You are on page 1of 12

Nesta Edição

Capa – A Mãe Divina...................................................................Capa Trabalhos


Editorial..............................................................................
Editorial ............2 - Profanação de Nossos Sagrados Templos............................8
Matéria da Capa – Oração às Mães............................................3 - A Grécia e os Mistérios Gregos..............................................9
Destaques – O Fogo Segundo a Doutrina Secreta...................5 Reflexões – A Morte de Cada Dia............................................11
Informe Cultural – IV Seminário Maçônico do Sul de Minas........6 Boas Dicas - …............................................................................12
Academia da Leitura Lançamentos – Livros.................................................................12
- Aspectos Cognitivos da leitura e da Escrita.....................7 Ficha Técnica - ….......................................................................12

Editorial
“Ao cumprir o teu dever, permaneça desapegado de qualquer espécie de resultado,
conserva tua mente, totalmente, concentrada e afasta de ti toda preocupação. Mediante esta
renúncia, atingirás a meta superior, que se galga através da Ioga do Conhecimento.”
(Professor Henrique José de Souza)

Q ue bom, chegamos ao mês de maio, marcado por corte. Portanto, uma instituição sagrada, lamentavelmente,
diversas solenidades, a começar pelo Dia deteriorada em razão das mudanças sócio-culturais,
Internacional do Trabalho, data que marca a econômicas e religiosas. A modernidade e a crescente
celebração das conquistas dos trabalhadores ao longo da conquista da mulher no mercado de trabalho colaboraram
história. No Brasil, essa comemoração foi instituída, apenas, muito para sua desintegração, embora todos saibam de sua
em 1924, 38 anos após as manifestações e os protestos fundamental importância como célula “mater” de uma nação.
realizados pelos trabalhadores na cidade americana de Nessa data, é importante que as pessoas revejam
Chicago, fato conhecido como a Revolta de seus conceitos sobre família, assim como seu
Haymarket. papel dentro dela. A educação dos filhos tem
O dia 13 de maio é reservado para ficado a cargo da televisão e da Internet. Os
se festejar o Dia das Mães. Comumente, pais, cada vez mais ausentes, visam, tão
tal festejo é adequado ao 2º domingo do somente, ao crescimento de sua carreira
mês, o que vem a facilitar sua profissional, à manutenção e ao acúmulo
comemoração, porém a data de 13 de de seu patrimônio.
maio é a correta, pois esta é reservada ao A mulher se deixou banalizar.
culto da Mãe Divina, a Mãe de todas as Seu nobre e sagrado ofício da
mães, sendo a mãe terrena sua expressão. maternidade foi, há muito, profanado por
O Amor materno é a sublimação dos mais sua própria conduta. Lamentavelmente, o
nobres sentimentos; não existe Amor maior que vemos são mães que não se dão ao menor
nem igual. Nesse mesmo dia, celebra-se a respeito, despreparadas para tão nobre função. É
Abolição da Escravatura. “Coincidências” à parte, a Lei bom lembrar que a queda de uma civilização se dá com sua
Áurea foi assinada por uma mulher, a princesa Isabel. degradação.
Ainda, nesse mês, o dia 15, por iniciativa da ONU – Duas comemorações – do trabalho e da família - nos
Organização das Nações Unidas - a partir do ano de 1994, foi convidam a refletir sobre a frase do insigne Professor
consagrado às Famílias, instituição, cada vez mais, Henrique José de Souza, fundador da Sociedade Brasileira de
desprezada nesse mundo capitalista. Se a mãe é a expressão Eubiose: “A humanidade é infeliz por ter feito do trabalho um
da Divindade Feminina na face da Terra, a Família é a sua sacrifício e do Amor um pecado”.

Revista Arte Real 63 2


Cabe-nos rogar ao Senhor dos Mundos que nos cubra Walter Andrade, corrobora com o teor de nosso Editorial.
com seu Sagrado Manto e nos dê consciência, para que Convido a todos a refletirem, também, sobre as matérias “O
sejamos dignos da singular oportunidade da vida e de seus Fogo Segundo a Doutrina Secreta”, de autoria de Hernani
propósitos. Portela; “Profanação de Nossos Sagrados Templos”, do Irmão
José Valdecir de Souza.
A humanidade, ao longo de seu caminhar, tornou-se
por demais desespiritualizada. A criatura humana, Ressaltamos a realização do IV Encontro Maçônico do
ofuscando-se com o falso brilho das coisas efêmeras, desviou- Sul de Minas, no Oriente de Alfenas, MG, evento, que vem
se do seu Criador, o único caminho que o levará à evolução. ganhando espaço no calendário maçônico nacional e tem o
Buscando, cegamente, contentamento no material, no que é Apoio Cultura de nossa Revista. Como em anos anteriores,
passageiro, vive a ojerizar a morte, e, sem saber, morre a cada publicaremos uma edição especial com todas as palestras
minuto sem vivenciar os mistérios da vida. realizadas.
A matéria “Oração às Mães”, de autoria do Irmão Encontrar-nos-emos na próxima edição! ?

Matéria da Capa
O RAÇÃO ÀS M ÃES *

D
Walter Andrade
esde a mais remota antiguidade, em todos os povos, dos
mais evoluídos aos mais bárbaros, as mulheres, sempre,
foram preservadas das guerras. Nunca foram
convocadas para frente de batalha. Enquanto os homens iam às
guerras, elas ficavam no lar. Até hoje é assim. Apesar de existirem,
atualmente, mulheres profissionais nos exércitos e polícias,
sempre, são preservadas dos confrontos mais diretos. Em se
tratando de policiais, percebemos que são destacadas para os
serviços de manutenção da ordem, assistência humana, orientação
pública. Isso não ocorre por acaso, ou por mero fato de
diferenciação física, posto que, biologicamente, o homem seja
dotado de maior recurso para a força bruta. Não é assim. A
humanidade, sempre, manteve aceso, em sua consciência, o fato de
que a mulher existe para gerar e manter a vida, e não o contrário.
Em todas as teogonias, em todas as tradições da
humanidade, sempre, existiu a noção da trindade, ou seja, a ideia
de que tudo provém de uma Estrutura Básica do Universo, na qual
temos um poder masculino, o Pai, um poder feminino, a Mãe, e o
resultante desses poderes, o Filho. O Pai origina; a Mãe gera e
mantém; o Filho tem a função da transformação. Essa trindade era
denominada no Egito como Osíris, Ísis e Hórus; na Índia, como
Brahmã, Vishnu e Shiva; entre os cristãos, hoje, denomina-se como
Pai, Mãe e Filho ou Espírito Santo.
Daí, vem a tradição ocidental de Maria, a Mãe. Maria vem
do latim mare, mar, águas genesíacas. E, no Gênese de Moisés, está
escrito que, no início, “o Espírito de Deus vagava por sobre as
águas”. Portanto, o termo mãe tem um significado cósmico da mais
alta importância.

Revista Arte Real 63 3


A mãe terrena é a projeção da Mãe Divina na Terra,
plasmação física do Mundo das Leis. Por isso, a Mãe Divina, o
Segundo Logos, Visnhu, Ísis, Maria, ou o nome que se queira
dar, de acordo com a tradição de cada povo, coloca, no
mundo, um ser que a representa, na figura da mãe humana.

Daí, homenagear a mãe dos homens é homenagear a


Mãe Celestial. E nada mais justo do que termos um dia
especialmente dedicado a ela, à mãe humana.

O planeta Terra é mãe. Por isso, o chamamos de Mãe


Terra. A Natureza é mãe. Por isso, a chamamos de Mãe
Natureza.

O Brasil, apesar de ter um nome masculino, é uma


mulher. O Brasil é mãe. Tanto que, no Hino Nacional
Brasileiro, temos o seguinte: “dos filhos deste solo és mãe
gentil”; deste solo, não só o brasileiro, mas do mundo inteiro,
porque o Brasil, como mãe planetária, recebe, em seus braços,
filhos nascidos nas mais distantes regiões do planeta. Logo,
Irmãos na Terra, Irmãos no Céu, tudo o que possamos falar é
pouco.

A mãe gera, aquece, aleita, conduz, orienta, ouve,


Temos, então, o seguinte: transformação social efetiva não se
ampara. Os homens, sempre, tiveram consciência disso,
conseguirá, somente, por efeito de decretos ou punições.
através dos tempos, mesmo os mais embrutecidos. Por isso
Transformação coletiva em direção do equilíbrio social será
que as mulheres nunca foram convocadas para os campos de
conseguida pela manutenção da saúde familiar, pela geração
batalha.
de comportamentos individuais compatíveis com a visão de
A mãe veio para dar vida, e não para tirá-la. Preservar uma Nova Civilização.
a mãe, a mulher, é preservar a vida. Podemos medir a
Essa Nova Civilização, que tanto almejamos em
grandeza de um povo pela maneira como trata suas mães.
nossos sonhos de Justiça, Fraternidade e Paz, tem por
Um homem, que não cuida bem de sua mãe, não merece ter
princípio a família. E a família, por sua vez, tem por princípio
uma boa esposa. Porque sua esposa é a continuação espiritual
a Mãe. Portanto, parabéns às Mães; salve esse dia glorioso no
de sua mãe. Isso é cristalino como a luz do Sol.
qual homenageamos a mãe humana e a Mãe Divina.
Ter mãe é uma bênção. Ser mãe é uma glória! É sabido
E que sejamos, sempre, dignos dos deuses pelo fato de
que muitos contam que, nos campos de batalha,
glorificarmos essa chama que ilumina nossa vida e os
frequentemente, os homens morrem chamando por suas
destinos da humanidade.
mães. Um dia, as guerras serão banidas da face do planeta.
Isso não será por decreto, leis ou pactos internacionais; Todos nós podemos reverenciar a chama, mas quem a
ocorrerá pela pacificação da alma humana. Essa pacificação mantém acesa é a Mãe, por ser ela uma Sacerdotisa.
será pela atuação da mãe na consciência dos homens, pela Sacerdotisa de Ísis, Sacerdotisa da Mãe Divina. E que essa
atuação da mãe humana e da Mãe Divina. Podemos falar pelo Sacerdotisa, a mãe humana, seja glorificada hoje, nessa data, e
conceito filosófico e profundo que o nome mãe tem. por todos os séculos que virão, em nome da Mãe Divina e em
nome do Grande Plano da Manifestação Universal.
O ser humano, que gera ideias espirituais, que produz
a evolução dos homens, que possibilita o entendimento e a
Que assim seja! ?
concórdia, exerce o poder de mãe. Por isso, na linha de
raciocínio de cidadania, temos uma direção de atuação que *Oração proferida em cerimônia ao Dia das Mães na Loja Maçônica
começa na mãe, passa pelo professor e se reflete no político. Novos Obreiros, São Paulo, no dia 12 de maio de 2006.

Revista Arte Real 63 4


Destaques
O F OGO S EGUNDO A D OUTRINA S ECRETA

O
Hernani Portela
fogo não é um elemento, e, sim, um princípio
divino. A chama física é o veículo objetivo do
espírito supremo. Os elementais do fogo são os de
maior categoria. Todas as coisas desse mundo têm o seu aura
e o seu espírito. O granito não arde porque seu aura é ígneo.
Os elementais do Fogo carecem de consciência física, porque
são muito elevados e refletem a natureza humana.
O éter é fogo. A parte ínfima do éter é a chama que
fere nossa vista. O fogo é a presença subjetiva da Divindade
no universo. O fogo universal, em diferentes condições,
converte-se em água, ar e terra. É o “Kriyashakti” de todas as
formas de vida. Dá calor, luz, vida e morte. É o próprio
sangue em todas as suas diversas manifestações, é o fogo
essencialmente uno. Da Potência Mental, a Divina Ideação se tornava
concreta em ação. Donde as séries de emanações primordiais
No fogo, sintetizam-se os Sete Cosmocratores. Na do pensamento engendram o ato, cuja mãe é o aspecto
mais grosseira modalidade de sua essência, o fogo é a objetivo do fogo, e cujo pai é o aspecto oculto. Simão
primeira forma e reflete as formas inferiores dos primeiros denominava “sicigias” (unidades pares) tais emanações,
seres objetivos do universo. Os elementais do fogo são os porque emanavam de duas em duas, uma como Adão ativo e
primeiros pensamentos caóticos divinos. Na terra, eles tomam outra como Adão passivo. Assim, emanaram três pares (seis
a forma de salamandras ou elementais inferiores do fogo, que Eões no total, que, com o Fogo, eram sete), aos quais Ele
revoluteiam nas chamas. No ar, existem milhões de seres nominou: “Mente e Pensamento; Voz e Nome; Razão e
vivos e conscientes, que se apoderam de nossos emitidos Reflexão”, sendo o primeiro de cada par masculino, e o
pensamentos, também, ali existentes. Os elementais do fogo segundo feminino.
estão relacionados com o sentido da vista e absorvem os
elementais dos demais sentidos. Assim, só com o sentido da O direto resultado desse poder é produzir emanações,
vista, podemos ouvir, cheirar e saborear, posto que todos os possuir o Dom de “Kriyashakti” , cujo efeito depende de
sentidos sintetizam-se no da vista. nossa própria ação. Portanto, esse poder é inerente ao
homem, como o é aos Eões Primordiais e, também, às
Segundo Simão, o Mago, toda a criação culmina no secundárias emanações, posto que, tanto eles como o homem,
fogo. Este era para Ele, como para nós, o princípio procedem do único e primordial princípio da Potência
universal, a infinita potência emanada da oculta infinita.
Potencialidade. O fogo era a primitiva causa do No “Philosophumena”, Simão compara os Eôes com
manifestado mundo da existência e tinha duplo aspecto: a Árvore da Vida. E, na “Revelação”, disse: “Escreveu-se que
manifesto e secreto. O aspecto secreto do fogo está oculto há duas ramificações dos Eões universais que não têm
em seu aspecto objetivo, que, do primeiro, dimana. Para princípio nem fim, como dimanantes ambas da mesma raiz,
Simão, era inteligência tudo quanto se podia pensar e a Invisível e Incompreensível Potencialidade, cujo nome é
tudo aquilo sobre que se podia atuar. O fogo continha o Sigê (o Silêncio). Uma dessas séries de Eões procede de
todo. E como todas as partes do fogo eram dotadas de cima. É a Grande Potência, a Mente Universal (Ideação
inteligência e de razão, eram suscetíveis de Divina ou “Mahat” dos hindus). É masculina e regula todas
desenvolvimento por emanação e extensão. Essa é, as coisas. A outra procede de baixo. É o grande Pensamento
precisamente, a nossa doutrina do Logos manifestado, e Manifestado, o Eão Feminino, gerador de todas as coisas.
as partes, primordialmente, emanadas são os nossos Ambas se correspondem mutuamente, acoplam-se e se
“Dhyan Chohans”, os “Filhos da Chama e do Fogo” ou os manifestam à meia distância (a esfera ou plano
Eões Superiores. Esse fogo é o símbolo do ativo e vivente intermediário) no Ar Incoercível, que não tem princípio nem
aspecto da Natureza Divina. Nele, subjaz a “infinita fim”. Este Ar Feminino é o nosso éter, é a luz astral dos
potencialidade na Potencialidade”, que Simão chamava “o cabalistas; portanto, corresponde ao Segundo Mundo de
que existiu, existe e existirá”, ou a estabilidade Simão, nascido do Fogo, ou o princípio de todas as coisas.
permanente e a imutabilidade personificada. Nós o chamamos de Vida Una, a Onipresente, a Infinita, a
Inteligente e Divina Chama. ?

Revista Arte Real 63 5


Informe Cultural
IV E NCONTRO M AÇÔNICO DO S UL DE M INAS

N
Francisco Feitosa
o período de 25 a 27 de maio próximo, o Sul de
Minas será, mais uma vez, o palco da Cultura
Maçônica Nacional, com a realização do IV
Encontro Maçônico do Sul de Minas. O evento é uma
realização da ARLS Fraternidade Cleuton Cândido Landre nº
298, jurisdicionada à GLMMG, no Oriente de Alfenas, com a
participação do Pacto Maçônico Sul-Mineiro.

A programação, farta em atividades culturais, começa


no dia 25, sexta-feira, com uma Sessão Maçônica, aberta a
Maçons e convidados, no templo da Loja Fraternidade
Cleuton, quando, na oportunidade, alguns Irmãos serão
condecorados com Comendas. No dia 26, sábado, acontecerão
as palestras para os Irmãos, atividades diversas para as
Cunhadas e a Gincana Cultural para os DeMolays e Filhas de
Jó. No dia 27, domingo, acontecerá a reunião do Pacto
Maçônico, envolvendo as mais de 70 Lojas cadastradas da
região sul-mineira.
Além de visita às Feiras de Artesanato das cidades de Areado
Realizar-se-á o Encontro nas dependências da e Carmo do Rio Claro.
UNIFAL – Universidade Federal de Alfenas. O tema
As inscrições poderão ser realizadas no blog do
brilhantemente escolhido foi “Matemática e Maçonaria”,
Encontro, www.fraternidadecleuton.org/encontromaconico,
dividido em 7 painéis, e defendidos pelos respectivos
onde poderão ser encontradas diversas informações, como
palestrantes: 1- “Regra Áurea e a Sequência de Fibonacci - A
reservas em hotéis, programação detalhada, localização,
Natureza como Mestra dos Mestres”, por Marcelo Libânio; 2-
telefones e e-mails de contato, patrocinadores, etc.
“Geometria Sagrada no Corpo Humano e no Templo
Maçônico”, por José Airton de Carvalho; 3- “Vesica Pisces e as O evento, dada sua organização e qualidade de
Catedrais: O Maçom Operativo”, por Edison Barsanti; 4- conteúdo, vem ganhando, a cada edição, expressão no
“Pentagrama Pitagórico: o que ele, ainda, tem a nos ensinar?”, calendário maçônico nacional, reunindo diversos Irmãos
por Francisco Feitosa; 5- “Números Sagrados: o 1, o 3, o 7, o 9, ligados à cultura maçônica, como escritores, acadêmicos,
o 10, o 12, o 33 e o 81”, por Ítalo Barroso Aslan; 6- maçonólogos e estudiosos da nossa Ordem de vários estados,
“Matemática e Música: A Harmonia das Esferas”, por Luiz que fazem questão de prestigiar com sua valorosa presença.
Alberto Bertozzi; 7- “Filosofia e Matemática”, por Sérgio
Quirino. A Revista Arte Real muito se orgulha em poder dar o
Apoio Cultural a tão nobre Encontro, que visa ao
A programação do evento, como em anos anteriores, engrandecimento cultural, além da integração da Família
conta com atividades para as Cunhadas, DeMolays e Filhas Maçônica. Como em anos anteriores, será lançada uma edição
de Jó. Já definidas para as Cunhadas, as palestras: “Saúde da especial, com a publicação de todas as palestras ministradas.
Mulher - Atividades Variadas”, pela Profª Kátia Castilho
Leite; “A Mulher e a Maçonaria”, pelo Irmão Sérgio Quirino. Contamos com a presença de todos! 

Revista Arte Real 63 6


Academia da Leitura
A SPECTOS C OGNITIVOS DA L EITURA E DA E SCRITA

A
Roberto de Queiroz
compreensão de um texto é um processo que se realiza
por meio do conhecimento que o leitor adquiriu ao longo
da vida (o conhecimento prévio). Portanto, "pode-se
dizer, com segurança, que, sem o engajamento do conhecimento
prévio, não haverá compreensão" textual (Angela Kleiman, Texto e
leitor, Pontes, 2004). Esse conhecimento divide-se em quatro
segmentos, a saber: conhecimento lingüístico; conhecimento
textual; conhecimento de mundo; conhecimento partilhado. Serão
delimitados a seguir.
O conhecimento linguístico está armazenado no domínio
das regras de comunicação, estabelecidas entre leitor e escritor
durante a leitura de um texto. Desse modo, o texto, que é o meio de
interação nesse processo, deve-se apresentar num código
linguístico comum a ambos os sujeitos, ou seja, numa língua, cujas
regras fonológicas, morfológicas, sintáticas e semânticas eles
dominem (para um leitor, falante nativo de português, que não O conhecimento partilhado está armazenado na
tenha conhecimento linguístico de inglês, torna-se muito difícil linguagem do cotidiano. Constitui-se por meio de
compreender um texto escrito nesse idioma, mas essa dificuldade elementos comuns tanto ao leitor quanto ao escritor,
diminui com a substituição do léxico em inglês pelo léxico em quer dizer, é a fração de conhecimento de mundo (ou
português). enciclopédico), partilhada entre o leitor e o escritor
durante a leitura de um texto. Assim, caso o escritor não
O conhecimento textual consiste no domínio que o leitor
consiga organizar as ideias que representam esse
tem relativamente ao número de categorias textuais, classificadas
conhecimento, elas, quando decodificadas, podem
como tipos, a respeito das formas textuais, dadas como gêneros, e
apresentar dissonâncias, que provocam conflitos entre
em relação aos elementos característicos de cada uma dessas
aquilo que o escritor deseja representar e aquilo que
categorias, e formas. Os tipos textuais compreendem categorias
leitor tenciona compreender (Araken Guedes Barbosa, A
conhecidas como narração, descrição, exposição, argumentação,
paráfrase como proposta linguístico-pedagógica para
injunção e diálogo. Alguns exemplos de gêneros textuais são
uso no ensino de línguas, UFPE, 2005).
telefonema, carta pessoal, receita culinária, lista de compras, bula
de remédio, horóscopo, reportagem, romance, conto, crônica e Em suma, para que haja compreensão de um
poema. texto, faz-se necessário que o leitor e o escritor possuam
uma fração significativa de conhecimentos afins.
O conhecimento do mundo (ou enciclopédico) abrange
desde o conhecimento, que o leitor tem acerca de fatos triviais Como de praxe, disponibilizamos mais um livro
(peixes vivem na água, o Brasil está na América do Sul), até o virtual. Para baixá-lo, basta clicar em seu título.
conhecimento sobre sua área de atuação profissional (um Escolhemos o livro “Simbolismo dos Números na
farmacêutico sabe que a fórmula da cianocobalamina, vitamina B12, Maçonaria”, de autoria de Boanerges B. Castro, editado
é C63H88CoN14O14P), e assim por diante. Dessa maneira, para pela Livraria Maçônica Paulo Fuchs. Observando os
haver compreensão de um texto, durante a leitura do mesmo, aspectos cognitivos da leitura, citados pelo autor do
aquela parte do conhecimento de mundo do leitor, é relevante para texto acima, tenham uma leitura bastante proveitosa! 
esse processo, "deve estar ativada, isto é, deve estar num nível
ciente, e não no fundo de [...] [sua] memória" (Angela Kleiman, * Artigo publicado no Diário de Pernambuco, 09/08/2010,
obra citada). Opinião, p. A7.

Revista Arte Real 63 7


Trabalhos
P ROFANAÇÃO DE N OSSOS S AGRADOS T EMPLOS

A
José Valdecir de Souza
ntes de iniciar este trabalho, faço a seguinte crença de outrem, de fato isso seria ridículo. Jesus, o Cristo,
pergunta: a quebra de paradigmas se ajusta ao quando estava na Terra, jamais criticou crença alguma, suas
sucesso e às sessões ritualísticas da nossa Sagrada repreensões sempre foram severas quanto ao comportamento,
Instituição Maçônica (publica ou não)? às obras e à hipocrisia daqueles que se diziam doutores da Lei
e donos da verdade, que ele taxou de “sepulcros caiados”, já
Anos após anos, a Maçonaria, ou a forma de fazê-la,
que coavam um mosquito e engoliam um camelo. De fato, um
sofre constantes mudanças, podendo ser observadas
verdadeiro cristão está mais preocupado em tirar as traves do
diariamente dentro da mesma, seja em sessão aberta (pública),
seu próprio olho do que o argueiro do olho de seus irmãos.
seja fechada (ritualística), onde se discutem novas formas
Um verdadeiro cristão segue o exemplo do Divino Mestre,
inerentes a Ela. Acredito, sim, que tais mudanças são respostas
que sempre respeitou as crenças alheias.
às necessidades humanas e tecnológicas, que, como num passe
de mágica, surgem em tempo menor que um piscar de olhos. É Devemos ter, também, bastante cuidado e cautela ao
importante observar que o que, hoje, é considerado certo no convidar um profano para o Oriente, ou, até mesmo, um
âmbito maçônico, amanhã, poderá ser totalmente prejudicial. Irmão Irregular, pois, ritualisticamente, somos conscientes de
No meio administrativo, por que sou graduado, quando ocorre que até um Irmão Aprendiz ou Companheiro só tem acesso
esse processo de mudança de pensamento, chamamos de ao Oriente em caso de extrema necessidade. Devemos ficar
"quebra de paradigmas", com que devemos ter muito cuidado, felizes por sabermos da existência de tão articulado e
sendo considerada negativa, por ser um instrumento perigoso ponderado pensamento em muitos Irmãos.
para a evolução do pensamento maçônico. Segundo afirmações dos próprios Maçons, a
Quanto ao uso da leitura do Livro da Lei em Sessões Maçonaria não é uma sociedade secreta. “Isso é calúnia dos
Públicas, acredito que deveria ser abolido, ou, então, adversários”, apregoam. Dizem, ainda, em alto e bom som,
deveríamos fazer a abertura da sessão ritualística para, que é discreta, não secreta. Na Constituição do Grande
depois, entrarem os convidados. Diante do pouco Oriente do Brasil, Art. 17, onde se especificam os deveres das
conhecimento das Sagradas Escrituras, posso dizer que Deus lojas, sob a letra p, vem a seguinte norma: “nada expor,
fez cada indivíduo livre para adorá-Lo segundo sua própria imprimir ou publicar sobre assunto maçônico, sem expressa
consciência; ninguém é dono da verdade para julgar a crença autorização superior da autoridade a que estiver
alheia a não ser a própria Divindade. subordinada, salvo Constituições, Regulamentos Gerais,
Regimentos Particulares, Rituais, Leis, Decretos e outras
O uso do Livro da Lei deve ser feito com muito
Publicações já aprovadas pelos Poderes competentes. Toda e
critério; é um absurdo vermos em Sessão Pública; um Irmão
qualquer publicação atentatória aos princípios, estabelecidos
ler uma passagem e, até mesmo, se ajoelhar perante o mesmo.
nessa Constituição, ou á unidade da Ordem sujeitará os seus
Deve constar, na fala do Presidente da Sessão, uma rápida
autores às penalidades da Lei”.
explicação de que a Maçonaria não é uma religião, mas
nenhum Maçom começa uma nova tarefa sem antes se É rigorosamente proibido aos profanos (não-maçons)
lembrar (cuidado com a palavra “invocar”) do Criador, e tomar parte nas sessões comuns das lojas, como está relatado
sendo a maioria da sociedade brasileira cristã, será lido um no Art.19, parágrafo único, da Constituição: “As oficinas, sob
salmo ou um provérbio. Contudo, jamais lido na presença dos nenhum pretexto, poderão admitir, em seus trabalhos,
profanos, pois os mesmos não estão preparados para tal maçons irregulares; deverão identificar os visitantes pela
procedimento maçônico. palavra semestral”.

Não podemos ficar preocupados com o que a Com essas declarações de documentos oficiais
sociedade pensa sobre nós, com o que as religiões pensam de autênticos, chegamos à conclusão de que a Maçonaria é uma
nossos conceitos e atitudes. Em ponto algum das Escrituras, sociedade verdadeiramente secreta, no sentido próprio da
vi algum verdadeiro cristão criticar, maldizer ou perseguir a palavra. 

Revista Arte Real 63 8


A G RÉCIA E OS M ISTÉRIOS G REGOS *

E
xplicação dos Mistérios Gregos a partir da Doutrina
Esotérica, da Verdade Arcaica, parte da qual se
encontra, hoje, fragmentada e esparsa pelas
mitologias e religiões do mundo.
Temos, a partir da própria base da Filosofia Oculta,
isto é, do próprio fundamento da Cosmogênese, o conceito de
Substância. Substância, em Cosmogênese, deve ser tomada na
acepção que lhe dá Blavatsky: “ um Princípio Onipresente,
Eterno, Sem Limites e Imutável, sobre o qual toda
especulação é impossível, pois transcende o poder da
concepção humana, e só poderia ser diminuído por qualquer
expressão ou comparação da inteligência humana”. É,
portanto, a “Seidade”, o Sat dos hindus, o Ain-Soph dos
hebreus, a Deidade, o Parabrahmã dos vedantinos, o
Svayambhuva, a Causa sem Causa, a Raiz sem raiz, o Grande
Hálito, a realidade Una, o Absoluto, o Espaço, o eterno Pai
das Estâncias de Dzyan.
Ciclicamente, essa Substância se polariza em Espírito “O Espírito de Deus” – diz o Gênese – “pairava por
e Matéria e, ciclicamente, despolariza-se. Na aurora do cima das águas”. Disse Deus: “Haja luz; e houve luz”. Esta
Manvântara, o Absoluto, Brahma, e, por isso, os sábios hindus luz, de que nos fala a Bíblia, é o Filho, como, mais claramente,
denominam Kalahansa. “O Cisne, no e fora do tempo”, pôs ainda, depreende-se do Evangelho de São João: “Houve um
um Ovo de Ouro – alegoria magistral - com que os primitivos homem, enviado por Deus, e chamava-se João; este veio como
pensadores simbolizavam o Universo em sua mais elevada testemunha para dar testemunho da luz, a fim de que todos
expressão. Diz “Manava Shastra” (O Código do Manu): ”O cressem por meio dele. Ele não era luz, mas veio para dar
Senhor, existente por si mesmo, desvanecendo as trevas, fez- testemunho dela, Havia a verdadeira que, vinda ao mundo,
se manifestar, e desejando produzir seres da sua Essência, a alumia a todo homem. Ele pesava no mundo e o mundo, foi
princípio, criou só a água. Nela colocou a semente. Esta se feito por ele, e o mundo não o conheceu”. Ainda, no
converteu num Ovo de Ouro”. É como, se a Divindade Evangelho de S. João (VIII,12), diz Jesus: “Eu sou a luz do
Primitiva, ao mesmo tempo, fogo e água, isto é, reunião dos mundo”, o que torna definitivamente clara a alegoria.
princípios masculino e feminino, tivesse destacado o princípio
feminino, a água, que o fogo, princípio masculino, fez O símbolo do Ovo, como demonstra Bryant, era usado
germinar, surgindo, então, o Ovo do Mundo. A divisão dos entre os gregos, os persas, os sírios e os egípcios. Aristóteles
dois princípios é importantíssima para o nosso estudo. Vimos nos diz, numa de suas peças, que o Ovo Órfico e os mistérios
que a Divindade Primitiva se polariza em Pai e Mãe, que se dionisíacos, justamente, apresentavam uma cerimônia em que
unem para surgir o filho, o Universo, no princípio, apenas, era consagrado o Ovo do Mundo e explicada sua significação.
um Ovo de Ouro. No livro dos Mortos, o Deus Rá é representado radiante em
seu Ovo, até que o Deus Shu o desperta e lhe dá o necessário
Na Estância III, solka 3 do “Livro de Dzyan”, isso é impulso.
explicado alegoricamente com as seguintes palavras: “As
trevas irradiaram a Luz, e a Luz emite um raio solitário nas Em primeiro lugar, temos a Divindade Primitiva, A
Águas, dentro do abismo da Mãe. O Raio traspassa o Ovo Seidade, a Causa sem Causa de tudo e de todos. Iremos
Virgem; o Raio faz estremecer o Ovo Eterno, desprende o encontrá-la representada na Mitologia Grega? Sim, e logo no
Germe eterno que se condensa no Ovo do Mundo”. Nasce, portal; é o Caos, o Espaço, tal como se apresentava antes da
assim, o 3º Logos, o Demiurgo, realmente, composto de 7 Criação. É, às vezes, também, identificado como Cronos, pois
Hierarquias Andróginas, como as próprias estâncias de este, devorando seus filhos, faz algo semelhante à Substância
Dzyan, veladamente, expressam. Divina, que reabsorve os universos e deuses no fim do

Revista Arte Real 63 9


Manvântara. E, realmente, se meditarmos um pouco, veremos conclusão. A alma humana, ou melhor, a Mônada Eterna,
que nada mais justo do que representar-se a Divindade saída do Mundo Divino, está presa ao corpo como a ostra à
Suprema por Caos, o Espaço, e, por Cronos, o Tempo, uma casca. O corpo é a grande prisão da alma e, portanto, ela só
vez que Espaço e Tempo são as coordenadas básicas do poderá retornar ao seio da Mãe Celeste libertando-se do
Movimento, e este é a essência dessa Raiz numeral de tudo corpo. Que mais devemos desejar, então, no mundo? A morte,
que existe. De fato – ao contrário do que pensava Parmênides é claro, pois só ela nos libertará do corpo e nos reconduzirá à
– existe um Movimento Absoluto e Transcendente, pois, se a nossa Terra Natal. Porém, não é qualquer morte que serve
Substância Divina permanecesse em repouso, em absoluta para libertar a alma. Platão nos ensina que, no inferno, as
imobilidade, os universos não poderiam ser emanados e nossas boas ações recebem a sua recompensa e as más ações,
reabsorvidos. os castigos correspondentes, mas, no fim, a alma volta ao
corpo para novamente morrer. Além do mais, se, apenas, na
Vemos, aqui, uma alegoria de que, ciclicamente, Zeus se
eliminação do corpo, estivesse a solução, o suicídio seria o
une ao princípio feminino, personificado, na mitologia sob os
grande remédio. Algo mais precisa ser eliminado com o
mais variados nomes. Em Hera, por exemplo, é transparente o
corpo, e é isso que devemos saber. Agora já podemos concluir
simbolismo, uma vez que ela é irmã gêmea de Zeus. Da união de
sem hesitar: precisamos aprender a morrer. Justamente, a isso
Zeus e Senele, surge Dionísios, o Baco dos latinos, o Filho. Eis
devemos devotar a nossa existência”. Como e onde se
aqui a trindade de todas as mitologias e religiões. Na teogonia
aprende, porém, a morrer? Eis a finalidade maior dos
hindu, temos a famosa Trimurti, Brahmã, Shiva e Vishnu,
mistérios: ensinar a morrer. Na iniciação, aprendia-se a
embora a antiga trindade védica fosse constituída de Agni, Vayu
grande distinção entre morte e MORTE.
e Surya. Entre os hebreus, uma Trindade superior se superpõe às
dez Sephiroth – Kether, Chochmah e Binah Porfírio esclarece magistralmente:
– tríade que poderia corresponder ao Atmã, “A morte é dupla: uma, conhecida de
Budhi e Manas da Teosofia. Na mitologia todos, tem lugar quando o corpo se afasta
egípcia, vemos a trindade suprema da alma; a outra, a dos filósofos, quando a
representada por Osíris, Ísis e Horus. Na alma se afasta do corpo”. Sócrates,
teogonia babilônica, temos Anu, Ea e Bel. O condenado à morte, diz, ainda, no Fédon:
introdutor do dogma da Santíssima “os homens ignoram que os verdadeiros
Trindade dos cristãos, Atanásio, Padre da filósofos trabalham durante a vida para
Igreja, que viveu toda a sua vida no Egito, preparar-se para a morte”. O neófito devia
só precisou de esforço para dar outros aprender a morrer para o mundo dos
nomes à Trindade egípcia. sentidos, dos desejos e paixões corporais.
Antes que o corpo, os desejos devem ser
Vejamos, agora, que relação há
extintos, consumidos, nas chamas da
entre essas verdades ocultas, que já vimos
purificação – daí o simbolismo das chamas
estarem expressas não só pela mitologia
dos infernos.
grega, mas também por todas as
mitologias e os mistérios gregos. Será útil A metempsicose era uma ideia que,
esclarecer, antes, que embora as mesmas nos Mistérios, estava, sempre, associada à
verdades vivificassem todos os mistérios gregos, cada um morte. A alma não passava, apenas, por corpos humanos. Os
deles dedicava-se, principalmente, a cultuar apenas uma gregos admitiam que, após a morte, a alma podia transmigrar
delas. Podemos, portanto, fazer a seguinte afirmação, o que através dos mais diferentes corpos, seja de homens, seja de
muito nos auxiliará na compreensão e na classificação dos animais, como leões, asno, etc. Ao primeiro contato, tal noção
mistérios gregos: esses mistérios tinham como finalidade, pode trazer certa inquietação à nossa mentalidade ocidental,
além do ensino interior das verdades fundamentais, de fundo católico-científico, estritamente ortodoxa. Platão,
reverenciar cada um dos aspectos da divindade: aspecto entretanto, defende tal teoria, e, realmente, ela encerra muito
absoluto de Causa sem causa – eis a razão dos Mistérios de de verdadeiro. Para quem admite, aliás, que a alma pode
Cronos; aspecto masculino – para isso, existiam os mistérios existir independentemente do corpo, nada há de mais que se
de Zeus; aspecto feminino – glorificado nos mistérios conceba poder ela penetrar em corpos de animais. Um iogue
dionisíacos. Os outros mistérios, como não podia deixar de hindu pode dominar a sua mente a tal ponto, que a projeta de
ser, originam-se desses quatro fundamentais. seu corpo e pode fazê-la penetrar numa pedra, num animal,
no que desejar, enfim. É o que eles chamam de fazer
Raciocinemos e vejamos se chegamos, também, a essa

Revista Arte Real 63 10


“samyama”, e, por essa prática, adquirem-se os mais essa alma, pela lei da auto-gravitação dos semelhantes, acabe
fantásticos poderes sobrenaturais. Entretanto, a passagem da sendo atraída para a espécie animal com quem mais teve
alma humana para o corpo de um animal, como podemos afinidade. É através das reencarnações sucessivas que as
imaginar facilmente, não é um fenômeno natural dentro da almas vão evoluindo, libertando-se do Karma e fazendo
evolução. Se os homens não se animalizassem tanto no espaço brotar os seus princípios superiores, até então, apenas,
de uma vida, jamais, a alma humana teria necessidade de embrionários. 
passar para o corpo de um animal. Entretanto, se conseguiu
*Extraída da Revista Dhâranâ nº 33 – 1970/77 – órgão oficial de
identificar-se tanto com um animal, nada mais lógico do que
divulgação da Sociedade Brasileira de Eubiose.

R EFLEXÕES
A M ORTE DE C ADA D IA

N
Autor ignorado
um artigo muito interessante, Paulo Angelim, arquiteto, pós-
graduado em Marketing, dizia, mais ou menos, o seguinte:
"Nós estamos acostumados a ligar a palavra morte, apenas, à
ausência de vida, e isso é um erro.
Existem outros tipos de morte, e precisamos morrer todo dia. A
morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação. Não
existe planta sem a morte da semente, não existe embrião sem a morte
do óvulo e do esperma, não existe borboleta sem a morte da lagarta, isso
é óbvio!
A morte nada mais é do que o ponto de partida para o início de
algo novo. É a fronteira entre o passado e o futuro. Se você quer ser um
bom universitário, mate, dentro de você, o secundarista aéreo, que acha
que, ainda, tem muito tempo pela frente. Quer ser um bom profissional?
Então, mate, dentro de você o universitário descomprometido, que acha
que a vida se resume a estudar só o suficiente para fazer as provas. Caso
queira um bom relacionamento, então, mate, dentro de você, o jovem
inseguro ou ciumento ou o solteiro solto, que pensa poder fazer planos
"infantilizados".
sozinho, sem ter que dividir espaços, projetos e tempo com mais
Precisamos manter as virtudes de criança que,
ninguém.
também, são necessárias a nós, adultos, como:
Enfim, todo processo de evolução exige que matemos o nosso brincadeira, sorriso fácil, vitalidade, criatividade,
"eu" passado, inferior. E, qual o risco de não agirmos assim? O risco está etc.
em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso
Então, o que você precisa matar em si,
foco, comprometendo nossa produtividade e, por fim, prejudicando
ainda hoje, para que nasça o ser que você tanto
nosso sucesso.
deseja ser ? Pense nisso e morra! Mas, não esqueça
Muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que de nascer melhor ainda! 
eram, não se projetam para o que serão ou desejam ser. Querem a nova
Matéria disponibilizada na Internet pelo pelo
etapa, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam. Acabam
Irmão Amaro Peixoto.
se transformando em projetos acabados, híbridos, adultos

Revista Arte Real 63 11


Boas Dicas
N ossa dica é visitar o site administrado pelo nosso Irmão Kennyo Ismail, “No Esquadro – Derrubando Mitos na
Maçonaria”. Cliquem no link http://www.noesquadro.com.br e desfrute de matérias muito bem elaboradas! 

Lançamentos
“Tudo é Uma Questão de Atitude – Sonho e Visão” é um livro
que vai te ajudar a replanejar sua vida, reconhecer a importância de
uma atitude positiva, e outros aspectos essenciais como perdoar e
elogiar. Cada artigo serve como tema para profunda reflexão, levando
o leitor a buscar entender a si mesmo, ingrediente fundamental no
processo de autotransformação. Recomendo como livro de cabeceira.
? Feitosa.

“Indicamos aos nossos diletos leitores, como livro de cabeceira,


a excelente obra de nosso Irmão e Amigo, Alfredo Netto, que,
magistralmente, uniu seu vasto conhecimento com a arte de bem escrever,
traduzindo-se em um livro que, levará o ávido leitor a profundas reflexões
e, consequentemente, a um eterno aprendizado!” Feitosa.
Os direitos autorais foram cedidos à Loja Maçônica União e
Solidariedade - GLESP, acordado que o lucro advindo da venda se reverta
para obras de Filantropia.?

“O Mito Jesus – A Linhagem e a Descendência do Mestre!” - O


autor apresenta, em três livros, um trabalho sério de 15 anos de
pesquisas, baseado em documentos, sobre a identidade, a genealogia
e a relação do Mestre Jesus com diversas personalidades do mundo
atual.
Um trabalho único e ousado, já que pouquíssimos autores
ousaram adentrar nessa linha de pesquisa que, com certeza, vai de
encontro a “verdade” imposta pelo Vaticano!
Recomendamos sua leitura!

A
rte Real é uma Revista maçônica virtual, de publicação mensal, fundada em 24 de fevereiro de 2007, com registro na
ABIM – Associação Brasileira de Imprensa Maçônica – 005-JV, que se apresenta como mais um canal de informação,
integração e incentivo à cultura maçônica, sendo distribuída, gratuitamente, via Internet, hoje, para 24.000 e-mails de
Irmãos de todo o Brasil e, também, do exterior, além de uma vasta redistribuição em listas de discussões, sites maçônicos e listas
particulares de nossos leitores. Sentimo-nos muitíssimo honrados em poder contribuir, de forma muito positiva, com a cultura
maçônica, incentivando o estudo e a pesquisa no seio das Lojas e fazendo muitos Irmãos repensarem quanto à importância do
momento a que chamamos de “Quarto de Hora de Estudos”. Obrigado por prestigiar esse altruístico trabalho!
Editor Responsável, Diagramação, Editoração Gráfica e Distribuição: Francisco Feitosa da Fonseca - M∴I∴ - 33º
Revisão Ortográfica: João Geraldo de Freitas Camanho - M∴I∴ - 33º
Colaboradores nesta edição: José Valdecir de Souza Martins – Roberto de Queiroz – Walter T. Andrade
Contatos: MSN - entre-irmaos@hotmail.com / E-mail – revistaartereal@entreirmaos.net / Skype – francisco.feitosa.da.fonseca /  (35) 3331-1288 / 8806-7175
Suas críticas, sugestões e considerações são muito bem-vindas. Temos um encontro marcado na próxima edição!

Revista Arte Real 63 12