You are on page 1of 200

Prova de Residência Médica - HCFMUSP – 1996

1. Homem portador de insuficiência cardíaca congestiva e hipertensão arterial sistêmica é trazido


ao Pronto-Socorro com edema agudo de pulmão e pressão arterial de 180x130 mm Hg. Trinta
minutos após ter recebido oxigênio, nifedipina 10 mg sublingual (SL) e furosemida 40 mg
intravenosa (IV), mantém-se inalterado clinicamente. A melhora conduta a seguir será:
A) Administrar diazóxido IV.
B) Administrar hidralazina IV.
C) Administrar nitroprussiato de sódio IV.
D) Repetir nifedipina 20 mg Sl.
E) Repetir furosemida 40 mg IV.
2. Jovem mulher de 19 anos procurou o serviço de Pronto-Socorro com queixa de tosse importante
(pouco produtiva) e de característica muco-purulenta, febre baixa e mal-estar intenso. O quadro
clínico iniciou-se com dor de ouvido e cefaléia e há 10 dias piorou com tosse e febre à noite.
Refere que trabalha em ambiente fechado com ar condicionado e que no local há vários colegas
com 'gripe'. Ao exame físico encontra-se em regular estado geral, taquipneica, descorada (+),
desidratada (+/++++), taquicárdica, freqüência respiratória=30/min , freqüência
cardíaca=100/min (em repouso), T=37,9ºC. À ausculta pulmonar: murmúrio vesicular (+) e
roncos no 1/3 inferior do hemitórax direito. Com relação ao quadro acima, a principal hipótese
diagnostica é:

A) Pneumonia atípica, considerando os dados clínicos e epidemiológicos.


B) Infecção de vias aérea superiores; a febre baixa e a pobreza do quadro clínico pulmonar afastam
a hipótese de broncopneumonia.
C) Tuberculose pulmonar, considerando a febre vespertina e os contactuantes com o mesmo quadro
clínico no local de trabalho.
D) Uma doença auto-imune com comprometimento pulmonar, considerando o sexo, 2 a idade.
E) linfoma com comprometimento de mediastino, considerando o quadro clínico, o sexo e a idade.
3. Homem fumante de 60 anos procura o Ambulatório com história de tosse e falta de ar que piora à
noite, há três meses. Qual o melhor conjunto de possibilidades diagnósticas para este paciente?

A) Neoplasia de pulmão - Síndrome dispéptica - Angina pectoris.


B) Infecção de vias aéreas superiores - Síndrome dispéptica - Insuficiência coronariana.
C) Doença pulmonar obstrutiva crônica - Esofagite de refluxo -Tuberculose.
D) Broncoespasmo - Angina pectoris - Síndrome dispéptica.
E) Neoplasia de laringe - Angina pectoris - Síndrome dispéptica.
4. Em relação à Peritonite Bacteriana Espontânea (PBE) é correto afirmar que:

A) A contagem de células do líquido ascítico em tomo de 150 células/mm3 com 60% de


polimorfonucleares e 40% de outras células é indicativa do diagnóstico.
B) A cultura do líquido ascítico revela com freqüência mais de um tipo de agente infeccioso, em
geral bactérias Gram-negativas e Gram-positivas.
C) Febre, dor abdominal e sinais de peritonismo são fundamentais para o diagnóstico de PBE.
D) A PBE ocorre principalmente em ascites com baixo teor de proteína, como verificado nos
cirróticos e nefróticos.
E) A recidiva de PBE é rara, devido à imunidade adquirida pelo paciente após o primeiro episódio.
5. Homem de 21 anos apresenta há 2 anos poliartralgia, diarréia e emagrecimento. Exame físico:
emagrecido, micropoliadenopatia, descorado +/++. Ausência de visceromegalias. Fístula
perianal. Exames: HIV (Elisa): duvidoso, Hb=11g/dl, VCM=102 leucócitos=3.000 (4 bastonetes,
65 segmentados, 20 linfócitos, 7 eosinófilos e 4 basófilos), plaquetas 80.000, VHS=40 mm
(n<12). Trânsito intestinal: edema em mosaico de delgado, dilatação de jejuno com estase;
estreitamente e espessamento de íleo. Retossigmoidoscopia normal. A principal hipótese
diagnostica para o caso é:

A) Tuberculose intestinal.
B) Doença de Crohn.
C) Imunodeficiência adquirida.
D) Retocolite ulcerativa.
E) Linfoma de delgado.
6. Assinale a afirmativa correta sobre artrite bacteriana:

A) Artrite gonocócica na mulher deve ser suspeita(li somente em presença de leucorréia.


B) A presença de poliartrite descarta artrite gonocócica.
C) No idoso o agente mais comum é a E. coli devido a incidência de infecção urinária por obstrução
prostática.
D) Staphylococcus aureus é agente comum nas monoartrites sépticas e é isolado Freqüentemente na
cultura de líquido sinovial.
E) Drenagem precoce com introdução de antibiótico intra-articular é o tratamento atual mais
preconizado.
7. Homem de 39 anos refere dispnéia e tosse com expectoração clara há cerra de 2 dias. Ao exame
físico encontra-se em mal estado geral, obeso, cianótico, freqüência respiratória=36/min, pressão
arterial=240x160 mm Hg, freqüência cardíaca=120/min. Observa-se uso de musculatura
acessória com tiragem intercostal e batimento da asa de nariz. Ausculta pulmonar: murmúrio
vesicular (+) bilateralmente com roncos e sibilos difusos, Ausculta cardíaca: taquicárdico,
(exame prejudicado pela obesidade do paciente). Abdome: doloroso à palpação na região
epigástrica (refere dor em queimação). O exame físico foi interrompido diversas vezes, pois o
paciente não tolerava o decúbito dorsal. Nega antecedente de bronquite ou asma até
recentemente quando iniciou quadro clínico compatível com broncoespasmo freqüente. É
hipertenso há 20 anos com controle irregular e tabagista de 2 maços de cigarros por dia. Neste
caso o diagnóstico e a conduta são respectivamente:

A) Congestão pulmonar, Conduta: administrar diurético de alça de ação rápida, vasodilatador


arterial e venoso e oxigenioterapia.
B) Asma, Conduta: iniciar as medidas para o tratamento de broncoespasmo: inalação com Beta2
agonista, aminofilina intra-venosa (se já fazia uso não precisa de dose de ataque) e corticoterapia
sistêmica.
C) Descompensação de uma DPOC, uma vez que o paciente é tabagista importante. Conduta:
introduzir inalação com Beta2 agonista, administrar Beta2 agonista subcutâneo e aminofilina
intravenosa.
D) Síndrome do desconforto respiratório agudo. Conduta: hidratação e ventilação mecânica.
E) Aspiração traqueal, o paciente refere dor em queimação no epigástrio, reforçando a suspeita de
aspiração do conteúdo gástrico. Conduta: inalação com Beta2 agonista, corticoterapia e
antiácido.

8. Mulher asmática de 34 anos chega à sala de emergência em broncoespasmo. A acompanhante


relata que a crise iniciou-se há 24 horas com piora progressiva, apesar do uso doméstico de
agonista 0-2 inalatório. Ao exame físico apresenta-se sonolenta, cianótica, afebril, com sudorese
profusa, pulso=120 bpm, freqüência respiratória=32/min, e pressão arterial=120x90 mmhg. A
ausculta pulmonar mostra murmúrio vesicular diminuído bilateralmente com poucos sibilos
difusos e expiração prolongada. A conduta adequada para este caso é:
A) Decidir a terapia baseando-se na gasometria arterial.
B) Intubação traqueal e ventilação mecânica.
C) Administrar B2 agonista e corticosteróide, ambos por via intravenosa.
D) Administrar B2 agonista inalatório, aminofilina e corticosteróide intravenosos e
antibioticoterapia parenteral.
E) Administrar B2 agonista subcutâneo, aminofilina e corticosteróides parenterais.
9. Paciente internado na UTI por quadro de angina encontra-se clinicamente estável. Subitamente
apresenta perda de consciência. O monitor registra padrão de fibrilação ventricular. A conduta
terapêutica inicial é:

A) Intubação, ventilação e massagem cardíaca externa.


B) Adrenalina, 5 mg intravenosa, seguida de desfibrilação.
C) Xylocaína, 1 mg/kg, 'em bolo' intravenoso, seguida de desfibrilação com 200 Joules.
D) Adrenalina, 1 mg intravenosa, seguida de desfibrilação com 200 Joules.
E) Desfibrilação elétrica com 200 Joules.
10. Homem de 54 anos fumante, hipertenso há 10 anos, sem controle adequado, apresentou há 2
horas dor precordial em aperto por 30 minutos que melhorou espontaneamente; negava episódios
anteriores de dor precordial. Chegou ao Pronto Socorro já sem dor, extremamente ansioso, com
PA=160x95 mmhg; eletrocardiograma (ECG) de entrada sem alterações; CPK e CPKMB
(colhidas ao chegar) estavam dentro dos limites normais. Das alternativas abaixo, qual representa
a melhor conduta imediata para o caso?

A) Alta sem medicação, com orientação para investigação ambulatorial.


B) Mantê-lo em observação, realizando ECGs e dosagens de CPK e CPKMB seriados e medicá-lo
com AAS e nitratos.
C) Alta com anti-hipertensivo, ácido acetilssalicílico (AAS) e orientação para investigação
ambulatorial.
D) Interná-lo, administrar AAS, heparina intravenosa e realizar cateterismo.
E) Alta com anti-hipertensivo, AAS, nitrato e orientação para investigação ambulatorial.
11. Jovem de 17 anos, diabética, vem ao Pronto-Socorro com quadro de polidipsia, poliúria,
desconforto respiratório, náuseas e vômitos. Ao exame físico apresenta-se consciente, com
padrão respiratório acidótico, freqüência respiratória de 28 mov/min, pressão arterial de 100x70
mm Hg e freqüência cardíaca de 124 bpm. A glicemia de ponta-de-dedo é 170 mg/ml e a glico-
cetonúria é O e (+++). A conduta terapêutica imediata mais adequada é administrar:

A) Solução de NACI 0,9% + insulina simples intravenosa.


B) Solução de NACI 0,9% + insulina simples subcutânea.
C) Solução de NACI 0,9% + insulina simples intra-muscular.
D) Solução de glicose a 5% + insulina simples intravenosa.
E) Solução de NACI 0,9% + solução de glicose a 5% + insulina simples intravenosa.

12. Em relação ao Helicobacter pylori, é correto afirmar que:


A) A pesquisa do agente só é possível por via endoscópica, o que dificulta o diagnóstico.
B) É apenas um agente oportunista, sem qualquer relação causal com as doenças pépticas.
C) O seu tratamento é incompatível com o uso de bloqueadores H2 ou omeprazol concomitante.
D) É forte a relação entre Helicobacter pylori e gastrite atrófica auto-imune com anemia perniciosa
associada.
E) Deve ser pesquisado e erradicado em pacientes de média idade com recidiva de úlcera gástrica.
13. Ao analisar as características das fezes indique a associação correta com as diferentes situações
clínicas descritas abaixo:
I- Com muco e sangue 1- Cólera

II- Explosiva, noturna, em surtos 2- Retocolite ulcerativa

III- líquida, clara em grande quantidade 3- Úlcera hemorrágica

IV- Com restos alimentares 4- Diabetes mellitus

V- Fétida e preta 5- Má absorção

A) I - 1, II - 2, III - 4, IV - 5, V - 3.
B) I - 3, II - 1, III - 4, IV - 2, V - 3.
C) I - 3, II - 1, III - 4, IV - 2, V - 5.
D) I - 2, II - 4, III - 1, IV - 5, V - 3.
E) I - 2, II - 5, HI - 1, IV - 2, V - 3.
14. Neto do Jeca Tatu, jovem rapaz de 23 anos, cônscio das caras tradições familiares, morando
atualmente em sítio, não tira as botinas sequer para dormir, procura o ambulatório com queixas
dispépticas; para uma adequada condução do caso é preciso.

A) Solicitar endoscopia digestiva.


B) Fazer prova terapêutica com ranitidina, antes de solicitar endoscopia.
C) Solicitar parasitológico de fezes e endoscopia digestiva.
D) Solicitar parasitológico de fezes e tratar com albendazol.
E) Solicitar parasitológico de fezes e tratar a dispepsia.

15. Senhora de 65 anos, previamente hígida, ao retirar roupa do interior da máquina de lavar, sentiu
dor intensa na região lombar. Foi levada ao Pronto-Socorro e examinada, sendo detectada
somente dor à compressão de 1ª vértebra lombar (Ll), sem nenhuma outra alteração do exame
físico. A melhor associação de hipótese diagnostica (1), conduta diagnostica (II) e conduta
terapêutica imediata (III) neste caso é:

A) I. Metástase óssea./ II. Tomografia . computadorizada de coluna, biópsia óssea, mamografia./ III.
Analgesia com codeína.
B) I. Mieloma múltiplo./ II Mielograma, eletroforese de proteínas, proteinúria de Bence-Jones./ III.
Analgesia com codeína e quimioterapia.
C) I. Osteoporose./ II Tomografia computadorizada da coluna e densitometria óssea./ III Repouso e
analgesia.
D) I. Mal de Pott./ II Tomografia computadorizada de coluna e biópsia óssea./ III. Esquema tríplice.
E) I Osteomalácia/ II. Radiografia da coluna, dosagem de cálcio e fósforo séricos e urinários e
vitamina D./ III. Repouso e analgesia.
16. Jovem de 13 anos, sexo feminino, é atendida no Pronto-Socorro com quadro agudo de febre,
cefaléia e petéquias, com forte suspeita de doença meningocócica. Pode-se afirmar que:

A) A paciente deve ser mantida em isolamento, enquanto se aguarda o resultado da hemocultura e


antibiograma, uma vez que só após esse resultado deverá ser introduzida a antibioticoterapia.
B) Deve-se iniciar, o mais precocemente possível, penicilina profilática para os comunicantes
domiciliares menores de cinco anos de idade.
C) Deve-se realizar a colheita de sangue, líquor e material da lesão de pele para identificação do
agente etiológico e introduzir-se penicilina por via endovenosa.
D) Deve-se realizar a colheita de sangue e material da lesão de pele para identificação do agente
etiológico, fazer uni ecocardiograma e introduzir-se oxacilina, uma vez que a paciente não estava
previamente hospitalizada.
E) Deve-se realizar a colheita de sangue e líquor para identificação do agente etiológico e deve-se
aguardar o resultado do antibiograma para se indicar antibioticoprofilaxia para os comunicantes,
a fim de se evitar a emergência de cepas resistentes.
17. Mulher de 35 anos, procurou o ambulatório com história de cefaléia latejante há um dia,
inicialmente hemicrânica direita e depois generalizada, acompanhada de náuseas, vômitos e
fotofobia. Refere vários episódios semelhantes anteriormente e que melhoravam com repouso em
quarto escuro. A melhor conduta nesse caso é:

A) Aplicar analgésico e anti-emético por via intravenosa.

B) Fazer tomografia de crânio para melhor esclarecimento diagnóstico.

C) Prescrever derivados do ergot por via oral.

D) Iniciar betabloqueador como profilático.

E) Encaminhar a paciente para avaliação neurológica.

18. Jovem homossexual de 20 anos é admitido no Pronto-Socorro com história de cefaléia e


dificuldade de caminhar. O exame físico geral é normal, mostrando paciente alerta, orientado no
tempo e espaço e com discreta hemiparesia esquerda. A tomografia computadorizada de crânio
revela lesões intra-parenquimatosas no hemisfério cerebral direito; após a injeção intravenosa de
contraste, as lesões têm realce periférico de tipo anelar. A conduta inicial mais adequada é:

A) Biópsia da lesão maior.

B) Tratamento empírico com sulfadiazina e pirimetamina.

C) Radioterapia.

D) Tratamento, empírico com penicilina G, ceftriaxona e metronidazol.

E) Biópsia da lesão maior seguida de radioterapia.

19. Homem de 35 anos, alcoólatra, chega ao Pronto-Socorro com história de astenia e gengivorragia.
O hemograma revelou Hb=5,0 g/dl, Ht=22%, VCM=102, CHCM=36
g/dl, leucócitos=4000 (10% de bastonetes, 65% de segmentados, 3% de eosinófilos e 20% de
linfócitos). A resposta que indica o diagnóstico provável, o melhor exame complementar e a
conduta terapêutica respectiva é:

A) Leucemia aguda - mielograma - quimioterapia.

B) Anemia megaloblástica - mielograma -vitamina B12.

C) AIDS - mielocultura - aciclovir.

D) Anemia carencial - ferro sérico - sulfato ferroso.

E) Infiltração medular - mielocultura - quinino.


20. Homem de 28 anos é trazido ao Pronto-Socorro por policiais, apresentando intensa agitação
psicomotora e ameaçando agredir o médico que o atende. A abordagem desse paciente deveria
incluir inicialmente:

A) Impor energicamente limites ao comportamento inadequado.

B) Abordá-lo com assuntos amenos com a finalidade de formar vínculo e ganhar a sua confiança.

C) Sedação com benzodiazepínicos por via intramuscular.

D) Contenção química com haloperidol por via intravenosa.

E) Contenção física para possibilitar exame clínico e psiquiátrico.

21. Um médico atende no Pronto-Socorro, um homem baleado que lhe conta ter sido ferido quando
estava assaltando uma loja; nessas circunstâncias:

A) O médico deve chamar testemunhas para ouvir a história.

B) Segundo o C.E.M. (Código de Ética Médica) o médico deve comunicar o fato ao C.R.M.
(Conselho Regional de Medicina).

C) A não comunicação do fato à autoridade competente é crime, de acordo com o C.P.B. (Código
Penal Brasileiro).

D) A comunicação do fato à autoridade competente constitui quebra de sigilo profissional.

E) Somente o diretor clínico da Instituição pode comunicar o crime à autoridade competente.

22. Homem de 29 anos, vítima de acidente automobilístico, sofreu fratura fechada de diáfise de
fêmur direito. Internado com tração esquelética há 2 dias, começou a apresentar desconforto
respiratório, confusão mental, taquicardia, petéquias e febre. Gasometria revela P02=45mmHg,
PA=110x70 mmhg. A Hipótese diagnostica provável é:

A) Septicemia.

B) Ruptura do baço em 2 tempos.

C) Pneumonia aspirativa.

D) Síndrome compartimental.

E) Embolia gordurosa.

23. Constitui a etiologia mais freqüente das dilatações do trato urinário diagnosticadas no período
antenatal:

A) Estenose de junção pielo-ureteral.

B) Estenose de junção uretero-vesical.

C) Mega-ureter primário.
D) Válvula de uretra posterior.

E) Refluxo vésico-ureteral.

24. 024- Jovem de 15 anos com história de acidente automobilístico é admitido no Pronto-Socorro
apresentando estabilidade hemodinâmica, fratura de bacia e uretrorragia. Não foram constatadas
outras lesões. A uretrocistografia revelou lesão completa da uretra membranosa, A melhor
conduta é:

A) Intervenção cirúrgica com uretrostomia perineal e ulterior fechamento.

B) Cirurgia imediata com anastomose término-terminal dos cotos uretrais por via suprapúbica.

C) Cirurgia imediata com anastomose término-terminal dos cotos uretrais por via perineal.

D) Cistostomia por punção e reconstrução uretral após pelo menos 2 meses do trauma.

E) Deve-se tentar a sondagem uretral com sonda de Folley antes de qualquer outro procedimento
mais invasivo.

25. Homem de 71 anos apresenta queimadura de espessura total (IIT grau) no pescoço, tronco e
períneo acometendo 35% do total de superfície corpórea. Apesar do suporte ventilatório, o
paciente desenvolve insuficiência respiratória progressiva. A conduta mais apropriada é:

A) Administração de broncodilatadores.

B) Aumento da reposição volêmica.

C) Aumento da fração inspirada de oxigênio (FiO2).

D) Realizar escarotomia torácica.

E) Realizar traqueostomia.

26. Os retalhos cutâneos estão indicados:

A) Nas mesmas situações que os enxertos de pele.

B) Apenas quando se deseja cobertura semelhante à área receptara.

C) Em áreas de tendão sem paratendão, osso sem periósteo, nervo e grande vasos expostos.

D) Raramente são utilizados por serem tecnicamente de, difícil execução.

E) Quando o leito apresenta tecido de granulação de boa qualidade.

27. Indique a melhor técnica para a realização de uma anastomose esofágica:

A) Pontos contínuos absorvíveis.

B) Sutura contínua com fio inabsorvível.


C) Pontos separados com fio monofilamentar.

D) Pontos separados com fio absorvível.

E) Pontos contínuos com fio multifilamentar.

28. Mulher submetida a intervenção cirúrgica para tratamento de hipertensão portal apresenta, no 5º
dia de pós-operatório, saída de líquido sero-sanguinolento pela cicatriz da ferida cirúrgica. O
diagnóstico mais provável nesta circunstância é:

A) Rotura de varizes de esôfago.

B) Coagulação intravascular disseminada e coagulopatia.

C) Hematoma subcutâneo.

D) Lise de gordura de subcutâneo.

E) Evisceração.

29. Paciente de 65 anos, sem antecedentes mórbidos relevantes, a não ser por histerectomia feita há
cinco anos, procura o serviço com quadro de dor peri-umbilical em cólica que apareceu há 3
dias, acompanhada de náuseas, vômitos, parada de eliminação de gases e fezes e dissensão
abdominal, O diagnóstico mais provável e o exame mais útil são, respectivamente,

A) Pancreatite aguda - ultra-som de abdome.

B) Obstrução intestinal por brida - radiografia simples do abdome.

C) Volvo de sigmóide - colonoscopia.

D) Hérnia estrangulada - trânsito intestinal.

E) Fecaloma - enema opaco.

30. Mulher diabética há mais de 10 anos fazendo uso de antidiabéticos orais refere dor em
queimação nos pés e pernas que a impede de dormir. Ao exame físico apresenta varizes nos
membros inferiores dependentes de Insuficiência de crossa de safenas internas, não havendo
edema nem hiperpigmentação nas pernas. Nota-se apenas ressecamento da pele dos pés, que são
quentes e corados. As pulsações arteriais são normais, A conduta mais adequada é:

A) Recomendar o uso de meias elásticas.

B) Prescrever medicação flebotrópica.

C) Substituir medicação-oral por Insulina.

D) Iniciar safenectomia bilateral.

E) Medicar sintomaticamente se necessário.


31. O aneurisma da aorta abdominal deve ser operado:

A) Sempre.

B) Quando o diâmetro aumenta mais de 5 mm em 6 meses.

C) Somente quando apresenta sintomatologia dolorosa.

D) Se tiver diâmetro máximo de 3 ou mais centímetros.

E) Quando apresenta trombos murais.

32. A conduta Inicial em embolia pulmonar de repetição é:

A) Colocação de filtro de cava.

B) Antibióticos + exercidos respiratórios.

C) Arteriografia pulmonar + anti-agregante plaquetário.

D) Ligadura de vela cava + fibrinolíticos.

E) Anticoagulantes orais + investigação da origem dos êmbolos.

33. Assinale dentre as alternativas abaixo a estrutura que cruza ventralmente a veia cava inferior:

A) Terceira porção do duodeno.

B) Nervo femoral direito.

C) Tronco simpático direito.

D) Ureter direito.

E) Duto torácico.

34. Uma Incisão horizontal na região cervical que lese a artéria tireoídea inferior, poderá lesar as
seguintes estruturas, exceto:

A) Nervo laríngeo inferior.

B) Nervo vago.

C) Veia tireoídea Inferior.

D) Artéria carótida externa.

E) Traquéia.

35. Mulher de 50 anos foi submetida a cirurgia de revascularização do miocárdio, implantando duas
pontes de safena e uma mamária. A cirurgia e o pós-operatório imediato transcorreram sem
intercorrências significativas. Nas duas semanas seguintes a paciente evoluiu clinicamente bem,
mas reclamava de insônia inicial e terminal, diminuição Importante do apetite, medo intenso de
morrer e certeza de que o seu coração já havia parado e que os médicos lhe escondiam o fato. A
respeito deste caso, podemos dizer que:

A) Reações depressivas são freqüentes em pós-operatórios de grandes cirurgias e não exigem


abordagem psiquiátrica específica.

B) Uma abordagem psicoterápica pré-operatória permitiria à paciente um melhor preparo para


enfrentar a evitando complicações psiquiátricas no pós-operatório.

C) A abordagem mais adequada seria a psicoterapia cognitivo-comportamental.

D) O tratamento medicamentoso é contra-indicado nessa paciente, devido a patologia cardíaca.

E) Provavelmente trata-se de uma depressão psicótica que exige tratamento com anti-depressivos e
anti-psicóticos.

36. Homem de 79 anos, fumante h mais (,e 40 anos (30 cigarros por dia), natural de Minas Gerais,
apresenta carcinoma epidermóide da laringe supra-glótica, que compromete uma aritenóide, uma
valécula e atinge ainda a porção adjacente da base da língua. O tratamento mais indicado é:

A) Laringectomia supra-glótica.

B) Laringectomia supra-glótica com esvaziamento cervical.

C) Laringectomia total.

D) Laringectomia total com esvaziamento cervical.

E) Esvaziamento cervical seguido de radioterapia da lesão primária.

37. Nódulo único de tireóide de 3 cm de diâmetro; diagnosticado como carcinoma papilífero. Neste
caso o prognóstico depende principalmente de:

A) Idade e sexo.

B) Aspecto ultra-sonográfico.

C) Aneuploidia.

D) Presença de metástases cervicais.

E) Grau de diferenciação celular.

38. Mulher de 54 anos, vítima de fratura extra-articular de rádio distal sem desvio há 6 meses,
tratada com imobilização gessada por 6 semanas, persiste com intensa dor e hiperestesia no
punho e mão. Ao exame físico apresenta edema, limitação importante da movimentação de
punho e dedos, pele brilhante e eritematosa. O exame radiográfico local revela fratura
consolidada, porém, intensa osteoporose. A hipótese diagnostica mais provável é:

A) Síndrome do túnel do carpo.


B) Distrofia simpática reflexa.

C) Osteoartrose pós-traumática.

D) Seqüela de síndrome compartimental pós-gesso.

E) Tenossinovite.

39. A melhor conduta em criança com 2 anos de idade portadora de criptorquidia direita com hérnia
inguinal associada é:

A) Aguardar a Idade de 5 anos para reavaliação.

B) Iniciar tratamento hormonal e observar a evolução.

C) Indicação cirúrgica imediata.

D) Iniciar tratamento hormonal após o 5,1 ano de vida.

E) Aguardar até a puberdade para reavaliar.

40. Senhora de 87 anos sofreu queda domiciliar há um dia, evoluindo desde então com dor em
quadril esquerdo e Impotência funcional para a marcha. O exame físico revelava encurtamento e
grande rotação externa do membro inferior acometido. Qual a principal hipótese diagnóstica e o
tratamento Indicado?

A) Fratura transtrocanteriana do fêmur - Artroplastia parcial do quadril.

B) Fratura do colo do fêmur - Artroplastia total do quadril.

C) Fratura da diáfise do fêmur - Redução cruenta e fixação com placa e parafusos.

D) Fratura transtrocanteriana do fêmur - Redução incruenta e osteossíntese.

E) Fratura do colo do fêmur - Redução incruenta e osteossíntese.

41. Em suspeita de obstrução intestinal do recém-nascido e lactente a seqüência adequada de exame


é:

A) Radiografia simples de abdome incluindo radiografia de tórax e hemograma.

B) Radiografia contrastada de estômago, enema e hemograma.

C) Trânsito intestinal, enema opaco, leucograma, transaminases.

D) Trânsito intestinal, RX de tórax hemograma completo.

E) Radiografia simples de abdome, trânsito intestinal, enema opaco e hemograma completo.

42. Criança já senta sem apoio, sendo capaz de segurar a mamadeira, entende o próprio nome e o
significado do não; consegue bater palmas e emitir fonemas como ma, pa e ta (sem significado
específico); ainda não deambula, nem mesmo com apoio. Esta criança deve ter aproximadamente
a idade entre:

A) 4 - 6 meses.

B) 7 - 8 meses.

C) 9 - 10 meses.

D) 10 - 11 meses.

E) 12 - 14 meses.

43. O diagnóstico de baixa estatura significa que a estatura da criança se situa, para seu sexo e idade,
na curva de percentis:

A) Abaixo do percentil 2,5.

B) Abaixo do percentil 50.

C) Entre o percentil 10 e 25.

D) Abaixo do percentil 20.

E) Entre o percentil 2,5 e 10.

44. O coeficiente de mortalidade infantil:

A) Sempre indica as condições de assistência médica prestada à população.

B) É drasticamente reduzido através de campanhas de vacinação.

C) Sempre se correlaciona com um baixo produto nacional bruto.

D) Tem relação direta com as taxas de natalidade.

E) É um bom indicador de qualidade de vida.

45. Com relação à terapia de re-hidratação oral, é correto afirmar que:

A) A presença de íleo paralítico não contra-indica a utilização da solução por via oral.

B) O aleitamento materno deve ser suspenso nas primeiras duas horas de re-hidratação.

C) A solução oral deve ser, preferencialmente, administrada com mamadeira "ad libitum", conforme
aceitação da criança.

D) Nas crianças em aleitamento artificial, a alimentação não deve ser suspensa na fase de re-
hidratação.

E) Caso ocorra perda de peso, após as duas primeiras horas de terapia, a solução deve ser
administrada por sonda nasogástrica.
46. Em criança com estenose hipertrófica de piloro e vômitos incoercíveis, as alterações
hidreletrolíticas e do equilíbrio ácido-básico caracterizam-se por:

A) Hipocloremia e hipopotassemia com alcalose metabólica.

B) Hiponatremia e hipocloremia com acidose metabólica.

C) Hipocloremia e hiperpotassemia com acidose metabólica.

D) Hipernatremia e hiperpotassemia com alcalose metabólica.

E) Hipercloremia e hipopotassemia com acidose respiratória.

47. No que se refere a orientação dietética para a criança com episódio diarreico agudo, é correto
afirmar:

A) Como regra geral, toda alimentação deverá ser suspensa durante as primeiras horas do episódio
diarreico.

B) A reintrodução precoce da alimentação se associa com piora do quadro diarreico e da


desidratação.

C) A perda de peso é maior na criança precocemente realimentada com dieta adequada para a idade.

D) A recuperação nutricional é mais rápida nas crianças que recebem leite diluído e alimentos
obstipantes.

E) Alimentos especiais devem ser introduzidos apenas quando houver fortes evidências de
intolerância a algum componente da dieta.

48. Criança com nove anos de idade, previamente hígida, apresenta quadro de pneumonia bacteriana
aguda, com derrame pleural e condensação extensa ' a de lobo direito. O principal agente
ecológico e a droga de escolha para o tratamento, neste caso, são:

A) Estreptococo do grupo A - eritromicina.

B) Haemophilus influenza do tipo B - amoxacilina.

C) Pneumococo - penicilina G.

D) Staphylococcus aureus - oxacilina.

E) Escherichia coli - amicacina.

49. Considere as seguintes situações:

I) Meninas com idade superior a 15 anos.


II) Meninos em qualquer faixa etária.
III) Infecção urinária com sinais clínicos de pielonefrite.
IV) Infecção urinária acompanhada de hipertensão arterial.
Constituem situações em que se recomenda a exploração radiológica do trato urinário, após a
primeira infecção urinária diagnosticada, apenas:

A) I e II.
B) I e III.

C) II e IV.

D) I, II e III.

E) II, III e IV.

50. Nas alterações da glicemia no período neonatal, é correto afirmar que:

A) Nos primeiros dias de vida os recém-nascidos não têm capacidade para a produção de glicogênio
e, portanto, o melhor tratamento para a hipoglicemia é a oferta exclusiva de glicose.

B) Existem alguns grupos de recém-nascidos que se beneficiam com o uso de corticóides para o
tratamento da hipoglicemia.

C) Com exceção dos filhos de mães diabéticas, a Incidência de hipoglicemia em outros grupos de
recém-nascidos é pequena.

D) As drogas beta-bloqueadoras utilizadas nas mães elevam a incidência de hiperglicemia no recém-


nascido.

E) A utilização de soro glicosado em "mini bolo" é geralmente efetiva para o tratamento da


hipoglicemia neonatal.

51. Pode-se afirmar que na doença hemolítica por incompatibilidade de Rh:

A) Os anticorpos ligam-se fracamente à membrana do eritrócito.

B) A lise celular ocorre em crises, podendo levar à dor abdominal.

C) Algum grau de anemia é observado em todos os recém-nascidos.

D) A hemólise ocorre geralmente no espaço extravascular.

E) Edema de placenta é raramente observado.

52. Criança de 8 meses de idade apresenta coriza, tosse e febre há 2 dias. Há 4 horas a tosse ficou
mais intensa e surgiu dificuldade respiratória caracterizada por batimentos de asas nasais e
retrações subdiafragmáticas. A ausculta pulmonar revelou roncos e sibilos e o RX de tórax uma
hiperinsuflação pulmonar. O diagnóstico mais provável é:

A) Bronquiolite.

B) Laringite.

C) Asma.
D) Epiglotite.

E) Difteria.

53. Com relação aos derrames pleurais parapneumônicos em crianças é possível afirmar:

A) O Haemophylus influenza é o patógeno que, potencialmente, causa menos acometimento pleural.

B) Bacterioscopia tem pouco valor na orientação da terapêutica antimicrobiana adequada.

C) Queda do pH e da glicose no líquido pleural seroso indicam melhora no prognóstico.

D) Os derrames purulentos volumosos devem ser drenados, mesmo na ausência de crescimento


bacteriano.

E) Os derrames serosos, mesmo com crescimento bacteriano, não têm indicação de esvaziamento ou
drenagem de tórax.

54. A fisiopatologia das pneumatoceles decorrentes de infecções bacterianas pulmonares baseia-se


em:

A) Destruição do parênquima pulmonar.

B) Destruição do interstício pulmonar.

C) Necrose da parede do brônquio terminal com passagem do ar para o interstício pulmonar.

D) Pneumotórax com passagem de ar para o interstício pulmonar (fístula).

E) Pneumomediastino com passagem de ar para o interstício pulmonar (fístula).

55. Paciente com 1 ano e meio de idade, apresenta-se taquidispneico, com FR > 60 movimentos por
minuto, com piora progressiva há 2 dias, sibilos difusos, hiperssonoridade à percussão, raio X
com infiltrado intersticial difuso. A melhor conduta para este caso será:

A) Antibioticoterapia + nebulização com 02

B) Fisioterapia + nebulização.

C) Pausa alimentar + nebulização COM 02 + corticóides + antibioticoterapia.

D) Pausa alimentar + nebulização com 02 + corticóides.

E) Pausa alimentar + nebulização COM 02 + hidratação intravenosa.

56. Criança hígida até o 5º ano de vida, passa a apresentar pneumonias de repetição com tosse
produtiva matinal, secreção purulenta e discretamente hemorrágica e respiração soprosa em base
esquerda posterior. A radiografa de tórax revela cúpula direita em posição inferior à cúpula
esquerda. O diagnóstico mais provável é:

A) Pneumonia em lobo inferior esquerdo.


B) Bronquiectasia em lobo inferior esquerdo com atelectasia.

C) Atelectasia de lobo inferior esquerdo e língula D.

D) Enfisema pulmonar à direita.

E) Atelectasia do pulmão esquerdo.

57. É característica do adolescente normal:

A) Dificuldade de abstração.

B) Coerência em todas as manifestações de conduta.

C) Tendência ao isolamento social.

D) Estabelecimento de identidades transitórias.

E) Adoção passiva das normas sociais vigentes.

58. Jovem de 15 anos apresenta-se com dor aguda no hemitórax direito, em posição antálgica para o
lado direito; afebril, com murmúrio vesicular diminuído à direita, hiperssonoridade à percussão
do hemitórax direito e ausência de broncofonia. A hipótese mais provável é:

A) Pneumonia com pneumatocele gigante.

B) Pneumonia com derrame pleural.

C) Enfisema por corpo estranho com mecanismo de válvula.

D) Atelectasia do pulmão direito.

E) Pneumotórax espontâneo.

59. Para o tratamento intercrítico da asma, são úteis as drogas estabilizadoras de mastócitos como:

A) Dipropionato de beclometasona e dexametasona.

B) Cetotifeno e cromoglicato dissódico.

C) Terbutalina e salbutamol.

D) Brometo de ipatropium e epinefrina.

E) Aminofilina e teofilina.

60. Em relação ao uso de corticóides no tratamento das meningites bacterianas agudas, podemos
afirmar que:

A) Deve ser evitado pelo seu efeito imunossupressor.

B) Pode ser usado apenas quando tiver sido ultrapassada a fase aguda da infecção.
C) Não deve ser usado quando o agente etiológico for o Haemophylus influenza.

D) Quando indicado, seu uso deve ser prolongado, por várias semanas, para evitar as seqüelas
neurológicas.

E) Quando indicado, seu uso deve ser precoce e por tempo limitado.

61. Gestante de 17 anos é admitida no Pronto-Socorro inconsciente, com o acompanhante relatando


tê-la encontrado desacordada. Pelos dados fornecidos, não realizou pré-natal e tinha uma idade
gestacional estimada de 35 semanas. Ao exame físico: hematomas em MMSS e MMII, com
pequenas escoriações. sem déficits motores. PA=160x110 mmhg. Pulso=68 bpm.
A.U=34cm. Foco=13q bpm. Dinâmica ijterina=2 contrações médias/10min. Edema de (+++/ .... )
com reflexos exaltados. Toque: colo médio, pérvio para 3,0 cm, BI e apresentação cefálica, alta e
fixa. Assinale a alternativa correta:

A) Trata-se de um caso de eclâmpsia em trabalho de parto. Deve-se administrar sulfato de


magnésio, pesquisar a vitalidade letal e conduzir o trabalho de parto se as condições clínicas
permitirem.

B) O diagnóstico é duvidoso, deve-se realizar um exame neurológico e completo e, se necessário,


solicitar uma tomografia computadorizada de crânio.

C) Como não se pode afastar a hipótese de epilepsia, o melhor é hidantalizar a paciente e em


seguida fazer uma cesárea.

D) Como o diagnóstico não está claro, deve-se deixar a gestante em observação.

E) O diagnóstico mais provável é de pré-eclâmpsia grave Deve-se colher os exames necessários


para a confirmação do diagnóstico e introduzir pindolol 30mg/dia e avaliar a vitalidade letal. Se
o diagnóstico for confirmado, interrompe-se a gestação através de cesárea.

62. Primigesta com 39 semanas de gestação procura o Pronto-Socorro em trabalho de parto, com
dilatação cervical de 7cm e com feto em apresentação cefálica, ODP +1 de Delee. Evolui para
parto normal com desprendimento cefálico através de um movimento de deflexão. É cometo
afirmar que:

A) A bossa sero-sanguínea localiza-se na porção anterior do osso parietal direito.

B) A paciente deu entrada no Hospital no período expulsivo do trabalho de parto.

C) Ocorreu uma rotação Interna do polo cefálico de 45º.

D) O local do hipomóclio foi próximo à raiz do cabelo do cabelo do feto.

E) Quando a paciente chegou ao Hospital, a cabeça letal já estava insinuada.

63. Gestante primigesta de 18 anos, com idade gestacional de 41 semanas, confirmada por ultra-som
realizado duas semanas antes, procura o Pronto-Socorro com queixa de diminuição dos
movimentos fetais há 6 horas. A palpação: feto em situação longitudinal, dorso à esquerda,
escava ocupada, com polo cefálico pouco móvel à manobra de Leopold. AU=36 cm. Foco=140
bpm. Dinâmica uterina ausente. Toque: colo impérvio, grosso, posterior. A melhor conduta
obstétrica é:
A) Pesquisar maturidade e, se presente, Interromper a gestação através de uma cesárea.

B) Como a idade gestacional é confiável, deve ser realizada a indução do parto com ocitocina.

C) Deve-se realizar o perfil biofísico letal e repeti-lo periodicamente até a 420 semana de gestação,
quando deverá ser interrompida a gravidez.

D) Apenas aguardar o trabalho de parto.

E) Dosar o estriol materno. Se alterado, deve-se realizar uma cesárea.

64. Em relação ao diabetes mellitus na gravidez é, correto afirmar que:

A) O diagnóstico é feito através da glicemia de jejum no início da gestação para todas as gestantes,
devendo ser repetida com 32 semanas quando há antecedente de familiar diabético.

B) Deve-se antecipar o parto pois, o risco de óbito fetal nestas gestantes é elevado.

C) Constituem fatores de risco para o diabetes gestacional: três ou mais abortamentos consecutivos
anteriores, primiparidade tardia, cor branca, alto nível sócio-econômico e alta ingesta de
carboidratos.

D) Pesquisa-se o diabetes gestacional apenas em gestantes de risco, através de glicemias de jejum e


teste de tolerância à glicose oral com 36 semanas de gestação.

E) As alterações fetais observadas no diabetes, tais como a macrossomia, icterícia, poliglobulia,


hipoglicemia neonatal e prematuridade, podem ser explicadas através da hiperinsulinemia fetal
decorrente de maior passagem de glicose pela placenta.

65. Mulher de 27 anos, fazendo uso de anti-depressivo tricíclico por depressão, atualmente sem
sintomatologia psiquiátrica, descobre estar na 13ª semana de gestação. A melhor conduta neste
caso é:

A) Abortamento.

B) Suspender o anti-depressivo tricíclico e observar evolução.

C) Substituir o anti-depressivo tricíclico por lítio.

D) Manter o anti-depressivo tricíclico e suspendê-lo duas semanas antes da data provável do parto.

E) Suspender o anti-depressivo tricíclico e instituir eletroconvulsoterapia.

66. Paciente com 39 anos, prole constituída, foi submetida à biópsia de colo do uterino que revelou
neoplasia intraepitelial cervical tipo III e miomatose uterina importante e sintomática. O
procedimento inicial mais indicado é:

A) Cauterização do colo do útero.

B) Conização do colo do útero.


C) Histerectomia subtotal abdominal.

D) Histerectomia total abdominal.

E) Histerectomia vaginal.

67. O tumor maligno de ovário mais freqüente é:

A) Adenocarcinoma seroso.

B) Adenocarcinoma mucinoso.

C) Teratoma Imaturo.

D) Disgerminoma.

E) Adenocarcinoma endometrióide.

68. O aspecto mamográfico mais sugestivo de câncer é:

A) Microcalcificações agrupadas.

B) Tumor espiculado.

C) Tumor maior que 3 cm.

D) Microcalcificações pleiomorfas.

E) Hipodensidade de mama.

69. A porcentagem de degeneração sarcomatosa do mioma do útero é de:

A) 10%

B) 3%.

C) 5%.

D) 0,5%

E) 2%.

70. Gestante IIG IP (PN), com idade gestacional de 32 semanas, com quadro confirmado de rotura
prematura de membranas há 9 horas, sem febre ou fisometria e fora de trabalho de parto. A
melhor conduta obstétrica é:

A) Administrar betametasona 12 mg/dia IM por 4 dias e interromper a gestação após 24 horas da


última dose.

B) Idem à alternativa anterior acrescendo-se antibioticoterapia com cefalexina.


C) Conduta conservadora por 24 horas. Caso não entre em trabalho de parto espontaneamente, faz-
se a indução com ocitocina.

D) Pode-se aguardar até 36 semanas, a menos que haja infecção materna e/ou fetal, sofrimento fetal
ou desencadeamento espontâneo do trabalho de parto.

E) A conduta deve ser conservadora até 34 semanas. Caso se Inicie o trabalho de parto durante a
adoção da conduta conservadora deve-se utilizar uterolíticos para Inibir as contrações uterinas.

71. Analise se as afirmativas abaixo estão certas ou erradas, para responder este teste:

1) Segundo a legislação penal brasileira, é permitido ao médico provocar abortamento nos casos de
gravidez de alto risco.
2) O abortamento provocado não é mais crime no Brasil, de acordo com a Constituição de 1988.
3) Se a gravidez resulta de estupro, o C.P.B.(Código Penal Brasileiro) não pune o abortamento
praticado por, médico com o consentimento da gestante.
4) Nos casos de malformações letais o abortamento provocado não é crime no Brasil.

A) Apenas 2 afirmativas estão corretas.


B) Só 1 afirmativa está correta.

C) Apenas 2 afirmativas estão corretas.

D) Só 1 afirmativa está correta.

E) Nenhuma afirmativa está correta.

72. No sentido crânio-caudal, o aparelho de contenção pélvica é integrado por:

A) Ligamentos cardinais, peritônio e diafragma pélvico.

B) Peritônio, diafragma pélvico e diafragma urogenital.

C) Diafragma pélvico, diafragma urogenital e peritônio.

D) Peritônio, diafragma urogenital e ligamentos cardinais.

E) Diafragma urogenital, peritônio e ligamentos cardinais.

73. No processo ovulatório, o hormônio luteinizante atua:

A) Na célula da grandiosa estimulando a produção de androstenediona.

B) Na célula da granulosa estimulando a produção de. estrona.

C) Na célula da granulosa estimulando a produção de estradiol.

D) Na célula da teca estimulando a produção de estradiol.

E) Na célula da teca estimulando a produção de androstenediona.


74. Homem de 51 anos procedente do norte do Paraná, procura o ambulatório com queixa de tosse
há 6 meses, que a princípio era seca e progressivamente foi se tomando produtiva, com secreção
branco-amarelada. Nesse período notou também dispnéia aos grandes e médios esforços. Há
aproximadamente dois meses vem apresentando rouquidão. Não sabe informar sobre
emagrecimento e febre, Neste caso pode-se dizer que:

A) A paracoccidioidomicose é hipótese clínica provável e o teste cutâneo de paracoccidioidina é o


exame indicado para confirmação diagnostica.

B) A tuberculose é a hipótese clínica mais provável E, o teste cutâneo com a tuberculina (PPD) é o
exame indicado para a confirmação diagnostica.

C) O encontro de Paracoccidioides brasiliensis ao exame micológico direto de escarro não é


suficiente para estabelecer o diagnóstico de paracoccidioidomicose, sendo necessária
confirmação, por meio de cultura de escarro.

D) O quadro clínico característico de associação entre tuberculose pulmonar e


paracoccidioidomicose laríngea, dispensa a confirmação por exames laboratoriais.

E) O encontro de Paracoccidioides brasiliensis ao exame direto de escarro indica


paracoccidioidomicose, doença que deve ser tratada, mas não afasta a possibilidade de
tuberculose associada.

75. Homem de 60 anos pisou em prego há 12 dias, recebendo na ocasião vacina antitetânica e
profilaxia com cefalexina 2,0 g por dia. Há 6 dias surgem trismo e há 4 dias aparecem espasmos
generalizados, necessitando de lntubação e ventilação mecânica. É correto dizer nesse caso que:

A) Não deve ser tétano porque o paciente não perdeu o nível de consciência.

B) A doença tem um período de progressão de 8 dias, caracterizando um tétano moderado.

C) A profilaxia antitetânica foi errada porque não utilizou penicilina.

D) Os benzodiazepínicos podem ser usados por via intravenosa para relaxamento muscular, como
também as drogas curarizantes.

E) O debridamento do foco não deve ser feito porque provoca disseminação hematogênica da
toxina.

76. Médico residente, de 25 anos de idade, sofre ferimento perfurante em dedo da mão esquerda com
agulha de sutura, contaminada com sangue de paciente sabidamente portador do vírus da hepatite
B (VHB). Assinale a conduta profilática que deve ser adotada no caso:

A) Se o médico não tem vacinação prévia contra hepatite B e não conhece seu perfil Mitológico
para a infecção pelo VHB, deve imediatamente tomar uma dose de vacina contra hepatite B, que
tom efeito e bloqueio contra a aquisição da Infecção pelo VHB.

B) Se o médico não tem vacinação prévia contra hepatite B e não conhece seu perfil sorológico para
a infecção pelo VHB, deve colher amostra de sangue imediatamente após o acidente, para
determinação de seu perfil sorológico e caso não tenha mercadores sorológicos que indiquem
infecção pelo VHB deve receber imunoglobulina humana hiperimune (HBIG) e primeira dose da
vacina contra hepatite B.
C) Se o médico tem vacinação prévia contra hepatite B, mas não conhece seu perfil sorológico pós-
vacinação, deve reiniciar o esquema básico de vacinação contra hepatite B, tomando ia primeira
dose logo após o acidente.

D) Se o médico não tem vacinação prévia contra hepatite B e não conhece seu perfil sorológico para
a infecção pelo VHB, deve colher amostra de sangue imediatamente após o acidente para
determinação de seu perfil sorológico e caso não tenha anticorpos contra o antígeno de superfície
do VHB (anti-HBs positivo), deve receber só a imunoglobulina humana hiperimune (HBIG).

E) Se o médico não tem vacinação prévia contra hepatite B e perfil sorológico pós-vacinação
conhecido, com ausência de anticorpos contra o antígeno de superfície do VHB (anti-HBs
negativo), não estão indicadas nem a imunoglobulina hiperimune (HBIG), nem a vacina contra a
hepatite B.

77. Homem de 40 anos com quadro de úlcera duodenal resistente a tratamento clínico foi submetido
a gastrectomia parcial. No primeiro mês de pós operatório apresentou hemorragia digestiva alta.
Nova endoscopia revelou úlcera de boca anastomótica (cirurgia com reconstituição a Biliroth II).
Foi submetido a vários exames entre os quais a determinação de gastrina sérica que se mostrou
muito elevada. O diagnóstico e a conduta adequada são:

A) Gastrectomia econômica - Tratar com doses elevadas de omeprazol.

B) Antro retido - Reoperação.

C) Possível síndrome de Zollinger-Ellison - Reinvestigação.

D) Possível síndrome de Zollinger-Ellison – Gastrectomia otal.

E) Possível síndrome de Zollinger-Ellison - Pancreatectomia total.

78. Homem de 35 anos, com procedência remota de Sergipe, morando em São Paulo há 10 anos, é
atendido com quadro de hematêmese de média quantidade. Ao exame físico apresenta fígado à 5
cm do rebordo costal direito e baço a 4 cm do rebordo costal esquerdo, ambos endurecidos; há
ausência de telangectasia, 'flapping" e ascite. Neste caso é correto afirmar que:

A) Deve-se levar em conta a hipótese de esquistossomose mansônica, fase crônica, forma hepato-
esplênica com hipertensão portal descompensada, embora o paciente relate ter sido tratado com
oxamniquine, três meses antes do episódio de hematêmese.

B) Deve-se levar em conta a hipótese de esquistossomose mansônica, fase crônica, forma hepato-
esplênica com hipertensão portal compensada, uma vez que o paciente não apresenta ascite ao
exame físico.

C) Descarta-se a hipótese de esquistossomose mansônica, fase crônica, forma hepato-esplênica com


hipertensão portal, uma vez que o paciente não apresenta, ao exame físico, sinais clínicos de
insuficiência hepática crônica.

D) Descarta-se a hipótese de esquistossomose mansônica, fase crônica, forma hepato-esplênica com


hipertensão portal, uma vez que o paciente já está fora de área endêmica há 10 anos.

E) Não há condições para se confirmar o diagnóstico de esquistossomose mansônica, uma vez que a
ocorrência de hematêmese, contra-indica a biópsia hepática.
79. Mulher de 82 anos apresentou quadro súbito de rebaixamento do nível de consciência,
hemiplegia esquerda, desvio conjugado do olhar para a esquerda, pupilas isobáricas foto-
reagentes, sem sinais meníngeos. Considerando-se o diagnóstico de lesão encefálica vascular
aguda assinale sua localização. mais provável:

A) Diencefálica.

B) Mesencefálica.

C) Putaminal.

D) Bulbar.

E) Pontina.

80. Homem de 47 anos caiu de altura de 3m há 2 horas e perdeu a consciência por 10 minutos. Veio
ao Pronto-Socorro, onde se constatou nível 15 na Escala de Coma de Glasgow, Pupilas
isocóricas, foto-reagentes, sem déficits motores. Enquanto aguardava a realização de radiografia
simples de crânio, evoluiu com cefaléia intensa, progressiva, vômitos e sonolência (nível 7 da
,mesma escala, de coma), pupilas isocóricas, foto-reagentes e hemiparesia esquerda. A hipótese
diagnostica mais provável é:

A) Hematoma subdural agudo.

B) Contusão temporal.

C) Lesão axonal difusa.

D) Hematoma extra-dural.

E) Hematoma extra-dural com herniação uncal.

81. Doente com hepatite crônica por vírus B passa a referir dores abdominais e a investigação
laboratorial mostra importante elevação dos níveis séricos de transaminases gamaglutamil-
transpeptidase. Qual assertiva melhor corresponde a essa situação?

A) Está ocorrendo evolução natural da doença e nada pode ser feito.

B) Está ocorrendo evolução natural da doença sendo obrigatório o tratamento com doses baixas de
corticóide.

C) Há reativação da doença. Deve-se iniciar tratamento com lnterferon.

D) Há outra doença associada (por exemplo: alcoolismo).

E) Desenvolveu-se neoplasia. É necessária investigação com ultra-sonografia abdominal e medida


dos níveis séricos da alfafeto-proteína.

82. Homem de 25 anos sofreu ferimento abdominal por arma de fogo há 2 meses. Há 5 dias
apresenta cólicas abdominais intensas, acompanhadas de icterícia e hematêmese. O diagnóstico
mais provável e a conduta adequada é:
A) Úlcera duodenal pós-traumática - Endoscopia digestiva alta.

B) Pancreatite pós-traumática - Ultra-sonografia abdominal.

C) Hemobilia - Arteriografia seletiva do tronco celíaco e artéria mesentérica superior.

D) Ruptura de varizes esofagianas - Endoscopia digestiva alta.

E) Síndrome de Mallory-Weeis (laceração da mucosa da junção esôfago-gástrica) - Endoscopia


digestiva alta.

83. No período de 1980 a 1992 para o Estado de São Paulo, os coeficientes de mortalidade segundo
os grupos de causas de morte apresentaram a seguinte evolução:

A) Aumento dos valores para as doenças infecciosas e parasitárias, aumento para as causas externas
e diminuição para as doenças do aparelho circulatório.

B) Aumento dos valores para as doenças infecciosas e parasitárias, aumento para as neoplasias e
diminuição para as doenças do aparelho circulatório.

C) Diminuição dos valores para as doenças infecciosas e parasitárias, aumento para as neoplasias e
aumento para as doenças do aparelho circulatório.

D) Diminuição dos valores para as doenças infecciosas e parasitárias, diminuição para as neoplasias
e aumento para as doenças do aparelho circulatório

E) Diminuição dos valores para as doenças infecciosas e parasitárias, estabilidade para as neoplasias
e diminuição para as doenças do aparelho circulatório.

84. Jovem de 21 anos é trazida ao Pronto-Socorro com insuficiência respiratória grave. Ao exame
consciente, ansiosa, com semiptose palpebral e oftalmoparesia bilateral. As pupilas estão
isocóricas com resposta normal à luz. Apresenta ainda paresia do véu do palato e disfonia. Há
déficit motor nos membros, com reflexos profundos vivos. A sensibilidade é normal. O
diagnóstico mais provável é:

A) Encefalite de tronco cerebral.

B) Polirradiculoneurite.

C) Poliomielite.

D) Miastenia grave.

E) Botulismo.

85. Criança é atropelada e levada imediatamente ao Pronto-Socorro. Duas horas após o acidente está
agitada e anisocórica com condições respiratórias e hemodinâmicas satisfatórias. O melhor
exame complementar a ser realizado imediatamente para avaliar o trauma craniano é:

A) Radiografia simples de crânio.

B) Tomografia computadorizada de crânio.


C) Ressonância magnética de cabeça.

D) Exame do líquido cefalorraquidiano.

E) Exame do fundo de olho.

86. Homem de 30 anos, vigilante noturno, solteiro, vem Unidade Básica de Saúde (UBS) e conta, na
recepção que tem tido empachamento e queimação epigástrica nos últimos 3 meses. Assinale a
alternativa correta:

A) Este paciente deve ser avaliado pelo médico e pela equipe multiprofissional no mesmo dia.

B) O paciente deve ser clinicamente avaliado, atendendo à demanda mais urgente e agendando-se
para exploração mais detalhada do processo de adoecimento com apoio da equipe
multiprofissional de saúde diagnóstico e tratamento do caso.

C) Para investigação adequada da queixa o primeiro procedimento é realizar endoscopia digestiva


alta.

D) Se este paciente for atendido no mesmo dia na UBS, no Pronto-Atendimento o médico deve
restringir-se investigação e ao tratamento da queixa, uma vez que não há condições de fazer uma
avaliação ampliada de todas as pessoas atendidas.

E) Na UBS devem ser- atendidos especialmente problemas mais comuns de crianças e fazer pré-
natal, prevenção de câncer ginecológico e planejamento familiar; os outros problemas devem ser
encaminhados para ambulatórios especializados.

87. Na cidade "Y" realizou-se estudo para investigar associação entre nível de colesterol sérico e
doença isquêmica do coração (DIC). Foram estudados indivíduos do sexo masculino com idade
entre 40 e 69 anos, sem DIC no início do estudo (em 1989): 500 com colesterol elevado e 1500
indivíduos com colesterol normal. Entre esses 2000 indivíduos, examinados em 1989 e seguidos
até 1994, foram diagnosticados 60 casos de DIC entre aqueles com colesterol elevado e 50 casos
entre aqueles com colesterol normal. O estuda realizado foi do tipo:

A) Coorte prospectivo.

B) Caso-controle retrospectivo.

C) Caso-controle prospectivo.

D) Ensaio clínico retrospectivo.

E) Ensaio clínico prospectivo.

88. Quando crianças nascem vivas e são erroneamente declaradas como nascidas mortas, de que
maneira estes erros irão repercutir sobre os coeficientes de mortalidade neonatal e infantil tardia?

A) Coeficiente de mortalidade neonatal: subestimação Coeficiente de mortalidade infantil tardia:


superestimação.

B) Coeficiente de mortalidade neonatal: subestimação Coeficiente de mortalidade infantil-tardia:


inalterado.
C) Coeficiente de mortalidade neonatal: inalterado Coeficiente de mortalidade infantil tardia:
superestimação.

D) Coeficiente de mortalidade neonatal: superestimação Coeficiente de mortalidade infantil tardia:


subestimação.

E) Coeficiente de mortalidade neonatal: subestimação Coeficiente de mortalidade infantil tardia:


subestimação.

89. Procurou-se determinar a eficácia da Cimetidina na profilaxia de hemorragia gastrointestinal em


pacientes admitidos em unidade de terapia intensiva (UTI). Cento e vinte pacientes foram
aleatorizados (randomizados) para receber cimetidina ou placebo na primeiras seis horas de
admissão na referida IM. O processo de aleatorização em estudo deste tipo tem como finalidade
principal:

A) Selecionar amostra representativa de pacientes.

B) Obter grupos com prognóstico inicial semelhante.

C) Aumentar a aderência dos pacientes.

D) Obter grupos de igual tamanho.

E) Reduzir a possibilidade de vício de memória.

90. TABELA: Coeficiente de mortalidade (por 1000 habitantes) segundo as macro regiões
brasileiras, em 1979 e 1989.

Coeficiente de mortalidade
Região
1979 1989
Norte 4,97 3,78
Nordeste 4,97 4,86
Sudeste 7,40 6,88
Sul 6,20 5,94
Centro-Oeste 6,47 4,58
Brasil 6,32 5,80

A partir da análise dos valores dos coeficientes gerais de mortalidade da Tabela, é possível concluir.

A) O aumento da esperança de vida populacional sempre se traduz por uma diminuição nos valores
do coeficiente geral da mortalidade.
B) A região Nordeste não apresenta melhora no seu nível de saúde devido a manutenção de altos
valores de mortalidade infantil.

C) As regiões Norte e Centro-Oeste apresentam os melhores resultados devido ao controle de


endemias.

D) Na região Sudeste os valores são elevados em decorrência do aumento da mortalidade por


doenças isquêmicas do coração.
E) Os coeficientes gerais de mortalidade, tal como apresentados não permitem comparações.

91. Em cidade da Grande São Pauto, em 1994, morreram 16 mulheres durante a gestação ou dentro
de um período de 42 dias após o término da gravidez, pelas seguintes causas primárias:

02 por septicemia pós aborto.


05 por complicações hipertensivas da gestação.
02 por hemorragia de terceiro trimestre.
02 por infecção pós-cesárea.
03 por cardiopatia agravada pela gestação.
02 por acidentes de trânsito.

Considerando-se que, neste mesmo ano, nasceram nessa cidade 10.000 nascidos vivos, o coeficiente
de mortalidade materna, para o ano de 1994, foi de:

A) 160 mortes por 100.000 nascidos vivos.


B) 120 mortes por 100.000 nascidos vivos.

C) 100 mortes, por 100.000 nascidos vivos.

D) 90 mortes por 100.000 nascidos vivos.

E) 140 mortes por 100.000 nascidos vivos.

92. Em estudo caso-controle, examinou-se 300 casos de câncer de pulmão e 300 controles. O
percentual de fumantes foi de 90% entre os casos e 30% entre os controles. O odds ratio (razão
de chances) de câncer de pulmão relacionado ao hábito de fumar foi:

A) 1

B) 11

C) 21

D) 31

E) 41

93. Em estudo caso-controle, examinou-se casos de câncer de pulmão e 300 controles. O intervalo de
confiança (IC) do "odds ratio" foi de 10,3 até 30,2 (95% de confiança). isto significa que o risco
de desenvolver câncer entre os fumantes:

A) É importante porque o IC ultrapassou o valor de 10.

B) É importante porque o IC não inclui a unidade.

C) Não é importante porque o IC não contém a unidade.

D) É importante porque o IC é suficientemente extenso.

E) Não é importante porque o IC não é suficientemente extenso.


94. O modelo assistencial de saúde no Brasil, no período de 1964 a 1988, apresenta como tendência:

A) O privilegiamento do modelo de saúde coletiva.

B) A harmonização das ações médico-individuais e de saúde pública num modelo de atenção à


saúde.

C) O estímulo a uma organização do trabalho nas instituições de saúde que privilegie e promova
equipes multiprofissionais.

D) O privilegiamento do modelo de atenção médica individual, em detrimento das ações de saúde


coletiva, mantida sua separação.

E) O estimulo à prática médica liberal como modelo de atenção à saúde.

95. Em relação à participação da comunidade no SUS pode-se afirmar que a Constituição de 1988:

A) Prevê a participação somente dos usuários do SUS.

B) Prevê a participação somente dos usuários do SUS e dos representantes dos poderes públicos.

C) Não contempla a representação dos profissionais de saúde.

D) Não prevê a participação da comunidade.

E) Determina que os Conselhos de Saúde constituam a instância de participação dos usuários do


SUS.

96. A partir do final da década de 80, o modelo assistencial de saúde no Brasil apresenta as seguintes
tendências:

A) Predominância do setor estatal de serviços de saúde frente ao setor privado.

B) Distribuição da oferta de serviços mais equilibrada, tendendo a diminuir as disparidades


regionais.

C) Crescimento do dispêndio de recursos do governo federal e diminuição do dispêndio de Estados


e Municípios com gastos no setor saúde.

D) Gastos eqüitativos dos governos Federal, Estadual e Municipal.

E) Significativo aumento de gasto dos Municípios com o setor de saúde.

97. A Constituição de 1988 determina que a saúde é "direito de todos e dever do Estado". Isso
significa que:

A) Todo brasileiro tem direito à saúde, independentemente de sua condição social.

B) Somente aqueles que contribuem para a seguridade social tem acesso à Assistência Médica do
SUS.
C) Aqueles que não contribuem para seguridade social, têm acesso somente aos serviços públicos
municipais e aos serviços filantrópicos.

D) Só o Estado deve encarregar-se da prestação de serviços de saúde.

E) Que cabe ao Estado somente controlar e regular a oferta de serviços de saúde.

98. Assinale a alternativa correta. O Programa de pré-natal:

A) Tem um sentido prioritariamente educativo, relacionado ao conhecimento do corpo,


contracepção, puerpério e amamentação.

B) Serve para o controle de grupos de risco, não tendo impacto se aplicado ao seguimento de
gestações normais.

C) Pode ter um grande impacto na morbidade materna e perinatal através de ações educativas e
rotinas padronizadas visando ao controle de riscos.

D) Não tem impacto no Estado de São Paulo, já que uma grande parte dos partos é domiciliar.

E) Só terá algum impacto sobre a morbi-mortalidade materna e perinatal se for garantido que o
médico que acompanhou o pré-natal realize também o parto.

99. Assinale a alternativa correta. A proposta de atendimento nas Unidades Básicas de Saúde feita
através de 'Programas de Saúde' tem por objetivo:

A) Organizar diversas ações e atividades articuladas, levando em consideração aspectos


epidemiológicos, grupos de maior risco ou agravos relevantes à saúde da população alvo.

B) Orientar os médicos em relação ao agendamento das consultas, como é o caso do pré-natal.

C) Simplificar o atendimento de forma a baratear o custo das ações de saúde e torná-las acessíveis à
população.

D) Combinar atendimentos feitos em consultas médicas individuais com grupos educativos.

E) Desenvolver atividades capazes de resolver prioritariamente os problemas relacionados às


doenças infecciosas, como a tuberculose por exemplo.

100. Assinale a alternativa correta. A coleta de citologia vaginal:

A) Pode ter grande impacto na redução da mortalidade por câncer de colo uterino, já que pode
preveni-lo e evitar as transformações dissilábicas de colo uterino.

B) Pode ter grande impacto na redução da mortalidade por câncer de colo uterino se atingir uma boa
cobertura e os serviços secundários e terciários forem efetivos.

C) Pode ter grande impacto na redução da mortalidade por câncer de colo uterino se for realizada
também colposcopia em todos os exames e tratadas as doenças sexualmente transmissíveis.

D) Pode ter grande impacto na redução da mortalidade por câncer de colo uterino, mas apenas se for
realizado de seis em seis meses em todas as mulheres.
E) Não é importante em nosso meio, já que o câncer de mama, que é a primeira causa de morte
entre as neoplasias entre as mulheres em São Paulo, tem um método de "screening" mais barato e
de maior impacto na mortalidade feminina, devendo ser priorizado.

Gabarito HCFMUSP - 1996


1-c 26-c 51-c 76-a

2-a 27-c 52-a 77-c

3-c 28-e 53-d 78-b

4-d 29-b 54-c 79-c

5-b 30-a 55-d 80-d

6-d 31-b 56-b 81-c

7-a 32-e 57-d 82-c

8-b 33-a 58-e 83-c

9-e 34-d 59-b 84-d

10-e 35-b 60-e 85-b

11-e 36-d 61-a 86-b

12-e 37-a 62-e 87-a

13-d 38-b 63-c 88-Anulada

14-e 39-c 64-e 89-e

15-c 40-e 65-b 90-b

16-c 41-e 66-d 91-e

17-a 42-b 67-a 92-c

18-b 43-a 68-b 93-b

19-b 44-b 69-d 94-d

20-e 45-c 70-d 95-e

21-d 46-a 71-b 96-a


22-e 47-e 72-b 97-a

23-a 48-c 73-e 98-c

24-d 49-e 74-e 99-a

25-d 50-b 75-d 100-b

Prova de Residência Médica - HCFMUSP - 1997

As questões: 1, 2 e 3 são baseadas neste caso clínico:

Homem de 56 anos, hipertenso e diabético, deu entrada no Pronto Socorro com duas horas de dor
precordial de forte intensidade, irradiada para membro superior esquerdo e acompanhada de
sudorese. O eletrocardiograma apresentava 2mm de supra-desnivelamento do segmento ST em DII,
DIII e aVF. Ao exame estava em bom estado geral com palidez cutânea +/++, PA=100x70mmHg,
P=60 (2 extra-sístoles por minuto). Coração e pulmão sem alterações. Nega cirurgias ou traumas
recentes. Teve infarto há cerca de 4 meses quando recebeu estreptoquinase.

1. Qual alternativa contém o diagnóstico e o grupo hemodinâmico correto pela classificação de


Forrester ?

A) Infarto inferior, grupo I.

B) Infarto anterior, grupo I.

C) Infarto inferior, grupo II.

D) Infarto anterior, grupo II.

E) Não se pode fazer o diagnóstico definitivo de IAM sem a dosagem das enzimas cardíacas.

2. Qual das medicações abaixo não deve ser administrada a este paciente ?
A) Morfina.

B) Nitrato sublingual.

C) Estreptoquinase.

D) Ácido acetil-salicílico.

E) Meperidina.

3. Após ter recebido 5 mg de Isordil sublingual e 1 mg de morfina endovenosa, o paciente evoluiu


com confusão mental, queda da pressão para 50x30 mmgHg e no eletrocardiograma apresentou
bloqueio A-V total. Qual conduta imediata mais adequada dentre as alternativas abaixo ?

A) Cateterismo de emergência.

B) Marcapasso externo transcutâneo.

C) Atropina 0,25 mg intravenosa.

D) Dobutamina 2,5 mg/kg/min intravenosa.

E) Nitroglicerina intravenosa.

As questões 4 e 5 são baseadas neste caso clínico:

Paciente de 40 anos, deu entrada no Pronto Socorro queixando-se de cefaléia holocraniana de forte
intensidade, acompanhada de náuseas e vômitos há 12 horas. Tem crises esporádicas de hemicrânia,
porém não tão intensas. Ao exame: afebril, PA=170x115 mmHg, P=65 (regular). Exame clínico e
neurológico normais.

4. Qual das alternativas representa a conduta inicial mais adequada ?

A) Punção liquórica.

B) Adalat sublingual e observação.

C) Radiografia de seios da face.

D) Dipirona endovenosa e observação.

E) Tomografia computadorizada de crânio.

5. Antes de tomar qualquer conduta a paciente apresenta convulsão tônico-clônica generalizada que
cede antes de se conseguir estabelecer acesso venoso. Qual das alternativas abaixo é a mais
adequada ?
A) Diazepam 10 mg intravenoso em 5 minutos.

B) Fenobarbital 100 mg intramuscular.

C) Difenil-hidantoína 15 mg/kg intravenosa em 20 minutos.

D) Nitroprussiato de sódio intravenoso; iniciando com 0,1 ug/kg/min.

E) Manter acesso venoso e não medicar, a não ser que apresente nova convulsão.

6. Considere o caso de uma jovem senhora de 36 anos, portadora de estenose da valva mitral com
área valvar de 1,5 cm2 e fibrilação atrial crônica em uso de digoxina e que procura médico para
prosseguir o acompanhamento. A paciente não apresenta limitação física ou sintomas e sua
freqüência cardíaca média é 72 batimentos por minuto. Qual das drogas abaixo deve ser
associada ao tratamento ?

A) Warfarina

B) Captopril.

C) Amiodarona.

D) Quinidina.

E) Diurético tiazídico.

7. Fumante inveterado de 58 anos, internado com diagnóstico provável de neoplasia pulmonar. O


exame admissional mostrou sódio plasmático de 125 mEq/l. Qual é o diagnóstico mais provável
do distúrbio e a causa ?

A) Hiponatremia hipotônica - secreção inapropriada de hormônio antidiurético.

B) Hiponatremia isotônica - secreção inapropriada de hormônio antidiurético.

C) Hiponatremia hipertônica - síndrome paraneoplásica.

D) Hiponatremia hipertônica - diabetes insípidus.

E) Hiponatremia hipotônica - diabetes insípidus.

8. Homem de 42 anos é internado com tosse seca, emagrecimento e taquipnéia. Na enfermaria


desenvolve quadro de insuficiência respiratória grave e rebaixamento de consciência
necessitando de intubação orotraqueal, mantendo-se hemodinamicamente estável. Ausculta com
crepitação difusa bilateralmente. Radiografia simples de tórax mostra infiltrado retículo nodular
difuso. Palpa-se o fígado a 2 cm do rebordo costal direito, mole, liso e doloroso. Os exames de
urgência pré-intubação mostram: pO=55 mmHg, pCO2=23 mmHg, saturação=88%,
bicarbonato=20 mEq/l, AST=230 e ALT=190. A conduta adequada neste momento será:
A) Introdução empírica de antibioticoterapia ampla (Gram negativos, anaeróbios, Gram positivos).
B) Iniciar cobertura para Pneumocystis carinii.

C) Iniciar cobertura para tuberculose.

D) Proceder ao lavado bronco-alveolar.

E) Realizar biópsia pulmonar transbrônquica.

9. Jovem de 26 anos, hígida previamente, 1 semana após atravessar enxurrada, passou a apresentar
febre, cefaléia holocraniana importante, dor em panturrilhas, tosse e expectoração clara com
laivos de sangue. Ao exame físico: discreta crepitação em terço médio de ambos os hemitóraces,
com o restante do exame normal. A principal suspeita diagnóstica considerando os antecedentes
é:

A) Pneumonia bacteriana.

B) Tromboembolismo pulmonar.

C) Edema agudo de pulmão.

D) Vasculite pulmonar por auto-anticorpos.

E) Vasculite pulmonar secundária a infecção sistêmica.

10. Mulher de 40 anos portadora de prolapso de valva mitral (com semi-insuficiência valvar),
procurou atendimento médico com queixa de febre e dor de garganta há três dias. O exame físico
revelou estalido (click) mesosistólico em área mitral e discreta hiperemia de orofaringe. A
melhor conduta para o caso será:

A) Realização de ecocardiograma e colheita de hemoculturas.

B) Colheita de hemoculturas e penicilina benzatina.

C) Realização de ecocardiograma e penicilina benzatina.

D) Realização de ecocardiograma e ácido-salicílico.

E) Prescrição de ácido acetil-salicílico e observação.

11. Senhora de 60 anos, tabagista e hipertensa, estava internada em UTI por infarto agudo do
miocárdio anterior, evoluia em grupo I de KILLIP quando subitamente apresenta, no segundo dia
pós-infarto, parada cárdio-respiratória em dissociação eletromecânica evoluindo para óbito.
Assinale a alternativa mais provável quanto à causa da parada cardíaca:

A) Pneumotórax hipertensivo.

B) Arritmia cardíaca.

C) Ruptura de cordoalha tendínea.

D) Ruptura cardíaca.
E) Aneurisma de ventrículo com grande seqüestro de sangue.

12. Mulher multípara de 34 anos é internada por febre alta (39ºC), bacteremia, disúria, polaciúria e
dor lombar há 2 dias. Ao exame físico verifica-se : toxemia importante, sudorese profusa,
calafrios e sinal de Giordano presente à direita. Assinale a melhor alternativa terapêutica para a
paciente em questão :

A) Cotrimoxazol por via oral.

B) Norfloxacina por via oral.

C) Ampicilina por via oral.

D) Coprofloxacina por via intravenosa.

E) Ceftazidime por via intravenosa.

13. De acordo com dados de um ensaio duplo-cego randomizado, realizado nos Estados Unidos, para
uma paciente gestante portadora do vírus da imunodeficiência humana (HIV), assintomática
deve-se ter como cuidado adicional indicar:

A) Infusão intravenosa de zidovudina no momento do parto.

B) Infusão intravenosa de zidovudina a partir da 13º semana de gestação.

C) Infusão intra-uterina de inibidor de proteinases pela veia umbilical.

D) Infusão intra-uterina de zidovudina pela veia umbilical.

E) Nenhum cuidado especial, trata-se apenas de portadora do vírus.

14. Homem de 38 anos, etilista inveterado, dá entrada no Pronto Socorro trazido por familiares.
Apresenta-se sonolento, reagindo somente a estímulos dolorosos com sons incompreensíveis, e
não tem déficits motores ou outros sinais neurológicos focais. Vinha apresentando febre nos
últimos 2 dias, tendo ficado acamado, sem beber e sem se alimentar adequadamente. Qual é a
alternativa em que as duas condições citadas são capazes de explicar o quadro neurológico deste
paciente?

A) Hipoglicemia e mielinólise pontina central.

B) Hipoglicemia e abscesso de tronco cerebral.

C) Hipoglicemia e encefalopatia hepática.

D) Síndrome de abstinência e encefalopatia hepática.

E) Síndrome de abstinência e abscesso de tronco cerebral.

15. Chegam os exames, o paciente apresenta K=7,9 mEq/l e eletrocardiograma mostrando onda T
pontiaguda e simétrica em todas as derivações. A primeira medida terapêutica a ser adotada deve
ser:
A) Resina trocadora de íons.

B) Gluconato de cálcio.

C) Bicarbonato de sódio.

D) Solução polarizante.

E) Furosemide.

16. O nitroprussiato de sódio:

A) Bloqueia os receptores alfa.

B) Bloqueia os receptores alfa e beta.

C) Bloqueia os receptores beta.

D) Age diretamente na musculatura lisa dos vasos.

E) Promove vasodilatação através dos seus metabólitos.

17. É fator comum a todos os tipos de choque em qualquer fase:

A) Taquicardia.

B) Hipotensão arterial.

C) Vasoconstrição periférica.

D) Redução do gradiente artério-venoso de oxigênio.

E) Acúmulo de ácido láctico.

18. Complemente a frase com a assertiva correta: a reposição volêmica no doente traumatizado:

A) Deve ser acompanhada do uso de drogas vasoativas, se houver choque grave.

B) Deve ser muito agressiva se houver contusão pulmonar grave.

C) Deve ser muito parcimoniosa sendo mesmo preferível certa hipotensão, se houver aumento da
pressão intracraniana.

D) Está provavelmente satisfatória se o débito urinário for adequado.

E) Pode ser dispensada se os valores da pressão arterial forem normais.


19. Paciente de 62 anos, feminina, obesa, há 2 anos queixa-se de pirose, principalmente ao deitar e
após as refeições. A radiografia contrastada do esôfago mostrou-se normal. A endoscopia revelou
esofagite erosiva distal. Não foram realizadas biópsias. A conduta correta é:

A) Hiatoplastia e válvula anti-refluxo, pois em esofagite erosiva o tratamento clínico não é eficaz.

B) Tratamento clínico com medicação antisecretora, pró-cinéticos e orientação postural e para


emagrecimento, pois a cirurgia é contra-indicada na ausência de hérnia de hiato.

C) Tratamento clínico por 2 meses e se a endoscopia ulterior ao tratamento não mostrar melhora,
indica-se o tratamento cirúrgico vídeo-laparoscópico.

D) Tratamento clínico por 6 meses e exame endoscópico a seguir para verificar a eficácia do
tratamento e para a realização de biópsias caso haja suspeita de esôfago de Barrett.

E) Tratamento cirúrgico por laparotomia, já que a cirurgia vídeo-laparoscópica da doença do refluxo


gastroesofágico oferece riscos ao paciente com idade superior a 50 anos.

20. A medida mais importante na profilaxia da embolia gordurosa associada ao trauma é:

A) O uso de heparina por via intravenosa.

B) O uso de corticóide.

C) O uso de heparinas de baixo peso molecular.

D) A fixação precoce das fraturas.

E) O suporte ventilatório com PEEP.

21. Paciente de 62 anos, com antecedentes de constipação com períodos de diarréia, apresentou há
48 horas dor súbita no quadrante inferior esquerdo, contínua, com intensidade progressiva, e
polaciúria. Temperatura axilar de 37,4º C. Abdome doloroso à palpação na mesma região, não
distendido, com ruídos hidro-aéreos presentes. O diagnóstico mais provável e a conduta
adequada é:

A) Cólica renal - Urografia excretora.

B) Enterocolite aguda - Antiespasmódicos e antibioticoterapia.

C) Diverticulite aguda - Avaliação clínica periódica, controle com leucograma e ultra-sonografia


abdominal.

D) Doença diverticular do cólon - Enema baritado.

E) Colite isquêmica - Colonoscopia.

22. A hipótese mais provável em um homem de 65 anos, portador de nódulo cervical único de 4 cm
de diâmetro, fixo, situado na face anterolateral direita do pescoço, sem outra queixa é:

A) Doença de Hodgkin.
B) Neoplasia folicular da glândula tireóide.

C) Tumor metastático gástrico (gânglio de Virchow)

D) Tumor metastático de origem cérvico-facial.

E) Tumor metastático de próstata.

23. Em corte axial do tórax, que passa pela vértebra T3, a topografia dos vasos sangüíneos é:

A) O tronco braquiocefálico é posterior à veia braquiocefálica direita.

B) A artéria carótida comum esquerda é latero-anterior ao tronco braquiocefálico.

C) A artéria carótida comum esquerda é anterior à artéria subclávia esquerda.

D) O tronco braquiocefálico encontra-se junto à face posterior do manúbrio esternal.

E) A artéria subclávia esquerda é latero-anterior à traquéia.

24. O nervo frênico passa de cada lado do pescoço:

A) Medial à artéria carótida comum.

B) Sobre a superfície posterior da artéria subclávia.

C) Sobre a superfície profunda do músculo escaleno anterior.

D) Sobre a superfície anterior da veia subclávia.

E) Sobre a superfície anterior do músculo escaleno anterior.

25. Indique a alternativa correta quanto aos tempos operatórios da traqueostomia regrada:

A) Incisão, abertura da rafe mediana com afastamento lateral dos músculos pré-tireoidianos,
abertura da traquéia, introdução da cânula traqueal, fechamento da pele e subcutâneo, curativo.

B) Incisão, abertura da rafe mediana, introdução da cânula traqueal, curativo.

C) Incisão, abertura da traquéia, introdução da cânula traqueal, curativo.

D) Incisão, abertura da traquéia, curativo, fechamento da pele.

E) Incisão, introdução da cânula, curativo.

26. Um jardineiro dá entrada ao Pronto Socorro com um ferimento corto-contuso em antebraço


esquerdo, contaminado com terra. Qual das seguintes suturas apresentará menor risco de
infecção do ferimento?

A) Sutura contínua com fio monofilamentar absorvível.

B) Sutura com pontos separados com fio monofilamentar absorvível.


C) Sutura contínua com fio monofilamentar inabsorvível.

D) Sutura com pontos separados com fio monofilamentar inabsorvível.

E) Não devemos suturar o ferimento.

27. Em relação à obstrução arterial aguda dos membros inferiores podemos afirmar:

A) A trombose é sempre de indicação cirúrgica.

B) A embolectomia só está indicada na embolia da bifurcação femoral.

C) O prognóstico de vida é pior nas tromboses.

D) O prognóstico de vida é pior nas embolias.

E) O prognóstico de vida independe do fator etiológico.

28. A dor tipo claudicação intermitente na região plantar é mais freqüentemente observada em
portadores de:

A) Arterite de células gigantes.

B) Arteriosclerose.

C) Arterite primária da aorta.

D) Necrose cística da camada média.

E) Trombo-angeíte obliterante.

29. Assinale a alternativa correta:

A) Refluxo vésico-ureteral de baixo grau em lactentes tende a desaparecer espontaneamente com o


crescimento.

B) Testículo não palpável que não é detectado por meio de ultra-sonografia ou tomografia
computadorizada provavelmente corresponde a agenesia testicular, não sendo necessária
qualquer medida adicional.

C) A válvula de uretra posterior provoca pouca repercussão ao trato urinário superior e trata-se
apenas de curiosidade diagnóstica.

D) Diagnóstico de hidronefrose unilateral antenatal, por meio de ultra-sonografia gestacional,


implica em cirurgia intra-útero ou antecipação do parto.

E) Hipospádia perineal se acompanha de incontinência urinária.

30. Homem de 40 anos de idade, vítima de atropelamento deu entrada no Pronto Socorro, lúcido,
com evidências de fratura de bacia, normotenso apesar de descorado. Estando estável
hemodinamicamente e sem sinais de lesão de víscera intra-abdominal. Assinale a alternativa
correta quanto à melhor abordagem inicial:
A) Deve-se proceder a cateterismo vesical para se descartar lesão uretral e verificar se tem
hematúria.

B) A ultra-sonografia do trato urinário é necessária e suficiente para se descartar qualquer lesão do


trato urinário.

C) A urografia excretora deve preceder qualquer outro exame de imagem.

D) A tomografia computadorizada substituiu os demais exames de imagem trauma do trato urinário.

E) Deve-se realizar uma uretrocistografia retrógrada para se descartar lesão uretral antes de
qualquer outra medida.

31. Mulher de 38 anos possui cálculo rádio opaco de 1,5 cm de diâmetro, alojado no cálice superior
do rim esquerdo e apresenta dores lombares ocasionais do mesmo lado sem hidronefrose. Qual a
melhor conduta?

A) Nefrolitotripsia percutânea.

B) Litotrícia extracorpórea por ondas de choque.

C) Acompanhamento clínico até eliminação espontânea.

D) Extração por meio de uretero-renoscopia.

E) Pielolitotomia.

32. Homem branco, de 40 anos de idade, sem queixas prévias, apresenta hepatomegalia associada à
presença de imagens hipoecogênicas, circulares, à ultra-sonografia. AgHBs positivo, AST 30 UI,
Gama-GT=130 UI, fosfatase alcalina=420 U, alfafetoproteína=625 ng/l. Qual o diagnóstico mais
provável e qual a melhor conduta?

A) Hepatite aguda. Repouso no leito até normalização dos exames laboratoriais.

B) Esquistossomose mansônica. Vacinação contra o vírus da hepatite B e sorologia de controle após


6 meses.

C) Carcinoma hepatocelular. Fazer biópsia hepática.

D) Tumor metastático no fígado. Fazer biópsia hepática.

E) Fígado policístico. Acompanhamento por ultra-sonografia e tomografia computadorizada.

33. Paciente masculino, de cor branca, 35 anos de idade e que ingere, em média, 80 g de etanol por
dia, passou a apresentar dor no hipocôndrio direito, de forte intensidade, com náuseas e icterícia
moderada. A endoscopia digestiva mostrou gastrite enantematosa leve. Dosagens laboratoriais:
AST=110 UI, ALT=90 UI, fosfatase alcalina=300 U, gama-GT=130 U. O diagnóstico mais
provável é:

A) Cirrose hepática descompensada.


B) Icterícia obstrutiva por câncer do pâncreas.

C) Doença de Gilbert.

D) Hepatite alcoólica.

E) Colangite esclerosante.

34. Estudante, do sexo masculino, com 19 anos de idade, queixa-se de febre (38-38,5°C) há 7 dias,
acompanhada de cefaléia, mal estar e odinofagia. Ao exame clínico verifica-se adenomegalia em
cadeias cervical anterior e posterior bilateralmente, submandibular e axilar direita, com gânglios
com 1-1,5 cm de diâmetro, de consistência firme e dolorosos à palpação. Hepato-esplenomegalia
discreta e dolorosa e exantema máculo papular tênue em tronco são achados clínicos adicionais.
Frente a esses dados clínicos podemos dizer que:

A) O diagnóstico de mononucleose infeciosa pode ser estabelecido pelo encontro de anticorpos


heterófilos em sangue periférico.

B) Pode-se tratar de infecção primária pelo Toxoplasma gondii, adquirida por ingestão de carne
bovina mal cozida, contendo cistos desse protozoário.

C) Doenças sexualmente transmissíveis como sífilis, linfogranuloma venéreo e infecção aguda pelo
vírus da inumodeficiência humana podem ter essa apresentação clínica.

D) A biópsia de linfonodo cervical deve ser realizada prontamente, face à possibilidade de doença
linfoproliferativa.

E) O diagnóstico de rubéola nesse caso é essencialmente clínico, não havendo necessidade de


confirmação laboratorial.

35. Indivíduo do sexo masculino, com 28 anos de idade, natural do interior de Alagoas, há 3 anos em
São Paulo (Capital), morador de favela sem saneamento básico, procura serviço médico com
queixa de febre há 1 mês; além disso relata só cansaço mais fácil que o habitual. Ao exame físico
apresenta hepato-esplenomegalia moderada e dolorosa. O exame parasitológico de fezes revela
ovos viáveis de Schistosoma mansoni. Pode-se afirmar que:

A) Trata-se de um caso de esquistossomose na fase aguda, que deve ser tratado com oxaminiquine.

B) O achado isolado de ovos viáveis de S. mansoni no exame parasitológico de fezes não basta para
se firmar o diagnóstico de esquistossomose.

C) A presença de febre neste indivíduo com esquistossomose hepato-esplênica na fase crônica


sugere associação com outra patologia, como por exemplo bacteremia prolongada por
Salmonella sp.

D) O achado de ovos viáveis de S. mansoni no exame parasitológico de fezes deste indivíduo que
está fora da região endêmica há 3 anos, sugere reativação da esquistossomose, que pode ocorrer
na vigência de imunodepressão adquirida.

E) A presença de febre neste indivíduo com esquistossomose hepato-esplênica crônica, indica


descompensação, caracterizando a forma hepato-esplênica crônica descompensada da
esquistossomose.
36. Menino de 10 anos de idade dá entrada em Unidade de Terapia Intensiva com história de febre
alta e mialgia generalizada há 4 dias, queda do estado geral progressiva e quadro de confusão
mental nas últimas 12 horas. Ao exame físico: temperatura 39,5°C, toxemiado, hipotenso,
taquicárdico. Apresentando rigidez de nuca e estertoração crepitante em terço médio de pulmão
direito e base do hemitórax esquerdo. Há lesão purulenta, com sinais inflamatórios, em tornozelo
direito. Os pais referem que há 8 dias o paciente caiu da bicicleta e machucou o tornozelo. A
conduta inicial neste caso deve ser:

A) Debridamento do foco infecioso, metronidazol por via oral e soro anti-tetânico ou


imunoglobulina humana anti-tetânica por via intramuscular.

B) Colheita de sangue para cultura, realização de ecocardiograma e introdução de penicilina


cristalina e gentamicina, por via endovenosa.

C) Colheita de sangue, líquor e material da lesão para cultura e introdução de oxacilina por via
endovenosa.

D) Debridamento do foco infeccioso com colheita de material para cultura, introdução de penicilina
cristalina por via endovenosa e aguardar resultado da cultura para introdução de antitoxina
tetânica.

E) Isolamento do paciente, colheita de sangue e líquor para cultura, introdução de cefalosporina de


3º geração por via endovenosa e receita de antibióticos para os comunicantes domiciliares.

37. Homem de 27 anos de idade, após fazer doação de sangue num hospital de São Paulo, recebeu
comunicação de estar infectado pelo vírus da hepatite B (VHB). Foi entregue ao doador o
resultado do exame realizado que foi o anti-HBc IgG, que estava positivo. Podemos afirmar que:

A) Este resultado sorológico pode ser devido à imunização prévia específica pelo VHB.

B) A presença do AgHBc no soro pode indicar atividade da infecção pelo VHB.

C) O resultado acima, na ausência de outros marcadores do VHB pode estar indicando início de
hepatite B.

D) A sorologia dos marcadores do VHB mostrando presença de AgHBs e do anti-HBc indica


ausência de replicação do vírus.

E) O anti-HBc IgG não discrimina a real situação imunológica do paciente em relação ao VHB.

38. RX de tórax revelando aumento globoso da área cardíaca, aumento da circulação pulmonar,
derrame pleural à direita, indica mais provavelmente:

A) Insuficiência valvar tricúspide.

B) Tromboembolismo pulmonar.

C) Cor pulmonale crônico.

D) Cardiopatia congênita com hiperfluxo pulmonar.


E) Miocardiopatia dilatada.

39. Aposentado de 70 anos é trazido ao médico pela esposa que conta a seguinte história : " há 3 dias
ele começou a ficar estranho dizendo, dentro de casa, que estava na fábrica (já não vai até lá há 5
anos), e chamando nossa filha pelo nome de sua ex-secretária. Ele não vinha dormindo bem á
noite e passava os dias cochilando, mas ontem passou a noite agitado, teve um pesadelo, e
chegou a jogar o abajur contra a parede gritando que o deixassem em paz. Hoje ele diz não se
lembrar de nada". Ao exame o paciente mostra alterações de memória, irritabilidade e momentos
ao longo do exame em que apresenta sonolência excessiva. A principal hipótese diagnóstica para
este paciente é:

A) Demência.
B) Depressão.

C) "Delirium".

D) Parafrenia tardia.

E) Paranóia.

40. Homem de 45 anos é trazido ao Pronto Socorro alcoolizado, vomitando, em mau estado geral e
com fala pastosa. Após ser medicado com glicose a 50% e metoclopramida EV, passou a
apresentar piora do nível de consciência, ataxia e oftalmoplegia. A respeito desse caso,
provavelmente o agravamento deveu-se a:

A) Acidente vascular cerebral isquêmico transitório, freqüente em alcoolistas dessa faixa etária.

B) Descompensação diabética em função da administração de glicose.

C) Reação anafilática à metoclopramida.

D) Insuficiência relativa de tiamina, ocasionada pela administração de glicose.

E) Interrupção abrupta da ingestão de álcool.

41. Mulher de 33 anos é trazida ao Pronto Socorro pelo marido com agitação psicomotora há doze
horas. O marido relata que ela tem estado muito irritada há dois dias por acreditar que vem sendo
traída. Conta que ela sempre foi uma pessoa normal e que nunca chegou a ficar da maneira como
se encontra agora (chegou a jogar objetos domésticos, como pratos e copos, pela janela). Por fim
relata estarem passando por uma crise no casamento. A paciente diz ter certeza da traição pelo
fato do marido ter passado a chegar todo dia mais cedo em casa. A melhor conduta inicial, neste
caso, seria:

A) Conversar reservadamente com o marido a fim de investigar se ele de fato tem um


relacionamento extraconjugal, o que explicaria a reação da paciente.

B) Administrar diazepam 5 mg por via intramuscular e aguardar que a paciente se acalme para
proceder à anamnese.

C) Explicar ao casal que crises de ciúmes são comuns e encaminhá-los para terapia de casal.
D) Instituir tratamento com antidepressivos e encaminhá-la para psicoterapia de apoio.

E) Estabelecer investigação clínica para afastar quadro psiquiátrico de origem orgânica.

42. Jovem de 16 anos de idade, após mergulho inadvertido, em água rasa há duas horas, sofreu
fratura com subluxação C5-C6, desenvolvendo lesão neurológica. Qual o prognóstico e o
tratamento inicial a ser proposto?

A) Prognóstico péssimo pela lesão neurológica. Tratamento inicial com redução da luxação
(manipulação sob anestesia).

B) Prognóstico favorável se a lesão for incompleta. Tratamento: redução com halo craniano e uso de
manitol.

C) Prognóstico depende da gravidade da lesão observada. Tratamento: redução com halo craniano e
uso de sobrecarga de glicose e vitaminas.

D) Prognóstico sombrio qualquer que seja a lesão neurológica. Tratamento: redução cirúrgica
imediata da lesão ortopédica.

E) Prognóstico incerto pois não se pode estabelecer a gravidade da lesão devido ao choque medular.
Tratamento: redução com halo craniano e uso de corticóides em altas doses.

43. Homem de 65 anos de idade dá entrada no Pronto Socorro com quadro súbito, iniciado há 8
horas, com tontura e desequilíbrio, piorando rapidamente com disfonia e disfagia. Tem
antecedentes de insuficiência arterial crônica em perna esquerda e diabetes. Ao exame geral a PA
é 140x100 mmHg e a ausculta cardíaca é normal. Ao exame neurológico : vigil, orientado no
tempo e no espaço, síndrome cerebelar global, paralisia de palato à D , reflexo nauseoso abolido
à D. Realizada tomografia computadorizada de crânio que foi normal. A melhor conduta
terapêutica neste caso é:

A) Corticóides e vasodilatadores.

B) Corticóides e antiadesivos plaquetários.

C) Trombólise com rTPA.

D) Trombólise com estreptoquinase.

E) Heparinização plena.

44. Fazendeiro de 74 anos de idade teve queda do cavalo há 25 dias, com trauma craniencefálico. Foi
levado a Pronto Socorro onde teve ferimento corto-contuso temporo-parietal direito, limpo e
suturado e alta após algumas horas de observação. Há 10 dias com cefaléia e há 3 dias com
sonolência. Ao exame geral estava afebril e tinha PA=150x110 mmHg e FR=16/min. Ao exame
neurológico : escala de coma de Glasgow=11, sonolento, com discreta hemiparesia esquerda,
motricidade ocular extrínseca normal, pupilas anisocóricas, direita maior que esquerda e reflexo
fotomotor ausente à direita e presente à esquerda. A melhor hipótese diagnóstica para este caso
é?

A) Abscesso cerebral.

B) Trombose de seio venoso cerebral.

C) Hematoma extradural crônico.

D) Hematoma subdural crônico.

E) Dissecção traumática de carótida.

45. Considerando o modelo da História Natural das Doenças, medida de prevenção primária:

A) Imunização, reabilitação e detecção precoce ("screening").

B) Imunização, inquéritos para descobrir casos na comunidade e higiene pessoal.

C) Moradia adequada, imunização e controle de vetores.

D) Moradia adequada; áreas de lazer e detecção precoce ("screening").

E) Alimentação adequada, saneamento ambiental e detecção precoce ("screening").

46. Paciente de 40 anos com história de cefaléia súbita intensa há 1 dia sem melhora com analgésico,
acompanhada de queda de pálpebra direita. Ao exame físico estava em bom estado geral, afebril
com PA=140x90 mmHg. Ao exame neurológico encontrava-se orientado no tempo e espaço, sem
déficits motores com reflexos normais bilateralmente. Havia rigidez de nuca e paralisia motora
ocular do terceiro nervo à direita com ptose de pálpebra direita e anisocoria com pupila direita
maior que a esquerda com reflexo fotomotor presente à esquerda e ausente à direita. Qual é a
hipótese diagnóstica e a topografia da lesão?

A) Neuropatia aguda no nervo oculomotor.

B) Trombose do seio cavernoso.

C) Hemorragia mesencefálica.

D) Hemorragia meníngea por aneurisma de artéria basilar.

E) Hemorragia meníngea por aneurisma de artéria comunicante posterior.

47. Em caso de Hipertensão Arterial, duas estratégias para o seu controle têm sido apontadas : uma
baseada no "enfoque de risco", e outra, baseada no "enfoque populacional". Assinale a
alternativa correta.

A) No enfoque de risco, busca-se reduzir os níveis de pressão arterial dos indivíduos considerados
hipertensos, com a finalidade de redução da mortalidade por doença cardiovascular.

B) No enfoque de risco, a prioridade no controle da hipertensão pode ser dada aos indivíduos com
hipertensão leve e moderada, pois é este grupo que apresenta o maior risco de adquirir doenças.
C) No enfoque populacional, há um grande potencial de benefício para o conjunto da população,
pois o benefício para cada indivíduo é fácil de ser mensurado.

D) No enfoque populacional, a realização de "screening" para a identificação de indivíduos


hipertensos constitui uma das ações importantes para o controle da doença, bem como da
mortalidade por causa cardiovascular.

E) No enfoque populacional, medidas de regulamentação e controle da produção de alimentos


industrializados não são medidas efetivas no controle da hipertensão.

48. Homem de 45 anos é atendido num centro de saúde estadual e tem suspeita diagnóstica de
tuberculose pulmonar. O melhor procedimento médico-sanitário será:

A) Iniciar imediatamente o tratamento do paciente com o esquema tríplice; realizar pesquisa de foco
domiciliar, introduzindo esquema terapêutico idêntico para os comunicantes com quadro
sugestivo de tuberculose; notificar ao sistema de vigilância epidemiológica todos os casos
confirmados ao final da investigação.

B) Confirmar o diagnóstico por meio de baciloscopia de escarro ou outros recursos clínico-


laboratoriais pertinentes; notificar imediatamente o caso suspeito ao sistema de vigilância
epidemiológica; introduzir o esquema tríplice caso o diagnóstico de tuberculose seja confirmado,
convocando comunicantes para avaliação diagnóstica conforme idade, situação clínica e
imunológica.

C) Iniciar imediatamente quimioprofilaxia para o caso suspeito e seus comunicantes domiciliares;


realizar pesquisa de foco domiciliar para confirmação diagnóstica do caso índice e comunicantes;
concluir quimioprofilaxia nos casos não confirmados e substitui-la pelo esquema tríplice nos
casos confirmados, comunicar ao sistema de vigilância epidemiológica todos os casos ao final da
investigação.

D) Notificar o caso suspeito ao sistema de vigilância epidemiológica; iniciar esquema tríplice


apenas em caso de confirmação diagnóstica por meio de baciloscopia de escarro ou outros
recursos clínico-laboratoriais pertinentes; introduzir quimioprofilaxia para todos os comunicantes
até esclarecimento diagnóstico; vacinação dos comunicantes menores de 4 anos de idade não
infectados.

E) Confirmar o diagnóstico de tuberculose por meio de baciloscopia de escarro ou outros recursos


clínico-laboratoriais pertinentes; aguardar confirmação diagnóstica para notificar o sistema de
vigilância epidemiológica e iniciar esquema tríplice; realizar quimioprofilaxia de comunicantes,
conforme idade e situação clínica e imunológica.

49. No ano de 1995 registraram-se 2147 casos de AIDS no Município de São Paulo e 534 casos de
AIDS no Município do Rio de Janeiro. Com base nestas informações pode-se afirmar que para a
AIDS, no ano de 1995, foi maior em São Paulo que no Rio de Janeiro a:

A) Incidência acumulada.

B) Densidade de incidência.

C) Prevalência.

D) Letalidade.
E) Não se pode comparar a magnitude nas duas cidades, apenas com o número absoluto de casos.

50. Segundo a Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde (SUS) é definido como um sistema
descentralizado com comando único; isto necessariamente implica em:

A) Delegar autonomia para que Estados e Municípios formulem e implementem as respectivas


políticas de saúde.

B) Que Estados e Municípios financiem somente com recursos próprios seus respectivos sistemas
de saúde.

C) Que cabe à União somente a responsabilidade pela execução das ações de Saúde Pública.

D) Que cabe à União a responsabilidade exclusiva pelo financiamento das ações de Saúde Pública.

E) Que cabe à União a responsabilidade exclusiva do financiamento da assistência médica


hospitalar, através da AIH.

51. Dada a complexidade da organização dos serviços de saúde no país, configura-se um perfil de
produção de serviços caracterizado por ser predominantemente:

A) Executado por profissionais médicos assalariados do setor privado.

B) Executado por profissionais médicos assalariados do setor público.

C) De tipo unipolar, centrado na atuação de profissionais de nível elementar e de técnicos e demais


profissionais com formação superior, sendo a atuação do médico reservada somente para casos
mais complexos.

D) De tipo bipolar, centrado na atuação do médico e de profissionais de nível elementar, e carente


da atuação de técnicos de nível médio e demais profissionais com formação superior.

E) Nucleado pela lógica do modelo da atenção primária em detrimento da lógica do modelo


hospitalar.

52. Uma investigação foi desenvolvida com o objetivo de avaliar a eficácia de um novo antibiótico
para a cura de amigdalite bacteriana em adultos (18-60 anos). Cem adultos nessa faixa etária (60
mulheres e 40 homens) e com diagnóstico de amigdalite bacteriana, receberam o antibiótico.
Após cinco dias, 83 indivíduos estavam assintomáticos. Os investigadores que conduziram o
estudo concluíram que o novo medicamento era eficaz para a cura de amigdalite bacteriana em
adultos com 18 a 60 anos de idade. Esta conclusão é:

A) Incorreta por não ser aplicável à população geral.

B) Incorreta porque não se considerou a condição sócio-econômica.

C) Incorreta porque o estudo não inclui um grupo controle.

D) Incorreta porque para avaliar a eficácia de um novo medicamento é necessário realizar um estudo
epidemiológico de corte.

E) Correta para a população investigada.


53. Em estudo sobre a associação entre uso de anticoncepcional oral (ACO) e câncer cervical
acompanhou-se 17.942 mulheres, na faixa etária de 18 a 58 anos. Entre aquelas que não faziam
uso de ACO a incidência de câncer cervical foi de 32/100.000 mulheres, ao passo que entre
aquelas que faziam uso contínuo por mais de 4 anos, a incidência foi de 173/100.000 mulheres. A
partir destes dados pode-se inferir que:

A) O "odds ratio" da associação é de 0,18.

B) O risco atribuível ao uso de ACO é de 81,5%.

C) O risco atribuível ao uso de ACO é de 17%.

D) O risco relativo de desenvolver câncer cervical entre as usuárias de ACO é 5,41 em relação às
não usuárias.

E) O risco relativo de desenvolver câncer cervical entre as usuárias de ACO é 141 em relação às não
usuárias.

54. Em relação á tendência das doenças infeciosas no Estado de São Paulo é correto afirmar:

A) Vem apresentando uma regular e acentuada diminuição de incidência e prevalência nos últimos
anos, excetuando-se apenas a AIDS.

B) A AIDS vem se estabelecendo como terceira causa de óbito entre a população adulta do Estado
de São Paulo.

C) A mortalidade por sarampo permanece como um dos principais componentes da mortalidade


infantil nos últimos anos.

D) A prevalência das doenças diarreicas na infância vem-se mantendo constante, mas a letalidade
vem diminuindo.

E) A incidência da tuberculose e da hanseníase vem aumentando nos últimos anos, apesar dos
progressos recentes na quimioterapia.

55. Os valores registrados para os Coeficientes de Mortalidade por Causas Externas no Município de
São Paulo, apontam para a presença de um importante problema de saúde nesta área. Assinale a
alternativa correta:

A) O maior impacto das mortes por homicídios dá-se a partir dos 30 anos de idade.

B) Os acidentes de trânsito ainda compõem o principal grupo de causas de morte entre as causas
externas.

C) O único grupo de causas, entre as causas externas, em que não há sobremortalidade masculina,
são os suicídios.

D) Os valores dos coeficientes de mortalidade por causas externas não mostram uma tendência
nítida de distribuição centro-periferia.

E) Os coeficientes de mortalidade por homicídio apresentaram um nítido aumento nos seus níveis a
partir de 1983 e desde então vêm apresentando variações em torno de valores sempre elevados.
56. Considerando a importância da diminuição da morbi-mortalidade por doenças cardiovasculares,
quais ações seriam adequadas no nível de atuação de uma unidade básica de saúde:

A) Ações de promoção à saúde orientando a clientela quanto a hábitos alimentares, atividade física e
exames médicos preventivos, encaminhando os pacientes diabéticos e hipertensos para
tratamento em serviços especializados.

B) Identificação dos hipertensos da comunidade em que atua, através da medida de pressão de todo
o usuário que procura o serviço, realizando ações de promoção à saúde.

C) Identificação dos hipertensos da comunidade inscrevendo no Programa de Hipertensão aqueles


que não tiveram outras patologias importantes.

D) Identificação dos hipertensos, diabéticos e portadores de dislipidemias da comunidade e


desenvolver programas de atenção contendo medidas de prevenção primária e secundária.

E) Priorização do atendimento aos diabéticos em relação aos hipertensos, tendo em vista que o risco
para doenças cardiovasculares é bem maior nesta condição.

57. Escola superior com 605 alunos matriculados promoveu almoço de confraternização. Todos os
alunos participaram e logo após ocorreu um surto de gastroenterite. Em um período de 30 horas,
35 estudantes solicitaram atendimento médico no Hospital Universitário, sendo que 5 deles
relataram que já estavam com gastroenterite, por ocasião do almoço. Todos os alunos que
procuraram o Hospital moravam em dependências da escola que abrigava 300 dos alunos.
Inquérito entre todos, mostrou que entre os demais, não houve nenhuma manifestação de doença.
A incidência de gastroenterite para cada 100 alunos da escola foi:

A) 5,0%
B) 5,8%

C) 10.0%

D) 11,7%

E) 49,6%

58. Os coeficientes de mortalidade geral (CMG) de dois distritos do Município de São Paulo,
Pinheiros (área central) e Itaim Paulista (área periférica) apresentaram em 1995 os seguintes
valores:

CMG Pinheiros: 7,76/1000 hab.

CMG Itaim Paulista: 4,56/1000 hab.

Quando padronizados pelo método direto, tomando como referência a estrutura etária do Município
de São Paulo, passaram a apresentar novos valores:

CMG padronizado Pinheiros: 4,45/1000 hab.

CMG padronizado Itaim Paulista: 6,13/1000 hab.


É correto afirmar que a padronização:

A) Elimina a diferença na qualidade das informações.


B) Elimina o efeito da diferença das estruturas etárias da população.

C) Torna comparáveis as condições sócio-econômicas.

D) Permite que sejam calculados os valores reais dos coeficientes de mortalidade geral.

E) Não altera a interpretação dos coeficientes de mortalidade geral.

Baseado no enunciado a seguir, responda as duas próximas questões :

Um estudo epidemiológico foi realizado para investigar possíveis fatores de risco ou de proteção
para a Síndrome da Morte Súbita (SMS) em crianças com idade entre 28 dias e um ano. Foram
entrevistados as mães de 191 crianças entre 28 dias e um ano de idade, cujo atestado de óbito
apontava essa causa de morte, assim como as mães de 301 crianças vivas na mesma faixa etária.
Relataram presença de um adulto dormindo no quarto da criança: 68 mães das crianças falecidas
com SMS e 159 mães das crianças vivas.

59. Este estudo epidemiológico é um exemplo de:

A) Estudo transversal.

B) Ensaio clínico controlado.

C) Estudo caso-controle.

D) Estudo de coorte retrospectivo.

E) Estudo de coorte prospectivo.

60. O "odds ratio" (razão de chances) de síndrome da morte súbita em crianças com idade entre 28
dias e um ano, associado ao relato de haver adulto dormindo no mesmo quarto da criança, foi:

A) 0,32

B) 0,56

C) 1,41

D) 1,80

E) Não é possível calcular o "odds ratio" nesse tipo de estudo.


61. O recurso propedêutico a ser empregado, inicialmente, frente a um caso de metrorragia em
paciente de 16 anos, virgem, com diagnóstico de hemorragia uterina disfuncional é:

A) Dosagem do estradiol.

B) Curetagem, empregando o espéculo de virgem.

C) Ultra-sonografia pélvica.

D) Tomografia pélvica, computadorizada.

E) Vídeo-laparoscopia.

62. Menina de 16 anos, apresentando telarca e pubarca deve ser submetida aos exames:

A) RX de mãos e punhos e dosagem de estradiol.

B) RX de sela túrcica e vaginoscopia.

C) Dosagem de estrogênios e mamografia.

D) Mamografia e Vídeo-laparoscopia.

E) Ultra-sonografia mamária e RX de mãos e punhos.

63. Na fisiopatologia da síndrome dos ovários policísticos, a diminuição da globulina ligada ao


hormônio sexual (SHBG) causa:

A) Aumento da testosterona livre.

B) Diminuição de LH.

C) Diminuição da progesterona.

D) Diminuição do estradiol livre.

E) Aumento da insulina.

64. Paciente de 60 anos apresenta tumor de aspecto benigno de um ovário, constatado no ato
cirúrgico. O útero e o outro ovário apresentam-se com características normais. Qual é o
procedimento mais adequado?

A) Exérese de tu do ovário e biópsia do ovário contralateral.

B) Exérese de tu do ovário e da tuba homolateral.

C) Ooforectomia bilateral, com conservação do útero.

D) Histerectomia total e exérese do tu do ovário.

E) Histerectomia total e anexectomia bilateral.


65. Gestante primigesta, com 35 semanas, dá entrada no Pronto Socorro com quadro de perde de
líquido amniótico pela vagina há três horas. Ao exame constata-se : PA=90x60 mmHg,
pulso=100 bpm, temperatura=38°C, altura uterina=30 cm, apresentação cefálica, batimentos
cardíacos fetais=160 bpm, com uma contração uterina fraca a cada 10 min. Ao exame especular:
colo dilatado para 2 cm, com saída de secreção fétida. Diante deste quadro impõe-se à seguinte
conduta:

A) Fazer cesárea imediatamente.

B) Administrar corticóide à mãe durante 24 hs e a seguir interromper a gestação por cesárea com
antibioticoterapia.

C) Inibir as contrações uterinas até 36 semanas juntamente com antibioticoterapia.

D) Inibir as contrações uterinas por apenas 24 h para administrar corticóide e antibiótico.

E) Conduzir o trabalho de parto e administrar antibióticos.

66. Sobre a cristalização do muco cervical, durante o ciclo menstrual pode-se afirmar:

A) Revela grumos na fase progestínica.

B) Não ocorre antes da ovulação.

C) É arboriforme logo após a ovulação.

D) Aparece em grumos por ação estrogênica.

E) Desaparece no período peri-ovulatório.

67. Nos anti-concepcionais hormonais trifásicos:

A) Os níveis de progestagênios são sucessivamente crescentes.

B) Os níveis de progestagênios são sucessivamente decrescentes.

C) Os níveis de progestagênios são mais altos no início e no fim de cada ciclo.

D) Os níveis de estrogênios são sucessivamente crescentes.

E) No período ovulatório as pílulas só contêm estrogênios.

68. Gestante com 40 3/7 semanas é admitida com o seguinte exame físico : PA=110X80mmHg,
altura uterina=36 cm, apresentação cefálica, batimentos cardíacos fetais=144bpm e sem
contrações. Ao toque: colo grosso, medianizado, pérvio para 2 cm. A melhor conduta obstétrica
inicial é:

A) Fazer amnioscopia e monitorização fetal.

B) Fazer dopplerfluxometria.

C) Fazer amniocentese.
D) Induzir imediatamente o parto.

E) Indicar cesárea.

69. Jovem em segunda gestação, primípara (parto normal), com 40 4/7 semanas, PA=150x90 mmHg,
altura uterina=34 cm, apresentação cefálica, sem contrações, batimentos cardíacos fetais=140
bpm, e ao toque vaginal : colo pérvio para 2 cm, com esvaecimento de 60% e medianizado, a
melhor conduta obstétrica é:

A) Fazer cesárea em virtude do índice de Bishop ser desfavorável.

B) Acompanhar com provas de vitalidade fetal até 42 semanas.

C) Induzir o parto com ocitocina - dose inicial de 2 mUI/min.

D) Induzir o parto com ocitocina porém, com dose inicial de 30 mUI/min.

E) Realizar preparo inicial do colo uterino com prostaglandina, E2 e, a seguir, utilizar ocitocina.

70. Gestante com 38 semanas é admitida em trabalho de parto. Ao toque, observa-se colo fino,
medianizado e dilatado para 7 cm, ODP + 1 de DeLee. Pode-se afirmar que:

A) O feto está insinuado.

B) É uma apresentação cefálica defletida de primeiro grau.

C) É um pós-datismo.

D) O diâmetro de insinuação é o occipito-frontal.

E) O dorso fetal está do lado esquerdo e o ponto de referência fetal do lado direito.

71. Assinale a alternativa correta:

A) Em gestante com 16 semanas espera-se altura uterina de 20 cm.

B) É possível haver leucocitose acima de 10.000 mm3 durante a gestação normal.

C) Os batimentos cardíacos fetais podem ser auscultados através do estetoscópio de Pinard a partir
da 12° semana de gestação.

D) A presença de glicosúria na gestação é indicativa de diabetes.

E) O aumento de volume plasmático na gravidez ocorre no terceiro trimestre.

72. A causa mais comum de coagulopatia de consumo na gestação é:


A) Descolamento prematuro da placenta.

B) Placenta prévia centro-total.

C) Placenta prévia marginal.

D) Embolia de líquido amniótico.

E) Moléstia trofoblástica gestacional.

73. Gestante de 30 semanas, primigesta e infectada pelo HIV há 5 anos, vem pela primeira vez ao
exame pré-natal. É correto afirmar que:

A) A chance da criança nascer infectada pelo HIV é alta e superior a 80%.


B) O uso de zidovudina na mãe pode ser eficaz na diminuição da transmissão vertical.
C) O uso de zidovudina na mãe deverá ser evitado sob o risco de toxicidade fetal nesta
fase da gestação.
D) A chance da criança nascer soropositiva é baixa e inferior a 30%.
E) O número de células CD 4 e a carga viral materna não influem na chance de
transmissão vertical nesse caso.

74. Mulher de 22 anos de idade, gestante de 7 meses, procedente de Imperatriz (Amazônia


Maranhense) há 10 dias, sem intercorrências nos últimos meses. Apresentou febre alta (até
39,8°C) e cefaléia holocraniana há 5 dias, falta de ar e "barriga dura" há 2 dias. Foi à SUCEN
(Superintendência de Controle de Endemias do Estado de São Paulo), tendo sido realizado o
diagnóstico de malária ao exame de "gota espessa". Nega quadro semelhante anteriormente.
Podemos afirmar com relação ao caso acima:

A) Se a espécie isolada for P. vivax, o tratamento indicado é a associação de cloroquina com


primaquina.
B) A erradicação das formas parasitárias é mais difícil nesta paciente pelo fato de ser gestante.

C) Se a espécie isolada for P. falciparum, o paciente pode ser tratado com mefloquina, devendo
retornar no máximo em 1 semana para avaliação da resposta terapêutica.

D) A dispnéia apresentada provavelmente é devido a hipertermia, já que e primo infectados não se


observa envolvimento pulmonar.

E) A indicação de hospitalização se fará se a parasitemia por P. falciparum for maior que 2%.

75. Paciente de 27 anos, com história de transtorno bipolar sem tratamento há um ano, procura o
ginecologista após ter feito um exame que mostra que está grávida. Conta que ela e seu marido
sempre desejaram muito um filho, mas que está muito assustada com esta possibilidade e há 1
mês (desde que desconfiou) tem se sentido muito angustiada por se acreditar despreparada para
ser mãe. Ao exame psiquiátrico apresenta humor polarizado para depressão, labilidade
emocional, retardo psicomotor e discurso de conteúdo pessimista. Confirmada a gravidez (sétima
semana) diz acreditar que o marido vem envenenando sua comida por não acreditar que o filho é
dele e que sua mãe finge que a ajuda para poder se aproximar e "roubar sua família", sic. A
conduta de primeira escolha neste caso é:

A) Iniciar eletroconvulsoterapia.

B) Iniciar tratamento com um antidepressivo.

C) Iniciar tratamento com um antidepressivo e um antipsicótico.

D) Iniciar tratamento com carbonato de lítio e um antidepressivo.

E) Aguardar evolução para conduta farmacológica e encaminhar a paciente para iniciar psicoterapia.

76. Adolescente de 15 anos procura médico com queixa de amenorréia há 4 meses. Refere perda de
20 kg (peso anterior de 60 kg) no último ano, após iniciar regime alimentar. Apesar da perda de
peso, acha que ainda precisa perder "mais uns quilinhos" para chegar ao seu peso ideal. A
respeito desse caso podemos afirmar que:

A) Deve-se investigar o uso de fórmulas de emagrecimento, além de outros comportamentos


orientados à perda de peso.

B) Provavelmente trata-se de um quadro de depressão psicótica caracterizada por idéias de menos


valia acerca do seu corpo.

C) É importante investigar a ocorrência pregressa de surtos psicóticos e a história familiar de


esquizofrenia para a elucidação diagnóstica.

D) Deve-se inicialmente afastar a hipótese de tumor hipofisário, uma vez que estes se apresentam
com grande freqüência em adolescentes do sexo feminino.

E) É importante investigar insuficiência ovariana, que poderia ser responsável pela perda de peso
inicial e pela amenorréia.

77. O enfermeiro Artur Barbosa foi flagrado mantendo conjunção carnal com uma paciente
esquizofrênica no interior de um hospital psiquiátrico. O enfermeiro praticou crime de:

A) Sedução.

B) Estupro.

C) Atentado violento ao pudor.

D) Posse sexual mediante fraude.

E) Ultraje público ao pudor.

78. Menina de 7 anos chega ao Pronto Socorro devido a quadro de tosse intensa e chiado que iniciou
há 1 dia. A criança vinha fazendo uso de teofilina. O exame físico revela ansiedade, sibilos
expiratórios em ambos hemitóraces e FR=60 lpm. O tratamento inicial deve incluir a
administração de:

A) N-acetilcisteína.

B) Epinefrina subcutânea.

C) Fenobarbital parenteral.

D) Penicilina endovenosa.

E) Fluído intravenoso em 2 horas para compensar o déficit volumétrico.

79. O leite de vaca integral, sendo administrado como única fonte de alimento para um lactente de 3
meses, estará oferecendo que substância em excesso?

A) Ferro.

B) Proteína.

C) Ácido linoléico.

D) Vitamina C.

E) Água.

80. Criança de 6 meses, previamente hígida apresenta-se com o seguinte quadro : coriza hialina,
espirros e tosse por dois dias. Outras duas pessoas da família apresentam quadro semelhante. Há
14 horas houve piora da tosse. O exame físico mostra moderado desconforto respiratório com
batimento de asas do nariz, hiper-expansão torácica e sibilos facilmente audíveis, sem roncos. O
diagnóstico mais provável é:

A) Asma.

B) Crupe viral.

C) Bronquiolite.

D) Epiglotite.

E) Difteria.

81. Qual das seguintes características não correspondem a uma desidratação hipernatrêmica, com Na
sérico=170 mEq/l e perda de peso referente a 10%?

A) Convulsão.

B) Hipotensão.

C) Letargia.

D) Sede.
E) Hiper-irritabilidade.

82. Menino de 8 anos apresenta dor abdominal e "rash" cutâneo em membros inferiores e nádegas e
edema articular. Os exames laboratoriais evidenciam proteinúria e micro-hematúria. O
diagnóstico mais provável é:

A) Púrpura de Henoch-Schöenlein.

B) Lúpus eritematoso sistêmico.

C) Glomerulonefrite difusa aguda.

D) Poliarterite nodosa.

E) Dermatomiosite.

83. Qual é a solução de reidratação oral mais aceitável para crianças que se apresentam com diarréia
moderada a severa provavelmente causada por E. coli:

A) Na=10 mEq/l ; K=15 mEq/l ; Cl=25 mEq/l.

B) Na=80 mEq/l ; K=15 mEq/l ; Cl=75 mEq/l ; Bic=30 mEq/l ; G=6 g/100 ml.

C) Na=90 mEq/l ; K=15 mEq/l ; Cl=75 mEq/l ; Bic=30 mEq/l ; G=2 g/100 ml.

D) Na=150 mEq/l ; K=15 mEq/l ; Cl=135 mEq/l ; Bic=30 mEq/l.

E) G=5 g/100 ml em solução salina isotônica (Na=150 mEq/l e Cl=159 mEq/l).

84. Assinale a alternativa correta:

A) Crianças de baixo nível sócio-econômico, com problemas de moradia e alimentação, que


apresentam dificuldades de aprendizagem, devem passar por avaliação neurológica e psicológica,
pois têm grande chance de apresentarem déficit mental.

B) O bebê que acompanha objetos com o olhar, agarrando-os e levando-os à boca, apresenta
conquistas típicas do segundo mês de vida.

C) A partir do sexto mês, a criança é capaz de reconhecer as pessoas a sua volta, sobretudo a mãe,
demonstrando preferências.

D) Aos dezoito meses, a criança não é capaz de compreender uma proibição, sendo comum crises de
birra, que revelam sua contrariedade.

E) O bebê de 11 meses, que chora desesperadamente ao ser tirado do colo da mãe, recusando o colo
de um estranho, poderá apresentar problemas futuros de relacionamento interpessoal, pois já
indica forte dependência da mãe.

85. Assinale dentre as associações abaixo, a única que não apresenta uma relação correta entre a
patologia e o seu agente etiológico provável em pacientes pediátricos:

A) Amigdalite purulenta - Estreptococos beta-parainfluenza.


B) Sinusite aguda - Pseudomonas aeruginosa.

C) Laringotraqueobronquite - Virus beta-parainfluenza.

D) Epiglotite - Haemophilus influenzae tipo b.

E) Abcesso pulmonar - bactérias anaeróbicas.

86. A infecção urinária tem sua prevalência influenciada de maneira importante pela idade e o sexo e
é, na maioria das vezes, causada por bactérias colônicas. É correto afirmar que:

A) A via hematogênica é comum e ocorre especialmente no período neonatal.

B) Nos casos de pielonefrite aguda a droga utilizada para tratamento deve atingir níveis séricos
bactericidas para os agentes habituais, não sendo relevantes os níveis de concentração urinária.

C) O processo inflamatório renal é diretamente determinado pela virulência da bactéria e deve ser
interrompido com o uso de anti-inflamatórios potentes no início do tratamento.

D) Todas as crianças devem ser submetidas a ultra-sonografia abdominal, uretrocistografia


miccional e urografia excretora o mais precocemente possível.

E) São fatores de risco envolvidos na formação de lesões renais : a presença de uropatias obstrutivas
das vias urinárias, de refluxo intra-renal, a idade do paciente e o atraso na terapêutica, entre
outros.

87. A icterícia fisiológica ocorre em aproximadamente 2/3 dos recém-nascidos. É correto afirmar
que:

A) A presença de hematomas, a policitemia e a alimentação precoce são os fatores envolvidos em


sua intensificação.

B) É causada pela menor capacidade de conjugação e excreção pelo fígado imaturo do recém-
nascido e não sofre influência do tipo de alimentação.

C) É causada, entre outros fatores, pela menor captação hepática e pela maior oferta relativa de
bilirrubina indireta ao fígado imaturo do recém-nascido.

D) É causada pela menor capacidade de conjugação de bilirrubina pelo fígado imaturo e a


fototerapia deve ser realizada quando os níveis de bilirrubina excederem 10 mg%.

E) Deve-se à elevação nos níveis de bilirrubina conseqüente ao aumento da circulação entero-


hepática e à menor capacidade de conjugação e excreção, necessitando terapêutica apenas em
prematuros.

88. A glomerulonefrite difusa aguda pós-estreptocócica (GNDA), é uma doença comum na criança e
é um clássico exemplo de síndrome nefrítica aguda. Acerca deste tema, assinale a alternativa
correta:
A) As infecções estreptocócicas do ouvido e orofaringe desencadeiam a maior parte das
glomerulonefrites agudas na infância.

B) A presença de hematúria microscópica estabelece o diagnóstico de glomerulonefrite aguda na


criança de 1 à 5 anos de idade.

C) A ausência de anticorpos anti-estreptolisina-O (ASLO) em níveis elevados, afasta o diagnóstico


de glomerulonefrite aguda.

D) A presença de infecção estreptocócica anterior em criança com edema e hematúria sugere


fortemente o diagnóstico de GNDA, mesmo na ausência de hipertensão.

E) O diagnóstico de certeza de glomerulonefrite difusa aguda pós-estreptocócica é dado pela tríade:


edema, hipertensão e hematúria macroscópica.

89. A anemia falciforme é freqüente em nosso meio e caracterizada por doença hemolítica crônica e
grave, resultante da destruição prematura dos eritrócitos. Relativamente a esta doença, indique a
assertiva correta:

A) A crise dolorosa deve ser tratada com transfusão sangüínea.

B) Quando ocorre osteomielite, a salmonela é um agente etiológico importante a ser considerado.

C) A dactilite ocorre por isquemia de partes moles de mãos e pés em geral em crianças menores de
dois anos.

D) A vacina contra pneumococo deve ser feita em crianças maiores de dois anos e confere ampla
proteção contra esse agente.

E) A crise de seqüestro é mais comum após os cinco anos de idade.

90. Recém-nascido (RN) com 4,350 g de peso de nascimento e 38 semanas de idade gestacional.
Apgar de 7 no primeiro minuto e 9 no quinto minuto. Mãe referia bolsa rota há 24 horas do
parto. Com 4 horas de vida apresentou cianose generalizada e tremores. A hipótese mais provável
é:

A) RN de termo com hiperglicemia e/ou hipocalcemia.

B) RN de termo com hipoglicemia e/ou hipocalcemia e/ou hiponatremia.

C) RN de termo com hipoglicemia e/ou hipocalcemia e/ou hipomagnesemia.

D) RN de termo grande para a idade gestacional, anoxiado com hemorragia intracraniana.

E) RN de termo infectado e com provável comprometimento de SNC.

91. A meningite bacteriana é uma das doenças com maior morbidade dentre as comumente
observadas na criança. Todas as afirmativas abaixo estão corretas, exceto:

A) No período neonatal deverão ser utilizadas a ampicilina e uma cefalosporina de terceira geração,
uma vez que as bactérias Gram negativas e a Lysteria monocytogenes são os agentes mais
envolvidos na sua etiologia.
B) O corticóide deve ser administrado antes da antibioticoterapia e está indicado somente na
meningococcemia grave (crianças abaixo dos 5 anos com petéquias disseminadas).

C) O meningococo é o agente etiológico mais freqüente entre os adolescentes e os adultos jovens.

D) O Haemophilus influenzae é agente freqüente até 4 anos de idade e uma das principais
complicações na fase aguda é a coleção subdural.

E) A profilaxia está indicada em todos os contactantes íntimos de casos de meningite


meningocóccica e deve ser feita com rifampicina, em 2 doses diárias, durante dois dias.

92. Recém-nascido em ventilação mecânica por síndrome da aspiração meconial, com pressão
inspiratória elevada, apresenta pneumotórax à direita, com repercussão clínica. Qual a melhor
conduta?

A) Apenas alterar os parâmetros do respirador, aumentando a concentração de oxigênio (FiO2).

B) Punção pleural esvaziadora com agulha muito fina.

C) Observação e punção pleural esvaziadora com agulha muito fina, somente quando houver
balanço do mediastino.

D) Drenagem pleural.

E) Observação e drenagem pleural, somente quando houver balanço do mediastino.

93. Recém-nascido apresenta à palpação, massa tumoral no flanco esquerdo, indique a afirmativa
correta:

A) Provavelmente trata-se da flexura esplênica do colo, com fezes.

B) Deve obrigatoriamente ser submetido a exame ultra-sonográfico.

C) O primeiro exame de imagem a ser realizado deve ser uma tomografia computadorizada.

D) Está indicada a realização de urografia excretora.

E) Está indicada a realização de urografia excretora e enema opaco.

94. A osmolaridade da urina do recém-nascido adequadamente hidratado deve ser:

A) Menor que a osmolaridade plasmática.

B) Maior que a plasmática devido a excreção obrigatória de solutos do compartimento extracelular.

C) Igual à plasmática, pois o rim não tem capacidade de concentrar a urina filtrada.

D) Os valores são semelhantes aos do adulto.

E) Em torno de 400 mOsm/l.


95. RN do sexo masculino apresenta déficit de movimentação do membro superior esquerdo. Trata-
se do primeiro filho e da primeira gestação que transcorreu sem intercorrências. O RN nasceu de
termo de parto normal e pesando 3750 g. No exame físico observa-se reflexo de Moro negativo a
esquerda, enoftalmia, miose e ptose palpebral a esquerda e membro superior esquerdo está
estendido ao lado do tronco sem movimentação ativa. Qual o diagnóstico provável e o
prognóstico desta lesão?

A) Síndrome de Claude-Bernard-Horner de bom prognóstico.


B) Fratura proximal de úmero e de clavícula.

C) Osteomielite hematogênica aguda do úmero esquerdo de bom prognóstico.

D) Paralisia cerebral do tipo flácido e de mau prognóstico.

E) Paralisia obstétrica com lesão proximal às raízes e de mau prognóstico.

96. Qual a fisiopatogenia da síndrome compartimental e qual o principal sinal no exame físico para o
diagnóstico precoce?

A) Necrose tecidual pelo trauma e diminuição do pulso periférico.

B) Necrose isquêmica dos músculos envolvidos e diminuição da perfusão periférica com cianose de
extremidades.

C) Isquemia de todo o membro por lesão arterial e cianose do segmento acometido.

D) Necrose isquêmica devido à compressão pelos fragmentos ósseos desviados e ausência de pulso
distal à lesão.

E) Isquemia tecidual por aumento de pressão dentro de um compartimento restrito por fáscia e dor à
mobilização da musculatura envolvida (na extensão passiva).

97. Assinale as alterações séricas clássicas do raquitismo:

A) Cálcio baixo, fósforo normal, fosfatase alcalina aumentada.

B) Cálcio normal, fósforo baixo, fosfatase alcalina aumentada.

C) Cálcio alto, fósforo baixo, fosfatase alcalina aumentada.

D) Cálcio baixo, fósforo baixo, fosfatase alcalina diminuída.

E) Cálcio normal, fósforo alto, fosfatase alcalina aumentada.

98. Numa lesão da uretra, distal ao diafragma urogenital, a urina pode fica coletada em:

A) Fossa ísquio-retal.
B) Fossa paravesical.

C) Porção medial da coxa.

D) Espaço retropúblico.

E) Espaço perineal superficial.

99. Durante um atendimento, o médico fica a par do caso de uma criança que sofre castigos
corporais severos provocados pelo pai. Em relação à revelação desse segredo às autoridades
competentes, o médico deve considerá-la como sendo:

A) Obrigatória.

B) Aconselhável.

C) Necessária.

D) Admissível

E) Proibida.

100. Segundo a Constituição do Brasil de 1988, compõem o Sistema único de Saúde (SUS):

A) Somente os serviços públicos de saúde de atenção básica ou de nível primário.

B) Somente os serviços públicos de saúde.

C) Somente os serviços públicos e filantrópicos de saúde.

D) Os serviços públicos, filantrópicos e privados de saúde sem fins lucrativos.

E) Todos os serviços de saúde públicos, filantrópicos e privados.

HCFMUSP 97 Gabarito

1-a 26-d 51-d 76-a


2-c 27-anulada 52-c 77-b
3-b 28-e 53-d 78-b
4-e 29-a 54-a 79-b
5-c 30-e 55-e 80-b
6-a 31-b 56-d 81-c
7-a 32-c 57-a 82-a
8-d 33-d 58-b 83-c
9-e 34-b 59-c 84-c
10-e 35-c 60-b 85-b
11-d 36-c 61-c 86-e
12-d 37-e 62-a 87-c
13-b 38-b 63-a 88-d
14-c 39-c 64-e 89-b
15-d 40-d 65-e 90-c
16-d 41-e 66-a 91-b
17-e 42-e 67-a 92-d
18-d 43-e 68-a 93-b
19-d 44-d 69-c 94-a
20-d 45-c 70-a 95-e
21-c 46-e 71-b 96-e
22-d 47-a 72-a 97-b
23-c 48-e 73-b 98-e
24-e 49-e 74-b 99-a
25-a 50-a 75-a 100-e

Prova de Residência Médica - HCFMUSP - 1998

1. Jovem diabético tipo I, em uso de insulina NPH 40 UI pela manhã e 10 UI à tarde, retorna com
os seguintes exames: glicemia de jejum=280 mg%, glicosúria de 4 períodos: 1º período (6-12
horas)=0,0 g/l; 2° período (12-18 horas)=0,1 g/l; 3º período (18-24 horas)=17,2 g/l; 4° período
(24-6 horas)=5,6 g/l; hemoglobina glicosilada=10% (normal até 8,5%). A melhor conduta será:

A) Aumentar a insulina NPH da manhã.

B) Aumentar a insulina NPH da tarde.

C) Aumentar as duas doses de insulina NPH.

D) Associar insulina regular antes do almoço.

E) Associar hipoglicemiante oral.


2. J.N.M., 25 anos, chegou ao ambulatório com história de asma desde a infância, queixando-se de
dispnéia há 2 dias, com dificuldade para falar. Ao exame físico constatou-se FR=38
incursões/minuto; P=FC=145; tiragem intercostal, com pulso paradoxal (15 mmHg) e murmúrio
vesicular presente com sibilos discretos. Frente a esta crise asmática grave, a melhor conduta
será administrar:

A) B-2 agonista inalatório.

B) Corticóide intravenoso e B-2 agonista oral.

C) Corticóide intravenoso e B-2 agonista inalatório.

D) B-2 agonista e anticolinérgicos inalatórios.

E) Aminofilina e corticóide intravenosos.

3. Jovem de 16 anos, masculino, branco, procedente e natural de São Paulo com história de
hipertensão diagnosticada há 1 mês durante exame médico na escola. Refere que há 1 semana
vem apresentando náuseas, desconforto epigástrico e prurido, contudo não observou nenhuma
lesão na pele. Antecedente de "nefrite" na infância. Nega uso de drogas. Ao exame físico estava
descorado ++/++++ com PA=180x100 mmHg, P=80 (rítmico), sem outras alterações. Caso você
só pudesse pedir 2 exames para confirmar a sua hipótese diagnóstica com rapidez, menor custo e
maior impacto diagnóstico e terapêutico, estes seriam:

A) Glicemia e hemograma.

B) Gasometria arterial e glicemia.

C) Creatinina e potássio.

D) Potássio e ultra-sonografia abdominal.

E) Ultra-sonografia abdominal e uréia.

4. Mulher de 75 anos, com quadro de dispnéia aos esforços, procurou serviço médico onde foi
diagnosticada insuficiência cardíaca congestiva. Recebeu digoxina e piorou do quadro de
dispnéia. Traz consigo resultados de um cateterismo cardíaco que revelou coronárias normais e
aumento da pressão diastólica final do ventrículo esquerdo. Ao examiná-la, notamos paciente
eutrófica, sem edemas periféricos, fígado e baço normais, com ausculta cardíaca de galope a B4
com discreto sopro sistólico em área mitral e crepitações pulmonares finas evidentes. A
radiografia torácica revelou área cardíaca normal e congestão pulmonar (linhas B de Kerley).
Qual seria a causa da insuficiência cardíaca dessa senhora?

A) Disfunção sistólica.
B) Disfunção diastólica.

C) Disfunção valvar mitral.


D) Disfunção aórtica.

E) Disfunção de músculo papilar.

5. Infusão de solução de cloreto de sódio 0,9% é medida terapêutica básica no tratamento de um


paciente que apresente:

A) pH=7,47 pCO2=42 mmHg HCO3=30 mEq/l.

B) pH=7,02 pCO2=19 mmHg HCO3= 7 mEq/l.

C) pH=7,49 pCO2=20 mmHg HCO3=15 mEq/l.

D) pH=7,20 pCO2=50 mmHg HCO3=35 mEq/l.

E) pH=7,20 pCO2=30 mmHg HCO3= 8 mEq/l.

6. Homem de 30 anos tem dor epigástrica rítmica e periódica há 2 anos. A dor desperta-o às vezes
durante a noite. Realizou teste respiratório de uréia marcada com 14 C com resultado positivo,
denotando presença de Helicobacter pylori. A suspeita clínica maior é:

A) Gastrite atrófica.

B) Gastrite erosiva.

C) Gastrite crônica ativa com metaplasia.

D) Úlcera gástrica de pequena curvatura.

E) Úlcera duodenal.

7. Quanto ao uso de codeína para o tratamento da dor crônica de moderada intensidade, é correto
afirmar que:

A) A codeína não costuma produzir sonolência, induzir tolerância e muito menos dependência
física.

B) Quando se comparam doses equivalentes (peso por peso), a ação analgésica da codeína é
aproximadamente a mesma obtida com o uso de ácido acetil-salicílico.

C) O uso crônico da codeína freqüentemente produz diarréia.

D) A codeína pode ser associada com o paracetamol (Tylenol ® ) para uso via oral, mas deve-se
evitar a associação com dipirona devido ao risco de depressão medular.

E) Seu efeito sobre o centro respiratório contra-indica seu uso em pacientes com doença pulmonar
obstrutiva crônica grave.

8. Menino branco de 9 anos vem à consulta por diarréia de 4 evacuações líquidas ao dia há 2 meses.
Tinha antecedentes de conjuntivites, pneumonias e faringites de repetição. Seu exame
protoparasitológico de fezes detectou presença de Endolimax nana, Entamoeba hystolitica,
Giardia lamblia. A coprocultura mostrou Proteus vulgaris. A suspeita maior é:
A) Gastroenterite por Proteus vulgaris.

B) Amebíase típica.

C) Giardíase típica.

D) Imunodeficiência de IgA.

E) Doença imunoproliferativa.

9. Homem branco de 60 anos, tabagista inveterado, foi submetido a endoscopia digestiva alta por
queixas de pirose retroesternal. O exame mostrou esofagite erosiva, epitélio gástrico acima da
transição esôfago-gástrica (esôfago de Barret). A biópsia mostrou metaplasia intestinal
incompleta. Assinale a alternativa correta:

A) Tratamento com bloqueador de receptor histamínico H2 é suficiente.

B) Tratamento com inibidor de bomba protônica é suficiente.

C) O tratamento clínico deve compreender a vigilância endoscópica periódica, pois trata-se de


condição pré-maligna.

D) Está indicada a esofagectomia total pelo risco de neoplasia maligna.

E) O tratamento cirúrgico não deve ser considerado, pois a condição sempre tem evolução benigna.

10. Homem de 60 anos refere diagnóstico de diabetes mellitus há 15 anos. Iniciou uso de insulina
NPH 20 UI SC, pela manhã há 5 anos. Veio ao ambulatório com queixa de sudorese fria e mal-
estar há 1 hora. Ao exame físico apresenta-se pálido, hidratado, taquicárdico e rítmico,
PA=150x100 mmHg, sem outras alterações. A melhor conduta neste momento será:

A) Introduzir beta-bloqueador com retorno ambulatorial em 2 semanas.

B) Fazer uma glicofita e solicitar um eletrocardiograma.

C) Introduzir bloqueador de canal de cálcio e retorno em 2 semanas.

D) Pedir exames gerais e introduzir sulfato ferroso.

E) Encaminhar ao Pronto Socorro para realizar uma transfusão.

11. A concomitância de uso de diurético de alça e vômitos gera:

A) Alcalose mista.

B) Alcalose metabólica simples.

C) Acidose mista.
D) Acidose metabólica simples.

E) Acidose respiratória e acidose metabólica.

12. São complicações da pancreatite crônica:

A) Derrames cavitários, cistos cavitários, obstipação, hipogonadismo.

B) Pseudocistos pancreáticos, síndrome de má-absorção, derrames cavitários, diabetes mellitus.

C) Colecistite aguda, derrames cavitários, esteatorréia.

D) Desnutrição, enterorragia, degeneração maligna, hiperbilirrubinemia indireta.

E) Calcificação pancreática, anemia, secreção inapropriada de hormônio anti-diurético, osteoporose.

13. Homem de 56 anos apresenta há 2 dias tontura giratória acompanhada de náuseas,


principalmente ao tentar se virar na cama ou ao levantar-se ou deitar abruptamente. Nega
alterações auditivas. Refere já Ter tido 2 episódios semelhantes no último ano, de curta duração e
nunca fez nenhuma investigação do quadro. Ao exame não se encontra nistagmo espontâneo e a
manobra de Bárany-Halpike é positiva. Qual a principal hipótese diagnóstica?

A) Síndrome de Méniére.

B) Vertigem posicional benigna.

C) Neuronite vestibular.

D) Hipotensão postural.

E) Lesão de tronco cerebral.

14. Dê a melhor opção terapêutica para os três pacientes abaixo:

XX - 30 anos, mulher branca, hipertensa há 2 anos, refere ser asmática. Tem PA=180x124 mmHg;
está sem medicação e assintomática.

YY - 68 anos, homem negro, hipertenso há 15 anos, coronariopata. Tem PA=156=102 mmHg; está
sem medicação e assintomático.

ZZ - 42 anos, mulher negra, hipertensa há 5 anos, sem outras complicações. Tem PA= 148x112
mmHg : está sem medicação e assintomática.

A) XX- Propranolol e hidroclortiazida; YY- captopril; ZZ- diltiazem.


B) XX- Propranolol; YY- nifedipina ; ZZ- metildopa.

C) XX- Hidroclortiazida ; YY- propranolol ; ZZ- hidralazina.

D) XX- Enalapril ; YY- propranolol; ZZ- hidroclortiazida.


E) XX- Minoxidil ; YY- nifedipina ; ZZ- diltiazem.

15. Mulher de 74 anos apresentou agitação psicomotora intensa durante o seu plantão de enfermaria.
Está internada para investigação de massa abdominal e referia ser fumante por 20 anos, 1
maço/dia. Recebeu duas ampolas de haloperidol intramuscular e 5 mg de diazepam por via oral,
com melhora significativa. Como estivesse muito sonolenta pela manhã foi solicitado uma
gasometria arterial. Qual dos parâmetros abaixo pode explicar a atual situação do paciente?

A) pH=7,42 pCO2=22 pO2=80 HCO3=18

B) pH=7,50 pCO2=20 pO2=82 HCO3=23

C) pH=7,20 pCO2=65 pO2=50 HCO3=32

D) pH=7,10 pCO2=40 pO2=65 HCO3=10

E) pH=7,55 pCO2=38 pO2=65 HCO3=35

16. Qual seria a melhor alternativa ao uso de inibidores da enzima de conversão no paciente com
insuficiência cardíaca congestiva?

A) Bloqueadores de canal de cálcio associados a nitratos.

B) Digoxina e diuréticos.

C) Nitratos com diuréticos.

D) Nitrato com hidralazina.

E) Beta-bloqueador com diurético.

Responda baseado neste caso as questões 17 a 20.

Homem etilista de 1 garrafa de pinga por dia (bebeu ainda ontem), deu entrada no ambulatório
trazido por familiares, com história de insônia, irritabilidade, tremores e dificuldade para escrever há
3 dias. Negava febre ou melena. Dados positivos de exame físico : ictérico ++/++++, descorado +/+
+++, afebril, com sede, língua "careca". Exame neurológico: desorientando têmporo-espacialmente,
com presença de asterix ("flapping"), telangectasias e eritema palmar. Sem sinais localizatórios.
P=FC=80 batimentos/min.; PA=100x70 mmHg : FR = 25 mov./min.; exame cárdio-pulmonar sem
alterações; ascite volumosa; fígado percutível do 6° espaço intercostal direito ao rebordo costal
direito; baço a 2cm do rebordo costal esquerdo; discreta dor à palpação abdominal (difusa);
descompressão brusca indolor, ruídos hidro-aéreos presentes e normais ; membros inferiores sem
edema e sem sinais de empastamento de panturrilhas.
Exames laboratoriais : Hb=10,0 g/dl; VCM=115u3 (com anisocitose e poiquilocitose);
leucócitos=4.200 com desvio à esquerda; plaquetas=70.000; K=4,5 mEq/l; Na=125 mEq/l;
glicose=80 mg/dl; uréia=60 mg/dl; creatinina=1,2 mg/dl; hemoculturas e urocultura negativas ; RX
tórax=normal; albumina=2,0; TP (tempo de protrombina)=30%; TTPA (tempo de tromboplastina
parcial ativada)=60 (normal=25); dilurese=400 ml em 24 hs; bilirrubinas totais=7,0 mg/dl;
bilirrubina direta=6,0 mg/dl; TGO=20 UI; TGP=20 UI.

17. Qual a melhor seqüência de condutas para este paciente?


A) Diempax. Punção de líquido ascítico, bloqueador H2.

B) Endoscopia, furosemida em altas doses, CT de crânio.

C) Expansão rápida (com soro fisiológico), tiazídico e bloqueador H2.

D) Endoscopia, punção de líquido ascítico, bloqueador H2.

E) CT de crânio, eletroencefalograma, vitamina K.

18. Considerando-se os mecanismos de ação e os efeitos colaterais das medicações abaixo, qual seria
a de primeira escolha na prescrição deste paciente se todas estivessem disponíveis?

A) Neomicina.

B) Lactulose.

C) Metronidazol (Flagyl).

D) Vancomicina por via oral.

E) Apenas dieta hipoproteica.

19. Com relação à parte renal deste paciente, a melhor conduta é:

A) Pedir sódio urinário e só tomar a conduta após seu resultado.

B) Fazer uma prova de volume com colóide ou cristalóide.

C) Pedir um ultra-som de rins para avaliação de tamanho renal.

D) Dar somente furosemida.

E) Dar somente espironolactona.

20. Com relação à parte hematológica deste paciente, a melhor conduta é:

A) Esplenectomia.

B) Transfusão de 1 unidade de papa de hemácias.

C) Biópsia de medula óssea.

D) Reposição de ferro + vitamina B12 + ácido fólico.

E) Transfusão de 10 unidades de plaquetas.

21. Paciente de 60 anos, sem nenhum antecedente fora Diabetes Mellitus há 15 anos, em uso de
insulina Iolin NPH 20U SC pela manhã há 5 anos, chega no PS com hipoglicemia prolongada e
severa. Assinale qual é o fator precipitante mais importante a ser afastado neste paciente:

A) Uso de álcool.
B) Alimentação inadequada.

C) Uso de beta-bloqueador.

D) Insuficiência hepática.

E) Insuficiência renal.

22. No tratamento ambulatorial da doença pulmonar obstrutiva crônica a seqüência mais eficaz e
racional de introdução de drogas é a seguinte:

A) Corticóides / beta-2 agonistas / xantinas / anticolinérgicos.

B) Beta-2 agonistas / xantinas / corticóides / anticolinérgicos.

C) Xantinas / beta-2 agonistas / anticolinérgicos / corticóides.

D) Anticolinérgicos / beta-2 agonistas / xantinas / corticóides.

E) Beta-2 agonistas / anticolinérgicos / xantinas / corticóides.

23. Paciente com creatinina de 4,0 mg/dl e hipertensão arterial. A melhor opção terapêutica é:

A) Diurético tiazídico e inibidor da enzima conversora.

B) Diurético poupador de potássio e beta-bloqueador.

C) Simpatolítico de ação central e diurético de alça.

D) Espironolactona e nitrato.

E) Diurético tiazídico e bloqueador de canal de cálcio.

24. Mulher de 24 anos procura endocrinologista dizendo que "deseja emagrecer". Realizou diversas
dietas anteriormente, mas não está satisfeita com o resultado, apesar de Ter perdido 10 kg apenas
no último ano. Tem 1,56 m de altura e 35 kg. Diz que há 6 meses não está menstruando e o teste
para gravidez que realizou deu resultado negativo. O mais adequado seria:

A) Orientar o uso de fórmula emagrecedora até o peso desejado pela paciente.

B) Indicar dietas restritivas porém sob estrita supervisão.

C) Investigar os hábitos alimentares e a presença de distorção de imagem corporal.

D) Encaminhar para tratamento com antidepressivo pois se trata de anorexia secundária a um


episódio depressivo grave.

E) Solicitar um teste de tolerância a glicose.


25. Mulher, 34 anos, deu entrada no Pronto Socorro, com história de cefaléia, febre e confusão
mental há 3 dias e com episódios, com duração de aproximadamente 2 minutos, em que
permanecia parada, com o olhar fixo e com movimentos automáticos mastigatórios. Ao exame,
apresentava-se confusa, febril, com rigidez de nuca ++/++++. A tomografia de crânio mostrou
área hipoatenuante temporal direita, com aspecto expansivo e realce discreto e irregular após a
injeção de contraste. O eletroencefalograma mostrou atividade periódica lenta nas áreas
anteriores. Qual a sua principal hipótese diagnóstica?

A) Endocardite com embolias sépticas.

B) Vasculite com infarto cerebral.

C) Meningoencefalite herpética.

D) Neurotoxoplasmose.

E) Abscesso cerebral em formação.

26. Homem de 70 anos deu entrada no Pronto Socorro com quadro de hemiparesia à esquerda,
completa, desproporcionada, de predomínio braquiofacial, sendo diagnosticado acidente vascular
cerebral isquêmico. No 4° dia de internação, o paciente desenvolve sonolência e piora do déficit
de força. Todas as alternativas abaixo são causas possíveis dessa piora, exceto:

A) Distúrbio metabólico.
B) Edema cerebral.

C) Transformação hemorrágica.

D) Infecção pulmonar associada.

E) Vaso-espasmo.

27. Homem negro de 56 anos, hipertenso mal controlado, deu entrada no Pronto-Socorro com
história de quadro súbito de hemiparesia à esquerda acompanhado de cefaléia, vômitos e
diminuição do nível de consciência. O exame clínico do PS revelava: PA=250x180 mmHg;
coma, hemiparesia completa e proporcionada à esquerda. Qual a sua principal hipóteses
diagnóstica para o quadro e qual o primeiro exame a ser pedido?

A) Acidente vascular isquêmico, tomografia de crânio.

B) Acidente vascular isquêmico, radiografia de tórax e eletrocardiograma.

C) Hemorragia intraparenquimatosa, tomografia de crânio.

D) Hemorragia subaracnóidea, tomografia de crânio.

E) Hemorragia subaracnóidea, exame de líquor.


28. Mulher de 30 anos procura assistência médica com o relato de que não consegue parar de
verificar quantas vezes trancou a porta, lavou a louça e fechou os armários. Acha que isto é um
absurdo e a está impedindo de sair de casa e trabalhar. A medicação de escolha neste caso seria:

A) Clomipramina.

B) Imipramina.

C) Tranilcipromina.

D) Haloperidol.

E) Diazepam.

29. Colhe-se sangue de doadores (voluntários) para fins de abastecer o Hemocentro de um hospital
da rede pública. Todos os testes para detecção de infecções, como hepatite, HIV, etc. são
realizados. A conduta eticamente correta é:

A) Colher-se o sangue, simplesmente, e excluírem-se os contaminados.

B) Informar ao doador, antes da coleta, quanto aos exames que serão realizados, podendo ele, nessas
condições, desautorizar a doação.

C) A mesma situação do quesito anterior, sendo que o doador será compulsoriamente informado
sobre o resultado dos exames.

D) Mesma situação da alternativa B) sendo o doador informado de que, se ele desejar, receberá os
resultados dos exames a que foi submetido.

E) Situação semelhante à da alternativa D), com a diferença de a informação apenas poder ser
passada para a família do doador.

30. Em relação à infecção pelo HIV, podemos afirmar que:

A) A determinação de carga viral não deve ser usada como método diagnóstico.

B) A contagem de linfócito TCD4+ é diretamente proporcional à carga viral.

C) Na fase aguda da infecção o diagnóstico deve ser confirmado através da pesquisa de anticorpos
pelo Western-Blot.

D) O objetivo do tratamento com drogas anti-retrovirais é elevar a contagem de linfócitos TCD8+.

E) A associação de drogas anti-retrovirais deve ser recomendada quando a carga vira for maior do
que 10³.

31. Qual o primeiro exame radiológico a ser realizado na avaliação de um paciente ictérico?

A) Medicina nuclear.

B) Radiografia simples do abdome.


C) Ultra-sonografia.

D) Colangiografia retrógrada.

E) Tomografia computadorizada.

32. O método radiológico que permite melhor avaliação da extensão de uma pancreatite aguda é:

A) Ultra-sonografia.

B) Tomografia computadorizada.

C) Medicina nuclear.

D) Radiografia simples do abdome.

E) Pancreatografia endoscópica.

33. Radiografia simples do tórax com velamento de hemitórax direito e desvio das estruturas
mediastinais para a esquerda, sugere:

A) Atelectasia completa do pulmão direito.

B) Atelectasia completa do pulmão esquerdo.

C) Derrame subpulmonar esquerdo.

D) Derrame pleural à direita.

E) Massa mediastinal.

34. Paciente procura o psiquiatra após ser atendida em serviço de cardiologia. Tem 49 anos, é do
sexo feminino, e há 2 anos vem referindo episódios de, no máximo, 10 minutos de duração onde
se sente tensa, com uma sensação de que "algo terrível irá acontecer" e que são desencadeados
por situações corriqueiras como estar em um engarrafamento de trânsito ou entrar em uma
estação de metrô; por isso, há alguns meses têm evitado estas situações. Não foram encontradas
anormalidades cardiovasculares nos exames que realizou. Na consulta, sem alterações do estado
mental. A conduta em um caso como este deve ser:

A) Orientar não tentar enfrentar situações que possam causar desconforto ou maior ansiedade.

B) Prescrever medicações de forte poder sedativo, como clorpromazina.

C) Encaminhar para uma psicoterapia de longa duração.

D) Caso os ataques sejam freqüentes e graves, iniciar com baixa dose de antidepressivo tricíclico.

E) Orientar o uso prolongado de benzodiazepínicos como lorazepam.

35. Paciente de 35 anos, sexo masculino, procura atendimento com queixas de tristeza constante,
sem motivação aparente, redução de apetite, perda de peso, medo de tomar decisões, que se
iniciaram há 7 meses. Cerca de 5 meses atrás, o seu pai faleceu em um acidente automobilístico,
fato que agravou os sintomas. Ao exame psíquico, apresenta-se com humor deprimido, choro
fácil, bastante preocupado e pessimista em relação ao futuro. O tratamento neste caso deve ser
inicialmente realizado buscando:

A) Priorizar a situação de luto do paciente, através de uma psicoterapia psicodinâmica.

B) Aguardar mais 6 meses para que se resolva a reação depressiva.

C) Introduzir antidepressivo e programar psicoterapia durante a fase de recuperação.

D) Internação imediata por se tratar de um episódio depressivo grave.

E) Prescrever ansiolíticos como diazepam.

36. Num grande trauma de face, sem obstrução das vias aéreas superiores, com várias fraturas e
hemorragia, qual a primeira conduta a ser instituída?

A) Sedação potente imediata.

B) Hemostasia antes da redução das fraturas.

C) Redução das fraturas com hemostasia.

D) Retirada dos fragmentos ósseos e hemostasia.

E) Reposição da volemia.

37. Homem de 37 anos é vítima de ferimento por arma de fogo na fossa ilíaca esquerda. Na
radiografia de perfil o projétil encontra-se localizado ao cóccix. No toque retal evidencia-se
presença de sangue. Durante a laparotomia encontrou-se ferimento transfixante de reto
extraperitoneal. Assinale a melhor conduta:

A) Sutura dos ferimentos, colostomia, drenagem da cavidade.

B) Sutura dos ferimentos e colostomia.

C) Sutura, colostomia, limpeza do colo distal e drenagem da cavidade.

D) Colostomia e drenagem da cavidade.

E) Drenagem da cavidade.

38. Em relação ao plexo venoso pélvico podemos afirma que:

A) O plexo venoso retal apresenta duas diferentes vias de drenagem.

B) O plexo venoso prostático não apresenta comunicação com o plexo venoso vertebral.

C) A hemorróida interna é proveniente de varicosidades de v. retal média.

D) O plexo venoso pélvico contém válvulas.


E) Anastomose porto-sistêmica se faz entre as vv. retal média e inferior.

39. Em ferimento por projétil de arma de fogo no trajeto vascular dos membros podemos afirmar
que:

A) O exame físico é suficiente para afastar lesão arterial.

B) Em pacientes sem sinais clínicos de lesão arterial, deve-se empregar a ecografia-Doppler.

C) Em pacientes com síndrome hemorrágica, deve-se empregar o "duplex-scan".

D) Em paciente com síndrome tumoral deve-se realizar exploração cirúrgica de imediato.

E) A arteriografia deve ser realizada em todos os casos.

40. Não constitui condição de hipercoagulabilidade sangüínea:

A) Deficiência de anti-trombina III.

B) Deficiência de proteína C.

C) Utilização de estrógenos.

D) Deficiência do fator de Von Willebrand.

E) Presença do fator V de Leiden.

41. Paciente com história de queimadura por ácido sulfúrico há 10 minutos. A melhor conduta é:

A) Utilização de uma substância de pH básico para neutralizar o ácido.

B) Não há nada para se fazer pois o ácido tem ação de queimaduras somente imediata.

C) Cobertura local imediata com raion vaselinado.

D) Lavagem exaustiva com água.

E) Uso de pomadas protetivas para o local.

42. Paciente de 35 anos, 70 kg, com 45% de área corpórea queimada, com queimadura de espessura
total circunferencial em tórax, apresenta-se dispneico com queda da saturação de oxigênio
sangüíneo. A primeira medida a ser tomada é:

A) Colher gasometria arterial.

B) Entubação endotraqueal e ventilação mecânica.

C) Escarotomia em tórax.

D) Cricotireoidostomia de urgência e ventilação com oxigênio a 100%.


E) Adequar a reposição de líquidos pois a insuficiência respiratória é causada por distúrbio
hidroeletrolítico.

43. Paciente do sexo masculino, de 65 anos, realizou há 4 dias cirurgia para revascularização do
miocárdio. Evolui porém, no pós-operatório com alteração de comportamento, tenta levantar-se
do leito, confunde o equipamento de monitoração de sinais vitais com um televisor, chama
auxiliares de enfermagem pelo nome de seus familiares. Quando se tenta entrevistá-lo, diz que
não irá falar nada porque há pessoas na enfermaria "querendo assassiná-lo". Qual o diagnóstico
mais provável:

A) Transtorno delirante.

B) Parafrenia tardia.

C) Delirium.

D) Demência de Alzheimer.

E) Depressão psicótica.

44. Paciente em coma (Escala de coma Glasgow 4), anisocórico (midríase à esquerda) é trazido pela
equipe de resgate com intubação orotraqueal, colar cervical, venóclise instalada, porém sem
evidência de outras lesões traumáticas, além do trauma craniano. PA=120x80 mmHg P=98
batimentos/min. A tomografia de crânio, sem contraste, não evidenciou hematomas ou grandes
áreas de contusão, as cisternas pré-pontina, óptico-quiasmática e perimesencefálica e o terceiro
ventrículo estavam com sua anatomia preservada; pequenas áreas hiperatenuantes eram
observadas em corpo caloso, centro semioval e no mesencéfalo. A hipótese diagnóstica mais
provável é:

A) Edema cerebral difuso.

B) Inchaço cerebral difuso.

C) Hipoxemia grave.

D) Embolia gordurosa.

E) Lesão axonal difusa.

45. Assinale a afirmativa correta:

A) As infecções hospitalares de origem endógena são, hoje, de menor importância, em virtude de


seu fácil controle com medidas de proteção anti-infecciosa.

B) Os fungos, em especial o gênero Candida, são os principais agentes de infecção da corrente


circulatória em unidades de terapia intensiva.

C) Uma vez estabelecido o padrão de microrganismos causadores de infecção em um Hospital, a


vigilância epidemiológica pode ser realizada por métodos passivos, como por exemplo, a análise
dos prontuários dos pacientes após a alta.
D) O uso inadequado de antibióticos dentro do Hospital deve ser controlado, embora cada médico
possa prescrever qualquer antimicrobiano para o seu paciente.

E) A padronização e o controle dos procedimentos invasivos, dentro do Hospital, deve ser


recomendada para pacientes imunossuprimidos, exclusivamente.

46. Ao analisar uma colangiografia, intra-operatória, realizada durante uma colecistectomia, o


cirurgião tem uma padronização bem definida em relação à análise das radiografias, ou seja,
àquilo que ele deseja estudar. Uma das alternativas abaixo não está relacionada àquilo que se
procura observar através da colangiografia. Identifique-a:

A) Morfologia do colédoco.

B) Tempo de esvaziamento da vesícula biliar.

C) Morfologia da árvore biliar intra-hepática.

D) Imagens de subtração.

E) Lesões latrogênicas.

47. Adulto, normotenso, bom estado geral, fumante há dez anos, com tosse produtiva necessita ser
operado de herniorrafia inguinal a ser realizada em ambulatório. A anestesia preferencialmente
indicada:

A) Anestesia geral, com intubação traqueal.

B) Anestesia loco-regional, infiltrativa.

C) Raquianestesia, atingindo L3.

D) Peridural contínua.

E) Anestesia geral sem intubação traqueal.

48. Leia as afirmativas abaixo relativas ao refluxo vésico ureteral:

1) No refluxo primário não existe obstrução infra vesical.

2) O tratamento clínico previne a infecção urinária e acelera a cura do refluxo.

3) A intensidade da lesão renal é proporcional ao grau do refluxo.

4) A lesão renal é provocada pela ascensão de bactérias ao parênquima renal e pielonefrite


conseqüente.

5) A cirurgia está recomendada em todos os graus de refluxo.

Escolha a alternativa correta:

A) Nenhuma das afirmativas está correta.


B) Apenas as afirmativas 2 e 3 estão corretas.
C) Apenas as afirmativas 1, 2 e 4 estão corretas.

D) Apenas as afirmativas 1, 3 e 4 estão corretas.

E) Todas as afirmativas estão corretas.

49. Em relação a pneumatocele assinale a afirmação falsa:

A) Freqüentemente são múltiplas.

B) O esvaziamento percutâneo deve ser tentado como tratamento inicial.

C) Podem levar meses para regredir.

D) Do ponto de vista radiológico pode se confundir com cisto congênito de pulmão.

E) Pode causar pneumotórax.

50. Paciente de 56 anos, sexo masculino, tabagista de 20 cigarros por dia, há 20 anos com queixa de
nódulo cervical há 2 meses. Ao exame físico nódulo de 3,0 cm, na cadeia júgulo-carotídea à D,
entre o ângulo da mandíbula e a apófise mastóide. Cavidade oral e orofaringe sem lesões.
Laringoscopia indireta e rinoscopia posterior normais. A melhor conduta inicial é:

A) Biópsia incisional.
B) Biópsia excisional sob anestesia local.

C) Ultra-sonografia com doppler.

D) Anti-inflamatório.

E) Punção biópsia aspirativa por agulha fina.

51. Paciente do sexo feminino, 65 anos, com nódulo na tireóide achado em exame físico, com 2,0 cm
de diâmetro, endurecido, em lobo E. Realizou ultra-sonografia da glândula tireóide que
caracterizou nódulo sólido de 2,0 cm em lobo E e nódulo de 2mm no lobo D, e com laudo final
de "Bócio Multinodular". Das opções abaixo, a melhor conduta seria:

A) Observação clínica.

B) Tratamento com tiroxina em doses supressivas.

C) Tomografia computadorizada para confirmar multinodularidade.

D) Exame citológico de material obtido por punção biópsia aspirativa por agulha fina.

E) Radioterapia.

52. Criança de 6 anos é vítima de queda do balanço, evoluindo com fratura dos ossos do antebraço é
submetida a redução incruenta sob anestesia local e imobilizada com gesso axilo-palmar. Depois
de 3 horas passou a apresentar dor forte no local e principalmente à extensão passiva dos dedos.
Qual a sua primeira hipótese diagnóstica e conduta imediata:

A) Perda da redução e tentativa de uma nova redução, desta vez sob anestesia geral.

B) Osteomielite aguda; drenagem imediata.

C) Síndrome compartimental na face volar do antebraço, fasciotomia imediata.

D) Síndrome compartimental da face volar do antebraço, retirada da imobilização gessada, elevação


do membro e observação cuidadosa.

E) Necrose avascular dos ossos do antebraço, devido ao comprometimento da artéria radial,


devendo ser realizada exploração vascular.

53. Paciente de 74 anos de idade, clinicamente estável, sofreu queda ao solo evoluindo com fratura
do colo femoral com desvio. A opção de tratamento mais adequada é:

A) Tração esquelética ao nível do fêmur.

B) Artroplastia total do quadril, cimentada.

C) Artroplastia parcial do quadril sem cimento.

D) Síntese com placa-parafuso deslizante de Richards.

E) Síntese com pinos de Ender.

54. Paciente de 30 anos, vítima de queda do andaime há 2 horas apresenta dor e deformidade, no
RX: fratura cominutiva do terço médio para distal do úmero. Além de ser obrigatório o exame
vascular da extremidade acometida, deve-se dar especial atenção à função sensitiva e motora do
nervo.

A) Radial.

B) Axilar.

C) Subescapular.

D) Mediano.

E) Cubital.

55. Um editor de jornal, com 50 anos de idade, foi agredido e teve perda completa da visão direita,
sendo que o olho esquerdo é normal. Do ponto de vista médico-legal trata-se de lesão corporal:

A) Leve, pois não houve perda total da visão.

B) Grave por debilidade permanente de sentido.

C) Gravíssima tendo em conta a idade e a profissão da vítima.


D) Leve ou grave na dependência do sofrimento imposto pela lesão tísica e seu tratamento.

E) Grave ou gravíssima dependendo da ocorrência ou não de perigo de vida.

56. Paciente com 25 anos de idade, atendida no PS com queixa de febre alta e dor abdominal intensa,
após Ter permitido manobras abortivas. Ao exame apresentava-se psiquicamente normal.
Reavaliada pela equipe de cirurgia, foi diagnosticado abdome agudo inflamatório. Na
laparotomia de urgência constatou-se peritonite purulenta e perfuração uterina. De acordo com as
leis brasileiras o médico:

A) Deve comunicar de imediato, por escrito, à autoridade policial que se trata de abortamento
provocado.

B) Tem que solicitar transferência da paciente para o hospital penitenciário pois trata-se de crime.

C) Só comunicará o fato à autoridade policial se o responsável pela paciente permitir.

D) Comunicará oportunamente ao Ministério Público, pois se trata de crime contra os costumes.

E) Não tem a obrigação de comunicar o fato à autoridade policial.

57. Com relação à esquistossomose mansoni a seguinte afirmativa é correta:

A) As formas agudas da doença são freqüentes entre nós.

B) Há uma nítida redução do número de pacientes esquistossomóticos que apresentam formas


hepatoesplênicas graves, com hipertensão portal, revelando certo controle da transmissão de S.
mansoni, mesmo em áreas de alta endemicidade.

C) É freqüente o aparecimento precoce de sinais de insuficiência hepática nos casos de


esquistossomose hepato-esplênica.

D) O encontro de níveis de transaminases (AST e ALT) elevados nos pacientes esquistossomóticos é


freqüente e dá-se em decorrência das alterações histopatológicas típicas dessa infecção.

E) As formas pulmonares de esquistossomose instalam-se, via de regra, na ausência de hepato-


esplenomegalia com hipertensão portal.

58. Jovem de 18 anos, sexo feminino, é trazida ao Pronto Socorro com história de cefaléia e febre há
3 dias, além de náuseas e vômitos há 1 dia. Hoje, apresenta-se torporosa e confusa. Ao exame
físico constata-se T=39,5°C, rigidez de nuca +++/++++, à ausculta pulmonar, estertoração
crepitante em base pulmonar direita. É colhido líquor cujo exame revela 1.500 leucócitos/mm³
com 97% de polimorfos nucleares. Proteinorraquia=230 mg/100ml e glicorraquia 12 mg/100ml.
Assinale a alternativa correta:

A) Pelo início abrupto do quadro, o diagnóstico mais provável é o de doença meningocóccica.

B) A terapêutica antibiótica específica deve ser instituída tão logo seja obtido o diagnóstico
etiológico.

C) A terapêutica inicial deve, necessariamente, visar a cobertura de Streptococcus pneumoniae.


D) A participação de Haemophylus influenzae como agente etiológico nesse caso é bastante
provável.

E) A não observação de formas bacterianas no exame bacterioscópio do líquor, através da coloração


de Gram, sugere fortemente o diagnóstico de meningoencefalite tuberculosa.

59. Mulher proveniente do norte de Minas Gerais, com 29 anos de idade, refere febre, fraqueza e
indisposição para o trabalho há 4 meses. Relata também aumento de volume abdominal e
amenorréia há 3 meses. Exame físico : febril, descorada, fígado a 4 cm do rebordo costal direito
e baço a 8 cm do rebordo costal esquerdo, ambos de consistência firme e pouco dolorosos. Com
base nesses dados pode-se afirmar que:

A) A hipótese de calazar deve ser considerada, e o agente etiológico deve ser pesquisado por
hemocultura e urocultura.

B) Se a hipótese de calazar for considerada deve-se iniciar tratamento empírico, uma vez que
dificilmente se consegue demonstrar o agente etiológico.

C) A hipótese de calazar não deve ser considerada porque a paciente é proveniente de zona não
endêmica para calazar.

D) Não há condições de se confirmar o diagnóstico de calazar, uma vez que as condições


hematólogicas observadas nesta doença, contra indicam a punção medular e/ou esplênica para
pesquisa do agente etiológico.

E) Caso se confirme a hipótese de calazar, deve-se levar em conta que as principais complicações
nesta fase da doença são hemorragias e infecções bacterianas secundárias.

60. Considerando as infecções oportunísticas que ocorrem na Síndrome da Imunodeficiência


Adquirida, todas as afirmativas abaixo estão corretas, exceto uma:

A) Em nosso meio a tuberculose é uma das mais freqüentes infecções oportunísticas, com qualquer
nível de CD4+ .

B) Deve-se introduzir profilaxia primária contra Pneumocistose quando os níveis de CD4 forem
menores do que 200 cels/mm³.

C) O diagnóstico de neurotoxoplasmose deve ser confirmado pela presença de anticorpos IgM


antitoxoplasma no líquor.

D) É freqüente a ocorrência concomitante de mais de uma infecção oportunista em pacientes com


AIDS.

E) A leucoencefalopatia multifocal progressiva tem como agente etiológico o virus JC.

61. É admitida no Pronto Socorro uma primigesta com 17 anos, desacordada após quadro compatível
com crise convulsiva generalizada. Ao voltar a si, estava confusa e desorientada. PA= 150x100
mmHg, FC=80 batimentos/min., altura uterina=30 cm, foco presente e rítmico. Pode-se afirmar
que:

A) O diagnóstico mais provável é eclâmpsia e o tratamento com sulfato de magnésio deve ser
instituído imediatamente na dosagem de 4 g EV e 10 g IM.

B) O diagnóstico mais provável é eclâmpsia e, portanto, está preconizada a hidantalização.

C) Deve-se pensar em "overdose" de cocaína que mimetiza em tudo a eclâmpsia, exceto a


hipertensão arterial.

D) Não se pode caracterizar o quadro como sendo de eclâmpsia pois a informação foi fornecida por
outra pessoa que pode ter assistido a um episódio de histeria de conversão.

E) A primeira hipótese é de epilepsia, pois, não há informação da paciente já Ter apresentado


hipertensão arterial.

62. Gestante com 18 anos primigesta e cardiopata, dá entrada no serviço em trabalho de parto com 6
cm de dilatação cervical. Traz um resultado de ecocardiograma que revela estenose mitral de
moderada repercussão hemodinâmica, com área valvar de 1,1 cm2 e com dilatação de átrio
esquerdo. A ausculta pulmonar é normal e a ausculta cardíaca revela bulhas rítmicas e
normofonéticas com sopro sistólico ++ em foco mitral. Pode-se afirmar que a melhor conduta é:

A) Cesárea imediata e anestesia geral.

B) Parto normal sem qualquer tipo de anestesia.

C) Parto normal e anestesia raquidiana.

D) Fórcipe de alívio e anestesia geral.

E) Fórcipe de alívio e anestesia peridural.

63. Gestante com 18 anos de idade, IIG IP, (com parto normal anterior), e idade gestacional de 34
semanas, informa perda de líquido pela vagina há 8 horas. Ao exame físico apresenta uma
contração fraca em 10 min., batimentos fetais=144/min., rítmicos, afebril, apresentação cefálica.
Considerando este caso, indique a afirmativa correta:

A) A ausência de líquido amniótico ao exame especular e a presença das membranas à inspeção


simples ou com o amnioscópio não afasta o diagnóstico de rotura das membranas.

B) A informação de perda de líquido fornecida pela gestante não deve ser valorizada porque em
90% dos casos é falsa.

C) Ao exame especular consegue-se com exatidão fazer a diferenciação entre líquido amniótico,
urina e secreção cervical.

D) A presença de contrações uterinas indica que há infecção ovular.

E) Nesta situação nunca se deve fazer o toque vaginal.


64. Gestante com 20 anos de idade, IIG IP, com um parto normal prematuro anterior, dá entrada no
Pronto Socorro com 30 semanas, em trabalho de parto, sem uma causa aparente, com batimentos
cardíacos fetais (BCF)=132/min., rítmicos e apresentação cefálica, com colo pérvio para 2 cm.
Pode-se afirmar que:

A) Deve-se deixá-la em repouso durante 2 horas, hidratá-la e, em seguida, dar alta.

B) Deve-se receitar uterolíticos por via oral e dispensá-la.

C) Deve-se interná-la, fazer a tocólise endovenosa e, em seguida, administrar corticosteróide.

D) Deve-se interná-la, fazer a tocólise endovenosa e, em seguida, administrar antibiótico profilático.

E) Deve-se interná-la e fazer cesárea em virtude da idade gestacional precoce.

65. Gestante de 35 anos, IIIG com um parto normal anterior e um abortamento, dá entrada no Pronto
Socorro com 40 semanas, sem contrações uterinas, BCF=140 bpm, rítmico, apresentação cefálica
e colo impérvio. Pode-se afirmar que:

A) Trata-se de uma prenhez prolongada.

B) Deve-se iniciar a dosagem seriada do estriol urinário materno.

C) Deve-se iniciar a propedêutica da vitalidade fetal.

D) Deve-se interromper a gestação através de cesárea.

E) Deve-se interromper a gestação através da indução do parto com misoprostol.

66. Uma puérpera após parto normal retorna do Centro Obstétrico com temperatura de 38°C. É
correto afirmar que:

A) Deve-se iniciar a antibioticoterapia para controlar o processo infeccioso.

B) Deve-se avisar o berçário para que o recém-nascido receba profilaticamente antibióticos.

C) O melhor antibiótico para esses casos é a nitrofurantoína.

D) Trata-se de morbidade febril puerperal.

E) Provavelmente não se trata de um quadro infeccioso.

67. Uma paciente de 32 anos de idade, II Gesta e I Para, com um parto normal há 11 anos atrás, dá
entrada no PS com 38 semanas, queixando-se de dor no baixo ventre, com 5 contrações em 10
min., e colo dilatado para 7 cm fino, bolsa íntegra, apresentação cefálica fletida + 1 de DeLee
OEA. Pode-se afirmar que:

A) A paciente está em período expulsivo do trabalho de parto.

B) A apresentação cefálica fletida está insinuada.


C) Deve-se orientá-la a fazer esforço expulsivo em toda contração uterina.

D) O fórcipe já pode ser aplicado.

E) Deve-se orientá-la a ficar na cama em decúbito dorsal horizontal.

68. Durante a gestação normal observa-se:

A) Hipervolemia, aumento do substrato de renina, aumento da angiotensina e aumento da


aldosterona.

B) Hipervolemia, diminuição da angiotensina e aumento da aldosterona.

C) Hipovolemia, aumento do substrato de renina e aumento da aldosterona.

D) Hipovolemia e diminuição da aldosterona.

E) Hipervolemia, aumento de angiotensina e aumento da resistência periférica.

69. Mulher branca com 45 anos, apresenta tumor de ovário com aspectos ultra-sonográficos de
malignidade com cisto de 8 cm de diâmetro, bocelado com áreas sólidas. A variedade mais
provável é:

A) A teratoma imaturo.

B) Cistoadenocarcinoma seroso.

C) Disgerminoma.

D) Cistoadenocarcinoma mucinoso.

E) Tumor de Krukemberg.

70. Paciente com 35 anos apresentando hemorragia genital e diagnóstico de miomatose uterina ao
ultra-som. A variedade deste tumor benigno que mais determina hemorragia genital é:

A) Submucosa.

B) Subserosa.

C) Intramural.

D) Cervical.

E) Ístmica.

71. Paciente com 53 anos de idade, menopausa há 2 anos e sintomas intensos de fogachos,
irritabilidade e depressão. E contra-indicação absoluta para a terapia de reposição hormonal
nessa situação:

A) Sangramento genital não diagnosticado.


B) Hipertensão arterial.

C) Diabetes.

D) Antecedentes de tromboflebite.

E) Enxaqueca ativa.

72. Na fisiologia menstrual, a teoria das duas células inclui:

A) Estímulo das células da teca pelo FSH para a produção de testosterona.

B) Estímulo das células da granulosa pelo LH para a produção de estrona.

C) Estímulo das células da granulosa pelo FSH para a produção de androstenediona.

D) Estímulo das células da granulosa pelo LH para a produção de testosterona.

E) Estímulo das células da teca pelo LH para a produção de androstenediona.

73. O principal fator de risco isolado para o carcinoma do endométrio é:

A) Hipertensão arterial.

B) Diabetes.

C) Terapia de reposição hormonal no climatério.

D) Obesidade.

E) Nuliparidade.

74. A metástase do câncer da mama ocorre mais freqüentemente por via:

A) Linfática.

B) Arterial.

C) Contiguidade.

D) Venosa.

E) Neural.

75. Assinale os patógenos mais freqüentemente determinantes da moléstia inflamatória pélvica


aguda:

A) Micoplasma hominis e Chlamydia tracomatis.


B) Ureaplasma urealiticum e Neisseria gonorrheae.

C) Micoplasma hominis e Neisseria gonorrheae.

D) Neisseria gonorrheae e Chlamydia tracomatis.

E) Ureaplasma urealiticum e Chlamydia tracomatis.

76. Alguns distúrbios respiratórios ocorrem caracteristicamente durante o período neonatal. Acerca
deles podemos afirmar que:

A) A taquipnéia transitória ocorre em recém-nascidos pré-termo e se deve à menor capacidade de


troca de gases.

B) A síndrome de aspiração meconial ocorre freqüentemente intra-útero nos recém-nascidos pré-


termo.

C) A doença de membranas hialinas ocorre em recém-nascidos pré-termo, sendo sua incidência


mais elevada em menores de 34 semanas de idade gestacional.

D) A síndrome de aspiração meconial deve ser evitada, recomendando-se parte cesáreo nos casos de
líquido amniótico meconial.

E) A apnéia no recém-nascido pré-termo é um fenômeno benigno, que não se relaciona com a


existência de doenças de base.

77. Criança com menos de 3 anos, que apresentou infecção de vias urinárias necessita para
seguimento:

A) Proteinúria mensal.

B) Urina tipo I a cada 3 meses.

C) Ultra-sonografia e proteinúria.

D) Ultra-sonografia de vias urinárias e uretrocistografia.

E) Somente uretrocistografia.

78. No diagnóstico laboratorial do raquitismo carencial temos em geral:

A) Cálcio sérico normal, fósforo sérico normal e fosfatase alcalina normal.

B) Cálcio sérico normal, fósforo sérico diminuído e fosfatase alcalina normal.

C) Cálcio sérico elevado, fósforo sérico normal ou levemente diminuído e fosfatase alcalina normal.
D) Cálcio sérico normal, ou levemente diminuído, fósforo sérico diminuído e fosfatase alcalina
aumentada.

E) Cálcio sérico elevado, fósforo sérico diminuído e fosfatase alcalina elevada.

79. Os eventos pubertários no sexo masculino obedecem geralmente à seguinte seqüência:

A) Aumento da pilosidade pubiana, aumento do volume testicular e aparecimento de pêlos faciais.

B) Aparecimento da pilosidade pubiana, aumento do pênis e aumento do volume testicular.

C) Aparecimento da pilosidade pubiana e axilar, aumento do volume testicular e mudança da voz.

D) Aumento do pênis, aparecimento da pilosidade pubiana e aumento do volume testicular.

E) Aumento do volume testicular, aumento do pênis e mudança da voz.

80. A síndrome nefrítica caracteriza-se por:

A) Hipertensão, hematúria macro ou microscópica, edema.

B) Hematúria microscópica, edema, hipercolesterolemia.

C) Elevação de complemento, perda de antitrombina III, hipertensão.

D) Hematúria macroscópica, proteinúria, hipertensão.

E) Infecções recorrentes, hipertensão, edema.

81. Broncopneumonia em lactente com 6 meses de idade apresenta como agentes etiológicos
principais:

A) S. aureus, Gram negativo, Streptococcus do grupo B.

B) Streptococcus pneumoniae, H. influenzae, Moraxella.

C) Clamidia, Mycoplasma, Ureaplasma.

D) H. influenzae, S. pneumoniae, vírus.

E) Vírus sincicial respiratório, Listeria, S. Pneumoniae.

82. Lactente de 4 meses de idade chega ao Pronto Socorro com história de diarréia há 5 dias, com
fezes líquidas e muco, várias vezes ao dia. Não mamou nada nas últimas 8 horas e vomitou 2
vezes. Ao exame físico constatou-se mucosas secas, fontanela deprimida, choro sem lágrimas,
pulso fino, fluxo periférico maior que 10 segundos e alteração da consciência. A conduta correta
na sala de emergência é:
A) Tentar hidratação oral por pelo menos 2 horas.
B) Expansão endovenosa com bicarbonato de sódio na velocidade de 10ml/kg/hora.

C) Expansão endovenosa com soro glicosado e soro fisiológico 1/2:1/2 na velocidade de 50


ml/kg/hora.

D) Colher gasometria, sódio e potássio, aguardar os resultados e, de acordo com os mesmos,


prescrever um soro de expansão endovenoso.

E) Colher gasometria e iniciar expansão endovenosa com bicarbonato de sódio na velocidade de 10


ml/kg/hora.

83. Em relação, à qualidade e época de introdução dos alimentos não lácteos, na dieta da criança, as
seguintes alternativas são verdadeiras, exceto uma:

A) A introdução de frutas (sucos e papas) tem como finalidade garantir o aporte de vitamina C e
regular o hábito intestinal, pelo aporte de fibras.

B) A 1° sopa deve ser introduzida aos 6 meses de vida, para a criança em aleitamento artificial ou
misto, para suprir as necessidades proteico-calóricas e de ferro, que aumentam nessa época.

C) A gema de ovo, as hortaliças, e as leguminosas contêm ferro não-heme, cuja biodisponibilidade é


menor do que a do ferro heme, presente nas carnes.

D) A gema de ovo contém vitaminas A, D e E e deve ser recomendada, ao redor dos 3 meses de
idade, para a criança em aleitamento artificial.

E) A clara de ovo deve ser iniciada ao redor de 10 meses de idade.

84. Bradicardia na urgência pediátrica é mais freqüentemente devida a:

A) Hipoxemia.

B) Hipovolemia.

C) Acidose metabólica.

D) Alteração de condução átrio-ventricular.

E) Hipertensão intracraniana.

85. A sífilis congênita é uma doença de notificação compulsória e sua incidência aumentou
dramaticamente na década de 80, mesmo em países desenvolvidos, como conseqüência do
aumento da sífilis na mulher em idade fértil, a despeito de o tratamento ser eficiente e simples, e
existir há mais de quatro décadas. Sobre este assunto, indique a afirmativa correta:

A) O uso de drogas, especialmente do "crack", não interfere no comportamento epidemiológico


dessa doença.

B) A aquisição de sífilis há menos de quatro anos, em mulheres não tratadas, confere um risco maior
em transmissão da doença ao feto.
C) Os recém-nascidos acometidos são freqüentemente assintomáticos ao nascimento, mas
desenvolverão a doença até o segundo mês de vida.

D) O tratamento da gestante, quando indicado, poderá ser realizado com penicilina ou eritromicina,
o que resultará no tratamento concomitante do feto.

E) O recém-nascido com suspeita de sífilis congênita deverá ser colocado em isolamento por 24
horas após o início da terapêutica.

86. A hipoglicemia neonatal é uma alteração metabólica freqüentemente observada nos primeiros
dias de vida. A respeito dela, as seguintes afirmativas são corretas, exceto:

A) A incidência desta alteração varia de acordo com a população estudada, sendo elevada entre os
recém-nascidos com retardo de crescimento intra-uterino.

B) Os prematuros e os recém-nascidos de termo são vulneráveis às interferências negativas da


hipoglicemia para o desenvolvimento neurológico.

C) A hipoglicemia manifesta-se com cianose e tremores, podendo levar a alterações respiratórias,


como apnéia, letargia e até convulsões.

D) O controle da glicemia deverá ser realizado apenas se houver sintomas, uma vez que a
hipoglicemia assintomática é bastante rara no período neonatal.

E) A hipoglicemia pode ocorrer concomitantemente a outros distúrbios como a hipocalcemia ou


hipomagnesemia.

87. Criança com 12 horas de vida e icterícia Zona II, leve a moderada e com bilirrubina indireta
(BI)=10 mg/dl. A tipagem sangüínea da mãe é "O Rh negativo" e do recém-nascido (RN) é "A
Rh positivo" ; Coombs direto positivo e Eluato positivo. Você está de acordo que trata-se de:

A) Incompatibilidade Rh, devendo-se só realizar exames seriados de BI.

B) Incompatibilidade Rh e devemos indicar fototerapia.

C) Incompatibilidade A-O, além da Rh, e devemos indicar exsanguíneo-transfusão.

D) Incompatibilidade A-O e devemos indicar fototerapia e exames seriados.

E) Incompatibilidade A-O, sem indicação de fototerapia, apenas realização de exames seriados.

88. A prevenção do sarampo para crianças sadias deve seguir o seguinte calendário. Assinale a
alternativa correta:

A) Primeira dose com vacina de vírus inativado aos 6 meses e segunda dose com vacina de vírus
inativado aos 15 meses de idade.
B) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 6 meses e segunda dose, com vacina de
vírus vivos atenuados aos 2 anos de idade.

C) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 6 meses e segunda dose, com vacina de
vírus inativos aos 18 meses de idade.

D) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 9 meses e segunda dose, com vacina de
vírus vivos atenuados aos 15 meses de idade.

E) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 9 meses e segunda dose, com vacina de
vírus inativado aos 18 meses de idade.

89. As características da população brasileira obtidas no último Censo foram:

A) Aumento da taxa média de crescimento populacional e crescente velocidade de expansão das


áreas metropolitanas.

B) Estabilização da taxa média de crescimento populacional e diminuição da taxa de urbanização.

C) Estabilização da taxa média de crescimento populacional, acompanhada por uma acentuada


migração interna.

D) Desaceleração da taxa média de crescimento populacional para os estratos sociais de maior renda
e aceleração da taxa média de crescimentos populacionais para os estratos-sociais de baixa renda.

E) Rápida desaceleração da taxa média de crescimento populacional em decorrência de intensas


modificações ocorridas no comportamento reprodutivo das mulheres brasileiras.

90. O ensaio clínico é considerado o melhor tipo de estudo epidemiológico para fornecer evidência
de eficácia de um tratamento. A principal razão é porque nesse tipo de estudo:

A) São comparados pacientes que recebem um tratamento novo com pacientes que recebem placebo
(ou tratamento habitual).

B) São evitados vícios de observação, já que os profissionais que avaliam os participantes


desconhecem o tratamento recebido.

C) Se o número de participantes não for pequeno, a alocação aleatória permite que os grupos
estudados sejam semelhantes, exceto quanto ao tipo de tratamento recebido.

D) Os participantes são acompanhados prospectivamente, e o desfecho ocorre após a inclusão,


evitando vício de seleção.

E) Os vícios de informação são evitados, pois os participantes desconhecem o tratamento recebido.

91. Coeficientes de mortalidade infantil (CMI) e seus componentes (CMI tardia e CMI neonatal) por
1.000 nascidos vivos em algumas Regiões Administrativas do Estado de São Paulo - 1992 e
1995:

CMI neonatal CMI tardia CMI total


Região
A partir da análise destas informações é possível afirmar que:

A) Os valores dos coeficientes de mortalidade neonatal e infantil tardia encontrados no Estado de


São Paulo, são semelhantes àqueles dos países desenvolvidos.
B) Os valores elevados dos coeficientes de mortalidade neonatal indicam o predomínio, como causa
de morte, das causas perinatais.

C) A mortalidade infantil tardia tem apresentado maior dificuldade na sua diminuição do que a
mortalidade neonatal, por depender de grandes transformações econômicas.

D) Os valores elevados dos coeficientes de mortalidade neonatal decorrem da freqüente declaração


como nascido vivo, e posterior óbito neonatal de casos que se constituem na realidade em óbitos
fetais.

E) Os coeficientes de mortalidade infantil nos grandes centros urbanos não refletem mais as
mudanças nas condições de saúde da população.

92. São características da atual estrutura de organização dos serviços de saúde no Brasil:

A) A segmentação na prestação da assistência e no acesso aos serviços, a ausência de controle


público e a separação entre ações de saúde individuais e coletivas.

B) A presença de apenas um único sistema de saúde com presença majoritária dos serviços
governamentais no nível secundário de atendimento.

C) A segmentação na prestação da assistência e no acesso aos serviços e o efetivo controle público


sobre os serviços assistenciais.

D) A presença de um único sistema de saúde integrando as ações individuais e coletivas e com


presença majoritária dos serviços privados na atenção primária.

E) O acesso universal e igualitário em todas as modalidades de produção de serviços de saúde.

93. Um estudo foi realizado para avaliar o efeito de uma vacina para pneumococo em indivíduos
com idade igual ou superior a 65 anos. Foram incluídos 800 indivíduos nessa faixa etária :
metade recebeu a vacina, metade recebeu placebo. Os médicos responsáveis pelo seguimento
desses indivíduos decidiram quais receberiam a vacina e quais receberiam o placebo. Para a
análise do efeito da vacina, definiu-se como desfecho o óbito por qualquer causa. Após um ano,
ocorreram 30 mortes no grupo que recebeu a vacina e 20 mortes no grupo que recebeu o placebo.
Os médicos que assinaram os atestados de óbito sabiam se o indivíduo havia recebido a vacina
ou placebo. Assinale a alternativa correta:

A) A alocação não aleatória dos indivíduos para os dois grupos poderia explicar o resultado
encontrado.

B) O risco relativo de morte para o grupo "vacina" comparado com o grupo "placebo" foi 0,67.

C) Realizou-se um estudo epidemiológico de coorte prospectivo.

D) Em um estudo observacional desse tipo, resultados inesperados decorrem em geral de vícios de


informação.
E) A diferença quanto ao número de óbitos entre os dois grupos pode ser devido ao fato dos
médicos que assinaram os atestados de óbito saberem se o indivíduo havia recebido a vacina ou o
placebo.

94. Assinale a alternativa correta : visando evitar complicações e diminuir a mortalidade por doenças
cardiovasculares, pode-se afirmar que as ações de um Programa de Saúde devem:

A) Ter conteúdo educativo e centrar-se no atendimento aos hipertensos graves.

B) Privilegiar apenas os aspectos educativos, por serem de menor custo.

C) Deter-se no tratamento dos hipertensos graves já que a cobertura de atendimento para todos os
hipertensos na população adulta é praticamente impossível.

D) Levar em conta os aspectos educativos, identificando e atendendo subconjuntos de maior risco


como os hipertensos, diabéticos e dislipidêmicos.

E) Priorizar as regiões de maior prevalência de um país.

95. Para estudar o possível efeito da exposição a campo magnético, no desenvolvimento de


neoplasias malignas, foram acompanhadas durante 10 anos 10.000 pessoas expostas e 20.000
não expostas. Ao fim desse período, foram detectados 100 casos de câncer entre os expostos e
100 entre os não expostos. Assinale a alternativa correta:

A) O risco relativo de desenvolver câncer comparando-se o grupo exposto com o não exposto foi
igual a 100 por 10.000 pessoas.

B) O risco relativo de desenvolver câncer comparando-se o grupo exposto com o não exposto foi
igual a 100 por 10.000 pessoas/ano.

C) No grupo exposto, o risco atribuível à exposição foi igual a 2.

D) No grupo exposto, o risco atribuível à exposição foi igual a 50 por 10.000 pessoas.

E) Não é possível calcular o risco relativo nesse tipo de estudo.

96. Comparado ao estudo caso-controle, em geral o estudo de coorte é:

A) Mais barato e pode ser completado mais rapidamente.

B) Mais eficiente para o estudo de doenças que se desenvolvem lentamente.

C) Mais eficiente para o estudo de doenças raras.

D) A relação temporal entre exposição e doença é melhor definida.

E) Mais sujeito a bias (vício) de seleção.

Com base no enunciado a seguir, responda as questões 097 e 098.

Para se avaliar o papel de alguns fatores na ocorrência de queda em idosos, foram estudados 1052
indivíduos com idade superior a 65 anos : 467 com episódio de queda nos últimos três meses e 691
sem episódio. Na tabela a seguir são mostrados os "odds ratios" (OR, razão de chances) de queda, e
intervalos de confiança de 95% (IC 95%), associados aos fatores selecionados :

Fator OR* (IC95%)


Dependentes em atividades cotidianas 2,3 (1,6-3,3)
Andar duas horas ou mais por dia 0,5 (0,4-0,8)
Doença Mental 2,7 (1,9-3,8)
Glaucoma 0,9 (0,6-1,4)
Cardiopatia 1,2 (0,8-1,7)

*OR é sempre em relação aos indivíduos sem o fator.

97. Assinale a alternativa correta:

A) O OR de queda associado à glaucoma foi subestimado, uma vez que o IC 95% é muito amplo.

B) Todos os fatores selecionados estiveram associados a um maior risco de queda.

C) Os seguintes fatores apresentaram risco estatisticamente significante de queda: dependente em


atividades cotidianas, doença mental e cardiopatia.

D) Nenhum fator protegeu contra queda, uma vez que todos os limites inferiores dos IC 95% foram
superiores a 0,3 .

E) Andar duas horas ou mais por dia foi um fator protetor de queda.

98. A investigação foi do tipo:

A) Ensaio clínico.

B) Caso-controle.

C) Coorte prospectivo.

D) Coorte retrospectivo.

E) Transversal.

99. Em relação às tendências recentes da mortalidade no Município de São Paulo, assinale a


alternativa correta:

A) Queda na mortalidade por doenças isquêmicas do coração; queda na mortalidade por causas
externas; queda na mortalidade por neoplasias.

B) Aumento na mortalidade por doenças isquêmicas do coração; aumento na mortalidade por causas
externas; aumento na mortalidade por neoplasias.

C) Manutenção na mortalidade por doenças isquêmicas do coração; manutenção na mortalidade por


causas externas; manutenção na mortalidade por neoplasias.
D) Queda na mortalidade por doenças isquêmicas do coração; manutenção da mortalidade por
causas externas; manutenção da mortalidade por neoplasias.

E) Queda na mortalidade por doenças isquêmicas do coração; aumento na mortalidade por causas
externas; manutenção da mortalidade por neoplasias.

100. No Brasil, em 1995, foram pagas pelo INAMPS 12.646.200 internações, através das AIH -
Autorização de Internação Hospitalar. Estas internações:

A) Compõem a totalidade das internações hospitalares, realizadas no Brasil, naquele ano.

B) Têm aumentado em número nos últimos anos de forma consistente.

C) Tiveram como primeira causa de internação os partos e complicações relacionadas à gravidez,


parto e puerpério e em segundo lugar as doenças do aparelho respiratório.

D) Apresentam taxas de mortalidade hospitalar muito baixas para as afecções originadas no período
neonatal.

E) Mostram uma presença reduzida de internações por doenças infecciosas e parasitárias.


HCFMUSP 98 Gabarito

1-c 26-e 51-d 76-c


2-c 27-c 52-d 77-d
3-e 28-a 53-b 78-d
4-b 29-d 54-a 79-e
5-a 30-a 55-b 80-a
6-e 31-c 56-e 81-d
7-anulada 32-b 57-b 82-c
8-d 33-d 58-c 83-b
9-c 34-d 59-e 84-a
10-b 35-c 60-c 85-b
11-b 36-e 61-a 86-d
12-b 37-c 62-e 87-c
13-b 38-a 63-a 88-d
14-d 39-b 64-c 89-e
15-c 40-d 65-c 90-c
16-d 41-d 66-e 91-b
17-d 42-c 67-b 92-a
18-b 43-c 68-a 93-a
19-b 44-e 69-b 94-d
20-d 45-d 70-a 95-d
21-b 46-b 71-a 96-d
22-e 47-b 72-e 97-e
23-a 48-d 73-d 98-b
24-c 49-b 74-a 99-e
25-c 50-e 75-d 100-c
Prova de Residência Médica - HCFMUSP - 1999

1. Das drogas citadas abaixo, qual tem o maior impacto na redução da mortalidade pós-infarto do
miocárdio?

A) Aspirina

B) Heparina intravenosa.

C) Bloqueador de canais de cálcio tipo diltiazem.

D) Nitroglicerina sublingual.

E) Inibidores de enzima de conversão da angiotensina.

2. Um paciente portador do vírus HIV é internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no 1° dia
de hospitalização com insuficiência respiratória aguda por pneumonia lobar. O agente etiológico
mais provável é:

A) Pneumocystis carinii

B) Vírus sincicial respiratório.

C) Mycobacterium tuberculosis.

D) Streptococcus pneumoniae.

E) Staphylococcus aureus.

3. Paciente de 73 anos, tabagista, refere dispnéia há com piora há 1 dia. Em uso de captopril,
furosemida, e digoxina. Ao exame físico: cianótica, taquidispneica, com estase jugular 1+/4+ a
45° . PA=90x60 mmHg, FC=70 bpm. Roncos pulmonares com sibilos. Discreto edema em
membros inferiores. ECG com fibrilação atrial, BDAS e BRD. Gasometria arterial com FR=40;
pH=7,26; pCO2=68, p)2=53 (90%); HCO3=41. Procedida intubação orotraqueal e conectada a
ventilador a pressão com: FR=20; VC=10 ml/kg ; FiO2=40% e PEEP=zero. Gasometria em
ventilador: pH=7,67; pCO2=36; pO2=67 (91%); HCO3=37; Você conclui que:
A) A paciente apresentava acidose respiratória não compensada evoluindo para alcalose de padrão
misto.

B) A paciente apresentava alcalose metabólica não compensada e o ventilador auxiliou na redução


do bicarbonato sérico.

C) Era necessária a administração imediata de bicarbonato EV.

D) Estava ocorrendo "shunt" em ambas gasometrias, senso que o "drive" respiratório aumentos após
a ventilação mecânica.

E) Era necessário administrar ácido EV (HCl ou NH4Cl) após ventilação mecânica.

BDAS = bloqueio da divisão ântero-superior do ramo esquerdo


BRD = bloqueio do ramo direito
PEEP = pressão expiratória final positiva

4. Paciente etilista e tabagista, há 4 horas apresentando confusão mental, náusea, vômitos,


"tremedeira" e dor epigástrica. Refere pequena ingestão alcoólica há 24 h. Ao exame físico :
ictérico, confuso, consciente. Tremor distal, sudorese. PA=170x100 mmHg. FC=120 bpm
(rítmica), T+36,5°C. Fígado palpável a 2 cm do rebordo costal direito, doloroso; epigástrio
doloroso à compressão e descompressão, ruídos hidro-aéreos +. Toque retal: fezes normais.
Dextro=120 mg%. Sua conduta seria:

A) Neomicina, glicose 50%, lactulose.

B) Tiamina, metronidazol, soro fisiológico EV.

C) Propranolol, diazepam, bloqueador H2.

D) Cimetidina, metoclopramida, endoscopia digestiva alta.

E) Clindamicina, ceftriaxona, soro fisiológico, hepatodiet.

5. Das drogas abaixo assinale a que mostrou aumento da sobrevida em pacientes com insuficiência
cardíaca congestiva:

A) Dinitrato de isossorbida.

B) Digoxina.

C) Furosemida.
D) Ácido acetil-salicílico.

E) Inibidor de enzima conversora da angiotensina.

6. Qual dos pacientes abaixo apresenta uma emergência hipertensiva?

A) Senhora de 65 anos, obesa, hipertensa e diabética há 20 anos, vai visitar a mãe na UTI e fica
muito emocionada, apresenta tontura e é levada ao PS, onde se constata PA=210x120 mmHg; o
restanto do exame físico com exceção da obesidade é normal.

B) Jovem de 12 anos refere que há 15 dias teve impetigo; ontem acordou com as pálpebras
edemaciadas e hoje não conseguiu praticar educação física por dispnéia. Ao exame físico
observaram-se PA=160x100 mmHg, pulmões livres, fundo de olho normal.

C) Senhor de 72 anos, revascularizado do miocárdio há 2 anos, refere dor retroestemal há 3 horas.


Seu exame físico revela PA=210x130 mmHg e o pulso : diminuídos em membros superiores e
não palpáveis em membros inferiores.

D) Moça lúpica de 22 anos, há 1 semana fez todos os exames para avaliação de atividade da doença
que foram normais; hoje refere cefaléia e PA=180x10- mmHg.

E) Senhora de 48 anos, portadora de estenose aórtica devido ao cardite reumática, refere tontura
rotatória e vômitos desde hoje cedo, PA=180x105 mmHg.

7. Paciente de 58 anos, portador de diabetes mellitus há 20 anos, usa insulina NPH subcutânea 45 U
antes do café e 15 U antes do jantar. Retorna ao ambulatório com peso de 70 kg e índice de
massa corpórea de 30 kg/m². Traz os seguintes exames : glicemia=180 mg% e glicosúrias : 6 às
12 h - 0; 12 às 18 h - 12g ; 18 às 0 h - 6g ; 0 às 6 h - 0 e hemoglobina glicosilada de 11 (normal
até 8,5). A melhor conduta a ser tomada é:

A) Aumentar a NPH da manhã e da noite.

B) Aumentar apenas a NPH da noite.

C) Associar insulina regular antes do café e jantar.

D) Aumentar a NPH da manhã.

E) Aumentar a NPH da manhã e associar insulina regular antes do jantar.

8. Paciente de 30 anos tem procurado atendimento médico semanal desde que se mudou para São
Paulo há 4 meses, queixando-se de dispnéia intensa e chiado que melhoram parcialmente com
medicamentos que usa no PS, persistindo com sintomas inclusive à noite. Refere que desde a
infância tem esses sintomas, mas eram esporádicos. Qual a proposta medicamentosa para esse
paciente?

A) Corticosteróide inalatório e teofilina.

B) b2-agonista inalatório de longa duração e corticosteróide inalatório.


C) Corticosteróide oral e b2-agonista inalatório de longa e curta duração.

D) b2-agonista inalatório de longa duração e teofilina.

E) Brometo de ipatrópio e b2-agonista inalatório de curta duração.

9. Homem de 72 anos, queixa-se de sonolência profunda durante o dia e dificuldade de se


concentrar há mais ou menos 12 meses, tendo emagrecido 10 kg no período (refere não ter
apetite). Apesar da sonolência apresenta despertar precoce. Sente-se triste na maior parte do
tempo e a filha refere que desde a morte da esposa (há 12 meses) está assim, piorando
progressivamente, falando às vezes que já não vê motivo para continuar vivendo e tem falado em
se mater. Apresenta também diminuição do jato urinário e gotejamento terminal. O exame físico
é praticamente normal e o toque retal mostra próstata aumentada, de consistência fibroelástica.
Qual a melhor conduta?

A) Investigar quadro prostático e introduzir fluoxetina 20 mg/dia.

B) Encaminhar ao urologista para investigação da próstata e encaminhar para realização de


psicoterapia comportamental.

C) Introduzir amitriptilina 25 mg e aumentar progressivamente até 100-150 mg/dia.

D) Encaminhar ao neurologista para tratamento da síndrome demencial.

E) Introduzir indutor do sono, benzodiazepínico e solicitar PSA e ultra-som de próstata.

10. Mulher de 32 anos, queixa-se de episódios de taquicardia e dispnéia, acompanhados de dor


torácica em aperto, de freqüência variável, sem desencadeantes evidentes (acontece em repouso,
ao caminhar, assistindo televisão) há aproximadamente 12 meses, acompanhados de sensação de
morte iminente, o que está preocupando muito a mesma. Os episódios duram até 15 minutos,
com resolução espontânea. Sem antecedentes pessoais ou familiares dignos de nota. Não é
tabagista e consome álcool em pequenas quantidades. Já procurou vários médicos, tendo feito
vários eletrocardiogramas, todos normais, mas sem solução do caso. O exame físico é normal.
Qual a melhor conduta?

A) Introduzir benzodiazepínicos (diazepam 30 mg/dia).

B) Solicitar teste ergométrico e introduzir b-bloqueador.

C) Introduzir amitriptilina (iniciar com 25 mg e aumentar até 100 a 150 mg).

D) Introduzir diclofenaco dissódico 75 mg diários.

E) Orientar uso de calor local e massagens.

11. Paciente de 50 anos, hipertenso há 15 anos, apresentou quadro súbito de vertigem com cefaléia
latejante, náusea e vômito (nunca teve quadro similar prévio). Ao exame físico: manobra de
Bárany induz nistagmo vertical e há alteração da prova index-nariz à direita. Ao fechar os olhos,
o paciente cai após período de dez segundos de latência. A primeira hipótese é:
A) Vertigem periférica.
B) AVC de cerebelo.

C) Déficit de propriocepção.

D) Enxaqueca vertebro-basilar.

E) Doença de Meniére.

12. Um paciente obeso, fumante crônico e sedentário, tem queixas de dispnéia de esforço, tosse
crônica produtiva e chiado no peito há 3 anos. Está com expectoração esverdeada há 2 dias e
apresenta-se cianótico, dispnéico, pletórico e com edema de membros inferiores, estável
hemodinamicamente. Após administrar O2 por catéter 5 l/min, a gasometria mais provável será:

A) pH=7,55, pCO2=22, pO2=60, HCO3=33.

B) pH=7,48, pCO2=20, pO2=48, HCO3=23.

C) pH=7,40, pCO2=45, pO2=48, HCO3=33.

D) pH=7,15, pCO2=65, pO2=80, HCO3=10.

E) pH=7,18, pCO2=70, pO2=85, HCO3=35.

13. Mulher de 70 anos, diabética e hipertensa apresenta lombalgia há 6 meses e vem tomando por
conta própria diclofenaco sódico 200 mg/dia. A paciente procura o ambulatório com história de 1
mês de astenia progressiva, sem febre, com náuseas, vômitos biliosos, sem relação com
alimentação. Há 3 semanas relata dispnéia paroxística noturna e discreto edema pré-tibial. Esta
descorada 2+/4+ com PA= 160x100 mmHg. Sua conduta nesse momento seria:

A) Manter a conduta com relação a lombalgia e associar cisaprida e bloqueador de canal de cálcio.
Retorno em 1 semana.

B) Manter a conduta com relação a lombalgia e associar metoclopramida, omeprazol e diurético


tiazídico. Retorno em 2 semanas.

C) Manter a conduta com relação a lombalgia e associar digoxina e furosemida. Retorno em 1


semana.

D) Solicitar internação e pedir eletroforese de proteínas, creatinina e eletrocardiograma.

E) Pedir tomografia de região lombar, creatinina, associar inibidor de enzima conversora. Retorno
em 1 semana.

14. Homem de 55 anos procura o ambulatório com queixa de artrite em tornozelo direito, sem febre
há 2 dias, sem trauma local. O que preocupa o paciente é o medo de ficar uma deformidade, pois
sua mãe tem artrite reumatóide. Ao exame físico, bom estado geral, PA=164x92 mmHg, FC=76
bpm, índice de massa corpórea=28 kg/m², observa-se artrite em tornozelo direito, com
importante edema, eritema, calor e dor que dificulta a palpação do local. Sem outra alterações de
exame. Assinale a alternativa que apresenta a melhor associação de hipótese diagnóstica, conduta
diagnóstica e conduta terapêutica:

A) Osteoartrose, VHS, radiografia da articulação e anti-inflamatório não hormonal.

B) Gota, ácido úrico, punção articular e anti-inflamatório não hormonal.

C) Artrite paraneoplásica, eletroforese de proteínas, punção articular e analgésico.

D) Artrite reumatóide monoarticular, fator reumatóide, VHS e anti-inflamatório não hormonal.

E) Artrite gonocóccica, punção articular, proteína C reativa e penicilina.

15. Paciente do sexo masculino, 52 anos, apresenta quadro de tosse com expectoração com laivos de
sangue e febre há 2 dias. Ao exame físico : regular estado geral, T=39,5°C, PA=120x80 mmHg,
FC=112 bpm, FR=28/minuto, anictérico, desidratado 1+/4+. A ausculta pulmonar evidenciou
submacicez e estertores crepitantes no 1/3 médio e inferior do hemitórax direito. Qual a melhor
conduta a ser adotada?

A) Solicitar RX de tórax e introduzir b-lactâmico.

B) Solicitar pesquisa de BAAR e PPD.

C) Solicitar exame de escarro com coloração pelo Gram e hemograma completo.

D) Solicitar sorologia para Mycoplasma pneumoniae e introduzir antibiótico do grupo dos


macrolídeos.

E) Administrar benzilpenicilina e reavaliar após 48 horas.

16. Na paracoccidioidomicose é correto afirmar:

A) A infecção não ocorre em região urbana.

B) A doença poupa o sistema nervoso central.

C) O tratamento com sulfonamídicos é inferior ao com imidazólicos.

D) Títulos altos de anticorpos séricos indicam melhor prognóstico.

E) As recidivas estão mais relacionadas a não aderência ao tratamento.

17. Paciente do sexo masculino, de 32 anos de idade, caminhoneiro, natural de São Paulo refere
viagem de 3 semanas a Rondônia, tendo retornado há 10 dias. Refere ter nadado em rios,
localizados na mata. Há 5 dias apresenta febre elevada, acompanhada de cefaléia e de mialgia
generalizada. Informa urina escura há um dia. Ao exame físico apresenta toxemia moderada,
T=38,7C, descorado 1+/4+, desidratado 2+/4+ e ictérico 2+/4+. PA=´100x70 mmHg, FC=100
bpm. Abdome: dor moderada à palpação do hipocôndrio direito, fígado a 3 cm do rebordo costal
direito. Apresenta ferimento infectado de aproximadamente 2x2 cm na perna direita. Qual a
conduta mais adequada?

A) Associação de cloroquina e primaquina e vacinação contra a febre amarela.


B) A introdução exclusiva de penicilina cristalina em doses elevadas é conduta imperativa, uma vez
que a hipótese de Síndrome de Weil é a mais provável.

C) Realização de biópsia hepática para o diagnóstico diferencial e administração de gamaglobulina


humana normal.

D) Realização de gota espessa, hemoculturas e sorologias para hepatite A, leptospirose e febre


amarela antes da introdução de terapêutica específica.

E) Trata-se provavelmente de doença endêmica grave da região Amazônica, sendo fundamental a


administração de antibióticos de amplo espectro antibacteriano e antifúngico.

18. Paciente do sexo feminino, 24 anos de idade, apresenta febre e mal estar há 4 dias, acompanhado
de cefaléia. Ao exame físico > regular estado geral, T=38,5°C, PA=120x80 mmHg, descorada
1+/4+, eupnéica, hidratada, poliadenopatia cervical e retroauricular. Exantema discreto em tronco
e membros Cavum: hiperemia e hipertrofia de amígdalas, com exsudação amarelo-
esbranquiçada. Fígado à 2 cm do rebordo costal direito, levemente doloroso. Leucograma com
8.000 leucócitos (neutrófilos: 32%, eosinófilos: 4%, basófilos: 1%, linfócitos: 63%, com atipia).
Pode-se afirmar que:

A) A hipótese de mononucleose infecciosa pode ser confirmada pela presença de anticorpos


heterófilos.

B) A ausência de poliartralgia afasta a hipótese de rubéola.

C) A introdução de antibioticoterapia é a necessária até a definição do diagnóstico etiológico.

D) A hipótese de infecção aguda pelo HIV pode ser afastada se a reação de ELISA e de Western
Blot forem negativas.

E) As hipóteses de toxoplasmose e citomegalovirose são compatíveis com o quadro acima.

19. Em relação às hepatites virais é correto afirmar que:

A) A hepatite A ocorre por transmissão oral-fecal e sempre tem evolução benigna.

B) O perfil sorológico revelando anti-HbsAg positivo e anti-HBc total negativo não é compatível
com o de indivíduos previamente vacinados.

C) A evolução para a cronicidade ocorre com maior freqüência na hepatite B.

D) O vírus B e C são geralmente eliminados meses após a infecção aguda.

E) A hepatite E pode ocorrer de forma epidêmica, sendo mais grave no terceiro trimestre da
gestação.

20. Paciente de 30 anos, com sorologia positiva para HIV, refere que iniciou quadro de fraqueza em
hemicorpo à esquerda há 5 dias com piora progressiva. Ao exame apresenta-se emagrecido, com
hemiparesia à esquerda com força muscular grau III. A contagem de CD4 era de 200/mm³. Qual
o diagnóstico mais provável e qual o exame necessário para o diagnóstico?
A) Linfoma primário de SNC; tomografia computadorizada de crânio.

B) Linfoma primário de SNC; exame quimiocitológico do líquor.

C) Neurotoxoplasmose; exame quimiocitológico do líquor.

D) Neurotoxoplasmose; tomografia computadorizada de crânio.

E) Neurocriptococose; exame quimiocitológico do líquor.

21. Homem de 34 anos relata história de 10 anos de cefaléia holocraniana pulsátil, acompanhada de
vômitos e fotofobia, desencadeada por estresse e que recorria inicialmente uma vez a cada 2
meses. Há 2 anos a dor se tornou progressivamente mais freqüente, sendo que nesse período
começou a fazer uso abusivo de analgésicos e atualmente mantém dores diárias, que contudo são
em peso e sem vômitos ou fotofobia. Semanalmente ainda apresenta crises que tinha
antigamente. Toma diariamente analgésicos sem qualquer efeito. Assinale a combinação que
melhor exprime o diagnóstico e conduta no caso acima:

A) Cefaléia de hipertensão intracraniana; tomografia computadorizada de crânio.

B) Hemicrânia sem aura; introdução de antidepressivo tricíclico.

C) Hemicrânia; uso de analgésicos mais potentes.

D) Arterite temporal, medida de VHS.

E) Hemicrânia transformada; suspensão dos analgésicos e introdução de antidepressivo tricíclico.

22. Paciente negra de 60 anos, hipertensa em uso irregular de medicação anti-hipertensiva,


apresentou episódio súbito de hemiparesia à direita e dificuldade à fala. Deu entrada no Pronto
Socorro apresentando PA=220x120 mmHg e com síndrome piramidal, completa e
desproporcionada de predomínio bráquio-facial, deficitária e de liberação à direita e afasia de
expressão. Qual o primeiro exame a ser realizado e qual o tratamento inicial?

A) Ressonância magnética de crânio e aspirina na dose de 325 mg.

B) Tomografia computadorizada de crânio e inibidor de enzima conversora de angiotensina.

C) Tomografia computadorizada de crânio e bloqueador de canal de cálcio e diurético.

D) Ressonância magnética de crânio e fenitoína na dose de 15 a 20 mg/kg.

E) Tomografia computadorizada de crânio e dexametasona na dose de 12 mg/dia.

23. Paciente de 80 anos com história de trauma leve craniano há 15 dias foi trazido ao Pronto
Socorro por seus familiares por apresentar cefaléia, confusão mental, hemiparesia há cerca de 7
dias e piora há 2 dias. Não tem antecedentes de coagulopatias e no momento estava com
hipertensão arterial importante (170x30 mmHg) , que não apresentara antes. A hipótese
diagnóstica para o caso, mecanismo de formação da lesão e tratamento seriam:
A) Hematoma subdural agudo, lesão por encapsulamento fibroblástico com tecido neoformado em
torno de um cerne de produtos de degradação de coágulo inicial e irritante ao córtex,
monitorização da pressão intracraniana e craniotomia.

B) Hematoma extradural, lesão da artéria meníngea média por fratura do osso temporal,
monitorização da pressão intracraniana e craniotomia.

C) Hematoma subdural agudo, lesão por encapsulamento fibroblástico com tecido neoformado em
torno de um cerne de produtos de degradação de coágulo inicial e irritante ao córtex cerebral,
monitorização da pressão intracraniana e trepanação com lavagem exaustiva da lesão cavitária
com retirada dos produtos de degradação do sangue.

D) Hematoma subdural crônico, lesão por encapsulamento fibroblástico com tecido neoformado em
torno de um cerne de produtos de degradação de coágulo inicial e irritante ao córtex cerebral,
monitorização da pressão intracraniana e craniotomia.

E) Hematoma subdural crônico neoformado em torno de um cerne de produtos de degradação de


coágulo inicial e irritante ao córtex cerebral, trepanação craniana com lavagem exaustiva da
cavidade com retirada dos produtos de degradação do sangue.

24. Paciente de 50 anos, sexo masculino foi trazido ao Pronto Socorro com história de desmaio
súbito após dor de cabeça intensa há 8 horas. O exame neurológico demonstrava rigidez nucal
importante, hemiparesia direita bráquio-facial e afasia mista (compreensão e expressão). Foi
diagnosticada, através de tomografia computadorizada de crânio, hemorragia em cisterna silviana
esquerda. As condutas ideais seria a seguir:

A) Arteriografia apenas do território carotídeo, visto que o aneurisma é provavelmente em


bifurcação da artéria cerebral média e nesse caso a cirurgia deve ser precoce nos 3 primeiros
dias, antes do risco de vasoespasmo e para se evitar ressangramento.

B) Arteriografia apenas do território carotídeo, visto que o aneurisma é provavelmente em


bifurcação da artéria cerebral média e nesse caso a cirurgia deve ser sempre tardia, após os
primeiros 10 dias, depois do risco maior de vasoespasmo e para se evitar ressangramento.

C) Arteriografia do território carotídeo e vertebro-basilar visto que o aneurisma é provavelmente em


bifurcação da artéria cerebral média e poderá haver aneurismas múltiplos e nesse caso a cirurgia
deve ser sempre tardia, após os primeiros 10 dias, depois do risco maior de vasoespasmo e para
se evitar ressangramento.

D) Arteriografia do território carotídeo e vertebro-basilar, visto que o aneurisma é provavelmente


em bifurcação da artéria cerebral média e poderá haver aneurismas múltiplos e a cirurgia deve
ser, na medida do possível, precoce até os primeiros 3 dias após o sangramento inicial.

E) Ressonância magnética do encéfalo e a cirurgia deve ser sempre tardia, após os primeiros 10
dias, depois do risco maior de vasoespasmo e ressangramento.

25. Qual das seguintes afirmações sobre suicídio é verdadeira?

A) Quem quer se suicidar não conversa sobre isso, age.

B) O uso de álcool alivia a angústia que o deprimido sente, diminuindo a probabilidade do suicídio
ocorrer.
C) Mulheres jovens com problemas de relacionamento com namorado, noivo ou esposo são o
principal grupo de risco para o suicídio.

D) Homens idosos, solitários, com alguma doença são o principal grupo de risco para suicídio.

E) Perguntar sob ideação suicida aumenta o risco, pois a pessoa passa a ter o assunto presente em
sua mente.

26. Homem de 40 anos de idade chega ao Pronto Socorro, queixando-se de tremor nas mãos e na
língua, taquicardia repentina com sensação de morte e insônia. Qual das seguintes afirmações é a
mais adequada?

A) Deve ser medicado com benzodiazepínico, pois o problema é ansiedade.

B) Deve ser encaminhado imediatamente para avaliação cardiológica.

C) Deve ter seu uso de bebida alcoólica questionado.

D) Deve ser medicado com antidepressivo, pois esse é o tratamento mais indicado para transtorno
de pânico.

E) Deve ser encaminhado para psicoterapia, pois seu problema é ansiedade.

27. O usuário crônico de substâncias ilícitas desenvolve tolerância quando:

A) Não apresenta sintomas físicos se o uso da substância é interrompido.

B) Apresenta maior capacidade de enfrentar os fatores de estresse.

C) Necessita doses maiores da substância para conseguir efeito que antes obtinha com doses
menores.

D) Continua usando a substância após ter perdido o emprego e estar com problemas familiares e
conjugais.

E) Continua usando a substância após ter se envolvido com problemas legais.

28. Um paciente sem história de transtorno psiquiátrico, internado em Unidade de Terapia Intensiva,
começa a ficar assustado e agitado, dizendo que uma cobra quer picá-lo, tentando arrancar o
soro. Ao ser examinado, vê flores pela parede do quarto e não sabe onde está. O diagnóstico mais
provável é:

A) Transtorno de pânico.

B) Fobia de répteis.

C) Esquizofrenia.

D) Demência.

E) Delirium.
29. Uma paciente com 65 anos de idade vem trazida pela família, que informa que ela não é mais a
mesma pessoa. Está mais desanimada e inquieta e se queixa de insônia e inapetência. Está mais
esquecida, deixou a panela vazia no fogo aceso. Foi viajar, levou a mala, mas ao chegar,
descobriu que estava vazia. Quais devem ser as primeiras hipóteses diagnósticas?

A) Parafrenia e doença de Alzheimer.

B) Amnésia psicogênica e doença de Alzheimer.

C) Doença de Alzheimer e depressão.

D) Parafrenia e depressão.

E) Amnésia psicogênica e depressão.

30. Para detecção de bronquiectasias recomenda-se:

A) Planigrafia.

B) Tomografia computadorizada de tórax de alta resolução.

C) Estudo cintilográfico de perfusão e ventilação.

D) Ressonância magnética.

E) Tomografia computadorizada de tórax com janela mediastinal.

31. Na pesquisa de hérnia de disco intervertebral cervical, recomenda-se:

A) Ressonância magnética.

B) Tomografia computadorizada.

C) Tomomielografia.

D) Mielografia.

E) Discografia.

32. Na pesquisa de traumatismo de uretra, recomenda-se:

A) Cistouretrografia miccional.

B) Ultra-sonografia

C) Urografia excretora.
D) Estudo cintilográfico.

E) Uretrocistografia retrógrada.

33. Na pesquisa de pneumotórax à direita, está indicada:

A) Radiografia de tórax PA em expiração máxima.

B) Radiografia de tórax PA em inspiração máxima.

C) Radiografia de tórax em decúbito lateral direito.

D) Radiografia de tórax em decúbito lateral esquerdo.

E) Radiografia de tórax em posição lordótica.

34. Em paciente com mudança de hábito intestinal e anemia, qual a alteração relevante para
investigação diagnóstica posterior?

A) Endoscopia com úlcera duodenal cicatrizada.

B) Enema opaco com lesão ocupando espaço no ceco.

C) Enema opaco com múltiplos divertículos.

D) Exame contrastado de esôfago, estômago e duodeno com refluxo gastroesofágico.

E) Exame proctológico revelando mamilo hemorroidário.

35. Na pesquisa de megacólon tóxico, utiliza-se:

A) Enema com iodo.

B) Enema baritado.

C) Radiografia simples de abdome.

D) Enema com água.

E) Radiografia de abdome em decúbito lateral.


36. Paciente do seco masculino, 32 anos, internado com história pregressa de anemia, cólicas e
diarréia, refere dor e massa palpável em fossa ilíaca direita e febre há 15 dias. Assinale a melhor
opção:

A) Fazer enema opaco e submetê-lo a hemicolectomia direita, pois anemia e massa palpável são
achados freqüentes do câncer avançado do cólon direito.

B) Fazer hemograma e submetê-lo a tratamento cirúrgico imediato, pois deve tratar-se de apendicite
aguda complicada.

C) Após medidas iniciais de suporte (jejum, hidratação, antibioticoterapia), fazer trânsito intestinal e
ultra-sonografia abdominal.

D) Fazer colonoscopia e biopsiar o cólon direito e ascendente.

E) Drenar fossa ilíaca por punção guiada por ultra-som.

37. Paciente do sexo feminino, 40 anos, com história crônica de diarréia mucossanguinolenta,
anemia, dor abdominal e emagrecimento recente apesar de tratamento clínico com sulfassalazina
e corticóide nos últimos 6 meses. Assinale a melhor opção:

A) Deve ser tratada por retossigmoidectomia, uma vez que retocolite ulcerativa inespecífica (RCUI)
comete principalmente o reto e sigmóide.

B) O tratamento clínico deverá ser prolongado por mais tempo.

C) Deve ser tratada por proctocolectomia total, confecção de reservatório ileal e anastomose íleo-
anal, pois o diagnóstico diferencial entre RCUI e doença de Crohn raramente interfere na
conduta cirúrgica.

D) Devera ser submetida a colonoscopia com biópsias seriadas de todo o cólon.

E) Se a colonoscopia mostrar tumor no reto, deverá ser tratada por amputação do reto.

38. Homem de 70 anos apresenta sangramento às evacuações há 3 meses, sem alteração do hábito
intestinal. A investigação diagnóstica deve-se iniciar com:

A) Retossigmoidoscopia e colonoscopia.

B) Pesquisa de sangue oculto e enema opaco.

C) Dosagem de CEA e ultra-som intra-retal.

D) Enema opaco e ultra-som intra-retal.

E) Dosagem de CEA e trânsito intestinal.

39. Com relação ao megacólon chagásico, assinale a alternativa correta:

A) A sigmoidectomia simples não constitui o tratamento cirúrgico ideal.

B) A eletromanometria, observa-se abolição do reflexo inibitório reto-anal.


C) As complicações mais freqüentes são volvo do sigmóide e megacólon tóxico.

D) Na obstrução intestinal por volvo de sigmóide, ocasionalmente pode haver sofrimento vascular
do intestino.

E) A lesão dos plexos mioentéricos representa fator etiológico importante.

40. Que estruturas anatômicas são identificadas no mediastino médio em corte sagital mediano?

A) Átrio direito, veia cava inferior, átrio esquerdo, artéria pulmonar direita.

B) Átrio direito, veia cava superior, átrio esquerdo, artéria pulmonar direita.

C) Ventrículo direito, aorta ascendente, artéria pulmonar direita.

D) Ventrículo direito, aorta ascendente, ventrículo esquerdo, artéria pulmonar esquerda.

E) Ventrículo direito, aorta ascendente, ventrículo esquerdo, artéria pulmonar direita.

41. Paciente com 58 anos de idade apresenta-se com massa na glândula parótida direita. Assinale o
item que, em geral dá MENOS informação ao médico quanto à conduta cirúrgica:

A) Ressonância magnética nuclear.

B) Tomografia computadorizada.

C) Ultra-sonografia.

D) Sialografia.

E) História e exame físico.

42. Qual o melhor método propedêutico para diferenciar o adenoma de próstata, do câncer de
próstata?

A) História clínica.

B) Ultra-som transretal.

C) Ultra-som de próstata abdominal.

D) Toque retal.

E) Urografia excretora.

43. No diabético:

A) A úlcera plantar decorre de insuficiência arterial.

B) A neuropatia é responsável pela anidrose do pé.

C) O controle da glicemia evita as complicações macrovasculares.


D) O ateroembolismo é a principal causa de gangrena dos dedos do pé.

E) A impotência sexual decorre de obstrução crônica aortoilíaca.

44. Numa traqueostomia eletiva, o istmo da tireóide é abordado imediatamente após a identificação,
divulsão ou afastamento de qual estrutura?

A) Tecido subcutâneo.

B) Platisma.

C) Músculos pré-tireoidianos.

D) Pele e platisma.

E) Esternocleidomastóides.

45. Paciente de 35 anos, portador a de colecistite crônica calculosa, será submetida a colecistectomia
videolaparoscópica. A administração do antibiótico profilático deve-se iniciar:

A) Dois dias antes da cirurgia.

B) Na véspera da cirurgia.

C) Na indução anestésica.

D) Após a retirada da vesícula.

E) No pós-operatório imediato.

46. Comparativamente esperar-se-ia maior concentração de mEq/l de bicarbonato na secreção obtida


de:

A) Aspiração gástrica.

B) Aspiração jejunal.

C) Fístula pancreática.

D) Fístula biliar.

E) Ileostomia.

47. A doação de órgãos para transplante no Brasil obedece a critérios que estabelecem:

A) A morte encefálica deve ser diagnosticada por 2 médicos não relacionados à equipe de
implantação dos órgãos e confirmada por exame complementar.

B) Crianças menores de 2 anos seguem os mesmos critérios usados para outras faixas etárias.

C) A distribuição dos órgãos segue critérios de gravidade dos receptores sem considerar
compatibilidade imunológica ou ordem cronológica de inclusão.
D) A hepatite fulminante não é aceita como critério de prioridade para o transplante de fígado.

E) Os métodos comprobatórios de morte encefálica aceitos pelo Conselho Federal de Medicina


(CFM) incluem: doppler transcraniano, angiografia, eletroencefalograma e consumo cerebral de
lipídeos.

48. Qual o melhor parâmetro para avaliação da eficiência da reposição volêmica na fase aguda da
queimadura?

A) Pressão venosa central (PVC).

B) Freqüência cardíaca.

C) Débito urinário.

D) Pressão arterial.

E) Nível de consciência.

49. Em relação as queimaduras elétricas, podemos afirmar:

A) Deve-se fazer desbridamento imediato do tecido queimado.

B) Tem maior potencial de infecção.

C) Define-se o percentual de área queimada com precisão duas horas após à queimadura.

D) Não há necessidade de se fazer profilaxia anti-tetânica.

E) Requerem um volume maior de fluídos do que o calculado pelas fórmulas usuais de


ressuscitação na fase aguda.

50. Nas atresias de esôfago sem fístula, qual a afirmação é FALSA?

A) A incidência de prematuridade é maior do que nos casos de atresia do esôfago com fístula.

B) A realização de gastrostomia é mais trabalhosa.

C) A anastomose primária é possível e deve ser o tratamento primário de escolha.

D) O coto proximal pode crescer em sentido caudal.

E) O tratamento inicial deve ser sempre gastrostomia e esofagostomia cervical.

51. Qual das seguintes informações prestadas pelo doente devem ser consideradas como motivo de
maior preocupação, por refletir risco de vida na vigência de cirurgia sob anestesia geral?

A) Já apresentou espasmo das vias aéreas por tiopental sódico.

B) É asmático.

C) Teve infarto do miocárdio há quatro meses.


D) É epiléptico, apresentando crises convulsivas freqüentes.

E) É dependente de cocaína.

52. Doente politraumatizado confuso, em choque compensado, dá entrada no PS, com indicação de
limpeza cirúrgica do membro inferior esquerdo, pois há fratura exposta do fêmur com nítido
sangramento. A anestesia melhor indicada será:

A) Geral.
B) Raquianestesia.

C) Anestesia peridural.

D) Infiltrativa, na região da exposição óssea.

E) Troncular.

53. Paciente de 30 anos, vítima de queda de andaime há 2 horas. Apresenta dor em ambos os pés,
não conseguiu mais andar. Foram solicitadas radiografias de ambos os pés e constatada fratura
bilateral de calcâneo. Não há sinais de outras lesões ósteo-articulares ou, comprometimento
vásculo-nervoso nos membros inferiores. A melhor conduta no Pronto Socorro será:

A) Goteira gessada inguinopodálica bilateral.

B) Tração esquelética em ambos os membros inferiores.

C) Investigar lesão vascular antes de imobilizar.

D) Redução cirúrgica de urgência para evitar seqüelas como artrose da articulação subtalar.

E) Investigar fratura associada na coluna vertebral.

54. Menino de 5 anos de idade, com queixa de claudicação às custas de membro inferior direito há
um mês. Exame físico : bom estado geral, afebril, dor aos movimentos de rotação interna do
quadril direito. RX simples de bacia é normal. Foi solicitada uma cintilografia óssea, que
mostrou diminuição da captação ao nível da epífise proximal do fêmur à direita. O diagnóstico
mais provável será:

A) Luxação congênita do quadril.

B) Pioartrite do quadril.

C) Epifisiolistese proximal do fêmur.

D) Moléstia de Perthes.

E) Displasia epifisária múltipla.

55. Em um paciente portador de hérnia discal comprimindo a raiz de L5, pode-se encontrar:
A) Hipoestesia da região anterior da coxa e fraqueza dos flexores do quadril.

B) Hipoestesia perianal e perda do reflexo cremastérico.

C) Hipoestesia do dorso do pé e abolição do reflexo aquileu.

D) Diminuição da força dos extensores dos dedos e do hálux e reflexos normais.

E) Hipoestesia da panturrilha e fraqueza dos dorsiflexores do tornozelo.

56. Criança de 3 anos, chega ao Pronto Socorro com impotência funcional do membro superior
direito. A mãe relata que há cerca de duas horas puxou a criança pela mão com força e, desde
então, a mesma não mexe o membro. A criança mantém o membro estendido ao longo do corpo e
o antebraço pronado. A dor à mobilização e o choro da criança dificultam o exame físico. As
radiografias de todo o membro (ombro até o punho) não revelam fraturas. Assinale a hipótese
mais provável e a conduta indicada:

A) Fratura da clavícula; enfaixamento em oito.

B) Luxação gleno-umeral; redução incruenta e imobilização com Velpeau.

C) Subluxação da cabeça do rádio; redução incruenta.

D) Luxação do cotovelo; redução incruenta e imobilização com goteira axilo-palmar.

E) Fratura supracondileana do úmero; redução incruenta e gesso axilo-palmar.

57. Paciente de 18 anos, vítima de acidente de moto há 2 horas, chega ao PS hemodinamicamente


estável, Glasgow=15, eupneico, com fratura exposta tipo III A de Gustillo do terço médio da
perna direita, sem lesão neurovascular. Qual o melhor tratamento ortopédico inicial, após
limpeza cirúrgica, desbridamento e antibioticoterapia intravenosa?

A) Tração esquelética calcaneana para alinhar a fratura e tratamento cirúrgico definitivo após
cicatrização da ferida.

B) Redução cruenta e fixação com placa e parafusos.

C) Instalação de fixador externo uniplanar após redução da fratura.

D) Redução incruenta e gesso inguinomaleolar, abrindo-se janela no gesso para curativo da ferida.

E) Instalação de fixador externo circular tipo Ilizarov associado a enxerto ósseo autólogo do ilíaco.

58. Em relação à descarga papilar, qual aspecto é mais freqüentemente associado a neoplasia
maligna da mama?

A) Fluido esverdeado.

B) Espesso acinzentado.
C) Sanguinolento.

D) Água de rocha.

E) Achocolatado.

59. Paciente de 32 anos, diabética, sem controle adequado, refere que há 10 dias vem apresentando
corrimento branco grumoso, acompanhado de prurido vulvar intenso e disúria terminal. Ao
exame ginecológico foram evidenciados hiperemia importante do intróito vaginal, escoriações
perineais, corrimento branco em placas e hiperemia vaginal. Qual o agente causador mais
provável para esta vulvovaginite?

A) Gardnerella vaginalis.

B) Trichomonas vaginalis.

C) Candida albicans.

D) Herpesvírus humano.

E) Papilomavírus humano.

60. O anticoncepcional hormonal combinado oral tem feito protetor em relação a:

A) Câncer de ovário e de mama.

B) Câncer de endométrio.

C) Vulvovaginites.

D) Bartholinite.

E) Câncer do colo uterino.

61. Paciente com 23 anos e diagnóstico de moléstia inflamatória pélvica aguda leve. Os agentes
etiológicos mais provavelmente envolvidos com o processo são:

A) Bacterioides fragilis e Neisseria gonorrhoeae.

B) Neisseria gonorrhoeae e Ureaplasma urealyticum.

C) Chlamydia trachomatis e Ureaplasma urealyticum.

D) Neisseria gonorrhoeae e Chlamydia trachomatis.

E) Bacterioides fragilis e Chlamydia trachomatis.

62. Paciente com 22 anos com ciclos espaniomenorreicos. A avaliação hormonal, através da
dosagem de FSH, LH e estradiol deve ser feita:
A) Independentemente do ciclo menstrual.

B) No 3° ao 7° dia do ciclo menstrual.

C) No 12° ao 14° dia do ciclo menstrual.

D) No 19° ao 23° dia do ciclo menstrual.

E) No 25° ao 28° dia do ciclo menstrual.

63. Gestante de 25 anos, primigesta com idade gestacional de 31 semanas, compareceu ao PS com
queixa de perda de líquido pela vagina há 2 dias. Ao exame físico : febril (T=38,5°C), PA=90x60
mmHg, altura uterina de 29 cm, freqüência cardíaca fetal (FCF)=160 bpm, com 2 contrações em
10 minutos. Ao exame especular : saída de conteúdo amarelado com odor fétido pelo orifício do
colo uterino. Ao toque vaginal : colo pérvio para 2 dedos, apresentação pélvica. Assinale a
alternativa correta:

A) Deve-se fazer antibioticoterapia e conduzir o trabalho de parto.

B) Deve-se fazer antibioticoterapia e tentar inibir o trabalho de parto.

C) Deve-se fazer antibioticoterapia, tentar inibir o trabalho de parto e fazer a corticoterapia.

D) Deve-se fazer antibioticoterapia e controle materno com hemograma seriado.

E) Deve-se fazer antibioticoterapia e interromper a gestação imediatamente através de cesárea.

64. Gestante de 30 anos, primigesta, com 33 semanas, portadora de estenose mitral e hipertensão
pulmonar com classe funcional I comparece ao PS com queixa de contração uterina dolorosa. Ao
exame físico: bom estado geral, corada, hidratada, PA=110x60 mmHg, FC=80 bpm, FR=16.
Ausculta cardíaca: bulhas rítmicas com hiperfonese de B2 e sopro diastólico 4+/6+ em foco
mitral, altura uterina de 32 cm, FCF=140 bpm, apresentando 3 contrações médias em 10
minutos. Ao toque vaginal: colo pérvio para 2 dedos, médio. Amnioscopia: líquido claro, sem
grumos. Em relação a este caso pode afirmar-se que:

A) A gestante deve ser submetida a cesárea em virtude do quadro materno ser grave.

B) Deve-se tentar a inibição do trabalho de parto com uma hidratação rápida com soro fisiológico e
glicosado em partes iguais, num total de 1000 ml.

C) Em virtude da dilatação avançada do colo uterino, deve-se inibir de imediato as contrações do


útero com b-agonista.

D) Deve-se dar assistência ao parto com monitorização cardíaca materna.

E) A raquianestesia é a mais indicada neste caso por promover uma vasodilatação periférica.

65. Gestante de 26 anos, primigesta, com idade gestacional de 37 semanas, comparece ao PS com
queixa de cefaléia e dor no baixo ventre. Ao exame físico : bom estado geral, corada, PA=140x90
mmHg, altura uterina de 33 cm, FCF=132 bpm, edema de membros inferiores : 2+/4+. Ao toque
vaginal : colo grosso, posterior e impérvio. Monitorização fetal : feto ativo. A melhor conduta
inicial é:
A) Manter a gestante em repouso (decúbito lateral esquerdo) e em observação e, posteriormente,
reavaliar a PA.

B) Orientá-la quanto á dieta hipossódica e dispensá-la.

C) Interná-la, medicá-la com sulfato de magnésio e, em seguida, interromper a gestação através de


cesárea.

D) Interná-la, medicá-la com hipotensores e, em seguida, interromper a gestação através de cesárea.

E) Realizar a dopplervelocimetria e, se normal, dispensá-la.

66. Gestante de 16 anos, primigesta, sem pré-natal, com idade gestacional desconhecida, comparece
ao PS com queixa de inchaço em membros inferiores. Ao exame físico : bom estado geral,
corada, PA=130x80 mmHg, altura uterina de 30 cm, sem contração uterina, FCF=140 bpm,
edema de membros inferiores 2+/4+ , proteinúria de fita negativa. Ao toque vaginal : colo
grosso, posterior e impérvio. Realizou ultra-sonografia, que revelou suspeita de crescimento
intra-uterino retardado (CIUR). A melhor conduta é:

A) Explicar para a gestante que está tudo bem e que deverá retornar ao PS quando em trabalho de
parto.

B) Realizar cesárea de imediato, já que o feto mostra sinais de sofrimento fetal.

C) Realizar cardiotocografia e se normal solicitar para que a gestante retorne em 15 dias para novo
exame.

D) Dispensar a gestante e repetir a ultra-sonografia em 7 dias.

E) Realizar cardiotocografia e em seguida fazer amniocentese para pesquisar maturidade fetal e se


presente induzir o parto.

67. Gestante de 38 anos, IIIG IIP OA, com idade gestacional de 22 semanas, hipertensa controlada
com dieta hipossódica, apresenta como antecedentes obstétricos: 1) Parto normal, de termo, com
recém-nascido (RN) pesando 2.650 g há 8 anos; 2) Parto normal, de termo, com RN pesando
3.800 g, há 5 anos. Pode-se afirmar que:

A) Trata-se de uma gestante sem risco para diabete gestacional, sendo que o seu pré-natal não
necessita de nenhum cuidado especial.

B) Trata-se de uma gestante com alto risco para diabete gestacional e deve ser submetida apenas a
uma glicemia de jejum.

C) Trata-se de uma gestante com alto risco para diabete gestacional e deve ser submetida à glicemia
de jejum mensal e teste de tolerância à glicose oral de 100 g entre 28 e 34 semanas.

D) Trata-se de uma gestante com baixo risco para diabete gestacional e deve ser submetida à
glicemia de jejum.

E) Trata-se de uma gestante com baixo risco para diabete gestacional e deve ser submetida ao teste
de tolerância a glicose oral de 50 g com 26 semanas.
68. Gestante primigesta de 20 anos, com 41 semanas e com diagnóstico de oligoâmnio, é internada
para ser submetida a indução do trabalho de parto. Ao toque vaginal evidencia-se um colo pérvio
para 1 dedo, esvaecimento médio, apresentação cefálica, fixa. A amnioscopia: líquido claro com
grumos. Em relação a avaliação clínica da bacia obstétrica, pode-se afirmar que:

A) O estreito superior pode ser avaliado através de determinação do conjugado obstétrico que,
através da regra de Litzmann, nos fornece a medida do conjugado diagonal.

B) O estreito inferior contra-indica a indução diante de arco anterior inferior a 90° associado a
conjugata exitus de 12 cm ou diâmetro biciático de 10 cm.

C) O estreito médio é favorável a indução se as espinhas ciáticas forem apagadas ou médias, o


ligamento sacro-ciático maior que 3 cm e com concavidade do sacro não acentuada.

D) O diâmetro bituberoso é de pouca importância, pois freqüentemente se associa, mesmo quando


inferior a 9 cm, a um diâmetro biciático normal, o qual permite a evolução para um parto normal.

E) A pelvimetria externa é de suma importância, pois se sabe que o diâmetro bicrista relaciona-se
com o diâmetro antero-posterior do estreito superior, havendo vicio pélvico em 100% dos casos
se a medida for inferior a 24 cm (Regra de Baudelocque).

69. Primigesta de 28 anos é admitida no Centro Obstétrico as 8 h, com 2 contrações uterinas em 10


minutos, dilatação do colo uterino de 3 cm e apresentação cefálica fletida (altura=-2). Evolui
com queixa de dor abdominal intensa, mas com 4 contrações uterinas médias-fracas em 10
minutos. E o colo uterino mantém-se dilatado em 4 cm (altura zero) às 16 h do mesmo dia. Em
relação a essa situação, pode-se afirmar que:

A) Sendo uma primigesta idosa em trabalho de parto prolongado, define-se o quadro de distócia
funcional, estando indicada a cesárea.

B) O quadro de taquissistolia configura uma distócia funcional por hiperatividade , estando indicada
a inibição da atividade uterina com terbutalina EV.

C) A amniotomia está indicada em virtude do grande risco de mecônio intraparto.

D) Provavelmente há um vício pélvico, pois a falta de progressão da dilatação geralmente está


associada a não insinuação da cabeça fetal.

E) Impõe-se, de início, a correção da distócia funcional com amniotomia e analgesia.

70. No acompanhamento pré-natal é correto afirmar que:

A) Devem-se pesquisar mensalmente anticorpos, pelo método de Coombs indireto, em gestantes Rh


negativas e Du negativas, com maridos Rh negativos e Du positivos.

B) Considera-se anemia na gestação quando a hemoglobina é inferior a 9 g/dl.

C) As gestantes suscetíveis a rubéola devem ser vacinadas no primeiro trimestre.


D) A organização Mundial de Saúde recomenda que a gestante realiza no mínimo 4 consultas de
pré-natal.

E) Deve ser realizado apenas um exame ultra-sonográfico durante o pré-natal e de preferência no


último trimestre.

71. Em relação a infecção urinária complicada, é correto afirmar que:

A) Está indicada a investigação radiológica (ultra-som de vias urinárias, uretrocistografia miccional


e se necessário urografia excretora) em todos os casos, objetivando-se afastar ou confirmar lesão
renal.

B) O agente etiológico mais comumente isolado é Pseudomonas sp, ou fungo.

C) Em vista da urgência e precisão do diagnóstico, o método de coleta de urina deverá ser por
punção supra-púbica ou cateterização, com posterior introdução de cefalexina por via oral para
se evitar potenciais danos renais.

D) A indicação de antibioticoterapia parenteral restringe-se aos lactentes com malformação do trato


urinário e lactentes menores de 3 meses de idade.

E) Esse termo está relacionado as infecções urinárias de repetição e bacterianas assintomáticas.

72. Criança de 1 ano de idade, sem BCG, sem clínica respiratória, apresentou viragem de PPD (10
mm). Qual é a melhor conduta?

A) Tratar tuberculose.

B) Fazer quimioprofilaxia.

C) Fazer RX de tórax, e, se normal, aguardar.

D) Fazer quimioprofilaxia e pesquisa de foco domiciliar.

E) Fazer pesquisa de foco domiciliar.

73. Criança de 3 anos de idade, apresenta história de tosse há 5 dias, falta de ar e gemência há 1 dia.
No início do quadro recebeu "Benzetacil" em Pronto Socorro, por diagnóstico de amigdalite,
segundo a mãe. Ao exame físico apresenta : regular estado geral, taquidispnéia leve/moderada,
com tiragem intercostal e subdiafragmática 2+/4+ , acianótica. Murmúrio vesicular diminuído
globalmente à direita, com estertores crepitantes em ápice, broncofonia diminuída em hemitórax
direito, principalmente em base. Assinale a hipótese diagnóstica mais provável:

A) Pneumonia extensa à direita por Streptococcus pneumoniae.

B) Pneumonia extensa e derrame pleural à direita por Streptococcus pneumoniae.

C) Pneumonia extensa à direita por Staphylococcus aureus.


D) Pneumonia extensa à direita por Haemophilus influenzae.

E) Pneumonia extensa e derrame pleural a direita por Staphylococcus aureus.

74. Lactente de 11 meses de vida com quadro de diarréia há 3 dias. A mãe refere um pico febril, não
medido, no início do quadro e que há dois dias a criança está vomitando muito e recusando a
alimentação. Ao exame físico a criança encontra-se em bom estado geral, febril, levemente
decorado, irritada à manipulação, chorando sem lágrimas, olhos fundos, pulsos finos, com
enchimento capilar de 5 segundos, FC=120 bpm e FR=30 mpm. Cabeça e pescoço : sem
alterações. Otoscopia : sem alterações. Oroscopia : saliva espessa e restante sem alterações.
Cardiovascular : bulhas rítmicas, normofonéticas, sem sopros. Respiratório : murmúrio vesicular
presente bilateralmente, sem ruídos adventícios. Abdome : sem visceromegalias, doloroso à
palpação difusamente e com ruídos hidro-aéreos aumentados. Extremidades : sem alterações. Foi
indicada Terapia de Reidratação Oral (TRO). Qual a melhor forma de avaliar esta criança?

A) A TRO está contra-indicada por se tratar de uma criança com desidratação grave, devendo ser
instituída hidratação parenteral (fase de reparação).

B) Está indicada alta hospitalar, se a criança apresentar uma diurese durante a primeira hora da
TRO.

C) A criança está em condições de alta quando apresentar uma diurese e índice de retenção de 10%
da solução de reidratação oral (SRO).

D) A presença de vômitos durante a TRO com índice de retenção de 25% da solução de reidratação
oral na Segunda hora caracteriza boa evolução, sendo indicada a manutenção da TRO por, no
mínimo, 2 horas.

E) Está indicado o uso de anti-eméticos (por exemplo, dimenidrato), se a criança apresentar dois
episódios de vômitos durante a primeira hora de TRO.

75. Uma menina de 8 anos de idade chega ao PS, com história de disúria e polaciúria há 1 dia. A mãe
notou que a urina encontra-se escura e fétida. Assinale a alternativa correta:

A) Trata-se de pielonefrite aguda. Deve-se realizar coleta de urocultura por punção supra-púbica e
internação para antibioticoterapia parenteral.

B) Trata-se de pielonefrite aguda. Após coleta de urocultura, deve-se iniciar tratamento com
sulfametoxazol e trimetroprim VO.

C) Trata-se de vulvovaginite. Iniciar banho de assento com anti-séptico.

D) Trata-se de cistite. Iniciar tratamento com ceftriaxona, após coleta de urocultura.

E) Trata-se de cistite. Iniciar sulfametoxazol e trimetroprim VO após coleta de urocultura.

76. Diante de uma criança de sexo masculino, 3 anos de idade, pesando 15 kg e com estatura de 96
cm, que no último ano ganhou 3 kg de peso e 6 cm de estatura, pode-se afirmar que:
A) Apresentou crescimento normal.

B) Corre risco de retardo de crescimento.

C) Está ficando obesa.

D) Está se desnutrindo.

E) Pode ter risco de gigantismo.

77. O quadro clínico de diarréia recidivante (3 a 4 evacuações diárias de fezes líquidas, sem sangue),
dores epigástricas, anorexia e náuseas, está mais epigástricas, anorexia e náuseas, está mais
freqüentemente associada:

A) Ascaridíase.

B) Estrongiloidíase.

C) Giardíase.

D) Amebíase.

E) Teníase.

78. Adolescente, 12 anos e 4 meses, sexo feminino, maturação sexual M2P2, pré-menarca, procura
serviço médico por ser portadora de baixa estatura. É correto afirmar:

A) Seu prognóstico de altura é ruim, pois essa adolescente também é portadora de retardo puberal.

B) Como a menarca é iminente, é provável que essa adolescente cresça, ainda cerca de 6 cm.

C) Não é possível o diagnóstico de baixa estatura, pois essa adolescente ainda não completou seu
desenvolvimento puberal.

D) A baixa estatura dessa adolescente pode ser conseqüência de sua maturação sexual tardia.

E) A avaliação laboratorial hormonal impõe-se nesse caso, pela grande possibilidade de se tratar de
doença neuro-endócrina.

79. No Brasil, a vacinação rotineira contra o sarampo é recomendada:

A) Sempre aos 6 meses e depois de 2 anos, como reforço.

B) Sempre junto com a Sabin e a DPT.

C) Sempre junto com a Sabin e após 1 ano de idade.

D) Sempre aos 9 meses e aos 15 meses de idade.

E) Sempre junto com a MMR.


80. Recém-nascido (RN) com peso de nascimento de 3.200 g, idade gestacional de 40 semanas.
Parto normal, com anestesia loco regional, sem outros medicamentos. Apgar de 1° minuto menor
do que 3, ritmo respiratório irregular e freqüência cardíaca maior do que 80 bpm. Já realizado
aquecimento, além de aspiração de boca e narinas, com saída de líquido claro. Estão indicados:

A) Intubação endotraqueal.

B) Oxigenação com pressão positiva com FiO2 de 100%.

C) Oxigenação com pressão positiva com FiO2 de 100% e massagem cardíaca.

D) Intubação endotraqueal e massagem cardíaca.

E) Oxigenação com pressão positiva com FiO2 de 100%, massagem cardíaca e adrenalina.

81. Recém-nascido (RN) de termo, com peso de nascimento de 3.300 g. Mãe primigesta, 23 anos,
sem intercorrências no pré-natal. Com 8 horas de vida, observada icterícia, zona II moderada,
zona III leve. Tipagem sangüínea materna : O Rh positivo, Coombs indireto negativo e do RN :
A Rh negativo, Coombs direto negativo e Eluato positivo. O diagnóstico mais provável e
abordagem terapêutica imediata seriam:

A) Incompatibilidade materno-fetal do tipo AO. Colher bilirrubinas totais e frações e hemograma


com reticulócitos. Iniciar fototerapia.

B) Incompatibilidade materno-fetal do tipo AO e Rh. Colher bilirrubinas totais e frações e


hemograma com reticulócitos. Iniciar fototerapia.

C) Incompatibilidade materno-fetal do tipo AO. Colher bilirrubinas totais e frações e hemograma


com reticulócitos. Iniciar fototerapia se níveis de bilirrubina indireta estiverem acima de 14 mg
%.

D) Incompatibilidade materno-fetal do tipo AO e Rh. Colher bilirrubinas totais e frações e


hemograma com reticulócitos. Iniciar fototerapia se níveis de bilirrubina indireta estiverem
acima de 14 mg%.

E) Incompatibilidade materno-fetal do tipo AO e Rh. Colher bilirrubinas totais e frações e


hemograma com reticulócitos. Iniciar fototerapia se níveis de bilirrubina indireta estiverem
acima de 26 mg%.

82. Relativamente às infecções congênitas no recém-nascido (RN):

A) O RN com suspeita de sífilis deverá ser colocado em isolamento, independentemente da


existência ou não de sinais clínicos.

B) O RN com toxoplasmose congênita é sempre sintomático , sendo a microcefalia a manifestação


mais comum.

C) O RN com citomegalovirose congênita é freqüentemente assintomático, podendo manifestar


alterações posteriormente (comprometimento da função auditiva, por exemplo).
D) A presença de títulos menores de IgG no RN do que os maternos, é diagnóstica de transmissão
transplacentária de anticorpo, sem infecção.

E) O retardo de crescimento intra-uterino pode ser conseqüência de infecção congênita, mas não a
prematuridade.

83. AMP, 32 anos, primigesta, 34 semanas de idade gestacional. Admitida em hospital com
diagnóstico de descolamento prematuro de placenta. Freqüência cardíaca fetal de 88 bpm. Parto
cesáreo. Apgar 5,8 e 8 no 1°, 5° e 10° minutos. Peso de nascimento de 1.900 g. RN evoluiu com
desconforto respiratório, com batimentos de asas de nariz, tiragem diafragmática e intercostal e
gemência progressivos, com índice de Silverman-Anderson de 7. Os diagnósticos mais prováveis
e a conduta são:

A) Recém-nascido pré-termo, asfixia perinatal grave, doença de membranas hialinas. Iniciar


oxigênio em incubadora.

B) RNPT, asfixia perinatal moderada, pneumonia neonatal. Iniciar oxigênio em incubadora.

C) RNPT, asfixia perinatal moderada, doença de membranas hialinas. Iniciar terapêutica com CPAP
nasal.

D) RNPT, asfixia perinatal grave, pneumonia neonatal. Iniciar terapêutica com CPAP nasal.

E) RNPT, asfixia perinatal grave, pneumonia neonatal. Iniciar oxigênio em incubadora.

84. Sobre a relação do setor público e do setor privado no Brasil, no âmbito da saúde, é correto dizer
que:

A) A articulação entre o sistema público e sistema supletivo gera economia aos cofres públicos na
medida em que o poder público pode se desobrigar de oferecer serviços aqueles que contratam
serviços privados.

B) Atualmente a maioria dos brasileiros já possui algum tipo de cobertura privada à saúde, cabendo
ao poder público atender somente os indivíduos que não possuem carteira de trabalho.

C) O poder público tem historicamente evitado investir nas áreas mais caras e de maior sofisticação
tecnológica, deixando ao setor privado esta tarefa.

D) A articulação entre o poder público e privado na área da saúde no Brasil vem garantindo uma
atuação privilegiada do setor privado nas áreas de maior lucratividade.

E) Os grupos populacionais que não são contribuintes do INSS devem procurar assistência médica
no setor lucrativo e/ou filantrópico.

85. Segundo a Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde (SUS) é definido como um sistema
descentralizado, com comando único em cada esfera de governo, o que implica que:
A) Os Estados e Municípios financiem somente com recursos próprios seus respectivos sistemas de
saúde.

B) Delegar autonomia para que Estados e Municípios formulem e implementem as respectivas


políticas de saúde.

C) Cabe a União somente a responsabilidade pela execução das ações de Saúde Pública.

D) Cabe a União a responsabilidade exclusiva pelo financiamento das ações de Saúde Pública.

E) Cabe a União a responsabilidade exclusiva do financiamento da assistência médica hospitalar,


através das AIH.

86. A organização dos serviços de saúde no país, configuram um perfil de serviço do tipo:

A) Predominantemente executado nos consultórios do setor privado.

B) Predominantemente executado por profissionais médicos assalariados do setor público.

C) Centrado na atuação de profissionais de nível elementar e de técnicos, sendo a atuação do


médico reservada somente para casos mais complexos.

D) Predominantemente nucleado na atenção primária em saúde.

E) Centrado na atuação do médico e de profissionais de nível elementar, e carente da atuação de


técnicos de nível médio e demais profissionais com formação superior.

87. Coeficientes de mortalidade infantil (CMI) e seus componentes (CMI tardia e CMI neonatal) por
1.000 nascidos vivos em algumas Regiões Administrativas do Estado de São Paulo - 1992 e
1995:
Região CMI neonatal CMI tardia CMI total

1992 1995 1992 1995 1992 1995

Santos 20,9 23,2 12,1 10,5 33,0 33,7

Sorocaba 17,1 16,5 13,4 8,6 30,5 25,1

S. J.dos Campos 15,9 14,8 8,2 5,6 24,1 20,4

Ribeirão Preto 13,4 12,2 6,5 6,7 19,9 18,9

A partir da análise destas informações é possível afirmar que:

A) Os valores dos coeficientes de mortalidade neonatal e infantil tardia encontrados no Estado de


São Paulo, são semelhantes àqueles dos países desenvolvidos.
B) Os valores elevados dos coeficientes de mortalidade neonatal indicam o predomínio, como causa
de morte, das causas perinatais.

C) A mortalidade infantil tardia tem apresentado maior dificuldade na sua diminuição do que a
mortalidade neonatal, por depender de grandes transformações econômicas.
D) Os valores elevados dos coeficientes de mortalidade neonatal decorrem da freqüente declaração
como nascido vivo, e posterior óbito neonatal de casos que se constituem na realidade em óbitos
fetais.

E) Os coeficientes de mortalidade infantil nos grandes centros urbanos não refletem mais as
mudanças nas condições de saúde da população.

88. Considerando o modelo da História Natural das Doenças, são medidas de prevenção primária:

A) Moradia adequada, imunização e controle de vetores.

B) Moradia adequada, áreas de lazer e detecção precoce ("screening").

C) Imunização, reabilitação e detecção precoce ("screening").

D) Imunização, inquéritos para descobrir casos na comunidade e higiene pessoal.

E) Alimentação adequada, saneamento ambiental e detecção precoce ("screening").

89. Sobre a mortalidade por Doenças de Notificação Compulsória no Município de São Paulo, nos
últimos cinco anos, é possível afirmar que:

A) Verifica-se um expressivo aumento nos coeficientes de mortalidade por AIDS e uma inversão da
tendência crescente dos coeficientes por tuberculose.

B) Verifica-se uma diminuição nos coeficientes de mortalidade por infecção meningocóccica.

C) A mortalidade por raiva humana, poliomielite e sarampo variou entre 5 e 10 óbitos anuais, no
período.

D) A natalidade alta tem impedido uma diminuição expressiva na mortalidade por doenças
imunopreveníveis, apesar dos elevados valores observados para as coberturas vacinais.

E) O aumento na cobertura vacinal de BCG é a principal responsável pela importante redução nos
coeficientes de mortalidade por meningite tuberculosa.

90. Uma mulher de 46 anos foi internada com quadro clínico e laboratorial compatível com
insuficiência renal crônica. A história e os exames anteriores confirmavam o diagnóstico de
Lúpus Eritematoso Sistêmico. Apresentava ainda hipertensão e dispnéia moderadas. Submetida a
diálise, apresentou quadro irreversível de insuficiência respiratória, vindo a falecer. O
preenchimento correto de seu atestado de óbito seria:

A) Linha a - Insuficiência respiratória/ Linha b - Insuficiência renal crônica/ Linha c - Lúpus


Eritematoso Sistêmico

B) Linha a - Insuficiência renal crônica/ Linha b - Insuficiência respiratória/ Linha c - Hipertensão


arterial

C) Linha a - Insuficiência renal crônica/ Linha b - Lúpus Eritematoso Sistêmico/ Linha c -


Insuficiência respiratória
D) Linha a - Hipertensão arterial/ Linha b - Lúpus Eritematoso Sistêmico/ Linha c - Insuficiência
renal crônica

E) Linha a - Insuficiência respiratória/ Linha b - Hipertensão arterial/ Linha c - Insuficiência renal


crônica

91. Foi realizado estudo sobre taxas de suicídio, religiosidade e tolerância ao suicídio, em 19 países
da Europa e América do Norte, nos anos de 1989/90. As taxas de suicídio foram obtidas dos
sistemas de informação de cada país, enquanto as taxas relativas à religiosidade e tolerância ao
suicídio dessas populações foram obtidas de um levantamento, para outros fins, sobre valores
sociais que havia sido realizado naqueles países. Estimou-se a correlação entre taxas de suicídio
e taxas de religiosidade e de tolerância ao suicídio. Observou-se que as taxas de suicídio eram
negativamente relacionadas com os níveis de crença religiosa, e positivamente correlacionadas
com níveis de tolerância ao suicídio. Assinale a alternativa correta:

A) Pode-se afirmar que quanto maior a religiosidade do indivíduo, menor a chance dele cometer
suicídio.

B) Trata-se de um estudo de corte transversal.

C) Suicídio não tem relação com religiosidade ou tolerância.

D) Maiores níveis de religiosidade levam uma sociedade a apresentar menores taxas de suicídio.

E) Resultados acima podem ser decorrentes de outros fatores, como por exemplo, nível de
desenvolvimento econômico e social de cada país.

92. Em uma determinada cidade realizou-se estudo para investigar a associação entre nível de
colesterol sérico e doença isquêmica do coração (DIC). Foram avaliados 2247 indivíduos do
sexo masculino com idade entre 30 e 59 anos, sendo que 1127 apresentaram colesterol elevado
(>200 mg/100 ml) e 1120 com colesterol normal (<200 mg/100 ml). Entre os indivíduos com
colesterol elevado, 27 foram diagnosticados como casos de DIC, e outros 20 casos foram
diagnosticados entre os homens com colesterol normal, correspondendo a um Risco Relativo
(RR) de 1,34. Assinale a alternativa correta:

A) Pessoas com colesterol elevado tem uma chance de desenvolver DIC 34% maior que pessoas
com colesterol normal.

B) Não há associação entre níveis de colesterol e risco de DIC.

C) O desenho do estudo descrito acima não é adequado para investigar se colesterol é fator de risco
par DIC.

D) Só seria possível concluir se há associação entre colesterol e DIC se fosse conhecido o intervalo
de confiança de 95% para o RR.

E) Erros de medida de colesterol e no diagnóstico de DIC foram responsáveis pelo resultado acima.

93. O risco atribuível na população obtido em estudos de coorte e uma medida adequada para:

A) Estabelecer relações etiológicas.


B) Sugerir hipótese de associação entre exposição e efeito.

C) Estimar a proporção de doentes devido a exposição à diversos fatores.

D) Avaliar o impacto de ações de Saúde Pública.

E) Estimar a relação dose-resposta.

94. Em um estudo epidemiológico observacional, para avaliar o uso de drogas injetáveis (UDI) no
desenvolvimento de sorologia positiva para o vírus da hepatite C, o risco relativo (RR) de
soroconversão associado ao UDI foi 5,3. Intervalo de Confiança de 95% (IC 95%) 1,5-20,1
(grupo de referência - indivíduos que não usavam essas drogas). Após ajuste pelo número de
parceiros sexuais na vida, o RR de soroconversão associado ao UDI foi 4,0, IC 95% 1,2-16,2
(mesmo grupo de referência). Com base nessas informações, assinale a alternativa correta:

A) Para avaliar o risco de soroconversão associado ao UDI deveria ter sido calculado o Odds Ratio,
em vez do RR.
B) O número de parceiros sexuais na vida esteve associado com o UDI.

C) O limite inferior (1,2) do IC 95%, após ajustar pelo número de parceiros sexuais na vida, sugere
que o UDI não foi um fator de risco para soroconversão.

D) O risco de soroconversão associado ao UDI deveria Ter sido avaliado em um ensaio clínico
controlado.

E) O UDI foi uma variável de confusão para a associação entre o número de parceiros sexuais na
vida e a soroconversão.

95. Para examinar o possível papel de diabetes mellitus (DM) na etiologia do câncer de pâncreas
(CP), foram investigados 720 pacientes com diagnóstico recente de CP e 720 pacientes
internados por outras doenças. Os participantes foram recrutados em três hospitais, durante um
período de 2 anos. Entre os paciente com CP, 64 relataram história prévia de DM (há pelo menos
dois anos antes da data de internação). Entre os pacientes com outras doenças, 50 referiam prévia
de DM (também há pelo menos dois anos antes da data de internação. Esse é um exemplo de:

A) Estudo caso-controle.

B) Estudo de coorte prospectiva.

C) Estudo de coorte retrospectiva.

D) Estudo transversal retrospectivo.

E) Estudo ecológico retrospectivo.

96. Os valores registrados para os Coeficientes de Mortalidade por Causas Externas no Município de
São Paulo, apontam para a presença de um importante problema de saúde nessa área. Assinale a
alternativa correta:
A) O maior impacto das mortes por homicídios se dá a partir dos 30 anos de idade.

B) Os acidentes de trânsito ainda compõem o principal grupo de causas de morte entre as causas
externas.

C) O único grupo de causas, entre as causas externas, em que não há uma sobremortalidade
masculina, é o de suicídios.

D) Os valores dos coeficientes de mortalidade por causas externas não mostram uma tendência
nítida de distribuição centro-periferia.

E) Os coeficientes de mortalidade por homicídio apresentaram um nítido aumento nos seus níveis a
partir de 1983 e desde então vem apresentando variações em torno de valores sempre elevados.

97. Uma pessoa morre, tendo deixado em vida, sêmen para ser crio-preservado, aos cuidados de um
instituto que realiza reproduções assistidas. Sua motivação para essa "doação" teria sido o temor
de ficar estéril após uma quimioterapia a que ele iria se submeter. Após o seu falecimento, a
família do doador deseja saber qual das seguintes posturas poderia ser considerada ética:

A) Autorizar a realização da reprodução assistida, com esse sêmen, na última namorada do doador.

B) Colocar esse sêmen a disposição do instituto de reprodução assistida, para que o utilize, desde
que gratuitamente, em quem sua direção quisesse.

C) Mandar descartar imediatamente esse sêmen, pois não se pode ter filhos a partir de morto.

D) Apenas permitir a reprodução assistida com esse sêmen, caso houvesse um documento formal do
falecido, destinando-o a uma determinada mulher, que, por sua vez, declarasse formalmente
querer recebê-lo.

E) Não existe previsão de conduta: o sêmen pertence a família do doador.

98. Paciente desconhecido foi levado para um Pronto Socorro em São Paulo, em estado de coma. Os
exames mostraram tratar-se de coma diabético, mas o paciente faleceu em seguida, sem Ter
recobrado a consciência. O fornecimento do atestado de óbito compete:

A) Ao médico plantonista do Pronto Socorro.

B) Ao médico chefe do Pronto Socorro, após informar o fato ao serviço social da instituição.

C) Ao Diretor Clínico da instituição, após informar o Instituto de Identificação.

D) Ao Serviço de Verificação de Óbitos.

E) Ao Instituto Médico-Legal.

99. Um motorista embriagado, após atropelar e matar uma pessoa, colidiu com um poste e fugiu. Em
seguida procurou um Pronto Socorro para tratar os ferimentos sofridos. De acordo com a
legislação vigente, o médico que o está atendendo, ciente do ocorrido, deve:

A) Comunicar o fato à autoridade policial e em seguida iniciar o tratamento do caso.


B) Comunicar o fato à autoridade policial e esperar dela uma autorização para iniciar o tratamento
do caso, para não prejudicar a perícia.

C) Iniciar o tratamento do caso e depois fazer a comunicação somente ao CRM.

D) Iniciar o tratamento do caso e depois fazer a comunicação a autoridade policial e ao CRM.

E) Iniciar o tratamento do caso, não estando obrigado a fazer a comunicação a autoridade policial e
ao CRM.

100. Um cadáver foi encontrado em uma praia deserta, próximo a desembocadura de um rio. Na
autópsia o legista constatou cogumelo de espuma branca, pulmões aumentados de volume e com
enfisema aquoso e hemodiluição em cavidades esquerdas do coração em relação às direitas. Tais
achados:

A) Sugerem afogamento em água doce.

B) Indicam afogamento em água salgada.

C) Não fornecem indicações quanto ao meio líquido em que ocorreu o afogamento.

D) Levantam a suspeita de uma morte violenta não acidental (homicídio).

E) Indicam que a morte ocorreu por inibição vagal.

Gabarito USP 1999

1-a 26-c 51-c 76-a


2-d 27-c 52-a 77-c
3-a 28-e 53-e 78-d
4-c 29-c 54-d 79-d
5-e 30-b 55-d 80-b
6-c 31-a 56-c 81-a
7-e 32-c 57-c 82-c
8-b 33-a 58-d 83-c
9-a 34-b 59-c 84-d
10-c 35-c 60-b 85-b
11-b 36-c 61-d 86-e
12-e 37-d 62-b 87-b
13-d 38-a 63-e 88-a
14-b 39-c 64-d 89-e
15-a 40-c 65-a 90-a
16-e 41-d 66-e 91-e
17-d 42-d 67-c 92-c
18-e 43-b 68-c 93-d
19-e 44-c 69-e 94-b
20-d 45-c 70-a 95-a
21-e 46-c 71-a 96-e
22-b 47-a 72-d 97-d
23-e 48-c 73-b 98-e
24-d 49-e 74-d 99-e
25-d 50-c 75-e 100-a

Prova de Residência Médica - HCFMUSP - 2000

1. Gestante com 25 anos, idade gestacional de 32 semanas, procurou o Pronto Socorro com queixa
de perda vaginal há um dia. Ao exame: BEG, corada, hidratada, PA=120x70 mmHg, Temp.=38°
C., AU=30 cm, apresentação cefálica, FCF=160 bpm, sem contrações. Ex. especular: saída de
moderada quantidade de líquido claro com odor fétido. Ao toque: colo grosso, medianizado,
pérvio para uma polpa digital. A melhor conduta é:
A) Iniciar a antibioticoterapia e realizar cesárea de imediato.

B) Iniciar a antibioticoterapia e induzir o parto.

C) Instituir a antibioticoterapia e manter a gestação até a maturidade fetal.

D) Realizar a antibioticoterapia associada à corticoterapia e interromper a gestação em 48 h.

E) Instituir a corticoterapia e realizar a cesárea em 24 h

2. Paciente de 35 anos, masculino, procura o pronto socorro com queixa de dispnéia importante e
febre de 38,7°C, principalmente no período vespertino. Refere emagrecimento de 10 kg em 2
meses e fraqueza muscular importante. Nega contatos homossexuais e refere uso de drogas
endovenosas. Paciente está consciente, orientado, ao exame físico e apresenta-se em REG,
descorado, taquipnéico FR=30/min., FC=120/min, no momento 37,4°C . Ausculta
cardíaca=BRNF taquicárdicas, ausculta pulmonar=MV abolido no hemitórax D, sem ruídos
adventícios.
Baseado na história, qual a melhor hipótese e o que fazer para confirmar a sua hipótese?

A) AIDS e infecção por Pneumocystis carinii; ELISA e broncoscopia com lavado bronco-alveolar.

B) AIDS e pneumonia viral; ELISA e RX de tórax.

C) AIDS e sarcoma de Kaposi pulmonar; ELISA e broncoscopia com lavado bronco-alveolar e


biópsia transbrônquica.

D) AIDS e tuberculose pleural; ELISA e pleurocentese com biópsia.

E) AIDS e tuberculose pleural; ELISA e PPD.

3. Com relação a AIDS é correto afirmar:

A) A neurotoxoplasmose é uma das manifestações mais freqüentes e caracteriza-se por alterações


liquóricas e tomográficas muito caracterizadas.

B) A criptococose é uma causa freqüente de meningite e hipertensão intra-craniana, sendo contra-


indicada a coleta de líquor, devendo-se optar pela terapêutica empírica com anfotericina B.

C) O sarcoma de Kaposi é freqüente nos pacientes homossexuais e a presença de acometimento


visceral se reveste de grande letalidade.

D) A tuberculose pulmonar nestes pacientes apresenta os mesmos aspectos do indivíduo não


infectado pelo HIV, sendo muito freqüente o aparecimento de cavitações e infiltrados
pulmonares.

E) O acometimento pelo citomegalovírus é freqüente em todas as fases da doença e o achado de


anticorpos do tipo IgM no sangue periférico é altamente sugestivo de doença por este agente.
4. Criança de 10 meses de idade apresenta história de broncoespasmo recidivante desde 5 meses de
idade, choro intenso e baixo ganho ponderal. Alimentação exclusiva até 7 meses de idade, sem
antecedentes familiares de atopia e sem referi vômitos. Quanto à conduta diagnóstica, pode-se
afirmar que:

A) Provavelmente o diagnóstico é alergia a leite de vaca, devendo-se trocar a dieta para leite de
cabra.

B) O diagnóstico de asma é correto, pois 90% dos bebês chiadores evoluem como tal.

C) Se apresentar eosinofilia 10% o diagnóstico é de alergia a leite de vaca.

D) Deve-se investigar o refluxo gastroesofágico, sendo a pHmetria o método da escolha.

E) A investigação de refluxo gastroesofágico é desnecessária , pois a criança não apresenta vômitos.

5. Em relação às mortes por causas externas no Brasil, assinale a alternativa correta:

A) As mortes por causas externas constituem hoje a primeira causa de morte nas regiões
metropolitanas brasileiras.

B) Os coeficientes de mortalidade específica por causas externas não maiores entre jovens de ambos
os sexos.

C) As colisões com veículos constituem o maior componentes das mortes por acidente de
transporte.

D) As mortes por homicídio na cidade de São Paulo vem alterando a pirâmide populacional,
causando diminuição da população de 20 a 29 anos.

E) Os homicídios representam o maior componente das causas externas em todas as regiões do


Estado de São Paulo.

6. Paciente de 69 anos, feminino, vítima de queda da própria altura há 6 horas, apresenta ao exame
físico: encurtamento, rotação externa e discreta abdução do membro inferior direito. Está
impossibilitada de andar e tem muita dor no quadril direito. Assinale a alternativa com a hipótese
diagnóstica mais provável e conduta terapêutica mais indicada:

A) Fratura transtrocanteriana do fêmur - artroplastia parcial do quadril.

B) Luxação posterior do quadril - redução incruenta e tração esquelética.

C) Fratura do colo do fêmur - artroplastia total do quadril.

D) Fratura do colo do fêmur - haste intra-medular travada.

E) Fratura transtrocanteriana - fixação externa monoplanar.


7. Paciente masculino de 19 anos é trazido ao Pronto Socorro pelos familiares por estar muito
agitado e dizendo estar sendo perseguido por traficantes. Ao exame físico apresentava-se muito
agitado, taquicárdico (FC=150 bpm), hipertenso (PA=160x90 mmHg), com sudorese, midríase
bilateral, boca seca e apresentava picadas de agulhas em MSD. A conduta inicial mais adequada
é:

A) Medicar o paciente com benzodiazepínicos EV, se necessário contenção mecânica e mantê-lo sob
observação clínica.

B) Interrogar ativamente o paciente para confirmar uso provável de cocaína e afastar a hipótese de
esquizofrenia.

C) Medicar o paciente com haloperidol IM e se necessário contenção mecânica e mantê-lo sob


observação clínica.

D) Aguardar o período da provável intoxicação por drogas e encaminhar para tratamento


ambulatorial de dependência química.

E) Conversar com os familiares e o paciente, orientando sobre os riscos abusivos de drogas


injetáveis e das possibilidades de tratamento para dependência química.

8. Paciente de 58 anos, em acompanhamento na urologia por adenocarcinoma de próstata,


orquiectomizado, nas mantendo sintoma de prostatismo (urina de 2 em 2 horas). Foi
encaminhado para a Clínica Geral para tratar hipertensão, pois está usando clortalidona 50 mg,
mantendo PA elevada. Ao exame, bom estado geral, obeso (IMC=30), PA=176x100 mmHg,
FX=80 bpm, sem outras alterações. Qual a sua conduta, terapêutica, sabendo que eletrólitos,
função renal, glicose são normais, colesterol total=232 com HDL=32 e ECG normal?

A) Associa captopril e medidas para redução de peso (dieta + exercício).

B) Suspende clortalidona e introduz Terasozin + dieta e exercício.

C) Suspende clortalidona e introduz alfametildopa + dieta e exercício.

D) Associa amlodipina, dieta e exercício.

E) Associa losartan, dieta e exercício.

9. Paciente com 37 anos, prole constituída, colpocitologia oncótica sugestiva de carcinoma invasor
e biópsia revelando neoplasia intraepitelial de alto grau. Procede-se a:

A) Histerectomia total abdominal.

B) Conização.

C) Cirurgia de Wertheim Meigs.

D) Vaporização a laser.

E) Cirurgia de Shauta.
10. Gestante de 30 anos, com 41 semanas de gestação, é admitida no Pronto Socorro com o seguinte
exame físico: PA=120x70 mmHg, AU=35 cm, apresentação cefálica, FCF=144 bpm, e sem
contrações. Ao toque : colo grosso, medianizado, impérvio. Das possibilidades abaixo, qual o
método mais adequado para se avaliar o bem estar fetal:

A) Dosagem urinária do estriol materno.

B) Volume de líquido amniótico.

C) Grau de maturidade placentária.

D) Contagem diária dos movimentos do feto.

E) Movimentos respiratórios do feto.

11. O agente etiológico mais freqüentemente apontado como responsável pela bronquiolite é:

A) Staphylococcus aureus.

B) Haemophilus influenzae.

C) Corynebacterium diphteriae.

D) Vírus respiratório sincicial.

E) Vírus Echo.

12. Uma unidade de saúde atendeu um paciente jovem, do sexo masculino, já em seguimento na
unidade com diagnóstico de soropositividade para o HIV+ , com quadro clínico sugestivo de
tuberculose pulmonar . Em relação às ações de vigilância epidemiológica desencadeadas a partir
do caso é correto afirmar:

A) A notificação à autoridade sanitária deve ser feita imediatamente, com base na suspeita, para
permitir que as medidas de controle de comunicantes não sejam retardadas.
B) A notificação à autoridade sanitária deve ser feita apenas quando o diagnóstico for comunicado.

C) Como o paciente é HIV+ não é necessária a notificação à autoridade sanitária.

D) Na presença de quadro clínico sugestivo, a radiografia de tórax do paciente será suficiente para a
confirmação diagnóstica da tuberculose pulmonar.

E) Todos os comunicantes do paciente que forem não reatores ao teste tuberculínico devem ser
vacinados com BCG, caso não apresentem evidências da doença.

13. Paciente de 42 anos, branca, com artralgias de mãos, ombros e tornozelos há 3 meses, de
intensidade crescente, apesar do uso de diclofenaco 50 mg 3x/dia. Refere limitações do
movimento por dor ao acordar durante aproximadamente 1 hora diariamente. Ao exame: bom
estado geral, corada, afebril, sem lesões cutâneas, com aumento das articulações interfalangeanas
proximais e metacarpofalangeanas de 2° e 3° dedos das duas mãos, sem desvios e com artrite de
cotovelo direito e tornozelos. Restante do exame físico normal. De acordo com a principal
hipótese diagnóstica, qual a droga de escolha a ser introduzida no momento?

A) Prednisona 1 mg/kg/dia, em doses divididas.

B) Azatioprina 1 mg/kg/dia, dose única.

C) Metotrexate 7,5 mg/semana.

D) Colchicina 0,5 ,g de 1/1 hora até passar a dor.

E) Corticosteróide intra-articular via punção.

14. Paciente de 10 anos de idade, do sexo masculino, procedente do Ceará, apresenta emagrecimento
importante desde há 6 meses, com aumento de volume abdominal. Refere episódios de fezes
amolecidas, sem muco ou pus. Ao exame físico apresenta-se descorado (2+/4+), adenomegalia
cervical, com fígado palpável a 5 cm do rebordo costal direito e 6 cm do apêndice xifóide e baço
a 7 cm do rebordo costal esquerdo. Apresenta hemoglobina de 8.0 g/dl, hematócrito de 27%,
leucócitos de 2500/mm³, plaquetas de 60000/mm³ e parasitológico de fezes positivo para ovos de
Shistosoma mansoni. A conduta mais adequada neste caso é:

A) Medicar com oxaminiquine e observar.

B) Iniciar quimioterapia imediatamente, pois a doença já está em estadiamento avançado.

C) Proceder à esplenectomia, para impedir um seqüestro ainda maior de elementos sangüíneos.

D) Proceder a mielograma com biópsia de medula óssea, para elucidar o diagnóstico.

E) Proceder a esplenoportografia para investigar uma possível hipertensão portal.

15. Na doença hemolítica pelo sistema Rh, as afirmativas abaixo estão corretas, exceto, assinale-a:

A) Há intensificação do processo hemolítico em gestações sucessivas.

B) A hidropsia fetal pode ocorrer em mães gravemente sensibilizadas.

C) A icterícia costuma ser precoce e intensificar-se nas primeiras horas de vida.

D) Hemoglobinúria é um achado freqüente do RN durante a crise hemolítica.

E) A icterícia pós-hemólise ocorre após 48 horas de vida.


16. Paciente feminina de 50 anos, com antecedente de Diabete Mellitus e Hipertensão Arterial
Sistêmica, procura o Pronto Socorro descrevendo que há 3 meses vem apresentando "crises" de
mal-estar nas quais tem medo de morrer, não conseguindo mais sair de casa desacompanhada,
evitando lugares fechados e multidões, por medo de passar mal e não ser socorrida. Há 20
minutos iniciou crise súbita caracterizada por aperto no peito, sudorese profusa, dispnéia,
tremores nas mãos e tontura. Ao exame clínico, consciente, orientada, ansiosa, FC=120 bpm,
PA= 170x90 mmHg, FR=24 mrm, BRNF sem sopros, MV +s/RA. Sua conduta inicial frente a
este caso é:

A) Introdução de benzodiazepínico via oral e reavaliação em 30 minutos dos sintomas ansiosos e


sinais vitais, já que trata-se de um quadro típico de uma crise de ansiedade.

B) Investigação clínica e eletrocardiográfica.

C) Orientação sobre o quadro de ansiedade, evitando usar medicações que causem dependência, e
encaminhamento para psicoterapia.

D) Conversar com a paciente e orientar técnica de respiração, pois é a conduta mais adequada em
casos de Síndrome de Hiperventilação.

E) Introdução de antidepressivos pois trata-se de um Transtorno do Pânico e encaminhamento para


psicoterapia cognitiva-comportamental.

17. Paciente de 23 anos vítima de atropelamento chega ao Pronto Socorro em "Glasgow" de 15, com
pupilas isocóricas, tetraparesia flácida, nível sensitivo cervical, respiração diafragmática e
reflexos profundos ausentes. PA de 90x70 mmHg, 80 bpm, com lavagem peritoneal diagnóstica
negativa e sem focos de sangramento aparentes. Sua conduta imediata neste caso é:

A) Colar cervical, investigação radiológica e subida imediata ao centro cirúrgico para procedimento
cruento.

B) Investigação radiológica, tração cervical e anti-inflamatórios não hormonais em altas doses.

C) Colar cervical, investigação radiológica e corticosteróides em altas doses.

D) Transferência para UTI com tração cervical.

E) Subida imediata ao centro cirúrgico para laparotomia de emergência.

18. Na avaliação da dor lombar há os "sinais de alerta" que indicam uma condição mais grave, como
câncer, infecção, fratura ou síndrome da cauda eqüina. Dentre as seguintes alternativas, qual não
é um sinal de alerta:

A) Perda de peso inexplicável.

B) Uso de corticosteróides.

C) Uso de drogas injetáveis.

D) Disfunção sexual ou esfincteriana.

E) Rigidez matinal prolongada.


19. O tratamento cirúrgico preferencial para os pacientes com megaesôfago não avançado é:

A) Esôfagocardiomiotomia.

B) Cirurgia de Merendino.

C) Esofagocardiomiotomia e fundoplicatura parcial.

D) Esofagectomia subtotal com esofagogastroplastia cervical.

E) Esofagectomia subtotal com esofagocoloplastia.

20. Paciente de 29 anos de idade, do sexo masculino, refere mal-estar, febre e dor no corpo há uma
semana. Há 2 dias, refere dor discreta que cede ao uso de analgésicos em hipocôndrio direito.
Motorista de caminhão voltou do Mato Grosso há 18 dias; refere ter tido várias parceiras,
inclusive prostitutas, negando uso de preservativos. Chegou a São Paulo em um dia de muita
chuva, que inundou a cozinha de sua casa, tendo que ajudar na limpeza da casa, após a enchente,
apesar do cansaço que estava sentindo. Procurou Pronto Socorro, apresentando-se, ao exame
físico, ictérico (1+/4+), fígado a 2 cm do rebordo costal direito, liso, doloroso à palpação e baço
não percutível e não palpado. A conduta mais adequada, neste caso é:

A) Manutenção das condições gerais, pois para a febre amarela não há tratamento específico.

B) Pedir exames de função hepática e pesquisa de marcadores séricos para o vírus da hepatite A, B,
C e D.

C) Solicitar exames de avaliação geral, com pesquisa de leptospira no sangue.

D) Fazer ultra-sonografia de vias biliares, pois a hipótese diagnóstica mais provável é uma
obstrução de vias biliares.

E) Solicitar exames de avaliação geral, investigando as hipóteses diagnósticas de malária, hepatite


B, hepatite C e leptospirose.

21. Os eventos pubertários no sexo masculino obedecem geralmente à seguinte seqüência:

A) Aumento da pilosidade pubiana, aumento do volume testicular e aparecimento de pêlos faciais.

B) Aparecimento da pilosidade pubiana, aumento do volume testicular e mudança da voz.

C) Aparecimento da pilosidade pubiana e axilar, aumento do volume testicular e mudança da voz.

D) Aumento do pênis, aparecimento da pilosidade pubiana e aumento do volume testicular.

E) Aumento do volume testicular, aumento do pênis e mudança da voz.

22. Paciente no quarto dia de puerpério de parto cesariana apresentando febre de 39°C nos dois
últimos dias consecutivos. Ao exame físico apresenta-se com orofaringe normal, ausculta
pulmonar normal, abdome flácido, indolor RHA (+), cicatriz cirúrgica normal e loquiação
fisiológica. A conduta mais adequada é:

A) Deve-se aguardar o aparecimento de sinais clínicos de infecção para iniciar a antibioticoterapia.

B) A hipótese mais provável é de uma fase inicial de virose e, portanto, deve-se tratar como tal.

C) O quadro clínico afasta uma morbidade febril puerperal.

D) Trata-se de uma infecção puerperal e deve-se empregar antibioticoterapia abrangente.

E) Deve-se aguardar pois se trata de febre decorrente de reabsorção de sangue do procedimento


cirúrgico.

23. Jovem de 16 anos tenta suicídio ingerindo várias cartelas de AAS. Encontrada em casa só,
aparentemente em pós-comicial. Sem respirações profundas com FR= 24 , FC=108 bpm e PA de
90x70 mmHg. A combinação de exames que reflete melhor seu estado metabólico é:

A) pH = 7,35 ; pO2= 100 ; pCO2=20 ; bic =16; Glic=160 ; Na = 142; K = 4 ; Uréia = 80; creatinina
= 1,9; Cl = 94

B) pH= 7,26 ; pO2=100 ; pCO2=44 ; bic =16; Glic=100 ; Na= 142 ; K = 4 ; Uréia = 80; creatinina=
1,9 ; Cl = 120

C) pH = 7,35 ; pO2= 100; pCO2=22 ; bic =16; Glic=160 ; Na= 142 ; K = 4 ; Uréia= 30; creatinina=
1,0; Cl = 120

D) pH= 7,46 ; pO2=100 ; pCO2= 20 ; bic = 26; Glic=140 ; Na= 136 ; K = 4 ; Uréia= 30 ;
creatinina= 1,0;Cl = 102

E) pH= 7,32 ; pO2=100 ; pCO2= 48 ; bic = 26; Glic= 160 ; Na =142 ; K = 4 ; Uréia= 80 ;
creatinina= 1,9 ; Cl = 94

24. Paciente feminina, 28 anos, chega ao Pronto Socorro trazida por familiares pois estava tentando
pular pela janela, após seu namorado ter rompido o relacionamento. Os familiares relatam que
ultimamente vem apresentando tristeza, desânimo, nervosismo, insônia e dificuldade para se
alimentar. Além disso vem dizendo que sente-se rejeitada pelas pessoas. Apresentou outros
comportamentos de auto-agressão e tentativas de suicídio, sempre após discussões com o
namorado. Ao exame psíquico mostrou-se pouco colaborativa, lacônica, chorosa, com humor
depressivo. A melhor conduta inicial é:

A) Medicar com benzodiazepínicos e encaminhar para acompanhamento psiquiátrico ambulatorial.

B) Observação e orientar aos familiares que comportamentos de auto-agressão são comuns em


personalidades predispostas, não oferecendo risco de suicídio importante.

C) Obtenção de mais dados de história e internação em serviço psiquiátrico devido ao risco de


suicídio.

D) Medicar com antidepressivos e encaminhar para acompanhamento psiquiátrico ambulatorial.


E) Obtenção de mais dados de história, orientar a paciente sobre seu comportamento de risco e
encaminha para acompanhamento psiquiátrico ambulatorial.

25. Sr. Roberto Oliveira, 43 anos, técnico em informática, casado e pai de três filhos, atualmente
desempregado, apresentou sintoma de dores precordiais. Estas iniciaram há 5 meses, quando
ainda estava empregado em um banco e trabalhando cerca de 12 horas diárias. Quando perdeu o
emprego, há 2 meses, passou no 1° mês por uma melhora dos sintomas, mas há 15 dias vem
piorando, inclusive apresentando insônia e cansaço muito acentuado a pequenos esforços. Diante
dessa história, e levando em conta as atuais características do sistema de saúde e o que seria
recomendável neste caso, pode-se afirmar que o Sr. Roberto:

A) Deve procurar um serviço especializado como o INCOR, mas deverá arcar com as despesas da
consulta pois não pode mais ser atendido pelo SUS, em razão de estar desempregado.

B) Deve procurar um serviço como Centro de Saúde da região em que mora, e terá direito a ser
atendido pelo SUS.

C) Deve procurar um serviço como Centro de Saúde da região em que mora, mas levar a carteira de
trabalho para atestar que os sintomas começaram quando ainda estava empregado, caracterizando
uma patologia ocupacional.

D) Deve procurar o INCOR, porque sendo uma fundação, e universitária, a instituição deverá
acolher empregados ou não.

E) Deve tentar arrumar rapidamente um emprego para garantir um acesso aos serviços de saúde.

26. Assinale a alternativa correta: Um trabalhador exposto ao mercúrio inorgânico em uma indústria
de lâmpadas fluorescentes apresenta manifestações clínicas de lesão do SNC. Após algum tempo
de ter passado pela perícia médica do INSS retorna ao trabalho na mesma empresa embora em
outro posto de trabalho, recebendo 50% do salário de contribuição pelo INSS. Qual tipo de
benefício que ele recebeu do INSS:

A) Aposentadoria por invalidez.

B) Auxílio-doença acidentário.

C) Auxílio-acidente.

D) Auxílio-doença previdenciário.

E) Indenização pecuniária por doença crônica degenerativa.

27. São fatores de risco para otite média aguda:

A) Obstrução nasal crônica, baixa renda familiar e casa com baixa insolação.

B) Idade acima de três anos, freqüência a creches e baixa renda familiar.


C) Aleitamento em decúbito horizontal, rinofaringite aguda atual e casa com baixa insolação.

D) Obstrução nasal crônica, idade acima de três anos e promiscuidade ambiental.

E) Rinofaringite aguda atual, aleitamento em decúbito horizontal e freqüência a creches.

28. Homem de 50 anos, hipertenso e diabético, usa captopril 100 mg, clorpropamida irregularmente.
Vem ao ambulatório queixando-se de parestesias em membros inferiores e fraqueza generalizada
há 2 meses. Traz exames : glicemia de jejum = 206 mg/dl ; Uréia = 48 mg/d ; creatinina = 2,1
mg/dl ; K = 4,9 mEq/l ; ECG com hipertrofia de VE. Exame físico : bom estado geral, hidratado,
IMC = 29; PA= 160x80 mmHg, FC=76 bpm, sem outras alterações. Qual a sua conduta
terapêutica?

A) Troca clorpropamida por glipizida, mantém Captopril e associa amlodipina.

B) Troca clorpropamida por Insulina NPH, troca Captopril por nifedipina.

C) Mantém clorpropamida com pequena dose de insulina NPH noturna e associa clortalidona ao
Captopril.

D) Mantém clorpropamida em dose adequada e troca Captopril por Losartan.

E) Troca clorpropamida por glibenclamida e metformin e aumenta a dose do Captopril par 150
mg /dia.

29. Gestante de 22 anos, primigesta com 34 semanas, há entrada no Pronto Socorro com queixa de
edema. Ao exame: BEG, corada, PA=170 x105 mmHg, edema +++, proteinúria +++, AU=32 cm,
FCG 144 bpm, toque: colo grosso e impérvio. Em relação ao quadro, podemos dizer que:

A) Trata-se de iminência de eclâmpsia. A paciente deverá receber sulfato de magnésio, com parto
imediato.

B) Trata-se de uma crise hipertensiva. Deve-se diminuir a PA agudamente utilizando-se hidralazina


EV.

C) O caso sugere um quadro de pré-eclâmpsia. A paciente deverá ser internada e medicada com
anti-hipertensivo.

D) O caso sugere um quadro de distúrbio neuro-vegetativo. Deve-se medicar com analgésico e


sedativo.

E) Como o diagnóstico não está claro, deve-se deixa a paciente em observação.

30. A drenagem linfática do fundo uterino segue principalmente para os linfonodos:

A) Inguinais superficiais.

B) Femorais.

C) Ilíacos externos.

D) Ilíacos internos.
E) Lombares.

31. Para avaliar a eficácia do uso de antibióticos na sinusite aguda, 214 pacientes atendidos em
centros de atenção primária, com diagnóstico de sinusite confirmado radiologicamente, foram
divididos aleatoriamente em dois grupos: em um grupo ( I ), 108 pacientes recebiam 750 mg de
amoxacilina 3 vezes ao dia por 7 dias; no outro grupo ( C ), 106 pacientes recebiam placebo 3
vezes ao dia por 7 dias. Os pacientes não sabiam para qual grupo haviam sido sorteados. Após 2
semanas, 83,3% dos pacientes do grupo I referiram que os sintomas haviam desaparecido, e
77,4% dos pacientes do grupo C referiram o mesmo (Risco Relativo=1,08 ; Intervalo de
confiança de 95%: o,94 a 1,23). É correto concluir que:

A) Esse resultado indica que o antibiótico é efetivo no tratamento da sinusite aguda.

B) O resultado não é valido, pois os investigadores poderiam ter deduzido em que grupo os
pacientes estavam.

C) Não é possível concluir nada sobre o uso de antibióticos no tratamento de sinusites agudas, pois
não foi feito nenhum teste estatístico.

D) Esse resultado indica que o antibiótico não é efetivo no tratamento de sinusites agudas.

E) A aleatorização garantiu que os grupos I e C era idênticos.

32. Paciente masculino 48 anos, branco, tabagista inveterado, sedentário, foi atendido em hospital de
periferia com quadro de dor epigástrica de forte intensidade com duração de 2 horas. Ao exame
físico apresentava sudorese fria, palidez cutâneo mucosa, náusea e vômitos, PA= 130x70 mmHg;
FC=58 bpm irregular, ECG : bloqueio átrio-ventricular intermitente e infarto parede inferior. RX
tórax área cardíaca normal sem alargamento de mediastino. Transferido para a Unidade de
Terapia Intensiva após 45 minutos apresenta-se hipotenso PA=70x40, bulhas abafadas e
turgência jugular. RX tórax sem alterações em relação ao anterior e ECG com QRS baixa
amplitude. Qual o diagnóstico mais provável da descompensação aguda:

A) Dissecção aórtica.

B) Infarto de VD.

C) Infarto anterior.

D) Disfunção músculo papilar.

E) Ruptura ventrículo.

33. Qual a conduta mais apropriada?

A) Cirurgia cardíaca emergência.


B) Trombólise química, marcapasso e expansão volêmica.

C) Cineangiocoronariografia e angioplastia.

D) Expansão volêmica e marcapasso.

E) Nitroprussiato de sódio e b bloqueador.

34. Paciente chegou ao Pronto Socorro após atropelamento queixando-se de dor em hemitórax
esquerdo e dispnéia. O exame complementar mais discriminativo de patologias possível é:

A) Cintilografia de perfusão miocárdica.

B) Ecocardiograma.

C) Ressonância Magnética Nuclear da coluna torácica.

D) RX simples de tórax.

E) US de tórax.

35. Criança com 1 ano de idade, com antecedente de BCG com 1 mês de vida e atualmente com
tosse e PPD=12mm. Quanto à conduta, assinale a alternativa correta:

A) Repetir BCG.

B) Prescrever Hidrazida por 6 meses.

C) Fazer RX de tórax e pesquisa foco domiciliar.

D) Repetir PPD a cada 3 meses para avaliar evolução.

E) Este PPD pode ser decorrente da vacinação com BCG.

36. Paciente com 54 anos, mamografia revelando tumor espiculado com 4 cm na mama esquerda e
biópsia por agulha fina revelando adenocarcinoma ductal indiferenciado. A melhor conduta é:

A) Quadrantectomia com esvaziamento axilar e subsequente quimioterapia.

B) Setorectomia com esvaziamento axilar e subsequente quimioterapia.

C) Tumorectomia com esvaziamento exilar e subsequente quimioterapia.

D) Quimioterapia e subsequente quandrantectomia com esvaziamento axilar.

E) Radioterapia e subsequente mastectomia a Halsted.


37. Paciente AVC, 33 anos, feminino vítima de acidente automobilístico há 3 horas, apresente
fratura-luxação da coluna cervical nível C6-C7 com déficit neurológico. Quanto ao tratamento, é
correto:

A) Realizar-se corticoterapia intra-venosa.

B) A redução da fratura-luxação na urgência não é mandatória.

C) A ressonância magnética da coluna cervical é fundamental par a terapêutica emergencial.

D) O uso da tração esquelética com halo craniano não deve exceder uma semana.

E) A laminectomia para descompressão medular deve ser realizada antes da instalação do halo
craniano.

38. Paciente masculino, 85 anos, desnutrido, deu entrada no Pronto Socorro acompanhado de seus
familiares que relatam uma história de diarréia e alteração do nível de consciência progressiva
nos últimos dias. Ao exame o paciente se encontrava hipocorado (2+/4+), desidratado, sonolento
e com exame neurológico sem sinais localizatórios. A gasometria em ar ambiente revela:
pH = 7,2 PaO2 = 85 mmHg PcO2 = 32 mmHg Bic = 12 mEq/l BE = -14 SatO2= 93%
A melhor interpretação para este distúrbio ácido-básico é:

A) Acidose metabólica compensada por alcalose metabólica.

B) Acidose metabólica Acidose láctica.

C) Acidose metabólica adequadamente compensada por hiperventilação alveolar.

D) Acidose mista, respiratória e metabólica.

E) Alcalose respiratória compensada por uma acidose metabólica.

39. Examinando a questão das doenças crônicas-degenerativas. Rose (Sick individuais and sick
populations. PAHO Epidemiological 6 (3) : 1-8, 1985 ) afirma que, se todos os indivíduos de
uma população são expostos aos mesmos fatores de risco, a causa de certos indivíduos desta
população ficarem doentes e outros não adoecerem estará relacionada à sua suscetibilidade
individual. Nesse sentido, será correto afirmar, quanto às medidas de prevenção dessas doenças
que:

A) A detecção e tratamento dos casos de doenças crônicas será uma boa estratégia para diminuir a
incidência desse problema.
B) O indivíduo que apresenta alto risco deve ser o principal alvo de medidas preventivas para
reduzir a incidência do problema.

C) O controle individual dos fatores de risco, através da mudança de estilo de vida pessoal, é um
meio de prevenção de doenças crônicas de alta efetividade.
D) Para a detecção dos suscetíveis há necessidade de investigação diagnóstica ampliada e acesso
facilitado a serviços de saúde, o que representa uma dificuldade das estratégias de alto risco em
relação às estratégias populacionais de promoção da saúde.

E) Diminuir o número de indivíduos expostos a determinados fatores de risco (por exemplo fumo,
obesidade, vida sedentária) é uma estratégia de prevenção das doenças crônicas baseada na ação
sobre os suscetíveis.

40. No tratamento de uma criança de 1 ano e 6 meses, com rinofaringite aguda viral, que está em
bom estado geral, afebril, com tosse há dois dias, dor de garganta e coriza hialina, deve-se
indicar:

A) Anti-inflamatórios, aumento da ingestão hídrica e analgésicos.

B) Aumento da ingestão hídrica, uso de solução fisiológica nasal e analgésicos.

C) Mucolíticos, uso de solução fisiológica nasal e descongestionantes tópicos.

D) Descongestionantes tópicos, anti-inflamatórios e manutenção da dieta habitual.

E) Mucolíticos, anti-tussígenos e manutenção da dieta habitual.

41. Paciente com suspeita clínica de abdome agudo. Decidiu-se pela investigação radiológica
tradicional, ou seja, pela realização do estudo radiológico do abdome. Para um diagnóstico
correto foi necessário radiografar o paciente em:

A) Decúbito dorsal com raios horizontais.

B) Radiografia panorâmica na posição ortostática.

C) Decúbito dorsal horizontal com inclinação de 180° do raio incidente e radiografia ortostática
complementar com raios perpendiculares.

D) Incidência lordótica para evitar cúpulas frênicas e radiografia em decúbito dorsal horizontal com
raios perpendiculares.

E) Radiografia em decúbito dorsal horizontal, incidência ortostática do abdome e radiografia


complementar das cúpulas frênicas com raios horizontais.

42. O método mais adequado para se fazer diagnóstico de incontinência urinária de esforço é:

A) Ultra-som de colo vesical.

B) Teste urodinâmico.

C) Teste de cotonete.

D) Teste de Bonney.

E) Uretrocistografia miccional com correntinha.


43. Paciente de 40 anos, hipotireoidéia e hipertensa, em uso de Puran T4 150 mg/dia, alfametildopa e
clortalidona há 1 ano. Relata astenia e formigamento de extremidades há 6 meses com piora
progressiva. Ao exame, regular estado geral, descorada ++ , anictérica, afebril, eupnéica, PA=
136x80 mmHg, FC=80 bpm. Restante do exame físico sem alterações. Qual sua conduta diante
do caso?

A) Pede hemograma, K+, TSH e reduz o hormônio tireoidiano para 100mg/dia.


B) Pede hemograma, DHL, índice de segmentação de neutrófilos, K+ e troca alfametildopa por
captopril.

C) Pede hemograma, DHL, haptoglobinas , FAN, fator reumatóide, reticulócitos, perfil de ferro, K+
sérico, TSH, T4 livre e endoscopia digestiva e aguarda resultados.

D) Não pede nenhum exame, aumenta Puran T4 para 200 mg/dia, e introduz ácido fólico e sulfato
ferroso.

E) Tranqüiliza a paciente dizendo que se trata de sintomas do hipotireoidismo e que devem reverter
só com a estabilização dos níveis hormonais, sem alteração das doses de medicamentos.

44. Homem com 35 anos de idade queixa-se de dor pós-prandial de forte intensidade, localizada no
epigástrio com irradiação para a região dorsal, acompanhada de náuseas e vômitos desde há
cerca de 8 meses. Refere emagrecimento importante no período, eliminação de fezes volumosas
e amolecidas e hábito de ingestão de um copo de bebida alcoólica destilada por dia desde os 17
anos de idade. O exame ultra-sonográfico do abdome mostrou colédoco com diâmetro de 1,8 cm,
vesícula biliar aumentada de tamanho e alongada e parênquima pancreático heterogêneo com
ducto de Wirsung dilatado com imagens hiperecogênicas no seu interior. O diagnóstico provável
e conduta mais adequada neste caso é:

A) Úlcera péptica gastroduodenal - inibidor de bomba de próton.

B) Pancreatite aguda - jejum e alimentação parenteral.

C) Câncer do pâncreas - duodenopancratectomia.

D) Pancreatite crônica calcificante - derivações pancreatojejunal e biliodigestiva.

E) Coledocolitíase - colecistectomia e coledocolitotomia.

45. Via de regra, a prevenção do sarampo para crianças sadias deve seguir o seguinte calendário.
Assinale a alternativa correta:

A) Primeira dose com vacina de vírus inativado aos 6 meses e segunda dose com vacina de vírus
inativado aos 15 meses de idade.

B) Primeira dose com vacina de vírus atenuados aos 6 meses e segunda dose, com vacina de vírus
vivos atenuados aos 2 anos de idade.

C) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 6 meses e a segunda dose, com vacina de
vírus inativados aos 18 meses de idade.
D) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 9 meses e segunda dose, com vacina de
vírus atenuados aos 15 meses de idade.

E) Primeira dose com vacina de vírus vivos atenuados aos 9 meses e segunda dose, com vacina de
vírus inativados aos 18 meses de idade.

46. Parturiente primigesta, com 39 semanas, com colo dilatado para 8 cm, apresentação cefálica
OEA + 1 DeLee, com contrações adequadas, bolsa íntegra e bacia clinicamente normal. A melhor
conduta obstétrica é:

A) Comprimir o fundo uterino durante as contrações.

B) Fazer a amniotomia.

C) Encaminhar rapidamente a paciente para a sala de parto.

D) Solicitar para que a paciente faça esforço expulsivo.

E) Administrar ocitocina EV e fazer a episiotomia.

47. Paciente de 58 anos, portador de diabetes mellitus há 20 anos, usa insulina NPH subcutânea 45 U
antes do café e 15 U antes do jantar. Retorna no ambulatório com Peso= 70 kg e índice de massa
corpórea de 30 kg/m². Traz os seguintes exames : glicemia = 180 mg% e glicosúrias; I - 6 às 12 h
– 0; II - 12 às 18 h - 12 g; III -18 às 0 h - 10 g; IV - 0 às 6 h – 0; e Hb glicosilada de 11 (nl até
8,5). A melhor conduta a ser tomada é:

A) Aumentar a NPH da manhã e da noite.

B) Aumentar apenas a NPH da noite.

C) Associar insulina regular antes do café e jantar.

D) Diminuir a NPH da manhã.

E) Aumentar a NPH da manhã e associar regular antes do jantar.

48. Diversos fatores são importantes para o estabelecimento de programas de detecção precoce de
neoplasia de colo uterino. Em relação à periodicidade prevista do exame Papanicolau, qual
resposta você considera mais acertada para o estabelecimento de um programa que vise a
redução da mortalidade pela doença em uma determinada população:

A) Deve-se fazer o exame com uma periodicidade semestral (duas vezes ao ano), ainda que poucas
mulheres sejam beneficiadas, porque estas estarão totalmente protegidas da doença.

B) A periodicidade não é importante, porque é necessário que o exame seja colhido em cada contato
da mulher com o serviço, independentemente de quando ele ocorra.

C) Pode-se espaçar a coleta dois ou três anos, desde que se garanta uma boa assistência.
D) A periodicidade não é importante no estabelecimento do programa, mas sim a idade da
população alvo que será objeto da coleta.

E) A periodicidade da coleta deve aumentar nas faixas etárias mais altas, porque as mulheres mais
velhas têm um maior risco de contrair a doença.

49. Paciente do sexo feminino, 60 anos, com antecedentes de fibrilação atrial e valvopatia de
etiologia, apresenta subitamente diminuição de força em membros superior e inferior esquerdos,
além de desvio de rima para a direita. Ao chegar ao hospital, uma hora após o início dos
sintomas, apresenta pressão arterial de 150x100 mmHg, e está consciente, orientada, obedecendo
a ordens verbais. Apresenta hemiparesia esquerda completa proporcionada, com força muscular
grau 4 em membro superior e inferior esquerdos, reflexos profundos vivos à esquerda, presentes
à direita, reflexo cutâneo-plantar em flexão bilateral. O restante do exame neurológico está
normal. A tomografia de crânio é normal. Neste momento, a conduta adequada para o caso deve
incluir:

A) Manitol.

B) Dexametasona.

C) Furosemide.

D) Não administração de drogas anti-hipertensivas.

E) Entubação oro-traqueal e hiperventilação.

50. Uma criança de 3 anos com crise asmática grave no Pronto Socorro deve ser abordada
inicialmente da seguinte maneira:

A) RX de tórax, inalação com soro fisiológico e corticóide.

B) Oximetria de pulso, peak flow e inalações com B2 adrenérgico.

C) Oximetria de pulso, inalação com B2 e corticóide.

D) RX de tórax, adrenalina SC, peak flow.

E) Oximetria de pulso, corticóide inalatório e oxigenioterapia.

51. Paciente com sintoma de disfagia lentamente progressiva há três anos. Realizou exame
radiológico contrastado do esôfago, evidenciando-se hérnia hiatal de deslizamento, sem estenose,
dilatação ou ulceração; a endoscopia demonstrou esofagite de refluxo de leve intensidade. Este
paciente deve, em seguida:

A) Ser tratado clinicamente da doença do refluxo gastroesofágico evidenciada nos exames, sem
necessidade de outras investigações.

B) Ser tratado cirurgicamente com esofagogastrofundoplicatura parcial e hiatoplastia para


tratamento definitivo do refluxo gastroesofágico e correção da hérnia hiatal.

C) Ser submetido a estudo motor do esôfago (eletromanometria) para esclarecimento da


sintomatologia do paciente.
D) Ser submetido a pHmetria de 24 horas do esôfago par se avaliar a intensidade do refluxo
gastroesofágico.

E) Ser mantido em observação, repetindo-se os exames (radiografia contrastada do esôfago,


endoscopia) em seis meses.

52. Homem de 32 anos, etilista de meia garrafa do aguardente por dia, deu entrada no Pronto
Socorro com quadro de redução do nível de consciência. Acompanhante relata que o paciente
havia despertado naquela manhã com mal estar, náuseas e redução da acuidade visual, tendo
apresentado vômitos importantes seguidos de convulsão tônico-clônica generalizada. Durante o
transporte para o hospital, teve mais um episódio convulsivo com liberação esfincteriana. Ao
exame físico PA=160x100; Temp.=37,8°C, fígado a 3 cm do RCD e hemiparesia a D. Qual é a
medida menos adequada neste momento de abordagem inicial do paciente?

A) Glicofita capilar.

B) TC de crânio.

C) Hidantalização

D) Diempax se nova convulsão

E) Gasometria arterial

53. Paciente adulto do sexo masculino apresenta-se para drenagem de abscesso na face lateral da
coxa direita. O cirurgião propõe ao mesmo a utilização de anestesia local (infiltrativa) com
lidocaína à 1% com epinefrina. Embora o paciente concorde com a indicação, a anestesia não é
eficaz. Causa mais provável:

A) Anestésico local vencido.

B) Dose insuficiente do anestésico local.

C) Concentração insuficiente do anestésico local.

D) Interferência do pH tissular ácido.

E) Aumento das circulação local, com eliminação rápida do anestésico local.

54. Na investigação descrita a seguir, procurou-se examinar o papel da deficiência materna de folato
para o desenvolvimento de malformação congênita de tubo neural. Foram incluídos 80 recém-
nascidos (RN) com malformação de tubo neural e 160 RN sem esta mal formação. Encontrou-se
deficiência de folato em 20 mães de RN com mal formação congênita de tubo neural e em 16
mães de RN sem esta mal formação. Assinale a alternativa correta:

A) O odds ratio ("razão de chances") de má formação congênita de tubo neural associado à


deficiência materna de folato foi 3,0.
B) O risco relativo de má formação congênita de tubo neural associado à deficiência materna de
folato foi 1,9.

C) O risco relativo de má formação congênita de tubo associado à deficiência materna de folato foi
1,1.

D) Nas mães com deficiência de folato, o risco atribuível de má formação congênita de tubo neural
foi 26%.

E) Nas mães com deficiência de folato, o risco atribuível de má formação congênita de tubo neural
foi 4%.

55. Criança de 3 anos de idade, com história de tosse, estridor, febre de 39,8°C e dispnéia há 48 h.
Vacinação incompleta. Ao exame físico: apresenta-se com hiperextensão cabeça, prostrada,
gemente e com tiragem universal. Ausculta pulmonar com roncos. Quanto ao diagnóstico
provável e conduta podemos afirmar:

A) Deve-se prescrever penicilina benzatina e dar alta para casa para observação.

B) A criança deve ficar internada, receber oxigênio e penicilina cristalina.

C) Deve-se prescrever antitérmico e corticosteróide para tratamento domiciliar.

D) A criança deve permanecer internada para corticoterapia endovenosa, pois trata-se de laringite
viral.

E) O diagnóstico provável é epligotite aguda, devendo ser medicada com cloranfenicol.

56. Sobre fluidos para reposição volêmica é incorreto afirmar:

A) As soluções cristalóides são preferidas na reanimação do paciente politraumatizado.

B) A ressuscitação com cristalóide apresenta menos custo que com colóide.

C) O risco de edema pulmonar não cardiogênico é maior com a expansão por cristalóides.

D) Após 1 hora, em torno de 25% do volume de cristalóide isotônico infundido permanece no


espaço intravascular.

E) O risco de reações alérgicas é mais comum com o uso de soluções coloidais que com
cristalóides.

57. Na radiografia do abdome de uma paciente adolescente foram encontrados cálculos radiopacos
no hipocôndrio direito. No estudo radiológico da coluna dorso-lombar detectou-se importante
rarefação óssea e depressão na região central dos platôs superiores dos corpos vertebrais
configurando o aspecto da vértebra em "H". O diagnóstico que se impõe é:

A) Sarcoma de Kaposi.

B) Anemia falciforme.

C) Moléstia de Crohn.
D) Lúpus eritematoso sistêmico.

E) Leucemia mielóide crônica.

58. Em relação aos exames de pré-natal, pode-se dizer que:

A) O exame de teste de tolerância a glicose 100 g deve ser solicitado a todas as gestantes entre a 24ª
e 26ª semana devido ao risco de diabete durante a gravidez.

B) A ultra-sonografia dever ser solicitada de preferência no 3° trimestre da gravidez, quando se


obtém maior numero de informações.

C) Não se justifica o pedido de sorologia para Toxoplasmose, pois não há atitude prática disponível
frente ao exame positivo.

D) Deve-se solicitar sempre a sorologia para citomegalovírus, pois é a infecção congênita mais
freqüente.

E) As sorologias para HIV e Sífilis devem ser solicitadas na primeira consulta e repetidas no 3°
trimestre, pois há risco de infecção durante a gestação.

59. Paciente com diagnóstico de obstrução intestinal há 8 horas, apresenta ao chegar à sala
operatória, agitação, pressão arterial sistólica de 55 mmHg, freqüência cardíaca = 110 bpm, pulso
fino, oligúria, pele fria e úmida. É aconselhável:

A) Iniciar imediatamente a anestesia.

B) Infundir cristalóides.

C) Iniciar drogas inotrópicas.

D) Administrar corticosteróides em altas doses.

E) Infundir bicarbonato de sódio.

60. No processo de tratamento da desidratação, as seguintes afirmativas podem estar corretas:

1) Pode existir maior dificuldade para reidratar uma criança hiponatrêmica e hipocalêmica.

2) A criança desidratada deve ser pesada antes de iniciar o tratamento.

3) Os vômitos são contra-indicação para uso de SRO (sais de reidratação oral).


4) Estão indicados SRO com concentração de Na de 90 mEg/1 para o tratamento da desidratação
hipernatrêmica e isonatrêmica.

Responda à questão utilizando as alternativas:

A) Somente 1, 2 e 3 estão corretas.


B) Somente 2, 3 e 4 estão corretas.

C) Somente 1, 2 e 4 estão corretas.

D) Todas estão corretas.

E) Somente 1 e 3 estão corretas.

61. Você inicia tratamento com propiltiuracil para uma paciente com Doença de Graves. Qual dos
conjuntos de exames citados abaixo seria o mais interessante para avaliar o controle da doença e
os possíveis efeitos colaterais do medicamento?

A) TSH, hemograma completo, transaminases.

B) TSH, T3, T4, hemograma completo.

C) T4 e transaminases.

D) T4, TSH, transaminases.

E) TSH e hemograma completo.

62. Comparando algumas características importantes da população brasileira, com base nos Censos
Populacionais de 1980, 1991 e Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios de 1995 (IBGE),
pode-se identificar as seguintes tendências no período:

A) Queda na fecundidade, escolarização sem alterações, melhora do saneamento básico.

B) Queda da fecundidade, melhora da escolarização e saneamento básico sem alterações.

C) Fecundidade estável, melhora da escolarização e saneamento básico.

D) Elevação da fecundidade, melhora da escolarização e piora do saneamento básico.

E) Elevação da fecundidade, melhora da escolarização e do saneamento básico.

63. Paciente com 24 anos, nuligesta, queixa-se de dor abdominal aguda em fossa ilíaca esquerda,
febre e corrimento amarelado há 2 dias. Apresentou início da última menstruação há 7 dias. Ao
exame físico, evidenciou-se corrimento purulento pelo orifício externo do colo uterino e massa
anexial esquerda. O beta HCG foi negativo e o ultra-som mostrou massa anexial esquerda com 4
cm. Indica-se como melhor conduta:

A) Realização de bacterioscopia, cultura de secreção vaginal e endocervical com pesquisa de


clamídia e micoplasma e antibioticoterapia logo após a avaliação dos resultados.
B) Administração de doxiciclina na dose de 200 mg ao dia para o casal por 15 dias.

C) Realização de videolaparoscopia para diagnóstico e tratamento, antibioticoterapia sistêmica, se


necessário, reintervenção cirúrgica após 14 dias.

D) Laparotomia na urgência com abordagem cirúrgica do abcesso tubo-ovariano.

E) Punção com visão ultra-sonográfica da massa anexial e subsequente administração de doxiciclina


na dose de 200 mg ao dia para o casal.

64. Doente com 72 anos de idade, com índice de massa corpórea=33,4 kg/m², portadora de diabetes
mellitus tipo I, com quadro clínico de dor no hipocôndrio direito há 3 dias, acompanhada de
febre de 38ºC, náuseas e vômitos, fez ultra-som do abdome que mostrou vesícula biliar
distendida com parede espessada, com imagens hiperecogênicas no seu interior com sombra
acústica posterior e coleção líquida peri-vesicular. Foi submetida à laparotomia que mostrou
empiema de vesícula biliar com cálculos e áreas de necrose da parede vesicular, tendo-se
realizado: colecistectomia, colangiografia intra-operatória que não mostrou alterações
significativas e drenagem da cavidade abdominal. Com base no resultado de exames
bacteriológicos e culturas da secreção purulenta da vesícula biliar em casos semelhantes, a
prescrição de antibióticos deverá visar basicamente:

A) Cocos Gram positivos e leveduras.

B) Não é necessário uso de antibióticos no pós-operatório deste caso.

C) Bacilos Gram negativos e bactérias anaeróbias.

D) Bacilos Gram positivos e leveduras.

E) Cocos Gram positivos e cocos Gram negativos.

65. Criança de 8 meses de idade apresenta coriza, tosse e febre há 2 dias. Há 4 horas a tosse ficou
mais intensa e surgiu dificuldade respiratória caracterizada por batimentos de asas nasais e
retrações subdiafragmáticas. A ausculta pulmonar revelou roncos e sibilos e o RX de tórax uma
hiperinsuflação pulmonar. O diagnóstico mais provável é:

A) Bronquiolite.

B) Laringite.

C) Asma

D) Epiglote.

E) Difteria.

66. Qual é o parâmetro mais importante na avaliação pré-operatória da reserva funcional hepática?

A) Tempo de protrombina.

B) Tempo parcial de tromboplastina.


C) Albuminemia.

D) Bilirrubinemia.

E) Transaminases.

67. Em relação às ações de prevenção da tuberculose pulmonar em adultos, nos seus diferentes
níveis, é correto afirmar:

A) O principal exame a ser solicitado, nos casos suspeitos, é a radiografia de tórax, frente e perfil.

B) Para os sintomáticos respiratórios e comunicantes realiza-se o exame de BK no escarro como


primeira escolha.

C) O exame PPD é obrigatório para a confirmação dos casos.

D) A radiografia de tórax é obrigatória para a confirmação dos casos.

E) O exame de BK no escarro, RX de tórax e PPD são indispensáveis em todos os casos suspeitos.

68. Homem de 30 anos, obeso, com queixa de epigastralgia em queimação com plenitude pós
prandial há 3 meses. Faz dieta com poucas frituras, sem álcool, diminui cafeína e tomou 15 dias
de Ranitidina 300 mg/dia sem melhora. Fez endoscopia digestiva alta que mostrou Gastrite
Enantematosa Leve com pesquisa de H.pylori positiva. Qual a sua conduta terapêutica?

A) Ranitidina + cisaprida + amoxacilina + metronidazol.

B) Ranitidina + cisaprida.

C) Omeprazol + cisaprida + tinidazol + claritromicina.

D) Omeprazol.

E) Omeprazol + amoxacilina + metronidazol.

69. A resolução do Conselho Federal de Medicina sobre Reprodução Assistida (RA), que prevê que
se implantem quatro (4) pré-embriões, no máximo, em cada útero, proibindo o "descarte" dos
excedentes, é:

A) Adequada, pois evita a "sobrecarga" da gestante, e proíbe o "homicídio embrionário".

B) Superada, pois vai criar um excesso de pré-embriões não utilizados, podendo inviabilizar a RA.

C) A menos pior, nessa situação, pois sempre se poderão implantar, na mãe, os pré-embriões
excedentes, em fase pré-menstrual (a fim de que sejam naturalmente eliminados).

D) Não há o que discutir, pois Resolução do CFM tem força legal, e deve ser obedecida.

E) Não se trata de problema ético, e sim de técnica de Reprodução Assistida.


70. Assinale a alternativa correta:

A) O melhor sistema de saúde e o maior desenvolvimento do Estado de São Paulo constituem os


principais fatores responsáveis por taxa de cesárea bem abaixo das médias nacionais, embora
ainda bem mais altas do que países do 1° mundo.

B) No Brasil, a maior parte dos óbitos ocorre pelo agravamento de doenças pré-existentes, como a
diabetes e a desnutrição, chamadas de causas obstétricas indiretas e que poderiam ser controladas
por um bom atendimento no pré-natal.

C) A tendência predominante no Brasil é de queda da mortalidade infantil desde os anos 60, sendo
esta queda atribuível, sobretudo, à melhoria da assistência médica ao parto e aos recém-nascidos.

D) A mortalidade fetal registrada é maior no Estado de São Paulo do que as demais regiões
brasileiras.

E) A mortalidade por causas maternas nos países do 1° mundo ocorre, sobretudo, por causas
diretamente ligadas ao processo gravídico.

71. As lesões por esforços repetitivos (LER), hoje intituladas DORT (Distúrbios osteomusculares
relacionados ao trabalho), são um grande problema de saúde pública em nosso meio. Pode-se
afirmar que:

A) As causas dessas patologias são por desajustes na organização do trabalho e devido ao esforço
repetitivo.

B) Vários fatores influenciam o desencadeamento dos DORT : a organização do trabalho, a jornada,


aspectos biomecânicos, aspectos gerenciais e aspectos psicossociais.

C) O desemprego no país é hoje a causa principal do aparecimento desta patologia.

D) O afastamento da função e mudança de local de trabalho ou diminuição da velocidade de


exercício das tarefas tem levado a um "restitutio ad integrum" para estas patologias.

E) O fortalecimento do aparelho biomecânico, principalmente dos membros superiores tem evitado


o surgimento deste grupo de patologias.

72. Criança com diagnóstico de Pneumonia por Stafilococcus aureus, regular estado geral, medicada
com oxacilina, apresenta manutenção da febre no 6° dia de tratamento e aparecimento de
pneumatoceles no RX tórax. A conduta correta é:

A) Transferência para UTI para observação pela piora do quadro radiológico.


B) Suspender antibioticoterapia por 48 h e aguardar evolução com exames de fase aguda.

C) Investigar outros agentes etiológicos pela piora do padrão radiológico.

D) Manter oxacilina por 21 dias com controle clínico e radiológico.

E) A manutenção da febre representa não resposta à oxacilina, devendo-se trocar por vancomicina.

73. Asmática de 35 anos, com histórico de controle pobre prévio, é trazida ao Pronto Socorro em
crise há pelo menos 36 horas sem melhora apesar do uso de b2 agonista inalatório e aminofilina.
Ao exame apresenta-se impossibilitada de falar e sonolenta, dispnéia, FR = 36, com uso de
musculatura respiratória acessória, sudoreica, cianótica e raros síbilos ins e expiratórios. A
conduta adequada é:

A) Aguardar resultado de gasometria arterial, enquanto se medica a paciente via parenteral.

B) Administrar imediatamente aminofilina, corticosteróide e beta agonistas intravenosos.

C) Administrar beta agonistas e corticóides inalatórios.

D) Intubação oro-traqueal, ventilação mecânica controlada.

E) Ventilação mecânica não invasiva.

74. O principal fator de risco isolado para o carcinoma de endométrio é:

A) Obesidade.

B) Hipertensão arterial sistêmica.

C) Diabetes.

D) Estrogenioterapia da pós menopausa não antagonizada pela progesterona.

E) Síndrome dos ovários policísticos.

75. Em relação aos problemas de saúde no Brasil, pode-se afirmar que:

A) A estrutura de morbi-mortalidade do país continua semelhante àquela de vinte anos atrás,


havendo um predomínio das doenças infecto-contagiosas em todos os estados e municípios.

B) A estrutura de morbi-mortalidade do país tornou-se mais complexa, havendo uma combinação de


problemas relacionados à miséria, como as doenças infecto-contagiosas, com outros decorrentes
do padrão desigual de crescimento econômico, como as doenças crônico degenerativas.

C) A primeira causa de morte para as regiões Norte e Nordeste do Brasil são as doenças infecto-
contagiosas e para as regiões Sul e Sudeste as doenças do aparelho circulatório.
D) Nos municípios mais desenvolvidos, urbanizados e industrializados, em razão das precárias
condições ambientais e da má distribuição de renda, a principal causa de óbito são as causas
externas, sendo os homens os mais atingidos.

E) A mortalidade proporcional por grupo de causas por Região do Brasil, evidencia como primeira
causa de morte para todas as regiões do país, com exceção da região Sul, as doenças infecto-
contagiosas e as relacionadas com o meio ambiente.

76. Durante as primeiras 48 horas de atendimento ao paciente queimado, a reposição volêmica deve:

A) Relacionar-se à idade e peso do paciente.

B) Ser baseada em peso e área corpórea queimada.

C) Sempre ser realizada por via parenteral.

D) Ser estimada pelo peso e área corpórea queimada, monitorizada e corrigida pelo volume de
diurese e parâmetros vitais.

E) Ser realizada por meio de catéter venoso posicionado em localização central.

77. Homem de 63 anos, apresenta sangramento às evacuações há 3 meses, sem alteração do hábito
intestinal. A investigação diagnóstica deve se iniciar com:

A) Dosagem de CEA e enema opaco.

B) Pesquisa de sangue oculto e enema opaco.

C) Enema opaco e ultra-som intra-retal.

D) Dosagem de CEA e ultra-som intra-retal.

E) Retossigmoidoscopia e colonoscopia.

78. Paciente de 63 anos, diabético em uso de insulina, neuropatia periférica tratada com amitriptilina,
em diálise 3 vezes/semana sendo a última há 24 horas, revascularizado (ponte de safena) em uso
de dinitrato de isossorbida. Apresentou desmaio em casa. EF : inconsciente, flácido, sem sinais
neurológicos localizatórios. FC=90 (r) , PA=180x110 mmHg, FR= 8 resp./min. Suas hipóteses
seriam:

A) Tromboembolismo pulmonar, hipovolemia, meningite.


B) Acidente vascular cerebral, sepsis, uremia.

C) Acidose respiratória, hipercalemia, hipercalcemia.

D) Acidose metabólica hipoclorêmica.

E) Infarto agudo do miocárdio, hipotensão ortostática, intoxicação exógena.


79. Em relação ao plexo venoso pélvico podemos afirmar que:

A) O plexo venoso retal apresenta duas diferentes vis de drenagem.

B) O plexo venoso prostático não apresenta comunicação com o plexo venoso vertebral.

C) A hemorróida interna é provavelmente de varicosidades da V. retal média.

D) O plexo venoso pélvico contém válvulas.

E) Anastomose porto-sistêmica se faz entre as vv. Retal média e inferior.

80. Paciente com 34 anos, nuligesta, apresentando anemia discreta. Realizou ultra-som transvaginal
que revelou útero massa miomatosa com volume de 450 cm³. Procede-se:

A) Miomectomia.

B) Histerectomia total abdominal.

C) Histerectomia subtotal abdominal.

D) Tratamento clínico com análogos do GnRH e ablação de endométrio.

E) Tratamento exclusivo com análogos do GnRH.

81. Paciente de 12 anos, do sexo masculino, sofreu um acidente perfurante, pisando em um prego
enferrujado, há 3 dias. A mãe refere que o filho tomou todas as vacinas, mas perdeu a carteirinha
de vacinação. Qual a conduta mais adequada, neste caso?

A) Limpeza do ferimento, com debridamento de tecido necrótico.

B) Limpeza do ferimento, com debridamento de tecido necrótico e administração de penicilina, para


prevenir infecção.

C) Limpeza do ferimento, com debridamento de tecido necrótico e vacina anti-tetânica.

D) Limpeza do ferimento, com debridamento do tecido necrótico, administração de vacina anti-


tetânica e de penicilina para prevenir infecção, uma vez que o ferimento é considerado sujo.

E) Limpeza do ferimento, com debridamento de tecido necrótico, administração de imunoglobulina


específica e de vacina anti-tetânica.

82. Gestante de 25 anos, primigesta, com idade gestacional de 40 3/7 sem, procura o Pronto Socorro
com os seguintes dados: PA=110x70 mmHg; FCF=140 bpm. Ao toque: colo impérvio, posterior
e grosso. A melhor conduta é:

A) Preparar o colo uterino com prostaglandina.

B) Induzir o parto com ocitocina - 2 um/min.

C) Induzir o parto com ocitocina - 4 um/min.


D) Avaliação da vitalidade fetal até 42 semanas.

E) Realizar cesárea em virtude do colo desfavorável.

83. Paciente com 55 anos portador de adenocarcinoma de corpo gástrico. Ao exame físico, entre
outros achados, constatou-se presença de ascite moderada. Assinale, dentre as alternativas
abaixo, a conduta a ser seguida:

A) Laparotomia exploradora para complementar o estadiamento.

B) Indicação imediata de quimioterapia para reduzir a massa neoplásica.

C) Indicação imediata de quimio e radioterapia para controle da ascite.

D) Laparotomia para ressecção gástrica e quimioterapia pós-operatória.

E) Laparoscopia para completar o estadiamento e coleta de líquido ascítico para pesquisa de células
neoplásicas.

84. Criança com 1 ano de idade, chega ao Pronto Socorro com história de diarréia há 5 dias, com
vômitos, irritabilidade e convulsão há 1 dia. Nega febre ou ingestão de medicamentos em
domicílio. Mãe refere ter oferecido apenas soro via oral para controle da diarréia há 48 horas. Ao
exame físico: desidratação hipertônica, sem sinais meníngeos. Quanto à conduta correta
podemos afirmar:

A) Deve-se medicar com anti-eméticos meníngeos e manter hidratação com T.R.O.

B) O diagnóstico provável é meningite e deve-se colher líquor para análise.

C) Deve-se solicitar dosagem de eletrólitos para investigação de hipernatremia.

D) Deve-se hidratar com solução hipotônica para melhora clínica

E) Deve-se solicitar coleta de LCR e introduzir aminoglicosídeo endovenoso.

85. Paciente com 40 dias de transplante de fígado por cirrose por vírus C, recebendo
imunossupressão com ciclosporina, azatioprina e prednisona, queixa-se de dispnéia. Nega febre.
A radiografia de tórax revela infiltrado em pulmão direito. A gasometria mostra PaO2 de 65
mmHg. Os diagnósticos mais prováveis são:

A) Criptococose.

B) Doença linfoproliferativa.

C) Pneumonite secundária à reativação do vírus da hepatite C.


D) Infecção bacteriana pode ser descartada, pois o paciente não apresenta febre.

E) Infecção por citomegalovírus.

86. O termo vaginose bacteriana é relacionado a:

A) Clamídia tracomatis.

B) Tricomonas vaginalis.

C) Candida albicans.

D) Neisseria gonorreae.

E) Gardnerella vaginalis.

87. Criança de 7 anos chega ao Pronto Socorro vítima de queda de laje há 30 minutos. Segundo a
acompanhante, imediatamente após o trauma o paciente apresentou perda de consciência e um
episódio de vômito. À admissão, encontrava-se com 15 pontos na Escala de Coma de Glasgow,
com pupilas isocóricas fotorreagentes, sem déficits. Realizado Raio X simples de crânio :
constatou-se fratura em região temporal direita. Enquanto aguardava Tomografia de Crânio,
evoluiu com rebaixamento do nível de consciência (11 pontos na Escala de Coma de Glasgow),
hemiparesia esquerda e anisocoria D>E. A hipótese mais provável é:

A) Hematoma Subdural agudo com herniação uncal.


B) Lesão Axonal Difusa.

C) Contusão Temporal Esquerda.

D) Hematoma Extradural com herniação uncal.

E) Hematoma intraparenquimatoso.

88. Mulher com 28 anos de idade , em uso de anticoncepcional oral há 8 anos, com queixa de dor
abdominal no hipocôndrio e flanco direitos, realizou exame ultra-sonográfico do abdômen que
mostrou nódulo sólido hipoecogênico de cerca de 6 cm de diâmetro localizado no segmento
hepático VII. Seguiu com avaliação diagnóstica através de tomografia por computador e
ressonância magnética que confirmaram a presença de nódulo sólido no segmento VII e
cintilografia hepática que mostrou nódulo hipercaptante com o marcador DISIDA e hipocaptante
com enxofre coloidal. O diagnóstico provável e a conduta mais adequada para este caso é:

A) Hemangioma hepático - biópsia por punção dirigida por tomografia por computador.

B) Adenoma hepático - ressecção hepática.

C) Hiperplasia nodular focal - nodulectomia.

D) Nódulo de regeneração hepática - reavaliação clínica em 6 meses.

E) Esteatose focal hepática - tratamento clínico após laparoscopia diagnóstica.


89. Gestante com 30 anos, IIG IP (PN de termo), Idade Gestacional = 29 semanas, procura o Pronto
Socorro com queixa de dor no baixo ventre. À palpação abdominal : feto em situação
longitudinal, apresentação cefálica e dorso à esquerda ; AU=28 cm; foco=140 bpm, apresentando
uma contração fraca em 10 min. Ao toque vaginal: Orifício Externo pérvio para uma polpa
digital e Orifício Interno impérvio, esvaecimento de 30% e colo medianizado. O procedimento
inicial mais indicado é:

A) Receitar uterolítico por via oral e dar alta para casa, com retorno ao pré-natal.

B) Trata-se de um útero irritável e, portanto, deve-se receitar diazepínico via oral e dispensá-la.

C) Manter a gestante em repouso durante pelo menos três horas e diante do aumento das contrações
uterinas e mudança do colo, fazer a tocólise.

D) Neste caso é imprescindível o teste da fibronectina fetal para o diagnóstico do trabalho de parto
prematuro.

E) Deve-se fazer a hidratação materna durante uma hora. Se após, persistirem as contrações,
introduzir a terapêutica tocolítica.

90. Quando comparada a mortalidade de uma população em estudo em relação a uma outra
população padrão, encontrou-se um valor de 175 para a Razão de Mortalidade Padronizada, isto
significa que:

A) O coeficiente de mortalidade da população em estudo é de 175/100 mil habitantes.

B) A mortalidade na população em estudo é 175 vezes maior que na população padrão.

C) A população em estudo apresentou 25% mais óbitos do que seria esperado se a força de
mortalidade fosse a mesma da população padrão.

D) A população em estudo apresentou 75% mais óbitos do que seria esperado se a força de
mortalidade fosse a mesma da população padrão.

E) Os óbitos observados na população em estudo foram 75% menores do que o esperado se a força
de mortalidade fosse a mesma da população padrão.

91. Ao receber um paciente vítima de colisão de veículos, no Pronto Socorro de um Hospital de


Referência, com múltiplos ferimentos em face, com laceração de pálpebras e hematomas
bipalpebrais bilaterais, qual a melhor seqüência de atendimento a ser realizada?

A) Sutura dos ferimentos, seguida de avaliação do oftalmologista.

B) Avaliação inicial do politraumatizado, avaliação neurocirúrgica, avaliação radiológica, avaliação


oftalmológica e sutura dos ferimentos.

C) Avaliação inicial do politraumatizado, sutura dos ferimentos , avaliação neurocirúrgica e


oftalmológica.
D) Avaliação inicial do politraumatizado, avaliação neurocirúrgica, avaliação radiológica e exame
oftalmológico pelo cirurgião geral, uma vez que não há necessidade de exame mais aprofundado
numa situação de ferimentos cutâneos da pálpebra, seguido de sutura dos ferimentos.

E) Avaliação inicial do politraumatizado, avaliação oftalmológica e sutura dos ferimentos. Caso


haja sinais de alterações neurológicas, solicitar avaliação especializada.

92. Paciente hipertenso de 43 anos, com história familiar de gota (pai e 2 irmãos), vem em crise de
artrite de joelho esquerdo e tornozelo direito há 8 dias, já usando indometacina 75 mg/d, e
colchicina (fez ataque de 1/1 hora e manteve com 3 cps / dia ). A dor mantém-se intensa e, ao
exame, nota-se grande reação inflamatória nas duas articulações. Paciente afebril e sem outras
alterações de exame clínico. Indique o melhor procedimento diagnóstico e a conduta terapêutica:

A) Dosagem de ácido úrico sérico / alopurinol e novo ataque de colchicina.

B) Punção articular com microscopia de birrefringência / alopurinol.

C) Punção articular com cultura e gram / antibiótico.

D) Punção articular com microscopia de birrefringência / prednisona.

E) Urina tipo 1 / alopurinol e probenecide.

93. Em relação à parada cárdio respiratória na criança é correto afirmar que:

A) Trata-se de um evento agudo devido à arritmia cardíaca.

B) Geralmente é um processo progressivo de deterioração da função cardíaca e respiratória.

C) A sobrevida é elevada após as manobras de reanimação em assistolia.

D) Geralmente não pode ser prevenida.

E) Nenhuma das anteriores.

94. Assinale a alternativa correta:

A) O esquema básico de vacinação, no primeiro ano de vida, no Estado de São Paulo, compreende,
entre outras, as vacinas contra difteria, coqueluche e tétano; sarampo, caxumba e rubéola e
hepatite B.

B) O esquema completo de vacinação contra doença invasiva por Haemophilus influenzae tipo b,
adotado no Brasil, compreende três doses do imunógeno, que devem ser administradas aos dois,
quatro e seis meses de vida.

C) A vacina contra febre amarela só pode ser administrada para crianças, que vivem ou viajam em
zonas endêmicas, a partir dos dois anos de idade.

D) A vacina contra varicela, constituída de vírus inativados, pode ser administrada aos 9 meses,
junto com a vacina contra sarampo.
E) Crianças com síndrome da inumodeficiência adquirida (AIDS) não devem receber as vacinas do
esquema básico de vacinação, no primeiro ano de vida.

95. Paciente do sexo feminino, 52 anos, internado com dor importante em fosse ilíaca esquerda. Ao
exame físico: PA=140x90 mmHg, FC=120, temp.= 38ºC; discreta distensão abdominal com
reação peritoneal localizada. Assinale a melhor abordagem diagnóstica, o provável diagnóstico e
a melhor opção terapêutica inicial:

A) Enema opaco; diverticulite; colostomia em alça no transverso.

B) Enema opaco; diverticulite, operação de Hartmann.

C) Enema opaco; tumor de sigmóide perfurado; sigmoidectomia e anastomose primária.

D) Colonoscopia ou enema opaco; tumor de sigmóide perfurado; retossigmoidectomia e anastomose


primária com coloscopia em alça no transverso.

E) Radiografia simples de abdômen, ultra-som e/ou tomografia sem contraste; diverticulite, jejum
hidratação e antibioticoterapia sistêmica.

96. Mulher de 45 anos, em tratamento de insuficiência cardíaca, tem episódio súbito de dispnéia
associada a dor torácica pleurítica. Ao exame FC=110, PA= 70 x 50 mmHg, estertores finos em
base D; Ao ECG taquicardia sinusal. Na radiografia de tórax, condensação pequena junto ao seio
costo-frênico D, sem sinais de congestão. O método diagnóstico mais sensível para a patologia
da paciente acima é:

A) Broncoscopia.

B) Cintilografia ventilação-perfusão.

C) Tomografia axial computadorizada de tórax.

D) Cineangiocoronariografia.

E) Gasometria arterial.

97. Paciente com 57 anos de idade, do seco masculino, refere aparecimento de massa tumoral em
região correspondente à glândula parótida direita há cerca de 6 anos, tenso atualmente as
seguintes dimensões 6 x 5 x 3 cm, de consistência firme e ausência de linfonodos cervicais.
Como achado de exame físico, encontrou-se uma massa de 1,8 cm de diâmetro no pólo inferior
da glândula parótida esquerda. A punção-biópsia das duas lesões revelou provavelmente serem
compatíveis com:

A) Adenoma pleomórfico.

B) Carcinoma adenóide cístico à direita + tumor de Warthin à esquerda.

C) Tumor de Warthin.

D) Carcinoma adenóide cístico à direita + adenoma pleomórfico à esquerda.


E) Síndrome de Sjögren.

98. Considerando as drogas (algarismo romanos) e seus efeitos colaterais (arábicos), qual a opção
que reflete a combinação mais correta?

I AINH

II Antidepressivos tricíclicos

III Neurolépticos

IV Opióides

V Acetaminofen

1. Doença péptica, insuficiência renal aguda.

2. Constipação, hipotensão postural, alargamento do intervalo QT, diminuição do limiar


convulsivo.

3. Disfunção de medula óssea, sonolência, rigidez (Parkinsonismo).

4. Constipação, prurido, sonolência.

5. Rash cutâneo, mielossupressão, disfunção hepática, nefrite intersticial.

A) I-1; II-2 ; III-3 ; IV-4 ; V - 5 ;

B) I-1; II-4 ; III-3 ; IV- 2 ; V- 5 ;

C) I-1 ; II-4; III-5: IV- 2 ; V- 3 ;

D) I-1; II- 2; III-3; IV-4 ; V- 3;

E) I-5 ; II-2 ; III-3 ; IV-4 ; V- 1 ;

99. Paciente com 36 anos, feminino, com cirrose hepática por alcoolismo, desenvolveu febre, tosse e
expectoração purulenta há 5 dias da internação. Procurou o Pronto Socorro em franca dispnéia,
necessitando de intubação e ventilação mecânica. Ao RX de tórax havia infiltrado alveolar
extenso à D, velando os 2/3 superiores do pulmão. Qual esquema antimicrobiano é o mais
apropriado para o caso:

A) Clindamicina e aminoglicosídeo.

B) Ceftazidime.

C) Ceftriaxone e claritromicina.

D) Vancomicina e claritromicina.

E) Amoxacilina.
100. Paciente masculino de 50 anos, internado para realização de cirurgia eletiva de
revascularização do miocárdio. No 7° dia pós-operatório, inicia quadro de apatia, desorientação
temporal, dificuldade de manter a atenção, choro fácil, labilidade e inversão do ciclo sono-
vigília. Passa a dizer que foi raptado e precisa voltar imediatamente para casa. Assinale a
alternativa correta:

A) Trata-se de um quadro de Depressão, freqüentemente relacionado a pós-operatórios em cirurgias


de revascularização, devendo ser tratado com antidepressivos tricíclicos.

B) Trata-se de um quadro de Depressão, freqüentemente relacionado a pós-operatórios em cirurgias


de revascularização, devendo ser tratado com antidepressivos inibidores seletivos da recaptação
de serotonina.

C) Trata-se de um quadro de Delirium, devendo-se pesquisar causas clínicas e iniciar tratamento


sintomático com benzodiazepínicos.

D) Trata-se de um quadro de Delirium, devendo-se pesquisar causas clínicas e iniciar tratamento


sintomático com neurolépticos incisivos.

E) A presença de sintomas psicóticos alerta para a presença de Psicose Funcional, devendo ser
medicado com neurolépticos.

Gabarito USP 2000

1-b 2-d 3-c 4-d 5-d 6-c 7-c 8-ANULADA 9-b 10-b 11-d 12-ANULADA 13-c 14-d 15-e 16-b 17-c
18-e 19-c 20-e 21-e 22-d 23-a 24-c 25-b 26-c 27-e 28-a 29-c 30-e 31-d 32-e 33-a 34-d 35-e 36-d 37-
a 38-d 39-d 40-b 41-e 42-b 43-b 44-d 45-d 46-b 47-e 48-c 49-d 50-c 51-c 52-e 53-d 54-a 55-e 56-c
57-b 58-e 59-b 60-c 61-a 62-b 63-c 64-c 65-a 66-a 67-b 68-b 69-b 70-d 71-b 72-d 73-d 74-a 75-b 76-
d 77-e 78-e 79-a 80-a 81-e 82-d 83-e 84-c 85-e 86-e 87-d 88-b 89-c 90-c 91-b 92-d 93-b 94-b 95-e
96-b 97-c 98-a 99-c 100-d

Prova de Residência Médica - HCFMUSP - 2002

1. Em um grupo de estudo epidemiológico observacional sobre doença arterial Periférica (DAP) de


membros inferiores observou-se risco relativo (RR) de 2,4 intervalo de 95% de confiança 1,8 – 3,1
associado a diabetes mellitus (grupo de referência = indivíduos sem diabetes mellitus). Após ajuste
por nível de colesterol sérico, categorizado como normal ou alto, o RR foi 1,8 [IC 95% 1,4 – 2,3],
baseado nestas informações, assinale a alternativa incorreta.

A) Nível de colesterol sérico é um a variável de confusão para a associação entre DAP e diabetes
B) Nível de colesterol sérico está associado com diabetes
C) Diabetes está associado com DAP
D) Diabetes não é fator de risco estatisticamente significante para DAP após ajustar o nível de
colesterol sérico
E) Indivíduos com história de colesterol sérico elevado tem risco aumentado para desenvolver DAP
2. Em estudo de coorte, os grupos originalmente selecionados são constituídos por pessoas:

A) Com a doença em estudo


B) Sem doença em estudo
C) Com fator de exposição sob investigação
D) Sem o fator de investigação
E) Com história de doença familiar em estudo

3. Um viés (vício, ou bias) da aferição (classificação) da exposição influi no resultado de um estudo


epidemiológico:

A) De forma constante, aumentando a medida de efeito


B) De forma constante, diminuído a media de efeito
C) De forma variada de acordo com o viés da aferição
D) De forma aleatória
E) Direção da influencia é imprevisível

4. Visando investigar possíveis fatores etiológicos para retardo mental (RM), as ,mães de 100
crianças com RM e crianças com QI normal foram inquiridas a respeito do uso de cocaína durante a
gravidez. Na entrevista 10 mães de crianças com RM e 10 mães de crianças com QI normal
referiram uso de cocaína durante a gestação. O risco (incidência acumulada) de desenvolvimento
mental entre as crianças de mães que referiram uso de cocaína durante a gestação.

A) É igual a 0,1
B) É igual a 0,02

C) É 50 vezes maior daquele de que crianças, cujas mães não referiram uso de cocaína na gestação

D) É igual á prevalência de uso de cocaína durante a gestação no total de mães estudadas;

E) Não pode ser calculado diretamente a partir deste estudo.

5. Em um estudo visando avaliar a eficácia do auto –exame na redução da mortalidade por câncer de
mama, 133375 mulheres participaram de um treinamento sobre essa técnica de rastreamento
(screening) para a doença. Os resultados do exame e do diagnóstico definitivo são mostrados na
tabela.

Câncer de mama ( diagnóstico definitivo)

Auto-exame Sim Não Total

Positivo 256 1474 1730

Negativo 75 131.570 131.645

Total 331 133.044 133.375


O valor preditivo positivo

A) (265 / 133.375) x 100 ou 0,2%


B) (256 x 1730) x 100 ou 14,8 %

C) (256 / 331) x 100 ou 77, 3%

D) (131.510 / 131.645) x 100 ou 98,9 %

E) (13.150 / 131,645) x 100 ou 99,9%

6. A epidemiologia teve um papel destacado nas primeiras investigações etiológicas e medidas


preventivas relativas à AIDS. Nesse sentido é correto afirmar.

A) Por ser tratar, à época em que surgiu, de um agravo inusitado à saúde, os estudos de coorte
mostraram-se opção privilegiada para levantar hipóteses etiológicas
B) Por se tratar, à época em que surgiu, de uma doença epidêmica, esse ramo do conhecimento
médico tornou-se o instrumento preferencial para o conhecimento e intervenção

C) Por se tratar a época em que surgiu um agravo inusitado à saúde, os estudos de caso – controle
mostram-se opção privilegiada para levantar hipóteses etiológicas;

D) Por se tratar, a época em que surgiu, de uma doença endêmica, esse ramo do conhecimento
médico tornou-se instrumento preferencial para o conhecimento e investigação

E) Por se tratar, à época em que surgiu, de uma doença epidêmica, os ensaios clínicos permitem
definir etiologias e medidas de controle adequadas

7. Atenção à saúde no SUS no Brasil tem como característica?

A) Estar restrita ao nível primário da atenção


B) Contar o nível secundário apenas com hospitais públicos

C) Estar organizada segundo estrutura piramidal

D) Alcançar cobertura adequada de hospitais especializados em todas as regiões

E) Utilizar o Programa de saúde da família como local de atendimento apenas complementar

8. Se compararmos a história Natural da doença (HND) e os correspondentes níveis de prevenção do


câncer cérvico-uterino com a da tuberculose pulmonar, será correto afirmar que :

A) No caso do câncer cérvico-uterino, medidas de prevenção relativas ao nível primário são as mais
comumente privilegiadas nas estratégias do controle populacional;
B) Nos casos de tuberculose pulmonar, o tratamento dos doentes já constitui medida de nível
secundário

C) No período pré – patogênico é o mais estratégico para as medidas de screening do câncer


cérvico-uterino

D) Nos caos de tuberculose pulmonar, o tratamento dos doentes caracteriza ação preventiva de
caráter simultaneamente primário e secundário ;
E) No caso do câncer cérvico-uterino, o tratamento dos doentes caracteriza ação preventiva de
caráter simultaneamente secundário e terciário

9. Assinale a alternativa correta.

A) A privatização dos serviços de saúde ocorreu tardiamente no desenvolvimento do sistema de


saúde brasileiro, assim como a noção de seguridade social e de direito universal á saúde;
B) O conhecimento de seguridade social é semelhante à noção de seguro, no qual contribuintes de
um sistema adquirem determinados direitos conforme critérios democráticos

C) No desenvolvimento das políticas de saúde no Brasil, o financiamento tripartite (Estado,


empregados e empregadores) e o Controle descentralizado das decisões são características
constantes

D) As noções de seguridade social e de direito à saúde de algum modo estão presentes desde os
primeiros sistemas de saúde brasileiros;

E) A conformação do sistema de atenção à saúde no Brasil deu-se de tal modo que se pode falar em
um modelo de estatização privatizante.

10. Sobre os SUS no Brasil, assinale a alternativa correta

A) É composto por um mix público/privado, cujos três componentes são os estabelecimentos


públicos, os privados contratados e a rede de assistência médica complementar;
B) Há predomínio da rede privada contrata na prestação de atenção hospitalar

C) Há distribuição igualitária dos recursos financeiros, humanos e estruturais disponíveis entre as


distintas regiões do país;

D) Os princípios da universalidade e da equidade já são hoje uma realidade, enquanto que a diretriz
da descentralização pouco avançou na ultima década;

E) Não tem como função às ações individuais e coletivas, devendo manter-se atuante nas ações de
recuperação da saúde.

11. Sobre o perfil dos profissionais médicos no Brasil, aponte a resposta correta.

A) A proporção de médicos residentes em grandes capitais é a mesma que a de médicos


residente no interior dos estados;
B) Há excedentes de profissionais médicos no nordeste e sudeste e carência nas demais regiões;

C) A distribuição dos profissionais médicos no Brasil beneficia o sul e o sudeste, em detrimento


dos estados e das regiões mais necessitadas;

D) Em média os médicos detêm duas situações de trabalho, sendo que,em sua grande parte elas
se caracterizam como trabalho do tipo liberal, realizados em consultórios privados;

E) O assalariamento dos médicos ocorre no setor publico da assistência á saúde sobretudo na


atenção primária, por meios do programas de saúde da família
12. Sobre a situação atual da saúde no estado de São Paulo, assinale a alternativa correta:

A) O melhor sistema de saúde e o maior desenvolvimento do estado de São Paulo constituem os


principais fatores responsáveis por taxas de cesáreas bem abaixo das medidas nacionais, embora
ainda bem mais altas do que as dos países do 1º mundo;
B) O maior risco de morrer no primeiro ano de vida encontra-se no período neonatal tardio (7 a 28
dias);

C) O risco de morrer por causas externas é maior entre jovens de ambos os sexos;

D) A tendência de aumento nos coeficientes de mortalidade por câncer é atribuível principalmente


ao envelhecimento precoce;

E) A tendência da mortalidade por câncer de pulmão tem sido de aumento mais expressivo
expressivo em homens de que em mulheres.

13. Em relação às praticas de vigilância epidemiológica, é correto afirmar:

a) O “caso suspeito” de uma doença é o que maior valor tem para o desencadeamento das
ações de controle, pois permite o desenvolvimento das ações de alta eficiência;

b) O “caso confirmado” é o que permitiria maior eficiência das ações mas, em função do
prejuízo que a demora do diagnóstico pode ocasionar para o desencadeamento das ações de
controle , raramente é utilizado;

c) O “caso suspeito” é de extrema utilidade para as práticas de vigilância pois, além de


permitir agir com rapidez, permite a construção de diagramas de controle mais sensíveis;

d) O desencadeamento das ações de controle pode trabalhar com o caso confirmado no caso
de se tratar de uma doença de alta prevalência.

e) O “caso confirmado” pode oferecer, em termos de controle epidemiológico de ma doença,


a mesma segurança que o “caso suspeito” .

14. Observe os dados abaixo:

Indicadores de mortalidade dos Municípios A B durante o ano de 2000

Indicadores Município. A Município B

Coeficiente de mortalidade geral 8,56 p/1000 6,56 p/1000

Coeficiente de mortalidade geral padronizado por 5,45 p/1000 7,113 p/1000


idade (método direto)

Razão de mortalidade padronizada (SMR) do ****** 1,57


Município B em relação ao Município A

Assinalando estes dados é correto afirmar

a) A mortalidade no município B é menor do que a do município A e isto indica que o


município B apresenta melhores condições de saúde do que o município A;

b) A mortalidade padronizada por idade no município B é maior do que no município A e isto


indica o município A possui uma população mais jovem

c) A mortalidade padronizada por idade no município B é maior do que no município A isto


indica o município B possui melhores condições de saúde do que o município A

d) O município B apresentaria 57% mais óbitos do que seria esperado se a força da


mortalidade neste município fosse a mesma do que o município A

e) O município A apresenta 570 óbitos a menos do que o município B

15. Sobre situação atual de saúde no Brasil,assinale a alternativa correta:

a) Os homicídios representam o principal componente das mortes por causas externas na


maioria das regiões metropolitanas

b) Nos locais de piores condições sócio-econômicas e ambientais, as doenças infecciosas


são a principal causa de morte em crianças de 0 – 4 anos, enquanto nos bairros de melhores
condições sócio – econômicas e ambientais a principal causa de morte nessa mesma faixa
etária são as doenças respiratórias;

c) Diferentemente das doenças infecciosas, as doenças cardiovasculares não apresentam


diferenças significativas na incidência entre locais de melhores e piores condições sócio-
econômicas e ambientais.

d) A tendência predominante é a queda da mortalidade infantil desde os anos 60, sendo essa
queda atribuível, sobretudo, à melhora da assistência médica ao parto e aos recém – nascidos

e) O padrão de mortalidade varia de região para região do país, com predomínio da


mortalidade por doenças infecciosas nas regiões Norte e Nordeste e por doenças
degenerativas nas demais regiões.

16. Ao realizar uma visita domiciliar para avaliação de comunicantes de um paciente com
tuberculose pulmonar, a equipe de saúde encontrou a seguinte situação:
Nome Idade Situação vacinal Estado de saúde Parentesco

NAF 29 anos Vacinado Sintomática Esposa

RAF 29 dias Não vacinado Assintomática Filha

PBF 25 anos Não vacinado Sintomática Irmão

MSG 27 anos Vacinado Assintomática Vizinha

É correto afirmar:

a) Os 4 indivíduos são por definição considerados comunicantes

b) Deve-se vacinar todos os comunicantes não vacinados

c) Deve-se iniciar quimioprofilaxia para todos os indivíduos

d) Deve-se iniciar quimioprofilaxia para todos os comunicantes

e) Nenhum dos indivíduos deve ser imediatamente vacinado

17. Como atentado terrorista ao World Trade Center, em 11 de setembro de 2001, a população
novaiorquina ficou exposta a um agente químico que foi utilizado na construção dos prédios para
evitar diminuir as possibilidades de incêndios. Os riscos ocupacionais aos quais os trabalhadores que
construíram o prédio estiveram submetidos, em 1973, passam agora também para a população geral,
frente ao desabamento do prédio, caracterizando-se um problema de saúde pública e ambiental a ser
acompanhado nas próximas décadas. Esse agente provoca alterações pulmonares agudas e crônicas ,
além de um tumor, o mesotelioma de pleura é:

a) Sílica

b) Asbesto

c) Berílio

d) Lã de vidro

e) Alumínio

18. Sobre o orçamento de seguridade social é correto afirmar:

a) Suas principais fontes são representadas pela COFINS (contribuição financeira para
seguridade) e pelo IR (imposto de renda)
b) É através desses que são destinados os recursos financeiros para a saúde, educação e
previdência social

c) Ele varia segundo o nível de emprego do país, uma vez que a maioria dos seus recursos é
proveniente de desconforto compulsório sobre a folha de salários e empresas

d) Suas principais fontes são representadas pela CPMF (contribuição permanente sobre a
movimentação financeira) e pelo IPI (Imposto sobre produtos industrializados);

e) O IPTU (Imposto patrimonial e Territorial Urbano) destina parte de suas alíquotas para
compor o orçamento de Seguridade Social.

19. Quanto aos conceitos de “grupo de risco”, “comportamento de risco” e “vulnerabilidade”, tal
como utilizados no campo da prevenção da epidemia de HIV/AIDS, é correto afirmar:

a) “grupo de risco” foi o conceito tardiamente desenvolvido e representa entre outros


aspectos, a utilização de medidas de risco relativo e Odds Ratio identificadas em estudos
epidemiológicos à definição de estratégias de controle populacional de infecção;

b) “O comportamento de risco” foi o conceito mais precocemente desenvolvido e representa


entre outros aspectos, a utilização de conhecimentos de psicologia na orientação das ações
preventivas, até que os estudos epidemiológicos pudessem subsidiar ações de caráter
populacional;

c) Vulnerabilidade foi o conceito mais tardiamente desenvolvido e representa, entre outros


aspectos, a utilização de conhecimento das ciências sociais na orientação das ações
preventivas, até que os estudos epidemiológicos pudessem subsidiar ações de caráter
populacional;

d) Vulnerabilidade mais precocemente desenvolvida e representa entre outros aspectos,


utilização de conhecimentos da psicologia na orientação de ações preventivas, até que os
estudos epidemiológicos pudessem subsidiar ações de caráter populacional;

e) Grupo de risco e vulnerabilidade são denominações diferentes para um mesmo uso das
medidas de associação desenvolvidas pela epidemiologia, e representam apenas diferenças
quanto a natureza do fator causal estudado, se psicológico, social ou psicossocial.

20. Em relação a HAS, do ponto de vista da saúde publica, é possível afirmar que:

a) Níveis de HAS considerados moderados são os que mais atenção deveriam receber, pois
embora seu controle populacional não implique substantiva redução de mortalidade poderá
ter forte efeito sobre a morbidade;

b) Níveis de HAS considerados moderados são os que mais atenção deveriam receber, pois
seu controle populacional poderá ter mais impacto sobre a mortalidade que o controle dos
níveis considerados severos;
c) Níveis de HAS considerados severos estão mais fortemente relacionados à
morbimortalidade, mais não há evidencias de que seu controle populacional poderá ter algum
impacto;

d) Níveis de HAS considerados severos são os que mais atenção deveriam receber, pois o
impacto de seu controle populacional é o maior do que obtido com o controle dos níveis
moderados

e) Embora medidas de controle da HAS severa impactem menos a morbidade que a


mortalidade, essas têm sido privilegiadas em função de sua maior transcendência.

21.paciente do sexo masculino, com 49 anos de idade, diabético, evoluiu no pós- operatório de
colectomia subtotal por neoplasia de colón, com a seguinte gasometria: pH = 7,24; pO2 = 90 mmHg;
pCO2 = 23mmhg; Bic= 13mEq/l;. Apresenta ainda Na = 133mEq/l ; Cloro = 109 mEq/l. Qual o tipo
de acidose metabólica e sua causa?

a) Acidose com ânion gap alterado, provável cetoacidose diabética;

b) Acidose com ânion gap normal, provavelmente perda de bicarbonato

c) Acidose com ânion gap normal, provável cetoacidose diabética

d) Acidose com ânion gap alterado, ocorrendo perda de bicarbonato

e) Acidose com ânion gap normal, acidose tubular renal pós cirúrgica

22. Paciente asmático dá entrada no PS, não conseguindo falar, com taquidispnéia importante,
cianose e com tiragem intercostal. Ao exame fisco apresenta – se sonolento, dispnéico, com
murmúrio vesicular difusamente diminuído, raros sibilos e pulso paradoxal. FC= 120 bpm; FR= 36
mov/min; Esse doente deve obrigatoriamente:

a) Ser imediatamente intubado e sedado;

b) Ser tratado com adrenalina endovenosa

c) Receber antibióticoterapia desde o início da medicação;

d) Receber corticóide como primeira medicação

e) Fazer inicialmente inalação com beta estimulante

23. Você é chamado para avaliar um paciente internado em enfermaria, que se encontre inconsciente.
O paciente não respira e não tem pulso. Você começa as manobras de reanimação cardiopulmonar e,
ao monitorizar o paciente, você encontra uma fibrilação ventricular. A prioridade neste instante deve
ser:
a) Submeter o paciente a intubação orotraqueal

b) Cardioverter o paciente a 200 j

c) Providenciar um acesso venoso e prescrever amiodorona 300mg

d) Desfibrilar com 200J

e) Providenciar acesso venoso, prescrever adrenalina 1,0 mg EV, após um bolus de 10 ml de


soro fisiológico 0,9% e levar o braço do paciente.

24. Paciente do sexo feminino, com 37 anos de idade, portadora de miocardiopatia da doença e
Chagas, é internada após quadro sincopal. O eletrocardiograma mostra:

a) Bloqueio átrio – ventricular de 1º grau variável

b) Bloqueio átrio – ventricular de 2º grau Mobitz I

c) Bloqueio átrio – ventricular de 1º grau Mobitz II

d) Bloqueio átrio – ventricular de 3º grau

e) Dissociação átrio-ventricular e sinais de hiperpotassemia

25.Considere a seguinte prescrição:

I. Jejum até a segunda ordem

II. Nitroglicerina 50 mg a 0,9% 500ml endovenoso ( EV), a critério médico

III. Enoxaparina 60 U subcutâneo

IV. Propanolol 40 mg, via oral 8/8 horas

V.AAS 200mg V.O agora

VI. Diazepan 5 mg V.O 8/8 horas

VII. Cateter de O2 4ml/min

VIII. Repouso absoluto no leito

Para qual das situações abaixo esta prescrição pode ser usada:

a) Tromboembolismo Pulmonar
b) Dissecção aórtica

c) Emergência hipertensiva

d) Angina instável

e) IAM, com comprometimento de ventrículo direito

26. paciente do sexo feminino, com 40 anos de idade sem antecedentes mórbidos, apresentou um
episódio de tontura seguido de pré-sincope após caminhada de 30 minutos no plano. Avaliada no
ambulatório do Clube, constatou-se apenas ritmo cardíaco irregular e pulso 170 bpm. O ECG
revelou ausência de ondas P e intervalo PR irregular. Qual dos exames é mais importante na
avaliação da causa da arritmia?

a) Dosagem sérica de potássio e magnésio

b) Monitoração eletrocardiográfica ambulatorial ( Holter de 24 horas )

c) Ecocardiograma de esforço

d) Teste ergométrico

e) Dosagem hormonal de TSH

27. Paciente do sexo feminino com 76 anos de idade, hipertensa de longa data procurou o pronto
socorro com queixa de tontura e cefaléia occipital. Verificando-se PA = 190x120, a paciente foi
liberada logo após receber 10mg de nifedipina sublingual. Três horas após alta, a paciente evoluio
com desvio da rima labial, disartria e hemiparesia completa a direita. O diagnóstico mais provável
para este quadro é:

a) Hemorragia subracnóide por ruptura de aneurisma cerebral

b) Hipertensão rebote, pós nifedipina

c) AVC isquêmico;

d) AVC hemorrágico hipertensivo;

e) Encefalopatia hipertensiva

28. Paciente do sexo masculino, com 75 anos de idade é fumante, usava abusivamente café, tem
oteoartrose grave e refere a 3 meses epigastria e perda de peso. A endoscopia revelou úlcera em
corpo gástrico, cuja biopsia da lesão revelou material necrótico, compatível com fundo de úlcera. A
pesquisa de H pylori na lesão foi positiva à coloração hematoxilina- eosina ( HE). A conduta mais
adequada para o tratamento é:
a) Medicar com claritromicina, tinidazol e pantropazol por sete dias, manter pantropazol por
mais uma semana e solicitar endoscopia se não houver melhora dos sinto,mas com o
tratamento;

b) Não erradicar a bactéria, tratar o paciente com omeprazol por quatro semanas e solicitar
endoscopia, mesmo com melhor dos sintomas após o tratamento;

c) medicar com tetraciclina, metronidazol, subcitrato de bismuto e pantoprazol por quatorze


dias e para controle solicitar teste respiratório com úreia marcada;

d) Medicar com amoxacilina, claritromicina e omeprazol por uma semana, omeprazol por
mais seis semanas e solicitas endoscopia de controle em, no máximo, seis meses

e) Não erradicar a bactéria, tratar o paciente com omeprazol por oito semanas e solicitar
endoscopia de controle ao término do tratamento.

29. Paciente do sexo feminino 27 anos, com antecedente de diabetes mellitus tipo 1, chegou no PS
com quadro de poliúria, polifagia e fraqueza. Apresentava-se ao exame físico com hálito cetônico,
desidratada +++/4+ e com respiração de Kussmaul. Os exames laboratoriais iniciais : glicemia = 456
mg/dl; Na= 143 mg/dl; k = 3,8 mg/dl, cetonuria ++++/4+; gasmetria arterial com pH= 7,03 , p02 =
96 mmHg;e Bic= 7 mEq/l. sua conduta inicial seria:

a) Hidratação com SF 0,9% reposição de K e insulina regular EV

b) Hidratação com SF 0,9% reposição de K e insulina regular EV e reposição de bicarbonato

c) Hidratação com SF 0,45%, insulina regular

d) Hidratação com SF 0,45%,reposição de K, insulina regular EV e reposição de bicarbonato

e) Hidratação com SF 0,9% , insulina regular EV e reposição de bicarbonato

30. Vem ao seu ambulatório um paciente de 78 anos de idade portador de fibrilação atrial há
aproximadamente um ano.Ele não usa nenhuma medicação, mas acha que deve começar a tratar-se
com um geriatra. Qual das medidas abaixo será mais importante e risco – beneficio para promoção
da saúde nesse indivíduo?

a) Rastreamento para câncer de próstata

b) Anticoagulação com warfarina

c) Introdução de antiarrítimico

d) Investigação de demência, com exames imagenológicos e neuropsicoógicos

e) Vitamina E, 1000 UI/dia


As questão 31 e 32 referem-se ao caso abaixo

Paciente do sexo masculino 48 anos de idade, negro, procedente de São Paulo é trazido ao
P S sonolento e confuso. Seu acompanhante relatou que o mesmo vê, apresentando emagrecimento e
dores ósseas nos últimos meses, além de náuseas e vômitos há três dias.Ao exame: paciente confuso
e descorado ++/4+, P84; PA130x80mmHg; com

restante do exame físico normal. Hemograma: Hb = 8,0 g/dl normocitose e normocromia.


Leucócitos -= 4.500/mm³. Bt = 2%; Seg = 65%; Eos= 1%; Bas = 0%; LI típicos = 28%; Mo = 4%).
Plaquetas = 120.000mm³. presença de Rouleaux; creatinina sérica = 3,5 mg/dl. Eletroforese de
protinas: albumina = 2,5 g/dl; α1=0,2;α2= 0,9;β=1,2; γ=2,8mg/dl, com suspeita de paraproteína.
Radiograma de esqueleto com esteoporose difusa. Em relação ao caso clínico apresentado, responda
ás questões 31 e 32.

31. Qual sua hipótese diagnóstica para o quadro acima e a investigação inicial a ser proposta?

a) Metástase óssea; mapeamento do esqueleto com tecnécio radioativo.

b) Mieloma múltiplo; imunoeletroforese de proteínas e mielograma.

c) Encefalopatia hepática; ultra- sonografia (USG) de abdome.

d) Meningite; exame quimiocitológico do líquor.

e) Osteomielite; hemocultura.

32. Quais são as complicações mais comuns nesse quadro?

a) Septicemia com coagulação intravascular disseminada.

b) Coagulopatia e hematêmese.

c) Hiperviscosidade, hipercalcemia e insuficiência renal.

d) Fratura patológica e hipocalcemia.

e) Seqüestro ósseo e fistulização

33. Paciente do sexo feminino, com 32 anos de idade, relata história de oito meses de fraqueza
progressiva e astenia além de uma semna de febre, náuseas e vômito, deu entrada no pronto-socorro
com queda do etado geral, feril, emagrecida e com hiperpigmentação de pele e mucosas. P=98
bat/min (supina) PA=100x60 mm Hg, PA=80x40 mmHg (ortostática) P= 110(ortostática), índice de
massa corpórea (IMC)=17 kg/m². A avaliação laboratorial demonstrou: hemograma com leucocitose,
glicemia=55 mg/dl, NA=117 mEq/i, K=7.2 mEq/L, U=106 mg/dl, Cr=2,9 mg/dl, Cálcio iônico= 5,5
mg/7,2, bases excess (BE)=-6,3. Com relação a esse caso, pode-se afirmar que:

a) Desidratação e os distúrbios hidro-eletrolíticos são decorrentes dos vômitos

b) A presença de febre com neutrofilia exclui o diagnóstico de insuficiência adrenal aguda

c) A presença de hipercalemia e de creatinina elevada sugerem o diagnóstico de insuficiência


renal aguda

d) A administração endovenosa de soro fisilógico e de hidrocortisona está indicada

e) A presença de cortisol sérico diminuído, independente do nível de ACTH confirma o


diagnóstico de insuficiência renal

34.Paciente do sexo masculino, de 75ans de idade, queixa-se de dor lombar aguda há quase 3
semanas. Refere ainda insônia e perda de 5 kg nos últimos 7 meses. Nega melhora da dor após uso
de anti-inflamatórios não hormonais, derivados morfínicos e repouso no leito. A hipótese diagnóstica
mais provável pára o caso é de:

a) Fibromialgia

b) Lombalgia mecânica

c) Fratura vertebral por osteoporose senil

d) Comprometimento metastástico da coluna lombar

e) Estenose o canal medular

35. Paciente do sexo feminino, com 45 anos de idade, sem história de alcoolismo, apresenta - se em
triagem de Banco de sangue com alterações de enzimas hepáticas e marcadores para vírus da
hepatite B e C negativos. Ao exame físico mostra-se em bom estado geral, IMC = 29 Kg/m², fígado
palpável a 3cm do rebordo costal direito de consistência um pouco aumentada, superfície lisa e
borda romba. HB = 1,5g/dl; AST = 42 UI/l ( nl=30 ); ALT= 67 UI/l (nl=36); γGT = 56 Ui/l 9 nl =
32), fosfatase alcalina = 99 UI/I (nl:104), glicemia = 135 mg/dl, colesterol = 230 mg/dl (nl:inferior a
200), albu mina e gamaglobulinas USG de abdome mostrar hepatoesplenomegalia, com atenuação
da sombra acústica posterior. Qual a melhor afirmação sobre o caso?

a) O diagnóstico de hepatit auto imune não está excluído e há necessidade de se insistir na


realização de auto – anticorpos ( antimicrossoma de fígado e rim , com anticotisol hepático e
anti – antígeno hápatico solúvel).

b) Os dados aprsentados foram sufientes para estabelecer a hipótese diagnóstica de “


hepatopatia obeso – diabética”, um a enfermidade cujo agente etiológico está bem
estabelecido
c) Se uma biópsia hepática fosse realizada e demonstrasse esteatose microveicular; fibrose
hialina de veia centrolobular e esboço de corpúsculos hialinos de Mallory, a história de não
ingestão alcoólica estaria incorreta.

d) Deve - se propor à paciente o início de uma dieta, com o objetivo de reduzir os níveis
glicêmicos, de triglicérides e de colesterol, na expectativa de que com a normalização desses,
houvesse também normalização dessas enzimas hepáticas

e) O diagnóstico definitivo, nesse caso, dependerá de alterações histológicas expressivas e


fundamentais, tanto para o diagnóstico como para o estabelecimento da conduta.

36. Paciente do sexo feminino, com 35 anos de idade foi submetida a exame radiológico com
contrate iodado. Dez minutos após a administração do contraste, apresentou falta de ar e chiado no
peito. Foi atendida no PS vinte minutos aos o inicio do quadro, com rouquidão, tontura, e visão
turva. Ao exame físico paciente ansiosa, agitada, taquidispnéica FR= 28 rpm, taquicardia arrítimica,
com PA = 70x40 mmHg, edema de face, tiragem intercosta, estridor laríngeo e sibilos difusos.A
primeira conduta a ser tomada deverá ser a administração de :

a) Adrenalina

b) Aminofilina

c) Anti- histaminico

d) Corticóide

e) Inalação de beta-antagonista

37. Paciente do sexo masculino, com 34 anos de idade é trazido ao P S com história de febre alta (até
40º) contínua, há quatro dias, acompanhada de tosse produtiva e grande queda de estado geral. Há
um dia tornou-se dispnéico e há cerca de doze horas, encontra-se sonolento e confuso. Ao exame
físico de entrada, obtém-se os seguintes dados: T=39,7º; FR = 32 mov/min, com estridores
crepitantes em ½ inferior do Hemitorax direito e 1/3 inferior do hemitorax esquerdo.Ausculta
cardíaca revela sopro holossistólico +++/4 em foco tricuspede. Nota-se ainda ferimento corto-
contuso, contendo secreção purulenta em grande quantidade, em região dorso- lateral do pé
direito.Qual seria sua hipótese diagnóstica e principal medidas terapêuticas iniciais?

a) Tétano – antibioticoterapia sistêmica com penicilina cristalina; imunoglobulina hiperimune


contra tétano (TIG) e desbridamento extenso do ferimento;

b) Tétano – soro anti – tetânico ( SAT); benzodizepínicos em dose elevadas; desbridamento


do ferimento e antibioticoterapia sistêmica com clidamicina;

c) Endocardite pos Staphylococcus viridans – antibioticoterapia sistêmica com penicilina


cristalina e gentamicina; drogas vasoativas e heparinização

d) Septicemia por Sdtaphylococcus coagulase – negativo – antibioticoterapia sistêmica com


cefalosporina de primeira geração e drogas vasoativas
e) Septicemia por Staphylococcus aureus – antibioticoterapia sistêmica com oxacilina,
desbridamento do ferimento; profilaxia anti-tetânica de acordo com o passado vacinal do
paciente.

38. Paciente de 22 anos de idade comparece a serviço de saúde e informa ter apresentado febre diária
de até 38ºC por cinco dias acompanhada de fadiga intensa, cefaléia holocraniana, náuseas e ,mialgias
generalizadas. Há um dia notou urina escura. Como antecedente relata viagem,dormiu em
acampamento improvisado, banhou-se em rios e visitou cavernas. Ao exame fisco observa-se
icterícia ++/4+, temperatura de 37,5ºC e fígado papável a 2 cm do rebordo costal direito, doloroso à
palpação . baço não percutível e não palpável. Com bases nesses dados pode-se dizer que:

a) A hipótese diagnóstica de febre não pode ser descartada pelos dados epidemiológicos e
pela evolução clínica

b) O encontro de proteínuria e hematúiria ao exame do sedimento urinário sugere fortemente


a hipótese de leptospirose

c) Se os níveis séricos de aminotransferases excederem 20 vezes o limite superior da


normalidade poderá ser estabelecido o diagnóstico de hepatite aguda

d) O diagnóstico etiológico de hepatite aguda pelo vírus da hepatite A somente poderá ser
confirmada após a demonstração de anticorpos circulantes contra o antígeno capsídeo viral;

e) O diagnóstico etiológico nesse caos depende de biopsia hepática para identificação do


agente causal

39. Paciente do sexo masculino, com 42 anos de idade, caminhoneiro, comparece ao serviço de
saúde referindo febre precedida de calafrios e acompanhado por intensa astenia, há tr6es dias.
Menciona que esteve em várias localidades ao longo da rodovia BR- 364 (Cuiabá – Porto velho ),
durante cerca de 45 dias, tendo retornado a São Paulo cerca de 5 dias. Relato ainda que , há cerca de
28 dias apresentou quadro febril, com características semelhantes ao atual, tendo procurado Centro
de Saúde em Jarú ( RO) onde, após exame de gota espessa, diagnósticou-se malária. Foram-lhe
prescritos comprimidos de cloroquina., com o que houve regressão do quadro. O exame físico de
entrada revela paciente em regular estado gera, descorado +/4 e ictérico ++/4, moderadamente
dispnéico, com t = 38.5ºC. fígado palpado a 2, 0 cm do rebordo costal direito, liso e baço percutível
sob rebordo costal direito não palpado. Levando-se em consideração os dados acima, pode-se
afirmar que:

a) Como teve diagnóstico de malária durante a viagem , e tendo sido ratado com cloroquina,
dificilmente a doença atual é a mesma devendo-se considerar o diagnóstico de febre amarela

b) Independente d espécie de Plasmodium que tenha causado o primeiro episódio, não existe
a possibilidade de tratar-se de uma recaída

c) Dependendo da espécie de Plasmodium envolvida no primeiro episódio, pode estar


ocorrendo uma recaída ou re infecção
d) Se pode afastar a possibilidade de recaída, ainda qual o primeiro episódio tive sido
causado por P. falciparum, visto que na região visitada pelo paciente, a maioria das cepas
desse parasita são sensíveis à cloroquina;

e) É provável que o paciente esteja apresentando uma recaída por P.vivax, visto que, na
região visitada pelo paciente são elevados os índice desse parasita a cloroquina;

40. Paciente do sexo feminino, com 43 anos apresentando quadro de febre prolongada, protação
hepatoesplenomegalia discreta e obstipaçào intestinal é internada para esclarecimento diagnóstico.
Durante a investigação identifica-se a presença da Salmonella typhi em hemolculturas e inicia-se a
terapêutica com clorofenicol por via parenteral.Apesar de ter ocorrido remissão de febre e melhora
do estado geral, dos dias após a introdução da antibióticoterapia, observa-se no décimo dia de
tratamento nova elevação de temperatura desta vez acompanhada de dor abdominal. A conduta mais
adequada séria:

a) Substituir a terapêutica inicial por quinolona, pela hipótese de resistência medicamentosa

b) Proceder a laparotomia de urgência pela possibilidade de complicação, resultante de


obstrução intestinal

c) Proceder a exame ultra-sonografico do abdome para investigação de perfuração intestinal,


complicação possível nessa fase da doença

d) Prosseguir com o tratamento pois a febre tifóide caracteristicamente evolui com febre
recorrente e manifestações gastro-intestinais

e) Substituir a terapêutica inicial por ampicilina, dada a possibilidade da paciente estar


evoluindo para o estado de portadora crônica de Salmonella typhi

41. Paciente recebendo anticoncepcionais,com quadro de eritema nodoso, apresenta PPD positivo,
dosagem de anti estreptolisina o (ASLO) elevada e reação de Mitsuda positiva). A condição que
pode ser excluída como etiologia do quadro cutâneo é :

a) Tuberculose

b) Estreptococcias

c) Anticoncepcionais

d) Hanseníase

e) Outras infecções bacterianas.

42. Paciente de 24 anos estava martelando ferro contra ferro quando sentiu que um objeto caiu no
seu olho esquerdo. Ao exame ocular externo ( realizado pelo clínico geral ) obseva-se discreto desvio
da pupila e material de coloração escurecido sobre a córnea. A conduta mais adequada:
a) Lavagem

b) Aplicação de colírios com antibióticos

c) Oclusão ocular e encaminhamento para o oftalmologista

d) Aplicação de pomada corticóide e administração oral de anti- inflamatórios

e) Limpeza de olho e encaminhamento para o oftalmologista

43. Paciente do sexo feminino, com 60 anos de idade relata pneumonia diagnosticada e tratada com
antibiótico há duas semanas encontra-se assintomática no momento, mas apresenta, na radiografia de
tórax de controle, opacidade tênue na projeção do lobo médio. A conduta mais adequada seria:

a) Observar apenas, pois a imagem é residual podendo desaparecer em algumas semanas

b) Reintroduzir o antibiótico para tratamento domiciliar, pois trata-se de recidiva de


pneumonia adquirida na comunidade

c) Trocar o antibiótico, após coleta de escarro para cultura e antibiograma e indicar


tratamento hospitalar, pois trata-se de infecção por bactéria multi-resistente em paciente
idoso

d) Introduzir novo antibiótico após coleta de escarro para cultura e antibiograma e indicar
tratamento hospitalar, pois pode tratar-se de infecção por bactéria multi-resistênte em
paciente idoso

e) Realizar tomografia computadorizada de tórax, pois pode haver um câncer de pulmão


agudo

44. Paciente de 30 anos de idade excluivamente perimenstruais de cefaléia bitemporal intensa, em


peso, acompanhada de fono e fotofobia, com náuseas e piora com esforço. A dor atinge seu pico no
segundo dia de menstruação e não cede com analgésicos comuns. A principal hipótese e melhor
conduta entre as abaixo são, respectivamente:

a) Cefaléia hemicrâniea; profilaxia intermitente com naproxeno ou naratriptano

b) Cefaléia hêmicranea; profilaxia com di – hidrergotamina

c) Cefaléia do tipo tensional; antinflamatórios nas crises

d) Cefaléias do tipo tensional; profilaxia com antidepressivo tricíclico

e) Síndrome de tensão pré-menstruais; fluoxetina.


45. Criança com 8 anos de idade, apresenta há um dia quadro de coriza, cefaléia e vômitos e crise
epilética tônico – clônico generalizada . No momento do atendimento queixa-se apenas de cefaléia e
náuseas encontra-se afebril e sem alteração ao exame clínico e neurológico. A conduta adequada é :

a) Orientação dos familiares pois provavelmente trata-se de uma convulsão febril não
complicada

b) Realização de exame de neuro imagem e punção liquórica, pois pode tratar-se de infecção
em SNC

c) Medicação com anticonvulsivante, pois pode ter chance de recorrência em novo episódio
de febre alta

d) Prescrição de antitérmicos de horário para evitar novo pico febril

e) Prescrição de benzodiazepínicos nos picos de temperatura para evitar novas crises

46. Paciente do sexo feminino com 25 anos de previamente hígida primigesta, após o parto sem
intercorrências, passa a ficar vigilante ao longo das noites devido temor de haver algo errado com a
criança e para que nada de errado possa acontecer com ala. Restringe sua dieta apenas a verdura para
que de ruim passe para seu filho pelo leite materno. Fala incessantemente sobre esse assunto, passa a
maior parte do tempo fazendo arrumações e planos para a casa, irrita-se quando contrariada, chega a
xingar seu marido e a quebrar objetos no domicilio.Este procura auxílio médico após um mês,
quando a paciente passa a manifestar rejeição ao filho e tenta matá-lo “para o bem da humanidade.”
O diagnóstico mais provável neste caso:

a) Transtorno de personalidade

b) Transtorno obsessivo-compulsivo

c) Transtorno afetivo bipolar

d) Anorexia nervosa

e) Autismo atípico

47. Um médico forneceu um atestado de favor (falso) a um estudante, a pedido deste, para dispensa-
lo das aulas de educação física. Trata-se de:

a) Ato médico sem implicações éticas ou legais, uma vez que é procedimento corriqueiro e
consagrado na prática da profissão.

b) Prática reprovável pela ética médica hipocrática, mas não punível pelos nossos conselhos
de medicina.

c) Falta administrativa que implica sanções aplicáveis pela maioria dos hospitais, mas sem
implicações éticas ou legais.
d) Infração ética segundo o código de ética medica em vigor, porém sem outras implicações
legais.

e) Crime punível com 1 mês a 1 ano de detenção.

48. A antibióticoterapia instituída para otite média em lactentes de 12 a 24 meses deve prever a
cobertura de :

a) Streptococcus pneumoniae e Streptococcus Beta hemolítico do grupo A

b) Haemophilus influenza e streptococcus beta hemolítico do grupo A

c) Haemophilus influenza e Streptococcus pneumonia

d) Maroxella catarralis e Streptococcus pneumonia

e) Maroxella catarralis e Stafilococcus aureus

49. Uma criança com diagnóstico de síndrome nefrítica, pode-se afirmar:

a) Pela hipovolemia a hipertensão arterial é um achado obrigatório.

b) A hematúria é um achado freqüente, embora possa estar ausente em uma pequena


porcentagem de casos

c) Se deve incentivar a ingestão hídrica a fim de manter diurese adequada

d) A hiponatremia pode ocorrer, refletindo um aumento da secreção tubular de sódio

e) É geralmente secundária a doenças reumatológicas como lupus

50. No primeiro exame físico do recém – nascido freqüentemente podem ser observados os seguintes
achados clínicos:

a) Edema localizado de mãos e pés, hemangiomas em pálpebras, manchas cutâneas


eritematosas, pontos branco – amarelados em asas nasais

b) Edema localizado de mãos e pés, hemangiomas em pálpebras, pontos branco – amarelados


em asas nasais, lesões bolhosa em tronco

c) Edema localizado de mãos e pés, hemangiomas em pálpebras, manchas cutâneas


eritematosas, sangramento nasal

d) Artéria umbilical única, hemangiomas em pálpebras, manchas cutâneas eritematosas,


pontos branco – amarelados em asas nasais
e) Edema generalizado

51. Dentre as faixas etárias abaixo,, qual apresenta a etapa de desenvolvimento mais adequada?

a) 4 meses – postura: barriga para cima, pernas e braços fletidos, cabeça lateralizada

b) 5 meses – reflexo de moro

c) 6 meses – engatinha

d) 9 meses – responde de forma bem diferente a pessoas familiar e estranhos

e) 11 meses – Somente senta-se com apoio

52. Com relação à doença das membranas hialinas, pode-se afirmar que:

a) A administração de corticóide para mãe e sulfactante pulmonar para o recém – nascido


constituem medidas importantes na prevenção e tratamento de doença

b) O uso de sulctante pulmonar não altera a evolução da doença

c) A doença atinge com a maior freqüência os recém –nascidos pequenos para a idade
gestacional

d) As condições sócio econômicas e assistenciais pré –natal não correlacionam com a


incidência da doença

e) A doença é muito rara em nosso meio

53. Em relação à baixa estatura na adolescência é incorreto afirmar:

a) O atraso na idade óssea está associado, geralmente a melhor prognóstico de altura final

b) A idade óssea é compatível com a maturação sexual e não com a idade cronológica

c) Velocidade de crescimento abaixo do normal implica na investigação de possível


patologia

d) Estágio adiantados de maturação sexual estão associados com pior prognóstico de altura
final

e) A velocidade de crescimento está associada à idade cronológica e não a maturação sexual


54. Paciente com 6 meses de idade chegou ao OS com história de diarréias e vômitos há 5 dias.
Apresentava sinais evidentes de desidratação, hipotonia e distensão abdominal. Os exames
laboratoriais iniciais mostravam: na = 135 mEq/l; K = 2,1 mEq/l, gasometria com pH = 7,5;Bic = 11
mEq/l; pO2 = 95mmHg ; pCo2 = 23 mmhg. Pode-se afirmar que

a) O potássio sérico está baixo, mas o potássio corpóreo está aumentado

b) A acidose metabólica está contribuindo para a queda do potássio sérico

c) A distensão abdominal é secundária à hiponatremia

d) No soro de expansão há necessidade de ser adicionado potássio

e) Devemos corrigir a acidose antes de correr o soro em expansão.

55. Criança de 4 anos de idade, previamente hígida é internada pela primeira vez co pneumonia e
insuficiência respiratória, escolha a terapêutica antimicrobiana:

a) Oxacilina + Cefalosporina de 2ª ou 3ª geração

b) Oxacilina + aminoglicosideo

c) Clidamicina

d) Penicilina benzatina

e) Penicilina cristalina

56. Criança do sexo feminino, co 3 anos de idade, vem apresentando falta de apetite, dor abdominal
há um mês e, na mesma época eliminou vermes. Apresenta hábito intestinal 2 vezes por dia, com
fezes pastosas. Reside a 20 quilômetros do posto de saúde, em um barraco de madeira, sem
saneamento básico. Qual a conduta adequada?

a) Prescrever imediatamente anti – parasitário como teste terapêutico

b) Iniciar investigação radiológica para quadro de semi – oclusão intestinal

c) Solicitar três amostras de fezes para análise parasitológica e solicitar retorno em um mês

d) Tratar provável amebíase, forma intestinal

e) Iniciar investigação radiológica para infecção urinária

57. Recém – nascido de termo peso de nascimento = 2.500g, é trazido ao serviço médico aos 20 dias
d idade, com história de choro à manipulação desde o quarto dia de vida. Sua mãe, com 17 anos de
idade, não fez pré – natal. Ao exame fisco o recém – nascido mostrava-se em regular estado geral,
com palidez cutâneo – mucosa, fígado palpável a 4 cm do rebordo costal direito e baço palpável a
2,5 cm do rebordo costal esquerdo. Radiografia de ossos longos revela lesões periostais no úmero,
bilateralmente. O diagnóstico provável é:

a) Rubéola congênita

b) Raquitismo

c) Osteomielite por Stafilococcus aureus

d) Toxoplasmose

e) Lues congênita

58. Lactente do sexo masculino, com 5 meses de idade, chega ao PS com queixa de diarréia ( fezes
líquidas, sete vezes ao dia)e vômitos há um dia.A o exame mostra-se prostado, sonolento, co
mucosas secas, fontanela deprimida, pulsos periféricos finos ( 160/ min) e tempo de enchimento
capilar de sete segundos.Nesse momento chegaram os exames colhidos na entrada: pH = 7,2. Bic =
10,2 mEq/l; na = 118 m Eq/l; K= 3,0 mEq/l e glicemia = 89 mg/dl. A melhor conduta para o caso é :

a) Correção da acidose com bicarbonato

b) Nova expansão com 50 ml/ Kg de “soro ao meio”

c) Correção de sódio

d) Correção de potássio

e) Administração de insulina regular subcutânea (0,1/ Kg)

59. Uma criança de dois anos de idade chega ao P S com história de febre alta ( 40º ) há um dia,
vômitos em jato e queda do estado geral. Ao exame físico apresenta-se : regular para mau estado
eral, com má perfusão periférica, sinais meningeos e presença de petequias em face e tronco.
Realizada punção liquórica, que revelou 200 leucócitos/ mm³ co 805 de neutrófilos e 20% de
linfócitos, proteinorraquia de 40 mg/dl e glicorraquia de 50 g/dl. Assinale a alternativa correta:

a) O diagnóstico mais provável é de meningite viral, devendo –se colher nova amostra de
liquor em 12 e 24 horas.

b) O diagnóstico clínico mais provável é de meningite menigocócica e menigococcemia

c) Trata-se de meningite bacteriana não especificada, tendo como agentes mais prováveis H.
influenzae e pneumococo

d) Devido à baixo celuridade do LCR, proteinirraquia e glicose normais, o diagnóstico mais


provável é de meningite não especificada

e) O agente etiológico mais provável é E.coli


60. Lactente feminino, com quatro meses de idade, é trazida ao P S. Sua mãe relata que a criança a
apresentar tosse, cansaço, “ chiado no peito “ e febre (de até 38,5ºC ) há dois. Nega episódios
semelhantes anteriores. Ao exame físico a presença taquipnéia Fr = 64/min) sem desconforto
respiratório. O murmúrio vesicular está presente e simétrico, acompanha-se de sibilos respiratórios e
estertores subcreptantes grossos e difusos . O diagnóstico de sibilância e a conduta devem ser
respectivamente :

a) Asma; inalações com broncodilatadores

b) Bronquiolite; inalações com soro fisiológico associadas à fisioterapia respiratórias

c) Asma; aminofilina

d) Bronquiolite; inalações com broncodilatadores

e) Laringite; inalações com adrenalina

61. Criança do sexo masculino, com seis e três meses de idade é trazido ao hospital com edema em
MMII há oito dias, que melhora durante o dia. Refere também náuseas, dor abdominal e fezes
amolecidas. Além disso vem apresentando urina clara com diminuição de volume.Ao exame físico
observa-se edema de MMII (++/4) depressível, edema bilateral (+/4), PA = 90x60 mmHg; ausculta
Cardíaca rítmica,sem sopros e abdome levemente dolorosos, com ruídos normais e fígado palpável a
0,5 cm do rebordo costal direito.Fita de urina na entrada não mostrou sangue,glicose ou corpos
cetônicos . A causa mais provável do edema é:

a) Aumento a pressão hidrostática vascular por alteração da função cardíaca

b) Aumento a pressão hidrostática vascular por diminuição da função renal

c) Aumento da permeabilidade vascular

d) Aumento a pressão hidrostática vascular por redução no ritmo de filtração glomerular

e) Diminuição de pressão oncótica plasmática por perda protéica

62. Os suplementos vitamínicos e minerálicos na adolescência, devem ser oferecidos:

a) Na fase de aceleração de crescimento

b) Na fase de desaceleração de crescimento

c) Antes da menarca

d) Em situações especiais como distúrbios alimentares

e) Antes da menarca
63. Criança chega ao primeiro ano de vida set ter iniciado seu esquema de imunização. Apresenta-se
desnutrida de 2º grau com infecção respiratória aguda ( traqueobronquite) e diarréia de pequena
intensidade. Qual a conduta indicada em relação a imunização dessa criança

a) Vacinar com anti – pólio agora e orientar para complementar imunização após melhora
clínica

b) Vacinar de BCG, DPT, anti – pólio e anti – sarampo

c) Aplicar todas as vacinas, exceto BCG, que só deverá se feita após recuperação nutricional

d) Aplicar DPT e anti-sarampo agora, após melhora da diarréia e BCG após recuperação
nutricional

e) Só iniciar esquema de imunização após melhora do quadro clínico e nutricional

64. Criança do sexo masculino, com dois anos de idade, reside na periferia da cidade de São Paulo.
Ao exame tem escassez do tecido celular cutâneo, sem outros sinais clínicos. À avaliação de curva
de crescimento, sua altura encontra-se no percentil 2,5. Sua alimentação é aparentimente pobre em
calorias. Pode-se afirmar que:

a) Sua baixa estatura é condicional

b) É portador de desnutrição energético – protéica primária

c) É portador de desnutrição em sua forma leve

d) Apresentará altura normal após seis meses de tratamento

e) È portado de marasmo

65. Quanto ao leite materno, pode-se afirmar que:

a) A proteção anti – infecciosa conferida à criança se refere à doença diarréica viral

b) A manutenção de aleitamento exclusivo até quatro meses pois a partir dessa idade
necessitam alimentação rica em ferro

c) A proteção anti-infeciosa decorrente do aleitamento materno é decorrente da presença de


IgA secretora e vários fatores inespecíficos, como liseozima, fatores de manutenção do
epitélio o=intestinal e lactoferrina

d) Crianças com baixo peso devem receber leite de vaca como completo até atingir o peso
ideal para a idade
e) O aleitamento materno não deve ser exclusivo até seis meses, pois a criança necessita de
frutas para suplementar suas necessidades de vitamina.

66. anulada

67. Paciente do sexo masculino, com 22naos de idade procura P S de ortopedia após queda durante
jogo de Handebol. Ao exame físico apresenta dor e deformidade local, cabeça umeral palpável sob o
processo coracóide, parestesia da região lateral e proximal do mesmo braço. As radiografias
mostram luxação gleno-umeral que foi reduzida com manobra de tração e contração. Entretanto, a
parestesia na região lateral e proximal do braço persistiu mesmo após a redução. Qual o provável
diagnóstico?

a) Neurapraxia do nevo axilar ; conduta expectante

b) Praxia das raízes C8 e T1 do plexo braquial; reparação ma fase aguda

c) Neuropraxia do nervo músculo-cutâneo; conduta expectante

d) Lesão do plexo braquial; conduta cirúrgica

e) Neuropraxia no nervo axilar, exploração cirúrgica imediata

68. Paciente do sexo masculino, com 45 anos de idade, trabalhador braçal, apresenta lombociatalgia
direita há duas semanas, após atividade física intensa. Refere dor da região lombar seguindo pela
parte posterior da coxa e da perna até a sola do pé direito. O sinal de Laségue é positivo. Que
conjunto de sinais você esperaria encontra nessa síndrome radicular?

a) Diminuição de força do quadríceps e reflexo patelar exaltado

b) Marcha em extensão do quadril e reflexo aquileo diminuído

c) Diminuiição de força do tríceps sural e reflexo patelar diminuído

d) Sinal de Babinski positivo, reflexo aquileo exaltado

e) Marcha em trendelenburg, reflexo patelar diminuído e diminuição de força em músculo


ílio-psoas

69. Paciente do sexo masculino, com 78anos de idade, apresenta hérnia inguinal direita. Submetido à
hernioplastia a Lichtenstein, apresenta no 1 º pós – operatório aumento importante o volume e dor no
testículo. Ao ultra – som Doppler, verifica-se ausência de fluxo sanguíneo em testículo direito. Qual
a causa de orquite isquêmica?

a) Ligadura da artéria cremastérica


b) Ligadura da artéria diferencial

c) Ligadura da veia testicular

d) Ligadura da artéria testicular

e) Trombose do plexo pampiniforme

70. Vítima de agressão por arma branca no sexto espaço intercostal, na linha hemiclavicular, chega à
sala de emergência com pulso 140 bpm, PA 60x30 mmHg e FR = 28 mov/min. Não há desvio de
traquéia, o murmúrio vesicular é simétrico bilateralmente. O quadro é mais compatível com:

a) Tamponamento cardíaco

b) Lesão de vaso do estreito superior

c) Lesão de artéria pulmonar esquerda.

d) Lesão de vasos pericárdio – frênicos

e) Hematoma retroesternal por lesão de vãos mamários internos.

71. Assinale a alternativa correta quanto às fraturas expostas dos ossos da perna:

a) A antibióticoterapia é mais importante que a limpeza no que diz respeito a prevenção de


infecção

b) O antibiótico a ser utilizado deve ser preferencialmente bacteriostático

c) A classificação de Gustilio para as fraturas expostas leva em conta o grau de


contaminação da ferida, o grau de energia do trauma, as lesões de partes moles incluindo
pele, músculos e vasos e a lesão óssea propriamente dita

d) Nas fraturas expostas com lesão de feixe vascular, a limpeza cirúrgica pode ser abolida em
favor de uma reparação mais rápida do feixe

e) Fraturas expostas não devem ter como tratamento definitivo a imobilização gessada

72. Um paciente diabético jovem chega ao hospital em confusão mental, taquipnéico e taquicárdico,
com hipotensão arterial aumento do volume da região cervical e vermelhidão na região
submandibular. Fora submetido à manipulação dentária há três dias, radiografia simples do tórax
mostra discreto alargamento do mediastino superior. A conduta imediata mais apropriada será:

a) Cavidade oral sob necrose, pra ventilação de abscesso dentário, uma vez completadas seis
hora de jejum
b) Pedir ecocardiograma pra comprovar o diagnóstico de endocardite bacteriana

c) Antibióticoterapia de largo espectro e internação em unidades semi- intensivas

d) Controlar descompensação diabética e agendar mediastinoscopia anterior

e) Realizar cervicotomia exploradora e toracotomia lateral para drenagem ampla da


mediastinite

73. Paciente do sexo feminino, com 52 anos de idade e antecedente de nefrectomia esquerda, procura
P S com queixa de febre, calafrios e diminuição do volume urinário. Após avaliação clínica e
radiológica, diagnostica-se pielonefrite aguda e calculo ureteral distal. A melhor conduta para esse
caso é:

a) Tratamento clínico da infecção com aminoglicosídeos

b) Tratamento clínico da infecção e litotripsina extracorpórea por choque de onda ( LECO)

c) Ureterolitomia

d) Compensação clínica e encaminhamento para ambulatório para tratamento de cálculo


ureteral

e) Compensação clínica, antibióticoterapia, drenagem da via excretora com duplo J ou


nefrostomia

74. Doente com 49 anos de idade, vem ao OS com quadro de hemtêmese volumosa, informa
antecedente de cirurgia cardiovascular há um anos, cm implante de ptótese de aorta ascendente, troca
de válvula aórtica e reimplante de coronárias. Refer ainda ser gastrectomizado e esplenectomizado
há cinco anos . Está em uso de comprimido e meio de Wafarin desd a troca de válvula, Seus
parâmetros hemôdinamicos de admissão revelam choque hemorrágico classe III. A conduta inicial
imediata mais adequada será:

a) Endoscopia digestiva alta

b) Passagem de balão de Senkstaken – Blackmore

c) Acesso venoso central, medida de pressão venosa e transfusão de sangue

d) Acesso venoso, administração de Ringer e subseqüentemente sangue após realização de


prova cruzada

e) Acesso venoso, administração de cristalóides e subseqüentemente de papa de glóbulos e


plasma fresco
75. Paciente com 43anos de idade programado para cirurgia extensa de abdome superior
( gastrectomia subtotal), apresenta provas de função pulmonar com capacidade vital reduzida,
embora a relação entre expiatório forçado no primeiro segundo e capacidade vital – VEF1 / CV seja
normal. A condição funcional pulmonar condizente com essa situação:

a) Pneumonia obstrutiva

b) Pneumonia restritiva

c) Aumento da complacência

d) Aumento de condutância

e) Função pulmonar normal

76. Traumatizado, vítima de colisão de veículo deu entrada no P S semiconsciente e cianótico.


Apresentava lacerações em face, pecoço e abdome. Fr = FR = 36 bpm; PA = 80x60 mmHg e
Glasgow de 7 . Observada ainda confusão torácica com respiração paradoxal bilateral e fratura
fechada em membros superior direito. No atendimento primário à admissão devem ser efetuados
diversos procedimentos EXCETO:

a) Radiografia de tórax e pelve

b) Ultrassonografia de abdome

c) Intubação orotraqueal

d) Aumento da condutância

e) Função pulmonar normal

77. Na região palpebral o tumor de maior incidência é o carcinoma basocelular. Sua localização mais
freqüente:

a) Canto medial da pálpebra superior

b) Canto lateral da pálpebra inferior

c) Canto medial da pálpebra inferior

d) Terço médio da pálpebra inferior

e) Terço médio da pálpebra superior

78. Paciente do sexo masculino, com 65 anos, subitamente apresentou paralisai facial esquerda. Ao
exame físico mostrava paralisia do andar inferior da face esquerda.e preservação dos movimentos do
andar superior (fechamento ocular e enrugamento da testa). A hipótese diagnóstica mais provável é
de :

a) Paralisia facial de Bell

b) Síndrome de Hunsay – Hunt

c) Paralisia facial central

d) Otite externa Maligna

e) Neuroma do nervo facial

79. Paciente de 25 anos de idade, com peso de 50 Kg, é vitima de queimadura por aram de fogo que
resulta em 40% de área corporal queimada. Segundo o esquema de Brooke modificado, devem-se
administrar nas primeiras oito horas:

a) 3000ml de solução cristalóide

b) 5000 ml de solução cristalóide e 1000 ml de solução colóide

c) 6000 ml de solução cristalóide

d) 2000 ml de solução cristalóide

e) 5500 ml de solução cristalóide e 500 ml de solução colóide

80. Paciente jovem. Sem doenças prévias é submetido a raquinestesia para herniorrafia. Após 10 min
a altura do bloqueio sensitivo está na linha dos mamilos ( quarto dermatómo torácico – T4). Pode
ser observado como efeito cardiovascular dessa técnica anestésica:

a) Hipotensão arterial

b) Aumento da resistência arterial periférica

c) Vasoconstricção periférica na área anestesiada

d) Hipertensão arterial

e) Aumento do retorno venoso

81. Paciente com 30 anos de idade é vítima de acidente com auto, com colisão frontal em alta
velocidade. È trazido ao PS consciente e informa ter utilizado cinto de segurança de duas pontas e
queixa-se de dor abdominal generalizada. Ao exame físico, nota-se dor intensa à descompressão
brusca do abdome e espasmo involuntário muscular hipogástrio . Sua pressão arterial é de 90 x 60
mm Hg e o P = 120 bpm. A radiografia de tórax e o hematócrito são normais. O passo diagnóstico
subseqüente para esse paciente e a realização de :

a) Lavagem peritoneal

b) Ultrasonografia abdominal

c) Tomografia computadorizada de abdome

d) Punção abdominal

e) Laparotomia exploradora

82. Paciente do sexo masculino 14 anos procura o OS com dor em bolsa testicular de início há oito
hora durante o sono. Ao exame não há melhora de dor à elevação do testículo. A hipótese diagnóstica
mais provável e a conduta são:

a) Epididemite bacteriana, antibióticorerapia

b) Torção extra - vaginal de testículo; exploração cirúrgica

c) Torção hidátide de Morgani; exploração cirúrgica

d) Torção intra- vaginal de testículo; exploração cirúrgica

e) Orquite viral; Tratamento com sintomáticos

83. Paciente do sexo feminino com 83 anos de idade é internada em unidade de terapia intensiva por
apresentar quadro de insuficiência coronária. Tem antecedente de obstipação crônica somente com
uso de laxantes. Há um ano, quando apresentou quadro de hemorragia digestiva baixa, realizou
colonoscopia que diagnosticou moléstia diverticular dos cólons. No momento está com enterroragia
há seis horas e já apresentou oito episódios de evacuações sanguinolentas, com instabilidade
hemodinâmica ( PA = 80 x50 mmHg; P = 120 bpm. O exame enviado ao laboratório mostrou Hb =
6,8g/dl, sendo que no dia anterior era de 12,3 g/dl. O plantonista da UTI já realizou uma endoscopia
digestiva que evidenciou gastrite leve de antro sem sinais de sangramento.Qual seria a conduta mais
indicada, além da reposição de sangue?

a) Solicitar colonoscopia

b) Hemicolectomia esquerda

c) Hemicolectomia direita

d) Colectomia subtotal

e) Investigação com arteriografia e mapeamento


84. Identifique as estruturas anatômicas assinaladas com números 1, 2, 3 e 4 no corte axial do
pescoço na fig. 2

a) Glândula parótida, glândula submandibular, músculo Masseter, veia retromandiblar

b) Linfonodo, glândula submandibular, músculo esternocleidomastoideo, veia jugular interna

c) Artéria carótida externa, músculo pterigóideo, glândula parótida, artéria carotídea interna

d) veia jugular interna, glândula submandibular, músculo masseter, artéria carótida interna

e) Veia jugular, glândula parótida, músculo esternocleidomatoideo, artéria carótida

85. identifique as estruturas assinaladas com os números 1,2,3, e 4 no corte axial do abdome, na fig
3.

a) Artéria renal esquerda, seguimento II do fígado, veia porta, estômago

b) Veia renal esquerda, segmento II do fígado, colón direito, colón esquerdo

c) Glândula suparrenal,segmento II do fígado, colon transverso, vesícula biliar

d) Ureter esquerdo, segmento III do fígado, colón esquerdo, vesícula biliar

e) Glândula suprarrenal, segmento II do fígado, cólon transverso, cólon direito

86. Identifique as estruturas anatômicas assinaladas com os números 1, 2, 3, e 4 no corte axial na fig
4.

a) Veia pulmonar direita, brônquio esquerdo, artéria pulmonar Carina

b) Brônquio direito, artéria pulmonar, aorta ascendente, brônquio esquerdo

c) Artéria pulmonar, veia pulmonar ,aorta ascendente, Carina

d) Artéria pulmonar direita, brônquio direito, aorta ascendente, brônquio esquerdo

e) Veia pulmonar direita, artéria pulmonar direita, veias cava superior, Carina

87. Gestante com 28 anos de idade primigesta em acompanhamento pré – natal na 32ª semana e tem
seu registro da altura uterina abaixo do percentil 10. Pode-se afirmar.

a) Se trata de restrição de crescimento fetal


b) O acompanhamento deve ser normal, sendo desnecessário exames complementares

c) Deve ser feita uma nova medida de altura em duas semanas

d) Deve ser realizada a dopllervelocimetria para diagnóstico d certeza de restrição fetal

e) Se trata de caso de risco para restrição do crescimento fetal e deve ser ultra -sonografia
obstétrica.

88. Gestante com 19 anos, II gesta, I para ( parto normal ), ed´entrada no P S com 32 semanas,
apresentando uma contração uterina a cada 15 min. Batimentos Cardíacos fetais =132/ min, rítmicos;
apresentação pélvica, com orifício externo de colo uterino pérvio para um dedo e orifício interno
impérvio. A conduta mais adequada é:

a) Interna-lá, realizar tocólise endovenosa e, em seguida, administrar coticóide

b) Deixa-la em observação e repouso durante três horas e, em seguida reavaliar a paciente

c) Administrar antibióticos, pois a presença de contrações uterinas sugere infecção ovular

d) Receitar urterolítico por via oral e dispensar a paciente

e) Interna- la e realizar cesárea em virtude da apresentação pélvica e prematuridade

89. Gestante com 35 anos de idade, fazendo uso de drogas hipotensoras, II gesta II para na 33ª
semana, é admitida com PA + 160 x 110 mmHg, edema ++/4+, proteinúria ++/4+, altura uterina
( AU )= 29 cm, freqüência cardíaca fetal ( FCF) = 144bpm, toque: colo grosso e impérvio. A
cardiotocografia fetal revelou boa vitalidade e a ultra - sonografia líquido amniótico diminuído. Qual
a melhor conduta?

a) pesquisar a maturidade fetal e, se presente, realizar o parto terapêutico

b) Avaliar a vitalidade fetal até 37º semana, pesquisar a maturidade fetal e realizar cesárea

c) Avaliar a vitalidade fetal até 37º semana e realizar parto terapêutico

d) Realizar a cesárea imediatamente

e) Aguardar até 40ª semana e realizar parto terapêutico

90. Primigesta, com gestação gemelar, primeiro feto cefálico e o segundo pélvico, apresenta
sangramento vaginal de grande intensidade logo após a dequitação da placenta. A primeira hipótese
diagnóstica deve ser:

a) Laceração de canal de parto


b) Atonia uterina

c) Rotura uterina

d) Retenção placentária

e) Hematoma de episiotomia

91. Gestante com 31 anos de idade e idade gestacional de 38 semanas, deu entrada no P S
queixando-se de dor em baixo ventre há cinco horas e perda de tampão mucoso. Exame obstétrico:
AU = 35; FCF = 144 rítmico, dinâmica uterina ( Du) = 3, contrações moderadas em 10 minutos.
Toque: colo médio, medianizado com dilatação de 5 cm, apresentação cefálica, plano 0 de De Lee. A
paciente foi encaminhada ao centro obstétrico para seguimento do trabalho de parto. Duas horas
após, o exame obstétrico permanecia inalterado. Assinale a alternativa que representa o melhor
diagnóstico e conduta:

a) Desproporção céfalo – pélvica; cesárea

b) Distocia funcional; Iniciar infusão de oitocina pois as contrações não estão adequadas à
fase do parto

c) Distocia funcional: amniotomia e reavaliação após duas horas; caso o exame permanaça
inalterado, indicar analgesia

d) Distocia funcional; cesárea

e) Evolução normal do trabalho de parto; reavaliar a paciente a cada duas horas.

92. Gestante primigesta, com idade gestacional de 41 semana, confirmada por ultra- sonografia de
primeiro trimestre, procura P S devido ao fato da gestação ter se estendido por uma semana além da
data provável do parto A avaliação da vitalidade fetal nestes caos deverá incluir:

a) A avaliação da movimentação fetal

b) Cardiotocografia e amnioscopia

c) Distocia funcional; amniotomia e reavaliação após duas horas; caso o exame permaneça
inalterado, indicar analgesia

d) Doplervelocimetria de artéria s umbilicais e artéria cérebro média

e) Evolução normal do trabalho de parto reavaliar a paciente a cada duas horas

93. Gestante multípara encontra-se no período expulsivo do trabalho de parto, com bolsa rota,
apresentação cefálica em ODP em plano +2 de De Lee. Após 30 minutos, apesar da dinâmica uterina
estar dadequada à fase do trabalho de parto, não se observa rotação do pólo cefálico, que se encontra
no plano +3 de De Lee. Não se constata formação de bossa. O diagnóstico e conduta são:

a) Desproporção céfalo- pélvica; cesárea

b) Desproporção céfalo- pélvica; Fórcipe de Kielland

c) Desproporção céfalo- pélvica; Fórcipe de Simpson - Braumm

d) Distorcia de rotação; Fórcipe de piper

e) Distorcia de rotação; Fórcipe de Kielland

94. Parturiente é admitida com dilatação do colo uterino de 7 cm, bolsa rota com líquido claro e
apresentação tendo como linha de orientação a sutura ságito – metópica. Trata-se de uma
apresentação:

a) Cefálica flétida

b) Cefálica deflétida de 1º grau

c) Cefálica defletida de 2º grau

d) Cefálica defletida de 3º grau

e) É impossível definir apresentação

95. Paciente com 32 anos de idade, portadora de lupus eritematoso sistêmico, deseja anticoncepção.
Dentre os métodos abaixo, recomenda-se:

a) Contraceptivo hormonal oral, combinado com 30μg de etinil e gestodeno

b) Injetável trimestral de acetato de medroxiprogesterona

c) Contraceptivo hormonal oral, combinado com 20μg de etinil e desogestrel

d) Injetável mensal com estrogênio e progesterona

e) Dispositivo intrauterino medicado com cobre

96. Paciente com 39 anos de idade, prole constituída, realizou colposcopia que acusou vaoss
atípicos. Efetuou biópsia do colo do útero, dirigida pela colposcopia, cujo laudo anatoma patológico
mostrou carcinoma espinocelular cervical invadindo 9 mm a partir da membrana basal . Ao exame
pélvico não havia sinais de acometimento parametrial ou vaginal. Indica-se:

a) Conização do colo uterino


b) Amputação cônica do útero

c) Histerectomia total abdominal

d) Histerectomia radical (cirúrgica de Werthein–Meigs)

e) Cirurgia cito- redutora

97. A conduta mais coerente para uma paciente de 20 anos de idade, com nódulo mamário indolor,
fibroelástico, móvel, com ultra – som revelando características de nódulo sólido e homogêneo com 1
cm de diâmetro, é:

a) Mamografia, punção com agulha fina exérese

b) Xeromamografia e punção com agulha fina excerése

c) Punção com agulha fina e exérese

d) Segmento em seis meses

e) Mamotomia

98. Paciente com 42 anos de idade, quadípra com quatro partos normais anteriores, refere
incontinência urinária aos esforços. O procedimento propedêutico

mais eficaz é:

a) Exame de urina tipo 1, cultura e se necessário, antibiograma

b) Ultra som do colo vesical

c) Teste urodinâmico

d) Uretrocistografia miccional

e) Teste do cotonete.

99. Paciente com 21 anos de idade, apresenta febre, corrimento genital pós menstrual e ultra – som
sugestivo de massa anexial, foi realizada laparoscopia diagnóstica, que evidenciou abscesso tubo –
ovariano direito, tendo-se colhido material para cultura em méis apropriados. Espera-se encontrar
como patógeno mais importante.

a) E. coli

b) C. trachomatis
c) N. Gorrhoeae

d) Micoplasma

e) Anaeróbios

100. Paciente apresenta carcinoma de mama esquerda, com 1,5 cm de diâmetro, localizado no
quadrante súpero- lateral. Realizou quadranatectomia e dissecção axilar do linfonodo sentinela, que é
definido como:

a) O maior linfonodo da axila

b) O linfonodo axilar mais próximo ao tumor

c) O primeiro linfonodo a drenar a região da mama

d) O linfonodo mais apical da mama

e) O linfonodo imediatamente posterior aos músculo grande peitoral

1. D 2. N 3. C 4. A 5. B 6. X 7. C 8. E 9. E 10. X
11. C 12. X 13. X 14. X 15. X 16. E 17. B 18. C 19. C 20. B
21. B 22. A 23. B 24. D 25. D 26. E 27. C 28. D 29. X 30. B
31. B 32. C 33. D 34. D 35. X 36. X 37. E 38. X 39. C 40. X
41. D 42. C 43. X 44. X 45. B 46. X 47. E 48. X 49. B 50. A
51. D 52. A 53. E 54. D 55. E 56. A 57. E 58. C 59. B 60. B
61. B 62. E 63. B 64. X 65. C 66. N 67. A 68. X 69. E 70. A
71. C 72. C 73. E 74. D 75. X 76. D 77. X 78. X 79. X 80. X
81. X 82. D 83. X 84. X 85. X 86. D 87. E 88. X 89. X 90. B
91. C 92. X 93. X 94. D 95. X 96. D 97. D 98. X 99. X 100. C