You are on page 1of 12

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS – UEA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA – EST
ENGENHARIA ELÉTRICA

Igor Benayon Cunha
Mauricio Souza Calheiro
Samuel Bruno Torres Rego

LABORATÓRIO FÍSICA II
Laboratório 05: Capacitor de placas paralelas

Manaus – AM
2017

Igor Benayon Cunha Mauricio Souza Calheiro Samuel Bruno Torres Rego LABORATÓRIO FÍSICA II Laboratório 05: Capacitor de placas paralelas Relatório referente à disciplina Laborató- rio de Física II da Universidade do Estado do Amazonas – UEA. Professor: José Luiz Nunes de Mello Manaus – AM 2017 .

...... 4 2....................................................................1................................ Bibliografia............ 9 4............... Descrição do experimento .................. 12 . 9 3............................................................................................................ 5 3.................................................................................... 11 5......................................2..................................................................................................................................................................... Introdução teórica ................ Materiais utilizados ................................................... Parte Experimental ...............................................Sumário 1............................................. Resultados e conclusão.............................. Objetivos ..................... 9 3...............

1.  Interpretar a dependência entre a área das placas e a capacitância.  Familiarização com software de produção de gráficos 4 . Objetivos  Aprender o conceito de capacitância.  Determinar a dependência entre a distância entre placas de um capacitor e sua capaci- tância.

O valor de C não depende da car- ga da placa ou da diferença de potencial e sim da geometria da mesma. Figura 1: Exemplos de capacitores. A unidade de capacitância no SI é o Coloumb por volt que recebe o nome de Farad. [C]= C/V= 1 farad (F) 5 . E existe ainda uma diferença de potencial V entre as duas placas. Introdução teórica Os capacitores são dispositivos que armazenam energia elétrica para serem usadas futuramente de maneira mais flexível. A carga (q) e a dife- rença de potencial (V) de um capacitor são proporcionais. Seus componentes consistem de dois condutores isolados do ambiente e entre si que. Quanto maior a quantidade necessária maior a capacitância. Figura 2: Esquematização de um capacitor. São largamente usados em circuitos eletrônicos tais como computadores. A Capacitância é a medida da quantidade da quantidade de carga a ser acumulada necessária para produzir uma diferença de potencial. a) Capacitância: Quando os capacitores estão carregados eles possuem cargas de mesmo valor ab- soluto por isso é utilizado por convenção a carga de um capacitor como sendo um valor q. flashes de maquinas fotográficas dentre outros. portanto. e se relacionam através da fórmula abaixo: q = CV A constante C é a capacitância de um capacitor. possuem cargas (placas) com valores iguais e de sinais trocados. As placas dos capacitores são feitas de material condutor. aparelhos de GPs. quando carre- gados. tem superfícies equipoten- ciais.2.

que pode ser uma bateria. Com a perda de elétrons a placa a fica posi- tivamente carregada. b) Carga de um capacitor: Uma forma de carregar um capacitor é colocá-lo em um circuito elétrico com uma fonte. Quando as placas estão sendo carregadas a diferença de potencial vai aumentando até o momento em que se torna igual a diferença de potencial V da bateria. Assim. O campo elétrico faz com que as cargas se desloquem da placa a do capacitor C para o terminal positivo da fonte. as cargas das placas a e b tem o mesmo valor absoluto. Figura 3: Ilustração e esquematização de um capacitor ligado a uma fonte. a placa a e o terminal positivo da bateria possuem o mesmo potencial e assim não existe mais campo elétrico nos fios do circuito que liguem esses dois componentes. O mesmo número de elétrons que saem da placa a para o terminal posi- tivo são deslocados do terminal negativo para a placa b deixando-a negativamente carregada graças ao ganho de elétrons. O circuito deve conter uma chave que ativa (“liga”) ou interrompe (“desliga”) o circuito. 6 . Quando a chave S é fechada as placas estão com um valor zero para a diferença de potencial. Quando essa chave e ativada o circuito fica completo passa a existir ligação elétrica entre os terminais e as cargas começam a circular por entre os componentes do circuito por conta do campo elétrico gerado pela fonte. Quando é atingido o equilíbrio. A fonte mantém uma diferença de potencial entre dois termi- nais (pontos por onde entram e saem a carga elétrica). Nesse momento o campo elétrico no circuito é zero e assim as cargas não se movimentam e então o capacitor está to- talmente carregado com diferença de potencial V e carga q. no caso uma bateria B. o mesmo ocorre entre a placa b e o terminal negativo da bateria não existindo mais campo elé- trico que ligue o terminal negativo à chave S e a chave à placa b.

c) Cálculo da Capacitância Para calcular a capacitância é utilizado para meios de facilitação um método único para diferentes tipos de geometria. Supondo que o capacitor está carregado com uma carga q. utiliza-se a Lei De Gauss para calcular o campo elétrico 𝐸⃗ das placas em função da carga e depois encontrar a diferença de potencial V a partir do campo para então calcular a capacitân- cia pela equação q=CV. E a diferença de potencial V: 7 . Tomando como superfície gaussiana a região que engloba apenas a carga Q da placa posi- tiva e usando a Lei de Gauss encontra-se: Q = 𝜺𝟎 ∮ ⃗𝑬 · 𝒅𝑨 ⃗⃗ = 𝜺𝟎 ∮ 𝑬 · 𝒅𝑨 = 𝜺𝟎 𝑬𝑨 Em que A é a área da placa. Capacitor de Placas Paralelas: Figura 4: Ilustração de um capacitor de placas paralelas Supondo que as placas do capacitor sã = o tão extensas e próximas pode ser desprezado o efeito das bordas e considerar que 𝐸⃗ é constante em toda a região entre as placas.

𝑸 𝜺𝟎 𝑬𝑨 𝜺𝟎 𝑨 𝑪= = = 𝑽 𝑬𝒅 𝒅 8 . + 𝒅 𝑽 = ∫ 𝑬𝒅𝒔 = 𝑬 ∫ 𝒅𝒔 = 𝑬𝒅 − 𝟎 Portanto.

Materiais utilizados  Capacitor variável com escala milimetrada ajustável. Parte Experimental e Resultados O experimento consiste em medir a capacitância residual .  Cabos com terminal.  Capacímetro. 3.2.3. um valor de capacitância baixo mais que é inerente a todo equipamento que trabalha com o armazenamento de cargas. toma-se 10 distâncias pré-determinadas e mede-se os valores da capaci- tância  Os valores foram armazenados na tabela abaixo: 9 . Descrição do experimento  Conecta-se o capacitor ao capacímetro através do cabo pontas de jacaré  Escolhe-se uma escala compatível com o valor da capacitância medido  Afasta-se exageradamente as placas a fim de medir a capacitância residual que foi 10. 3. Figura 5: Montagem do circuito.1.4 pF.  Por fim. e depois medir o valor da capacitância variando a distância entre as placas paralelas.

2 ± 7% 7 9 ± 1% 111.6 ± 5% 48.6 ± 5% 34.8 ± 7% 3 5 ± 1% 200 ± 1% 58.85 ± 1% 47.2 ± 7% 4 6 ± 1% 166.33 ± 1% 86.Medida Distância entre Inverso da Capacitância Capacitância medida - as placas (mm) distância(1/d) medida(pF) Capacitância residual (pF) 1 3 ± 1% 333.1 ± 7% 2 4 ± 1% 250 ± 1% 71.9 ± 5% 28.2 ± 7% 8 10 ± 1% 100 ± 1% 38.9 ± 7% 5 7 ± 1% 142.5 ± 5% 76.11 ± 1% 41.3 ± 5% 42.5 ± 5% 37.1 ± 7% Figura 6: Exemplificação do procedimento de medição da capacitância do circuito 10 .90 ± 1% 38.5 ± 7% 9 11 ± 1% 90.1 ± 5% 27.88 ± 1% 35.6 ± 5% 31.2 ± 5% 60.7 ± 7% 10 12 ± 1% 83.1 ± 7% 6 8 ± 1% 125 ± 1% 44.5 ± 5% 25.66 ± 1% 53.

Pelo gráfico constata-se que na prática a relação entre a capacitância e a distância é re- almente coerente com a equação da capacitância para um capacitor de placas paralelas oriun- da famosa lei de Gauss.84pF/m .1pF) A é a área das placas (0. Também constata-se que o dielétrico presente no experimento é o ar e que seu valor é aproximadamente igual a 8. Logo. tanto o gráfico como também a equação nos mostram que em um capacitor pos- sui uma capacitância proporcional ao inverso da distância entre suas placas. Resultados e conclusão Figura 7: Gráfico da capacitância pelo inverso da distância.4. Esse valor foi obtido através da equação: 𝜺𝟎 𝑨 𝑪= 𝒅 Onde: C é o valor da capacitância da medida 1 (76.0258m) d é a distância entre as placas (3mm) 11 .

Fundamentos de Circuitos Elétri- cos. 5 Ed.5. HALLIDAY. David. 2013. e Mathew N. 12 . Denneth S. vo- lume 3. Charles K. Bibliografia SADIKU. Krane. 2004. Alexander. Rio de Janeiro: LTC. Porto Alegre: AMGH. Resnik Robert. Fundamentos da Física. O.