You are on page 1of 3

Aquele que vive no conhecimento

das coisas é como a água, constantemente


pactfico,
O insulto não o perturba, a calúnia
não o deprime, o desprezo não o
irrita.
Ele considera as coisas segundo a
sua natureza.
Como poderia ofendê-Ia o insulto?
O verdadeiro é verdadeiro e o falso
não tem valor.
Poderia deprimi-lo a calúnia? Os
malvados agem necessariamente segundo
a sua natureza.
Como poderia irritá-ia o desprezo?
Ele é filho e companheiro da negligenciável
ignorância.
Por isso é como a água: age e não
se perturba.

Melhor
é errar procurando não errar
que ficar inativo: a procura é o
sinal do existir.
Se errar, não se aflija. Considere
aquilo que adquiriu, reconhecendo o
erro.
Todos os homens temem errar e erram
porque temem.
O sábio sabe que erra, não teme o
erro mas o tem sempre presente: por
isso O evita.
Ele teme o abandono de si mesmo: a
autoconfiança e a presunção que
são a causa do erro.
Quando erra, reconhece o erro primeiramente.
Por isso ele mantém a paz.

"Compreendo, ó homem, todos os teus vícios – menos um...

Compreendo que sejas cobiçoso e sensual, mentiroso e irascível...

Compreendo que sejas vítima de inveja e escravo de vil egoísmo...

Tudo isto, embora reprovável, é por demais compreensível...

Mas não compreendo - o teu orgulho...

Não sei realmente de que possas ufanar-te...

A Alma não é tua - e o corpo é fraquíssimo...

Duvidas?...

Se te entrares no corpo certo micróbio - estás morto...

Se te romper no cérebro uma veiazinha capilar estás no cemitério ou no manicômio...

Se a temperatura do sangue passar seis graus acima do normal – és cadáver...


Se deres um passo em falso sobre uma ponte – deixaste de existir (...)

De que, pois, pretendes orgulhar-te, ó homem?...

Das potências do teu espírito? – das luzes da tua inteligência?...

Diz-me, com que sustenta a atividade do teu intelecto?

Se te faltarem feijão, batata, carne, pão e manteiga – que é da tua sapiência?

Basta que, por uns dias, te faltem certas matérias brutas – e adeus, ciência e arte! (….)

Compreendo ó homem, todos os teus vícios – menos um: teu orgulho... tua presunção... tua
arrogante ignorância..."

O silêncio é uma forma de bater na porta do salão da verdade. Ele é a base que te prepara para qualquer
prática; é o alicerce do edifício da consciência. Tudo que é verdadeiro nasce do silêncio.
Falar a verdade não quer dizer que você vai sair por aí dizendo aos outros tudo o que pensa ser verdade,
desconsiderando o fato do outro não estar pronto para ouvi-la, o que pode gerar mais conflito.
Se ainda há desconforto e sofrimento na sua vida, significa que ainda há uma camada de mentira te
envolvendo. Seja corajoso para encarar suas mentiras. Sem coragem você não será capaz de encarar a
verdade. Procure identificar quando você ainda não pode ser honesto com você mesmo e com a vida;
quando você tem que usar uma máscara e não pode ser autêntico e espontâneo; quando você tem que
fingir que é diferente do que é. Dê uma olhada nas diversas áreas da sua vida.
Isso não tem nada a ver com moralismo. A ação correta, ou ação consciente, não se baseia no que está
fora, ou seja, não depende da aprovação do mundo externo. Não é seguir um manual com regras sobre o
que está certo ou errado. É uma ação determinada pela intuição, que é a voz do silêncio. É ter coragem de
ser você mesmo, autêntico e espontâneo.
Aprender a não julgar os erros do outro. Antes de levantar o seu dedo para acusar o outro, olhe para si
mesmo, e pergunte: “Será que eu não tenho um defeito igual, ou outros até piores?” “Será que o meu
vizinho não tem nada de bom para eu focar a minha atenção?” Comece a focar no bom que o outro tem.
Essa é sua grande missão.

“Se você acha que a sua vida é um drama, imagine a vida daquele gambá cego que se apaixonou por
um peido!”
“Se você acha que ninguém liga para você atrase um pagamento…”
“Se todo mundo está pensando igual, então é porque alguém não está pensando.” - George S.
Patton, general americano
“Se sua sogra é uma jóia, nós temos a caixinha!” - Funerária São José
Se mosquito fosse malandro mordia antes e zunia depois.” - Stanislaw Ponte Preta
“Se Ex fosse bom, Deus não mandava amar o próximo.”
“Se eu tivesse duas caras, porque estaria usando justo essa?” - Abraham Lincoln
“Se é proibido pisar na grama então deite e role!”
“Se as pessoas que falem mal de mim soubessem o que acho delas, falariam mais ainda!”
“Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas
não querem ouvir.” - George Orwell
“O mundo só é bom porque é uma bola. Se fossem duas, seria um saco.”
“Se você sente tédio quando está sozinho é porque está em péssima companhia.” - Jean-Paul Sartre,
1905/1980, escritor, crítico e filósofo francês
“Se você for cabeça aberta demais, seu cérebro pode acabar caindo.”
provérbio em sânscrito: “O primeiro sinal de inteligência é não começar coisa alguma. O segundo
sinal de inteligência é: se você começou alguma coisa, você tem que continuá-la até o fim.”
Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e
eis que a verdade se me revela. — Albert Einstein
“Sem as pequeninas hipocrisias mútuas nos tornaríamos intoleráveis uns para os outros”. Emanuel
Wertheimer,
Não obstante, o príncipe deve fazer-se temer de modo que, mesmo que não ganhe o amor dos
súditos, pelo menos evite seu ódio. O temor e a ausência de ódio podem coexistir – isto é
conseguido por aquele que se abstrair de atentar contra o patrimônio dos súditos e cidadãos, que
haja uma justificativa e uma razão manifesta [...] Por outro lado, sempre há um pretexto para tomar
os bens alheios, e quem começa a viver da rapina encontrará sempre algum motivo para tomar o que
não é seu [...] (MAQUIAVEL, 2004, p. 80-81)
O homem que segue o curso da natureza é aquele que se orienta pela razão nos seus apetites e
desprezos. [...] A natureza leva todos os homes ajudarem-se mutuamente para viverem felizes (e não
procede assim sem boa causa, pois ninguém está tão acima da condição humana que a natureza se
ocupe exclusivamente dele, quando, pelo contrário, favorece todos os que possuem a mesma forma
e espécie [..]. (MORE, 2002, p.76-77)
“A culpa é minha e eu coloco ela em quem eu quiser” Homer Simpson
como dizia Nelson Rodrigues, “só os profetas enxergam o óbvio”.
Ter flexibilidade é também mudar o comportamento, as decisões e posturas. Saber quando seguir e
quando diminuir o ritmo. E não estou falando de falta de perseverança ou persistência não, muito
pelo contrário, porque para ter uma atitude perseverante precisamos estar atentos e nos
flexibilizarmos, com o intuito de realizar o que nos propomos.
Muitas vezes não adianta insistir na mesma coisa, do mesmo jeito, e achar que vai ter o resultado
que deseja. É preciso mudar! Devemos tentar ser coerentes entre pensar e agir.
O intelecto divide e sintetiza. Algumas criaturas no mundo sintetizam e outras criaturas dividem.
Mas um ser humano tem ambas as habilidades.
Formigas sintetizam, elas constroem um formigueiro e coletam coisas juntas. Castores sintetizam
trazendo madeira juntos para construir uma represa.
Macacos não podem sintetizar, eles dividem tudo. Dê a eles uma grinalda e eles vão desmanchá-la
em pedaços, espalhando-os por toda parte! Um macaco pode apenas dividir e analisar.
Um ser humano faz ambos, divide (analisa) e sintetiza. O intelecto analisa o mundo relativo para
achar a Verdade. E Verdade, uma vez achada, sintetiza tudo em Um. Quando o intelecto se torna
quieto, ele traz à tona inteligência. Geralmente as pessoas pensam que acumular informação faz a
pessoa ser inteligente, não é assim.
Um homem que não é inteligente, apesar de ter toda a informação, não pode ser criativo. Um
homem inteligente mesmo sem muita informação, pode ser criativo. Um sinal de inteligência é ver
o Um em muitos e achar os muitos em Um.