You are on page 1of 2

Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

Mestrado Profissional em Biologia - PROFBIO


Mestrandos: Carla, Ary, José Anselmo, Jeovanio Rocha, Jerônimo, Marcos, Ana
Luiza, Cristiane, Danielle, Cristiane Duarte e Celiane.

Questões sobre a tabela 1: mecanismo de adaptação ao jejum prolongado.

1 – Como o peixe pulmonado e o filhote de elefante marinho se comportaria se fosse fornecido


a eles álcool?

Possível resposta: O peixe pulmonado teria uma perca de água enquanto que no elefante
marinho não verificaria essa perca. A explicação possível a partir da tabela é devido a
inativação do sistema vasopressina-aquaporina 2, já que no elefante esse sistema já estava
inativado antes do fornecimento de álcool aos animais.

2 – Explique por que o sistema renina-angiostenina-aldosterona não funciona no peixe


pulmonado?

Possível resposta: Não funciona no peixe pulmonado porque o rim não está funcionando, logo
não é produzido a renina, o mecanismo não está ativado.

3 – Explique a diferença de água endógena entre os peixes pulmonados e o filhote de elefante


marinho?

Possível resposta: O peixe pulmonado não apresenta reserva de lipídios, diminuindo o


metabolismo; enquanto que o elefante marinho apresenta reserva de gordura.

4 – Relacione o metabolismo do peixe pulmonado e do elefante marinho com a produção de


água endógena?

Possível resposta: O metabolismo dos peixes diminui e a produção de água endógena


aumenta, a partir das proteínas. Já nos elefantes marinhos esse processo aumenta o
metabolismo e também a produção de água endógena, a partir da oxidação de lipídios.

5 – Relacione o sistema vasopressina-aquaporina 2 com sistema renina-angiostenina-


aldosterona e com o ritmo de filtração glomerular.

Possível resposta: Quando os níveis de vasopressina estão baixos, as células dos ductos
coletores têm poucos poros de agua em sua membrana apical e estocam aquaporina 2 não
permitindo a passagem de água, o que diminui o ritmo de filtração glomerular. O sistema
renina-angiotensina-aldosterona funciona da seguinte forma: a renina é uma enzima que
catalisa a formação de uma proteína sanguínea chamada angiotensina, a qual provoca a
diminuição do calibre dos vasos sanguíneos, Há, assim, aumento da pressão arterial, o que
estimula a secreção de aldosterona. Esta, por sua vez, leva a um aumento da reabsorção de
sódio pelos rins. Isso leva a uma maior saída de água para os néfrons o que aumenta o ritmo
de filtração glomerular.
6 – Relacione a concentração de ureia com a produção de água endógena.

Possível resposta: Como o peixe pulmonado está usando proteínas para aumentar a produção
de água endógena, percebemos uma concentração de ureia maior pois este metabólito é
resultado da “quebra de proteínas”. Já o elefante marinho está usando oxidação de lipídeos,
o que não contribui para o aumento da concentração plasmática da ureia.

7 – A concentração de sódio no peixe pulmonado e no elefante marinho está igual? Explique a


sua resposta.

Possível resposta: Sim, ambas estão normais. No peixe pulmonado essa concentração não se
altera devido ao fato do animal não estar ingerindo alimentos que contenham sódio nem
eliminando estes íons, uma vez que não está urinando. Já no elefante marinho como o ritmo
de filtração glomerular está normal, a concentração de sódio permanece normal devido ao
equilíbrio osmótico.

8 – Suponham que seja fornecido aos animais estudados alimentos contendo grande
concentração de sal (NaCl). Quais as alterações da tabela seriam possíveis identificarmos?

Possível resposta: A adição de sal no corpo aumenta a osmoralidade. Este estímulo é


percebido pelos osmorreceptores que desencadeiam a secreção de vasopressina e a sede. A
vasopressina faz os rins conservarem a água e concentrarem a urina. Desta forma não
perceberíamos alteração no peixe pulmonado pois seu sistema vasopressina-aquaporina 2 já
está ativado e notaríamos um aumento da osmolaridade da urina do elefante marinho.