You are on page 1of 2

Filme “O Chamado 3” e a curiosidade suicida

Fui ver algo no centro da cidade sobre umas contas para pagar. Nesse trajeto, encontrei uma
eletrônica que possuía algumas coisas antigas para vender. Dentre elas, havia um velho aparelho de
videocassete, um player de VHS, e me interessei em experimentar a experiência de ver um filme em
antigo formato, não digital. Assim paguei uns 50 pila e e levei o aparelho, grande, que mal cabia de
baixo do braço, para casa. Ao ligar o aparelho, este não funcionou de primeira, necessitando um
antigo cabo RCA e minha TV já não tem a entrada. Decidi procurar uma TV antiga de tubo, e a
achei no porão escuro de casa. Consegui assim ligar e descobri que havia uma fita dentro, sem
nenhuma inscrição. Achei o botal eject e tirei a fita. Era preta e sem nenhuma identificação. Fiquei
curioso e coloquei a fita, que de começo apenas apresentou chuviscos e uma imagem borrada, mas
em certo momento um filem antigo: uma mulher se olhava no espelho, depois pareceu um poço,
uma escada caindo, insetos, um farol e outras imagens desconexas, e uma mulher se suicidando em
um precipício, caindo. O filme acabou rapidamente e tocou o telefone. Ao atender, ouvi uma voz
rouca de mulher me dizer: 7 dias...

“O Chamado 3” restaura, após 12 anos, uma franquia de suspense psicológico, de origem
japonesa, a que já comentei em meu livro “Filmes e Filosofia”. Apesar de se dizer em extras que o
filme primeiro é de 2002, na verdade havia um filme japonês antes, Ring, e assim apresentava a
mesma história, apenas com final mais light, mas com o mesmo drama ou suspense envolvendo
Samara, espécie de menina paranormal a que todos temiam em uma pequena cidade. No filme
japonês a questão é uma lenda urbana, onde jovens comentam mortes estranhas de adolescentes que
morreram com a cara estranha. No filme japonês um casal procura o poço e o encontra, mas sem
grande dano. Já nos filmes americanos, “O chamado” e “O chamado 2”, não acaba bem para os
namorados da jornalista. Sempre há casais e morre alguém. O filme mostra um terror psicológico
que já não está tão fácil de se encontrar, e por isso em O Chamado 3, voltamos a história da fita
amaldiçoada por Samara, e de acontecimentos de sua vida, sobrenaturalmente inseridos nesse filme,
que para quem o assiste, resta apenas 7 dias de vida.

A mesma atriz que faz a monstra executa o papel, sendo contorcionista, e para isso nada
menos que 7 horas de maquiagem são necessários. O filme “O Chamado 3” restaura a estória do
primeiro, e assim muda de um casal mais maduro e uma criança pequena, para o roteiro onde um
casal adolescente entra nesse jogo, ou melhor, em uma experiência onde um professor tenta provar a
imortalidade da alma, ou que a vida não acaba. Assim quem tira a cópia da fita e a repassa não mais
sofre alucinações, e também delega a morte. Isso mostra uma mudança tecnológica, e nesse filme o
que era uma fita VHS passa a ser vídeo em diversas plataformas, como celulares, e-mails, redes
sociais, etc, que mostra a escravidão nossa as tecnologia e o monstro que podemos ter em nossas
mãos. Vemos a protagonista igualmente corajosa, a comparação de outros filmes anteriores, e
apenas faltou o pequeno menino, que sempre foi tema dos filmes. Contudo, mais informação sobre
a vida de Samara foi colocada, e de sua família, e assim completa os filmes anteriores, com um
padre estranho abusador entrando na história. No mais os sinais se repetem, e o que antes era foto,
como rostos desfigurados, agora virou vídeo, e a Samara também aparece em celulares. Isso mostra
que o monstro está em nossas mãos, e que a maldição sobrevive, já antiga, a qual começou na lenda

Por fim. melhor fosse que eu não tivesse visto a fita no videocassete. O jogo “baleia azul” lembra muito o chamado. mesmo que não pareçam tão boas. Desejamos também que alguns personagens sofram pelo mal que fizeram. além de aproveitar muito do que já foi usado em filmes anteriores. ou descreveram a morte e retornaram para nos falar. como útero. como da morte. e muita gente morreu por uma certa brincadeira. em 7 dias conto o que aconteceu.. No filme o tema é parecido. O filme restaura uma boa história e tudo sugere que terá continuação. que mostram tanto eventos de nosso nascimento. águas. e há bons sustos inesperados. ou por gerarem o monstro que estão sujeitos a enfrentar. O filme tem boa luz. e assim certas mortes tem o tom de justiça. como a necessidade jovem de conhecer coisas novas. poços etc. e envolve grande simbologia inconsciente e certa iniciação. como passagens.urbana japonesa. líquido aminiótico. . uma tonalidade verde de cores. referente ao túnel descrito por pessoas que quase-morreram em UTI. e mesmo o antigo japonês já tratava de uma curiosidade perigosa. haja vista as visões da protagonista. Para mais os comentários que fiz ao primeiro são válidos..