You are on page 1of 13

Fundada em 24 de fevereiro de 2007 Registro na ABIM 005-JV

Editorial ____________________________________________________________________________________________

A o longo de várias edições, vimos, incessantemente, através de nosso Editorial e de matérias de nossos colaboradores,
conclamando os Irmãos quanto a nossa importantíssima responsabilidade diante das urnas, em prol de um Brasil mais
digno.
Na verdade muitos preferem abdicar do interesse pela política a assumirem o papel de cidadão, permitindo que outros,
mal-intencionados, definam nossa própria sorte, lamentando o futuro das próximas gerações, sem fazerem, sequer, força, para
desconfiarem que são os responsáveis, direto, por tal desastre.
Verdadeiros patriotas de Copa do Mundo de Futebol. Que gente é essa?
Modificar a cultura de um povo não é tarefa fácil, principalmente, quando seu problema é “não ter cultura”. A cultura de
ler, de votar, de respeitar as pessoas e o meio ambiente, da coletividade, etc.
Mais uma vez, defrontamos com a oportunidade de mudança, através do voto, mas sabemos que sua eficácia é
proporcional ao grau de consciência de cada eleitor, daí o desânimo!
A Revista Arte Real, consciente de sua responsabilidade como órgão de divulgação e conscientização, não se omite de sua
obrigação junto a nossos leitores, elucidando-os para a dissolução de velhos paradigmas, causados pelas “bastilhas” impostas por
uma minoria dominante e mal-intencionada.
O ano de 2008, em si, anuncia seu final e nos leva a refletir o que pudemos ou nos propusemos a fazer em benefício de
nosso planeta, que, há muito, agoniza e já dá mostras de sua revolta.
Existe uma passagem bíblica, muito mal-interpretada até os dias de hoje, em que o Mestre Jesus diz que devemos,
sempre, oferecer a outra face. O povo, ainda, levado a entender as Santas Escrituras pela letra que mata, e não em suas
entrelinhas não consegue perceber que existe a face do Amor e do Rigor. Que se não aprendermos através do amor, teremos que
aprender através do rigor, da dor, do sofrimento, pois, queiramos ou não, estamos nesse plano físico para evoluir, em busca do
caminho de volta à Casa do Pai!
As previsões e profecias, para os próximos anos, não são as melhores, resultante de um Karma negativo coletivo, que o
homem vem construindo ao longo de anos, devido a sua omissão, descaso, ganância, egoísmo. O Império Americano já mostra
sinais de sua falência, e as Bolsas de Valores do mundo inteiro começam a entrar em colapso, afetando o mundo globalizado.
É bem possível que a natureza revoltada, como em outras oportunidades, volte a ceifar
milhares e milhares de vidas, dizimando civilizações inteiras e modificando a geografia do
planeta, para o surgimento de uma Era de Paz e de Harmonia, a tão esperada Idade de Ouro.
Nesta edição, corroborando, em parte, com o que acima abordamos, destacamos a matéria
de autoria da escritora Zélia Scorza Pires, intitulada “Nada é por Acaso”, através da qual convido a
todos a fazer uma profunda reflexão. Na coluna Trabalhos, apresentamos a matéria “Mistérios de
Elêusis” e “A Origem da Palavra Irmão”, de autoria dos valorosos Irmãos Cossão e Valdemar
Sansão, respectivamente.
Na coluna Os Grandes Iniciados, a Vida e a Obra de Ramakrishna nos servem como um
referencial de humildade e sabedoria. Já, na coluna Reflexões, apresentamos a matéria “Filosofia
do Tubarão”, a qual merece uma leitura profundamente meditativa.
Agradecemos as inúmeras manifestações de carinho de nossos leitores, sugerindo,
apresentando considerações, criticando, enviando matérias, enfim, contribuindo com o nosso
árduo, porém, prazeroso trabalho, junto a esta Revista, em prol da cultura maçônica.
Que possamos, em próximos editoriais, escrever linhas mais animadoras! 

 

Nesta Edição __________________________________________________________________________________

Capa – Finados ou Iniciados?.............................................Capa Ritos Maçônicos – Rituais e Ritos.........................................8


Editorial.....................................................................................2 Trabalhos – Mistérios de Elêusis.............................................9
Matéria da Capa - Finados ou Iniciados?..............................3 - A Origem da Palavra Irmão..............................10
Destaque - Nada é por Acaso.................................................. .4 Reflexões – Filosofia de Tubarão...........................................12
Informe Cultural – Loja de Pesquisas Quatuor Coronati.........5 Lançamento – Livro Rito de York ........................................13
Os Grandes Iniciados – Sri Ramakrishna...................................6 Boas Dicas – Sites /Indicação de Livros / Edições Anteriores .. 13
Matéria da Capa __________________________________________________________________

Finados ou Iniciados?
“O fim de uma vida é o recomeço para a outra! Kether transmuta Malkuth!”

Leo Cinezi

O Dia de Finados, que, desde o século XIII, vem sendo


pranteado, anualmente, no segundo dia do mês de
novembro, nos faz lembrar aqueles que já se foram deste
próximos e amados. É um dia de amor. Amor ao próximo!
Amor por alguém que nunca nos deixou nem deixará.
É o Dia de Todos os Mortos, pois sucede o Dia de Todos
plano. São os verdadeiros Iniciados na Grande Obra, a fim de os Santos, dia dos que morreram em estado de graça, e não
darem continuidade à labuta gradativa para o foram canonizados. É importante citar que foi copiado dos
engrandecimento do ser. Engrandecimento mesmo! Pois, como cultos pagãos dos celtas e dos gauleses. A Festa dos Espíritos
somos corpos, etéreos nessa nova fase, engrandecemo-nos pela era celebrada pelos celtas em 1º de novembro. Nessa data, os
união que amalgama todos em uma única forma. celtas ofereciam sacrifícios para liberar os espíritos,
Hoje, não passa de “mais um feriado” no calendário aprisionados por Samhain, o príncipe das trevas. Hoje é
gregoriano. Ou melhor, no calendário mundano ou FERIADÃO quando cai perto do fim de semana.
profissional. A vida, sempre menosprezada, é levada sem Finados são os novos iniciados na próxima etapa. É
muito sentido, mas com foco em aquisições e bens que somente com essa passagem que poderemos galgar o
pertencem a este mundo, e não ao próximo. próximo estágio e, por tal motivo, não devemos temer a
Às vezes, pegamo-nos distraído morte. A morte abre mais uma porta. É uma chave
completamente. E, no silêncio da distração, mística, que permite adentrarmos outro nível, a fim
encontramos uma forma de reflexão. É um de redescobrirmos o que nos impulsiona na busca.
mergulho no turbulento e profundo oceano Iniciados nessa nova fase, unidos, ou
da consciência, atingindo, assim, um local melhor, re-unidos, multiplicamos nosso
inexplorado e que merece atenção. poder divino, como filhos e herdeiros do
Em nossa essência, existem todas as Supremo, que somos. O poder será nosso
informações que almejamos, mas de que nos no devido tempo. Aliás, CRONOS, o
distanciamos diuturnamente, por vivermos em Tempo, sempre esteve ao nosso lado, e
comunhão, apenas, com o mundo capitalista não contra nós. Nós é que nos colocamos
devastador que se ergue à nossa volta. contra o tempo, para atendermos alguma
Mas... Se temos tudo de que pseudo necessidade, que julgamos ser
precisamos dentro de nós mesmos, por que importante para nós.
não nos aquietamos, deixando de invadir o Mas é isso! Finados, hoje, é um
mundo dos metais? feriado! E, vamos encher nossas rodovias
A vida em sociedade se fez em busca de algo, que encontraríamos
necessária e, desde então, não foi mais, facilmente, deitados na grama do parque
sequer, indagado se a necessidade, em dado perto de casa.
momento deveria se expandir para todo o sempre. E já que vamos, aproveitemos bem o trânsito e façamos
Nós, ainda, tentamos, vez por outra, encontrar um dos momentos em família uma reflexão da VIDA e da MORTE.
refúgio (material, também, né?!?!), para suavizar as nódoas É uma grande oportunidade para tentarmos uma aproximação
captadas na trilha desta vida. E, com o descanso mais profunda. Transformemos nossos transtornos em lições e
proporcionado pela data em questão, muitos de nós vão para nossas diferenças em singularidades. Cada indivíduo é ÚNICO.
seus retiros, onde, até, inconscientemente, buscam mais um Podemos dizer IDIOTA, com conotação grega. E idiota, que
pouquinho do que já temos: paz. somos, vamos tentar nos reencontrar um pouquinho mais.
Finados é um dia de celebração. Não é um dia de Desejamos paz no Dia de Finados e que tudo o que for
tristeza! É uma celebração da vida eterna dos nossos pares feito seja motivo de reflexão. Boa viagem! Nos dois sentidos!
Destaques _________________________________________________________________________________

Nada é por Acaso


Zélia Scorza

O s verdadeiros Teósofos, os adeptos


do Budismo, do Espiritismo (mais
correto chamar Animismo), e outras
Não é fantástico? Quem, senão uma
Fonte Superior, para conduzir tão bem
um trabalho assim.
Baía de Guanabara... Esse régio casal
tinha uma missão
criminosamente interrompida... Ficou,
divina,

religiões e filosofias que adotam as leis de Sabemos que nada disso que então, pairando sobre a cidade, um
carma e reencarnação, sabem que coisa estamos comentando pode aliviar o carma com dia e hora marcado para
alguma acontece no mundo por acaso. coração de quem sofre a perda de um ocorrer... Em hieróglifos, na Pedra da
Nos fatos diários, por mais ente querido, tão abruptamente retirado Gávea, lá está a profética data, já distante
insignificantes que eles sejam, essas duas dessa vida. Melhor seria que nada disso no tempo, pois, até hoje, não se
sábias leis nunca estão ausentes... Tudo é acontecesse. Que a cidade fosse consumou. Provavelmente porque o
matematicamente previsto. Olhado por tranqüila, como em passado não tão carma pode ter sido adiado, pode ter sido
esse ângulo, o sofrimento, nas suas mais distante, e nós mesmos, em nossa atenuado, como pode ter sido desfeito, e,
variadas formas, talvez, possa ajudar, mocidade, dessa paz usufruímos. Seria se a última hipótese aconteceu, resíduos
pelo menos em parte, todo e qualquer ser igualmente bom se cada ser pudesse sempre ficam... E, como sempre
humano a suportar, com mais resgatar suas dívidas cármicas em suaves acontece, se juntam a outros resíduos
resignação, as surpresas desagradáveis prestações, o que, muitas vezes, acontece, que se vão formando... Mas o Cristo
que a vida, muitas vezes, apronta-nos. principalmente, quando a Lei Divina Redentor, em seu pedestal, continua lá,
A Cidade do Rio de Janeiro, por reconhece, no devedor, o seu grande na corcova do monte, e, embora de
exemplo, não passa por uma fase boa. No valor e força de vontade para vencer seus pedra, tem sua emanação, pois todos os
ano passado, graças ao policiamento próprios erros. que o visitam o contemplam com amor,
ostensivo, a cidade vibrou com dois O caso, porém, é que, no final de admiração e respeito, e isso, de qualquer
eventos importantes: a eleição do Cristo um grande ciclo planetário, como agora forma, é bom para a cidade. Com os
Redentor, como uma das Sete Maravilhas acontece, carma nenhum fica mais braços abertos, Ele prossegue
do Mundo, e os Jogos Pan-Americanos. pendente... Isso porque a Terra precisa amparando-a, na esperança de um
Confrontos, balas perdidas, tudo, nesses aliviar-se... comportamento melhor por parte da
dias festivos, correu sem incidentes população.
Como falávamos, a tranqüilidade,
graves. Prova de que Deus é brasileiro! É que tomou conta da cidade do Rio de Como, por parte das autoridades,
nesse contexto que entra a razão deste Janeiro naqueles dois eventos, criou nunca houve interesse em evitar a
nosso comentário, que acreditamos alma nova no povo carioca, pelo menos propagação das favelas, estas tomaram
ensine alguma coisa, graças às naqueles dias. Povo alegre, que, embora conta dos morros, cuja vegetação, antes
informações valiosas do Professor vivendo momentos difíceis, quase que tão exuberante, era um dos cartões-
Henrique José de Souza, fundador da diários, não faz muito tempo, numa postais da cidade. A beleza, no entanto,
Sociedade Brasileira de Eubiose. pesquisa mundial, foi eleito o mais não desapareceu de vez, porque a cidade
Segundo ele, a “bala perdida” cordial, alegre e comunicativo do mundo. é cercada de montanhas, quase todas
atinge alguém, se o mau carma dessa Infelizmente, porém, a cidade tem um lindas e enigmáticas... Tanto que o
pessoa a encaminha... Seja carma atual opressivo carma: o vermelho das conjunto de várias delas, se olhadas da
ou de vidas passadas... “A bala numerada paixões... Ilha Rasa, propriedade do Exército,
ou nomeada”, naquele momento, é a sua Além disso, em passado remoto, permite ver-se, por inteiro, um Gigante
correspondente... Esteja tal ser perto ou do pétreo Pão de Açúcar, uma terrível de Pedra, deitado... O “gigante pela
distante do local, donde ela foi projetada, vingança se abateu contra dois príncipes própria Natureza”, o “deitado
ou mesmo dentro de sua própria casa... fenícios, filhos de Badezir, o rei fenício, eternamente em berço esplêndido”, do
que, naquele tempo, governava as terras Hino Nacional Brasileiro, teria sido nele
Cabe, então, a pergunta: que
brasileiras. Séculos após essa terrível inspirado? Esse Gigante de Pedra, o seu
cálculos são esses, que, tão perfeitamente
vingança, a, então, Cidade do Rio de nariz (veja o tamanho dele) é a Pedra da
determinados, conduzem o destino da
Janeiro inaugurou uma estátua Gávea, e os pés... o Pão de Açúcar...
bala? Só pode ser coisa de planos
gigantesca, do Cristo, na corcova de um Pedra, que, esotericamente, nosso
superiores, ou, então, o julgamento
monte, que, em altura, suplanta a pedra Mestre, o Professor Henrique José de
imparcial dos Lípikas... O ser atingido,
Pão de Açúcar... Até hoje, lá está o Cristo, Souza, chama de Pão dos Asuras... E é do
caso não morra na hora, ou venha a
com os braços abertos, tentando fazer o alto dos morros, daqueles que se
morrer dias depois, ou se fica com lesões
que pode para salvaguardar a cidade transformaram em favelas, onde a
graves, ou sofre ferimentos leves, ou sai
maravilhosa... vegetação desapareceu, levando junto o
ileso por verdadeiro milagre, nesse
canto dos pássaros, que toda a beleza da
último caso, é porque “a vida corrige em Esse carma peculiar, atraído por cidade pode, também, ser vista. Mas,
tempo...” E, quando isso acontece, o essa terrível vingança, desde então, fez raízes profundas de um grande mal
espanto é geral, porque desconhecem que do Pão de Açúcar um pão salgado... latente, fazem com que balas perdidas
foi a própria Lei da Compensação (a Dessa pedra em forma de cone, inimigos continuem fazendo estragos, com seus
mesma Lei de carma), que “suplantou o do rei Badezir provocaram a morte, por
valor potencial de seus erros passados”. afogamento, do casal de príncipes, na trajetos “numerados carmicamente...” 
Informe Cultural _________________________________________________________________

Loja de Pesquisas Quatuor Cororani


Francisco Feitosa

A cademia Maçônica de Letras,


segundo o Dicionário
Maçonaria, de autoria de Joaquim
de
Quatro Coroados, hábeis artesãos da
arte da escultura, foram terrivelmente
sacrificados, por ordem do Imperador
Gervásio de Figueiredo, significa: Diocleciano I, por terem se negado a
“Sociedade civil literária de Maçons, cumprir suas ordens de esculpir a
de âmbito nacional, constituída sobre imagem de Esculápio (deus da saúde).
bases democráticas, com a finalidade Essa data foi escolhida para
de incentivar a cultura e letras homenageá-los pelo Papa Melchiades,
maçônicas”. entre os anos 310 a 314.
Uma Academia Maçônica ou uma Loja Maçônica de O quadro de Membros Fundadores Efetivos dessa
Pesquisas é muito mais que um prédio, onde se reúnem nobre Loja de Pesquisas foi formado por 81 Cadeiras, em
pessoas. É uma Sacrossanta Casa, onde se congregam os alusão aos 81 nós da Corda que ornamenta, com seu profundo
pensamentos dos maiores expoentes da cultura de uma significado, o Templo nos Graus Simbólicos.
sociedade, que, inspirados por seus ilustres patronos e intuídos As Sessões se realizam no Salão Nobre da
pelo Grande Arquiteto do Universo criam, ao longo de sua G∴L∴M∴M∴G∴, na Avenida Brasil, nº 478, Santa Efigênia,
história, um egrégora poderosíssimo, cujas influências BH, às 20h, e são abertas a todos os Maçons regulares e ativos,
interagem positivamente junto ao coletivo humano. observando-se, apenas, o Grau em que a Loja estiver
Conscientes dessa assertiva, valorosos Irmãos de Lojas trabalhando.
jurisdicionadas à G∴L∴M∴M∴G∴reuniram-se no dia 22 de Tivemos a honra e o privilégio de sermos admitido
outubro de 2007, sob a presidência de seu Grão-Mestre, Irmão como Membro Honorário dessa Nobre Casa, dedicada ao
Antônio José dos Santos, e o resultado dessa reunião foi a estudo e à pesquisa, e, humildemente, juntando-nos a
criação da Loja Maçônica de Pesquisas “Quatuor Coronati” valorosos Confrades, conscientes da importância de seu papel
Pedro Campos de Miranda e a eleição de sua primeira como literatos e da expressividade de mais uma Loja
Administração, tendo sido eleito o Ilustre Irmão José Maurício Acadêmica, estamos contribuindo com a cultura maçônica,
Guimarães como seu primeiro Confrade Presidente. também, em terras mineiras.
No dia 08 de novembro de 2007, através do Decreto nº Atendendo ao convite do
1.713 daquela Grande Loja, foi realizada a Cerimônia de Confrade Presidente, estaremos,
Instalação e Posse da Administração e dos Membros Efetivos junto ao valoroso Irmão João
Fundadores. Camanho, que foi admitido em 08 de
Na Maçonaria, existem diversas Lojas de Estudos e outubro passado, também, como
Pesquisas, sendo a mais antiga a Loja Quatuor Coronati, n.º Membro Honorário dessa Loja de
2076, da Grande Loja Unida de Inglaterra. O nome “Quatuor Estudos, proferindo uma palestra no
Coronati”, escolhido por diversas Lojas no mundo maçônico, é próximo dia 11 de novembro, com o
uma justa homenagem aos “Quatro Coroados”, que foram tema: “O Cunho Transcendente da
martirizados e considerados santos patronos dos pedreiros em Missão dos Cavaleiros Templários”,
toda a Europa, entre os séculos V e XVI. em uma abordagem hermenêutica
Já o de “Pedro Campos de Miranda” é uma das “tramas” da Divindade, através
homenagem a um valoroso e saudoso Irmão, cujos atributos da Grande Fraternidade Branca, para
são: a elevada cultura, a abnegação pelo estudo da filosofia o surgimento da Raça Dourada em
maçônica, a respeitabilidade conquistada como jornalista e terras brasileiras.
escritor, além de suas ações de fraternidade e solidariedade. Parabenizamos os valorosos Irmãos Fundadores e
Essa egrégia Casa de Cultura da capital mineira conclamamos nossos leitores a conhecerem o belíssimo e
funciona sempre, no dia 11 de cada mês, salvo, quando este cai altruístico trabalho, desenvolvido no seio dessas Lojas de
em um final de semana; nesse caso, a Sessão é antecipada para Pesquisas e Academias Maçônicas, em prol do crescimento
o dia 8. espiritual e cultural da Ordem maçônica.
O dia 8 de novembro tem um porquê mais do que Aproveitamos a oportunidade para convidarmos
especial. Essa data foi escolhida para sua fundação, em função nossos Irmãos do Oriente de BH a nos prestigiarem, assistindo
de ter sido, justamente, nesse dia, no ano de 298, que os à exposição desse tema. 
Os Grandes Iniciados _______________________________________________________

Sri Ramakrishna
Francisco Feitosa

N esta edição, apresentamos mais um Mestre da


Sabedoria que, em Sacro-Ofício, veio trazer a Luz
de seus excelsos ensinamentos, em auxílio à evolução da
que o Senhor Vishnu lhe prometeu nascer como seu filho. E
Chandramani Devi, também, defronte ao templo de Shiva, em
Kamarpukur, teve uma visão, mostrando-lhe o nascimento da
humanidade. A compilação da Vida e Obra desse divina criança. Quando regressou, o marido encontrou-a
Mahatma – Ramakrishna – foi extraída do site do Centro grávida.
Ramakrisna Vedanta. Quando criança, Ramakrishna (seu nome de
Sri Ramakrishna foi um santo, que nasceu na Índia, nascimento era Gadadhar) era muito amado pelos aldeões.
num vilarejo simples, próximo à Kolkata (Calcutá), no século Desde o princípio, não tinha interesse por educação formal e
XIX. Suas palavras e ensinamentos deixaram marcas tão nem por assuntos mundanos. Entretanto, era um garoto muito
profundas na sociedade indiana, que possibilitaram uma talentoso e podia cantar e pintar muito bem. Gostava de servir
revolução naquele país. Tais doutrinas estavam alicerçadas na aos homens santos e escutar suas histórias. Era muito comum
vivência espiritual direta; ele foi, em verdade, a personificação encontrá-lo absorvido em estados espirituais. Com a idade de
das Escrituras, pois, através de sua experiência, pôde seis anos, experimentou seu primeiro êxtase, quando viu uma
comprovar a autenticidade delas e remover as superstições, revoada de grous brancos, movendo-se sob um fundo de
que, como a poeira, encobria as nobres verdades descobertas nuvens escuras. Essa tendência de entrar em êxtase foi se
pelos antigos sábios da Índia. intensificando com a idade. Seu pai
Mas, o mais belo da vida de faleceu, quando Gadadhar tinha sete
Sri Ramakrishna, é que a força de anos, e esse acontecimento
suas palavras não ficou limitada às aprofundou seu comportamento
fronteiras da Índia, nem ao próprio introspectivo e seu desapego pelo
hinduísmo, ganhou o mundo. E isso mundo.
se deveu à simplicidade e Quando Sri Ramakrishna
universalidade dessas palavras, que tinha cerca de dezesseis anos, seu
forneceram a todos, das mais irmão Ramkumar levou-o até
diferentes religiões, a comprovação Kolkata, para que o assistisse em sua
de que as experiências de seus profissão sacerdotal. Em 1855, o
próprios profetas foram autênticas. templo de Kali, em Dakshineswar,
Sri Ramakrishna nasceu em construído por Rani Rasmani, foi
18 de fevereiro de 1836, no vilarejo consagrado, e Ramkumar tornou-se
Karmapukur, cerca de dez o sacerdote chefe desse templo.
quilômetros a noroeste de Kolkata. Quando faleceu alguns meses depois,
Seus pais, Kshudiram Ramakrishna foi indicado como
Chattopadhyaya e Chandramani sacerdote. Desenvolveu intensa
Devi, embora fossem pobres, eram devoção pela Mãe Kali e despendeu
muito piedosos e dotados de muitas muitas horas em adoração de Sua
virtudes. Casaram-se em 1799. imagem, esquecendo-se dos rituais e
Naquela época, Kshudiram estava das tarefas sacerdotais. Seu intenso
vivendo no vilarejo ancestral de anelo culminou com a visão da Mãe
Derepore, próximo de Kamarpukur. Kali como ilimitada refulgência,
Seu primeiro filho, Ramkumar, permeando tudo à sua volta.
nasceu em 1805, e sua primeira O estado de intoxicação
filha, Katyayani, em 1810. divina de Sri Ramakrishna alarmou seus familiares em
Em 1814, o proprietário da terra mandou que Kamarpukur, e eles o casaram com Saradami, uma garota do
Kshudiram prestasse falso testemunho no tribunal contra um vilarejo vizinho de Jayrambati. Inalterado pelo casamento, Sri
vizinho. Quando ele se recusou a fazê-lo, o senhor moveu uma Ramakrishna mergulhou em práticas ainda mais intensas.
ação contra ele e lhe retirou a propriedade ancestral. Assim, Impelido por intenso chamado interior, para experimentar os
desprovido, Kshudiram chegou, a convite de outro diferentes aspectos de Deus, seguiu, com a ajuda de vários
proprietário, à pacata vila de Kamarpukur, onde lhe foi dada Gurus, os muitos caminhos, descritos nas Escrituras Hindus, e
uma casa e, mais ou menos, um acre de terra fértil. As colheitas realizou Deus através de cada um deles. O primeiro mestre,
dessa pequena propriedade eram suficientes para atender às que apareceu em Dakshineswar (em 1861), foi uma mulher
necessidades básicas de sua família. Aqui ele viveu na extraordinária, conhecida como Bhairavi Brahmani, uma
simplicidade, dignidade e contentamento. avançada adepta espiritual, muito versada nas Escrituras. Com
Dez anos depois de sua chegada a Kamarpukur, sua ajuda, Sri Ramakrishna praticou várias das mais difíceis
Kshudiram fez uma peregrinação a pé até Rameswaram, no disciplinas do caminho tântrico e atingiu sucesso em todas
extremo Sul da Índia. Dois anos depois, nasceu seu segundo elas. Três anos mais tarde, chegou um monge errante,
filho, chamado Rameswar. Novamente, em 1835, com a idade de chamado Totapuri, e, sob sua orientação, Sri Ramakrishna
sessenta anos, fez uma peregrinação, desta vez, a Gaya. Ali, desde atingiu o Nirvikalpa Samadhi, a mais elevada experiência
tempos imemoriais, os indianos vêm dos quatro cantos da Índia, espiritual mencionada nas Escrituras Hindus. Ele permaneceu
a fim de cumprir suas obrigações com seus ancestrais, fazendo- nesse estado de não-dualidade por seis meses, sem nenhuma
lhes oferendas nas sagradas pegadas do Senhor Vishnu. consciência de seu próprio corpo. Dessa maneira, reviveu toda
a gama de experiências espirituais dos mais de três mil anos da
Nesse lugar sagrado, Kshudiram teve um sonho, em religião hindu.
Com sua insaciável sede por Deus, rompeu as totalmente desabrochada, os devotos começaram a chegar até
fronteiras do Hinduísmo, percorreu os caminhos do Islam e Sri Ramakrishna. Ele os dividiu em duas categorias. A primeira
Cristianismo e atingiu a mais elevada realização em cada um consistia de Chefes de Família; ele lhes ensinou a realizar Deus,
deles, em curtos períodos de tempo. Aceitava Jesus e Buddha enquanto vivendo no mundo e cumprindo seus deveres
como encarnações de Deus e venerou os dez Gurus Sikhs. familiares. A outra (a mais importante categoria) era composta
Expressou a quintessência dos seus doze anos de intensiva por um grupo de jovens educados, a maioria da classe média
realização espiritual numa simples frase: Yato mat, tato path, de Bengala, que ele treinou, para se tornarem monges e serem,
cujo significado é “Quantas forem as crenças, tantos serão os assim, os porta-vozes de sua mensagem para a humanidade. O
caminhos”. Agora, vivia principal, dentre eles, foi
frequentemente num exaltado estado Narendranath, que, anos mais tarde,
Em 1872, sua esposa Sarada, com o nome de Swami Vivekananda,
agora, com dezenove anos, veio do semeou a mensagem universal da
vilarejo para encontrá-lo. Ele a Vedanta em diferentes partes do
recebeu cordialmente, ensinou-lhe a mundo, revitalizando o Hinduísmo e
executar as tarefas domésticas e, ao despertando o espírito da nação
mesmo tempo, conduzir uma intensa indiana.
vida espiritual. Uma noite, adorou-a Sri Ramakrishna não
como a Mãe Divina em seu quarto, no escreveu nenhum livro, nem
templo de Dakshineswar. Embora ministrou palestras públicas. Ao
Sarada permanecesse com ele, viviam invés disso, ele optou por falar em
vidas puras e imaculadas, e sua linguagem simples, com o uso de
relação matrimonial foi puramente parábolas e metáforas de maneira
espiritual. É preciso mencionar, aqui, ilustrativa, que foram coletadas
que Sri Ramakrishna havia sido através da observação da natureza e
ordenado Sannyasin (monge hindu) e das coisas comuns do dia-a-dia. Suas
observava os votos monásticos conversas eram encantadoras e
básicos, que conduzem à perfeição. atraíram a elite cultural de Bengala.
Mas, externamente, viveu como um Essas conversas foram anotadas por
homem laico, humilde, amável e com um de seus discípulos, Mahendranat
a simplicidade de uma criança. Durante a estada de Sri Gupta, que as publicou sob a forma de livro, Sri Ramakrishna
Ramakrishna em Dakshineswar, Rani Rasmani foi quem Kathamrita (O néctar das palavras de Sri Ramakrishna), em
primeiramente proveu suas necessidades. Após o falecimento Bengali. Sua versão em inglês, O Evangelho de Sri
dela, seu genro Mathur Nath Biswas assumiu a Ramakrishna, foi publicada em 1942 e continua aumentando
responsabilidade de cuidar de Sri Ramakrishna. sua popularidade, ainda hoje, em função de sua relevância e
O nome de Sri Ramakrishna se espalhava como um apelo universal.
iluminado santo bengali. Mathur, certa vez, convocou uma A intensidade de sua vida espiritual e a incansável
assembléia de eruditos, e eles declararam que Sri Ramakrishna tarefa de dar instruções espirituais para o fluxo interminável
não se tratava de um homem comum, mas do Avatar da Era de aspirantes consumiram a saúde de Sri Ramakrishna, que
Moderna. Nessa época, o movimento sócio-religioso conhecido desenvolveu câncer na garganta em 1885. Ele, então, mudou-se
como Brahmo Samaj, fundado pelo Raja Ram Mohan Roy, para uma casa de campo mais espaçosa, onde seus jovens
estava no topo da popularidade em Bengala. Sri Ramakrishna discípulos puderam cuidar dele dia e noite. Instigou neles o
entrou em contato com muitos líderes e membros do Brahmo amor de um pelo outro e, assim, lançou a pedra fundamental
Samaj e exerceu grande influência sobre eles. Seus para a futura ordem monástica, conhecida como Ramakrishna
ensinamentos sobre a harmonia das religiões atraíram pessoas Math. Nas primeiras horas do dia 16 de agosto de 1886, Sri
pertencentes a diferentes denominações, e Dakshineswar Ramakrishna deixou seu corpo, repetindo o nome da Mãe
tornou-se um verdadeiro parlamento das religiões. Divina e mergulhando na eternidade.
Como um enxame de abelhas, rodeando uma flor
Ritos Maçônicos ___________________________________________________________________

Rituais e Ritos
Rui Bandeira

E xistem diferentes
praticados por diferentes ritos
maçônicos. Desde o início, desde a
rituais,

transição da Maçonaria Operativa para a


Especulativa, isso se verificou. As Lojas,
que se agruparam na primeira Grande
Loja de Londres, designadas por
Modernos e influenciadas pelos
intelectuais, aceitos nas Lojas operativas
(os Maçons Aceitos), e pelos seus
seguidores, praticavam um ritual deísta,
em que a referência ao Grande Arquiteto
do Universo é formulada de tal forma,
que qualquer crente,
independentemente da religião
professada, pode-se rever no conceito.
Também, verificou-se existir, na
Inglaterra, outra corrente, baseada nos
Maçons Operativos e na zona de York, os
Antigos, que praticavam um ritual teísta,
mais influenciado pela tradição religiosa
cristã. Essas duas correntes vieram, mais
tarde, a fundir-se na atual Grande Loja
Unida de Inglaterra, na seqüência de exemplificativo e recorrendo apenas à Lojas Maçonaria Vermelha, em alusão à
negociações mediadas e dirigidas pelo memória, é possível indicar vários: o Rito cor dos aventais própria do rito. Só nos
Duque de Sussex; dessa fusão, resultou de York, o Rito de Webb (variante Altos Graus, verifica-se existirem dois
um novo ritual, em que prevaleceu a americana do Rito de York), o Rito sistemas principais, os Altos Graus do
tendência deísta. Escocês Antigo e Aceito, o Rito Escocês Rito de York, referidos por York Rite, e
Partindo dos primitivos rituais Retificado (muito praticado na Suíça, na os Altos Graus do Rito Escocês Antigo e
ingleses, ao longo do tempo e do espaço, Grande Loja Suíça Alpina, e com Aceito, referidos por Scottish Rite.
novos rituais foram criados. A base é características crísticas marcadas), o Rito Não obstante a forte presença do
sempre a mesma: os princípios Francês ou Moderno, o Rito Sueco e as Rito de York e suas variantes no mundo
fundamentais maçônicos e a inclusão de suas variantes nos países nórdicos, etc. anglo-saxônico, pode dizer-se, sem
alegorias e referências simbólicas, para o Em cada Grande Loja, pode receio de erro, que o rito maçônico mais
trabalho individual de cada Maçon. A praticar-se um ou mais ritos. Por popular e mais espalhado pelo Globo,
tensão inicial, também, curiosamente, exemplo, nas Grandes Lojas dos Estados particularmente nos países latinos e
persiste: uns rituais são claramente Unidos, pratica-se, nos Três Graus da latino-americanos, é o Rito Escocês
deístas e inclusos de elementos de todas Maçonaria Azul - Aprendiz, Antigo e Aceito. Trata-se de um rito
as religiões e até sem religião definida, Companheiro e Mestre, exclusivamente, elaborado mais tarde que os ritos
desde que crentes num Criador; outros um rito, a variante americana do Rito de originais ingleses, já na fase de expansão
sofrem de visíveis influências crísticas, York, também, conhecida por Rito de geográfica da Maçonaria e com algumas
sendo claramente mais confortáveis para Webb. Existe, apenas, uma exceção: na influências do Romantismo. É um rito
os praticantes da tradição religiosa Grande Loja da Luisiana, persistem, com um ritual particularmente
cristã. desde os tempos das Lojas existentes, impressivo e desenvolvido, algo extenso,
Referir os ritos e rituais quando a Louisiana era francesa, que dá prazer executar bem e que,
existentes levará, seguramente, a pecar algumas poucas Lojas, menos de uma quando bem executado, impressiona a
por defeito, por esquecimento ou dúzia, que praticam nos Três Primeiros quem a ele assiste e dele participa, quer
ignorância de rituais extintos, localizados Graus, o Rito Escocês Antigo e Aceito. pelo seu texto, quer pela sua forma de
ou raros. Mas, mesmo com caráter Nos Estados Unidos, designam-se essas execução.
Trabalhos ________________________________________________________________________________

Mistérios de Elêusis
"Se o grão de trigo cair no chão e não morrer, fica só, mas, se morrer, dará muitos frutos." (João,12:24.)

M. Cossão

D urante séculos incontáveis,


sociedades de todo o mundo
criaram rituais, elaborados sobre o ciclo
para registrar seus conhecimentos e, ao
mesmo tempo, ocultá-los dos não-
Iniciados, era velar as informações sob
compartilhamento da comida com deus,
era o ato básico e primário da religião no
lar. O nascimento, o casamento e a
do nascimento e da morte. Observou-se metáforas e alegorias; dessa maneira, os morte eram santificados, como
que, assim como uma semente brota da não-informados e não-iluminados só sacramentos, pelo antigo ritual, diante
terra, amadurece, depois murcha e ouviam uma história. Os mitos e os do fogo; e, dessa forma, a religião
morre, também, o homem "surge e é símbolos eram um meio convincente de derramava uma poesia mística sobre os
cortado, como uma flor" ; na primavera, evocar a compreensão de grandes atos elementares da vida humana,
a terra produz e vai morrer no outono; o verdades, que não podiam ser dirigidas à dando-lhe solene estabilidade. Portanto,
Sol nasce ao amanhecer e desaparece ao mente pensante, mas tinham de ser a família, a tribo e a cidade possuíam,
anoitecer. Não é de admirar que, diante diretamente compreendidas pela cada qual, o seu deus próprio e
de uma tal impressionante dependência intuição. mantinham sempre aceso o Fogo
da natureza e dos elementos, as Na Grécia, a religião separava as Sagrado, símbolo da vida misticamente
sociedades primitivas tenham criado cidades tanto quanto as unia. Sob o culto poderosa e da eterna imaginação
mitos convincentes, para explicar as geral dos deuses do Olimpo, havia outros religiosa do povo grego.
coisas, que estavam efetivamente além mais intensos das divindades locais e A imaginação religiosa da Grécia
da sua compreensão e do seu controle. algumas pessoas que não prestavam produziu uma mitologia exuberante e
Porém, observaram, ainda, que, embora vassalagem a Zeus. O separatismo tribal um copioso panteão. Todos os objetos,
a natureza morresse, também, voltaria a e político alimentava o politeísmo e ou forças da natureza, todas as bênçãos e
surgir. Os grandes pensadores e filósofos tornava impossível o monoteísmo. Em todos os terrores, todas as qualidades do
dessas antigas civilizações achavam que tempos mais primitivos, cada família homem e, até mesmo, os vícios eram
seu conhecimento era tão convincente, tinha seu deus particular, em cujo louvor personificados num deus, em geral, de
que chegava a ser sagrado e, portanto, só o divino fogo ardia constantemente na forma humana; nenhuma outra religião
podia ser revelado aos Iniciados ou aos lareira; a ele, eram oferecidos o alimento foi tão antropomórfica quanto a grega.
igualmente elevados na mente e na e o vinho antes de cada refeição. Essa Cada um dos deuses tinha uma lenda, ou
estatura. Uma das maneiras, que usavam sagrada comunhão, ou história, que justificava sua situação na
vida da cidade, ou o ritual com que era
honrado. A despeito das realizações da
filosofia e das tentativas de uns poucos
em favor da adoção de um credo
monoteístico, o povo continuou, até o
fim da civilização helênica, a criar mitos
e mesmo deuses.
Consegue-se dar alguma ordem e
clareza ao enxame de deuses, se os
dividirmos artificialmente em sete
grupos: deuses do céu, deuses da terra,
deuses da fertilidade, deuses animais,
deuses subterrâneos, deuses ancestrais
ou heróis, e deuses olímpicos.
"Enumerá-los pelos seus nomes", como
disse Hesíodo, "seria árdua tarefa para
um homem mortal".
Essencialmente, havia três
elementos e estádios na religião grega: o
ctônico, o olímpico e o místico. O
primeiro dedicava-se à adoração dos
deuses subterrâneos, e era mais popular
entre os pobres; o segundo, dos deuses
celestiais, era mais popular entre as
pessoas ricas; e o terceiro, dos deuses
ressurretos, era mais popular entre as
pessoas da classe média. O primeiro
predominou antes da idade homérica, o
segundo, durante essa idade, e o
terceiro, depois dela. Nos tempos do
Iluminismo de Péricles, o mais vigoroso
elemento da religião grega era o
Mistério.
No seu sentido grego, Mistério consistia numa Os Grandes Mistérios duravam quatro dias ou mais.
cerimônia secreta em que se revelavam símbolos sagrados: Os já purificados pelo banho e pelo jejum eram, então, aceitos
ritos simbólicos se realizavam, e só os Iniciados eram nos ritos menores; os que se tinham Iniciado no ano
adoradores. Os ritos costumavam representar, ou comemorar, precedente viam-se levados à Sala da Iniciação, onde se
em forma semidramática, os sofrimentos, a morte e a realizava a cerimônia secreta. Os Mystai, ou Iniciados,
ressurreição de um deus, relacionado com velhos temas da quebravam o jejum participando de uma comunhão sagrada,
vegetação e da magia; esse deus prometia aos Iniciados uma feita em memória de Deméter, bebendo uma mistura de
imortalidade pessoal. Platão, juntamente com Pitágoras, farinha e água e comendo bolos salgados. Que espécies de
integra o rol de figuras notáveis (entre as quais Sócrates e rituais místicos eram, então, praticados não se sabe. O segredo
Aristóteles), associadas às Escolas de Mistérios gregas. Na foi muito bem conservado através da antiguidade, sob pena de
verdade, essas Escolas eram cópias diretas das primeiras morte. Mesmo o piedoso Ésquilo, por pouco, escapou à
Escolas de Mistérios egípcias e indianas, e, como em suas condenação por ter escrito certas linhas, que podiam tê-lo
precursoras, não, apenas, ensinava-se a reencarnação como revelado. A cerimônia era, em todos os casos, uma
uma doutrina central, mas ela, também, representação simbólica e contribuía para
representava um grau indispensável (ritual formar o drama dionisíaco. Ao final da
simbólico), pelo qual todos os Iniciados cerimônia, vinha imediatamente a solene
tinham de passar, antes de alcançar a proclamação de que "Nossa senhora deu à
purificação e progredir para níveis mais luz um menino sagrado" e uma espiga de
elevados. A chave da estrutura da crença dos trigo surgia como produto do parto de
discípulos do pensamento platônico era a Deméter, a generosidade dos campos. Os
jornada da alma por períodos de vida fiéis eram, então, conduzidos sob a luz
sucessivos, como uma forma de purificação. frouxa das tochas através de escuras
Muitos lugares da Grécia celebravam cavernas subterrâneas, que simbolizavam o
tais rituais místicos, mas nenhum com tanta Hades, e, de novo, passavam para uma
importância como Elêusis. Em Elêusis, os câmara profusamente iluminada,
Mistérios eram de origem pré-aquéia; talvez, representando, ao que parece, a morada dos
fossem, inicialmente, uma festa outonal. Um bem-aventurados. Mostravam-lhes, em
dos mitos explicava como Deméter, deusa do seguida, em solene exaltação, os objetos
trigo e da terra cultivada, recompensando o sacros, relíquias ou ícones, que, até aquele
povo da Ática por sua fé, estabeleceu, em momento, haviam-lhes sido ocultos. Neste
Elêusis, seu maior templo, o qual foi, muitas êxtase de revelação, segundo se afirma, os
vezes, destruído e reconstruído no curso da fiéis sentiam-se perfeitamente unificados
história grega. A festa eleusiana de Deméter com Deus, com o qual suas almas formavam
era realizada com inescedível liturgia e uma só Unidade; viam-se arrancados à
pompa. ilusão da própria individualidade e
experimentavam a paz da absorção divina.
Nos Mistérios Menores, celebrados na Primavera, os
candidatos à Iniciação submetiam-se a uma purificação Na época de Pisístrato, os Mistérios de Dionísio
preliminar, que consistia num mergulho espontâneo nas águas passaram a fazer parte da liturgia de Elêusis, por uma espécie
do rio Ilisso. Em setembro, os candidatos e outros de contágio religioso, o deus Iaco foi identificado com Dionísio
participantes marchavam em solene, mas alegre, peregrinação como filho de Perséfone, e a lenda de Dionísio Zagreu foi
ao longo da estrada, que levava a Elêusis, conduzindo, à frente superposta ao mito de Deméter. Mas, através da variedade de
do cortejo, a imagem da divindade ctônica Iaco. A procissão formas, a idéia básica dos Mistérios permanecia a mesma:
chegava a Elêusis sob o clarão das tochas e, solenemente, como a semente torna a brotar, assim, também, os mortos
depositava a imagem no templo; depois disso, os peregrinos renascem; e não só para a horrível e sombria existência no
passavam o resto do dia em danças e cantos sacros. Hades, mas também para uma vida de felicidade e de paz.

Trabalhos ________________________________________________________________________________

A Origem da Palavra Irmão


Valdemar Sansão

O s membros da Maçonaria, unidos pelo Amor Fraternal, qualquer


que seja o seu grau, dão-se o tratamento de "Irmão". É o título que
geralmente se dão, mutuamente, os religiosos de uma mesma Ordem e de
um mesmo convento e, também, os membros de uma mesma associação.
Esse tratamento existe em todas as sociedades iniciáticas e nas
confrarias, onde o seu significado é a condição adquirida com a
participação de um mesmo ideal, baseado na amizade. É o tratamento
que se davam entre si os Maçons operativos.
A origem do cordial tratamento de "Irmão" afirma que o mesmo
foi adotado e nunca mais olvidado pelos “Maçons”, desde os tempos de
Abraão, o velho patriarca bíblico. Reza a história que, estando ele e sua
mulher Sara, no Egito, lá ensinava as sete ciências liberais (gramática,
lógica e dialética, matemática, geometria, astronomia e música) e contou,
entre os seus discípulos, com um de nome Euclides. Tão inteligente, que
não demorou nada em tornar-se Mestre nas mesmas ciências, ficando,
por isso, bastante afamado como ilustre personagem.
Então, Euclides, a par com suas aulas, estabeleceu profana, é sua aversão à iniqüidade, à injustiça, à vingança, à
regras de conduta para o discipulado: em primeiro lugar, cada inveja e à ambição, sendo ele constante em fazer o bem e em
um deveria ser fiel ao Rei e ao país de nascimento; em elogiar seus Irmãos.
segundo, cumpria-lhes amarem-se uns aos outros e serem leais O verdadeiro Irmão é aquele que interroga sua
e dedicados mutuamente. Para que seus alunos não consciência sobre seus próprios atos, pergunta a si mesmo se
descuidassem dessas últimas obrigações, ele sugeriu aos não violou a lei da justiça, do amor e da caridade em sua maior
mesmos que se dessem, reciprocamente, o tratamento de pureza; se não fez o mal e se fez todo o bem que podia; é aquele
"Irmãos" ou "Companheiros". que interroga sua consciência sobre seus próprios atos,
Aprovando, inteiramente, esse costume da Escola de pergunta a si mesmo se não violou a lei da justiça, do amor e da
Euclides, a Maçonaria resolveu sugeri-lo aos seus iniciados, caridade em sua maior pureza; se não fez o mal e se fez todo o
que o receberam com todo agrado, sem nenhuma restrição, bem que podia; se não menosprezou voluntariamente uma
passando a ser uma norma obrigatória nos diversos Corpos da ocasião de ser útil; se ninguém tem o que reclamar dele. E
Ordem. quando não tem uma palavra que auxilie, procura não abrir a
De fato, traduz uma maneira de proceder boca... (se for falar, cuida para que suas palavras sejam
muito afetiva e agradável a todos os corações dos melhores que o seu silêncio.)
que militam em nossos Templos. Assim, O Irmão, possuído do sentimento de
passaram os Iniciados ao uso desse caridade e de amor ao próximo, faz o bem
tratamento em todas as horas, quer no pelo bem, sem esperança de recompensa,
mundo profano, quer no maçônico. retribui o mal com o bem, toma a
O Poema Regius, que data do defesa do fraco contra o forte e
ano de 1.390, aconselha os operários sacrifica sempre seu interesse à
a não se tratarem de outra forma justiça.
senão de "meu caro Irmão". Por Ele é bom, humano e
isso, o tratamento de Irmão, dado benevolente para com todos, sem
por um Maçom a outro, significa preferência de raças nem de
reconhecimento fraternal, como crenças, abraça o branco e o negro
pertencente à mesma família. Os (pois não é a cor, mas sim o talento
Maçons são Irmãos por terem e a virtude que fazem um homem
recebido a mesma Iniciação, os elevar-se, por sobre os demais), o rico
mesmos modos de reconhecimento e as e o pobre, o jovem e o velho, o sábio e
mesmas instruções de moralidade. o ignorante, o nobre e o plebeu, porque
Além da amizade fraternal, que vê Irmãos em todos os homens.
deve uni-los, os Maçons consideram-se Porém, devemos observar que nem o
Irmãos por serem, simbolicamente, filhos da rico, o príncipe ou o sábio devem "descer" para o
mesma mãe, a Mãe-Terra, representada pela deusa nivelamento. Não descendo ao nível deles, mas, sim,
egípcia Ísis, viúva de Osíris, o Sol, e a mãe de Hórus. Assim os ajudando-os a se levantarem e poderem melhor enxergar o
Maçons são, também, simbolicamente, Irmãos de Hórus e se horizonte. É caminhando que se faz o caminho. Pensando,
autodenominam Filhos da Viúva. Agindo, sentindo, sofrendo, aprendendo e corrigindo. Fazendo
Durante a Iniciação, quando o recipiendário recebe a melhor em seguida. Comprometendo-se a, sempre, ensinar aos
Luz, seus novos Irmãos juram protegê-lo sempre que for capazes o que se aprendeu. Capacitando-os. Perpetuando a
preciso. A partir daquele momento, todos que a ele se referem Gnose adquirida.
o tratam como Irmão. Os filhos de seus novos Irmãos passam a Quem deverá "subir" é o pobre; pobre no sentido de ser
tratá-lo como "Tio", e as esposas de seus Irmãos passam a ser carente. Acontece de existirem, entre os ricos de recursos
sua "Cunhada". Forma-se, nesse momento, um elo firme entre materiais, os pobres de sabedoria, ignorantes de
o novo membro da Ordem e a família maçônica. conhecimento, de altruísmo e complacência.
A Maçonaria não reconhece qualquer distinção entre O verdadeiro Irmão não tem ódio, nem rancor, nem
raças, crenças, condições financeira ou social entre seus desejo de vingança; compreendendo, não condena. Portanto,
Obreiros. Há séculos, vem a Sublime Instituição oferecendo a perdoa, anula as ofensas e não se lembra senão dos benefícios,
oportunidade aos homens de se encontrarem e colherem os que já tenha recebido, porque sabe que com a mesma sábia
frutos do prazer, de conviverem sempre em paz, em união e compreensão que deixou de condenar, assim será tratado
concórdia, como amigos desinteressados, dentro de um intimamente, na sua própria causa de compreensão, como réu
espírito coletivo, voltado à prática do bem, guiados por rígidos de sua consciência, quando essa o julgar.
princípios morais, sem desavenças e dissensões.
Os membros de nossa Ordem aprendem a destruir a
ignorância em si mesmos e nos outros; a ser corajosos contra
suas próprias fraquezas, lutar contra seus próprios vícios e,
também, contra a injustiça alheia. São estimulados a
praticarem um modo de vida, que produza um nível elevado
em suas relações com seus Irmãos, aos quais dedicam amizade
sincera e devotada. São fiéis cumpridores de todo dever, cujo
cumprimento lhes seja legalmente imposto ou reclamado pela
felicidade de sua Pátria, de sua Família e da Humanidade.
Jamais abandonará sua prole, seus Irmãos e seus
amigos, no perigo, na aflição ou na perseguição. Sobre o
coração do Maçom está o símbolo do amor, da amizade, da
razão serena e perseverante. O que o distingue, na vida
Não se compraz em procurar os defeitos alheios, nem obrigado a fazer obra maçônica. É-lhe proibido fechar os olhos
em colocá-los em evidência. Se a necessidade a isso o obriga, aos deserdados da sorte.
procura, sempre, motivar o bem que pode atenuar o mal. Não Porém, só quando se encontra revestido de todas essas
se envaidece nem com a fortuna, nem com as vantagens virtudes, é que pode dizer: "M∴II∴C∴M∴R∴" - frase mais
pessoais, porque sabe que tudo o que lhe foi dado, apenas, o ouvida e citada dentro da Loja e, também, fora dela - como
direito da posse, pertence ao mundo. E, por poder dessa força forma de identificação.
natural, se desmerecido, tudo lhe pode ser retirado.
Curioso, no entanto, é que, ao sermos reconhecidos
Se a ordem social colocou homens sob sua como irmãos, o outro abre o sorriso e os braços, como se fosse
dependência, ele os trata com bondade e benevolência, porque um velho conhecido. Esse é um sentimento de irmandade,
são seus iguais perante o Grande Arquiteto do Universo; usa de muitas vezes, mais forte que entre Irmãos de sangue.
sua autoridade, para erguer-lhes o moral e não para
esmagá-los com o seu orgulho; evita tudo o que Nossa Ordem precisa de Irmãos verdadeiros,
poderia tornar sua posição subalterna mais aqueles que têm orgulho de pertencerem à
penosa. Sublime Instituição e estão dispostos a
sacrifícios pessoais em benefício da mesma.
O subordinado, por sua vez,
compreende os deveres da sua posição e O Grande Arquiteto do Universo,
tem o escrúpulo em cumpri-los que é DEUS, ouve nossos rogos e nos
conscienciosamente. mostra o caminho que a Ele conduz,
continua a nos proporcionar a dádiva
O verdadeiro Irmão respeita, da aproximação de valorosos Irmãos,
em seus semelhantes, todos os direitos que nos socorrem em nossas
dados pelas leis da Natureza, como dificuldades, se interessam por nós,
gostaria que os seus fossem nos escrevem, telefonam para saber
respeitados. Aplicando os como estamos, trocam e-mails e,
ensinamentos maçônicos, tanto no assim, não nos deixam experimentar a
interior dos Templos como no seio da depressão e a solidão.
sociedade profana, dentro de suas
possibilidades, colabora para a edificação do Nossas Lojas Maçônicas são portos
Templo da civilização humana. seguros, colos de mãe, para enxugamento
das lágrimas e o consolo de nossas dores, num
Afinal, se cultiva a liberdade, a igualdade e ambiente de luz, paz e amor, pois é sublime reunir,
a fraternidade, tem, por obrigação, abrir mais os seus em seu seio, católicos, evangélicos, espíritas,
braços, entrelaçar seus Irmãos e oferecer sua convivência maometanos, israelitas, budistas, e a todos dizer: "Aqui, vossas
fraterna, sua influência, seu trabalho de auxílio, com disputas não encontrarão eco; aqui, não ofendereis a ninguém
harmonia, paz, concórdia e fraternização, dentro e fora do e ninguém vos ofenderá".
Templo.
Meu Irmão, se eu me esquecer de você, nunca se
Enfim, o verdadeiro Irmão saberá fazer o Bem sem esqueça de mim! Conte comigo. Eu conto com você.
ostentação, mas não sem utilidade para todos. Onde quer que o
pobre reclame o combate sem descanso aos exploradores dos "O maior cargo em maçonaria é o de verdadeiro
fracos, o auxílio e proteção à criança ou à mulher, o Irmão é Irmão". 

Reflexões ___________________________________________________________________________________

Filosofia do Tubarão*
O s japoneses sempre adoraram peixe fresco. Porém, as águas
perto do Japão não produzem muitos peixes, há décadas.
Assim, para alimentar a sua população, eles aumentaram o
de peixe fresco e não o de peixe apático.
Como resolveram esse problema? Como conseguiram
trazer ao Japão peixes com gosto de puro frescor? Se você
tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe estivesse dando consultoria à empresa de pesca, o que
do que nunca. Quanto mais longe os pescadores iam, mais tempo recomendaria? Antes da resposta, leia o que vem abaixo: quando
levava para o peixe chegar. Se a viagem de volta levasse mais do as pessoas atingem seus objetivos - tais como: quando encontram
que alguns dias, o peixe já não era mais fresco. E os nipônicos não uma namorada maravilhosa, quando começam com sucesso numa
gostariam do sabor deles. Para resolverem esse problema, as empresa nova, quando pagam todas as suas dívidas, ou o que quer
empresas de pesca instalaram congeladores em seus barcos. que seja, podem perder as suas paixões. Podem começar a pensar
Pescavam e congelavam os peixes em alto-mar. Os congeladores que não precisam mais trabalhar tanto, então, relaxam. Passam
permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem em pelos mesmos problemas de ganhadores de loteria, que gastam
alto-mar por muito mais tempo. todo seu dinheiro; o mesmo ocorre com os herdeiros, que nunca
crescem, e donas-de-casa, entediadas, que ficam dependentes de
Os japoneses conseguiram notar a diferença entre peixe
remédios de tarja preta. Para esses problemas, inclusive no caso
fresco e congelado e, é claro, não gostaram do congelado. Então,
dos peixes dos japoneses, a solução é bem simples. L. Ron
as empresas de pesca instalaram tanques de peixe nos navios
Hubbard observou, no começo dos anos 50: "O homem progride,
pesqueiros. Eles podiam pescar e enfiar esses peixes nos tanques,
estranhamente, somente perante um ambiente desafiador".
como "sardinhas".
Quanto mais inteligente, persistente e competitivo você é, mais
Depois de certo tempo, pela falta de espaço, eles paravam gosta de um bom problema. Se seus desafios estão de um
de se debater e não se moviam mais. Eles chegavam vivos, porém tamanho correto e você consegue, passo a passo, conquistá-los,
cansados e abatidos. Infelizmente, os japoneses ainda podiam fica muito feliz. Pensa neles e se sente com mais energia. Fica
notar a diferença do gosto. Por não se mexerem por dias, os peixes excitado e com vontade de tentar novas soluções. Você se diverte.
perdiam o frescor. Os consumidores japoneses preferiam o gosto Você fica vivo!
Para conservar o gosto de peixe fresco, as empresas de mais ajuda. Se você alcançou seus objetivos, coloque objetivos
pesca japonesas, ainda, colocam-nos dentro de tanques, nos maiores. Uma vez que suas necessidades pessoais ou familiares
seus barcos. Mas, também, adicionam um pequeno tubarão em forem atingidas, vá ao encontro dos objetivos do seu grupo, da
cada tanque. O tubarão come alguns, mas a maioria deles sociedade e, até mesmo, da humanidade. Crie seu sucesso
chega com vivacidade e frescura. E fresco no desembarque. pessoal e não se acomode nele. Você tem recursos, habilidades
Tudo porque os peixes são desafiados, lá nos tanques. e destrezas para fazer a diferença.
Portanto, como norma de vida, ao invés de evitar "Ponha um tubarão no seu tanque e veja quão
desafios, pule dentro deles. Massacre-os. Curta o jogo. Se seus longe você realmente pode chegar." 
desafios são muito grandes e numerosos, não desista, se
reorganize! Busque mais determinação, mais conhecimento e *Autor desconhecido

Lançamento _______________________________________________________________________________________

Livro RITO YORK - O Simbolismo: Aprendiz Maçom


Mesmo sendo uma ritualística muito antiga, datada de antes da
unificação das duas Grandes Lojas inglesas, transformando-se na Grande Loja
Unida da Inglaterra (1813), muito pouco se tem falado, principalmente, nos
países latino-americanos, sobre esses rituais. Esses rituais tomaram forma de
Rito a partir de 1797, com a abnegação do Irmão Thomas Smith Webb, que
codificou os antigos rituais, oriundos do Reino Unido, em um Rito chamado
York - York Rite, em homenagem à cidade inglesa, onde se especula ser o local
da mais antiga forma de encontros (trabalhos) maçônicos. O Rito York,
também, vem a ser conhecido por muitos, em todo o mundo, como Rito
Americano.
A presente obra vem trazendo um amálgama de Monitor, Manual e
Ritual, todos juntos, no Grau de Aprendiz Maçom, para que o leitor venha a
conhecer, de forma didática, um Sistema Ritualístico, verdadeiramente,
apaixonante." 

BoasDicas ___________________________________________________________________________________________
 Sites 
Recomendo uma visita aos site :
http://www.museumaconicoparanaense.com

 Livros 
Indico o livro “Rito York – O Simbolismo: Aprendiz Maçom” de
autoria dos Irmãos Hugo Borges e Sérgio Cavalcante, pela editora Imprell.
Acessem o link - http://www.ritodeyork.com.br/ritoyorkbook.html

 Arte Real – Edições Anteriores 


As edições anteriores se encontram disponíveis para download no
site www.entreirmaos.net

Arte Real _________________________________________________________________________________________________________

A rte Real é uma Revista maçônica virtual, de publicação mensal, que se apresenta como mais um canal
de informação, integração e incentivo à cultura maçônica, sendo distribuída, diretamente, via Internet,
para mais de 11.500 e-mails de Irmãos de todo o Brasil e, também, do exterior, além de uma vasta
redistribuição em listas de discussões, sites maçônicos e listas particulares de nossos leitores.
Editor Responsável, Diagramação e Editoração Gráfica: Francisco Feitosa
Revisão: João Geraldo de Freitas Camanho
Colaboradores nesta edição: Leo Cinezi – M. Cossão – Rui Bandeira – Valter Sansão – Zélia
Scorza
Empresas Patrocinadoras: Aldo Vídeo - Arte Real Software – CH Dedetizadora – CONCIV -
Construções Civis - CFC Objetiva Auto Escola – Livro Rito York - López y López Advogados -
Maurílio Advocacia – Santana Pneus – Sul Minas Lab. Fotográfico.
Contatos: feitosa@entreirmaos.net Skype – francisco.feitosa.da.fonseca - MSN – entre-irmaos@hotmail.com
Distribuição gratuita via Internet.
Os textos editados são de inteira responsabilidade dos signatários. 
Obrigado por prestigiar nosso trabalho. Temos um encontro marcado na próxima edição!!!