Ação Declaratória de Constitucionalidade.......4..... 1029 57..........................~--... 1020 55...... 1020 55..........2........................... .................. 1022 telar........... 1038 ........................... 1025 57..5............................. Medida Cautelar................... 1019 54................................................................. 1046 ............. ................. ................. 1040 ..... Afastamento Provisório.7.........................6................................._.................................................................................... .............................. 1025 57................. 1024 56.................... 1020 55....._............. 1268 ....... 1036 .......................... .................... Legitimidade....................4......... 1035 1........................................... Aspectos procedimentais....... 1032 vil aplicáveis ao novo código de Processual Civil e demais\ procedimentos previs- ... 1029 57.............. Reconhecimento da mora legislativa..............................

... 1294 4......................................3......................... Dos crimes praticados por particular contra a administração em geral................. 1294 3............................................. Dos crimes contra a Administração Pública.... 1281 3............ Div 8......................... Ação penal............................................ 1301 7...............4........... 1275 2.... Dos crimes contra a fé pública.................. 1276 3.. Es Giovanna Carranza 3.................3......................................6................... Be 13................1..............................................................................................................................9.... 1289 3..........1.TRE-SP 2.............................. Efeitos da condenação.................. Direção............. Gerenciam rio do acusado...................................... sujeitos da relação processual................. 1329 ...................... 1317 2............................... Ca 2. Am 11.............................5........... Di 2..... dos Assistentes e Auxilia- res da Justiça..................... Penas........................... 1278 3......................................... Cominação da pena................................................3............. 1300 6...1............. 1327 3........................ Os DIREITO PROCESSUAL PENAL Danilo da Cunha Sousa 4.............................................................. 1317 3...................................................11.... Cultura or 4................................................................................ do Ministério Público............. 1313 2....... Dos recursos em geral: disposições gerais...............2................... 4........... 1306 7.........................2............................ do habeas corpus e seu processo.............. Imputabilidade............................ 1327 3.............................. Del geral.. Da prisão e da liberdade provisória...................................................................3................................................ Lei n° 4......... 1277 3......... 1299 5... 1280 3.......................................................................................................................................8.... Da ação penal............................. Principais lação................... Mo 5........................................4..........898/1965 (abuso de autoridade).................................1....................259/2001 e alterações posteriores).2........2...............................1........... Da sentença......... SúmulasdoSTJedoSTF ........3........................................... 1308 8............... Competência....... 1311 ADMINISTR 9... Cen 12..... 1285 3........ 1277 5......5.................... 8...................... Dos documentos............... Clima orga 5................ Tip 3......................................... Inquérito policial.. 1312 Giovanna Car 10......... Tipos de filosofia de Planejamento... 1293 3..... da ape.......099/1995 e alterações posteriores e Lei 2. De 3................. 1290 3..................................................... Espécies de pena.................2......................... Dep 6................................................................................... Do interrogató................................... 1304 6.................1 O........4...................... 1281 3........................ Principais funções administrativas......... Dos crimes contra a administração da Justiça.................................2............................... Estr 5... do recurso em sentido estrito........... O que é a 11.............. Hi 1............... Citações e intimações................... Da prova: Do exame de corpo de delito e das perícias em geral.......................... Organização 5..... Cad 1O......... Au 11... Dos Juizados Especiais Criminais (Lei n° 9....................................... 1297 2................1..... Controle..... Princípios gerais: aplicação da lei processual no tempo..................... Do Juiz........ Organizaç NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 3...... Op 3............ 1313 1..... O que é administração?............ 2...... 1....................................................... Tip 11............ Das testemunhas...... r f Sumário Revisão Final ...................... Do acusado e defensor.... Dos crimes praticados por funcionário público contra a administração em 3. Ca pessoas. Ben 4..........1............Tip 12....4................................................... Hie 7....... O n° 10...................................................................................................................................... no espaço em relação às 5............ Extinção da punibilidade.................. Atri 11.............. Do concurso de pessoas.................... Da busca e da apreensão. Nulidades ................................................7...........................................................1...............................

......................... Controle............... 1293 3................ 1277 3..... 1317 2...................................................... Características do Controle....................................................................................... 1330 ......................... Autoridade................... 1338 ............... 1277 ............................ O processo de Planejamento..... Benefícios do Planejamento..... Benefícios do Planeja1\nento............................. 1339 .....Tipos de filosofia de Planejamento.....................................4................................. Cadeia de comando....... 1280 3......... 1329 ... Atribuição.... 1355 4............. 1333 ............ 1341 .... 1367 ação às 5........................2.....4.........1.. 1281 3...........................................1.... 1311 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ..................... r f Sumário inal ................................................... 1290 3................................................................................................................. 1387 3................................... 1304 Auxilia............. 8............................... 1333 ........ 1334 ....................................................... ÇONHECIMENTOS ESPE................................ Motivação. 1368 ............................ 1312 Giovanna Carranza .............................. 1337 ......................... 1391 ...............................................................2............................................................................................. Divisão do trabalho..................................... Gerenciamento de conflitos................. 1313 2............................................... Estrutura Organizacional..........................1........................................................................ Os estilos de direção........1................................................................................2..... 1306 Analista Judiciário -Area Administrativa ........ 1356 4....................C(FICOS ..................................................................................................... 1289 3.4............... Organização........................ Principais funções administrativas.............................. responsabilidade e delegação....... 1381 da ape.................................................................. 1383 es e Lei 2.. 1388 3...............................................................2....................... Amplitude Administrativa....... 1281 3....... 1294 3......... 1336 ........................... Hierarquia administrativa....... Cadeia de comando...........................3......................................... Cultura organizacional.................................................................................................. 1299 5................................................................ 1371 ...................................... 1301 7............... 1390 ......................................................1... O que é administração?.................................................................................................................................................................................................................................... 1308 .................................................. 1384 1 .......... 1331 .......................... 1275 2...........4................................................ 1285 3.............8. 1300 6................................................................................. 1327 3..............................................................5..... 1297 ............................................................................... 1336 ........................... Clima organizacional.6. 1276 3..... Estrutura Organizacional. O processo de Planejamento...............................................................................................................3...3.......................1 O.................................... Divisão do trabalho......................................................................... 1373 nsão..... 1390 ......................................11....................................................................TRE-SP 2............................................. 1317 3................... 1356 5.................................................. Departamentalização ......................................................9. 1373 ogató............................................................ Departamentalização .................. 1313 1................................. 1327 3..... 2.............................................. Direção............. Delegação................. 1381 .................................................. 1294 4............... Tipos de Poder...... 1367 ...........................................................................................................................5......... 1387 3.......... Centralização/Descentralização............ 1385 ..7....... Tipos de Controle..................................... Organização......... Hierarquia administrativa.... 1338 eral.................. 1337 ........ 1338 ção em 3......................... 1278 3....................................3..............................................

............. 3..... 1457 41................................. 1462 1 53..............................7........... -----------·····~~··-. 1462 54.................................. 1460 47.......1.................. ...................... 1421 27......................... 1409 23.. Composição Física da LOA ................................. LDO e LOA ..................... Liquidação ......6............................................................ LDO e LOA ......8........................ Prazos para Envio do PPA.......................................................... Instrumentos de Planejamento ............................................. LRF: Limites 16......................................................... Modalidade 7... Classificação....... Aprovação d 9............................. Elaboração d 6...................... 1437 35...... .............. Cultura organizacional................. LRF: Empres 12....................................................................... 1391 18..................... Centralização vs descentralização de compras........ 9........................ 1435 34........... 1392 20..... Anulação de 8..... LRF: Despes L 15... responsabilidade e delegação..................... Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) ...... 1459 46.... Iniciativa das 9................................. Técnicas de Elaboração ........................... Clima organizacional....................................................................TRE-SP 17................................. ........................................................................... 1465 ---.............................................................................................1...................................................... Estudo e Apr 9.................................................................................................. LRF: Despes 14......................................... 1430 32........... 1462 :' i 52... Classificação d 3.................. 1463 55.............................. Controle.....................1 O................................... Conceitos do 5..............l44 L Revisão Final ................ ...2.................................. 1422 28..... Planejamentos de materiais.......... Definição e Objetivos......... Gestão de materiais.............................. 1458 44.......................................................................... Princípios Orç 5..................... 1393 22........... LDO na Lei de 3.................... Atribuição............. Empenho e 6............ Orçamento-Programa . Anexos da LD 3.............................. ..................... 1392 21........ Tipos de Poder................................................................................................................................................... 1438 36............ ..........................2........ 1457 42............ Emendas Par 9......................................... Créditos Adic 3......................... Avaliação da 3................................................................................ Duodécimos Robnei Stefanes 40..... Conceito de Orçamento Público ..... 1425 29 Estimativa da 7..... 1460 48....................................... Os estilos de direção.......................... Amplitude Administrativa.................................... - ........ Planejamento e requisitos de material............................. Plano Plurianual (PPA) .........5.................320/64...... ................ Superávit Fin 5. 1421 26........................................... ............ Cumprimen 1.............................................................................................. Ciclo Orçame 5................. Lei Orçamentária Anual (LOA) ........ Fontes de Rec 4.................................................................................. 1430 33.......................... 1461 49................................................................................................................................... 141 o 2........ ......... 1427 30................................................... Após a Publi ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTARIA 39........................................ Características do Controle................ Receita Cor 13... 1448 37.... .......................................... Delegação...........................................6.... Lei n° 4.................................... Investimentos no PPA ··················································································································· 1461 51......... .... 1459 45...... ......... Execução do 38.......... -~·~·.... Comissão Mi 9................ Unidade Orç 8....................................................................................2............. Créditos Orça 3.................... Informações I 4................ 1458 43........................... LOA na LRF ............................................................... Natureza Jurídica do Orçamento Público .1....................... Estágios da 4.......... ...................... 1461 50...................... Regime ?rç 1O................... Direção.......................................... Vigência do PPA.................9........... Centralização/Descentralização................................. Tipos de Controle..........11..... 1410 24........ Os Outros Po 9.. Atividade financeira do Estado.................... Avaliação e C 2................ 1395 4.. 1427 31.......... 1392 19..................................................... Motivação..................................... Diferenças entre Orçamento Tradicional e Orçamento-programa .........3................. LRF: Aphcaç 11.. Autorização da Despesa no Orçamento ................................ Autoridade....................... Gerenciamento de conflitos.......

Informações Importantes Sobre Créditos Adicionais ........ 1473 27.......................................................... E 28........................... ....................................... Iniciativa das Leis Orçamentárias ............... 1461 ................................................... 1438 36... Avaliação da Eficiência................... 1430 1430 32...................... .................. Duodécimos ........ ........ 1462 :' ~ i 52................ Ministério Público e Defensoria Pública .............................. .............................. 50............................ 1483 1t ~ ......................... 1422 ......................................... Liquidação ...................................................... Execução do Orçamento . ............................................................... 1475 ![....................... 1427 30.............................................. 1480 41... 1476 [ ......................... 1481 ~ ............................... 1479 i 1.. Elaboração da Proposta ......... ................................ 1477 33.......................... LDO na Lei de Responsabilidade Fiscal ............. 1484 ....................... ................................................................................................ Unidade Orçamentária e Unidade Administrativa ..................... 1477 ..... ................... ....................... ...................... Anulação de Empenho .............................................r······································· 1485 ...........................TRE-SP J~J ~ 17..................... 1463 55........... 1477 f ...... 1462 54.............................................LRF .............. 1478 1~! ~ ........................................................... ..................... LRF: Despesa com Pessoal .... ••'" : ·........................................................ ................ .. ...................... 1392 21.. ................................................................ 1467 ............ ..... Estudo e Aprovação da Proposta Orçamentária ........ ........................................ Modalidades de Empenho .... .. 1425 29 Estimativa da Receita e Fixação da Despesa ........................... ............ 1480 r ............inal .... ............................... 1484 ~I ....... ................ ................. 1427 31.. 1457 40.................................................................................. 1467 !r 20...... 1457 42....................... Créditos Orçamentários Iniciais XCréditos Orçamentários Adicionais ............. Os Outros Poderes.......... ...................... Princípios Orçamentários .................... .................................... 1459 45............................. 1485 .................. 1470 26...................................................................................... Empenho e Nota de Empenho .... .. Créditos Adicionais e suas Diferenças .......................................................... LRF: Despesa Obrigatória de Caráter Continuado (DOCC) ................................. Fontes de Recursos para a Abertura de Créditos Adicionais ............................... 1485 ............... 1458 1458 43. 1466 ~ ........... ............................................... LOA na LRF ..................... ................. 1480 i. 1392 1392 19............................ Superávit Financeiro e Excesso de Arrecadação ............. 1486 1 L ................................................................. 1462 1 53......... 1486 .................................................................. .... 1482 ............................. ........... ......................... 1435 34....................................................... \~: ........... ..... 1437 35...................... 1482 44.................................. ..................~...................................... ............................... ................. 1395 1409 23............ ...... ......... Regime ?rç~mentário da ?esp~s~ .......... Receita Corrente Líquida (Rlc) ......... 1391 1 18.................... 1466 ..............·' 38. ............ 1460 t·i 47.......... ..................... 1469 2................................... ................................. ....... ............................... Conceitos dos Estágios da Despesa Orçamentária ................................ .............. .............. Ciclo Orçamentário ..... Emendas Parlamentares . 1467 .... Aprovação da Proposta Orçamentária ............. -----------·····~~··-....... Anexos da LDO ...................................................... .............................................. 1410 141 o 1421 1421 24......................................................... LRF: Limites de Gasto com Pessoal ........... Cumprimento das Metas Fiscais .. ............................................................~ ..... 1478 ............ 1478 ' ' ...... LRF: Aphcaçao das Suas D1spos1çoes ...... 1484 ~............... 1469 •"" ~ .......... Avaliação e Controle ................................. ............. 1484 ......................................... ........................... ..... Comissão Mista Permanente .. 1465 ~ ~ ti l': ---.................... -~·~·............... ...................................... 1461 :.... 1476 [' ........................ ....... LRF: Empresa Controlada x Empresa Estatal Dependente ................. 1485 ·············· 1461 f1 51............. 1459 46....................... 1487 ' ........................ Após a Publicação do Orçamento ............................... ......... 49........................ ......................... . .......................... Estágios da Despesa Orçamentária .................................... .................................................... 1393 22. Eficácia e Efetividade .............. 1480 l 39.......................... 1448 37.................................... Classificação dos Créditos Adicionais .................................. 1468 1 .................... 1460 ti 48......

6............. 1521 5. 1489 1.................. vacância...................... Responsabilidade civil da Administração: evolução doutrinária e reparação do dano.... direitos e vantagens............ Administração pública: princípios básicos.. controle legislativo.... 1540 14........ anula.. Poder de polícia....................... 1500 1.. Organização administrativa: administração direta e indireta........... 1525 8...4. Dis 1......... Regime jurídico administrativo...... Poder regulamentar (ou normativo)..... Agentes públicos: espécies e classificação.............. 1488 59..... Arrecadaç 6...........................3... Das Funçõ 2.. inexigibilidade.... 1496 5.. Organizaç finalidades e princípios.................. espécies...... 1496 2............. Dis Lidiane Coutinho 3........... Ato administrativo: conceito.................2..... O M 4. Condutas dalidades............. Sistemas e 4...... discricionariedade e vinculação............... 1535 11............................. Do 2.. 1....................TRE-SP Sumário 56..................................................................1. Org tar.. Classificação..................................................... classificação............................................... Vinculação e discricionariedade ........ 1490 2....... 1512 2... empresas públicas e sociedades de econo..3.................. 13............................................................... procedimentos e fases...................... Verificação dos Limites de Despesa com Pessoal....................... Recursos e responsabilidade civil....... poderes.......... redistribuição e substituição......................................... uso e abuso do poder.............. invalidação................ objeto...............2............ 1521 4.. 15........ fundações.................. 1496 DIREITO ELE 2..................09 8.. revogação.................................2.......... 1493 4......................................... poder disciplinar.................................... Requisitos ou elementos.... 1521 6........................... 1558 18........... 1493 4. Con 3.. centralizada e des............. requisitos......1.. Princípios da administração pública ... Discricionário............. criminal e administrativa. Ações elei remoção.................................. natureza e classificação... 16........ 9.................................. atributos......................... 1528 1O.......... vedação...........3..................... poder regulamen....................... Convençõ controle judiciário................... 12......................... mo......................... regime disciplinar....... regime jurídico único: provimento................... Poder disciplinar................................. autarquias...... Relatório Resumido da Execução Orçamentária (RREO).... Fon centralizada.......... Condições 4......... Crimes ele 4.........................4..................................5....... Partidos p 5........................1............. revogação...1...... Órgãos públicos: conceito............................. 1488 EdemNápoli 58............. Dos 1..... LRF:Transparência na Gestão Fiscal..5..... Fun 4.... Poderes administrativos: poder hierárquico..........1... desistência e controle........ Dos Princí 60.. 2................................ Propagand 7.................. 2................. emprego e função públicos... Direitos e G 3... 17........ Poder hierárquico.....2....... Atributos dos atos administrativos............................................................................... deveres e prerrogativas....2....................................... 4....... 'L· r Revisão Final .................. 1499 1.......... Resolução cargo. O Ministér 4.............................. Relatório de Gestão Fiscal (RGF) ................ Lei n° 6... dispensa. Poder vinculado.............................2. Garantias 4...1.1..................... Licitações (Lei nº 8666/1993 e suas alterações e Lei 10..............................1......................................................... Organizaç mia mista...................................... poder de polícia............. Do Poder J 1...................... 1493 4.............. obrigatoriedade............................... Conceito............. Da Admini DIREITO ADMINISTRATIVO 3............................. Direito Ele 2... 1488 DIREITO CON 57................ 1520 3..................520/2002): conceito.... Controle da Administração Pública: controle administrativo.............................. 1519 3......... convalidação.. Conceito.. Municípios Com População Inferior A 50 Mil Habitantes............. 1497 Jaime Barreiro 2. Súmulas d ................ 1523 7..... Dos ção..........2..........

................... O Ministério Público Eleitoral . Fontes do Direito Eleitoral........................ Propaganda política e pesquisas eleitorais.......... Conceito...... __ ........................................ 1493 4................. Do Poder Judiciário ....~ r Final ............................................... Da Administração Pública..1.................... Dos tribunais e juízes eleitorais............... 1741 ciplinar........................................ 1750 ......... 1558 18................................ Condutas vedadas em campanhas eleitorais e abuso de poder............................................. 9....................................... 1678 ..... 2.......................... 1496 ................................. Condições de elegibilidade e inelegibilidades..... 16............ mo........................ Lei n° 6......... 1512 2.............................................................1............. O Ministério Público Eleitoral................................................. Organização e competência da Justiça Eleitoral.......... Disposições gerais.......... 1..................... Resolução 21............................................................ 1528 1O..................... 1669 a e des....................... 1489 1........... 1488 DIREITO CONSTITUCIONAL .............2........................................................................ Recursos eleitorais............................................................... 1679 ....................................... 12................................................... 1660 .............................................................................................. Garantias eleitorais........... 1587 ..........................................1........ 1669 econo.... 1648 3.............................................................................. 13... Partidos políticos............... Súmulas do TSE............... Direitos e Garantias Fundamentais................ 1659 ........... 1651 ................................ 1535 11....................... 1496 5....... 1651 ........ 1519 3................................................................. 1676 ......... 1523 7......... Organização e competência da Justiça Eleitoral...... 1594 3................................................. 1659 ....................... Convenções partidárias e registro de candidaturas........... 1493 4........................................... 1488 EdemNápoli . 1497 Jaime Barreiros Neto .............................................................................3............ 1521 5..2..........................2............................................................. Sistemas eleitorais...... 15......................091/1974 e alterações posteriores.................2...................TRE-SP Sumário ..................................... 1708 ................................ 1672 ....__ f~~] .................. objeto e objetivos do Direito Eleitoral....................... Crimes eleitorais e processo penal eleitoral......... 1520 3............................................. anula................. 1521 4......... 1670 ulamen.... 17......................................538/03 e alistamento eleitoral..........."'""............... 1674 ............. 1687 ................ Das Funções Essenciais à Justiça.................................. Organização das eleições e diplomação dds eleitos........................................... Dos servidores públicos................................................................................ Ações eleitorais .... 1521 6.... Dos Princípios Fundamentais........................................ 1669 .. 1525 8..................................... 1712 ação do .... 1540 14.1......... 1670 .................. 1697 islativo.............................---.................. 1737 gativas.................... 1490 2............................... Do Supremo Tribunal Federal............................................................................. 1718 objeto........................................................... 1493 4................................. 'L· -~----------_............................ 1737 acância...........--"'-'~'... 1488 ............................................................................................... Funções da Justiça Eleitoral...................................................................... 1651 ................. 1735 ntrole.............. 2..................... 1499 1.... 1675 .... 4............... 1648 3....... 1500 1.......... 1753 ................. Disposições gerais.......................................1................................... 1729 ão................................................................................................................................................. Arrecadação de recursos e prestação de contas nas campanhas eleitorais........................................................... 1496 DIREITO ELEITORAL ................................................. Direito Eleitoral: conceito e fontes............................

.8......4.....5....6..... Da incompetência .................................. 1775 5............ 1781 6................................ 1785 6............5. ........... 1782 6.........4................. 4.................................................. i 6.......................................................... ........................3 3................1....7.......................................................8......... 1789 6.............. .8..................................... 1784 6... ......... ................. 1780 6... ........................ Conflito de competência ...................... Negó NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL 4.. Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro e as alterações posteriores....1..: 48 1 Revisão Final ......7 ............... Da su 1. 1783 Da au 6...... 1763 4........................................TRE-SP Sumário NOÇÕES DE DIREITO CIVIL 3............1....... Hipóteses de foro especial ..2............ Da co 2.....1 .............................................. Competência funcional ............2 1 3...... 1786 3................4.......11..... .8...2. ..5 L 3........... Das Pessoas Jurídicas: Disposições gerais........... ... ................ 3............. Dos procuradores ........ Dos a 3...... Perpetuatio jurisdicionis .... 1782 6..........2......... Ação ... 1785 6.....6.. 1776 5.3...........8...........7.............4.6 3......... Representação de pessoas jurídicas e de entes despersonalizados ......... 1783 6.............................. Os at 4. ..... Características ........8.....2..........................2.. Competência em razão da matéria ............. 1780 6....................8......6..............3... 2. Regularização do vício ...... Do Processo 2..........................2...................3............. Da co 1...... Hipótese de competência relativa . Capacidade Processual ...~~co 6............................ 1782 6..9................................. Atos Luciano A/vez Rossato 4..................7........................ Do Domicilio.....................................................4 1789 1 6. ...2 2................. ......... Dos Deves das Partes e de seus Procuradores ..........4.. 1775 4..1 O...................................................7..3..................... Da Formaçã 1. Dos direitos da perso- nalidade..................3......... 1787 6...4.......................8......... Da fo 1......................5................................... O pro 2... Exceção: competência territorial absoluta ...........................................4............. .3 3........................... As Partes e dos Procuradores ····································································································· 1786 ~..........................................5.......................5.... 1777 5.. Da im 2............ Competência territorial ...... Atos Process 2.7.......................................... 1780 6........... Do p 2......... Do Te 1............ Regra geral: foro do domicílio do réu ...........8................................... Do M 1.6..................1 O.... Competência em Razão do Valor e do Território .. Princípios ............................. ............ .. 2...............4.... Do P 2...5................................................. .....3...................... A Jurisdição voluntária . Da Jurisdição e da Ação ..............9................... Da pe 2........8.................... Curatela especial .. 1783 6.....................4.......................... ................. Das n 1.................... 1775 4.......................... Das Pessoas Naturais: Da personalidade e da capacidade......7...................1.2.................................. Dos P 1775 4.................8.................. 1764 4......3.............................................8...4. 2.............................................1...................... 1790 6.........7............... Competência da Justiça Federal ........ Litigância de má-fé processual ........ Limites da jurisdição nacional ..............1......4......... 2...... Modificações da Competência .... Do ju Danilo da Cunha Sousa 3...... Competência absoluta e relativa ............................. 1784 6........................2................7...8........... 1783 6........ Dos P 1............................... 2..1 2........................... 1781 6........ 2.. 1788 6.........4...................... Definição de competência .....................................6........................ 1776 5......... Da Competência e da Competência Interna ..................................................... Da E 2.............................3..... 1788 i 3.............................. Conceito .........................1.................

................................................................. .... .............. Da comunicação dos atos processuais ...... Atos das partes ... 1806 ti " ....................... 3.............................................. 1791 1792 1t ri~ res..3...·•.............~I ...6........-t-·-...................1....... 1803 1803 1~ "' . 4......7................................... 1775 4..........•·................................................... Do Procedimento ........ 1776 1777 5..........................' .............................. 1806 ..... 1798 1 ................................. . ........ 1822 I' ... ...... i................ Do Tempo dos Atos Processuais ........................•_:...................................4................ 1775 1802 ... 1794 "1· h 1797 '· ~............. 6........................4..............................7........................... 1764 4...... Formação do contraditório na reconvenção ...................u...................................................7................8................................... .... ...J 6. .... 1785 1816 6..... Dos Pronunciamentos do Juiz .............. 6...... 1787 1788 1 6....1........ Da forma e do prazo da contestação .................... ....9.....................................~7..2. . 1806 ~ ...5..........................................6.....4. ..........-~-'?.~..............4....... Das nulidades .....3.... Da audiência de conciliação ou de mediação .. • • ·........................................................ Dos Prazos Processuais ........ .................................................. 1784 f: 6................ 1781 6................... 1805 f'...... · ·•:l''................ 4...... 1780 5..... • •-.....8.... Da suspensão do processo ......8.... ~- i i:.......... .............. 1780 6............... 1815 f~ ... 1807 ............... ...............4..............................1• ~~'-·•-'···-··................................. ...:-_.........•........................8.....8... i 6............ .. ........................ Conteúdo da resposta ................................ da Suspensão e da Extinção do Processo ...........•'................................. 1782 6........... ..........................................i<~""'-~ • F f.....8............. Da improcedência liminar do pedido ........8....... Honorários Advocatícios na reconvenção ........................................ 1783 1783 1783 6..............3................. 1805 1805 r'~ I' .......... ........................................ ~ .... 1800 . ......... Do Ministério Público...........7. Do procedimento comum ......4.. 1775 1776 4......................... ............................ Os atos processuais segundo os sujeitos do processo .... ...... ............................::......................................... ... ... 1786 1821 ....... . 5......................................... Reconvenção à reconvenção ........................................... ........... Atos Processuais ............... Negócio processual ....... ~' 1784 1815 6... 1788 1822 .......... Partes na reconvenção ... 1763 4. 1782 1783 6.......................................................................................................1 O......................................................................3........ Momento para o exercício ........ ..........6..... 1792 ~ .......................................................8.............................._..... 1822 ( ~: I: /1 .............. Do Processo de Conhecimento .......................... .............................................. ......... 1790 3.. ............... .............................. 1812 1313 ~r........... .. ....... Da petição inicial ........5... 1789 6......... Indeferimento da petição inicial .. . 1793 ~~: 4......... . ..................................... .........1.............. 1814 ...... 1793 1 4.. 1785 6....................2....... ......2. •-~·-. Alteração do pedido ou da causa de pedir ............ .....•~·-::...................... .-_...................1....2.. 6............................. 1803 ~: .............. Do pedido ................ .. ......................................... ............................ 1808 1812 1 j.. Princípios que regem a contestação ............~~co~:~~:i~~·:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::r::::::::::::::::::::::::: 6..... ...... O processo sincrético ............... ............:.................... ~:· 49 11 f_i Final .t~_t ..................................................... ................................................ 6....2.......................................... 1821 1821 1 t?..............................3...................... L ....................... .1 .. ... ........~'L:!................ ....... 1782 6............... ......................... ............ Do juiz ......5..4....... .. .. 1781 6...... Da Formação..8...................7...... 1792 perso- 4.... .... Da formação do processo ....................... 1805 f............................. ..................................... 5............................. ........................• ............ ........ 1775 .......... Instrumento da demanda .......... 1817 i-'1 ··············· 1786 1821 ~ ~..........................-0: ....~J:::-""=J.....4.................5...................................................... A decisão da reconvenção ....... Requisitos da Petição Inicial ..............erd...........4............................... ..... ......... 1822 1789 1 6...................................................................................... ................ 1780 .............3................ Da Extinção do Processo ..... Dos auxiliares da justiça ...::r........... 1790 6...............7................2.......... 6...........~ ....TRE-SP Sumário ~·' 3......... ........... Da contestação ..

..................... Sen 6...................6. Legitimidade ativa .... Revisão Fina! ........ Cumprimento de sentença enquanto fase do cumprimento de sentença.................................................3.. 1823 9....2....................2. 1832 4............................. Conceito de ações tributárias.......................................2..........................................1...............13.2....6...............................7... _ .................._ L .....4....... 1834 1O...................... Introdução ........................ Das provas................... Procedimento da execução fiscal...................4............-----·-............... Da prova: certa...................... Citações e exigibilidade de obrigação de pagar quantia certa............... Nulidades....... s 8................. Execução da dívida ativa.......................................................................................9.....1.......... A exceção de pré-executividade......... do 7......• ! : '1 ~ .......... 1841 5.............__ ....... 1837 8...................................... Da sentença 7........... 1833 6...... 7.............. 1836 8...2..4.. Da revelia ..3...... 1844 ........................ Recursos............................................................3...........2......10..........................1............'~~........................................................................................ Das disposições preliminares................................................................4. Da prova: 8..........1. Procedimento..................... Mandado de Segurança (Lei n........................ Legitimidade ativa............. 1842 rio do acus 8...............................2........................................... Cumprimento provisório...................................................................016/2009) ....1.5..11.......... do h 8....................... 1833 7......... Sentença..4................... Cumprimento de sentença por iniciativa do credor.............. 1822 9................................................................2..................................2........... ~....... 1824 9............. Do Juiz........................... 1833 rio do acu 7................................9..................... Da prisão e 9........................................................... Od 6....... Princípios 7.... Efeito processual da revelia................................... 1843 8................. Títulos executivos............ Dos Juizad nº 10............... 1835 12................... Inquérito 7................................... Citações e 9..................................... Execução de Multa Eleitoral........................... •• ..........5...................... 1826 NOÇÕES DE 6.............................. Dos recurs 8... Legitimidade passiva ...................1......1 O.. 1843 7.............................. Competência................2............. Princípios pessoas............ 1834 9.......... do res da Justi 9........... 1828 Danilo da Cun 6..................... 1837 Danilo da Cun 8......... Op 6............... 1822 9. 1835 11....... 1824 9....... Do Cumprimento da Sentença......---~------- i...11... Competência........... 1838 1.. 1838 8.................... 1831 2.........................4........................ Fundamento da execução fiscal...1.....2.......14..................................1....................... Inquérito 8........................7....... 1828 1...............................9................... Cumprimento de sentença que reconhece o dever de pagar quantia 5............... Competência ......... Aa 6..-............259/ 8.-.................8...........................2................5................ 1833 res da Justi 7.................................TRE-SP 6........................................................... _........................................._~-............. Da ação pe 8...................... 9................... ~ -~ ................. \···································· 1839 3.....................12..........2...................... 1835 13. 1826 6...............................2........ Questões posteriores ao prazo para o oferecimento de impugnação..... 1832 3.................. ' . 1840 4...................... Cumprimento de sentença por iniciativa do devedor.......... 12................................ Competên 7. Do Juiz..................... Da audiência de instrução e julgamento....... 1835 lação......... Da coisa julgada .....................................6. Ma 6.9.............1..................... 1824 9.....15......... 1837 NOÇÕES DE 8............................................................ Súmulas d 8............ Da defesa incidental do executado............................. Execução de Multa Eleitoral e Execução da Dívida Ativa. 1831 pessoas.........3.................................~~--.. Da prisão 7........ s 7... 4·--~· ..~-L···~· .. Impugnação ao cumprimento de sentença.......................................................... Efeito Material da revelia..........................12.3..................... Da ação pe 7..........................................2............ 1843 6........ Procedimento do cumprimento definitivo da sentença que reconhece a 8.... Coi 6....... Julgamento conforme o estado do processo....2... 1839 2................................................ Conceito ..1 O.......... Conceito de execução fiscal: .. • Sumário [_~()_}____ -----------·-----........ Competênci 8.........

.......................... no espaço em relação às ........................................12......................... da ape- ..... Fina! .............................................. dos Assistentes e Auxilia- res da Justiça................................................... 1862 ... 1885 ··················· 1839 3....... Competência............ 1887 .................. Dos Juizados Especiais Criminais (Lei nº 9................................................................................. Inquérito policial............................. Da ação penal.. 1890 .................. Dos recursos em geral: disposições gerais.4........ O direito líquido e certo como requisito específico de admissibilidade..1 O........................................... 1833 res da Justiça....................... 1845 ....TRE-SP Sumário ____ [~] ............................................................................................................... no espaço em relação às .......................................................... 1839 2........................ 1894 . Princípios gerais: aplicação da lei processual no tempo................. 1831 pessoas... 1835 11.................... 1833 7......... 1883 ...6..................... 1835 13.......5........................................................................... Princípios gerais: aplicação da lei processual no tempo......... Do acusado e defensor.. Inquérito policial...................... 1834 1O........... 1849 ...... 1838 1..................................... Da busca e da apreensão.............. 1873 .......................... 1856 ......................... do habeas corpus e seu processo.......................................... 1843 6. 1855 entença................................................................................. 1843 8.................... 1824 9................................ Da sentença. 1828 1............ Dos documentos............................................................. 1836 ................................... Da prisão e da liberdade provisória.. Da prova: Do exame de corpo de delito e das perícias em geral............................099/1995 e alterações posteriores e Lei nº 10.................................... A autoridade apontada como coatora........................................... 1841 5.................. Competência ....................... Da ação penal............................. 1886 .................... Do interrogató- ...... Do Juiz.......................................................................... 1842 rio do acusado..................................................... 1869 ......................................... 1897 ..................................... Da prisão e da liberdade provisória. do recurso em sentido estrito.................................... Súmulas do STJ e do STF ................. 1845 ............... Da busca e da apreensão.......... Dos documentos... 1826 NOÇÕES DE DIREITO PENAL ............................. O polo passivo no mandado de segurança...................................... 1822 9................................................................................ 1826 .................................... 1828 Danilo da Cunha Sousa ...................................... 1853 ...............11............................... Do Juiz.... 1837 .. 1848 ............ 1835 lação............... Nulidades................ Do interrogató- ...................................................................... 1892 .............................. do Ministério Público.. 1840 4............ 1832 3.................................. Mandado de segurança coletivo.....................................259/2001 e alterações posteriores).................. 1848 . 1833 6............................ Coisa julgada e Cumprimento de Sentença........................... sujeitos da relação processual........................................ 1843 7................... 1832 4.................................................. Citações e intimações. Sentença proferida no mandado de segurança........ 1864 onhece a 8.................................. 1822 9......................... 1831 2.. Das testemunhas........................ 1844 .................................................. Citações e intimações....................... 1869 ção.................. 1837 NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL PENAL ............................ 1823 9......................... 1833 rio do acusado........................................................... 1860 ............... 1838 pessoas. 1824 9........ 1837 Danilo da Cunha Sousa .............................. 1845 ........................... 1867 ............................. 1824 9.......... do Ministério Público.................................. 1834 9.................... 1873 .............. sujeitos da relação processual........................................... 1857 quantia 5................................................................................. Do acusado e defensor................................... Das testemunhas......................... 1835 12....................................... dos Assistentes e Auxilia- ........ 1868 ........ Da prova: Do exame de corpo de delito e das perícias em geral................................................

........................... ~....... do habeas corpus e seu processo.... ...........r.......... 1899 11. Dos recursos em geral: disposições gerais.....TRE-SP 9..............:•1...... c............ da ape- lação................................................. 1903 · ............ 1899 12....... do recurso em sentido estrito.........099/1995 e alterações posteriores e Lei nº 10................Ls2 l Revisão Final .. Da sentença...-..................... Dos Juizados Especiais Criminais (Lei nº 9........................... 1898 1O....................259/2001 e alterações posteriores)............................................................. _ _ _ _ __ ......................................................................... Nulidades............................................................1..

.... 1899 es e Lei ......TRE-SP ...... 1898 ...............Final ........ 1 1 GRAMÁTICA EINTERPRETAÇÃO DE TEXTO DA LíNGUA PORTUGUESA 1 Duda Nogueira 11 ........ 1899 da ape- ..... 1903 1 ~ ~' I ...

leitor( Neste cap banca Fundaç Analista Judic Por ser tra teúdo está int assuntos não tro de reescri Sugiro que i 1 Para entende l Saliento q matéria. . então ' i de forma corr l Excelsos e i 2.. Estud 1 ceberá.'-. '. :·~ .··~·..:' ' r r 1 1 1.. APRESEN Olá.."f.1.'. . EDITAL S car~~~: An~IJ~ IT Ortografia oficia Acentuação grá Flexão nominal Pronomes: emp colocação Advérbio Emprego de tem Vozes do verbo .

3 Emprego de tempos e modos verbais Verbo PARTE 111. EDITAL SISTEMATIZADO car~~~: An~IJ~)~~lciá~1~. é por um simples motivo: den- tro de reescritura de frases. Neste capítulo.r r 1 1 PARTE 1.Área Judiciária (AJAJ) e Analista Judiciário . Sugiro que siga a ordem dos assuntos tratados porque um conteúdo depende de outro. Saliento que é de suma importância aplicar a teoria.APRESENTAÇÃO E EDITAL SISTEMATIZADO 1. então.1 colocação Advérbio Adjunto adverbial PARTE IV .2 .2. O fato de alguns assuntos não estarem no edital e terem sido inseridos aqui.Área Administrativa (AJAA). por exemplo. Excelsos estudos! 2. pronome e faça várias questões de pronome da banca. ITENS DO EDITAL NO LIVRO ONDE ENCONTRAR Ortografia oficial PARTEll-1 Ortografia oficial Reforma ortográfica PARTEll-3 Acentuação gráfica PARTEll-2 Acentuação gráfica Reforma ortográfica PARTEll-3 Flexão nominal e verbal Flexão nominal e verbal PARTE 111-1 Pronomes: emprego. mas é fundamental estudar de forma correta para obter um bom desempenho na avaliação iminente.3.\r. Estude. abordaremos todos os assuntos de Língua Portuguesa exigidos pela banca Fundação Carlos Chagas nas provas de Analista Judiciário . APRESENTAÇÃO Olá.1. leitor(a). que a língua portuguesa não é tão difícil assim. o edital foi sistematizado. resolver questões para fixar a matéria. Per- ceberá. formas de tratamento e Pronome PARTE 111-2. Para entender melhor. o con- teúdo está inteiramente direcionado aos pontos mais exigidos pela banca..1~ (AJAJl ~ Ar)aU~taJu"li:lá~ici"'" A'r~a Admlnlstrát!V:a (AJMl '. Por ser tratar de um livro teórico de revisão final e o edital já ter sido publicado.2 Vozes do verbo Verbo PARTE 111-2. isto é. tudo de gramática pode (ou poderá) ser exigido.: X:rea J~di1.

.TRE-SP •:..~r~'!s1·P. 3 acessórios da oração Ocorrência de crase Crase PARTE IV... ... ~-' . . .··· . símbo como unidades d .1. 56 i Revisão Final .. 2.. As Torna-se im facilitar o estud 1) Ao se de no dicio 2) Faça mu 2... Coesão e coerência PARTEV-1 1.. ' ~ .7 Pontuação Pontuação PARTEIV-8 Redação (confronto e reconhecimento de fra.. . eu em deter 3.~~lci~Jl9~._. O ALFABE O alfabeto Cada letra apre aA(á) bB(bê) cC (cê) dD(dê) eE (é) f F (efe) Observaçã o. ~ ...mlíiistrativa (AJAAl ITENS DO EDITAL NO LIVRO ONDE ENCONTRAR Conjunções coordenativas e subordinativas Período composto PARTE IV-4 Concordância nominal e verbal Concordância PARTE IV-5 Regência nominal e verbal Regência PARTE IV-6 Termos essenciais.. .Jls\tju~i~fl9?r'~~eaAd.~tê\tJ~4~i~~l~~~~l\!1.:.. EMPREGO Em nomes de pe seus derivados..~·..nàl!s~a:J.. Em nomes própr guas e seus deriv Em siglas. integrantes e Sintaxe PARTE IV. INTRODUÇ ses corretas e incorretas) Reescritura de frases Intelecção de texto Interpretação de texto Ortografia PARTEVl-1 fica "escrita".

kuwaitiano. Assim sendo. que representa o fonema /si diante das letras: a. 2. Kuwait. km (quilôme- como unidades de medida de curso internacional. 2. Taylor.. darwinismo.1. EMPREGO DAS LETRAS K. Dicas para facilitar o estudo. Em siglas. símbolos. . procure o significado no dicionário e anote para que fixe melhor. Darwin.TRE-SP rativa (AJAAl PARTE li . e mesmo em palavras adotadas K (Potássio). FONOLOGIA ENCONTRAR RTE IV-4 Capítulo 1. Veja: aA(á) g G (gê ou guê) mM(eme) s S (esse) yY (ípsilon) bB(bê) h H (agá) n N (ene) tT(tê) zZ(zê) cC (cê) il(i) oO(ó) uU(u) dD(dê) j J üota) pP(pê) vV(vê) eE (é) kK(cá) qQ(quê) wW(dáblio) f F (efe) 1L(ele) r R (erre) xX (xis) Observação: emprega-se também o ç. 3. kg (quilograma). Ortografia . trata-se da escrita correta das palavras. pois as palavras exigidas pelas bancas repetem. kantismo. eu em determinadas palavras. desconhecidas. W E Y Em nomes de pessoas originários de outras línguas e Kant. o. --------·-------~--------__. Em nomes próprios de lugar originários de outras lín. ou seja. Cada letra apresenta uma forma minúscula e outra maiúscula. INTRODUÇÃO Ortografia deriva das palavras gregas ortho que significa "correto" e graphos que signi- ARTEVl-1 fica "escrita". seus derivados.::: ____ RTE IV-5 RTE IV-6 TE IV. W (West). tro). O ALFABETO O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras (21 consoantes e 5 vogais). 2) Faça muitos testes de concursos. já que não é aconselhável ler todas as regras: 1) Ao se deparar com palavras novas. Watt. 3 RTE IV. taylorista.Final .7 ARTEIV-8 ARTEV-1 1. Torna-se importante seu estudo por ser um tópico pedido em concursos. guas e seus derivados.

outras que já a Após a silaba inicial "me-". prestigio. •• : • \. -fgio. -ugem gem. faxina. caucho dos em -]arou palavras iniciadas por eh que rece- bem o prefixo en-: encharcar (de Após a sílaba inicial "en".TRE-SP Gramática e I 4. rabugento. bege.. miragem. . "pi" e e/amare-) chamar "fl". bruxa. preencher) Nas palavras mexer.2. enxada. xingar. reló- gio. puxar. orixá. mexerica.. xavante. hege- monia. xale. • r Revisão Final . lagartixa. 1 apresentam z Nos sufixos -e tantivos abstr 1 1 l .•. enxaqueca charco). Chalé (Chalet) -asa Chassi (Chânssis). chafariz.··· . vexame. árab enchimento. herege. xarope. coaxar. Empre Nas palavras derivadas de outras que se grafam com g engessar (de gesso). mexicano. glbi. Avalanche (Avalónch). gena ou africana e nas palavras xampu cachaça. xadrez. frouxo. lixo.' /. . 7. vagem. roxo. vertiginoso (de vertigem) !i algema. . privilégio. megera. peixe Nas formas dos guache.1. EMPREG 4. xará. adjetivos -ense Em palavras com origem fran. ori- pajem -ogem. -égio. massagista (de massagem). Emprega-se o X recauchutar e seus derivados Após um ditongo. afflare-) achar origem tuguês.. etc.2.t: ':. Nas palavras de 4. caixa. transformaram-se em "eh" Nos sufixos planus -) chão. as sequências "cl". -ógio. ferrugem 1 1 1 Nas palavras terminadas em -ágio. EMPREG bexiga. viagem. Chantilly (Chantilly) Nas formas d Chance (Chance). Emprega-se o dígrafo CH que já apresen ··''.. -igem. gengiva. cochicho. monge. rixa. EMPREGA-SE O G Nos vocábulos Nos substantivos terminados em barragem. 7 . refúgio ! 7. /. lixa.':.' Nos sufixos -ê carem naciona Ao passar do latim para o por.. africana. t Nas palavras d 1 ~ Nos vocábulos geada.. Champanhe (Champagne) Após ditongo Champignon (Champignon).'. graxa. Chapéu (Chapeau) querer. •. "·~ ~:. 1·. xerife. Cachê (Cachet) Nos sufixos g cesa.: .--. Cachecol (Cacher). Empre Nas seguintes palavras praxe.. bem Chantagem (Chantage) derivados Em nomes pr vos (de pessoa 5.1. cochilar inglesas aportuguesadas. -úgio estágio. auge.' . gilete. enchiqueirar (de chiqueiro).:. chapecó. xícara. Nas palavras d encher e seus derivados (enchente. . EMPREGO DE X E CH 6.:·:.' '.. oxalá. mecha mexilhão Nos vocábulos Em vocábulos de origem indí- abacaxi. enxame. estrangeiro. xaxim. alcachofra.

lousa. chafariz. vados (enchente.enrijecer.cere- outras que já apresentam j jeira. jeca. gorjeando caucho dos em -]arou -jear enferrujar. raiz. maisena.enferruje.gorjeie. arranje.burguesa. gorjeiam. quiséssemos derivados repus. Nos vocábulos presépio. Luís. quiserl'. Moji africana. cereja.1. pêsames. casa.laranjeira. -asa virose Após ditongos coisa. r Final . catálise. rígido. catequese.nojeira. milanês. despeje. pôs.rigidez. lisonja. título ou burguês. Sousa. palmeirense. jeito. Emprega-se o Z !i . pusemos. puséssemos querer.viajo. jeito. chinês. jerico. tesoura. etc. diocese. brasa.maciez. tantivos abstratos a partir de adjetivos frio.teimosa Nos sufixos gregos -ese. pusesse. Isabel.inglesa. Resende. cortesia. bem como em seus quis. querosene.2.analisar. surpresa. Teresa. náusea Nas formas dos verbos pôr e pus. razão. ao indi- carem nacionalidade. ao formarem subs. Emprega-se o S Nas palavras derivadas de outras análise. poetisa. metamorfose.- t Nas palavras derivadas de outras que já deslize.:---::-. Baltasar.lojista. 1 1 ! 7. gorjear. repuséssemos Em nomes próprios personati. quiser. freguesia. viajem ar (de chiqueiro). pobre-pobreza..gostosa. glicose. fusivel.··-_>:::·. despejem Nas formas dos verbos termina. laje. através. puseram. viaje. majestade. presídio.amorosa. usura. limpo-limpeza. Inês. empresa. inglês.arranjo.esvaziar.razoável. visita.enraizar. cru- apresentam z no radical z-cruzeiro 1 Nos sufixos -ez. cochilar 7. traje.surdez 1 l . pouso. rijo.nobreza.invalidez. manjericão.frieza. besouro. . -eza.despejo. paisagem. macio. árabe ou exótica cher) Nas palavras derivadas de laranja. paraisa.deslizar. nobre. despesa. -isa. pajé. quisemos. inválido. gostoso. sacerdotisa.. Heloísa. jegue. cafajeste.alisar que já apresentam s no radical Nos sufixos -ês e -esa. blju. varejo. vigé- jem simo. repusera. raposa. Teresinha. jiboia. liso. arranjem eus derivados despejar. asilo. profetisa. surdo. pegajento ofra.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 6. canjica. decisão. gasoso- adjetivos -ense. amoroso. jejum. aviso.ajeitar.varejista. quiseram. Luísa. vazio. mesada.chinesa. -aso e -asa gasosa. loja.catalisador. repusesse. EMPREGO DAS LETRAS SE Z 7 . enferrujem por eh que rece- -: encharcar (de viajar. vos (de pessoas) Tomás abuso. vaso. Nos vocábulos berinjela. EMPREGA-SE O J arranjar . pusera.casinha. casebre. Nas palavras de origem tupi. teimoso. nojo.milanesa origem Nos sufixos formadores de catarinense.lisonjeador.

sç. deter.<. -zeiro. 9. a letra X soa Em palavras form auxílio. •Reg•a MU _______.pretensão. Emprega-se se 9. desça . azedo. EMPREGO DE s.l. converter .. fascí- Nos termos eruditos nio. Emprega-se Nos sufixos -izar. seiscentos. discente.REGRA .: . cresça bos descer--'> desço. imprescindível..2. Emprega-se o S o X pode repr seguintes fonemas Nos substantivos derivados de expandir .(ante comoSs Nos vocábulos 8. . prezar (ter em consideração) e presar (prender) traste entre o Se o Z traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior) Observação: em muitas palavras._. texto. exótico. estabelecendo distinção no con.atenção.. . experto. Observações existir.______ .TRE-SP Gramática e Interp 8. . xe. Revisão Final . catequizar. sintaxe.3. arvorezinha.5. rescisão.1. . trouxe prefixo ante. REGRÁ Em alguns casos.hospitalização. buzina.e -xci- 8. Emprega-se Ç •·· .. repelir . descender. Nos vocábulos cicatriz... a letra X soa como Z: exame. exemplo. ascensorista. miscível. ao formar substantivos zação. extroversão. etc. torcer-torção. nasça 1._.. SS.expansão. contorcer .manutenção. estender . ceder e cutir azar. expelir - verbos terminados em "andir". fascículo. cuscuz.. •. Emprega-s Nos vocábulos homófonos (mesmo cozer (cozinhar) e coser (costurar) som).·· .q :>. expectativa. 8. cãozito. expulsão.(cson Na conjugação de alguns ver.. . colonizar.4. -zinho. distorcer-distorção.contorção 8. ·:.. pretender .. chafariz.. suspender . avezita verbos terminados e -zinha.repulsão Não soa nos grup -xce. 0 10 L crescer --'> cresço.1.___. .coloni- -ização._____. -zita mitir. inexorável. exausto.:. xadrez.. ______. cafezal.realização Nos substantivos de Nos derivados em -zal. ···::-': 9.. verniz. 8. J:XEMP. etc.suspensão. : \ Em sílabas finais d minados em -air. cafezeiro. ·. pNroesfivxo caánbtul. hospitalizar. bazar.2. verter . proeza. plebiscito.detenção. realizar. ç. EMPREGO D Nos substantivos derivados dos ater . Emprega- verbos ter e torcer ter. Emprega-se SÇ Em palavras form nascer --'> nasço. -zito. miscigenação. amizade.6.versão.. man. coalizão. exato. cafezinho. X E DOS DÍGRAFOS se. Emprega acréscimo.7. sexta. azeite.con- "ender''. consciência. transcender. vizinho. Emprega-se o X Em sílabas finais do minados em -oar. 8.. ao formar verbos e civilizar. .extensão. xs 8. "verter" e "pelir" versão.civilização.

magoe. pNroesfivxo caánbtul. irrequieto... disenteria. expelir .-----."'1°:. ceder e cutir repercutir .excesso..!>\ ·•~:s· . _. -uir* influir. Nos vocábulos fi ~ 9... etc.7.···~· '.. chefiar..continue.---~·..e -xci. próximo são... vezita verbos terminados em gredlr.(csontra) 0 10 aborlgine. mexerico. ceder . 9...: . Emprega-se o 1 ascículo. exemplo._________. Emprega-se o xe e o XS to.. magoar .repercussão izar.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 8..:. Observações sobre o uso da letra X /eh/ .._\... seiscentos. ..demissão.1.cessão. trouxe prefixo ante.____________ _._. f: 9. fascí- ão. ..._..da em p•ova• da Fundação Ca<lo• Chaga. /s/ texto.. etc. man.._. doer-dói minados em -air. magoes ~ minados em -oar. . niz. r~... ______. continues Em palavras formadas com o antebraço..xarope._____.. 8. -uar continuar. 7'~"" -~. artimanha. anterior) cadeado.discus- Nos substantivos derivados de são. . cair-cai : 1 Em sílabas finais dos verbos ter.!'~....<t(l<. vexame /cs/ . ... •Reg•a MUITO ped. mitir... EMPREGO DAS LETRAS E E 1 ~ istorção.coloni- agredir _ agressão. ..con- Não soa nos grupos internos excelente. r ' 1."-<'<•:.14 • ~t'._~':i:.. progredir _ progressão. Emprega-se o E ... chafariz. etc. _.~t. ._. antitetânico ~ 1. discutir .transmissão.:: ..influi* t Em palavras formadas com 0 Anticristo.· "---..'l"". transmitir .exame. Emprega-se SS onizar.. confete. exílio seguintes fonemas /ss/ .máximo. L . .. nexo o X pode representar os /z/ .' . extenso verter . exceder . orquídea. dlgladiar..axila. penicilina. _.. -oer.! p~ nal . excitar -xce...~~1 : li ."~---. -~ 't ·~--" t.(antes. antecipar o.2.><:io. . .. ~XEIVJÍ>Lo· 1 t1 ~ Em sílabas finais dos verbos ter.--.~~.. privilégio.________.6..U. empecilho. demitir ..

ih!. será sempre Ele faltou. O estudo da palavra porquê. Não sei o porquê de sua demora. itl'li Observações: 1i ' 1 1) No substantivo Bahia.1 suem a letra h na sua composição.. no início do 12. _:: 'l Inicial. companhia Viajem ~ ~ Final e inicial. nh flecha. Fui embora logo porque estava muito 1 '~ ~-- Porquê é um substantivo.~X~~/E~~~tt. quando etimológico hábito. por exemplo. hum!. segundo elemento. ou seja. hibernal. nomeia.~. tábua Mal 1 ~ 11. hesitar..3. seus derivados eruditos sempre são grafados com h.~·"t:'·::·.I utilizada no fim de uma frase. etc. Seção ou secção 12. em início ou fim de palavras.5. Ih.(~}ti. Emprego dos porquês Onde " ~ :j N equivale a pelo qual Este é o caminho por que passo.~rf~~. ~ ~ "' 1 l . Horácio 4 Viagem J 1 Medial.~J~~~~. baianada ou baianinha ele não é utilizado. etc. eh!.1.. se etimológico anti-higiênico. A palavra hoje. EMPREGO DA LETRA H Mau i Esta letra.4. Emprega-se o H 12.i:~~i&f~ ú~ff. acentuada. homologar. em certas interjeições ah!. como integrante dos dígrafos eh. ~ Em compostos unidos por hffen.1. oh!.l . mas não sei por quê. costume. jabuti. r Gramática e I r--~~1 _ u ______ ---. super-homem.2. Viage 1 ~. Espanha e inverno não pos- 1) Note que nos substantivos derivados como baiano.l 12. EMPREGO DAS LETRAS O E U Faltou on Faltou on A oposição o/u é responsável comprimento (extensão) e cumprimento (saudação. 2) herbívoro. equivale a pois.~-i-~~~~~~~~~~~~f~'{~~:t~.. por força da etimologia e da tradição escrita. Aonde ~ Porque vem acompanhado pela palavra Por que você foi embora logo? razão(mesmo que subentendida) 12. oh sobrevive por tradição. Facilitan 1 11. realização) pela diferença de significado de j algumas palavras. hibernal. soar (emitir som) e suar (transpirar) 12.~~4~~~~·~t~. hispãnico. Conservou-se apenas como símbolo. grafa-se desta forma devido a sua origem na forma latina hodie. Se nã Porque é uma explicação. Onde '.TRE-SP Em concu 1 O. - Revisão Final .~!~t~i~-~-~~~~~::~. Mal e 1 Grafam-se com a letra O bolacha. 2) Os vocábulos erva. 1 12.l(. Cessã ~ i. telha. No entanto. Manuel. bússola. ! Senão '. hem?. herbívoro. Çessão Sessão 1 . não tem valor fonético.6. moleque. Grafam-se com a letra U camundongo.~i~1i~. pré-histórico. Admite PLURAL cansado.. hispâ- nico.~ Porquê Segue a regra da palavra que: quando 1 Senão . EM CONCURSOS :~ :.

Mal X Bem Mau X Bom 12. senão não conseguirá apren- de outro modo. Mau é um adjetivo (qualifica) Ele é um mau aluno. 1 l . o é utilizado. substantivo (nomeia) O mal que a televisão me fez. ervou-se apenas Facilitando: em provas fáceis. A casa aonde iremos. ·... hispâ. 1 Senão Equivale a caso contrário. mbora logo? 12. Perguntei aos alunos se não gostariam de estudar. r Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa o Final .4.. divisão Li a notícia na seção (ou secção) de esportes. ! Senão Equivale a caso não.-. Onde no(a) qual = A editora fica no bairro. secção 12. vra porquê.-.~!~t~i~-~-~~~~~::~. je. e sua demora. etc. _:: io Viagem substantivo (nomeia) A viagem que farão.3. Regra: admite plural= não sabemos os porquês. 12. Viagem e viajem ~t~. Se não fossem meus amigos. O bairro onde fica a editora. a não ser. . Mal e mau ···. Regra: final de frase. herbívoro.·•. do contrário. ':Regras:'-. Regras Exemplos Çessão Ato de ç:eder A cessão de terras não será feita pelo governo. não seria quem sou.. Cessão.2. Sessão reunião A sessão de cinema começará às oito horas.5. por exemplo. Estude bastante. vados como baiano. ·. Aonde Significa ao lugar = Iremos a casa. or que passo. Faltou ontem e não sabemos o porquê. Se não e senão que estava muito 1 o. Onde e aonde . Seção ou parte.. pode pensar na antiga dica de antônimos.~. mas sim der o suficiente.TRE-SP Em concurso: Faltou ontem e não sabemos por quê. o sei por quê. Mal advérbio (indica circunstância) Dormi mal a semana toda.6.:· Significa no lugar e equivale a em que. quando não ou no caso de o se ser conjunção integrante. ização) 12. Viajem verbo (pode ser conjugado) Que eles viajem bem. sessão e seção (ou secção) -homem.

um~ oposição ou limitação. Afim S Tampouco também não ou nem Não estudóu. ideias contrárias. nome indefinido indicando noção de Mais Isto é o mais que ele consegue fazer. ri Revisão Final . podendo ser subhtituído por porém. Tão pouco e tampouco ' 12. mas tão bom aluno que tem sempre nota máxima nas provas. algo Estudei tão pouco que nem vou fazer a Tão pouco pequeno. Há cerca de tempo decorrido Há cerca de 1O anos. preposição.12. A fim e af Afim L muito pouco. contudo Ele é bom aluno. os restantes. para indicar ideias opostas. Ela é a menina mais inteligente da turma. não darei minha opinião. Acerca de perto de. em direção a. tampouco trabalhou. Sequer A Ao encontro estar de acordo com.1 O. 12. próximo de O mar fica a cerca de 50 metros da pousada. Dois mais dois são quatro. 12. aproximadamente. advér. Utilizada Aoinvés'de Ao invés de rir. para junto de java. Em vez de e ao invés de Em vez de Em lugar de Em vez de estudar. escasso prova. pro. Signi- fica também ainda os outros. chorou muito. Acerca de. foi aprovado. pouca coisa. Ao contrário de. os mais que se decidam. conjunção = adversativa tem sentido de Mas Não estudou. conjunção. um Nem mas nem melo mas. em oposição a. Masemais substantivo comum = um defeito. 12. lado oposto. bio de intensidade. De encontro a e ao encontro de Sequer C De encontro a contra. 12. Não faço mais nada do que pensar. para chocar-se com A decisão foi de encontro a nossos ideais. curto. foi ao cinema.9.8. a cerca de e há cerca de Acerca de a respeito de ou sobre Acerca do fato.TRE-SP [ Gramática e Interp -- ~---------- 1 ! 12. Vou embora.11. '· . maior quantidade ou intensidade. • advérbio = enfatiza uma afirmação Pode ser substantivo.7. favorável Minha nota veio ao encontro do que dese- de a. faça já o que senão mandaram. os demais. mas foi aprovado. todavia.

-- 1 ! ' 12. Sequer Ao menos= advérbio casa. tros da pousada..TRE-SP [ Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa -- ~--------------. . ovado. igente da turma. ri Final . .. inha opinião.--. o... ro do que dese- nema.. Estava doente e sequer tinha remédio em nossos ideais.12. bom aluno que nas provas. l\1 ·' s. A fim e afim Afim Locução de finalidade.. ue pensar. faça já o que ovado.. balhou.. se decidam.. _. Sequer Conjunção se+ verbo querer= se desejar Se quer ter sucesso.--· . . em vou fazer a Afim Semelhante. segue fazer. que tem afinidade Nossos valores sempre foram afins. trabalhe. equivale a para Estudou a fim de ter salário fixo... '· 1 -·.

1. REGRAS Em concur e palavras qu ditongo abert 1 t Iniciemos 1) Separe 1 2) A últim l hífen). INTRODU Acentuaçã estão os acen cedilha e hífen 2. 3) Não co seguire Facilitou? Crítica 2..:~ 1.. " .2. Paroxít Sílaba tôni . Propar Sílaba tôni As proparo 2.

alguns verbos são pedidos como acento diferencial (singular e plural) e palavras que são acentuadas pela mesma regra (oxítona. 1 t Iniciemos com exemplo de uma simples tabela pra facilitar a classificação dos vocábulos. acento circunflexo. patético. paroxítona.2.1. ditongo aberto. REGRAS DE ACENTUAÇÃO GRÁFICA Em concursos. 1) Separe as sílabas. árvore 2. acento grave. proparoxítona. oi. cedilha e hífen). Capítulo 2. 2. Paroxítonas Sílaba tônica: penúltima . til. Lembre-se de que em cada sílaba. monossílabo e ditongos abertos (eu. Proparoxítonas Sílaba tônica: antepenúltima. ei). crí ti co hi fen ca fé Facilitou? Crítica é uma proparoxítona. INTRODUÇÃO Acentuação gráfica é a aplicação de sinais gráficos nas palavras e entre esses sinais estão os acentos gráficos (acento agudo. 1 2) A última coluna deve estar sempre preenchida (como o exemplo da palavra l hífen). hífen é paroxítona e café é oxítona. apóstrofo. por não seguirem as classificações mencionadas a seguir. 3) Não colocar na tabela: hiato. hiato etc. Acentuação 1. 2. há uma vogal. As proparoxítonas são todas acentuadas graficamente: trágico.

ua(s). mágoa.5. Os ditongos éi.\~Z::. super capítulo. Não se acentuam. régua..~:~. uns álbum. e r. semi.~~. sofás aberto oi). p vras seguintes '~t~~i~~~~i:~.4. avós 2.~. \ Monossílabos Tônicos sejam seguidos por Possuem uma sílaba e são pronunciados fortemente.~:i\. Revisão Final .3. pó.ons lândom.tà~~~ii~i~~.1~. ão(s) órfã. jovens (hífen). Observações 2.3.4.~.~&1y. Acentuam-se as paroxítonas terminadas em ditongos várzea. ions em outras. 1. não. Ditongos a nuo.1. e(s) jacaré.TRE-SP Gramática e Interpr 2. órfãs. armazéns Acentuam-se o i e 2.2.5.1.2. órfãos Muitos verbos. vocês o(s) paletó. __m .2. Regras Esp As paroxítonas terminadas em n são acentuadas hifens. óleo. Observaçõe ps bíceps Os monossílabos áton X tórax elementos de ligação us vírus i.io(s). Não possuem a 1 ~~ átonas do vocábulo n pólen cadáver 2. início uo(s).&-. cá Cabe esclarecer qu e(s) pé. ingê- crescentes: ea(s}. férias. Sílaba tônica: última Os ditongos abertos nas NÃO são acentu A palavra destróier xítona terminada em a(s) sofá. produzem jóquei. Hiatos em.~?i. ue(s). Oxítonas tuados. Estas regras n Não são acentuados os prefixos terminados em.4. álbuns ã(s). ens ninguém. ao s ditongo oral oblíquos. aa(s}. nós. ie(s). eo(s). um.4. mês -'~:•e_r_e_m_h•·_ª~ L o(s) só. Monossílab . ia(s). 2.~~~.5. is júri.l-~f1i. lápis Há monossílabos que om. túneis (seguido ou não de s) bicas que devem ser mindo alguma das te 2. cárie. Monossílabos com a vogal anterio ou acompanhados 2. pôs --. éu e aberta em palavras 2. órfão. mas as que terminam em ens. tênue.: l Motivo: -i ou -u não a(s) 1 lá.

im. sempre que tiverem pronúncia aberta em palavras oxítonas (éi e não êi).f691 2. e.:::=:===.4.dar + as =dá-las mindo alguma das terminações contidas nas regras. heroico. uns. Hiatos '' . ingê- 2. céus tuados.5. Observações Os monossílabos átonos são palavras vazias de sentido.ir vras seguintes .:::=========~ . elementos de ligação (preposições.5. assembleia. portanto.. __m" ""' º""'"''°"' <m 'o". em. fazer+ o= fazê-lo 2. paranoia.:~. etc. éu e ói. (tônico) em outras. 2. 1 po-é-ti-co: proparoxítona Cabe esclarecer que existem hiatos acentuados não bo-ê-mio: paroxítona terminada em ditongo cres- -'~:•e_r_e_m_h•·_ª~ . te. Monossílabos Atonos .TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa .:.. vindos representados por artigos.. éu (s): troféu. constrói. A palavra destróier é acentuada por ser uma paro- xítona terminada em "r" (e não por possuir ditongo - aberto oi). um.~. ideia.. ju -iz. boia.inal . plateia. ~· Acentuam-se o i e u tônicos quando formam hiato sa-i-da com a vogal anterior. Eu sei seu nome. são acen.3. caubóis Os ditongos abertos ocorridos em palavras paroxíto. sendo proferidos fracamente. se. Não se acentuam. me. Ditongos abertos éi (s): anéis. de.2.fez+ o = fê-lo bicas que devem ser acentuadas por acabarem assu. ru .2. fiéis. ca .. papéis Os ditongos éi. Coreia. jiboia.5. lhe nos.'"º" . ao se combinarem com pronomes oblíquos. que.. ra . produzem formas oxítonas ou monossilá. estando eles sozinhos na sílaba e-go-is-mo ou acompanhados apenas de us". 2. etc. Não possuem autonomia fonética.: l Motivo: -i ou -u não estão sozinhos nem acompanhados de -s na sílaba. Regras Especiais Estas regras não podem ser encaixadas na tabela de dica mencionada no início do capítulo.1.iz. colmeia.:::..4. desde que não sa-ú-de sejam seguidos por -nh. como se fossem sílabas átonas do vocábulo a que se apoiam: o(s). a(s).. mas não me recordo agora. cárie.. hiatos como os das pala. ói (s): herói."'" L --. (átono) beijar+ a= beijá-la Muitos verbos. ue. ~~. Você trouxe sua mochila para quê? (tônico) Que tem dentro da sua mochila? (átono) Há monossílabos que são tônicos numa frase e átonos Há sempre um mas para questionar. pronomes oblíquos. joia. conjunções). estreia. nas NÃO são acentuados.

5. ..3. o acento ocorre obrigatoriamente. etc.Eles retêm intervir.Eles intervêm Nos verbos compostos de ter e vir. Distingue-se ele detém -eles detêm o plural do singular mudando o acento de agudo ele advém -eles advêm 1... MUDANÇ para circunflexo O alfabeto símbolos de med palavras e nom (e seus d 2.TRE-SP 2. a exceção 3.... advir.. Verbos TER e VIR Ele tem .. reter.ô Não se us ditongos 1 palavras vras que t penúltima Nas palav se usa mai 2 tônicos qu de um dito Não se us 3 palavras te ôo(s). . conter.Eles vêm nos seus compostos (deter. bem como Ele vem .... mesmo no singular. Ele retém . TREMA Não se usa pronunciada n Em provas. Ele intervém . convir. MUDANÇ .).Eles têm Acentua-se com circunflexo a 3ª pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos ter e vir. 70 Revisão Final .

William. MUDANÇAS NAS REGRAS DE ACENTUAÇÃO ... Coreia heróis. · . Não se usa mais o acento das 3 palavras terminadas em êem e abençoo. •. Piauí.sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue. enjoo. o acento perma- nece: guaíba. alcateia. : :' .· EXêeÇões Essa regra é válida somente para Não se usa mais o acento dos alcaloide. o acento perma- se usa mais o acento no i e no u baiuca..:.. .. TREMA Não se usa mais o trema ("). Continuam a ditongos abertos éi e ói das apoia (verbo apoiar}. asteroide..'. kafkiano 2.. w e y: A BC D EFG H IJ KLM NO PQ RSTU VWXYZ ·. !. doo. bocaiuva (tipo de pai. kg (quilograma). símbolos de unidades de km (quilômetro}. MUDANÇAS NO ALFABETO O alfabeto passa a ter 26 letras. tuiuiús. W (watt} medida palavras e nomes estrangeiros show. não seguidos de s}. 2.~ . ..riJJt1f :\. 2 tônicos quando vierem depois meira}.. kung fu. se o i ou o u forem precedidos de ditongo crescente.l'''.. (e seus derivados} Kafka. (verbo apoiar). dói (verbo doer}.1tf'.. penúltima sílaba}. ôo(s). Reforma Ortográfica 1. ·. sóis.. androide. boia. . colmeia. e os monossflabos tônicos termi- vras que têm acento tônico na celuloide. r. qui. gui.ôci. apoio ser acentuadas as palavras oxítonas 1 palavras paroxítonas (pala. se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou Nas palavras paroxítonas. windsurf.o Final . de um ditongo. creem. 3.. . deem.TRE-SP Capítulo 3. claraboia. playboy.. Foram reintroduzidas as letras k. yin.. que. playground. palavras paroxítonas. cauila (avarento}. mülleriano. herói. . kaiser.·.. o trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas: a exceção Müller. nados em éis e ói(s}: papéis. nece: tuiuiú. yang. . 1. Guaíra.~~êmpj~. Em provas.

....~ . enxáguem. delínqua.b).:. Permanecem os acentos que Não se usa mais o acento dife.'}: .·. bate-boca paraquedista. em compostos qu cia dos verbos terminados em enxáguas.. verbo enxaguar: enxáguo. ausência na reunião. Acento facultativo .. Ele vem . conter. das de topôni diferenciam o singular do plural 4 rencial os pares pára ._.Eles mantêm.Eles convêm.. pêlo(s) . a pronúncia mais cor.ç il •..'~:·. cional. porta-bandeira...para.. .. reter.. enxágue. advir etc. delfnquas._ ·· :. (anti. Ele convém .-9!~ :l'\!.. 2.· .emP. se ou não eleme Em alguns casos.. "" .~.. !.··· _. mais fortemente que as outras): 1. delinqya. pontapé. 2 se inicia a out mandachuva.. -: . USO DO HÍF devem ser acentuadas. nas palavras c 3. 6 presente do subjuntivo e tam. -duro. enxágues. Não se usa o hífen em certas pala- nas palavras compostas que segunda-feira... paraquedismo. tos. enxagyem..'SI. :.. ta-malas..· .· .2. apaziguar.. '. (eles) arguem..:..): . nos composto 4. (a vogal sublinhada é tônica isto é.·:-..~_f/!'.'""~. joão-ninguém. essas formas deixam de qyes.-<·~>:· ><. delfnque.·.:.·... enxagyes.' Usa-se o hífen iniciada por h guarda-chuva.. dos verbos ter e vir. .f.1.·. paraquedas. -..• _. elementos de ligaçã guar. deter. super. As observaçõ tônico.. delinqyem. quar e quir. Revisão Final . ··. por. desaguar. elementos de seus derivados (manter. boa-fé.f. mesa-redonda. enxagyam.. (ele) argui.. enxágua.·~·~s"r.l. obliquar. . como girassol.11. ultra ser acentuadas. delinqye.o uso do espécies anim acento circunflexo para diferenciar 5 (nomes de pl as palavras forma e fôrma. delinquir delínques.pela(s).. Ele mantém . ligação. . delinqyam. Usa-se o hífen posição. como aguar.·. verbo delinquir: delínquo.• .:::_..pera...'.:. enxaguar. prios de lugar Ele não para de falar.c.. aquela com a e bém do imperativo.•:.·.·5·_. Permanece o acento diferencial nos composto ern pôr(verbo) e por(preposição): mentos há o e 3 Vou pôr o livro na estante que foi trofo. delinqyas.~:.~·$6.Ui_·. interessa? Há uma variação na pronún. pólo(s) . averiguar. Ele tem ..l · . intervir.. .·. a ou i tônicos. ele não pôde 2 vras iguais ou sair mais cedo.Eles vêm. o uso do acento deixa a frase mais clara: Qual é a forma da fôrma do bolo? Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas (tu) João argui Pedro sobre sua 5 arguis._. auto.1.··. se forem pronunciadas com verbo enxaguar: enxagyo. essas formas enxagyas.l ::•·.•·•. madressilva. convir. 5..·..·. se forem pronunciadas com u verbo delinquir: delinqyo. mas hoje ele pode.··. do No Brasil. Complemento: inc pronúncias em algumas formas delínquam. enxáguam. Esses verbos admitem duas quem.:.-"-. enxagye.. agro. i tônicos. Pedro redargui: Por acaso isso te Não se u~a do presente do indicativo dos verbos arguir e redarguir.-. caso os compostos do presente do indicativo. Permanece o acento diferencial em em composto pôde e pode: Ontem._.· f.. pelo(s). .TRE-SP Gramática e Inter 1. delin.. pão.:.polo(s) e pêra Foram para Londres."1. assim como de 4 péla(s) . micro-ondas. raízes.·. enxagya..·•i..-.. vras que perderam a noção de com- não apresentam elementos de vaga-lume. delín- etc.}{0-~·x ': . .·1 .Eles têm.. eletro 4 USO DO HÍFkN COM COMPOSTOS . · . ~ •r i-: . elementos de 2. deve ser pronunciad~ rente é a primeira. arco-íris. feita por mim.

hidra. nos compostos que designam peixe-do-paraíso. agro. blá-blá-blá.). cional. Não se u~a hifen · '!'J<emplos. sobre-humano. zigue-zague. ultra-humano noção de com. inábil.): não se usa o hífen. anti-higiênico. erva-doce. ele não pôde 2 vras iguais ou quase iguais. rença de sentido entre os pares: fôrma. ao deus-dará.. mico-leão. rio-gran- gular do plural 4 prios de lugares). reter.Final . nter. foge. desumi- iniciada por h. sub-bibliotecário. . cies botânicas e zoológicas são onvêm. geo. camisa elementos de ligação. de vinho. . bicho de sete cabeças. clara: Qual é a b) olho-de-boi (espécie de peixe) - bolo? olho de boi (espécie de selo postal).Eles compostos que designam espé- . Complemento: incluem-se nesse diz que diz que. reenviar. tique-taque. tos. pingue-pongue. micro-ondas. faz de aquela com a e conta. Usa-se o hífen se o prefixo terminar com a mesma letra com que ol. cooptar. mini. auto. pai de água-de-colônia. ultra. inter-regional crever . . elementos de ligação.. Prefixo RE-: reeleger. com ou sem dense-do-norte. cra. andorinha-da-serra. pimenta-do.}{0-~·x deu o H inicial: desumano. 2 se inicia a outra palavra. fim de semana.. tenham ervilha-de-cheiro. proto-história. mais-que-perfeito. paraquedas.. sem rom-rom.bico de papa- uso do acento vo-da-índia. Observe a dife- para diferenciar 5 (nomes de plantas. assim como de elementos de ligação. cooperar. reco-reco. dia a dia. anti-inflacionário. flores. corre-corre ento diferencial nos compostos entre cujos ele- por(preposição): mentos há o emprego do após. cara de pau.~·$6. advir etc. 5. . todos. cri-cri. neo etc.o uso do espécies animais e botânicas -dourado. eletro. Ele vem . cor em compostos que apresentam cor-de-rosa. madressilva. glu-glu.. ··· _. sogra. tico-tico. planta ornamental) . sul-africano . belo-horizontino. pega-pega... multi. m. a) bico-de-papagaio (espécie de ou não elementos de ligação. rees- uedismo.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 73 1 nto diferencial em em compostos que têm pala. peroba-do-campo. hoje ele pode. lebre-da-patagônia. deter. ~~j!ções pé de moleque. gaio (deformação nas vértebras). cor de burro quando ncia mais cor. zum-zum. porto-alegrense. pé-de-meia.' 9!~ :l'\!. anti-histórico.. quando os . sub etc. leva e traz. macro. ponto e vírgula. -reino. rvir. peixe-espada. mato-grossense-do-sul. cooperação. esconde-esconde. gota-d'água.Eles mantêm. micro.) ou por elementos que podem funcionar como prefixos (aero._. fru. à quei- de força. maria vai com as outras. super. nas palavras compostas deriva- s acentos que das de topônimos (nomes pró. em certas pala. dificar. USO DO HÍFEN COM PREFIXOS As observações a seguir referem-se ao uso do hífen em palavras formadas por prefixos (anti. bem-te-vi. é. pé-d'água 3 estante que foi trofo.. tido original. coocupante. Quando o segundo elemento per- Usa-se o hífen diante de palavra macro-história. arco-da-velha. olho de ma-roupa. mini-hotel. raízes. Prefixo CO-: coordenar. empregados fora de seu sen- vo . "" ': . sementes). nos acuda. super-homem. pé de vento. deus caso os compostos de base ora. deus me livre.

. mal-estar. agroindustrial. pan-americano de palavra iniciada por m. sub-regional. Se houver elemento de ligação. pré-história. dobram-se essas letras. supe- Observação: Se o prefixo terminar 3 por vogal e a outra palavra começar Usa-se o hífe daquela com que se inicia a rinteressante. pré. mal- -limpo Com mal*. coa- bitação. (isto é um) quase delito não e quase. dobram-se essas letras: ocasionalme outra palavra.. 1 . pos- por. n e vogal. Neste último caso.:"*- Revisão Final . usa-se o hifen diante 2 circum-murado. [ 5. ex-hospedeiro. r !t vice-rei pós-graduação. aeroespacial. viceª ex-diretor. reedição !' f 7 o hífen diante de palavra começada por b. vice-. 1 3 dente. Exem- começar por vogal.1. recém-casado. ad-renal. ob-rogar. além. ad-digital. sem-terra. pressupor. usa-se 2 o hífen se não houver elemento de ligação. propor. supersônico. corréu. escreve-se sem o hífen. semicírculo 4 minissaia. recém-nascido. inter. Outros casos do uso do hífen t Não se usa o hífen na formação de palavras com (acordo de) não agressão. vizo-. ob e ad. 1 O prefixo co junta-se com o segundo elemento. aquém. usa-se o hífen quando a palavra seguinte Observação: Quando mal significa doença. coerdeiro. usa-se o hífen também Pesquisa rea sub-região. h ou 1. usa-se reescrever. não haverá hífen: predeterminado. ex-aluno. cofundador. coeducar. 4 Usa-se o hífen com os prefixos pós. corta-se o h.---. Usa-se o hífen com os prefixos ex. sub-reitor. mirim terminar com letra diferente municipal. pró. Observação: Se os prefixos não forem autônomos. plo: mal-francês.. ex-prefeito. Na formação de palavras com ab. soto-. priamente v semirreta 1 bulares. mal-humorado. 1 Para clareza de uma pala 5. Não se usa o hífen se o prefixo autoescola. antirracismo. pró-eu- ropeu.TRE-SP Gra_"l~~-ica e ln_t~_ Usa-se o híf Prefixos que sempre levam hífen: 3 rani que rep sota-. circum-navegação. Se a palavra seguinte coobrigação. ex-presi. ab-rogar ! I.2. cosseno 1 começar com r ou s. 1 Com os prefixos sub e sob. Com o prefixo re.. mal-entendido. guaçu. não se usa o hifen.-----· ----~-·-----4-'"-~----~-. ultrassom. 1 5 mesmo quando este se inicia por o ou h. sem. coedição. ~~-. pré-vestibular. além-mar. aquém-mar. Exemplos: mal de lázaro. Casos particulares 5 cidir com o seguinte. além-túmulo. por r ou s. sob-roda diante de palavra iniciada por r. Com os prefixos circum e pan. mesmo diante 6 de palavras começadas por e. corresponsável. d ou r. mal de sete dias. recém. antiaéreo.

coa- onsável. ex-presi. 1 . conta--se que ele foi viaja'. cosseno 1 !' f ogar ! I. efeito.-----· ----~-·-----4-'"-~----~-. guaçu. capim-açu. mal- a doença. sem-terra. r estibular. Exem- mento de ligação. !t . 5 cidir com o hífen. mas encadeamentos voca- 1 bulares. como açu. pró-eu- rem autônomos. ex-aluno. 1 cido. priamente vocábulos. [ t um) quase delito humorado.. se no final da linha a partição de uma palavra ou combinação de palavras coin..1>_r~ta_ção de Texto da Língua Portuguesa Usa-se o hífen com sufixos de origem tupi-gua- re levam hífen: 3 rani que representam formas adjetivas..---.. mirim. 1 1 cofundador.com.:"*- Final . ele deve ser repetido na linha O diretor foi receber os ex--alunos. s: mal de lázaro. prefixo terminar palavra começar Usa-se o hífen para ligar duas ou mais palavras que -se essas letras: ocasionalmente se combinam. eixo Rio-São Paulo smo. formando não pro- 4 ponte Rio-Niterói. amoré-guaçu. seguinte. anajá-mirim zo-. 1 Pesquisa realizada em: Guia Nova Ortografia Michaelis e umportugues. pan-americano -mar. pos. ultrassom.TRE-SP Gra_"l~~-ica e ln_t~_i:. 1 Para clareza gráfica. sob-roda . l. Na cidade. pressupor. usa-se de ligação.

. superlativo. CLASSIFICA Antes de apro gramatical. Classes gra Em português ses de palavras. 2...1..... .. INTRODUÇÃ A flexão nomi substantivo e adje concordância. São d lise sintática. e qua As classes vari Existem tamb sua função na fras Substantivo ... assu 2. . 1.

o cônjuge. o monstro . ou feminino. Exemplos: a pessoa. CLASSIFICAÇÃO E FLEXÃO DAS PALAVRAS Antes de aprofundar o estudo da flexão das palavras. e quatro são invariáveis. existem dez classes gramaticais. São divididas em variáveis e invariáveis. numeral. Têm a mesma forma para o masculino e o feminino. Seis são variáveis. nome. Flexão Nominal 1. ou superlativo. 2. São substantivos que têm a mesma forma para seres de ambos \ Substantivos de dois Substantivo os sexos. a vítima. de acordo com sua função na frase. substantivo e verbo. é necessário entender cada classe gramatical. Importante saber para entender a aná- lise sintática. flexionam-se. Existem também as classes sintáticas. a seguir. INTRODUÇÃO A flexão nominal em Fundação Carlos Chagas pode ser exigida como plural e grau de substantivo e adjetivo.MORFOLOGIA Capítulo 1. assunto abordado no próximo capítulo. Substantivos de dois Substantivo que tem a mesma forma para o singular e o plural: números lápis. mil folhas. a função das classes de palavras variáveis: Palavra que serve para designar os seres. Quanto ao número (plural). a criança. ou ainda clas- ses de palavras. o/a agente. vírus. gêneros Exemplos: o/a colega. que são outra divisão das palavras. adjetivo.1. isto é. pronome. 2. o/a lojista. . indo ao plural. Classes gramaticais variáveis Em português. Veja. ônibus. atos ou conceitos. normalmente é exigido em questões de concordância. não Substantivos variando sequer o artigo ou o adjetivo que os acompa- sobrecomuns nha. PARTE Ili . sendo o gênero marcado pelo artigo que os precede. ou classes morfológicas. As classes variáveis são: artigo.

se. Exemplo: O livro que comprei é muito bom. que é. livro Preposição Adjetivo incrível. Palavra que se relaciona com o substantivo para lhe atribuir urna qualidade. Exemplos: Um jovem rebelde (neste caso. suas. ~ Pronomes possessivos Indicam a posse em relação às pesso~s do discurso: Meu. aquelas. Eu. pessoa. si. vosso. comprar. 3. tuas. moça adorável. São pronomes indefinidos: algum. ~:1 ' ji i. tempo. um terço. !~ nenhum. a. ·. Multiplicativos: duplo. olhos azuis. uns. o nome do verbo. ti. elas. etc. comigo. jovem é o Conjunção de dois gêneros substantivo e rebelde. quando :j interrogativos são usados para formular uma pergunta. ele. ' ·~ r '· ~ '. aquela. i: r' Representam numa oração os nomes mencionados na ora- ~ Pronomes relativos ção anterior. tua. Indicam o lugar ou a posição dos seres em relação às pessoas ! !. cuja(s). estas. lhe. quem. nos. triplo. FLEXÃO 11 Numeral tro. livro divertido. I. Pessoa: Aquele. isso. Plura nomes se dividem nas seis grandes classes a seguir: 1 l . vossa. uma. vinte. 1•. quanta(s). cujo(s). vossa senhoria. Também são pessoais os pronomes de tratamento: você. Me. o qual. 1. essas. estes. ~ . teus. vossa 1 Excelência.Pessoa: Este. É a classe gramatical mais rica em varia- ção de formas. nossas. ela. meus. a senhora. vós. número e voz. onde. qualquer. conosco. árvore alta.1. os. Pronomes Os pronomes interrogativos que. Trata-se de palavra que pode ser classificada como adjetivo Adjetivo de dois ou como substantivo e mantêm a mesma forma para os dois gêneros e substantivo gêneros. os quais. seu. estado ou fenômeno. esses. umas). quanto(s). Um rebelde jovem (neste caso. tu. No Veja a tab Verbo dicionário. convosco.'': ! 7s ! Revisão Final .TRE-SP 2. vigésimo. Pessoa: I. a qual.' 1: demonstrativos Esse. Classe São invari Palavra que expressa ação.'\". Os pro. aquilo. Exemplos: Fugir. 3ª. sua qualidade. chover. Flexão !J Palavra que substitui o nome ou que o acompanha tornar claro o seu significado. l Pronomes pessoais Designam as três pessoas do discurso (no singular ou no plural). quem. Exemplos: Quem espera sempre alcança. ninguém. o senhor. obra incrível. eles. o. etc. nosso. Advérbio É um adjetivo que mantém a mesma forma tanto quando se Adjetivo de dois refere a substantivos masculinos quanto a femininos. seus. são encontrados no modo infinitivo. Palavra que designa os números ou sua ordem de sucessão. Fracionários: meio. as. aqueles. 1. minhas. vossas. São '1 pronomes relativos: Que. qual. essa.' it ' . podendo mudar para exprimir modo. vos. convite aceitável. determinando-o e Interjeição Artigo: 1-----------1 indicando seu gênero e número (artigo definido: a. Pronome Pronomes do discurso. por assim dizer. Mim. trinta. as quais.2. um quinto. nossa. vossos. esta. os) ou Artigo indefinido (artigo indefinido: um. teu. contigo. se. Exemplos: mulher linda. isto. te. ser. quádruplo. Referem-se à terceira pessoa do discurso num sentido vago 1 Pronomes indefinidos ou exprimido quantidade indeterminada. rapaz adorável. 2•. anoitecer. minha. 3. o adjetivo). ocorre exatamente o contrário) Artigo definido Palavra que se coloca antes do substantivo. Ordinais: quarto. as. o. sua. quanto. nossos. 3. lhes. consigo. Exemplos: Cardinais: qua. Exem- gêneros plos: Sugestão aceitável. nós. trigésimo. estar.

Exemplos: Palavra que modifica o verbo. isto. Atenção: O plural de caráter é caracteres. oi. Classes gramaticais invariáveis São invariáveis: advérbio. tua. 2•.revólveres/ raiz . al. o lápis .cânones. Exceção: cânon . homem . etivo). el. imediatamente. forma para os dois Mas: relaciona pensamentos em contraste ou Conjunção Termo que liga duas palavras. 3. o ônibus . espaço outra.homens ssa senhoria. substituindo o -ão por -ões ação-ações ão fazem o plural de três substituindo o -ão por -ães cão. um 3. o nome do verbo. Plural dos Substantivos Simples no singular ou no vogal.os lápis num sentido vago xítonos. em els. a tanto quando se uma circunstância. Exemplos: Quem indefinidos: algum. maneiras: Obs.2. no plural. Um rebelde Quando: conjunção temporal. Ali: lá. como dor. no plural) ontigo. nossas. s os pronomes de m fazem o plural em ns.ímãs Me.ases . si. mais rica em varia- número e voz. expressando Não: expressa negação. missil . canil-canis ele.1. lhe. aqueles. Ah!: alívio. consigo. ficam invariáveis. se. i é muito bom. alívio. a femininos. nido: a. ntrário) Se: conjunção que exprime condição. te. alidade. jovem é o oposição.TRE-SP 79 2. as. Psiu!: Ordena silêncio. Flexão de Número do substantivo significado. cônsul e cônsules. os) ou súbita. livro Preposição Termo que subordina uma palavra a Livro de João. FLEXÃO DO SUBSTANTIVO meio. trocando o 1 por is.hifens (sem acento. ·. Exem- obra incrível. seus. São Quando monossilábicos ou oxíto.raízes acréscimo de es.pais/ imã . Advérbio tivo ou outro advérbio. 1. . o látex . alegria. .quintais/ caracol . Pessoa: Quando oxítonos. vossa r e z fazem o plural pelo revólver . peso sobre o papel. o. s fazem ó plural de duas nos. do discurso: Meu.hotéis sua. Os pro. determinando-o e Interjeição Vocábulo que traduz urna impressão Oba!: alegria. maneiras: répteis ou reptis (pouco usada). ada como adjetivo E: exprime ideia de adição (aditiva). susto. il fazem o plural de duas Quando paroxítonos. morava em Belo Horizonte. teu. ui flexionam-se quintal . satisfação. relação às pessoas tas. Exceções: mal e males. 1. ditongo oral e pai . quanta(s). mediante o acréscimo de es. conjunção. um terço.os látex.'': o Final .\ ás . quando substituindo o -ão por -ãos grão-grãos x ficam invariáveis. interjeição e preposição. o. o adje. acréscimo de s. n fazem o plural pelo hifen . 3. em is. ai. .retroses maneiras: Quando paroxítonos ou proparo. naquele lugar. aquela.'\".: a palavra réptil pode formar seu plural de duas encionados na ora. retrós . No Veja a tabela abaixo com as funções destas palavras. bros de uma oração ou duas orações.os ônibus. dois mem- ste caso. a. admiração. quanto.caracóis/ hotel . os: Cardinais: qua.mísseis. Logo: prontamente. os.cães maneiras. entre as árvores. cujo(s). suas.

os prós substantivo + couve-flor e couves-flores substantivo 3. :~àsi# í:si>~:âis dos. ou seja.2.4. palavra invariável + alto-falante e alto-falantes palavra variável 3. quando formados d~.. especifica a função ou o tipo do termo homem-rã .2. substantivo Fl!!xi~na.. do tipo de palavras que formam o composto e da relação que estabelecem entre si..1. Plural dos Substantivos Compostos ···r:'''· ·- . Vamos a elas.palavras-chave + bomba-relógio .ién:íento.notícias-bomba determinante do primeiro.homens-rã anterior.peixes-espada verbo + o bota-fora e os bota-fora Diminutivo advérbio verbo + o saca-rolhas e os saca-rolhas substantivo no plural .s. pontapé e girassol e malmequer e malme- dentes pontapés girassóis queres As palavras subs substantivo... .1.TRE-SP 3.3. Plural dos D substantivo Flexiona-se o su + amor-perfeito e amores-perfeitos adjetivo adjetivo + gentil-homem e gentis-homens substantivo numeral · i.se· so~ente tren(sJ + zirhos tr º ~êii·il~a'.. Plural das P aguardente e aguar. peixe-espada .2. 1. Aqueles que são grafados sem hífen comportam-se como os substantivos simples 3.bombas-relógio substantivo que funciona como notícia-bomba . Flexão de Gr palavras repetidas ou imitativas reco-reco e reco-recos Grau é a proprie substantivo + Grau· preposição clara água-de-colônia e águas-de-colônia + Neutro substantivo substantivo + preposição oculta cavalo-vapor e cavalos-vapor + substantivo Aumentativo substantivo palavra-chave . Gramática e Interpre r 80 J Revisão Final ..oi:6eí~l + 1• •· bo 'Zlrihos' -< + quinta-feira e quintas-feiras substantivo cha verbo + guarda-roupa e guarda-roupas faí-'ói(s) + Zinfj()s fa . .. aprese O plural dos substantivos compostos cujos elementos são ligados por hífen costuma provocar muitas dúvidas e discussões. A formação do plural dos substantivos compostos depende da forma como são grafa.

2.-. ens-rã gatinho (gato) s-espada . 'íiipél(~):i: zlrih~~ papeizinhos ~fo+~itos pezitos :: : ~r: '' . : ·· · ' . ::.1.. :~àsi# í:si>~:âis o bem-me-quer e os bem-me-queres em entre si. ca-rolhas é acrescido ao substantivo um sufixo indicador Sintético casinha de diminuição. a-roupas faí-'ói(s) + Zinfj()s faroizinhos .. isto é. as flexões próprias dos substantivos. r) '·" •:..·zinhas mãozinhas '"i:iéísl + zinhos pezinhos 'Zlrihos' -< . apresentam. o bem-te-vi e os bem-te-vis o são grafa..nal .. ·. retira-se os final e acrescenta-se o sufixo diminutivo.:.: 11 ~·... lápis natural.4... Grau· Definição Exemplo s-de-colônia Indica um ser de tamanho considerado Neutro rocha. -· :'' ! :ffi~Q(s)'. Flexão de Grau do Substantivo ecos Grau é a propriedade que as palavras têm de exprimir as variações de tamanho dos seres. Plural das Palavras Substantivadas malme- As palavras substantivadas. en costuma os prós os contras prova dos noves os sins os nãos -flores 3. o louva-a-deus e os louva-a-deus .···:. bocarra (boca) os-vapor . >. no plural. Plural dos Diminutivos Flexiona-se o substantivo no plural. Fácil: Sintético= Sufixo. Indica o aumento do tamanho do ser.·:..1.. .: · · · : ~..TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 81 ···r:'''· ·-. muralha (muro) pedrona (pedra) Aumentativo o substantivo é acompanhado de um adjetivo Analítico casa grande ras-chave que indica grandeza. .. o joão-ninguém e os joôes-ninguém ples 3. Fácil: Sintético= Sufixo.._·.G .' ' • s-feiras chapeuzinhos '. palavras de outras classes gramaticais usadas como substantivo. . Indica a diminuição do tamanho do ser.. ....3.. s-perfeitos tuneizinhos -homens florezinhas paizinhos · i. . bigodinho (bigode) vidro (vidrinho) ta-fora Diminutivo substantivo acompanhado de um adjetivo que Analítico casa pequena indica pequenez.l!uven(s) + zinhàs nuvenzinhas tren(sJ + zirhos trenzinhos fu!iUsJ +zintio$ funizinhos alantes 3.··c-:·r.-Í-. as-relógio é acrescido ao substantivo um sufixo indicador Sintético casarão as-bomba de aumento..s. papel.oi:6eí~l + 1• •· botôezinhos .

o adjetivo composto\ inteiro ficará invariável. Revisão Final .2. se estiverem qualifi- cando um elemento.1.. 1. Plural dos Adjetivos Simples Os adjetivos simples flexionam-se no plural de acordo com as regras estabelecidas para 4. 1.substantivo adjetivado= singular -adjetivo= plural ! ocorre quando Livros monstro Livros grandiosos vem relação com . Ficará invariável. As palavras ouro e café são originalmente substantivos.1. fun- cionará como adjetivo. Ex. ela manterá sua forma primitiva. mau e maus feliz e felizes ruim e ruins boa e boas 4.1.TRE-SP r 1 1 Gramática e In 4.1. camisas verde-claras refere. como é um substantivo adjetivado. Meninos surdos-mudos melha têm os dois elementos flexionados. se estiver qualificando um elemento. Grau c a flexão numérica dos substantivos simples.2. Em concursos Caso o adjetivo seja uma palavra que também exerça função de substantivo. um substantivo. ternos violeta. Plural dos Adjetivos Compostos com o auxílio d Adjetivo composto é aquele formado por dois ou mais elementos. se a palavra que estiver qualificando um elemento for.: camisas violeta.adjetivo = plural superlativo po Tetos musgo Tetos azuis 1 .1.1. Blusas azul-marinho quer adjetivo composto iniciado por cor-de-. ou seja. Normalmente. Blusas cor-de-rosa Os adjetivos compostos surdo-mudo e pele-ver. Em concursos Caso um dos elementos que forma o adjetivo composto seja um substantivo adjeti- vado. 2) Telhados marrom-café Azul-marinho. esses 1 que dão ideia d J dade (advérbios elementos são ligados por hífen. 4.substantivo adjetivado= singular . ultravioleta e qual. 4..adjetivo= plural / Analític 1 a intensificaçã 4.1.2. Em c riável. os demais ficam na forma masculina. ficará inva- 4. Grau s O superlat Blusas vinho Blusas verdes . 1 O secretário Regra: apenas o último elemento concorda com o substantivo a que se inteligente. Na compa menos do qu A palavra violeta é um substantivo. 1. singular. FLEXÕES DO ADJETIVO 4. todo o adjetivo composto ficará invariável. Blusas azul-celeste são sempre invariáveis. porém. Crianças peles-vermelhas .: 1) Camisas amarelo-ouro.2.1. formará um adjetivo composto.2.2.1. Ex. Flexão de Número Os adjetiv dois os graus 4.3. azul-celeste.substantivo adjetivado= singular . Flexão 4. funcionarão como adjetivos. porém. originalmente. Caso se ligue a outra palavra por hífen.

.. menos . 4. Em concursos riginalmente. São dois os graus do adjetivo: o comparativo e o superlativo. sala. Flexão de Grau Os adjetivos flexionam-se em grau para indicar a intensidade da qualidade do ser.2.. inteligente. como (quanto) ... sufixos. menos que ou menos do que.. O secretário é inteligen- 1 O secretário é muito tíssimo. ntivo..ão Final . em relação a um conjunto de seres... ficará inva- 4. oa e boas Superioridade .. m elemento. ocorre quando a qualidade de um ser é intensificada vem relação com outros seres. tão .. esses 1 que dão ideia de intensi.2. Grau comparativo Igualdade . J dade (advérbios.3. Grau superlativo O superlativo expressa qualidades num grau muito elevado ou em grau máximo. mais . O grau superlativo pode ser absoluto ou relativo. Inferioridade .1...2... (do que) .1. 1 Absoluto Relativo ! ocorre quando a qualidade de um ser é intensificada. fun- eta..2. . rde-claras ubstantivo adjeti- estiverem qualifi- palavra por hífen.1. ormalmente... a preposição é facultativa: mais que ou mais do que.TRE-SP r 1 1 Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa [83 4. (do que) . um Na comparação. stabelecidas para 4. djetivo composto\ om-café arinho eleste -rosa os-mudos s-vermelhas . / Analítico ~intético Superioridade Inferioridade 1 a intensificação se faz a intensificação se faz por Clara é a mais bela da Clara é a menos bela da com o auxílio de palavras meio do acréscimo de sala.

1. DEFINIÇÃO Pronome é a p mente o acompanh 3. CLASSIFICAÇ 4. em PRONOME 1. INTRODUÇÃO Os pronomes m 2. Pronome pe Substitui os su (quem fala ou esc você ou vocês pa designar o referen .r i r i t Como já vimos fundaremos o estu inseridas as relaçõe posto e advérbio. PRONOME AD Pronome adje Pronome subs Exemplos: Nós viajarem Nós: pronom Seu: pronom 4.

Nós: pronome substantivo Seu: pronome adjetivo 4. O emissor (quem fala ou escreve) assume os pronomes eu ou nós. Pronome substantivo: substitui o nome (substantivo). 3.1. Foram. PRONOME ADJETIVO E SUBSTANTIVO Pronome adjetivo: acompanha o substantivo. indicando diretamente as pessoas do discurso. em análise sintática . 2. Pronome pessoal Substitui os substantivos. Esclareço que conjunção será vista em período com- posto e advérbio. usam-se os pronomes tu. vós. eles ou elas para designar o referente (pessoa ou pessoas de quem fala). PRONOME 1. DEFINIÇÃO Pronome é a palavra usada no lugar do nome. ela. .r i r i t Capítulo 2. INTRODUÇÃO Os pronomes mais pedidos em provas são: pessoais. você ou vocês para designar o receptor (a quem se dirige) e ele.adjunto adverbial. Classes Gramaticais Como já vimos a lista de classes gramaticais variáveis e invariáveis. CLASSIFICAÇÃO DOS PRONOMES 4. demonstrativos e relativos. inseridas as relações das preposições. pode referir-se ao nome ou simples- mente o acompanhar dando-lhe uma qualidade. também. Exemplos: Nós viajaremos em seu carro. neste capítulo apro- fundaremos o estudo dos assuntos exigidos por FCC: pronome e verbo.

Uso de MI 4.D. -~-··...._. J._~-~ ..em No primeiro caso.. O.. lhes. difíci Objeto Direto: Temos Eles compraram alguns livros. elas 4. Emissor quem fala eu. V. ele. ela O. Em Concursos Cuidado com o emprego dos pronomes nas frases a seguir: Ana. elas C ·'···· . a. necessita de algo Ele fer J. contigo Sendo assi ELE o. CO Objeto Indireto: ação.TRE-SP Tônicos T l Gramática e In En EU me mim. Objeto Direto sem preposição o.. Estás calado demais hoje. SI. já que não há referência da 2ª pessoa. 1. Assim Oblíquos vem após verbo transitivo indireto... eles..1. SE._. lhes Não ho seja.-.. a. quem? Eles Este ex Pronomes Funções Quando é usado Dica São eles quem vem após um verbo transitivo direto. nós VÓS VOS convosco. vós O.D. se si.. comigo TU te ti. compra algo J.·--~·-·-..1. . ou Objeto Indireto com preposição lhe. ··-'·"-·. as.-. J. vós Referente de quem se fala ele. 0... os. No segundo caso. . se si.- 86 Atonos Revisão Final .T.·. quero falar contigo depois. consigo. usa-se com você. Oração V. ela. as ou seja.T. usa-se contigo.D: o(s NÓS nos conosco. nós Receptor com quem se fala tu. consigo. . preciso falar com você.. Emprego dos Pronomes Pessoais Usa-se EU Pronomes Funções Exemplos Perguntas Respostas Para que i Nós viajaremos no fim de semana. lhe.l:lhe( ELES os.. c!CI ~isçurso.. pede preposição. quem compra.2.1. O alun .. não pede preposição. ~~fbos ..I. ____________________________________ . quem necessita. eles.oas. . Exempl Todos necessitam de felicidade. quem? Nós Retos sujeito Este ex Eles estudaram para a prova.. . . há referência do sujeito tu. Pess.:.. · termipadoi. J.

J. ela O. Exemplos: de algo Ele feriu-se com a faca.a =lo...D O.TRE-SP s T l Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa Entregaram J. -~-··. Quis+ o =qui-lo r.D.D 0. ela).. Eles Este exercício é para EU resolver. fizeram+ o =fizeram-no .- ão Final . Z +o. No segundo dão+o =dão-no Uso de MIM e EU Usa-se EU apenas quando o pronome possuir função de SUJEITO. as Assim sendo.D: o(s).. J. Temos aqui um caso típico de inversão e uma grande "pegadinha" de concurso. la Fiz+ a =fi-la .I O. convida alguém Convidei -o para jantar. São eles quem irá resolver? . difícil para mim acreditar no Brasil. 0. lhes Não houve intrigas entre MIM e TI (você. entregaram algo a alguém 87 ! go V. ou seja.·--~·-·-. a(s) nós vós O. Amar+o =amá-lo · termipadoi.T. SE._~-~ .. ele. o prêmio J.1. J. SI. na põe+ a =põe. J. o Sendo assim. ~~fbos . ao vencedor.. S..ão.El!_é o sujeito do verbo posposto. O aluno trouxe o livro consigo. o lhe.1._. V. os. a =no. O filho obedece -lhe.D.l:lhe(s) es. ... algo Oração iniciada por VERBO SER (ou qualquer verbo de ligação)+ _ _ + PARA= MIM.:. Respostas Para que isso aconteça. elas J.em m.na ssoa. V. CONSIGO: usamos em voz reflexiva. quando o sujeito praticar e sofrer a ação. a. o o..T. é necessário haver um verbo posposto ao pronome: Nós Este exercício é para MIM. usamos a forma reta. ··-'·"-·. quem obedece. teremos: le.TJ.. obedece a alguém .õe +O. elas quem convida._. J..

Õ. Senhor Fulano de Câmara dos Depu- Vossa -Maior das Três V.Exa.Exa. Senhor Secretário Tal Secretário Executivo ou Secre- Nacional de Minis. Excelência União e dos Tri- Presidência da República bunais de Contas blica Estaduais Chefe do Gabinete Excelentíssimo Senhor Fulano de Presidente e Mem- Pessoal da Presi. . nal Secretário-Geral Presidente da Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de da Presidência da V."'''..Exa..: i~MPJl~(.. Senhor Chefe. Senhor Chefe. 1 .Exa.Exa. de Tal Oficial-General das Forças Excelência respectivo. República Excelência Tal Consultor-Geral da República da Membros Chefe do Estado. -· :'~.f:···\'\ · Embaixador Destinatário Tratamento Abrev. das Armadas Presidente e Mem- Chefe do Gabinete bros do Tribunal Excelentíssimo Senhor Fulano de da Militar da Presi. Senhor Secretário Tal Secretário da Presidência da Presidentes das Excelência blica República Câmaras Munici- pais Secretário Execu. Vossa V..CIS f'l'. Câmara Excelência Tal Secretário-Geral da Presidência República Vice-Presidente da Consultor-Geral da Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de Câmara V. Senhor Secretário. Excelentíssimo Senhor Fulano de Tal Procurador-Geral da República l Destinatário Presidente do L de Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de Supremo Tribunal V. Prefeitos Munici- pais E .Exa.:'-. Estado Excelência Tal Ministro .\ "'"""" '~ Vice-Presidente da Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de Destinatário T V. Senhor Vice-Presidente. Excelentíssimo. Estado Excelência Tal Governador do Estado Federal ---- . Excelência térios tário Nacional de Ministérios f Procurador-Geral da República Governador Vossa Excelência V..Exa.Exa. Senhor Governador. Pronomes de tratamento Secretário de Chamados também de segunda pessoa indireta. Tal Chefe do Gabinete Militar da dência da Repú.DE TRATAMENTO-:.Exa. Tal Chefe do Estado-Maior das Três tados Excelência Armas Armas Membros do Oficiais-Generais Excelentíssimo Senhor Fulano Vossa Senhor+ Cargo Senado Federal das Forças Arma.IÇ>NC)M~~ . V.2.Exa.TRE-SP l Gramática e Interpret Pense em ele MESMO ele PRÓPRIO Destinatário Tr Vice-Governador de Estado E 4. Senhor Chefe.!•~". Senhor Ministro.Exa.Exa.Ó.. Senhor Procurador.. POl)E"'~~~<:Ü:rtlfi. V. Excelentíssimo Senhor Fulano de Vossa sidência da Repú. Senhor Consultor. Revisão Final .. Vocativo Envelope E Excelentíssimo Senhor Fulano de Presidente da Vossa Não se Excelentíssimo Senhor Tal Presidente da República Ende- República Excelência usa Presidente da República. República Excelência Tal Vice-Presidente da República Presidente do Ministros de Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de Congresso Nacio- V.:. Tal Chefe do Gabinete Pessoal da dência da Repú. 1 Excelentíssimo Senhor Fulano de tivo e Secretário Vossa V. Excelência bros das Assem- Presidência da República blica bielas Legislativas Estaduais Secretá rios da Pre.··::::t·:/. reço •. Vossa de Contas V. r 1 ( 88 . O pronome de tratamento faz parte Estado dos Gover- E da divisão dos pronomes pessoais por fazerem referência a pessoas que são consideradas nos Estaduais como autoridades..

:'-.·1~®:~ij!it. · Senhor Vice-Governador.TRE-SP l Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa . União e dos Tri- blica bunais de Contas Estaduais hor Fulano de Presidente e Mem- ete Pessoal da Vossa Senhor+ cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de bros das Assem. blica Excelência respectivo..··::::t·:/. Vocativo Envelope hor Fulano de da República Presidente do Excelentíssimo Senhor Excelentíssimo Senhor Fulano Vossa Não se de Tal Presidente do Congresso hor Fulano de Congresso Nacio. Câmara Excelência Tal Presidente da Câmara da Presidência Vice-Presidente da Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de V.\ "'"""" '~::. Tal Secretário de Estado de Excelência consideradas nos Estaduais Prefeitos Munici.~!~!~~t1~9!i~:t. Tal cargo respectivo.Exa.Exa. Senado Federal Excelência endereço ral das Forças Presidente e Mem- bros do Tribunal hor Fulano de da Vossa Senhor+ cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de de Contas V. Senhor Vice-Presidente.!•~".Exa. de Estado Excelência Tal Vice-Governador do: . Vocativo Envelope·· Vice-Governador Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de V. V. V. Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de V.~. Tal Vice-Presidente da Câmara hor Fulano de Câmara Excelência da República Membros da Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de hor Fulano de Câmara dos Depu. Excelência Tal Deputado -Maior das Três tados Excelentíssimo Senhor Senador Membros do Vossa Fulano de Tal Senado Federal enhor Fulano V. 89_] Destinatário Tratamento Abrev.. r 1 nal . Presidente do Congresso Excelência usa Nacional nal Nacional. Senhor Senador.Exa.Exa. Tal cargo respectivo. -· . V. Senhor Prefeito.i. pe Excelência Tal Embaixador do.!~gm!kê!l.Exa. Presidente da Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de hor Fulano de V. bielas Legislativas Estaduais hor Fulano de Presidência da Presidentes das Senhor+ cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de Vossa Câmaras Munici.Exa. Não se Vocativo Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Envelope Excelentíssimo Senhor Fulano de Tal Presidente Supremo Tribunal L hor Fulano de Supremo Tribunal Excelência usa Federal Estado Federal Tribunal Federal ---- .• hor Fulano de epública Ende- •. Excelência respectivo.~.~l@. V..Exa.Exa. nete Militar da Excelência respectivo.tj'. Secretário de Excelentíssimo Senhor Fulano de Vossa nto faz parte Estado dos Gover. Senhor Embaixador.:. Tal cargo respectivo.Exa.lf. Senhor Deputado. Senhor Secretário.Exa. pais Excelência Tal Prefeito do Município \ · Vossa Excelentíssimo Senhor Fulano de Embaixador V. pais hor Fulano de utivo ou Secre- nistérios f hor Fulano de l da República l Destinatário Presidente do Tratamento Vossa Abrev.. Senhor Presidente..::r:ª~~· Destinatário Tratamento Abrev.

~'.~ ~ ... .Exa.. lência respectivo. Em co lência Tal Cargo respectivo Vossa Exce. Não se Magnífico Reitor.":' · Destinatário Tratamento Abrev.~:[(~~~ti\:'~"'"'. lência respectivo. Tal Cargo respectivo Superior Eleitoral Presidente e Mem. Senhor+ Cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de Arcebispos e bros dos Tribunais V.W..9:JfJi.:. Tal Cargo respectivo balho Presidente e Mem- Vossa Exce.~t\'~~. Vossa Mag. Vocativo Envelope Destinatário Membros do Vossa Senhor+ cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de Cônsul Supremo Tribunal V.. Senhor+ Cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de riores religioso V.••il<~.Exa... Excelentíssimo Senhor Fulano de O senhor Desembargadores V. bunais Regionais lência respectivo.::~~:r.'.2. i-1~i(l'Mll. 0 . C Presidentes e gos e demais Membros dos Tri. Superior do Tra. tiça Militar lência respectivo.l~li~~Y4. Fulano de Tal Reitor da Universi- d ade nificência usa mes possess d ade pessoa.Exa.Exa. Vossa Ao Senhor Fulano de Tal Cargo V. Excelência respectivo. Excelência respectivo. Senhor+ Cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de V.-.1.Exa.. Vossa Exce. Excelência respectivo. Vossa Exce.c. Senhor+ Cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de bros dos Tribunais V. Excelentíssimo Senhor Fulano de Juízes V. des Vossa Senhor+ cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de bros do Superior V.~:. Excelência respectivo. Tal Cargo respectivo Tribunal de Justiça .Sa.!~!i. Voc V.. lência respectivo. Cônegos e su bros dos Tribunais Vossa Exce..>.Exa. Regionais Eleito.. Tal Cargo respectivo pos de Justiça Presidente e Mem- Vossa Exce. 4.. Senhor Desembargador. é permitido .TRE-SP Gramática e In . Tal Cargo respectivo forma tu é de restrito à ling 1 Vossa Ex Destinatário Tratamento Abrev. lência respectivo. Cardeais bros do Tribunal Vossa Exce. ou Senhor+ cargo Uniform tores de empresas Senhoria Respectivo respectivo. . Senhor Juiz. Senhor Fulano de Tal Presidentes e dire.. . lência Tal Cargo respectivo senhora" sã Auditores da Jus.Exa.Exa. Senhor + cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de familiar.:. Presidente e Mem- Vossa Senhor+ cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de Destinatário bros do Tribunal V. .Exa. Tal Cargo respectivo Regionais Federais Monsenhor Presidente e Mem..Exa.•·· .Exa.. Vocativo Envelope (s)" são empr A vossa Mugnificência o Senhor 3ª pesso Reitor de Universi.Exa. Senhor+ Cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de giosos V. Tal Cargo respectivo rais Sacerdotes.. Tal Cargo respectivo do Trabalho Fonte: <http://w Vossa Exce.ªq~~Y!$. Tal Cargo respectivo Superior Militar Papa Presidente e Mem- Vossa Senhor+ Cargo Excelentíssimo Senhor Fulano de bros do Tribunal V. Tal Cargo respectivo Federal Outras autor Presidente e Mem. 90 Revisão Final .

.1.:. em outras.. Senhor Sacerdote (ou Clérigo etc. Cléri. não é permitido mudar.. no tratamento Senhor Fulano de familiar.. d ade existe Endereço Senhor Fulano de ctivo Vossa Eminentíssimo Eminência Senhor Cardeal. ou Vossa Não Monsenhor (ou Cônegos. ificência o Senhor 3ª pessoa: a concordância deve ser feita com a 3ª pessoa. Excelência Não Senhor Arcebispo (ou Bispo) ctivo Reverendíssimo Senhor pos Reverendís.Sa.c. Fulano de Tal Endereço Senhor Fulano de rência existe Clérigo etc. Já a forma vós tem uso restrito à linguagem litúrgica. 0 .":' ·Y' . si ma Senhor Fulano de Vossa Reve- ctivo rendíssima Heverendíssimo Monsenhores. sim a Vossa Senhor Fulano de Excelentíssimo e Arcebispos e Bis. a ectivo forma tu é de uso frequente.2.).) Fulano de Tal Endereço Senhoria existe etc. é muito pouco empregada. Senhor Monsenhor (ou Cônego.pr. pectivo Endereço ctivo . Senhor Fulano de ctivo 4.. ctivo Senhoria Embaixada Local Outras autorida. "' " velope Destinatário Tratamento Abrev.) Vossa Reve. ctivo si ma Sacerdotes. o Final . a pessoa do tratamento escolhida inicialmente. . os prono- Reitor da Universi- mes possessivos e os pronomes oblíquos empregados em relação a eles devem ficar na 3ª pessoa. ou Reverendíssimo Senhor Fulano de riores religiosos Reverendís.~:. existe Fulano de Tal Endereço Arcebispo (ou Bispo). Não Reverendo Sacerdote (ou gos e demais reli. "você" e "vocês". Vocativo Envelope ctivo Vossa Santi. ao longo do texto. •'l. Cônegos e supe. Você e vocês são empregados no português do Brasil.••il<~.. Se . Vossa Senhor+ cargo Ao Senhor Fulano de Tal Cargo res- V. Vossa Excelência e S.casacivil.. "O senhor" e "a ectivo senhora" são empregados no tratamento cerimonioso. Senhor Cônego.Sa. .EM. Senhor Fulano de des Senhoria respectivo. Vocativo Envelope Senhor Fulano de Vossa Ao Senhor Fulano de Tal Cônsul da Cônsul V..br/modules/conteudo/>. Senhor Cônsul..PRÉGÓ DOS PRÓNOMES DE TRÁTA. ultraformal ou literária.).Mp1fi:'Go i>os PR'ONOMES DETÀÂTAMENfo'·-" OUTROS CASOS ·~' : ·'' .. Assim.gov. em algumas regiões. . etc.'.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da língua Portuguesa 91 t\'~~. Em concursos Senhor Fulano de O senhor.HIEAARQUÍA ECLESIÃSTICA Senhor Fulano de Destinatário Tratamento Abrev. a senhora e você. lano de Tal Cargo Uniformidade de Tratamento: quando escrevemos ou nos dirigimos a alguém.. giosos ctivo Fonte: <http://www.ua Excelência: os pronomes de tratamento que possuitm "Vossa velope (s)" são empregados em relação à pessoa a quem nos dirigimos..ENTO . Não Santíssimo Padre Fulano de Tal Papa Santíssimo Padre. ou ou Vossa Não Senhor Cardeal Fulano de Tal Cardeais Eminentíssimo e Senhor Fulano de Eminência existe Endereço Reverendíssimo Senhor ctivo Reverendís- Cardeal. os verbos.::~~:r.>. vocês são pronomes de tratamento.

Em Concursos Matemática e Afetividade Não faça assim.. . aque Este é o meu concurso.2. São Indica posse das pessoas do discurso. Exemplo: 4. rados também. ti. Exemplos: Entregou seu gabarito ao fiscal. o pronome dem 4. quando adjetivo. sua(s) Terceira plural prono seu(s).. Intensidade Aonde você vai com essa pose? Obrigada. O seu. Pessoa · primeira Número Prononie segunda singular meu(s). Este livro em m Morfologia: pronome adjetivo (acompanha o substantivo gabarito).4. por exemplo. 1. tua(s) Segunda 4. Essa aliança é d Sintaxe: adjunto adnominal do objeto direto seu gabarito. 1. ··------. nem os possessivos 4. aque O pronome possessivo.o substantivo representado Este(s). tua.4. Pronome possessivo ou elementos. Percebam que. não pode usar oblíquos te.__. Emprego d plural vosso(a).-·~··~ .----·- í921 Revisão Final .TRE-SP Gramática e Interpr usa a terceira pessoa (você). raciocínio. acompanhado por um pronome possessivo adjetivo.___. esta(s já foi mencionado anteriormente. Normalmente ocorre em estruturas paralelísticas . sua(s) Este(s).-·-··-·"'·"·--. o edital nem foi publicado. Pode possuir função sintática de: núcleo do sujeito. Pronome D teu. Pronome anafó l = Ajeitou sua coberta. do predi. exerce função de adjunto adnominal.3. est 4. do complemento verbal. pronome cativo. De Literatura e m raciocínio. ou seja. Morfossintaxe do Pronome Possessivo Esse(s). Seu Jorge. Pronome çataf . etc. nossa(s) singular teu(s). Aquele(s). contigo. minha(s) Primeira terceira plural nosso(s).. Senhor Jorge. ' =Obrigada. ess Aquele(s).. -----.3.. prono i Esse (a Vossa Excelência leu todo o seu livro? Este (a 1 Ajeitou-lhe a coberta.3.. acompanhado por substantivo. minha criança.. vossos(as) singular seu(s).

t" ~' Final .--.. esta(s). . · ...-':"'.___.. Para ideias . isto para citar ideia _çatáfora 1 Pronome anafórico: retoma ideia do período anterior ou do parágrafo anterior.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa l 931 ~ 1: s possessivos ' 4..' o pronome demonstrativo é utilizado em três situações.. exerce Exemplos: Este livro em minhas mãos foi escrito por aquele autor sentado na sexta fileira. ou elementos.. ideias L ....-----. esta. obrigatoriamente. se caso a ordem for alterada.. Dependerá sempre do contexto. Pode se referir a espaço. Percebam que.-.. aquela(s) retomar o elemento mais distante do pronome Exemplo: Matemática e literatura me agradam: esta desenvolve a sensibilidade.·Pó!~ª nitomar~!em_entos (pesso!ls ou. .. aquela. Exemplo: Literatura e matemática me agradam: aquela desenvolve a sensibilidade. os pronomes. o raciocínio. -----... Pronome Demonstrativo J. aquilo o que está distante LA ntivo. 1. Associe o e no início dos dois vocábulos.. aquelas aquilo a(s) 4. ·-------.-·-··-·"'·"·--. .. esses. estas isto segunda esse. do predi. ·.. usado para dica Este(s)..-·~··~ Pronome çatafórico: çita ideia. serão alte- rados também.4.----·---·-------~-·-·----------~~.'· '~'·· ' pronome usado para dica i Esse (a)... isso o que está próximo a você AI Aquele(s). aquela(s). São eles: Pessoa · .. essas isso (s) terceira aquele.~~i~s. aquela. estes..--. esta.--.. esta(s) retomar o elemento mais próximo do pronome adjetivo.. aqueles. isso para retomar ideia anáfora Este (a).4.."'"'. Emprego do Pronome Demonstrativo s(as) pronome.. o raciocínio. pronome usado para epresentado Este(s).. essa.. Essa aliança é de qual casamento seu? . Aquele(s). isto o que está próximo a mim AQUI Esse(s). ··------. :·.__.l . essa(s).Variáveis primeira este.. bal..'"'":--~ . l .

. a qual.. em primeiro lugar. Classificam Sempre mantenha a informação.. Pronome Relativo Conhe Representa nomes já mencionados anteriormente e com os quais se relaciona. é isso que desejo. possuem função de pronome relativo. quanta... as quais. também._. mora em algum lugar. São eles: .1. Quem .... Não existem as Atenção. as quais que A prep cujo. Quem Variáveis 1nvar1ãvé1s o qual... Muitas A prep teorias não valem a pena ser mencionadas porque as instituições pedem o emprego da ATENÇÃO:! mesma forma. Quem Siga o passo a passo: A prep 1) Encontre o pronome relativo.. ter quanto.· -·----"""""~'"·•-""- Revisão Final .. Não co Que as reformas sejam efetuadas logo..TRE-SP Gramática e In Exemplos: Assim. na qual. ao quadro-resumo a seguir. 4... Este é Para evitar erros.. Pronom 3) Construa outra oração com os termos posteriores ao pronome relativo e encaixe o Designa o \ vocábulo que o relativo retoma. cuja. 2) Veja a qual termo o pronome relativo se refere. quando retomam termos anteriormente menciona- dos.. .. cujo Onde Estas s concorda com o termo posterior usado para retomar lugar e pode ser usado apenas para pessoas.. ter Espero sinceramente isto: que se procedam as reformas. os quais. no qual. os quais.6. Inicia as orações subordinadas adjetivas._ _. apenas preposição.. de regência. Prono A preposição em é pedida. Quem mora. e indica posse da anterior e não substituído por em que. Prono aproxi 1}0nde 2) Retoma lugar 3) Você mora no lugar nada.. quantas onde Conhe Observações importantes: Conhe Os vocábulos como e quanto._ .______ itf···' ________ ___ ____ ______ ______ . nos quais.5._. quantos.. a qual... atente-se aos exemplos a seguir. Não co 4. nas quais.5. admite artigo. ao aparecer a palavra que.. Não conheço o lugar onde você mora.. . Emprego do Pronome Relativo Quem Um dos tópicos mais pedidos em concursos por fazer. cujos. _. -lhe a n . cujas quem Assim. 4. tente substituí-la por o qual. __ .

mente menciona- Este é o autor a cuja obra me referi. gar nada.. São eles: algo. cuja a e o cuja. 1) Cujas 2) Refere-se a ideias do autor uais. elaciona. São eles: cada. Assim. fulano.. regência. alguém. teremos: Não conheço o lugar em que você mora. Classificam-se em: Pronomes Indefinidos Substantivos: assumem o lugar do ser ou da quantidade aproximada de seres na frase. Conheço a garota de quem você falou. sicrano. conferindo- -lhe a noção de quantidade aproximada. na qual. . __ . Conheço a garota de que você falou. m o emprego da ATENÇÃO:! Não existem as formas cujo o. certa(s). fala de alguém.. mas a cujo(a) existe= preposição e não artigo. . Muitas A preposição a foi pedida.6. o qual. Não conheço o lugar no qual você mora. A preposição com foi pedida. nos quais. a terceira pessoa do discurso e possui sentido vago. 4.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa Assim. Inicia as l)Quem 2) Retoma garota 3) Você falou da garota Quem fala. outrem. certo(s).. Quem concorda. teremos: Conheço a garota da qual você falou. A preposição de é pedida. os 3) Eu me referi à obra do autor l}Cuja 2) Refere-se a autor (posse do anterior} Quem se refere. beltrano.. Onde Estas são as pessoas com cujas ideias concordo • omar lugar e pode ser 3) Eu concordo com as ideias r em que. tudo.. refere-se a algo.· -·----"""""~'"·•-""- ão Final . concorda com algo. Pronome Indefinido lativo e encaixe o Designa o referente. ninguém. quem. a qual. isto é. Pronomes Indefinidos Adjetivos: qualificam um ser expresso na frase.

Pronome Interrogativo Verbo no futuro do pres indicativo. O pronome oblíq Quem é esse rapaz? nome.2. Masculino Feminino Masculino Feminino _..TRE-SP Gramática e Interpre ~..Totiillila!lêaflnnativa ·.Váriáveis. ninguém sivamente na lingua 'Coisa algo.U.3. . Conjunções subordinati 4. a mais utiliza 5. Singular Plural . nos.7.ariáveis dicção está perfeita. COLOCAÇÃO PRONOMINAL Os pronomes oblíquos átonos (o. . as.tal e Orações exclamativa (indicam desejo).. nada Ocorrências: 4. qualquer um. lhe. .·. algum alguma alguns algumas alguém 5. cada um. . me. qual.. nenhum.. te. se. ninguém.. Revisão Final . . tudo certo 5. Próclise nenhum nenhuma nenhuns nenhumas ninguém O pronome oblíq todo toda todos todas outrem muito Ocorre em oraçõ muita muitos muitas tudo pouco pouca poucos poucas nada Palavra ou expressão de vário vária vários várias algo tanto tanta tantos tantas cada outro outra outros Advérbios e pronom outras sem que haja pontuaçã quanto quanta quantos quantas qualquer quaisquer Pronomes e advérbios Locuções pronominais indefinidas: cada qual. mesóclise e ênclise. Mesóclise Generaliza qualquer O pronome oblíq Pessoa alguém. nada Pronome relativo . . Sentido negativo nenhum.. todo aquele(que). tal ou qual. qual e quanto.. a..1. Ênclise Quero saber que foi isso. seja qual for.seja quem for. Em concursos Gerúndio+ em (prepos · .::-· . :: :· 'h Dica: a fonética . nada Advérbio ~ e conjunç Sentido afirmativo algum. ·._. uma ou outra. Os pronomes que. na teoria indefinidos. quem. etc. alguém.tal qual(= certo). todo. quantos quer(- que). os.' . quem quer(que). . lhes.urn~:_'. algo alternativa. são classificados par- NÃO OCORRERA se ho ticularmente como interrogativos porque são empregados para formular interrogações como estudamos no tó diretas ou indiretas: Que foi isso? 5. . um ou outro.6. . ·~. Jl'iY. .. vos) podem ocu- par três posições diferentes em relação ao verbo: próclise.1.

É a colocação básica do pro- nome. Havendo pontuação. icados par- NÃO OCORRERA se houver justificativa para próclise.ariáveis dicção está perfeita. ocorrerá ênclise: Assim. Conjunções subordinativas. cada Advérbios e pronomes indefinidos. Assim se resolveram as questões.3. É empregada. Ênclise O pronome oblíquo surge depois do verbo. Pronuncie e perceba se a . 5. é melhor fazer muitos exercícios. sem que haja pontuação. errogações como estudamos no tópico anterior: Todos te convidariam para a reunião. Palavra ou expressão de valor negativo. proclítico. Como a admiro! É necessário que se faça a reforma. :: :· 'h Dica: a fonética (a sonoridade) ajuda a resolver as questões. mesoclítico. Ou se afaste. Gerúndio+ em (preposição) Em se tratando de provas. Quem te chamou aqui? Pronomes e advérbios interrogativos. Leia os testes antes de resolvê-los. Ocorrências: Verbo no futuro do presente ou futuro do pretérito do Convidar-me-ão para a festa.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 1 97 J U. outrem Ocorre em orações nas quais antes do verbo haja: tudo nada Nunca me revelaram os motivos. Mesóclise O pronome oblíquo surge no meio do verbo.1. . 5. a fala soa mal. Y.2. Mudou o texto. Advérbio ~ e conjunção coordenada Só me lembrou disso hoje. isto é. Não me conte seus problemas. ou me ame. apressem-se. odem ocu. ou seja. indicativo. alguém 5. Amanhã o convidarão para a festa. enclítico. algo Tudo se acaba um dia. Em casos de colocação errada. isto é.nal . Por que a avisaram apenas agora? antos quer(- certo). resolvem-se os problemas. Pronome relativo Foi o seu irmão que me ensinou a matéria. a mais utilizada e ocorre quando não há palavras que atraem o oblíquo. acrescentando-lhe explicação.tal e Orações exclamativas e optativas Deus te abençoe. (indicam desejo).= só: somente alternativa. Utilizada em: Comenta-se que ele foi aprovado. Convidar-te-ia para a reunião. Próclise ninguém O pronome oblíquo surge antes do verbo. Alunos.' . Comprei o livro que me será útil. exclu- sivamente na linguagem culta ou literária.

.r~..... DEFINIÇÃO Verbo é palavra variável que indica ação (caminhar).::.J. das locuções verbais.'•-''-~---. 1 .:::~~.canto. Defecti e o infinitivo: duas formas... . fazem parte da formação dos tempos compostos e São verbo ser.. .~. (amanhecer)...J~~§ .. há acréscimo das últimas questões de provas..... o= pronome depois do infinitivo."'j.. clise..:.. .:. fizesse. Abund não apresentam conjugação completa..).. além de ser um tópico extenso.~J :. estado (ser).. Ir. comentadas item a item...______________~1-A---=lg'-u_é_m_ia_d_i_ze_n_d_o-_l_h_e_o_g_a_b_a_ri_to_. 1 Revisão Final ... _:~Ní~~..\\.________. computar.'/>' Preposição entre o verbo auxiliar Seu artigo há de encontrar-se no jornal de ontem..------._ _ _ _ _ _-t ~. 3.:. -. incluem mais de um radical em sua conjugação... .~itK. EM LOCUÇÕES VERBAIS Quero-lhe apresentar a meus amigos..::7~::::::::.~~11ife!z:1--:-:~-:-:-:-:-i~-:-t:-~-:-i~-:-~u-:-~-ifi_q_u_e_a_p_r_ó--+------------------.. Mais uma vez. :: -~·:. ou do verbo principal la-lhe dizendo o gabarito inteiro..TRE-SP Gramática e In 6.._ .:· Preposição a e o pronome oblíquo pessoais e pe Voltou a cumprimentá-los pela aprovação.~.-.-· -·'' ... locução. pôr. Pronome depois do verbo auxiliar Quero apresentar-lhe a meus amigos.2.'..I'>• \:·.....:i~~~~·<. cantarei.:. CLASSIFICAÇÃO VERBAL ··-'.. .·' . fiz. processos mentais (estudar) etc..:::. "~ :.:~.. VERBO ÍMPESSOAIS 1._ _ _ _ _---J '· .>:J~·~. -ado e -id . falir.. mas sim repleto de detalhes.-.. : .. ser. 2.}.. INTRODUÇÃO Verbo. processos naturais (morrer). Seu artigo há de se encontrar no jornal de ontem. no final do capítulo. possuem as desinências normais de sua conju. O pronome obliquo átono não Os poemas tinham-se perdido no vazio do tempo. ter e haver...·:·/'. o pronome ficará antes da Não me haviam consultado sobre a data da prova. . ·:... ......••. ...~s · ' gação e cuja flexão não provoca alterações no r:·:>_. .-'_______________...v..:. fenômeno da natureza ··..:·. ·RegÜfa. ..!isR~ 3.:.._·. cantasse..1~~t:i:1--------------11-l_a_d_iz_e_n_d_o_-_lh_e_o_g_a_b_a_ri_to_in_t_ei_ro_.1. saber..------.______________.:: :~. estar.. farei.. é o mais pedido nas provas de concursos..... pois não se trata de um assunto difícil...•....q:1~..... 3.. Verbos qu ..::~: Pronon:iinai 1->-'~-~... cantei. . a teoria vem seguida de exercícios para fixar e.::~:~~~ ::.. colorir.. ..~· ~·~ radical...... cantava. ....~.. '·Pdss~~IS faço.<~f.. Iniciaremos do zero para que não fique dúvida...

são Outros verbos impessoais ÍMPESSOAIS usados na terceira pes... • fazer. seguidos da preposição de.. amigos...I'>• \:·....... etc. ventar. .. . i_to_. Verbos que não apresentam conjugação completa. surgem as prender: preso. . seguidos da conjunção que..------. bramir: crocodilo. esse fenômeno costuma ocor. Abundantes r. ser do singular e do plural..... se. (preciso..------. uni- a aprovação. lares terminadas em -ado ou -ido... m assunto difícil. • haver.. gear.._1. nevar. expressando reflexi- bilidade. escurecer.L .._ _ _ _ _---J no jornal de ontem. 3._.. abster-se. nas terceiras pessoas. doer. cando suficiência.. cantava. acontecer. necessário.. São verbos que possuem duas formas no particípio: formas regulares (terminação): aver.. Outros verbos unipessoais conjugados apenas .••.:.. o_. etc. ._..__. Exemplo: falir.. aprazer.__. .. trovejar. .fritar: frito..TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 99 possuem mais de uma forma com o mesmo valor. quando sinônimo de existir. apiedar-se. realizar-se ou fazer (em orações temporais) . dignar-se.. .. . prendido ro.. ater-se.... vos morfológicos ou eufônicos. fritado. além das formas regu- amigos.. na mesma pessoa do sujeito. Não apresentam algu- '·Pdss~~IS cantarei.~ 1. em que. atre- :.. indicando tempo...___~A ... Os principais são: ------------. .. indi- as de concursos. parecer.. te. em orações que dão ideia de tempo.. _:~Ní~~. . Está exercícios para muito bem assim. sem referência a vas. mas flexões por moti.. -ado e -ido: formas longas) e formas irregulares (curtas).. • o verbo passar (seguido de preposição). Normalmente. chamadas formas curtas (particípio irregular).2.. • os verbos bastar e chegar.'•-''-~---. comentadas sujeito expresso anteriormente. Geralmente.~---~. equivalente de "ser possível".. Entre os unipessoais estão os verbos que significam vozes de animais: bramar: tigre. cricrilar: grilo Possuem sujeito e são meno da natureza ··..).. nos. zesse. computar. cacarejar: galinha.::~: Pronon:iinais ver-se._ _ _ _ _ _-t São aqueles verbos que se conjugam com os pro- nomes oblíquos átonos me.!isR~s· . • o verbo deu + para da língua popular. coaxar: sapo... soa do singular. 3. Fica mal. ____ .... se. arrepender-se. 2) fazer e ir. cer. ser e estar (quando indicam tempo) • Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza são impessoais: chover. Não fica bem.. amanhe- Não possuem sujeito. pessoais e pessoais. . • os verbos estar e ficar em orações tais como Está bem.. 1) cumprir.~\ ~ o Final .1. falir. Defectivos no jornal de ontem. bre a data da prova.. rer no particípio. importar. no vazio do tempo...... vos._w'~-----··U--.. convir. . Classificam-se em impessoais.

usamos as formas longas(regulares). nominais: infinitivo O ladrão foi (ou estava) preso pelo policial. q O vereador estava (ou foi) eleito pelo povo. 3. Em concurso Morrer Morrido Morto Os verbos ir e se Pegar Pegado Pego ! foste. 1. . fos Soltar Soltado Solto t Eu fui aluna.4. Revisão Final . Exemplos: VERBOS QUE EXIGEM MUITA ATENÇÃO: 1) Ao lado de TER e HAVER admitem as duas formas (regular e irregular). No último exem Alguém tinha pegado o sujeito.. Auxiliares Exemplos: São aqueles que O verbo principal. . se. = s Como utilizá-las? Eu fui à Grécia. foi.. cumprimentamos 3) CHEGAR: não existe a forma chego! 3.-.. ' . Os clássicos são os vos. verbo auxiliar P.~GAR· . na mesma verbos SER e IR. auxiliar. fomos.GASTAR GANHAR Tinha pago Tinha gasto Tinha ganho TER Está Tinha pagado Tinha gastado Tinha ganhado verbo au Havia pago Havia gasto Havia ganho HAVER Havia pagado Havia gastado Havia ganhado Nós 2) PEGAR passou a ser aceito como abundante Ele foi pego.. Dica: os dois ve Alguém havia (ou tinha) fritado o bife..' •.. Ele tinha (ou havia) prendido o corrupto... Pronominai 3.3... foste Imprimir Imprimido Impresso 1 Matar Matado Morto 1 3. 1) Ao lado de SER ou ESTAR.3..~ ·-·.. Anômalos São aqueles ver São aqueles que incluem mais de um radical em sua conjugação.. acrescentemos o PÔR e SABER ou apenas reforçan '""'F"". : . 2) Ao lado de TER ou HAVER. .'. usamos as formas curtas(irregulares}.TRE-SP Gramática e Interpre : )M~'"JIARTldPIO REGULAR · 1 Anexo í vou Anexar Anexado r Disperso ! vais Dispersar Dispersado 1 ides Eleger Elegido Eleito fui Envolver Envolvido Envolto 1. ...5.

Exemplos: o t Eu fui aluna.. se.. o ! foste. = ir.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa l 101 1 1 Ser o í vou ponho sou sei r so ! vais pus és sabes 1 ides pôs fui soube o fui punha foste saiba to 1.. na mesma pessoa do sujeito. Eu fui à Grécia.. ganhado 1 verbo auxiliar 1 verbo principal no gerúndio a ganho ganhado . 3.. se. os aprovados Nós por nós. te. Em concursos o Os verbos ir e ser possuem a mesma conjugação no pretérito perfeito do indicativo: fui. fomos.5. Chéga a hora da aula. O verbo principal. expressando reflexibilidade (pronominais acidentais) ou apenas reforçando a ideia já implícita no próprio sentido do verbo (reflexivos essenciais). foram. ·. . Auxiliares São aqueles que entram na formação dos tempos compostos e das locuções verbais.. _. foste seja so 1 o 1 3.4. · fazek· prova. fostes. 3. Exemplos: Farei . Dica: os dois verbos podem ser substituídos por um e o verbo que desaparece é o auxiliar.'• _.. é expresso numa das formas nominais: infinitivo. quando acompanhado de verbo auxiliar. nos.. a ganho Está chegando a hora da aula. ássicos são os vos.. foi. No último exemplo. verbo auxiliar 1 verbo principal no infinitivo NHAR '. 1. gerúndio ou particípio. = ser. Pronominais São aqueles verbos que se conjugam com os pronomes oblíquos átonos me.3. prova '.inal . há voz passiva analítica (ser+ particípio) e na ativa equivale a: Nós cumprimentamos os aprovados.

1 1 Partlclpio : . vos.. Em con O infinitiv 3.. Que eu c 1 . subj estudo. O verbo ferir é transitivo direto e o objeto direto é o 5. Há três: i =certeza. Ele me pen- reflexiva pode ser exercida também sobre outra pessoa.1. !t Canto. atrever-se. mas sim de nomes .. ater-se. TEMPO VE pronome se. estudemos nós. Dica .1. dignar-se. estudarei. apiedar-se.5. Antes de n 1 4. cantar. te. : •" Observação: A reflexibilidade se diz acidental. se.'1 1) PRESEN estuda tu. 3. VÓS VOS sentais VOS sentáveis VOS sentareis ELES SE sentam SE sentavam SE sentarão O gerúndio ação concluída da vida. etc. verdadeirame organizar a pal Verbos reflexivos não são essencialmente pronominais e os pronomes possuem função sintática: Ele se feriu.5. se ele estudasse. r Gram_á!ica ~ In Gerúndio . arre- pender-se.1. teou. Conjugação a forma do im . Pretérito . estudem vocês.TRE-SP abster-se. se. partir ! do subj Que nós i ção de substantivo. MODO VERBAL indica cada tem . exprime a significação do verbo de modo vago e indefinido.1.Imperfeito do Futuro do presente do Pessqas Presente do Indicativo Indicativo · Indicativo EU eu ME sento Me sentava ME sentarei TU tu TE sentas TE sentavas TE sentarás ELE ele SE senta SE sentava SE sentará NÓS NOS sentamos NOS sentávamos NOS sentaremos Na primeira desinência). estudei. podendo ter valor e fun. estudai vós. Em concursos O particípi Os pronomes oblíquos átonos dos verbos pronominais não possuem função sintá- tica.. sempre se conjugam com os pronomes oblíquos me. do indi\ 4. fazer. Formas Nominais ! Ele estu 1 São formas que não possuem noção de tempo.. nos. c 1 1 tivo e advérbio.2. adje. pois são parte integrante do verbo.substantivo. que eu estude. . pois a ação Ele se penteava. estude você.j que é a classe g Modo são as formas assumidas pelo verbo na expressão de um fato. Revisão Final . 4. . quando você estudar.

arre- se. cantemos. ! Ele estuda de manhã e trabalha à tarde. partido ação terminada. uma ação concluída: Estudando.. sem nenhuma relação temporal. cantais. :_:. entendeu o valor da vida. Que eu cante. substantivo. Em concursos O infinitivo impessoal não possui sujeito. · cantares(tu) Indicativo 1• pessoa do plural: R<1~l~a! +. enteava. !t Canto. O intuito é tornar o verbo uma matéria prazerosa de ser estudada. . apiedar-se. feito. estudem vocês.TRE-SP e. r Gram_á!ica ~ Interpretação de Texto da Língua Portuguesa Gerúndio . canteis. cantem 1 . e assumir uem função sintá- verdadeiramente a função de adjetivo (adjetivo verbal): Ele foi o estudante escolhido para organizar a palestra.1. cantam ! do subjuntivo: indica hipótese. 1) PRESENTE i vós. cante. ater-se.1\1105 cantarmos (nós) ME sentarei 2• pessoa do plural: Radical + DES cantardes (vós) TE sentarás 3• pessoa do plural: Radical+ EM cantarem (eles) SE sentará OS sentaremos Na primeira e terceira pessoas do singular. encontrei alguns ami- gos. havia crianças vendendo doces. na forma simples. o gerúndio pode funcionar como adjetivo ou advérbio. entenderá o valor da vida. adje.1. dúvida. VOS sentareis SE sentarão O gerúndio.. Tendo estudado.. canta. cantamos. do indi\cativo: indica ação que acontece no momento da fala. (função de advérbio) No parque. hábito. expressa uma ação em curso. assumem a forma do impessoal: cantar (sem desinência). O particípio pode exprimir somente estado. cantas. Relembrando os modos: indicativo Há três: =certeza.ão Final . Flexiona-se assim: o do presente do · 2•pessoadosingular:Radlcar+i:s·.. se. vamos às dicas do que indica cada tempo. subjuntivo= dúvida. cantes. etc. Saindo da escola. o particípio indicará cantado.. Ele me pen- 4. dignar-se. hipótese. onomes possuem objeto direto é o 5. O infinitivo pessoal possui sujeito e assume a forma do impessoal. já que é a classe gramatical mais usada em nosso dia a dia. na forma composta. TEMPO VERBAL Antes de nos aprofundarmos nas conjugações dos tempos. Dica estudar. Que nós estudemos todas as manhãs. (função adjetivo) 1 se não for empregado na formação dos 1 Partlclpio tempos compostos..

cantas do presente do indicativo: ação futura certa (amanhã) canta Estarei no local marcado à tarde. poderia viajar. cantasse.1. Pretérito Perfe Cantaria. cantaste. cantara. Substitui-se a de Imperfeito do subjuntivo: tempo condicional pela desinência -e ( 3• conjugação). cantarias.x/ :'.~?'il"~f~ll~ ·:. canta MOS Cantarei. cantáveis. CANTAR V cantE v 5.2. cantar. cantdreís. cantasses. Tempos Primitivos cantES v Presente do Indicativo cantE v cantEMOS ven CANTAR VENDER PARTIR cantEIS ve canto vendo parto o cantEM ve .que. cantassem 1•~JU!JaÇão 2• co Normalmente usado junto com o futuro do p1etérito para enfatizar a condição. cantaram Presente do Su Perceba que para ter o mais. cantariam do subjuntivo: ação futura duvidosa CANTAR Quando fizer o trabalho. cantarmos. 5. cantaras. cantou. cantássemos. cantei (quando/se) eu cantar. Se cantasse.perfeito é necessário o perfeito. darei os parabéns. cantávamos. Fez os exercícios e aprendera toda a matéria. cantares. cantáramos. cantavas. Se fizesse todas as tarefas. contínua Infinitivo Impes Passeava de moto quando o guarda o multou. cantarás. cantareis. cantava. canta RAM Cantei. cantastes. cantaríeis. cantavam 1 • conjug Mais-que-perfeito do indicativo: ação passada em relação a outra ação também CANTA passada. cantarão cantais do pretérito do indicativo: tempo condicional cantaM Nós cantaríamos se houvesse público.TRE-SP i 1 2) FUTURO i ·. cantaram Imperfeito do indicativo: ação prolongada. cantaríamos. í r Gramática_ e Interpre Revisão Final . cantásseis. Não indica temp Cantava. cantaria. cantardes. cantarem cantaSTE 3) PRETÉRITO cantou canta MOS Perfeito do indicativo: ação concluída (ontem) cantaSTES Fizemos tudo certo naquele dia. Tempos Deri Cantara. cantamos. cantaremos. cantará.

'~êmporal Des.x/ :'...)tifü~~4\'. í r Gramática_ e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa nal . CANTAR VENDER PARTIR cantE vendA partA E A 0 cantES cantE vendAS vendA partaAS parta A E E A A s 0 1 ~I o cantEMOS cantEIS cantEM vendAMOS vendAIS vendAM partAMOS partAIS partAM E E E A A A MOS IS M i 1 . ' · --· · · 3• conjugação ção também CANTAR VENDER PARTIR 1 ~ 5. ten:lporai Desinência pes50al 1 ê ~ l"conj.3~l<:n.TRE-SP i 1 i ·.2.. :.3• conJligaÇão Des.j.~:ie· ~:sJ>~iíij~~~ã·~r-··· cantas vendes partes S canta vende parte canta MOS vendeMOS partiMOS MOS cantais vende IS partis IS cantaM vendeM parteM M Pretérito Perfeito do Indicativo CANTAR VENDER PARTIR cantei vendi parti cantaSTE vendeSTE partlSTE STE cantou vendeu partiu u canta MOS vendeMOS parti MOS MOS cantaSTES vendeSTES partlSTES STES canta RAM vendeRAM parti RAM RAM Infinitivo Impessoal Não indica tempo e não possui sujeito. Tempos Derivados do Presente do Indicativo Presente do Subjuntivo Substitui-se a desinência -o da primeira pessoa do singular do presente do indicativo pela desinência -e (nos verbos de 1ª conjugação) ou pela desinência -a (nos verbos de 2• e 3• conjugação). 1•~JU!JaÇão 2• conju!J_lição . ondição. 1 1 • conjugação .x. 2•/3•conj.. é~~~iy2~~l~ó.:?.v:~".:.~?'il"~f~ll~ ·:.

. .· 1''2• col1jugação 3~_conjugl!ção..impora' ... · _· l)es.. .... cantáSSEMO cantáSSEIS 1 cantaSSEM Que eu cante f Que tu cantes Não cantes tu Futuro do Que ele cante Não cante você t Formação Que nós cantemos Não cantemos nós Que vós canteis Não canteis vós 1•conjugaçã Que eles cantem Não cantem eles 1 CANTAR IMPORTANTE cantaR O verbo SER. sem alteração. no imperativo (segundas pessoas)= sê (tu).' · · • Presenteao subjuntivo Eu canto Que eu cante Pretérito Tu cantas CantAtu Que tu cantes Formação Ele canta Cante você Que ele cante 1 •conjugaçã Nós cantamos Cantemos nós Que nós cantemos Vós cantais CantAlvós Que vós canteis CANTAR Eles cantam Cantem vocês Que eles cantem cantaSSE Imperativo Negativo cantaSSES Forma-se o imperativo negativo.~.. ~ ....." ' .3.. 1 cantaRES t cantaR 5.~ ..... cantaRAM 1mperát\vo'Afümatl~o'·. As demais pessoas são retiradas.''.. .-. Futuro do ·1.. Tempos Derivados do Pretérito Perfeito do Indicativo Pretérito mais-que-perfeito l 1 cantaRMOS cantaRDES cantaREM Formação: elimina-se a desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito..·--. Muito simples. sede (vós).. inserindo a negação às formas do presente do subjun.. 5.. cóhj\jgâé.. CANTAR VENDER PARTIR 1• co cantaRA vendeRA partiRA RA 0 CA cantaRAS vendeRAS partiRAS RA s ca ..ã(') ·.. ti... do cantá REIS presente do subjuntivo.~j-i.TRE-SP Gramática e In Imperativo Imperativo Afirmativo cantaRA Tira-se do presente do indicativo a 2ª pessoa do singular (tu) e a segunda pessoa do cantá RAMOS plural (vós) eliminando-se o "S" final.. . Desinênciéj pessoal Formação P/2• e 3• conj.. Tempo soa correspondente. acrescenta-se a esse tema a desinência temporal -RA mais a desinência de número e pes......---'-'---------'-----------------------~--------------~-~·.:':.. cantaSSE tivo.)....4. ~~ r Revisão Final ...

.) 1•conjugação 2• conjugação 3• conjugação Des.. cantaRA vendeRA partiRA RA 0 egunda pessoa do cantá RAMOS vendêRAMOS partíRAMOS RA MOS sem alteração.4... -rdes.. ~-~·. -ás. -á.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa i 107 : P/2• e 3• conj.. 5..... .. do cantá REIS vendêREIS partiREIS RE IS cantaRAM vendeRAM parti RAM RA M eao subjuntivo e eu cante Pretérito Imperfeito do Subjuntivo e tu cantes Formação: tema+ -sse.. 2ª e 3ª conj. -rmos. de número e pes. -emos. 2ª e 3ª conj. ........ -res. -r.) e ele cante 1 •conjugação 2• conjugação 3• conjugaçã() Des. Tempos Derhtados do Infinitivo Impessoal Futuro do Presente do Indicativo Desinênciéj pessoal Formação: Infinitivo Impessoal+ -ei. -eis.. -sseis. cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE 0 cantáSSEMOS vendêSSEMOS partiSSEMOS SSE MOS cantáSSEIS vendêSSEIS partíSSEIS SSE IS 1 cantaSSEM vendeSSEM partiSSEM SSE M f Futuro do Subjuntivo t Formação: tema+ -r. tem. . -ssem (1 ª... temporal Desinência pessoal 1•12• e 3• conj.." ' ..· -...~. . ~~ são Final ..-..tiRES R ES t cantaR vendeR partiR R 0 l 1 cantaRMOS cantaRDES cantaREM vendeRMOS vendeRDES VendeREM partiRMOS partiRDES PartiREM R R R MOS DES EM pretérito perfeito. vós canteis CANTAR VENDER PARTIR eles cantem cantaSSE vendeSSE partiSSE SSE 0 cantaSSES vendeSSES partiSSES SSE s resente do subjun..2ªe3• conj..~ . 1 CANTAR VENDER PARTIR cantaR vendeR partiR 0 1 cantaRES vendeRES pa. -sses. -rem (l". . -ssemos..... -ão (1ª..) 1• conjugação 2• conjugação •' 3ª conjugação 0 CANTAR VENDER PARTIR s cantarei venderei partirei . -sse.pórar Of!slnência pessoal nós cantemos 1• /2• e 3• conj.

. Presente do Pretérito pe Pretérito Perfeito auxiliar ter ou haver no indica uma ação repetida que Presente do Composto do Presente do Indicativo e o ~enho estudado tem ocorrido no passado. Pretérito im . l f i Futuro Composto do -des (2ª pessoa do plural). -em (3ª pessoa do plural) (1 •. 3° conjugação CANTAR VENDER PARTIR Infinitivo Pessoal cantar vender partir Composto cantarES venderES partirES Em Concursos cantar vender partir cantarMOS venderMOS partirMOS Há locuções for cantarDES venderDES partirDES bos poderão. longando-se até ao presente. ções verbais: verbo auxiliar ter ou haver+ verbo principal (particípio). Pretérito cantar eis vendereis partir eis cantarão venderão partir ão lr Mais-que-perfeito Composto do Indicativo Futuro do Pretérito do Indicativo Formação: Infinitivo Impessoal+ -ia. Os tempos compostc~s são formados por locu- exigidas. 2ª e 3ª conj. -íamos. pro- Indicativo principal no particípio. -iam (1 ª.[ 10~ 1 Revisão Final .TRE-SP r Gramática e Interpret 1 i I. Indicativo Infinitivo Pessoal Formação: Infinitivo Impessoal+ -es (2ª pessoa do singular).) ' t r !f Pretérito Mais-que- perfeito Composto do Subjuntivo CANTAR VENDER PARTIR Futuro do Presente cantarlA venderlA partirlA Composto do 1t Indicativo cantarlAS venderlAS partirlAS t cantarlA venderlA partirlA ! canta ri AMOS venderfAMOS partirfAMOS cantar[EIS venderfEIS partirfEIS 1 i Futuro do Pretérito f Composto do cantarlAM venderlAM partirlAM 1. Tempos Compostos Por ser um as Composto por haver mais de um verbo. aos tempos. -mos (1 •pessoa do plural).. semp cantarEM venderEM partirEM Estou viajando Correlação de 5. ·. -ia. -ias. TEMP<>· ····· - cantar ás venderás partir ás Pretérito Perfeito cantará venderá partirá 1 ! Composto do Subjuntivo cantaremos venderemos partiremos 1 f. Vamos.) Subjuntivo ~.5. 2ª e 3ª conj. -íeis. agora.

nal . 1 ~ exigidas.. surpresa e ··i :. . aos 1 Presente do indicativo+ Presente do subjuntivo 1 Pretérito perfeito do indicativo+ Pretérito imperfeito do subjuntivo repetida que passado. participio refere-se a um fato futuro Futuro do Presente auxiliar ter ou haver no Futuro do Presente terei estudado que estará terminado antes de outro fato futuro.. r. Pretérito imperfeito do indicativo+ Mais-que-perfeito composto do subjuntivo i 1. ser substituído por um verbo. principal no particípio l :-1 transmite incerteza. ação futura que estará ter- r li f Futuro do Subjuntivo ~:i. Pode h Composto do 1t Indicativo simples do Indicativo e o principal no particípio expressar tanto certeza como t1 ~ S incerteza.. Indicativo dade de uma ação passada e ~. agora.:. Subjuntivo principal no particípio os 1 indica uma ação que ocorreu f. M 1. Composto o principal no particípio S 1 OS Em Concursos Há locuções formadas por verbos auxiliares + gerúndio ou infinitivo. i Futuro Composto do tiver estudado minada antes de outra ação Subjuntivo simples e o principal no futura.) ' t r !f Pretérito Mais-que- perfeito Composto do Subjuntivo auxiliar ter ou haver no Pretérito Imperfeito do Subjuntivo e o principal no tivesse estudado indica um fato anterior a outro fato passado. segue a lista das correlações mais i' E i. Pretérito Perfeito auxiliar ter ou haver no indica uma ação anterior já s 1 ! Composto do Presente do Subjuntivo e o tenha estudado concluída. ·tl:. 1··: ~' Infinitivo Pessoal Infinitivo Pessoal simples e ter estudado fato passado já concluído.'''~' i I. s. pro- Presente do indicativo+ Pretérito perfeito composto do subjuntivo l 1 1 "•C' ao presente.~ oa do plural).·1' 1·1 :.iütt1. 1 ação particípio auxiliar ter ou haver no 1 f'.1~':V'~~-Pit:~. Por ser um assunto comum em várias provas. podendo se referir a um fato passado ou futuro.1': Correlação de tempos verbais 1.·.MPlq\ 't .TRE-SP r Gramática e Interpretação de Texto da Un_!!ua Portuguesa [ 10_9 1 1 TEMP<>· ····· . t ! indica uma ação que poderia ter acontecido posteriormente OS S 1 i f Futuro do Pretérito Composto do auxiliar ter ou haver no Futuro do Pretérito simples do Indicativo e o teria estudado a uma situação passada. Dica: os dois ver- ~ ~ 1t' ~· bos poderão. sempre. S ~ M Estou viajando =viajo.. conj.!: dos por locu. Indica também a possibili- 1 ~...'• ~. ~ .. Pretérito auxiliar ter ou haver no antes de outra ação passada. encontrando-se condicionada. _Ufbf(l\lf'Açtó>~~··'. auxiliar ter ou haver no indignação. s o lr Mais-que-perfeito Composto do Indicativo Pretérito Imperfeito do Indicativo e o principal no particípio tinha estudado Pode indicar também um acontecimento situado de forma incerta no passado. '·•:::l ·''êXi. Pode se referir também a acontecimentos irreais do passado.

a duração.não possui sujeito e sua forma é invariável. aprovação e o começo do trabalho. DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO oração anterior Aspecto O processo é apresentado no seu Ao tocar o sinal. Aspecto pontual Viu o filme e devolveu ao dono. Aspecto iterativo Há urna ideia de repetição. Ela me beijou duas vezes. L. complemento Aspecto prolongando-se por tempo não Ele era engraçado desde criança. falar e si pessoa. Não é apresentada a duração. L-~p_e_rf~ect~lv_º~~+-P_o_d_e_s_e_r_d_u_ra_t_lv_º~º-u~p_o_n_t_u_a_l·~~-1-c_o_r_re_u~o-nt_e_rn~n-a_c_o_rn_p_e_t_iç_ã_o_=_P_º_n_t_u_a_I. Quando é regi O processo verbal é incompleto. dividia a atenção entre os alunos principal (verbo Aspecto cursivo seu desenvolvimento. Não há enfoque do Permanece a indisciplina naquela classe. = iteração pontual. L-~~~~~~-L~p_r_o_ce_s_s_o_to_d_o_._ES_s_o~_·_·--'--'~~~~~~~--. melhor clareza Aspecto o sujeito (agent O processo é apresentado no seu Enfim. Tem evitado álcool.~~~-. Quando o sujei L-~~~~~~-L~~~~~~~~~~~~~--'~----~--~~~~~~~~~~-. . '··i Revisão Final -TRE-SP Gramática e In -··-··------. L-~~~~~~-+~~~~~~~~~~~~~--'f--~~~~~~~~~~~~~~~~~--j A primeira coisa que o professor de literatura faz é Nas locuções ve a chamada. Empre 6. Importante: na A nota de corte é 8. não. ou momentâneo O aluno estuda a matéria e faz os testes. Quando tiver o O processo é apresentado em sua Estudou a matéria em duas horas= durativo. marcando-se o início. INFINITIVO PESSOAL E IMPESSOAL Com os verbos nirnos. O infinitivo pessoal apresenta desinências de número e dizer. verbo da oraçã imperfectivo determinado. novos e antigos. deve-se Verbo no infinitivo significa que apresenta sentido genérico ou indefinido.-~~~~~~~~~~~c_o_M_P_L_E_TA_M~EN_T_O~D~O-·P_R_oc_.1. Importante: qu inceptivo início. cessativo "fazer" e seus verbal com o in 7. O infinitivo impessoal não se relaciona à pessoa . os alunos entraram. Aspecto durativo O processo de duração continua. Quando aprese haver sujeito. ---- • Futuro do subjuntivo+ Futuro do presente do indicativo • Pretérito imperfeito do subjuntivo+ Futuro do pretérito do indicativo • Pretérito mais-que-perfeito composto do subjuntivo + Futuro do pretérito com- posto do indicativo • Futuro do subjuntivo+ Futuro do presente do indicativo • Futuro do subjuntivo+ Futuro do presente composto do indicativo 7 . tomar e ouvir. Aspecto totalidade. com começo. ASPECTO VERBAL O infinitiv É a referência ao desenrolar da ação. Consi. o que os "concurseiros• mais esperavam: a terminativo ou Com os verbo té!rnino. meio e fim.= iteração pontual. Importante: É i para antes dos dera-se apenas o processo verbal. a conclusão ou o resultado de desenvolvimento processual.= iteração durativa.~~~~~~~~-'-~~~~~~~~~~~~~~~~~--. flexionado. preceder o O processo é apresentado durante o Durante a aula.

finido. haver sujeito. ------------~-----·-----. nção entre os alunos principal (verbo regente). "mandar" e "fazer" e seus sinônimos que. Devemos sorrir ao invés de chorar. a conclusão Quando apresenta urna ideia vaga. Quando o sujeito do infinitivo é o mesmo do verbo da ~~~~~~~~-. ~~~~~~~~~~--. Eles foram condenados a pagar pesadas multas. serem ouvidos. . genérica. complemento de um substantivo. preceder ou estiver distante do verbo da oração basquete. Emprego do Infinitivo impessoal O infinitivo impessoal é usado: ção. "sentir" e sinô. É desnecessário reclamar.. -----· -···-----·.= errado é invariável. Com os verbos causativos "deixar". sem Beber prejudica o fígado. ou Foram dois amigos à casa de outro. "ouvir". dos. adjetivo ou nça. Ouvi-as dizer que iriam à aula.~~~-. s• mais esperavam: a abalho. jogo. Pediu que Fernanda entrasse. tomar e ouvir. .1. Os MP3 que ela me emprestou são agradáveis de no. oras= durativo. )li-os entrar. Podiam reclamar da instituição. melhor clareza do período e também para se enfatizar o sujeito (agente} da ação verbal. Com os verbos sensitivos "ver''. Pediu para que Fernanda entrasse. ----·. Consi- para antes dos objetos diretos de verbos como pedir. --'--'~~~~~~~--. ~~~~~~~--j ssor de literatura faz é Nas locuções verbais. i111J Eu tivo -es Tu Ele do pretérito com- -mos Nós -des Vós -em Eles o 7 . Precisamos dormir bem cedo amanhã. Tenho ainda alguns livros por (para} publicar. al. : '~ ão Final -TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa -··-··------. Os candidatos foram impedidos de participar do quela classe. O infinitivo Importante: É inadequado o emprego da preposição Pediu para Fernanda entrar. =Estudem! ç_ã_o_=_P_º_n_t_u_a_I. estudaremos. o infinitivo (verbo auxiliar) deve ser Eram leitores difíceis de serem contentados. estaremos sempre atentos. pode ser flexionado para Na esperança de sermos aprovados. falar e sinônimos. flexionado. Importante: quando o infinitivo preposicionado. ão durativa. = correto . . verbal com o infinitivo que os segue. nirnos. ..= errado ncias de número e dizer. ntraram. Para estudarmos. Alunos. deve-se também deixar o infinitivo sem flexão. Aqueles refrigerantes não são ruins de serem torna- Importante: na voz passiva dos verbos contentar. verbo da oração anterior. Quando é regido de preposição e funciona como Ele não os convenceu a aceitar. teração pontual. estudar! Quando tiver o valor de Imperativo.·-. az os testes. Eles não têm o direito de chorar assim.não formam locução Mandei-os sair cedo hoje. Vou pensar em você sempre. a fim de jogarem não. oração anterior.

se livro sujeito da voz passiva tem o mesmo papel em relação ao verbo principal que o objeto da voz ativa._. Voz Passiva Vendem.A Se filperceberes isto . .= Aquela música foi ouvida por todos os alunos sujeito paciente Ser+ particípio agente da passiva 2 verbos L:_ _ '""'~~ . v.T.2. ~-·--~~ .. Entregou-se o V.. Emprego do Infinitivo pessoal Dica 1: transpon O infinitivo deve ser flexionado: V. reflexibilidade de ação.. Quando apresentar reciprocidade ou Fizemos os adversários cumprimentarem-se. Há ainda uma outra voz na Língua Portu- guesa.P (utilizado na terceira pessoa do plural)..TRE-SP Gramática e Interpre 7..D.D. sujeito. . a voz reflexiva. Por isso. sujeito implícito= nós O professor deu um prazo para os alunos estudarem bastante para Quando tiver sujeito diferente daquele a prova. Verbo transi ções gramaticais ..) +SE= Refere-se à forma como o agente e o paciente de uma oração são enquadrados nas fun..2. + se = VP (Eles se prepararam) e a voz passiva sintética. 7. Perdoo-li: por me traires. Passiva Analítica Dica 2: Atente SER + PARTICÍPIO Vó:tAtivà 1 verbo V.A.:!==="-------- .P. ramente expresso. . como a voz (ativa) reflexiva V.= · : Tod"s os alunos· ouviram aquela música Livro é vend sujeitá V. Entregaram Há dois tipos de voz passiva: Dica 1: Sujeito 8. 8.T.D..2. Ela não sai sozinha à noite a fim de não falarem mal da sua conduta..2. Passiva Sint 8 .I. VOZ VERBAL V. da oração principal.T. 1 • Voz Ativa O sujeito pratica a ação.2. Revisão Final . O hotel preparou tudo para os turistas ficarem à vontade. -----------~-------_. Mandei os homens olharem-se no espelho do banheiro...... o objeto direto é obrigatório. Quando o sujeito da oração estiver ela.. voz ativa e voz passiva.se O sujeito sofre a ação. Quando se quiser indeterminar o sujeito Têm de agir assim para se promoverem.sujeito e complementos verbais (especialmente o objeto direto). na qual o sujeito sofre e efetua a ação ao mesmo tempo. Há algumas variantes dessas duas vozes principais. Exemplo: Equivalem a: V. objeto direto O prêmio fo Para passar uma oração da voz ativa para a passiva. =sujeito desinencial. O se Há duas vozes verbais principais. + se = V 8...D.. as form 8..T. A diferença principal é que o Vende. O bom é sempre lembrarmos desta matéria.(I.... Convém vocês irem depois.

se livro. sintética e o objeto da va) reflexiva V.= V. + se = VP sujeito Língua Portu- po.P.fP/ m bastante para tade.-----------------=~--------~. ncipal é que o Vende./# . sintética V. sujeito. = Aquela música foi ouvida por todos os alunos a sua conduta.= V.D.D.T. Passiva Sintética V.T.P. O se é pronome aPASSIVAdor.SER = 1 verbos os alunos 2 verbos 2 verbos + SER = 3 verbos 3 verbos 3 verbos .~.se livros... Por isso.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa lm 1 Dica 1: transpondo a oração da voz ativa para a passiva.:~ !.. ..1.2.2.= V.P.P.< --~-------_.D. Siga a numeração.. sujeito V. analítica obrigatório. Entregou-se o prêmio ao vencedor.-.. Dica 1: Sujeito no plural= verbo no plural Dica 2: Atente-se ao número de verbo. as formas corretas são: Vendem. Entregaram-se os prêmios aos vencedores..A._.:!==="------------.SER = 2 verbos a passiva L:_ _ ~. (! . analítica direto O prêmio foi entregue ao vencedor. Equivalem a: música Livro é vendido. sujeito paciente Ser+ particípio agente da passiva eiro. 8.I. Verbo transitivo direto ou transitivo direto e indireto + se = voz passiva e possui ireto). inal ..D.) +SE= V.T. (sujeito) ados nas fun. Vó:tAtivà Voz Passiva=+ SER Voz Passiva 1 verbo 1 verbo + SER = 2 verbos 2 verbos 2 verbos .= V.P. v.(I.T. + se = VP sujeito 0. objeto direto V. =Todos os alunos ouviram aquela música .P.

··)r~~'.3.5. Palmeiras jog ~:. palavras de outras classes Formou segundo(= conforme).·!.2. por. nem de pessoa. per. tirante. As preposiç As preposições ligam termos. Definição É a palavra invariável que estabelece uma relação entre dois ou mais termos da oração. assim. ante. sem. em. 9. senão. Assim.: Revisão Final . individualizado. locução prepositiva é mais de uma palavra que possui a função de subordinar termos. não se trata de uma ~ l Ve Mesa variação própria da preposição. mas sim da palavra com a qual ela se funde. de ligar palavras. O termo que antecede a preposição é a relação.. número. pois não sofrem flexão de gênero.4. sobre. entre. com. entre os elementos ligados pela preposição não há sentido separado. 1 Tomei u '')~~t Vendeu o l conforme(= de acordo com). desde. gramaticais que são usa- consoante(= conforme). sob. até. Introdução Assim como o advérbio. O sentido da expressão é dependente da junção de todos os elementos que a preposição vincula. tempo. . aspecto e voz haver preposiç como os verbos. Locução Prepositiva Como já visto em capítulos anteriores. exceto. subordinam-nos.TRE-SP Gramática e In 9. 9. de. Em provas de concursos públicos. Facilitando: preposição liga palavras e conjunção liga orações. salvo. é pedida a relação que a preposição indica e. Essa relação é do tipo subordinativa. estabelecem uma relação de concordância em t Can gênero e número com essas palavras às quais se ligam. ·. trás como(= na qualidade de).1ção não ocorre perda de som Contração ocorre perda de som Fala a +o (artigo) ao em +o (artigo) no Saiu c ' a +onde (advérbio ou pronome) aonde por +a (artigo) pela 1 Sou a +os (artigo) aos de + isto (pronome) disto ! Bo A música é A escolha 9. ou seja. mediante. 1' :. modo. PREPOSIÇÃO 9. na maioria das vezes. a preposição faz parte das classes gramaticais invariáveis. Atenção: s As preposições são palavras invariáveis.1. chamado de regente e o termo posposto é chamado de regido. após. Morre Combi1:1. Classificação das Preposições r i Andar desempenham apenas o a. Relaçõe Os candidatos de São Paulo falavam sobre a prova. é a mesma circunstância expressa pela locução adverbial. Em diversas situações as preposições se combinam a outras palavras da língua (fenômeno da contração) e. Olhe pa das como prepos \ção durante. Fo visto (=por) Está s Saiu do palco 9. Mesmo assim. para. contra.<·::·<· ::~ papel de preposição perante. locução é o conjunto de palavras. número ou da locução adv variação em grau como os nomes. fora. isto é.

a pergunta e encontre de a preposição é a relação. na maioria das em vez de graças a junto a junto com junto de à custa de defronte de através de em via de de encontro a em frente de em frente a ermos da oração. para. Atenção: se estiver ligada ao verbo. pela preposição sob pena de a respeito de ao encontro de ndente da junção 9. Morreu de felicidade causa morreu de quê? rda de som Falava de amor assunto falava de quê? no Saiu com os amigos companhia saiu com quem? ' pela 1 Sou de Ribeirão lugar (origem) de onde? me) disto ! Bola de couro A música é de Caetano Veloso A escolha será por sorteio matéria autoria modo ou conformidade de que é feita a bola? de quem? como? r i Andaremos a cavalo meio de quê? em. Relações das Preposições As preposições podem indicar relações. utras palavras da concordância em t Caneta de Maria posse de quem? o se trata de uma ~ l Verde perto Mesa de trabalho lugar finalidade de onde? para que a mesa? de. Em ao invés de diante de em fase de e. Foi até o fim limite Está sem paciência ausência. .00 preço porquanto? Formou-se em medicina especialidade em quê? Olhe para frente sempre destino ou direção para onde? . Faça. aspecto e voz haver preposição que não faça parte da locução adverbial. entre. senão.ão Final . a relação da preposição será a mesma circunstância nero. locução ermos.5. Assim. A diferença entre preposição e locução adverbial é o fato de poder do. como no advérbio. per. falta Saiu do palco sob muitos aplausos lugar conotativo (sentido figurado) as. ou seja. exceto. número ou da locução adverbial.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa '115 : abaixo de acima de acerca de afim de além de a par de apesar de antes de depois de is invariáveis. Palmeiras jogou contra Corinthians oposição contra quem? 1 Tomei um copo de vinho conteúdo de quê? Vendeu o livro (a)por RS 50. de ões.

·~ O c.:\' .:'.·. INTRODUÇÃO Sintaxe é o cern concursos públicos Para fazer a aná e outras classes gra passo a passo. Tipos de fra U a p r· .~.1.. Frase Frase é uma inf palavra ou várias e 3.1.~ ~~~·~{.~~~jti~i~ u z (a :-.·~.1.). 1'.::- . DEFINIÇÃO A sintaxe estuda haver coerência par los e das orações na 3. _______________________ 1. SINTAXE DE O 3. Frase... 2.1.1. oração 3.-----.::./:~-.".·!·~~l~~..'. /.·/ .:'.1.

. 2.:\' O emissor da mensagem dá urna ordem."._.substantivo. =Interrogação indireta r· .1. Frase. Frase Frase é uma informação que possui sentido completo. Para fazer a análise.·/ =Negativa . é necessário seguir o passo a passo.1. É preciso haver coerência para que uma mensagem seja compreendida. pode ser direta ou indireta. INTRODUÇÃO Sintaxe é o cerne da língua portuguesa. ·~ Faça-o entrar no carro! . = Afirmativa zando o verbo no modo imperativo Não faça isso. Termos essenciais da Oração 1. Tipos de frase Você estuda comigo domingo? Uma pergunta é feita e se deseja obter = Interrogação direta alguma informação.'. Pode ser representada por uma palavra ou várias e o verbo não é obrigatório.1. /. a combinação dos vocábu- los e das orações nada mais é do que a sintaxe. 3.·~. Exprime ideias. SINTAXE Capítulo 1. c. precisa-se da morfologia ./:~-.__________________________________________________________ .).~ ~~~·~{. 3. no período e no texto. utili. SINTAXE DE ORAÇÃO -TERMOS ESSENCIAIS 3.::. Para entender os tópicos nela contidos.:'. 1'.·!·~~l~~. o âmago do estudo para todas as provas de concursos públicos.::- . pronome. PARTE IV . :-. emoções.:'..1..·. (afirmativo ou negativo).~. ordens ou apelos. DEFINIÇÃO A sintaxe estuda a relação lógica das palavras na frase. oração e período 3..1. adjetivo.~~~jti~i~ um conselho ou faz um pedido. A interrogação Desejo saber se você estuda comigo domingo.1. verbo e outras classes gramaticais.

'. . Muitos fat Período Composto Mais de uma oração.~ ·''' o Revisão Final .1. Frase= possui sentido. o sujeito não é apenas o ser que Fiz pratica ação. Não há verbo.2. Podem ser afirma- '.2.1.2.Frase Verbal · Possui verbo. possui verbo.1.1. núcle Comp 3. 1 A.· .. Sujeito ele. 1.É a constatação um fato. declara alguma coisa. 1 Se a frase (precisa ter sentido completo) possuir verbo. Informa ou Obrigaram o aluno a sair. A lua ilumina a cidade. ou seja. será também uma oração. Atente-se: se há voz ativa.'~}: Possuem estado afetivo e apresentam Que prova diffcil! Classificam ·.2.1.~.: tivas ou negativas.. • Simple adnomina Período Simples Uma oração. . Cuidado! Belo quadro o seu! A lua ilumina a cidade e inspira os poetas. Indete . É uma delicia esse sanduíche! Í~~~:·. voz passiva e voz reflexiva.~.3.nal . Termos essenciais da oração Músic São termos essenciais da oração: sujeito e predicado. A lua ilumina a cidade e inspira i----O_ra_ç_ã_o_:_p_o_s_su_i_v_e_rb_o_.. i 3._ _ _~ os poetas. sofrer ou praticar e sofrer a ação. 3. . mais de um verbo A lua ilumina a cidade e inspira os poetas.~.TRE-SP Gramática e In ::1-. Simples : Afirmativa ··:~p~f•f.2. um verbo. Período O que é pe O período é formado por oração e pode ser classificado em simples ou composto. Construção da frase Indetermina Socorro! Frase Noml.1.l~~~. Os músicos saíram para o show. Em c 3. Oração Oração sem su Oração possui estrutura sintática. Pode praticar. Ela não está na escola. Composto =Negativa Simples e impl Deus te abençoe! Optativas· Usadas para exprimir um desejo. Simpl 3. E= co Sujeito é o ser de quem se declara algo e predicado é a declaração feita do sujeito.A. no Fez Para encontrar o sujeito faz-se a pergunta o quê? (para coisa) e quem? (para pessoa).· . ou elíptico o Bons ventos o tragam! desinencial ou o 3. . entoação ligeiramente prolongada.

necessita de algo duas situações: (V. Simples um núcleo = o que ocorriam? mais de um Música e literatura fazem bem à alma. = quem necessita. poetas. 3. Verbo na terceira pes.Fora de contexto. Composto: o termo que liga os núcleos é chamado de conjunção ou conectivo. Simples e implícito ou elíptico ou desinencial ou oculto: No singular.) -de silêncio é 0. _~ : fenômeno da natureza i 3. desinencial ou oculto oração 1. Ontem choveu demais. São duas horas. mas o pronome não está explicito. Verbo na terceira pes.A. 1.1. Necessita-se de silêncio. núcleo A. Pode 2. sujeito. não se sabe soa do plural. E= conectivo ou conjun~ão ta do sujeito. Verbo haver no sen. Muitos fatos estranhos ocorriam naquela situação e inspira os poetas.1. • Simples: retirando o núcleo.= sujeito indeterminado (verbo no plural). no plural.A. Verbos ser. quem é o =quem fizeram? Não se sabe. Música e literatura fazem bem à alma. Composto núcleo =o que fazem bem? Simples e implícito não está Fez o texto ontem.= sujeito simples e implícito (ele) . . ? (para pessoa). Verbos que indicam 1 uma oração. =existiam tido de existir ou ocor. rer. Fez o texto ontem.I. 1 A. Indeterminado: Sempre muito pedida a diferença do SE. sujeito = ele. fenômenos da na tu.T.2. Indeterminado ocorrerem soa do singular + se (índice de indetermi. nação do sujeito) Havia pessoas. =ser indicando tempo não há sujeito 2. o(s) termo(s) que resta(m) possui (possuem) função de adjunto adnominal.o Final . apenas o ser que Fizeram o texto ontem. ou elíptico ou explicito na : quem fez? Ele. Fizeram ótima prova. Faz três anos que não a vejo. estar Está muito calor. Em concursos O que é pedido em concursos e pode gerar dúvidas: u composto. 1. sujeito= indeterminado. = fazer indicando tempo decorrido reza. e pode ocorrer e fazer indicando Oração sem sujeito = estar indicando fenómeno meteoro- em três tempo ou fenômeno lógico situações: meteorológico.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa Classificam-se em: he! Muitos fatos estranhos ocorriam naquela situação.

por isso o prefixo IN. r no plural+ se. Haviam de existir alunos.admltEi. Precisa-se de livros.. Vamos aprofundar: Classificação Teoria Exemplo 1 Dica Nunca caberão as pala- o verbo não exige comple.2. mutatório Alunos: sujeito Alunos: objeto direto continuidade de estad *Por isso o verbo admite plural estado aparente Verbo FAZER indicando tempo decorrido: singular. 3. Deviam existir alunos. Predica intransitivo. isto é. Predicado Predicado é a declaração feita do sujeito. verbo de ligação algo ""?" . plural permanente Havia alunos. dade. ri í120 j Revisão Final -TRE-SP 1 índice de Verbo no singular Intransitivo. transitório Havia de haver alunos.2.2 . ! ov indeterminação do sujeito +se. Devia haver alunos.3. mas não há como existir oração sem predicado. Admite (te Pronome apassivador plural porque possui ou transitivo direto e t Verbo de ligação indireto+ se Dão-se aulas aos necessitados = 1 in sujeito. nície. Existiam alunos. Faz dois anos. Por não indicar a Fixando a concordância: . São classificados em verbal. Para classificá-lo.2 ." Muito impor Transitivo o verbo exige complemento Todos precisam de felici.. transitivo Dormiu-se bem.:. retirando-se o sujeito obtém-se o predi- cado. Siga o passo a passo para evitar erros.l.::: ':o'5lt.2. Vai fazer dois anos. . [ Transitivo direto e indireto me Verbo no singular ou Encontrou-se o local da prova = i ~ siç lig transitivo direto+ se encontraram-se os locais da prova.l .. é necessário estudarmos os termos que fazem parte do predicado.1. Predicação verbal Predicação é a classificação do verbo. 3. Predicativo é direto quem tem. Pode haver oração sem sujeito. precisa DE indireto COM preposição. aulas são dadas aos necessitados. mento do mundo. quem precisa.V'erbo. indireto e verbo de ligação. Estados d preposição de= Basta de problemas: oração sem sujeito. acrescentou-se o verbo bastar seguido da 3 .2. f Oração sem sujeito: Há pouco tempo. embora o verbo indique fenômeno da natureza. 7. o dia Note a diferenç possui função de sujeito.2. Transitivo o verbo exige complemento "Tenho duas mãos e o senti.2. 3.ÍEITO :•. Em conc Em: O dia amanheceu calmo. O vulto desapareceu na pia- Intransitivo vras algo e alguém após o mento. nominal e verbo-nominal.2.2. Lembre-se de q 3.2. tem algo SEM preposição.

r ção. é preciso haver predi- t (termo que qualifica) e não Todos ficaram felizes. Predicativo Predicativo é o termo que qualifica o sujeito ou o objeto.l. intransitivo adjunto adverbial de lugar Dica erão as pala- alguém após o 3. Nós estamos felizes. fazer-se mutatório Todos continuam desconfiados. estar.2 . tornar-se. encontrar-se Eles andam felizes. ficar. s. achar-se. viver Ele vive alegre. predicativo sujeito m-se o predi- redicado.L. V.L. ural Ela parece satisfeita. continuidade de estado continuar. Lembre-se de que para haver verbo de ligação é preciso haver predicativo! Eles estavam exaustos. ri inal -TRE-SP 1 ! o verbo exige dois comple. lemanjá. Indica estado. precisa DE verbo de ligação é necessário o predicativo. permanecer Alguém permanece desatento. intransitivo adjunto adverbial de lugar do predicado.2 .2.1. o dia Note a diferença entre as orações abaixo. permanente ser. Tornaram-se exaustos.3.2.. Em concursos atureza. transitório Ficaram cansados.2. oferece algo [ Transitivo direto e indireto mentas: com e sem prepo.2. Ele é alegre. f ar seguido da 3 . Elas ficaram nervosas. . andar. Alguém ofereceu flor à quem oferece. o verbo de ligação pode expressar diferentes estados. Estados do verbo de ligação Por não indicar ação (movimento). . São Eles estavam em Londres. em algo Muito importante: para haver predicativo é necessário o verbo de ligação e para haver sa. V.2. estado aparente parecer 3.l . necessitados. necessitados = 1 indica ação. virar. predicativo sujeito Elas ficaram na escola. a alguém al da prova = i ~ sição liga 0 sujeito ao predicativo Para haver verbo de liga- ocais da prova. Verbo de ligação cativo.

.V. " . INTROD 1 Termos in 3.~~Sl------ªd. ~~:F:.1 sição obrigat · • ··.1._ _--i adnominal.2.L. .V. oculto) 1 nominal + predicativo 1 Todos CAMINHAVllM (e estavam) FELIZES 1:1ela praia.. mento nomin substantivos Ele é engenheiro._ _ _ _ .l .•~1--ª_dJ_e_ti_v_o_so_u_lo_c_uç_õ_e_s_a_dJ_·e_tl_v_as_-+_ _ _ _ _ _A_lu_a_é_b_ra_n_c_a.. A 3.. ' : ._ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _.T:.:l----'p'-r_o_n_om_e_s_su_b_s_ta_n_t_iv_o_s_ _--1-__P_a_ra_V_i_ní_ci_u_s_d_e_M_o_ra_e_s.2. sim não explícito sim Verbos in 1- . ·'">"•f1---. 1 P._ _ _-i Completa . Os longo ~ :. _ _ . não sim sim .__ _ ___._ .et_lv_o_ _ _ _ _-+---To_d_o_s_c_o_ns_id_e_r_ar_a_m_a_p_r_o_va_d_i_fíc_i_l..im FELIZES. Dica O estátic Verbal o núcleo é o verbo Todos ÇAMlt:jHAVAM !ranguilamente 1:1ela praia..°.. (+ V. ._ .e. transitivos diretos. . Classificação do predicado 1 PREDICADO... 1 1 Verbos significativos são os intransitivos. .____ . 1.TRE-SP Fácil assim: Predicativo-) Verbo de ligação Verbo de ligação-) Predicativo Encontrei (transitivo direto) os soldados (objeto direto) (e eles estavam) mortos.'1----------------1------------------i 'Predicativo ..1.4.p_al_a_vr_a_s_u_b_st_a_n_ti_va_d_a_ _ _-l-_ _ _ _A_v_id_a_é_u_m_q_u_er_e_rs_e_m_fim_.._ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _. .3.~i~~tf~~··.._-i 2._ _ _ _ ___. Importan J.:...... _... me sor 1 ~ f1 Viveu um . sim não não 2..-... ... ·:. menos o verbo de ligação 1 Núcleo: o Nominal o núcleo é o predicativo há verbo de ligação Adjunto A ~ Alguns e~tav.. •. Revisão Final .._a_b_e_le_z_a_e_ra_t_u_do_.jc.\ oração subordinada substantiva A verdade é que ele foi aprovado.'.2.>~~!!=!itÍj.N.1 '·• Facilitando: 1 Núcleo: b Adjunto a 1>redicativo 1.._.ill1-----n_um_e_ra_is_s_u_b_st_a_n_tl_v_os_ _ _+----º-s_i_rr_e_sp_o_n_sa_·v_e_is_e_ra_m_ci_n_co_. P. P.2.· .reor!a ~jlmplo .. transitivos indiretos. Morfossintaxe dos predicativos completam.:.. OBJETO ·.N . do objeto substantivo Nomearam-no síndico.. ·· ·:... ~ verbo Verbo- há dois núcleos: verbo e predicativo Todos CAMINHAVAM FELIZES pela praia. Em Co .·\l !'-:"'.. lite: verbos n na predicaçã transitivos diretos e indiretos. .

D._.o... --------i _a_b_e_le_z_a_e_ra_t_u_do_. INTRODUÇÃO 1 Termos integrantes. Dica O estático olhar: objeto direto. Em Concursos sim sim Verbos intransitivos aparecem. comple- c_a.. longos.objeto direto e objeto indireto -. o.._ _--i adnominal. São eles: complementos verbais . Termos Integrantes da Oração os._ _ _-i Completa a significação de verbos transitivos diretos sem acompanhamento de prepo- rs_e_m_fim_.. 1>redicativo não 2..e. + predicativo Os longos braços: objeto direto 1 Núcleo: braços (substantivo) Adjunto adnominal: os." Viveu uma vida tranquila..____ ._ _ _ _ ___. oi aprovado. OBJETO DIRETO m_ci_n_co_. mento nominal e agente da passiva.·· 1 ._-i 2.. Faci- lite: verbos não são intransitivos... também. índico. " . menos o verbo de ligação 1 Núcleo: olhar (substantivo) há verbo de ligação Adjunto Adnominal: o. verbo Abriu os. ão Final . o.D. oculto) 1 V. · sujeito V. frequentemente.1 sição obrigatória .. como verbos transitivos diretos. pois no contexto podem sofrer alterações nsitivos indiretos..2._ _ _ _ . como o próprio nome diz. Importante notar que dentro do objeto direto pode haver. completam. me sorri um sorriso pontual.1..o. apenas estão. (+ V. 1. iro.T. o adjunto _o_va_d_i_fíc_i_l. As mãos cálidas encontram o e~tl~o· olhar. na predicação.TRE-SP Capítulo.fongos braços ao chegar.. .L... estático.. integram o sentido de outros termos.T. .

Ao dono. claro.I. Aos pobres.I. s.I.3.D. tem de se referir ao o Nomes próprios ou comuns.1. Pronome relativo quem.-----------. Aprovou a ambos. pacie . Objeto Direto Preposicionado Precisamos DE Completa o sentido de um verbo transitivo direto (não exige preposição) e a preposição Enviou pode ser retirada sem que prejudique a estrutura.D. Objeto Indiret Evitar ambiguidade.TRE-SP Gramática e Interpretaç 2. Pegou da viola. ----------------· -------. ninguém engana. Ocorre repetição d Numeral ambos.1.T. Ele traiu ao pai. Todos se odiavam uns aos outros. Pode ser preposicionado em algumas V. -.. 3.1. a preposição. (). Estes livros. Comeu do bolo. MORFOSSINTA Ocorre repetição do objeto direto através de um pronome oblíquo átono. pleon~stl~i> _ V. tnfase.ó.D. Objeto Direto Pleonástico 4. 0.T.1.T. também. Aprecio a este.co por prepos1çao. o adjunto adnomi- nal e. AGENTE DA P É termo da o 0 Desobedeço · . Reciprocidade. 2. nenhum cão abandona. Bebeu do vinho. O. (tônico} o+ pl~11á5ti~o J~tono) . 3. Era a moça a quem amava.T. situações: Enviou algo A a Ela amava a si mesma. A mim. -------- Revisão Final . OBJETO INDIRETO Completa a significação de verbos transitivos indiretos. O pronome pessoal oblíquo tônico é objeto direto. já os ! li. 0. Importante notar que dentro do objeto direto pode haver. V.2. suje V. com acompanhamento de pre- posição obrigatória. Pronomes substantivos indefinidos ou demonstrativos. Ao estudante relapso. a: preposição Quanto à transp meus: adjunto adnominal damos os estudos Desobedece A alguém. sujeito. . O pronome Os objetos podem tem de se referir ao objeto direto. 0. Enganaram a ti. A pro Precisamos para estudar.

.D. O pronome tem de se referir ao objeto indireto. 0..D.fi. sujeito.J. Quantos irmãos você tem? Tenho três.. __J_1~] Precisamos DE algo.T. nega O. o livro. . 3.D. nto de pre- to adnomi- s. V. preposição Enviou O.1. Disse um sonoro "sim". Aos pobres. --------------------------------------------·'J. ana. já aprofun- damos os estudos no capítulo 7 . nenhuma disciplina V.D. 0. SUJEITO 4.. .-. Gosta de bons livros.. MORFOSSINTAXE DOS COMPLEMENTOS VERBAIS O pronome Os objetos podem ser representados por: .T. Quanto à transposição da voz ativa para a passiva analítica (ser+ particípio). Enviou algo A alguém. ! al . m algumas V. Leu bons livros. Objeto Indireto Pleonástico Ocorre repetição do objeto indireto através de um pronome oblíquo átono.TRE-SP Gramática e Interpretação de_Texto d_a_Lín~llª Portu!!_uesa_ . A prova foi adiada sujeito ser+ paciente particlpio .I. .1.-~~~~~~~~~---i ·.T.1.. tudo..D.com a f"inal"idade de indicar o ser que pratica a ação verbal sofrida pelo por prepos1çao.I.. sempre intr?duzido 0 · .Verbo.--· -------. interessa. AGENTE DA PASSIVA É termo da oração que pratica a ação verbal na voz passiva. Ao estudante relapso.

. sujeito V. adj.. Morfossintaxe do agente da passiva 7. substantivo ou ·.1. O complem tinham encontrado no pátio da escola os gabaritos.D.sem- pre por meio de uma preposição..1. Possui a função de completar o sentido do nome.. ' .L.TRE-SP Gramática e Inte Note que o agente da passiva passa a ser sujeito na voz ativa e que o sujeito paciente Faz-se a per passa a objeto direto: Alguns adiou a prova. na ativa haverá dois: retira-se o ser. Exemplo com três verbos: Os gabaritos tinham sido encontrados Agiu contra sujeito paciente ser particípio 6.~~~. objeto direto 5. deixando explícito apenas o particípio. :_•'. O. Quem tem m Por isso é necessário o objeto direto para haver transposição da voz ativa para a passiva.1 ' •• • • ..substantivo. . adjetivo ou advérbio . Quem te . sujeito iit!Vo . DIFERENÇ O agente da passiva é representado por um substantivo ou por uma palavra ou oração com valor de substantivo. COMPLEMENTO NOMINAL Quem go É o termo da oração que se liga a um nome . adverbial de lugar O. Dica: tente transpor a oração para a voz ativa: A passeata feita sujeito paciente (ser implícito) particípio Estudantes fizeram a passeata..T.D. núcleo: ele= pronome substantivado 3) O compl O poema foi feito ~~::h)~r~~fii:.1.:>:t!K!to:1M•·'..D. V. Morfoss Se na voz passiva há três verbos. 5. Revisão Final . núcleo: três= numeral substantivado 1 6. núcleo: poeta= substantivo 2) O objeto O poema foi escrito .2.T. .D. Em concursos Em provas recentes. a pegadinha das bancas é retirar o verbo ser.T.D. Muito fácil s 1) Os dois t foi escrito por um grande poeta. ~~j~lto =encontraram: V. Todo sujei O novo projeto é sujeito V.

eto Nos: pronome obliquo= prejudicial a nós 7.T. gosta de algo= complementa o verbo.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Lín~ua Portuguesa sujeito paciente Faz-se a pergunta ao nome (regência nominal): é acessível a algo= completa adjetivo. Quem gosta. tem receio de algo= completa o substantivo.D. Dois: numeral substantivado Tinha necessidade de que o ajudassem.1.sem- o nome. dvérbio .N. Alguns tinham medo a. Todos tinham receio sujeito V. DIFERENÇA ENTRE COMPLEMENTO NOMINAL E OBJETO INDIRETO avra ou oração Muito fácil se pensar assim: 1) Os dois termos são preposicionados.D. será representado por um s gabaritos. Quem tem receio.D.T.D. isto é.I. xando explícito Ela: pronome substantivo A confiança nos dois é fundamental para o futuro.T. Morfossintaxe do complemento nominal O complemento nominal possui função substantiva. . tem medo de algo= completa substantivo. a para a passiva. substantivo ou palavra ou oração com valor de substantivo. De que o ajudasse: oração subordinada substantiva Caminhar a pé lhe era necessário. O. A obediência às leis é necessária.o Final . antivado Todos gostaram sujeito V. Quem tem medo. sujeito V. O remédio nos era prejudicial. Lhe: pronome oblíquo =saudável a ele a. Leis: substantivo A necessidade dela era a mesma dos outros.D. Agiu contrariamente adj. O. O. adverbial de modo C. Agiu contrariamente a algo= completa advérbio 6. antivado 3) O complemento nominal vem após um nome (não pode ser conjugado). 2) O objeto indireto vem após o verbo.

~ompléme!lto Nom!na\I A resposta AO ALUNO 1 convenceu a classe.:~:. Morfossintax 1.::· ' .·. do adjun 9. a qu Candidatos foram inscritos pronomes adjetivos Sujeito paciente ser+ participio Agrupam-se ao r Voz ativa = Os agentes inscreveram os candidatos. Núcleo A oração já se encontra na voz ativa! Aqueles. ou seja. não é? tiva na oração. .1m:éi'al ~dje~i 3. Significa que o termo preposicio- nado está ligado ao verbo.t*~R~t~~j~~'tlf'4.(. Retirou-se o objeto direto e manteve o sentido. para a compreensão Se retirar o objeto direto e a frase ficar incoerente. O termo deve estar dentro do sujeito. é objeto indireto. O termo é preposicionado. DIFERENÇA ENTRE COMPLEMENTO NOMINAL E AGENTE DA PASSIVA É o termo que d A dica é tentar transpor a oração para a voz ativa. Termos acessório Não é possível retirar o objeto direto e continuar correta oração.~~11t1d'9~ij'\fiíWlf:~di'. Tinham medo 1.D. O termo vem ligado a um substantivo.D.D. Retire o objeto direto: Entregaram ao vencedor. : ··· ·r····.:. 2.~t!'fül~~f~ss!VA. O. exprimirem circunstâ nado está ligado ao nome. E como diferenciar os dois termos em outra situação? Mais fácil ainda! Vamos lá: Revisão Final .D. trata-se de um complemento nominal. O aluno respondeu: sentido ativo \:.....1. ADJUNTO ADN 8. INTRODUÇÃO V. integrante ou mesm Candidatos Aqueles dois sujeito V.!::.I.2.T.L +predicativo do sujeito ::~il cÓrÍ!pleméi'íto nominal Sujeito. passemos ao segundo passo: h .T./. isto é. O aluno recebeu a resposta: sentido passivo 2. Predicativo e A O técnico criticou: do técnico = adjunto adnominal de ligação (mesmo Os jogadores foram criticados: aos jogadores= complemento nominal adjunto adnominal . Em concurso A crítica DO T~CNICO AOS JOGADORES foi severa. .TRE-SP r Entregaram o prêmio V... DIFERENÇA ENTRE COMPLEMENTO NOMINAL E ADJUNTO ADNOMINAL Para que haja diferença entre os dois termos é necessário atentar-se a três itens: 2....~~qffiín~1... Feitas as três análises. O.3/.' A resposta DO ALUNO 1 convenceu a classe.é. N1. . significa que o termo preposicio. 2. Simples.

a qual pode ser desempenhada por adjetivos.1m:éi'al ~dje~iy~ '.= roubaram a minha prova. Agrupam-se ao redor dos substantivos dentro de qualquer termo da oração . determinar os substantivos e o preposicio. Núcleo: matéria Aqueles. o aluno estudioso= oração subordinada adjetiva. integrante ou mesmo acessório (adjunto adverbial). Núcleo: rapazes (substantivo) V.essencial.= a tua voz. N1. São eles: adjunto adnominal. Em concursos Predicativo e Adjunto Adnominal: para haver predicativo. O. dois e interessados: Toda e a: adjunto adnominal adjunto adnominal INAL s itens: 2. Aqueles dois rapazes interessados estudaram toda a matéria.inal . 2. exprimirem circunstâncias.D. al. Termos Acessórios da Oração o preposicio- 1. obrigatoriamente haverá verbo de ligação (mesmo que implícito. ominal Sujeito. 2.T. Candidatos da capital chegaram. O adjunto adnominal vem dentro de um termo da oração e não exige verbo de ligação.1.2. . O aluno que estuda é aprovado. Candidatos insatisfeitos faltaram. Podem caracterizar o ser. ADJUNTO ADNOMINAL VA É o termo que determina. especifica ou explica um substantivo. adjunto adverbial e aposto. mas são importantes para a compreensão do enunciado. Morfossintaxe do adjunto adnominal A prova foi aplicada . Aqueles candidatos fizeram boa prova. artigos. >' Três candidatos chegaram. Possui função adje- tiva na oração. Não te reconheci a voz.D.TRE-SP mos lá: r Capítulo 3. locuções adjetivas. Roubaram-me a prova.termos essenciais da oração). como estudamos na parte 1. INTRODUÇÃO Termos acessórios são dispensáveis na estrutura básica da oração. pronomes adjetivos enumerais adjetivos.

sentia cansaço.1...tempo Lugar Matéria Leram o livro na blblloteé:a• Melo onde? Modo Negação O verão chegou muito -cedo. . Regra..3. . Embora. Se. Sobre o quê? Causa Com o frio.. + Afirmação Certamente será aprovado. você não poderá sair. precisa-se do verbo de ligação (mesmo que implícito) e para ser adjunto adverbial. Morfo 3.2. Não é necessário fazer pergunta. Morfo Assunto Falávamos sobre política.2. APOSTO Facilitando: É o termo demais term predicativo varia Recentem adjunto adverbial não varia pontuação.1. Por quê? O aposto Companhia Com quem você saiu ontem? Com quem? tantivo ou pa Concessão Apesar do nervosismo. Conformidade Fez tudo conforme o combinado.. Pode modificar o sentido de um verbo Fim. C Ele estava muito atrasado= Ela estava muito atrasada. Intensidad O verão chegou cedo. ADJUNTO ADVERBIAL . Frequência Facilitando: indica circunstância do verbo e pode intensificar o sentido do adjetivo ou Instrument do próprio advérbio. Não é necessário fazer pergunta. 4. Çir!:ü'~Stâ11c: É o termo da oração que indica circunstância. de um adjetivo (intensidade) ou de um advérbio (intensidade).. fez boa prova. Preço quando? intensidade' tempo Substituição troca Tempo Ele estava atrasado. . Classificação do adjunto adverbial O poe Apost Acréscimo Além da alegria. finalida (faz-se uma pergunta). Carlos Drum 3. apesar de. Classi Condição Sem a autorização do fiscal. os animais morreram. caso. 4. Limite quando? . Dúvida Quiçá acertemos todas as questões. Revisão Final . Diferença entre adjunto adverbial e predicativo O adjunto adverbial (va Para ser predicativo.TRE-SP Gramática e I 3. 4. deve-se fazer pergunta ao verbo para saber a circunstância ou deve indi- car intensidade do adjetivo ou advérbio. predicativo (adjetivo) 3..

geralmente vem entre virgulas. Foi aqui. Morfossintaxe do aposto O aposto possui função substantiva na oração. mplícito) e para ser ância ou deve indi- 4.. o mais pedido em provas é o aposto especificativo . que o ário fazer pergunta.+-. De quê? Modo Ficamos à vontade.3.~. Quando? atrasado.1. Como quê? Intensidade Todos corriam bastante.. Para quê? (intensidade). .F.·: ·'({/. sar de. Quando? do do adjetivo ou Instrumento Desenhava a lápis.lQ'~]fi. Compare: Carlos Drummond de Andrade ·:_·.~·'''. •'h>i . ntido de um verbo Fim...·: . Limite Estudava até cansar. Aposto explicativo= com pontuação O poeta Carlos Drummond de Andrade escrevia sobre a arte de escrever. Frequência Sempre vêm aqui. Aposto especificativo= sem pontuação + ário fazer pergunta.•:[:A: ····:'. APOSTO É o termo explica ou especifica os substantivos e os pronomes. 4. Onde? Matéria Era feito de ferro. -cedo. ou parênteses. Até. De quê? Melo Foi de avião. Classificação do aposto Traduz. Quanto? tempo Substituição ou Abandonou os estudos por trabalhos rentáveis. Çir!:ü'~Stâ11c:1~ .!'. Morfossintaxe do adjunto adverbial O adjunto adverbial é representado por um advérbio (invariável) ou por uma locução adverbial (variável).2. Não é necessário fazer pergunta.:grande poeta mineirol escrevia sobre a arte de escrever. 4. dois-pontos ou travessão. finalidade Eles vivem para estudar.:-.. Lugar Nasceu em Ribeirão Preto.não possui sinal de pontuação. E)cemplÓ._. Preço Os livros são vendidos a preços baixos. neste lugar tranquilo. ativo (adjetivo) 3. Recentemente. dá significado a uma frase. são Final ..V. Poro quê? troca Tempo Ontem à noite saiu com amigos. Seu núcleo é representado por um subs- tantivo ou palavra substantivada. ou seja..TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa .. dois pontos encontrei.. Como? Negação Não pode haver enganos. Pode vir separado dos demais termos da oração por vírgula. Não é necessário fazer pergunta.o·:.

TRE-SP É representado por dois pontos. e estabe- lece uma sequência de elementos que são À tarde. Sindéticas Sujeito: tu. Distribui as informações de termos separa. irei à casa de dois amigos: Fer- usados para complementar a ideia funda.1. mental da frase. Marcelo e Adriano são amigos. VOCATIVO Subordin O vocativo é um termo independente dentro da oração. separado por sinal de pontuação. o vocativo é representado por um substantivo ou por um pro- nome substantivo. No exemplo citado anteriormente: Pai: vocativo 3. nando e Júnior. As orações coor Dica: o vocativo não pode ser confundido com o sujeito. CONCEITOS 4. A obra de Machado de Assis é símbolo da literatura brasileira. Assindéticas "Pai. . Seus olhos. Coorden 5. nem do predicado. COORDENAÇÃ pre.2. carioca." (Chico Buarque de Holanda e Milton Nascimento). Obra de Machado de Assis= obra machadiana (adjetivo). fazem-me É usado para comparar. 3. nem dos termos integrantes ou acessórios da oração. candidatos sejam aprovados no con. Vem. Em concursos Não confunda aposto especificativo com adjunto adnominal. acreditar no amor.1. Revisão Final . Estudamos o per curso. lrajá. pois o verbo está no imperativo afirmativo (afasta tu). Se possui função de adje- tivo. 3. sem. 2. Adilson. Paulo. 2) A pontuação nunca poderá separar o sujeito. Possui função de chamar ou interpelar o interlocutor (é com quem se fala). Importante: é p 1) A pontuação é obrigatória no vocativo. mos (vocábulos) pos Individualiza um substantivo de sentido A rua Garibaldi está muito longe do bairro entre as orações. é adjunto adnominal.3. baiano divertido. é a genérico. lindos oceanos. Morfossintaxe do vocativo Por se referir a um ser. todos tudo o que foi expresso anteriormente. foram aprovados. 1. aquele. Sten. É representado por um pronome que resume Henrique. INTRODUÇÃO Ele tem um único desejo: que todos os Usado para resumir termos anteriores. Possuem conju 5. Não faz parte do sujeito. Este é um damente. afasta de mim esse cálice.

isto é. ou seja.1.TRE-SP Capítulo 4. Nem comprei o livro. Acordou. estudou. todos s. Este é um ioca. Vem. como.. Possui mais de uma oração. é a vez da conjunção . não só . assim . uma oração Já que estudou. nem estudei. viajou depois. Subordinação sujeito. não só . também..termo que liga orações.. nção de adje- São orações que possuem inde. Assindéticas cimento). 3.. fazem-me os. As orações coordenadas assindéticas não possuem conjunção. as relações que os ter- mos (vocábulos) possuem dentro da oração. 1. Estudamos o período simples nos capítulos anteriores. nem se subordina à outra. Há dependência sintática entre as orações. COORDENAÇÃO 3.. u por um pro. assindética assindética Assindética 3. CONCEITOS Possui uma oração. nem. mas Não só cantou como também Expressam ideia de adição. 2.nal . acrescentamento.. INTRODUÇÃO que todos os dos no con. Sindéticas Possuem conjunção e são classificadas em: e. Período Composto amigos: Fer- Paulo. dançou. . Agora estudaremos as relações estabelecidas onge do bairro entre as orações. Importante: é preciso haver verbo em toda oração. a). Ele estudou /e foi aprovado. Coordenação pendência sintática.2. /foi aprovado. sem. como.

.1. no divertiu.. por conseguinte. Indicam uma justificativa Passei na prova porque me que. Quer eu durma quer eu fique Adjetivas acordada. mas é claro que as Su~J. entanto. 4. ainda. r .j.~ti~!·'.Ç~~~~~'ffr·~!l 4. balhei. todavia. seja. ou seja. .. que se declara na oração entretanto. porque chorava muito. - !1 . quer.·~. seja . Pois: no sentido de porque= explicação. ou .. ·. no sentido de logo= conclusão. Ol:ijet.c0~:. lha. na esforcei. isto ou uma explicação refe- é. causa é subordinada (estudaremos a seguir). SUBORDINAÇÃO 4. Subord rente ao fato expresso na Não fui à aula pois merecia uma verdade. Revisão Final .. . ora . . Passou no concurso.~f. à oração anterior. óleo bronzeador.J ·>'·' ::· :'<·i~~i. Em concursos A conjunção e pode indicar oposição.. ·: . A vírgula é obrigatória. · . Não comprei o estudei.: Oração principal Oração subordinada ~ ···>.'"· . porém... contudo. portanto. folga à noite. .· l dética e sindética.. Exemplo: Estudou mas também foi aprovado...: ···"~.orações independentes. Introdução 1i~ As orações subordinadas possuem estrutura distinta das orações coordenadas -assin. a saber.g A reprovação é a causa da tristeza dele. ou.~t~~~~~~'/t~S.f~·(J. em concursos é pedido: mas também indica adição. '\ nãncia de fatos ou esco. quer .. Explicação e causa: Explicação é coordenada . consequente- mente ficou adoentado. Adverbiais consequência referentes fim. -~. mas tra- As orações belecendo contraste ou senão.: bancas a retiram: Exemplo: Estudou e não foi aprovado= conjunção adversativa. estarei no quarto. Ou usa o protetor solar. consequentemente. cl 3.3. A oração ' ceitas que se opõem ao mas. ora. pois.2. portanto irá Exprimem conclusão ou logo. assim.iva Diret .. contudo se nominal). Veja: '" ··· '<Pí-~~lê~l~!l Todos sabem que é necessário ter coragem. A oração s que exerce. coordenada anterior...). Tomou muito sol. Objetiva Indire Causa: Ele está triste porque foi reprovado. compensação. esta. ou usa o Substantivas Expressam ideia de alter.. por comemorar. porque. Ficou muito cansada..TRE-SP Gramática e In Exprimem fatos ou con. "·" Explicação: O candidato devia estar doente. O choro do candidato não poderia ser a causa de sua doença. declaração anterior. Embora algumas gramáticas abominem.

ta'-d-e----. \ Complemento nominal Oração principal oração subordinada substantiva completiva nominal oordenadas -assin.._ _ _ _ _ _--j ... +predicativo sujeito ção adversativa. Subordinada substantiva ula pois merecia uma te. ·: ...... Objetiva Indireta 1---º-ª_ut_o_r._v..:...: ···"~.p-·1~-l--+--a-r-a-ça--o-su_b_o_r-d1-. .e-rd_a_d.g..~. classifica-se em: ..... -. . prova porque me 4. .l-_ _ _É.:.V. .. . ··· '<Pí-~~lê~l~!l >.g_u_é_m_a_ai_·u_d_e_. uito sol.. Sujeito+ V. Adverbiais Indicam circunstâncias.(· · ...--:.:.· Exerce papel de predicativo do sujeito do verbo da oração principal.. eador...'..~----d-e_q_u_e_a_c_o_n_t_e_ça_a_lg_o_1_·n_e_s_p_e-ra_d_o_..go__. consequente. Os candidatos pediram que a prova fosse adiada. a oração principal termina em V.f:1-___s_u.T.....T.. Ol:ijet.-----i (eu) +.:.iva Direta . exceto as integrantes.:. .... causa é Oração principal oração subordinada substantiva objetiva direta É objeto indireto do verbo da oração principal e vem precedida de preposição.. ·· Possuem valor de substantivo e vêm introduzidas Encaixa-se isto ou disto antes da rotetor solar.~ç'.._.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa A oração principal rege a oração subordinada (possui conjunção ou verbo na forma o cansada.T. ···>..n-~-db-'~-:-~:-~-'~-:n-i:-~v-t:_o_b_if-et-iv_a_i_n_d-ir-et-a----i Completa um nome que pertence à oração principal e possui preposição. .D.~t~~~~~~'/t~S.:..2. ou usa o Substantivas por conjunção integrante.je_it_o_+_V_.{..D objeto direto pendentes.:.~_ -. • Exerce a função sintática de sujeito do verbo da oração principal. .:e_é---~--------'-q-u_e_v_o_c_ê_n_ã_o_v_i_rá-.. ..___ . +O.. ~ ·~.. .:.)..I. Oração principal oração subordinada substantiva subjetiva ido: mas também Exerce função de objeto direto do verbo da oração principal que termina com V. Que=oqual Adjetivas estarei no quarto. das por pronome relativo.-:-i:-ºp-:-i:-~-..:. mas tra- As orações subordinadas são divididas em três tipos: ·\..D.. . conjunção.. .L... A oração substantiva possui função de substantivo e dependendo da função sintática que exerce.~_. """'_.l---O. durma quer eu fique Possui valor e função de adjetivo e vêm introduzi.:~_'. portanto irá Exercem função de adjunto adverbial do verbo r.·~.. ·>'·' ::· :'<·i~~i..p_re_c_i_sa_ _--l_______ d_e_q:..L_.:..... São introduzidas por conjunções subordinativas - u adoentado. "·" . "·" ·~--.·.T. a oração principal termina em NOME . da oração principal e exprimem circunstâncias.--------i -~.oc_v_o_n. '" ···e:: a oração principal termina em VERBO DE LIGAÇÃO. .· ..n_h.D. .f~·(J.~ti~!·'. onclusão.c0~:.:..::.Ç~~~~~'ffr·~!l---T-e:.· :.-l·-- isão Final .._ _--1_ _ _ _ _ _ _ _P_re_d_i_ca_t_iv_o_d_o_su_i_e_it_o_ _ _ _ _ __. contudo se nominal).'"· ._.• ~. rei o estudei. Cujo concurso. mas é claro que as Su~J.u_e_o--.u_e_a_l.:~rA··. Oração principal oração subordinada substantiva predicativa .g_ru_p_o_e_s_t_ud_e_.p_re_c_is_o_ _ _-4________q. .~f._ _ _ _ _ _ _-1 V. 1----A:.

:. Tópico muito exigido em questões de pontuação. ser retirada. normalmente há dois-pontos. atribui característica própria e pode ser Atente-se ao SENTIDO. Possui ADVERBIAL . Aconjunção que liga as orações é conjunção integrante.TRE-SP Gramática e Interpret Exerce função de aposto de algum termo da oração principal. . que é uma personagem =a qual de Machado de Assis. cionam-se a um nome da oração principal e são introduzidas por pronome relativo...2. N()MIN~L Principal oração subordinada adjetiva Principal PRÊpiêÀ"tnicfD . Classificação das subordinadas adjetivas ·AGENTE DA .SUJEITO. Explicativa =o qual 4.:·:~--. oração subordinada adjetiva . per.. Você que c Toda a turma tem o mesmo objetivo: que ele seja aprovado.. Ind .Comenta-se . COMPÜ:llli'ENT Oração que= os quais Oração . Subordinada adjetiva Nas orações adje As orações adjetivas exercem função sintática de adjunto adnominal do adjetivo. Restringe.~ \ •• ... 4.3..OBJETO .3. . A pontuação. possui pontuação. pontuação.4.·. .3. • retirada do período sem que haja alteração no sentido.Foi anunciado .2. Rela. explica.. • ~ . nas Expressões na voz passiva na oração principal =oração subjetiva: Sabe-se . . Funções sintá 4. . -. que =os quais OBJETO DIRET Oração Principal que estudam= estudiosos . Em concursos Certifique-se de que a oração é subordinada substantiva apenas encaixando o pro. prestou~ ao réu. 4. '"n\ÍÓl~ETO serão homenageados. dicas. Restritiva Oração principal oração subordinada substantiva apositiva Eles s ram 4.'~. . Em concursos nome demonstrativo isto.1..3.... l>"-·~tS. . explica. Capitu. .Soube.Ésabido. .. Subordinada O irmão dela.\". isto é. Não de-se informação.. que era advo- gado.~:. . altera o sentido..Ficou provado._ .3. ou seja.Diz-se . tinha A informação generaliza (Capitu é personagem) e pode olhos de ressaca... 4.adjetivo (-':-:+:-: .·.. 1. ·. Atente-se ao SENTIDO. A informação generaliza (o irmão era advogado) e A oração subord pode ser retirada. limita a significação do nome a que Restritiva se refere e se retirada do periodo. Revisão Final . : 'ADJUNTO Explicativa Explica. são (final de frase) ou -se -Conta-se.• :· . oração principal.

4... influenciou-me na decisão.Soube.• =Os políticos representaram o Brasil: sujeito Entreguei o material que você pediu. traves- -se . que conheço. nas orações adjetivas explicativas.. PRÊpiêÀ"tnicfDO Ele é o funcionário público que a maioria quer ser. dicas.:·:~--.rc. Eis as informações de que tem necessidade.. . Ele não consegue conviver com chefes cujas aspirações sejam apenas materiais.3. Fez aniversário no mês. A maioria quer ser funcionário público. Em concursos integrante. • ~ . o pronome relativo desempenha função sintática. Tópico Os politicos que representaram o Brasil.N...' .2.3. :. Fernanda.'~..:. 4..xt() ~a Línglla Por~uguE!sa 11311 =os quais Você é um dos poucos autores Conheço alguns autores e não todos.1.~:.. Rela. Não se pode retirar a informação da oração adjetiva. OBJETO DIRETO:. . xando o pro. a quem admiro.. posicionado. .. ativo._ . . = Não conseguem conviver com chefes =As aspirações dos chefes são apenas materiais. .. = C.. Possui ADVERBIAL '>:.. .= predicativo ·AGENTE DA . Você pediu o material= O.• :· ... .. COMPÜ:llli'ENTO. . Funções sintáticas do pronome relativo Nas orações adjetivas.= agente da passiva 'ADJUNTO Os fatos aconteceram no mês em que fez aniversário. Subordinada adverbial advogado) e A oração subordinada adverbial exerce a função de adjunto adverbial do verbo da oração principal. agem) e pode 4.OBJETO O livro de que necessito hoje é este. adverbial de tempo .= adj.TRE-SP Gramática e Interpretação de Te. N()MIN~L Tem necessidade das informações. Fui criticado pelo diretor. . Não se pode retirar a informação da oração adjetiva. '"n\ÍÓl~ETO Necessito do livro = 0. A pontuação. ram conosco ontem. NTIDO. ou parênteses. . pode ser através de vírgula(s). Não adnominal. Vamos às djetivo.. nal .SUJEITO.. .\". l>"-·~tS...4.D. Indica circunstância. . Restritiva =os quais sitiva Eles são um dos alunos que fala- Conversamos com alguns alunos e não com todos. • ! Apenas o relativo cujo e suas variações podem possuir função de adjunto ENTIDO. (-':-:+:-: . ..3. . são (final de frase) ou travessões (no meio da oração principal).~ \ •• . -~ Admiro Fernanda: a preposição pode ser retirada = objeto direto pre- . . Ele é o diretor por quem fui criticado. ou provado.·.

Pergunta: quando? Aq =q 1 . que fazem parte Observaçõ apenas das orações subordinadas substantivas.1 Temporal Indica o tempo da oração principal.. 6iiiyo•liêtíiij~~·~~i. À med estruturas tão••• que.. aprende tecem ao mesmo menor. Encaixa-se sem- que.{mais). (maior). 1.5. ~~~x~:i. pai A oraç que..·/'&é~pib :. caso. que. a não ser que.•. "Quando você =q 1 . quanto quanto quanto Ele =q menos . menos . ao passo que. quanto 1 Go maior•••{maior). mais••• (menos). acon. 4. assim que.:. pois.~. con- Conforme foi pre- visto. salvo se.••{menos). 1 2. exceto as integrantes. que. ações À medida que O menor••. posto que...acompanhada de verbo no ser aprovado. As oraç Algo que se impõe desde que. Estudou como um ' 4. i documentos. Em co Iniciam-se pelas conjunções subordinativas. e pelas concentrada que Consecutiva quência da oração pre a expressão 2. São elas: 1.. conquanto. fez- -se noite em meu viver. Classi Comparativa mais (do) que. estuda. Gramática e In ~----------------·----. logo que. Sub Reduzida Indica conformi. etc.(': ~:~(.~·~~:\?~:.J. à medida que.•{menor). se. Não como. se bem que. irem ao cinema. já que.~. como. houve atraso Encaixe con- i Conformativa dade. tanto. menos (do) cito. de sorte Fiz o trabalho tão enquan Indica a conse.que. ideias opostas. embora. porque Estudaram de Pergunta: para ! t n =q i Final da oração princi. Normalmente há verbo implí- ! t i: uma compara.. uma vez que dência. de forma que. mais••• (mais).. tamanho •••que. 1 Indica finalidade a fim de que. má =q à proporção que.5. Revisão Final . todas as vezes que. Onde h ~~ii'. . o motivo porque. sem que. etc..-. Ela for quando. soante e segundo na entrega dos forme. citado: como um 1 louco {estuda). cou aos estudos. visto que. quanto mais. enquanto... fui aprovado e apesar de. tanto que. regra. e convocado. pois Ela foi aprovada gunta por quê? Causal da oração princi. ou não de um fato. depois que. Apresentam o contraste. exceto Caso não se pre- como necessário se. 1. foi embora...••{menor). presença. porque que.2. conforme. Classificação 4.tll. tão . mesmo estivesse dificf. INFINITIVO = q 1 tempo. lima.•• nem percebi sua principal de modo que. ainda quando. contanto que. a menos pare com antece.. Oraçõe Indica conces- subjuntivo. No exemplo ção. manhã para depois Ele (=para que) e para que.~~rÇ}!i. como.~~r: Faz-se a per- ta causa. desde que. quanto Encaixe: à 1 Proporcional simultâneas. quanto nalidade.• como (quanto). porque se dedi- À oração princi- pai. 1 1. que. Encaixe embora Concessiva oração principal. mal. quê? pai.4. 3.. medida que. será difícil caso e se. Substitua por de con Condicional para a realização que.TRE-SP 4.. ainda Embora a prova ! Orações r são em relação à caracte que.1. louco. apesar de que.4. quanto =q Indica proporclo- maior•. antes que. sempre que. uma vez que.

Classificação citado: como um louco {estuda). il caso e se. Ele assegurou serem de boa qualidade as Oração subordinada substantiva {isto) subjetiva (possui função de sujeito) reduzida de infinitivo máquinas. conectivos: conjunções subordinativas ou pronomes relativas. gerúndio. 1. Possuem duas características: f. são menores.TRE-SP Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa 4. Oração subordinada substantiva {isto) predi- Encaixe: à 1 de cativa rirduzida de Infinitivo medida que. 4. Muito cuidado a de modo que. na medida em que indica causa. Não possuem conectivo. 1. Associe assim: . pletiva nominal reduzida de infinitivo Ela nos fez um convite: comparecermos à sua formatura. ~~~x~:i. porque sempre é pedida a diferença. Oração subordinada substantiva {isto) obje- tiva direta reduzida de infinitivo = que eram de boa qualidade as máquinas.~·~~:\?~:. eu não vou Faz-se a per.. é meu irmão. Substitua por de concursos para saber como está sendo exigido o assunto nos últimos concursos. Subordinada 3.4. ~·~--·----- ão Final . Resolva as questões e- e. À medida que indica proporção. zida de Infinitivo . particípio. infinitivo. Encaixa-se sem- e pre a expressão 2. Orações reduzidas a ! Orações reduzidas. Onde há causa. INFINITIVO = que fizessem a prova logo. Pergunta: Oração subordinada adjetiva (cabe pronome eu quando? Aquele. Oração subordinada substantiva apositiva reduzida de infinitivo cê =que comparecêssemos à sua formatura.~.5. o enquanto a reposta indica causa. causa porquê? a gunta por quê? consequência - À oração princi- pai A oração para que fazemos a pergunta por quê? indica a consequência. Subordinada 2. Apresentam o verbo em uma forma nominal. como o próprio nome indica.o qual dança . 3. Oração subordinada substantiva (disto) obje- =que eu estude sozinha. a dançar.2. 1 2. i ORAÇÕES REDUZIDAS de is Pergunta: para quê? ! t necessário estudar todas as matérias. Oração subordinada substantiva {isto) com- = que ele vendesse tudo. tiva indireta reduzida de infinitivo ue O melhor seria fazerem a prova logo. = que estude todas as matérias. z. Ele estava disposto a vender tudo. relativo) explicativa (com pontuação) redu- =que dança . o efeito. há consequência. 1 Gosto de estudar sozinha.~~r: Já que você não vai. Normalmente há verbo implí- ! t m cito. Encaixe embora o e apesar de. No exemplo ' 4.5. 1. As orações subordinadas e coordenadas podem vir mescladas. Em concursos que fazem parte Observações importantes: 1. Subordinada 1 Reduzida de Infinitivo Reduzida de Gerúndio Reduzida de Participio e- so Encaixe con- i os forme.

permanecerão trei- nando. (quando?) reduzida de infinitivo ~ 1 Fiz um empréstimo para pagar a faculdade.:ii~~5!Aiif· <·< : ·... como Se cumprirem a promessa eu cumpro a minha. Revisão Final .. f O verbo concorda = que saía do hotel ... Oração subordinada adverbial condicional =caso minta assim. Oração subordinada adverbial temporal ff 1 =quando viu os pais.ilortâ de. Oração subo~dinada adverbial causal (por =porque chegou muito cedo. de gerúndio pronome Não cumprindo a promessa.._--~--------- . Músi Ilação. relativo) restritiva (sem pontuação) reduzida =que correm pelo quinta. sorri. á'mati>r p -~:+f~:t~~1!~~:~ relativo) restritiva (sem pontuação) reduzida =que comprou ... .Çi!l(~~rd~ll.'': '' ·:t!-.a qual reclamou..· . Oração subordinada adverbial causal {por s 2 =porque não cumpriu a promessa quê?) reduzida de gerúndio GERÚNDIO Faltando alguns minutos para o final da ava.f.. quê?) reduzida de infinitivo t 1.. Oração subordinada adverbial consecutiva = que esqueceu a briga. l t Ela foi a Q!:ilnfil@_a reclamar. zida de gerúndio Oração subordinada adjetiva (cabe pronome Gosto de bichos correndo pelo quintal. todos terminaram.··:. pintada de Oração subordinada adjetiva {cabe pronome Expres. =apesar de que esteja triste... Oração subordinada adverbial causal (por 3 = porque se feriu no rosto quê?) reduzida de particípio · Expr~s~Íio quÍi ln PARTICIPIO Concluída a prova... · rif. saindo do hotel.. reduzida de infinitivo Ela se distraiu tanto a ponto de esquecer a briga. . ele não pode mais trabalhar... reduzida de gerúndio 2. Oração subordinada adverbial concessiva redu- zida de infinitivo i Concordância é a de uma oração.~~llr~ ~e.1.que comprou de participio Ferido no rosto...~~:(t~ t<~... reduzida de infinitivo ! 2. _ . INTRODUÇÃO Apesar de estar triste.~ i'.. deu-lhes vários beijos..::?Jll_ Vencido o campeonato.(i . ' :•.. ~.{ . Oração subordinada adverbial temporal = quando faltavam alguns minutos para o final {quando?) reduzida de gerúndio suje da avaliação.. Oração subordinada adverbial condicional 1 =caso cumpram a promessa.~rt: :. sentiu remorsos. .~~eitá~'tiébJ Têm apenas um livro comprado..C~~· ~K~.~o P"!rtit amarelo..?óRJ\Ǻ~s~é1>uz10. =que pintaram de amarelo .TRE-SP f l i2~ilt(~~~lfff!{!:~i\li.. Oração subordinada adverbial concessiva reduzida de participio =mesmo que vençam o campeonato Exclufdas as doações..a qual relativo) explicativa {com pontuação) redu- zida de particípio :'.. quê?) reduzida de infinitivo 1 Ao rever os pais. foi comemorar. Oração subordinada adjetiva (cabe pronome '.. Oração subordinada adverbial concessiva =mesmo que estivesse doente reduzida de gerúndio Mentindo assim será pior.~ . !9~'í'ij =caso excluam as doações reduzida de particípio ·•''''?... relativo) restritiva (sem pontuação) reduzida t de infinitivo r Lamentou por ter chegado muito cedo.. Oração subordinada adjetiva {cabe pronome ~ ~~. Oração subordinada adjetiva {cabe pronome t relativo) explicativa (com pontuação) redu.a qual saía. Oração subordinada adverbial final {para =para que pagasse a faculdade.~s· / . Oração subordinada adverbial temporal quantl<!~e apr~xln =quando concluiu a prova (quando?) reduzida de particípio . =que reclamou . como funcionaremos? Oração subordinada adverbial condicional . dois núcleo Mesmo estando doente fiz a prova.. .~ /. Casos particu Fiquei surpresa com a escultura. CONCORDÂNCI REGRA GERAL Encontrei Fernanda. -~i:.

..1..Cerca de mil pessoas participaram bial temporal quantl<!~e apr~xln:ia~~. CONCORDÂNCIA VERBAL REGRA GERAL {cabe pronome t ntuação) redu._r_:~~. como entre verbo e sujeito. <_. o verbo concorda com o substan.. · rif.n'.P:. .r.. bial temporal sujeito composto verbo io dois núcleos: terceira pessoa do verbo terceira pessoa plural ial concessiva plural al condicional 2. o plural é obrigatório: ial concessiva Mais de um colega se abraçaram. l Capítulo S._ _ !_ _ _ _ _ _ _ _ __ {cabe pronome t ação) reduzida t r al causal (por 1 bial temporal ff 1 o ~ 1 al final {para t 1.ª. -~:+f~:t~~1!~~:~~1~~...:ç:.::?Jll_.! Sem artigo: verbo no singular..:..:º:·_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _J.'. .j (cabe pronome '. . ·•''''?.. .m.~rt: :.:... ·' ' plural. "Você me faz feliz. {.:r..:lu~r~a~l·:_ 0 ntuação) redu- __________1_:::<ª:'...º:'.. f O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa.d.u_i.~~eitá~'tiébJ~~ft~L::' L'. Concordância .(ia '"±·'·:·· .:... al causal (por · Expr~s~Íio quÍi lndl~a/:' · ·..:..~o P"!rtitiva...:iv:. á'mati>r par. ~ ~~.n_i_fe_s_ta..' mais de um+ verbos que exprimem reciprocidade..... entre substantivo e adjetivo.~. !9~'í'ij(n~i "':_.'.'.:. ·•:..TRE-SP f l ~~:(t~ t<~..-.· . .~ /. INTRODUÇÃO oncessiva redu- i Concordância é a correspondência de flexões existentes entre dois termos . al condicional 1 al consecutiva ! 2..~)"' \'i'~'.:º. ..!'...:v.:ª::.. ...'...ã_o_...>_a_e_q. . As Minas Gerais fazem sonhos.: Com artigo no plural: verbo no Minas Gerais faz poesia e bons sons. .tdé.p_e_..Çi!l(~~rd~ll.... · · · .:.P._ _ _ _ _ __ io .a_m_a:.:.ilortâ de. -~i:..inal ..~~llr~ ~e. al condicional . ~t.~~-_''. ação) reduzida Coletivos: Um bando de vândalos destruiu (destruíram) o jardim.ou mais - de uma oração. Casos particulares {cabe pronome Expres. verbo pode ficar no singular ou A maioria dos alunos aprovou :'.:i•.· .~ i'." (cabe pronome ação) reduzida pronome terceira pessoa verbo terceira pessoa singular al causal {por singular Música e literatura fazem bem à alma.

prevalece •sujeito é composto. tu e eu tomaremos a decisão.TRE-SP Gramática e Inter verbo concorda com o primeiro Sujeito composto pronome -na terceira pessoa do Quais de vós são (sois) capazes? concordar no plura plural.= vós Alugam-se ap Sujeitos compostos formados por pessoas gramati. verbo pode estabe do sujeito mais pr Interrogativo ou indefinido estiver no singular: verbo no singular: Qual obrigação.· '"m~I•• do <0/ resumidos por apo latívo 2. (ou devem) destinar-se à Educação. . Havia muitos alunos na sala. Com modificador da porcentagem: 1 porcêiJ\aiJ!!m·+' 5ub$tant!vo o verbo concorda com o modifica.. verbo concorda com o numeral.h:· ~. etc."·... Você é um dos que admiram o livro. Sujeito composto verbo plural 2. ma l tanto .~.2. sinônimos ou qua trativo.= eles .ou com o pronome pessoal. por com Deram cinco horas no relógio da sala. ./". sino. Precisa-se de Teus irmãos. Verbo +S Sujeito é composto e anteposto ao verbo Pai e filho conversavam. ~ . que por sua vez. verbo na terceira pessoa do singular Fui eu quem pagou o livro..1.2.~: ·. quem paguei o livro. Pais e filhos precisam respeitar-se.. cordar com o substantivo ou com o 1% dos alunos faltaram (ou faltou) número referente à porcentagem. torre. Este 1% dos alunos estuda mais. dar e soar sujeito da oração= relógio. (ou vocês)* cais diferentes: a primeira pessoa do plural prevalece sobre a segunda pessoa.. é possível empregar o verbo na terceira pessoa do plural... o verbo concorda com o sujeito: O tradicional relógio da praç