You are on page 1of 280

Avaliação e Gerenciamento

de Passivos Ambientais

Silvano Clarimundo
Outubro de 2007
ERM Brasil Ltda

1
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Programa do curso
• Legislação específica e Processos Administrativos e Judiciais;
• A questão da responsabilidade por passivos em operações
societárias;
• Responsabilidade objetiva e solidariedade por danos causados
ao meio ambiente;
• Determinação de passivos ambientais, focando nos métodos de
mensuração;
• Padrões de referência;
• Abordagens para remediação;
• Gestão dos passivos;
• Estudo de caso.

2
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Passivos Ambientais
Implicações Jurídicas

3
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Meio Ambiente x Economia
• A visão do cowboy

• A visão do tripulante da espaçonave

• Externalidades negativas:

Utilização dos recursos naturais

Descarte de Resíduos

4
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Evolução do Direito Ambiental
• Quatro marcos do ordenamento jurídico na busca de
respostas ao clamor social pela imperiosa tutela do ambiente:

- Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981 (Política Nacional do


Meio Ambiente)
- Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985 (Lei da Ação Civil
Pública)
- Constituição Federal de 1988
- Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 (Lei dos Crimes
Ambientais)

5
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Passivos
• Conceito:
Terminologia técnica das finanças e da
contabilidade:
“exprime o conjunto de encargos a serem
suportados por uma pessoa, seja esta física ou
jurídica, encargos estes apreciáveis ou
representados em dinheiro” ou “ o conjunto de
dívidas e encargos apreciáveis em dinheiro que
gravam um patrimônio ou uma universalidade
jurídica.”

6
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Passivo Ambiental

• Como instrumento de gestão ambiental:


“que objetiva identificar, avaliar e quantificar
posições, custos e gastos ambientais em
avaliações para negociações de empresas e em
privatizações, pois a responsabilidade e a
obrigação da restauração ambiental pode recair
sobre novos proprietários.”

7
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Passivos Ambientais

• Conceito - Projeto de Lei nº 1254/2003:


“Todas obrigações contraídas de forma
voluntária ou involuntária, que exigirão em um
momento futuro entrega de ativos, prestação
de serviços ou sacrifício de benefícios
econômicos, em decorrência de transações ou
operações passadas ou presentes, que
envolveram a instituição com o meio ambiente
e que acarretaram algum tipo de dano
ambiental”

8
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Passivos Ambientais

• Passivos Ambientais são deposições antigas e


sítios contaminados que produzem riscos para o
bem estar da coletividades, segundo a avaliação
tecnicamente respaldada das autoridades
competentes

• Passivos Contaminação

9
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
LEGISLAÇÃO

10
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Legislação
• Inexiste no Brasil uma legislação específica para
passivos ambientais / gerenciamento de áreas
contaminadas

Projeto de Lei Federal

Projeto de Lei Estadual sobre a proteção da


qualidade do solo e gerenciamento de áreas
contaminadas
• Legislação Internacional

• Manual de Gerenciamento da CETESB

11
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Legislação Específica
• Brasil
Manual de gerenciamento de áreas da CETESB:
propostas de procedimentos para a adoção de uma
política corretiva no Estado de São Paul
• Padrões
Solo - inexiste
Água superficial - Resolução CONAMA 357 de
2005
Água subterrânea - padrão de potabilidade

• Internacional (Lista Holandesa)

12
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Legislação Geral

• Constituição Federal
• Política Nacional de Meio Ambiente -
Lei 6.938/81
• Lei de Crimes Ambientais - Lei 9.605/98
• Decreto Federal n. 3179/99

13
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Constituição Federal

• “Art. 225 - Todos têm direito ao meio ambiente


ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do
povo, essencial a sadia qualidade de vida, impondo-se
ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-
lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”

sujeição ao poluidor sanções penais, administrativas e


responsabilidade objetiva de indenizar

14
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Política Nacional de Meio Ambiente
Lei n. 6.938/81
• Definição de meio ambiente, degradação da qualidade
ambiental, poluição e poluidor;
• Instrumentos como o estabelecimento de padrões de
qualidade ambiental, zoneamento ambiental, licenciamento
ambiental, EIA/RIMA, entre outros;
• Responsabilidade Civil Objetiva, Administrativa e Penal.

Necessidade de recuperação de áreas degradadas e


obrigatoriedade do poluidor recuperar o meio ambiente

15
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Responsabilidade Penal

• Das Pessoas Jurídicas (Lei n. 9.605/98, art. 3º):


Artigo 3º: “As pessoas jurídicas serão responsabilizadas
administrativa, civil e penalmente conforme o disposto nesta
Lei nos casos em que a infração seja cometida por decisão
de seu representante legal ou contratual, ou de seu órgão
colegiado, no interesse ou benefício da sua entidade.
Parágrafo único. A responsabilidade das pessoas jurídicas
não exclui a das pessoas físicas, autoras, co-autoras ou
partícipes do mesmo fato”
• As divergências quanto à auto-aplicabilidade da Lei dos
Crimes Ambientais no que se refere à pessoa jurídica

16
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Responsabilidade Penal

• Responsabilidade Penal das pessoas físicas, autoras, co-


autoras ou partícipes (Lei 9605/98, art. 2º):

Art. 2º - Quem, de qualquer forma, contribuir para a prática


dos crimes previstos nesta Lei, incide nas penas a estes
cominadas, na medida de sua culpabilidade, bem como o
diretor, administrador, membro de conselho e de órgão
técnico, auditor, gerente, preposto ou mandatário de pessoa
jurídica que, sabendo da conduta criminosa, deixe de
impedir a sua prática quando podia e devia agir para evitá-la.

17
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Responsabilidade Administrativa

• A Lei nº 6.938/81 (Lei da Política Nacional do Meio Ambiente):


Art. 14:
“Sem prejuízo das penalidades definidas pela legislação
federal, estadual e municipal, o não cumprimento das
medidas necessárias à preservação ou correção dos
inconvenientes e danos causados pela degradação da
qualidade ambiental sujeitará os transgressores:
I - à multa simples ou diária (10 a 1000 ORTNs)
II - à perda ou restrição de incentivos e benefícios fiscais
III - à perda ou suspensão de participação em linhas de
financiamento
IV - à suspensão de sua atividade

18
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Responsabilidade Administrativa
• Decreto 3.179/99: Estabelece as infrações
administrativas ambientais

Art. 41 - Causar poluição de qualquer natureza em


níveis tais que resultem ou possam resultar em
danos à saúde humana, ou que provoquem a
mortandade de animais ou a destruição
significativa da flora:
multa de R$ 1.000,00 a R$ 50 milhões (laudo)

19
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Responsabilidade pelo passivo ambiental

• Responsabilidade Penal, Administrativa e Civil

• Peculiaridades:
• Incorporação
• Fusão
• Cisão – Parcial / Total
• Alienação de participação societária
• Alienação de imóveis – propter rem

20
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Processos Administrativos

• Lavratura de Auto de Infração pelo órgão


ambiental
• Defesa Administrativa ou Pagamento do valor da
multa
• Suspensão, redução ou conversão da penalidade
aplicada
• Termo de Ajuste de Conduta
• Deferimento da defesa apresentada

21
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Inquérito Civil
• Conceito
• Art. 8º da Lei 7.347/85

Procedimento administrativo de caráter


investigatório, que visa preparar a propositura da
ação civil pública

Somente o Ministério Público pode instaurar o


Inquérito Civil

22
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Ação Civil Pública
• Lei 7.347 de 24.07.1985

Quem é competente para propor ACP??


- Ministério Público
- União, Estados ou Municípios
- Autarquias
- Empresas Públicas
- Fundações
- Sociedade de economia mista
- Associações constituídas há pelo menos 1
ano

23
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Termo de Ajuste de Conduta - TAC

• Composição visando a adoção de medidas


destinadas à recuperação do meio
ambiente afetado, com o estabelecimento
de obrigações e regras de conduta a serem
observadas pelas partes

24
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Termo de Ajuste de Conduta
Pressupostos:
• visa a integral reparação dos danos
• obrigação de dar, de fazer e de não fazer
• previsão de obrigação certa e determinada
• o objeto deve ser lícito e jurídica e economicamente viável
• capacidade das partes
Efeitos:
• extingue obrigações litigiosas
• cria obrigações contratuais
• suspende a exigibilidade da multa
• permite a redução da multa, após cumprida as obrigações
pactuadas
• título executivo extrajudicial

25
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Comunicação Espontânea
• Auto-denúncia

Lei Federal n. 9.605/98


Art. 14 - São circunstâncias que atenuam a pena:
III - comunicação prévia pelo agente do perigo
eminente de degradação ambiental

Decreto Estadual (SP) n. 8468/76


Art.. 82 - Serão consideradas circunstancias
agravantes:
II - deixar de comunicar de imediato a ocorrência
de acidente que ponha em risco o meio
ambiente

26
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Comunicação Espontânea
• Implicações

existe regulamentação

na esfera administrativa não impede a atuação


do Ministério Público

vantagens x desvantagens

27
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação do Passivo Ambiental
(due diligente / auditoria ambiental)
• Passivo: valor monetário composto basicamente
dos seguintes itens:
 multas, dívidas, ações jurídicas, taxas e impostos
devidos pela inobservância aos requisitos legais;
 custos de implantação de procedimentos e
tecnologias que possibilitem o atendimento às
não conformidades;
 dispêndios necessários à recuperação de área
degradada e indenização à população afetada
(mesmo que o montante ainda não seja
conhecido).

28
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Casos Práticos

• Aterro Mantovani

• Conjunto residencial Barão de Mauá

29
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais
Módulo 01 - Introdução

Silvano Clarimundo
Outubro de 2007
ERM Brasil Ltda

30
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Objetivos do Curso

• Informar sobre técnicas usuais de investigação e


de remediação de solo e água subterrânea
contaminados; e
• Auxiliar no desenvolvimento de uma visão crítica
sobre que procedimentos tomar, caso ocorra um
problema de contaminação de solo e água
subterrânea a ser resolvido.

31
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
“Qual é o problema?”

Poluído?

Vizinhos?
Quando?

Proprietário?

Solução?
Onde?
Custo?
Risco?

32
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos Básicos: Infiltração e Percolação
de Produto Químico
• Infiltração de
produto no solo
• Percolação do
produto na zona
não saturada
• Impacto no lençol
freático

33
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos Básicos: Fonte e Pluma

34
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Fontes de Contaminação do Solo e Água
Subterrânea
• Urbana:
• Saneamento in situ (fossas)
• Vazamento de esgotos
• Lixiviado de aterros sanitários/lixões
• Vazamentos em tanques de combustíveis
• Industrial
• Vazamentos de tanques/tubos de produtos
químicos
• Derramamento acidental
• Lagoas de infiltração de efluentes
• Lixiviado de resíduos sólidos
• Drenos de pátios
• Infiltração de efluentes em poços

35
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Fontes de Contaminação do Solo e Água
Subterrânea
• Agrícola:
• Aplicação de agroquímicos
• Irrigação de águas residuais
• Lagoas de efluentes

• Mineração
• Desmonte hidráulico
• Descarga de água de drenagem
• Lagoas de decantação
• Resíduos de bota-foras

36
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tipos de Contaminantes
• Carga orgânica, nutrientes e patógenos fecais
• Salinidade
• Compostos orgânicos sintéticos
• Compostos de petróleo
• VOCs (BTEX)
• PAHs (benzo-a-pireno, naftaleno)
• Solventes Clorados
• PCE, TCE, TCA, MC, VC, PCBs
• Pesticidas clorados ou fosforados
• Metais pesados (prioritários)
• arsênio, cádmio, cromo, chumbo, níquel, zinco e
mercúrio

37
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de Investigação - Área Fonte

• Identificar área fonte da contaminação e dimensões


• Identificar tipos de contaminantes
• Prever comportamento do contaminante na zona
não-saturada e na zona saturada

38
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de Investigação - Área Pluma

• Determinar características geológicas do aqüífero


• Definir sentido do fluxo da água subterrânea
• Definir propriedades hidráulicas do aqüífero
• Avaliar o transporte de contaminantes na fase gasosa,
na fase dissolvida e como fase livre

39
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Sumário
1 - Coleta de dados
• Fontes e tipos de contaminantes, estratégias
e procedimentos de investigação
2 - Interpretação dos dados (modelo conceitual)
3 - Padrões ambientais aplicáveis
4 - Análise de risco
5 - Estudo de alternativas de remediação
6 - Tecnologias de remediação

40
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Fluxograma - Projeto de Investigação e Remediação (parte 1)
Início

Fase I Investigação Preliminar

Término do
Existe a possibilidade de
ter passivos ambientais ? Não Projeto
Sim
Fase IIa Investigação Confirmatória

Passivos ambientais confirmados Término do


por analise de gas, agua ou solo ? Não Projeto
Sim
Fase IIb Investigação Adicional

Área(s) fonte/pluma precisam ser Continuar


identificados e/ou delineados ? Não na Parte 2
Sim
Fase III Delineação de Área(s) Fonte e Áreas Pluma(s)

41
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Fluxograma - Projeto de Investigação e Remediação (parte 2)
Cont.

Estudo de Entorno

Existem receptores Término do


potenciais ? Não Projeto
Sim
Análise de Risco
Existem riscos para a saúde Término do
público e/ou eco-sistemas? Não Projeto
Sim
Estudo de Alternativas de Remediação e
Elaboração do Cronograma de Medidas Corretivas

Todos os clientes
foram consultados? Não
Sim
Comunicação para
Órgão Ambiental

42
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Fluxograma - Projeto de Investigação e Remediação (parte 3)
Cont.

Implementação do Plano de Monitoramento

Elaboração do Projeto Básico e Executivo de Remediação

Contratação

Implementação

Operação, Manutenção e Monitoramento

Os objetivos de remediação
foram atingidos? Não
Sim
Término do
Projeto

43
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais

Módulo 02 - Investigação
Preliminar

44
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Objetivos da Investigação Preliminar

• Identificação de Passivos Ambientais


(“Liabilities”) para:

• Transações comerciais;
• Fornecer dados para um programa de
investigação;
• Ações legais.

45
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar

1. Revisão de documentação

• Dados de monitoramento;
• Correspondência com órgão ambiental;
• Mapas e plantas em geral;
• Licenças ambientais;
• Autos de infração e de inspeção;
• Relatórios de auditorias.

46
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar

2. Levantamento de dados sobre a características


físicas do local

• Topografia;
• Geologia;
• Hidrogeologia;
• Zoneamento.

47
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar

3. Uso do Solo e Informações Históricas

• Usos anteriores da propriedade;


• Verificação fotografias aéreas;
• Vizinhança.

48
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
49
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
50
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Historical Review
Aerial Photo of Industrial Site - 1965

51
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Historical Review
Aerial Photo of Industrial Site - 1971

52
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar

4. Revisão do Processo Industrial

• Identificação dos resíduos, efluentes líquidos e


emissões atmosféricas geradas;
• Identificação dos produtos químicos
manuseados;
• Identificação de atividades complementares.

53
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Rede de Efluentes Industriais

54
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar
5. Inspeção das áreas externas e atividades de
complementares:

• Manutenção mecânica; estação de tratamento;


estocagem de resíduos e produtos químicos
(tanques aéreos, enterrados e tambores); áreas de
carga e descarga de produtos químicos;
• Sistema de drenagem; existência de fossas e
sumidouros; torres de resfriamento; subestações
(PCB em transformadores); poços;
• Manchas sob o solo ou pavimento; aspecto da
vegetação; lagoas; poças e similares; odores.

55
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar

6. Entrevistas com proprietários, ocupantes ou vizinhos


e eventualmente com o órgão ambiental

• Práticas ambientais (manuseio de produtos


químicos, disposição de resíduos);
• Incidentes e acidentes;
• Reclamações, ações civis públicas.

56
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atividades da Investigação Preliminar

7. Relatório

• Levantamento de fontes reais ou potenciais de


contaminação do solos / águas subterrâneas;
• Efeitos que podem extrapolar o limite da
propriedade;
• Identificação da necessidade da Investigação
Confirmatória.

57
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Recomendações para a Investigação
Confirmatória

• Croqui de localização com os pontos de


amostragem;
• Identificação da matriz que será amostrada (gas,
solo, água);
• Parâmetros a serem amostrados por ponto;
• Técnica geral de amostragem (profundidades de
coleta).

58
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Exemplos de contaminantes e parâmetros
a serem amostrados
Contaminante potencial Parâmetro de amostragem

Gasolina, Diesel TPH, BTEX

Óleo em geral TPH

Solventes VOCs, SVOC

Metais Metal específico ou PPM

59
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento de
Passivos Ambiental
Módulo 03 - Sessão de Fotos

(O material deste módulo está no CD)

60
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Estocagem de Tambores sem Proteção Adequada
61
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Estocagem de Tambores sem Proteção Adequada
62
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tanque Aéreo sem Proteção Adequada
63
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Ponto de Abastecimento sem Proteção Adequada
64
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Estocagem de Tambores sem Proteção Adequada
65
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Estocagem de Substâncias Perigosas sem
Proteção Adequada 66
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Estocagem de Resíduos sem Proteção Adequada
67
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Estocagem de Resíduos com Estopas Contaminadas por Óleo
68
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Piso com Manchas de Óleo embaixo de Guindastes e Caminhões
69
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Evidências de Derramamentos Múltiplos em uma Área
de Estocagem de Óleo
70
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Containers de Resíduos Apresentando Evidências de
Vazamentos - sem Contenção Secundária 71
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Solo Manchado ao Lado de uma Área de Estocagem de Resíduos
72
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Manchas de Óleo
embaixo de um
Transformador
(possível
contaminação por
PCBs)

73
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Derramamento de Óleo de um Transformador
74
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Ponto de Carregamento com Manchas de Óleo - sem Contenção
Secundária 75
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Ponto de Carregamento de Vagões Ferroviários - sem
Proteção Adequada 76
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Carregamento Ferroviário com Evidências de
Contaminação do Solo (TPH, PAH e PCB)
77
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Solo Contaminado por
Óleo nas Proximidades de
de um Tanque
Subterrâneo

78
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Solo Contaminado por
Óleo embaixo de um
Tanque Subterrâneo

79
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Solo Contaminado por
Óleo junto a uma Linha
de Óleo Desconectada

80
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Piso com Manchas de
Óleo em uma Área de
Produção

81
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Processo com Banhos de Têmpera Abertos
82
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Material de Aterro (embaixo da laje de concreto) Contaminado
por Metais Pesados, Amianto e Escória Radioativa
83
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Amianto Livre no meio de Detritos de Demolição
84
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Mercúrio Metálico embaixo da Laje de Fundação
85
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Compostos de Cobalto - Antigas Instalações de
Processamento de Metais
86
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Poço de Extração
de Água
Subterrânea
usado para
disposição de
Óleo de Alcatrão
e Cianetos -
Antiga Fábrica
de Gás

87
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Lixiviação de Óleo de Alcatrão do Solo
88
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Hexacianoferratos(II) de Ferro(III) detectados na Área de
uma Antiga Fábrica de Gás
89
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Área de Alto Índice de Mortalidade de Peixes
90
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
Passivos Ambientais

Módulo 04 - Investigação
Confirmatória

91
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia

• Água
Subterrânea
no Ciclo
Hidrológico

92
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia
• Aqüífero freático e nível d’água

Teixeira et al, 2000

93
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia
• Distribuição de água e ar no solo

94
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia
• Direção do fluxo de água subterrânea

- número mínimo de poços de monitoramento: 3

95
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia
• Gradiente Hidráulico

96
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia
DIVISOR DE
ÁGUA SUBTERRÂNEA

90

0
100

80
80

90
10

80
LINHAS

80
EQUIPOTENCIAIS
RIO
ÁREA DE DESCARGA

• Mapa SENTIDO DO FLUXO DA


ÁGUA SUBTERRÂNEA

Potenciométrico: A A'

Definição de

90
direções e

90
velocidades do RIO
ÁREA DE DESCARGA DIVISOR DE

fluxo da água ÁGUA SUBTERRÂNEA SUPERFÍCIE


AQUÍFERO FREÁTICO

A A'
subterrânea LINHAS DE FLUXO

97
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia

Condutividade Hidráulica

• Capacidade de um material transmitir água


• Depende da porosidade total do material e do
nível de interligação entre os poros
• Alguns materiais como argila poderão apresentar
alta porosidade total mas baixo índice de
condutividade hidráulica

98
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia

• Fator complicador: heterogeneidade geológica

Freeze & Cherry, 1979

99
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conceitos de Hidrogeologia
• Realizar sondagens e construir poços de
monitoramento para:
• Determinar características geológicas do aqüífero
• Definir direção do fluxo da água subterrânea
• Definir propriedades hidráulicas do aqüífero
• Determinar qualidade da água a montante e
jusante da fonte de contaminação
• Investigar comprimento, largura e profundidade
da pluma de contaminação.

100
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Geologia típica da região metropolitana de
São Paulo (SP)
Prof. (m) Descrição Unidade
0-3 Aterro Zona não saturada

Poço de
produção
Poço de típico
monitoramento 3-45 Solo de Alteração Aqüífero raso
típico

45-55 Zona de contato Aqüífero intermediário


Aquitarde

55-200 Rocha fraturada (Gneiss) Aqüífero profundo

>200 Rocha não fraturada Base

101
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Procedimentos de Investigação - no Campo
• Principais métodos de
sondagem

• Trado manual

• Hollow-stem auger

• Rotary Drilling

• Direct Push

102
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Auger drilling (hollow/solid stem)

103
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
104
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Rotary drilling

105
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias Direct push
• Tecnologia capaz de
fornecer dados geotécnicos
e amostras subsuperficiais
• Utiliza pressão hidráulica
para avançar ferramentas
geotécnicas e dispositivos
de amostragem
• Cone penetrometer
systems
• Hydraulic hammer systems
(Geoprobe)
• Poderia ser usada para
amostragem da água
subterrânea

106
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Procedimentos de Investigação - no Campo
• Principais métodos de sondagem/amostragem de solo
• Geoprobe (direct push)

107
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Procedimentos de Investigação - no Campo

• Instalação de poço
de monitoramento

108
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
109
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Procedimentos de Investigação - no Campo

• Obtenção de dados hidrológicos


• Medições de nível d’água

• Execução de ensaios hidráulicos

- “slug test”

- “constant head test”

- teste de bombeamento

110
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação de Áreas Contaminadas

COLETA DE AMOSTRAS DE SOLO


• Trado manual/motorizado;
• Amostrador bipartido, “HSA core sampler”;
• “Geoprobe liner”.

111
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Medições Físico-químicas em Campo

• Dois detectores básicos:


• PID : medição de mudanças de sinal durante a ionização
de compostos através de lâmpada de luz ultravioleta
• FID : medição de mudanças de sinal durante a queima
de compostos em uma chama
• Classes de compostos detectados
• VOCs (BTEX, VOCs clorados, MIBK, MEK, …),
hidrocarbonetos de petróleo (gasolina, óleo diesel e óleo
para turbina aeroderivada), solventes

112
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Concentrações de vapores orgânicos no horizonte Concentrações de vapores orgânicos no horizonte

NE

E
entre 6 e 7 metros de profundidade entre 7 e 8 metros de profundidade

N
10 ppm 20 ppm

SE
PMP-02 PMP-02

NO
0,0 100 ppm 0,0 90 ppm
0,0 0,0
PM-20 PM-20 300 ppm

S
SO
O
400 ppm

O O PM-21

I 0,0
I 2,1
PMP-02

PM-20

T SS-07
0,0
SS-19

PMP-01
0,0
T SS-07
13,6
SS-19

PMP-01
7,2
L J 2
H
PP-01
I
T
SS-16
PM-13
SS-07
SS-19
O
PMP-01

PM-14
PM-17
SS-17

SS-13 SS-18
SS-15

M SS-14
PM-16
SS-08

PM-12
PM-13 PM-14 PM-13 PM-14 SS-12
PM-15 PM-18
SS-11

5,0 PM-17 7,8 8,5 PM-17 356 SS-09


SS-10

10,8 91,6 PM-19

SS-17 G
SS-18
PM-16 PM-16 E C B
2,5 93,1 R
SS-08 SS-08 PP-02

P
171 428
PM-12 PM-12 A
4,7 77,8
10,5 29,4
PM-15 PM-18 PM-15 PM-18
0,1 0,0 F

PM-11

SS-06

0,0 0,1 SS-02

0 875
1750 2625 3500m 0 875
1750 2625 3500m
SS-01

SS-03
ESCALA 1:1750 PM-19 ESCALA 1:1750 PM-19 PM-09
N
PM-10

S
SS-05

SS-04

PP-03

CROQUI DE LOCALIZAÇÃO
Concentrações de vapores orgânicos no horizonte Concentrações de vapores orgânicos no horizonte
entre 8 e 9 metros de profundidade entre 9 e 10 metros de profundidade
10 ppm 10 ppm
PMP-02 PMP-02
100 ppm 100 ppm

Concentrações de
0,0 0,0
0,0 0,0
PM-20 200 ppm PM-20 500 ppm
2000 ppm

O O vapores no solo
I I
T SS-07
169
44,9
SS-19

PMP-01
-
-
T SS-07
-
-
SS-19

PMP-01
108
obtidas através de
PM-13 PM-14 PM-13 PM-14
188

PM-16
-
PM-17

-
-

SS-08
-

PM-16
4,1
PM-17 2411

542

SS-08
medições feitas com
250

o PID no campo
PM-12 PM-12
- -
7,7 2,1
PM-15 PM-18 PM-15 PM-18
0,1 -

LEGENDA:

Poço de monitoramento instalado


PM-09
0,4
0 875 1750 2625 3500m 0 875 1750 2625 3500m

ESCALA 1:1750 PM-19 ESCALA 1:1750 PM-19


Poço de monitoramento profundo
PMP-02

SS-06
Sondagens

100 m
CLIENTE DESCRIÇÃO ORDEM DE SERVIÇO

A365.01-X004
WO A365/02.01
ERICSSON Concentraçõescde Vapores Orgânicos no Solo FIGURA / ANEXO
FIGURA 07
PROJETO CONTROLE DE EDIÇÃO EDITOR / DESENHISTA

TRABALHOS COMPLEMENTARES DE SOLO E


ÁGUA SUBTERRÂNEA
25/07/2002 25/07/2002
ESTE DOCUMENTO É PROPRIEDADE DA ERM BRASIL LTDA. E
NÃO PODE SER COPIADO, REPRODUZIDO OU TRANSMITIDO POR
NENHUM OUTRO MEIO, OU USADO EM DIFERENTE PROPÓSITO 113
ENRICO GONZALES
RESPONSÁVEL TÉCNICO

CIP
EDIÇÃO REVISÃO QUE AQUELE PARA O QUAL O MESMO FOI FEITO. SAMARA PEREIRA

Delivering sustainable solutions in a more competitive world


FORMATO A3 - MOLDURA 386 x 279 mm
Avaliação de Áreas Contaminadas
COLETA DE AMOSTRAS DE ÁGUA
• bailer
• bomba de baixa vazão
• diffusion bag

ANÁLISES QUÍMICAS
• PPM (Priority Pollutant Metals);
• VOC (Volatiles Organic Compounds);
• SVOC (Semivolatiles Organic
Compounds);
• TPH (Total Petroleum Hydrocarbons);
• PCB ( Polychlorinated Bifeniles);
• Pesticidas;
• OD, Sólidos, pH, S, Eh, Temperatura.

114
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Amostragem Low Flow

115
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Amostradores do tipo Diffusion Bag Instalados
em um Poço
Seção
Transversal
Diffusion
Samplers

Peso Normalmente, o
comprimento do
PDB sampler é
de 30 a 60 cm

116
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de Amostragem –
Plano de Investigação
• Determinação da estratégia de amostragem mais adequada
baseia-se em diversos fatores, tais como: objetivos do estudo;
propriedades do meio geológico; grau de confiança
necessária; acesso aos pontos de amostragem e restrições
relacionadas a recursos
• Amostragem não probabilística (direcionada) x amostragem
probabilística (aleatória/malha)
• Amostragem de acordo com uma malha poderá ser apropriada
caso não seja possível localizar APCs específicas (ex.: aterros)
• Normalmente, a amostragem direcionada tem como enfoque as
APCs
• AMOSTRAGEM NÃO SIGNIFICA APENAS UMA AMOSTRA (3 é
o mínimo)

117
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de Amostragem –
Plano de Investigação

• No geral, investigações subsuperficiais deverão ser


estruturadas da seguinte maneira:
• Investigação intrusiva
• Investigação detalhada, por exemplo, para
delinear os impactos no solo identificados
durante a campanha inicial de amostragem
• Investigação para fins de remediação, caso a
contaminação requeira a tomada de medidas
remediadoras

118
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de Amostragem –
Plano de Investigação

• Os seguintes meios poderão estar sujeitos a


investigação
• Vapores orgânicos no solo
• Água subterrânea
• Solo
ZOOM

• Água superficial
• Sedimentos
• Materiais de construção
• Ar ambiente (interno/externo)
• Radiação

119
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Plano de Amostragem e Análise –
Localização de poços de monitoramento para estudo WL

= eixo da pluma
= área fonte

= poço de monitoramento raso


= poço de monitoramento profundo

120
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Plano de Amostragem e Análise
Analises Químicas de Contaminantes

• Carga orgânica, nutrientes e patógenos fecais


• Salinidade
• Compostos orgânicos sintéticos
• Compostos de petróleo
• VOCs (BTEX)
• PAHs (benzo-a-pireno, naftaleno)
• Solventes Clorados
• PCE, TCE, TCA, MC, VC, PCBs
• Pesticidas clorados ou fosforados
• Metais pesados (prioritários)
• arsênio, cádmio, cromo, chumbo, níquel, zinco e
mercúrio

121
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Plano de Amostragem e Análise
Análises Químicas para Estudos de Atenuação Natural

• Análise de Manganês Total, Manganês Dissolvido, Ferro Total,


Fe2+, Fe3+, Alcalinidade, Amônia, Cloreto, Fluoreto, Nitrato,
Nitrito, Fosfato, Sulfato, Sulfito, Metano, CO2 e DOC (não TOC).
• Parâmetros físico-químicos na água com o equipamento
Horiba: pH; Condutividade Elétrica ; Oxigênio Dissolvido;
Turbidez; Temperatura; Salinidade; Sólidos Totais Dissolvidos
e Potencial de Oxi-Redução.
• A idéia é comparar poços background com vários poços
contaminados ao longo das plumas (nas duas direções), tanto
no aqüífero raso como profundo.
• Os dados também servirão para o projeto de um sistema de
tratamento de água subterrânea

122
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Saúde e Segurança Ocupacional
Equipamentos de Proteção Individual (EPI)
Proteção de:
• Cabeça (capacetes)
• Olhos (óculos de segurança)
• Ouvidos (protetores de espuma moldável, abafadores de
ruídos - tipo concha)
• Pés (botas com biqueira de aço e sola protetora)
• Pele (macacão, luvas)
• Pulmões (filtros de poeira ou respiradores com cartuchos
filtrantes, dependendo dos níveis de exposição)
• É PROIBIDO COMER, BEBER E FUMAR NA ÁREA
CONTAMINADA

123
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Saúde e Segurança Ocupacional
Descontaminação em Campo
Definição:
• Processo de remover ou neutralizar contaminantes
que vêm se acumulando em pessoas (ou
equipamentos)
Prevenção:
• Minimizar o contato
• Sempre que possível, usar técnicas de amostragem
remotas ou dispositivos automatizados
• Proteger os equipamentos em sacos fechados, etc
• Considerar o uso de roupas descartáveis

124
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais
Módulo 05 - Interpretação de Dados

125
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Aspectos Básicos

• Mais importantes fontes de dados:


• geologia
• hidrogeologia
• indicadores organolépticos (aspecto/odor)
• análises químicas (compostos/concentrações)
• dados sobre o nível d’água
• presença de fase líquida não aquosa (produto
livre)
• Comparar as informações levantadas com os
dados da Avaliação Ambiental Fase I

126
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Desenvolvimento de um Modelo Conceitual

Desenvolvimento de um Modelo Conceitual do Site:


• contaminantes de interesse
• identificar: fontes - vias de exposição - receptores
• desenvolver uma visão global do que está
ocorrendo no site
• atualizar o modelo conceitual do site de acordo
com as informações levantadas durante a
realização do projeto

127
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelo Conceitual do Site

128
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Quatro Fases

Solo não saturado


Fase livre de contaminante (NAPL)

Ar nos
poros do
solo

Solo

Contaminantes
Contaminantes
sorvidos
dissolvidos na água

129
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Quatro Fases

A distribuição do contaminante é determinada


pelos seguintes fatores:
• Solubilidade, densidade, viscosidade e pressão de
vapor do produto livre
• Reatividade química do produto dissolvido
• Parâmetros de sorção ao solo, degradação e
volatilização

130
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Quatro Fases
A distribuição do contaminante também é
determinada por fatores como:
• Extensão e tempo de existência do vazamento /
derramamento
• Geologia (camadas de permeabilidade variável)
• Profundidade do lençol freático
• Feições que influenciam o comportamento da
água subterrânea (poços de extração, interação
com corpos d’água superficiais, zonas de recarga,
etc)

131
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
LNAPL/DNAPL

LNAPL DNAPL
Densidade do líquido orgânico < 1,0 Densidade do líquido orgânico > 1,0
Light non-aqueous phase liquid Dense non-aqueous phase liquid
Benzeno Tricloroeteno (TCE)
Tolueno Percloroeteno (PCE)
Combustíveis contendo hidrocarbonetos Alcatrão de Hulha
Óleos contento hidrocarbonetos PCBs

132
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Distribuição de Fases - LNAPL

133
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
LNAPL Espalhado / Residual

134
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Distribuição Subsuperficial de Vazamento
de Gasolina

135
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Distribuição de Fases - DNAPL

136
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Distribuição de DNAPL - Zona Vadosa

Pankow & Cherry, 1996

137
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Distribuição de DNAPL - Aqüífero Poroso

Pankow & Cherry, 1996

138
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Distribuição de DNAPL - Aqüífero Fraturado

Pankow & Cherry, 1996

139
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Massa de Contaminantes em Matriz de
Porosidade Dupla

140
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Onde está a Maior Parte da Massa de
Contaminantes?

• Uma pergunta importante que deverá ser abordada durante o


processo de caracterização do site
• A natureza heterogênea dos contaminantes e da geologia é um
grande problema
Pluma de TCE de 5 km em Denver: 4,5 bilhões de litros de água subterrânea
contaminados por apenas 80 L de TCE dissolvido (metade do volume de um tambor)

Muitas vezes, vazamentos de gasolina são de 1-3% fase dissolvida e de <1% vapor,
ENTRETANTO, ESTAS FASES PODERÃO GERAR OS MAIORES RISCOS

Análises do solo fornecem dados de concentração a granel:


usar uma fórmula para determinar a distribuição de massa

141
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Solubilidade

Contaminante Solubilidade em mg/l a 20°C


Benzeno 1780
Tolueno 515
P-Xileno 198
Naftaleno 31
1,1,1-Tricloroetano 4500
Tricloroeteno 1100
Cloreto de vinil 4270
Aroclor 1260 0,144
Fenol 93000
Óleo mineral Algumas mg/l (*)
(*) Depende da sua composição

142
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Densidade

Contaminante Densidade em g/cm3 a 20°C


Benzeno 0,8765
Tolueno 0,8669
P-Xileno 0,8610
Naftaleno 1,162
1,1,1-Tricloroetano 1,4397
Tricloroeteno 1,4642
Cloreto de vinil 0,9106
Aroclor 1260 1,566
Fenol 1,0576
Óleo mineral 0,80 - 0,85 (*)
(*) Óleo Diesel

143
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Viscosidade

Contaminante Viscosidade em cp a 20°C


Benzeno 0,6468
Tolueno 0,58
P-Xileno 0,635
Dibutilfalato 16,47
Óleo mineral 1,3 - 24,0 (*)
(*) Óleo Diesel

Viscosidade de Água : 0,98 cp


144
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Pressão de Vapor

Contaminante Pressão de Vapor em mm Hg a 20°C


Benzeno 76
Tolueno 22
P-Xileno 9
Naftaleno 5,4 x 10-2
1,1,1-Tricloroetano 19
Tricloroeteno 57,8
Cloreto de vinil 2560
Aroclor 1260 6,3 x 10-6
Fenol 0,2

145
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas

Constante da Lei de Henry (H)


• O constante da Lei de Henry mede a tendência de distribuição
de concentrações de um produto químico entre uma solução e
o gás sobre a solução
• Este coeficiente depende da temperatura
• É expresso como: atm-m3/mol
• Determina a tendência de volatilização de produtos químicos a
partir da água subterrânea e também é importante para
descrever a distribuição de concentrações fora da zona de
produto livre

146
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Coeficiente de Henry

Contaminante Constante da Lei de Henry em


atm-m3/mol a 20°C
Benzeno 5,43 x 10-3
Tolueno 6,61 x 10-3
P-Xileno 7,01 x 10-3
Naftaleno 7,34 x 10-4
1,1,1-Tricloroetano 9,09 x 10-4
Tricloroeteno 9,9 x 10-3
Cloreto de vinil 5,6 x 10-2
Aroclor 1260 1,71 x 10-4
Fenol 3,97 x 10-7

147
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Coeficiente de Adsorção
Coeficiente de adsorção ao solo
• O coeficiente de adsorção ao solo mede o grau de facilidade em
que um produto químico se adere à superfície das partículas do
solo
• No caso de baixas concentrações de soluto, o particionamento
entre a fase aquosa e o material sorvente poderá ser
considerado como uma isoterma linear (modelo linear de
sorção)
• S = Kd x C , onde:
• S = massa adsorvida por massa de material sorvente (mg/kg)
• Kd = coeficiente de partição (L/kg)
• C = concentração na água subterrânea em condições de
equilíbrio (mg/L)

148
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Coeficiente de Adsorção

• A adsorção do contaminante ao solo pode ser descrita da


seguinte forma:
• Kd = Koc x foc , onde:
• Foc =fração de carbono orgânico do meio poroso
• Koc = coeficiente de partição de carbono orgânico

149
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Propriedades Físico-químicas - Coeficiente de Adsorção

Contaminante Koc em mg/l


Benzeno 83
Tolueno 300
P-Xileno 87
Naftaleno 1300
1,1,1-Tricloroetano 152
Tricloroeteno 126
Cloreto de vinil 57
Aroclor 1260 (PCB) 530.000
Fenol 14,2

150
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Transporte de Soluto

Mecanismos
• Advecção
• Dispersão Mecânica
• Difusão Molecular
• Adsorção
• Volatilização
• Degradação Química ou Biológica

151
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Atenuação Natural
• Processos (orgânicos) • Processos (metais)
• Diluição
• Diluição
• Adsorção
• Adsorção
(reversível/irreversível)
• Volatilização
• Precipitação (depende doa
• (Bio) degradação pH)
• Metodologia:
• Linha de Evidência Qualitativa (conjunto de ferramentas
MONA, diretrizes da USEPA)
• Linha de Evidência Quantitativa (BIOCHLOR, BIOPLUME,
PLUME3D, RT3D)

152
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Reatividade Orgânicos: degradação seqüencial de 1a ordem
Metais: difícil ...

153
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Relação entre reatividade química/biológica e mobilidade

Contaminantes:
ica BTEX Dissolvido
m

a
ix
e qBa Cetonas e Álcoois Dissolvidos
d
ida Etenos Clorados na Zona Vadosa
v
e ati BTEX, Combustíveis na Zona Vadosa
lta

R
A
Reatividade biológica
Alta

1
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

154
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Relação entre reatividade química/biológica e mobilidade
Contaminantes:
Éteres, MTBE
ica Metais Dissolvidos, Cr+6
m
quíix
a Etenos Clorados na forma de DNAPL
Ba

d e
ida BTEX na forma de LNAPL, Combustíveis
v
ati Etenos Clorados Dissolvidos
Re
lta
A
Reatividade biológica
Alta
Baixa

2
Alta Baixa
Mobilidade

155
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Relação entre reatividade química/biológica e mobilidade
ica Contaminantes:
m

a
Hidrocarbonetos Pesados, No 6

ix
q

Ba
d e
ida Hidrocarbonetos Poliaromáticos (> 4 anéis)
v
ati Metais Adsorvidos, Cr+6
Re
lta

Falatos
A
Reatividade biológica

Tri-, Tetraclorobenzenos
Etenos Clorados na Zona Saturada
PCP
Alta
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

156
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Relação entre reatividade química/biológica e mobilidade
ica Contaminantes:
m

a
ix
q Hidrocarbonetos Poliaromáticos (< 4 anéis)
Ba
d e
ida Pesticidas Organofosforados
v
ati BTEX na Zona Saturada
Re
lta
A

Clorofenóis (Não PCP)


Reatividade biológica
Alta

4
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

157
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Relação entre reatividade química/biológica e mobilidade

ica
m

a
ix
q
Ba
d e
ida Contaminantes:
v
e ati Etanos Clorados Dissolvidos
lta

R
A

Clorometanos Dissolvidos
Reatividade biológica

TCA/DCA, CCl4 DNAPL


Alta

5
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

158
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Interpretação de Dados
Relação entre reatividade química/biológica e mobilidade
ica
m

a
ix
q

Ba
d e
ida Contaminantes:
v
ati PCBs
Re
lta

DDX
A

Explosivos
Reatividade biológica
Alta

6
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

159
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelos Numéricos
• Objetivos
• Testar hipóteses e melhorar os
conhecimentos de um sistema aqüífero
• Entender processos físicos e químicos
• Projetar sistemas de remediação
• Gerenciar recursos hídricos
• Prever concentrações em pontos de
exposição futuros

160
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelos Numéricos
• Auxiliam na
definição da
extensão atual e
futura da pluma
de contaminação:
• Modelos de
Fluxo
• Modelos de
Transporte

161
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelos Numéricos

• Auxiliam no
projeto de
sistemas de
remediação, tais
como:
- Bombeamento e
Tratamento
- Extração
Multifásica
- Barreira Reativa
- ...

162
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais

Módulo 06 -Análise de Riscos à


Saúde Humana

163
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tópicos

• Conceitos Básicos de Análise de Risco


• Padrões Ambientais empregados no Brasil
• Metodologia desenvolvida pela USEPA
(1989)

164
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - Objetivos

• Verificar e quantificar os atuais e futuros riscos à


saúde humana decorrentes de uma situação de
contaminação
• Definir os níveis de remediação necessários,
específicos para o site, caso sejam identificados
riscos significativos

165
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - Abordagem
• Há riscos à saúde humana caso exista:
• uma fonte de contaminação; e
• um receptor exposto a esta contaminação; e
• uma via de exposição que liga a contaminação ao
receptor atual ou futuro.
• A magnitude do risco depende da intensidade da
contaminação, da vulnerabilidade do receptor e da
natureza da via de exposição.
• Caso um destes três componentes esteja ausente, não
haverá risco e, portanto, não haverá necessidade de
remediação.

166
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação de Risco
Modelo Conceitual de Risco

167
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Padrões Ambientais Aplicáveis
• Comparação dos resultados obtidos no campo
(e previstos em modelos) com os padrões
ambientais em vigor:

• Água
• Listagem Cetesb (2001 – Atualizada 2005)
• Portaria 518/04
• Resolução CONAMA 357
• Padrão Holandês (valores “I” - intervenção)

168
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Padrões Ambientais Aplicáveis
• Solo
• Listagem Cetesb

• Padrão Holandês (valores “I” - intervenção)

• Valores superiores ao padrão indicam a


necessidade de remediação ou de realização de
uma análise de riscos ambientais

169
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - Conceitos Básicos
• Receptores:
• trabalhadores dentro e fora do site, e residentes adultos e
crianças na vizinhança
• Vias de exposição:
• contato cutâneo: solo contaminado e água superficial ou
subterrânea durante o banho;
• inalação: vapores em ambientes internos e externos,
resultantes da volatilização de compostos presentes no solo
e na água subterrânea
• ingestão: de solo, água subterrânea, água superficial ou
alimentos contaminados.

170
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - Etapas
• Etapas na Análise de Riscos (USEPA, 1989)
• Identificação de compostos de interesse (resultados de
análises químicas)
• Análise da exposição (identificação de receptores,
vias de exposição, cálculos de concentrações nos
pontos de exposição e doses absorvidas)
• Análise de toxicidade (banco de dados toxicológicos)
• Caracterização de risco (combinação dos resultados das
análises de exposição e toxicidade)
• Cálculo de concentrações meta de remediação (caso existam
riscos significativos)

171
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - Visualização
Ingestion, Inhalation of
Absorption, & Ambient
Inhalation from Vapors & Inhalation of
Surficial Soils Particulates Indoor Vapors

Ingestion of
Potable Water
Surface Source

Subsurface
Source
Vapor Intrusion

Leaching/
Percolation Fish

Fish
Groundwater Larvae Shellfish
Groundwater Transport Migration

172
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - Modelamento
Modelamento de Risco: Fonte - Via de Exposição - Receptor

Fonte Mecanismo de
Meio Físico Via de Exposição
Primária Liberação

Vapores Ar Inalação

Partículas Ar Ingestão Acidental


Solo Liberadas pela Contato Cutâneo
Migração do Solo Solo Inalação

Lixiviação/ Água
Ingestão de Água
Infiltração Subterrânea

173
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Risco: Exemplo do Levantamento de Possíveis Receptores

2012
2002

Árvore frutífera
Horta e/ou pomar = limite de potabilidade
Poço raso desativado = área fonte
Poço raso em uso
174
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Riscos - exemplo de riscos
quantificados
Tabela 13 - Cálculo de Riscos Carcinogênico e Não Carcinogênico para Trabalhadores Atuais e Futuros

RISCOS CARCINOGÊNICOS
Contato dermal Inalação de Inalação de Inalação de
com água do Rio vapores da água vapores da água vapores da água
Compostos de Risco Potencial Totais
Atibaia durante do Rio Atibaia subterrânea em subterrânea em
banho durante banho espaços fechados espaços abertos
1,1 Dicloroeteno 7.50E-10 2.50E-10 2.51E-07 4.99E-09 2.57E-07
Tetracloroeteno 2.31E-09 1.69E-10 1.09E-08 2.23E-10 1.36E-08
Tricloroeteno 2.00E-08 2.29E-08 1.07E-05 2.53E-07 1.10E-05
Cloreto de Vinila (adulto) 1.28E-09 6.69E-11 5.22E-07 9.95E-09 5.33E-07
Totais 2.44E-08 2.34E-08 1.15E-05 2.68E-07 1.18E-05

RISCOS NÃO CARCINOGÊNICOS


Contato dermal Inalação de Inalação de Inalação de
com água do Rio vapores da água vapores da água vapores da água
Compostos de Risco Potencial Totais
Atibaia durante do Rio Atibaia subterrânea em subterrânea em
banho durante banho espaços fechados espaços abertos
Tetracloroeteno 1.24E-05 3.38E-07 2.19E-05 4.46E-07 3.51E-05
Tricloroeteno 4.67E-04 1.60E-05 7.49E-03 1.77E-04 8.15E-03
Cloreto de Vinila (adulto) 1.66E-06 4.46E-07 3.48E-03 6.63E-05 3.55E-03
Totais 4.92E-04 1.68E-05 1.64E-02 4.16E-04 1.73E-02

175
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estudo de Caso I

176
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O projeto em fases:
• Investigação de solo e água subterrânea
• Avaliação preliminar
• Investigação confirmatória
• Investigação detalhada
• Delineamento da área fonte e área pluma
• Modelagem de fluxo
• Avaliação de risco
• Estudo de entorno
• Modelagem de transporte de solutos

177
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
1. Investigação preliminar e confirmatória

178
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Geografia

179
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Investigação preliminarAPROVADA
PROPOSTA - Plano diretor

8 9
ENERGIA
3.700m²
7

ESCRITÓRIOS
5
2 ESTOQ
WIRELINE 5 EMBAL
PORTARIA RESTAURANTE EXPED
5.950m²
CONTROLE 1 F 1 1400m²

AF/EEA
6 3
FUNCIONÁRIOS

AIT
PORTARIA DISPONÍVEL 3
PORTARIA

VISITANTES
2 1.840m²

AIT
VP/EEI/AF 1 4
ESTACIONAMENTO
VISITANTES

2
R
A MANUTENÇÃO
PREDIAL 3344m2

CT DISPONÍVEL AO
AO

1 2
C
VESTIÁRIOS P
B
7
MATEC E
4 2 6
8 1
G
WIRELESS
CT RBS 884 / CENTRO 1
REPAROS
9 MINI-LINK 700m² TERMINAIS CELULARES MATEC
DISP.
600m² 1
7

ALMOX.
ERICSSONF
LOGÍSTICA INSTAL.
10 12 3 5 3 2
1.290m²
PAPEL. 3 C Nº ARQUIVO
LOGÍSTICA

CONTAINERS

11 LOGÍSTICA 3
1.920m²

ARQUIVO
0100 - FBAB 10101
2830m²

RECEBIMENTO 3.575m² DISPONÍVEL 2 INATIVO

2.580m² 6 5 44.750m² ESCALA


MATERIAIS M DENOMINAÇÃO
S/
INSERVÍVEIS
1 ESCALA
LOGÍSTICA - 705m² REVISÃO
O T
PORTARIA
I2 J L PLANO DIRETOR A
I HTERCEIROS
1 1 1 1 1
TESS 2 2 TP1 2 DATA
99/12/1
PORTARIA 0
RUA AMBRÓSIO MOLINA DE CARGAS CONTROLAD
EXECUTADO VISTO APROVADO
O
EDB/NFP GIGLIO EDB/DQ MARTINUS
180
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação de atividades históricas - prédio B

NE

E
N

SE
NO
PM-21

S
O

SO
PMP-02

PM-20

ANTIGAS INSTALAÇÕES

PZ-06 PZ-04 PZ-05 1 - Reservatório de 1,1,1 Tricloroetano (TCA)


PZ-01

PP-01 TRATAMENTO DE EFLUENTES


O 2 - Laboratório da galvanização (análise dos produtos e avaliação
das peças galvanizadas)
13

H I 3 - Cabines de pintura manual

T PMP-01
4 - Área de serigrafia para marcação de peças

5 - Galvanização manual com cerca de 10 tanques de


aproximadamente 1m3 cada ( com diferentes produtos)
PM-13 PM-04
1 PM-14
6 - Depósito de peças prontas
PM-17 4
7 - Cabine manual de zincagem
3
6 8 - Estufa para secagem de peças
2 PM-165

9 - Área de zincagem com aproximadamente 8 tanques

CORREDOR
PM-12
8 10 - Área de galvanização mecânica com aproximadamente 20
10A tanques;
9 10A - tanques de água
10B PM-15 PM-18 10B - tanques de produtos químicos, com dique de contenção
7
com saída para a área de tratamento de efluentes por via
11 subterrânea
ÁREA DE FERRARIAS (PRENSAS) 12
11 - Fornos subterrâneos, com 3 m de profundidade, isolados por
manilha de amianto, para recozimento de peças.
ÁREA DE PRODUÇÃO
12 - Tanque subterrâneo (2m de profundidade) de solvente clorado
para lavagem de peças

13 - Área de tratamento de efluentes com um tanque de Cromo


PM-19
ácido (H+, C6+) e um tanque de Cianeto básico (OH-, CN-)

LEGENDA:

Poço de monitoramento existente


PM-05

ALMOXARIFADO
FERRAMENTAS
MANUTENÇÃO DE PRENSAS
E DEPÓSITOS
TORNOS AUTOMÁTICOS
B PM-09
Poço de monitoramento instalado

Poço de monitoramento profundo


PMP-02

Poço de produção
PP-01
PP-02
Poço de produção (localização
PP-02
aproximada)
PM-01 Poço piezométrico
PZ-06

0 1250 2500 3750 5000

ESCALA 1:1250

CLIENTE DESCRIÇÃO 181


ORDEM DE SERVIÇO

A365.01-X009
WO A365/02.01
Delivering sustainable solutions in a more competitive world PROJETO
ERICSSON
CONTROLE DE EDIÇÃO
Antigas Instalações FIGURA / ANEXO
FIGURA 10
EDITOR / DESENHISTA
ESTEDOCUMENTO ÉPROPRIEDADE DA ERM BRASIL LTDA. E
TRABALHOS COMPLEMENTARES DE SOLO E 25/07/2002 25/07/2002
NÃO PODE SER COPIADO, REPRODUZIDO OU TRANSMITIDO POR ENRICO GONZALES
NENHUM OUTRO MEIO, OU USADO EM DIFERENTEPROPÓSITO RESPONSÁVEL TÉCNICO
ÁGUA SUBTERRÂNEA
Fluxo de água subterrânea raso - Junho 2002

562,0
,0

0
3,
560,0
PM-21

561

56
(561,99)

NE

E
0
4,

N
56
,0
559

SE
PM-20

NO
(562,91)

S
5,0

SO
O
56
PM-05
(558,62)
PM-08
(559,98)
O
I
H 6,0
56
PM-03
(560,17) L J 2
T PM-13
(563,98)
PM-04
(560,70)
PM-07
(560,25) PM-14
(565,30)
PM-17
(565,52)

M PM-16
(565,75)
PM-12
(565,88)
PM-18
PM-15 (566,23) 7,0
(566,11) 56
PM-06
(562,55)

PM-19
(566,94)

G 56
8,0

E C B

R
P PM-01
(568,17)
A
PM-02
(561,08)

D
PM-11
(561,63)

LEGENDA:

Poço de monitoramento existente


PM-05

Poço de monitoramento instalado


PM-09
N PM-09

(561,59)
568,0 Linha equipotencial
PM-10
(562,32)

S Direção preferencial do fluxo

(562,9) Carga hidráulica

0 1250 2500 3750 5000

ESCALA 1:2500

CLIENTE DESCRIÇÃO
182
ORDEM DE SERVIÇO

A365.01-X002
WO A365/02.01
ERICSSON
Delivering sustainable solutions in a more competitive world PROJETO
Mapa Potenciométrico do Aquifero Raso
CONTROLE DE EDIÇÃO
ESTE DOCUMENTO É PROPRIEDADE DA ERM BRASIL LTDA. E
FIGURA / ANEXO
FIGURA 06
EDITOR / DESENHISTA

TRABALHOS COMPLEMENTARES DE SOLO E 25/07/2002 25/07/2002


NÃO PODE SER COPIADO, REPRODUZIDO OU TRANSMITIDO POR ENRICO GONZALES
NENHUM OUTRO MEIO, OU USADO EM DIFERENTE PROPÓSITO RESPONSÁVEL TÉCNICO
ÁGUA SUBTERRÂNEA

CIP
EDIÇÃO REVISÃO QUE AQUELE PARA O QUAL O MESMO FOI FEITO. SAMARA PEREIRA
Investigação confirmatória - Etapas realizadas
PM-21

NE

E
PMP-01 1,1 - DCE

N
9-10 m 0,051

16-17 m 0,004

SE
PMP-02
Antiga

NO
PM-20

área da

S
SO
O
PC

PM-08
PM-05

PP-01
PZ-06PZ-04 PZ-05 PZ-01 O ETE
H I
SS-19
PM-03
L J 2
T SS-07
PMP-01
Antiga área
PM-07
PM-17
PM-13 PM-04 PM-14
SS-16

SS-13 SS-15
SS-17

SS-18de
M PM-16
SS-08
SS-14

SS-12
PM-12
SS-11
desengraxe
Qualidade de água
PM-15 PM-18
SS-09
SS-10
SS-08 1,1 - DCE CIS - 1,2 - DCE
7-8 m 0,079 0,004
PM-06

subterrânea raso a 9-10 m 0,039 -

jusante de prédios com


PM-19

G
atividades
E C B
PM-19 1,1 - DCE
8-9 m 0,019

potencialmente
R PP-02

P causando impactos PM-01


Análises adicionais
ambientais A
Óleo e solo de de VOC, CromoVI,
PM-02

transformadore Cianeto e metais nos


s poços de produção
F e poços a jusante do
prédio B

D LEGENDA:

Poço de monitoramento existente


PM-05
PM-11
Poço de monitoramento instalado
PM-09

SS-06
Poço de monitoramento profundo
PMP-02
SS-02

SS-06
Sondagens

SS-01
SS-03
Área dos Amostras de solo PP-01
Poço de produção

PM-09
Pinheiros N
PM-10 tipo PP-02
Poço de produção (localização
aproximada)
Poço piezométrico
S “background” PZ-06

SS-05
Poço clean-up
PC
SS-04

PP-03 183
Delivering sustainable solutions in a more competitive world 0 1250
2500 3750 5000

ESCALA 1:2500
Delineamento da área fonte no prédio B

NE

E
N
PM-21 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PM-21

SE
Jul/02 14 5U 66 5U

NO
PM-20 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 53 1J 1400D 2J

S
SO
OURO E PRATA

O
PZ-04 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 5U 5U 37 5U
PMP-02 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 5 2J 200 5U PZ-05 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PMP-02
Ago/01 74 5 190D 3J
PZ-06 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 70 9 365 <5
Ago/01 18 <5 1222 <5
PM-20
Jul/02 14 5U 1100E 5U
PB-02 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jan/03 <5 <5 <5 <2

RUA AMBROSIO MOLINA

PZ-01 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC


PB-01 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PB-02 Jul/02 160D 65 860D 6
PZ-06 PZ-04
Jan/03 180 360 5400 <2
PZ-05 PM-31 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PZ-01

PM-04 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC Jan/03 580 77 730 <2
PM-05
PP-01 Ago/01 178 1090 30800 <5
PM-27 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 260E 2800DJ 12000D 5U
Jan/03 160 <5 780 <2

PM-31
PMP-01 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 41 8100E 2100E 5U
PM-13 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PM-27
BALANCA PM-14 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 140 65 1700E 5U
PB-03 PMP-01 Jul/02 160 1700DJ 27000D 5U
PM-13

PB-01 PM-14
PM-24 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PM-04 Jan/03 83 <5 390 <2
PM-23 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jan/03 26 13 2000 <2 PM-24 PM-28 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PM-23 PM-28
Jan/03 36 <5 1500 <2
PM-17
PM-16 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PM-17 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 23 8 2400D 5U PM-16
Jul/02 100 9 12000D 5U

PM-12 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PM-22


PM-29 PM-29 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 71 2J 440D 5U PM-12 Jan/03 <5 <5 900 <2

PM-15
PM-25 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PM-22 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
PM-25 Jan/03 170 <5 12000 <2
Jan/03 22 <5 760 <2
PM-18

PM-18 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC


PM-15 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 310E 29 23000D 5U
Jul/02 69 14 18000D 5U

LEGENDA
PM-26 PM-30
POÇO DE MONITORAMENTO
PM-20
PM-26 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PM-30 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jan/03 <5 <5 280 <2 Jan/03 <5 <5 <5 <2 POÇO DE MONITORAMENTO ( INSTALADO EM JANEIRO/2003 )
PM-31

POÇO DE MONITORAMENTO PROFUNDO


PM-19 PMP-02

POÇO DE BOMBEAMENTO ( INSTALADO EM JANEIRO/2003 )


PB-03
PM-19 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC
Jul/02 5U 5U 9 5U POÇO DE MONITORAMENTO ADICIONAL (15 m)

POÇO DE MONITORAMENTO ADICIONAL (25 m)

POÇO PIEZOMÉTRICO
PP-02 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PZ-06

Ago/01 <5 <5 7 <5


POÇO DE PRODUÇÃO
PM-01 TCE 1,1,1 TCA 1,1 DCE VC PP-01

Ago/01 <5 <5 14 <5


PONTO DE AMOSTRAGEM DE SOLO
Jul/02 5U 5U 5U 5U

1,1 DCE > 30 ppb - LIMITE DE INTERVENÇÃO (CETESB)


PP-02

1,1 DCE > 10000 ppb

PM-01

TCE TRICLOROETENO

1,1,1 TCA 1,1,1 TRICLOROETANO

1,1 DCE 1,1 DICLOROETENO

VC CLORETO DE VINILA

160 CONCENTRAÇÃO DETECTADA EM JAN/03

CLIENTE DESCRIÇÃO ORDEM DE SERVIÇO

A5019-1-X006
WO A5019/02.01
ERICSSON Mapa de Concentração da Água Subterrânea FIGURA / ANEXO
FIGURA 06

184
0 12,5 25 37,5m PROJETO CONTROLE DE EDIÇÃO ESTE DOCUMENTO É PROPRIEDADE DA EDITOR / DESENHISTA

FASE A 14/03/2003 18/03/2003


ERM BRASIL LTDA E NÃO PODE SER COPIADO,
REPRODUZIDO OU TRANSMITIDO POR NENHUM
ENRICO GONZALES
ESCALA 1:1250 Projeto Conceitual de Contenção Hidráulica OUTRO MEIO, OU USADO EM DIFERENTE PROPÓSITO
RESPONSÁVEL TÉCNICO

CIP
EDIÇÃO REVISÃO SASHA TOM HART
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
QUE AQUELE PARA O QUAL O MESMO FOI FEITO.
FORMATO A3 - MOLDURA 386 x 279 mm
Testes de Bombeamento
A A'
SW Prédio B Prédio O NE

Cerca
PMP-02
PMP-02

PM-29
PM-29
PB-01
PB-01
PM-31
PM-31
PB-02
PB-02
572

570

568
?
NA NA
?
566

564 1. Lençol freático


562
NA
Aquitarde
raso NA
PROFUNDIDADE (metros)

560
NA
Carga hidráulica
558

aqüífero raso
556

554

552
2. Aqüífero
? ? raso
550

548

546

? ? 3.
544 ?
? ? Aquitarde
542 ?
profundo 0 2,5 5 7,5 10
540
ESCALA HORIZONTAL 1:500

LEGENDA:

Piso de concreto sobre brita. Areia argilosa com cascalho na base.

Areia fina a média cor clara. Argila siltosa amarela.

Aterro argilo siltoso avermelhado. Argila arenosa a siltosa. CLIENTE DESCRIÇÃO ORDEM DE SERVIÇO

A5019-1-X004
WO A5019/02.01
ERICSSON Seção Geológica A-A' FIGURA / ANEXO
ANEXO
Areia fina a grossa, cor clara, com arcósios. Argila siltosa compacta, cinza. PROJETO CONTROLE DE EDIÇÃO ESTE DOCUMENTO É PROPRIEDADE DA EDITOR / DESENHISTA

FASE A ERM BRASIL LTDA E NÃO PODE SER COPIADO, ENRICO GONZALES
Projeto Conceitual de Contenção Hidráulica
14/03/2003 18/03/2003 REPRODUZIDO OU TRANSMITIDO POR NENHUM
OUTRO MEIO, OU USADO EM DIFERENTE PROPÓSITO
185
RESPONSÁVEL TÉCNICO

CIP
EDIÇÃO REVISÃO QUE AQUELE PARA O QUAL O MESMO FOI FEITO. SASHA TOM HART
FORMATO A3 - MOLDURA 386 x 279 mm

Delivering sustainable solutions in a more competitive world


Calibração do modelo MODFLOW - Aquitarde raso (camada 1)

Prédio B

= poço cacimba

186
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Calibração do modelo MODFLOW - Aqüífero raso (camada 2)

Prédio B

= poço cacimba

187
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Possíveis rotas de migração segundo o modelo Modflow/Modpath

córr
ego
= poço cacimba
= poço mon. proposta (15
m)
= poço mon. proposta (25
m)
Prédio B = migração no aquitarde
raso
= migração no aqüífero
raso 188
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelo conceitual da hídrogeologia e distribuição da contaminação
580

PP-03
PP-03 PP-02
PP-02
Prédio
PP-19
B PMP-01PP-01
PP-01 PMP-02

570 A A'

560
1. Aquitarde raso

550

2. Aqüífero raso
540

530

520 3. Aquitarde
profundo
PROFUNDIDADE (metros)

510

500

490

480

470

460

4. Aqüífero profundo
450 LEGENDA:

Camada 1
440

Camada 2
430
? ?
Camada 3
420
?
? Camada 4
410 ?
Camada 5

CLIENTE DESCRIÇÃO ORDEM DE SERVIÇO

A365.01-X006
WO A365/02.01
ERICSSON Secção A-A' FIGURA / ANEXO
FIGURA 05
PROJETO CONTROLE DE EDIÇÃO EDITOR / DESENHISTA
ESTEDOCUMENTO É PROPRIEDADE DA ERM BRASIL LTDA. E
TRABALHOS COMPLEMENTARES DE SOLO E 03/08/2002 03/08/2002
NÃO PODE SER COPIADO, REPRODUZIDO OUTRANSMITIDO POR ENRICO GONZALES
RESPONSÁVEL TÉCNICO
ÁGUA SUBTERRÂNEA
NENHUM OUTRO MEIO, OUUSADO EM DIFERENTE PROPÓSITO

189

CIP
EDIÇÃO REVISÃO QUEAQUELE PARA O QUAL O MESMO FOI FEITO. SAMARA PEREIRA

Delivering sustainable solutions in a more competitive world


FORMATO A4 - MOLDURA 262 x 175 mm
2. Avaliação de Risco

190
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Receptores Potenciais e Riscos Identificados

2012
2002

Arvore frutífera
Horta e/ou pomar = limite de potabilidade
Poço raso desativado = área fonte
Poço raso em uso
191
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelagem de transporte de solutos - Calibração

192
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelagem de transporte de solutos - 1,1,1 TCA

ND

ND

193
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modelagem de transporte de solutos - 1,1 DCE

ND

194
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
3. Medidas corretivas propostas

• Objetivos
• Redução de riscos para a saúde pública
• Remoção de massa de contaminação

195
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Definição do problema

• 1. Prédio B
• No passado houve infiltração de solvente clorado no solo
(principalmente 1,1,1 TCA);
• O aquitarde raso (camada 1) e o aqüífero raso (camada 2) são
contaminados por produtos de degradação (principalmente 1,1
DCE); e
• Não há mais fase livre no solo - a contaminação está presente na
fase adsorvida e dissolvida.
• A pluma de fase dissolvida está migrando na direção de receptores
potenciais, via camada 1 e via camada 2.

• 2. Área dos Pinheiros


• Amostras rasos de solo apresentam teores elevados de metais.

196
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de remediação proposta - Prédio B e Entorno
• Aquitarde raso
• Contenção hidráulica
• Remediação
- área pluma: em estudo
- área fonte: em estudo
• Aqüífero raso
• Contenção hidráulica
• Remediação
- área pluma: Pump & Treat
- área fonte: em estudo
• Aquitarde profundo
• Monitoramento dos poços de monitoramento profundo
• Aqüífero profundo
• Monitoramento dos poços de produção ativos

197
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de remediação proposta - Área dos Pinheiros
• Investigação adicional de solo
• Delineamento horizontal de metais no solo; e
• Delineamento vertical de metais no solo.

• Revisão da análise de risco

• Elaboração de medidas corretivas (se necessário)


• Escavação

198
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Técnicas de remediação em estudo:
• Extração, Tratamento e possivelmente Injeção de Água
Subterrânea;
• Bioremediação Realçada por Aditivo In Situ; e
• Oxidação Química In Situ.

Ferramentas
• O projeto do sistema hidráulica de contenção e remediação será
elaborado, empregando o modelo MODFLOW;
• A melhor opção de remediação in situ será determinada através de
testes no laboratório; e
• Modelamento matemática de transporte de solutos será usado na
determinação do prazo necessário para remediar camada 1 e
camada 2.

199
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
4. Cronograma

• Evolução
• anual
• mensal

200
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Cronograma de Medidas Corretivas
Cronograma do projeto de investigação e remediação de passivos ambientais

Medidas Corretivas 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Fase A - Investigação adicional e projeto


conceitual do sistema hidráulico de
contenção e remediação

Fase B - Projeto detalhado e instalação do


sistema hidráulico de contencão e
remediação

Fase C - Projeto, instalação e execução


do sistema de remediação na área
fonte do prédio B e no aquitarde raso

Fase D - Remediação da pluma de


contaminantes no aquifero raso
a justante do prédio B

Monitoramento da carga hidráulico, vazão


e qualidade da água subterrânea no
aquifero raso e nos poços de produção

201
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais
Módulo 01 - Estratégias de
Remediação

202
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que o contaminante está impactando?
Inalação
Vapores Explosividade
Impactos Ecológicos

Ingestão, inalação
Contaminante Solo Contato Cutâneo
Impactos Ecológicos

Ingestão, inalação
Água Contato Cutâneo
(Superficial /
Subterrânea) Impactos Ecológicos

203
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que precisa ser feito?

Técnico

Escopo Ponto(s) Final(is)


Programação Esforços
Orçamento Monitoramento
Gestão
Integrada

ção
do Site
Ne

isla

Uso
Conformidade
cio

Leg
Responsabilidade
s

204
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que poderá ser feito?
Encerramento

Sistemas de Barreira
Sistemas Passivos
Baseado em Risco
Sem Necessidade
de Novas Ações

Monitoramento

Pump & Treat


a Longo Prazo

Remediation”
“Intrinsic
Limpo Estático Dinâmico
Abordagem “Dura” “Equilíbrio” Abordagem “Mole”
(MCLs) (Monitoramento) (Manutenção)
Tratamento Contenção

Esforço

205
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia de Remediação Baseada em Risco
• Objetivos de curto prazo (não negociáveis)
• Implementar medidas de emergência para reduzir
os riscos a níveis aceitáveis

• Resolver questões envolvendo terceiros

• Objetivos de longo prazo (negociáveis)


• Remover a massa de contaminantes dos “hot spots”

• Aumentar a qualidade do solo e da água


subterrânea

206
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Problemas Complexos Requerem Soluções Integradas

• Não Existe uma Solução “Mágica”

• Problemas Complexos são Combinações de Diversos


Problemas Simples
a ção
min
ta
Con
• Uma Solução Complexa Envolve a Integração
de Diversas Soluções Simples
e& al
v at os nt
a
c e a t s p Ve
Ex Tr y Di
r
v e les
e co - pi
o
H
R Bi
P se
S on ha
a cti P
tr al
Ex Du

207
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia 1: Atenuação Natural Monitorada (dentro e
fora do site)

30 m

208
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia 2: Contenção (no site) + Atenuação Natural
Monitorada (fora do site)

30 m

209
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estratégia 3: Atenuação da Fonte (no site) + Atenuação
Natural Monitorada (fora do site)

30 m

210
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais
Módulo 02 - Técnicas de Remediação

211
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Remediação - Abordagens

Contaminação Contenção

Contaminação Remoção

Destruição Contaminação

212
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias de Remediação
• Escavação remoção

• Capeamento e barreiras verticais conteção

• Pump & Treat remoção

• Soil Vapor Extraction & Air Sparging remoção

• Dual Phase Extraction remoção

• In Situ Reductive Dechlorination destruição

• In Situ Chemical Oxidation destruição

• Soil Heating remoção/destruição

213
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Desenvolvimento de Tecnologias
Geochemical

{
Fixation
Os avanços mais recentes têm ZVI
envolvido a aplicação de um Reductive
agente de tratamento Dechlorination

In Situ Chem-Ox
Air Sparging
SVE
In Situ Aerobic Bioremediation
Escavação/Pump & Treat

1960 1970 1980 1990 2000

214
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias Tradicionais de Remediação
• Escavação
• Disposição em Aterro
• Estabilização
• Tratamento Térmico
• Tratamento Biológico

• Contenção
• Capeamento
• Paredes verticais

215
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Escavação
• Fatores que influenciam
o custo: profundidade,
necessidade de
drenagem, escoramento

• Tratamento do solo: Bio-


piling e Land-farming
são as opções que
oferecem a melhor
relação custo/benefício

216
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Escavação e disposição
• Remoção física de resíduos/solos contaminados
• Opções de disposição:
• Tratamento térmico, químico ou biológico

• Estocagem em aterros (classes I, II e III)

• Destino mediante classificação de acordo com a


Norma NBR 10004

• Vantagem: remoção simples e rápida


• Desvantagem: muito caro para grandes volumes

217
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Contenção
• Capeamento
• Capeamento do solo contaminado por uma
membrana ou solo impermeável

• Paredes verticais
• Barreira física

• Barreira reativa (“Iron Wall”)

218
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Contenção
PAREDES DE CONTENÇÃO LATERAL

219
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias Tradicionais de Remediação

• Pump & Treat


• Carbono
• Air Stripping
• Tratamento biológico
• Barreira Hidráulica

220
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Bombeamento &
Tratamento
• Modelamento
Hidráulico

• Sistema de
Tratemento

• Estudo de
Dispersão no Ar

221
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Bombeamento & Tratamento

AIR STRIPPING

222
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Contenção
• Barreira Hidráulica
• Método bastante comum: poços estrategicamente
posicionados para bombeamento de água
contaminada e posterior tratamento

• Baixa eficácia no caso de contaminantes pouco


solúveis

223
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias Tradicionais de Remediação
• Extração de Vapores do Solo
• Bio Venting
• High Vacuum Extraction
• Sparging
• Bio sparging
• Air sparging
• Dual Phase Extraction
• Bio slurping
• High Vacuum Extraction

224
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Extração de Vapores do Solo
• High Vacuum/ Bio venting

225
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Extração de Vapores do Solo
(SVE)

226
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Sistema em Escala Operacional
Novembro de 2000
Extração Multifásica

• Remoção da camada
sobrenadante (Bio
Área A
slurping)

• Rebaixamento do
lençol freático (High Área de
Carregamento

vacuum extraction)
Área B

227
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Soil Heating
• Tecnologia Inovadora
• Sistemas Three Phase e
Six Phase

• Outros sistemas de
aquecimento possíveis
(steam injection, RF
heating)

228
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Sparging
• Air sparging/ Bio sparging

Robinson, 2001

229
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
SVE e Air
Sparging
(combinados)

230
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias de Remediação – Injeção

• Biorremediação Aeróbica
• Peróxido de Hidrogênio (l)
• Ar
• ORC (s)
• PermeOx (s)
• Oxigênio (g)

231
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias de Remediação – Injeção
• Oxidação Química
• Reagente de Fenton (l)
• Ozônio (g)
• Permanganato (l)
• Persulfato (l)
• Fixação Geoquímica
• Redução (l)
• Precipitação (l)

232
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Tecnologias de Remediação – Injeção
• Decloração Redutiva Estimulada Biologicamente
• “HRC” (s)
• Melaço (l)
• Óleos Vegetais (l)
• Lactato/Acetato (l)
• Estimulação Microbiológica (l,s)
• Decloração Redutiva Abiótica (ZVI)
• Iron Walls
• Ferro Injetável (s)

233
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Principais Métodos de Injeção

• Injeção Direct Push


• Fraturamento hidráulico
• Poços de recirculação
• Fraturamento pneumático
• Tecnologia Pressure Pulse
• Poços e galerias de injeção

234
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Eficácia da Remediação In Situ

• Depende dos seguintes fatores:


• Eficácia do agente de tratamento químico
• Eficácia do método de introdução usado

235
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Oxidação In Situ (Oxidação Química)

• Injeção direta de oxidantes que eliminam contaminantes


• Oxidantes:
• Ozônio, peróxido de hidrogênio, permanganato
• Aplicação em núcleos de contaminação
• Bons resultados na remediação de aromáticos (BTEX) e
etenos clorados (TCE, PCE, DCE, VC)
• Limitações:
• eficácia do contato do reagente com o contaminante
• oxidantes são perigosos

236
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Oxidação Química - Processos Chave

• Oxidação Química In Situ


(-CHxCly-) → CO2 + H2O + HCl + e-
Oxidante + e- → Redutor
• Agentes Essenciais
- Reagente de Fenton - H2O2, Fe, H+
- Permanganato
- Persulfato - Na2S2O8 , Fe
- Ozônio - O3 (g)

237
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Oxidação Química In Situ usando KMnO4

Testemunho de Solo B-6, 7 a 8


metros abaixo da superfície

238
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Biorremediação
• Ação de microorganismos (bactérias e fungos) que
eliminam quimicamente o contaminante

• Tratabilidade:
• elevada: gasolina, diesel, solventes de petróleo (BTEX)
• muito baixa: PCBs, pesticidas clorados
• Vantagens e desvantagens
• processo natural e com baixo custo
• não é apropriado para todos os compostos
• pode ser um processo relativamente lento
• produtos da degradação podem ser perigosos

239
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Biorremediação
• Bioatenuação natural
• Princípio: nenhuma ação direta, apenas
monitoramento

• Como provar a ocorrência de atenuação natural:


- pluma deve permanecer imóvel ou diminuir,
apesar do fluxo da água subterrânea (implica
em monitoramento freqüente)
- deve haver consumo de receptores de elétrons
(o que prova a oxidação do contaminante)

240
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Biorremediação
• Biodegradação anaeróbica
• Princípio: introduzir no aqüífero grandes
quantidades de matéria orgânica facilmente
biodegradável, criando condições anaeróbicas

• Bactérias anaeróbicas crescem e alimentam-se da


matéria orgânica misturada com o contaminante

• Substrato: melaço, esterco

• Adequado para degradação de compostos


organoclorados

241
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Biorremediação - Processos Chave
• Biorremediação Aeróbica
(-CH2-) + O2 → CO2 + H2O
• Agentes Essenciais
- Oxigênio, ORC
- Nutrientes
• Decloração Redutiva Anaeróbica
(-CClx-) + H2 → (-CHClx-1-) + HCl
(CH2)xCOOH → (CH2)x-1COOH + H2 + CO2
• Agentes Essenciais
- Carbono Degradável
- Nutrientes
- Bactérias

242
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Biorremediação - Adição de Fonte de
Carbono
• Injeção de fonte de carbono
• Solúvel (aplicação freqüente/periódica)
- Lactatos
- Acetato
- Metanol
- Melaço/açúcares
• Insolúvel (menor número de aplicações)
- Óleos vegetais
» Adsorve DNAPLs
» Barreira física (permeabilidade reduzida)
- HRC (éster láctico de sorbitol)
- Biomassa
- Escuma de sabão - oleato

243
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Decloração Redutiva Anaeróbica -
Métodos de Injeção
• Injeção de
Substrato na sua
Forma Líquida

• Injeção de
Substrato,
Enriquecido com
Nitrogênio, na
Forma de Aerossol

244
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Quais Agentes Químicos são usados para o
Tratamento de Compostos Orgânicos?
Bioremed Declor. Reagente Permanganato Persulfato Ozônio ZVI
Aeróbica Redutiva Fenton

Compostos de Gasolina
Benzeno X X X X
TEX X X X X X
MTBE x X X X X
Compostos Clorados
PCE, TCE, DCE, VC X X X X X X
TCA, DCA X x X
CCl4, Clorofórmio, X X X
Cloreto de Metila
Outros Compostos Orgânicos
PAHs x X X X
PCBs x X

245
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Quais Agentes Químicos são usados para o
Tratamento de Compostos Inorgânicos?

ZVI Redução Precipitação


Química Química

Cromo X X
Chumbo X
Arsênio X
Mercúrio X
Cádmio X

246
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Conclusões
• Remediação ex situ eficaz depende da:
• Seleção de métodos apropriados de escavação
e drenagem
• Seleção do tipo apropriado de tratamento do
solo (dentro ou fora do site)

• Remediação in situ eficaz depende da:


• Seleção do tipo apropriado de agente de
tratamento químico
• Seleção de tecnologia apropriada para
introdução do agente

247
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais

Módulo 03 - Seleção e
Comparação de Tecnologias de
Remediação

248
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Técnicas de Remediação

• Técnicas de remediação não são


regulamentadas

• Cada caso requer uma abordagem de


remediação específica

• Muitas vezes, é necessario o uso de


uma combinação de métodos

249
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Técnicas de Remediação
Confinamento
capeamento
paredes
barreira hidráulica
barreira reativa
barreia de poços de injeção
Bombeamento & Tratamento
vários sistemas de tratamento de água
Imobilização/Solidificação
manipulação do pH
cimento
vitrificação
Tratamento In Situ
Extração de Vapores do Solo
Air Sparging
Extração Multifásica
Oxidação Química
Soil Heating
Bioremediação

250
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Técnicas de Remediação
Tratamento ex situ - no site
lavagem (com ar, calor e/ou “cal virgem”)
incineração
compostagem biopiling, landfarming
Tratamento ex situ - fora do site
co-processamento
incineração

251
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Estudo de Alternativas de Remediação
• Seleção da técnica de remediação mais apropriada é
baseada nos seguintes fatores:

• propriedades dos contaminantes

• propriedades do meio físico

• nível de evolução das tecnologias de remediação

• exigências da agência ambiental

• custos

252
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?

Remediação é função da
Mobilidade e Reatividade do Contaminante

Mobilidade e Reatividade são funções das


Propriedade do Contaminante e do Contexto Geológico

253
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
i ca
ím xa
Qu Ba
i
de
da
t ivi
a
Re

lta
A
Alta
Bio-reatividade
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

254
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
i ca
m
Quí aixa
e B
d ad Contaminantes
t ivi Nenhum aplicável, Ver Nos 1, 4
a
Re
lta

(Contaminantes Biodegradáveis
A

são quimicamente reativos)


Alta

Tratamento
Ver Nos 1, 4
Bio-reatividade

Contenção
Ver Nos 1, 4
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

255
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
Contaminantes
BTEX Dissolvido
i ca Cetonas e Álcoois Dissolvidos
m
Quí ixa
d e Ba Etenos Clorados na Zona Vadosa
i da BTEX, Combustíveis na Zona Vadosa
ativ
Re Tratamento
lta
A

SVE (Mobilidade)
Bioventing, Bio Sparge (Reatividade)
Alta

Bioremediação (Reatividade)
Oxidação Química (Reatividade)
1
Bio-reatividade

Air Sparging (Mobilidade)


Extração Multifásica (Mobilidade)
Extração de Água Subterrânea (Mobilidade)
Contenção
Bombeamento & Tratamento (Mobilidade)
Sparge Barrier (Mobilidade)
Baixa

Barreiras Oxidantes (Reatividade)


Escavação & Disposição (Mobilidade)
Capeamento (Mobilidade)
Alta Baixa “Intrinsic Bioremediation” (Reatividade)
Mobilidade
ORC (Reatividade)

256
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
Contaminantes
Éteres, MTBE
i ca a Metais Dissolvidos, Cr+6
ím ix
e Qu Ba Etenos Clorados na forma de DNAPL
d ad BTEX, Combustíveis (LNAPL)
vi
ati Etenos Clorados Dissolvidos
Re
lta

Tratamento
A

Recuperação de Fases Separadas (Mobilidade)


Alta

Recuperação a Vácuo (Mobilidade)


Bio-reatividade

Oxidação Química (Reatividade)


Air Sparging (Mobilidade)
Extração Multifásica (Mobilidade)
Extração de Água Subterrânea (Mobilidade)
Fixação Geoquímica (Reatividade)
Contenção
2 Bombeamento & Tratamento (Mobilidade)
Baixa

Sparge Barrier (Mobilidade)


Barreiras Oxidantes (Reatividade)
“Intrinsic Bioremediation” (Reatividade)
Alta Baixa Valas de Coleta (Mobilidade)
Mobilidade
Iron Walls (Reatividade)

257
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
i ca a
ím ix
e Qu Ba
d ad Contaminantes
vi
ati Hidrocarbonetos Pesados, No 6
Re
lta

PAHs de > 4 Anéis


A

Metais Adsorvidos, Cr+6


Alta

Falatos
Tri-, Tetraclorobenzenos
Bio-reatividade

Etenos Clorados na Zona Saturada


PCP
Tratamento
Oxidação Química (Reatividade)
Thermally Assisted Recovery (Mobilidade)
3 Contenção
Baixa

Capeamento (Mobilidade)
Estabilização (Mobilidade)
Alta Baixa
Mobilidade

258
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
i ca a
ím ix
e Qu Ba
d ad Contaminantes
vi
ati PAHs de < 4 Anéis
Re
lta

Pesticidas Organofosforados
A

BTEX na Zona Saturada


Alta

Clorofenóis (Não PCP)


Bio-reatividade

Tratamento
4 Oxidação Química (Reatividade)
Bioremediação (Reatividade)
Extração Multifásica (Mobilidade)
Air Sparging (Mobilidade)
Bio-Sparge (Reatividade)
Contenção
Baixa

Bombeamento & Tratamento (Mobilidade)


Capeamento (Mobilidade)

Alta Baixa
Mobilidade

259
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
i ca a
ím ix
e Qu Ba
d ad Contaminantes
vi
ati Etanos Clorados Dissolvidos
Re
lta

Clorometanos Dissolvidos
A

TCA/DCA, CCl4 DNAPL


Alta

Tratamento
Bio-reatividade

Extração Multifásica (Mobilidade)


Air Sparging (Mobilidade)
Recuperação de Fases Separadas (Mobilidade)
Recuperação a Vácuo (Mobilidade)
5 Contenção
Bombeamento & Tratamento (Mobilidade)
Sparge Barrier (Mobilidade)
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

260
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que Poderá ser Feito?
i ca a
ím ix
e Qu Ba
d ad Contaminantes
vi
ati PCBs
Re
lta

DDX
A

Explosivos
Alta

Tratamento
Bio-reatividade

Tratamento com Ozônio


Compostagem Anaeróbica/Aeróbica
Incineração
Contenção
6 Capeamento (Mobilidade)
Estabilização (Mobilidade)
Baixa

Alta Baixa
Mobilidade

261
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Classificação de Tecnologias por Função

262
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise de Alternativas de Remediação

263
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Critérios de Seleção da Alternativa mais
Apropriada

• Processo de Seleção da Alternativa de


Remediação mais Apropriada
• Viabilidade (os objetivos serão alcançados?)
• Restrições (há algum efeito secundário
negativo?)
• Valor Atual Líquido (quanto vai custar?)
• Duração do Tratamento (quanto tempo será
necessário?)

264
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Exemplos de Diferentes Métodos de Seleção

• Análise Simples
• Tabela de Tratabilidade
• Custos de Implementação
• Processo Seletivo
• lista completa de possíveis alternativas (long list)
• lista das alternativas mais adequadas (short list)

265
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Análise Simples
$1000
Oxidant Equip Wells & Chemical Labor Utility Total
Pipe or
Geoprobe
Ozone 125 125 12 22 85 369
(W&P) 1 yr
KMnO4 20 60 15 36 5 136
NaMnO4 (G) 75 27 187
2 Mo
H2O2 20 76 155 65 5 321
(W) 2 Mo
Air 200 125 65 85 25 500
Sparging (W&P) 3 Yr
P&T 250 150 150 750 400 1700
20 Yr

Pressuposições: 0,4 hectare; Espessura de 6 m; 1 PPM de TCE dissolvido, 10 PPM


adsorvido; Raio de 6 m para Poços; Raio de 3 m para Geoprobe. Areias Finas

266
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Avaliação e Gerenciamento
de Passivos Ambientais
Módulo 04 - Implementação de
Medidas Corretivas

267
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Ciclo de Vida do Projeto de Remediação
Caracterização da Área
Avaliação de Risco
Estratégia de Remediação
Analise de Alternativas
Implementação do Plano de Monitoramento
Testes de Laboratório
Testes Piloto no Campo
Contratação
Projeto Detalhado - escala operacional
Projeto Executivo
Implantação de Medidas Corretivas
Operação, Manutenção e Monitoramento
Encerramento

268
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Projeto e Instalação

269
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Instalação do Sistema
Plano de Realizar
Instalação Instalação

Plano de Testar
Saúde e
Segurança Sistema

Expectativas:
Condições Atende Sim Operações
Desempenho Expectativas
Rotineiras
?
Utilidades & Não
Insumos

Não Sim Ajustar


Corrigível? Sistema
Subcontratados

270
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Fatores Típicos que Provocam o Aumento dos
Custos de Remediação

• Área da pluma ou do local impactado maior do


que a esperada; muitas vezes resultante da
investigação incompleta do site

• Processamento múltiplo necessário para


alcançar as concentrações meta de remediação
• Programação de remediação prolongada

271
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atuando com Atenção
Finalizando a Tarefa

Como pode-se garantir o bom êxito da remediação?


Revisão Periódica do Projeto
Redefinição do problema
Reaferição do sistema
Encerrando o Projeto
Reconfiguração do sistema
Transição dos esforços

272
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Atuando com Atenção
Finalizando a Tarefa

Diminuição do Desempenho do Sistema


de Remediação no Decorrer do Tempo
Projeto Mal Elaborado
30
Falha no Poço
20 Condições Alteradas
10
Por que? Não há Massa de
Contaminantes!!
0
Início 1o Trim. 2o Trim. 3o Trim. 4o Trim.

Kg Removido Taxa de Remoção

273
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Finalizando a Tarefa

Sistema Inicial Sistema Reconfigurado

Concentração
Concentração

Reconfiguração
do Sistema

Tempo Tempo
Poço Ativo

Poço Desativado

274
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
“O sistema existente no final não deverá ser igual
ao sistema implantado no início”

275
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Modificações no Sistema
• Alterar o Fluxo
• Aumentar/Diminuir
• Pulso
• Alterar a Configuração Alterar
• Adicionar Poços
Alterar
• Desativar Poços
Alterar
• Alterar a Tecnologia
• Nova/Inovadora
• Atenuação Natural

276
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Por que Implementar Modificações?

MW-15
MW-15

MW-1
SB-2 MW-1
SB-2
Área MW-9
Fonte SB-3 Área MW-9
MW-7 SB-3
MW-5
MW-7
Fonte
MW-8 MW-5
MW-2 MW-8
SB-4 MW-6
MW-2
SB-4 MW-6

MW-3
MW-4
SB-1 MW-3
MW-4
SB-1

MW-10
MW-3
MW-10
MW-3

MW-14
MW-11
MW-14
MW-13 MW-11
MW-13

MW-12

Problema Original Pós-Tratamento


O Problema Sofre Alterações!!

277
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Revisão Periódica do Projeto
Base de % de Finalização Base Programada
Solo
Projeto
100 95% GW
90 90%
80
75% Instalar Reelaboração do Projeto
% Com pletion

70
60
50 50% O&M
40
30 Amostrar
20
10
0 0 50 100 150 200
Start 2 4 6 8 10 12
Tempo Decorrido em Semanas
Trimestre
Periodicidade de Revisão:
• 5 Meses
• 16 Meses
• 24 Meses
• 32 Meses

278
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
Monitoramento até o Encerramento (efeito
ressalto)

Monitoramento
Concentração

até o
Encerramento

Nível Alvo

Ativação Desativação Encerramento

279
Delivering sustainable solutions in a more competitive world
O que você precisa saber?

• Qual o problema? • Haverá êxito?


• Qual a sua natureza? • Gerenciamento de Risco
• Onde está localizado? • Como garantir um bom êxito!
• Qual o volume envolvido? • Projeto
• Quais são os impactos? • Instalação
• O que precisa ser feito? • Operação
• Estratégia de Remediação • ENCERRAMENTO
- Contenção ou Tratamento
• O que poderá ser feito?
• Seleção da Tecnologia
- Mobilidade & Reatividade

280
Delivering sustainable solutions in a more competitive world