You are on page 1of 2
Capinilo VI CLASSIFICACAO DAS TUTELAS E TECNICAS DE EFETIVACAO DOS RESPECTIVOS EFEITOS PRATICOS Joie dk i & do proves 2 Chasing a mete forth iat enti. 4 Tete nono 8 ete verte Clarice cn. con rts onder Fem see tat Chen aoe ave teenies Cannas even 18 Sane Teen Siena 18 See conte ua a ses manent eae nadernet bie 1 Coenen enact 1. Classificacdo sta agao e do proceso O direito de agao, examinado pelo angula constitucional, como garantia de acesso i lustica assegurada a todos (CF, art, $', XXXV), tom por contetide 0 devide proceso legal, Proporcionar a qualquer pessoa o poder de deduzir pretonsdes perante o Poder Judiciario im- plica conferit-Ihe a possibilidade de exigir mecanismo habil ao exer cicio dessa garantia, Compromete-se o Fstado a oferecet instrumento adequado & solugao das controversias existentes no plano material Por isso concebeu, em sede constitucional, «7 modelo que, em seu emender. atende # essas exigénvias, Desenvolyeu, em linhas gerais, 6 método de trabalho destinado a verifieaeto de supostos direitos arenes de protegiio, porque nao satisleitos espontaneamente Este ¢ 0 devia processe convitucional, ¢ que constitu 0 ¢0n: ledido da arantia constitucional da acao.! LC, Bedayue, Taek Citelar e Fisele Amecipude Tatedas Stns de Ligéncia. Teniativa de Sisemarizagio, ¥ ed., pp. 61 € 86 CLASSIMICAGAO DAS TUTELAS E TECNICAS DE FFETIVAGAO. 519 Pode a agdo ser examinads, todavia, pelo prisma infraconstitu- ional, isto 6, como o legislador otdindrio regulamenta 0 exercicio dessa garantia constitucional, quais as téenieas colocadas 4 disposi ‘lo do interessado para deduzir suas pretensdes, quais as exigéncias a serem observadas ete. Dentre as possiveis conseqagneias dessa andilise, uma dolas & classifivagao doutrindria das agdes, feita 4 luz de aspectos inerentes & atividade preponderante exercida pelo juiz.no processo e i natureza dit controvérsia reproduzida na inicial Nas denominades ayes cogmitivus ov de comhecimento petle-se ao Juiz, uma sentenga, Fste € 0 ato culminunte do respective pro- ceesso instaurado com @ propositura da demanda, ¢ eorresponde a0 resultado do conhecimente realizado pelo juiz da situagdo de direito material, pera devlard-la existente ou inexistente (ages meramenie ddcelaratsrias), alteré-la (agies constitutivas), bem como reconhecer ou impedir o inadimplemento de uma obrigagto e dotar o titular do ircilo de meios adequiidos & protegdo efetiva de sua esfora juridica (agies condenatirias) Nas odes de encerngéta busca-se a realiza dos resultantes da counigao judicial, visando a impedir ou eliminar 0 inudimplemento, Predorainarn, aguii, os atos materiais, sendo minima atividade eognitiva do juiz em relago an plano substancial Por Jim, as agdes caviclares destinam-se & proteyao imediata © provisoria de determinacla situagaia ow hem, mediante cosnigio sumnéria, a fim de que o tempo nevessirio ao desenvolvimento do devide processo legal no comprometa « cietividade do instrumento. Se preferirmos classitiear © proceso, as duos a serem consi- derados serio exatamente os mesmos. Dsi falarse em provessos de canhecinento, dle execu e eautelar Esta vistio da agao e do processo leva em consideragaio nfo apenas a natureza da atividade exereida pelu juiz, mas também — € Prineipalmente — 0 tipo de tutela jurisdicional pleiteado por quem propde a agio, Tutela jurisdicional corresponde & protegaio a ser conferida pelo Estado-jurisdigdo a situagdo da vida retratada abstratamente em regras existentes no plano do direito material. Por nio ser a lei so EyPYIVIDADE DO PROCESO F-TEENICA PROCI SSUAL sfagdo espontinea do inte substaneial suficiente para asseyurar as essdirio busear auxilio na Fungo esse por cla propria assepurado, ne cestatal criada exatamente para impor coercitivamente a vontade do legisk Quando determinada situay3o da vida subsume-se & vomade absteata da lei, diz-se que os interesses que dai emergem configuram direitos. A nio-satislagaio espontanea desses interesses signifies, portanto, violuyo aos respectivos direitos, individuais ou coletives. ‘Aquele que se considera titular do direito lesado, ou quem esti autorizado 1 detendé-lo, pode buscar a atuagdo coercitiva da reget material, solicitando a interfeséncia da jurisdigao. Em outras palavras © de modo bastante simplifieado; farela juriwticioned configura a protesto dada pelo Estado-inis a0 dircito ‘subjetive ou transindividual, apos demonsirada sta existéneia ne proceso.” © legistador processual. incumbide de eriar as regras destinadas ‘a roger @ fungdo jurisdicional ¢ ox meivs pelos quals ela atua pare cumprir sua finalidade, procura coordenar (odos esses elementos, fim de adequat a aividade do juiz aos fins almejados pela ago € no processo, Para tanto, nfio pode ignorar a realidade substancial sobre fs qual os atos processuais info produzir efeitos. SO assim conseguir ‘construir instrumento upto a proporcionar » que dele se espera.” Em dillima anilise, portanio, a classificayo da agao © de pro~ cesso é feita em angie da tutela pleiteada pelo autor. Segundo ‘constcugio tradicional, a tutela jurisdicional pode ser classificada em cognitiva (declaratoria, constitutiva ¢ condenatéria), sauisfativa ou executiva e centelar. jor, 2, Sobre ela juriudiciomal, of, Bedaque. Direito ¢ Processo, Influence cor Pracerst, Yh, pp. 27 €88, onde sho apresertadas 3. Pondera Carlos Alberto Alvaro de Oliveira ot {got se seyuem podem assuinir dinensto variivel Drocesco.“E isso porque ndo parce prssivel aaa ayo com 0 di eral, em vittade ct nila instrummentalidade que a lunge juriscional exeree fem rolugo 4 este @ que server a agBo e 0 prowess, por meio do excrcicie dos poderes, faculdades e 6nvs titulados pels partes ("O prublcia de efeacia du sentenga”, RF 36942) proposta a aga. os cpendends do objoto do CLASSIEICAGAD DAS TUTELAS E TECNICAS DE EFETIVAGAO Dante dessas consideragdes, a0 clessificar a tutela jurisdicional se, conseqilentemente, & classificagae da agzio ¢ do processo. Em ultima andlise, a modalidade de tutela determina 0 (ipo de ago ede proceso, 2. Classificagiin da tutela jurisiicional Classifica implica agrupar fendimenos que, segundo um deter- rminado ponto de vista, possuam as mesmas caracteristivas, visundo @ facifitar stat compreensdo Para ser homogénea, ¢ fundamental que & classilicagio sejafeita Sempre segundo urs mesme aspecio do abjet. Em Direilo 6 agrapamento de ferxdmenos em uma mesma cate goria, se observada a adverténcia quanto ao critérie adotado, permite 4 formulagdo de regime juridico tivo para todos, contribuindo para a correta aplicagao das regras legais, ‘As tutelas cognitivas, se examinadas a luz de eritério exclusiva- mente processual, caracterizam-se pela atividade desenvotvida pelo juiz. A concessio on deneyayo de qualquer delas pressupde © conhe- mento da realidade juridico-material, Essa copnigao, normalmente realizada de forma exauriente, permite ao julgador identificar todos ‘os aspeetos cht relagdo material litigiosa ¢ formar convieedo a respeito da existéncia, ou nfo, do suposto dicite afirmada pelo autor. Ainda pelo Angulo da cognigfo, em determinadas situagoes, previamente reguladas pelo legislador, & possivel a obtengae de tutela cognitiva sem conhecimento exauriente da situagio de direito material. Nesses casos a tntela 6, normalmente, provisoria.* As tutelas de urgéncia, cautelares e antecipatérias, pertencem a esta categoria. ‘As veves a tutela jurisicional & eminentemente satistativa, nto se preocupand 0 juiz, para deferi-ta, com a situaglo substancial que 4. CF Loig Guilherme Marinoni, “As nowas sentengas ¢ 0s novos padres do ju para a prestagae di cela jurisdicional efetiva”, Revista dle Direito Pro ‘eotsia! Civil 20.588. "Classificar” signifies “Gisribuir em classes vou grupos Segunde: sistema ot método de elassifieagdo (Aurelio Buacque de Holanda, Naw Diciondiia da Lingua Portuguesa, (ed). 5, kn earfter exceneional a tutela cogritiva sumaria & apla a adquirie invtabitidade. E 0 que ocarre nos casas de julgamente antecipale por fem que a prétensio é acolhida apenas com base da versie do autor (CPC, ar. 330. Ub