A Agricultura Familiar

A agricultura familiar é uma forma de produção em que predomina a interação entre gestão e trabalho, ou seja, os fatores de produção clássicos da economia – terra, capital e trabalho – se amalgamam na figura de um único personagem: o agricultor familiar, não importa seja ele lavrador, pescador ou aqüicultor, indígena, quilombola, assentado ou extrativista, desde que na sua atividade utilize o trabalho familiar, eventualmente complementado pelo trabalho assalariado. Essa diversidade de agentes representa mais de quatro milhões de estabelecimentos agropecuários, ou seja, 85% do total do país, e ocupa área pouco maior que trinta por cento da área total dedicada a atividades do gênero, com dispersão geográfica irregular. Veja dois exemplos: • mais de dois milhões de propriedades, quase a metade do total, está concentrada na região nordeste, com ocupação de apenas 32% da área total da região; no outro extremo, pouco mais de 900 estabelecimentos, menos de um quarto do total, ocupam área correspondente a 44% do total.

A agricultura familiar se destaca na produção nacional de feijão, fumo, mandioca, arroz, milho, leite, suínos, aves, ovos e soja. Além disso, conceito contemporâneo de desenvolvimento local sustentado reconhece caber primordialmente à agricultura familiar, como acima conceituada, gerar renda de forma desconcentrada, criar ocupações produtivas, garantir suficiência, produtividade, qualidade, diversificação e continuidade a uma política de economia nacional. Nesse contexto, a agricultura familiar configura-se como segmento indissociável do desenvolvimento local. Consolidar esse segmento é uma questão estratégica, pela sua capacidade de geração de emprego, renda e alimentos e pela possibilidade de resgate da cidadania da população que vive no meio rural. A importância econômica e social desse segmento, aliada ao desinteresse das instituições em apoiar financeiramente empreendimentos de baixa lucratividade, provocou no governo a necessidade de estabelecer política específica para financiamento das atividades desenvolvidas pelos agricultores familiares, como forma de agregar mecanismos que possibilitassem o aumento da capacidade produtiva e, com isso, a elevação da renda desse segmento da economia brasileira. Com esse escopo, o Conselho Monetário Nacional aprovou em 1994 o Programa de Valorização da Pequena Produção Rural (Provape), que

de forma a produzir um novo modelo agrícola nacional. É. tendo como fundamento o fortalecimento da agricultura familiar como segmento gerador de emprego e renda. já no ano seguinte. Seu principal propósito é “estimular o desenvolvimento rural. sociais e ambientais. . destinado inicialmente apenas ao financiamento de custeio e investimento das atividades desenvolvidas pelos agricultores familiares. frente à chamada “crise de alimentos”. Finalmente reconheceu-se a especificidade de agricultura familiar e implementou-se um conjunto coerente de medidas com a finalidade de apoiála. A Agricultura Familiar. reforçada com linhas especiais de financiamento.” (PRONAF-MAA 1996). sociais e ambientais. tem mostrado capacidade de responder mais rapidamente à necessidade de produção de alimentos. assim. É executado de forma descentralizada e tem como protagonistas os agricultores familiares e suas organizações. no que se refere às questões econômicas. de forma a produzir um novo modelo agrícola nacional. a partir do fortalecimento da agropecuária familiar como segmento gerador de postos de trabalho e renda.estabelecia condições especiais para o financiamento das despesas de custeio da safra de verão 94/95. o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). um Programa de apoio ao desenvolvimento rural. de modo a estabelecer um padrão de desenvolvimento sustentável que vise ao alcance de níveis de satisfação e bem-estar de agricultores e consumidores. O Pronaf O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar-Pronaf foi efetivamente um marco na história das políticas públicas para o campo. Visa o estabelecimento de um padrão de desenvolvimento sustentável para o alcance de níveis de satisfação e bem-estar de agricultores e consumidores. no que se refere a questões econômicas. garantindo a segurança alimentar brasileira. O sucesso do programa fez nascer.

Mas o Pronaf é mais do que simplesmente crédito. pelo incremento na liquidez que a dinamização do comércio provoca. com reflexos na economia local. Estaremos fortalecendo a atividade familiar. Ou seja. com reflexos na forma de sustento. Pronaf: processo simplificado de contratação Essa simplificação começa pelo enquadramento do produtor no Programa. A inserção do agricultor familiar no contexto da economia formal. com incremento na sua capacidade de produzir receita e renda. E. educação e lazer da família. . elevando os níveis de satisfação e bemestar dos mais de quatro milhões de empreendedores rurais familiares. Tudo isso irá gerar reconhecimento do trabalho do agricultor familiar e estimular sua permanência no campo. contribui para a segurança alimentar. Esses benefícios produzem seus efeitos na localidade onde desenvolvida a produção. Além disso. promovendo o desenvolvimento rural sustentável. com reflexo no nível de renda. resgata sua cidadania e reduz desigualdades sociais. Ao facilitar e desburocratizar o acesso ao crédito.Representa o apoio financeiro de que o segmento era carente. estaremos mais do que colocando nas mãos do agricultor familiar os recursos de que necessita para conduzir seu empreendimento. a assistência técnica e a capacitação profissional. seu maior financiador. além disso. sindicatos. Por via de conseqüência. estaremos apoiando uma política de governo e agindo em consonância com os objetivos do Programa. colocação do produto no mercado em condições mais favoráveis. com isso. É também importante instrumento de desenvolvimento social. no momento em que amplia a capacidade produtiva do país. a decorrente favelização dos núcleos urbanos. mas não menos importante. entre outros)). feito por entidades conveniadas pelo MDA (instituições estaduais de assistência técnica e entidades representativas dos trabalhadores rurais (federações. eleva a arrecadação municipal e reduz a necessidade de gastos públicos com assistencialismo. evita o êxodo rural e. oferecerá ao agricultor possibilidade de desenvolver suas atividades em condições mais favorecidas. E o Banco do Brasil é a principal instituição de crédito a atuar no Programa e. ao realizarmos operações ao amparo do programa. por isso. Por último. elevação do nível de conforto. com aumento da produção e da produtividade pelo uso racional da terra e da propriedade.

2002. • obtenham.. no máximo.Procera ou crédito de investimento para estruturação no âmbito do Pronaf. • área da propriedade.O enquadramento é materializado na DAP (Declaração de Aptidão ao Pronaf). posseiro. parceiro. Grupo B Agricultores familiares que: • explorem parcela de terra na condição de proprietário. a qualquer título. área de terra superior a um módulo fiscal. nos 12 meses que antecederam a solicitação do financiamento. sob qualquer forma de domínio. por exemplo: • condição do agricultor – proprietário. assentados pelo Programa Nacional de Reforma Agrária PNRA ou beneficiários do Programa de Crédito Fundiário . • predominância do trabalho familiar. Conheça os grupos e suas características. posseiro. R$ 14 mil. assentado. Essas características estão informadas na Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP. no mínimo. Agricultores familiares reassentados em função da construção de barragens para aproveitamento hidroelétrico e abastecimento de água em projetos de reassentamentos que atendam as seguintes condições: • não detenham. de área superior a quatro módulos fiscais. quantificados segundo a legislação em vigor. • renda do produtor.12. 30% da renda familiar com a exploração agropecuária e não-agropecuária do estabelecimento. documento que permite acesso do produtor ao Programa. Normas do Pronaf Beneficiários Os beneficiários do programa estão divididos em grupos.PNCF. como. etc. inclusive a que detiver o cônjuge ou companheiro(a). . Cada grupo tem características próprias. Grupo A Agricultores familiares. • tenham sido reassentados em função da construção de barragens cujo empreendimento tenha recebido licença de instalação emitida pelo órgão ambiental responsável antes de 31. quilombola. que traz o cálculo da renda do agricultor e seu enquadramento no grupo ao qual se encaixe para fins de obtenção de crédito e outros benefícios. • residam na propriedade ou local próximo. • não disponham. arrendatário ou parceiro. que não foram contemplados com operação de investimento sob à égide do Programa Especial de Crédito para a Reforma Agrária . renda bruta anual familiar de. • tenham recebido.

a qualquer título. Grupo A/C Agricultores familiares assentados pelo PNRA. • extrativistas que se dediquem à exploração extrativista ecologicamente sustentável. • silvicultores que cultivem florestas nativas ou exóticas e que promovam o manejo sustentável daqueles ambientes. utilizando apenas eventualmente o trabalho assalariado. com meios de produção próprios ou em regime de parceria com outros pescadores igualmente artesanais. de acordo com as exigências sazonais da atividade agropecuária. nos últimos 12 meses que antecedem a emissão da DAP. de até R$ 110 mil. excluídos os benefícios sociais e os proventos previdenciários decorrentes de atividades rurais. incluída a renda proveniente de atividades desenvolvidas no estabelecimento e fora dele. ou PNCF. exceto nos grupos A e A/C. desde que tenham obtido renda bruta familiar. não disponham. Grupo Agricultores Familiares • • • • • explorem parcela de terra na condição de proprietário. • São também beneficiários e se enquadram como agricultores familiares do Pronaf. explorando a atividade como autônomos. tenham obtido renda bruta familiar nos últimos 12 meses que antecedem a emissão da DAP acima de R$ 6 mil e até R$ 110 mil. 70% da renda familiar oriunda da exploração agropecuária e não agropecuária do estabelecimento. • obtenham renda bruta anual familiar de até R$ 6.00 (seis mil reais). • já tenham contratado a primeira operação no Grupo A. fornecida pelo INCRA para os beneficiários do PNRA ou pela Unidade Técnica Estadual ou Regional -UTE/UTR para os beneficiários pelo PNCF. residam na propriedade ou em local próximo. de área superior a quatro módulos fiscais.000. por qualquer componente da família. no mínimo. excluídos os benefícios sociais e os proventos previdenciários decorrentes de atividades rurais. excluídos os benefícios sociais e os proventos previdenciários decorrentes de atividades rurais e não mantenham mais que dois empregados permanentes: • pescadores artesanais que se dediquem à pesca artesanal. que: • apresentem DAP para o Grupo A/C. posseiro. por qualquer componente da família. • não tenham contraído financiamento de custeio. exceto no Grupo A/C. parceiro ou concessionário do Programa Nacional de Reforma Agrária. obtenham. tenham o trabalho familiar como predominante na exploração do estabelecimento. . incluída a renda proveniente de atividades desenvolvidas no estabelecimento e fora dele. arrendatário. quantificados segundo a legislação em vigor. podendo manter até dois empregados permanentes. com fins comerciais.• tenham o trabalho familiar como base na exploração do estabelecimento.

. A DAP tem validade de 6 anos. agricultores familiares que se dediquem à criação ou ao manejo de animais silvestres para fins comerciais. sendo obrigatória sua apresentação para obtenção de financiamento ao amparo do Programa.• • • • aqüicultores. quando a exploração se efetivar em tanque-rede. comunidades quilombolas que pratiquem atividades produtivas agrícolas e não-agrícolas e de beneficiamento e comercialização de produtos. conforme legislação vigente. maricultores e piscicultores que se dediquem ao cultivo de organismos que tenham na água seu normal ou mais freqüente meio de vida e que explorem área não superior a dois hectares de lâmina d'água ou ocupem até 500m³ (quinhentos metros cúbicos) de água. A DAP é emitida por entidades previamente credenciadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). além dos demais documentos exigidos pelo Banco. exceto para os Grupos A e A/C que devem apresentar uma nova Declaração de Aptidão a cada contratação. povos indígenas que pratiquem atividades produtivas agrícolas e nãoagrícolas e de beneficiamento e comercialização de seus produtos. Habilitação do beneficiário A Declaração de Aptidão ao Pronaf – DAP é o documento que identifica os beneficiários do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pronaf. sujeita a homologação anual.