You are on page 1of 42

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO?

O que torna as exposições diferentes entre si?


O que torna as exposições diferentes entre si?
Local da exposição?

Num parque No corredor de


Num Museu...
Sob céu aberto... um Shopping...
O que torna as exposições diferentes entre si?

Tipologia dos objetos?

Numismática
Cédulas e moedas Vestuários Automóveis
O que torna as exposições diferentes entre si?

Modo de expor?

Envolvente, Painéis, Lúdica,


surpreendente... Contemplativa... Interativa...
O que torna as exposições diferentes entre si?
Intenção - Objetivo ao expor os objetos

Apresentar um conceito Preservar a memória

Vender um conceito Vender um produto


O que torna as exposições diferentes entre si?

Intenção - Objetivo ao expor os objetos


Tipologia dos objetos

Modo de expor

Local da exposição
O que caracteriza uma exposição museológica?
MUSEOLOGIA
MUSEU
CENÁRIO

HOMEM OBJETO
QUEM É ESSE HOMEM?
visitante

… mas também o profissional do museu


QUE OBJETOS SÃO ESSES?

Artefatos humanos;
Objetos patrimonializados;
Objetos semióforos.
QUE OBJETOS SÃO ESSES?
Artefatos humanos;
Objetos patrimonializados;
Objetos semióforos

Obra de Damien Hirst na exposição de 60 anos da Bienal


QUE OBJETOS SÃO ESSES?

Patrimônio material Patrimônio imaterial


QUE LUGARES SÃO ESSES?

É uma instituição permanente, sem fins lucrativos, ao serviço


MUSEU da sociedade e do seu desenvolvimento, aberto ao público, e
que adquire, conserva, estuda, comunica e expõe testemunhos
materiais do homem e do seu meio ambiente, tendo em vista
o estudo, a educação e a fruição.
Breve história dos museus...
A partir de sua relação com o público
Hábito humano de colecionar

Antigüidade Séc XVIII

Séc XIX

Séc XX
Séc XVI

Séc XVII Séc XXI


Exposições - Breve histórico das relações com o público

Gabinete de Curiosidades
Exposições - Breve histórico das relações com o público
Exposições - Breve histórico das relações com o público

Galerias palacianas – coleções principescas


Exposições - Breve histórico das relações com o público

Museus abertos

Museu Ashmoleano - 1683

Museu do Louvre - 1793


Museu do Prado- 1819
Museu Britânico - 1759
Exposições - Breve histórico das relações com o público

Museus abertos - Brasil

Museu Nacional
Museu Goeldi
1818 Museu de Belas Artes
1871
1826
Exposições - Breve histórico das relações com o público

Grandes Exposições – exposições universais

Palácio de Cristal - 1851


Institucionalização do museu

Autoconsciência

Auto-crítica e reflexão

Atitudes próprias frente a sociedade


Museus como agentes sócio-culturais

Diversificação de categorias de museus

Especificidades dos acervos e coleções

Reflexão, aprimoramento e especialização


das atividades, serviços e função social
DIVERSIFICAÇÃO DE CATEGORIAS E ACERVOS
DIVERSIFICAÇÃO DE CATEGORIAS E ACERVOS
Museu se compreende como agente político

Política cultural Programa de comunicação

Política de comunicação Programação


"De instituições elitistas, colonizadoras, sectárias e excludentes, os museus têm
procurado os caminhos da diversidade cultural, da repatriação das referências
culturais, da gestão partilhada e do respeito à diferença de forma objetiva e
construtiva. De instituições paternalistas e autoritárias, os museus têm
percorrido os árduos caminhos do diálogo cultural e da convivência com o outro.
De instituições isoladas e esquecidas, os museus têm valorizado a atuação em
redes e sistemas, procurando mostrar a sua importância para o
desenvolvimento socioeconômico. De instituições devotadas exclusivamente à
preservação e comunicação de objetos e coleções, os museus têm assumido a
responsabilidade por ideais e problemas sociais"

Cristina Bruno. Museus e Patrimônio Universal


V Encontro do ICOM BRASIL – Recife 2007
PARTE 2
Programa de comunicação: Processos que garantam a transmissão dos conceitos
gerados a partir do patrimônio material e intelectual
produzido ou adquirido pelo museu, amparados pelos
valores determinados nas políticas culturais e de
comunicação.
Programa de comunicação:

Comunicação Institucional
Imprensa

Imprensa

Folder

Cartaz
Programa de comunicação:

Comunicação Institucional
Imprensa

Site
Redes sociais Sites

Redes
Sociais
“As exposições constituem um instrumento-chave para
Programa de comunicação: permitir o acesso público aos acervos de museus. Podem
ser inovadoras, inspiradoras e conduzir o visitante à
reflexão, proporcionando ótimos momentos de prazer e
aprendizagem”
Comunicação Institucional
Imprensa Museums & Galleries Comission

Site
Redes sociais

Exposição:
Longa duração
Temporária
Itinerante
Virtual
Programa de comunicação:

Comunicação Institucional
Imprensa

Site
Redes sociais

Exposição:
Longa duração
Temporária
Itinerante
Virtual
Ação Educativa
Programa de comunicação:

Comunicação Institucional
Imprensa

Site
Redes sociais

Exposição:
Longa duração
Temporária
Itinerante
Virtual
Ação Educativa

Programação Cultural
Como conceber a exposição

Exposição é, necessariamente, um texto sensorial que pressupõe objetos articulados


de forma lógica a conformar um discurso.

INTERDISCIPLINARIDADE

Estratégias para trabalhar com interdisciplinaridade:

Autocrático

Em equipe

Participativo (ampliado)
Comunicação Expositiva

Modelo condutivista

ruídos

emissor Mensagem receptor

Feedback
Modelo interacionista

ruídos

emissor Mensagem receptor

Exposição
Modelo mediações do cotidiano

emissor Mensagem receptor

enunciatário/enunciador Exposição enunciatário/enunciador


O Expógrafo

O acesso aos meios e canais de comunicação para emissão e recepção das


mensagens só ocorrem pelo estímulo de um ou vários sentidos humanos.

ESPAÇO
OBJETOS VISITANTE

IDÉIAS EXPOSIÇÃO

LINGUAGEM MUSEU
DE APOIO TEMPO PATRIMÔNIO
Por hoje é só.....
Vamos a apresentação dos trabalhos....